SlideShare uma empresa Scribd logo
Metodologias do
Ensino Superior
Prof. Manoel Carlos de Oliveira Júnior
Ementa
• Metodologia do Ensino Superior. O Ensino
Superior e a docência. Os processos de
ensino e de aprendizagem. O Planejamento
e as possibilidades didáticas de organização
de planos de ensino; Avaliação do processo
ensino aprendizagem: concepções teóricas e
práticas, elaboração de instrumentos
avaliativos; Metodologias didáticas na
docência no ensino superior. Metodologias
Ativas. Relação pedagógica na aula
universitária e mediação docente.
Professor instrutor: Prof. Manoel Carlos de
Oliveira Jr
Faculdade de Estudos Sociais – FES
Departamento de Administração
Objetivos
Diversificar as aulas, atribuindo metodologias de
acordo com os objetivos de ensino-aprendizagem
Planejar as aulas presenciais de acordo com os
objetivos de ensino
Utilizar as ferramentas tecnológicas propostas
Avaliar o processo de ensino-aprendizagem
Cronograma
• Unidade I - Sugestão 31/07 a 05/08
• Metodologia do Ensino Superior. O Ensino Superior
e a docência. Os processos de ensino e de
aprendizagem. O Planejamento e as possibilidades
didáticas de organização de planos de ensino;
Avaliação do processo ensino aprendizagem:
concepções teóricas e práticas, elaboração de
instrumentos avaliativos
• Unidade II - Sugestão 06/08 a 11/08
• Metodologias didáticas na docência no ensino
superior. Relação pedagógica na aula universitária e
mediação docente.
Referência Básica:
• ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P..
Processos de ensino
aprendizagem na universidade:
pressupostos para as estratégias
de trabalho em aula. 3. ed.
Joinville: UNIVILLE, 2004.
• Gil, A. C. Metodologia do Ensino
superior. 3 a edição, São Paulo:
Atlas, 1997.
Referência Complementar:
• PIMENTA, S. G & ANASTASIOU, L. G. C. Docência do ensino
superior. 3ed. São Paulo, editora Cortez: 2008.
• LUCKESI, C. C.. A avaliação da aprendizagem escolar: estudos
e proposições. S. Paulo: Cortez, 1996. (Caps. II, III, VIII e IX).
• MASETTO, M. T. Competência pedagógica do professor
universitário. São Paulo: Summus, 2003.
• OLIVEN, A. C. Histórico da educação superior no Brasil. In:
Soares, M. S. A. et al, 2002.
• A educação superior no Brasil. Porto Alegre, 2002.
• TARDIF, M.. Saberes docentes e formação profissional.
Petrópolis: Vozes, 2002.
• WEBER, S. "Polícas do Ensino Superior - Perspecvas para a
próxima década". Avaliação, vol. 5, nº 1 (15), março 2000, pp.
15- 18.
Unidade I
• Metodologia do Ensino Superior. O Ensino
Superior e a docência. Os processos de
ensino e de aprendizagem. O Planejamento
e as possibilidades didáticas de organização
de planos de ensino; Avaliação do processo
ensino aprendizagem: concepções teóricas e
práticas, elaboração de instrumentos
avaliativos
A formação de muitos professores no nível superior
teve pouco ou nenhum contato com a preparação para
a sala de aula.
A entrada destes no ambiente acadêmico se dá, em grande
parte, pelo conhecimento que possuem, pelo titulação que
obtiveram em suas carreiras ou por oportunidades surgidas de
estar no mercado de trabalho nas organizações e ao mesmo
tempo “ensinar”.
• Ao entrar em sala de aula, porém, o
professor encontra várias
dificuldades, não somente relativas à
falta de preparação pedagógica, mas
de infraestrutura, dificuldades até
físicas, temperamentais, fisiológicas…
Concordam? Entretanto, apesar das
dificuldades veja nos slides a seguir
quais caracteristicas são requeridas
ao professor universitário
Características requeridas do professor
Físicas e fisiológicas
✓Resistência à fadiga
✓Capacidade funcional do sistema respiratório
✓Clareza vocal
✓Acuidade visual e auditiva
Psicotemperamentais
✓Estabilidade emocional
✓Versatilidade
✓Iniciativa
✓Autoconfiança
✓Disciplina
✓Paciência
✓Cooperação
✓Estabilidade de ritmo
✓Atenção difusa
Fonte: adaptado de Gil, 2007
Características
requeridas do professor
Intelectuais
✓Inteligência abstrata
✓Inteligência verbal
✓Memória e observação
✓Raciocínio lógico
✓Imaginação
✓Coordenação
✓Capacidade crítica
✓...
✓Você consegue elencar mais?
Fonte: adaptado de Gil, 2007
Ufa! Quem disse que ser
professor não dá trabalho?
Precisamos ainda ter
PREPARO ESPECIALIZADO
para a matéria que iremos
lecionar, CULTURA GERAL,
CONHECIMENTOS e
HABILIDADES
PEDAGÓGICAS!
Conhecimentos e habilidade pedagógicas
Estrutura e funcionamento do
ensino superior
Conhecer as relações entre o que ocorre na
sala de aula e os objetivos do ensino superior
brasileiro, seus problemas, legislações e
evolução das instituições universitárias
Planejamento de Ensino
O docente precisa ser capaz de estabelecer as
ações necessárias para que o ensino
ministrado por ele alcance seus objetivos.
Assim, a elaboração de um plano de disciplina
é necessário.
Conhecimentos
e habilidade
pedagógicas
• Psicologia da aprendizagem
• Esperamos que nossos alunos aprendam o
conteúdo da disciplina, sejam críticos,
participativos, ativos e dinâmicos. Desta forma
conhecimentos de psicologia serão muito úteis,
pois esclarecerão fatores que facilitam a
aprendizagem
• Métodos de ensino
• A pedagogia dispõe de vários métodos de
ensino. É função do professor conhecer as
vantagens e desvantagens de cada método para
utilizá-los na hora certa e na forma mais
adequada.
Conhecimentos
e habilidade
pedagógicas
• Técnicas de avaliação
• Precisamos nos capacitar para a elaboração de
instrumentos de avaliação dos conhecimentos,
bem como das habilidades e atitudes dos
alunos. As avaliações ao final do curso e no
decorrer da disciplina (formativa) têm por
objetivo não só medir ou aferir, mas facilitar o
processo de aprendizagem
A metodologia do ensino superior é uma disciplina
que apresenta procedimentos que devem ser
adotados pelos professores para o alcance de seus
objetivos. Procura esclarecer acerca da elaboração
dos Planos de Ensino, Formulação de objetivos,
seleção de conteúdos, escolha das estratégias de
ensino e instrumentos de avaliação da
aprendizagem.
Os aspectos
de atuação
do professor
universitário
De acordo com Mansueto o perfil do
professor universitário contempla os seguintes
aspectos:
• a) concepção e gestão do currículo: o
professor deve conhecer e se inteirar do
currículo do curso no qual leciona e ter
conhecimento das diretrizes curriculares e
competências básicas esperadas pela
instituição.
Os aspectos
de atuação
do professor
universitário
• b) integração das disciplinas como
componentes curriculares: toda disciplina
faz parte de uma grade curricular específica
e é planejada de acordo com o currículo de
cada curso, por isso é importante
compreender que disciplinas com o mesmo
nome podem ter programas diferentes
conforme o curso em que estão inseridas.
Esse conhecimento permite ao professor
planejar a disciplina de modo a contribuir
mais eficientemente para a formação do
profissional;
• c) relação professor-aluno e aluno-aluno no processo de
aprendizagem: no processo de ensino, o professor desempenha o
papel de mediador, possibilitando situações de interação com os
alunos. A aula é um momento de diálogo, de trocas, debates e
discussões, que promovem a produção de conhecimentos;
• d) teoria e prática da tecnologia educacional: operar com os recursos
tecnológicos disponíveis modifica o ambiente de aprendizagem e
dinamiza as aulas, portanto, saber usá-los como ferramentas de
auxílio é de suma importância para que a ação docente seja mais
eficiente;
• e) concepção do processo avaliativo e suas técnicas para feedback: o
professor compreende o processo avaliativo não apenas como modo
de atribuir notas e conceitos, mas como meio para incentivar e
motivar a aprendizagem, pelas informações contínuas. A importância
é dada à aprendizagem.
• f) planejamento como atividade educacional e política: o
planejamento da disciplina e do programa é elaborado de forma
crítica e reflexiva, articulado ao contexto sócio-histórico-político-
ideológico, com foco na formação do profissional.
• O saber dos docentes é adquirido e
construído em um processo contínuo de
aprendizagem, no qual o professor
aprende progressivamente, e assim,
consequentemente se insere e domina
seu ambiente de trabalho (TARDIF,
2002).
Que tal dar uma parada na
leitura e assistir ao vídeo
disponível no Classroom!
https://www.youtube.com/
watch?v=-EBAkH36_wE
O ensino
superior e a
docência
O processo de ensino e
aprendizagem
• Análise o mapa a seguir que
mostra uma visão do processo
ensino aprendizagem. Você
concorda? Adicionaria ou retiraria
alguns elementos?
Ao falarmos de ENSINO
podemos pensar em
conceitos como: instrução,
orientação, comunicação e
transmissão de
conhecimentos. Tais
elementos indicam o
professor como figura
central do processo
• Quando tratamos da
APRENDIZAGEM evocamos
conceitos como: descoberta,
apreensão, modificação do
comportamento e aquisição de
conhecimentos. O elemento
central passa a ser o aluno
Qual ênfase você dá
nesse processo?
Ênfase no ensino - Características
O professor é fornecedor de informação
Se considera o responsável pelos resultados
Acreditam que se o professor ensinou o aluno aprendeu
Professores especialistas na matéria
A sua arte é a arte da exposição
As atividades estão centradas nos alunos
Incentivo à expressão das ideias, investigar
sozinhos
Os alunos devem procurar meios para seu
desenvolvimento individual e social
O papel do professor passa a ser o de ajudar o
aluno a aprender
Ênfase na aprendizagem - Características
PROCESSO DE ENSINO focado no Professor
Objetivo
Transmitir
informações
aos alunos
Conteúdo
A partir de um
programa pré-
estabelecido
Técnicas
E Recursos que
vai utilizar para
transmitir as
informações
Avaliação
Por meio de
provas e
trabalhos
Masetto, 2010.
O relacionamento do professor
com o aluno se estabelece de
forma vertical apoiada em:
a) o professor é aquele que sabe e o aluno
aquele que não sabe, não detém
informação nem o conhecimento e precisa
saber;
b) ao professor cabe cobrar a apreensão do
