SlideShare uma empresa Scribd logo
Colégio Estadual
                            Dinah Gonçalves
                  ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO

                              PLANO DE GESTÃO
                                  2009-2011

                                SUMÁRIO

1 – INTRODUÇÃO                                            4

2 - IDENTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA              5

2.1 - Identificação
2.1.1 - Localização
2.1.2 - Atos Legais
2.1.4 - Jurisdição
2.1.5 - Modalidades de Ensino
2.2 - Escola e Comunidade - Caracterização
2.2.1 - Recursos Físicos
2.2.2 - Recursos Técnicos e Pedagógicos
2.2.3 - Recursos Humanos
2.2.4 - A Clientela
2.2.5 - A Comunidade
2.2.6 - Análise do Processo Educacional

3 - OBJETIVOS DA ESCOLA                                   7

4 - METAS E AÇÕES DA ESCOLA                               8

5 - PLANOS DE CURSO - Ensino Fundamental e Ensino Médio   11


6 - PLANOS DE TRABALHO DOS NÚCLEOS                        14


7 - ACOMPANHAMENTO, CONTROLE E AVALIAÇÃO DA PROPOSTA
EDUCACIONAL                                               15
4



1. INTRODUÇÃO.

O Colégio Estadual Dinah Gonçalves, iniciou suas atividades em 17 de janeiro
de 1991, conforme portaria nº 230, tem como princípios básicos, proporcionar
ao educando a consolidação e o aprofundamento dos conhecimentos
adquiridos no ensino fundamental e médio, possibilitando o prosseguimento
dos estudos, bem como o desenvolvimento de suas potencialidades como
elemento de auto-realização, além de prepará-lo para o trabalho e exercício
consciente de cidadania.

O planejamento das atividades escolares é uma necessidade imperiosa, tendo em
vista atingir os resultados da ação educacional previstos na legislação em vigor e
especificamente, na LDB 9394/96. Dessa maneira, as atividades escolares devem
ser objeto de reflexão por parte do coletivo da escola, incluída a comunidade e os
próprios alunos. Dessa reflexão surgirão os caminhos a serem trilhados na ação
educacional, materializados na forma de proposta pedagógica, planos de curso
anuais e o plano de gestão escolar, sendo este elaborado para um período de
consecução mais amplo, de três anos, incluindo todos os dados e informações,
diretrizes e normas de trabalho pedagógico e administrativo.
A Escola é um espaço onde as oportunidades de interação, cooperação e
elaboração do conhecimento devem ser incentivadas para que exista vida renovada
e efetiva aprendizagem. Para isso é necessário uma ação dinâmica e eficaz que
propicie essa elaboração de forma prazerosa, integrando todos os membros da
comunidade escolar.
5



2 - IDENTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA

2.1 - Identificação

Colégio Estadual Dinah Gonçalves

2.1.1 - Localização

Conjunto Engenheiro Antonio Franco, 382. Valéria .Salvador-Ba
Telefone:33018107

2.1.2 - Jurisdição

Diretoria de Ensino – direc 1B

2.1.3 - Modalidades de Ensino:

A Escola oferece cursos de Ensino Fundamental , Classes de Aceleração - Ciclo I
(AC I e AC II) e Ensino Médio , ministrados em horários diferenciados, nos períodos
matutino, vespertino e noturno, em 3 turnos


2.2 - Escola e Comunidade - Caracterização


2.2.1 - Recursos Físicos

O Colégio Estadual Dinah Gonçalves Conta com 10 salas de aula, sala de
professores, sala de secretaria, biblioteca, sala da Direção, sala dos Vice-diretores,
almoxarifado, dispensa, refeitório, cozinha, 4 sanitários, para alunos, administração
e professores, jardins (interno e externo ao prédio) quadra poli-esportiva e áreas
livres .
A maioria das salas é ampla, assim como os corredores . A conservação em geral é
boa, graças ao trabalho de conscientização de alunos e comunidade visando a
preservação do próprio escolar. São muitas as despesas para limpeza, manutenção
e conservação do imóvel, nem sempre havendo recursos financeiros para todas as
intervenções necessárias.


2.2.2 - Recursos Técnicos e Pedagógicos

A Escola se acha relativamente equipada para dar consecução às suas atividades
educacionais. Conta com, 3 aparelhos de televisão e 3 de vídeo, 1 retro-projetor, 4
computadores com impressora (usados somente pela administração), aparelho de
som com acessórios e caixas acústicas, máquina fotográfica, episcópio, fax,
biblioteca com aproximadamente 100 volumes. Possui também material pedagógico
específico (jogos, etc.) . A parte de administração está bem instalada, com mobiliário
e equipamentos adequados ao seu uso. A cozinha conta com os equipamentos
necessários para a consecução de suas atividades. Há ainda equipamentos elétricos
e ferramentas para limpeza e manutenção das instalações.
6



A Escola possui um levantamento esgotante de todos os seus equipamentos,
fazendo parte de seu inventário.


2.2.3 - Recursos Humanos

Oferecendo Ensino Fundamental, Classes de Aceleração e Ensino Médio, a Escola
conta com 75 professores em seu quadro. A administração compõe-se de 1
Secretário, 7 Serventes,2 funcionários administrativos.


2.2.4 - A Clientela

Fazendo parte da comunidade, é fundamental que a Escola conheça o contexto
social de sua vizinhança e da clientela a que serve. Apesar de óbvia, nem sempre
essa percepção é alcançada pelas unidades escolares, muitas vezes absorvidas na
atividade educativa como expressão de um processo burocrático e indefinido.
Conhecer a comunidade em que está inserida (e, portanto, sua clientela), suas
necessidades, potencialidades e expectativas, adequando a elas seu trabalho de
atendimento educacional, é a única forma possível para a Escola atender às suas
finalidades - formar cidadãos, conscientes e capazes, fornecendo, ainda, os
conteúdos e habilidades necessários à sua melhor inserção no ambiente social.
A clientela do Colégio Estadual Dinah Gonçalves não difere das de outras escolas
públicas da periferia de Salvador: carenciada de modo geral, muitas vezes
desnutrida, proveniente de lares desfeitos ou desestruturados pela falta de emprego
ou atividade econômica, alcoolismo e uso de drogas. A delinqüência entre os jovens
é comum e a convivência diária com o crime banaliza a violência e a marginalidade.
Esse contexto transforma nossos alunos em verdadeiros sobreviventes, para os
quais o dia a dia se transforma em batalha pela manutenção da vida e dos poucos
bens materiais de que dispõem. Dentro desse quadro, estudar, para uns, torna-se a
única forma de escapar desse ambiente - e, para outros, uma atividade de rotina,
desvinculada das finalidades que nos levam - direção e docentes - á tarefa diária de
oferecer-lhes as melhores condições possíveis de educação e inserção no ambiente
social.
Nossa Escola conta com dois programas singulares: o de aceleração de estudos e o
Ensino Médio. Ambos procuram atender à defasagem idade/série, característica
muito presente entre nossos alunos.


2.2.5 - A Comunidade

O Colégio Estadual Dinah Gonçalves esta situado no bairro de Valéria região
conhecida e que tem problemas, ligado principalmente ao consumo e tráfico de
drogas, roubos e assassinatos. Há toda uma população pobre, carente e
trabalhadora, convivendo com o crime e a marginalidade e sem outra condição de
moradia a não ser nos arrabaldes da cidade (situação que se repete nas demais
regiões periféricas da metrópole). Residem em habitações com mínimo conforto,
geralmente inacabadas, de alvenaria, ou em barracos de madeira e restos de
construção. A estrutura urbana oferece água encanada em boa parte das casas,
assim como eletricidade. Poucas, porém, usufruem de esgotos públicos, calçamento
7



e iluminação.
Não contando com empresas de grande porte, a população local vê-se obrigada a
grandes deslocamentos diários, em busca de trabalho em outros bairros da Capital,
despendendo nisso muitas horas e grande sacrifício.
 A maioria dos terrenos e imóveis do local, porém, são de invasão, ou seja, foram
cercados ou construídos de maneira irregular ou ilegal. Não há bancos próximos,
apenas pequeno comércio, feito de algumas padarias, botequins, quitandas, lojinhas
e pequenos mercados, dentro do perfil de poder aquisitivo da população local.

A falta de áreas de recreação e lazer adequada para os jovens aprofunda ainda
mais a instabilidade social do bairro pois, aliada à falta de oportunidades de
emprego, canaliza as energias da clientela para a violência e a criminalidade.

A Escola mantém um bom relacionamento com a comunidade; apesar disso, não é
grande a participação da mesma nas atividades regulares Escola, restringindo-se a
um número de pequeno pais mais conscientes e cooperativos.
8



3 Objetivos da Escola
São os seguintes:


 Criar condições para que todos os alunos desenvolvam suas capacidades e
aprendam os conteúdos necessários para a vida em sociedade

Permitir ao aluno exercitar sua cidadania a partir da compreensão da realidade, para
que possa contribuir em sua transformação;

 Buscar novas soluções, criar situações que exijam o máximo de exploração por
parte dos alunos e estimular novas estratégias de compreensão da realidade;
 melhorar a qualidade do ensino, motivando e efetivando a permanência do aluno na
Escola, evitando a evasão;
 Criar mecanismos de participação que traduzam o compromisso de todos na
melhoria da qualidade de ensino e com o aprimoramento do processo pedagógico;
promover a integração escola-comunidade

Atuar no sentido do desenvolvimento humano e social tendo em vista sua função
maior de agente de desenvolvimento cultural e social na comunidade, a par de seu
trabalho educativo.
9



4 - METAS E AÇÕES DA ESCOLA:



São as seguintes as metas e ações da Escola:


Metas Imediatas:

Diminuição dos níveis de evasão escolar:


  Aumento da promoção satisfatório nas 5ª e 6ª séries do Ensino fundamental;
 conscientização e implantação da cidadania e da dimensão política;
  Envolvimento e interação da comunidade, com vistas a uma participação ativa;
  adequação da elevação da qualidade de ensino; unificação de linguagens didáticas;
envolvimento dos docentes com as normas regimentais e disciplinares; diminuição
da evasão nos primeiros anos do Ensino Médio.
   Metas Imediatas alfabetizar em todas as áreas; preparar para a construção do
conhecimento saber respeitar o "próximo", em seus bens materiais e morais, usufruir
dos bens da natureza, minimizando os danos à mesma formar e não apenas
informar dominar os conteúdos básicos programáticos internalizar seu papel como
cidadão do mundo conscientizar sobre a importância da sua contribuição para o bem
estar da comunidade conscientização sobre a importância do estudo para o
crescimento interior e auto-realização formar cidadãos críticos e conscientes
 desenvolvimento das habilidades dos educandos
.

AÇÕES:

  capacitação profissional dos docentes através de palestras, dinâmicas de grupo,
troca de experiências, além de estimulá-los a estar sempre em busca de novos
conhecimentos; projeto recuperação/reforço; implantação de projetos: Prevenção,
Meio ambiente, Conservação do Patrimônio, Sala Ambiente e Sala de Informática;
através de reuniões pedagógicas, conscientizarem os professores da necessidade
de encontrar caminhos adequados e prazerosos para a concretização do processo
ensino-aprendizagem, construindo, dessa forma, um ambiente estimulador e
agradável. Uma pedagogia centrada no aluno e não nos conteúdos; conscientizar os
docentes da importância do trabalho em equipe para obtenção de um funcionamento
integral da Escola, estimulando uma relação de igualdade, respeito e consideração
mútuos; conscientizar os docentes do valor da avaliação como parâmetro diário para
um replanejar constante e não como medida de valor inexorável; conscientizar os
docentes da importância da construção de um currículo adequado ao aluno do
período noturno (ensino Médio); através de reuniões, manter contato direto e
transparente com a comunidade, construindo um relacionamento harmonioso de
forma a que os pais percebam a importância de sua participação para a
concretização de uma Escola de qualidade; implantação do projeto Lar e Família,
conscientizando os pais da sua importância na construção do caráter de seus filhos;
utilização da biblioteca . estudo detalhado dos temas transversais; feira cultural;
avaliar e controlar a qualidade do ensino-aprendizagem; palestras dirigidas aos
10



alunos do período noturno para que os mesmos possam, através de informações
atuais, sentir-se estimulados a freqüentar as aulas, percebendo que os
conhecimentos adquiridos na Escola serão necessários para que possam enfrentar
um mundo globalizado onde a mudança se faz diariamente; administrar, com a
participação de professores, pais, funcionários e direção, as verbas recebidas, de
forma a atingir o objetivo maior que é a construção de uma escola pública de
qualidade.
11



5   PLANOS      DE    CURSOS       -   Ensino     Fundamental      e   Ensino     Médio.

  Ensino Fundamental: O Ensino Fundamental, através de conteúdos, metodologias
e formas de acompanhamento e avaliação visa a que o aluno, ao final, seja capaz
de compreender a cidadania como participação social e política, assim como
exercício de direitos e deveres político, civil e social, adotando, no dia a dia, atitudes
de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outro e exigindo
para si o mesmo respeito; posicionar-se de maneira crítica, responsável e
construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de
mediar conflitos e de tomar decisões coletivas; conhecer características
fundamentais do Brasil nas dimensões sociais, materiais e culturais como meio para
construir progressivamente a noção de identidade nacional e pessoal e o sentimento
de pertinência ao país; conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sócio-
cultural brasileiro, bem como aspectos sócio-culturais de outros povos e nações,
posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de
classe social, crenças, sexo, etnia ou outras características individuais e sociais;
  perceber-se integrante, dependente e agente transformador do ambiente,
identificando seus elementos e as interações entre eles, contribuindo ativamente
para melhoria do meio ambiente; desenvolver o conhecimento ajustado de si mesmo
e o sentimento de confiança em suas capacidades afetiva, física, cognitiva, ética,
estética, de inter-relação pessoal e de inserção social, para agir com perseverança
na busca de conhecimento e no exercício da cidadania;conhecer o próprio corpo e
dele cuidar, valorizando e adotando hábitos saudáveis como um dos aspectos
básicos da qualidade de vida e agindo com responsabilidade em relação a sua
saúde e à saúde coletiva; utilizar as diferentes linguagens - verbal, musical,
matemática, gráfica, plástica e corporal - como meio para produzir, expressar e
comunicar suas idéias, interpretar e usufruir das produções culturais, em contextos
públicos e privados, atendendo a diferentes intenções e situações de comunicação;
- saber utilizar diferentes fontes de informação e recursos tecnológicos para adquirir
e construir conhecimentos; questionar a realidade formulando-se problemas e
tratando de resolve-los, utilizando para isso o pensamento lógico, a criatividade, a
intuição, a capacidade de análise crítica, selecionando procedimentos e verificando
sua adequação. Ensino Médio :
  O Ensino Médio objetiva, através de conteúdos, metodologias e formas de
acompanhamento e avaliação a que o aluno demonstre:domínio dos princípios
científicos e tecnológicos que presidem as modernas formas de produção
conhecimento das formas contemporâneas de linguagem; domínio dos
conhecimentos de ciências humanas e ambientais necessários ao exercício da
cidadania. Integração e Sequência dos Componentes Curriculares do Ensino
Fundamental e Ensino Médio:
 Através da verticalidade e da horizontalidade, haverá a integração e a sequência
dos componentes curriculares do Ensino Fundamental e do Ensino Médio,
abordadas nos planos escolares e com amplas discussões nos planejamentos e
reuniões, sempre com embasamento nas diretrizes traçadas nos Parâmetros
Curriculares Nacionais – PCN.
  Os temas transversais serão trabalhados em todos os Ciclos do Ensino
Fundamental e nas séries do Ensino Médio, favorecendo e complementando a
formação do cidadão e levando à construção do conhecimento, seja em termos de
conteúdos, seja em termos de habilidades.
12



   Carga Horária dos Cursos. Ensino Fundamental 800 horas/ano. Ensino Médio: 800
horas/ano. De acordo com a legislação vigente, os cursos respeitarão a jornada
mínima de 200dias. . Procedimentos para Acompanhamento e Avaliação dos Cursos
Progressão Continuada de Estudos.
    No Ensino Fundamental a Escola adota o regime de Progressão Continuada,
assim entendido aquele em que ao aluno não será retido por aproveitamento, desde
que:
  submeta-se a todos os processos de avaliação; participe das atividades de
recuperação relativas aos componentes em que demonstrar baixo rendimento;
  não ultrapasse os 25%, em faltas injustificadas, do total de horas-aula previsto.
Progressão Parcial de Estudos.
  No Ensino Médio o regime será de progressão parcial para os alunos que após
estudos de recuperação não apresentarem rendimento escolar satisfatório e nas
seguintes condições: o aluno com rendimento insatisfatório em até três disciplinas
será classificado na série subseqüente, devendo submeter-se a estudos paralelos
de recuperação, nas mesmas; o aluno com rendimento insatisfatório em mais de três
disciplinas será classificado na mesma série, ficando dispensado de cursar os
componentes curriculares concluídos com êxito no período letivo anterior.
 Sistema de Avaliação.
    O processo de ensino/aprendizagem será avaliado de forma contínua, cumulativa
e sistemática, visando: diagnosticar e registrar os progressos e dificuldades do aluno
possibilitar que o aluno auto-avalie sua aprendizagem; orientar o aluno quanto aos
esforços necessários para superar as dificuldades; fundamentar as decisões quanto
à necessidade de procedimentos de reforço e recuperação da aprendizagem, de
classificação e reclassificação de alunos;orientar as atividades de planejamento e
replanejamento dos conteúdos curriculares.
  A avaliação envolve observação e análise do conhecimento e de habilidades
específicas adquiridas pelo aluno e também aspectos formativos. Observação de
suas atitudes referentes à presença em aulas, participação nas atividades
pedagógicas e responsabilidade com que o aluno assume o cumprimento de seu
papel de cidadão em formação.
  As avaliações serão feitas bimestralmente, através de provas escritas, trabalhos,
pesquisas e observação direta, sendo que os aspectos qualitativos sempre
prevalecerão sobre os aspectos quantitativos. Os instrumentos de avaliação serão
sempre dois ou mais, sendo um deles uma prova escrita. Os critérios são os
previstos nos objetivos de cada componente curricular e nos objetivos gerais de
formação educacional preconizados pela Escola. Os resultados de avaliações serão
registrados, para cada componente curricular, por meio de sínteses bimestrais e
finais, sendo expressos através das notas.

Os resultados de avaliação serão analisados bimestralmente e no final do ano letivo
em reuniões do Conselho de Classe e Série, para decidir sobre promoção, retenção
ou recuperação de estudos e no final do curso, para decidir sobre a aprovação ou
retenção.
 Promoção será considerado promovido no final do Ciclo II e nas séries do Ensino
Médio, o aluno que tiver rendimento satisfatório em todos os componentes
curriculares; os alunos terão direito a estudos de recuperação em todas as
disciplinas em que o aproveitamento for considerado insatisfatório; as atividades de
recuperação serão realizadas de forma contínua e paralela ao longo do período
13



letivo;concluídas as atividades de recuperação, o professor atribuirá menção relativa
ao componente curricular em referência.
                                                                           Retenção.
 No Ensino Fundamental a Escola adota o regime de Progressão Continuada, assim
entendido aquele em que ao aluno não será retido por aproveitamento no interior do
Ciclo, desde que: submeta-se a todos os processos de avaliação;
  participe das atividades de recuperação relativas aos componentes em que
demonstrar baixo rendimento Controle de Freqüência a Escola fará o controle
sistemático de freqüência dos alunos às atividades escolares através do Diário de
Classe. Bimestralmente, adotará as medidas necessárias para que os alunos
possam compensar ausências que ultrapassem o limite de 20% do total das aulas
dadas ao longo de cada mês letivo; as atividades de compensação de ausências
serão programadas, orientadas e registradas pelo professor da classe ou da
disciplina, com a finalidade de sanar dificuldades de aprendizagem provocadas por
freqüência irregular às aulas; a compensação de ausências não exime a Escola de
adotar as medidas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente, e nem a
família e o próprio aluno de justificar suas faltas;as atividades de compensação de
ausências serão oferecidas aos alunos que tiverem suas faltas justificadas nos
termos da legislação vigente; a compensação de ausências deverá ser requerida
pelos pais ou responsáveis, ou pelo próprio aluno, se maior de idade, no primeiro dia
em que este retornar à Escola; no final do ano, a freqüência será calculada sobre o
total de horas letivas, exigida a freqüência mínima de 75% para promoção; poderá
ser reclassificado o aluno que no período letivo anterior não atingiu a freqüência
mínima exigida Recuperação.
   Os alunos terão direito a estudos de recuperação em todas as disciplinas em que
o aproveitamento for considerado insatisfatório; as atividades de recuperação serão
realizadas de forma contínua e paralela, ao longo do período letivo;
 concluídas as atividades de recuperação, o professor atribuirá menção relativa ao
componente curricular em referência; Classificação.
   A classificação ocorrerá por Progressão Continuada, no Ensino Fundamental, ao
final de cada Série;por promoção, no Ensino Fundamental e ao final de cada Série
ou etapa escolar, para alunos do Ensino Médio, observadas as normas específicas
para cada curso;por transferência, para candidatos de outras escolas do país ou do
exterior;mediante avaliação feita pela Escola, para alunos sem comprovação de
estudos anteriores, observados os critérios de idade e outras exigências específicas
do curso; a critério do Conselho de Classe e Série, o aluno poderá ser submetido a
estudo de adaptação, quando houver discrepância entre os componentes
curriculares desta Escola e da escola de origem.
   Reclassificação A reclassificação do aluno em série mais avançada, tendo como
referência a correspondência idade/série e a avaliação de competência nas matérias
da base nacional comum do currículo, em concordância com a Proposta Pedagógica
da Escola, ocorrerá a partir de: proposta apresentada pelo professor ou professores
do aluno, com base nos resultados de avaliação diagnóstica do da recuperação
intensiva; solicitação do próprio aluno ou seu responsável, mediante requerimento
dirigido ao Diretor da Escola.
    São procedimentos de reclassificação: uma redação em Língua Portuguesa;
  parecer do Conselho de Classe e Série sobre o grau de desenvolvimento e
maturidade do candidato para cursar a série pretendida; parecer incluso do Diretor;
  para o aluno da própria Escola, a reclassificação ocorrerá até o final do primeiro
bimestre letivo e, apara o aluno recebido por transferência ou oriundo de país
14



estrangeiro, em até o final do terceiro bimestre letivo; caberá ao Conselho de Classe
e Série, estabelecer, sempre que necessário, outros procedimentos para: matrícula,
classificação e reclassificação de alunos; adaptação de estudos; avaliação de
competências;aproveitamento de estudos.
15



6 PLANO DE TRABALHO DOS NÚCLEOS:
 Núcleo de Direção Objetivo e Ações.
A Direção da Escola terá sua atuação voltada para: mediação entre o corpo docente
e o discente, para que as propostas pedagógicas e curriculares possam ser
desenvolvidas de forma eficaz; fornecer os meios de para o entrosamento entre a
Escola e a comunidade; trabalhar na criação de condições para que haja um
processo de ensino/aprendizagem adequado à realidade do educando, bem como
adequá-lo às suas necessidades; atuar junto aos Conselhos de Classe e Série,
detectando problemas e auxiliando em possíveis soluções;reuniões pedagógicas
voltadas para a troca de experiências e informações, onde os docentes possam
aproveitar a teoria, aplicando-a no exercício do cotidiano;verificar a regularidade,
variedade e quantidade de merenda fornecida aos alunos;
  Em síntese: desenvolver atividades que garantam o bom funcionamento da Escola,
em todos os segmentos: zelando pela melhor consecução possível da tarefa de toda
a equipe escolar.
 Avaliação.
 Será feita pela equipe escolar, no curso das atividades da Escola. Núcleo Técnico-
Pedagógico Objetivo Geral.
     Acompanhamento e avaliação da Proposta Pedagógica da Escola, incluindo
atividades coletivas de trabalho pedagógico e os projetos de reforço para
recuperação da aprendizagem
Ações.
 Reuniões pedagógicas mensais, onde para exposição dos problemas enfrentados
pelos membros da equipe escolar e leitura de textos de interesse do grupo,
apresentação de atividades práticas que funcionaram bem em sala de aula, seleção
interdisciplinar de textos a serem utilizados nas aulas sobre componentes
curriculares comuns;reuniões de professores de áreas afins, para trabalhar a
multidisciplinaridade ; avaliação do trabalho de grupo, detectando as dificuldades de
cada um, apresentação de cursos de aperfeiçoamento e reciclagem;
  organização de grupos de reforço, selecionando o conteúdo a ser reforçado,
Relacionando os alunos necessitados de reforço e discussão sobre as formas mais
adequadas de se trabalhar com essa clientela específica; organização de festas
escolares, contando com a participação de todos, para que haja envolvimento com
os projetos; promover a união do grupo de professores, melhorando o ambiente e
facilitando o trabalho em equipe; organizar atividades lúdicas, com jogos e
brincadeiras, para incentivar a integração dos alunos; organizar excursões diversas,
com objetivos educativos e recreativos; incentivar a participação da comunidade na
Escola, APM, festas escolares, com o objetivo de melhor integrá-la e promover a
conscientização de que a participação da comunidade é benéfica para o rendimento
dos alunos.
Avaliação.
  Será feita pela equipe escolar, no decorrer do desenvolvimento das atividades da
Escola. Núcleo de Docentes Objetivos elaboração dos Planos de Ensino de acordo
com a Proposta Pedagógica, Plano de Gestão e Plano de Curso da Escola
enfatizando o previsto na LDB 9.394/96, Parâmetros Curriculares Nacionais e
orientações da Secretaria de Educação do Estado; desenvolver as atividades
relacionadas ao processo de ensino/aprendizagem dos alunos; participar das horas
de estudos dentro da Escola (HTPC - Horário de Trabalho Pedagógico Coletivo),
16



visando a consecução da Proposta Pedagógica; dar cumprimento à Proposta
Pedagógica da Escola, tendo em vista a finalidade do Ensino Fundamental e Ensino
Médio: formar cidadãos, fornecendo, ainda conhecimentos e habilidades
necessários à sua mais ampla e efetiva inserção na sociedade; oferecer os
conteúdos necessários à continuidade de estudos, em termos de ensino superior.

                                                                      Ações.
 Reuniões com Direção e Professores Coordenadores para estudo e pesquisa;
 utilização de métodos e de técnicas que incentivem e levem ao aprendizado;
 elaboração e reformulação do Plano Curso e Plano de Ensino, quando necessário;
  proceder ao acompanhamento e avaliação dos alunos, dando prioridade aos
aspectos qualitativos em relação aos quantitativos, em termos de rendimento
escolar.
17



7 ACOMPANHAMENTO,             CONTROLE       E   AVALIAÇÃO       DA    PROPOSTA
EDUCACIONAL

A avaliação incidirá sobre os aspectos pedagógicos, administrativos e financeiros da
atividade escolar, devendo ser realizada através de procedimentos internos,
definidos pela Escola e externos, pelos órgãos supervisores. A avaliação interna,
realizada pelo Conselho de Classe e Série em reuniões especialmente convocadas,
terá como objetivo a análise, orientação e reformulação, se necessário, dos
procedimentos pedagógicos, financeiros e administrativos. Terá como meta o
aprimoramento da qualidade do ensino, sendo sustentada por procedimentos de
observação e registros contínuos, para permitir o acompanhamento sistemático e
contínuo do processo de ensino e do processo de aprendizagem, de acordo com os
objetivos e metas constantes da Proposta Pedagógica e Plano de Gestão; do
desempenho da equipe escolar, dos alunos e dos demais funcionários, nos
diferentes momentos do trabalho educacional; da participação da comunidade
escolar nas atividades propostas pela Escola; A avaliação será anexada ao Plano de
Gestão e ao Plano de Curso, na forma de relatórios, servindo para orientar os
momentos de planejamento da atividade escolar.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de gestão CHAPA 1
Plano de gestão CHAPA 1Plano de gestão CHAPA 1
Plano de gestão CHAPA 1
Andréa Otoni Sales
 
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021 Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
muni2014
 
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
QUEDMA SILVA
 
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
Plano de ação pedagógica 2009   anandreiaPlano de ação pedagógica 2009   anandreia
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
COORDENADORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO VILHENA
 
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa Ano 2013
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa  Ano 2013Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa  Ano 2013
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa Ano 2013
Adilson P Motta Motta
 
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
Antônio Fernandes
 
Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar
LOCIMAR MASSALAI
 
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxPLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
ssuser6c03a6
 
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
LOCIMAR MASSALAI
 
modelo-de-projeto-politico-pedagogico
modelo-de-projeto-politico-pedagogicomodelo-de-projeto-politico-pedagogico
modelo-de-projeto-politico-pedagogico
José Antonio Ferreira da Silva
 
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)
Leandro Balejos
 
Ap. plano de ação
Ap. plano de açãoAp. plano de ação
Ap. plano de ação
aparecidalavagnoli521
 
Pauta
PautaPauta
Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolar
Maryanne Monteiro
 
Projeto familia na escola
Projeto familia na escolaProjeto familia na escola
Projeto familia na escola
Eduardojr-professor
 
Janete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenadorJanete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenador
Nethy Marques
 
Ata pdde 2014
Ata pdde 2014Ata pdde 2014
Rotina escolar
Rotina escolarRotina escolar
Rotina escolar
Anaí Peña
 
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli BorgesReunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
pdescola
 
Plano de Gestão Escolar 2014 e 2015
Plano de Gestão Escolar 2014 e 2015Plano de Gestão Escolar 2014 e 2015
Plano de Gestão Escolar 2014 e 2015
Ana Paula Silva
 

Mais procurados (20)

Plano de gestão CHAPA 1
Plano de gestão CHAPA 1Plano de gestão CHAPA 1
Plano de gestão CHAPA 1
 
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021 Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
 
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
Plano de ação coordenação pedagógica 2013 ec10
 
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
Plano de ação pedagógica 2009   anandreiaPlano de ação pedagógica 2009   anandreia
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
 
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa Ano 2013
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa  Ano 2013Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa  Ano 2013
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa Ano 2013
 
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
 
Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar
 
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxPLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
 
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
 
modelo-de-projeto-politico-pedagogico
modelo-de-projeto-politico-pedagogicomodelo-de-projeto-politico-pedagogico
modelo-de-projeto-politico-pedagogico
 
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)
 
Ap. plano de ação
Ap. plano de açãoAp. plano de ação
Ap. plano de ação
 
Pauta
PautaPauta
Pauta
 
Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolar
 
Projeto familia na escola
Projeto familia na escolaProjeto familia na escola
Projeto familia na escola
 
Janete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenadorJanete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenador
 
Ata pdde 2014
Ata pdde 2014Ata pdde 2014
Ata pdde 2014
 
Rotina escolar
Rotina escolarRotina escolar
Rotina escolar
 
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli BorgesReunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
 
Plano de Gestão Escolar 2014 e 2015
Plano de Gestão Escolar 2014 e 2015Plano de Gestão Escolar 2014 e 2015
Plano de Gestão Escolar 2014 e 2015
 

Semelhante a Plano de gestão feito

Pi reestruturado
Pi reestruturadoPi reestruturado
Pi reestruturado
karfrio
 
Projeto politico pedagogico
Projeto politico pedagogicoProjeto politico pedagogico
Projeto politico pedagogico
Evelise de Araújo
 
Estagio gestão
Estagio gestãoEstagio gestão
Estagio gestão
magrid
 
Ee. santa rita do pontal plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal   plano quadrienalEe. santa rita do pontal   plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal plano quadrienal
brgsto
 
Ee. paulo coelho plano quadrienal
Ee. paulo coelho   plano quadrienalEe. paulo coelho   plano quadrienal
Ee. paulo coelho plano quadrienal
brgsto
 
PLANO DE AÇÃO NA GESTÃO ESCOLAR 2016 a 2018 MARCIO.pdf
PLANO DE AÇÃO NA GESTÃO ESCOLAR 2016 a 2018 MARCIO.pdfPLANO DE AÇÃO NA GESTÃO ESCOLAR 2016 a 2018 MARCIO.pdf
PLANO DE AÇÃO NA GESTÃO ESCOLAR 2016 a 2018 MARCIO.pdf
ElissandraCabral2
 
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
Adilson P Motta Motta
 
Pppneyder2013
Pppneyder2013Pppneyder2013
Pppneyder2013
neydersuelly
 
Joao Rodrigues
Joao RodriguesJoao Rodrigues
Joao Rodrigues
jsilva76
 
o espaço escolar na atualidade
o espaço escolar na atualidadeo espaço escolar na atualidade
o espaço escolar na atualidade
Rhaykaisa
 
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativoRelatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Alessandra Alves
 
Projeto Político Pedagógico - PPP Frei Antonio Sinibaldi
Projeto Político Pedagógico - PPP Frei Antonio SinibaldiProjeto Político Pedagógico - PPP Frei Antonio Sinibaldi
Projeto Político Pedagógico - PPP Frei Antonio Sinibaldi
Adilson P Motta Motta
 
Ppp mundo de_alice
Ppp mundo de_alicePpp mundo de_alice
Ppp mundo de_alice
Jesica Hencke
 
Ppp mundo de_alice
Ppp mundo de_alicePpp mundo de_alice
Ppp mundo de_alice
Jesica Hencke
 
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola professora Dinare Feitosa
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola  professora Dinare Feitosa Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola  professora Dinare Feitosa
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola professora Dinare Feitosa
Adilson P Motta Motta
 
Horta Pedagógica
Horta PedagógicaHorta Pedagógica
Horta Pedagógica
Alexandra Machado Costa
 
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de TaguatingaPPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
Ana Silva
 
Ppp 2014 cee
Ppp 2014 ceePpp 2014 cee
Ppp 2014 cee
heder oliveira silva
 
Ppp 2012 3ª versão com assinaturas
Ppp 2012   3ª versão com assinaturasPpp 2012   3ª versão com assinaturas
Ppp 2012 3ª versão com assinaturas
Marcos Lima
 
