SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
EEEFM Polivalente de Linhares I

AGENDAMENTO DE RECURSOS
MULTIMÍDIA - MATUTINO

2014
EEEFM POLIVALENTE LINHARES I
Av. Pres. Café Filho, 546 - Novo Horizonte, Linhares - ES, 29902-400
(27) 3373-1306 | escolalinhares@sedu.es.gov.br | polium.blogspot.com.br
PLANO DE TRABALHO DO COORDENADOR
Uma relação de confiança envolve transparência, mas você pode ir além quando conhece as regras desse relacionamento. Sonegar informações cria
situações caóticas. O segredo do nosso sucesso está na informação. Saber perguntar, orientar, acompanhar e monitorar pode produzir resultados
surpreendentes.
Coordenador, se você acredita que pode fazer a diferença, informe-se e faça da EEEFM Polivalente de Linhares I um espaço criativo, onde você usará
seu talento e a sua sabedoria.

INTRODUÇÃO
Coordenar é ligar, unir e harmonizar
todos os atos e todos os reforços.” (Henri Fayol)
O coordenador de turno tem como atribuições básicas o acompanhamento, coordenação e controle do horário das atividades docentes a partir das
orientações da supervisão e da direção, garantindo o total funcionamento da Escola.

O coordenador de turno trabalha diretamente ligado aos demais serviço de apoio técnico-pedagógicos para que a Escola tenha, entre todos os seus
membros, um clima disciplinar favorável, que ajude o corpo docente em ministrar suas aulas, e o corpo discente para um bom proveito de tudo o que é
oferecido para sua formação .

A escola deve existir tendo como fim único o educando. Apesar da divisão em segmentos, ela só é completa, quando olhada conjuntamente. Pais,
funcionários, professores e alunos precisam estar juntos na busca de uma Educação humanizadora. A organização escolar necessita acontecer de
forma que essas partes estejam em constante comunicação, para que não percam a visão do todo. Cada profissional deve, no seu dia-a-dia, buscar esta
meta comum. Cada um, na sua função, não poderá desligar-se da visão global da escola, pois a Instituição Escolar é um sistema onde o conjunto das
partes forma o todo, mas este é muito maior do que a soma de todas elas.

Nesse sentido, o coordenador de turno deve ser um membro que auxilia na comunicação entre os diversos segmentos da escola, organizando os
espaços e tempos de forma a facilitar o processo de ensino e aprendizagem.
OBJETIVOS
A primeira coisa que um piloto deve ter é uma excelente antecipação.
Ele deve saber o que vai acontecer antes que aconteça.
Emerson Fittipaldi
Organizar os movimentos da Escola, tendo em vista acontecimentos não previstos, de maneira que os alunos sejam o objetivo maior;

Procurar manter a comunicação entre os diversos segmentos do ambiente escolar, de maneira que no cotidiano as atividades aconteçam de
maneira planejada e engajada no processo educativo;

Realizar intervenções junto às turmas, de maneira a trabalhar juntamente com os professores e gestores, possibilitando uma maior intervenção
deste setor na sua área específica;

Participar da organização das regras de convivência junto à Comunidade Escolar, construindo um ambiente propício ao processo de ensinoaprendizagem.

ATIVIDADES ESPECÍFICAS DO COORDENADOR DE TURNO
Grandes obras não são feitas com força,
mas a perseverança.
Samuel Johnson
As atividades realizadas pelo Coordenador de Turno são organizadas em parceria com toda a Equipe Gestora.

