SlideShare uma empresa Scribd logo
O BARROCO
O BARROCO
•O termo Barroco advém
de uma pérola com esse
nome; é a pérola barroca,
que, por não ter sido
formada de modo
arredondado, fica
disforme. Dentro da Era
Clássica, o Barroco seria
uma “deformação” da
harmonia e da clareza
clássicas.
Pode-se afirmar que a literatura brasileira começa a
ser produzida a partir do
a) Quinhentismo; século XVI;
b) Classicismo; século XVI;
c) Barroco; século XVII;
d) Romantismo; século XIX;
e) Modernismo; século XX.
QUESTÃO
1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO
“A feição deles é serem pardos, maneira
d’avermelhados, de bons rostos e bons narizes, bem
feitos. Andam nus, sem nenhuma cobertura, nem estimam
nenhuma cousa cobrir, nem mostrar suas vergonhas. E
estão acerca disso com tanta inocência como têm em
mostrar o rosto”.
Carta de Pero Vaz de Caminha
(ENEM/ 2009) Ao se estabelecer uma relação entre a obra de
Eckhout e o trecho do texto de Caminha, conclui-se que:
A) ambos se identificam pelas características estéticas marcantes,
como tristeza e melancolia, do movimento romântico das artes
plásticas.
B) o artista, na pintura, foi fiel ao seu objeto, representando-o de
maneira realista, ao passo que o texto é apenas fantasioso.
C) a pintura e o texto têm uma característica em comum, que é
representar o habitante das terras que sofreriam processo
colonizador.
D) o texto e a pintura são baseados no contraste entre a cultura
europeia e a cultura indígena.
E) há forte direcionamento religioso no texto e na pintura, uma vez
que o índio representado é objeto da catequização jesuítica.
1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO
Diversos textos foram redigidos para descrever a
terra e narrar os acontecimentos no primeiro
século de colonização. Seis desses escritos
merecem destaque, por sua importância e pela
influência que exerceram não só naquele momento
como posteriormente, fornecendo material à
literatura indianista – à época do Romantismo – e
também à revisão da História oficial brasileira,
empreendida, sobretudo, pelos modernistas de
1922. Esses textos são:
1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO
Diário de Navegação – Pero Lopes de Sousa, 1532;
Cartas do Brasil e Mais Escritos – Pe. Manuel da
Nóbrega, 1549;
Diálogo sobre a Conversão dos Gentios - Pe. Manuel
da Nóbrega, 1557;
Tratado da Terra do Brasil – Pero Magalhães
Gândavo, 1576;
Histórias da Província da Santa Cruz a que
Vulgarmente Chamamos Brasil – Pero Magalhães Gândavo,
1576;
Tratado Descritivo do Brasil – Gabriel Soares de
Sousa, 1587.
1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO
Em Tratado da Terra do Brasil, por
exemplo, Pero Gândavo descreve um
ritual antropofágico, descrição esta
que seria utilizada mais tarde por José
de Alencar, em seu O Guarani, e por
Gonçalves Dias, no poema I-Juca
Pirama:
1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO
“Aquelle que o hade matar empenna-se
primeiro com pennas de papagaio de muitas
cores por todo o corpo; ha de ser este matador o
mais valente da terra , e mais honrado. Traz na
mão huma espada dum pao mui duro e pesado
com que costumão matar, [...] da-lhe uma
grande pancada na cabeça, e logo da primeira o
mata e lhe fazem em pedaços, [...] tudo emfim
cozem e assão, e não fica delle cousa que não
comam”.
1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO
(Questão modelo) Sobre a literatura produzida no primeiro
século da vida colonial brasileira, é correto afirmar que:
a) Inicia com Prosopopeia, de Bento Teixeira.
b) É constituída por documentos que informam acerca da
terra brasileira e pela literatura jesuítica.
c) Descreve com fidelidade e sem idealizações a terra e o
homem ao relatar as condições encontradas no Novo
Mundo.
d) Os textos que a constituem apresentam evidente
preocupação artística e pedagógica.
e) É formada principalmente de poemas narrativos e textos
dramáticos que visavam à catequese.
LITERATURA DE CATEQUESE
LITERATURA DE CATEQUESE
Jandé, rubeté, Iesu,
Jandé rekobé meengára,
oimomboreausukatú
Jandé amotareymbára.
Jesus, nosso verdadeiro Pai,
senhor da nossa existência, aniquilou
nosso inimigo.
O BARROCO
CONTEXTO HISTÓRICO
1. OS CONFLITOS RELIGIOSOS
CONTEXTO HISTÓRICO
2. AS REVOLUÇÕES CIENTÍFICAS
TENSÃO
CIÊNCIA x RELIGIÃO
PROTESTANTISMO
X
CATOLICISMO
ANTROPOCENTRISMO
X
TEOCENTRISMO
O BARROCO
CARACTERÍSTICAS
FUNDAMENTAIS
1. Culto ao contraste
•Aproximação de
realidades opostas;
•Forte contraste entre luz
e sombras.
O Nascimento de Vênus – Sandro Botticelli
Nossa
Senhora dos
Palafreneiros –
Caravaggio
O BARROCO
CARACTERÍSTICAS
FUNDAMENTAIS
2. Sentido trágico da
existência
• Reflexão sobre a
efemeridade da vida
As Vaidades da Vida Humana – Harmen Seenwyck
À instabilidade das cousas do mundo
Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
Depois da Luz se segue a noite escura,
Em tristes sombras morre a formosura,
Em contínuas tristezas as alegrias,
Porém, se acaba o Sol, por que nascia?
Se é tão formosa a Luz, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto, da pena assim se fia?
Mas no Sol, e na Luz falte a firmeza,
Na formosura não se dê constância,
E na alegria, sinta-se triste.
Começa o Mundo enfim pela ignorância
E tem qualquer dos bens por natureza
A firmeza somente na inconstância.
Gregório de Matos
O BARROCO
CARACTERÍSTICAS
FUNDAMENTAIS
3. Rebuscamento
• Diferentemente do
estilo classicista, o
barroco é marcado
pelas regras do
capricho e não as da
ordem e da clareza.
Alta-mor da Igreja de São Francisco de Assis. Salvador, Bahia
Características do barroco literário
Habilidade na construção de jogos de ideias
e de palavras
• Conceptismo: jogos de ideias caracterizados
pelas sutilezas do raciocínio e do
pensamento lógico, normalmente
construídas a partir de analogias.
Características do barroco literário
Habilidade na construção de jogos de ideias
