SlideShare uma empresa Scribd logo
O SLOGAN A idéia concentrada
SLOGAN - DEFINIÇÕES Sant’Anna (1982) define slogan como “uma sentença ou máxima que expressa uma qualidade, uma vantagem do produto, ou uma norma de ação do anunciante ou do produto para servir de guia ao consumidor”; Para ele o slogan é um lema, a expressão de uma idéia a respeito do produto ou do anunciante.
SLOGAN - DEFINIÇÕES Já Martins (1997) afirma que o slogan “é uma máxima ou frase curta, concisa, marcante. É expressão concentrada que sugere uma idéia”; Deve ser de fácil percepção e memorização e marcar a idéia principal da mensagem. Também deve ser enfático, simples, resumido e dinâmico.
SLOGAN - DEFINIÇÕES Perez & Bairon (2002) entendem o slogan como uma vocalização (vocare), no sentido de  vocatio , a chamada ou a vocalização da marca; Ainda segundo esses autores os slogans “são frases ou sentenças usadas repetidamente na propaganda de um produto ou serviço”; O slogan é, para eles, “um comando para as relações internas e externas”; Concluindo, os referidos autores afirmam que “o slogan oraliza máximas que a coletividade aceita piamente como verdadeiras”.

Recomendado para você

Crônica, verbo e advérbio
Crônica, verbo e advérbioCrônica, verbo e advérbio
Crônica, verbo e advérbio

Paulo tinha fama de mentiroso e sempre contava histórias fantasiosas para a mãe. Em uma ocasião, Paulo disse que viu dragões cuspindo fogo e lendo revistas, e foi punido. Na semana seguinte, ele inventou ter provado um pedaço de queijo de lua, e foi proibido de jogar futebol. Quando contou que borboletas queriam levá-lo ao céu, a mãe o levou ao médico, que diagnosticou que Paulo era um caso de "poesia".

Notícia gênero textual
Notícia gênero textualNotícia gênero textual
Notícia gênero textual

O documento apresenta uma notícia fictícia sobre a história da Chapeuzinho Vermelho se fosse contada na imprensa brasileira. Ele descreve como diferentes programas jornalísticos e publicações abordariam o caso, de forma sensacionalista, dramática ou leviana. Além disso, traz características e estrutura do gênero textual notícia.

genêro textualnoticiaproducao de texto
Ii simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunos
Ii   simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunosIi   simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunos
Ii simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunos

Este documento é uma folha de respostas para uma simulado de prova SAEGO/SAEB de língua portuguesa para o 9o ano. Contém 25 questões de múltipla escolha sobre diferentes textos e imagens sobre diversos temas como sono, trânsito, publicidade, namoro na adolescência e alimentação japonesa.

SLOGAN - DEFINIÇÕES Maingueneau (2001) vê semelhanças entre o provérbio (dito popular) e o slogan, pois ambos tem uma fórmula curta, cujo destino é ser repetido por um número ilimitado de locutores. Joga com rimas, simetrias silábicas, sintáticas ou lexicais; Para esse autor, “o slogan, assim como o provérbio, constitui uma espécie de citação”. Ou seja, aquele que o diz não toma para si a responsabilidade por esses enunciados, coloca-os como citações sem explicitar a fonte, que se supõe seja do conhecimento do co-enunciador (leitor-ouvinte-público receptor).
SLOGAN - DEFINIÇÕES Maingueneau também enxerga diferenças entre os provérbios e os slogans. Um provérbio pode ser interpretável fora de qualquer contexto apropriado, particular; muitos slogans, ao contrário disso, estão ligados à situação de enunciação; Além disso, normalmente os provérbios são uma maneira de dizer e entender como as coisas funcionam, como funciona o mundo, enquanto que os slogans estão associados à sugestão e se prestam a marcar na memória do público consumidor a associação entre a marca e um argumento persuasivo.
ORIGEM Segundo Martins (1997), o termo slogan vem do gaélico ( sluagh-ghairm ), uma língua do povo céltico, e significa “grito de guerra”; Foi utilizado pelos ambulantes, nas legendas e nas insígnias, até chegar aos anúncios dos jornais, revistas e a todas as outras peças publicitárias.
Funções do slogan De acordo com Reboul (1975), podemos definir três funções básicas: Fazer aderir – é a função mais antiga e mais nobre, mas não é cumprida obrigatoriamente, ou seja, gostar de um slogan não significa aderir totalmente à idéia ou ao produto. Não cria vínculo entre seus destinatários; Prender a atenção – é o caso do slogan-título, cuja missão é induzir a ler ou a ouvir o texto que vem em seguida; Resumir – função mais freqüente e mais marcante, resume todo o conceito da campanha, do produto/serviço/marca, ou ainda toda uma ideologia (campanhas políticas, p.ex.)

Recomendado para você

Slides cartas
Slides  cartasSlides  cartas
Slides cartas

O documento discute o problema do consumo excessivo de álcool entre jovens no Brasil. Apresenta dados de pesquisas que mostram um aumento significativo no número de adolescentes que bebem em excesso, chegando a 3,5 milhões. Também destaca que as meninas estão bebendo quase tanto quanto os meninos neste grupo etário, o que pode agravar ainda mais o problema do alcoolismo no futuro. Relata alguns dos motivos que levam os jovens a beber em excesso e os possíveis sinais de que o consumo está fora de cont

O que é propaganda???
O que é propaganda???O que é propaganda???
O que é propaganda???

