SlideShare uma empresa Scribd logo
1
GT -
RECUPERAÇÃO
Programa Ensino Integral
Alinhamento da
Diversificada
QUAL É O PRINCIPAL OBJETIVO
DA ESCOLA DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL?
AUTÔNOMO SOLIDÁRIO COMPETENTE
EXCELÊNCIA
ACADÊMICA
PROJETO
DE VIDA
BASE
NACIONAL
COMUM
PARTE
DIVERSIFICA
DA
FORMAR JOVEM PROTAGONISTA
PREMISSAS
Formação
Continuada
Corresponsabilidade
Protagonismo
Excelência em Gestão
Replicabilidade
VALORES
Valorização da educação pública pela oferta de um ensino de
qualidade
Valorização dos educadores
Gestão Escolar democrática e responsável
Espírito de equipe e cooperação
Mobilização, engajamento e responsabilização da rede, alunos e
sociedade em torno do processo ensino-aprendizagem: espírito público
e cidadania
Os Quatro Pilares
da Educação
Pedagogia da
Presença
Educação
Interdimensional
Protagonismo Juvenil
PRINCÍPIOS
BASE / FUNDAMENTOS DO PROGRAMA
Conceito
Disciplina que integra as Atividades Complementares
contidas na Parte Diversificada da Matriz Curricular
do Programa Ensino integral.
Tem como principal característica o desenvolvimento
de técnicas, estratégias e procedimentos que
orientam e apoiam os estudantes em suas práticas de
estudo, uma vez que aprender a estudar é condição
fundamental para o desenvolvimento da autonomia e
das habilidades e competências previstas pelo
Currículo.
Principais Objetivos
A partir das atividades desenvolvidas nas aulas de Orientação de
Estudos, espera-se que os alunos sejam capazes de:
 Reconhecer a importância da aquisição de hábitos e rotinas de
estudo;
 Identificar e reconhecer os fatores fundamentais para o ato de
estudar;
 Compreender a diferença entre qualidade e intensidade de estudo;
 Apropriar-se da capacidade de organização para estudar;
 Compreender e aplicar técnicas de estudo na rotina diária;
 Consolidar hábitos e rotinas de estudo;
 Desenvolver uma postura protagonista em relação à própria
aprendizagem;
 Incentivar a autoavaliação do estudante.
Condições Fundamentais
Para que os objetivos sejam atingidos
As aulas de Orientação de Estudos devem
apoiar o cumprimento do Currículo em todas
as disciplinas e proporcionar suporte para que
não se formem novas defasagens de
aprendizagem.
Por ter caráter transdisciplinar, é importante
que as técnicas e procedimentos de estudo
propostos por esta disciplina tenham
articulação com as diferentes áreas de
conhecimento.
É fundamental que os Professores das diferentes
disciplinas da Base Nacional Comum, mediados pelo
PCG, dialoguem continuamente com os Professores
das Diversificadas:
• Programação de atividades;
• Acompanhamento dos desdobramentos das aulas
de Orientação de Estudos nas disciplinas da Base
Nacional Comum;
• Promoção de adequações/ajustes nas estratégias
voltadas para melhoria da aprendizagem dos
estudantes.
Condições Fundamentais
Para que os objetivos sejam atingidos
Condições Fundamentais
Para que os objetivos sejam atingidos
As atividades a serem desenvolvidas nas aulas de
Orientação de Estudos devem ser planejadas em
função das especificidades e das principais
demandas de aprendizagem de cada turma.
É por meio da aplicação de suas técnicas (grifo,
esquema, resumo, marginalia (marginália é o
termo geral que designa as notas, escritos e
comentários pessoais , resenha, mapa conceitual,
etc.) em textos de diferentes disciplinas que a
Orientação de Estudos apoia os estudantes a
definir os hábitos de estudo mais adequados para
sua aprendizagem.
• Organização pessoal para estudar é importante, pois, estudar
muito é diferente de estudar direito.
• Escolher um local adequado:
o Tranquilo, iluminado,ventilado, sem barulho, com mesa
• Planejamento:
o Cuidados em relação à seleção dos materiais (livros,
textos, apostilas, materiais escolares, etc.) mais apropriados