e de palavras
• Cultismo: consiste no emprego excessivo de
figuras de linguagem, particularmente de
antíteses, hipérbatos e metáforas
O BARROCO
NO BRASIL
Gregório de Matos Guerra
(1633 - 1695)
PRODUÇÃO
POESIA LÍRICO-AMOROSA
POESIA SATÍRICA
POESIA LÍRICO-RELIGIOSA
Padre Antônio Vieira
(1608 – 1697)
CARACTERÍSTICA
FUNDAMENTAL
Sua obra se divide em:
a) Profecias (que encerram um
patriotismo exacerbado): História
do Futuro, Esperanças de
Portugal e Clavis Prophetarum,
em que profetiza para Portugal o
destino de Quinto Império do
Mundo, previsto, segundo ele, na
Bíblia, no Livro de Daniel;
CARACTERÍSTICA
FUNDAMENTAL
Sua obra se divide em:
b) cartas: cerca de 500 em que
trata de questões políticas
importantes, como o tratamento
dado pela inquisição aos cristãos-
novos e o relacionamento entre
Portugal e Holanda, entre outras;
CARACTERÍSTICA
FUNDAMENTAL
Sua obra se divide em:
c) sermões: são cerca
de 200 sermões
conceptistas, entre
os quais se
destacam:
CARACTERÍSTICA
FUNDAMENTAL
•Sermão de Santo
Antônio aos Peixes
(proferido no
Maranhão em 1654),
no qual critica a
escravidão dos
indígenas;
CARACTERÍSTICA
FUNDAMENTAL
•Sermão pelo Bom Sucesso
das Armas de Portugal contra
os Holandeses (proferido na
Bahia em 1640), em que faz
pregação contra os
holandeses, que ameaçam
invadir Salvador;
CARACTERÍSTICA
FUNDAMENTAL
•Sermão do Mandato
(proferido na Capela
Real em Lisboa em
1645), em que
desenvolve o tema do
amor místico;
CARACTERÍSTICA
FUNDAMENTAL
•Sermão da Sexagésima
(proferido na Capela Real
de Lisboa em 1653), em
que apresenta uma teoria
da arte de pregar na qual
critica o gongorismo dos
padres dominicanos.
(UFV-MG) Leia atentamente o fragmento do sermão do Padre Antônio Vieira:
A primeira cousa que me desedifica, peixes, de vós, é que comeis uns aos outros.
Grande escândalo é este, mas a circunstância o faz ainda maior. Não só vos comeis
uns aos outros, senão que os grandes comem os pequenos. Se fora pelo contrário
era menos mal. Se os pequenos comeram os grandes, bastara um grande para
muitos pequenos; mas como os grandes comem os pequenos, não bastam cem
pequenos, nem mil, para um só grande […]. Os homens, com suas más e perversas
cobiças, vêm a ser como os peixes que se comem uns aos outros. Tão alheia cousa
é não só da razão, mas da mesma natureza, que, sendo criados no mesmo
elemento, todos cidadãos da mesma pátria, e todos finalmente irmãos, vivais de
vos comer.
VIEIRA, Antônio. Obras completas do padre Antônio Vieira: sermões. Prefaciados e
revistos pelo Pe. Gonçalo Alves. Porto: Lello e Irmão — Editores, 1993. v. III, p. 264-
265.
O texto de Vieira contém algumas características do Barroco. Dentre as
alternativas abaixo, assinale aquela em que NÃO se confirmam essas
tendências estéticas:
(A) O culto do contraste, sugerindo a oposição bem / mal, em
linguagem simples, concisa, direta e expressiva da intenção barroca de
resgatar os valores greco-latinos.
(B) A tentativa de convencer o homem do século XVII, imbuído de
práticas e sentimentos comuns ao semipaganismo renascentista, a
retomar o caminho do espiritualismo medieval, privilegiando os
valores cristãos.
(C) A presença do discurso dramático, recorrendo ao princípio
horaciano de “ensinar deleitando” — tendência didática e
moralizante, comum à Contra-Reforma.
(D) O tratamento do tema principal — a denúncia à cobiça humana —
através do conceptismo, ou jogo de idéias.
(E) A utilização da alegoria, da comparação, como recursos oratórios,
visando à persuasão do ouvinte.
(MACKENZIE-SP) Assinale a alternativa incorreta:
a) Na obra de José de Anchieta, encontram-se poesias que seguem a tradição
medieval e textos para teatro com clara intenção catequista.
b) A literatura informativa do Quinhentismo brasileiro empenha-se em fazer um
levantamento da terra, daí ser predominantemente descritiva.
c) A literatura seiscentista reflete um dualismo:o ser humano dividido entre a
matéria e o espírito, o pecado e o perdão.
d) O Barroco apresenta estados de alma expressos através de antíteses, paradoxos,
interrogações.
e) O conceptismo caracteriza-se pela linguagem rebuscada, culta, extravagante,
enquanto o cultismo é marcado pelo jogo de idéias, seguindo um raciocínio lógico,
racionalista.
(UFOP) Sobre o Sermão da Sexagésima, de Antônio Vieira, é
incorreto dizer que:
a) obedece rigorosamente às regras mais fundamentais da retórica
para o púlpito, não descuidando de qualquer detalhe.
b) pode ser definido como “uma profissão de fé oratória”, uma vez
que aí ele expõe claramente os princípios de sua arte de pregar.
c) jamais se rende ao cultismo predominante na época, uma vez que
o critica de forma precisa e clara.
d) combina de modo bastante feliz as regras clássicas de um discurso
pagão aos princípios religiosos da doutrina cristã.
e) utiliza uma parábola do Evangelho de São Mateus como uma
metáfora que se desdobra em inúmeras variações.
(UEMS) Considere o texto (fragmento) “Sermão de Santo Antônio
aos peixes”, para responder às questões 4 e 5.
A primeira coisa que me desedifica, peixes, de vós, é que comeis uns
aos outros. Grande escândalo é este, mas a
circunstância o faz ainda maior. Não só vos comeis uns aos outros
senão que os grandes comem os pequenos. Se fora ao
contrário era menos mal. Se os pequenos comeram os grandes,
bastara um grande para muitos pequenos; mas como os grandes
comem os pequenos, não bastam cem pequenos, nem mil, para um
só grande. (...) Os homens com suas más e perversas cobiças, vêm a
ser como os peixes que se comem uns aos outros.
(Vieira, Antônio. Sermões: a arte da retórica. São Paulo: Russel,
2006.)
4. Considerando o texto “Sermão de Santo Antônio aos peixes” e o estilo
utilizado, Vieira
I. desenvolve seus temas por meio de raciocínios tortuosos e encadeamento
lógico.
II. estabelece analogias e comparações entre situações de sua época e passagens
