SlideShare uma empresa Scribd logo
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ATENÇÃO AO
RECÉM-NASCIDO
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
COMO ESTRATÉGIA PARA PREVENÇÃO DE
INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE (IRAS) E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Acreditem: eu, você... nós possuímos microrganismos nas mãos!!
Médicos, enfermeiros e outros trabalhadores da saúde
podem contaminar suas mãos fazendo coisas simples:
• Coleta de sangue do paciente
• Medindo a PA ou o pulso
• Realizando exame físico
• Ajudando um paciente a se mobilizar na cama
• Tocando em objetos do paciente, ou no leito
• Tocando equipamentos localizados no espaço próximo
ao leito como monitores e bombas de infusão
A imagem de uma placa de ágar sangue,
24 horas após um colaborador de unidade
neonatal imprimir sua mão na superfície.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Objetivo dessa apresentação:
Apresentar a importância da correta higienização das mãos para a
prevenção de IRAS e emergência de bactérias Multirresistentes.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Prevenção de IRAS em Neonatologia
Estratégias fundamentais:
• Redução da transmissão cruzada de microrganismos
• Uso Racional de Antibióticos
BORGHESI, 2008
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Metas Internacionais de Segurança do Paciente
Meta 5 - Reduzir o risco de infecções associadas aos cuidados de saúde.
• A OMS estima que, entre 5% e 10% dos pacientes admitidos em hospitais,
adquirem uma ou mais infecções.
A higiene das mãos é uma medida primária preventiva, de acordo com as
diretrizes atuais da OMS ou do Center for Disease Control.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Desafio Mundial para a Segurança do Paciente (Global Patient Safety Challenges)
Os cinco elementos do primeiro desafio mundial para a segurança do paciente são:
• Segurança dos hemoderivados e seu uso
• Segurança no uso de injetáveis e na imunização
• Procedimentos clínicos seguros
• Segurança na qualidade e disponibilidade de água e gerenciamento de resíduos no
cuidado à saúde
• HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
O termo higienização das mãos engloba:
• Higienização simples
• Higienização antisséptica
• Fricção antisséptica
• Antissepsia cirúrgica das mãos
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: POR QUE FAZER?
• A pele das mãos alberga duas populações de microrganismos: a microbiota residente e a
transitória.
• Microbiota residente é constituída por microrganismos de baixa virulência: estafilococos,
corinebactérias e micrococos, pouco associados às infecções veiculadas pelas mãos (em
neonatologia, o Staphylococcus coagulase negativo é um importante agente de infecção de
corrente sanguínea).
• A microbiota residente é mais difícil de ser removida pela higienização das mãos com água e
sabão, uma vez que coloniza as camadas mais internas da pele.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
• A microbiota transitória coloniza a camada mais superficial da pele e permite remoção mecânica
pela higienização das mãos com água e sabão, sendo eliminada com mais facilidade quando se
utiliza uma solução antisséptica.
• É representada, tipicamente, pelas bactérias gram-negativas, como enterobactérias (como
Escherichia coli), bactérias não fermentadoras (como Pseudomonas aeruginosa), além de fungos e
vírus.
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: POR QUE FAZER?
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Prevenção de Transmissão Cruzada: cuidado com o ambiente
• Contato: direto e indireto
• Fluidos contaminados
• Via Aérea
• Vetores
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Transmissão por Contato
As mãos constituem a principal via de transmissão
de microrganismos durante a assistência aos
pacientes, pois a pele é um possível reservatório de
diversos microrganismos, que podem se transferir
de uma superfície para outra, por meio de contato
direto (pele com pele) ou indireto, (através do
contato com objetos e superfícies contaminados).
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