para cada momento de estudo
o Definição de uma sequência de sessões de estudo;
o Definição de metas para cada sessão;
o Identificação das técnicas e procedimentos que podem
otimizar seus estudos
Principais orientações para os alunos e para
a promoção das diversificadas.
• O QUE deve ser feito?
A importância de se definir uma agenda de
estudos
• QUANDO deve ser feito?
A necessidade de se estabelecer o horário para
estudar e assumi-lo como um rotina
• COMO deve ser feito?
As condições para executar os estudos utilizando-
se de técnicas, procedimentos e recursos
apropriados.
Questões que devem orientar o planejamento
das sessões das diversificadas
• Trabalhar com atividades estruturadas e programadas
pelo Professor responsável pela turma de OE.
• Organizar grupos de alunos a partir de suas demandas
de aprendizagem (o que inclui a necessidade de definir
hábitos e rotinas de estudo).
• Dialogar com os demais professores da unidade para
compreender os avanços e as dificuldades dos alunos.
• Conhecer as agendas de trabalho dos professores das
escola (tarefas dadas e prospectadas).
• Conhecer a agenda de trabalho dos alunos.
• Transitar entre diversas possibilidades de trabalho
simultâneas na mesma sala de aula.
• Orientar estudos de forma transdisciplinar.
• Manter uma rotina de trocas que permitam avaliar o
progresso ou a possível manutenção de dificuldades dos
alunos.
Isso é
trabalhar
com
Orientação
de Estudos
O QUE PODE E O QUE NÃO PODE SER CONSIDERADO NA
ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS (alguns apontamentos)
• Utilizar o espaço de estudo dirigido como
espaço de reforço escolar das disciplinas da
Base Nacional Comum.
• Permitir que os alunos mantenham-se
"soltos" nas atividades em sala de aula.
• Trabalhar sem articular sua prática com a dos
demais Professores da escola.
• Permitir que os alunos utilizem o espaço de
estudo dirigido para fazer tarefa de casa.
• Aceitar que as aulas terminem sem um
produto entregue ao professor responsável
pela aula de Orientação de Estudos.
Isso não é
trabalhar com
Orientação de
Estudos
O QUE PODE E O QUE NÃO PODE SER CONSIDERADO NA
ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS (alguns apontamentos)
Características e Desdobramentos da
Orientação de Estudos
Articula-se com o Protagonismo Juvenil, pois
contribui com o desenvolvimento da autonomia do
estudante e mobiliza os 4 pilares da Educação:
Construção do conhecimento e apropriação de
técnicas e procedimentos de estudo (aprender a
conhecer); Aplicação do conhecimento em sessões
de estudo (aprender a fazer); Interação produtiva
com outros estudantes (aprender a conviver);
desenvolvimento de potencialidades pessoais
(aprender a ser).
Técnicas de estudo
1. Técnicas de
análise
1.1. Leitura 1.2. Anotações 1.3 Grifo
2. Técnicas de
síntese
2.1 Esquema
2.2 Mapas
Conceituais
2.3 Resumo
EXEMPLOS DE TÉCNICAS e PROCEDIMENTOS DE
ESTUDO QUE SE ESPERA QUE O ESTUDANTE
DOMINE
AS TÉCNICAS DE ESTUDO
PARA ESTUDAR É IMPRESCINDÍVEL
INVESTIR NA ORIENTAÇÃO PARA O ESTUDO
É POR EM MOVIMENTO OS 4 PILARES DA
EDUCAÇÃO
APRENDER A
SER
APRENDER A
CONVIVER
APRENDER A
FAZER
APRENDER A
CONHECER
REFERÊNCIAS
COMO ESTUDAR MELHOR
Autor: Ron Fry
Cencage Learning Edições , 2010
MAPAS CONCEITUAIS – Uma técnica para aprender
Autor: Antonio Ontoria Peña
Editora: Loyola,2005
MAPAS CONCEITUAIS E APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
Autor: Marco Antonio Moreira
Editora Centauro, 2010
COMO APRENDER: ANDRAGOGIA E AS HABILIDADES DE
APRENDIZAGEM
Autor: Carlos Tasso Eira De Aquino
Editora: Pearson Prentice Hall, 2008
A GRANDE JOGADA
Autor: Celso Antunes
Ed. Vozes, 2009
SUCESSO ESCOLAR NOS MEIOS POPULARES: AS RAZÕES DO
IMPROVÁVEL
Autor: Bernard Lahire
São Paulo:Ática, 2004