Planejar suas atividades diárias de acordo com as normas estabelecidas pela Proposta Pedagógica da escola;
Fazer cumprir os horários e atividades de seu turno, controlando a frequência e a pontualidade dos servidores administrativos, docentes e
discentes;
Verificar se a merenda escolar esta sendo feita dentro do cardápio e percapta previstas;
Dar início e término às atividades do seu turno de trabalho, verificando, antes do início das mesmas, o material didático necessário, solicitado
previamente pelo docente, e as condições de higiene do estabelecimento de ensino; salas de aula, sanitários e demais dependências de uso dos
alunos e professores;
Verificar se os alunos apresentam-se uniformizados;
Verificar entradas tardias dos alunos e professores;
Organização dos horários e espaços da Escola anualmente (horário dos alunos e professores, refeitório, biblioteca e outros, distribuição das
turmas nas salas e no pátio em filas);
Organização diária dos horários das turmas e professores garantindo o dia letivo das mesmas. providenciar, sempre que possível, imediata
substituição de professor ausente ou modificação de horário, evitando a permanência de alunos em sala, sem a presença de professor;
Escriturar, de forma fidedigna, o livro de ponto, em seu turno de atuação, registrando a ausência do servidor, do docente e a reposição de aula,
bem como acompanhar o cumprimento do horário de planejamento e outras atividades;
Acompanhamento dos alunos ao refeitório, no horário da merenda, buscando com que este espaço seja realmente parte da Escola e do trabalho
pedagógico;
Atendimento aos alunos em caso de indisciplina, conflitos, questões saúde e encaminhando ao Supervisor/Diretor quando necessário;
Apoio ao professor em sala de aula em situações de organização e dificuldades com a turma e/ou aluno específico;
Fazer trabalho integrado com a equipe escolar, Diretor, Conselho de Escola e Pais de alunos para decisões quanto a problemas disciplinares
discentes, ocorridos no seu turno;
Registrar, em fichas ou em livro próprio, as ocorrências verificadas em seu turno de trabalho, fazendo os encaminhamentos necessários;
Participar na elaboração do planejamento e demais providências relativas às atividades extra-classe;
Participar das reuniões do Conselho de Escola e Conselho de Classe e de outros órgãos colegiados;
Acompanhar e avaliar o trabalho desenvolvido pelos Auxiliares de Serviços Gerais e informar ao Diretor da Escola sobre suas observações e
encaminhamentos;
Elaborar, em conjunto com o pedagogo, os horários de aulas, de recuperação, de reposição e atividades extra-classe desenvolvidas pela escola;
Manter contato permanente com o Diretor da Escola, a fim de informá-lo sobre as ocorrências mais importantes, discutindo quanto à solução das
mesmas;
Dispensar os alunos das aulas por atraso ou falta dos professores ou casos de interesse do ensino;
Evitar interrupção das aulas, a não ser as autorizadas pelo Diretor ;
Providenciar para que os painéis de avisos permaneçam em ordem;
Transmitir avisos gerais em concordância com as Direções Auxiliares;
Os Coordenadores de Turno deverão estar presentes no Estabelecimento normalmente, presidindo e supervisionando as atividades de sua
competência;
Preparar bilhetes para os todos os setores;
Ajudar a resolver ou encaminhar incidentes ocorridos em sala de aula;
Prestar assessoria no uso de equipamentos de informática.
Zelar pelo patrimônio publico e recursos didático-pedagógicos;
Outras atribuições que lhe conferir;
Cumprir e fazer cumprir, no seu âmbito de ação, as disposições deste Plano, Regimento Escolar e da legislação do ensino em vigor.

CONCLUSÃO

Eu não me envergonho de corrigir os meus erros
e mudar de opinião,porque não me envergonho
de raciocinar e aprender.
Alexandre Herculano

O alcance dos objetivos deste plano e a melhoria do processo ensino aprendizagem não dependem somente da situação da supervisão pedagógica,
mas do apoio da gestão escolar, da aceitação e esmero dos professores, do desempenho dos demais funcionários do estabelecimento, do interesse dos
educando e ainda, do auxilio dos pais e responsáveis pelos alunos desta instituição.
Portanto, precisamos angariar a confiança de todos como fruto do bom desempenho de nosso trabalho, para que possamos, sob um clima harmônico,
proporcionar, maior intercâmbio entre escola e comunidade. Somente assim teremos êxito neste grande desafio.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ideias para a melhoria do IDEB
Ideias para a melhoria do IDEBIdeias para a melhoria do IDEB
Ideias para a melhoria do IDEB
Jorge Elarrat
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
Ananda Lima
 