• As mãos são o meio mais comum de transmissão de
patógenos.
• A transmissão de patógenos relacionados à
assistência à saúde, de um paciente para outro,
pelas mãos de profissionais de saúde, requer 5
passos sequenciais.
A transmissão de patógenos pelas mãos
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
• Microrganismos (Staphylococcus aureus, Klebsiella sp e
Acinetobacter sp) presentes em áreas intactas da pele de
alguns pacientes representam: 100 - 1 milhão de unidades
formadoras de colônia(UFC)/cm2.
• Quase 1 milhão de escamas da pele contendo
microrganismos viáveis se desprendem diariamente da pele
normal.
• As áreas próximas ao paciente (roupa de cama, móveis e
outros objetos) se contaminam com os microrganismos do
paciente (especialmente, por estafilococos e enterococos).
Passo 1: Microrganismos presentes na pele do paciente e nas superfícies do ambiente
Pittet et al., 2006
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
• Enfermeiros podem contaminar suas mãos com 100
a1.000 UFC de Klebsiella sp. durante atividades “limpas”
(levantar pacientes, determinar o pulso, a pressão
arterial ou a temperatura oral do paciente)
• 15% dos enfermeiros que trabalham numa unidade de
isolamento portavam 10.000 CFU de S. aureus nas mãos
Passo 2: Transferência de microrganismos pelas mãos de profissionais de saúde
Pittet et al., 2006
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
• Após contato com pacientes e/ou ambiente contaminado,
os microrganismos podem sobreviver nas mãos por
diferentes períodos de tempo (2 a 60 minutos).
• Na ausência de higienização das mãos, quanto maior a
duração do cuidado, maior é o grau de contaminação das
mãos.
Passo 3: Sobrevivência dos microrganismos nas mãos
Pittet et al., 2006
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
• Quantidade insuficiente de produtos para higienização das
mãos/ou duração insuficiente da técnica de higienização das
mãos levam à descontaminação insuficiente das mãos.
• Microrganismos transientes ainda são recuperados após a
higienização das mãos com água e sabonete, enquanto que o
uso de preparação alcóolica (gel ou solução) para a
higienização das mãos provou ser significativamente mais
eficaz.
Passo 4: Higienização deficiente das mãos resulta em mãos que permanecem
contaminadas
Pittet et al., 2006
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Passo 5: Mãos contaminadas fazem a transmissão cruzada
de microrganismos
Muitos estudos tem reportado a transmissão de
microrganismos entre pacientes e a partir do ambiente,
tanto do local de assistência quanto das proximidades do
paciente, por meio das mãos de profissionais de saúde.
Pittet et al., 2006
(PITTET et al., 2006)
É fundamental a adesão aos
5 momentos da higienização
das mãos, precauções padrão
e precauções especiais por
toda equipe multidisciplinar
da neonatologia, assim como
por especialistas de outros
setores que realizam
interconsulta ou exames
complementares como RX,
ecografia, fundo de olho, etc.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Adesão aos Cinco Momentos da Higienização de Mãos - OMS
Cinco Momentos da Higienização das Mãos em Unidade Neonatal
Folder Neonatologia CAISM/UNICAMP Prevenção de Infecção Associada a Cateter
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Profissionais da Saúde
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: Quando?
Atenção ao 5 momentos de higienização (OMS) e também...
• Antes de iniciar o trabalho
• Após ir ao banheiro
• Após tocar a boca e nariz
• Entre procedimentos com o mesmo cliente, quando houver risco de contaminação
• Ao entrar ou sair de áreas de isolamento
• Ao iniciar preparo de medicação
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Soluções utilizadas para Higienização das Mãos
• Sabão líquido em unidades de baixo risco, como alojamento conjunto
e unidade de internação obstétrica.
• Clorexidina degermante em unidades de alto risco para infecção,
como Unidade Neonatal, UTI adulto, Centro Cirúrgico e Centro
Obstétrico.
• Álcool 70 % + glicerina 2 % para higienização das mãos em
procedimentos de baixo risco, quando não houver sujidade aparente.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Como higienizar as mãos?