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pedagogia afetiva
Pedagogia afetivaPedagogia afetiva
Pedagogia afetiva
ANDREIADIAS116
 
Os quatro pilares da educação apresentação
Os quatro pilares da educação apresentaçãoOs quatro pilares da educação apresentação
Os quatro pilares da educação apresentação
Joyce Leon
 
Plano de-desenvolvimento-individual
Plano de-desenvolvimento-individualPlano de-desenvolvimento-individual
Plano de-desenvolvimento-individual
Centro Neurológico de Teresópolis
 
Pauta formativa pnaic 5º encontro
Pauta formativa pnaic   5º encontroPauta formativa pnaic   5º encontro
Pauta formativa pnaic 5º encontro
pnaicdertsis
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
Marcelo Assis
 
Apresentacão para Reuniao de pais em powerpoint
Apresentacão para Reuniao de pais em powerpointApresentacão para Reuniao de pais em powerpoint
Apresentacão para Reuniao de pais em powerpoint
Natalia Pina
 
Projeto de oficina pedagógica para professores
Projeto de oficina pedagógica para professoresProjeto de oficina pedagógica para professores
Projeto de oficina pedagógica para professoresvanessaveloso05
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
Geraldo Vicente
 
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAISPOLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
Jose Wilson Melo
 
Pauta planejamento 2012 1º
Pauta planejamento 2012     1ºPauta planejamento 2012     1º
Pauta planejamento 2012 1º
Nethy Marques
 
Projeto horta suspensa na escola
Projeto horta suspensa na escolaProjeto horta suspensa na escola
Projeto horta suspensa na escola
lavi1423
 
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
SimoneHelenDrumond
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observação
Arte Tecnologia
 
Pauta
PautaPauta
RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptx
RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptxRECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptx
RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptx
EsterLeite4
 
Educação Infantil não é bagunça - Educamundo
Educação Infantil não é bagunça - EducamundoEducação Infantil não é bagunça - Educamundo
Educação Infantil não é bagunça - Educamundo
Nome Sobrenome
 
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCCMPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
profamiriamnavarro
 
Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem
carmensilva723002
 
Aula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão EscolarAula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão Escolar
Professora Florio
 
PROJETO: “Escola educada, escola bem cuidada. Conscientização e conservação ...
PROJETO:  “Escola educada, escola bem cuidada. Conscientização e conservação ...PROJETO:  “Escola educada, escola bem cuidada. Conscientização e conservação ...
PROJETO: “Escola educada, escola bem cuidada. Conscientização e conservação ...
Seduc MT
 

Mais procurados (20)

Pedagogia afetiva
Pedagogia afetivaPedagogia afetiva
Pedagogia afetiva
 
Os quatro pilares da educação apresentação
Os quatro pilares da educação apresentaçãoOs quatro pilares da educação apresentação
Os quatro pilares da educação apresentação
 
Plano de-desenvolvimento-individual
Plano de-desenvolvimento-individualPlano de-desenvolvimento-individual
Plano de-desenvolvimento-individual
 
Pauta formativa pnaic 5º encontro
Pauta formativa pnaic   5º encontroPauta formativa pnaic   5º encontro
Pauta formativa pnaic 5º encontro
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
 
Apresentacão para Reuniao de pais em powerpoint
Apresentacão para Reuniao de pais em powerpointApresentacão para Reuniao de pais em powerpoint
Apresentacão para Reuniao de pais em powerpoint
 
Projeto de oficina pedagógica para professores
Projeto de oficina pedagógica para professoresProjeto de oficina pedagógica para professores
Projeto de oficina pedagógica para professores
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
 
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAISPOLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
 
Pauta planejamento 2012 1º
Pauta planejamento 2012     1ºPauta planejamento 2012     1º
Pauta planejamento 2012 1º
 
Projeto horta suspensa na escola
Projeto horta suspensa na escolaProjeto horta suspensa na escola
Projeto horta suspensa na escola
 
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observação
 
Pauta
PautaPauta
Pauta
 
RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptx
RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptxRECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptx
RECOMPOSIÇÃO DAS APRENDIZAGENS.pptx
 
Educação Infantil não é bagunça - Educamundo
Educação Infantil não é bagunça - EducamundoEducação Infantil não é bagunça - Educamundo
Educação Infantil não é bagunça - Educamundo
 
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCCMPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
 
Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem
 
Aula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão EscolarAula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão Escolar
 
PROJETO: “Escola educada, escola bem cuidada. Conscientização e conservação ...
PROJETO:  “Escola educada, escola bem cuidada. Conscientização e conservação ...PROJETO:  “Escola educada, escola bem cuidada. Conscientização e conservação ...
PROJETO: “Escola educada, escola bem cuidada. Conscientização e conservação ...
 