bíblicas.
III. faz uso de rebuscada linguagem barroca, o que torna sua temática
ultrapassada.
IV. revela em seus textos um hábil manejo da linguagem.
É verdadeiro o que se afirma apenas em
A) I e II
B) I, II e IV
C) II e III
D) III e IV
E) I, II e III
5. O texto “Sermão de Santo Antônio aos peixes” implica uma atitude ético-
racional do ser humano diante das relações de
poder na sociedade. Portanto, em análise a esse texto, pode-se dizer que
A) assim como os peixes, sem distinção de tamanho, deveriam estar em
condições de se devorar uns aos outros, também os humanos deveriam
competir livremente Entre si, possibilitando assim uma distribuição mais
equânime das consequências e responsabilidades de uma sociedade
competitiva.
B) a eliminação dos mais fortes, com a consequente hegemonia dos fracos, é o
caminho mais seguro para a paz social.
C) o comportamento entendido como humano deve, cada vez mais, distinguir-
se do comportamento regido pelas leis da
natureza, tipicamente marcada pela relação entre fortes e fracos, predadores e
presas.
D) a natureza nos ensina que “a lei do mais forte” é, em si, promotora de
desenvolvimento.
E) a aptidão ao poder deve ser desenvolvida em cada um, para que não haja
devorados, mas apenas devoradores.
A ARTE
BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
Análise da Obra :
No quadro é encenada a deposição
do corpo de Jesus Cristo em um
túmulo após sua morte. É um
quadro expressivo e dramático
onde podem ser observados
elementos do estilo barroco:
A ARTE BARROCA
Luz e Sombra:
Podemos observar que há um
jogo de luz e sombra, onde o
corpo de Jesus é o foco, está
mais iluminado, representando o
Sagrado, o santo.
A ARTE BARROCA
Intensidade Dramática:
A cena retratada em si já é dramática: a morte de
Jesus Cristo. Podemos observar o drama nas
expressões faciais de Jesus, daqueles que o
carregam, das duas mulheres de cabeça baixa aos
prantos e da mulher com os braços erguidos. Essa
mulher demonstra além do sofrimento, um louvor
aos céus, como se tivesse uma certeza de que Jesus
morreu para salva-los.
A ARTE BARROCA
Antagonismo:
Morte x Vida (salvação): A morte de
cristo que significou a salvação pra
os fiéis.
Sofrimento x Alívio: O sofrimento
pela morte de Cristo e ao mesmo
tempo o alívio da mulher louvando
aos céus pela salvação.
A ARTE BARROCA
Detalhes:
Observamos a riqueza dos detalhes
principalmente no corpo dos personagens. O
corpo forte e definido de Jesus, as pernas do
homem que o carrega são torneadas,
percebemos que há uma grande preocupação
com os detalhes do corpo. As expressões
faciais também são detalhadas e exprimem
emoção e sofrimento.
A ARTE BARROCA
Cores Vibrante:
As cores pesadas e fortes,
como o vermelho na capa de
um homem e laranja das
vestes do outro, por exemplo.
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
ROCOCÓ
estilo ornamental marcado pelas formas curvilíneas
e pela predominância do vazio sobre o cheio, com
ênfase nos contornos dourados sobre o branco.
BARROCO MINEIRO
A MÚSICA
BARROCA
A MÚSICA
BARROCA
A ARTE BARROCA
(Fuvest-SP) O Estado moderno absolutista
atingiu seu maior poder de atuação no século
XVII. Na arte e na economia suas expressões
foram respectivamente:
a) rococó e liberalismo.
b) renascentismo e capitalismo.
c) barroco e mercantilismo.
d) maneirismo e colonialismo.
e) classicismo e economicismo.
A ARTE BARROCA
O Barroco como afirmação artística religiosa buscava se opor aos conceitos
do Renascimento, principalmente a utilização do antropocentrismo e da
racionalidade na produção estética. Sobre o barroco, qual das afirmativas
abaixo é incorreta:
a) Há no barroco o surgimento de pinturas e esculturas marcadas por
formas retorcidas e tensas.
b) A preocupação do barroco era reforçar o racionalismo e equilibrá-lo
com as emoções, e não em criar uma arte mais emotiva e cotidiana.
c) A história e atributos de santos e mártires católicos se viam
representados com bastante frequência na pintura, nas esculturas e
construções do período, sendo que os elementos eram dispostos de
maneira pouco simétrica, assumindo na maioria das vezes uma
organização diagonal.
d) A valorização das cores e a contraposição de luzes e sombras tinham
grande importância na demonstração dos gestos e estados de espírito do
homem.
e) O culto ao contraste, o sentido trágico da existência e o rebuscamento
A ARTE BARROCA
11. A respeito da arte Barroca julgue nos itens:
( ) Tudo na arte barroca invocava a teatralidade e o movimento.
( ) Na pintura, temas religiosos eram transmitidos através da emoção.
( ) Composição em diagonal e contraste de claro e escuro, não constituíram
características da pintura barroca.
( ) O barroco tinha um caráter extremamente racional.
( ) O período barroco caracteriza-se, dentre outros temas, pela presença da
religiosidade por meio de ideias contrárias como pecado e perdão, castigo e
arrependimento, e da morte como expressão da fragilidade da vida.
a) F V F F V
b) V V F V F
c) F V V V F
d) V F F V V
e) F V F V V
A ARTE BARROCA
UFMS
Sobre o "Barroco Mineiro", é INCORRETO afirmar que
a) os principais artistas do barroco mineiro nada mais eram que simples
artesãos e homens de ofício, que não possuíam sequer profissão
reconhecida, pois a maioria deles era de mulatos e estes, no máximo,
conseguiam autorização oficial para trabalhar.
b) Manoel da Costa Ataíde – o mestre Ataíde, foi um importante pintor
dos tetos de muitas igrejas mineiras.
c) Antônio Francisco de Lisboa, também conhecido como Aleijadinho,
foi escultor e arquiteto e o principal representante do barroco mineiro.
d) o Barroco Mineiro foi diretamente influenciado pelo Barroco
Italiano.
e) os brancos e os bem estabelecidos recebiam o título de mestres de
ofício. Alguns pintores, pedreiros, carpinteiros, arquitetos e
entalhadores de grande criatividade e habilidade foram, mais tarde,

