SlideShare uma empresa Scribd logo
SEQUÊNCIA DIDÁTICA
POESIA
Uma estratégia de ensino a favor do
desenvolvimento de habilidades e competências.

O trabalho de alfabetização e letramento, no Ciclo de
Alfabetização, deverá ser realizado com o objetivo de
desenvolver os cinco eixos temáticos:
1- Compreensão e Valorização da Cultura Escrita;
2- Apropriação do Sistema de Escrita;
3- Leitura;
4- Produção Escrita;
5- Desenvolvimento da Oralidade.
Objetivos
• Selecionar procedimentos de leitura adequados a diferentes objetivos e interesses, e a
característica e função social do gênero;
• Ativar os conhecimentos prévios dos alunos, possibilitando a manifestação de idéias e
experiências, através da oralidade;
• Estimular a leitura autônoma e prazerosa, partindo de um gênero textual capaz de despertar
a sensibilidade e as emoções;
• Desenvolver habilidades de apropriação do sistema de escrita e reescrita de textos, dentro
de um contexto significativo.
Justificativa
Atualmente, a prática da leitura de poesia está um pouco esquecida nas escolas e, cabe a nós,
educadores, descobrir formas de familiarizar e aproximar as crianças e jovens deste gênero textual.
Esta proposta, além de promover o desenvolvimento de várias habilidades, irá deflagrar na criança
o encantamento, a inspiração, a capacidade de maravilhar-se num jogo de sons e ritmos, investindo
na formação de leitores críticos e construtores de significados.
Por todos estes motivos e tantos outros é que a poesia deve ser trabalhada em sala de aula, cabendo
ao professor abrir os portais deste mundo encantador, deixando seus alunos entusiasmados,
fascinados, deslumbrados, apaixonados, sedentos e ávidos por novas leituras.
Características do Gênero Textual – Poesia
•

Antigamente, as poesias eram cantadas, acompanhadas pela lira, um instrumento musical
muito comum na Grécia antiga. Por isto, diz-se que a poesia pertence ao gênero lírico.

•

Geralmente, a expressão “poesia” se aplica à estrutura de texto em versos. Os versos são as
“linhas” do poema. Um conjunto de versos forma uma estrofe.

•

Algumas características básicas da poesia são o ritmo, a divisão em estrofes, a rima. Um
poema também possui métrica, que é a contagem das sílabas poéticas dos versos. Nem
todos estes quesitos estão presentes. Os poetas modernistas, por exemplo, adotaram o verso
livre, despreocupado com a rima e a métrica.

•

Algumas poesias são transformadas em canções;

•

As poesias servem para divertir, emocionar, fazer pensar. Possuem títulos, brincam com o
som, a forma gráfica e o significado das palavras;

•

São textos com autoria, isto é, geralmente sabemos quem os fez.
Eixo: Desenvolvimento da Oralidade

Este é o eixo responsável pelo domínio da língua falada, e deve ser explorado a todo momento na
sala de aula. Ou seja, o desenvolvimento da oralidade é importantíssimo e perpassa por todos os
demais eixos. Ele é o fio condutor para o desenvolvimento de todas as habilidades de leitura e
escrita.
Neste momento, o professor irá investigar os conhecimentos prévios dos alunos, através de
possíveis perguntas que irão anteceder a leitura da poesia, partindo do título da poesia: O PATO
•
•
•
•
•
•
•
•

Que gênero textual iremos ler?
Quem conhece outras poesias?
Para que servem as poesias?
De que assunto irá tratar esta poesia?
Encontraremos personagens?
Quais?
Quem será o autor desta poesia?
Como serão as características do pato?

Com base no título, levar os alunos a fazer suposições sobre o texto (levantamento de hipóteses).
É importante que o professor faça o registro das respostas dos alunos no quadro ou cartaz.
Eixo: Compreensão e Valorização da Cultura Escrita
Ao trabalhar este eixo, o professor estará introduzindo seus alunos no mundo letrado. Algumas
sugestões:
• Visita à biblioteca e exploração de coleções de poesias de vários autores;
• Pesquisa de outras poesias de Vinicius de Moraes:
• Exploração de vários suportes de poesias, formatação (margem, versos, estrofes), estilo de
linguagem, comparando-os com outros já conhecidos pelos alunos. Esta exploração
envolve deixar o aluno ter contato com os suportes – folhear, manusear, olhar as
ilustrações, sem pressão, sem censura, sem cobrança. As crianças conhecem o toque, o
peso, a cor e o cheiro de livros. Este é o primeiro conhecimento que se faz pelos sentidos,
pela afetividade e pelo intelecto.
• Leitura da poesia, feita em voz alta pela professora: este procedimento é essencial para
garantir o entendimento, facilitar as trocas entre os alunos e provocar reflexões.
• Visita à livrarias reais e virtuais para a compreensão de como podemos adquirir livros de
poesias;
• Entrevistas com poetas da comunidade.
• Construção de um varal de poesias;
• Sarau de Poesias;
• Exploração de livros de poesias, focando na forma de manuseá-los, as informações da capa
e contracapa, chamando a atenção para os procedimentos adequados de leitura;
• Exploração de outros gêneros textuais: Biografia de Vinicius de Moraes (autor da poesia);
“O que é Biografia?” Onde encontramos? Para que serve?
OS TEXTOS BIOGRÁFICOS
Têm uma ampla utilização social e escolar. Socialmente são fontes importantes de informação
sobre personagens da história da humanidade, e na escola aparecem com frequência para
apresentar a vida de personagens cuja ação é considerada relevante no acontecer histórico. São
narrativas sobre a vida de outra pessoa ou sobre a própria vida, articuladas em função de uma linha
temporal cronologia. Os fatos citados e os dados apresentados são fiéis ao que realmente aconteceu
na vida do biografado.
UM POUCO SOBRE UM DOS AUTORES...
O poeta Marcus Vinícius da Cruz de Mello Morais nasceu a 19 de outubro de 1913, no Rio de
Janeiro. Formou-se em Direito e produziu muitos poemas para adultos e para crianças, dentre eles:
A Arca de Noé, a Porta, a Foca, o Elefantinho. Vinícius morreu aos 66 anos, no dia 9 de julho de
1980, em sua casa, no Rio de Janeiro.
Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita
O trabalho com este eixo irá possibilitar ao aluno a aquisição e compreensão do sistema alfabético,
considerando a sua representação gráfica (alfabeto) , bem como as regras que orientam a leitura e a
escrita da língua portuguesa.
1- Uso adequado da página:
• Apresentar um cartaz com a poesia escrita em letra de imprensa maiúscula:
• Leia a poesia pausadamente, passando o dedo em cima de cada palavra;
• Repita a leitura até que os alunos estejam familiarizados com a poesia;
• Peça que os alunos leiam a poesia em voz alta ( enquanto eles leem, vá passando a régua
em cima de cada palavra lida, mostrando que a leitura é feita da esquerda para a direita e de
cima pra baixo);
• Peça que um aluno leia a poesia utilizando a régua durante a leitura, assim como você fez;
• Contar o número de palavras por verso e o número de espaços entre elas.
2- Compreender a diferença entre a escrita alfabética e outras formas gráficas:
• A poesia foi escrita com desenhos, números, símbolos ou letras? Explicar que foi escrita
com letras: vogais e consoantes. Que tipos de letras aparecem: maiúsculas, minúsculas, em
negrito, em itálico? Há figuras, fotos, ilustrações? O que se pode ler nessas imagens?
• Apresentar outro cartaz com a mesma poesia, onde algumas palavras estarão substituídas
por desenhos. Comparar os dois cartazes.
• Fazer o mesmo em letra cursiva;
• Apresentar aos alunos diversas poesias pedindo-lhes que identifiquem o que é letra, o que é
número e o que é desenho, observando também os diferentes tipos de letras.
3- Compreender e dominar as convenções gráficas – espaços em branco no texto.
• As palavras estão grudadinhas umas nas outras ou separadas? Solicitar que pintem, no
texto, os espaços entre as palavras. Em seguida, explique a função dos espaços em branco.
• Além das letras, das palavras e dos espaços em brancos, o que mais encontramos? Falar dos
sinais de pontuação e suas funções no texto. Depois, pedir para encontrá-los no texto e
circular.
• Apresentar os versos em tiras para os alunos reorganizarem o texto;
4- Consciência de Palavras:
• Entregar as palavras de um verso recortadas para que os alunos montem novamente;
• Brincar de substituir uma determinada palavra do texto. Ex: “Tantas fez o moço que foi pra
panela.” Substituir por pato, ele, o pateta, etc.;
• Pedir aos alunos que apontem no texto determinadas palavras pronunciadas pelo professor;
• Procurar determinadas palavras da poesia em revistas para recortá-las e montar um cartaz
intitulado: “Procura-se a palavra...”
• Qual a palavra que mais se repete no texto? Quantas vezes se repete? Solicitar que as
encontrem e circulem no texto (PATO). Quantas vezes ela se repetiu?
• Entregar um texto para cada criança e pedir que circulem as palavras PATO.
• Leia com a ajuda do seu colega, depois pense e responda quantas palavras tem a frase
abaixo. Escreva o numeral nos quadrinhos:

O PATO PATETA SURROU A GALINHA.

