SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 38
TERMOQUÍMICA
Prof Carlos Priante
Adaptado de Prof Nelson José Paraná da Silva
AULA 9
•É o estudo da química que envolve o calor, absorvido ou
liberado, quando há uma transformação na matéria.
•Calor - energia que flui de um sistema (corpo) com temperatura
mais alta para o outro com temperatura mais baixa.
•O processo de medida dos calores de reação é denominado
calorimetria.
•O aparelho que mede a entalpia da reação é denominado
calorímetro.
TERMOQUÍMICA
•CALORIA é a quantidade de energia necessária para aumentar
de 1ºC a temperatura de 1 g de água.
•JOULE é a quantidade de energia necessária para deslocar
uma massa de 1kg, inicialmente em repouso, fazendo percurso
de 1 metro em 1 segundo.
1 cal = 4,18 J
1 kcal = 1000 cal
1 kJ = 1000 J
Unidade de Energia
A quantidade de calor pode ser calculada pela expressão:
•Q- é a quantidade de calor, em joules ou calorias.
• m- é a massa da substância que recebe ou cede calor, em gramas.
• c- é o calor específico da substância que recebe ou cede o calor.
• Δt- é a variação de temperatura, sofrida pela substância que
recebe ou cede calor, em °C.
A quantidade de calor necessária para aquecer 1000g de uma
substância “A” de calor específico sensível 0,25 cal/g.°C de 10°C
até 60°C, sem que haja mudança de estado físico, é igual a:
a) 1,25 kcal.
b) 12,5 kcal.
c) 125 kcal.
d) 1250 kcal.
e) 12500 kcal.
ENTALPIA (H)
ENERGIA ACUMULADA POR UMA SUBSTÂNCIA
SOB PRESSÃO CONSTANTE, PODEMOS
DIZER QUE É O CONTÉUDO DE CALOR DA SUBSTÂNCIA.
ENERGIA INTERNA
ENERGIA ACUMULADA POR UMA SUBSTÂNCIA
SOB VOLUME CONSTANTE.
6CO2 + 6H2O → C6H12O6 + 6O2
LUZ
CLOROFILA
Na fotossíntese ocorre absorção de calor
C2H5OH + 3O2 →2CO2 + 3H2O
Na combustão do etanol ocorre liberação de calor
Energia nas Reações Químicas
REAÇÃO EXOTÉRMICA
REAÇÃO ENDOTÉRMICA.
01) Considere as seguintes transformações que ocorrem em uma vela
acesa:
I. Solidificação da parafina que escorre da vela.
II. Queima da parafina.
III. Vaporização da parafina.
Dessas transformações, APENAS:
a) I é endotérmica.
b) II é endotérmica.
c) III é endotérmica.
d) I e II são endotérmicas.
e) II e III são endotérmicas.
EXOTÉRMICA
EXOTÉRMICA
ENDOTÉRMICA
EQUAÇÃO TERMOQUÍMICA
•É a representação de uma reação química em que está
especificado:
* o estado físico de todas as substâncias.
* o balanceamento da equação.
* a variação de calor da reação ( ∆H ).
* as condições físicas em que ocorre a reação, ou seja,
temperatura e pressão. ( 25ºC e 1atm é o comum)
* variedade alotrópica quando existir.
REAÇÃO EXOTÉRMICA
2 C(s) + 3 H2(g) → C2H6(g) ∆ H= – 20,2 kcal
2 C(s) + 3 H2(g) → C2H6(g) + 20,2 kcal
REAÇÃO ENDOTÉRMICA
Fe3O4(s) → 3 Fe(s) + 2 O2(g) H= + 267,0 kcal
Fe3O4(s) → 3 Fe(s) + 2 O2(g) −267,0 kcal
∆
REAÇÃO EXOTÉRMICA
2 C(s) + 3 H2(g) → C2H6(g) ∆ H = – 20,2 kcal
2 C(s) + 3 H2(g) → C2H6(g) + 20,2 kcal
REAÇÃO ENDOTÉRMICA
Fe3O4(s) → 3 Fe(s) + 2 O2(g) H = + 267,0 kcal
Fe3O4(s) → 3 Fe(s) + 2 O2(g) − 267,0 kcal
∆
OBSERVE
OS SINAIS
OBSERVE
OS SINAIS
CÁLCULO DA VARIAÇÃO DE ENTALPIA
A + B → C + D
 HR HP
HP ⇒ ENTALPIA PRODUTO
HR ⇒ ENTALPIA REAGENTE
∆H ⇒ VARIAÇÃO DE ENTALPIA
A + B → C + D + CALOR
REAÇÃO EXOTÉRMICA
A + B + CALOR → C + D
REAÇÃO ENDOTÉRMICA