Este documento discute os conceitos de propaganda e publicidade, explicando as diferenças entre os termos e os objetivos de cada um. A propaganda visa fins ideológicos ou de promoção de ideias, enquanto a publicidade tem fins comerciais. O documento também descreve os diferentes tipos de propaganda, campanhas publicitárias e as etapas para criar uma campanha.

Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide

Figuras de Linguagem O que são? São recursos usados pelo falante para realçar a sua mensagem, podendo dar a mesma força, colorido, ênfase, beleza.

Características e/ou qualidades   – Martins, 1997 e Sant’Anna, 1982. Ser positivo e original para atrair a atenção; Ser breve, constituído de quatro a seis palavras; Ser compreensível: fácil de entender e fixar; Ser preciso: com termos bem apropriados; Fazer uso do vocativo, dirigir-se a alguém; Ser incisivo, direto, não usar o condicional; Ter ritmo, cadência, sonoridade; Ser simpático, agradável, evitar ser  arrogante.
Como compor um slogan Martins, 1997 Usar figuras de retórica, tais como: Aliteração: repetição de sons Rimas pobres: assonância Eufonia: boa escolha de sons da palavra – ritmo Comparações: “Duro como ferro” Metáforas: “Ponha um tigre no seu carro”
Como compor um slogan Martins, 1997 Hipérboles: “O máximo em som” Antíteses ou oposições: “Preço mínimo, duração máxima” Gradações: “Cin, Cin, Cinzano!” Elipses ou omissões (até mesmo de verbos): “Mais seguro, mais futuro” Exclamação: “Kolinos, ah!” Personificação ou prosopopéia: “Como um raio partiu o carro”
Da rima ao neologismo... Conheça alguns recursos literários usados em slogans conhecidos: Metonímia é a substituição de um termo por outro que com ele tem relação de sentido lógica e constante. Há entre os termos afinidade ou continuidade de sentido. "Hoje é dia de sofá", slogan da rede de locadoras de vídeo e DVD Blockbuster, transfere, por sinédoque (tomar a parte pelo todo, o singular pelo plural, a matéria pelo produto), a idéia de exibição de filmes na TV da sala de estar para a do objeto em que isso ocorre na sala. Assim também ocorre com o slogan do Boticário ("frascos de natureza"), em que se toma a substância pelo recipiente. A metonímia é apenas um dos muitos recursos retóricos e literários usados pela publicidade para elaborar as mensagens com que vende produtos, empresas, imagens e conceitos. O conhecimento desses recursos torna mais fácil materializar uma idéia.

Recomendado para você

Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel

O documento discute a literatura de cordel no Brasil. Apresenta seu surgimento no século XVI trazido por colonizadores portugueses e sua popularização no Brasil a partir de 1893 com o poeta Leandro Gomes de Barros. Detalha as características do gênero como linguagem simples, poucas páginas, histórias em rima, ilustrações nas capas e temas como romance, religião e situações sociais. Explica também estruturas poéticas e principais autores como Patativa do Assaré.

Estrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativoEstrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativo

A alternativa que melhor representa a organização e estrutura textual do texto é a letra C, ou seja: I, II III, IV e V O texto apresenta uma introdução no parágrafo I, estabelecendo o tema central da discussão. No parágrafo II há uma síntese do tema. Nos parágrafos seguintes, de III a V, há o desenvolvimento da argumentação com exemplos e justificativas que sustentam a tese inicial. A alternativa C é a única que respeita essa estrutura textual canônica de Introdução, Síntese e Desenvolvimento.

Propaganda e publicidade conceito
Propaganda e publicidade conceitoPropaganda e publicidade conceito
Propaganda e publicidade conceito

A publicidade tem como objetivo principal vender produtos ou serviços, enquanto a propaganda busca difundir ideias ou princípios de forma não comercial. Embora sejam termos frequentemente usados como sinônimos, a publicidade é paga e identifica claramente seu anunciante, enquanto a propaganda pode ser anônima e não necessariamente paga.

Da rima ao neologismo... Aliteração "Pense forte, pense Ford." "Vira verão Samoa." "A Atma é ótima.“ Paralelismo "Você tem seu estilo. A Renner tem todos." "O mundo gira e a Lusitânia roda.“ Neologismo  "O mundo é dos nets."
Da rima ao neologismo... Coloquialidade "Coca-cola é isso aí!“ Ironia "O pior programa do mundo"  (Perdidos na Noite, da Band) "Não é uma Brastemp“ Duplo sentido intencional "Globo, a gente se vê por aqui."
Da rima ao neologismo... Rima "Quem bebe Grapete repete Grapete." "Tomou Doril, a dor sumiu“ Trocadilho "Salve-se quem tiver."  (SulAmérica) "Ler ou não ser." (Siciliano) Intertextualidade "Perfeito para você." O slogan do Itaú Personalité  remete ao do próprio banco  que lhe serviu de matriz, o Itaú, "Feito para você". Universo semântico do produto "Põe na Cônsul" "Dummont - o primeiro a cada segundo." "O primeiro a dar as últimas." (Repórter Esso) "Tudo anda bem com Bardal."
Como compor um slogan Reboul, 1975 Procurar a concisão através da eliminação das “palavra-ferramentas”, tais como as preposições, conjunções, artigos etc, em benefício das palavras plenas: verbos, adjetivos e nomes;

Recomendado para você

SIMULADO SARESP - Língua Portuguesa
SIMULADO SARESP - Língua PortuguesaSIMULADO SARESP - Língua Portuguesa
SIMULADO SARESP - Língua Portuguesa

O documento apresenta três questões sobre um simulado de língua portuguesa com textos e perguntas sobre mitologia, poesia e música. As questões abordam temas como o deus Pã na mitologia greco-romana, o significado de neologismos em poemas e o uso de linguagem informal em músicas.

saresplistadeexercíciosprofessorapaulameyer
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica

A crônica é um gênero textual que: 1) Narra fatos da vida cotidiana de forma curta, com linguagem simples e coloquial; 2) Pode ter tom humorístico, crítico ou satírico; 3) Usa a perspectiva de personagens comuns e a narrativa é muitas vezes em primeira pessoa.