•

Colorir no texto as palavras abaixo:

PANELA
PATO

•

VERMELHO

AZUL

Descubra algumas palavras da poesia neste caça-palavras ( ANEXO 1):
GALUHPATOTRGPATRETUUTWQTG
NBVPITRWEQWCDFTGUYIOPOIKJU
HYAITIRIRIRIGENIPAPOIKJGFDIUU
YTTJUJHGSAQWASWQDRTTTGVIJI
FEIJHGFDEWQASEWUYHGTOIKLP
HUIPITKIFRTURYNJKAGALOPOBV
MDIAMNBVCXZASDFGHPOIUIMJL
5- Conhecer o alfabeto:
• Dividir a turma em duplas; disponibilizar o alfabeto móvel para cada dupla trabalhar com
reconhecimento das letras:
- a professora diz o nome de uma letra e os alunos deverão identificá-la no alfabeto móvel;
- esta mesma letra será identificada na poesia, circulando-a no cartaz, contando quantas vezes ela
aparece.
-os alunos poderão pesquisar em revistas outros tipos de letras iguais aquelas ( imprensa
minúscula, script, cursiva, etc.,).
• Fazer oralmente a análise linguística da palavra PATO, perguntando-lhes:

PATO
1- Quantas letras tem a palavra?
2- Qual é a primeira?
3- Qual é a última?
4- Quais são as vogais?
5- E as consoantes?
• Fazer a análise no quadro:
Palavra

Nº de letras

1ª letra

Última letra

Vogais

Consoantes

PATO
Obs.: Fazer esta mesma análise com outras palavras da poesia, para comparar nº de letras, palavra
maior/menor.
•
•

Recortar de revistas as letras da palavra PATO, PANELA e outras, e depois montá-las.
Quantas letras tem a palavra PATO? Pinte o numeral correspondente:

1
•

2

3

Complete com as letras que estão faltando:

P ____T_____

____A _____E_____A

4

5
6- Reconhecer unidades fonológicas como sílabas, rimas, terminações de palavras:
Consciência fonológica: sílabas e relação grafema/fonema:
• Utilize novamente o cartaz da poesia escolha uma palavra;
• Fale-a, pausadamente, silabando, e estimule os alunos a batucar o número de
sílabas: cada sílaba pronunciada, uma batinha na mesa. Repita este exercício
utilizando várias palavras da poesia: longas, de três ou mais sílabas e com palavras
monossílabas, comparando o número de pedacinhos entre elas.
1. Quantos pedacinhos tem esta palavra?
2. Quantas vezes abrimos a boca para falar esta palavra?
3. Explicar aos alunos que sílaba e pedaço é a mesma coisa.
• Utilize fichas com as palavras, e, depois, apresente as sílabas em fichas também,
colocando-as, com a ajuda dos alunos, bem abaixo das palavras correspondentes;
• Classificar palavras do texto em um quadro:
Uma sílaba

Duas sílabas

Três sílabas

Quatro sílabas

• Selecionar uma palavra da poesia e listar com os alunos outras palavras que rimam
com ela:
Exemplo; O que rima com
PANELA

JANELA
ELA
FIVELA
MANIVELA
MIRELA
TIGELA
( Escrever as palavras que rimam logo abaixo, de maneira que fiquem alinhadas.)
• Selecionar outra palavra do texto e listar com os alunos outras palavras que iniciam
com a mesma sílaba, ou com a mesma letra:
Exemplo: GALO
CAVALO

GATO
GALINHA
GAVETA
•
•
•

CASA
COMIDA
CAMINHÃO

Pedir para colorirem no texto as palavras que rimam;
Trabalhar com as sílabas de uma palavra: inicial, medial e final
Selecionar algumas palavras com os alunos, escrever as sílabas das mesmas em fichas e
pedir que as organizem .Depois, pedir que montem outras palavras com estas sílabas; listar
estas palavras no quadro.
•
•

Destacar a sílaba inicial de uma palavra: PA – dizer uma série de palavras e pedir aos
alunos para baterem palma quando ouvirem uma palavra começada por esta sílaba: bala –
pamonha -pirulito – palhaço – baleia – sapato, etc.;
Solicitar aos alunos que repitam as palavras dadas, eliminando, porém, a primeira sílaba.

Ex: panela - nela
genipapo - nipapo
moço - ço
pateta - teta
• A mesma atividade acima pode ser feita eliminando a última sílaba. Ex:
acolá - aco
marreco -marre
galinha - gali
• Diga uma série de palavras incompletas, omitindo a última sílaba. Os alunos deverão
adivinhar as palavras que você pensou.
Ex: pane...
marre...
gali....
engasga....
•

Faça um exercício de separação de sílabas oralmente, porém, pedindo aos alunos que façam
um tracinho no papel para cada sílaba que ouviram.

•

Brincar de “Lá vai a barquinha carregadinha de...”.
Eixo: Leitura
Voltamos a destacar a importância da leitura em voz alta feita pelo professor para estimular
a leitura e para a formação de alunos leitores. Este procedimento torna-se imprescindível
para criar uma pausa agradável no desgastante dia a dia escolar, introduzindo a beleza da
poesia.
É muito importante que o professor faça a leitura em tom normal, sem mudar a pronúncia,
fazendo as pausas previstas pela pontuação e mudando o tom para realçar as passagens
importantes e as emoções: medo, dúvida, surpresa, susto, alegria, mas sem exageros.
Na hora da leitura da poesia, chame atenção para as informações da capa, contracapa, autor,
numeração das páginas, etc..
Trabalhar as questões abaixo, primeiramente, oralmente, e depois, elaborar questões objetivas.
CAPACIDADE
DESCRITOR
QUESTÕES PROPOSTAS
Antecipar conteúdos de textos a Formular hipóteses
serem lidos em função de seu
suporte, seu gênero e sua
contextualização.

Partindo da imagem, ou do
título, que texto será este?
Partindo da formatação que
gênero textual é este? Onde
podemos encontrá-lo?

Construir compreensão global Identificar assunto de texto.
do texto lido, unificando e
inter-relacionando informações
explicitas e implícitas,
Localizar informações
produzindo inferências.
explicitas.

Do que o texto fala?
Ou qual o assunto principal
do texto?

Localizar informações
implícitas.

O que o pato fez com a
galinha? E com o marreco?
De quem ele levou um coice?
O que ele comeu? Onde ele
caiu? Para onde ele foi no
final?
Quem escreveu esta poesia?
Por que razão o Chico Bento
aparece na ilustração da
poesia?

Inferir o sentido de uma palavra Qual o sentido da expressão:
“Foi pra panela.”
ou expressão.
O pato fez tantas, o quê?
O que quer dizer: “Criou um
galo?”
Como era o comportamento
deste pato?
Qual o significado da
expressão:
“Pata aqui, pata acolá”?
(imitar este andar do pato)
Qual o significado da palavra
“acolá”/
Coerência e coesão no
processamento de textos.

Estabelecer relações de
continuidade temática a partir
da recuperação de elementos da
cadeia referencial do texto.

Na frase: “...tantas fez o
moço...”
Moço está se referindo a
quem?
Estabelecer relações lógicodiscursivas presentes no texto.

Por que o pato ficou com dor
no papo?
Qual foi a causa do pato ir
pra panela?
Qual palavra dá ideia de
lugar? “Lá”

Identificar os efeitos de sentido Qual o significado dos
decorrentes recursos gráficos símbolos que aparecem na
( tamanho da letra, negrito)
imagem da poesia?
(estrelinha, redemoinho)
Por que o título da poesia está
em letras maiores?

Implicações do gênero e do
suporte na compreensão de
textos.

Identificar gênero textual a
partir de seu conteúdo.

Qual é o nome deste gênero
textual? A quem ele se
destina?

Reconhecer finalidade do
gênero.

Pra que serve este tipo de
texto?