Higienização simples (sabão comum) ou antisséptica (sabão contendo antisséptico)
• Friccionar as mãos com água e sabão líquido ou solução antisséptica degermante por aproximadamente 15
segundos, incluindo todas as superfícies, espaço interdigitais e unhas; lavar também o antebraço.
• Enxaguar com água corrente.
• Enxugar com papel toalha
Guia OPAS Prevenção IRAS em Neonatologia, 2017.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Higienização das mãos com álcool gel ou álcool a 70% glicerinado com 2% de glicerina
(Fricção das mãos com antisséptico)
• Pode substituir a lavagem das mãos com água e sabão quando não houver sujidade aparente,
especialmente nos procedimentos de baixo risco para infecção ou em situações emergenciais.
• Importante nesse procedimento é garantir que a solução seja friccionada em todas as superfícies das
mãos, espaço interdigital e dedos, deixando as mãos secarem espontaneamente.
• A técnica de higienização com álcool gel é semelhante a higienização simples das mãos, devendo ser
observado o uso do produto em todas as superfícies das mãos, e espaços interdigitais, com o cuidado de
aguardar a secagem espontânea.
• O uso de antisséptico é uma importante estratégia no controle de infecção por ser um procedimento
simples e que diminui o risco de danificar mãos do profissional de saúde por lavagem repetida com água e
sabão. Além disso, pode estar disponível no ponto de cuidado dos pacientes.
Guia OPAS Prevenção IRAS em Neonatologia, 2017.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
A restrição de tempo é o principal obstáculo para a
higienização eficaz das mãos
A higienização adequada das mãos com água e sabão líquido leva: 1 a 1,5 minutos
Média de tempo, em geral, gasto por profissionais de saúde: < 10 segs
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Higienizar as mãos com preparação alcoólica para superar
o obstáculo da restrição de tempo
Higienizar as mãos com água
e sabão líquido
1 a 1,5 min
Higienizar as mãos com
preparação alcoólica
15 a 20 seg
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
MOMENTO CERTO – Adesão aos 5 MOMENTOS/OMS
X
TÉCNICA CORRETA – sem adornos durante a assistência
FALHAS
ADORNOS
Fotos arquivo: treinamento CCIH – CAISM/UNICAMP
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Fotos arquivo: treinamento CCIH – CAISM/UNICAMP
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
Antissepsia cirúrgica das mãos
• Friccionar as mãos com água e solução antisséptica degermante,
incluindo todas as superfícies e espaços entre os dedos e unhas.
• Lavar também o antebraço.
• Enxaguar com água corrente.
• Enxugar com compressa estéril.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
O uso de luvas não substitui a higienização das
mãos, que deve ser realizada antes e após a
retirada das luvas.
ATENÇÃO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
• BORGHESI, Alessandro; STRONATI, M. Strategies for the prevention of hospital-acquired infections in the neonatal intensive care unit.
Journal of Hospital Infection.Volume 68, Issue 4, April 2008, Pages 293-300
• PITTET, Didier et al. WHO Global Patient Safety Challenge, World Alliance for Patient Safety. Evidence-based model for hand
transmission during patient care and the role of improved practices. The Lancet Infectious Diseases. Volume 6, Issue 10, October 2006,
Pages 641-652
• Organização Pan-Americana da Saúde. Centro Latino-Americano de Perinatologia, Saúde da Mulher e Reprodutiva. Prevenção de
infecções relacionadas à assistência à saúde em neonatologia. Montevidéu:CLAP/SMR-OPS/OMS, 2016. (CLAP/SMR. Publicação
Científica, 1613-03).
Referências Bibliográficas
ATENÇÃO AO
RECÉM-NASCIDO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Material de 13 de abril de 2018
Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Eixo: Atenção ao Recém-nascido
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
COMO ESTRATÉGIA PARA PREVENÇÃO DE INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE (IRAS) E
EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Biossegurança pdf
Biossegurança pdfBiossegurança pdf
Biossegurança pdf
Bianca Mota Machado Araújo
 