Releitura da Obra os Operarios_Arte na EJA
Releitura da Obra os Operarios_Arte na EJAReleitura da Obra os Operarios_Arte na EJA
Releitura da Obra os Operarios_Arte na EJA

Trabalhando as Diferenças com a Obra de Tarsila do Amaral. A obra foi escolhida porque retrata o mundo do trabalho e o trabalho faz parte do cotidiano da turma. São trabalhadoras, mas temos especifidades.

trabalhando as diferenças com a obra de tarsila d
Como compor um slogan Conciliar necessidades opostas – prestígio x utilidade, conformidade x distinção, segurança x aventura, submissão x dominação etc; Exemplo de prestígio x utilidade Tam. Um estilo de voar (“Um estilo”=prestígio, “de voar” = utilidade) American Airlines. Algo de especial no ar. (“Algo de especial” = prestígio, “no ar” = utilidade)
Como compor um slogan Exemplo de “estar conforme” x “distinguir-se” Itaú Private Bank. O seu banco particular. ( “O seu banco”= estar conforme, “particular”= distinguir-se)
Como compor um slogan Exemplos de “segurança” x “aventura” Lg. A cara do futuro. (“A cara”= segurança, “do futuro”= aventura) Ford Ka. A cara do novo. (“A cara”=segurança, “do novo”=aventura)
EXEMPLOS Historicamente, o slogan da Coca-Cola é atualizado a cada sete ou oito anos. Abaixo, os slogans utilizados até hoje: Até 1942 – Deliciosa e refrescante; 1942-1950 – A pausa que refresca; 1951-1965 – Isto faz um bem; 1966-1971 – Tudo vai melhor com Coca-Cola 1972-1976 – Isto é que é, Coca-Cola; 1977-1982 – Coca-Cola dá mais vida; 1983-1989 – Coca-Cola é isso aí; 1989-1993 – Emoção pra valer; 1993-1999 – Sempre Coca-Cola; 2000-2001 – Curta Coca-Cola (Enjoy Coke); 2001 – Gostoso é viver

Recomendado para você

Prova de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 anoProva de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 ano

1) O documento é uma avaliação final de arte do 6o ano que contém 16 questões sobre fotografia, cinema e artes visuais. 2) A primeira questão importante para a fotografia foi a câmera escura. 3) Diferentes estilos de fotografia são representados nas imagens, incluindo fotografia aquática e documental.

Dinâmica 1º dia de Aula Ingles
Dinâmica 1º dia de Aula InglesDinâmica 1º dia de Aula Ingles
Dinâmica 1º dia de Aula Ingles

O documento descreve uma dinâmica para o primeiro dia de aula chamada "Quem sou eu?", na qual os alunos recebem cartões com figuras e devem adivinhar uns dos outros dizendo "Eu sou Fulano e sou uma bola". A dinâmica ajuda os alunos a aprenderem os nomes uns dos outros e também pode ser usada para revisar vocabulário básico.

dinâmica 1º dia de aula inglês
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesa

O documento apresenta a Matriz de Referência de Língua Portuguesa do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) para o Ensino Médio, detalhando os descritores avaliados nas séries 1a, 2a e 3a, incluindo a localização de informações em textos, reconhecimento de gêneros discursivos e relações entre textos.

EXEMPLOS Slogans mundiais: “ Just do it”  -  Nike  -  Apenas faça “ Think different”  -  Apple  - Pense diferente
Quando produto e slogan tornam-se sinônimos Bombril – “Mil e uma utilidades” Caracterizado por expressões como “funcionário bombril” Caninha 51 – “Uma boa idéia”

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Jose Manuel Alho
 
Jogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesaJogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesa
Jorge Luciano
 
Anúncio publicitário 4o. bimestre
Anúncio publicitário 4o. bimestreAnúncio publicitário 4o. bimestre
Anúncio publicitário 4o. bimestre
Marcia Facelli
 
Crônica, verbo e advérbio
Crônica, verbo e advérbioCrônica, verbo e advérbio
Crônica, verbo e advérbio
Renato Rodrigues
 
Notícia gênero textual
Notícia gênero textualNotícia gênero textual
Notícia gênero textual
Ana Lúcia Moura Neves
 
Ii simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunos
Ii   simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunosIi   simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunos
Ii simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunos
Hilton Cézar Rezende
 
Slides cartas
Slides  cartasSlides  cartas
Slides cartas
Vitória Medeiros
 
O que é propaganda???
O que é propaganda???O que é propaganda???
O que é propaganda???
Giorgia Barreto Lima Parrião
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide
Jaciara Mota
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
Edson Alves
 
Estrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativoEstrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativo
7 de Setembro
 
Propaganda e publicidade conceito
Propaganda e publicidade conceitoPropaganda e publicidade conceito
Propaganda e publicidade conceito
Maninho Walker
 
SIMULADO SARESP - Língua Portuguesa
SIMULADO SARESP - Língua PortuguesaSIMULADO SARESP - Língua Portuguesa
SIMULADO SARESP - Língua Portuguesa
Paula Meyer Piagentini
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
Valeria Nunes
 
Releitura da Obra os Operarios_Arte na EJA
Releitura da Obra os Operarios_Arte na EJAReleitura da Obra os Operarios_Arte na EJA
Releitura da Obra os Operarios_Arte na EJA
DafianaCarlos
 
Prova de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 anoProva de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 ano
Bárbara Fonseca
 
Dinâmica 1º dia de Aula Ingles
Dinâmica 1º dia de Aula InglesDinâmica 1º dia de Aula Ingles
Dinâmica 1º dia de Aula Ingles
Adilson P Motta Motta
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesa
PacatubaLei
 
Atividade vanguardas europeias
Atividade vanguardas europeiasAtividade vanguardas europeias
Atividade vanguardas europeias
kelma Ferreira
 
Figuras de linguagem completo
Figuras de linguagem completoFiguras de linguagem completo
Figuras de linguagem completo
CDIM Daniel
 

Mais procurados (20)

Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Jogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesaJogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesa
 
Anúncio publicitário 4o. bimestre
Anúncio publicitário 4o. bimestreAnúncio publicitário 4o. bimestre
Anúncio publicitário 4o. bimestre
 
Crônica, verbo e advérbio
Crônica, verbo e advérbioCrônica, verbo e advérbio
Crônica, verbo e advérbio
 
Notícia gênero textual
Notícia gênero textualNotícia gênero textual
Notícia gênero textual
 
Ii simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunos
Ii   simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunosIi   simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunos
Ii simulado da prova saego-saeb-9ºano - alunos
 
Slides cartas
Slides  cartasSlides  cartas
Slides cartas
 
O que é propaganda???
O que é propaganda???O que é propaganda???
O que é propaganda???
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
 
Estrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativoEstrutura do texto argumentativo
Estrutura do texto argumentativo
 
Propaganda e publicidade conceito
Propaganda e publicidade conceitoPropaganda e publicidade conceito
Propaganda e publicidade conceito
 
SIMULADO SARESP - Língua Portuguesa
SIMULADO SARESP - Língua PortuguesaSIMULADO SARESP - Língua Portuguesa
SIMULADO SARESP - Língua Portuguesa
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Releitura da Obra os Operarios_Arte na EJA
Releitura da Obra os Operarios_Arte na EJAReleitura da Obra os Operarios_Arte na EJA
Releitura da Obra os Operarios_Arte na EJA
 
Prova de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 anoProva de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 ano
 
Dinâmica 1º dia de Aula Ingles
Dinâmica 1º dia de Aula InglesDinâmica 1º dia de Aula Ingles
Dinâmica 1º dia de Aula Ingles
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesa
 
Atividade vanguardas europeias
Atividade vanguardas europeiasAtividade vanguardas europeias
Atividade vanguardas europeias
 
Figuras de linguagem completo
Figuras de linguagem completoFiguras de linguagem completo
Figuras de linguagem completo
 

Destaque

WDL - Regras para criar um slogan muito bom
WDL - Regras para criar um slogan muito bomWDL - Regras para criar um slogan muito bom
WDL - Regras para criar um slogan muito bom
We Do Logos
 
Título e Slogan
Título e SloganTítulo e Slogan
Título e Slogan
Doisnovemeia Publicidade
 
Slogan 1º ciclo
Slogan 1º cicloSlogan 1º ciclo
Slogan 1º ciclo
ervadaninhapt
 
Oficina sobre Slogan - Ninguém nunca falou tanto sobre três, quatro palavras ...
Oficina sobre Slogan - Ninguém nunca falou tanto sobre três, quatro palavras ...Oficina sobre Slogan - Ninguém nunca falou tanto sobre três, quatro palavras ...
Oficina sobre Slogan - Ninguém nunca falou tanto sobre três, quatro palavras ...
Mauro Sérgio
 
ANUNCIO PUBLICITARIO
ANUNCIO PUBLICITARIOANUNCIO PUBLICITARIO
ANUNCIO PUBLICITARIO
Yuuli92
 
Logotipo ou logo, logomarca e slogan
Logotipo ou logo, logomarca e sloganLogotipo ou logo, logomarca e slogan
Logotipo ou logo, logomarca e slogan
Silvia Reis
 
Utilização dos recursos linguísticos na publicidade
Utilização dos recursos linguísticos na publicidadeUtilização dos recursos linguísticos na publicidade
Utilização dos recursos linguísticos na publicidade
Beth Cordeiro
 
Aula sobre logotipos e logomarcas
Aula sobre logotipos e logomarcasAula sobre logotipos e logomarcas
Aula sobre logotipos e logomarcas
Argeu Amorim Silveira
 
ApresentaçãO Publicidade
ApresentaçãO PublicidadeApresentaçãO Publicidade
ApresentaçãO Publicidade
MARIA NOGUE
 
Publicidade
PublicidadePublicidade
Publicidade
António Mateus
 
WDL - como criar nomes para empresas
WDL - como criar nomes para empresasWDL - como criar nomes para empresas
WDL - como criar nomes para empresas
We Do Logos
 
A Publicidade
A PublicidadeA Publicidade
A Publicidade
armindaalmeida
 
Soter imagem
Soter imagemSoter imagem
Soter imagem
Jonas Barros Soares
 
Referências
ReferênciasReferências
Estratgias criativas-redacao-publicitaria4290
Estratgias criativas-redacao-publicitaria4290Estratgias criativas-redacao-publicitaria4290
Estratgias criativas-redacao-publicitaria4290
Josué Brazil
 
Redes sociais
Redes sociaisRedes sociais
Redes sociais
Josué Brazil
 
Apresentacao tania
Apresentacao taniaApresentacao tania
Apresentacao tania
Bruna Oliveira
 