Progestão Jb
Progestão JbProgestão Jb
Progestão Jb
maradenize
 

Semelhante a Plano de gestão feito (20)

Pi reestruturado
Pi reestruturadoPi reestruturado
Pi reestruturado
 
Projeto politico pedagogico
Projeto politico pedagogicoProjeto politico pedagogico
Projeto politico pedagogico
 
Estagio gestão
Estagio gestãoEstagio gestão
Estagio gestão
 
Ee. santa rita do pontal plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal   plano quadrienalEe. santa rita do pontal   plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal plano quadrienal
 
Ee. paulo coelho plano quadrienal
Ee. paulo coelho   plano quadrienalEe. paulo coelho   plano quadrienal
Ee. paulo coelho plano quadrienal
 
PLANO DE AÇÃO NA GESTÃO ESCOLAR 2016 a 2018 MARCIO.pdf
PLANO DE AÇÃO NA GESTÃO ESCOLAR 2016 a 2018 MARCIO.pdfPLANO DE AÇÃO NA GESTÃO ESCOLAR 2016 a 2018 MARCIO.pdf
PLANO DE AÇÃO NA GESTÃO ESCOLAR 2016 a 2018 MARCIO.pdf
 
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
 
Pppneyder2013
Pppneyder2013Pppneyder2013
Pppneyder2013
 
Joao Rodrigues
Joao RodriguesJoao Rodrigues
Joao Rodrigues
 
o espaço escolar na atualidade
o espaço escolar na atualidadeo espaço escolar na atualidade
o espaço escolar na atualidade
 
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativoRelatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
 
Projeto Político Pedagógico - PPP Frei Antonio Sinibaldi
Projeto Político Pedagógico - PPP Frei Antonio SinibaldiProjeto Político Pedagógico - PPP Frei Antonio Sinibaldi
Projeto Político Pedagógico - PPP Frei Antonio Sinibaldi
 
Ppp mundo de_alice
Ppp mundo de_alicePpp mundo de_alice
Ppp mundo de_alice
 
Ppp mundo de_alice
Ppp mundo de_alicePpp mundo de_alice
Ppp mundo de_alice
 
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola professora Dinare Feitosa
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola  professora Dinare Feitosa Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola  professora Dinare Feitosa
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola professora Dinare Feitosa
 
Horta Pedagógica
Horta PedagógicaHorta Pedagógica
Horta Pedagógica
 
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de TaguatingaPPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
 
Ppp 2014 cee
Ppp 2014 ceePpp 2014 cee
Ppp 2014 cee
 
Ppp 2012 3ª versão com assinaturas
Ppp 2012   3ª versão com assinaturasPpp 2012   3ª versão com assinaturas
Ppp 2012 3ª versão com assinaturas
 
Progestão Jb
Progestão JbProgestão Jb
Progestão Jb
 

Mais de Antonio Carneiro

Volumes 17122016
Volumes 17122016Volumes 17122016
Volumes 17122016
Antonio Carneiro
 
Sessão de cônicas 17122016
Sessão de cônicas 17122016Sessão de cônicas 17122016
Sessão de cônicas 17122016
Antonio Carneiro
 
Angulos 17122016
Angulos 17122016Angulos 17122016
Angulos 17122016
Antonio Carneiro
 
Estudodareta 17122016
Estudodareta 17122016Estudodareta 17122016
Estudodareta 17122016
Antonio Carneiro
 
Função de 2º grau 17122016
Função de 2º grau 17122016Função de 2º grau 17122016
Função de 2º grau 17122016
Antonio Carneiro
 
Polinomios 17122016
Polinomios 17122016Polinomios 17122016
Polinomios 17122016
Antonio Carneiro
 
Matrizes 17122016
Matrizes 17122016Matrizes 17122016
Matrizes 17122016
Antonio Carneiro
 
Introduomatemticacomercialefinanceira 17122016
Introduomatemticacomercialefinanceira 17122016Introduomatemticacomercialefinanceira 17122016
Introduomatemticacomercialefinanceira 17122016
Antonio Carneiro
 
Matriz
MatrizMatriz
Polinomios
PolinomiosPolinomios
Polinomios
Antonio Carneiro
 
Matrizes
Matrizes Matrizes
Matrizes
Antonio Carneiro
 
Matrizes
MatrizesMatrizes
Ângulo
ÂnguloÂngulo
Função do 2º Grau.
Função do 2º Grau.Função do 2º Grau.
Função do 2º Grau.
Antonio Carneiro
 
Estudo da reta
Estudo da retaEstudo da reta
Estudo da reta
Antonio Carneiro
 
Matemática Comercial e Financeira
 Matemática Comercial e Financeira Matemática Comercial e Financeira
Matemática Comercial e Financeira
Antonio Carneiro
 
Sessões Cônicas
 Sessões Cônicas Sessões Cônicas
Sessões Cônicas
Antonio Carneiro
 
Triângulo
TriânguloTriângulo
Triângulo
Antonio Carneiro
 
Produtos notaveis
Produtos notaveisProdutos notaveis
Produtos notaveis
Antonio Carneiro
 
Função Exponencial
Função ExponencialFunção Exponencial
Função Exponencial
Antonio Carneiro
 

Mais de Antonio Carneiro (20)

Volumes 17122016
Volumes 17122016Volumes 17122016
Volumes 17122016
 
Sessão de cônicas 17122016
Sessão de cônicas 17122016Sessão de cônicas 17122016
Sessão de cônicas 17122016
 
Angulos 17122016
Angulos 17122016Angulos 17122016
Angulos 17122016
 
Estudodareta 17122016
Estudodareta 17122016Estudodareta 17122016
Estudodareta 17122016
 
Função de 2º grau 17122016
Função de 2º grau 17122016Função de 2º grau 17122016
Função de 2º grau 17122016
 
Polinomios 17122016
Polinomios 17122016Polinomios 17122016
Polinomios 17122016
 
Matrizes 17122016
Matrizes 17122016Matrizes 17122016
Matrizes 17122016
 
Introduomatemticacomercialefinanceira 17122016
Introduomatemticacomercialefinanceira 17122016Introduomatemticacomercialefinanceira 17122016
Introduomatemticacomercialefinanceira 17122016
 
Matriz
MatrizMatriz
Matriz
 
Polinomios
PolinomiosPolinomios
Polinomios
 
Matrizes
Matrizes Matrizes
Matrizes
 
Matrizes
MatrizesMatrizes
Matrizes
 
Ângulo
ÂnguloÂngulo
Ângulo
 
Função do 2º Grau.
Função do 2º Grau.Função do 2º Grau.
Função do 2º Grau.
 
Estudo da reta
Estudo da retaEstudo da reta
Estudo da reta
 
Matemática Comercial e Financeira
 Matemática Comercial e Financeira Matemática Comercial e Financeira
Matemática Comercial e Financeira
 
