Adm med via intramuscular

10.253 visualizações

Publicada em

aula administração medicamentos via intramuscular

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.253
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
142
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
172
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Adm med via intramuscular

  1. 1. Administração de Medicamentos via Intramuscular Prof Viviane
  2. 2. VIA INTRAMUSCULAR IM
  3. 3. INJEÇÃO INTRAMUSCULAR (IM) •  É a deposição de medicamento dentro do tecido muscular. • Depois da via endovenosa é a de mais rápida absorção; por isso o seu largo emprego.
  4. 4. Via Intramuscular • Via muito utilizada, devido a absorção rápida • Volume injetado (adulto massa muscular dentro do parâmetro normal) – Região deltóide – volume máximo 2ml – Região glútea – de 4 a 5 ml – Músculo da coxa (vasto lateral)– de 3 a 4 ml – Não esquecer que irá depender da massa muscular do cliente
  5. 5. INJEÇÃO INTRAMUSCULAR (IM) Escolha do local 1º Região ventro-glútea: indicada em qualquer idade 2º Região da face ântero-lateral da coxa: indicada especialmente para lactentes e crianças até 10 anos. 3º Região dorso-glútea: contra-indicada para menores de 2 anos, maiores de 60 anos e pessoas excessivamente magras. 4º Região deltoidiana: contra-indicada para menores de 10 anos e adultos com pequeno desenvolvimento muscular.
  6. 6. Músculo Deltóide Músculo da face ântero-lateral da coxa Músculo Ventro-glútea Músculo Dorso-glútea Regiões indicadas, para aplicação de injeção intramuscular
  7. 7. ÂNGULO DA AGULHA • o ângulo de inserção da agulha deve ser sempre perpendicular à pele, a 90º independente da região. Quando a aplicação é feita na região ventro-glútea, recomenda-se que a agulha seja ligeiramente dirigida para a crista ilíaca.
  8. 8. Tamanho da agulha Na seleção da agulha é preciso levar em consideração: • idade do cliente, • espessura do tecido subcutâneo • solubilidade da droga a ser injetada. Ex: 25 x 8 e 30 x 7.
  9. 9. OBSERVAÇÕES • Caso venha sangue na seringa, retirar imediatamente e aplicar em outro local. • Injeções de mais de 2 ml não devem ser aplicadas no deltóide- restrito para vacinas • O volume máximo para injeção IM é de 5 ml. Volume acima de 5 ml, fracionar e aplicar em locais diferentes.
  10. 10. OBSERVAÇÕES • Estabelecer rodízio nos locais de aplicação de injeções. • O uso do músculo deltóide é contra-indicado em pacientes com complicações vasculares dos membros superiores, pacientes com parestesia ou paralisia dos braços, e aquelas que sofreram mastectomia.
  11. 11. Locais de Aplicação, Delimitação da área e Posição do Cliente Deltóide • Face lateral do braço, aproximadamente 4 dedos abaixo do ombro, no centro do músculo deltóide. • Preferencialmente sentado, com o antebraço flexionado, expondo completamente o braço e o ombro. • Volume Máximo: 2 ml
  12. 12. Complicações após aplicações, por via intramuscular Abcessos; Infecções inespecíficas; Ulceração ou necrose tecidual por administração de medicamentos contra indicados para esta via;
  13. 13. Complicações Durante e Após Aplicação • Lesão dos nervos radial, ulnar, escapular ou axilar; • Paralisia dos músculos do membro superior; • Lesão da artéria umeral;
  14. 14. • Lesão do nervo circunflexo com provocação do chamado sinal de Anger (parestesia da parte posterior do deltóide); • Atrofia do deltóide;
  15. 15. • Gangrena por lesão de vasos sanguíneos; • Reações orgânicas por intolerância a solução injetada; • Inflamações provocadas por medicamentos irritantes aplicados em grande volume; • Nódulos e fibroses por aplicações repetidas no mesmo local.
  16. 16. Dorço-glútea (DG) • Dividir o glúteo em 4 partes e aplicar no quadrante superior externo.
  17. 17. Via Intramuscular • Quando não devemos utilizar a região glútea? – Crianças < 2 anos – Pctes com atrofia da musculatura – Paralisia de membros inferiores • Complicações – Deve-se evitar o nervo ciático – Injeções intravasculares: embolias – Infecções e abscessos
  18. 18. • Os braços devem ficar ao longo do corpo e os pés virados para dentro
  19. 19. • Deitado, em decúbito ventral, com a cabeça de preferência voltada para o aplicador - a fim de facilitar a observação de qualquer manifestação facial de desconforto ou dor durante a aplicação. • Deve-se evitar aplicações na região DG com o cliente em decúbito lateral, pois nessa posição há distorção dos limites anatômicos, aumentando a possibilidade de punções mal localizadas.
  20. 20. Ventro-glútea • Colocar a mão não dominante no quadril do paciente, espalmando a mão sobre a base do grande trocanter do fêmur, localizando a espinha ilíaca ântero-superior. • Fazer a injeção no centro da área limitada pelos dois dedos abertos em V.
  21. 21. Músculo vasto lateral da coxa FALC • Dividir a coxa em 3 partes e fazer a aplicação na região ântero-lateral do terço médio. • De preferência, o paciente deve ficar sentado, com a perna fletida, ou deitado em decúbito dorsal, com as pernas distendidas.
  22. 22. TÉCNICA DE APLICAÇÃO - IM • Lavar as mãos; • Identificar o cliente, perguntando-lhe o nome; • Colocar a bandeja, contendo a medicação, próxima ao cliente; • Explicar o procedimento e a finalidade ao cliente; • Escolher a região apropriada;
  23. 23. • Com a mão não dominante pegar o algodão embebido em álcool a 70%, e proceder a anti-sepsia do local, • Colocar o cliente em posição adequada e expor somente a região escolhida; • Com a mão dominante pegar a seringa, segurando o corpo da mesma com os dedos polegar e indicador; Manter o algodão entre os dedos mínimo e anular da mesma mão; • Com a mão não dominante, esticar a pele segurando firmemente o músculo; • Introduzir, rapidamente a agulha com o bisel voltado para o lado, no sentido das fibras musculares – angulo 90º
  24. 24. • Com a mão não dominante, puxar o êmbolo, aspirando para verificar se não lesionou algum vaso; empurrar o êmbolo, introduzindo a solução lentamente; • Terminada a aplicação, retirar a agulha com movimento rápido; • Fazer pressão no local com algodão, massageando levemente com movimentos circulares ; • Não realize massagem para medicamentos que devem ser absorvidos lentamente . Ex: anticoncepcional injetável • Observar as reações do cliente; • Desprezar o material, não recapando a agulha; • lavar as mãos;
  25. 25. Técnica em Z • esta técnica de aplicação para injeção IM é indicada quando medicações irritantes, como o ferro, podem infiltrar-se para tecidos subcutâneos e pele, inclusive manchando. 1. Locais corretos para a injeção: quadrantes superior externos da região glútea, em direção perpendicular à asa ilíaca, evitando o trajeto do nervo. 2. Com os dedos da mão espalmada, repuxar firmemente a pele, mantendo- se assim durante todo o tempo de administração. O estiramento da pele somente cessará após retirada da agulha.
  26. 26. 3. Após assepsia, introduzir a agulha profundamente e injetar lentamente, verificando, antes, se a ponta da agulha não atingiu algum vaso sangüíneo. 4. Injetado todo o líquido, esperar 10 segundos e retirar rapidamente a agulha. Somente então soltar a pele, que estava sendo repuxada pelos dedos da outra mão do aplicador. 5. Com estas manobras, os planos superficiais (pele e tecido subcutâneo) voltam à posição original e o canal formado pela agulha assume um trajeto irregular (em Z), que impede o refluxo do produto.

×