Estabelecer relação entre textos. Que outro gênero textual esta
poesia pode ser apresentada?
(música)

• EXPLORANDO O VOCABULÁRIO
a. Quais as palavras que vocês não conhecem no texto?
a. O que vocês acham que elas querem dizer?
b. Vamos procurar no dicionário? Mas antes vamos escrever no quadro o pensamos sobre
elas.
Exemplo:
PALAVRAS QUE NÃO CONHEÇO
O QUE EU PENSO?

O QUE DIZ O DICIONÁRIO?
Eixo: Produção Escrita

•

Escolher palavras do texto para produzir novas frases;

•

A partir da imagem (em qual espaço ou lugar) aconteceu a cena da poesia e descreva-a
abaixo:
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
•
•
•
•
•
•

Vamos elaborar um outro gênero textual (narrativo) partindo desta poesia, (coletivo);
Montar um quadrinho com as cenas da poesia;
Criar um outro final para a poesia;
Escrever um bilhete para o Chico Bento, lamentado as travessuras do pato.
Criar outra poesia, trocando o pato por outro animal.
Completar o texto: “Se eu fosse o Chico Bento, o que faria com o pato?”

OS DEMAIS CONTEÚDOS A SERVIÇO DAS CAPACIDADES
EXPLORANDO CIÊNCIAS
•

Perguntar aos alunos: Alguém sabe onde os patos vivem? De que eles se alimentam? De
que forma eles são utilizados pelo homem? Que aves parecem com os patos? Quais as
semelhanças e as diferenças? Registrar no quadro ou cartaz as suas repostas.

O objetivo principal deste trabalho é ativar os conhecimentos prévios
dos alfabetizandos, deixando que eles manifestem suas ideias, suas
experiências e criem suas hipóteses, desenvolvendo, também, a
oralidade.
•

A partir das respostas dos alunos, o professor deverá sistematizar o conhecimento falando
sobre as características dos patos, com o objetivo da transformar os conceitos espontâneos
em conceitos científicos.

Os patos são aves, geralmente, menores que os gansos e cisnes.
Podem ser encontrados tanto em água doce como salgada. Os
patos se alimentam de vegetação aquática e de pequenos
invertebrados. Eles são utilizados pelo homem na alimentação,
no vestuário (as penas) e entretenimento (caça).
Obs.: Trabalhar este gênero textual (divulgação científica/informativo) de maneira que os alunos se
familiarizem com o mesmo. É muito importante que o professor observe e faça as devidas
adaptações das informações, conforme o nível de seus alunos, e o conteúdo curricular que pretende
focar.
•

Perguntar: Vocês acham que utilizar o pato na alimentação, vestuário e no entretenimento
está certo ou errado? Por que? (desenvolvendo a oralidade, criticidade e autonomia):
promover um debate entre os alunos;

•

Propor: Vamos fazer uma lista com o nome de aves que vocês conhecem? Caberá ao
professor:

- Organizar este quadro para uma atividade coletiva e/ou individual::
LISTA DE AVES CONHECIDAS
HIPÓTESE DE ESCRITA
INDIVIDUAL

HIPÓTESE DE ESCRITA
COLETIVA

CORREÇÃO COLETIVA
(PROFESSOR)

• Solicitar que escrevam, na primeira coluna, do jeito que souberem, cinco nomes de aves
(hipóteses de escrita individual) que o professor ditar. (pode ser cinco alunos);
• -Solicitar que o resto da turma observe os nomes que os colegas escreveram e veja se eles
estão escritos corretamente. Caso não esteja, pedir que façam a devida correção (hipótese
de escrita coletiva), na segunda coluna do quadro.
•

Observar se as hipóteses de escrita coletiva estão corretas. Caso não esteja, promover a
análise e reflexão sobre a escrita da palavra, perguntando, por exemplo: está faltando ou
sobrando letra na palavra? Será que começa com esta letra? Na medida em que os
alfabetizandos confrontarem as hipóteses de escritas individual e coletiva (padrão oral –
escreve como fala) com a escrita correta das palavras (padrão da norma culta), se
estabelecerá o conflito cognitivo e, consequentemente, a aprendizagem.

OBJETIVO: as atividades de leitura e escrita de listas possibilitam
que os alunos pensem sobre o que e quantas letras usar, a formação de
sílabas e palavras, bem como promove o conflito cognitivo, quando os
eles compararam as suas hipóteses conceituais de escrita com a grafia
convencional das palavras. Favorece o desenvolvimento da base
alfabética e ortográfica, principalmente por tratar-se de um texto de
estrutura simples e de fácil compreensão.
• Confecção de um quadro de referência sobre as aves. Caberá ao professor:
1-Organizar grupos de no máximo cinco alunos, com diferentes hipóteses de escrita (présilábica, silábica, silábico-alfabética e alfabética).
2-Distribuir cópias de um pequeno texto falando sobre as aves. O texto deverá está escrito em
letras maiúsculas, para facilitar aqueles alunos não-alfabéticos. Exemplo:
AS AVES
AS AVES SÃO ANIMAIS OVÍPAROS, OU SEJA, BOTAM OVOS, TÊM O CORPO COBERTO
POR PENAS, QUE PROTEGEM DO CALOR E PERMITEM QUE ELAS VOEM. MAS NEM
TODAS AS AVES VOAM, ALGUMAS ESPÉCIES COMO A EMA E O AVESTRUZ, CORREM
COM MUITA VELOCIDADE.
JÁ O GANSO E O CISNE TÊM A CAPACIDADE DE NADAR. A MENOR AVE CONHECIDA
É O BESOURINHO DE CUBA, UM COLIBRI QUE PESA 1,6 GRAMAS E A MAIOR É O
AVESTRUZ QUE CHEGA A PESAR ATÉ 125 QUILOS.
CADA AVE GOSTA DE UM CERTO AMBIENTE OU HABITAT. ALGUMAS DELAS VIVEM
NOS RIOS, LAGOS E PÂNTANOS, NADANDO OU MERGULHANDO. OUTRAS VIVEM
NAS ÁRVORES DAS FLORESTAS E NOS BOSQUES. OS ALIMENTOS DAS AVES SÃO OS
MAIS VARIADOS: FRUTOS, SEMENTES, INSETOS, VERMES, PEIXES.

3- Escrever o texto, em letras maiúsculas, no quadro ou numa cartolina.;
4-Fazer a leitura do texto, pausadamente e com entonação adequada, apontando palavra por
palavra na lousa. Os alunos deverão acompanhar através dos seus textos ou da lousa.
5-Realizar leitura compartilhada, professor e alunos, pausadamente e com entonação adequada,
apontando palavra por palavra.
6-Fazer a interpretação oral do texto, perguntando: de que fala o texto? De que animal? Porque as
aves são chamadas de ovíparos? De que é coberto o seu corpo? Para que servem as penas? Todas
as aves voam? Quais as que nadam e as que voam? Qual a menor e a maior ave do mundo? Onde
vivem? Como se alimentam?
7-Distribuir para cada grupo um quadro contendo as características das aves. Solicitar aos alunos
que preencham o quadro. Exemplo:

CARACTERÍSTICAS DAS AVES
Desenho

Como é seu
corpo?

Como se
alimenta?

Onde vivem?

Menor ave do
mundo.

Maior ave do
mundo.

JUSTIFICATIVA: Este trabalho, além de explorar outro texto de
divulgação científica, irá trabalhar também com o
desenvolvimento de habilidades de leitura, envolvendo a
capacidade de retirar informações explícitas do texto, de uma
forma diferenciada e interessante.

EXPLORANDO O TEMA TRANSVERSAL ; MEIO AMBIENTE
•

Vocês sabem o que significa a palavra EXTINÇÃO? Extinção significa acabar.
Então, o que quer dizer a frase: “As aves ameaçadas de extinção?” Vocês conhecem
alguma? Por que vocês acham que elas estão sendo ameaçadas de extinção? Quem e por
que estão acabando com as aves? A partir dos conhecimentos prévios dos alunos, abordar
o tema em questão.

•

Vamos conhecer algumas delas? Se possível, mostrar figuras das aves e depois escrever os
seus nomes no quadro. Pedir que aos alunos que identifiquem os nomes das aves através
das figuras ou escrever os nomes no quadro e pedir que eles identifiquem onde estão
escritos.

• Propor a construção de um painel com os nomes das aves que estão sendo ameaçadas de
extinção e com um pequeno texto (escrita coletiva) sobre o tema abordado.
•

A escrita do texto deverá ser feita primeiramente no quadro pelo professor, que será o
escriba.
Os alunos deverão transcrever o texto, no caderno. Em seguida, transcrito para o painel por um
deles.
ARARAJUBA

RABUDINHO

COCORUTO

SOLDADINHO

De que lado o pato tem mais penas?
R: do lado de fora.