Higienização das mãos
Higienização das mãos Higienização das mãos
Higienização das mãos
micaelaneves
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
Renatbar
 
8 infecção hospitalar e ccih
8   infecção hospitalar e ccih8   infecção hospitalar e ccih
8 infecção hospitalar e ccih
Larissa Paulo
 
Higienização das mãos corretamente | WWW.ENFERMAGEMSECULO21.COM.BR
Higienização das mãos corretamente | WWW.ENFERMAGEMSECULO21.COM.BRHigienização das mãos corretamente | WWW.ENFERMAGEMSECULO21.COM.BR
Higienização das mãos corretamente | WWW.ENFERMAGEMSECULO21.COM.BR
Gusttavo Maldovick
 
Higiene e profilaxia
Higiene e profilaxiaHigiene e profilaxia
Higiene e profilaxia
Soraya Lima
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
nuiashrl
 
Treinamento de política de higienização das mãos
Treinamento de política de higienização das mãos Treinamento de política de higienização das mãos
Treinamento de política de higienização das mãos
Fonte Medicina Diagnóstica
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
Sheilla Sandes
 
Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
Rafaela Carvalho
 
hAula 5 higienização de maos
hAula 5   higienização de maoshAula 5   higienização de maos
hAula 5 higienização de maos
José Vitor Alves
 
Cme completo
Cme completoCme completo
Cme completo
Pinheiropinheironeto
 
Aula técnica de higiene das mãos
Aula  técnica de higiene das mãosAula  técnica de higiene das mãos
Aula técnica de higiene das mãos
Áurea Fabrícia Amâncio Quirino
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagem
Juliana Maciel
 
Aula sobre Prevenção de infecção de trato urinário associada a cateter vesical
Aula sobre Prevenção de infecção de trato urinário associada a cateter vesicalAula sobre Prevenção de infecção de trato urinário associada a cateter vesical
Aula sobre Prevenção de infecção de trato urinário associada a cateter vesical
Proqualis
 
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
resenfe2013
 
Higiene hospitalar ieda
Higiene  hospitalar iedaHigiene  hospitalar ieda
Higiene hospitalar ieda
Ieda Noronha
 
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisaApresentacao anvisa
Apresentacao anvisa
07082001
 
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalar
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalarPrecauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalar
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalar
Grupo Ivan Ervilha
 
Admissão do paciente na unidade
Admissão do paciente na unidadeAdmissão do paciente na unidade
Admissão do paciente na unidade
ISCISA
 

Mais procurados (20)

Biossegurança pdf
Biossegurança pdfBiossegurança pdf
Biossegurança pdf
 
Higienização das mãos
Higienização das mãos Higienização das mãos
Higienização das mãos
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
 
8 infecção hospitalar e ccih
8   infecção hospitalar e ccih8   infecção hospitalar e ccih
8 infecção hospitalar e ccih
 
Higienização das mãos corretamente | WWW.ENFERMAGEMSECULO21.COM.BR
Higienização das mãos corretamente | WWW.ENFERMAGEMSECULO21.COM.BRHigienização das mãos corretamente | WWW.ENFERMAGEMSECULO21.COM.BR
Higienização das mãos corretamente | WWW.ENFERMAGEMSECULO21.COM.BR
 
Higiene e profilaxia
Higiene e profilaxiaHigiene e profilaxia
Higiene e profilaxia
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
 
Treinamento de política de higienização das mãos
Treinamento de política de higienização das mãos Treinamento de política de higienização das mãos
Treinamento de política de higienização das mãos
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
 
hAula 5 higienização de maos
hAula 5   higienização de maoshAula 5   higienização de maos
hAula 5 higienização de maos
 
Cme completo
Cme completoCme completo
Cme completo
 
Aula técnica de higiene das mãos
Aula  técnica de higiene das mãosAula  técnica de higiene das mãos
Aula técnica de higiene das mãos
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagem
 
Aula sobre Prevenção de infecção de trato urinário associada a cateter vesical
Aula sobre Prevenção de infecção de trato urinário associada a cateter vesicalAula sobre Prevenção de infecção de trato urinário associada a cateter vesical
Aula sobre Prevenção de infecção de trato urinário associada a cateter vesical
 
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 
Higiene hospitalar ieda
Higiene  hospitalar iedaHigiene  hospitalar ieda
Higiene hospitalar ieda
 
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisaApresentacao anvisa
Apresentacao anvisa
 
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalar
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalarPrecauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalar
Precauções para prevenção de transmissão de agentes infecciosos intra-hospitalar
 
Admissão do paciente na unidade
Admissão do paciente na unidadeAdmissão do paciente na unidade
Admissão do paciente na unidade
 

Semelhante a Higienização das mãos

Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdfAula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
RaquelOlimpio1
 
Higienização das mãos
Higienização das mãosHigienização das mãos
Higienização das mãos
Luiz Jorge Mendonça
 
