SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Baixar para ler offline
CONTROLE DE INFECÇÃO
     Kelly de Lima Oliveira -ASB
A prática odontológica
     abrange uma
     variedade de
  procedimentos que
  podem incluir desde
   um simples exame
   até cirurgias mais
       complexas
O descuido com medidas de
     biossegurança tem
         intensificado
 o ciclo de infecção cruzada
Várias doenças infecto contagiosas

  causadas por vírus, bactérias,

fungos podem ser transmitidas no

 próprio consultório odontológico
Vírus: Catapora, hepatites B e C,
conjuntivite herpética, herpes simples e
zoster, rubéola, gripe, HIV,entre outras;

Bactérias: pneumonia, infecção por
estafilococos, bacilos como da
tuberculose...

Fungos: candidíase,entre outras.
Por isso, o cuidado com as
           medidas de
    biossegurança devem ser
           adotadas de
forma rigorosa, com o objetivo de
 assegurar a saúde de todos que
               estão
    envolvidos nessa pratica.
TODOS OS PACIENTES DEVEM SER
TRATADOS COMO POTENCIALMENTE
        CONTAMINADOS
Medidas como o uso de
    EPI, desinfecção de
  materiais e consultório,
  correta esterilização de
materiais, lavagem das mãos
          e correto
 descarte de lixo,ajudam a
    diminuir o ciclo de
      infecção cruzada
USO DE EPI

O EPI é uma importante
 maneira de assegurar a
   biossegurança, pois
       impede que
    microorganismos
     provenientes do
   paciente, através do
     sangue, fluidos
 orgânicos, secreções e
 excreções contaminem
 o profissional de saúde
       e sua equipe
O EPI inclui:
LUVAS:As luvas devem
  ser obrigatoriamente
 usadas sempre que se
manipule sangue, saliva,
   mucosa ou pele de
   todos os pacientes,
  devendo ser trocadas
 após o atendimento de
     cada paciente.
AVENTAL:evita o
  contato da pele e
roupas pessoais com
os microrganismos do
 campo de trabalho.
  Seu uso deve ser
 restrito ao local de
       trabalho
GORRO:deve recobrir todo
   o cabelo e orelhas,
     protegendo-os
   principalmente dos
        aerossóis.
MÁSCARA: proteção
  das vias aéreas
   superiores, A
   máscara deve
permitir respiração
adequada, ter bom
conforto, não irritar
a pele e nunca ficar
   pendurada no
      pescoço.
ÓCULOS DE PROTEÇÃO:
   proteção biológica e
  mecânica. Devem ser
 fechados lateralmente.
  Devem ser lavados e
      desinfetados.
Doenças como tuberculose,
rubéola, cachumba, GRIPE, entre
              outras
podem ser evitadas somente com
          o uso de EPIs
MÃOS
     As mãos são
 consideradas o maior
   meio de infecção
 cruzada,pois entram
facilmente em contato
    com objetos ou
       materiais
    contaminados.
Por isso devemos
  higienizá-las de
forma correta antes
    e após cada
   procedimento
Friccionar
as palmas        Friccionar     Friccionar
                  o dorso     entre os dedos




  1          2                3
Friccionar a
               Friccionar o
 ponta dos                      Friccionar a
                  polegar
   dedos                      ponta dos dedos
                                 na palma




 4              5               6
CUIDADOS COM MATERIAIS

Os materiais dividem-se em 3
 grupos:
CRÍTICO :são instrumentos de
corte ou ponta que penetram nos
 tecidos sub-epiteliais. Devem ser
  obrigatoriamente esterilizados.
SEMI- CRÍTICO : são instrumentos
que entram em contato com a
mucosa ou pele íntegra ,devem ser
esterilizados ou desinfetados,
dependendo para que fim é utilizado.
NÃO CRÍTICO :
  entram em contato
  apenas com a pele
íntegra ou não entram
   em contato com o
 paciente , devem ser
  desinfetados após o
          uso.
DESINFECÇÃO DO
        CONSULTÓRIO
  O ambiente e equipamentos fixos que
cercam o paciente durante o atendimento
odontológico se tornam contaminados em
 função da possibilidade de espirramento
       de secreções e/ou sangue e,
principalmente, pelo aerossol liberado no
                ambiente.
Para limpeza do chão,
  paredes, teto, janelas e
 demais superfícies pode
ser utilizado simplesmente
        água e sabão
Esterilização
Existem 2 formas de esterilização:

   1ª por calor seco: estufa;

    2ª por calor úmido: autoclave.
A autoclave é
 considerada a forma
    mais eficaz na
    destruição dos
microorganismos, pois
 apresenta excelente
penetração de vapor,
 alcançando todas as
    superfícies dos
       materiais
Mas para que ela funcione
corretamente, os materiais
  devem ter um correto
manuseio até a esterilização
1º Após o uso os
 materiais devem
ficar de molho no
    detergente
    enzimático
2º Lavar com
   detergente e
  auxilio de uma
escova ou esponja
3º Secar com uma toalha que
              seja
utilizada somente para esse fim
4º Empacotar com
 uma embalagem
    apropriada
5º Colocar
  esterilizar,
 cuidando os
espaços entre
as embalagens
6º Após o ciclo de
      esterilização,
guardar o material em um
          local
       apropriado
Descarte do lixo odontológico
     O lixo
odontológico é
dividido em lixo
  comum, lixo
contaminado e
  lixo perfuro
    cortante
Lixo comum       è
 descartado em lixo
de saco preto comum
Lixo contaminado         è
descartado em um saco
 branco,leitoso, com
         identificação
Lixo perfuro cortante      é

descartado em descarpack

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Biossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomiaBiossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomiaPriscila Freitas
 
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologiaCaroline Augusta
 
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)marcelo otenio
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurançaRenatbar
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurançaclinicansl
 
Esterilização e desinfecção
Esterilização e desinfecção Esterilização e desinfecção
Esterilização e desinfecção dapab
 
8 infecção hospitalar e ccih
8   infecção hospitalar e ccih8   infecção hospitalar e ccih
8 infecção hospitalar e ccihLarissa Paulo
 
Agentes infecciosos e automedicação
Agentes infecciosos e automedicaçãoAgentes infecciosos e automedicação
Agentes infecciosos e automedicaçãoPatrícia Prates
 
Ergonomia em odontologia
Ergonomia em odontologia Ergonomia em odontologia
Ergonomia em odontologia Rômulo Augusto
 

Mais procurados (20)

Plano de Gerenciamento de Resíduos de Saúde.
Plano de Gerenciamento de Resíduos de Saúde.Plano de Gerenciamento de Resíduos de Saúde.
Plano de Gerenciamento de Resíduos de Saúde.
 
Biossegurança pdf
Biossegurança pdfBiossegurança pdf
Biossegurança pdf
 
Acidente com material biologico
Acidente com material biologico Acidente com material biologico
Acidente com material biologico
 
Biossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomiaBiossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomia
 
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia
51683379 controle-de-infeccao-em-odontologia
 
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Biossegurança 4
Biossegurança 4Biossegurança 4
Biossegurança 4
 
Vigilância Sanitária
Vigilância SanitáriaVigilância Sanitária
Vigilância Sanitária
 
Aula esterilizacao
Aula esterilizacaoAula esterilizacao
Aula esterilizacao
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Aula de microbiologia ppt
Aula de microbiologia   pptAula de microbiologia   ppt
Aula de microbiologia ppt
 
Esterilização e desinfecção
Esterilização e desinfecção Esterilização e desinfecção
Esterilização e desinfecção
 
8 infecção hospitalar e ccih
8   infecção hospitalar e ccih8   infecção hospitalar e ccih
8 infecção hospitalar e ccih
 
Agentes infecciosos e automedicação
Agentes infecciosos e automedicaçãoAgentes infecciosos e automedicação
Agentes infecciosos e automedicação
 
Ergonomia em odontologia
Ergonomia em odontologia Ergonomia em odontologia
Ergonomia em odontologia
 
Biossegurança dental care
Biossegurança dental careBiossegurança dental care
Biossegurança dental care
 
Prevenção e controle de infecção
Prevenção e controle de infecçãoPrevenção e controle de infecção
Prevenção e controle de infecção
 
Aula 4 biossegurança ii
Aula 4   biossegurança iiAula 4   biossegurança ii
Aula 4 biossegurança ii
 

Destaque

Infecção cruzada
Infecção cruzadaInfecção cruzada
Infecção cruzadaTamara Paz
 
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1Cintia Do Nascimento Batista
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemJuliana Maciel
 
Biosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagemBiosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagemGabriela Montargil
 