GALITO

COPERETE
EXPLORANDO A MATEMÁTICA
•

Construir com os alunos um gráfico sobre as preferências de aves ou animais. Fazer a
leitura do gráfico.
• Construir o mapa por onde o pato passou, seguindo a
sequência da poesia.
• Montar patinhos utilizando figuras geométricas;
• Resolução de Problemas;

BIBLIOGRAFIA:
CEALE.Coleção Orientações para a Organização do Ciclo Inicial de Alfabetização; Cad 2.,belo
Horizonte,2004
CARVALHO, Marlene. Guia Prático do Alfabetizador. São Paulo: Ed. Ática,1994.
Coleção de Atividades Matemáticas Desafiadoras, Capacitação de Professores da Rede Estadual
de Educação de Minas Gerais, Março-2011.
cenapvirtual@salvador.gov.br, 10 de junho de 2010.
ANEXO 1

CAÇA-PALAVRAS

GALUHPATOTRGPATRETUUTQTGNBVIJ
UXVHULMTGGGGBEAUIPATETAWTAXL
GENIPAPOBGFWIUYTREFVBMNAZXDSE
ELWIJUABTRIOJNMÇREWSAAZOPLKJU
YTFREIVCTEHPOUMNLMKIUYGFDRESG
ALOPYIOIAEEIKMNBVCXZOPÇLKJHGF
D S A T R E W Q V T I O P L M V X Z A A Q W D F SO P G
LUYITNMBVCXZAQWERTYUIOPÇLKJHG
FIDSAJAJKMNBVCXSQIOPLKJUYGTFDE
DSBVCVREWQUIKJMARRECOMNBGTÇP
OIUYTPOÇOXVBNMÇLKJHGFDSAW N JP
PANELANFORYTWNPUMNBPOÇOLÇPUY
TRVXQERTGVBGHYJKIUKOPLMNBVCA

PANELA – GALO – MARRECO – GENIPAPO – POÇO – PATETA - PATO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDASequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDA
Eleúzia Lins Silva
 
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
Ðouglas Rocha
 
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anoProjeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
jose ebner
 
Sequencia didática para trabalhar com as fábulas
Sequencia didática para trabalhar com as fábulasSequencia didática para trabalhar com as fábulas
Sequencia didática para trabalhar com as fábulas
RITA DE CASSIA LAGO GOMES
 
Sequência didática cantigas de roda
Sequência didática cantigas de roda Sequência didática cantigas de roda
Sequência didática cantigas de roda
Rosilane
 
Planejamento minha familia
Planejamento minha familiaPlanejamento minha familia
Planejamento minha familia
SimoneHelenDrumond
 
Sequência didática a casinha da vovó
Sequência didática a casinha da vovóSequência didática a casinha da vovó
Sequência didática a casinha da vovó
Andreá Perez Leinat
 
Sequencia didática de Matemática Alfabetizadora Eva Anilda Silveira
Sequencia didática de Matemática Alfabetizadora Eva Anilda Silveira Sequencia didática de Matemática Alfabetizadora Eva Anilda Silveira
Sequencia didática de Matemática Alfabetizadora Eva Anilda Silveira
Solange Goulart
 
Projeto da sala de leitura para turmas de 4º ano
Projeto da sala de leitura para turmas de 4º anoProjeto da sala de leitura para turmas de 4º ano
Projeto da sala de leitura para turmas de 4º ano
Christiane Queiroz
 
Projeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a LeituraProjeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a Leitura
Cirlei Santos
 
Apresentação fluência revisado
Apresentação fluência revisadoApresentação fluência revisado
Apresentação fluência revisado
angelafreire
 
Sequencia didatica hq
Sequencia didatica hqSequencia didatica hq
Sequencia didatica hq
Maria Augusta Vidigal
 
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Edeil Reis do Espírito Santo
 
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º ano
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º anoSEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º ano
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º ano
Iolanda Sá
 
Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012
Professora Cida
 
Sequencia didatica poesia
Sequencia didatica poesiaSequencia didatica poesia
Sequencia didatica poesia
Keila Arruda
 
Plano aula matematica
Plano aula matematicaPlano aula matematica
Plano aula matematica
ivanetesantos
 
Relatorio Sondagem-Escrita
Relatorio Sondagem-EscritaRelatorio Sondagem-Escrita
Relatorio Sondagem-Escrita
Graça Sousa
 
Projeto de Leitura: Minha Escola Lê
Projeto de Leitura: Minha Escola LêProjeto de Leitura: Minha Escola Lê
Projeto de Leitura: Minha Escola Lê
Cirlei Santos
 
Plano de aula vamos conhecer o natal pdf
Plano de aula   vamos conhecer o natal pdfPlano de aula   vamos conhecer o natal pdf
Plano de aula vamos conhecer o natal pdf
André Moraes
 

Mais procurados (20)

Sequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDASequência Didática PARLENDA
Sequência Didática PARLENDA
 
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
 
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anoProjeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
 
Sequencia didática para trabalhar com as fábulas
Sequencia didática para trabalhar com as fábulasSequencia didática para trabalhar com as fábulas
Sequencia didática para trabalhar com as fábulas
 
Sequência didática cantigas de roda
Sequência didática cantigas de roda Sequência didática cantigas de roda
Sequência didática cantigas de roda
 
Planejamento minha familia
Planejamento minha familiaPlanejamento minha familia
Planejamento minha familia
 
Sequência didática a casinha da vovó
Sequência didática a casinha da vovóSequência didática a casinha da vovó
Sequência didática a casinha da vovó
 
Sequencia didática de Matemática Alfabetizadora Eva Anilda Silveira
Sequencia didática de Matemática Alfabetizadora Eva Anilda Silveira Sequencia didática de Matemática Alfabetizadora Eva Anilda Silveira
Sequencia didática de Matemática Alfabetizadora Eva Anilda Silveira
 
Projeto da sala de leitura para turmas de 4º ano
Projeto da sala de leitura para turmas de 4º anoProjeto da sala de leitura para turmas de 4º ano
Projeto da sala de leitura para turmas de 4º ano
 
Projeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a LeituraProjeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a Leitura
 
Apresentação fluência revisado
Apresentação fluência revisadoApresentação fluência revisado
Apresentação fluência revisado
 
Sequencia didatica hq
Sequencia didatica hqSequencia didatica hq
Sequencia didatica hq
 
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
 
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º ano
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º anoSEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º ano
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º ano
 
Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012
 
Sequencia didatica poesia
Sequencia didatica poesiaSequencia didatica poesia
Sequencia didatica poesia
 
Plano aula matematica
Plano aula matematicaPlano aula matematica
Plano aula matematica
 
Relatorio Sondagem-Escrita
Relatorio Sondagem-EscritaRelatorio Sondagem-Escrita
Relatorio Sondagem-Escrita
 
Projeto de Leitura: Minha Escola Lê
Projeto de Leitura: Minha Escola LêProjeto de Leitura: Minha Escola Lê
Projeto de Leitura: Minha Escola Lê
 
Plano de aula vamos conhecer o natal pdf
Plano de aula   vamos conhecer o natal pdfPlano de aula   vamos conhecer o natal pdf
Plano de aula vamos conhecer o natal pdf
 

Destaque

Planos de aula para anos iniciais
Planos de aula para anos iniciaisPlanos de aula para anos iniciais
Planos de aula para anos iniciais
pipatcleopoldina
 
Projeto dia das mães (simone drumond 2009)
Projeto dia das mães (simone drumond 2009)Projeto dia das mães (simone drumond 2009)
Projeto dia das mães (simone drumond 2009)
SimoneHelenDrumond
 
Alfabeto musical
Alfabeto musicalAlfabeto musical
Livro cabe na mala
Livro cabe na malaLivro cabe na mala
Livro cabe na mala
Sonia Amaral
 
Histórias
HistóriasHistórias
Histórias
Luciana Dias
 
Jogos para alfabetizar
Jogos para alfabetizarJogos para alfabetizar
Jogos para alfabetizar
Bete Feliciano
 
Tipo de jogo
Tipo de jogoTipo de jogo
Tipo de jogo
Bete Feliciano
 
Livro Cabe na Mala-atividades
Livro Cabe na Mala-atividadesLivro Cabe na Mala-atividades
Livro Cabe na Mala-atividades
Graça Sousa
 
Sequencia mentira da_barata
Sequencia mentira da_barataSequencia mentira da_barata
Sequencia mentira da_barata
Cátia Regina Busarello
 
Português volume 1
Português volume 1Português volume 1
Português volume 1
Construindo Futuros
 
Atividades 1.ano_aluno
Atividades 1.ano_alunoAtividades 1.ano_aluno
Atividades 1.ano_aluno
Isa ...
 
Português Volume 2
Português Volume 2Português Volume 2
Português Volume 2
Construindo Futuros
 
Alfabeto ilustrado de animais
Alfabeto ilustrado de animaisAlfabeto ilustrado de animais
Alfabeto ilustrado de animais
Neemias
 
Gabriel
GabrielGabriel
Gabriel
Sonia Amaral
 
Briquedos deficiencia
Briquedos deficienciaBriquedos deficiencia
Briquedos deficiencia
Larissa Bela Marinho
 
Era uma vez um tatu bola
Era uma vez um tatu bolaEra uma vez um tatu bola
Era uma vez um tatu bola
Marisa Seara
 
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° anoSequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
Bianca Zanocini
 
Trabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne eTrabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne e
wandelvarela
 
Projeto ProduçãO De Textos
Projeto ProduçãO De TextosProjeto ProduçãO De Textos
Projeto ProduçãO De Textos
guest67b92
 
M7 4 bim_aluno_2013
M7 4 bim_aluno_2013M7 4 bim_aluno_2013
M7 4 bim_aluno_2013
Icobashi
 

Destaque (20)

Planos de aula para anos iniciais
Planos de aula para anos iniciaisPlanos de aula para anos iniciais
Planos de aula para anos iniciais
 
Projeto dia das mães (simone drumond 2009)
Projeto dia das mães (simone drumond 2009)Projeto dia das mães (simone drumond 2009)
Projeto dia das mães (simone drumond 2009)
 
Alfabeto musical
Alfabeto musicalAlfabeto musical
Alfabeto musical
 
Livro cabe na mala
Livro cabe na malaLivro cabe na mala
Livro cabe na mala
 
Histórias
HistóriasHistórias
Histórias
 
Jogos para alfabetizar
Jogos para alfabetizarJogos para alfabetizar
Jogos para alfabetizar
 
Tipo de jogo
Tipo de jogoTipo de jogo
Tipo de jogo
 
Livro Cabe na Mala-atividades
Livro Cabe na Mala-atividadesLivro Cabe na Mala-atividades
Livro Cabe na Mala-atividades
 
Sequencia mentira da_barata
Sequencia mentira da_barataSequencia mentira da_barata
Sequencia mentira da_barata
 
Português volume 1
Português volume 1Português volume 1
Português volume 1
 
Atividades 1.ano_aluno
Atividades 1.ano_alunoAtividades 1.ano_aluno
Atividades 1.ano_aluno
 
Português Volume 2
Português Volume 2Português Volume 2
Português Volume 2
 
Alfabeto ilustrado de animais
Alfabeto ilustrado de animaisAlfabeto ilustrado de animais
Alfabeto ilustrado de animais
 
Gabriel
GabrielGabriel
Gabriel
 
Briquedos deficiencia
Briquedos deficienciaBriquedos deficiencia
Briquedos deficiencia
 
Era uma vez um tatu bola
Era uma vez um tatu bolaEra uma vez um tatu bola
Era uma vez um tatu bola
 
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° anoSequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
 
Trabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne eTrabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne e
 
Projeto ProduçãO De Textos
Projeto ProduçãO De TextosProjeto ProduçãO De Textos
Projeto ProduçãO De Textos
 
M7 4 bim_aluno_2013
M7 4 bim_aluno_2013M7 4 bim_aluno_2013
M7 4 bim_aluno_2013
 

Semelhante a Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01

Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2
ADRIANA BECKER
 
Sequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulasSequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulas
Professora Cida
 
Pnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritosPnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritos
Claudio Pessoa
 
Projeto didático leilão de jardim
Projeto didático leilão de jardimProjeto didático leilão de jardim
Projeto didático leilão de jardim
Professora Cida
 
Sequência de atividades
Sequência de atividadesSequência de atividades
Sequência de atividades
Fernanda Damm
 
Projeto por entre as linhas da poesia as linhas do desenho
Projeto   por entre as linhas da poesia as linhas do desenhoProjeto   por entre as linhas da poesia as linhas do desenho
Projeto por entre as linhas da poesia as linhas do desenho
jucinei1971claudio
 
Práticas de produção de texto no primeiro ano
Práticas de produção de texto no primeiro anoPráticas de produção de texto no primeiro ano
Práticas de produção de texto no primeiro ano
Aprender com prazer
 
Poesia projeto
Poesia projetoPoesia projeto
Poesia projeto
vanyeroger
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
Luis Carlos Santos
 
Slides olimpíadas de língua portuguea
Slides  olimpíadas de língua portugueaSlides  olimpíadas de língua portuguea
Slides olimpíadas de língua portuguea
Hilda Pereira Louça carneiro
 
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
ADRIANA BECKER
 
Análise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJAAnálise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJA
Érica Camargo
 
Slide jornada 1 - Fundamental 1
Slide jornada 1 - Fundamental 1Slide jornada 1 - Fundamental 1
Slide jornada 1 - Fundamental 1
cfvila
 
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernosCaderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
valdirnicioli1
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Josilene Borges
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
CarolineWaitman
 
235267232 4-ano-projeto-varal-de-poesias-1
235267232 4-ano-projeto-varal-de-poesias-1235267232 4-ano-projeto-varal-de-poesias-1
235267232 4-ano-projeto-varal-de-poesias-1
Ana Chantal
 
Socialização de prática cre orla blog
Socialização de prática   cre orla blogSocialização de prática   cre orla blog
Socialização de prática cre orla blog
Marisa Seara
 
Reescrevendo histórias
Reescrevendo históriasReescrevendo histórias
Reescrevendo histórias
Neemias
 
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTOSlides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Edna Monteiro
 

Semelhante a Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01 (20)

Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2
 
Sequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulasSequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulas
 
Pnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritosPnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritos
 
Projeto didático leilão de jardim
Projeto didático leilão de jardimProjeto didático leilão de jardim
Projeto didático leilão de jardim
 
Sequência de atividades
Sequência de atividadesSequência de atividades
Sequência de atividades
 
Projeto por entre as linhas da poesia as linhas do desenho
Projeto   por entre as linhas da poesia as linhas do desenhoProjeto   por entre as linhas da poesia as linhas do desenho
Projeto por entre as linhas da poesia as linhas do desenho
 
Práticas de produção de texto no primeiro ano
Práticas de produção de texto no primeiro anoPráticas de produção de texto no primeiro ano
Práticas de produção de texto no primeiro ano
 
Poesia projeto
Poesia projetoPoesia projeto
Poesia projeto
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
 
Slides olimpíadas de língua portuguea
Slides  olimpíadas de língua portugueaSlides  olimpíadas de língua portuguea
Slides olimpíadas de língua portuguea
 
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
 
Análise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJAAnálise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJA
 
Slide jornada 1 - Fundamental 1
Slide jornada 1 - Fundamental 1Slide jornada 1 - Fundamental 1
Slide jornada 1 - Fundamental 1
 
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernosCaderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
235267232 4-ano-projeto-varal-de-poesias-1
235267232 4-ano-projeto-varal-de-poesias-1235267232 4-ano-projeto-varal-de-poesias-1
235267232 4-ano-projeto-varal-de-poesias-1
 
Socialização de prática cre orla blog
Socialização de prática   cre orla blogSocialização de prática   cre orla blog
Socialização de prática cre orla blog
 
Reescrevendo histórias
Reescrevendo históriasReescrevendo histórias
Reescrevendo histórias
 
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTOSlides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
 

Sequenciadidaticapoesia130709093055phpapp01

  • 1. SEQUÊNCIA DIDÁTICA POESIA Uma estratégia de ensino a favor do desenvolvimento de habilidades e competências. O trabalho de alfabetização e letramento, no Ciclo de Alfabetização, deverá ser realizado com o objetivo de desenvolver os cinco eixos temáticos: 1- Compreensão e Valorização da Cultura Escrita; 2- Apropriação do Sistema de Escrita; 3- Leitura; 4- Produção Escrita; 5- Desenvolvimento da Oralidade. Objetivos • Selecionar procedimentos de leitura adequados a diferentes objetivos e interesses, e a característica e função social do gênero; • Ativar os conhecimentos prévios dos alunos, possibilitando a manifestação de idéias e experiências, através da oralidade; • Estimular a leitura autônoma e prazerosa, partindo de um gênero textual capaz de despertar a sensibilidade e as emoções; • Desenvolver habilidades de apropriação do sistema de escrita e reescrita de textos, dentro de um contexto significativo. Justificativa Atualmente, a prática da leitura de poesia está um pouco esquecida nas escolas e, cabe a nós, educadores, descobrir formas de familiarizar e aproximar as crianças e jovens deste gênero textual. Esta proposta, além de promover o desenvolvimento de várias habilidades, irá deflagrar na criança o encantamento, a inspiração, a capacidade de maravilhar-se num jogo de sons e ritmos, investindo na formação de leitores críticos e construtores de significados. Por todos estes motivos e tantos outros é que a poesia deve ser trabalhada em sala de aula, cabendo ao professor abrir os portais deste mundo encantador, deixando seus alunos entusiasmados, fascinados, deslumbrados, apaixonados, sedentos e ávidos por novas leituras.
  • 2. Características do Gênero Textual – Poesia • Antigamente, as poesias eram cantadas, acompanhadas pela lira, um instrumento musical muito comum na Grécia antiga. Por isto, diz-se que a poesia pertence ao gênero lírico. • Geralmente, a expressão “poesia” se aplica à estrutura de texto em versos. Os versos são as “linhas” do poema. Um conjunto de versos forma uma estrofe. • Algumas características básicas da poesia são o ritmo, a divisão em estrofes, a rima. Um poema também possui métrica, que é a contagem das sílabas poéticas dos versos. Nem todos estes quesitos estão presentes. Os poetas modernistas, por exemplo, adotaram o verso livre, despreocupado com a rima e a métrica. • Algumas poesias são transformadas em canções; • As poesias servem para divertir, emocionar, fazer pensar. Possuem títulos, brincam com o som, a forma gráfica e o significado das palavras; • São textos com autoria, isto é, geralmente sabemos quem os fez. Eixo: Desenvolvimento da Oralidade Este é o eixo responsável pelo domínio da língua falada, e deve ser explorado a todo momento na sala de aula. Ou seja, o desenvolvimento da oralidade é importantíssimo e perpassa por todos os demais eixos. Ele é o fio condutor para o desenvolvimento de todas as habilidades de leitura e escrita. Neste momento, o professor irá investigar os conhecimentos prévios dos alunos, através de possíveis perguntas que irão anteceder a leitura da poesia, partindo do título da poesia: O PATO • • • • • • • • Que gênero textual iremos ler? Quem conhece outras poesias? Para que servem as poesias? De que assunto irá tratar esta poesia? Encontraremos personagens? Quais? Quem será o autor desta poesia? Como serão as características do pato? Com base no título, levar os alunos a fazer suposições sobre o texto (levantamento de hipóteses). É importante que o professor faça o registro das respostas dos alunos no quadro ou cartaz.
  • 3. Eixo: Compreensão e Valorização da Cultura Escrita Ao trabalhar este eixo, o professor estará introduzindo seus alunos no mundo letrado. Algumas sugestões: • Visita à biblioteca e exploração de coleções de poesias de vários autores; • Pesquisa de outras poesias de Vinicius de Moraes: • Exploração de vários suportes de poesias, formatação (margem, versos, estrofes), estilo de linguagem, comparando-os com outros já conhecidos pelos alunos. Esta exploração envolve deixar o aluno ter contato com os suportes – folhear, manusear, olhar as ilustrações, sem pressão, sem censura, sem cobrança. As crianças conhecem o toque, o peso, a cor e o cheiro de livros. Este é o primeiro conhecimento que se faz pelos sentidos, pela afetividade e pelo intelecto. • Leitura da poesia, feita em voz alta pela professora: este procedimento é essencial para garantir o entendimento, facilitar as trocas entre os alunos e provocar reflexões. • Visita à livrarias reais e virtuais para a compreensão de como podemos adquirir livros de poesias; • Entrevistas com poetas da comunidade. • Construção de um varal de poesias; • Sarau de Poesias; • Exploração de livros de poesias, focando na forma de manuseá-los, as informações da capa e contracapa, chamando a atenção para os procedimentos adequados de leitura; • Exploração de outros gêneros textuais: Biografia de Vinicius de Moraes (autor da poesia); “O que é Biografia?” Onde encontramos? Para que serve? OS TEXTOS BIOGRÁFICOS Têm uma ampla utilização social e escolar. Socialmente são fontes importantes de informação sobre personagens da história da humanidade, e na escola aparecem com frequência para apresentar a vida de personagens cuja ação é considerada relevante no acontecer histórico. São narrativas sobre a vida de outra pessoa ou sobre a própria vida, articuladas em função de uma linha temporal cronologia. Os fatos citados e os dados apresentados são fiéis ao que realmente aconteceu na vida do biografado. UM POUCO SOBRE UM DOS AUTORES... O poeta Marcus Vinícius da Cruz de Mello Morais nasceu a 19 de outubro de 1913, no Rio de Janeiro. Formou-se em Direito e produziu muitos poemas para adultos e para crianças, dentre eles: A Arca de Noé, a Porta, a Foca, o Elefantinho. Vinícius morreu aos 66 anos, no dia 9 de julho de 1980, em sua casa, no Rio de Janeiro.
  • 4. Eixo: Apropriação do Sistema de Escrita O trabalho com este eixo irá possibilitar ao aluno a aquisição e compreensão do sistema alfabético, considerando a sua representação gráfica (alfabeto) , bem como as regras que orientam a leitura e a escrita da língua portuguesa. 1- Uso adequado da página: • Apresentar um cartaz com a poesia escrita em letra de imprensa maiúscula: • Leia a poesia pausadamente, passando o dedo em cima de cada palavra; • Repita a leitura até que os alunos estejam familiarizados com a poesia; • Peça que os alunos leiam a poesia em voz alta ( enquanto eles leem, vá passando a régua em cima de cada palavra lida, mostrando que a leitura é feita da esquerda para a direita e de cima pra baixo); • Peça que um aluno leia a poesia utilizando a régua durante a leitura, assim como você fez; • Contar o número de palavras por verso e o número de espaços entre elas. 2- Compreender a diferença entre a escrita alfabética e outras formas gráficas: • A poesia foi escrita com desenhos, números, símbolos ou letras? Explicar que foi escrita com letras: vogais e consoantes. Que tipos de letras aparecem: maiúsculas, minúsculas, em negrito, em itálico? Há figuras, fotos, ilustrações? O que se pode ler nessas imagens? • Apresentar outro cartaz com a mesma poesia, onde algumas palavras estarão substituídas por desenhos. Comparar os dois cartazes. • Fazer o mesmo em letra cursiva; • Apresentar aos alunos diversas poesias pedindo-lhes que identifiquem o que é letra, o que é número e o que é desenho, observando também os diferentes tipos de letras. 3- Compreender e dominar as convenções gráficas – espaços em branco no texto. • As palavras estão grudadinhas umas nas outras ou separadas? Solicitar que pintem, no texto, os espaços entre as palavras. Em seguida, explique a função dos espaços em branco. • Além das letras, das palavras e dos espaços em brancos, o que mais encontramos? Falar dos sinais de pontuação e suas funções no texto. Depois, pedir para encontrá-los no texto e circular. • Apresentar os versos em tiras para os alunos reorganizarem o texto;
  • 5.
  • 6. 4- Consciência de Palavras: • Entregar as palavras de um verso recortadas para que os alunos montem novamente; • Brincar de substituir uma determinada palavra do texto. Ex: “Tantas fez o moço que foi pra panela.” Substituir por pato, ele, o pateta, etc.; • Pedir aos alunos que apontem no texto determinadas palavras pronunciadas pelo professor; • Procurar determinadas palavras da poesia em revistas para recortá-las e montar um cartaz intitulado: “Procura-se a palavra...” • Qual a palavra que mais se repete no texto? Quantas vezes se repete? Solicitar que as encontrem e circulem no texto (PATO). Quantas vezes ela se repetiu? • Entregar um texto para cada criança e pedir que circulem as palavras PATO. • Leia com a ajuda do seu colega, depois pense e responda quantas palavras tem a frase abaixo. Escreva o numeral nos quadrinhos: O PATO PATETA SURROU A GALINHA. • Colorir no texto as palavras abaixo: PANELA PATO • VERMELHO AZUL Descubra algumas palavras da poesia neste caça-palavras ( ANEXO 1): GALUHPATOTRGPATRETUUTWQTG NBVPITRWEQWCDFTGUYIOPOIKJU HYAITIRIRIRIGENIPAPOIKJGFDIUU YTTJUJHGSAQWASWQDRTTTGVIJI FEIJHGFDEWQASEWUYHGTOIKLP HUIPITKIFRTURYNJKAGALOPOBV MDIAMNBVCXZASDFGHPOIUIMJL
  • 7. 5- Conhecer o alfabeto: • Dividir a turma em duplas; disponibilizar o alfabeto móvel para cada dupla trabalhar com reconhecimento das letras: - a professora diz o nome de uma letra e os alunos deverão identificá-la no alfabeto móvel; - esta mesma letra será identificada na poesia, circulando-a no cartaz, contando quantas vezes ela aparece. -os alunos poderão pesquisar em revistas outros tipos de letras iguais aquelas ( imprensa minúscula, script, cursiva, etc.,). • Fazer oralmente a análise linguística da palavra PATO, perguntando-lhes: PATO 1- Quantas letras tem a palavra? 2- Qual é a primeira? 3- Qual é a última? 4- Quais são as vogais? 5- E as consoantes? • Fazer a análise no quadro: Palavra Nº de letras 1ª letra Última letra Vogais Consoantes PATO Obs.: Fazer esta mesma análise com outras palavras da poesia, para comparar nº de letras, palavra maior/menor. • • Recortar de revistas as letras da palavra PATO, PANELA e outras, e depois montá-las. Quantas letras tem a palavra PATO? Pinte o numeral correspondente: 1 • 2 3 Complete com as letras que estão faltando: P ____T_____ ____A _____E_____A 4 5
  • 8. 6- Reconhecer unidades fonológicas como sílabas, rimas, terminações de palavras: Consciência fonológica: sílabas e relação grafema/fonema: • Utilize novamente o cartaz da poesia escolha uma palavra; • Fale-a, pausadamente, silabando, e estimule os alunos a batucar o número de sílabas: cada sílaba pronunciada, uma batinha na mesa. Repita este exercício utilizando várias palavras da poesia: longas, de três ou mais sílabas e com palavras monossílabas, comparando o número de pedacinhos entre elas. 1. Quantos pedacinhos tem esta palavra? 2. Quantas vezes abrimos a boca para falar esta palavra? 3. Explicar aos alunos que sílaba e pedaço é a mesma coisa. • Utilize fichas com as palavras, e, depois, apresente as sílabas em fichas também, colocando-as, com a ajuda dos alunos, bem abaixo das palavras correspondentes; • Classificar palavras do texto em um quadro: Uma sílaba Duas sílabas Três sílabas Quatro sílabas • Selecionar uma palavra da poesia e listar com os alunos outras palavras que rimam com ela: Exemplo; O que rima com PANELA JANELA ELA FIVELA MANIVELA MIRELA TIGELA ( Escrever as palavras que rimam logo abaixo, de maneira que fiquem alinhadas.) • Selecionar outra palavra do texto e listar com os alunos outras palavras que iniciam com a mesma sílaba, ou com a mesma letra: Exemplo: GALO CAVALO GATO GALINHA GAVETA • • • CASA COMIDA CAMINHÃO Pedir para colorirem no texto as palavras que rimam; Trabalhar com as sílabas de uma palavra: inicial, medial e final Selecionar algumas palavras com os alunos, escrever as sílabas das mesmas em fichas e pedir que as organizem .Depois, pedir que montem outras palavras com estas sílabas; listar estas palavras no quadro.
  • 9. • • Destacar a sílaba inicial de uma palavra: PA – dizer uma série de palavras e pedir aos alunos para baterem palma quando ouvirem uma palavra começada por esta sílaba: bala – pamonha -pirulito – palhaço – baleia – sapato, etc.; Solicitar aos alunos que repitam as palavras dadas, eliminando, porém, a primeira sílaba. Ex: panela - nela genipapo - nipapo moço - ço pateta - teta • A mesma atividade acima pode ser feita eliminando a última sílaba. Ex: acolá - aco marreco -marre galinha - gali • Diga uma série de palavras incompletas, omitindo a última sílaba. Os alunos deverão adivinhar as palavras que você pensou. Ex: pane... marre... gali.... engasga.... • Faça um exercício de separação de sílabas oralmente, porém, pedindo aos alunos que façam um tracinho no papel para cada sílaba que ouviram. • Brincar de “Lá vai a barquinha carregadinha de...”.
  • 10. Eixo: Leitura Voltamos a destacar a importância da leitura em voz alta feita pelo professor para estimular a leitura e para a formação de alunos leitores. Este procedimento torna-se imprescindível para criar uma pausa agradável no desgastante dia a dia escolar, introduzindo a beleza da poesia. É muito importante que o professor faça a leitura em tom normal, sem mudar a pronúncia, fazendo as pausas previstas pela pontuação e mudando o tom para realçar as passagens importantes e as emoções: medo, dúvida, surpresa, susto, alegria, mas sem exageros. Na hora da leitura da poesia, chame atenção para as informações da capa, contracapa, autor, numeração das páginas, etc.. Trabalhar as questões abaixo, primeiramente, oralmente, e depois, elaborar questões objetivas. CAPACIDADE DESCRITOR QUESTÕES PROPOSTAS Antecipar conteúdos de textos a Formular hipóteses serem lidos em função de seu suporte, seu gênero e sua contextualização. Partindo da imagem, ou do título, que texto será este? Partindo da formatação que gênero textual é este? Onde podemos encontrá-lo? Construir compreensão global Identificar assunto de texto. do texto lido, unificando e inter-relacionando informações explicitas e implícitas, Localizar informações produzindo inferências. explicitas. Do que o texto fala? Ou qual o assunto principal do texto? Localizar informações implícitas. O que o pato fez com a galinha? E com o marreco? De quem ele levou um coice? O que ele comeu? Onde ele caiu? Para onde ele foi no final? Quem escreveu esta poesia? Por que razão o Chico Bento aparece na ilustração da poesia? Inferir o sentido de uma palavra Qual o sentido da expressão: “Foi pra panela.” ou expressão. O pato fez tantas, o quê? O que quer dizer: “Criou um galo?” Como era o comportamento deste pato? Qual o significado da expressão: “Pata aqui, pata acolá”? (imitar este andar do pato) Qual o significado da palavra “acolá”/ Coerência e coesão no processamento de textos. Estabelecer relações de continuidade temática a partir da recuperação de elementos da cadeia referencial do texto. Na frase: “...tantas fez o moço...” Moço está se referindo a quem?
  • 11. Estabelecer relações lógicodiscursivas presentes no texto. Por que o pato ficou com dor no papo? Qual foi a causa do pato ir pra panela? Qual palavra dá ideia de lugar? “Lá” Identificar os efeitos de sentido Qual o significado dos decorrentes recursos gráficos símbolos que aparecem na ( tamanho da letra, negrito) imagem da poesia? (estrelinha, redemoinho) Por que o título da poesia está em letras maiores? Implicações do gênero e do suporte na compreensão de textos. Identificar gênero textual a partir de seu conteúdo. Qual é o nome deste gênero textual? A quem ele se destina? Reconhecer finalidade do gênero. Pra que serve este tipo de texto? Estabelecer relação entre textos. Que outro gênero textual esta poesia pode ser apresentada? (música) • EXPLORANDO O VOCABULÁRIO a. Quais as palavras que vocês não conhecem no texto? a. O que vocês acham que elas querem dizer? b. Vamos procurar no dicionário? Mas antes vamos escrever no quadro o pensamos sobre elas. Exemplo: PALAVRAS QUE NÃO CONHEÇO O QUE EU PENSO? O QUE DIZ O DICIONÁRIO?
  • 12. Eixo: Produção Escrita • Escolher palavras do texto para produzir novas frases; • A partir da imagem (em qual espaço ou lugar) aconteceu a cena da poesia e descreva-a abaixo: _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ • • • • • • Vamos elaborar um outro gênero textual (narrativo) partindo desta poesia, (coletivo); Montar um quadrinho com as cenas da poesia; Criar um outro final para a poesia; Escrever um bilhete para o Chico Bento, lamentado as travessuras do pato. Criar outra poesia, trocando o pato por outro animal. Completar o texto: “Se eu fosse o Chico Bento, o que faria com o pato?” OS DEMAIS CONTEÚDOS A SERVIÇO DAS CAPACIDADES EXPLORANDO CIÊNCIAS • Perguntar aos alunos: Alguém sabe onde os patos vivem? De que eles se alimentam? De que forma eles são utilizados pelo homem? Que aves parecem com os patos? Quais as semelhanças e as diferenças? Registrar no quadro ou cartaz as suas repostas. O objetivo principal deste trabalho é ativar os conhecimentos prévios dos alfabetizandos, deixando que eles manifestem suas ideias, suas experiências e criem suas hipóteses, desenvolvendo, também, a oralidade.
  • 13. • A partir das respostas dos alunos, o professor deverá sistematizar o conhecimento falando sobre as características dos patos, com o objetivo da transformar os conceitos espontâneos em conceitos científicos. Os patos são aves, geralmente, menores que os gansos e cisnes. Podem ser encontrados tanto em água doce como salgada. Os patos se alimentam de vegetação aquática e de pequenos invertebrados. Eles são utilizados pelo homem na alimentação, no vestuário (as penas) e entretenimento (caça). Obs.: Trabalhar este gênero textual (divulgação científica/informativo) de maneira que os alunos se familiarizem com o mesmo. É muito importante que o professor observe e faça as devidas adaptações das informações, conforme o nível de seus alunos, e o conteúdo curricular que pretende focar. • Perguntar: Vocês acham que utilizar o pato na alimentação, vestuário e no entretenimento está certo ou errado? Por que? (desenvolvendo a oralidade, criticidade e autonomia): promover um debate entre os alunos; • Propor: Vamos fazer uma lista com o nome de aves que vocês conhecem? Caberá ao professor: - Organizar este quadro para uma atividade coletiva e/ou individual:: LISTA DE AVES CONHECIDAS HIPÓTESE DE ESCRITA INDIVIDUAL HIPÓTESE DE ESCRITA COLETIVA CORREÇÃO COLETIVA (PROFESSOR) • Solicitar que escrevam, na primeira coluna, do jeito que souberem, cinco nomes de aves (hipóteses de escrita individual) que o professor ditar. (pode ser cinco alunos); • -Solicitar que o resto da turma observe os nomes que os colegas escreveram e veja se eles estão escritos corretamente. Caso não esteja, pedir que façam a devida correção (hipótese de escrita coletiva), na segunda coluna do quadro.
  • 14. • Observar se as hipóteses de escrita coletiva estão corretas. Caso não esteja, promover a análise e reflexão sobre a escrita da palavra, perguntando, por exemplo: está faltando ou sobrando letra na palavra? Será que começa com esta letra? Na medida em que os alfabetizandos confrontarem as hipóteses de escritas individual e coletiva (padrão oral – escreve como fala) com a escrita correta das palavras (padrão da norma culta), se estabelecerá o conflito cognitivo e, consequentemente, a aprendizagem. OBJETIVO: as atividades de leitura e escrita de listas possibilitam que os alunos pensem sobre o que e quantas letras usar, a formação de sílabas e palavras, bem como promove o conflito cognitivo, quando os eles compararam as suas hipóteses conceituais de escrita com a grafia convencional das palavras. Favorece o desenvolvimento da base alfabética e ortográfica, principalmente por tratar-se de um texto de estrutura simples e de fácil compreensão. • Confecção de um quadro de referência sobre as aves. Caberá ao professor: 1-Organizar grupos de no máximo cinco alunos, com diferentes hipóteses de escrita (présilábica, silábica, silábico-alfabética e alfabética). 2-Distribuir cópias de um pequeno texto falando sobre as aves. O texto deverá está escrito em letras maiúsculas, para facilitar aqueles alunos não-alfabéticos. Exemplo: AS AVES AS AVES SÃO ANIMAIS OVÍPAROS, OU SEJA, BOTAM OVOS, TÊM O CORPO COBERTO POR PENAS, QUE PROTEGEM DO CALOR E PERMITEM QUE ELAS VOEM. MAS NEM TODAS AS AVES VOAM, ALGUMAS ESPÉCIES COMO A EMA E O AVESTRUZ, CORREM COM MUITA VELOCIDADE. JÁ O GANSO E O CISNE TÊM A CAPACIDADE DE NADAR. A MENOR AVE CONHECIDA É O BESOURINHO DE CUBA, UM COLIBRI QUE PESA 1,6 GRAMAS E A MAIOR É O AVESTRUZ QUE CHEGA A PESAR ATÉ 125 QUILOS. CADA AVE GOSTA DE UM CERTO AMBIENTE OU HABITAT. ALGUMAS DELAS VIVEM NOS RIOS, LAGOS E PÂNTANOS, NADANDO OU MERGULHANDO. OUTRAS VIVEM NAS ÁRVORES DAS FLORESTAS E NOS BOSQUES. OS ALIMENTOS DAS AVES SÃO OS MAIS VARIADOS: FRUTOS, SEMENTES, INSETOS, VERMES, PEIXES. 3- Escrever o texto, em letras maiúsculas, no quadro ou numa cartolina.; 4-Fazer a leitura do texto, pausadamente e com entonação adequada, apontando palavra por palavra na lousa. Os alunos deverão acompanhar através dos seus textos ou da lousa. 5-Realizar leitura compartilhada, professor e alunos, pausadamente e com entonação adequada, apontando palavra por palavra. 6-Fazer a interpretação oral do texto, perguntando: de que fala o texto? De que animal? Porque as aves são chamadas de ovíparos? De que é coberto o seu corpo? Para que servem as penas? Todas as aves voam? Quais as que nadam e as que voam? Qual a menor e a maior ave do mundo? Onde vivem? Como se alimentam?
  • 15. 7-Distribuir para cada grupo um quadro contendo as características das aves. Solicitar aos alunos que preencham o quadro. Exemplo: CARACTERÍSTICAS DAS AVES Desenho Como é seu corpo? Como se alimenta? Onde vivem? Menor ave do mundo. Maior ave do mundo. JUSTIFICATIVA: Este trabalho, além de explorar outro texto de divulgação científica, irá trabalhar também com o desenvolvimento de habilidades de leitura, envolvendo a capacidade de retirar informações explícitas do texto, de uma forma diferenciada e interessante. EXPLORANDO O TEMA TRANSVERSAL ; MEIO AMBIENTE • Vocês sabem o que significa a palavra EXTINÇÃO? Extinção significa acabar. Então, o que quer dizer a frase: “As aves ameaçadas de extinção?” Vocês conhecem alguma? Por que vocês acham que elas estão sendo ameaçadas de extinção? Quem e por que estão acabando com as aves? A partir dos conhecimentos prévios dos alunos, abordar o tema em questão. • Vamos conhecer algumas delas? Se possível, mostrar figuras das aves e depois escrever os seus nomes no quadro. Pedir que aos alunos que identifiquem os nomes das aves através das figuras ou escrever os nomes no quadro e pedir que eles identifiquem onde estão escritos. • Propor a construção de um painel com os nomes das aves que estão sendo ameaçadas de extinção e com um pequeno texto (escrita coletiva) sobre o tema abordado. • A escrita do texto deverá ser feita primeiramente no quadro pelo professor, que será o escriba. Os alunos deverão transcrever o texto, no caderno. Em seguida, transcrito para o painel por um deles.
  • 16. ARARAJUBA RABUDINHO COCORUTO SOLDADINHO De que lado o pato tem mais penas? R: do lado de fora. GALITO COPERETE
  • 17. EXPLORANDO A MATEMÁTICA • Construir com os alunos um gráfico sobre as preferências de aves ou animais. Fazer a leitura do gráfico. • Construir o mapa por onde o pato passou, seguindo a sequência da poesia. • Montar patinhos utilizando figuras geométricas; • Resolução de Problemas; BIBLIOGRAFIA: CEALE.Coleção Orientações para a Organização do Ciclo Inicial de Alfabetização; Cad 2.,belo Horizonte,2004 CARVALHO, Marlene. Guia Prático do Alfabetizador. São Paulo: Ed. Ática,1994. Coleção de Atividades Matemáticas Desafiadoras, Capacitação de Professores da Rede Estadual de Educação de Minas Gerais, Março-2011. cenapvirtual@salvador.gov.br, 10 de junho de 2010.
  • 18. ANEXO 1 CAÇA-PALAVRAS GALUHPATOTRGPATRETUUTQTGNBVIJ UXVHULMTGGGGBEAUIPATETAWTAXL GENIPAPOBGFWIUYTREFVBMNAZXDSE ELWIJUABTRIOJNMÇREWSAAZOPLKJU YTFREIVCTEHPOUMNLMKIUYGFDRESG ALOPYIOIAEEIKMNBVCXZOPÇLKJHGF D S A T R E W Q V T I O P L M V X Z A A Q W D F SO P G LUYITNMBVCXZAQWERTYUIOPÇLKJHG FIDSAJAJKMNBVCXSQIOPLKJUYGTFDE DSBVCVREWQUIKJMARRECOMNBGTÇP OIUYTPOÇOXVBNMÇLKJHGFDSAW N JP PANELANFORYTWNPUMNBPOÇOLÇPUY TRVXQERTGVBGHYJKIUKOPLMNBVCA PANELA – GALO – MARRECO – GENIPAPO – POÇO – PATETA - PATO