SlideShare uma empresa Scribd logo
Implantação de E-Commerce
para Pequenas e Médias Empresas




                                  por Alexandre Grolla
                                      alegrolla@gmail.com
O que é E-Commerce e para que serve?
Sites de e-commerce ou lojas virtuais são uma série de sistemas que
interagem com o usuário de uma forma que efetive um processo de compra.

Para os pequenos negócios, a loja virtual pode ser uma alavanca nas vendas.
Enquanto uma loja física depende de localização, ambiente, infraestrutura e
divulgação para ser vista, a loja virtual é uma oportunidade de oferecer
produtos para os milhões de internautas brasileiros que circulam pela web
todos os dias.

A possibilidade de chegar ao cliente a um custo baixo – em
comparação às tradicionais lojas físicas – é a principal vantagem
de se vender pela internet.

   “E-commerce: Um espaço para empresa mostrar seus
           produtos e serviços na internet.”
Evolução do E-Commerce no Brasil
Evolução do E-Commerce no Brasil
Evolução do E-Commerce no Brasil
Alerta ao Empreendedor!
                           A maioria das empresas que fracassaram nos primeiros
                           anos de operação, apresentaram sinais de que foram
                           deficientes principalmente em duas questões
                           fundamentais: planejamento prévio ou estruturação do
                           negócio e gestão.

Todo esforço que fizer para aprender, tanto com as empresas que alcançaram
sucesso ou com as empresas que fracassaram, será o seu mais importante
investimento, o que realmente sustentará a viabilidade de seu negócio.

Visite o maior número possível de Lojas Virtuais, converse com os proprietários e
empregados, faça amizade com empresários, troque idéias, confira as diferentes
percepções sobre o mercado, sobre as dificuldades, etc.
Alerta ao Empreendedor!
O resultado desta fase de aprendizado e pesquisas é você formar
ideias e estar convicto sobre o projeto de sua empresa e como será sua “Loja
Virtual”. Ao contatar outras empresas você deve buscar elementos para responder
algumas questões, como por exemplo:

                           Como será o processo de “Venda”, isto é, como
                             conseguir clientes na quantidade necessária?
                           Como será o processo para ocupação do espaço
                             no mercado com clientes, concorrentes e
                             fornecedores?
                           Como será a operação da Loja Virtual de forma a
                             satisfazer e surpreender os clientes?
                           Como será sua equipe de funcionários?
Alerta ao Empreendedor!
 Como será seu formato de gestão? (Isto inclui fixar metas, elaborar
    planejamento para realizá-las, apurar resultados, corrigir rumo, obter a
    colaboração da equipe de funcionários e desenvolver capacidade para
    aproveitar as oportunidades do dia-a-dia).
 Você consegue confirmar a existência de interessados em comprar os produtos
    que pretende oferecer na “Loja Virtual”, por um preço que compense todos os
    seus custos e dê lucro?
 Este realmente é um bom negócio para o tipo de pessoa que você é?

Obter respostas sobre estas questões e conseguir as condições necessárias para
realizá-las, lhe trará subsídios para que você inicie a preparação de um “Plano de
Negócio”.
                                          Para mais informações sobre Plano de Negócio, clique aqui.
A Importância da Consultoria
A inserção de uma empresa no cenário do varejo virtual exige muito mais que apenas a
criação de uma loja virtual. Exige planejamento e análise do mercado, escolha de um
sistema que se adéque às suas necessidades, divulgação e controle de acessos para
identificar eventuais problemas e novos mercados.

Muitos projetos de e-commerce não atingem os objetivos esperados por não
contarem com uma orientação profissional já no momento de concepção e
implantação do projeto. É necessário ter uma visão clara do mercado e saber
como se posicionar neste novo ambiente de atuação.
Uma consultoria para implantação de lojas virtuais divide-se em três etapas*:




     PLANEJAMENTO                 IMPLANTAÇÃO                         GESTÃO
                                                         *modelo adotado pelo autor desta apresentação.
A Importância da Consultoria
                Financeiro: Projeção de receita, necessidade de investimento, despesas operacionais,
               custo da mercadoria, mark up, impostos, fluxo de caixa e conciliação financeira.
                Comercial: Participação da receita por categoria, ticket médio e necessidade de força
               de vendas.
                Recursos Humanos: Organograma e job description para cada função necessária.
                Administrativo: Análise de todas despesas administrativas, modelo de empresa ideal
               para o negócio, análise das formas e gateway de pagamento.
                Operação de logística: Criação dos processos internos, análise de fornecedores de
               embalagens, parceiros logístico e estratégia de precificação do frete.
                Marketing e Comunicação: Análise SWOT, análise da concorrência, criação da
PLANEJAMENTO   identidade online da marca, estratégia de investimento em mídia, estimativa de ROI
               (retorno sobre investimento), estratégia de posicionamento e análise dos fornecedores
               necessários para desenvolver o trabalho de criação de peças publicitárias.
                Tecnologia da Informação: Análise dos fornecedores de tecnologia mais apropriados
               para o negócio no mercado. Essa análise contempla a plataforma de e-commerce,
               software de gestão (ERP), ferramenta anti-fraude, e outras funcionalidades necessárias
               para o sucesso do negócio.
A Importância da Consultoria
              Acompanhar e efetivar a implantação das ações definidas em planejamento, exemplo:
              • Contratação de fornecedores;
              • Integração entre os sistemas;
              • Implantação dos processos internos;
              • Cadastro de produtos;
              • Acompanhamento do desenvolvimento da plataforma;
              • Aprovação e testes da loja em homologação;
IMPLANTAÇÃO   • Publicação da loja e testes.