2017 AULA Higienização das Mãos FINAL!.pdf
2017 AULA Higienização das Mãos FINAL!.pdf2017 AULA Higienização das Mãos FINAL!.pdf
2017 AULA Higienização das Mãos FINAL!.pdf
DulceDorisFlores
 
zamile e equipe.docx
zamile e equipe.docxzamile e equipe.docx
zamile e equipe.docx
cybercom1
 
Biossegurança
Biossegurança Biossegurança
Lavadodemanoshgm pt
Lavadodemanoshgm ptLavadodemanoshgm pt
Lavadodemanoshgm pt
University of Miami
 
Aula biossegurança 2
Aula biossegurança 2Aula biossegurança 2
Aula biossegurança 2
Paula Rocha
 
Higienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
Higienizacao de Mãos em Serviços de SaúdeHigienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
Higienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
General Clean
 
Prevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
Prevenção e Controle de Microrganismo MultirresistentePrevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
Prevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
nuiashrl
 
protocolo-de-higiene-das-maos hospitais anvisa 1 pia para 10 leitos.pdf
protocolo-de-higiene-das-maos hospitais anvisa 1 pia para 10 leitos.pdfprotocolo-de-higiene-das-maos hospitais anvisa 1 pia para 10 leitos.pdf
protocolo-de-higiene-das-maos hospitais anvisa 1 pia para 10 leitos.pdf
Rayane Rodrigues
 
Controle de infecção
Controle de infecçãoControle de infecção
Controle de infecção
Andréa Dantas
 
Controle de infecção
Controle de infecçãoControle de infecção
Controle de infecção
Andréa Dantas
 
2ªaula - biossegurana.ppt
2ªaula  -  biossegurana.ppt2ªaula  -  biossegurana.ppt
2ªaula - biossegurana.ppt
monicamamedes1
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
Silvania Fatima Américo
 
Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012
Euripedes Barbosa
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
Hotanilde Lima
 
Higienização Hospitalar - PPT.pptx
Higienização Hospitalar - PPT.pptxHigienização Hospitalar - PPT.pptx
Higienização Hospitalar - PPT.pptx
FranciscoFlorencio6
 
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
MiguelAlmeida502577
 
Medidas de Prevenção e Controle da COVID-19:Tipos de Precauções
Medidas de Prevenção e Controle da COVID-19:Tipos de PrecauçõesMedidas de Prevenção e Controle da COVID-19:Tipos de Precauções
Medidas de Prevenção e Controle da COVID-19:Tipos de Precauções
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
BIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.pptBIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.ppt
AndriellyFernandadeS
 

Semelhante a Higienização das mãos (20)

Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdfAula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
 
Higienização das mãos
Higienização das mãosHigienização das mãos
Higienização das mãos
 
2017 AULA Higienização das Mãos FINAL!.pdf
2017 AULA Higienização das Mãos FINAL!.pdf2017 AULA Higienização das Mãos FINAL!.pdf
2017 AULA Higienização das Mãos FINAL!.pdf
 
zamile e equipe.docx
zamile e equipe.docxzamile e equipe.docx
zamile e equipe.docx
 
Biossegurança
Biossegurança Biossegurança
Biossegurança
 
Lavadodemanoshgm pt
Lavadodemanoshgm ptLavadodemanoshgm pt
Lavadodemanoshgm pt
 
Aula biossegurança 2
Aula biossegurança 2Aula biossegurança 2
Aula biossegurança 2
 
Higienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
Higienizacao de Mãos em Serviços de SaúdeHigienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
Higienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
 
Prevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
Prevenção e Controle de Microrganismo MultirresistentePrevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
Prevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
 
protocolo-de-higiene-das-maos hospitais anvisa 1 pia para 10 leitos.pdf
protocolo-de-higiene-das-maos hospitais anvisa 1 pia para 10 leitos.pdfprotocolo-de-higiene-das-maos hospitais anvisa 1 pia para 10 leitos.pdf
protocolo-de-higiene-das-maos hospitais anvisa 1 pia para 10 leitos.pdf
 
Controle de infecção
Controle de infecçãoControle de infecção
Controle de infecção
 
Controle de infecção
Controle de infecçãoControle de infecção
Controle de infecção
 
2ªaula - biossegurana.ppt
2ªaula  -  biossegurana.ppt2ªaula  -  biossegurana.ppt
2ªaula - biossegurana.ppt
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
 
Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
 
Higienização Hospitalar - PPT.pptx
Higienização Hospitalar - PPT.pptxHigienização Hospitalar - PPT.pptx
Higienização Hospitalar - PPT.pptx
 
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
1 WEBINAR CULTURA DE PREV INFECÇÃO 21012016.ppt
 
Medidas de Prevenção e Controle da COVID-19:Tipos de Precauções
Medidas de Prevenção e Controle da COVID-19:Tipos de PrecauçõesMedidas de Prevenção e Controle da COVID-19:Tipos de Precauções
Medidas de Prevenção e Controle da COVID-19:Tipos de Precauções
 
BIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.pptBIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.ppt
 

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)

Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz) (20)

Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
 
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no Climatério
 
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Luto Perinatal
 
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
 
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?
 
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Osteogênese Imperfeita
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução Alimentar
 

Higienização das mãos

  • 1. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ATENÇÃO AO RECÉM-NASCIDO HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS COMO ESTRATÉGIA PARA PREVENÇÃO DE INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE (IRAS) E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES
  • 2. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Acreditem: eu, você... nós possuímos microrganismos nas mãos!! Médicos, enfermeiros e outros trabalhadores da saúde podem contaminar suas mãos fazendo coisas simples: • Coleta de sangue do paciente • Medindo a PA ou o pulso • Realizando exame físico • Ajudando um paciente a se mobilizar na cama • Tocando em objetos do paciente, ou no leito • Tocando equipamentos localizados no espaço próximo ao leito como monitores e bombas de infusão A imagem de uma placa de ágar sangue, 24 horas após um colaborador de unidade neonatal imprimir sua mão na superfície.
  • 3. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Objetivo dessa apresentação: Apresentar a importância da correta higienização das mãos para a prevenção de IRAS e emergência de bactérias Multirresistentes.
  • 4. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Prevenção de IRAS em Neonatologia Estratégias fundamentais: • Redução da transmissão cruzada de microrganismos • Uso Racional de Antibióticos BORGHESI, 2008
  • 5. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Metas Internacionais de Segurança do Paciente Meta 5 - Reduzir o risco de infecções associadas aos cuidados de saúde. • A OMS estima que, entre 5% e 10% dos pacientes admitidos em hospitais, adquirem uma ou mais infecções. A higiene das mãos é uma medida primária preventiva, de acordo com as diretrizes atuais da OMS ou do Center for Disease Control.
  • 6. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Desafio Mundial para a Segurança do Paciente (Global Patient Safety Challenges) Os cinco elementos do primeiro desafio mundial para a segurança do paciente são: • Segurança dos hemoderivados e seu uso • Segurança no uso de injetáveis e na imunização • Procedimentos clínicos seguros • Segurança na qualidade e disponibilidade de água e gerenciamento de resíduos no cuidado à saúde • HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
  • 7. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES O termo higienização das mãos engloba: • Higienização simples • Higienização antisséptica • Fricção antisséptica • Antissepsia cirúrgica das mãos
  • 8. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: POR QUE FAZER? • A pele das mãos alberga duas populações de microrganismos: a microbiota residente e a transitória. • Microbiota residente é constituída por microrganismos de baixa virulência: estafilococos, corinebactérias e micrococos, pouco associados às infecções veiculadas pelas mãos (em neonatologia, o Staphylococcus coagulase negativo é um importante agente de infecção de corrente sanguínea). • A microbiota residente é mais difícil de ser removida pela higienização das mãos com água e sabão, uma vez que coloniza as camadas mais internas da pele.
  • 9. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES • A microbiota transitória coloniza a camada mais superficial da pele e permite remoção mecânica pela higienização das mãos com água e sabão, sendo eliminada com mais facilidade quando se utiliza uma solução antisséptica. • É representada, tipicamente, pelas bactérias gram-negativas, como enterobactérias (como Escherichia coli), bactérias não fermentadoras (como Pseudomonas aeruginosa), além de fungos e vírus. HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: POR QUE FAZER?