HR
HR
HP
HP


HR
HP
A + B → C + D +
HR HP>ENTÃO
HR HP= +
REAÇÃO EXOTÉRMICA
O SENTIDO DA SETA
SERÁ SEMPRE DO REAGENTE
PARA O PRODUTO
CAMINHO DA REAÇÃO
HP
HR
A + B + → C + D
Hp Hr>ENTÃO
HrHp = +
REAÇÃO ENDOTÉRMICA
O SENTIDO DA SETA
SERÁ SEMPRE DO REAGENTE
PARA O PRODUTO
CAMINHO DA REAÇÃO
∆H = H (PRODUTOS) – H (REAGENTES)
Se HR < HP ∆H > 0
Se HR > HP ∆H < 0
REAÇÃO ENDOTÉRMICA
REAÇÃO EXOTÉRMICA
Observe a reação de formação (síntese )
de um mol de água, a 25ºC e 1 atm de pressão.
H2(g) + 1/2O2(g) → H2O(g)
Cálculo da entalpia de formação:
∆H = H(produtos) - H(reagentes)
∆H = H(produtos) – H(reagentes)
H2(g) + 1/2 O2(g) → H2O(g ) ∆H = ?
∆H = HºH2O(l) – (Hº H2(g) + 1/2 Hº O2(g))
Hº H2(g )= Hº O2(g) = zero
∆H = HºH2O(l) HºH2O(l)= – 68,4kcal/mol
COMO
e
ENTÃO
∆H = – 68,4kcal/mol
01) Sendo o ∆H de formação do óxido de ferro (II) igual a – 64,04 kcal/mol e o ∆H
de formação do óxido de ferro (III) igual a – 196,5 kcal/mol, o ∆H da reação
abaixo será:
2 FeO + 1/2 O2  Fe2O3
a) – 68,4 kcal/mol.
b) + 68,4 kcal/mol.
c) – 132,5 kcal/mol.
d) + 132,5 kcal/mol.
e) – 260,5 kcal/mol ΔH = H final – H inicial
ΔH = [ 1 x (– 196,5) ] – [2 x (– 64,04)]
ΔH = (– 196,5) – (– 128,04)
ΔH = – 196,5 + 128,04
ΔH = – 68,42 kcal
CÁLCULOS DA VARIAÇÃO DE ENTALPIA
LEI DE HESS
A entalpia de uma reação depende apenas dos estados iniciais
e finais da reação, não depende dos estados intermediários,
ou seja a reação é a mesma para uma ou mais etapas.
Ex. 1 - Cálculo da entalpia da reação de formação do gás carbônico:
C(grafite)+ O2(g) → CO2(g) ∆H = ? kcal/mol
OBSERVE AS EQUAÇÕES:
C(grafite)+ 1/2O2(g) → CO(g) ∆H = – 26,4kcal/mol
CO(g) + 1/2O2(g) → CO2(g) ∆H = – 67,6kcal/mol
EFETUAMOS A SOMA ALGÉBRICA DAS MESMAS.
1ª etapa: C(grafite)+ 1/2O2(g) → CO(g) ∆H1 = – 26,4kcal/mol
2ª etapa: CO(g) + 1/2O2(g) → CO2(g) ∆H2 = – 67,6kcal/mol
∆H = – 94,0kcal/mol
CONCLUINDO
∆H = ∆H1 + ∆H2
∆H = – 94,0kcal/mol
Note que os termos semelhantes em membros opostos se anulam.
Etapa final: C(grafite)+ O2(g) → CO2(g)
Ex 2 - Dadas as equações:
C(grafite )+ O2(g) → CO2(g) ∆H1 = – 94,0kcal/mol
H2(g) + 1/2 O2(g) → H2O(l) ∆H2 = – 68,4kcal/mol
C(grafite)+ 2H2(g) → CH4(g) ∆H3 = – 17,9kcal/mol
Calcular a entalpia da reação:
CH4(g) + O2(g) → CO2(g)+ H2O(l)
Resolução:
As equações dadas deverão ser arrumadas de tal modo
que a sua soma resulte na equação-problema.
C(grafite )+ O2(g) → CO2(g) ∆H1 = – 94,0kcal/mol
H2(g) + 1/2 O2(g) → H2O(l) ∆H2 = – 68,4kcal/mol
C(grafite)+ 2H2(g) → CH4(g) ∆H3 = – 17,9kcal/mol
Equação-problema:
CH4(g) + O2(g) → CO2(g)+ H2O(l)
I)
II)
III)
Agora vamos identificá-las com algarismos romanos.
Agora, invertemos a equação III de modo a obter o
metano ( CH4 ) como reagente.
CH4(g) → C(grafite)+ 2H2(g) ∆H3 = + 17,9kcal/mol
Observe a inversão de sinal do ∆H3
Devemos manter a equação I pois dessa forma
obteremos gás carbônico como produto.
C(grafite )+ O2(g) → CO2(g) ∆H1 = – 94,0kcal/mol
2(H2(g) + 1/2 O2(g) → H2O(l) ∆H2 = – 68,4kcal/mol)
Multiplicar por 2 a equação II para que os coeficientes
fiquem ajustados.
2 H2(g) + O2(g) → 2 H2O(l) ∆H2 = – 136,8 kcal/mol
O ∆H2 também é multiplicado
Finalmente aplica-se a soma algébrica das equações,
inclusive das variações de entalpia.
CH4(g) → C(grafite)+ 2H2(g) ∆H3 = + 17,9 kcal/mol
C(grafite )+ O2(g) → CO2(g) ∆H1 = – 94,0 kcal/mol
2 H2(g) + O2(g) → 2 H2O(l) ∆H2 = – 136,8 kcal/mol
_____________________________________________________________
CH4(g) → C(grafite)+ 2H2(g) ∆H3 = + 17,9 kcal/mol
C(grafite )+ O2(g) → CO2(g) ∆H1 = – 94,0 kcal/mol
2 H2(g) + O2(g) → 2 H2O(l) ∆H2 = – 136,8 kcal/mol
_____________________________________________________________
CH4(g) + 2O2(g) → CO2(g)+ 2H2O(l) ∆H = – 212,9 kcal/mol
Observe os cortes:
∆H = ∆H1 + ∆H2 + ∆H3
A variação de entalpia de uma reação pode ser
calculada, conhecendo-se apenas as entalpias
de formação dos seus reagentes e produtos.
∆H = ∑∆H(produtos) – ∑∆H(reagentes)
C3H8(g) + 5O2(g) → 3CO2(g) + 4H2O(g) ∆H = ? – kcal/mol
Consultando a tabela de calores de formação:
SUBSTÂNCIAS
C3H8(g)
CO2(g)
H2O(g)
O2(g)
∆Η
-24,8kcal/mol
-94,1kcal/mol
-57,8kcal/mol
zero
Observe a equação:
∆H = ∑∆H(produtos) – ∑∆H(reagentes)
∆H = [ 3(-94,1) + 4(-57,8)] - (-24,8 + zero)
∆H = [3∆HCO2(g)+ 4∆HH2O(g) ] - (∆HC3H8(g)+5∆HO2(g) )
∆H = - 488,7 kcal/mol
ENERGIA DE LIGAÇÃO
É A ENERGIA NECESSÁRIA PARA ROMPER UM MOL DE
LIGAÇÃO DE UMA SUBSTÂNCIA NO ESTADO GASOSO.
EX. Para romper um de ligação H – O são necessárias
110kcal.
Para romper um de ligação H – C são necessárias
100kcal.
Para romper um de ligação O = O são necessárias
118kcal.
.* esses valores são tabelados
Para romper um mol de água no estado gasoso, teremos:
H2O(l) → 2H(g) + O(g) ∆H = ? kcal/mol
O
H H
110Kcal110kcal
H2O(l) → 2H(g) + O(g) ∆H = 220 kcal/mol
SUBSTÂNCIA Hº (kcal/mol) SUBSTÂNCIA Hº (kcal/mol)
H2O(v) -57,8 NH3(g) -11,0
H2O(l) -68,4 HF(g) -64,2
H2O(s) -69,8 HCl(g) -22,1
CO(g) -26,4 HBr(g) -8,7
CO2(g) -94,1 HI(g) -6,2
CH4(g) -17,9 HNO3(l) -41,5
H3COH(l) -57,0 C12H22O11(s) -531,5
C2H5OH(l) -66,4 NaCl(s) -98,5
Não esquenta a
cabeça !!!
Fisico-Químicaaaaa
Dadas as seguintes equações termoquímicas:
2 H2(g) + O2(g) → 2 H2O(ℓ) ∆H = -571,5 kJ
N2O5(g) + H2O(ℓ) → 2 HNO3(ℓ) ∆H = -76,6 kJ
½ N2(g) + 3/2 O2(g) + ½ H2(g) → HNO3(ℓ) ∆H = -174,1 kJ
Baseado nessas equações, determine a alternativa correta a respeito
da formação de 2 mols de N2O5(g) a partir de 2 mols de N2(g) e 5
mols de O2(g):
a) libera 28,3 kJ
b) absorve 28,3 kJ.
c) libera 822,2 kJ.
d) absorve 822,2 kJ.
DESAFIO
Queremos descobrir o calor que foi liberado ou absorvido (variação
de entalpia) na seguinte equação:
2 N2(g) + 5 O2(g) → 2 N2O5(g) ∆H = ?
Para resolver essa questão aplicando a Lei de Hess, temos que
inverter a primeira e a segunda equação, multiplicar a segunda
equação por 2 e multiplicar a terceira equação por 4:
2 H2O(ℓ) → 2 H2(g) + O2(g) ∆H = +571,5 kJ
4 HNO3(ℓ) → 2 N2O5(g) + 2 H2O(ℓ) ∆H = +153,2 kJ
2 N2(g) + 6 O2(g) + 2 H2(g) → 4 HNO3(ℓ) ∆H = -696,4 kJ
2 N2(g) + 5 O2(g) → 2 N2O5(g) ∆H = + 28,3 kJ
O sinal positivo indica que houve absorção de energia na forma de
calor.
Alternativa “b”.
Termoquimica
Termoquimica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEs
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
termoquimica
termoquimicatermoquimica
termoquimica
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Química orgânica 3º ano COMPLETO
Química orgânica 3º ano   COMPLETOQuímica orgânica 3º ano   COMPLETO
Química orgânica 3º ano COMPLETO
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimica
 
Misturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e HeterogeneasMisturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e Heterogeneas
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Aula 9 Mol Quantidade De Materia2
Aula 9   Mol   Quantidade De Materia2Aula 9   Mol   Quantidade De Materia2
Aula 9 Mol Quantidade De Materia2
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
 
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completoEquilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
 
Entalpia
EntalpiaEntalpia
Entalpia
 
Exercícios de química - 9º ano
Exercícios de química - 9º anoExercícios de química - 9º ano
Exercícios de química - 9º ano
 
Calculo estequiometrico
Calculo estequiometricoCalculo estequiometrico
Calculo estequiometrico
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
 
Termoquímica 2o ano
Termoquímica  2o anoTermoquímica  2o ano
Termoquímica 2o ano
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
 
Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Leis ponderais
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Aula 8 sais e oxidos
Aula 8   sais e oxidosAula 8   sais e oxidos
Aula 8 sais e oxidos
 

Destaque (16)

Termoqumica 2013 objetivo
Termoqumica 2013   objetivoTermoqumica 2013   objetivo
Termoqumica 2013 objetivo
 
Slides Termoquímica - Professor Robson Araujo (Robinho)
Slides Termoquímica - Professor Robson Araujo (Robinho)Slides Termoquímica - Professor Robson Araujo (Robinho)
Slides Termoquímica - Professor Robson Araujo (Robinho)
 
TermoquíMica
TermoquíMicaTermoquíMica
TermoquíMica
 
Gases =d
Gases =dGases =d
Gases =d
 
Termoquimica cjc
Termoquimica cjcTermoquimica cjc
Termoquimica cjc
 
TERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOS
TERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOSTERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOS
TERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOS
 
Termoquimica
TermoquimicaTermoquimica
Termoquimica
 
Termoquimica inicial
Termoquimica inicialTermoquimica inicial
Termoquimica inicial
 
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Termoquímica
Slides da aula de Química (Manoel) sobre TermoquímicaSlides da aula de Química (Manoel) sobre Termoquímica
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Termoquímica
 
Termoquimica introducao-2em-2010-aula-22 para aula teste
Termoquimica introducao-2em-2010-aula-22 para aula testeTermoquimica introducao-2em-2010-aula-22 para aula teste
Termoquimica introducao-2em-2010-aula-22 para aula teste
 
Aulatermoquimica2
Aulatermoquimica2Aulatermoquimica2
Aulatermoquimica2
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Eletroquímica
EletroquímicaEletroquímica
Eletroquímica
 
Slide de termoquímica
Slide de termoquímicaSlide de termoquímica
Slide de termoquímica
 
MM, MA, mol, volume
MM, MA, mol, volumeMM, MA, mol, volume
MM, MA, mol, volume
 
Cinética química professora estela
Cinética química professora estelaCinética química professora estela
Cinética química professora estela
 

Semelhante a Termoquimica (20)

Termoquimica 1 e 2
Termoquimica 1 e 2Termoquimica 1 e 2
Termoquimica 1 e 2
 
Termoquimica1
Termoquimica1Termoquimica1
Termoquimica1
 
Termoquimica
TermoquimicaTermoquimica
Termoquimica
 
Professor José Roberto - Termoquímica completa
Professor José Roberto - Termoquímica completaProfessor José Roberto - Termoquímica completa
Professor José Roberto - Termoquímica completa
 
