SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Proposição de Práticas Inovadoras para o Ensino Médio e
Fundamental Anos Finais
Dirigente Regional de Ensino: Vera Lúcia Miranda
Supervisor: Marco Antônio Carvalho
PCNPs:
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO DE SUZANO
“Nenhum de nós é
tão bom quanto todos
nós juntos!”
". Equipe é assim: quando um se
destaca, todos se destacam; quando um
não está bem, a equipe também não
está. Não há espaços para
individualismos. Somos uma receita de
bolo.”
Ray Kroc
Fragmentos
01
“Toda a colaboração é um processo emergente, marcado pela
imprevisibilidade e
recheado de negociações e decisões (Grey, referido por Stewart,
1997). Neste processo,
é fundamental que os participantes manifestem abertura no modo
como se relacionam
uns com os outros, dispondo-se a um contínuo dar e receber,
assumindo uma responsabilização conjunta pela orientação do
trabalho e sendo capazes de construir soluções para os problemas
no respeito pelas diferenças e particularidades individuais.”
TEXTO: Investigação colaborativa: Potencialidades e problemas1
Ana Maria Boavida
Escola Superior de Educação de Setúbal
João Pedro da Ponte
Universidade de Lisboa
“...Friesen (1997), sugere três interessantes metáforas para a colaboração que,
no
seu entender, ilustram bem a natureza dos processos subjacentes. Na perspectiva
deste
autor, a colaboração pode ser vista como um jogo, como uma conversação e como
uma
luta. A ideia de jogo aponta para a existência de um objectivo comum e para a
necessidade do estabelecimento de regras partilhadas, com as correspondentes
oportunidades de aprendizagem. A ideia de conversação sugere reciprocidade e
diálogo entre os participantes, sublinhando o carácter não-prescritivo e não-
hierárquico do seu relacionamento. A noção de luta sublinha que a colaboração é
um empreendimento recheado de dificuldades e imprevistos, envolvendo muitos
obstáculos e frustrações, onde o sucesso nunca está assegurado mas depende,
acima de tudo, dos respectivos intervenientes.”
TEXTO: Investigação colaborativa: Potencialidades e problemas1
Ana Maria Boavida
Escola Superior de Educação de Setúbal
João Pedro da Ponte
Universidade de Lisboa
Fragmento 02
“Articulador do projeto pedagógico, formador do corpo docente,
transformador do ambiente escolar. Em sua função plena, o coordenador
pedagógico se assemelha a um regente: conduz a orquestra com gestos
claros e instiga um intenso senso de união entre seus pares. Mas a
realidade nas escolas brasileiras ainda desafina.(...)A formação docente,
que deveria estar no centro de suas funções de articulador, é relegada a
segundo plano pela falta de tempo e planejamento. (...) Os resultados de
avaliações externas pressionam por resultados imediatos do trabalho
cotidiano, que muitas vezes precisa ser regido em outro tempo. E o modelo
de gestão escolar, se não é descentralizado, gera inevitáveis desgastes com
a direção da escola. Coordenadores pedagógicos e especialistas em
educação descortinam esses cenários e propõem possíveis caminhos de
escape para essa panela não explodir. A conclusão é a de que, com diálogo,
trabalho em equipe e clareza de funções, é possível, sim, afinar a
orquestra.”
TEXTO:
Capa/Coordenador Pedagógico | Edição 216_ abril 2015 “Os 4 principais desafios do
coordenador pedagógico”
Fragmento 03
“...Para a professora (Vera Placco, professora da pós-graduação em
psicologia da educação na PUC-SP e uma das organizadoras da coleção O
coordenador pedagógico (Editora Loyola),o fato de as demandas do
próprio sistema de educação, dos diretores, dos pais e alunos serem
diferentes acaba contribuindo para desviar o coordenador de sua função
original. "Uma escola tem sempre urgências, e o coordenador pedagógico
acaba solicitado nesses momentos. Há um descompasso muito grande, com
demandas contraditórias", afirma. A falta de clareza do próprio
coordenador sobre suas responsabilidades ajuda a acentuar o desvio de
sua prática profissional. "A própria não formação faz com que, às vezes, o
coordenador não tenha certeza de como desempenhar seu papel. Ele não
se sente seguro e acaba se dedicando a outras tarefas"
TEXTO:
Capa/Coordenador Pedagógico | Edição 216_ abril 2015 “Os 4 principais
desafios do coordenador pedagógico”
Fragmento 04
Proposição de Práticas Inovadoras para o Ensino
Médio
Parceria
Dados
Desejos e necessidades reais...
Matrícula por Série -2014 -SP
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=4850-educacao-obrigatoria-4
17anos&Itemid=30192
Caminhando ao encontro da Aprendizagem
6º ano
Língua Portuguesa
Quem é o aluno
do 6º ano?
Parceria
Dados
Desejos e necessidades reais...
Fonte de pesquisa
 http://porvir.org/7-caminhos-para-dar-sentido-ao-ensino-medio/
 http://www.qedu.org.br/brasil
 Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.
 Censo Escolar Estado de São paulo – Informe 2014.
 http://porvir.org/7-caminhos-para-dar-sentido-ao-ensino-medio/
 http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=4
850-educacao-obrigatoria-4 17anos&Itemid=30192
 Coordenador Pedagógico | Edição 216_ abril 2015 “Os 4 principais desafios do
coordenador pedagógico”
 Investigação colaborativa: Potencialidades e problemas Ana Maria Boavida
Escola Superior de Educação de Setúbal/ João Pedro da Ponte Universidade de
Lisboa
 Os desafios do Coordenador Pedagógico. Silvana Augusto é formadora do
Instituto Avisa Lá e professora do Instituto Superior de Ensino Vera Cruz, em
São Paulo
 Currículo Linguagens - SEE/SP

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Encontro pedagógico
Encontro pedagógicoEncontro pedagógico
Encontro pedagógicoMagda Marques
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula mtolentino1507
 
Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2Joao Balbi
 
1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de pais1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de paisColmanetti
 
Formação para os Professores Pedagogia da Presença e Quatro Pilares da Educação
Formação para os Professores Pedagogia da Presença e Quatro Pilares da EducaçãoFormação para os Professores Pedagogia da Presença e Quatro Pilares da Educação
Formação para os Professores Pedagogia da Presença e Quatro Pilares da EducaçãoSandraRombi
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolarJoao Balbi
 
Trabalho coletivo - Trabalho de Equipe, Cooperação, Colaboração como elemento...
Trabalho coletivo - Trabalho de Equipe, Cooperação, Colaboração como elemento...Trabalho coletivo - Trabalho de Equipe, Cooperação, Colaboração como elemento...
Trabalho coletivo - Trabalho de Equipe, Cooperação, Colaboração como elemento...Anaí Peña
 
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021 Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021 muni2014
 
Pauta htpc 08 de fevereiro 2012
Pauta htpc 08 de fevereiro 2012Pauta htpc 08 de fevereiro 2012
Pauta htpc 08 de fevereiro 2012Nethy Marques
 
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxPLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxssuser6c03a6
 

Mais procurados (20)

Reunião de pais
Reunião de paisReunião de pais
Reunião de pais
 
Encontro pedagógico
Encontro pedagógicoEncontro pedagógico
Encontro pedagógico
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aulaGestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
 
Reunião de pais
Reunião de paisReunião de pais
Reunião de pais
 
Ppt avaliação
Ppt avaliaçãoPpt avaliação
Ppt avaliação
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
 
Ficha de conselho de classe
Ficha de conselho de classeFicha de conselho de classe
Ficha de conselho de classe
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
 
Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2
 
Planejamento pedagógico
Planejamento pedagógicoPlanejamento pedagógico
Planejamento pedagógico
 
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
Plano de ação pedagógica 2009   anandreiaPlano de ação pedagógica 2009   anandreia
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
 
1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de pais1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de pais
 
Formação para os Professores Pedagogia da Presença e Quatro Pilares da Educação
Formação para os Professores Pedagogia da Presença e Quatro Pilares da EducaçãoFormação para os Professores Pedagogia da Presença e Quatro Pilares da Educação
Formação para os Professores Pedagogia da Presença e Quatro Pilares da Educação
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
 
Trabalho coletivo - Trabalho de Equipe, Cooperação, Colaboração como elemento...
Trabalho coletivo - Trabalho de Equipe, Cooperação, Colaboração como elemento...Trabalho coletivo - Trabalho de Equipe, Cooperação, Colaboração como elemento...
Trabalho coletivo - Trabalho de Equipe, Cooperação, Colaboração como elemento...
 
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021 Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
 
Pauta htpc 08 de fevereiro 2012
Pauta htpc 08 de fevereiro 2012Pauta htpc 08 de fevereiro 2012
Pauta htpc 08 de fevereiro 2012
 
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxPLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
 
Pauta
PautaPauta
Pauta
 

Destaque

Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire
Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire
Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire Cirlei Santos
 
Textos reflexivos trabalho em equipe
Textos reflexivos   trabalho em equipeTextos reflexivos   trabalho em equipe
Textos reflexivos trabalho em equipeAlekson Morais
 
1º encontro de professores de matemática 2013 1º dia
1º encontro de professores de matemática 2013   1º dia1º encontro de professores de matemática 2013   1º dia
1º encontro de professores de matemática 2013 1º diaRuanna Guido
 
Teorias pedagógicas ii
Teorias pedagógicas iiTeorias pedagógicas ii
Teorias pedagógicas iiMizael Pereira
 
ABORDAGENS PEDAGOGICAS
ABORDAGENS PEDAGOGICASABORDAGENS PEDAGOGICAS
ABORDAGENS PEDAGOGICASpacobr
 

Destaque (7)

Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire
Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire
Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire
 
Textos reflexivos trabalho em equipe
Textos reflexivos   trabalho em equipeTextos reflexivos   trabalho em equipe
Textos reflexivos trabalho em equipe
 
1º encontro de professores de matemática 2013 1º dia
1º encontro de professores de matemática 2013   1º dia1º encontro de professores de matemática 2013   1º dia
1º encontro de professores de matemática 2013 1º dia
 
Ensinar aprender
Ensinar aprenderEnsinar aprender
Ensinar aprender
 
Teorias pedagógicas ii
Teorias pedagógicas iiTeorias pedagógicas ii
Teorias pedagógicas ii
 
ABORDAGENS PEDAGOGICAS
ABORDAGENS PEDAGOGICASABORDAGENS PEDAGOGICAS
ABORDAGENS PEDAGOGICAS
 
Abordagens de ensino
Abordagens de ensinoAbordagens de ensino
Abordagens de ensino
 

Semelhante a PPT encontro com Professores Coordenadores

SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010
SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010
SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010Doralice Jacinto da Silva
 
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...Eduardo Lopes
 
20 Anos de Formação Contínua de Professores.
20 Anos de Formação Contínua de Professores.20 Anos de Formação Contínua de Professores.
20 Anos de Formação Contínua de Professores.Fernanda Ledesma
 
Os caminhos e descaminhos no cotidiano
Os caminhos e descaminhos no cotidianoOs caminhos e descaminhos no cotidiano
Os caminhos e descaminhos no cotidianogabrielbertoldo
 
Trabalho coordenação i reposição da atividade primeira das 5 perguntas
Trabalho coordenação i reposição da atividade primeira das 5 perguntasTrabalho coordenação i reposição da atividade primeira das 5 perguntas
Trabalho coordenação i reposição da atividade primeira das 5 perguntasHeles Souza
 
Professor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educarProfessor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educarDarlan Campos
 
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?Thiago de Almeida
 
O papel do coordenador pedagógico na formação continuada e em serviço do doce...
O papel do coordenador pedagógico na formação continuada e em serviço do doce...O papel do coordenador pedagógico na formação continuada e em serviço do doce...
O papel do coordenador pedagógico na formação continuada e em serviço do doce...GisleneRodriguesFerr
 
Admescolar e lideranças jan12
Admescolar e lideranças jan12Admescolar e lideranças jan12
Admescolar e lideranças jan12José Matias Alves
 
Same avaliação, monitorização e melhoria das escolas
Same avaliação, monitorização e melhoria das escolasSame avaliação, monitorização e melhoria das escolas
Same avaliação, monitorização e melhoria das escolasJosé Matias Alves
 
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigo
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1ArtigoCONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigo
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigocefaprodematupa
 
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiência
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiênciaO Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiência
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiênciaLOCIMAR MASSALAI
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervençãomoniquests
 
Coordenaçao supervisao liderança
Coordenaçao supervisao liderançaCoordenaçao supervisao liderança
Coordenaçao supervisao liderançaJoão Soares
 

Semelhante a PPT encontro com Professores Coordenadores (20)

SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010
SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010
SUGESTÔES DE TEXTOS PARA ESTUDOS COLETIVOS- 2010
 
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
 
20 Anos de Formação Contínua de Professores.
20 Anos de Formação Contínua de Professores.20 Anos de Formação Contínua de Professores.
20 Anos de Formação Contínua de Professores.
 