  • 10. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Prevenção de Transmissão Cruzada: cuidado com o ambiente • Contato: direto e indireto • Fluidos contaminados • Via Aérea • Vetores
  • 11. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Transmissão por Contato As mãos constituem a principal via de transmissão de microrganismos durante a assistência aos pacientes, pois a pele é um possível reservatório de diversos microrganismos, que podem se transferir de uma superfície para outra, por meio de contato direto (pele com pele) ou indireto, (através do contato com objetos e superfícies contaminados).
  • 12. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES • As mãos são o meio mais comum de transmissão de patógenos. • A transmissão de patógenos relacionados à assistência à saúde, de um paciente para outro, pelas mãos de profissionais de saúde, requer 5 passos sequenciais. A transmissão de patógenos pelas mãos
  • 13. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES • Microrganismos (Staphylococcus aureus, Klebsiella sp e Acinetobacter sp) presentes em áreas intactas da pele de alguns pacientes representam: 100 - 1 milhão de unidades formadoras de colônia(UFC)/cm2. • Quase 1 milhão de escamas da pele contendo microrganismos viáveis se desprendem diariamente da pele normal. • As áreas próximas ao paciente (roupa de cama, móveis e outros objetos) se contaminam com os microrganismos do paciente (especialmente, por estafilococos e enterococos). Passo 1: Microrganismos presentes na pele do paciente e nas superfícies do ambiente Pittet et al., 2006
  • 14. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES • Enfermeiros podem contaminar suas mãos com 100 a1.000 UFC de Klebsiella sp. durante atividades “limpas” (levantar pacientes, determinar o pulso, a pressão arterial ou a temperatura oral do paciente) • 15% dos enfermeiros que trabalham numa unidade de isolamento portavam 10.000 CFU de S. aureus nas mãos Passo 2: Transferência de microrganismos pelas mãos de profissionais de saúde Pittet et al., 2006
  • 15. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES • Após contato com pacientes e/ou ambiente contaminado, os microrganismos podem sobreviver nas mãos por diferentes períodos de tempo (2 a 60 minutos). • Na ausência de higienização das mãos, quanto maior a duração do cuidado, maior é o grau de contaminação das mãos. Passo 3: Sobrevivência dos microrganismos nas mãos Pittet et al., 2006
  • 16. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES • Quantidade insuficiente de produtos para higienização das mãos/ou duração insuficiente da técnica de higienização das mãos levam à descontaminação insuficiente das mãos. • Microrganismos transientes ainda são recuperados após a higienização das mãos com água e sabonete, enquanto que o uso de preparação alcóolica (gel ou solução) para a higienização das mãos provou ser significativamente mais eficaz. Passo 4: Higienização deficiente das mãos resulta em mãos que permanecem contaminadas Pittet et al., 2006
  • 17. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Passo 5: Mãos contaminadas fazem a transmissão cruzada de microrganismos Muitos estudos tem reportado a transmissão de microrganismos entre pacientes e a partir do ambiente, tanto do local de assistência quanto das proximidades do paciente, por meio das mãos de profissionais de saúde. Pittet et al., 2006
  • 18. (PITTET et al., 2006) É fundamental a adesão aos 5 momentos da higienização das mãos, precauções padrão e precauções especiais por toda equipe multidisciplinar da neonatologia, assim como por especialistas de outros setores que realizam interconsulta ou exames complementares como RX, ecografia, fundo de olho, etc.
  • 19. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Adesão aos Cinco Momentos da Higienização de Mãos - OMS Cinco Momentos da Higienização das Mãos em Unidade Neonatal Folder Neonatologia CAISM/UNICAMP Prevenção de Infecção Associada a Cateter
  • 20. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Profissionais da Saúde HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: Quando? Atenção ao 5 momentos de higienização (OMS) e também... • Antes de iniciar o trabalho • Após ir ao banheiro • Após tocar a boca e nariz • Entre procedimentos com o mesmo cliente, quando houver risco de contaminação • Ao entrar ou sair de áreas de isolamento • Ao iniciar preparo de medicação
