SlideShare uma empresa Scribd logo
Porque o romance se torna
o gênero narrativo preferencial,
em oposição à epopeia.
portanto, o nome do movimento
surgiu por uma referência ao
gênero narrativo, e não à temática
desenvolvida nesse período.
“Para romper com a postura racional da
estética árcade, o Romantismo interpreta a
realidade pelo filtro da emoção. Combinada
`originalidade e ao subjetivismo, a expressão das
emoções definirá os princípios da nova
produção artística.”
(ABAURRE e outros, UNO internacional. Módulo 8, p. 10)
Observe a diferença na expressão
Nicolas Lancret Willian Turner
Edward MunchNicolas Lancret
GoyaAntoine Waltteau
Tendências
temáticas
do
Romantismo
Individualismo
Livre expressão
de sentimentos
e emoções
mais íntimas e
conflituosas
Fuga da realidade
:
Fuga para a natureza,
para o passado,
para o lado noturno
de vida,
para o misticismo e
o sobrenatural,
o sonho, a loucura
ou a própria morte.
Nacionalismo
O Romantismo
propaga a ideia
de que cada povo
é único e criativo,
e expressa seu gênio
na arte
e tradições populares.
Observe o que há em comum entre essas imagens:
Contexto histórico
Na política, caíam os sistemas
de governo despóticos e surgia
o liberalismo político.
No campo social imperava o
inconformismo da população.
Na arte , o repúdio às regras.
Autorretrato de Pedro Américo na Batalha do Avaí.
A Revolução Francesa
é o símbolo desse século
de oposição.
"La Liberté guidant le peuple" , Eugène Delacroix 1830
A revolução Belga, de E. Gustave Wappers 1834
The Fanatics of Tangier, Eugène Delacroix 1837
O Grito do Ipiranga, de Pedro Américo ,1888
o Romantismo
no Brasil
coincidiu com a
Independência,
com o 2º
Reinado, com
a guerra do
Paraguai e a
luta
abolicionista
“O Romantismo transpirava
rebeldia e gosto pela liberdade, foi
uma fase voltada para os assuntos
contemporâneos e para o cotidiano
do homem burguês do século XIX.
Esse valorizava o homem emotivo,
intuitivo e psicológico, e por isso
desprezava o racionalismo dos
iluministas.”
A pintura romântica
Willian
Blake
Goya
Jacques
Louis
David
Gustave
Courbet
Autorretratos
William Blake
Blake escreveu e ilustrou mais
de vinte livros, incluindo
"O livro de Jó" da Bíblia
e
"A Divina Comédia" de Dante
Alighieri
(trabalho interrompido pela
sua morte).
Muitos de seus trabalhos
foram marcados pelos seus
fortes ideais libertários.
Blake também foi escritor, e seus
textos apontavam a igreja da
Inglaterra e a alta sociedade
como exploradores dos
fracos.
Napoleon in his Studies at the Tuileries
Jacques-Louis David
SATURN DEVOURING HIS CHILDREN, Goya,1824
Goya buscava
explorar a face
destrutiva e
obscura da
natureza humana.
Goya
El sueño de la razón produce monstruos, Goya
sua obra é
marcada pela
constante
representação
de figuras de
extração
popular.
Gustave Courbet
Música Romântica
As primeiras evidências do
romantismo na música aparecem
com Beethoven.
Suas sinfonias revelam uma
música com temática
profundamente pessoal e
interiorizada.
“Outros compositores como Chopin, Tchaikovsky, Felix Mendelssohn,
Liszt, Grieg e Brahms levaram adiante o ideal romântico de
Beethoven, deixando o rigor formal para escreverem músicas mais de
acordo com suas emoções.”
portaledumusicalcp2.mus.br
Ouça em http://www.youtube.com/watch?v=tpGSzH0Wlls
( trecho do filme O segredo de Beethoven, 2006)
Filmografia Indicada
O nacionalismo está representado
nas obras de
Walter Scott (Inglaterra)
Vitor Hugo (França)
Almeida Garrett (Portugal)
José de Alencar (Brasil).
São resgates históricos
- apaixonados e saudosos –
ou observações sobre o momento
histórico vivido.
A frustração nascida do confronto
entre os valores do individuo e os
valores que organizam a realidade
levam o romântico a desprezar a
realidade e desejar fugir. Para isso, o
homem do Romantismo se utiliza de
alguns agentes:
Morte
alívio para os males do mundo.
Sonhos
lugar de utopias.
Passado
tempo em que não havia
a dor ou a desilusão.
É a expressão do
egocentrismo, carregado de
melancolia, desilusão, dor e
pessimismo (Mal do século).
O exagero de sentimentalismo,
que “levaria à morte”
(esgotamento do indivíduo)
construiu textos densos,
violentos. Por isso, esses textos
foram chamados de
“ultrarromânticos”.
Tem inspiração em Lord Byron ,
a partir do qual surge o termo
Byronismo.
O último romântico
Faltava abandonar a velha escola
Tomar o mundo feito coca-cola
Fazer da minha vida sempre
O meu passeio público
E ao mesmo tempo fazer dela
O meu caminho só
Único
Talvez eu seja
O último romântico
Dos litorais
Desse Oceano Atlântico...
Só falta reunir
A zona norte à zona sul
Iluminar a vida
Já que a morte cai do azul...
Só falta te querer
Te ganhar e te perder
Falta eu acordar
Ser gente grande
Pra poder chorar...
Me dá um beijo, então
Aperta a minha mão
Tolice é viver a vida
Assim, sem aventura...
Deixa ser
Pelo coração
Se é loucura então
Melhor não ter razão...
(Lulu Santos)
Filmografia Indicada
Fontes de pesquisa
RIBEIRO, Raquel Alexandra Oliveira da Silva (2010) - Romantismo: contextualização histórica e das artes. Castelo Branco :
IPCB. ESART. 90 p. Dissertação de Mestrado.
Disponível em http://hdl.handle.net/10400.11/656
MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 1974, p.400.
Mundo Educação. www.mundoeducacao.com.br/literatura/romantismo.htm
Portal de Educação Musical http://www.portaledumusicalcp2.mus.br/Apostilas/PDFs/8ano_05_HM%20Ocidental.pdf
GONZAGA, Sergius. Manual de Literatura Brasileira 1.985, Porto Alegre.
http://abstracaocoletiva.com.br/2012/10/26/jacques-louis-david-biografia/
Todas as imagens utilizadas nesta apresentação estão disponíveis no Google images
Pesquisa, organização e layout
Profa. Cláudia Heloísa C. Andria
Contato: clauheloisa@yahoo.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Humanismo e Classicismo
Humanismo e ClassicismoHumanismo e Classicismo
Humanismo e Classicismo
CrisBiagio
 
Historia da Literatura
Historia da LiteraturaHistoria da Literatura
Historia da Literatura
Miriam Zelmikaitis
 
Romantismo contexto histórico e características
Romantismo   contexto histórico e característicasRomantismo   contexto histórico e características
Romantismo contexto histórico e características
VIVIAN TROMBINI
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Naldinho Amorim
 
Romantismo - aula
Romantismo - aulaRomantismo - aula
Parnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiroParnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiro
Andréia Peixoto
 
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Quezia Neves
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Segunda geração modernista
Segunda geração modernistaSegunda geração modernista
Segunda geração modernista
Andrieli Muhl
 
3ª geração do romantismo no brasil
3ª geração do romantismo no brasil3ª geração do romantismo no brasil
3ª geração do romantismo no brasil
GabrielaLimaPereira
 
Realismo no brasil
Realismo no brasilRealismo no brasil
Realismo no brasil
Karoline Tavares
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Cláudia Heloísa
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
Ana Paula Brisolar
 
2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração romântica2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração romântica
Andriane Cursino
 
O modernismo brasileiro
O modernismo brasileiroO modernismo brasileiro
O modernismo brasileiro
Junior Onildo
 
Aula sobre Parnasianismo
Aula sobre ParnasianismoAula sobre Parnasianismo
Aula sobre Parnasianismo
Érika Lúcia
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
Ana Batista
 
O romantismo da segunda geração
O romantismo da segunda geraçãoO romantismo da segunda geração
O romantismo da segunda geração
Antonio Minharro
 
Slide introdução à literatura
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literatura
fabrinnem
 
Romantismo
RomantismoRomantismo

Mais procurados (20)

Humanismo e Classicismo
Humanismo e ClassicismoHumanismo e Classicismo
Humanismo e Classicismo
 
Historia da Literatura
Historia da LiteraturaHistoria da Literatura
Historia da Literatura
 
Romantismo contexto histórico e características
Romantismo   contexto histórico e característicasRomantismo   contexto histórico e características
Romantismo contexto histórico e características
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Romantismo - aula
Romantismo - aulaRomantismo - aula
Romantismo - aula
 
Parnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiroParnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiro
 
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosa
 
Segunda geração modernista
Segunda geração modernistaSegunda geração modernista
Segunda geração modernista
 
3ª geração do romantismo no brasil
3ª geração do romantismo no brasil3ª geração do romantismo no brasil
3ª geração do romantismo no brasil
 
Realismo no brasil
Realismo no brasilRealismo no brasil
Realismo no brasil
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração romântica2ª e 3ª geração romântica
2ª e 3ª geração romântica
 
O modernismo brasileiro
O modernismo brasileiroO modernismo brasileiro
O modernismo brasileiro
 
Aula sobre Parnasianismo
Aula sobre ParnasianismoAula sobre Parnasianismo
Aula sobre Parnasianismo
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
O romantismo da segunda geração
O romantismo da segunda geraçãoO romantismo da segunda geração
O romantismo da segunda geração
 
Slide introdução à literatura
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literatura
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 

Destaque

Slides Romantismo
Slides RomantismoSlides Romantismo
Slides Romantismo
mix1981
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
Romantismo I
Romantismo IRomantismo I
Romantismo I
Ana Karina Silva
 
Literatura romantismo
Literatura romantismoLiteratura romantismo
Literatura romantismo
Cristina Medina
 
Romantismo em portugal aula 03
Romantismo em portugal   aula 03Romantismo em portugal   aula 03
Romantismo em portugal aula 03
xipolito
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Arte Educadora
 
Romantismo na Europa
Romantismo na EuropaRomantismo na Europa
Romantismo na Europa
Thiago Rodrigues
 
Romantismo No Brasil
Romantismo No BrasilRomantismo No Brasil
Romantismo No Brasil
martinsramon
 
Romantismo em Portugal
Romantismo em PortugalRomantismo em Portugal
Romantismo em Portugal
Vívian mourett
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
PeroVaz
 
O romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pinturaO romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pintura
Carlos Pinheiro
 
O romantismo em Portugal (Romanticism in Portugal)
O romantismo em Portugal (Romanticism in Portugal)O romantismo em Portugal (Romanticism in Portugal)
O romantismo em Portugal (Romanticism in Portugal)
Isabelle Ribeiro
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Prof Palmito Rocha
 
Romantismo em Portugal
Romantismo em PortugalRomantismo em Portugal
Romantismo em Portugal
NathalyNara
 
ROMANTISMO
ROMANTISMOROMANTISMO
ROMANTISMO
Diego
 
Romantismo resumo
Romantismo resumoRomantismo resumo
Romantismo resumo
Walace Cestari
 
Romantismo primeira & segunda geração e romantismo na europa
Romantismo primeira & segunda geração e romantismo na europaRomantismo primeira & segunda geração e romantismo na europa
Romantismo primeira & segunda geração e romantismo na europa
Igor Moura
 
História da arte romantismo
História da arte   romantismoHistória da arte   romantismo
História da arte romantismo
Ana Cristina D Assumpcão
 
Romantismo no Brasil
Romantismo no BrasilRomantismo no Brasil
Romantismo no Brasil
Marcos Souza
 
Romantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracaoRomantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracao
Cláudia Heloísa
 

Destaque (20)

Slides Romantismo
Slides RomantismoSlides Romantismo
Slides Romantismo
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
 
Romantismo I
Romantismo IRomantismo I
Romantismo I
 
Literatura romantismo
Literatura romantismoLiteratura romantismo
Literatura romantismo
 
Romantismo em portugal aula 03
Romantismo em portugal   aula 03Romantismo em portugal   aula 03
Romantismo em portugal aula 03
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Romantismo na Europa
Romantismo na EuropaRomantismo na Europa
Romantismo na Europa
 
Romantismo No Brasil
Romantismo No BrasilRomantismo No Brasil
Romantismo No Brasil
 
Romantismo em Portugal
Romantismo em PortugalRomantismo em Portugal
Romantismo em Portugal
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
 
O romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pinturaO romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pintura
 
O romantismo em Portugal (Romanticism in Portugal)
O romantismo em Portugal (Romanticism in Portugal)O romantismo em Portugal (Romanticism in Portugal)
O romantismo em Portugal (Romanticism in Portugal)
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Romantismo em Portugal
Romantismo em PortugalRomantismo em Portugal
Romantismo em Portugal
 
ROMANTISMO
ROMANTISMOROMANTISMO
ROMANTISMO
 
Romantismo resumo
Romantismo resumoRomantismo resumo
Romantismo resumo
 
Romantismo primeira & segunda geração e romantismo na europa
Romantismo primeira & segunda geração e romantismo na europaRomantismo primeira & segunda geração e romantismo na europa
Romantismo primeira & segunda geração e romantismo na europa
 
História da arte romantismo
História da arte   romantismoHistória da arte   romantismo
História da arte romantismo
 
Romantismo no Brasil
Romantismo no BrasilRomantismo no Brasil
Romantismo no Brasil
 
Romantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracaoRomantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracao
 

Semelhante a Romantismo

Romantismo em textos e imagens
Romantismo em textos e imagensRomantismo em textos e imagens
Romantismo em textos e imagens
kacau
 
Romantismo.
Romantismo.Romantismo.
Romantismo.
Ana Sales
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
Pedro Matos
 
Romantismo ii
Romantismo iiRomantismo ii
Romantismo revisão
Romantismo revisãoRomantismo revisão
Romantismo revisão
Jadson Reis de Sousa
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Realismo x Romantismo
Realismo x RomantismoRealismo x Romantismo
Realismo x Romantismo
Amanda Rodrigues
 
Romantismo contexto historico caracteristicas
Romantismo contexto historico caracteristicasRomantismo contexto historico caracteristicas
Romantismo contexto historico caracteristicas
Sirlene Rosa Santos
 
Simbololismo
SimbololismoSimbololismo
Simbololismo
Colégio Santa Luzia
 
romantismorevisao.pdf
romantismorevisao.pdfromantismorevisao.pdf
romantismorevisao.pdf
RAIKAGIULIANNEBARRET
 
romantismo.pdf literatura resumo slide 1
romantismo.pdf literatura resumo slide 1romantismo.pdf literatura resumo slide 1
romantismo.pdf literatura resumo slide 1
BrunaLeal72
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Arieli Bis Sobbis
 
Set 1em o romantismo no brasil
Set 1em o romantismo no brasilSet 1em o romantismo no brasil
Set 1em o romantismo no brasil
Natalia Cristine
 
Literatura romântica
Literatura românticaLiteratura romântica
Literatura romântica
Carla Teixeira
 
O Realismo E O Simbolismo
O Realismo E O SimbolismoO Realismo E O Simbolismo
O Realismo E O Simbolismo
Beatriz Dias
 
Idealismo, fuga, representação e realidade social
Idealismo, fuga, representação e realidade socialIdealismo, fuga, representação e realidade social
Idealismo, fuga, representação e realidade social
Tiffany Liu
 
Idealismo, fuga, representação e realidade social
Idealismo, fuga, representação e realidade socialIdealismo, fuga, representação e realidade social
Idealismo, fuga, representação e realidade social
Tiffany Liu
 
webnode2
webnode2webnode2
webnode2
pauloyjosiele
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
miovi
 
a cultura da gare.arte romantica.ppt
a cultura da gare.arte romantica.ppta cultura da gare.arte romantica.ppt
a cultura da gare.arte romantica.ppt
Patrícia Alves
 

Semelhante a Romantismo (20)

Romantismo em textos e imagens
Romantismo em textos e imagensRomantismo em textos e imagens
Romantismo em textos e imagens
 
Romantismo.
Romantismo.Romantismo.
Romantismo.
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
Romantismo ii
Romantismo iiRomantismo ii
Romantismo ii
 
Romantismo revisão
Romantismo revisãoRomantismo revisão
Romantismo revisão
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Realismo x Romantismo
Realismo x RomantismoRealismo x Romantismo
Realismo x Romantismo
 
Romantismo contexto historico caracteristicas
Romantismo contexto historico caracteristicasRomantismo contexto historico caracteristicas
Romantismo contexto historico caracteristicas
 
Simbololismo
SimbololismoSimbololismo
Simbololismo
 
romantismorevisao.pdf
romantismorevisao.pdfromantismorevisao.pdf
romantismorevisao.pdf
 
romantismo.pdf literatura resumo slide 1
romantismo.pdf literatura resumo slide 1romantismo.pdf literatura resumo slide 1
romantismo.pdf literatura resumo slide 1
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Set 1em o romantismo no brasil
Set 1em o romantismo no brasilSet 1em o romantismo no brasil
Set 1em o romantismo no brasil
 
Literatura romântica
Literatura românticaLiteratura romântica
Literatura romântica
 
O Realismo E O Simbolismo
O Realismo E O SimbolismoO Realismo E O Simbolismo
O Realismo E O Simbolismo
 
Idealismo, fuga, representação e realidade social
Idealismo, fuga, representação e realidade socialIdealismo, fuga, representação e realidade social
Idealismo, fuga, representação e realidade social
 
Idealismo, fuga, representação e realidade social
Idealismo, fuga, representação e realidade socialIdealismo, fuga, representação e realidade social
Idealismo, fuga, representação e realidade social
 
webnode2
webnode2webnode2
webnode2
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
a cultura da gare.arte romantica.ppt
a cultura da gare.arte romantica.ppta cultura da gare.arte romantica.ppt
a cultura da gare.arte romantica.ppt
 

Mais de Cláudia Heloísa

Dom Casmurro
Dom CasmurroDom Casmurro
Dom Casmurro
Cláudia Heloísa
 
Quincas Borba
Quincas BorbaQuincas Borba
Quincas Borba
Cláudia Heloísa
 
Angústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano RamosAngústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano Ramos
Cláudia Heloísa
 
A relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de QueirósA relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de Queirós
Cláudia Heloísa
 
Enem 2018 informações
Enem 2018 informaçõesEnem 2018 informações
Enem 2018 informações
Cláudia Heloísa
 
Mayombe
MayombeMayombe
Minha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena MorleyMinha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena Morley
Cláudia Heloísa
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencar
Cláudia Heloísa
 
Aula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.AAula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.A
Cláudia Heloísa
 
Variedades linguísticas- exercício
Variedades linguísticas-  exercícioVariedades linguísticas-  exercício
Variedades linguísticas- exercício
Cláudia Heloísa
 
Aula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionaisAula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionais
Cláudia Heloísa
 
Aula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discursoAula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discurso
Cláudia Heloísa
 
Piva aula 7 2016
Piva aula 7  2016Piva aula 7  2016
Piva aula 7 2016
Cláudia Heloísa
 
Aula 4
Aula 4 Aula 4
Aula 5 2016
Aula 5 2016Aula 5 2016
Aula 5 2016
Cláudia Heloísa
 
PIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógicaPIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógica
Cláudia Heloísa
 
PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016 PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016
Cláudia Heloísa
 
PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016
Cláudia Heloísa
 
Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7
Cláudia Heloísa
 
Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios
Cláudia Heloísa
 

Mais de Cláudia Heloísa (20)

Dom Casmurro
Dom CasmurroDom Casmurro
Dom Casmurro
 
Quincas Borba
Quincas BorbaQuincas Borba
Quincas Borba
 
Angústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano RamosAngústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano Ramos
 
A relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de QueirósA relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de Queirós
 
Enem 2018 informações
Enem 2018 informaçõesEnem 2018 informações
Enem 2018 informações
 
Mayombe
MayombeMayombe
Mayombe
 
Minha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena MorleyMinha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena Morley
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencar
 
Aula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.AAula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.A
 
Variedades linguísticas- exercício
Variedades linguísticas-  exercícioVariedades linguísticas-  exercício
Variedades linguísticas- exercício
 
Aula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionaisAula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionais
 
Aula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discursoAula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discurso
 
Piva aula 7 2016
Piva aula 7  2016Piva aula 7  2016
Piva aula 7 2016
 
Aula 4
Aula 4 Aula 4
Aula 4
 
Aula 5 2016
Aula 5 2016Aula 5 2016
Aula 5 2016
 
PIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógicaPIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógica
 
PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016 PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016
 
PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016
 
Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7
 
Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios
 

Último

(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 

Último (20)

(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 

Romantismo

  • 1.
  • 2. Porque o romance se torna o gênero narrativo preferencial, em oposição à epopeia. portanto, o nome do movimento surgiu por uma referência ao gênero narrativo, e não à temática desenvolvida nesse período.
  • 3. “Para romper com a postura racional da estética árcade, o Romantismo interpreta a realidade pelo filtro da emoção. Combinada `originalidade e ao subjetivismo, a expressão das emoções definirá os princípios da nova produção artística.” (ABAURRE e outros, UNO internacional. Módulo 8, p. 10)
  • 4. Observe a diferença na expressão Nicolas Lancret Willian Turner
  • 7. Tendências temáticas do Romantismo Individualismo Livre expressão de sentimentos e emoções mais íntimas e conflituosas Fuga da realidade : Fuga para a natureza, para o passado, para o lado noturno de vida, para o misticismo e o sobrenatural, o sonho, a loucura ou a própria morte. Nacionalismo O Romantismo propaga a ideia de que cada povo é único e criativo, e expressa seu gênio na arte e tradições populares.
  • 8. Observe o que há em comum entre essas imagens:
  • 9. Contexto histórico Na política, caíam os sistemas de governo despóticos e surgia o liberalismo político. No campo social imperava o inconformismo da população. Na arte , o repúdio às regras. Autorretrato de Pedro Américo na Batalha do Avaí. A Revolução Francesa é o símbolo desse século de oposição.
  • 10. "La Liberté guidant le peuple" , Eugène Delacroix 1830
  • 11. A revolução Belga, de E. Gustave Wappers 1834
  • 12. The Fanatics of Tangier, Eugène Delacroix 1837
  • 13. O Grito do Ipiranga, de Pedro Américo ,1888
  • 14. o Romantismo no Brasil coincidiu com a Independência, com o 2º Reinado, com a guerra do Paraguai e a luta abolicionista
  • 15. “O Romantismo transpirava rebeldia e gosto pela liberdade, foi uma fase voltada para os assuntos contemporâneos e para o cotidiano do homem burguês do século XIX. Esse valorizava o homem emotivo, intuitivo e psicológico, e por isso desprezava o racionalismo dos iluministas.”
  • 17. William Blake Blake escreveu e ilustrou mais de vinte livros, incluindo "O livro de Jó" da Bíblia e "A Divina Comédia" de Dante Alighieri (trabalho interrompido pela sua morte). Muitos de seus trabalhos foram marcados pelos seus fortes ideais libertários. Blake também foi escritor, e seus textos apontavam a igreja da Inglaterra e a alta sociedade como exploradores dos fracos.
  • 18. Napoleon in his Studies at the Tuileries Jacques-Louis David
  • 19. SATURN DEVOURING HIS CHILDREN, Goya,1824 Goya buscava explorar a face destrutiva e obscura da natureza humana. Goya
  • 20. El sueño de la razón produce monstruos, Goya
  • 21. sua obra é marcada pela constante representação de figuras de extração popular. Gustave Courbet
  • 22. Música Romântica As primeiras evidências do romantismo na música aparecem com Beethoven. Suas sinfonias revelam uma música com temática profundamente pessoal e interiorizada. “Outros compositores como Chopin, Tchaikovsky, Felix Mendelssohn, Liszt, Grieg e Brahms levaram adiante o ideal romântico de Beethoven, deixando o rigor formal para escreverem músicas mais de acordo com suas emoções.” portaledumusicalcp2.mus.br Ouça em http://www.youtube.com/watch?v=tpGSzH0Wlls ( trecho do filme O segredo de Beethoven, 2006)
  • 24.
  • 25. O nacionalismo está representado nas obras de Walter Scott (Inglaterra) Vitor Hugo (França) Almeida Garrett (Portugal) José de Alencar (Brasil). São resgates históricos - apaixonados e saudosos – ou observações sobre o momento histórico vivido.
  • 26. A frustração nascida do confronto entre os valores do individuo e os valores que organizam a realidade levam o romântico a desprezar a realidade e desejar fugir. Para isso, o homem do Romantismo se utiliza de alguns agentes: Morte alívio para os males do mundo. Sonhos lugar de utopias. Passado tempo em que não havia a dor ou a desilusão.
  • 27. É a expressão do egocentrismo, carregado de melancolia, desilusão, dor e pessimismo (Mal do século). O exagero de sentimentalismo, que “levaria à morte” (esgotamento do indivíduo) construiu textos densos, violentos. Por isso, esses textos foram chamados de “ultrarromânticos”. Tem inspiração em Lord Byron , a partir do qual surge o termo Byronismo.
  • 28. O último romântico Faltava abandonar a velha escola Tomar o mundo feito coca-cola Fazer da minha vida sempre O meu passeio público E ao mesmo tempo fazer dela O meu caminho só Único Talvez eu seja O último romântico Dos litorais Desse Oceano Atlântico... Só falta reunir A zona norte à zona sul Iluminar a vida Já que a morte cai do azul... Só falta te querer Te ganhar e te perder Falta eu acordar Ser gente grande Pra poder chorar... Me dá um beijo, então Aperta a minha mão Tolice é viver a vida Assim, sem aventura... Deixa ser Pelo coração Se é loucura então Melhor não ter razão... (Lulu Santos)
  • 30. Fontes de pesquisa RIBEIRO, Raquel Alexandra Oliveira da Silva (2010) - Romantismo: contextualização histórica e das artes. Castelo Branco : IPCB. ESART. 90 p. Dissertação de Mestrado. Disponível em http://hdl.handle.net/10400.11/656 MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 1974, p.400. Mundo Educação. www.mundoeducacao.com.br/literatura/romantismo.htm Portal de Educação Musical http://www.portaledumusicalcp2.mus.br/Apostilas/PDFs/8ano_05_HM%20Ocidental.pdf GONZAGA, Sergius. Manual de Literatura Brasileira 1.985, Porto Alegre. http://abstracaocoletiva.com.br/2012/10/26/jacques-louis-david-biografia/ Todas as imagens utilizadas nesta apresentação estão disponíveis no Google images Pesquisa, organização e layout Profa. Cláudia Heloísa C. Andria Contato: clauheloisa@yahoo.com.br