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte Barroca
Arte BarrocaArte Barroca
Arte Barroca
Carlos Pinheiro
 
Trabalho de literatura- barroco
Trabalho de literatura- barroco Trabalho de literatura- barroco
Trabalho de literatura- barroco
Rebeka Caetano Lima
 
O ouro e o barroco
O ouro e o barrocoO ouro e o barroco
Arte barroca slides 33
Arte barroca slides 33Arte barroca slides 33
Arte barroca slides 33
zildagomesk
 
Arte barroca
Arte barrocaArte barroca
Arte barroca
cattonia
 
Barroco
BarrocoBarroco
Literatura - Barroco
Literatura - BarrocoLiteratura - Barroco
Literatura - Barroco
CrisBiagio
 
Barroco - Literatura.
Barroco - Literatura.Barroco - Literatura.
Barroco - Literatura.
Julia Maldonado Garcia
 
Parnasianismo'
Parnasianismo'Parnasianismo'
Barroco literatura
Barroco literatura Barroco literatura
Barroco literatura
91118538
 
Barroco
BarrocoBarroco
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Barroco
BarrocoBarroco
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasil
CEF16
 
Arte - Realismo
Arte - RealismoArte - Realismo
Arte - Realismo
Maiara Giordani
 
Arte românica e arte gótica 2014
Arte românica e arte gótica 2014Arte românica e arte gótica 2014
Arte românica e arte gótica 2014
Colégio Pedro II - Campus Centro
 
Barroco
BarrocoBarroco
Arte - Romantismo
Arte - RomantismoArte - Romantismo
Arte - Romantismo
Maiara Giordani
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
Gleidson Luis
 
BARROCO NO BRASIL
BARROCO NO BRASILBARROCO NO BRASIL
BARROCO NO BRASIL
Luzia de Fatima LayolaNunes
 

Mais procurados (20)

Arte Barroca
Arte BarrocaArte Barroca
Arte Barroca
 
Trabalho de literatura- barroco
Trabalho de literatura- barroco Trabalho de literatura- barroco
Trabalho de literatura- barroco
 
O ouro e o barroco
O ouro e o barrocoO ouro e o barroco
O ouro e o barroco
 
Arte barroca slides 33
Arte barroca slides 33Arte barroca slides 33
Arte barroca slides 33
 
Arte barroca
Arte barrocaArte barroca
Arte barroca
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Literatura - Barroco
Literatura - BarrocoLiteratura - Barroco
Literatura - Barroco
 
Barroco - Literatura.
Barroco - Literatura.Barroco - Literatura.
Barroco - Literatura.
 
Parnasianismo'
Parnasianismo'Parnasianismo'
Parnasianismo'
 
Barroco literatura
Barroco literatura Barroco literatura
Barroco literatura
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasil
 
Arte - Realismo
Arte - RealismoArte - Realismo
Arte - Realismo
 
Arte românica e arte gótica 2014
Arte românica e arte gótica 2014Arte românica e arte gótica 2014
Arte românica e arte gótica 2014
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Arte - Romantismo
Arte - RomantismoArte - Romantismo
Arte - Romantismo
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
BARROCO NO BRASIL
BARROCO NO BRASILBARROCO NO BRASIL
BARROCO NO BRASIL
 

Destaque

Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
Dai Pinheiro
 
Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009
Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009
Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009
angeldenis21
 
Enem 51 2014
Enem 51 2014Enem 51 2014
Enem 51 2014
Léo Miranda
 
Arcadismo (1768 1836)
Arcadismo (1768   1836)Arcadismo (1768   1836)
Arcadismo (1768 1836)
Dai Pinheiro
 
Barroco português
Barroco portuguêsBarroco português
Barroco português
ProfCharlesChristie
 
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileirasTerceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
ma.no.el.ne.ves
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barrocowww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
Annalu Jannuzzi
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
Luiz Lisboa
 
Barroco em Português
Barroco em PortuguêsBarroco em Português
Barroco em Português
thiago2013
 
O barroco português
O barroco portuguêsO barroco português
O barroco português
gean caboclo
 
Terceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: LiteraturaTerceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: Literatura
ma.no.el.ne.ves
 
O Barroco na Literatura
O Barroco na LiteraturaO Barroco na Literatura
O Barroco na Literatura
Joana Filipa Rodrigues
 
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textualSegunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
ma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e IdentidadesSegunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
ma.no.el.ne.ves
 
O Barroco no Brasil
O Barroco no BrasilO Barroco no Brasil
O Barroco no Brasil
jonatasyuk
 
Características do barroco português slide
Características do barroco português slideCaracterísticas do barroco português slide
Características do barroco português slide
Igor Ribeiro
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
mirandakika
 
Caspar david friedrich_moonwatchers
Caspar david friedrich_moonwatchersCaspar david friedrich_moonwatchers
Caspar david friedrich_moonwatchers
Ana Isabel Falé
 
Pintura barroca
Pintura barrocaPintura barroca
Pintura barroca
angeldenis21
 

Destaque (20)

Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009
Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009
Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009
 