Os caminhos e descaminhos no cotidiano
Os caminhos e descaminhos no cotidianoOs caminhos e descaminhos no cotidiano
Os caminhos e descaminhos no cotidiano
 
Trabalho coordenação i reposição da atividade primeira das 5 perguntas
Trabalho coordenação i reposição da atividade primeira das 5 perguntasTrabalho coordenação i reposição da atividade primeira das 5 perguntas
Trabalho coordenação i reposição da atividade primeira das 5 perguntas
 
Professor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educarProfessor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educar
 
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?
 
ATIVIDADES EM SALA DE AULA QUE REALMENTE INCLUEM: COMO O PROFESSOR PODE REAL...
ATIVIDADES EM SALA DE AULA QUE REALMENTE INCLUEM:  COMO O PROFESSOR PODE REAL...ATIVIDADES EM SALA DE AULA QUE REALMENTE INCLUEM:  COMO O PROFESSOR PODE REAL...
ATIVIDADES EM SALA DE AULA QUE REALMENTE INCLUEM: COMO O PROFESSOR PODE REAL...
 
O papel do coordenador pedagógico na formação continuada e em serviço do doce...
O papel do coordenador pedagógico na formação continuada e em serviço do doce...O papel do coordenador pedagógico na formação continuada e em serviço do doce...
O papel do coordenador pedagógico na formação continuada e em serviço do doce...
 
Admescolar e lideranças jan12
Admescolar e lideranças jan12Admescolar e lideranças jan12
Admescolar e lideranças jan12
 
Especialista na educação
Especialista na educaçãoEspecialista na educação
Especialista na educação
 
Same avaliação, monitorização e melhoria das escolas
Same avaliação, monitorização e melhoria das escolasSame avaliação, monitorização e melhoria das escolas
Same avaliação, monitorização e melhoria das escolas
 
INDISCIPLINA
INDISCIPLINAINDISCIPLINA
INDISCIPLINA
 
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigo
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1ArtigoCONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigo
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigo
 
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiência
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiênciaO Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiência
O Orientador Educacional e as Queixas Escolares: relato de experiência
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
 
Encontro técnicos 1
Encontro técnicos 1Encontro técnicos 1
Encontro técnicos 1
 
Gatti, barreto e andré aula 5
Gatti, barreto e andré aula 5Gatti, barreto e andré aula 5
Gatti, barreto e andré aula 5
 
Rotina do coordenador Pedagógico
Rotina do coordenador PedagógicoRotina do coordenador Pedagógico
Rotina do coordenador Pedagógico
 
Coordenaçao supervisao liderança
Coordenaçao supervisao liderançaCoordenaçao supervisao liderança
Coordenaçao supervisao liderança
 

Último

ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxmariiiaaa1290
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxlucivaniaholanda
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 

Último (20)

ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 

PPT encontro com Professores Coordenadores

  • 1. Proposição de Práticas Inovadoras para o Ensino Médio e Fundamental Anos Finais Dirigente Regional de Ensino: Vera Lúcia Miranda Supervisor: Marco Antônio Carvalho PCNPs: SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO DE SUZANO
  • 2. “Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos!”
  • 3. ". Equipe é assim: quando um se destaca, todos se destacam; quando um não está bem, a equipe também não está. Não há espaços para individualismos. Somos uma receita de bolo.” Ray Kroc
  • 4. Fragmentos 01 “Toda a colaboração é um processo emergente, marcado pela imprevisibilidade e recheado de negociações e decisões (Grey, referido por Stewart, 1997). Neste processo, é fundamental que os participantes manifestem abertura no modo como se relacionam uns com os outros, dispondo-se a um contínuo dar e receber, assumindo uma responsabilização conjunta pela orientação do trabalho e sendo capazes de construir soluções para os problemas no respeito pelas diferenças e particularidades individuais.” TEXTO: Investigação colaborativa: Potencialidades e problemas1 Ana Maria Boavida Escola Superior de Educação de Setúbal João Pedro da Ponte Universidade de Lisboa
  • 5. “...Friesen (1997), sugere três interessantes metáforas para a colaboração que, no seu entender, ilustram bem a natureza dos processos subjacentes. Na perspectiva deste autor, a colaboração pode ser vista como um jogo, como uma conversação e como uma luta. A ideia de jogo aponta para a existência de um objectivo comum e para a necessidade do estabelecimento de regras partilhadas, com as correspondentes oportunidades de aprendizagem. A ideia de conversação sugere reciprocidade e diálogo entre os participantes, sublinhando o carácter não-prescritivo e não- hierárquico do seu relacionamento. A noção de luta sublinha que a colaboração é um empreendimento recheado de dificuldades e imprevistos, envolvendo muitos obstáculos e frustrações, onde o sucesso nunca está assegurado mas depende, acima de tudo, dos respectivos intervenientes.” TEXTO: Investigação colaborativa: Potencialidades e problemas1 Ana Maria Boavida Escola Superior de Educação de Setúbal João Pedro da Ponte Universidade de Lisboa Fragmento 02
  • 6. “Articulador do projeto pedagógico, formador do corpo docente, transformador do ambiente escolar. Em sua função plena, o coordenador pedagógico se assemelha a um regente: conduz a orquestra com gestos claros e instiga um intenso senso de união entre seus pares. Mas a realidade nas escolas brasileiras ainda desafina.(...)A formação docente, que deveria estar no centro de suas funções de articulador, é relegada a segundo plano pela falta de tempo e planejamento. (...) Os resultados de avaliações externas pressionam por resultados imediatos do trabalho cotidiano, que muitas vezes precisa ser regido em outro tempo. E o modelo de gestão escolar, se não é descentralizado, gera inevitáveis desgastes com a direção da escola. Coordenadores pedagógicos e especialistas em educação descortinam esses cenários e propõem possíveis caminhos de escape para essa panela não explodir. A conclusão é a de que, com diálogo, trabalho em equipe e clareza de funções, é possível, sim, afinar a orquestra.” TEXTO: Capa/Coordenador Pedagógico | Edição 216_ abril 2015 “Os 4 principais desafios do coordenador pedagógico” Fragmento 03
  • 7. “...Para a professora (Vera Placco, professora da pós-graduação em psicologia da educação na PUC-SP e uma das organizadoras da coleção O coordenador pedagógico (Editora Loyola),o fato de as demandas do próprio sistema de educação, dos diretores, dos pais e alunos serem diferentes acaba contribuindo para desviar o coordenador de sua função original. "Uma escola tem sempre urgências, e o coordenador pedagógico acaba solicitado nesses momentos. Há um descompasso muito grande, com demandas contraditórias", afirma. A falta de clareza do próprio coordenador sobre suas responsabilidades ajuda a acentuar o desvio de sua prática profissional. "A própria não formação faz com que, às vezes, o coordenador não tenha certeza de como desempenhar seu papel. Ele não se sente seguro e acaba se dedicando a outras tarefas" TEXTO: Capa/Coordenador Pedagógico | Edição 216_ abril 2015 “Os 4 principais desafios do coordenador pedagógico” Fragmento 04
  • 8. Proposição de Práticas Inovadoras para o Ensino Médio
  • 11. Matrícula por Série -2014 -SP http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=4850-educacao-obrigatoria-4 17anos&Itemid=30192
  • 12. Caminhando ao encontro da Aprendizagem 6º ano Língua Portuguesa
  • 13. Quem é o aluno do 6º ano?
  • 14.
  • 17. Fonte de pesquisa  http://porvir.org/7-caminhos-para-dar-sentido-ao-ensino-medio/  http://www.qedu.org.br/brasil  Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.  Censo Escolar Estado de São paulo – Informe 2014.  http://porvir.org/7-caminhos-para-dar-sentido-ao-ensino-medio/  http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=4 850-educacao-obrigatoria-4 17anos&Itemid=30192  Coordenador Pedagógico | Edição 216_ abril 2015 “Os 4 principais desafios do coordenador pedagógico”  Investigação colaborativa: Potencialidades e problemas Ana Maria Boavida Escola Superior de Educação de Setúbal/ João Pedro da Ponte Universidade de Lisboa  Os desafios do Coordenador Pedagógico. Silvana Augusto é formadora do Instituto Avisa Lá e professora do Instituto Superior de Ensino Vera Cruz, em São Paulo  Currículo Linguagens - SEE/SP