Sessões Cônicas
 Sessões Cônicas Sessões Cônicas
Sessões Cônicas
 
Triângulo
TriânguloTriângulo
Triângulo
 
Produtos notaveis
Produtos notaveisProdutos notaveis
Produtos notaveis
 
Função Exponencial
Função ExponencialFunção Exponencial
Função Exponencial
 

Plano de gestão feito

  • 1. Colégio Estadual Dinah Gonçalves ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO PLANO DE GESTÃO 2009-2011 SUMÁRIO 1 – INTRODUÇÃO 4 2 - IDENTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA 5 2.1 - Identificação 2.1.1 - Localização 2.1.2 - Atos Legais 2.1.4 - Jurisdição 2.1.5 - Modalidades de Ensino 2.2 - Escola e Comunidade - Caracterização 2.2.1 - Recursos Físicos 2.2.2 - Recursos Técnicos e Pedagógicos 2.2.3 - Recursos Humanos 2.2.4 - A Clientela 2.2.5 - A Comunidade 2.2.6 - Análise do Processo Educacional 3 - OBJETIVOS DA ESCOLA 7 4 - METAS E AÇÕES DA ESCOLA 8 5 - PLANOS DE CURSO - Ensino Fundamental e Ensino Médio 11 6 - PLANOS DE TRABALHO DOS NÚCLEOS 14 7 - ACOMPANHAMENTO, CONTROLE E AVALIAÇÃO DA PROPOSTA EDUCACIONAL 15
  • 2. 4 1. INTRODUÇÃO. O Colégio Estadual Dinah Gonçalves, iniciou suas atividades em 17 de janeiro de 1991, conforme portaria nº 230, tem como princípios básicos, proporcionar ao educando a consolidação e o aprofundamento dos conhecimentos adquiridos no ensino fundamental e médio, possibilitando o prosseguimento dos estudos, bem como o desenvolvimento de suas potencialidades como elemento de auto-realização, além de prepará-lo para o trabalho e exercício consciente de cidadania. O planejamento das atividades escolares é uma necessidade imperiosa, tendo em vista atingir os resultados da ação educacional previstos na legislação em vigor e especificamente, na LDB 9394/96. Dessa maneira, as atividades escolares devem ser objeto de reflexão por parte do coletivo da escola, incluída a comunidade e os próprios alunos. Dessa reflexão surgirão os caminhos a serem trilhados na ação educacional, materializados na forma de proposta pedagógica, planos de curso anuais e o plano de gestão escolar, sendo este elaborado para um período de consecução mais amplo, de três anos, incluindo todos os dados e informações, diretrizes e normas de trabalho pedagógico e administrativo. A Escola é um espaço onde as oportunidades de interação, cooperação e elaboração do conhecimento devem ser incentivadas para que exista vida renovada e efetiva aprendizagem. Para isso é necessário uma ação dinâmica e eficaz que propicie essa elaboração de forma prazerosa, integrando todos os membros da comunidade escolar.
  • 3. 5 2 - IDENTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA 2.1 - Identificação Colégio Estadual Dinah Gonçalves 2.1.1 - Localização Conjunto Engenheiro Antonio Franco, 382. Valéria .Salvador-Ba Telefone:33018107 2.1.2 - Jurisdição Diretoria de Ensino – direc 1B 2.1.3 - Modalidades de Ensino: A Escola oferece cursos de Ensino Fundamental , Classes de Aceleração - Ciclo I (AC I e AC II) e Ensino Médio , ministrados em horários diferenciados, nos períodos matutino, vespertino e noturno, em 3 turnos 2.2 - Escola e Comunidade - Caracterização 2.2.1 - Recursos Físicos O Colégio Estadual Dinah Gonçalves Conta com 10 salas de aula, sala de professores, sala de secretaria, biblioteca, sala da Direção, sala dos Vice-diretores, almoxarifado, dispensa, refeitório, cozinha, 4 sanitários, para alunos, administração e professores, jardins (interno e externo ao prédio) quadra poli-esportiva e áreas livres . A maioria das salas é ampla, assim como os corredores . A conservação em geral é boa, graças ao trabalho de conscientização de alunos e comunidade visando a preservação do próprio escolar. São muitas as despesas para limpeza, manutenção e conservação do imóvel, nem sempre havendo recursos financeiros para todas as intervenções necessárias. 2.2.2 - Recursos Técnicos e Pedagógicos A Escola se acha relativamente equipada para dar consecução às suas atividades educacionais. Conta com, 3 aparelhos de televisão e 3 de vídeo, 1 retro-projetor, 4 computadores com impressora (usados somente pela administração), aparelho de som com acessórios e caixas acústicas, máquina fotográfica, episcópio, fax, biblioteca com aproximadamente 100 volumes. Possui também material pedagógico específico (jogos, etc.) . A parte de administração está bem instalada, com mobiliário e equipamentos adequados ao seu uso. A cozinha conta com os equipamentos necessários para a consecução de suas atividades. Há ainda equipamentos elétricos e ferramentas para limpeza e manutenção das instalações.
  • 4. 6 A Escola possui um levantamento esgotante de todos os seus equipamentos, fazendo parte de seu inventário. 2.2.3 - Recursos Humanos Oferecendo Ensino Fundamental, Classes de Aceleração e Ensino Médio, a Escola conta com 75 professores em seu quadro. A administração compõe-se de 1 Secretário, 7 Serventes,2 funcionários administrativos. 2.2.4 - A Clientela Fazendo parte da comunidade, é fundamental que a Escola conheça o contexto social de sua vizinhança e da clientela a que serve. Apesar de óbvia, nem sempre essa percepção é alcançada pelas unidades escolares, muitas vezes absorvidas na atividade educativa como expressão de um processo burocrático e indefinido. Conhecer a comunidade em que está inserida (e, portanto, sua clientela), suas necessidades, potencialidades e expectativas, adequando a elas seu trabalho de atendimento educacional, é a única forma possível para a Escola atender às suas finalidades - formar cidadãos, conscientes e capazes, fornecendo, ainda, os conteúdos e habilidades necessários à sua melhor inserção no ambiente social. A clientela do Colégio Estadual Dinah Gonçalves não difere das de outras escolas públicas da periferia de Salvador: carenciada de modo geral, muitas vezes desnutrida, proveniente de lares desfeitos ou desestruturados pela falta de emprego ou atividade econômica, alcoolismo e uso de drogas. A delinqüência entre os jovens é comum e a convivência diária com o crime banaliza a violência e a marginalidade. Esse contexto transforma nossos alunos em verdadeiros sobreviventes, para os quais o dia a dia se transforma em batalha pela manutenção da vida e dos poucos bens materiais de que dispõem. Dentro desse quadro, estudar, para uns, torna-se a única forma de escapar desse ambiente - e, para outros, uma atividade de rotina, desvinculada das finalidades que nos levam - direção e docentes - á tarefa diária de oferecer-lhes as melhores condições possíveis de educação e inserção no ambiente social. Nossa Escola conta com dois programas singulares: o de aceleração de estudos e o Ensino Médio. Ambos procuram atender à defasagem idade/série, característica muito presente entre nossos alunos. 2.2.5 - A Comunidade O Colégio Estadual Dinah Gonçalves esta situado no bairro de Valéria região conhecida e que tem problemas, ligado principalmente ao consumo e tráfico de drogas, roubos e assassinatos. Há toda uma população pobre, carente e trabalhadora, convivendo com o crime e a marginalidade e sem outra condição de moradia a não ser nos arrabaldes da cidade (situação que se repete nas demais regiões periféricas da metrópole). Residem em habitações com mínimo conforto, geralmente inacabadas, de alvenaria, ou em barracos de madeira e restos de construção. A estrutura urbana oferece água encanada em boa parte das casas, assim como eletricidade. Poucas, porém, usufruem de esgotos públicos, calçamento
  • 5. 7 e iluminação. Não contando com empresas de grande porte, a população local vê-se obrigada a grandes deslocamentos diários, em busca de trabalho em outros bairros da Capital, despendendo nisso muitas horas e grande sacrifício. A maioria dos terrenos e imóveis do local, porém, são de invasão, ou seja, foram cercados ou construídos de maneira irregular ou ilegal. Não há bancos próximos, apenas pequeno comércio, feito de algumas padarias, botequins, quitandas, lojinhas e pequenos mercados, dentro do perfil de poder aquisitivo da população local. A falta de áreas de recreação e lazer adequada para os jovens aprofunda ainda mais a instabilidade social do bairro pois, aliada à falta de oportunidades de emprego, canaliza as energias da clientela para a violência e a criminalidade. A Escola mantém um bom relacionamento com a comunidade; apesar disso, não é grande a participação da mesma nas atividades regulares Escola, restringindo-se a um número de pequeno pais mais conscientes e cooperativos.
  • 6. 8 3 Objetivos da Escola São os seguintes: Criar condições para que todos os alunos desenvolvam suas capacidades e aprendam os conteúdos necessários para a vida em sociedade Permitir ao aluno exercitar sua cidadania a partir da compreensão da realidade, para que possa contribuir em sua transformação; Buscar novas soluções, criar situações que exijam o máximo de exploração por parte dos alunos e estimular novas estratégias de compreensão da realidade; melhorar a qualidade do ensino, motivando e efetivando a permanência do aluno na Escola, evitando a evasão; Criar mecanismos de participação que traduzam o compromisso de todos na melhoria da qualidade de ensino e com o aprimoramento do processo pedagógico; promover a integração escola-comunidade Atuar no sentido do desenvolvimento humano e social tendo em vista sua função maior de agente de desenvolvimento cultural e social na comunidade, a par de seu trabalho educativo.
  • 7. 9 4 - METAS E AÇÕES DA ESCOLA: São as seguintes as metas e ações da Escola: Metas Imediatas: Diminuição dos níveis de evasão escolar: Aumento da promoção satisfatório nas 5ª e 6ª séries do Ensino fundamental; conscientização e implantação da cidadania e da dimensão política; Envolvimento e interação da comunidade, com vistas a uma participação ativa; adequação da elevação da qualidade de ensino; unificação de linguagens didáticas; envolvimento dos docentes com as normas regimentais e disciplinares; diminuição da evasão nos primeiros anos do Ensino Médio. Metas Imediatas alfabetizar em todas as áreas; preparar para a construção do conhecimento saber respeitar o "próximo", em seus bens materiais e morais, usufruir dos bens da natureza, minimizando os danos à mesma formar e não apenas informar dominar os conteúdos básicos programáticos internalizar seu papel como cidadão do mundo conscientizar sobre a importância da sua contribuição para o bem estar da comunidade conscientização sobre a importância do estudo para o crescimento interior e auto-realização formar cidadãos críticos e conscientes desenvolvimento das habilidades dos educandos . AÇÕES: capacitação profissional dos docentes através de palestras, dinâmicas de grupo, troca de experiências, além de estimulá-los a estar sempre em busca de novos conhecimentos; projeto recuperação/reforço; implantação de projetos: Prevenção, Meio ambiente, Conservação do Patrimônio, Sala Ambiente e Sala de Informática; através de reuniões pedagógicas, conscientizarem os professores da necessidade de encontrar caminhos adequados e prazerosos para a concretização do processo ensino-aprendizagem, construindo, dessa forma, um ambiente estimulador e agradável. Uma pedagogia centrada no aluno e não nos conteúdos; conscientizar os docentes da importância do trabalho em equipe para obtenção de um funcionamento integral da Escola, estimulando uma relação de igualdade, respeito e consideração mútuos; conscientizar os docentes do valor da avaliação como parâmetro diário para um replanejar constante e não como medida de valor inexorável; conscientizar os docentes da importância da construção de um currículo adequado ao aluno do período noturno (ensino Médio); através de reuniões, manter contato direto e transparente com a comunidade, construindo um relacionamento harmonioso de forma a que os pais percebam a importância de sua participação para a concretização de uma Escola de qualidade; implantação do projeto Lar e Família, conscientizando os pais da sua importância na construção do caráter de seus filhos; utilização da biblioteca . estudo detalhado dos temas transversais; feira cultural; avaliar e controlar a qualidade do ensino-aprendizagem; palestras dirigidas aos
  • 8. 10 alunos do período noturno para que os mesmos possam, através de informações atuais, sentir-se estimulados a freqüentar as aulas, percebendo que os conhecimentos adquiridos na Escola serão necessários para que possam enfrentar um mundo globalizado onde a mudança se faz diariamente; administrar, com a participação de professores, pais, funcionários e direção, as verbas recebidas, de forma a atingir o objetivo maior que é a construção de uma escola pública de qualidade.
  • 9. 11 5 PLANOS DE CURSOS - Ensino Fundamental e Ensino Médio. Ensino Fundamental: O Ensino Fundamental, através de conteúdos, metodologias e formas de acompanhamento e avaliação visa a que o aluno, ao final, seja capaz de compreender a cidadania como participação social e política, assim como exercício de direitos e deveres político, civil e social, adotando, no dia a dia, atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outro e exigindo para si o mesmo respeito; posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomar decisões coletivas; conhecer características fundamentais do Brasil nas dimensões sociais, materiais e culturais como meio para construir progressivamente a noção de identidade nacional e pessoal e o sentimento de pertinência ao país; conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sócio- cultural brasileiro, bem como aspectos sócio-culturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, crenças, sexo, etnia ou outras características individuais e sociais; perceber-se integrante, dependente e agente transformador do ambiente, identificando seus elementos e as interações entre eles, contribuindo ativamente para melhoria do meio ambiente; desenvolver o conhecimento ajustado de si mesmo e o sentimento de confiança em suas capacidades afetiva, física, cognitiva, ética, estética, de inter-relação pessoal e de inserção social, para agir com perseverança na busca de conhecimento e no exercício da cidadania;conhecer o próprio corpo e dele cuidar, valorizando e adotando hábitos saudáveis como um dos aspectos básicos da qualidade de vida e agindo com responsabilidade em relação a sua saúde e à saúde coletiva; utilizar as diferentes linguagens - verbal, musical, matemática, gráfica, plástica e corporal - como meio para produzir, expressar e comunicar suas idéias, interpretar e usufruir das produções culturais, em contextos públicos e privados, atendendo a diferentes intenções e situações de comunicação; - saber utilizar diferentes fontes de informação e recursos tecnológicos para adquirir e construir conhecimentos; questionar a realidade formulando-se problemas e tratando de resolve-los, utilizando para isso o pensamento lógico, a criatividade, a intuição, a capacidade de análise crítica, selecionando procedimentos e verificando sua adequação. Ensino Médio : O Ensino Médio objetiva, através de conteúdos, metodologias e formas de acompanhamento e avaliação a que o aluno demonstre:domínio dos princípios científicos e tecnológicos que presidem as modernas formas de produção conhecimento das formas contemporâneas de linguagem; domínio dos conhecimentos de ciências humanas e ambientais necessários ao exercício da cidadania. Integração e Sequência dos Componentes Curriculares do Ensino Fundamental e Ensino Médio: Através da verticalidade e da horizontalidade, haverá a integração e a sequência dos componentes curriculares do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, abordadas nos planos escolares e com amplas discussões nos planejamentos e reuniões, sempre com embasamento nas diretrizes traçadas nos Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN. Os temas transversais serão trabalhados em todos os Ciclos do Ensino Fundamental e nas séries do Ensino Médio, favorecendo e complementando a formação do cidadão e levando à construção do conhecimento, seja em termos de conteúdos, seja em termos de habilidades.
  • 10. 12 Carga Horária dos Cursos. Ensino Fundamental 800 horas/ano. Ensino Médio: 800 horas/ano. De acordo com a legislação vigente, os cursos respeitarão a jornada mínima de 200dias. . Procedimentos para Acompanhamento e Avaliação dos Cursos Progressão Continuada de Estudos. No Ensino Fundamental a Escola adota o regime de Progressão Continuada, assim entendido aquele em que ao aluno não será retido por aproveitamento, desde que: submeta-se a todos os processos de avaliação; participe das atividades de recuperação relativas aos componentes em que demonstrar baixo rendimento; não ultrapasse os 25%, em faltas injustificadas, do total de horas-aula previsto. Progressão Parcial de Estudos. No Ensino Médio o regime será de progressão parcial para os alunos que após estudos de recuperação não apresentarem rendimento escolar satisfatório e nas seguintes condições: o aluno com rendimento insatisfatório em até três disciplinas será classificado na série subseqüente, devendo submeter-se a estudos paralelos de recuperação, nas mesmas; o aluno com rendimento insatisfatório em mais de três disciplinas será classificado na mesma série, ficando dispensado de cursar os componentes curriculares concluídos com êxito no período letivo anterior. Sistema de Avaliação. O processo de ensino/aprendizagem será avaliado de forma contínua, cumulativa e sistemática, visando: diagnosticar e registrar os progressos e dificuldades do aluno possibilitar que o aluno auto-avalie sua aprendizagem; orientar o aluno quanto aos esforços necessários para superar as dificuldades; fundamentar as decisões quanto à necessidade de procedimentos de reforço e recuperação da aprendizagem, de classificação e reclassificação de alunos;orientar as atividades de planejamento e replanejamento dos conteúdos curriculares. A avaliação envolve observação e análise do conhecimento e de habilidades específicas adquiridas pelo aluno e também aspectos formativos. Observação de suas atitudes referentes à presença em aulas, participação nas atividades pedagógicas e responsabilidade com que o aluno assume o cumprimento de seu papel de cidadão em formação. As avaliações serão feitas bimestralmente, através de provas escritas, trabalhos, pesquisas e observação direta, sendo que os aspectos qualitativos sempre prevalecerão sobre os aspectos quantitativos. Os instrumentos de avaliação serão sempre dois ou mais, sendo um deles uma prova escrita. Os critérios são os previstos nos objetivos de cada componente curricular e nos objetivos gerais de formação educacional preconizados pela Escola. Os resultados de avaliações serão registrados, para cada componente curricular, por meio de sínteses bimestrais e finais, sendo expressos através das notas. Os resultados de avaliação serão analisados bimestralmente e no final do ano letivo em reuniões do Conselho de Classe e Série, para decidir sobre promoção, retenção ou recuperação de estudos e no final do curso, para decidir sobre a aprovação ou retenção. Promoção será considerado promovido no final do Ciclo II e nas séries do Ensino Médio, o aluno que tiver rendimento satisfatório em todos os componentes curriculares; os alunos terão direito a estudos de recuperação em todas as disciplinas em que o aproveitamento for considerado insatisfatório; as atividades de recuperação serão realizadas de forma contínua e paralela ao longo do período
  • 11. 13 letivo;concluídas as atividades de recuperação, o professor atribuirá menção relativa ao componente curricular em referência. Retenção. No Ensino Fundamental a Escola adota o regime de Progressão Continuada, assim entendido aquele em que ao aluno não será retido por aproveitamento no interior do Ciclo, desde que: submeta-se a todos os processos de avaliação; participe das atividades de recuperação relativas aos componentes em que demonstrar baixo rendimento Controle de Freqüência a Escola fará o controle sistemático de freqüência dos alunos às atividades escolares através do Diário de Classe. Bimestralmente, adotará as medidas necessárias para que os alunos possam compensar ausências que ultrapassem o limite de 20% do total das aulas dadas ao longo de cada mês letivo; as atividades de compensação de ausências serão programadas, orientadas e registradas pelo professor da classe ou da disciplina, com a finalidade de sanar dificuldades de aprendizagem provocadas por freqüência irregular às aulas; a compensação de ausências não exime a Escola de adotar as medidas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente, e nem a família e o próprio aluno de justificar suas faltas;as atividades de compensação de ausências serão oferecidas aos alunos que tiverem suas faltas justificadas nos termos da legislação vigente; a compensação de ausências deverá ser requerida pelos pais ou responsáveis, ou pelo próprio aluno, se maior de idade, no primeiro dia em que este retornar à Escola; no final do ano, a freqüência será calculada sobre o total de horas letivas, exigida a freqüência mínima de 75% para promoção; poderá ser reclassificado o aluno que no período letivo anterior não atingiu a freqüência mínima exigida Recuperação. Os alunos terão direito a estudos de recuperação em todas as disciplinas em que o aproveitamento for considerado insatisfatório; as atividades de recuperação serão realizadas de forma contínua e paralela, ao longo do período letivo; concluídas as atividades de recuperação, o professor atribuirá menção relativa ao componente curricular em referência; Classificação. A classificação ocorrerá por Progressão Continuada, no Ensino Fundamental, ao final de cada Série;por promoção, no Ensino Fundamental e ao final de cada Série ou etapa escolar, para alunos do Ensino Médio, observadas as normas específicas para cada curso;por transferência, para candidatos de outras escolas do país ou do exterior;mediante avaliação feita pela Escola, para alunos sem comprovação de estudos anteriores, observados os critérios de idade e outras exigências específicas do curso; a critério do Conselho de Classe e Série, o aluno poderá ser submetido a estudo de adaptação, quando houver discrepância entre os componentes curriculares desta Escola e da escola de origem. Reclassificação A reclassificação do aluno em série mais avançada, tendo como referência a correspondência idade/série e a avaliação de competência nas matérias da base nacional comum do currículo, em concordância com a Proposta Pedagógica da Escola, ocorrerá a partir de: proposta apresentada pelo professor ou professores do aluno, com base nos resultados de avaliação diagnóstica do da recuperação intensiva; solicitação do próprio aluno ou seu responsável, mediante requerimento dirigido ao Diretor da Escola. São procedimentos de reclassificação: uma redação em Língua Portuguesa; parecer do Conselho de Classe e Série sobre o grau de desenvolvimento e maturidade do candidato para cursar a série pretendida; parecer incluso do Diretor; para o aluno da própria Escola, a reclassificação ocorrerá até o final do primeiro bimestre letivo e, apara o aluno recebido por transferência ou oriundo de país
  • 12. 14 estrangeiro, em até o final do terceiro bimestre letivo; caberá ao Conselho de Classe e Série, estabelecer, sempre que necessário, outros procedimentos para: matrícula, classificação e reclassificação de alunos; adaptação de estudos; avaliação de competências;aproveitamento de estudos.
  • 13. 15 6 PLANO DE TRABALHO DOS NÚCLEOS: Núcleo de Direção Objetivo e Ações. A Direção da Escola terá sua atuação voltada para: mediação entre o corpo docente e o discente, para que as propostas pedagógicas e curriculares possam ser desenvolvidas de forma eficaz; fornecer os meios de para o entrosamento entre a Escola e a comunidade; trabalhar na criação de condições para que haja um processo de ensino/aprendizagem adequado à realidade do educando, bem como adequá-lo às suas necessidades; atuar junto aos Conselhos de Classe e Série, detectando problemas e auxiliando em possíveis soluções;reuniões pedagógicas voltadas para a troca de experiências e informações, onde os docentes possam aproveitar a teoria, aplicando-a no exercício do cotidiano;verificar a regularidade, variedade e quantidade de merenda fornecida aos alunos; Em síntese: desenvolver atividades que garantam o bom funcionamento da Escola, em todos os segmentos: zelando pela melhor consecução possível da tarefa de toda a equipe escolar. Avaliação. Será feita pela equipe escolar, no curso das atividades da Escola. Núcleo Técnico- Pedagógico Objetivo Geral. Acompanhamento e avaliação da Proposta Pedagógica da Escola, incluindo atividades coletivas de trabalho pedagógico e os projetos de reforço para recuperação da aprendizagem Ações. Reuniões pedagógicas mensais, onde para exposição dos problemas enfrentados pelos membros da equipe escolar e leitura de textos de interesse do grupo, apresentação de atividades práticas que funcionaram bem em sala de aula, seleção interdisciplinar de textos a serem utilizados nas aulas sobre componentes curriculares comuns;reuniões de professores de áreas afins, para trabalhar a multidisciplinaridade ; avaliação do trabalho de grupo, detectando as dificuldades de cada um, apresentação de cursos de aperfeiçoamento e reciclagem; organização de grupos de reforço, selecionando o conteúdo a ser reforçado, Relacionando os alunos necessitados de reforço e discussão sobre as formas mais adequadas de se trabalhar com essa clientela específica; organização de festas escolares, contando com a participação de todos, para que haja envolvimento com os projetos; promover a união do grupo de professores, melhorando o ambiente e facilitando o trabalho em equipe; organizar atividades lúdicas, com jogos e brincadeiras, para incentivar a integração dos alunos; organizar excursões diversas, com objetivos educativos e recreativos; incentivar a participação da comunidade na Escola, APM, festas escolares, com o objetivo de melhor integrá-la e promover a conscientização de que a participação da comunidade é benéfica para o rendimento dos alunos. Avaliação. Será feita pela equipe escolar, no decorrer do desenvolvimento das atividades da Escola. Núcleo de Docentes Objetivos elaboração dos Planos de Ensino de acordo com a Proposta Pedagógica, Plano de Gestão e Plano de Curso da Escola enfatizando o previsto na LDB 9.394/96, Parâmetros Curriculares Nacionais e orientações da Secretaria de Educação do Estado; desenvolver as atividades relacionadas ao processo de ensino/aprendizagem dos alunos; participar das horas de estudos dentro da Escola (HTPC - Horário de Trabalho Pedagógico Coletivo),
  • 14. 16 visando a consecução da Proposta Pedagógica; dar cumprimento à Proposta Pedagógica da Escola, tendo em vista a finalidade do Ensino Fundamental e Ensino Médio: formar cidadãos, fornecendo, ainda conhecimentos e habilidades necessários à sua mais ampla e efetiva inserção na sociedade; oferecer os conteúdos necessários à continuidade de estudos, em termos de ensino superior. Ações. Reuniões com Direção e Professores Coordenadores para estudo e pesquisa; utilização de métodos e de técnicas que incentivem e levem ao aprendizado; elaboração e reformulação do Plano Curso e Plano de Ensino, quando necessário; proceder ao acompanhamento e avaliação dos alunos, dando prioridade aos aspectos qualitativos em relação aos quantitativos, em termos de rendimento escolar.
  • 15. 17 7 ACOMPANHAMENTO, CONTROLE E AVALIAÇÃO DA PROPOSTA EDUCACIONAL A avaliação incidirá sobre os aspectos pedagógicos, administrativos e financeiros da atividade escolar, devendo ser realizada através de procedimentos internos, definidos pela Escola e externos, pelos órgãos supervisores. A avaliação interna, realizada pelo Conselho de Classe e Série em reuniões especialmente convocadas, terá como objetivo a análise, orientação e reformulação, se necessário, dos procedimentos pedagógicos, financeiros e administrativos. Terá como meta o aprimoramento da qualidade do ensino, sendo sustentada por procedimentos de observação e registros contínuos, para permitir o acompanhamento sistemático e contínuo do processo de ensino e do processo de aprendizagem, de acordo com os objetivos e metas constantes da Proposta Pedagógica e Plano de Gestão; do desempenho da equipe escolar, dos alunos e dos demais funcionários, nos diferentes momentos do trabalho educacional; da participação da comunidade escolar nas atividades propostas pela Escola; A avaliação será anexada ao Plano de Gestão e ao Plano de Curso, na forma de relatórios, servindo para orientar os momentos de planejamento da atividade escolar.