Termoquimica
TermoquimicaTermoquimica
Termoquimica
 
Equações Químicas.pptx
Equações Químicas.pptxEquações Químicas.pptx
Equações Químicas.pptx
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Termoquímica 2021.pdf
Termoquímica 2021.pdfTermoquímica 2021.pdf
Termoquímica 2021.pdf
 
165
165165
165
 
Termoquímica3
Termoquímica3Termoquímica3
Termoquímica3
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Termoquímica - Regência na UNIGRANRIO
Termoquímica - Regência na UNIGRANRIOTermoquímica - Regência na UNIGRANRIO
Termoquímica - Regência na UNIGRANRIO
 
Termoquímica-Regência na Unigranrio
 Termoquímica-Regência na Unigranrio  Termoquímica-Regência na Unigranrio
Termoquímica-Regência na Unigranrio
 
termoquimica.pptx
termoquimica.pptxtermoquimica.pptx
termoquimica.pptx
 
AULA 09 - TERMOQUÍMICA.pptx
AULA 09 - TERMOQUÍMICA.pptxAULA 09 - TERMOQUÍMICA.pptx
AULA 09 - TERMOQUÍMICA.pptx
 
Aula de Termoquímica completa para ensino medio.pdf
Aula de Termoquímica completa para ensino medio.pdfAula de Termoquímica completa para ensino medio.pdf
Aula de Termoquímica completa para ensino medio.pdf
 
Termoquimica.1
Termoquimica.1Termoquimica.1
Termoquimica.1
 
Cálculos quimicos de termoquimica
Cálculos quimicos de  termoquimicaCálculos quimicos de  termoquimica
Cálculos quimicos de termoquimica
 
Termoquímica2
Termoquímica2Termoquímica2
Termoquímica2
 
Termoquímica.pptx
Termoquímica.pptxTermoquímica.pptx
Termoquímica.pptx
 

Mais de Carlos Priante

Zoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumoZoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumoCarlos Priante
 
Zoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumoZoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumoCarlos Priante
 
Noções de Astronomia
Noções de AstronomiaNoções de Astronomia
Noções de AstronomiaCarlos Priante
 
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos AtômicosLista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos AtômicosCarlos Priante
 
Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014Carlos Priante
 
Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014Carlos Priante
 
Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015Carlos Priante
 
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Carlos Priante
 
Energia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoEnergia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoCarlos Priante
 
Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015Carlos Priante
 
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espéciesTeorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espéciesCarlos Priante
 
Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria Carlos Priante
 
Isomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaIsomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaCarlos Priante
 
Mapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de CiênciasMapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de CiênciasCarlos Priante
 
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Carlos Priante
 
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X HidrocarbonetosLista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X HidrocarbonetosCarlos Priante
 

Mais de Carlos Priante (20)

Botânica- resumo
Botânica- resumoBotânica- resumo
Botânica- resumo
 
Zoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumoZoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumo
 
Zoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumoZoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumo
 
Noções de Astronomia
Noções de AstronomiaNoções de Astronomia
Noções de Astronomia
 
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos AtômicosLista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
 
Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014
 
Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014
 
Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015
 
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
 
Energia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoEnergia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservação
 
Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015
 
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espéciesTeorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
 
Reações Orgânicas
Reações OrgânicasReações Orgânicas
Reações Orgânicas
 
Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria
 
Isomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaIsomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química Orgânica
 
Sucessão Ecológica
Sucessão EcológicaSucessão Ecológica
Sucessão Ecológica
 
Funções Orgânicas
Funções OrgânicasFunções Orgânicas
Funções Orgânicas
 
Mapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de CiênciasMapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de Ciências
 
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
 
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X HidrocarbonetosLista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
 

Último

Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfLUCASAUGUSTONASCENTE
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 

Último (20)

Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 

Termoquimica

  • 1. TERMOQUÍMICA Prof Carlos Priante Adaptado de Prof Nelson José Paraná da Silva AULA 9
  • 2. •É o estudo da química que envolve o calor, absorvido ou liberado, quando há uma transformação na matéria. •Calor - energia que flui de um sistema (corpo) com temperatura mais alta para o outro com temperatura mais baixa. •O processo de medida dos calores de reação é denominado calorimetria. •O aparelho que mede a entalpia da reação é denominado calorímetro. TERMOQUÍMICA
  • 3. •CALORIA é a quantidade de energia necessária para aumentar de 1ºC a temperatura de 1 g de água. •JOULE é a quantidade de energia necessária para deslocar uma massa de 1kg, inicialmente em repouso, fazendo percurso de 1 metro em 1 segundo. 1 cal = 4,18 J 1 kcal = 1000 cal 1 kJ = 1000 J Unidade de Energia
  • 4. A quantidade de calor pode ser calculada pela expressão: •Q- é a quantidade de calor, em joules ou calorias. • m- é a massa da substância que recebe ou cede calor, em gramas. • c- é o calor específico da substância que recebe ou cede o calor. • Δt- é a variação de temperatura, sofrida pela substância que recebe ou cede calor, em °C.
  • 5. A quantidade de calor necessária para aquecer 1000g de uma substância “A” de calor específico sensível 0,25 cal/g.°C de 10°C até 60°C, sem que haja mudança de estado físico, é igual a: a) 1,25 kcal. b) 12,5 kcal. c) 125 kcal. d) 1250 kcal. e) 12500 kcal.
  • 6. ENTALPIA (H) ENERGIA ACUMULADA POR UMA SUBSTÂNCIA SOB PRESSÃO CONSTANTE, PODEMOS DIZER QUE É O CONTÉUDO DE CALOR DA SUBSTÂNCIA. ENERGIA INTERNA ENERGIA ACUMULADA POR UMA SUBSTÂNCIA SOB VOLUME CONSTANTE.
  • 7. 6CO2 + 6H2O → C6H12O6 + 6O2 LUZ CLOROFILA Na fotossíntese ocorre absorção de calor C2H5OH + 3O2 →2CO2 + 3H2O Na combustão do etanol ocorre liberação de calor Energia nas Reações Químicas REAÇÃO EXOTÉRMICA REAÇÃO ENDOTÉRMICA.
  • 8. 01) Considere as seguintes transformações que ocorrem em uma vela acesa: I. Solidificação da parafina que escorre da vela. II. Queima da parafina. III. Vaporização da parafina. Dessas transformações, APENAS: a) I é endotérmica. b) II é endotérmica. c) III é endotérmica. d) I e II são endotérmicas. e) II e III são endotérmicas. EXOTÉRMICA EXOTÉRMICA ENDOTÉRMICA
  • 9. EQUAÇÃO TERMOQUÍMICA •É a representação de uma reação química em que está especificado: * o estado físico de todas as substâncias. * o balanceamento da equação. * a variação de calor da reação ( ∆H ). * as condições físicas em que ocorre a reação, ou seja, temperatura e pressão. ( 25ºC e 1atm é o comum) * variedade alotrópica quando existir.
  • 10. REAÇÃO EXOTÉRMICA 2 C(s) + 3 H2(g) → C2H6(g) ∆ H= – 20,2 kcal 2 C(s) + 3 H2(g) → C2H6(g) + 20,2 kcal REAÇÃO ENDOTÉRMICA Fe3O4(s) → 3 Fe(s) + 2 O2(g) H= + 267,0 kcal Fe3O4(s) → 3 Fe(s) + 2 O2(g) −267,0 kcal ∆
  • 11. REAÇÃO EXOTÉRMICA 2 C(s) + 3 H2(g) → C2H6(g) ∆ H = – 20,2 kcal 2 C(s) + 3 H2(g) → C2H6(g) + 20,2 kcal REAÇÃO ENDOTÉRMICA Fe3O4(s) → 3 Fe(s) + 2 O2(g) H = + 267,0 kcal Fe3O4(s) → 3 Fe(s) + 2 O2(g) − 267,0 kcal ∆ OBSERVE OS SINAIS OBSERVE OS SINAIS
  • 12. CÁLCULO DA VARIAÇÃO DE ENTALPIA A + B → C + D  HR HP HP ⇒ ENTALPIA PRODUTO HR ⇒ ENTALPIA REAGENTE ∆H ⇒ VARIAÇÃO DE ENTALPIA
