SlideShare uma empresa Scribd logo
BARROCO 
PADRE ANTÔNIO VIEIRA. 
GREGÓRIO DE MATOS.
PE. ANTÔNIO VIEIRA
Contexto Histórico – XVI e XVII. 
• Pe. Antônio Vieira preocupava-se com questões sociais, 
políticas e religiosas. 
• O surgimento do Barroco decorre por uma inquietação 
humana pelas duas formas existentes de compreender a 
realidade: 
- Conhecimento científico. 
- Fé. 
• Inquietação aumentava conforme as monarquias europeias 
enriqueciam, em razão do desenvolvimento do comércio e da 
conquista de novas terras com as Grandes Navegações.
Contexto Histórico – XVI e XVII. 
• Nas ciências, houve grande contribuição de Galileu, Francis 
Bacon e Descartes 
• Os três pensadores pregaram modernos métodos de 
investigação e de sistematização filosófica. 
• Após a Reforma Protestante, a Contrarreforma tomou conta. 
• Contrarreforma: movimento da Igreja que se opunha ao 
avanços científicos que buscavam explicar suas teorias 
comprovando-as e não usando Deus como o criador.
Arte barroca no Brasil. 
• Presente nas várias manifestações artísticas: músicas, 
esculturas, pinturas e literaturas. 
• O barroco surgiu no período da Contrarreforma e adotou a 
religiosidade como tema principal na produção artística. 
• O país passava por um momento rico devido à mineração, 
produção de açúcar, fumo e extração de madeiras. 
• Arte barroca foi utilizada principalmente em Minas Gerais. 
• Característica principal: visão ao infinito. Os tetos das igrejas 
têm pinturas que se projetam as nuvens. 
• Alejadinho foi o principal pintor brasileiro do barroco.
Barroco na Literatura. 
• Barroco: Pérola que apresentava algum defeito, alguma 
irregularidade. 
• Movimento surgido na Espanha (XVI), logo após na Itália, onde 
foi difundido até chegar ao Brasil. 
• Os escritores do barroco representam os conflitos humanos 
em suas obras. 
• Os temas abordados fazer reflexão sobre vida e morte. 
• O homem é representado como um ser que quer aproveitar o 
máximo do momento presente diante da brevidade da vida.
Barroco na Literatura. 
• Os artistas barrocos tentavam fundir duas visões em suas 
obras: 
- Medieval e teocêntrica (Contrarreforma). 
- Renascentista e antropocêntrica. 
• Usavam de um modo contraditório para perceber a vida, que 
é refletido na linguagem que foge da clareza e objetividade 
nas obras literárias barrocas. 
• Linguagem rebuscada, exagerada, com uso de muitas figuras 
de linguagem (em especial: metáfora, paradoxo e antítese). 
• Buscavam a beleza em seus textos.
Barroco na Literatura. 
• Existem dois estilos resultados dos recursos exagerados de 
expressão: 
- Cultismo: linguagem culta, jogo de palavras, comum em 
poesias em que aparecem trocadilhos e poesias. Faz alusão ao 
poeta Gôngora. Uso do hipérbato. 
- Conceptismo: Quevedo foi o principal representante, muito 
utilizado por Pe. Vieira. Complexidade na argumentação, 
exigindo, assim, atenção do leitor, já que não expressa o sentido 
de uma forma clara.
Barroco no Brasil. 
• Colonos portugueses vinham ao Brasil explorar a cana-de-açúcar 
e o comércio. 
• Conforme enriqueciam, mandavam seus filhos à Europa para 
ter formação religiosa ou em Direito. 
• Os estudantes tinham contato com o Barroco e o trouxeram 
ao Brasil, reformulando-o conforme as condições.
Principais Características. 
• Conflito entre o antropocentrismo do Renascimento e o 
teocentrismo medieval (ciência x religião). 
• Culto do contraste (pela apresentação de ideias ou pelas 
palavras). 
• Uso abusivo de figuras de linguagem (principais: metáfora e 
antítese). 
• Linguagem culta. 
• Uso do conceptismo (na prosa) e do cultismo (na poesia).
Pe. Antônio Vieira
Padre Antônio Vieira. 
• Nasceu em Lisboa. 
• Veio ao Brasil ainda criança. 
• Teve formação jesuítica e tornou-se sacerdote em 1634. 
• Propagou esses principais ideais: 
• - Defesa de cristãos novos (oposição à Inquisição). 
• - Defesa dos índios que estavam sendo escravizados. 
• Uso genial da linguagem, estudado tanto à literatura 
portuguesa, quanto a literatura brasileira. 
• Principais obras: Sermões (15 volumes).
Gregório de Matos
Gregório de Matos Guerra. 
• Nasceu em Salvador. 
• Em suas obras satirizava tanto desafetos pessoais quanto 
políticos. 
• Por causa de sua obras satíricas, foi deportado à Angola. 
• Suas obras abrangiam tanto a religiosidade, quanto poesias 
satíricas e eróticas. 
• Didaticamente: Poesias satíricas e líricas (religiosas e 
amorosas).
Poesia Satírica. 
• Teve como alvo ricos e pobres, brancos e negros, religiosos e 
ateus. 
• Permitem construir um painel sobre a sociedade baiana do 
século XVII. 
• Faz crítica pessoal e social. 
• Adotou combinações originais e termos coloquiais. 
• Usava a intertextualidade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho de literatura- barroco
Trabalho de literatura- barroco Trabalho de literatura- barroco
Trabalho de literatura- barroco
Rebeka Caetano Lima
 
Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)
Josie Ubiali
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
Ivana Mayrink
 
Realismo no brasil
Realismo no brasilRealismo no brasil
Realismo no brasil
Karoline Tavares
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
Amelia Barros
 
Barroco
BarrocoBarroco
1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo
Luciene Gomes
 
Barroco literatura
Barroco literatura Barroco literatura
Barroco literatura
91118538
 
Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
Cláudia Heloísa
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
Ana Paula Brisolar
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
Ana Batista
 
Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..
guesta61019
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Ana Paula Brisolar
 
Literatura brasileira
Literatura brasileiraLiteratura brasileira
Literatura brasileira
Fernando Henning
 
Barroco
BarrocoBarroco
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
Walace Cestari
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
Andriane Cursino
 
Revisão de literatura para o ENEM.pptx
Revisão de literatura para o ENEM.pptxRevisão de literatura para o ENEM.pptx
Revisão de literatura para o ENEM.pptx
CAMILACRISTINASILVAB
 
Realismo - Naturalismo
Realismo - NaturalismoRealismo - Naturalismo
Realismo - Naturalismo
Andriane Cursino
 
O Barroco
O BarrocoO Barroco
O Barroco
Khatlen Lohanne
 

Mais procurados (20)

Trabalho de literatura- barroco
Trabalho de literatura- barroco Trabalho de literatura- barroco
Trabalho de literatura- barroco
 
Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
 
Realismo no brasil
Realismo no brasilRealismo no brasil
Realismo no brasil
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo
 
Barroco literatura
Barroco literatura Barroco literatura
Barroco literatura
 
Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Literatura brasileira
Literatura brasileiraLiteratura brasileira
Literatura brasileira
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
 
Revisão de literatura para o ENEM.pptx
Revisão de literatura para o ENEM.pptxRevisão de literatura para o ENEM.pptx
Revisão de literatura para o ENEM.pptx
 
Realismo - Naturalismo
Realismo - NaturalismoRealismo - Naturalismo
Realismo - Naturalismo
 
O Barroco
O BarrocoO Barroco
O Barroco
 

Semelhante a Barroco - Literatura.

Barroco
Barroco Barroco
Barroco
peterloco
 
Literatura slides
Literatura  slidesLiteratura  slides
Literatura slides
Ma Hildebrand de Araujo
 
Características do barroco
Características do barrocoCaracterísticas do barroco
Características do barroco
Wesley Henrique
 
Sermão da sexagésima (slides)
Sermão da sexagésima (slides)Sermão da sexagésima (slides)
Sermão da sexagésima (slides)
Ana Paula
 
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05   barroco em portugal e literatura informativaAula 05   barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
Jonatas Carlos
 
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
Alecio Marcelo Vaz Vaz
 
Movimento Literário Barroco do 1º ANO D
Movimento Literário Barroco do 1º ANO DMovimento Literário Barroco do 1º ANO D
Movimento Literário Barroco do 1º ANO D
Doutora em Linguística Aplicada pela PUC-SP
 
Barroco no Brasil
Barroco no BrasilBarroco no Brasil
Barroco no Brasil
Gustavo Alves
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
BarrocoBarroco
obarroco-121120033949-phpapp01.pdf
obarroco-121120033949-phpapp01.pdfobarroco-121120033949-phpapp01.pdf
obarroco-121120033949-phpapp01.pdf
Abnerff
 