Biossegurança com interesse à Cirurgia BMF
Biossegurança com interesse à Cirurgia BMFBiossegurança com interesse à Cirurgia BMF
Biossegurança com interesse à Cirurgia BMFprofguilhermeterra
 
Controle de infecção e biossegurança 2013
Controle de infecção e biossegurança 2013Controle de infecção e biossegurança 2013
Controle de infecção e biossegurança 2013Guilherme Terra
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatórioprofguilhermeterra
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)ivanaferraz
 
Biossegurança em odontologia
Biossegurança em odontologiaBiossegurança em odontologia
Biossegurança em odontologiaDebora Lana
 
10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_pacienteCamila Melo
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do pacienteHIAGO SANTOS
 
Aula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteAula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteProqualis
 
Assepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsiaAssepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsiaDanilo Modesto
 

Destaque (20)

Infecção cruzada
Infecção cruzadaInfecção cruzada
Infecção cruzada
 
Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
 
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagem
 
Biossegurança (2)
Biossegurança (2)Biossegurança (2)
Biossegurança (2)
 
Biosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagemBiosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagem
 
Biossegurança com interesse à Cirurgia BMF
Biossegurança com interesse à Cirurgia BMFBiossegurança com interesse à Cirurgia BMF
Biossegurança com interesse à Cirurgia BMF
 
Controle de infecção e biossegurança 2013
Controle de infecção e biossegurança 2013Controle de infecção e biossegurança 2013
Controle de infecção e biossegurança 2013
 
Controle de infecção
Controle de infecçãoControle de infecção
Controle de infecção
 
Palestra infecção
Palestra infecçãoPalestra infecção
Palestra infecção
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatório
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 
Biossegurança em odontologia
Biossegurança em odontologiaBiossegurança em odontologia
Biossegurança em odontologia
 
10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
 
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Limpeza e higienização hospitalar
Limpeza e higienização hospitalarLimpeza e higienização hospitalar
Limpeza e higienização hospitalar
 
Aula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteAula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do paciente
 
Assepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsiaAssepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsia
 

Semelhante a Controle de infecção odontológica

BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdfBIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdfKeniaSilvaCosta
 
2ªaula - biossegurana.ppt
2ªaula  -  biossegurana.ppt2ªaula  -  biossegurana.ppt
2ªaula - biossegurana.pptmonicamamedes1
 
Aula Biossegurança[5473].pdf
Aula Biossegurança[5473].pdfAula Biossegurança[5473].pdf
Aula Biossegurança[5473].pdfCarolinaMalburg2
 
Aula biossegurança 2
Aula biossegurança 2Aula biossegurança 2
Aula biossegurança 2Paula Rocha
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurançanuiashrl
 
5ª aula desinfecção e esterilização
5ª aula   desinfecção e esterilização5ª aula   desinfecção e esterilização
5ª aula desinfecção e esterilizaçãoJeremias Salomão
 
Biossegurananaenfermagem 130301191638-phpapp01
Biossegurananaenfermagem 130301191638-phpapp01Biossegurananaenfermagem 130301191638-phpapp01
Biossegurananaenfermagem 130301191638-phpapp01Tec Saúde
 
aula Lavagem das Mãos.ppt
aula Lavagem das Mãos.pptaula Lavagem das Mãos.ppt
aula Lavagem das Mãos.pptMarcioCruz62
 
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptx
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptxBIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptx
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptxJohnAlcntara
 
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdf
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdfBIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdf
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdfJohnAlcntara
 
Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica Hygor Malheiros
 
atenção a BIOSSEGURANÇA na massoterapia para massoterapeuta
atenção a BIOSSEGURANÇA na massoterapia para massoterapeutaatenção a BIOSSEGURANÇA na massoterapia para massoterapeuta
atenção a BIOSSEGURANÇA na massoterapia para massoterapeutaAlieneLira
 

Semelhante a Controle de infecção odontológica (20)

BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdfBIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
 
2ªaula - biossegurana.ppt
2ªaula  -  biossegurana.ppt2ªaula  -  biossegurana.ppt
2ªaula - biossegurana.ppt
 
Aula Biossegurança[5473].pdf
Aula Biossegurança[5473].pdfAula Biossegurança[5473].pdf
Aula Biossegurança[5473].pdf
 
Aula biossegurança 2
Aula biossegurança 2Aula biossegurança 2
Aula biossegurança 2
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
 
Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
 
assepsia....
assepsia....assepsia....
assepsia....
 