  • 13. A + B → C + D + CALOR REAÇÃO EXOTÉRMICA A + B + CALOR → C + D REAÇÃO ENDOTÉRMICA   HR HR HP HP  
  • 14. HR HP A + B → C + D + HR HP>ENTÃO HR HP= + REAÇÃO EXOTÉRMICA O SENTIDO DA SETA SERÁ SEMPRE DO REAGENTE PARA O PRODUTO CAMINHO DA REAÇÃO
  • 15. HP HR A + B + → C + D Hp Hr>ENTÃO HrHp = + REAÇÃO ENDOTÉRMICA O SENTIDO DA SETA SERÁ SEMPRE DO REAGENTE PARA O PRODUTO CAMINHO DA REAÇÃO
  • 16. ∆H = H (PRODUTOS) – H (REAGENTES) Se HR < HP ∆H > 0 Se HR > HP ∆H < 0 REAÇÃO ENDOTÉRMICA REAÇÃO EXOTÉRMICA
  • 17. Observe a reação de formação (síntese ) de um mol de água, a 25ºC e 1 atm de pressão. H2(g) + 1/2O2(g) → H2O(g) Cálculo da entalpia de formação: ∆H = H(produtos) - H(reagentes)
  • 18. ∆H = H(produtos) – H(reagentes) H2(g) + 1/2 O2(g) → H2O(g ) ∆H = ? ∆H = HºH2O(l) – (Hº H2(g) + 1/2 Hº O2(g)) Hº H2(g )= Hº O2(g) = zero ∆H = HºH2O(l) HºH2O(l)= – 68,4kcal/mol COMO e ENTÃO ∆H = – 68,4kcal/mol
  • 19. 01) Sendo o ∆H de formação do óxido de ferro (II) igual a – 64,04 kcal/mol e o ∆H de formação do óxido de ferro (III) igual a – 196,5 kcal/mol, o ∆H da reação abaixo será: 2 FeO + 1/2 O2  Fe2O3 a) – 68,4 kcal/mol. b) + 68,4 kcal/mol. c) – 132,5 kcal/mol. d) + 132,5 kcal/mol. e) – 260,5 kcal/mol ΔH = H final – H inicial ΔH = [ 1 x (– 196,5) ] – [2 x (– 64,04)] ΔH = (– 196,5) – (– 128,04) ΔH = – 196,5 + 128,04 ΔH = – 68,42 kcal
  • 20. CÁLCULOS DA VARIAÇÃO DE ENTALPIA LEI DE HESS A entalpia de uma reação depende apenas dos estados iniciais e finais da reação, não depende dos estados intermediários, ou seja a reação é a mesma para uma ou mais etapas. Ex. 1 - Cálculo da entalpia da reação de formação do gás carbônico: C(grafite)+ O2(g) → CO2(g) ∆H = ? kcal/mol
  • 21. OBSERVE AS EQUAÇÕES: C(grafite)+ 1/2O2(g) → CO(g) ∆H = – 26,4kcal/mol CO(g) + 1/2O2(g) → CO2(g) ∆H = – 67,6kcal/mol
  • 22. EFETUAMOS A SOMA ALGÉBRICA DAS MESMAS. 1ª etapa: C(grafite)+ 1/2O2(g) → CO(g) ∆H1 = – 26,4kcal/mol 2ª etapa: CO(g) + 1/2O2(g) → CO2(g) ∆H2 = – 67,6kcal/mol ∆H = – 94,0kcal/mol CONCLUINDO ∆H = ∆H1 + ∆H2 ∆H = – 94,0kcal/mol Note que os termos semelhantes em membros opostos se anulam. Etapa final: C(grafite)+ O2(g) → CO2(g)
  • 23. Ex 2 - Dadas as equações: C(grafite )+ O2(g) → CO2(g) ∆H1 = – 94,0kcal/mol H2(g) + 1/2 O2(g) → H2O(l) ∆H2 = – 68,4kcal/mol C(grafite)+ 2H2(g) → CH4(g) ∆H3 = – 17,9kcal/mol Calcular a entalpia da reação: CH4(g) + O2(g) → CO2(g)+ H2O(l)
  • 24. Resolução: As equações dadas deverão ser arrumadas de tal modo que a sua soma resulte na equação-problema. C(grafite )+ O2(g) → CO2(g) ∆H1 = – 94,0kcal/mol H2(g) + 1/2 O2(g) → H2O(l) ∆H2 = – 68,4kcal/mol C(grafite)+ 2H2(g) → CH4(g) ∆H3 = – 17,9kcal/mol Equação-problema: CH4(g) + O2(g) → CO2(g)+ H2O(l) I) II) III) Agora vamos identificá-las com algarismos romanos.
  • 25. Agora, invertemos a equação III de modo a obter o metano ( CH4 ) como reagente. CH4(g) → C(grafite)+ 2H2(g) ∆H3 = + 17,9kcal/mol Observe a inversão de sinal do ∆H3 Devemos manter a equação I pois dessa forma obteremos gás carbônico como produto. C(grafite )+ O2(g) → CO2(g) ∆H1 = – 94,0kcal/mol 2(H2(g) + 1/2 O2(g) → H2O(l) ∆H2 = – 68,4kcal/mol) Multiplicar por 2 a equação II para que os coeficientes fiquem ajustados. 2 H2(g) + O2(g) → 2 H2O(l) ∆H2 = – 136,8 kcal/mol O ∆H2 também é multiplicado