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli BorgesReunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
pdescola
 
Plano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão EscolarPlano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão Escolar
Belister Paulino
 
Roteiro para o conselho de classe
Roteiro para o conselho de classeRoteiro para o conselho de classe
Roteiro para o conselho de classe
Elisângela Chaves
 
Slides da reunião com professores
Slides da reunião com professoresSlides da reunião com professores
Slides da reunião com professores
driminas
 
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
Eduardo Lopes
 

Mais procurados (20)

Plano de Ação Pedagogo
Plano de Ação PedagogoPlano de Ação Pedagogo
Plano de Ação Pedagogo
 
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
Plano de ação pedagógica 2009   anandreiaPlano de ação pedagógica 2009   anandreia
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
 
Ideias para a melhoria do IDEB
Ideias para a melhoria do IDEBIdeias para a melhoria do IDEB
Ideias para a melhoria do IDEB
 
Plano de gestão feito
Plano de gestão feitoPlano de gestão feito
Plano de gestão feito
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
 
Ap. plano de ação
Ap. plano de açãoAp. plano de ação
Ap. plano de ação
 
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli BorgesReunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
 
Plano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão EscolarPlano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão Escolar
 
Roteiro para o conselho de classe
Roteiro para o conselho de classeRoteiro para o conselho de classe
Roteiro para o conselho de classe
 
Agenda da reunião pais 2012 1
Agenda da reunião pais 2012 1Agenda da reunião pais 2012 1
Agenda da reunião pais 2012 1
 
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021 Plano de Ação - Gestão 2019-2021
Plano de Ação - Gestão 2019-2021
 
Plano de ação gestão 2016 2019
Plano de ação gestão 2016 2019Plano de ação gestão 2016 2019
Plano de ação gestão 2016 2019
 
Reunião com equipe_gestora_emei
Reunião com equipe_gestora_emeiReunião com equipe_gestora_emei
Reunião com equipe_gestora_emei
 
Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem
 
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
 
Plano de ação 2014 escola
Plano de ação 2014 escolaPlano de ação 2014 escola
Plano de ação 2014 escola
 
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxPLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
 
Slides da reunião com professores
Slides da reunião com professoresSlides da reunião com professores
Slides da reunião com professores
 
Conselho de Classe - Participativo
Conselho de Classe  - ParticipativoConselho de Classe  - Participativo
Conselho de Classe - Participativo
 
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
 

Destaque

4- Trabalho do Técnico em Nutrição junto aos acompanhantes de pacientes do HCC
4- Trabalho do Técnico em Nutrição junto aos acompanhantes de pacientes do HCC4- Trabalho do Técnico em Nutrição junto aos acompanhantes de pacientes do HCC
4- Trabalho do Técnico em Nutrição junto aos acompanhantes de pacientes do HCC
iconex
 
Orientação e ações para a educação das relações étnico raciais
Orientação e ações para a educação das relações étnico raciaisOrientação e ações para a educação das relações étnico raciais
Orientação e ações para a educação das relações étnico raciais
natielemesquita
 
04 o papel do coordenador e supervisor
04  o papel do coordenador e supervisor04  o papel do coordenador e supervisor
04 o papel do coordenador e supervisor
Joao Balbi
 
Roteiro básico Projeto de Intervenção
Roteiro básico Projeto de IntervençãoRoteiro básico Projeto de Intervenção
Roteiro básico Projeto de Intervenção
Goretti Silva
 
Manual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionadoManual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionado
ADRIANA BECKER
 

Destaque (17)

Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
Atribuições do técnico
Atribuições do técnicoAtribuições do técnico
Atribuições do técnico
 
Regimento 2011
Regimento 2011Regimento 2011
Regimento 2011
 
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
 
4- Trabalho do Técnico em Nutrição junto aos acompanhantes de pacientes do HCC
4- Trabalho do Técnico em Nutrição junto aos acompanhantes de pacientes do HCC4- Trabalho do Técnico em Nutrição junto aos acompanhantes de pacientes do HCC
4- Trabalho do Técnico em Nutrição junto aos acompanhantes de pacientes do HCC
 
Orientação e ações para a educação das relações étnico raciais
Orientação e ações para a educação das relações étnico raciaisOrientação e ações para a educação das relações étnico raciais
Orientação e ações para a educação das relações étnico raciais
 
Modelo de estatuto de grêmio estudantil
Modelo de estatuto de grêmio estudantilModelo de estatuto de grêmio estudantil
Modelo de estatuto de grêmio estudantil
 
O álcool e a saúde
O álcool e a saúdeO álcool e a saúde
O álcool e a saúde
 
Função e Atuação do Gestor Escolar
Função e Atuação do Gestor EscolarFunção e Atuação do Gestor Escolar
Função e Atuação do Gestor Escolar
 
Plano de ação nilda auseli
Plano de ação nilda auseliPlano de ação nilda auseli
Plano de ação nilda auseli
 
Modelo de relatório de avaliação de desempenho
Modelo de relatório de avaliação de desempenhoModelo de relatório de avaliação de desempenho
Modelo de relatório de avaliação de desempenho
 
04 o papel do coordenador e supervisor
04  o papel do coordenador e supervisor04  o papel do coordenador e supervisor
04 o papel do coordenador e supervisor
 
Ficha de acompanhamento bimestral do aluno por nível
Ficha de acompanhamento bimestral do aluno por nívelFicha de acompanhamento bimestral do aluno por nível
Ficha de acompanhamento bimestral do aluno por nível
 
Roteiro básico Projeto de Intervenção
Roteiro básico Projeto de IntervençãoRoteiro básico Projeto de Intervenção
Roteiro básico Projeto de Intervenção
 
Plano de ação pedagógica 2015 6º ao 9º ano do ef - semed
Plano de ação pedagógica 2015   6º ao 9º ano do ef - semedPlano de ação pedagógica 2015   6º ao 9º ano do ef - semed
Plano de ação pedagógica 2015 6º ao 9º ano do ef - semed
 
Manual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionadoManual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionado
 
Plano de ação - Modelo
Plano de ação - ModeloPlano de ação - Modelo
Plano de ação - Modelo
 

Semelhante a Plano do coordenador

Orientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógicoOrientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógico
fafc17
 
Caderno de boas práticas diretores
Caderno de boas práticas diretoresCaderno de boas práticas diretores
Caderno de boas práticas diretores
842203966
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
mtolentino1507
 
Edleide e jô plano de ação (direção) cosma ramos - marcolândia pi
Edleide e jô plano de ação  (direção) cosma ramos - marcolândia piEdleide e jô plano de ação  (direção) cosma ramos - marcolândia pi
Edleide e jô plano de ação (direção) cosma ramos - marcolândia pi
MauricioCosta1
 
Os desafios do coordenador pedagógico
Os desafios do coordenador pedagógicoOs desafios do coordenador pedagógico
Os desafios do coordenador pedagógico
Luciene Chagas
 
Os desafios do coordenador pedagógico
Os desafios do coordenador pedagógicoOs desafios do coordenador pedagógico
Os desafios do coordenador pedagógico
Luciene Chagas
 
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das Aleluias
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das AleluiasDiário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das Aleluias
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das Aleluias
Marcela S. Rodrigues
 

Semelhante a Plano do coordenador (20)

Plano do coordenador
Plano do coordenadorPlano do coordenador
Plano do coordenador
 
Alinhamento pedagógico -Lagoa do Maurício.pptx
Alinhamento pedagógico -Lagoa do Maurício.pptxAlinhamento pedagógico -Lagoa do Maurício.pptx
Alinhamento pedagógico -Lagoa do Maurício.pptx
 
PLANO DE AÇÃO TÉCNICA.docx
PLANO DE AÇÃO TÉCNICA.docxPLANO DE AÇÃO TÉCNICA.docx
PLANO DE AÇÃO TÉCNICA.docx
 
Supervisor Escolar
Supervisor EscolarSupervisor Escolar
Supervisor Escolar
 
Orientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógicoOrientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógico
 
PROGRAMA DE AÇÃO 2024 - MARIANA DA SILVA MORAES.pdf
PROGRAMA DE AÇÃO 2024 - MARIANA DA SILVA MORAES.pdfPROGRAMA DE AÇÃO 2024 - MARIANA DA SILVA MORAES.pdf
PROGRAMA DE AÇÃO 2024 - MARIANA DA SILVA MORAES.pdf
 
Oficina para Equipe Diretiva
Oficina para Equipe Diretiva Oficina para Equipe Diretiva
Oficina para Equipe Diretiva
 
Rotina do coordenador Pedagógico
Rotina do coordenador PedagógicoRotina do coordenador Pedagógico
Rotina do coordenador Pedagógico
 
Caderno de boas práticas diretores
Caderno de boas práticas diretoresCaderno de boas práticas diretores
Caderno de boas práticas diretores
 
CARTILHA TUTORIA.pdf
CARTILHA TUTORIA.pdfCARTILHA TUTORIA.pdf
CARTILHA TUTORIA.pdf
 
Gestão escolar i papel do pcp
Gestão escolar i   papel do pcpGestão escolar i   papel do pcp
Gestão escolar i papel do pcp
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
 
Edleide e jô plano de ação (direção) cosma ramos - marcolândia pi
Edleide e jô plano de ação  (direção) cosma ramos - marcolândia piEdleide e jô plano de ação  (direção) cosma ramos - marcolândia pi
Edleide e jô plano de ação (direção) cosma ramos - marcolândia pi
 
Orientações matemática para planejamento escolar de Matemática
Orientações matemática para planejamento escolar de MatemáticaOrientações matemática para planejamento escolar de Matemática
Orientações matemática para planejamento escolar de Matemática
 
Planejamento CENE 2023.pptx.pdf
Planejamento CENE 2023.pptx.pdfPlanejamento CENE 2023.pptx.pdf
Planejamento CENE 2023.pptx.pdf
 
Os desafios do coordenador pedagógico
Os desafios do coordenador pedagógicoOs desafios do coordenador pedagógico
Os desafios do coordenador pedagógico
 
Os desafios do coordenador pedagógico
Os desafios do coordenador pedagógicoOs desafios do coordenador pedagógico
Os desafios do coordenador pedagógico
 
05 pcagp documento orientador
05 pcagp   documento orientador05 pcagp   documento orientador
05 pcagp documento orientador
 
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das Aleluias
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das AleluiasDiário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das Aleluias
Diário de Bordo 2013 - E. E. Adão Marques das Aleluias
 
Estágio supervisionado no ensino fundamental 6 periodo
Estágio supervisionado no ensino fundamental   6 periodoEstágio supervisionado no ensino fundamental   6 periodo
Estágio supervisionado no ensino fundamental 6 periodo
 

Mais de Polivalente Linhares (20)

Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 
Familia
FamiliaFamilia
Familia
 
BULLIYNG
BULLIYNGBULLIYNG
BULLIYNG
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 
O brasil de muitas caras
O brasil de muitas carasO brasil de muitas caras
O brasil de muitas caras
 
Noturno
NoturnoNoturno
Noturno
 
Matutino
MatutinoMatutino
Matutino
 
Paula
PaulaPaula
Paula
 
Mostra de ciendiasd
Mostra de ciendiasdMostra de ciendiasd
Mostra de ciendiasd
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 
Semana tecnologica vitoria
Semana tecnologica vitoriaSemana tecnologica vitoria
Semana tecnologica vitoria
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
 
Elias
EliasElias
Elias
 
Apresentação7
Apresentação7Apresentação7
Apresentação7
 
Enildo
EnildoEnildo
Enildo
 
Verpertino
VerpertinoVerpertino
Verpertino
 
Matutino
MatutinoMatutino
Matutino
 
Enildo
EnildoEnildo
Enildo
 
Apresentao3 141020111612-conversion-gate02
Apresentao3 141020111612-conversion-gate02Apresentao3 141020111612-conversion-gate02
Apresentao3 141020111612-conversion-gate02
 
Metamorfose
MetamorfoseMetamorfose
Metamorfose
 

Último

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 

Último (20)

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 

Plano do coordenador

  • 1. EEEFM Polivalente de Linhares I AGENDAMENTO DE RECURSOS MULTIMÍDIA - MATUTINO 2014 EEEFM POLIVALENTE LINHARES I Av. Pres. Café Filho, 546 - Novo Horizonte, Linhares - ES, 29902-400 (27) 3373-1306 | escolalinhares@sedu.es.gov.br | polium.blogspot.com.br
  • 2. PLANO DE TRABALHO DO COORDENADOR Uma relação de confiança envolve transparência, mas você pode ir além quando conhece as regras desse relacionamento. Sonegar informações cria situações caóticas. O segredo do nosso sucesso está na informação. Saber perguntar, orientar, acompanhar e monitorar pode produzir resultados surpreendentes. Coordenador, se você acredita que pode fazer a diferença, informe-se e faça da EEEFM Polivalente de Linhares I um espaço criativo, onde você usará seu talento e a sua sabedoria. INTRODUÇÃO Coordenar é ligar, unir e harmonizar todos os atos e todos os reforços.” (Henri Fayol) O coordenador de turno tem como atribuições básicas o acompanhamento, coordenação e controle do horário das atividades docentes a partir das orientações da supervisão e da direção, garantindo o total funcionamento da Escola. O coordenador de turno trabalha diretamente ligado aos demais serviço de apoio técnico-pedagógicos para que a Escola tenha, entre todos os seus membros, um clima disciplinar favorável, que ajude o corpo docente em ministrar suas aulas, e o corpo discente para um bom proveito de tudo o que é oferecido para sua formação . A escola deve existir tendo como fim único o educando. Apesar da divisão em segmentos, ela só é completa, quando olhada conjuntamente. Pais, funcionários, professores e alunos precisam estar juntos na busca de uma Educação humanizadora. A organização escolar necessita acontecer de forma que essas partes estejam em constante comunicação, para que não percam a visão do todo. Cada profissional deve, no seu dia-a-dia, buscar esta meta comum. Cada um, na sua função, não poderá desligar-se da visão global da escola, pois a Instituição Escolar é um sistema onde o conjunto das partes forma o todo, mas este é muito maior do que a soma de todas elas. Nesse sentido, o coordenador de turno deve ser um membro que auxilia na comunicação entre os diversos segmentos da escola, organizando os espaços e tempos de forma a facilitar o processo de ensino e aprendizagem.
  • 3. OBJETIVOS A primeira coisa que um piloto deve ter é uma excelente antecipação. Ele deve saber o que vai acontecer antes que aconteça. Emerson Fittipaldi Organizar os movimentos da Escola, tendo em vista acontecimentos não previstos, de maneira que os alunos sejam o objetivo maior; Procurar manter a comunicação entre os diversos segmentos do ambiente escolar, de maneira que no cotidiano as atividades aconteçam de maneira planejada e engajada no processo educativo; Realizar intervenções junto às turmas, de maneira a trabalhar juntamente com os professores e gestores, possibilitando uma maior intervenção deste setor na sua área específica; Participar da organização das regras de convivência junto à Comunidade Escolar, construindo um ambiente propício ao processo de ensinoaprendizagem. ATIVIDADES ESPECÍFICAS DO COORDENADOR DE TURNO Grandes obras não são feitas com força, mas a perseverança. Samuel Johnson As atividades realizadas pelo Coordenador de Turno são organizadas em parceria com toda a Equipe Gestora. Planejar suas atividades diárias de acordo com as normas estabelecidas pela Proposta Pedagógica da escola; Fazer cumprir os horários e atividades de seu turno, controlando a frequência e a pontualidade dos servidores administrativos, docentes e discentes;
  • 4. Verificar se a merenda escolar esta sendo feita dentro do cardápio e percapta previstas; Dar início e término às atividades do seu turno de trabalho, verificando, antes do início das mesmas, o material didático necessário, solicitado previamente pelo docente, e as condições de higiene do estabelecimento de ensino; salas de aula, sanitários e demais dependências de uso dos alunos e professores; Verificar se os alunos apresentam-se uniformizados; Verificar entradas tardias dos alunos e professores; Organização dos horários e espaços da Escola anualmente (horário dos alunos e professores, refeitório, biblioteca e outros, distribuição das turmas nas salas e no pátio em filas); Organização diária dos horários das turmas e professores garantindo o dia letivo das mesmas. providenciar, sempre que possível, imediata substituição de professor ausente ou modificação de horário, evitando a permanência de alunos em sala, sem a presença de professor; Escriturar, de forma fidedigna, o livro de ponto, em seu turno de atuação, registrando a ausência do servidor, do docente e a reposição de aula, bem como acompanhar o cumprimento do horário de planejamento e outras atividades; Acompanhamento dos alunos ao refeitório, no horário da merenda, buscando com que este espaço seja realmente parte da Escola e do trabalho pedagógico; Atendimento aos alunos em caso de indisciplina, conflitos, questões saúde e encaminhando ao Supervisor/Diretor quando necessário; Apoio ao professor em sala de aula em situações de organização e dificuldades com a turma e/ou aluno específico; Fazer trabalho integrado com a equipe escolar, Diretor, Conselho de Escola e Pais de alunos para decisões quanto a problemas disciplinares discentes, ocorridos no seu turno; Registrar, em fichas ou em livro próprio, as ocorrências verificadas em seu turno de trabalho, fazendo os encaminhamentos necessários; Participar na elaboração do planejamento e demais providências relativas às atividades extra-classe; Participar das reuniões do Conselho de Escola e Conselho de Classe e de outros órgãos colegiados; Acompanhar e avaliar o trabalho desenvolvido pelos Auxiliares de Serviços Gerais e informar ao Diretor da Escola sobre suas observações e encaminhamentos; Elaborar, em conjunto com o pedagogo, os horários de aulas, de recuperação, de reposição e atividades extra-classe desenvolvidas pela escola; Manter contato permanente com o Diretor da Escola, a fim de informá-lo sobre as ocorrências mais importantes, discutindo quanto à solução das mesmas; Dispensar os alunos das aulas por atraso ou falta dos professores ou casos de interesse do ensino;
  • 5. Evitar interrupção das aulas, a não ser as autorizadas pelo Diretor ; Providenciar para que os painéis de avisos permaneçam em ordem; Transmitir avisos gerais em concordância com as Direções Auxiliares; Os Coordenadores de Turno deverão estar presentes no Estabelecimento normalmente, presidindo e supervisionando as atividades de sua competência; Preparar bilhetes para os todos os setores; Ajudar a resolver ou encaminhar incidentes ocorridos em sala de aula; Prestar assessoria no uso de equipamentos de informática. Zelar pelo patrimônio publico e recursos didático-pedagógicos; Outras atribuições que lhe conferir; Cumprir e fazer cumprir, no seu âmbito de ação, as disposições deste Plano, Regimento Escolar e da legislação do ensino em vigor. CONCLUSÃO Eu não me envergonho de corrigir os meus erros e mudar de opinião,porque não me envergonho de raciocinar e aprender. Alexandre Herculano O alcance dos objetivos deste plano e a melhoria do processo ensino aprendizagem não dependem somente da situação da supervisão pedagógica, mas do apoio da gestão escolar, da aceitação e esmero dos professores, do desempenho dos demais funcionários do estabelecimento, do interesse dos educando e ainda, do auxilio dos pais e responsáveis pelos alunos desta instituição. Portanto, precisamos angariar a confiança de todos como fruto do bom desempenho de nosso trabalho, para que possamos, sob um clima harmônico, proporcionar, maior intercâmbio entre escola e comunidade. Somente assim teremos êxito neste grande desafio.