Enem 51 2014
Enem 51 2014Enem 51 2014
Enem 51 2014
 
Arcadismo (1768 1836)
Arcadismo (1768   1836)Arcadismo (1768   1836)
Arcadismo (1768 1836)
 
Barroco português
Barroco portuguêsBarroco português
Barroco português
 
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileirasTerceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barrocowww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Barroco
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Barroco em Português
Barroco em PortuguêsBarroco em Português
Barroco em Português
 
O barroco português
O barroco portuguêsO barroco português
O barroco português
 
Terceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: LiteraturaTerceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: Literatura
 
O Barroco na Literatura
O Barroco na LiteraturaO Barroco na Literatura
O Barroco na Literatura
 
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textualSegunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
 
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e IdentidadesSegunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
 
O Barroco no Brasil
O Barroco no BrasilO Barroco no Brasil
O Barroco no Brasil
 
Características do barroco português slide
Características do barroco português slideCaracterísticas do barroco português slide
Características do barroco português slide
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Caspar david friedrich_moonwatchers
Caspar david friedrich_moonwatchersCaspar david friedrich_moonwatchers
Caspar david friedrich_moonwatchers
 
Pintura barroca
Pintura barrocaPintura barroca
Pintura barroca
 

Semelhante a O barroco

13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
Alecio Marcelo Vaz Vaz
 
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05   barroco em portugal e literatura informativaAula 05   barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
Jonatas Carlos
 
Barroco em Portugal
Barroco em PortugalBarroco em Portugal
Barroco em Portugal
Andréia Peixoto
 
Resumo de literatura
Resumo de literaturaResumo de literatura
Resumo de literatura
Nádia França
 
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCAA ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
Olivaldo Ferreira
 
Barroco
BarrocoBarroco
Literatura slides
Literatura  slidesLiteratura  slides
Literatura slides
Ma Hildebrand de Araujo
 
Aula barroco 1ano
Aula barroco 1anoAula barroco 1ano
Aula barroco 1ano
Luis Fernando
 
Barroco
Barroco Barroco
Barroco
peterloco
 
Unidade ii
Unidade iiUnidade ii
Slides barroco
Slides barrocoSlides barroco
Slides barroco
Aline Ferreira
 
Barroco.pptx
Barroco.pptxBarroco.pptx
Barroco.pptx
Camila24463
 
Barroco 2010
Barroco 2010Barroco 2010
Barroco
Barroco Barroco
Literatura Brasileira - escolas literárias.ppt
Literatura Brasileira - escolas literárias.pptLiteratura Brasileira - escolas literárias.ppt
Literatura Brasileira - escolas literárias.ppt
MaiteFerreira4
 
Resumão da escola literária BARROCO SLIDE
Resumão da escola literária BARROCO SLIDEResumão da escola literária BARROCO SLIDE
Resumão da escola literária BARROCO SLIDE
CamilaOliveira83116
 
Escola estadual professor joão cruz
Escola estadual professor joão cruzEscola estadual professor joão cruz
Escola estadual professor joão cruz
BiiancaAlvees
 
Sermão da sexagésima (slides)
Sermão da sexagésima (slides)Sermão da sexagésima (slides)
Sermão da sexagésima (slides)
Ana Paula
 
Barroco 1 ano
Barroco 1 anoBarroco 1 ano
Barroco 1 ano
Marilene dos Santos
 
Material de apoio trabalho de sala literatura
Material de apoio trabalho de sala literaturaMaterial de apoio trabalho de sala literatura
Material de apoio trabalho de sala literatura
Karla Mascarenhas
 

Semelhante a O barroco (20)

13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
 
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05   barroco em portugal e literatura informativaAula 05   barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
 
Barroco em Portugal
Barroco em PortugalBarroco em Portugal
Barroco em Portugal
 
Resumo de literatura
Resumo de literaturaResumo de literatura
Resumo de literatura
 
A ARTE BARROCA
A ARTE BARROCAA ARTE BARROCA
A ARTE BARROCA
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Literatura slides
Literatura  slidesLiteratura  slides
Literatura slides
 
Aula barroco 1ano
Aula barroco 1anoAula barroco 1ano
Aula barroco 1ano
 
Barroco
Barroco Barroco
Barroco
 
Unidade ii
Unidade iiUnidade ii
Unidade ii
 
Slides barroco
Slides barrocoSlides barroco
Slides barroco
 
Barroco.pptx
Barroco.pptxBarroco.pptx
Barroco.pptx
 
Barroco 2010
Barroco 2010Barroco 2010
Barroco 2010
 
Barroco
Barroco Barroco
Barroco
 
Literatura Brasileira - escolas literárias.ppt
Literatura Brasileira - escolas literárias.pptLiteratura Brasileira - escolas literárias.ppt
Literatura Brasileira - escolas literárias.ppt
 
Resumão da escola literária BARROCO SLIDE
Resumão da escola literária BARROCO SLIDEResumão da escola literária BARROCO SLIDE
Resumão da escola literária BARROCO SLIDE
 
Escola estadual professor joão cruz
Escola estadual professor joão cruzEscola estadual professor joão cruz
Escola estadual professor joão cruz
 
Sermão da sexagésima (slides)
Sermão da sexagésima (slides)Sermão da sexagésima (slides)
Sermão da sexagésima (slides)
 
Barroco 1 ano
Barroco 1 anoBarroco 1 ano
Barroco 1 ano
 
Material de apoio trabalho de sala literatura
Material de apoio trabalho de sala literaturaMaterial de apoio trabalho de sala literatura
Material de apoio trabalho de sala literatura
 

O barroco

  • 2. O BARROCO •O termo Barroco advém de uma pérola com esse nome; é a pérola barroca, que, por não ter sido formada de modo arredondado, fica disforme. Dentro da Era Clássica, o Barroco seria uma “deformação” da harmonia e da clareza clássicas.
  • 3. Pode-se afirmar que a literatura brasileira começa a ser produzida a partir do a) Quinhentismo; século XVI; b) Classicismo; século XVI; c) Barroco; século XVII; d) Romantismo; século XIX; e) Modernismo; século XX. QUESTÃO
  • 4. 1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO
  • 5.
  • 6. “A feição deles é serem pardos, maneira d’avermelhados, de bons rostos e bons narizes, bem feitos. Andam nus, sem nenhuma cobertura, nem estimam nenhuma cousa cobrir, nem mostrar suas vergonhas. E estão acerca disso com tanta inocência como têm em mostrar o rosto”. Carta de Pero Vaz de Caminha
  • 7. (ENEM/ 2009) Ao se estabelecer uma relação entre a obra de Eckhout e o trecho do texto de Caminha, conclui-se que: A) ambos se identificam pelas características estéticas marcantes, como tristeza e melancolia, do movimento romântico das artes plásticas. B) o artista, na pintura, foi fiel ao seu objeto, representando-o de maneira realista, ao passo que o texto é apenas fantasioso. C) a pintura e o texto têm uma característica em comum, que é representar o habitante das terras que sofreriam processo colonizador. D) o texto e a pintura são baseados no contraste entre a cultura europeia e a cultura indígena. E) há forte direcionamento religioso no texto e na pintura, uma vez que o índio representado é objeto da catequização jesuítica.
  • 8. 1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO Diversos textos foram redigidos para descrever a terra e narrar os acontecimentos no primeiro século de colonização. Seis desses escritos merecem destaque, por sua importância e pela influência que exerceram não só naquele momento como posteriormente, fornecendo material à literatura indianista – à época do Romantismo – e também à revisão da História oficial brasileira, empreendida, sobretudo, pelos modernistas de 1922. Esses textos são:
  • 9. 1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO Diário de Navegação – Pero Lopes de Sousa, 1532; Cartas do Brasil e Mais Escritos – Pe. Manuel da Nóbrega, 1549; Diálogo sobre a Conversão dos Gentios - Pe. Manuel da Nóbrega, 1557; Tratado da Terra do Brasil – Pero Magalhães Gândavo, 1576; Histórias da Província da Santa Cruz a que Vulgarmente Chamamos Brasil – Pero Magalhães Gândavo, 1576; Tratado Descritivo do Brasil – Gabriel Soares de Sousa, 1587.
  • 10. 1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO Em Tratado da Terra do Brasil, por exemplo, Pero Gândavo descreve um ritual antropofágico, descrição esta que seria utilizada mais tarde por José de Alencar, em seu O Guarani, e por Gonçalves Dias, no poema I-Juca Pirama:
  • 11. 1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO “Aquelle que o hade matar empenna-se primeiro com pennas de papagaio de muitas cores por todo o corpo; ha de ser este matador o mais valente da terra , e mais honrado. Traz na mão huma espada dum pao mui duro e pesado com que costumão matar, [...] da-lhe uma grande pancada na cabeça, e logo da primeira o mata e lhe fazem em pedaços, [...] tudo emfim cozem e assão, e não fica delle cousa que não comam”.
  • 12. 1. LITERATURA DE INFORMAÇÃO (Questão modelo) Sobre a literatura produzida no primeiro século da vida colonial brasileira, é correto afirmar que: a) Inicia com Prosopopeia, de Bento Teixeira. b) É constituída por documentos que informam acerca da terra brasileira e pela literatura jesuítica. c) Descreve com fidelidade e sem idealizações a terra e o homem ao relatar as condições encontradas no Novo Mundo. d) Os textos que a constituem apresentam evidente preocupação artística e pedagógica. e) É formada principalmente de poemas narrativos e textos dramáticos que visavam à catequese.
  • 14.
  • 15. LITERATURA DE CATEQUESE Jandé, rubeté, Iesu, Jandé rekobé meengára, oimomboreausukatú Jandé amotareymbára. Jesus, nosso verdadeiro Pai, senhor da nossa existência, aniquilou nosso inimigo.
  • 17. CONTEXTO HISTÓRICO 1. OS CONFLITOS RELIGIOSOS
  • 18.
  • 19.
  • 20. CONTEXTO HISTÓRICO 2. AS REVOLUÇÕES CIENTÍFICAS
  • 21.
  • 23. O BARROCO CARACTERÍSTICAS FUNDAMENTAIS 1. Culto ao contraste •Aproximação de realidades opostas; •Forte contraste entre luz e sombras.
  • 24. O Nascimento de Vênus – Sandro Botticelli
  • 26. O BARROCO CARACTERÍSTICAS FUNDAMENTAIS 2. Sentido trágico da existência • Reflexão sobre a efemeridade da vida
  • 27. As Vaidades da Vida Humana – Harmen Seenwyck
  • 28. À instabilidade das cousas do mundo Nasce o Sol, e não dura mais que um dia, Depois da Luz se segue a noite escura, Em tristes sombras morre a formosura, Em contínuas tristezas as alegrias, Porém, se acaba o Sol, por que nascia? Se é tão formosa a Luz, por que não dura? Como a beleza assim se transfigura? Como o gosto, da pena assim se fia? Mas no Sol, e na Luz falte a firmeza, Na formosura não se dê constância, E na alegria, sinta-se triste. Começa o Mundo enfim pela ignorância E tem qualquer dos bens por natureza A firmeza somente na inconstância. Gregório de Matos
  • 29. O BARROCO CARACTERÍSTICAS FUNDAMENTAIS 3. Rebuscamento • Diferentemente do estilo classicista, o barroco é marcado pelas regras do capricho e não as da ordem e da clareza.
  • 30. Alta-mor da Igreja de São Francisco de Assis. Salvador, Bahia
  • 31. Características do barroco literário Habilidade na construção de jogos de ideias e de palavras • Conceptismo: jogos de ideias caracterizados pelas sutilezas do raciocínio e do pensamento lógico, normalmente construídas a partir de analogias.
  • 32. Características do barroco literário Habilidade na construção de jogos de ideias e de palavras • Cultismo: consiste no emprego excessivo de figuras de linguagem, particularmente de antíteses, hipérbatos e metáforas
  • 34. Gregório de Matos Guerra (1633 - 1695) PRODUÇÃO POESIA LÍRICO-AMOROSA POESIA SATÍRICA POESIA LÍRICO-RELIGIOSA
  • 36. CARACTERÍSTICA FUNDAMENTAL Sua obra se divide em: a) Profecias (que encerram um patriotismo exacerbado): História do Futuro, Esperanças de Portugal e Clavis Prophetarum, em que profetiza para Portugal o destino de Quinto Império do Mundo, previsto, segundo ele, na Bíblia, no Livro de Daniel;
  • 37. CARACTERÍSTICA FUNDAMENTAL Sua obra se divide em: b) cartas: cerca de 500 em que trata de questões políticas importantes, como o tratamento dado pela inquisição aos cristãos- novos e o relacionamento entre Portugal e Holanda, entre outras;
  • 38. CARACTERÍSTICA FUNDAMENTAL Sua obra se divide em: c) sermões: são cerca de 200 sermões conceptistas, entre os quais se destacam:
  • 39. CARACTERÍSTICA FUNDAMENTAL •Sermão de Santo Antônio aos Peixes (proferido no Maranhão em 1654), no qual critica a escravidão dos indígenas;
  • 40. CARACTERÍSTICA FUNDAMENTAL •Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal contra os Holandeses (proferido na Bahia em 1640), em que faz pregação contra os holandeses, que ameaçam invadir Salvador;
  • 41. CARACTERÍSTICA FUNDAMENTAL •Sermão do Mandato (proferido na Capela Real em Lisboa em 1645), em que desenvolve o tema do amor místico;
  • 42. CARACTERÍSTICA FUNDAMENTAL •Sermão da Sexagésima (proferido na Capela Real de Lisboa em 1653), em que apresenta uma teoria da arte de pregar na qual critica o gongorismo dos padres dominicanos.
  • 43. (UFV-MG) Leia atentamente o fragmento do sermão do Padre Antônio Vieira: A primeira cousa que me desedifica, peixes, de vós, é que comeis uns aos outros. Grande escândalo é este, mas a circunstância o faz ainda maior. Não só vos comeis uns aos outros, senão que os grandes comem os pequenos. Se fora pelo contrário era menos mal. Se os pequenos comeram os grandes, bastara um grande para muitos pequenos; mas como os grandes comem os pequenos, não bastam cem pequenos, nem mil, para um só grande […]. Os homens, com suas más e perversas cobiças, vêm a ser como os peixes que se comem uns aos outros. Tão alheia cousa é não só da razão, mas da mesma natureza, que, sendo criados no mesmo elemento, todos cidadãos da mesma pátria, e todos finalmente irmãos, vivais de vos comer. VIEIRA, Antônio. Obras completas do padre Antônio Vieira: sermões. Prefaciados e revistos pelo Pe. Gonçalo Alves. Porto: Lello e Irmão — Editores, 1993. v. III, p. 264- 265.
  • 44. O texto de Vieira contém algumas características do Barroco. Dentre as alternativas abaixo, assinale aquela em que NÃO se confirmam essas tendências estéticas: (A) O culto do contraste, sugerindo a oposição bem / mal, em linguagem simples, concisa, direta e expressiva da intenção barroca de resgatar os valores greco-latinos. (B) A tentativa de convencer o homem do século XVII, imbuído de práticas e sentimentos comuns ao semipaganismo renascentista, a retomar o caminho do espiritualismo medieval, privilegiando os valores cristãos. (C) A presença do discurso dramático, recorrendo ao princípio horaciano de “ensinar deleitando” — tendência didática e moralizante, comum à Contra-Reforma. (D) O tratamento do tema principal — a denúncia à cobiça humana — através do conceptismo, ou jogo de idéias. (E) A utilização da alegoria, da comparação, como recursos oratórios, visando à persuasão do ouvinte.
  • 45. (MACKENZIE-SP) Assinale a alternativa incorreta: a) Na obra de José de Anchieta, encontram-se poesias que seguem a tradição medieval e textos para teatro com clara intenção catequista. b) A literatura informativa do Quinhentismo brasileiro empenha-se em fazer um levantamento da terra, daí ser predominantemente descritiva. c) A literatura seiscentista reflete um dualismo:o ser humano dividido entre a matéria e o espírito, o pecado e o perdão. d) O Barroco apresenta estados de alma expressos através de antíteses, paradoxos, interrogações. e) O conceptismo caracteriza-se pela linguagem rebuscada, culta, extravagante, enquanto o cultismo é marcado pelo jogo de idéias, seguindo um raciocínio lógico, racionalista.
  • 46. (UFOP) Sobre o Sermão da Sexagésima, de Antônio Vieira, é incorreto dizer que: a) obedece rigorosamente às regras mais fundamentais da retórica para o púlpito, não descuidando de qualquer detalhe. b) pode ser definido como “uma profissão de fé oratória”, uma vez que aí ele expõe claramente os princípios de sua arte de pregar. c) jamais se rende ao cultismo predominante na época, uma vez que o critica de forma precisa e clara. d) combina de modo bastante feliz as regras clássicas de um discurso pagão aos princípios religiosos da doutrina cristã. e) utiliza uma parábola do Evangelho de São Mateus como uma metáfora que se desdobra em inúmeras variações.
  • 47. (UEMS) Considere o texto (fragmento) “Sermão de Santo Antônio aos peixes”, para responder às questões 4 e 5. A primeira coisa que me desedifica, peixes, de vós, é que comeis uns aos outros. Grande escândalo é este, mas a circunstância o faz ainda maior. Não só vos comeis uns aos outros senão que os grandes comem os pequenos. Se fora ao contrário era menos mal. Se os pequenos comeram os grandes, bastara um grande para muitos pequenos; mas como os grandes comem os pequenos, não bastam cem pequenos, nem mil, para um só grande. (...) Os homens com suas más e perversas cobiças, vêm a ser como os peixes que se comem uns aos outros. (Vieira, Antônio. Sermões: a arte da retórica. São Paulo: Russel, 2006.)
  • 48. 4. Considerando o texto “Sermão de Santo Antônio aos peixes” e o estilo utilizado, Vieira I. desenvolve seus temas por meio de raciocínios tortuosos e encadeamento lógico. II. estabelece analogias e comparações entre situações de sua época e passagens bíblicas. III. faz uso de rebuscada linguagem barroca, o que torna sua temática ultrapassada. IV. revela em seus textos um hábil manejo da linguagem. É verdadeiro o que se afirma apenas em A) I e II B) I, II e IV C) II e III D) III e IV E) I, II e III
  • 49. 5. O texto “Sermão de Santo Antônio aos peixes” implica uma atitude ético- racional do ser humano diante das relações de poder na sociedade. Portanto, em análise a esse texto, pode-se dizer que A) assim como os peixes, sem distinção de tamanho, deveriam estar em condições de se devorar uns aos outros, também os humanos deveriam competir livremente Entre si, possibilitando assim uma distribuição mais equânime das consequências e responsabilidades de uma sociedade competitiva. B) a eliminação dos mais fortes, com a consequente hegemonia dos fracos, é o caminho mais seguro para a paz social. C) o comportamento entendido como humano deve, cada vez mais, distinguir- se do comportamento regido pelas leis da natureza, tipicamente marcada pela relação entre fortes e fracos, predadores e presas. D) a natureza nos ensina que “a lei do mais forte” é, em si, promotora de desenvolvimento. E) a aptidão ao poder deve ser desenvolvida em cada um, para que não haja devorados, mas apenas devoradores.
  • 55. A ARTE BARROCA Análise da Obra : No quadro é encenada a deposição do corpo de Jesus Cristo em um túmulo após sua morte. É um quadro expressivo e dramático onde podem ser observados elementos do estilo barroco:
  • 56. A ARTE BARROCA Luz e Sombra: Podemos observar que há um jogo de luz e sombra, onde o corpo de Jesus é o foco, está mais iluminado, representando o Sagrado, o santo.
  • 57. A ARTE BARROCA Intensidade Dramática: A cena retratada em si já é dramática: a morte de Jesus Cristo. Podemos observar o drama nas expressões faciais de Jesus, daqueles que o carregam, das duas mulheres de cabeça baixa aos prantos e da mulher com os braços erguidos. Essa mulher demonstra além do sofrimento, um louvor aos céus, como se tivesse uma certeza de que Jesus morreu para salva-los.
  • 58. A ARTE BARROCA Antagonismo: Morte x Vida (salvação): A morte de cristo que significou a salvação pra os fiéis. Sofrimento x Alívio: O sofrimento pela morte de Cristo e ao mesmo tempo o alívio da mulher louvando aos céus pela salvação.
  • 59. A ARTE BARROCA Detalhes: Observamos a riqueza dos detalhes principalmente no corpo dos personagens. O corpo forte e definido de Jesus, as pernas do homem que o carrega são torneadas, percebemos que há uma grande preocupação com os detalhes do corpo. As expressões faciais também são detalhadas e exprimem emoção e sofrimento.
  • 60. A ARTE BARROCA Cores Vibrante: As cores pesadas e fortes, como o vermelho na capa de um homem e laranja das vestes do outro, por exemplo.
  • 78.
  • 81. ROCOCÓ estilo ornamental marcado pelas formas curvilíneas e pela predominância do vazio sobre o cheio, com ênfase nos contornos dourados sobre o branco.
  • 82.
  • 83.
  • 84.
  • 85.
  • 86.
  • 87.
  • 89.
  • 90.
  • 91.
  • 92.
  • 95. A ARTE BARROCA (Fuvest-SP) O Estado moderno absolutista atingiu seu maior poder de atuação no século XVII. Na arte e na economia suas expressões foram respectivamente: a) rococó e liberalismo. b) renascentismo e capitalismo. c) barroco e mercantilismo. d) maneirismo e colonialismo. e) classicismo e economicismo.
  • 96. A ARTE BARROCA O Barroco como afirmação artística religiosa buscava se opor aos conceitos do Renascimento, principalmente a utilização do antropocentrismo e da racionalidade na produção estética. Sobre o barroco, qual das afirmativas abaixo é incorreta: a) Há no barroco o surgimento de pinturas e esculturas marcadas por formas retorcidas e tensas. b) A preocupação do barroco era reforçar o racionalismo e equilibrá-lo com as emoções, e não em criar uma arte mais emotiva e cotidiana. c) A história e atributos de santos e mártires católicos se viam representados com bastante frequência na pintura, nas esculturas e construções do período, sendo que os elementos eram dispostos de maneira pouco simétrica, assumindo na maioria das vezes uma organização diagonal. d) A valorização das cores e a contraposição de luzes e sombras tinham grande importância na demonstração dos gestos e estados de espírito do homem. e) O culto ao contraste, o sentido trágico da existência e o rebuscamento
  • 97. A ARTE BARROCA 11. A respeito da arte Barroca julgue nos itens: ( ) Tudo na arte barroca invocava a teatralidade e o movimento. ( ) Na pintura, temas religiosos eram transmitidos através da emoção. ( ) Composição em diagonal e contraste de claro e escuro, não constituíram características da pintura barroca. ( ) O barroco tinha um caráter extremamente racional. ( ) O período barroco caracteriza-se, dentre outros temas, pela presença da religiosidade por meio de ideias contrárias como pecado e perdão, castigo e arrependimento, e da morte como expressão da fragilidade da vida. a) F V F F V b) V V F V F c) F V V V F d) V F F V V e) F V F V V
  • 98. A ARTE BARROCA UFMS Sobre o "Barroco Mineiro", é INCORRETO afirmar que a) os principais artistas do barroco mineiro nada mais eram que simples artesãos e homens de ofício, que não possuíam sequer profissão reconhecida, pois a maioria deles era de mulatos e estes, no máximo, conseguiam autorização oficial para trabalhar. b) Manoel da Costa Ataíde – o mestre Ataíde, foi um importante pintor dos tetos de muitas igrejas mineiras. c) Antônio Francisco de Lisboa, também conhecido como Aleijadinho, foi escultor e arquiteto e o principal representante do barroco mineiro. d) o Barroco Mineiro foi diretamente influenciado pelo Barroco Italiano. e) os brancos e os bem estabelecidos recebiam o título de mestres de ofício. Alguns pintores, pedreiros, carpinteiros, arquitetos e entalhadores de grande criatividade e habilidade foram, mais tarde,