  • 26. Finalmente aplica-se a soma algébrica das equações, inclusive das variações de entalpia. CH4(g) → C(grafite)+ 2H2(g) ∆H3 = + 17,9 kcal/mol C(grafite )+ O2(g) → CO2(g) ∆H1 = – 94,0 kcal/mol 2 H2(g) + O2(g) → 2 H2O(l) ∆H2 = – 136,8 kcal/mol _____________________________________________________________
  • 27. CH4(g) → C(grafite)+ 2H2(g) ∆H3 = + 17,9 kcal/mol C(grafite )+ O2(g) → CO2(g) ∆H1 = – 94,0 kcal/mol 2 H2(g) + O2(g) → 2 H2O(l) ∆H2 = – 136,8 kcal/mol _____________________________________________________________ CH4(g) + 2O2(g) → CO2(g)+ 2H2O(l) ∆H = – 212,9 kcal/mol Observe os cortes: ∆H = ∆H1 + ∆H2 + ∆H3
  • 28. A variação de entalpia de uma reação pode ser calculada, conhecendo-se apenas as entalpias de formação dos seus reagentes e produtos. ∆H = ∑∆H(produtos) – ∑∆H(reagentes)
  • 29. C3H8(g) + 5O2(g) → 3CO2(g) + 4H2O(g) ∆H = ? – kcal/mol Consultando a tabela de calores de formação: SUBSTÂNCIAS C3H8(g) CO2(g) H2O(g) O2(g) ∆Η -24,8kcal/mol -94,1kcal/mol -57,8kcal/mol zero Observe a equação:
  • 30. ∆H = ∑∆H(produtos) – ∑∆H(reagentes) ∆H = [ 3(-94,1) + 4(-57,8)] - (-24,8 + zero) ∆H = [3∆HCO2(g)+ 4∆HH2O(g) ] - (∆HC3H8(g)+5∆HO2(g) ) ∆H = - 488,7 kcal/mol
  • 31. ENERGIA DE LIGAÇÃO É A ENERGIA NECESSÁRIA PARA ROMPER UM MOL DE LIGAÇÃO DE UMA SUBSTÂNCIA NO ESTADO GASOSO. EX. Para romper um de ligação H – O são necessárias 110kcal. Para romper um de ligação H – C são necessárias 100kcal. Para romper um de ligação O = O são necessárias 118kcal. .* esses valores são tabelados
  • 32. Para romper um mol de água no estado gasoso, teremos: H2O(l) → 2H(g) + O(g) ∆H = ? kcal/mol O H H 110Kcal110kcal H2O(l) → 2H(g) + O(g) ∆H = 220 kcal/mol
  • 33. SUBSTÂNCIA Hº (kcal/mol) SUBSTÂNCIA Hº (kcal/mol) H2O(v) -57,8 NH3(g) -11,0 H2O(l) -68,4 HF(g) -64,2 H2O(s) -69,8 HCl(g) -22,1 CO(g) -26,4 HBr(g) -8,7 CO2(g) -94,1 HI(g) -6,2 CH4(g) -17,9 HNO3(l) -41,5 H3COH(l) -57,0 C12H22O11(s) -531,5 C2H5OH(l) -66,4 NaCl(s) -98,5
  • 34. Não esquenta a cabeça !!! Fisico-Químicaaaaa
  • 35. Dadas as seguintes equações termoquímicas: 2 H2(g) + O2(g) → 2 H2O(ℓ) ∆H = -571,5 kJ N2O5(g) + H2O(ℓ) → 2 HNO3(ℓ) ∆H = -76,6 kJ ½ N2(g) + 3/2 O2(g) + ½ H2(g) → HNO3(ℓ) ∆H = -174,1 kJ Baseado nessas equações, determine a alternativa correta a respeito da formação de 2 mols de N2O5(g) a partir de 2 mols de N2(g) e 5 mols de O2(g): a) libera 28,3 kJ b) absorve 28,3 kJ. c) libera 822,2 kJ. d) absorve 822,2 kJ. DESAFIO
  • 36. Queremos descobrir o calor que foi liberado ou absorvido (variação de entalpia) na seguinte equação: 2 N2(g) + 5 O2(g) → 2 N2O5(g) ∆H = ? Para resolver essa questão aplicando a Lei de Hess, temos que inverter a primeira e a segunda equação, multiplicar a segunda equação por 2 e multiplicar a terceira equação por 4: 2 H2O(ℓ) → 2 H2(g) + O2(g) ∆H = +571,5 kJ 4 HNO3(ℓ) → 2 N2O5(g) + 2 H2O(ℓ) ∆H = +153,2 kJ 2 N2(g) + 6 O2(g) + 2 H2(g) → 4 HNO3(ℓ) ∆H = -696,4 kJ 2 N2(g) + 5 O2(g) → 2 N2O5(g) ∆H = + 28,3 kJ O sinal positivo indica que houve absorção de energia na forma de calor. Alternativa “b”.