Práticas de propaganda robert
Práticas de propaganda robertPráticas de propaganda robert
Práticas de propaganda robert
talitacampione
 
Redação de slogans inesquecíveis
Redação de slogans inesquecíveisRedação de slogans inesquecíveis
Redação de slogans inesquecíveis
VOZ Comunica
 
Gamefication
GameficationGamefication
Gamefication
Josué Brazil
 

Destaque (20)

WDL - Regras para criar um slogan muito bom
WDL - Regras para criar um slogan muito bomWDL - Regras para criar um slogan muito bom
WDL - Regras para criar um slogan muito bom
 
Título e Slogan
Título e SloganTítulo e Slogan
Título e Slogan
 
Slogan 1º ciclo
Slogan 1º cicloSlogan 1º ciclo
Slogan 1º ciclo
 
Oficina sobre Slogan - Ninguém nunca falou tanto sobre três, quatro palavras ...
Oficina sobre Slogan - Ninguém nunca falou tanto sobre três, quatro palavras ...Oficina sobre Slogan - Ninguém nunca falou tanto sobre três, quatro palavras ...
Oficina sobre Slogan - Ninguém nunca falou tanto sobre três, quatro palavras ...
 
ANUNCIO PUBLICITARIO
ANUNCIO PUBLICITARIOANUNCIO PUBLICITARIO
ANUNCIO PUBLICITARIO
 
Logotipo ou logo, logomarca e slogan
Logotipo ou logo, logomarca e sloganLogotipo ou logo, logomarca e slogan
Logotipo ou logo, logomarca e slogan
 
Utilização dos recursos linguísticos na publicidade
Utilização dos recursos linguísticos na publicidadeUtilização dos recursos linguísticos na publicidade
Utilização dos recursos linguísticos na publicidade
 
Aula sobre logotipos e logomarcas
Aula sobre logotipos e logomarcasAula sobre logotipos e logomarcas
Aula sobre logotipos e logomarcas
 
ApresentaçãO Publicidade
ApresentaçãO PublicidadeApresentaçãO Publicidade
ApresentaçãO Publicidade
 
Publicidade
PublicidadePublicidade
Publicidade
 
WDL - como criar nomes para empresas
WDL - como criar nomes para empresasWDL - como criar nomes para empresas
WDL - como criar nomes para empresas
 
A Publicidade
A PublicidadeA Publicidade
A Publicidade
 
Soter imagem
Soter imagemSoter imagem
Soter imagem
 
Referências
ReferênciasReferências
Referências
 
Estratgias criativas-redacao-publicitaria4290
Estratgias criativas-redacao-publicitaria4290Estratgias criativas-redacao-publicitaria4290
Estratgias criativas-redacao-publicitaria4290
 
Redes sociais
Redes sociaisRedes sociais
Redes sociais
 
Apresentacao tania
Apresentacao taniaApresentacao tania
Apresentacao tania
 
Práticas de propaganda robert
Práticas de propaganda robertPráticas de propaganda robert
Práticas de propaganda robert
 
Redação de slogans inesquecíveis
Redação de slogans inesquecíveisRedação de slogans inesquecíveis
Redação de slogans inesquecíveis
 
Gamefication
GameficationGamefication
Gamefication
 

Semelhante a O slogan

Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.
Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.
Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.
Joyce Gomes
 
Trab tania
Trab taniaTrab tania
Trab tania
vitorpignanelli
 
Trab tania
Trab taniaTrab tania
Trab tania
vitorpignanelli
 
Presentation1
Presentation1Presentation1
Título e Slogan
Título e SloganTítulo e Slogan
Título e Slogan
Doisnovemeia Publicidade
 
Aulas 9 e 10
Aulas 9 e 10Aulas 9 e 10
Estudo para Naming
Estudo para Naming Estudo para Naming
Estudo para Naming
Mauro Sérgio
 
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Diego Moreau
 
Sutil naming
Sutil namingSutil naming
Sutil naming
Sergio Guardado
 
Apostila Construção de Marca
Apostila Construção de MarcaApostila Construção de Marca
Apostila Construção de Marca
Ana Cristina D Assumpcão
 
Rethinking Brand. Por Daniel Padilha
Rethinking Brand. Por Daniel PadilhaRethinking Brand. Por Daniel Padilha
Rethinking Brand. Por Daniel Padilha
TrespontosBrasil
 
Título e Slogan - Gabriel Cunha
Título e Slogan - Gabriel CunhaTítulo e Slogan - Gabriel Cunha
Título e Slogan - Gabriel Cunha
Doisnovemeia Publicidade
 
Aula 2 - Gestão de Marcas em Mídias Sociais e Redes Sociais
Aula 2 - Gestão de Marcas em Mídias Sociais e Redes SociaisAula 2 - Gestão de Marcas em Mídias Sociais e Redes Sociais
Aula 2 - Gestão de Marcas em Mídias Sociais e Redes Sociais
MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
 
Gerenciamento de marcas
Gerenciamento de marcasGerenciamento de marcas
Gerenciamento de marcas
Flávia Camargo Bernardi
 
Powerbranding
PowerbrandingPowerbranding
Powerbranding
Manoel Marcondes Neto
 
Nomes Mercadológicos - Do Luxo ao Lixo
Nomes Mercadológicos - Do Luxo ao LixoNomes Mercadológicos - Do Luxo ao Lixo
Nomes Mercadológicos - Do Luxo ao Lixo
Diego Fialho
 
What's Your Naming?
What's Your Naming?What's Your Naming?
What's Your Naming?
Lucaz Mathias
 
Kolynos final
Kolynos finalKolynos final
Kolynos final
Camilla Ghermandi
 
Pp mat4
Pp mat4Pp mat4
Pp mat4
Angelo Yasui
 
MARCAS E PRODUTOS
MARCAS E PRODUTOSMARCAS E PRODUTOS
MARCAS E PRODUTOS
Odair Tuono
 

Semelhante a O slogan (20)

Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.
Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.
Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.
 