O BARROCO.pptx
O BARROCO.pptxO BARROCO.pptx
O BARROCO.pptx
aldyvip
 
Literatura no ENEM
Literatura no ENEMLiteratura no ENEM
Literatura no ENEM
Yasmin Matos
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
0009222
 
Humanismo
HumanismoHumanismo
O Barroco No Brasil
O Barroco No BrasilO Barroco No Brasil
O Barroco No Brasil
Alessandra Oliveira
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
Lú Carvalho
 
Barroco em Portugal
Barroco em PortugalBarroco em Portugal
Barroco em Portugal
Andréia Peixoto
 
Barroco & Rococó
Barroco & Rococó Barroco & Rococó
Barroco & Rococó
carlosbidu
 
Ppt barroco
Ppt barrocoPpt barroco
Ppt barroco
miovi
 

Semelhante a Barroco - Literatura. (20)

Barroco
Barroco Barroco
Barroco
 
Literatura slides
Literatura  slidesLiteratura  slides
Literatura slides
 
Características do barroco
Características do barrocoCaracterísticas do barroco
Características do barroco
 
Sermão da sexagésima (slides)
Sermão da sexagésima (slides)Sermão da sexagésima (slides)
Sermão da sexagésima (slides)
 
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05   barroco em portugal e literatura informativaAula 05   barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
 
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
 
Movimento Literário Barroco do 1º ANO D
Movimento Literário Barroco do 1º ANO DMovimento Literário Barroco do 1º ANO D
Movimento Literário Barroco do 1º ANO D
 
Barroco no Brasil
Barroco no BrasilBarroco no Brasil
Barroco no Brasil
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
obarroco-121120033949-phpapp01.pdf
obarroco-121120033949-phpapp01.pdfobarroco-121120033949-phpapp01.pdf
obarroco-121120033949-phpapp01.pdf
 
O BARROCO.pptx
O BARROCO.pptxO BARROCO.pptx
O BARROCO.pptx
 
Literatura no ENEM
Literatura no ENEMLiteratura no ENEM
Literatura no ENEM
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Humanismo
HumanismoHumanismo
Humanismo
 
O Barroco No Brasil
O Barroco No BrasilO Barroco No Brasil
O Barroco No Brasil
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Barroco em Portugal
Barroco em PortugalBarroco em Portugal
Barroco em Portugal
 
Barroco & Rococó
Barroco & Rococó Barroco & Rococó
Barroco & Rococó
 
Ppt barroco
Ppt barrocoPpt barroco
Ppt barroco
 

Mais de Julia Maldonado Garcia

{Língua Portuguesa e Literatura} Teatro moderno brasileiro.
{Língua Portuguesa e Literatura} Teatro moderno brasileiro.{Língua Portuguesa e Literatura} Teatro moderno brasileiro.
{Língua Portuguesa e Literatura} Teatro moderno brasileiro.
Julia Maldonado Garcia
 
{Biologia} Ciclo do enxofre
{Biologia} Ciclo do enxofre{Biologia} Ciclo do enxofre
{Biologia} Ciclo do enxofre
Julia Maldonado Garcia
 
Química: Propriedades dos Polímeros.
Química: Propriedades dos Polímeros.Química: Propriedades dos Polímeros.
Química: Propriedades dos Polímeros.
Julia Maldonado Garcia
 
Auto da compadecida, Ariano Suassuna.
Auto da compadecida, Ariano Suassuna.Auto da compadecida, Ariano Suassuna.
Auto da compadecida, Ariano Suassuna.
Julia Maldonado Garcia
 
{Física} Lâmpadas.
{Física} Lâmpadas.{Física} Lâmpadas.
{Física} Lâmpadas.
Julia Maldonado Garcia
 
{Sociologia} Imigração.
{Sociologia} Imigração.{Sociologia} Imigração.
{Sociologia} Imigração.
Julia Maldonado Garcia
 
{Educação Física} Handebol
{Educação Física} Handebol{Educação Física} Handebol
{Educação Física} Handebol
Julia Maldonado Garcia
 
{História} Conjuração Baiana.
{História} Conjuração Baiana.{História} Conjuração Baiana.
{História} Conjuração Baiana.
Julia Maldonado Garcia
 
Adam Smith - História.
Adam Smith - História.Adam Smith - História.
Adam Smith - História.
Julia Maldonado Garcia
 
O Alienista - Machado de Assis.
O Alienista - Machado de Assis.O Alienista - Machado de Assis.
O Alienista - Machado de Assis.
Julia Maldonado Garcia
 
Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.
Julia Maldonado Garcia
 
Geografia - Fontes de Energia.
Geografia - Fontes de Energia.Geografia - Fontes de Energia.
Geografia - Fontes de Energia.
Julia Maldonado Garcia
 
Matemática - Matrizes e Determinantes (Pt 1).
Matemática - Matrizes e Determinantes (Pt 1).Matemática - Matrizes e Determinantes (Pt 1).
Matemática - Matrizes e Determinantes (Pt 1).
Julia Maldonado Garcia
 
{História} Colonização da América espanhola.
{História} Colonização da América espanhola.{História} Colonização da América espanhola.
{História} Colonização da América espanhola.
Julia Maldonado Garcia
 
Impressionismo - Artes.
Impressionismo - Artes.Impressionismo - Artes.
Impressionismo - Artes.
Julia Maldonado Garcia
 
Biologia.
Biologia.Biologia.
Sociologia.
Sociologia.Sociologia.
Romantismo - 1ª geração - Literauta.
Romantismo - 1ª geração - Literauta.Romantismo - 1ª geração - Literauta.
Romantismo - 1ª geração - Literauta.
Julia Maldonado Garcia
 
Gramática.
Gramática.Gramática.
Gramática.
Gramática.Gramática.

Mais de Julia Maldonado Garcia (20)

{Língua Portuguesa e Literatura} Teatro moderno brasileiro.
{Língua Portuguesa e Literatura} Teatro moderno brasileiro.{Língua Portuguesa e Literatura} Teatro moderno brasileiro.
{Língua Portuguesa e Literatura} Teatro moderno brasileiro.
 
{Biologia} Ciclo do enxofre
{Biologia} Ciclo do enxofre{Biologia} Ciclo do enxofre
{Biologia} Ciclo do enxofre
 
Química: Propriedades dos Polímeros.
Química: Propriedades dos Polímeros.Química: Propriedades dos Polímeros.
Química: Propriedades dos Polímeros.
 
Auto da compadecida, Ariano Suassuna.
Auto da compadecida, Ariano Suassuna.Auto da compadecida, Ariano Suassuna.
Auto da compadecida, Ariano Suassuna.
 
{Física} Lâmpadas.
{Física} Lâmpadas.{Física} Lâmpadas.
{Física} Lâmpadas.
 
{Sociologia} Imigração.
{Sociologia} Imigração.{Sociologia} Imigração.
{Sociologia} Imigração.
 
{Educação Física} Handebol
{Educação Física} Handebol{Educação Física} Handebol
{Educação Física} Handebol
 
{História} Conjuração Baiana.
{História} Conjuração Baiana.{História} Conjuração Baiana.
{História} Conjuração Baiana.
 
Adam Smith - História.
Adam Smith - História.Adam Smith - História.
Adam Smith - História.
 
O Alienista - Machado de Assis.
O Alienista - Machado de Assis.O Alienista - Machado de Assis.
O Alienista - Machado de Assis.
 
Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.
 
Geografia - Fontes de Energia.
Geografia - Fontes de Energia.Geografia - Fontes de Energia.
Geografia - Fontes de Energia.
 
Matemática - Matrizes e Determinantes (Pt 1).
Matemática - Matrizes e Determinantes (Pt 1).Matemática - Matrizes e Determinantes (Pt 1).
Matemática - Matrizes e Determinantes (Pt 1).
 
{História} Colonização da América espanhola.
{História} Colonização da América espanhola.{História} Colonização da América espanhola.
{História} Colonização da América espanhola.
 
Impressionismo - Artes.
Impressionismo - Artes.Impressionismo - Artes.
Impressionismo - Artes.
 
Biologia.
Biologia.Biologia.
Biologia.
 
Sociologia.
Sociologia.Sociologia.
Sociologia.
 
Romantismo - 1ª geração - Literauta.
Romantismo - 1ª geração - Literauta.Romantismo - 1ª geração - Literauta.
Romantismo - 1ª geração - Literauta.
 
Gramática.
Gramática.Gramática.
Gramática.
 
Gramática.
Gramática.Gramática.
Gramática.
 

Último

Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 

Barroco - Literatura.

  • 1. BARROCO PADRE ANTÔNIO VIEIRA. GREGÓRIO DE MATOS.
  • 3. Contexto Histórico – XVI e XVII. • Pe. Antônio Vieira preocupava-se com questões sociais, políticas e religiosas. • O surgimento do Barroco decorre por uma inquietação humana pelas duas formas existentes de compreender a realidade: - Conhecimento científico. - Fé. • Inquietação aumentava conforme as monarquias europeias enriqueciam, em razão do desenvolvimento do comércio e da conquista de novas terras com as Grandes Navegações.
  • 4. Contexto Histórico – XVI e XVII. • Nas ciências, houve grande contribuição de Galileu, Francis Bacon e Descartes • Os três pensadores pregaram modernos métodos de investigação e de sistematização filosófica. • Após a Reforma Protestante, a Contrarreforma tomou conta. • Contrarreforma: movimento da Igreja que se opunha ao avanços científicos que buscavam explicar suas teorias comprovando-as e não usando Deus como o criador.
  • 5. Arte barroca no Brasil. • Presente nas várias manifestações artísticas: músicas, esculturas, pinturas e literaturas. • O barroco surgiu no período da Contrarreforma e adotou a religiosidade como tema principal na produção artística. • O país passava por um momento rico devido à mineração, produção de açúcar, fumo e extração de madeiras. • Arte barroca foi utilizada principalmente em Minas Gerais. • Característica principal: visão ao infinito. Os tetos das igrejas têm pinturas que se projetam as nuvens. • Alejadinho foi o principal pintor brasileiro do barroco.
  • 6. Barroco na Literatura. • Barroco: Pérola que apresentava algum defeito, alguma irregularidade. • Movimento surgido na Espanha (XVI), logo após na Itália, onde foi difundido até chegar ao Brasil. • Os escritores do barroco representam os conflitos humanos em suas obras. • Os temas abordados fazer reflexão sobre vida e morte. • O homem é representado como um ser que quer aproveitar o máximo do momento presente diante da brevidade da vida.
  • 7. Barroco na Literatura. • Os artistas barrocos tentavam fundir duas visões em suas obras: - Medieval e teocêntrica (Contrarreforma). - Renascentista e antropocêntrica. • Usavam de um modo contraditório para perceber a vida, que é refletido na linguagem que foge da clareza e objetividade nas obras literárias barrocas. • Linguagem rebuscada, exagerada, com uso de muitas figuras de linguagem (em especial: metáfora, paradoxo e antítese). • Buscavam a beleza em seus textos.
  • 8. Barroco na Literatura. • Existem dois estilos resultados dos recursos exagerados de expressão: - Cultismo: linguagem culta, jogo de palavras, comum em poesias em que aparecem trocadilhos e poesias. Faz alusão ao poeta Gôngora. Uso do hipérbato. - Conceptismo: Quevedo foi o principal representante, muito utilizado por Pe. Vieira. Complexidade na argumentação, exigindo, assim, atenção do leitor, já que não expressa o sentido de uma forma clara.
  • 9. Barroco no Brasil. • Colonos portugueses vinham ao Brasil explorar a cana-de-açúcar e o comércio. • Conforme enriqueciam, mandavam seus filhos à Europa para ter formação religiosa ou em Direito. • Os estudantes tinham contato com o Barroco e o trouxeram ao Brasil, reformulando-o conforme as condições.
  • 10. Principais Características. • Conflito entre o antropocentrismo do Renascimento e o teocentrismo medieval (ciência x religião). • Culto do contraste (pela apresentação de ideias ou pelas palavras). • Uso abusivo de figuras de linguagem (principais: metáfora e antítese). • Linguagem culta. • Uso do conceptismo (na prosa) e do cultismo (na poesia).
  • 12. Padre Antônio Vieira. • Nasceu em Lisboa. • Veio ao Brasil ainda criança. • Teve formação jesuítica e tornou-se sacerdote em 1634. • Propagou esses principais ideais: • - Defesa de cristãos novos (oposição à Inquisição). • - Defesa dos índios que estavam sendo escravizados. • Uso genial da linguagem, estudado tanto à literatura portuguesa, quanto a literatura brasileira. • Principais obras: Sermões (15 volumes).
  • 14. Gregório de Matos Guerra. • Nasceu em Salvador. • Em suas obras satirizava tanto desafetos pessoais quanto políticos. • Por causa de sua obras satíricas, foi deportado à Angola. • Suas obras abrangiam tanto a religiosidade, quanto poesias satíricas e eróticas. • Didaticamente: Poesias satíricas e líricas (religiosas e amorosas).
  • 15. Poesia Satírica. • Teve como alvo ricos e pobres, brancos e negros, religiosos e ateus. • Permitem construir um painel sobre a sociedade baiana do século XVII. • Faz crítica pessoal e social. • Adotou combinações originais e termos coloquiais. • Usava a intertextualidade.