  • 21. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Soluções utilizadas para Higienização das Mãos • Sabão líquido em unidades de baixo risco, como alojamento conjunto e unidade de internação obstétrica. • Clorexidina degermante em unidades de alto risco para infecção, como Unidade Neonatal, UTI adulto, Centro Cirúrgico e Centro Obstétrico. • Álcool 70 % + glicerina 2 % para higienização das mãos em procedimentos de baixo risco, quando não houver sujidade aparente.
  • 22. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Como higienizar as mãos? Higienização simples (sabão comum) ou antisséptica (sabão contendo antisséptico) • Friccionar as mãos com água e sabão líquido ou solução antisséptica degermante por aproximadamente 15 segundos, incluindo todas as superfícies, espaço interdigitais e unhas; lavar também o antebraço. • Enxaguar com água corrente. • Enxugar com papel toalha Guia OPAS Prevenção IRAS em Neonatologia, 2017.
  • 23. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Higienização das mãos com álcool gel ou álcool a 70% glicerinado com 2% de glicerina (Fricção das mãos com antisséptico) • Pode substituir a lavagem das mãos com água e sabão quando não houver sujidade aparente, especialmente nos procedimentos de baixo risco para infecção ou em situações emergenciais. • Importante nesse procedimento é garantir que a solução seja friccionada em todas as superfícies das mãos, espaço interdigital e dedos, deixando as mãos secarem espontaneamente. • A técnica de higienização com álcool gel é semelhante a higienização simples das mãos, devendo ser observado o uso do produto em todas as superfícies das mãos, e espaços interdigitais, com o cuidado de aguardar a secagem espontânea. • O uso de antisséptico é uma importante estratégia no controle de infecção por ser um procedimento simples e que diminui o risco de danificar mãos do profissional de saúde por lavagem repetida com água e sabão. Além disso, pode estar disponível no ponto de cuidado dos pacientes. Guia OPAS Prevenção IRAS em Neonatologia, 2017.
  • 24. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES A restrição de tempo é o principal obstáculo para a higienização eficaz das mãos A higienização adequada das mãos com água e sabão líquido leva: 1 a 1,5 minutos Média de tempo, em geral, gasto por profissionais de saúde: < 10 segs
  • 25. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Higienizar as mãos com preparação alcoólica para superar o obstáculo da restrição de tempo Higienizar as mãos com água e sabão líquido 1 a 1,5 min Higienizar as mãos com preparação alcoólica 15 a 20 seg
  • 26. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES MOMENTO CERTO – Adesão aos 5 MOMENTOS/OMS X TÉCNICA CORRETA – sem adornos durante a assistência FALHAS ADORNOS Fotos arquivo: treinamento CCIH – CAISM/UNICAMP
  • 27. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Fotos arquivo: treinamento CCIH – CAISM/UNICAMP
  • 28. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES Antissepsia cirúrgica das mãos • Friccionar as mãos com água e solução antisséptica degermante, incluindo todas as superfícies e espaços entre os dedos e unhas. • Lavar também o antebraço. • Enxaguar com água corrente. • Enxugar com compressa estéril.
  • 29. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES O uso de luvas não substitui a higienização das mãos, que deve ser realizada antes e após a retirada das luvas. ATENÇÃO
  • 30. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA PREVENÇÃO DE IRAS E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES • BORGHESI, Alessandro; STRONATI, M. Strategies for the prevention of hospital-acquired infections in the neonatal intensive care unit. Journal of Hospital Infection.Volume 68, Issue 4, April 2008, Pages 293-300 • PITTET, Didier et al. WHO Global Patient Safety Challenge, World Alliance for Patient Safety. Evidence-based model for hand transmission during patient care and the role of improved practices. The Lancet Infectious Diseases. Volume 6, Issue 10, October 2006, Pages 641-652 • Organização Pan-Americana da Saúde. Centro Latino-Americano de Perinatologia, Saúde da Mulher e Reprodutiva. Prevenção de infecções relacionadas à assistência à saúde em neonatologia. Montevidéu:CLAP/SMR-OPS/OMS, 2016. (CLAP/SMR. Publicação Científica, 1613-03). Referências Bibliográficas
  • 31. ATENÇÃO AO RECÉM-NASCIDO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Material de 13 de abril de 2018 Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Eixo: Atenção ao Recém-nascido HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS COMO ESTRATÉGIA PARA PREVENÇÃO DE INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE (IRAS) E EMERGÊNCIA DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES