SlideShare uma empresa Scribd logo
Atuação da Enfermagem Junto o Pré-Natal Básica  Profº. Hiury W. Gomes Enfermeiro Especialista em Neonatologia e Pediatria
Quais os Aspectos Legais Amparam o Enfermeiro? Hoje em dia o enfermeiro tem um grande respaldo legal, na realizações de suas atribuições na consulta de enfermagem o Ministério da Saúde e Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro.
Por Tanto... O enfermeiro tem  que saber: ... solicitar exames complementares e  prescrever medicações , conforme protocolos ou outras normativas técnicas estabelecidas pelo gestor municipal ou do Distrito Federal, observadas as disposições legais da profissão  (Anexo 1, item 2 – Do Enfermeiro do Programa Agentes Comunitários de Saúde,  Inciso V ).  Prevê ainda (Anexo 1 – Do Enfermeiro,  Inciso II ):  8 –  PORTARIA Nº 1.625, DE 10 DE JULHO DE 2007  7 –  Resolução COFEN 195/1997.  6 –  Resolução COFEN 272/2002  5 –  Resolução COFEN 271/2002.  4 –  Resolução COFEN 159/1993  3 –  Portaria MS/GM 648, de 28 de março de 2006  2 –  Decreto Federal 94.406/87  1 –  Lei Federal 7.498/86.
•  Vinculação de unidades que prestam atenção pré-natal às maternidades/ hospitais, conforme definição do gestor local; •  Garantia dos recursos humanos, físicos, materiais e técnicos necessários à atenção pré-natal, assistência ao parto e ao recém-nascido e atenção puerperal, com estabelecimento de critérios mínimos para o funcionamento das maternidades e unidades de saúde; •  Captação precoce de gestantes na comunidade; •  Garantia de atendimento a todas as gestantes que procurem os serviços de saúde; •  Garantia da realização dos exames complementares necessários; •  Garantia de atendimento a todas as parturientes e recém-nascidos que procurem os serviços de saúde e garantia de internamento, sempre que necessário; Papel da Equipe Multidisciplinar
•  Garantia de acompanhante durante o trabalho de parto, no parto e no pós-parto; •  Incentivo ao parto normal e à redução da cesárea desnecessária; •  Vinculação à Central de Regulação Obstétrica e Neonatal, de modo a garantir a internação da parturiente e do recém-nascido nos casos de demanda excedente; •  Transferência da gestante e/ou do neonato em transporte adequado, mediante vaga assegurada em outra unidade, quando necessário (SAMU); •  Garantia de atendimento das intercorrências obstétricas e neonatais; •  Atenção à mulher no puerpério e ao recém-nascido. Papel da Equipe Multidisciplinar
MONITORAMENTO DA ATENÇÃO PRÉ-NATAL E PUERPERAL Para que seja possível o monitoramento da atenção pré-natal e puerperal,  de forma organizada e estruturada, foi disponibilizado pelo DATASUS um  sistema informatizado, SISPRENATAL – Sistema de Informação sobre o Programa de Humanização no Pré-Natal e Nascimento – de uso obrigatório nas unidades de saúde e que possibilita a avaliação da atenção a partir do acompanhamento de cada gestante.
Acolhimento  O acolhimento, aspecto essencial da política de humanização, implica recepção da mulher, desde sua chegada na unidade de saúde, responsabilizando-se por ela,ouvindo suas queixas, permitindo que ela expresse suas preocupações, angústias,garantindo atenção resolutiva e articulação com os outros serviços de saúde para a continuidade da assistência, quando necessário.
Primeira Consulta È  mais importante, pois o profissional transpassa confiança e segurança Para a gestante. Realiza uma exame físico e social . Pois das informações serão colhidas durante toda a gestação, com a confiança da gestante, com seu vinculo acolhedor. As solicitações de exames são pedidas na primeira consulta como de rotina : Hemograma Completo  HIV VDRL  Toxoplasmose Glicose  MIF Colesterol  EAS Hepatite B e C A realização da prescrição de acido fólico e sulfato ferroso conforme programa  do MS. Importante para proteção materna e fetal, durante toda gestação.
CÁLCULO DPP O objetivo desse cálculo é estimar o período provável do nascimento. Calcula-se a  data provável do parto  (dpp) levando-se em consideração a duração média da gestação normal (280 dias ou 40 semanas depois da última menstruação). Pode ser calculado das seguintes maneiras: - Com o disco (gestograma), colocar a seta sobre o dia e o mês correspondente ao primeiro dia da última menstruação e observar a seta na data (dia e mês) indicada como data provável do parto; - Uma outra forma de calcular a dpp é somar sete dias ao primeiro dia da última menstruação e subtrair três meses ao mês em que ocorreu a última menstruação (ou adicionar nove meses, se corresponder aos meses de janeiro a março) – Regra de Naegrele. Nos casos em que os números de dias encontrado for maior do que o número de dias do mês, passar os dias excedentes para o mês seguinte, adicionando 1 ao final do cálculo de mês. Exemplos. * Data da última menstruação – 13/09/2008 Data provável do parto – 20/06/2009 (DIA 13 + 7 = 20 / MÊS 9-3 = 6) * Data da última menstruação – 10/02/2004 Dpp – 17/11/2004 (10 + 7 = 17 DIA/2 + 9 = 11 MES) * Data da última menstruação – 27/01/2004 Dpp – 03/11/2004 QUANDO FOR O MÊS  9 OU MAIS (-3)  QUANDO FOR MÊS ABAIXO DE 9 (+9)
USG OBSTETRICA USG Tranvaginal USG Translucencia Nucal USG dopller colorido Obstetrico USG Obstetrica USG Morfologica Obstetrica
USG OBSTETRICA Pontos importante na observação da USG Posição Fetal Movimentação Fetal Bat. Card. Fetais- BCF Grau da maturação da placenta 0-III Liquido amniótico  Crescimento Fetal Má formações  Circular de cordão
Resultado USG Obstétrica Feto único, ativo com batimentos cardíacos normais e ritmados no momento do exame. Situação: Longitudinal. Apresentação: Cefálica. Dorso: Posterior à direita. Diâmetro biparietal: 4,6cm. Perímetro Cefálico: 16,2 Úmero mede: 2,8cm. Fêmur mede: 2,8cm. Circunferência abdominal: 14,8cm. Peso fetal estimado: 315g. Comprimento do feto:25,0cm. Placenta de localização: Corporal anterior. Ecotextura homogênea. Grau .0. de Grannum. Normo-hidramnia. CONCLUSÃO: GESTAÇÃO EM CURSO COM 19 SEMANAS DE EVOLUÇÃO
Posição Fetal Cefálica Pélvica  Transversa Longitudinal Vertical
Consulta Ginecológica É um complemento a consulta de pré natal, onde o enfermeiro avaliar  os aspectos do colo do útero, genitália externa, possíveis DST´s, Corrimentos vaginais. Aproveita para realizar o preventivo de câncer do colo de útero.  Sendo coletado material do endocervix uterina e fundo de saco, visualizando  o útero com coloração azulada, pela sua vascularização. Não colher da cervix pois pode  ocorrer rupturas da parede planetária. Somente o especialistas pode realizar.  *Nunca realizar exame vaginal em qualquer gestante que tenha sangramento, até  que placenta prévia tenha  sido excluída. Isso pode perfurar a placenta.  http://gravidezematernidade.com.br
Complicações  Comuns  Nas gravidez podem existir muitas complicações físicas e emocionais onde o enfermeiro deve acolher e orientar tanto na parte psicológica como na parte clinica. Como sabemos o enfermeiro só pode realiza pré-natal de baixo risco. As complicações são encaminhadas para um especialista pelo SISREG sistema de regulação da prefeitura. Não quer disse que o enfermeiro deixa de assistir a paciente. Ele  realizando algumas consultas de pré-natal e visita domiciliares para ver o  andamento do tratamento e gestação. HIPERTENSÃO ARTERIAL SOLIDÃO DEPRESSÃO DIABETE GESTACIONAL GESTAÇÃO MOLAR PARCIAL HIDRAMINIA OU POLIDRMINIA ANEMIA ITU Placenta prévia Má formações congênitas
Alguma Medicações De acordo com o manual de Pré-Natal e Puerperio, aspectos legais  Supracitado. O Enfermeiro pode prescrever alguns medicamentos com:  Vitamina Sulfato Ferroso Gases intestinais  Luftal gst Analgésico  Paracetamol 500mg Corrimento vaginal Nistatina Creme Corrimento vaginal Metronidazol Creme Queimação Gástrica Hidrox de Alumínio  Analgésico  Dipirona sódica 500mg Cólica  Buscopan Vitamina  Acido fólico  Indicação Medicação
Apalpação Obstétrica Manobra de Leopold 1º Passo 2º Passo 3º Passo 4º Passo
 
 
Acolhimento Mamãe & Bebê Todos nos trabalhamos para que isso aconteça  Parabéns todos enfermeiros....
Obrigado!!! Minha esposa Com 9 meses Esperando o Miguel Blog:  http://saudedafamilia.blogspot.com/ [email_address] 7884-3228

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
LASM_UIT
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
Natasha Louise
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Jesiele Spindler
 
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Alojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemAlojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagem
jusantos_
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Aula sobre parto seguro
Aula sobre parto seguroAula sobre parto seguro
Aula sobre parto seguro
Proqualis
 
Aula 13 saúde da mulher - diagnóstico gestacional
Aula 13   saúde da mulher - diagnóstico gestacionalAula 13   saúde da mulher - diagnóstico gestacional
Aula 13 saúde da mulher - diagnóstico gestacional
hervora araujo
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
Ministério da Saúde
 
Cuidados com o rn
Cuidados com o rnCuidados com o rn
Cuidados com o rn
Alinebrauna Brauna
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditatoAula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Viviane da Silva
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
chirlei ferreira
 
Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno
Juliana Maciel
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
Amanda Corrêa
 
Parto e nascimento humanizado
Parto e nascimento humanizadoParto e nascimento humanizado
Parto e nascimento humanizado
Francisco Joilsom Carvalho Saraiva
 
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
SMS - Petrópolis
 
Saúde da mulher slides
Saúde da mulher  slidesSaúde da mulher  slides
Saúde da mulher slides
Carlean Oliveira
 
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natalAula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Gustavo Henrique
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Sanny Pereira
 

Mais procurados (20)

Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
 
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
 
Alojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemAlojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagem
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
 
Aula sobre parto seguro
Aula sobre parto seguroAula sobre parto seguro
Aula sobre parto seguro
 
Aula 13 saúde da mulher - diagnóstico gestacional
Aula 13   saúde da mulher - diagnóstico gestacionalAula 13   saúde da mulher - diagnóstico gestacional
Aula 13 saúde da mulher - diagnóstico gestacional
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
 
Cuidados com o rn
Cuidados com o rnCuidados com o rn
Cuidados com o rn
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditatoAula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
 
Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
 
Parto e nascimento humanizado
Parto e nascimento humanizadoParto e nascimento humanizado
Parto e nascimento humanizado
 
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
 
Saúde da mulher slides
Saúde da mulher  slidesSaúde da mulher  slides
Saúde da mulher slides
 
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natalAula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
 

Destaque

Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
Heloísa Ximenes
 
Pre Natal
Pre NatalPre Natal
Pre Natal
ITPAC PORTO
 
Pré Natal
Pré  NatalPré  Natal
Pré Natal
Gláucia Marchini
 
Assistência pré natal
Assistência pré  natalAssistência pré  natal
Assistência pré natal
Lucas Ferreira
 
Orientações a gestantes
Orientações a gestantesOrientações a gestantes
Orientações a gestantes
Mishela Kelly Almeida
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
Alinebrauna Brauna
 
Pre-natal de baixo risco
Pre-natal de baixo riscoPre-natal de baixo risco
Pre-natal de baixo risco
Centro Universitário Ages
 
Apresentação gestantes
Apresentação gestantesApresentação gestantes
Apresentação gestantes
Juliane Stivanin da Silva
 
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
chirlei ferreira
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
Danubia7410
 
Estatica fetal e relações útero fetais
Estatica fetal e relações útero fetaisEstatica fetal e relações útero fetais
Estatica fetal e relações útero fetais
Raquelamanna
 
Modificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestanteModificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestante
albaguilherme
 
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento FetalGravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
luandrade
 
Resumo pre natal de baixo risco 1
Resumo pre natal de baixo risco 1Resumo pre natal de baixo risco 1
Resumo pre natal de baixo risco 1
Auro Gonçalves
 
Pre natal de baixo risco parte 1 Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 1  Uesc MedicinaPre natal de baixo risco parte 1  Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 1 Uesc Medicina
Auro Gonçalves
 
Gestação
GestaçãoGestação
Gestação
Sandra Semedo
 
Condutas no pré natal 5
Condutas no pré natal 5Condutas no pré natal 5
Condutas no pré natal 5
Nayara Wanderley
 
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Auro Gonçalves
 
Assistência Pré-Natal (Davyson Sampaio Braga)
Assistência Pré-Natal (Davyson Sampaio Braga)Assistência Pré-Natal (Davyson Sampaio Braga)
Assistência Pré-Natal (Davyson Sampaio Braga)
Davyson Sampaio
 
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2  Uesc MedicinaPre natal de baixo risco parte 2  Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
Auro Gonçalves
 

Destaque (20)

Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
 
Pre Natal
Pre NatalPre Natal
Pre Natal
 
Pré Natal
Pré  NatalPré  Natal
Pré Natal
 
Assistência pré natal
Assistência pré  natalAssistência pré  natal
Assistência pré natal
 
Orientações a gestantes
Orientações a gestantesOrientações a gestantes
Orientações a gestantes
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
 
Pre-natal de baixo risco
Pre-natal de baixo riscoPre-natal de baixo risco
Pre-natal de baixo risco
 
Apresentação gestantes
Apresentação gestantesApresentação gestantes
Apresentação gestantes
 
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
 
Estatica fetal e relações útero fetais
Estatica fetal e relações útero fetaisEstatica fetal e relações útero fetais
Estatica fetal e relações útero fetais
 
Modificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestanteModificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestante
 
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento FetalGravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
 
Resumo pre natal de baixo risco 1
Resumo pre natal de baixo risco 1Resumo pre natal de baixo risco 1
Resumo pre natal de baixo risco 1
 
Pre natal de baixo risco parte 1 Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 1  Uesc MedicinaPre natal de baixo risco parte 1  Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 1 Uesc Medicina
 
Gestação
GestaçãoGestação
Gestação
 
Condutas no pré natal 5
Condutas no pré natal 5Condutas no pré natal 5
Condutas no pré natal 5
 
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
 
Assistência Pré-Natal (Davyson Sampaio Braga)
Assistência Pré-Natal (Davyson Sampaio Braga)Assistência Pré-Natal (Davyson Sampaio Braga)
Assistência Pré-Natal (Davyson Sampaio Braga)
 
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2  Uesc MedicinaPre natal de baixo risco parte 2  Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
 

Semelhante a Pré-Natal Baixo Risco

Rede Cegonha Carmem.ppt
Rede Cegonha  Carmem.pptRede Cegonha  Carmem.ppt
Rede Cegonha Carmem.ppt
DonCorleone22
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
MARY SOUSA
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
MARY SOUSA
 
Blog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal SlaydBlog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal Slayd
Gláucia Marchini
 
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal    Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
enf 7- aula 2.pptx, mulher, saude... asi
enf 7- aula 2.pptx, mulher, saude... asienf 7- aula 2.pptx, mulher, saude... asi
enf 7- aula 2.pptx, mulher, saude... asi
JhivagoOliveira
 
materno-infantil.pptx
materno-infantil.pptxmaterno-infantil.pptx
materno-infantil.pptx
jgbkjbjhvhchgfcgh
 
Parto Espontâneo: por que esperar?
Parto Espontâneo: por que esperar?Parto Espontâneo: por que esperar?
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptxLocal de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
pamelacastro71
 
AULA PRE NATAL.pdf
AULA PRE NATAL.pdfAULA PRE NATAL.pdf
AULA PRE NATAL.pdf
EllenSantos73107
 
cuidadornpar
cuidadornparcuidadornpar
cuidadornpar
ShesterDamaceno1
 
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da MulherApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
Tania Fonseca
 
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptxAssistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
VitriaMaria56
 
Em DEFESA dos Centros de Parto Normal e das Enfermeiras Obstétricas e Obstetr...
Em DEFESA dos Centros de Parto Normal e das Enfermeiras Obstétricas e Obstetr...Em DEFESA dos Centros de Parto Normal e das Enfermeiras Obstétricas e Obstetr...
Em DEFESA dos Centros de Parto Normal e das Enfermeiras Obstétricas e Obstetr...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Tania Fonseca
 
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdfassistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
DaviloBrachion2
 
Humanização do Parto
Humanização do PartoHumanização do Parto
Humanização do Parto
Tâmara Lessa
 
Método Canguru: diretrizes do cuidado / Ministério da Saúde 2018
Método Canguru:  diretrizes do cuidado / Ministério da Saúde 2018 Método Canguru:  diretrizes do cuidado / Ministério da Saúde 2018
Método Canguru: diretrizes do cuidado / Ministério da Saúde 2018
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Assistencia pre natal
Assistencia pre natalAssistencia pre natal
Assistencia pre natal
EDSON ALAN QUEIROZ
 
1a AULA - APRESENTAÇÃO E LEGISLAÇÃO.pdf
1a AULA - APRESENTAÇÃO E LEGISLAÇÃO.pdf1a AULA - APRESENTAÇÃO E LEGISLAÇÃO.pdf
1a AULA - APRESENTAÇÃO E LEGISLAÇÃO.pdf
DhFerreira2
 

Semelhante a Pré-Natal Baixo Risco (20)

Rede Cegonha Carmem.ppt
Rede Cegonha  Carmem.pptRede Cegonha  Carmem.ppt
Rede Cegonha Carmem.ppt
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
 
Blog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal SlaydBlog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal Slayd
 
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal    Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
Guia de prática clínica sobre cuidados com o parto normal
 
enf 7- aula 2.pptx, mulher, saude... asi
enf 7- aula 2.pptx, mulher, saude... asienf 7- aula 2.pptx, mulher, saude... asi
enf 7- aula 2.pptx, mulher, saude... asi
 
materno-infantil.pptx
materno-infantil.pptxmaterno-infantil.pptx
materno-infantil.pptx
 
Parto Espontâneo: por que esperar?
Parto Espontâneo: por que esperar?Parto Espontâneo: por que esperar?
Parto Espontâneo: por que esperar?
 
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptxLocal de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
 
AULA PRE NATAL.pdf
AULA PRE NATAL.pdfAULA PRE NATAL.pdf
AULA PRE NATAL.pdf
 
cuidadornpar
cuidadornparcuidadornpar
cuidadornpar
 
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da MulherApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
 
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptxAssistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
 
Em DEFESA dos Centros de Parto Normal e das Enfermeiras Obstétricas e Obstetr...
Em DEFESA dos Centros de Parto Normal e das Enfermeiras Obstétricas e Obstetr...Em DEFESA dos Centros de Parto Normal e das Enfermeiras Obstétricas e Obstetr...
Em DEFESA dos Centros de Parto Normal e das Enfermeiras Obstétricas e Obstetr...
 
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
 
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdfassistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
assistência de saúde da mulher AULA 02.pdf
 
Humanização do Parto
Humanização do PartoHumanização do Parto
Humanização do Parto
 
Método Canguru: diretrizes do cuidado / Ministério da Saúde 2018
Método Canguru:  diretrizes do cuidado / Ministério da Saúde 2018 Método Canguru:  diretrizes do cuidado / Ministério da Saúde 2018
Método Canguru: diretrizes do cuidado / Ministério da Saúde 2018
 
Assistencia pre natal
Assistencia pre natalAssistencia pre natal
Assistencia pre natal
 
1a AULA - APRESENTAÇÃO E LEGISLAÇÃO.pdf
1a AULA - APRESENTAÇÃO E LEGISLAÇÃO.pdf1a AULA - APRESENTAÇÃO E LEGISLAÇÃO.pdf
1a AULA - APRESENTAÇÃO E LEGISLAÇÃO.pdf
 

Mais de HIURYGOMES

CONHEÇA O INICIO DE NOSSA HISTÓRIA
CONHEÇA O INICIO DE NOSSA HISTÓRIACONHEÇA O INICIO DE NOSSA HISTÓRIA
CONHEÇA O INICIO DE NOSSA HISTÓRIA
HIURYGOMES
 
Mapas do CMS Profº Edgard M. Gomes
Mapas do CMS Profº Edgard M. GomesMapas do CMS Profº Edgard M. Gomes
Mapas do CMS Profº Edgard M. Gomes
HIURYGOMES
 
Interpretação de ECG
Interpretação de ECGInterpretação de ECG
Interpretação de ECG
HIURYGOMES
 
Interpretação de ECG
Interpretação de ECGInterpretação de ECG
Interpretação de ECG
HIURYGOMES
 
Preventivo
PreventivoPreventivo
Preventivo
HIURYGOMES
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
HIURYGOMES
 
Mama amiga
Mama amigaMama amiga
Mama amiga
HIURYGOMES
 
Mama amiga
Mama amigaMama amiga
Mama amiga
HIURYGOMES
 
Interpretação de ecg
Interpretação de ecgInterpretação de ecg
Interpretação de ecg
HIURYGOMES
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
HIURYGOMES
 

Mais de HIURYGOMES (10)

CONHEÇA O INICIO DE NOSSA HISTÓRIA
CONHEÇA O INICIO DE NOSSA HISTÓRIACONHEÇA O INICIO DE NOSSA HISTÓRIA
CONHEÇA O INICIO DE NOSSA HISTÓRIA
 
Mapas do CMS Profº Edgard M. Gomes
Mapas do CMS Profº Edgard M. GomesMapas do CMS Profº Edgard M. Gomes
Mapas do CMS Profº Edgard M. Gomes
 
Interpretação de ECG
Interpretação de ECGInterpretação de ECG
Interpretação de ECG
 
Interpretação de ECG
Interpretação de ECGInterpretação de ECG
Interpretação de ECG
 
Preventivo
PreventivoPreventivo
Preventivo
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
Mama amiga
Mama amigaMama amiga
Mama amiga
 
Mama amiga
Mama amigaMama amiga
Mama amiga
 
Interpretação de ecg
Interpretação de ecgInterpretação de ecg
Interpretação de ecg
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 

Último

Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
BrunaNeves80
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
guilhermefontenele8
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
KauFelipo
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
maripinkmarianne
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
Anderson1783
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
paathizinhya
 
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARMElectrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
dantemalca
 
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptxMini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
GleenseCartonilho
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
OttomGonalvesDaSilva
 

Último (9)

Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
 
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARMElectrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
 
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptxMini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
 

Pré-Natal Baixo Risco

  • 1. Atuação da Enfermagem Junto o Pré-Natal Básica Profº. Hiury W. Gomes Enfermeiro Especialista em Neonatologia e Pediatria
  • 2. Quais os Aspectos Legais Amparam o Enfermeiro? Hoje em dia o enfermeiro tem um grande respaldo legal, na realizações de suas atribuições na consulta de enfermagem o Ministério da Saúde e Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro.
  • 3. Por Tanto... O enfermeiro tem que saber: ... solicitar exames complementares e prescrever medicações , conforme protocolos ou outras normativas técnicas estabelecidas pelo gestor municipal ou do Distrito Federal, observadas as disposições legais da profissão (Anexo 1, item 2 – Do Enfermeiro do Programa Agentes Comunitários de Saúde, Inciso V ). Prevê ainda (Anexo 1 – Do Enfermeiro, Inciso II ): 8 – PORTARIA Nº 1.625, DE 10 DE JULHO DE 2007 7 – Resolução COFEN 195/1997. 6 – Resolução COFEN 272/2002 5 – Resolução COFEN 271/2002. 4 – Resolução COFEN 159/1993 3 – Portaria MS/GM 648, de 28 de março de 2006 2 – Decreto Federal 94.406/87 1 – Lei Federal 7.498/86.
  • 4. • Vinculação de unidades que prestam atenção pré-natal às maternidades/ hospitais, conforme definição do gestor local; • Garantia dos recursos humanos, físicos, materiais e técnicos necessários à atenção pré-natal, assistência ao parto e ao recém-nascido e atenção puerperal, com estabelecimento de critérios mínimos para o funcionamento das maternidades e unidades de saúde; • Captação precoce de gestantes na comunidade; • Garantia de atendimento a todas as gestantes que procurem os serviços de saúde; • Garantia da realização dos exames complementares necessários; • Garantia de atendimento a todas as parturientes e recém-nascidos que procurem os serviços de saúde e garantia de internamento, sempre que necessário; Papel da Equipe Multidisciplinar
  • 5. • Garantia de acompanhante durante o trabalho de parto, no parto e no pós-parto; • Incentivo ao parto normal e à redução da cesárea desnecessária; • Vinculação à Central de Regulação Obstétrica e Neonatal, de modo a garantir a internação da parturiente e do recém-nascido nos casos de demanda excedente; • Transferência da gestante e/ou do neonato em transporte adequado, mediante vaga assegurada em outra unidade, quando necessário (SAMU); • Garantia de atendimento das intercorrências obstétricas e neonatais; • Atenção à mulher no puerpério e ao recém-nascido. Papel da Equipe Multidisciplinar
  • 6. MONITORAMENTO DA ATENÇÃO PRÉ-NATAL E PUERPERAL Para que seja possível o monitoramento da atenção pré-natal e puerperal, de forma organizada e estruturada, foi disponibilizado pelo DATASUS um sistema informatizado, SISPRENATAL – Sistema de Informação sobre o Programa de Humanização no Pré-Natal e Nascimento – de uso obrigatório nas unidades de saúde e que possibilita a avaliação da atenção a partir do acompanhamento de cada gestante.
  • 7. Acolhimento O acolhimento, aspecto essencial da política de humanização, implica recepção da mulher, desde sua chegada na unidade de saúde, responsabilizando-se por ela,ouvindo suas queixas, permitindo que ela expresse suas preocupações, angústias,garantindo atenção resolutiva e articulação com os outros serviços de saúde para a continuidade da assistência, quando necessário.
  • 8. Primeira Consulta È mais importante, pois o profissional transpassa confiança e segurança Para a gestante. Realiza uma exame físico e social . Pois das informações serão colhidas durante toda a gestação, com a confiança da gestante, com seu vinculo acolhedor. As solicitações de exames são pedidas na primeira consulta como de rotina : Hemograma Completo HIV VDRL Toxoplasmose Glicose MIF Colesterol EAS Hepatite B e C A realização da prescrição de acido fólico e sulfato ferroso conforme programa do MS. Importante para proteção materna e fetal, durante toda gestação.
  • 9. CÁLCULO DPP O objetivo desse cálculo é estimar o período provável do nascimento. Calcula-se a  data provável do parto  (dpp) levando-se em consideração a duração média da gestação normal (280 dias ou 40 semanas depois da última menstruação). Pode ser calculado das seguintes maneiras: - Com o disco (gestograma), colocar a seta sobre o dia e o mês correspondente ao primeiro dia da última menstruação e observar a seta na data (dia e mês) indicada como data provável do parto; - Uma outra forma de calcular a dpp é somar sete dias ao primeiro dia da última menstruação e subtrair três meses ao mês em que ocorreu a última menstruação (ou adicionar nove meses, se corresponder aos meses de janeiro a março) – Regra de Naegrele. Nos casos em que os números de dias encontrado for maior do que o número de dias do mês, passar os dias excedentes para o mês seguinte, adicionando 1 ao final do cálculo de mês. Exemplos. * Data da última menstruação – 13/09/2008 Data provável do parto – 20/06/2009 (DIA 13 + 7 = 20 / MÊS 9-3 = 6) * Data da última menstruação – 10/02/2004 Dpp – 17/11/2004 (10 + 7 = 17 DIA/2 + 9 = 11 MES) * Data da última menstruação – 27/01/2004 Dpp – 03/11/2004 QUANDO FOR O MÊS 9 OU MAIS (-3) QUANDO FOR MÊS ABAIXO DE 9 (+9)
  • 10. USG OBSTETRICA USG Tranvaginal USG Translucencia Nucal USG dopller colorido Obstetrico USG Obstetrica USG Morfologica Obstetrica
  • 11. USG OBSTETRICA Pontos importante na observação da USG Posição Fetal Movimentação Fetal Bat. Card. Fetais- BCF Grau da maturação da placenta 0-III Liquido amniótico Crescimento Fetal Má formações Circular de cordão
  • 12. Resultado USG Obstétrica Feto único, ativo com batimentos cardíacos normais e ritmados no momento do exame. Situação: Longitudinal. Apresentação: Cefálica. Dorso: Posterior à direita. Diâmetro biparietal: 4,6cm. Perímetro Cefálico: 16,2 Úmero mede: 2,8cm. Fêmur mede: 2,8cm. Circunferência abdominal: 14,8cm. Peso fetal estimado: 315g. Comprimento do feto:25,0cm. Placenta de localização: Corporal anterior. Ecotextura homogênea. Grau .0. de Grannum. Normo-hidramnia. CONCLUSÃO: GESTAÇÃO EM CURSO COM 19 SEMANAS DE EVOLUÇÃO
  • 13. Posição Fetal Cefálica Pélvica Transversa Longitudinal Vertical
  • 14. Consulta Ginecológica É um complemento a consulta de pré natal, onde o enfermeiro avaliar os aspectos do colo do útero, genitália externa, possíveis DST´s, Corrimentos vaginais. Aproveita para realizar o preventivo de câncer do colo de útero. Sendo coletado material do endocervix uterina e fundo de saco, visualizando o útero com coloração azulada, pela sua vascularização. Não colher da cervix pois pode ocorrer rupturas da parede planetária. Somente o especialistas pode realizar. *Nunca realizar exame vaginal em qualquer gestante que tenha sangramento, até que placenta prévia tenha sido excluída. Isso pode perfurar a placenta. http://gravidezematernidade.com.br
  • 15. Complicações Comuns Nas gravidez podem existir muitas complicações físicas e emocionais onde o enfermeiro deve acolher e orientar tanto na parte psicológica como na parte clinica. Como sabemos o enfermeiro só pode realiza pré-natal de baixo risco. As complicações são encaminhadas para um especialista pelo SISREG sistema de regulação da prefeitura. Não quer disse que o enfermeiro deixa de assistir a paciente. Ele realizando algumas consultas de pré-natal e visita domiciliares para ver o andamento do tratamento e gestação. HIPERTENSÃO ARTERIAL SOLIDÃO DEPRESSÃO DIABETE GESTACIONAL GESTAÇÃO MOLAR PARCIAL HIDRAMINIA OU POLIDRMINIA ANEMIA ITU Placenta prévia Má formações congênitas
  • 16. Alguma Medicações De acordo com o manual de Pré-Natal e Puerperio, aspectos legais Supracitado. O Enfermeiro pode prescrever alguns medicamentos com: Vitamina Sulfato Ferroso Gases intestinais Luftal gst Analgésico Paracetamol 500mg Corrimento vaginal Nistatina Creme Corrimento vaginal Metronidazol Creme Queimação Gástrica Hidrox de Alumínio Analgésico Dipirona sódica 500mg Cólica Buscopan Vitamina Acido fólico Indicação Medicação
  • 17. Apalpação Obstétrica Manobra de Leopold 1º Passo 2º Passo 3º Passo 4º Passo
  • 18.  
  • 19.  
  • 20. Acolhimento Mamãe & Bebê Todos nos trabalhamos para que isso aconteça Parabéns todos enfermeiros....
  • 21. Obrigado!!! Minha esposa Com 9 meses Esperando o Miguel Blog: http://saudedafamilia.blogspot.com/ [email_address] 7884-3228