Semelhante a PPT_Orientação da diversificada 01.ppt

Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudosConteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
AnaClaudia252604
 
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docxPrograma-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
MaxLuisEspinosa
 
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docx
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docxPrograma GLAUBER 2023 17-04 B.docx
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docx
Glauber Eduardo Aragon Pereira
 
Apresentação 2 planejamento
Apresentação 2   planejamentoApresentação 2   planejamento
Apresentação 2 planejamento
Lídia Lourinho
 
Metodologias do Ensino Superior.pdf
Metodologias do Ensino Superior.pdfMetodologias do Ensino Superior.pdf
Metodologias do Ensino Superior.pdf
ManoelCarlosdeOlivei3
 
CARTILHA TUTORIA.pdf
CARTILHA TUTORIA.pdfCARTILHA TUTORIA.pdf
CARTILHA TUTORIA.pdf
GiselleMoreira13
 
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
LinoReisLino
 
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
MatheusSimoesMasuoka1
 
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
www.estagiosupervisionadofip.blogspot.com
 
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
Helia Pessoa do Amaral Figueiredo
 
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
Helia Pessoa do Amaral Figueiredo
 
Formador de formadores
Formador de formadoresFormador de formadores
Formador de formadores
Claudio Roberto Ribeiro Junior
 
Formador de formadores
Formador de formadoresFormador de formadores
Formador de formadores
Claudio Ribeiro
 
A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...
A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...
A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...
ProfCibellePires
 
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolarSupervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
francinethmedeiros
 
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
sedf
 
Ações educacionais de promoção à competência em informação
Ações educacionais de promoção à competência em informaçãoAções educacionais de promoção à competência em informação
Ações educacionais de promoção à competência em informação
Elisabeth Dudziak
 
Os projetos didáticos
Os projetos didáticosOs projetos didáticos
Os projetos didáticos
sorente
 
PlanodeacaodoCoordenador.pdf
PlanodeacaodoCoordenador.pdfPlanodeacaodoCoordenador.pdf
PlanodeacaodoCoordenador.pdf
AnaCristinaLuizaSouz
 
Slides sobre planejamento
Slides sobre planejamentoSlides sobre planejamento
Slides sobre planejamento
familiaestagio
 

Semelhante a PPT_Orientação da diversificada 01.ppt (20)

Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudosConteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
 
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docxPrograma-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
 
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docx
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docxPrograma GLAUBER 2023 17-04 B.docx
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docx
 
Apresentação 2 planejamento
Apresentação 2   planejamentoApresentação 2   planejamento
Apresentação 2 planejamento
 
Metodologias do Ensino Superior.pdf
Metodologias do Ensino Superior.pdfMetodologias do Ensino Superior.pdf
Metodologias do Ensino Superior.pdf
 
CARTILHA TUTORIA.pdf
CARTILHA TUTORIA.pdfCARTILHA TUTORIA.pdf
CARTILHA TUTORIA.pdf
 
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
 
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
 
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
 
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
 
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
 
Formador de formadores
Formador de formadoresFormador de formadores
Formador de formadores
 
Formador de formadores
Formador de formadoresFormador de formadores
Formador de formadores
 
A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...
A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...
A didática tem grande relevância no processo educativo de ensino e aprendizag...
 
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolarSupervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
 
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
 
Ações educacionais de promoção à competência em informação
Ações educacionais de promoção à competência em informaçãoAções educacionais de promoção à competência em informação
Ações educacionais de promoção à competência em informação
 
Os projetos didáticos
Os projetos didáticosOs projetos didáticos
Os projetos didáticos
 
PlanodeacaodoCoordenador.pdf
PlanodeacaodoCoordenador.pdfPlanodeacaodoCoordenador.pdf
PlanodeacaodoCoordenador.pdf
 
Slides sobre planejamento
Slides sobre planejamentoSlides sobre planejamento
Slides sobre planejamento
 

Último

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
JohnnyLima16
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 

PPT_Orientação da diversificada 01.ppt

  • 1. 1 GT - RECUPERAÇÃO Programa Ensino Integral Alinhamento da Diversificada
  • 2. QUAL É O PRINCIPAL OBJETIVO DA ESCOLA DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL? AUTÔNOMO SOLIDÁRIO COMPETENTE EXCELÊNCIA ACADÊMICA PROJETO DE VIDA BASE NACIONAL COMUM PARTE DIVERSIFICA DA FORMAR JOVEM PROTAGONISTA PREMISSAS Formação Continuada Corresponsabilidade Protagonismo Excelência em Gestão Replicabilidade VALORES Valorização da educação pública pela oferta de um ensino de qualidade Valorização dos educadores Gestão Escolar democrática e responsável Espírito de equipe e cooperação Mobilização, engajamento e responsabilização da rede, alunos e sociedade em torno do processo ensino-aprendizagem: espírito público e cidadania Os Quatro Pilares da Educação Pedagogia da Presença Educação Interdimensional Protagonismo Juvenil PRINCÍPIOS BASE / FUNDAMENTOS DO PROGRAMA
  • 3. Conceito Disciplina que integra as Atividades Complementares contidas na Parte Diversificada da Matriz Curricular do Programa Ensino integral. Tem como principal característica o desenvolvimento de técnicas, estratégias e procedimentos que orientam e apoiam os estudantes em suas práticas de estudo, uma vez que aprender a estudar é condição fundamental para o desenvolvimento da autonomia e das habilidades e competências previstas pelo Currículo.
  • 4. Principais Objetivos A partir das atividades desenvolvidas nas aulas de Orientação de Estudos, espera-se que os alunos sejam capazes de:  Reconhecer a importância da aquisição de hábitos e rotinas de estudo;  Identificar e reconhecer os fatores fundamentais para o ato de estudar;  Compreender a diferença entre qualidade e intensidade de estudo;  Apropriar-se da capacidade de organização para estudar;  Compreender e aplicar técnicas de estudo na rotina diária;  Consolidar hábitos e rotinas de estudo;  Desenvolver uma postura protagonista em relação à própria aprendizagem;  Incentivar a autoavaliação do estudante.
  • 5. Condições Fundamentais Para que os objetivos sejam atingidos As aulas de Orientação de Estudos devem apoiar o cumprimento do Currículo em todas as disciplinas e proporcionar suporte para que não se formem novas defasagens de aprendizagem. Por ter caráter transdisciplinar, é importante que as técnicas e procedimentos de estudo propostos por esta disciplina tenham articulação com as diferentes áreas de conhecimento.
  • 6. É fundamental que os Professores das diferentes disciplinas da Base Nacional Comum, mediados pelo PCG, dialoguem continuamente com os Professores das Diversificadas: • Programação de atividades; • Acompanhamento dos desdobramentos das aulas de Orientação de Estudos nas disciplinas da Base Nacional Comum; • Promoção de adequações/ajustes nas estratégias voltadas para melhoria da aprendizagem dos estudantes. Condições Fundamentais Para que os objetivos sejam atingidos
  • 7. Condições Fundamentais Para que os objetivos sejam atingidos As atividades a serem desenvolvidas nas aulas de Orientação de Estudos devem ser planejadas em função das especificidades e das principais demandas de aprendizagem de cada turma. É por meio da aplicação de suas técnicas (grifo, esquema, resumo, marginalia (marginália é o termo geral que designa as notas, escritos e comentários pessoais , resenha, mapa conceitual, etc.) em textos de diferentes disciplinas que a Orientação de Estudos apoia os estudantes a definir os hábitos de estudo mais adequados para sua aprendizagem.