5ª aula desinfecção e esterilização
5ª aula   desinfecção e esterilização5ª aula   desinfecção e esterilização
5ª aula desinfecção e esterilização
 
Biossegurananaenfermagem 130301191638-phpapp01
Biossegurananaenfermagem 130301191638-phpapp01Biossegurananaenfermagem 130301191638-phpapp01
Biossegurananaenfermagem 130301191638-phpapp01
 
aula Lavagem das Mãos.ppt
aula Lavagem das Mãos.pptaula Lavagem das Mãos.ppt
aula Lavagem das Mãos.ppt
 
citologia
citologiacitologia
citologia
 
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptx
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptxBIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptx
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptx
 
CAMPANHA MÃOS.pptx
CAMPANHA MÃOS.pptxCAMPANHA MÃOS.pptx
CAMPANHA MÃOS.pptx
 
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdf
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdfBIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdf
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdf
 
Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica
 
atenção a BIOSSEGURANÇA na massoterapia para massoterapeuta
atenção a BIOSSEGURANÇA na massoterapia para massoterapeutaatenção a BIOSSEGURANÇA na massoterapia para massoterapeuta
atenção a BIOSSEGURANÇA na massoterapia para massoterapeuta
 
M4 Materiais
M4 MateriaisM4 Materiais
M4 Materiais
 
BIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.pptBIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.ppt
 

Mais de Saúde Hervalense (20)

Pmaq apresentacao - rs
Pmaq   apresentacao - rsPmaq   apresentacao - rs
Pmaq apresentacao - rs
 
Acolhimentoehumanização
AcolhimentoehumanizaçãoAcolhimentoehumanização
Acolhimentoehumanização
 
Dietas da moda
Dietas da modaDietas da moda
Dietas da moda
 
HIV/AIDS
HIV/AIDSHIV/AIDS
HIV/AIDS
 
Tabagismo
Tabagismo  Tabagismo
Tabagismo
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
 
Lei nº 9.782
Lei nº 9.782Lei nº 9.782
Lei nº 9.782
 
Grupogestantes
GrupogestantesGrupogestantes
Grupogestantes
 
Saude
SaudeSaude
Saude
 
Relatório final para o blog
Relatório final para o blogRelatório final para o blog
Relatório final para o blog
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Controle social
Controle socialControle social
Controle social
 
Apresentação dia de combate ao cancer bucal
Apresentação dia de combate ao cancer bucalApresentação dia de combate ao cancer bucal
Apresentação dia de combate ao cancer bucal
 
Apresentação dia de combate ao cancer bucal
Apresentação dia de combate ao cancer bucalApresentação dia de combate ao cancer bucal
Apresentação dia de combate ao cancer bucal
 
Sistema unico de saude[1]
Sistema unico de saude[1]Sistema unico de saude[1]
Sistema unico de saude[1]
 
Gestação 2
Gestação 2Gestação 2
Gestação 2
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTsDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
 
Orientação Sexual
Orientação SexualOrientação Sexual
Orientação Sexual
 
Farmacia domestica
Farmacia domesticaFarmacia domestica
Farmacia domestica
 
Farmacia domestica
Farmacia domesticaFarmacia domestica
Farmacia domestica
 

Controle de infecção odontológica

  • 1. CONTROLE DE INFECÇÃO Kelly de Lima Oliveira -ASB
  • 2. A prática odontológica abrange uma variedade de procedimentos que podem incluir desde um simples exame até cirurgias mais complexas
  • 3. O descuido com medidas de biossegurança tem intensificado o ciclo de infecção cruzada
  • 4. Várias doenças infecto contagiosas causadas por vírus, bactérias, fungos podem ser transmitidas no próprio consultório odontológico
  • 5. Vírus: Catapora, hepatites B e C, conjuntivite herpética, herpes simples e zoster, rubéola, gripe, HIV,entre outras; Bactérias: pneumonia, infecção por estafilococos, bacilos como da tuberculose... Fungos: candidíase,entre outras.
  • 6. Por isso, o cuidado com as medidas de biossegurança devem ser adotadas de forma rigorosa, com o objetivo de assegurar a saúde de todos que estão envolvidos nessa pratica.
  • 7. TODOS OS PACIENTES DEVEM SER TRATADOS COMO POTENCIALMENTE CONTAMINADOS
  • 8. Medidas como o uso de EPI, desinfecção de materiais e consultório, correta esterilização de materiais, lavagem das mãos e correto descarte de lixo,ajudam a diminuir o ciclo de infecção cruzada
  • 9. USO DE EPI O EPI é uma importante maneira de assegurar a biossegurança, pois impede que microorganismos provenientes do paciente, através do sangue, fluidos orgânicos, secreções e excreções contaminem o profissional de saúde e sua equipe
  • 10. O EPI inclui: LUVAS:As luvas devem ser obrigatoriamente usadas sempre que se manipule sangue, saliva, mucosa ou pele de todos os pacientes, devendo ser trocadas após o atendimento de cada paciente.
  • 11. AVENTAL:evita o contato da pele e roupas pessoais com os microrganismos do campo de trabalho. Seu uso deve ser restrito ao local de trabalho
  • 12.
  • 13. GORRO:deve recobrir todo o cabelo e orelhas, protegendo-os principalmente dos aerossóis.
  • 14. MÁSCARA: proteção das vias aéreas superiores, A máscara deve permitir respiração adequada, ter bom conforto, não irritar a pele e nunca ficar pendurada no pescoço.
  • 15. ÓCULOS DE PROTEÇÃO: proteção biológica e mecânica. Devem ser fechados lateralmente. Devem ser lavados e desinfetados.
  • 16. Doenças como tuberculose, rubéola, cachumba, GRIPE, entre outras podem ser evitadas somente com o uso de EPIs
  • 17. MÃOS As mãos são consideradas o maior meio de infecção cruzada,pois entram facilmente em contato com objetos ou materiais contaminados.
  • 18. Por isso devemos higienizá-las de forma correta antes e após cada procedimento
  • 19. Friccionar as palmas Friccionar Friccionar o dorso entre os dedos 1 2 3
  • 20. Friccionar a Friccionar o ponta dos Friccionar a polegar dedos ponta dos dedos na palma 4 5 6
  • 21. CUIDADOS COM MATERIAIS Os materiais dividem-se em 3 grupos:
  • 22. CRÍTICO :são instrumentos de corte ou ponta que penetram nos tecidos sub-epiteliais. Devem ser obrigatoriamente esterilizados.
  • 23. SEMI- CRÍTICO : são instrumentos que entram em contato com a mucosa ou pele íntegra ,devem ser esterilizados ou desinfetados, dependendo para que fim é utilizado.
  • 24. NÃO CRÍTICO : entram em contato apenas com a pele íntegra ou não entram em contato com o paciente , devem ser desinfetados após o uso.
  • 25. DESINFECÇÃO DO CONSULTÓRIO O ambiente e equipamentos fixos que cercam o paciente durante o atendimento odontológico se tornam contaminados em função da possibilidade de espirramento de secreções e/ou sangue e, principalmente, pelo aerossol liberado no ambiente.
  • 26. Para limpeza do chão, paredes, teto, janelas e demais superfícies pode ser utilizado simplesmente água e sabão
  • 27. Esterilização Existem 2 formas de esterilização: 1ª por calor seco: estufa; 2ª por calor úmido: autoclave.
  • 28. A autoclave é considerada a forma mais eficaz na destruição dos microorganismos, pois apresenta excelente penetração de vapor, alcançando todas as superfícies dos materiais
  • 29. Mas para que ela funcione corretamente, os materiais devem ter um correto manuseio até a esterilização
  • 30. 1º Após o uso os materiais devem ficar de molho no detergente enzimático
  • 31. 2º Lavar com detergente e auxilio de uma escova ou esponja
  • 32. 3º Secar com uma toalha que seja utilizada somente para esse fim
  • 33. 4º Empacotar com uma embalagem apropriada
  • 34. 5º Colocar esterilizar, cuidando os espaços entre as embalagens
  • 35. 6º Após o ciclo de esterilização, guardar o material em um local apropriado
  • 36. Descarte do lixo odontológico O lixo odontológico é dividido em lixo comum, lixo contaminado e lixo perfuro cortante
  • 37. Lixo comum è descartado em lixo de saco preto comum
  • 38. Lixo contaminado è descartado em um saco branco,leitoso, com identificação
  • 39. Lixo perfuro cortante é descartado em descarpack