SlideShare uma empresa Scribd logo
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
(...) As adaptações curriculares constituem
possibilidades educacionais de atuar frente
as dificuldades de aprendizagem dos
alunos.
Pressupõe que se realize adaptação do
currículo regular, quando necessário, para
torná-lo apropriado as peculiaridades dos
alunos com n.e.e. Não um novo currículo,
mas um currículo dinâmico, alterável,
passível de ampliação, para que atenda
realmente a todos os educadores.
As adequações curriculares implicam a planificação
pedagógica e ações docentes em critérios que definem:




  • O que os alunos devem aprender;
  • Como e quando aprender;
  • Que formas de organização do ensino são mais
    eficientes para o processo de aprendizagem;
  • Como e quando avaliar o aluno.
Sugestões para que cada escola construa,
possibilidades educacionais a partir das necessidades
de seus alunos:

Para que os alunos n.e.e possam participar integralmente e em ambiente
rico de oportunidades que favoreçam a aprendizagem é preciso
considerar:
A preparação e dedicação da equipe educacional e dos professores;
Apoio e recursos especializados quando forem necessários.
Adaptações curriculares de acesso ao currículo.

As decisões curriculares de vem envolver a equipe da escola ( professor
da sala de aula, direção, supervisão e orientação educacional e o
professor do AEE ) para realizar a avaliação, a identificação das
necessidades espaciais e providenciar apoio correspondente para o
professor e o aluno.
Níveis de Adaptações
Curriculares
• No âmbito do Projeto Político Pedagógico - focalizar,
  principalmente, a organização escolar e os serviços de apoio.
• No currículo desenvolvido na sala de aula – Focalizar a
  organização e os procedimentos didáticos – pedagógicos e
  destacar o como fazer, a organização temporal dos
  componentes e dos conteúdos curriculares de modo que
  favorece a efetiva participação, integração e aprendizagem do
  aluno.
• No nível individual – focalizam a atuação do professor da sala de
  aula e do A.E.E, na avaliação e o atendimento do aluno, que
  farão a definição do nível de competência curricular do
  educando e a identificação dos fatores que interferem no
  processo ensino – aprendizagem.
As adaptações tem o currículo regular como
          referencia considerando:

• A real necessidade dessas adaptações;
• Avaliação do nível de competência curricular do
  aluno;
• Respeito ao caráter processual permitindo
  alterações constantes.
Adaptações de conteúdos e avaliação:

• Adequar os objetivos, conteúdos e critérios de avaliação, o
  que implica modificar os objetivos, considerando as
  condições do aluno em relação aos colegas da turma;
• Mudar a temporalidade dos objetivos, conteúdos e critérios
  de avaliação;
• Mudar a temporalidade das disciplinas do curso, série ou ciclo
  ou seja, cursar menos disciplina no ano letivo estendendo o
  período de duração do curso, série ou ciclo que frequenta;
• A supressão dos conteúdos e objetivos da programação não
  devem causar prejuízos para a escolarização e promoção
  acadêmica.
Considerações...

• A educação infantil deve assegurar o A.E.E.
• O professor do A.E.E juntamente com o professor da
  sala de aula comum devem elaborar os Planos de
  Estudos adequados ao desenvolvimento do aluno que
  deve ser o guia a ser implementado descrevendo as
  competências a serem desenvolvidas e os resultados
  que se espera alcançar, que deverá ser acompanhado
  do parecer descritivo.
• A avaliação da aprendizagem do aluno também deve
  ser realizada pela equipe pedagógica da escola.
Adequações organizativas têm um caráter facilitador
     do processo educativo e dizem respeito:

       • Ao tipo de agrupamento de alunos;
       • À organização didática da aula;
       • À organização dos períodos definidos
         para o desenvolvimento das atividades
         previstas.
As adequações relativas aos objetivos e
         conteúdos dizem respeito:

• A priorização de conteúdos que garantam funcionalidade e que sejam
   essenciais e instrumentais para as aprendizagens posteriores.
  Ex: habilidade de leitura, escrita, cálculos...
• À priorização de objetivos que enfatizam a capacidade e habilidades
   básicas de atenção, adaptabilidade, participação.
   Ex: habilidades sociais, de trabalho em equipe de persistência na
tarefa...
• À sequenciação pormenorizada de conteúdos que requeiram processos
   gradativos de menor á maior complexidade das tarefas, atendendo á
   sequência de passos, à ordenação da aprendizagem;
• Ao reforço da aprendizagem e à retomada de
  determinados conteúdos para garantir o seu
  domínio e a sua consolidação.
• À eliminação de conteúdos menos relevantes,
  secundários para dar enfoque mais intensivo e
  prolongado a conteúdos considerados básicos e
  essenciais ao currículo.
Adequações avaliativas dizem respeito à seleção
  de técnicas e instrumentos para avaliar o aluno:

• À alteração nos métodos definidos para o ensino dos
  conteúdos curriculares;
• À seleção de um método mais acessível para o aluno;
• À introdução de atividades complementares que requeiram
  habilidades diferentes ou a fixação e consolidação de
  conhecimentos já ministrados;
• À introdução de atividades prévias que preparam o aluno
  para novas aprendizagens;
• À introdução de atividades alternativas;
• À alternação do nível de abstração, oferecendo recursos de
  apoio;
• À alternação do nível de complexidade – simplificação da
  atividade.
Adequações curriculares significativas, relativas:




•    Aos objetivos;
•    Aos conteúdos;
•    Á organização;
•    À avaliação;
•    À temporalidade.
Adequações relativas aos objetivos sugerem decisões que modificam
   significativamente o planejamento quanto aos objetivos definidos:




• Eliminação dos objetivos básicos;
• Introdução dos objetivos
  específicos alternativos; (não
  previsto aos demais alunos)
• Introdução de objetivos
  específicos complementares; (
  não previsto aos demais alunos)
Adequações relativas aos conteúdos básicos e
            essências ao currículo:


• Introdução de novos conteúdos não
  previstos aos demais alunos, mas
  essenciais para alguns alunos;
• Eliminação de conteúdos que embora
  essenciais no currículo, sejam inviáveis
  de aquisição por parte do aluno.
Adaptação relativas à metodologia são consideradas
significativas quando implicam uma modificação expressiva
           no planejamento e na atuação docente:




 • À introdução de métodos muitos específicos;
 • Às alterações nos procedimentos didáticos;
 • À organização significativa diferenciada da sala de aula.
Adaptações na avaliação:

As adequações significativas na avaliação estão vinculadas às
alterações nos objetivos e conteúdos que foram acrescidos ou
eliminados.

Adaptações significativas na temporalidade:

Referem-se ao ajuste temporal possível para que o aluno
adquira conhecimento e habilidades que estão ao seu alcance,
mas que dependem do ritmo próprio ou do repertorio anterior
que esteja indispensável para novas aprendizagens.
Níveis de adequações curriculares:



• No âmbito do projeto político pedagógico;
• No currículo desenvolvido na sala de aula;
• No nível individual.
Novo Nível do Projeto Político Pedagógico
        Exemplos de Algumas Ações

• A escola flexibiliza os critérios e os procedimentos
  pedagógicos levando em conta a diversidade dos seus
  alunos;
• O contexto escolar permite discussões e propicia
  medidas diferenciadas na metodologia, avaliação e
  promoção;
• Diversificação de técnicas, procedimentos e estratégias
  de ensino e aprendizagem;
• Identificação e avaliação diagnóstica do aluno com
  N.E.E, com apoio de outros setores;
• Elabora objetivos gerais levando em conta a diversidade
  a diversidade dos alunos.
Adequações relativas ao currículo na sala de
          aula (realizadas pelo professor)

•   Relação professor aluno;
•   Relações entre colegas;
•   Agrupamento dos alunos;
•   Cooperatividade;
•   Organização especial em sala de aula;
•   Seleção, adequação e a utilização dos recursos materiais,
    equipamentos e mobiliário de modo que favoreça a aprendizagem de
    todos;
•   Organização do tempo considerando os serviços de apoio ao aluno e o
    respeito ao ritmo próprio de aprendizagem e desempenho de cada
    um;
•   Avaliação flexível;
•   Metodologia, atividades e procedimentos de ensino de acordo com a
    necessidade do aluno;
•   Atividades diversificadas adequadas de modo que atendam ás
    peculiaridades individuais e grupais na sala de aula.
Sugestões que favoreçam o acesso ao Currículo


•   Agrupar os alunos de maneira que facilite a realização de
    atividades em grupo e incentive a comunicação
•   Propiciar ambientes com adequada luminosidade,
    sonoridade e movimentação;
•   Encorajar, estimular e reforçar a comunicação, a
    participação, o sucesso, a iniciativa e o desempenho do
    aluno.
•   Adaptar materiais escritos de uso comum: destacar alguns
    aspectos que necessitam ser aprendidos com cores,
    desenhos traços, cobrir partes que possam desviar a
    atenção do aluno.
• Incluir desenhos, gráficos que ajudem na compreensão:
  destacar imagens; modificar conteúdos de material escrito
  de modo a torna-lo mais acessível à compreensão;
• Providenciar adaptação de instrumentos de avaliação e de
  ensino-aprendizagem;
• Favorecer o processo comunicativo entre aluno-aluno,
  aluno-professor, aluno-adulto.
• Providenciar softwares educativos;
• Despertar motivação, atenção e interesse dos alunos;
• Apoiar o uso dos materiais de ensino aprendizagem de uso
  comum;
• Atuar para eliminar sentimentos de inferioridade, menos
  valia e fracasso.
Adaptações metodológicas e didáticas

• Situar os alunos nos grupos com os quais melhor trabalha;
• Adotar métodos e técnicas de ensino e aprendizagem especificas para
  o aluno na operacionalização dos conteúdos curriculares sem prejuízo
  para as atividades;
• Utilizar técnicas, procedimentos e instrumentos de avaliação distintos
  da classe, quando necessário sem alterar os objetivos da avaliação;
• Introduzir atividades individuais complementares para o aluno
  alcançar os objetivos comuns aos demais colegas. Estas atividades
  podem se realizar na sala de aula ou em atendimento de apoio.
• Eliminar atividades que não beneficiem o aluno ou que lhe restrinja
  uma participação ativa ou real ou ainda que esteja impossibilitado de
  executar;
• Substituir objetos que o aluno, em razão de sua preferência, não
  consiga realizar por outros acessíveis, significativos e básicos para o
  aluno.
Adequações conteúdos curriculares e no
         processo avaliativo

• Adequar os objetivos conteúdos e critérios de avaliação o
  que implica modificar objetivos considerando as condições
  do aluno em relação aos demais colegas da turma.
• Priorizar determinados objetivos, conteúdos e critérios de
  avaliação. Essa priorização implica em abandonar os
  objetivos definidos para o grupo, mas acrescentar outros
  mais concernentes com as necessidades educacionais de
  cada aluno.
• Mudar a temporalidade dos objetivos, conteúdos e
  critérios de avaliação (o aluno com N.E.E poderá alcançar
  os mesmos objetivos do grupo mesmo que requeira um
  tempo maior para isso)
• Introduzir conteúdos, objetivos e critérios de avaliação. O
  acréscimo de objetivos, conteúdos e critérios de avaliação não
  pressupõe a eliminação ou redução dos elementos constantes
  do currículo regular desenvolvido pelo aluno;
• Eliminar conteúdos, objetivos e critérios de avaliação,
  definidos para o aluno em razão de suas deficiências ou
  limitações pessoais. A supressão destes conteúdos e objetivos
  da programação educacional regular não deve causar prejuízo
  para a sua escolarização e promoção acadêmica. Deve
  considerar, rigorosamente, o significado dos conteúdos e
  habilitados, ou seja, se são básicas, fundamentais para sua
  aprendizagem e pré-requisitos para aprendizagem
  posteriores.
As medidas de adequações curriculares devem
considerar os seguintes aspectos, dentre outros:


• Ser precedida de uma criteriosa avaliação do
  aluno, considerando, a sua competência
  acadêmica;
• Fundamentar-se na análise do contexto escolar e
  familiar, que favoreça a identificação dos
  elementos      adaptativos     necessários  que
  possibilitem as alterações indicadas;
• Contar com a participação da equipe docente e
  técnica da sala de escola e com o apoio de uma
  equipe multidisciplinar;
• Promover o registro documental das medidas
  adaptativas adotadas, para integrar o acervo
  documental do aluno;
• Evitar as programações individuais sejam
  definidas, organizadas e realizadas com prejuízo
  para o aluno, ou seja, para seu desempenho,
  promoção escolar e socialização;
• Adotar critérios para evitar adequações
  curriculares que impliquem na supressão de
  conteúdos      significativos  (quantitativos    e
  qualitativos),bem como a eliminação de disciplinas
  ou de áreas curriculares completas.
Quando relacionado ao aluno com N.E.E,
   processo avaliativo de vê focalizar:

• Os aspectos do desenvolvimento (biológico, intelectual,
  motor, emocional, social, comunicação e linguagem);
• O nível de competência curricular (capacidade do aluno em
  relação aos conteúdos curriculares anteriores e os a serem
  desenvolvidos);
• O estilo de aprendizagem (motivação, capacidade de
  atenção, interesses acadêmicos, estratégias próprias de
  aprendizagem, tipos preferenciais de agrupamento que
  facilitam a aprendizagem e condições físico-ambientais
  mais favoráveis para aprender).
“SE REALMENTE QUEREMOS QUE ALGUÉM
FAÇA PARTE DAS NOSSAS VIDAS FAREMOS O
QUE FOR PRECISO PARA RECEBER ESSA
PESSOA E ACOMODAR SUAS NECESSIDADES”.
FOREST, 1988.
REFERÊNCIAS:
• PARECER Nº 56/2006-CED
• RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 2/2001
SABERES E PRATICAS DA EDUCAÇÃO
INCLUSIVA
• UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO-RJ

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Braile - Como tratar deficientes visuais corretamente
Braile - Como tratar deficientes visuais corretamenteBraile - Como tratar deficientes visuais corretamente
Braile - Como tratar deficientes visuais corretamente
Maryanne Monteiro
 
Flexibilizações curriculares
Flexibilizações curricularesFlexibilizações curriculares
Flexibilizações curriculares
rejane1966
 
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Secretaria de Educação e Cultura - SEMEC aAcari
 
Sala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos MultifuncionaisSala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos Multifuncionais
Instituto Consciência GO
 
Ensino Especial
Ensino EspecialEnsino Especial
Ensino Especial
Margarete Macedo
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
Heilane Santos
 
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualEstrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Paula Aparecida Alve Alves
 
Deficiência física
Deficiência físicaDeficiência física
Deficiência física
yurigadelha
 
Inclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilInclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação Infantil
Lucas Silva
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Dirce Cristiane Camilotti
 
Adequação curricular ec 303
Adequação curricular ec 303Adequação curricular ec 303
Adequação curricular ec 303
sedf
 
Desenho universal para a aprendizagem
Desenho universal para a aprendizagemDesenho universal para a aprendizagem
Desenho universal para a aprendizagem
Nelson Santos
 
Metas 15, 16 e 17 do pne cópia
Metas 15, 16 e 17 do pne   cópiaMetas 15, 16 e 17 do pne   cópia
Metas 15, 16 e 17 do pne cópia
Fábio Goulart
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
Edilene Sampaio
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
Thaisduarte
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
Almeida Emilene Santos
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricular
Anaí Peña
 
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Fabio Oliveira
 
Deficiência Visual
Deficiência VisualDeficiência Visual
Deficiência Visual
cefaidreguaianases
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializado
Simone Dias
 

Mais procurados (20)

Braile - Como tratar deficientes visuais corretamente
Braile - Como tratar deficientes visuais corretamenteBraile - Como tratar deficientes visuais corretamente
Braile - Como tratar deficientes visuais corretamente
 
Flexibilizações curriculares
Flexibilizações curricularesFlexibilizações curriculares
Flexibilizações curriculares
 
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
 
Sala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos MultifuncionaisSala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos Multifuncionais
 
Ensino Especial
Ensino EspecialEnsino Especial
Ensino Especial
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualEstrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
 
Deficiência física
Deficiência físicaDeficiência física
Deficiência física
 
Inclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilInclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação Infantil
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
Adequação curricular ec 303
Adequação curricular ec 303Adequação curricular ec 303
Adequação curricular ec 303
 
Desenho universal para a aprendizagem
Desenho universal para a aprendizagemDesenho universal para a aprendizagem
Desenho universal para a aprendizagem
 
Metas 15, 16 e 17 do pne cópia
Metas 15, 16 e 17 do pne   cópiaMetas 15, 16 e 17 do pne   cópia
Metas 15, 16 e 17 do pne cópia
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricular
 
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
Aee aspectos legais_orientacoes_pedagogicas1
 
Deficiência Visual
Deficiência VisualDeficiência Visual
Deficiência Visual
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializado
 

Semelhante a Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02

Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Centro Neurológico de Teresópolis
 
Adaptação Curricular na Inclusão so aluno com NEE na escolapptx
Adaptação Curricular na Inclusão so aluno com NEE na escolapptxAdaptação Curricular na Inclusão so aluno com NEE na escolapptx
Adaptação Curricular na Inclusão so aluno com NEE na escolapptx
WilsonGomes53
 
Educação especial escola inclusiva slides
Educação especial  escola inclusiva slidesEducação especial  escola inclusiva slides
Educação especial escola inclusiva slides
gindri
 
Orientações Pedagógicas: Deficiências
Orientações Pedagógicas: Deficiências Orientações Pedagógicas: Deficiências
Orientações Pedagógicas: Deficiências
Jardeane Fontenele
 
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudosConteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
AnaClaudia252604
 
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.pptPPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
Tati Borlote Varanda
 
plano-de-ensino-adaptado.doc
plano-de-ensino-adaptado.docplano-de-ensino-adaptado.doc
plano-de-ensino-adaptado.doc
MARLENE791457
 
Plano-de-Ensino-Adaptado. Para alunos com Medidas de Apoio s
Plano-de-Ensino-Adaptado. Para alunos com Medidas de Apoio sPlano-de-Ensino-Adaptado. Para alunos com Medidas de Apoio s
Plano-de-Ensino-Adaptado. Para alunos com Medidas de Apoio s
MariaElizabethChaves
 
O planejamento escolar
O planejamento escolarO planejamento escolar
O planejamento escolar
Silvia Silveira
 
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docxPrograma-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
MaxLuisEspinosa
 
Ajustes curriculares
Ajustes curricularesAjustes curriculares
Ajustes curriculares
lucia ferreira
 
Apresentação 2 planejamento
Apresentação 2   planejamentoApresentação 2   planejamento
Apresentação 2 planejamento
Lídia Lourinho
 
Edu Inclusiva Maristela
Edu Inclusiva MaristelaEdu Inclusiva Maristela
Edu Inclusiva Maristela
profavaleriaflora
 
Ações educacionais de promoção à competência em informação
Ações educacionais de promoção à competência em informaçãoAções educacionais de promoção à competência em informação
Ações educacionais de promoção à competência em informação
Elisabeth Dudziak
 
Coordenação 17.04
Coordenação 17.04Coordenação 17.04
Coordenação 17.04
edpedag
 
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolarSupervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
francinethmedeiros
 
Plano de aula: prática esquecida pelo professor?
Plano de aula: prática esquecida pelo professor?Plano de aula: prática esquecida pelo professor?
Plano de aula: prática esquecida pelo professor?
Valeria Rios
 
Plano de aula seminario
Plano de aula seminarioPlano de aula seminario
Plano de aula seminario
Tatiane
 
Adequações curriculares
Adequações curricularesAdequações curriculares
Adequações curriculares
genarui
 
Metodologias do Ensino Superior.pdf
Metodologias do Ensino Superior.pdfMetodologias do Ensino Superior.pdf
Metodologias do Ensino Superior.pdf
ManoelCarlosdeOlivei3
 

Semelhante a Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02 (20)

Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
 
Adaptação Curricular na Inclusão so aluno com NEE na escolapptx
Adaptação Curricular na Inclusão so aluno com NEE na escolapptxAdaptação Curricular na Inclusão so aluno com NEE na escolapptx
Adaptação Curricular na Inclusão so aluno com NEE na escolapptx
 
Educação especial escola inclusiva slides
Educação especial  escola inclusiva slidesEducação especial  escola inclusiva slides
Educação especial escola inclusiva slides
 
Orientações Pedagógicas: Deficiências
Orientações Pedagógicas: Deficiências Orientações Pedagógicas: Deficiências
Orientações Pedagógicas: Deficiências
 
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudosConteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
Conteúdos sobre a disciplina de orientação de estudos
 
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.pptPPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
 
plano-de-ensino-adaptado.doc
plano-de-ensino-adaptado.docplano-de-ensino-adaptado.doc
plano-de-ensino-adaptado.doc
 
Plano-de-Ensino-Adaptado. Para alunos com Medidas de Apoio s
Plano-de-Ensino-Adaptado. Para alunos com Medidas de Apoio sPlano-de-Ensino-Adaptado. Para alunos com Medidas de Apoio s
Plano-de-Ensino-Adaptado. Para alunos com Medidas de Apoio s
 
O planejamento escolar
O planejamento escolarO planejamento escolar
O planejamento escolar
 
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docxPrograma-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
 
Ajustes curriculares
Ajustes curricularesAjustes curriculares
Ajustes curriculares
 
Apresentação 2 planejamento
Apresentação 2   planejamentoApresentação 2   planejamento
Apresentação 2 planejamento
 
Edu Inclusiva Maristela
Edu Inclusiva MaristelaEdu Inclusiva Maristela
Edu Inclusiva Maristela
 
Ações educacionais de promoção à competência em informação
Ações educacionais de promoção à competência em informaçãoAções educacionais de promoção à competência em informação
Ações educacionais de promoção à competência em informação
 
Coordenação 17.04
Coordenação 17.04Coordenação 17.04
Coordenação 17.04
 
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolarSupervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
 
Plano de aula: prática esquecida pelo professor?
Plano de aula: prática esquecida pelo professor?Plano de aula: prática esquecida pelo professor?
Plano de aula: prática esquecida pelo professor?
 
Plano de aula seminario
Plano de aula seminarioPlano de aula seminario
Plano de aula seminario
 
Adequações curriculares
Adequações curricularesAdequações curriculares
Adequações curriculares
 
Metodologias do Ensino Superior.pdf
Metodologias do Ensino Superior.pdfMetodologias do Ensino Superior.pdf
Metodologias do Ensino Superior.pdf
 

Mais de sedf

Curso de-tarot-nivel-iniciante-para-relacionamentos
Curso de-tarot-nivel-iniciante-para-relacionamentosCurso de-tarot-nivel-iniciante-para-relacionamentos
Curso de-tarot-nivel-iniciante-para-relacionamentos
sedf
 
Adequaçao de temporalidade modelo de ata
Adequaçao de temporalidade   modelo de ataAdequaçao de temporalidade   modelo de ata
Adequaçao de temporalidade modelo de ata
sedf
 
70% dos adultos brasileiros não conseguem aplicar
70% dos adultos brasileiros não conseguem aplicar70% dos adultos brasileiros não conseguem aplicar
70% dos adultos brasileiros não conseguem aplicar
sedf
 
Atraso cognitivo
Atraso cognitivoAtraso cognitivo
Atraso cognitivo
sedf
 
Alfabetizacao guia didatico
Alfabetizacao guia didaticoAlfabetizacao guia didatico
Alfabetizacao guia didatico
sedf
 
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02
sedf
 
A subjetivação do deficiente no interior da escola
A subjetivação do deficiente no interior da escolaA subjetivação do deficiente no interior da escola
A subjetivação do deficiente no interior da escola
sedf
 
A escola dos bichos
A escola dos bichosA escola dos bichos
A escola dos bichos
sedf
 
A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educacao da cr anormal
A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educacao da cr anormalA defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educacao da cr anormal
A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educacao da cr anormal
sedf
 
Alfabeto dos animais
Alfabeto dos animaisAlfabeto dos animais
Alfabeto dos animais
sedf
 
dificuldade de aprendizagem
dificuldade de aprendizagemdificuldade de aprendizagem
dificuldade de aprendizagem
sedf
 
Behavorismo
BehavorismoBehavorismo
Behavorismo
sedf
 
Adequação curricular estudo 2
Adequação curricular estudo 2Adequação curricular estudo 2
Adequação curricular estudo 2
sedf
 
Adcurricgdf
AdcurricgdfAdcurricgdf
Adcurricgdf
sedf
 
Adaptacoes de acesso_ao_curriculo_modulo_ii
Adaptacoes de acesso_ao_curriculo_modulo_iiAdaptacoes de acesso_ao_curriculo_modulo_ii
Adaptacoes de acesso_ao_curriculo_modulo_ii
sedf
 
A maior qualidade do bambu é o vazio interior
A maior qualidade do bambu é o vazio interiorA maior qualidade do bambu é o vazio interior
A maior qualidade do bambu é o vazio interior
sedf
 
Abordabem
AbordabemAbordabem
Abordabem
sedf
 
A luz
A luzA luz
A luz
sedf
 
A história do homem que não se irritava
A história do homem que não se irritavaA história do homem que não se irritava
A história do homem que não se irritava
sedf
 
áGua e envelhecimento
áGua e envelhecimentoáGua e envelhecimento
áGua e envelhecimento
sedf
 

Mais de sedf (20)

Curso de-tarot-nivel-iniciante-para-relacionamentos
Curso de-tarot-nivel-iniciante-para-relacionamentosCurso de-tarot-nivel-iniciante-para-relacionamentos
Curso de-tarot-nivel-iniciante-para-relacionamentos
 
Adequaçao de temporalidade modelo de ata
Adequaçao de temporalidade   modelo de ataAdequaçao de temporalidade   modelo de ata
Adequaçao de temporalidade modelo de ata
 
70% dos adultos brasileiros não conseguem aplicar
70% dos adultos brasileiros não conseguem aplicar70% dos adultos brasileiros não conseguem aplicar
70% dos adultos brasileiros não conseguem aplicar
 
Atraso cognitivo
Atraso cognitivoAtraso cognitivo
Atraso cognitivo
 
Alfabetizacao guia didatico
Alfabetizacao guia didaticoAlfabetizacao guia didatico
Alfabetizacao guia didatico
 
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02
 
A subjetivação do deficiente no interior da escola
A subjetivação do deficiente no interior da escolaA subjetivação do deficiente no interior da escola
A subjetivação do deficiente no interior da escola
 
A escola dos bichos
A escola dos bichosA escola dos bichos
A escola dos bichos
 
A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educacao da cr anormal
A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educacao da cr anormalA defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educacao da cr anormal
A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educacao da cr anormal
 
Alfabeto dos animais
Alfabeto dos animaisAlfabeto dos animais
Alfabeto dos animais
 
dificuldade de aprendizagem
dificuldade de aprendizagemdificuldade de aprendizagem
dificuldade de aprendizagem
 
Behavorismo
BehavorismoBehavorismo
Behavorismo
 
Adequação curricular estudo 2
Adequação curricular estudo 2Adequação curricular estudo 2
Adequação curricular estudo 2
 
Adcurricgdf
AdcurricgdfAdcurricgdf
Adcurricgdf
 
Adaptacoes de acesso_ao_curriculo_modulo_ii
Adaptacoes de acesso_ao_curriculo_modulo_iiAdaptacoes de acesso_ao_curriculo_modulo_ii
Adaptacoes de acesso_ao_curriculo_modulo_ii
 
A maior qualidade do bambu é o vazio interior
A maior qualidade do bambu é o vazio interiorA maior qualidade do bambu é o vazio interior
A maior qualidade do bambu é o vazio interior
 
Abordabem
AbordabemAbordabem
Abordabem
 
A luz
A luzA luz
A luz
 
A história do homem que não se irritava
A história do homem que não se irritavaA história do homem que não se irritava
A história do homem que não se irritava
 
áGua e envelhecimento
áGua e envelhecimentoáGua e envelhecimento
áGua e envelhecimento
 

Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02

  • 3. (...) As adaptações curriculares constituem possibilidades educacionais de atuar frente as dificuldades de aprendizagem dos alunos. Pressupõe que se realize adaptação do currículo regular, quando necessário, para torná-lo apropriado as peculiaridades dos alunos com n.e.e. Não um novo currículo, mas um currículo dinâmico, alterável, passível de ampliação, para que atenda realmente a todos os educadores.
  • 4. As adequações curriculares implicam a planificação pedagógica e ações docentes em critérios que definem: • O que os alunos devem aprender; • Como e quando aprender; • Que formas de organização do ensino são mais eficientes para o processo de aprendizagem; • Como e quando avaliar o aluno.
  • 5. Sugestões para que cada escola construa, possibilidades educacionais a partir das necessidades de seus alunos: Para que os alunos n.e.e possam participar integralmente e em ambiente rico de oportunidades que favoreçam a aprendizagem é preciso considerar: A preparação e dedicação da equipe educacional e dos professores; Apoio e recursos especializados quando forem necessários. Adaptações curriculares de acesso ao currículo. As decisões curriculares de vem envolver a equipe da escola ( professor da sala de aula, direção, supervisão e orientação educacional e o professor do AEE ) para realizar a avaliação, a identificação das necessidades espaciais e providenciar apoio correspondente para o professor e o aluno.
  • 7. • No âmbito do Projeto Político Pedagógico - focalizar, principalmente, a organização escolar e os serviços de apoio. • No currículo desenvolvido na sala de aula – Focalizar a organização e os procedimentos didáticos – pedagógicos e destacar o como fazer, a organização temporal dos componentes e dos conteúdos curriculares de modo que favorece a efetiva participação, integração e aprendizagem do aluno. • No nível individual – focalizam a atuação do professor da sala de aula e do A.E.E, na avaliação e o atendimento do aluno, que farão a definição do nível de competência curricular do educando e a identificação dos fatores que interferem no processo ensino – aprendizagem.
  • 8. As adaptações tem o currículo regular como referencia considerando: • A real necessidade dessas adaptações; • Avaliação do nível de competência curricular do aluno; • Respeito ao caráter processual permitindo alterações constantes.
  • 9. Adaptações de conteúdos e avaliação: • Adequar os objetivos, conteúdos e critérios de avaliação, o que implica modificar os objetivos, considerando as condições do aluno em relação aos colegas da turma; • Mudar a temporalidade dos objetivos, conteúdos e critérios de avaliação; • Mudar a temporalidade das disciplinas do curso, série ou ciclo ou seja, cursar menos disciplina no ano letivo estendendo o período de duração do curso, série ou ciclo que frequenta; • A supressão dos conteúdos e objetivos da programação não devem causar prejuízos para a escolarização e promoção acadêmica.
  • 10. Considerações... • A educação infantil deve assegurar o A.E.E. • O professor do A.E.E juntamente com o professor da sala de aula comum devem elaborar os Planos de Estudos adequados ao desenvolvimento do aluno que deve ser o guia a ser implementado descrevendo as competências a serem desenvolvidas e os resultados que se espera alcançar, que deverá ser acompanhado do parecer descritivo. • A avaliação da aprendizagem do aluno também deve ser realizada pela equipe pedagógica da escola.
  • 11. Adequações organizativas têm um caráter facilitador do processo educativo e dizem respeito: • Ao tipo de agrupamento de alunos; • À organização didática da aula; • À organização dos períodos definidos para o desenvolvimento das atividades previstas.
  • 12. As adequações relativas aos objetivos e conteúdos dizem respeito: • A priorização de conteúdos que garantam funcionalidade e que sejam essenciais e instrumentais para as aprendizagens posteriores. Ex: habilidade de leitura, escrita, cálculos... • À priorização de objetivos que enfatizam a capacidade e habilidades básicas de atenção, adaptabilidade, participação. Ex: habilidades sociais, de trabalho em equipe de persistência na tarefa... • À sequenciação pormenorizada de conteúdos que requeiram processos gradativos de menor á maior complexidade das tarefas, atendendo á sequência de passos, à ordenação da aprendizagem;
  • 13. • Ao reforço da aprendizagem e à retomada de determinados conteúdos para garantir o seu domínio e a sua consolidação. • À eliminação de conteúdos menos relevantes, secundários para dar enfoque mais intensivo e prolongado a conteúdos considerados básicos e essenciais ao currículo.
  • 14. Adequações avaliativas dizem respeito à seleção de técnicas e instrumentos para avaliar o aluno: • À alteração nos métodos definidos para o ensino dos conteúdos curriculares; • À seleção de um método mais acessível para o aluno; • À introdução de atividades complementares que requeiram habilidades diferentes ou a fixação e consolidação de conhecimentos já ministrados; • À introdução de atividades prévias que preparam o aluno para novas aprendizagens; • À introdução de atividades alternativas; • À alternação do nível de abstração, oferecendo recursos de apoio; • À alternação do nível de complexidade – simplificação da atividade.
  • 15. Adequações curriculares significativas, relativas: • Aos objetivos; • Aos conteúdos; • Á organização; • À avaliação; • À temporalidade.
  • 16. Adequações relativas aos objetivos sugerem decisões que modificam significativamente o planejamento quanto aos objetivos definidos: • Eliminação dos objetivos básicos; • Introdução dos objetivos específicos alternativos; (não previsto aos demais alunos) • Introdução de objetivos específicos complementares; ( não previsto aos demais alunos)
  • 17. Adequações relativas aos conteúdos básicos e essências ao currículo: • Introdução de novos conteúdos não previstos aos demais alunos, mas essenciais para alguns alunos; • Eliminação de conteúdos que embora essenciais no currículo, sejam inviáveis de aquisição por parte do aluno.
  • 18. Adaptação relativas à metodologia são consideradas significativas quando implicam uma modificação expressiva no planejamento e na atuação docente: • À introdução de métodos muitos específicos; • Às alterações nos procedimentos didáticos; • À organização significativa diferenciada da sala de aula.
  • 19. Adaptações na avaliação: As adequações significativas na avaliação estão vinculadas às alterações nos objetivos e conteúdos que foram acrescidos ou eliminados. Adaptações significativas na temporalidade: Referem-se ao ajuste temporal possível para que o aluno adquira conhecimento e habilidades que estão ao seu alcance, mas que dependem do ritmo próprio ou do repertorio anterior que esteja indispensável para novas aprendizagens.
  • 20. Níveis de adequações curriculares: • No âmbito do projeto político pedagógico; • No currículo desenvolvido na sala de aula; • No nível individual.
  • 21. Novo Nível do Projeto Político Pedagógico Exemplos de Algumas Ações • A escola flexibiliza os critérios e os procedimentos pedagógicos levando em conta a diversidade dos seus alunos; • O contexto escolar permite discussões e propicia medidas diferenciadas na metodologia, avaliação e promoção; • Diversificação de técnicas, procedimentos e estratégias de ensino e aprendizagem; • Identificação e avaliação diagnóstica do aluno com N.E.E, com apoio de outros setores; • Elabora objetivos gerais levando em conta a diversidade a diversidade dos alunos.
  • 22. Adequações relativas ao currículo na sala de aula (realizadas pelo professor) • Relação professor aluno; • Relações entre colegas; • Agrupamento dos alunos; • Cooperatividade; • Organização especial em sala de aula; • Seleção, adequação e a utilização dos recursos materiais, equipamentos e mobiliário de modo que favoreça a aprendizagem de todos; • Organização do tempo considerando os serviços de apoio ao aluno e o respeito ao ritmo próprio de aprendizagem e desempenho de cada um; • Avaliação flexível; • Metodologia, atividades e procedimentos de ensino de acordo com a necessidade do aluno; • Atividades diversificadas adequadas de modo que atendam ás peculiaridades individuais e grupais na sala de aula.
  • 23. Sugestões que favoreçam o acesso ao Currículo • Agrupar os alunos de maneira que facilite a realização de atividades em grupo e incentive a comunicação • Propiciar ambientes com adequada luminosidade, sonoridade e movimentação; • Encorajar, estimular e reforçar a comunicação, a participação, o sucesso, a iniciativa e o desempenho do aluno. • Adaptar materiais escritos de uso comum: destacar alguns aspectos que necessitam ser aprendidos com cores, desenhos traços, cobrir partes que possam desviar a atenção do aluno.
  • 24. • Incluir desenhos, gráficos que ajudem na compreensão: destacar imagens; modificar conteúdos de material escrito de modo a torna-lo mais acessível à compreensão; • Providenciar adaptação de instrumentos de avaliação e de ensino-aprendizagem; • Favorecer o processo comunicativo entre aluno-aluno, aluno-professor, aluno-adulto. • Providenciar softwares educativos; • Despertar motivação, atenção e interesse dos alunos; • Apoiar o uso dos materiais de ensino aprendizagem de uso comum; • Atuar para eliminar sentimentos de inferioridade, menos valia e fracasso.
  • 25. Adaptações metodológicas e didáticas • Situar os alunos nos grupos com os quais melhor trabalha; • Adotar métodos e técnicas de ensino e aprendizagem especificas para o aluno na operacionalização dos conteúdos curriculares sem prejuízo para as atividades; • Utilizar técnicas, procedimentos e instrumentos de avaliação distintos da classe, quando necessário sem alterar os objetivos da avaliação; • Introduzir atividades individuais complementares para o aluno alcançar os objetivos comuns aos demais colegas. Estas atividades podem se realizar na sala de aula ou em atendimento de apoio. • Eliminar atividades que não beneficiem o aluno ou que lhe restrinja uma participação ativa ou real ou ainda que esteja impossibilitado de executar; • Substituir objetos que o aluno, em razão de sua preferência, não consiga realizar por outros acessíveis, significativos e básicos para o aluno.
  • 26. Adequações conteúdos curriculares e no processo avaliativo • Adequar os objetivos conteúdos e critérios de avaliação o que implica modificar objetivos considerando as condições do aluno em relação aos demais colegas da turma. • Priorizar determinados objetivos, conteúdos e critérios de avaliação. Essa priorização implica em abandonar os objetivos definidos para o grupo, mas acrescentar outros mais concernentes com as necessidades educacionais de cada aluno. • Mudar a temporalidade dos objetivos, conteúdos e critérios de avaliação (o aluno com N.E.E poderá alcançar os mesmos objetivos do grupo mesmo que requeira um tempo maior para isso)
  • 27. • Introduzir conteúdos, objetivos e critérios de avaliação. O acréscimo de objetivos, conteúdos e critérios de avaliação não pressupõe a eliminação ou redução dos elementos constantes do currículo regular desenvolvido pelo aluno; • Eliminar conteúdos, objetivos e critérios de avaliação, definidos para o aluno em razão de suas deficiências ou limitações pessoais. A supressão destes conteúdos e objetivos da programação educacional regular não deve causar prejuízo para a sua escolarização e promoção acadêmica. Deve considerar, rigorosamente, o significado dos conteúdos e habilitados, ou seja, se são básicas, fundamentais para sua aprendizagem e pré-requisitos para aprendizagem posteriores.
  • 28. As medidas de adequações curriculares devem considerar os seguintes aspectos, dentre outros: • Ser precedida de uma criteriosa avaliação do aluno, considerando, a sua competência acadêmica; • Fundamentar-se na análise do contexto escolar e familiar, que favoreça a identificação dos elementos adaptativos necessários que possibilitem as alterações indicadas; • Contar com a participação da equipe docente e técnica da sala de escola e com o apoio de uma equipe multidisciplinar;
  • 29. • Promover o registro documental das medidas adaptativas adotadas, para integrar o acervo documental do aluno; • Evitar as programações individuais sejam definidas, organizadas e realizadas com prejuízo para o aluno, ou seja, para seu desempenho, promoção escolar e socialização; • Adotar critérios para evitar adequações curriculares que impliquem na supressão de conteúdos significativos (quantitativos e qualitativos),bem como a eliminação de disciplinas ou de áreas curriculares completas.
  • 30. Quando relacionado ao aluno com N.E.E, processo avaliativo de vê focalizar: • Os aspectos do desenvolvimento (biológico, intelectual, motor, emocional, social, comunicação e linguagem); • O nível de competência curricular (capacidade do aluno em relação aos conteúdos curriculares anteriores e os a serem desenvolvidos); • O estilo de aprendizagem (motivação, capacidade de atenção, interesses acadêmicos, estratégias próprias de aprendizagem, tipos preferenciais de agrupamento que facilitam a aprendizagem e condições físico-ambientais mais favoráveis para aprender).
  • 31. “SE REALMENTE QUEREMOS QUE ALGUÉM FAÇA PARTE DAS NOSSAS VIDAS FAREMOS O QUE FOR PRECISO PARA RECEBER ESSA PESSOA E ACOMODAR SUAS NECESSIDADES”. FOREST, 1988.
  • 32. REFERÊNCIAS: • PARECER Nº 56/2006-CED • RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 2/2001 SABERES E PRATICAS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA • UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO-RJ