que foi transmitido;
c) o professor detém o poder de aprovar ou
reprovar o aluno.
PROCESSO focado na APRENDIZAGEM
Objetivos
Mais amplos e trazem como
resultado: aprendizagem
de
fatos e comportamentos,
aprendizagem social,
aprendizagem verbal e
conceitual e aprendizagem
de procedimentos.
Conteúdo
O critério para sua definição
leva em conta as pesquisas e
estudos da área de
conhecimento à qual
pertence a disciplina que será
ministrada, mas a definição
última do conteúdo a ser
aprendido será dada pelas
necessidades do perfil do
profissional que se pretende
fomar
Técnicas
A necessidade de variar as
técnicas no decorrer de um
curso pode se constituir num
forte elemento que atue sobre
a motivação dos alunos,
despertando sua curiosidade e
interesse em participar.
Avaliação
O processo avaliativo ganha uma
dimensão diagnóstica pois permite
verificar se a aprendizagem está
sendo alcançada ou não, e o
porquê; oferece informações
sobre o que se fazer para um
contínuo reiniciar do processo de
aprendizagem até atingir os
objetivos finais; e uma dimensão
de avaliação formativa enquanto
acompanha o aprendiz durante
todo o processo, e em todos os
momentos
Lembrete
Em cada profissão existem
habilidades que são próprias dela e
que merecem serem
desenvolvidas. E a docência saberá
explorá-las nos espaços das aulas
práticas, nos laboratórios, em
visitas técnicas , na realização de
projetos.
A atitude de parceria e de
responsabilidade mútua entre
professor e aluno visando desenvolver
o processo de aprendizagem se
estabelece e se fortifica mediante
atitudes e comportamentos que os
colocam juntos, trabalhando pelos
mesmos objetivos, como uma equipe.
O professor passa a ser um
MEDIADOR.
São características da
mediação pedagógica:
• dialogar permanentemente de acordo
com o que acontece no momento;
• trocar experiências;
• debater dúvidas, questões ou
problemas;
• apresentar perguntas orientadoras;
• auxiliar nas carências e dificuldades
técnicas ou de conhecimento quando
o aprendiz não consegue se conduzir
sozinho;
São
características
da mediação
pedagógica:
• criar intercâmbio entre a aprendizagem e a
sociedade real onde nos encontramos, nos
mais diferentes aspectos;
• colaborar para estabelecer conexões entre o
conhecimento adquirido e novos conceitos,
fazendo a ponte com outras situações
análogas;
• garantir a dinâmica do processo de
aprendizagem;
• propor situações-problemas e desafios;
• desencadear e incentivar reflexões;
São
características
da mediação
pedagógica:
• colocar o aprendiz frente a frente com questões
éticas, sociais, profissionais, conflituosas;
• por vezes, colaborar para desenvolver crítica
com relação à quantidade e validade das
informações obtidas;
• cooperar para que o aprendiz use e comande as
novas tecnologias para aprendizagem e não seja
comandado por elas ou por quem as tenha
programado;
• colaborar para que se aprenda a comunicar
conhecimentos, seja por intermédio de meios
convencionais, seja mediante novas tecnologias.
O papel do
professor.
Assista ao vídeo
Partiremos
agora para...
• O Planejamento e as possibilidades
didáticas de organização de planos
de ensino; Avaliação do processo
ensino aprendizagem: concepções
teóricas e práticas, elaboração de
instrumentos avaliativos
Dando continuidade em nossa ementa, gostaria de
fazer uma observação sobre a importância do
planejamento
O planejamento faz parte das atividades de qualquer
setor. Até mesmo no nosso dia a dia nos planejamos
para fazer compras, realizar tarefas ou mesmo viagens.
As organizações de maneira geral também planejam
suas operações com bastante antecedência.
No caso do Planejamento
educacional é um processo
que pode trazer mais
eficiência às atividades
educacionais para o alcance
das metas estabelecidas em
um determinado prazo
Etapas do planejamento Educacional
Preparação Acompanhamento Aperfeiçoamento
Preparação
• Envolve a Formulação dos
objetivos e previsão dos passos
necessários para garantir a
concretização desses objetivos
Acompanhamento
• Após o plano ter sido colocado em
ação acompanha-se a ação
educativa do professor e o
aprendizado do aluno
Aprimoramento
• Abrange a avaliação dos objetivos
propostos na fase de preparação.
A seguir faz-se o ajuste
necessários para o atingimento
dos objetivos
Elementos que compõem o Planejamento da
Disciplina
Ementa
A ementa é uma súmula da
disciplina. Sobre ela qualquer
professor redige seu plano de
curso, de acordo com o Projeto
Pedagógico do Curso. O ideal é que
ela seja apresentada e distribuída
aos alunos
• É um instrumento didático pedagógico e
administrativo de elaboração e uso
obrigatório. O docente tem a obrigação de
elaborar o plano de ensino e disponibilizá-lo
à coordenação do curso e ao setor no qual o
curso está agregado e também ao aluno. O
plano de ensino contém todas as
informações importantes para que o aluno
organize seu semestre com antecedência,
tais como: conteúdos, formas de avaliação e
bibliografia.
Elementos
que
compõem o
Planejamento
da Disciplina
Plano de ensino
Elementos
que compõem
o
Planejamento
da Disciplina
Objetivos
• São eles que indicam a finalidade e as
metas a serem atingidas na aula . A
redação dos objetivos é o primeiro passo
a ser dado na elaboração do
planejamento, pois é em função deles
que se organizam as ações do professor e
dos alunos, a escolha de métodos e
técnicas, a escolha dos conteúdos, a
seleção de textos para referência e os
modos de avaliação
Elementos
que compõem
o
Planejamento
da Disciplina
Conteúdo
• É a descrição do que será tratado na
disciplina, temas e a ordem de apresentação.
Para essa organização, é necessário que,
antes, o professor selecione os textos
teóricos com os quais trabalhará em aula,
pois assim poderá planejar a abordagem e o
método que utilizará.
Exemplo
Exemplo
Conteúdo
programático -
Exemplo
Elaboração dos objetivos
Os objetivos, como parte do planejamento, são a definição
precisa do que se espera que o aluno seja capaz de fazer após a
conclusão de uma unidade de ensino, de uma disciplina ou de um
curso. A definição dos objetivos auxilia também para indicar o
quê será objeto de avaliação
Taxonomia de Bloom
• Em 1956, Benjamin Bloom e pesquisadores da
Universidade de Michigan e Chicago publicaram a
taxionomia dos objetivos educacionais, referência para
educadores que planejam a partir dos objetivos.
Assista ao vídeo O que é
Taxonomia de Bloom? –
para entender melhor
https://www.youtube.com
/watch?v=NA7Hw8MLV08
Quanto mais alto
o objetivo, maior
é a aprendizagem
Avaliação do processo
ensino aprendizagem:
concepções teóricas e
práticas, elaboração de
instrumentos avaliativos
Avaliar, talvez seja a etapa mais
temida pelos alunos. A hora da
verdade para alguns, o momento
em que o professor pode identificar
se os objetivos foram alcançados.
O processo de avaliação também
deve ser planejado, pois está
ligado diretamente aos objetivos
da disciplina, ao conteúdo e
referências disponibilizados.
Orientações técnico-pedagógicas
para o elaborador
• Comunicação eficiente, simples e
clara
• Identificar o que se quer avaliar?
Memorização, compreensão,
posição crítica
• Função dos resultados:
diagnosticar
• Estabelecer o nível de
complexidade que a avaliação se
destina
Estrutura de questões
de múltipla-escolha
• Enunciado da situação
problema e comando da
resposta;
• Suporte;
• Instrução;
• Alternativas de respostas
(distratores e resposta
correta)
SUPORTE
ENUNCIADO
INSTRUÇÃO
Instrução
• Após a leitura do texto, assinale a
alternativa que completa
corretamente a questão:
Suporte
• A escolha de um suporte deve se embasar em
critérios como:
• ser adequado ao assunto e à habilidade que
se quer avaliar;
• apresentar uma estrutura acessível ao
desenvolvimento dos alunos;
• evitar abordagens fora do contexto, muito
genéricas ou restritivas;
• variar as fontes utilizando produções
científicas, literárias, artísticas, encontradas
em sites da internet, em publicações formais
e informais (revistas, livros, jornais, textos
didáticos, folders, panfletos, produções de
alunos, etc);
Suporte
• ser originário de diversas fontes de circulação e
meios sociais;
• expressar tanto a comunicação na língua padrão
quanto em outros dialetos;
• apresentar tamanho, cor e formato que sejam
legíveis;
• apresentar a referência relativa à fonte da qual foi
extraída;
• fazer adaptações, quando necessário, ao nível do
aluno e
• condições de avaliação, indique a fonte original e a
adaptação feita;
• apresentar uma extensão compatível com o tempo
disponível para a atividade
Enunciado
• O enunciado, base da questão,
traz em si o estímulo que provoca
a resposta. É uma situação
problema expressa como
afirmativa ou pergunta e explicita
claramente a base da resposta, o
quê se exige do avaliando e como
ele deve proceder. É o comando
da resposta.
• Ao enunciar o problema, deve-se
apresentar todas as informações
de que o aluno precisa para se
situar sobre o quê o item aborda
e que é objeto de análise.
• Essas informações devem
também ser suficientes para que
ele compreenda claramente qual
é o problema proposto e de que
forma deve resolvê-lo.
Distratores
• Os distratores são respostas
plausíveis que têm a função de
atrair quem não sabe e escolhe
sem fundamento a resposta que
lhe parece certa ou que o
impressiona.
SUPORTE
ENUNCIADO
INSTRUÇÃO
DISTRATORES E ALTERNATIVA CORRETA
Etapas na
elaboração
de questões
• Delineamento da matriz de referência
da avaliação (Plano de Ensino);
• Planejar o balanceamento de
questões: fáceis, médias e difíceis;
• Decidir qual o tipo de questão mais
adequado;
• Criar a estrutura a partir da
problematização;
• Redigir a instrução.
Sugestão
do nível de
dificuldade
das
questões
30% FÁCEIS
30% MÉDIAS
40% DIFÍCEIS
Questões de múltipla escolha podem ser de:
• Resposta única
• Afirmação completa
• Resposta múltipla
• Foco negativo
• Asserção ou razão
• Lacuna
• Interpretação
• Associação;
• Ordenação ou seriação;
• Alternativas constantes
• A escolha do tipo depende da natureza do
conteúdo, da complexidade, da habilidade e
do nível de competências que serão
avaliados
Tipos e exemplos de
Questões
• Questões de resposta única;
• Enuncia a pergunta ou a situação
problema no formato de pergunta e
apresenta as alternativas de
resposta.
A quem é atribuída a ideia da origem do Poder Constituinte, com a
consequente distinção entre poder constituinte e poderes
constituídos?
A) O conceito de Poder Constituinte foi primeiramente elaborado por
Carl Shimidt na obra “Teoria da Constituição”;
B) O conceito de Poder Constituinte foi primeiramente elaborado por
Emmanuel Sieyés, na obra à Constituinte Burguesa – Que é o
terceiro Estado?
C) O Conceito de Poder Constituinte foi primeiramente elaborado por
Rousseau na obra “Contrato Social”
D) O Conceito de Poder Constituinte foi primeiramente elaborado por
Rousseau na obra “Origem das desigualdades entre os homens”;
E) O conceito de Poder Constituinte foi primeiramente elaborado por
Francosia Chatêlet na obra”História das ideias Políticas”
Magistratura do Trabalho – 18 região - 2006
• Um agricultor, preocupado com o baixo
desempenho de sua plantação, resolve investir
em um melhoramento genético de suas plantas
para a obtenção de uma linhagem altamente
produtiva. Qual o tipo de reprodução deverá ser
escolhido pelo agricultor para a obtenção da
variedade adequada?
A) Brotamento.
B) Enxertia.
C) Gâmica.
D) Gemulação.
(Santos, J. de A. Questão 1041. Biologia. Banco
de Itens da SEEMG. BH: DAVE/SEEMG, 2007.)
Questões de
afirmação
incompleta
As novas relações de trabalho no campo introduzidas pelo capital
agroindustrial.
A indústria de suco de laranja exporta US$ 1 bilhão por ano paga R$
0,16, em média, pela caixa da fruta colhida, não remunera o dia
de trabalho de quem fica doente faz contratação de forma
irregular e expõe o empregado a agrotóxicos. Quem reclama é
demitido. Essa é a situação vivida pelos colhedores de laranja da
região de Araraquara- SP, responsável por 12% da produção
paulista de laranja, segundo o Instituto de Economia Agrícola.
(Folha de São Paulo. Dinheiro. p. B8, 22/09/02.)
Nas novas relações de trabalho no campo, a indústria de suco...
A) privilegia a técnica de cultivo em detrimento do trabalhador.
B) expõe a saúde do trabalhador rural, pois ele lida com agrotóxicos.
C) submete o trabalhador à superexploração econômica no período
do plantio.
D) submete o trabalhador temporário a boas condições de trabalho
e de vida.
(Palhares, V. L. Questão 1042. Geografia. Banco de Itens da SEEMG.
BH: DAVE/SEEMG, 2007)>>
Questões de respostas
múltiplas
De acordo com a medida provisória 534, que inclui na chamada “Lei do Bem” os computadores portáteis tipo
prancheta, conhecidos como tablets, a indústria será incentivada a produzir os equipamentos em território nacional.
Para isso, algumas medidas adotadas serão:
• 1. pelo menos 20% dos insumos usados na fabricação dos tablets em território nacional deverão ter origem
brasileira;
• 2. Haverá uma redução gradativa de importação dos tablets;
• 3. Serão aumentados, ano a ano, os percentuais de componentes produzidos no Brasil;
• 4. As empresas brasileiras serão obrigadas a garantir a qualidade dos produtos, além de adotar medidas para
geração de empregos no país;
• 5. Haverá tabelamento de preço determinado pelo governo, estipulando um valor mínimo e um valor máximo para os
tablets, de acordo com as especificidades de cada produto
As alternativas incorretas são:
A) 2,3 e 4
B) 1,2 e 3
C) 3, 4 e 5
D) somente a 1
E) 4 e 5
Questões de
asserção e razão
O movimento migratório ilegal mantém redes ilegais no
mundo todo.
Porque:
A ilegalidade é combatida com leis rígidas nos países
desenvolvidos.
Sobre essas duas afirmativas, é correto afirmar que
A) as duas são verdadeiras, e a segunda é uma justificativa
correta da primeira.
B) as duas são verdadeiras, mas não estabelecem relação
entre si.
C) a primeira é uma afirmativa falsa; e a segunda,
verdadeira.
D) a primeira é uma afirmativa verdadeira; e a segunda,
falsa.
(Silva, R. E. D. Ps da. Questão 1056. Geografia. Banco de
Itens da SEEMG. BH: DAVE/SEEMG, 2007)
Os estudos confirmam uma clara tendência, no médio e no
longo prazos, para a diversificação da matriz energética
brasileira.
Porque:
A cana-de-açúcar e seus derivados deverão ser a segunda
fonte de energia mais importante, inferior apenas à
participação do petróleo e seus derivados.
Sobre essas duas afirmativas, é correto afirmar que
A) a primeira é uma afirmativa verdadeira; e a segunda, falsa.
B) a primeira é uma afirmativa falsa; e a segunda, verdadeira.
C) as duas são verdadeiras, mas não estabelecem relação entre
si.
D) as duas são verdadeiras, e a segunda é uma justificativa
correta da primeira.
Questão de
lacuna
• Na atmosfera primitiva da Terra, predominavam os gases
metano, hidrogênio, amoníaco e vapor de água. Admitindo-se
a ausência do gás oxigênio nessa época, supõe-se que os
primeiros seres vivos eram ______________________. Após o
surgimento dos organismos ___________________ no ambiente,
a atmosfera passou a ter gás oxigênio livre em sua
composição química, permitindo o aparecimento dos seres
______________________.
Em sequência as palavras que completam corretamente essas
lacunas são:
A) aeróbicos, fotossintetizantes, anaeróbicos.
B) aeróbicos, heterótrofos, anaeróbicos.
C) anaeróbicos, fotossintetizantes, aeróbicos.
D) anaeróbicos, fermentadores, aeróbicos.
(Santos, J. de A. Questão 1036. Biologia. Banco de Itens da
SEEMG. BH: DAVE/SEEMG, 2007)
Questão de
interpretação
• A) Não, pois a faixa etária acima dos 18 anos é aquela
responsável pela disseminação da violência urbana nas
grandes cidades brasileiras;
• B) Não, pois o crescimento do número de crianças e
adolescentes que trabalham diminui o risco de sua
exposição aos perigos da rua;
• C) Sim, pois ambos se associam ao mesmo contexto de
problemas socioeconômicos e culturais vigentes no país;
• D) Sim, pois o crescimento do trabalho infantil no Brasil
faz crescer o número de crianças envolvidas com o crime
organizado;
• E) Ambos abordam temas diferentes e não é possível
estabelecer relação mesmo que indireta entre eles.
Questão de
associação
Considere as referências abaixo acerca dos conceitos de
constituição:
I. Constituição no sentido lógico-jurídico.
II. Constituição no sentido jurídico-positivo
III. Constituição como decisão política fundamental
Faça a correlação com as referências a seguir:
A) Significa a norma fundamental hipotética.
B) A constituição é dimensionada como decisão global e
fundamental advinda da unidade política, e identificável pelo
núcleo de matérias que lhe são próprias e inerentes.
C) Equivale à norma positiva suprema.
• Dentre as alternativas abaixo, marque
aquela que expressa a relação correta
entre as referências acima:
• A) I-C; II-A; III-B
• B) I-A; II-B; III-C
• C) I-A; II-C; III-B
• D) I-B; II-C; III-A
• E) I-B; II-A; III-C
Questões de
ordenação ou
seriação
• O processo de poluição global é desencadeado por etapas. Com
base na indicação dos termos a seguir, preencha os quadros na
ordem seqüencial em que ocorrem as etapas.
1. Degradação ambiental.
2. Pressão demográfica.
3. Industrialização / expansão urbana.
4. Emissão de poluentes
A seqüência correta em que ocorre o processo é
A) 1, 2, 3, 4.
B) 3, 2, 4, 1.
C) 1, 3, 4, 2.
D) 4, 3, 2, 1.
Questões de
alternativas
constantes
Considere as seguintes afirmações
a) A propaganda tem como um de seus objetivos aumentar as vendas;
b) A publicidade tem como uma de suas desvantagens a maior
credibilidade dada pelo consumidor;
c) Quando os recursos para investir em comunicação são escassos uma
alternativa é enfatizar o papel da força de vendas como responsável por
promover a marca e os produtos de uma empresa;
d) O composto de comunicação em marketing é formado pela
PROPAGANDA, PUBLICIDADE, FORÇA DE VENDAS, PROMOÇÃO DE
VENDAS e PRODUTO
Marque com um X a sequencia que avalia corretamente as afirmações
como verdadeiras (V) ou falsas (F):
I – V,V,V,V
II – F,V,V,F
III - V,F,V,F
IV – V,V,F,V
V- F,F,V,V
Vícios na
formulação das
questões
Enunciado incompleto ou com a contextualização
inadequada (vale apenas o que é enunciado e não
o que o aluno “já deveria saber”);
Enunciado solto e direto, com pergunta do tipo “O
que é isso?”;
Uso de expressões desnecessárias para a
compreensão e cuja presença confunde os alunos;
Redação de enunciados e alternativas com
explicações confusas ou faltando elementos;
Vícios na
formulação das
questões
Comando de resposta que não expressa,
claramente, para o aluno o que se exige
dele;
Vinculação entre alternativas, ou seja,
para se compreender uma informação
contida na alternativa (B) o aluno tem
que voltar ao referido na alternativa (A);
Falseamento de afirmações forçado pela
inclusão de termos de negação como
“não”, “tudo”, “todas”, “geralmente”,
“apenas”, entre outros;
Vícios na formulação
das questões
• Repetição de uma mesma forma de
enunciado;
• Inadequação do tipo de questão ao
conteúdo e habilidade;
• Distratores obviamente errados ou sem
poder para discriminar os que sabem
daqueles que não sabem;
• Presença de mais de uma alternativa
correta;
• Repetição de termos, expressões e
palavras em todas as alternativas.
Atividade -
Grid para
construção
de Objetivos
• Vá até o AVA e abra a ferramenta GRID para
planejamento
• Esta ferramenta permite planejar e controlar o
alcance dos objetivos da disciplina
• Você deve preencher os objetivos, os conteúdos e
identificar para quais objetivos o conteúdo está
contribuindo.
• Existe uma limitação de caracteres para que a
planilha não fique tão extensa
• A primeira planilha é de orientação
• A segunda contém um exemplo que você pode
editar e entregar como uma das atividades do curso
Chegamos ao fim da Unidade I.
Esperamos que tenham
gostado e que o conteúdo
possa ser útil para planejar
suas atividades e melhorar
suas avaliações

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Docência no ensino superior
Docência no ensino superiorDocência no ensino superior
Docência no ensino superior
Instituto Consciência GO
 
Pdf aula 2 poluição poluentes e tipos de poluição
Pdf aula 2 poluição poluentes e tipos de poluiçãoPdf aula 2 poluição poluentes e tipos de poluição
Pdf aula 2 poluição poluentes e tipos de poluição
Miriam Cleide Amorim
 
Como redigir o projeto de pesquisa
Como redigir o projeto de pesquisaComo redigir o projeto de pesquisa
Como redigir o projeto de pesquisa
Laércio Góes
 
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentesComo elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Helena Degreas
 
Slide tcc apresentação1
Slide tcc   apresentação1Slide tcc   apresentação1
Slide tcc apresentação1
Augusto Cesar Santos
 
Slides para a qualificação
Slides para a qualificaçãoSlides para a qualificação
Slides para a qualificação
Juliana Fonseca Duarte
 
Estrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de PesquisaEstrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de Pesquisa
Humberto Serra
 
As Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes PedagógicasAs Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes Pedagógicas
Jessica Nuvens
 
17 hipóteses e variáveis
17 hipóteses e variáveis17 hipóteses e variáveis
17 hipóteses e variáveis
Joao Balbi
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Pre operativo
Pre operativoPre operativo
Pre operativo
Nelio Dinis
 
A história da ead no mundo
A história da ead no mundoA história da ead no mundo
A história da ead no mundo
guestc8aba15
 
Apresentação dos slides de dissertação de mestrado
Apresentação dos slides de dissertação de mestradoApresentação dos slides de dissertação de mestrado
Apresentação dos slides de dissertação de mestrado
Marco Aurélio Tomaz Jr
 
Defesa da tese 09 12-2010
Defesa da tese 09 12-2010Defesa da tese 09 12-2010
Defesa da tese 09 12-2010
João Piedade
 
Tecnologia na Educação
Tecnologia na EducaçãoTecnologia na Educação
Tecnologia na Educação
Norton Guimarães
 
Educação Inclusiva no Brasil
Educação Inclusiva no BrasilEducação Inclusiva no Brasil
Educação Inclusiva no Brasil
Arlindo Nascimento Rocha - "Oficina Acadêmica"
 
Didática e Metodologia no Ensino Superior
Didática e Metodologia no Ensino SuperiorDidática e Metodologia no Ensino Superior
Didática e Metodologia no Ensino Superior
Luci Bonini
 
Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1
Naysa Taboada
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
Librol
 
Tipos de métodos e sua aplicação
Tipos de métodos e sua aplicaçãoTipos de métodos e sua aplicação
Tipos de métodos e sua aplicação
Cleidiane Barbosa
 

Mais procurados (20)

Docência no ensino superior
Docência no ensino superiorDocência no ensino superior
Docência no ensino superior
 
Pdf aula 2 poluição poluentes e tipos de poluição
Pdf aula 2 poluição poluentes e tipos de poluiçãoPdf aula 2 poluição poluentes e tipos de poluição
Pdf aula 2 poluição poluentes e tipos de poluição
 
Como redigir o projeto de pesquisa
Como redigir o projeto de pesquisaComo redigir o projeto de pesquisa
Como redigir o projeto de pesquisa
 
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentesComo elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
 
Slide tcc apresentação1
Slide tcc   apresentação1Slide tcc   apresentação1
Slide tcc apresentação1
 
Slides para a qualificação
Slides para a qualificaçãoSlides para a qualificação
Slides para a qualificação
 
Estrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de PesquisaEstrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de Pesquisa
 
As Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes PedagógicasAs Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes Pedagógicas
 
17 hipóteses e variáveis
17 hipóteses e variáveis17 hipóteses e variáveis
17 hipóteses e variáveis
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Pre operativo
Pre operativoPre operativo
Pre operativo
 
A história da ead no mundo
A história da ead no mundoA história da ead no mundo
A história da ead no mundo
 
Apresentação dos slides de dissertação de mestrado
Apresentação dos slides de dissertação de mestradoApresentação dos slides de dissertação de mestrado
Apresentação dos slides de dissertação de mestrado
 
Defesa da tese 09 12-2010
Defesa da tese 09 12-2010Defesa da tese 09 12-2010
Defesa da tese 09 12-2010
 
Tecnologia na Educação
Tecnologia na EducaçãoTecnologia na Educação
Tecnologia na Educação
 
Educação Inclusiva no Brasil
Educação Inclusiva no BrasilEducação Inclusiva no Brasil
Educação Inclusiva no Brasil
 
Didática e Metodologia no Ensino Superior
Didática e Metodologia no Ensino SuperiorDidática e Metodologia no Ensino Superior
Didática e Metodologia no Ensino Superior
 
Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Tipos de métodos e sua aplicação
Tipos de métodos e sua aplicaçãoTipos de métodos e sua aplicação
Tipos de métodos e sua aplicação
 

Semelhante a Metodologias do Ensino Superior.pdf

DIDATICA SEGUNDO A TEORIA DO ENSINO DESENVOLVIMENTAL
DIDATICA SEGUNDO A TEORIA DO ENSINO DESENVOLVIMENTALDIDATICA SEGUNDO A TEORIA DO ENSINO DESENVOLVIMENTAL
DIDATICA SEGUNDO A TEORIA DO ENSINO DESENVOLVIMENTAL
RJS8230
 
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudosConteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
AnaClaudia252604
 
Plano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborarPlano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborar
afavaliacao
 
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptxAula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptx
DenisedeAmorimRamos
 
Aula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptxAula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptx
ManuelTalacuece
 
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptxPLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
MrciaAyala
 
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.pptPPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
Tati Borlote Varanda
 
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
MatheusSimoesMasuoka1
 
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
www.estagiosupervisionadofip.blogspot.com
 
04 -PROCESSO DE ENSINO.pptx História da administração
04 -PROCESSO DE ENSINO.pptx História da administração04 -PROCESSO DE ENSINO.pptx História da administração
04 -PROCESSO DE ENSINO.pptx História da administração
JeanSousa55
 
Caderno avaliacao pnaic
Caderno avaliacao pnaicCaderno avaliacao pnaic
Caderno avaliacao pnaic
Keila Arruda
 
Ensino com pesquisa
Ensino com pesquisaEnsino com pesquisa
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
jairdeoliveirajunior
 
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf
Flavio de Souza
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
apaulinha_ramos
 
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino deSaberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
UFMA e UEMA
 
Didã¡tica iii
Didã¡tica iiiDidã¡tica iii
Didã¡tica iii
Euzebio Raimundo
 
Estratégias - Pirassununga
Estratégias - PirassunungaEstratégias - Pirassununga
Estratégias - Pirassununga
camilaperez25
 
Aula 2 didatica do ensino supeior copia
Aula 2 didatica do ensino supeior   copiaAula 2 didatica do ensino supeior   copia
Aula 2 didatica do ensino supeior copia
Marluce Filipe
 
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
jeffcezanne
 

Semelhante a Metodologias do Ensino Superior.pdf (20)

DIDATICA SEGUNDO A TEORIA DO ENSINO DESENVOLVIMENTAL
DIDATICA SEGUNDO A TEORIA DO ENSINO DESENVOLVIMENTALDIDATICA SEGUNDO A TEORIA DO ENSINO DESENVOLVIMENTAL
DIDATICA SEGUNDO A TEORIA DO ENSINO DESENVOLVIMENTAL
 
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudosConteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
 
Plano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborarPlano de ensino como elaborar
Plano de ensino como elaborar
 
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptxAula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptx
 
Aula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptxAula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptx
 
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptxPLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
 
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.pptPPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
 
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
 
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
 
04 -PROCESSO DE ENSINO.pptx História da administração
04 -PROCESSO DE ENSINO.pptx História da administração04 -PROCESSO DE ENSINO.pptx História da administração
04 -PROCESSO DE ENSINO.pptx História da administração
 
Caderno avaliacao pnaic
Caderno avaliacao pnaicCaderno avaliacao pnaic
Caderno avaliacao pnaic
 
Ensino com pesquisa
Ensino com pesquisaEnsino com pesquisa
Ensino com pesquisa
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
 
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
 
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino deSaberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
 
Didã¡tica iii
Didã¡tica iiiDidã¡tica iii
Didã¡tica iii
 
Estratégias - Pirassununga
Estratégias - PirassunungaEstratégias - Pirassununga
Estratégias - Pirassununga
 
Aula 2 didatica do ensino supeior copia
Aula 2 didatica do ensino supeior   copiaAula 2 didatica do ensino supeior   copia
Aula 2 didatica do ensino supeior copia
 
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
 

Último

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 

Último (20)

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 

Metodologias do Ensino Superior.pdf

  • 1. Metodologias do Ensino Superior Prof. Manoel Carlos de Oliveira Júnior
  • 2. Ementa • Metodologia do Ensino Superior. O Ensino Superior e a docência. Os processos de ensino e de aprendizagem. O Planejamento e as possibilidades didáticas de organização de planos de ensino; Avaliação do processo ensino aprendizagem: concepções teóricas e práticas, elaboração de instrumentos avaliativos; Metodologias didáticas na docência no ensino superior. Metodologias Ativas. Relação pedagógica na aula universitária e mediação docente.
  • 3. Professor instrutor: Prof. Manoel Carlos de Oliveira Jr Faculdade de Estudos Sociais – FES Departamento de Administração
  • 4. Objetivos Diversificar as aulas, atribuindo metodologias de acordo com os objetivos de ensino-aprendizagem Planejar as aulas presenciais de acordo com os objetivos de ensino Utilizar as ferramentas tecnológicas propostas Avaliar o processo de ensino-aprendizagem
  • 5. Cronograma • Unidade I - Sugestão 31/07 a 05/08 • Metodologia do Ensino Superior. O Ensino Superior e a docência. Os processos de ensino e de aprendizagem. O Planejamento e as possibilidades didáticas de organização de planos de ensino; Avaliação do processo ensino aprendizagem: concepções teóricas e práticas, elaboração de instrumentos avaliativos • Unidade II - Sugestão 06/08 a 11/08 • Metodologias didáticas na docência no ensino superior. Relação pedagógica na aula universitária e mediação docente.
  • 6. Referência Básica: • ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P.. Processos de ensino aprendizagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 3. ed. Joinville: UNIVILLE, 2004. • Gil, A. C. Metodologia do Ensino superior. 3 a edição, São Paulo: Atlas, 1997.
  • 7. Referência Complementar: • PIMENTA, S. G & ANASTASIOU, L. G. C. Docência do ensino superior. 3ed. São Paulo, editora Cortez: 2008. • LUCKESI, C. C.. A avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. S. Paulo: Cortez, 1996. (Caps. II, III, VIII e IX). • MASETTO, M. T. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003. • OLIVEN, A. C. Histórico da educação superior no Brasil. In: Soares, M. S. A. et al, 2002. • A educação superior no Brasil. Porto Alegre, 2002. • TARDIF, M.. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002. • WEBER, S. "Polícas do Ensino Superior - Perspecvas para a próxima década". Avaliação, vol. 5, nº 1 (15), março 2000, pp. 15- 18.
  • 8. Unidade I • Metodologia do Ensino Superior. O Ensino Superior e a docência. Os processos de ensino e de aprendizagem. O Planejamento e as possibilidades didáticas de organização de planos de ensino; Avaliação do processo ensino aprendizagem: concepções teóricas e práticas, elaboração de instrumentos avaliativos
  • 9. A formação de muitos professores no nível superior teve pouco ou nenhum contato com a preparação para a sala de aula. A entrada destes no ambiente acadêmico se dá, em grande parte, pelo conhecimento que possuem, pelo titulação que obtiveram em suas carreiras ou por oportunidades surgidas de estar no mercado de trabalho nas organizações e ao mesmo tempo “ensinar”.
  • 10. • Ao entrar em sala de aula, porém, o professor encontra várias dificuldades, não somente relativas à falta de preparação pedagógica, mas de infraestrutura, dificuldades até físicas, temperamentais, fisiológicas… Concordam? Entretanto, apesar das dificuldades veja nos slides a seguir quais caracteristicas são requeridas ao professor universitário
  • 11. Características requeridas do professor Físicas e fisiológicas ✓Resistência à fadiga ✓Capacidade funcional do sistema respiratório ✓Clareza vocal ✓Acuidade visual e auditiva Psicotemperamentais ✓Estabilidade emocional ✓Versatilidade ✓Iniciativa ✓Autoconfiança ✓Disciplina ✓Paciência ✓Cooperação ✓Estabilidade de ritmo ✓Atenção difusa Fonte: adaptado de Gil, 2007
  • 12. Características requeridas do professor Intelectuais ✓Inteligência abstrata ✓Inteligência verbal ✓Memória e observação ✓Raciocínio lógico ✓Imaginação ✓Coordenação ✓Capacidade crítica ✓... ✓Você consegue elencar mais? Fonte: adaptado de Gil, 2007
  • 13. Ufa! Quem disse que ser professor não dá trabalho? Precisamos ainda ter PREPARO ESPECIALIZADO para a matéria que iremos lecionar, CULTURA GERAL, CONHECIMENTOS e HABILIDADES PEDAGÓGICAS!
  • 14. Conhecimentos e habilidade pedagógicas Estrutura e funcionamento do ensino superior Conhecer as relações entre o que ocorre na sala de aula e os objetivos do ensino superior brasileiro, seus problemas, legislações e evolução das instituições universitárias Planejamento de Ensino O docente precisa ser capaz de estabelecer as ações necessárias para que o ensino ministrado por ele alcance seus objetivos. Assim, a elaboração de um plano de disciplina é necessário.
  • 15. Conhecimentos e habilidade pedagógicas • Psicologia da aprendizagem • Esperamos que nossos alunos aprendam o conteúdo da disciplina, sejam críticos, participativos, ativos e dinâmicos. Desta forma conhecimentos de psicologia serão muito úteis, pois esclarecerão fatores que facilitam a aprendizagem • Métodos de ensino • A pedagogia dispõe de vários métodos de ensino. É função do professor conhecer as vantagens e desvantagens de cada método para utilizá-los na hora certa e na forma mais adequada.
  • 16. Conhecimentos e habilidade pedagógicas • Técnicas de avaliação • Precisamos nos capacitar para a elaboração de instrumentos de avaliação dos conhecimentos, bem como das habilidades e atitudes dos alunos. As avaliações ao final do curso e no decorrer da disciplina (formativa) têm por objetivo não só medir ou aferir, mas facilitar o processo de aprendizagem
  • 17. A metodologia do ensino superior é uma disciplina que apresenta procedimentos que devem ser adotados pelos professores para o alcance de seus objetivos. Procura esclarecer acerca da elaboração dos Planos de Ensino, Formulação de objetivos, seleção de conteúdos, escolha das estratégias de ensino e instrumentos de avaliação da aprendizagem.
  • 18. Os aspectos de atuação do professor universitário De acordo com Mansueto o perfil do professor universitário contempla os seguintes aspectos: • a) concepção e gestão do currículo: o professor deve conhecer e se inteirar do currículo do curso no qual leciona e ter conhecimento das diretrizes curriculares e competências básicas esperadas pela instituição.
  • 19. Os aspectos de atuação do professor universitário • b) integração das disciplinas como componentes curriculares: toda disciplina faz parte de uma grade curricular específica e é planejada de acordo com o currículo de cada curso, por isso é importante compreender que disciplinas com o mesmo nome podem ter programas diferentes conforme o curso em que estão inseridas. Esse conhecimento permite ao professor planejar a disciplina de modo a contribuir mais eficientemente para a formação do profissional;
  • 20. • c) relação professor-aluno e aluno-aluno no processo de aprendizagem: no processo de ensino, o professor desempenha o papel de mediador, possibilitando situações de interação com os alunos. A aula é um momento de diálogo, de trocas, debates e discussões, que promovem a produção de conhecimentos;
  • 21. • d) teoria e prática da tecnologia educacional: operar com os recursos tecnológicos disponíveis modifica o ambiente de aprendizagem e dinamiza as aulas, portanto, saber usá-los como ferramentas de auxílio é de suma importância para que a ação docente seja mais eficiente;
  • 22. • e) concepção do processo avaliativo e suas técnicas para feedback: o professor compreende o processo avaliativo não apenas como modo de atribuir notas e conceitos, mas como meio para incentivar e motivar a aprendizagem, pelas informações contínuas. A importância é dada à aprendizagem.
  • 23. • f) planejamento como atividade educacional e política: o planejamento da disciplina e do programa é elaborado de forma crítica e reflexiva, articulado ao contexto sócio-histórico-político- ideológico, com foco na formação do profissional.
  • 24. • O saber dos docentes é adquirido e construído em um processo contínuo de aprendizagem, no qual o professor aprende progressivamente, e assim, consequentemente se insere e domina seu ambiente de trabalho (TARDIF, 2002).
  • 25. Que tal dar uma parada na leitura e assistir ao vídeo disponível no Classroom! https://www.youtube.com/ watch?v=-EBAkH36_wE
  • 26. O ensino superior e a docência
  • 27. O processo de ensino e aprendizagem
  • 28. • Análise o mapa a seguir que mostra uma visão do processo ensino aprendizagem. Você concorda? Adicionaria ou retiraria alguns elementos?
  • 29.
  • 30.
  • 31. Ao falarmos de ENSINO podemos pensar em conceitos como: instrução, orientação, comunicação e transmissão de conhecimentos. Tais elementos indicam o professor como figura central do processo
  • 32. • Quando tratamos da APRENDIZAGEM evocamos conceitos como: descoberta, apreensão, modificação do comportamento e aquisição de conhecimentos. O elemento central passa a ser o aluno
  • 33. Qual ênfase você dá nesse processo?
  • 34. Ênfase no ensino - Características O professor é fornecedor de informação Se considera o responsável pelos resultados Acreditam que se o professor ensinou o aluno aprendeu Professores especialistas na matéria A sua arte é a arte da exposição
  • 35. As atividades estão centradas nos alunos Incentivo à expressão das ideias, investigar sozinhos Os alunos devem procurar meios para seu desenvolvimento individual e social O papel do professor passa a ser o de ajudar o aluno a aprender Ênfase na aprendizagem - Características
  • 36. PROCESSO DE ENSINO focado no Professor Objetivo Transmitir informações aos alunos Conteúdo A partir de um programa pré- estabelecido Técnicas E Recursos que vai utilizar para transmitir as informações Avaliação Por meio de provas e trabalhos Masetto, 2010.
  • 37. O relacionamento do professor com o aluno se estabelece de forma vertical apoiada em: a) o professor é aquele que sabe e o aluno aquele que não sabe, não detém informação nem o conhecimento e precisa saber; b) ao professor cabe cobrar a apreensão do que foi transmitido; c) o professor detém o poder de aprovar ou reprovar o aluno.
  • 38. PROCESSO focado na APRENDIZAGEM Objetivos Mais amplos e trazem como resultado: aprendizagem de fatos e comportamentos, aprendizagem social, aprendizagem verbal e conceitual e aprendizagem de procedimentos. Conteúdo O critério para sua definição leva em conta as pesquisas e estudos da área de conhecimento à qual pertence a disciplina que será ministrada, mas a definição última do conteúdo a ser aprendido será dada pelas necessidades do perfil do profissional que se pretende fomar Técnicas A necessidade de variar as técnicas no decorrer de um curso pode se constituir num forte elemento que atue sobre a motivação dos alunos, despertando sua curiosidade e interesse em participar. Avaliação O processo avaliativo ganha uma dimensão diagnóstica pois permite verificar se a aprendizagem está sendo alcançada ou não, e o porquê; oferece informações sobre o que se fazer para um contínuo reiniciar do processo de aprendizagem até atingir os objetivos finais; e uma dimensão de avaliação formativa enquanto acompanha o aprendiz durante todo o processo, e em todos os momentos
  • 39. Lembrete Em cada profissão existem habilidades que são próprias dela e que merecem serem desenvolvidas. E a docência saberá explorá-las nos espaços das aulas práticas, nos laboratórios, em visitas técnicas , na realização de projetos.
  • 40. A atitude de parceria e de responsabilidade mútua entre professor e aluno visando desenvolver o processo de aprendizagem se estabelece e se fortifica mediante atitudes e comportamentos que os colocam juntos, trabalhando pelos mesmos objetivos, como uma equipe. O professor passa a ser um MEDIADOR.
  • 41. São características da mediação pedagógica: • dialogar permanentemente de acordo com o que acontece no momento; • trocar experiências; • debater dúvidas, questões ou problemas; • apresentar perguntas orientadoras; • auxiliar nas carências e dificuldades técnicas ou de conhecimento quando o aprendiz não consegue se conduzir sozinho;
  • 42. São características da mediação pedagógica: • criar intercâmbio entre a aprendizagem e a sociedade real onde nos encontramos, nos mais diferentes aspectos; • colaborar para estabelecer conexões entre o conhecimento adquirido e novos conceitos, fazendo a ponte com outras situações análogas; • garantir a dinâmica do processo de aprendizagem; • propor situações-problemas e desafios; • desencadear e incentivar reflexões;
  • 43. São características da mediação pedagógica: • colocar o aprendiz frente a frente com questões éticas, sociais, profissionais, conflituosas; • por vezes, colaborar para desenvolver crítica com relação à quantidade e validade das informações obtidas; • cooperar para que o aprendiz use e comande as novas tecnologias para aprendizagem e não seja comandado por elas ou por quem as tenha programado; • colaborar para que se aprenda a comunicar conhecimentos, seja por intermédio de meios convencionais, seja mediante novas tecnologias.
  • 45.
  • 46. Partiremos agora para... • O Planejamento e as possibilidades didáticas de organização de planos de ensino; Avaliação do processo ensino aprendizagem: concepções teóricas e práticas, elaboração de instrumentos avaliativos
  • 47. Dando continuidade em nossa ementa, gostaria de fazer uma observação sobre a importância do planejamento O planejamento faz parte das atividades de qualquer setor. Até mesmo no nosso dia a dia nos planejamos para fazer compras, realizar tarefas ou mesmo viagens. As organizações de maneira geral também planejam suas operações com bastante antecedência.
  • 48. No caso do Planejamento educacional é um processo que pode trazer mais eficiência às atividades educacionais para o alcance das metas estabelecidas em um determinado prazo
  • 49. Etapas do planejamento Educacional Preparação Acompanhamento Aperfeiçoamento
  • 50. Preparação • Envolve a Formulação dos objetivos e previsão dos passos necessários para garantir a concretização desses objetivos
  • 51. Acompanhamento • Após o plano ter sido colocado em ação acompanha-se a ação educativa do professor e o aprendizado do aluno
  • 52. Aprimoramento • Abrange a avaliação dos objetivos propostos na fase de preparação. A seguir faz-se o ajuste necessários para o atingimento dos objetivos
  • 53. Elementos que compõem o Planejamento da Disciplina Ementa A ementa é uma súmula da disciplina. Sobre ela qualquer professor redige seu plano de curso, de acordo com o Projeto Pedagógico do Curso. O ideal é que ela seja apresentada e distribuída aos alunos
  • 54. • É um instrumento didático pedagógico e administrativo de elaboração e uso obrigatório. O docente tem a obrigação de elaborar o plano de ensino e disponibilizá-lo à coordenação do curso e ao setor no qual o curso está agregado e também ao aluno. O plano de ensino contém todas as informações importantes para que o aluno organize seu semestre com antecedência, tais como: conteúdos, formas de avaliação e bibliografia. Elementos que compõem o Planejamento da Disciplina Plano de ensino
  • 55. Elementos que compõem o Planejamento da Disciplina Objetivos • São eles que indicam a finalidade e as metas a serem atingidas na aula . A redação dos objetivos é o primeiro passo a ser dado na elaboração do planejamento, pois é em função deles que se organizam as ações do professor e dos alunos, a escolha de métodos e técnicas, a escolha dos conteúdos, a seleção de textos para referência e os modos de avaliação
  • 56. Elementos que compõem o Planejamento da Disciplina Conteúdo • É a descrição do que será tratado na disciplina, temas e a ordem de apresentação. Para essa organização, é necessário que, antes, o professor selecione os textos teóricos com os quais trabalhará em aula, pois assim poderá planejar a abordagem e o método que utilizará.
  • 60. Elaboração dos objetivos Os objetivos, como parte do planejamento, são a definição precisa do que se espera que o aluno seja capaz de fazer após a conclusão de uma unidade de ensino, de uma disciplina ou de um curso. A definição dos objetivos auxilia também para indicar o quê será objeto de avaliação
  • 61. Taxonomia de Bloom • Em 1956, Benjamin Bloom e pesquisadores da Universidade de Michigan e Chicago publicaram a taxionomia dos objetivos educacionais, referência para educadores que planejam a partir dos objetivos.
  • 62. Assista ao vídeo O que é Taxonomia de Bloom? – para entender melhor https://www.youtube.com /watch?v=NA7Hw8MLV08
  • 63.
  • 64. Quanto mais alto o objetivo, maior é a aprendizagem
  • 65. Avaliação do processo ensino aprendizagem: concepções teóricas e práticas, elaboração de instrumentos avaliativos
  • 66. Avaliar, talvez seja a etapa mais temida pelos alunos. A hora da verdade para alguns, o momento em que o professor pode identificar se os objetivos foram alcançados. O processo de avaliação também deve ser planejado, pois está ligado diretamente aos objetivos da disciplina, ao conteúdo e referências disponibilizados.
  • 67. Orientações técnico-pedagógicas para o elaborador • Comunicação eficiente, simples e clara • Identificar o que se quer avaliar? Memorização, compreensão, posição crítica • Função dos resultados: diagnosticar • Estabelecer o nível de complexidade que a avaliação se destina
  • 68. Estrutura de questões de múltipla-escolha • Enunciado da situação problema e comando da resposta; • Suporte; • Instrução; • Alternativas de respostas (distratores e resposta correta)
  • 71. Instrução • Após a leitura do texto, assinale a alternativa que completa corretamente a questão:
  • 72. Suporte • A escolha de um suporte deve se embasar em critérios como: • ser adequado ao assunto e à habilidade que se quer avaliar; • apresentar uma estrutura acessível ao desenvolvimento dos alunos; • evitar abordagens fora do contexto, muito genéricas ou restritivas; • variar as fontes utilizando produções científicas, literárias, artísticas, encontradas em sites da internet, em publicações formais e informais (revistas, livros, jornais, textos didáticos, folders, panfletos, produções de alunos, etc);
  • 73. Suporte • ser originário de diversas fontes de circulação e meios sociais; • expressar tanto a comunicação na língua padrão quanto em outros dialetos; • apresentar tamanho, cor e formato que sejam legíveis; • apresentar a referência relativa à fonte da qual foi extraída; • fazer adaptações, quando necessário, ao nível do aluno e • condições de avaliação, indique a fonte original e a adaptação feita; • apresentar uma extensão compatível com o tempo disponível para a atividade
  • 74. Enunciado • O enunciado, base da questão, traz em si o estímulo que provoca a resposta. É uma situação problema expressa como afirmativa ou pergunta e explicita claramente a base da resposta, o quê se exige do avaliando e como ele deve proceder. É o comando da resposta.
  • 75. • Ao enunciar o problema, deve-se apresentar todas as informações de que o aluno precisa para se situar sobre o quê o item aborda e que é objeto de análise. • Essas informações devem também ser suficientes para que ele compreenda claramente qual é o problema proposto e de que forma deve resolvê-lo.
  • 76. Distratores • Os distratores são respostas plausíveis que têm a função de atrair quem não sabe e escolhe sem fundamento a resposta que lhe parece certa ou que o impressiona.
  • 79. Etapas na elaboração de questões • Delineamento da matriz de referência da avaliação (Plano de Ensino); • Planejar o balanceamento de questões: fáceis, médias e difíceis; • Decidir qual o tipo de questão mais adequado; • Criar a estrutura a partir da problematização; • Redigir a instrução.
  • 80. Sugestão do nível de dificuldade das questões 30% FÁCEIS 30% MÉDIAS 40% DIFÍCEIS
  • 81. Questões de múltipla escolha podem ser de: • Resposta única • Afirmação completa • Resposta múltipla • Foco negativo • Asserção ou razão • Lacuna • Interpretação • Associação; • Ordenação ou seriação; • Alternativas constantes
  • 82. • A escolha do tipo depende da natureza do conteúdo, da complexidade, da habilidade e do nível de competências que serão avaliados
  • 83. Tipos e exemplos de Questões • Questões de resposta única; • Enuncia a pergunta ou a situação problema no formato de pergunta e apresenta as alternativas de resposta.
  • 84. A quem é atribuída a ideia da origem do Poder Constituinte, com a consequente distinção entre poder constituinte e poderes constituídos? A) O conceito de Poder Constituinte foi primeiramente elaborado por Carl Shimidt na obra “Teoria da Constituição”; B) O conceito de Poder Constituinte foi primeiramente elaborado por Emmanuel Sieyés, na obra à Constituinte Burguesa – Que é o terceiro Estado? C) O Conceito de Poder Constituinte foi primeiramente elaborado por Rousseau na obra “Contrato Social” D) O Conceito de Poder Constituinte foi primeiramente elaborado por Rousseau na obra “Origem das desigualdades entre os homens”; E) O conceito de Poder Constituinte foi primeiramente elaborado por Francosia Chatêlet na obra”História das ideias Políticas” Magistratura do Trabalho – 18 região - 2006
  • 85. • Um agricultor, preocupado com o baixo desempenho de sua plantação, resolve investir em um melhoramento genético de suas plantas para a obtenção de uma linhagem altamente produtiva. Qual o tipo de reprodução deverá ser escolhido pelo agricultor para a obtenção da variedade adequada? A) Brotamento. B) Enxertia. C) Gâmica. D) Gemulação. (Santos, J. de A. Questão 1041. Biologia. Banco de Itens da SEEMG. BH: DAVE/SEEMG, 2007.)
  • 87. As novas relações de trabalho no campo introduzidas pelo capital agroindustrial. A indústria de suco de laranja exporta US$ 1 bilhão por ano paga R$ 0,16, em média, pela caixa da fruta colhida, não remunera o dia de trabalho de quem fica doente faz contratação de forma irregular e expõe o empregado a agrotóxicos. Quem reclama é demitido. Essa é a situação vivida pelos colhedores de laranja da região de Araraquara- SP, responsável por 12% da produção paulista de laranja, segundo o Instituto de Economia Agrícola. (Folha de São Paulo. Dinheiro. p. B8, 22/09/02.) Nas novas relações de trabalho no campo, a indústria de suco... A) privilegia a técnica de cultivo em detrimento do trabalhador. B) expõe a saúde do trabalhador rural, pois ele lida com agrotóxicos. C) submete o trabalhador à superexploração econômica no período do plantio. D) submete o trabalhador temporário a boas condições de trabalho e de vida. (Palhares, V. L. Questão 1042. Geografia. Banco de Itens da SEEMG. BH: DAVE/SEEMG, 2007)>>
  • 89. De acordo com a medida provisória 534, que inclui na chamada “Lei do Bem” os computadores portáteis tipo prancheta, conhecidos como tablets, a indústria será incentivada a produzir os equipamentos em território nacional. Para isso, algumas medidas adotadas serão: • 1. pelo menos 20% dos insumos usados na fabricação dos tablets em território nacional deverão ter origem brasileira; • 2. Haverá uma redução gradativa de importação dos tablets; • 3. Serão aumentados, ano a ano, os percentuais de componentes produzidos no Brasil; • 4. As empresas brasileiras serão obrigadas a garantir a qualidade dos produtos, além de adotar medidas para geração de empregos no país; • 5. Haverá tabelamento de preço determinado pelo governo, estipulando um valor mínimo e um valor máximo para os tablets, de acordo com as especificidades de cada produto As alternativas incorretas são: A) 2,3 e 4 B) 1,2 e 3 C) 3, 4 e 5 D) somente a 1 E) 4 e 5
  • 91. O movimento migratório ilegal mantém redes ilegais no mundo todo. Porque: A ilegalidade é combatida com leis rígidas nos países desenvolvidos. Sobre essas duas afirmativas, é correto afirmar que A) as duas são verdadeiras, e a segunda é uma justificativa correta da primeira. B) as duas são verdadeiras, mas não estabelecem relação entre si. C) a primeira é uma afirmativa falsa; e a segunda, verdadeira. D) a primeira é uma afirmativa verdadeira; e a segunda, falsa. (Silva, R. E. D. Ps da. Questão 1056. Geografia. Banco de Itens da SEEMG. BH: DAVE/SEEMG, 2007)
  • 92. Os estudos confirmam uma clara tendência, no médio e no longo prazos, para a diversificação da matriz energética brasileira. Porque: A cana-de-açúcar e seus derivados deverão ser a segunda fonte de energia mais importante, inferior apenas à participação do petróleo e seus derivados. Sobre essas duas afirmativas, é correto afirmar que A) a primeira é uma afirmativa verdadeira; e a segunda, falsa. B) a primeira é uma afirmativa falsa; e a segunda, verdadeira. C) as duas são verdadeiras, mas não estabelecem relação entre si. D) as duas são verdadeiras, e a segunda é uma justificativa correta da primeira.
  • 94. • Na atmosfera primitiva da Terra, predominavam os gases metano, hidrogênio, amoníaco e vapor de água. Admitindo-se a ausência do gás oxigênio nessa época, supõe-se que os primeiros seres vivos eram ______________________. Após o surgimento dos organismos ___________________ no ambiente, a atmosfera passou a ter gás oxigênio livre em sua composição química, permitindo o aparecimento dos seres ______________________. Em sequência as palavras que completam corretamente essas lacunas são: A) aeróbicos, fotossintetizantes, anaeróbicos. B) aeróbicos, heterótrofos, anaeróbicos. C) anaeróbicos, fotossintetizantes, aeróbicos. D) anaeróbicos, fermentadores, aeróbicos. (Santos, J. de A. Questão 1036. Biologia. Banco de Itens da SEEMG. BH: DAVE/SEEMG, 2007)
  • 96.
  • 97.
  • 98. • A) Não, pois a faixa etária acima dos 18 anos é aquela responsável pela disseminação da violência urbana nas grandes cidades brasileiras; • B) Não, pois o crescimento do número de crianças e adolescentes que trabalham diminui o risco de sua exposição aos perigos da rua; • C) Sim, pois ambos se associam ao mesmo contexto de problemas socioeconômicos e culturais vigentes no país; • D) Sim, pois o crescimento do trabalho infantil no Brasil faz crescer o número de crianças envolvidas com o crime organizado; • E) Ambos abordam temas diferentes e não é possível estabelecer relação mesmo que indireta entre eles.
  • 100. Considere as referências abaixo acerca dos conceitos de constituição: I. Constituição no sentido lógico-jurídico. II. Constituição no sentido jurídico-positivo III. Constituição como decisão política fundamental Faça a correlação com as referências a seguir: A) Significa a norma fundamental hipotética. B) A constituição é dimensionada como decisão global e fundamental advinda da unidade política, e identificável pelo núcleo de matérias que lhe são próprias e inerentes. C) Equivale à norma positiva suprema.
  • 101. • Dentre as alternativas abaixo, marque aquela que expressa a relação correta entre as referências acima: • A) I-C; II-A; III-B • B) I-A; II-B; III-C • C) I-A; II-C; III-B • D) I-B; II-C; III-A • E) I-B; II-A; III-C
  • 103. • O processo de poluição global é desencadeado por etapas. Com base na indicação dos termos a seguir, preencha os quadros na ordem seqüencial em que ocorrem as etapas. 1. Degradação ambiental. 2. Pressão demográfica. 3. Industrialização / expansão urbana. 4. Emissão de poluentes A seqüência correta em que ocorre o processo é A) 1, 2, 3, 4. B) 3, 2, 4, 1. C) 1, 3, 4, 2. D) 4, 3, 2, 1.
  • 105. Considere as seguintes afirmações a) A propaganda tem como um de seus objetivos aumentar as vendas; b) A publicidade tem como uma de suas desvantagens a maior credibilidade dada pelo consumidor; c) Quando os recursos para investir em comunicação são escassos uma alternativa é enfatizar o papel da força de vendas como responsável por promover a marca e os produtos de uma empresa; d) O composto de comunicação em marketing é formado pela PROPAGANDA, PUBLICIDADE, FORÇA DE VENDAS, PROMOÇÃO DE VENDAS e PRODUTO Marque com um X a sequencia que avalia corretamente as afirmações como verdadeiras (V) ou falsas (F): I – V,V,V,V II – F,V,V,F III - V,F,V,F IV – V,V,F,V V- F,F,V,V
  • 106. Vícios na formulação das questões Enunciado incompleto ou com a contextualização inadequada (vale apenas o que é enunciado e não o que o aluno “já deveria saber”); Enunciado solto e direto, com pergunta do tipo “O que é isso?”; Uso de expressões desnecessárias para a compreensão e cuja presença confunde os alunos; Redação de enunciados e alternativas com explicações confusas ou faltando elementos;
  • 107. Vícios na formulação das questões Comando de resposta que não expressa, claramente, para o aluno o que se exige dele; Vinculação entre alternativas, ou seja, para se compreender uma informação contida na alternativa (B) o aluno tem que voltar ao referido na alternativa (A); Falseamento de afirmações forçado pela inclusão de termos de negação como “não”, “tudo”, “todas”, “geralmente”, “apenas”, entre outros;
  • 108. Vícios na formulação das questões • Repetição de uma mesma forma de enunciado; • Inadequação do tipo de questão ao conteúdo e habilidade; • Distratores obviamente errados ou sem poder para discriminar os que sabem daqueles que não sabem; • Presença de mais de uma alternativa correta; • Repetição de termos, expressões e palavras em todas as alternativas.
  • 109.
  • 110.
  • 111.
  • 112. Atividade - Grid para construção de Objetivos • Vá até o AVA e abra a ferramenta GRID para planejamento • Esta ferramenta permite planejar e controlar o alcance dos objetivos da disciplina • Você deve preencher os objetivos, os conteúdos e identificar para quais objetivos o conteúdo está contribuindo. • Existe uma limitação de caracteres para que a planilha não fique tão extensa • A primeira planilha é de orientação • A segunda contém um exemplo que você pode editar e entregar como uma das atividades do curso
  • 113. Chegamos ao fim da Unidade I. Esperamos que tenham gostado e que o conteúdo possa ser útil para planejar suas atividades e melhorar suas avaliações