  • 8. • Organização pessoal para estudar é importante, pois, estudar muito é diferente de estudar direito. • Escolher um local adequado: o Tranquilo, iluminado,ventilado, sem barulho, com mesa • Planejamento: o Cuidados em relação à seleção dos materiais (livros, textos, apostilas, materiais escolares, etc.) mais apropriados para cada momento de estudo o Definição de uma sequência de sessões de estudo; o Definição de metas para cada sessão; o Identificação das técnicas e procedimentos que podem otimizar seus estudos Principais orientações para os alunos e para a promoção das diversificadas.
  • 9. • O QUE deve ser feito? A importância de se definir uma agenda de estudos • QUANDO deve ser feito? A necessidade de se estabelecer o horário para estudar e assumi-lo como um rotina • COMO deve ser feito? As condições para executar os estudos utilizando- se de técnicas, procedimentos e recursos apropriados. Questões que devem orientar o planejamento das sessões das diversificadas
  • 10. • Trabalhar com atividades estruturadas e programadas pelo Professor responsável pela turma de OE. • Organizar grupos de alunos a partir de suas demandas de aprendizagem (o que inclui a necessidade de definir hábitos e rotinas de estudo). • Dialogar com os demais professores da unidade para compreender os avanços e as dificuldades dos alunos. • Conhecer as agendas de trabalho dos professores das escola (tarefas dadas e prospectadas). • Conhecer a agenda de trabalho dos alunos. • Transitar entre diversas possibilidades de trabalho simultâneas na mesma sala de aula. • Orientar estudos de forma transdisciplinar. • Manter uma rotina de trocas que permitam avaliar o progresso ou a possível manutenção de dificuldades dos alunos. Isso é trabalhar com Orientação de Estudos O QUE PODE E O QUE NÃO PODE SER CONSIDERADO NA ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS (alguns apontamentos)
  • 11. • Utilizar o espaço de estudo dirigido como espaço de reforço escolar das disciplinas da Base Nacional Comum. • Permitir que os alunos mantenham-se "soltos" nas atividades em sala de aula. • Trabalhar sem articular sua prática com a dos demais Professores da escola. • Permitir que os alunos utilizem o espaço de estudo dirigido para fazer tarefa de casa. • Aceitar que as aulas terminem sem um produto entregue ao professor responsável pela aula de Orientação de Estudos. Isso não é trabalhar com Orientação de Estudos O QUE PODE E O QUE NÃO PODE SER CONSIDERADO NA ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS (alguns apontamentos)
  • 12. Características e Desdobramentos da Orientação de Estudos Articula-se com o Protagonismo Juvenil, pois contribui com o desenvolvimento da autonomia do estudante e mobiliza os 4 pilares da Educação: Construção do conhecimento e apropriação de técnicas e procedimentos de estudo (aprender a conhecer); Aplicação do conhecimento em sessões de estudo (aprender a fazer); Interação produtiva com outros estudantes (aprender a conviver); desenvolvimento de potencialidades pessoais (aprender a ser).
  • 13. Técnicas de estudo 1. Técnicas de análise 1.1. Leitura 1.2. Anotações 1.3 Grifo 2. Técnicas de síntese 2.1 Esquema 2.2 Mapas Conceituais 2.3 Resumo EXEMPLOS DE TÉCNICAS e PROCEDIMENTOS DE ESTUDO QUE SE ESPERA QUE O ESTUDANTE DOMINE
  • 14. AS TÉCNICAS DE ESTUDO PARA ESTUDAR É IMPRESCINDÍVEL INVESTIR NA ORIENTAÇÃO PARA O ESTUDO É POR EM MOVIMENTO OS 4 PILARES DA EDUCAÇÃO APRENDER A SER APRENDER A CONVIVER APRENDER A FAZER APRENDER A CONHECER
  • 15. REFERÊNCIAS COMO ESTUDAR MELHOR Autor: Ron Fry Cencage Learning Edições , 2010 MAPAS CONCEITUAIS – Uma técnica para aprender Autor: Antonio Ontoria Peña Editora: Loyola,2005 MAPAS CONCEITUAIS E APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA Autor: Marco Antonio Moreira Editora Centauro, 2010 COMO APRENDER: ANDRAGOGIA E AS HABILIDADES DE APRENDIZAGEM Autor: Carlos Tasso Eira De Aquino Editora: Pearson Prentice Hall, 2008 A GRANDE JOGADA Autor: Celso Antunes Ed. Vozes, 2009 SUCESSO ESCOLAR NOS MEIOS POPULARES: AS RAZÕES DO IMPROVÁVEL Autor: Bernard Lahire São Paulo:Ática, 2004