Trab tania
Trab taniaTrab tania
Trab tania
 
Trab tania
Trab taniaTrab tania
Trab tania
 
Presentation1
Presentation1Presentation1
Presentation1
 
Título e Slogan
Título e SloganTítulo e Slogan
Título e Slogan
 
Aulas 9 e 10
Aulas 9 e 10Aulas 9 e 10
Aulas 9 e 10
 
Estudo para Naming
Estudo para Naming Estudo para Naming
Estudo para Naming
 
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
 
Sutil naming
Sutil namingSutil naming
Sutil naming
 
Apostila Construção de Marca
Apostila Construção de MarcaApostila Construção de Marca
Apostila Construção de Marca
 
Rethinking Brand. Por Daniel Padilha
Rethinking Brand. Por Daniel PadilhaRethinking Brand. Por Daniel Padilha
Rethinking Brand. Por Daniel Padilha
 
Título e Slogan - Gabriel Cunha
Título e Slogan - Gabriel CunhaTítulo e Slogan - Gabriel Cunha
Título e Slogan - Gabriel Cunha
 
Aula 2 - Gestão de Marcas em Mídias Sociais e Redes Sociais
Aula 2 - Gestão de Marcas em Mídias Sociais e Redes SociaisAula 2 - Gestão de Marcas em Mídias Sociais e Redes Sociais
Aula 2 - Gestão de Marcas em Mídias Sociais e Redes Sociais
 
Gerenciamento de marcas
Gerenciamento de marcasGerenciamento de marcas
Gerenciamento de marcas
 
Powerbranding
PowerbrandingPowerbranding
Powerbranding
 
Nomes Mercadológicos - Do Luxo ao Lixo
Nomes Mercadológicos - Do Luxo ao LixoNomes Mercadológicos - Do Luxo ao Lixo
Nomes Mercadológicos - Do Luxo ao Lixo
 
What's Your Naming?
What's Your Naming?What's Your Naming?
What's Your Naming?
 
Kolynos final
Kolynos finalKolynos final
Kolynos final
 
Pp mat4
Pp mat4Pp mat4
Pp mat4
 
MARCAS E PRODUTOS
MARCAS E PRODUTOSMARCAS E PRODUTOS
MARCAS E PRODUTOS
 

Mais de Josué Brazil

Palestra Etec
Palestra EtecPalestra Etec
Palestra Etec
Josué Brazil
 
Palestra Fatec
Palestra FatecPalestra Fatec
Palestra Fatec
Josué Brazil
 
Relatorio pesquisa dia_maes_2017
Relatorio pesquisa dia_maes_2017Relatorio pesquisa dia_maes_2017
Relatorio pesquisa dia_maes_2017
Josué Brazil
 
Pesquisa 13 salario unitau formatada 08 12 2016
Pesquisa 13 salario unitau formatada 08 12 2016Pesquisa 13 salario unitau formatada 08 12 2016
Pesquisa 13 salario unitau formatada 08 12 2016
Josué Brazil
 
Tendências e tecnologia
Tendências e tecnologiaTendências e tecnologia
Tendências e tecnologia
Josué Brazil
 
Vídeo institucional
Vídeo institucionalVídeo institucional
Vídeo institucional
Josué Brazil
 
Texto eficiente
Texto eficienteTexto eficiente
Texto eficiente
Josué Brazil
 
Tom de voz
Tom de vozTom de voz
Tom de voz
Josué Brazil
 
Call to-action
Call to-actionCall to-action
Call to-action
Josué Brazil
 
Redação para as mídias sociais
Redação para as mídias sociaisRedação para as mídias sociais
Redação para as mídias sociais
Josué Brazil
 
Uma nova era
Uma nova eraUma nova era
Uma nova era
Josué Brazil
 
Planejamento e gestão de mídias sociais
Planejamento e gestão de mídias sociaisPlanejamento e gestão de mídias sociais
Planejamento e gestão de mídias sociais
Josué Brazil
 
Como contratar uma produtora
Como contratar uma produtoraComo contratar uma produtora
Como contratar uma produtora
Josué Brazil
 
Criação para os novos formatos de comunicação
Criação para os novos formatos de comunicaçãoCriação para os novos formatos de comunicação
Criação para os novos formatos de comunicação
Josué Brazil
 
Redação para anúncios de revistas
Redação para anúncios de revistasRedação para anúncios de revistas
Redação para anúncios de revistas
Josué Brazil
 
O que é redação publicitária
O que é redação publicitáriaO que é redação publicitária
O que é redação publicitária
Josué Brazil
 
Produtor de rtvc
Produtor de rtvcProdutor de rtvc
Produtor de rtvc
Josué Brazil
 
Prospecção
ProspecçãoProspecção
Prospecção
Josué Brazil
 
Comunicação digital, marketing digital e as mídias
Comunicação digital, marketing digital e as mídiasComunicação digital, marketing digital e as mídias
Comunicação digital, marketing digital e as mídias
Josué Brazil
 
Propaganda direta & marketing direto
Propaganda direta & marketing diretoPropaganda direta & marketing direto
Propaganda direta & marketing direto
Josué Brazil
 

Mais de Josué Brazil (20)

Palestra Etec
Palestra EtecPalestra Etec
Palestra Etec
 
Palestra Fatec
Palestra FatecPalestra Fatec
Palestra Fatec
 
Relatorio pesquisa dia_maes_2017
Relatorio pesquisa dia_maes_2017Relatorio pesquisa dia_maes_2017
Relatorio pesquisa dia_maes_2017
 
Pesquisa 13 salario unitau formatada 08 12 2016
Pesquisa 13 salario unitau formatada 08 12 2016Pesquisa 13 salario unitau formatada 08 12 2016
Pesquisa 13 salario unitau formatada 08 12 2016
 
Tendências e tecnologia
Tendências e tecnologiaTendências e tecnologia
Tendências e tecnologia
 
Vídeo institucional
Vídeo institucionalVídeo institucional
Vídeo institucional
 
Texto eficiente
Texto eficienteTexto eficiente
Texto eficiente
 
Tom de voz
Tom de vozTom de voz
Tom de voz
 
Call to-action
Call to-actionCall to-action
Call to-action
 
Redação para as mídias sociais
Redação para as mídias sociaisRedação para as mídias sociais
Redação para as mídias sociais
 
Uma nova era
Uma nova eraUma nova era
Uma nova era
 
Planejamento e gestão de mídias sociais
Planejamento e gestão de mídias sociaisPlanejamento e gestão de mídias sociais
Planejamento e gestão de mídias sociais
 
Como contratar uma produtora
Como contratar uma produtoraComo contratar uma produtora
Como contratar uma produtora
 
Criação para os novos formatos de comunicação
Criação para os novos formatos de comunicaçãoCriação para os novos formatos de comunicação
Criação para os novos formatos de comunicação
 
Redação para anúncios de revistas
Redação para anúncios de revistasRedação para anúncios de revistas
Redação para anúncios de revistas
 
O que é redação publicitária
O que é redação publicitáriaO que é redação publicitária
O que é redação publicitária
 
Produtor de rtvc
Produtor de rtvcProdutor de rtvc
Produtor de rtvc
 
Prospecção
ProspecçãoProspecção
Prospecção
 
Comunicação digital, marketing digital e as mídias
Comunicação digital, marketing digital e as mídiasComunicação digital, marketing digital e as mídias
Comunicação digital, marketing digital e as mídias
 
Propaganda direta & marketing direto
Propaganda direta & marketing diretoPropaganda direta & marketing direto
Propaganda direta & marketing direto
 

Último

Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
Geagra UFG
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 

O slogan

  • 1. O SLOGAN A idéia concentrada
  • 2. SLOGAN - DEFINIÇÕES Sant’Anna (1982) define slogan como “uma sentença ou máxima que expressa uma qualidade, uma vantagem do produto, ou uma norma de ação do anunciante ou do produto para servir de guia ao consumidor”; Para ele o slogan é um lema, a expressão de uma idéia a respeito do produto ou do anunciante.
  • 3. SLOGAN - DEFINIÇÕES Já Martins (1997) afirma que o slogan “é uma máxima ou frase curta, concisa, marcante. É expressão concentrada que sugere uma idéia”; Deve ser de fácil percepção e memorização e marcar a idéia principal da mensagem. Também deve ser enfático, simples, resumido e dinâmico.
  • 4. SLOGAN - DEFINIÇÕES Perez & Bairon (2002) entendem o slogan como uma vocalização (vocare), no sentido de vocatio , a chamada ou a vocalização da marca; Ainda segundo esses autores os slogans “são frases ou sentenças usadas repetidamente na propaganda de um produto ou serviço”; O slogan é, para eles, “um comando para as relações internas e externas”; Concluindo, os referidos autores afirmam que “o slogan oraliza máximas que a coletividade aceita piamente como verdadeiras”.
  • 5. SLOGAN - DEFINIÇÕES Maingueneau (2001) vê semelhanças entre o provérbio (dito popular) e o slogan, pois ambos tem uma fórmula curta, cujo destino é ser repetido por um número ilimitado de locutores. Joga com rimas, simetrias silábicas, sintáticas ou lexicais; Para esse autor, “o slogan, assim como o provérbio, constitui uma espécie de citação”. Ou seja, aquele que o diz não toma para si a responsabilidade por esses enunciados, coloca-os como citações sem explicitar a fonte, que se supõe seja do conhecimento do co-enunciador (leitor-ouvinte-público receptor).
  • 6. SLOGAN - DEFINIÇÕES Maingueneau também enxerga diferenças entre os provérbios e os slogans. Um provérbio pode ser interpretável fora de qualquer contexto apropriado, particular; muitos slogans, ao contrário disso, estão ligados à situação de enunciação; Além disso, normalmente os provérbios são uma maneira de dizer e entender como as coisas funcionam, como funciona o mundo, enquanto que os slogans estão associados à sugestão e se prestam a marcar na memória do público consumidor a associação entre a marca e um argumento persuasivo.
  • 7. ORIGEM Segundo Martins (1997), o termo slogan vem do gaélico ( sluagh-ghairm ), uma língua do povo céltico, e significa “grito de guerra”; Foi utilizado pelos ambulantes, nas legendas e nas insígnias, até chegar aos anúncios dos jornais, revistas e a todas as outras peças publicitárias.
  • 8. Funções do slogan De acordo com Reboul (1975), podemos definir três funções básicas: Fazer aderir – é a função mais antiga e mais nobre, mas não é cumprida obrigatoriamente, ou seja, gostar de um slogan não significa aderir totalmente à idéia ou ao produto. Não cria vínculo entre seus destinatários; Prender a atenção – é o caso do slogan-título, cuja missão é induzir a ler ou a ouvir o texto que vem em seguida; Resumir – função mais freqüente e mais marcante, resume todo o conceito da campanha, do produto/serviço/marca, ou ainda toda uma ideologia (campanhas políticas, p.ex.)
  • 9. Características e/ou qualidades – Martins, 1997 e Sant’Anna, 1982. Ser positivo e original para atrair a atenção; Ser breve, constituído de quatro a seis palavras; Ser compreensível: fácil de entender e fixar; Ser preciso: com termos bem apropriados; Fazer uso do vocativo, dirigir-se a alguém; Ser incisivo, direto, não usar o condicional; Ter ritmo, cadência, sonoridade; Ser simpático, agradável, evitar ser arrogante.
  • 10. Como compor um slogan Martins, 1997 Usar figuras de retórica, tais como: Aliteração: repetição de sons Rimas pobres: assonância Eufonia: boa escolha de sons da palavra – ritmo Comparações: “Duro como ferro” Metáforas: “Ponha um tigre no seu carro”
  • 11. Como compor um slogan Martins, 1997 Hipérboles: “O máximo em som” Antíteses ou oposições: “Preço mínimo, duração máxima” Gradações: “Cin, Cin, Cinzano!” Elipses ou omissões (até mesmo de verbos): “Mais seguro, mais futuro” Exclamação: “Kolinos, ah!” Personificação ou prosopopéia: “Como um raio partiu o carro”
  • 12. Da rima ao neologismo... Conheça alguns recursos literários usados em slogans conhecidos: Metonímia é a substituição de um termo por outro que com ele tem relação de sentido lógica e constante. Há entre os termos afinidade ou continuidade de sentido. "Hoje é dia de sofá", slogan da rede de locadoras de vídeo e DVD Blockbuster, transfere, por sinédoque (tomar a parte pelo todo, o singular pelo plural, a matéria pelo produto), a idéia de exibição de filmes na TV da sala de estar para a do objeto em que isso ocorre na sala. Assim também ocorre com o slogan do Boticário ("frascos de natureza"), em que se toma a substância pelo recipiente. A metonímia é apenas um dos muitos recursos retóricos e literários usados pela publicidade para elaborar as mensagens com que vende produtos, empresas, imagens e conceitos. O conhecimento desses recursos torna mais fácil materializar uma idéia.
  • 13. Da rima ao neologismo... Aliteração "Pense forte, pense Ford." "Vira verão Samoa." "A Atma é ótima.“ Paralelismo "Você tem seu estilo. A Renner tem todos." "O mundo gira e a Lusitânia roda.“ Neologismo "O mundo é dos nets."
  • 14. Da rima ao neologismo... Coloquialidade "Coca-cola é isso aí!“ Ironia "O pior programa do mundo" (Perdidos na Noite, da Band) "Não é uma Brastemp“ Duplo sentido intencional "Globo, a gente se vê por aqui."
  • 15. Da rima ao neologismo... Rima "Quem bebe Grapete repete Grapete." "Tomou Doril, a dor sumiu“ Trocadilho "Salve-se quem tiver." (SulAmérica) "Ler ou não ser." (Siciliano) Intertextualidade "Perfeito para você." O slogan do Itaú Personalité remete ao do próprio banco que lhe serviu de matriz, o Itaú, "Feito para você". Universo semântico do produto "Põe na Cônsul" "Dummont - o primeiro a cada segundo." "O primeiro a dar as últimas." (Repórter Esso) "Tudo anda bem com Bardal."
  • 16. Como compor um slogan Reboul, 1975 Procurar a concisão através da eliminação das “palavra-ferramentas”, tais como as preposições, conjunções, artigos etc, em benefício das palavras plenas: verbos, adjetivos e nomes;
  • 17. Como compor um slogan Conciliar necessidades opostas – prestígio x utilidade, conformidade x distinção, segurança x aventura, submissão x dominação etc; Exemplo de prestígio x utilidade Tam. Um estilo de voar (“Um estilo”=prestígio, “de voar” = utilidade) American Airlines. Algo de especial no ar. (“Algo de especial” = prestígio, “no ar” = utilidade)
  • 18. Como compor um slogan Exemplo de “estar conforme” x “distinguir-se” Itaú Private Bank. O seu banco particular. ( “O seu banco”= estar conforme, “particular”= distinguir-se)
  • 19. Como compor um slogan Exemplos de “segurança” x “aventura” Lg. A cara do futuro. (“A cara”= segurança, “do futuro”= aventura) Ford Ka. A cara do novo. (“A cara”=segurança, “do novo”=aventura)
  • 20. EXEMPLOS Historicamente, o slogan da Coca-Cola é atualizado a cada sete ou oito anos. Abaixo, os slogans utilizados até hoje: Até 1942 – Deliciosa e refrescante; 1942-1950 – A pausa que refresca; 1951-1965 – Isto faz um bem; 1966-1971 – Tudo vai melhor com Coca-Cola 1972-1976 – Isto é que é, Coca-Cola; 1977-1982 – Coca-Cola dá mais vida; 1983-1989 – Coca-Cola é isso aí; 1989-1993 – Emoção pra valer; 1993-1999 – Sempre Coca-Cola; 2000-2001 – Curta Coca-Cola (Enjoy Coke); 2001 – Gostoso é viver
  • 21. EXEMPLOS Slogans mundiais: “ Just do it” - Nike - Apenas faça “ Think different” - Apple - Pense diferente
  • 22. Quando produto e slogan tornam-se sinônimos Bombril – “Mil e uma utilidades” Caracterizado por expressões como “funcionário bombril” Caninha 51 – “Uma boa idéia”