              Com o e-commerce no ar, realizar o acompanhamento e interface com os fornecedores
              alocados para o projeto e aplicar treinamentos aos funcionários para garantir o resultado
              planejado.
              Criar, implantar e acompanhar campanhas, e-mail marketing, otimização, SEO, B.I. e
              taxas de conversão.
              Estratégias para as campanhas futuras e investimentos necessários para manutenção e
  GESTÃO
              crescimento da loja virtual.
Mãos à obra: passo a passo para implantação
de uma Loja Virtual
A seguir, serão abordadas todas as etapas do processo de implantação de um E-
Commerce (independe da plataforma escolhida) comentadas uma a uma e divididas
em uma ordem evolutiva. Observação: Algumas etapas podem e devem ser realizas em
paralelo.
O estudo leva em consideração
uma empresa que está iniciando
suas atividades virtuais do zero,
sem nenhum conhecimento
sobre o assunto. Caso o
empresário já tenha um “registro
de domínio”, um “site
institucional” ou uma “identidade
visual” por exemplo,
desconsidere o item e passe para
o próximo.
Fluxo do Processo
                                   Aprovação do Layout da Home
         Plano de Negócio
                                              Page

   Escolha do Nome e Registro do      Aprovação do Layout das
              Domínio                    páginas internas)

                                   Procedimentos de integração de
        Abertura da Empresa
                                     sistemas (ERP/Plataforma)

                                    Liberação do login e senha do
    Criação da Identidade Visual
                                         adm (Homologação)

    Contratação do Gerente de E-   Treinamento para utilização da
             commerce                      Plataforma

      Escolha do fornecedor da     Cadastramento de Categorias /
            Plataforma                      Produtos
Fluxo do Processo
   Contratação de configuração do
                                     Testes dos e-mails transacionais
   Certificado de Segurança (SSL)

   Contratação e configuração dos         Criação das páginas
   meios de pagamento (gateway)               institucionais

   Contratação e configuração das       Criação e configuração de
   ferramentas de Análise de Risco         regras promocionais

   Contratação e configuração de     Testes finais na homologação e
       Selos e Certificações          autorização da virada do DNS

    Configuração das Tabelas de
                                     Testes de compras na produção
               Frete

      Configuração do Google
                                           Plano de Marketing
             Analytics
Escolha do Nome e Registro do Domínio
Escolher o nome de sua empresa envolve aspectos como sonoridade e disponibilidade
jurídica. É importante que o nome ajude os consumidores a identificar rapidamente os
produtos vendidos na loja.

Domínio é o endereço do site de uma empresa na internet. Sempre começa com “www”
e varia nas siglas de terminação de acordo com o País de registro. No Brasil, as mais
comuns são “.com.br”, “.com” e “.net”. É comum as empresas adquirirem essas três
variações de domínios e direcionar (redirecionamento 301, saiba mais) todos para o
“.com.br” que é o mais indicado para o comércio eletrônico. Também é aconselhável
registrar e direcionar domínios com variações do nome escolhido.

                     No site www.registro.br é possível fazer buscas para verificar nomes
                     disponíveis e efetivar a contratação de seu registro. Em termos
                     jurídicos, também é possível criar nome fantasia para seu domínio.
                     No endereço: https://registro.br/cgi-bin/whois/ você tem acesso a
                     informações como CNPJ, endereço e telefone de sites já
                     registrados, possibilitando negociações.
Abertura da Empresa
Após a validação da contratação do domínio, deve-se procurar um contador para iniciar
os trâmites legais de abertura de empresa. É necessário constituir empresa para atuar
com comércio eletrônico pois alguns serviços necessitam de CNPJ para contratação e
para emissão de notas fiscais. Alguns pontos a serem observados:

     Verificar se o nome escolhido não possui nenhuma marca registrada na Junta
    Comercial (pesquise aqui).
     A loja on-line deve ter endereço físico registrado (mesmo se for residencial) onde será
    constituída a pessoa jurídica ou ser registrada como representante de um fabricante.
     Levantamento da documentação necessária (consulte o contador).
     Escolher a forma como irá abrir a empresa, ex.:
         1. Individual ou “Empresário”. Neste tipo você pode tomar decisões sozinhos,
         porém responde com seus bens particulares em caso de processos.
         2. “Sociedade Empresária”. Os bens pessoais dos sócios não respondem
         pela empresa porém podem ser acionados judicialmente por possíveis
         credores.
Identidade Visual
      Identidade visual é uma representação gráfica da identidade corporativa, dos
      conceitos e valores da empresa. Pode parecer simples, mas a criação de uma
      identidade visual é um processo complicado onde há diversos fatores
      envolvidos, como a cultura da empresa, seu posicionamento no mercado, a
      imagem perante o público, objetivos, foco, missão, etc.

      Na criação de uma identidade visual, a tarefa principal do designer é
      definir um conceito adequado à representação da marca, caracterizando
      a personalidade da empresa em um símbolo ou logotipo.

      A confecção de um logótipo ou de um símbolo visual capaz de representar a
      assinatura institucional da empresa deve ser estabelecido através de um
      documento técnico ao qual os designers nomearam de manual da identidade
      visual. Esse documento serve para estabelecer normas e critérios técnicos de
      reprodução da marca nos mais variados suportes existentes no atual estado
      da técnica como por exemplo: suportes gráficos (impressão) e suportes
      eletrônicos (interfaces).
O Papel do Gestor de E-Commerce
O Gestor ou Gerente de Comércio Eletrônico é o profissional encarregado da
coordenação e controle de uma operação de e-commerce. É um profissional
multidisciplinar que atua em diversas frentes de trabalho em uma loja virtual como:

     Gestão de equipes;
     Logística e estoques (cross-docking);
     Boa noção de design e usabilidade;
     Finanças: impostos, billing, cobrança e análise de crédito;
     Mídias digitais e sociais;
     Marketing digital;
     Atendimento: SAC, pós-venda e relacionamento com clientes;
     Prospecção de novos produtos e mercados.

O Gerente de E-Commerce tem a função de aumentar o número de visitas do site e
cuidar para que essas visitas sejam qualificadas, aumentando consequentemente a
taxa de conversão das suas diversas estratégias. Acompanhar da oferta à expedição
dos produtos certos para o cliente certo (relevância é o nome do jogo) e o compromisso
com a total satisfação de quem realiza a compra, fidelizando-o a ponto desse mesmo
cliente além de tornar a comprar em seu site, ser o próximo embaixador de sua loja virtual.
A Escolha da Plataforma
Como escolher a melhor solução de e-commerce para o seu negócio? É melhor
escolher uma plataforma de ecommerce open source, fazer um investimento inicial
menor, pagar para um desenvolvedor freelancer ou selecionar uma solução mais
robusta que irá atender melhor o seu negócio online a longo prazo?

A seguir, um “check list” para ajudar nesta importante decisão:

     Pesquise os seus concorrentes diretos que estão perto de você. O que eles estão fazendo?
    Já estão com uma loja online? Qual a solução que eles escolheram? Você com certeza deve
    ter uma lista desses concorrentes, mas não pare por aí. Vasculhe a internet e encontre quem
    são os “melhores jogadores” no seu nicho de mercado.
     Use as ferramentas que disponibilizam um test-drive. Você não irá gerar nenhum
    compromisso após o uso de um test-drive. Explore os recursos da plataforma e compare. É
    intuitivo para trabalhar diariamente? As funcionalidades do sistema atendem o seu ramo de
    negócio?
     Solicite propostas completas e leia tudo (não olhe somente os valores de investimento no
    final do documento).
A Escolha da Plataforma
 Analise os clientes que usam as soluções dessa empresa. Quem são esses clientes? Eles são
referências em seu nicho de mercado?
 Envie emails perguntando sobre a satisfação do contratante do serviço. O pré-venda é uma
maravilha com atendimento rápido e eficiente, mas depois o pós-venda é robotizado, lento e
engessado?
 Tenha muito bom senso, pois a melhor solução inicial para o seu negócio online nem sempre é
a mais cara ou a que o seu concorrente está usando.
 Faça cursos, compre livros e não tenha medo de perguntar. Se você não entender nada, como
irá cobrar e pedir algo?
 O usuário não tem paciência para fazer um cadastramento complexo, aguardar o carregamento
lento das páginas dos produtos e quer encontrar o que deseja com rapidez e facilidade? Os
visitantes do seu site irão decidir em menos de 2 segundos, se eles vão continuar a fazer compras
em sua loja ou ir para o próximo resultado da pesquisa no Google. O seu site passa segurança e
credibilidade?
Tenha várias opções pagamento (cartão de crédito, boleto, TEF, depósito bancário).
Dependendo do tamanho do seu negócio trabalhe com algum gateway de pagamento
(PagSeguro, moip, PagamentoDigital, MercadoPago, PayPal e etc).
A Escolha da Plataforma
 É possível calcular o frete para a sua região e ver o total da compra sem precisar se cadastrar?
Verifique a possibilidade de oferecer o cálculo de frete automático.
 Analise com cuidado a navegação. É fácil fazer a compra e fechar o pedido?
 O cliente tem a possibilidade de saber mais sobre o produto, ver boas fotos e se encontrar
comentários de outros compradores?
 Deve ser possível mensurar as informações online com relatórios de vendas, tráfego, etc.
Facilidade em instalar código do Google Analytics, Adwords e Remarketing.
 A plataforma deve ser otimizada para mecanismo de busca. Campos para preencher em todas as
págias: title, meta description, palavras-chave, configuração de URL´s amigáveis e sitemap.
 Segurança e estabilidade. Deve ser possível a integração com sistemas de análise de fraude
(FControl, ClearSale), ótimo uptime e banda do servidor da hospedagem, backup das informações e
sistemas de segurança (site seguro, site blindado, certificados SSL)
 A plataforma deve ser escalável e flexível. Se o seu negócio online crescer e precisar de mais
recursos e novas funcionalidades deve contar com um desenvolvimento ágil e produtivo.
 Ferramentas para criar promoções para grupos de produtos, canal de vendas, clientes ou
parceiros.
A Escolha da Plataforma
 Possibilitar a integração com ERP ou webservice com importação e exportação de dados, bancos
e gateways de pagamento.
 Área administrativa intuitiva e acessível.
 O design deve ser personalizado (layout, navegação, usabilidade, busca e filtros), permitindo
assim que a sua empresa tenha uma identidade própria.
 Possibilidade de integração com comparadores de preços como Buscapé, Bondfaro e
MercadoLivre.
A Escolha da Plataforma
Veja alguns testes práticos que avaliam a eficácia de uma plataforma:


               1. Velocidade de abertura da loja

               Abra as configurações do seu Browser (Internet Explorer, Firefox, Chrome, ou
               outro) e apague as informações de CACHE e HISTÓRIO. Agora abra sua loja e
               cronometre em quantos segundos ela leva para abrir.
               Lembre-se você está simulando o comportamento real de um novo cliente
               entrando em sua loja.
               Resultado: Se abrir em até 3 segundos. Entre 3 e 5 segundos, seria aceitável.
               Se levar mais de 5 segundos é negativo.

               Comprovadamente o comprador on-line é impaciente, e se a loja não abrir rápido
               mostrando a informação que procura, haverá grandes chances dele desistir de
               abrir sua loja. Você investe em publicidade e tem um resultado ineficaz.
A Escolha da Plataforma

2. URL amigável

Entre em um produto qualquer da sua loja virtual e veja o que mostra na
URL.

Resultado Positivo: (com URL amigavel):
www.sualoja.com.br/categoria/nome-produto.html (ou algo parecido com
isso)
Resultado Negativo: (Sem URL amigavel):
www.sualoja.com.br/index.php/?cat=201&produto=1000

A loja sem URL amigável tem maior dificuldade em ser indexada no
Google e buscadores, com isso o lojista perde tráfego de BUSCAS NÃO
PAGAS e conseqüentemente deve investir mais em publicidade paga para
trazer tráfego para sua loja virtual.
A Escolha da Plataforma

             3. Checkout – Finalização carrinho de compras

             Simule você mesmo uma compra em sua loja virtual, e conte quantos
             passos existem até o fechamento da compra, depois de clicar em
             COMPRAR.

             Resultado: Até 5 passos, de preferência na mesma tela, sem dar
             refresh na página. Mais de 5 passos é negativo.

             A loja com mais de 5 passos é uma loja com problema de
             “comprabilidade”, ou seja, não concretiza tantos pedidos quanto teria
             potencial para concretizar..
A Escolha da Plataforma
4. Segurança

Navegue na sua loja normalmente, deve mostrar na URL qualquer coisa
começando com http://www.sualoja.com.br , simule a compra de um
produto e preste atenção quando fizer o login na loja como comprador.

Resultado Positivo: https://www.sualoja.com.br – Sua loja usa um
certificado SSL próprio (com símbolo cadeado)
Resultado Negativo 1: http://www.sualoja.com.br – Sua loja não possui
certificado SSL nenhum (sem símbolo cadeado)
Resultado Negativo 2: https://outronome.com.br – Sua loja usa um
certificado SSL compartilhado (com símbolo cadeado)

O fato de não ter certificado, significa que os dados podem ser
interceptados por um hacker, e não passa segurança para o comprador
inserir seus dados, pois não mostra cadeado no Browser.
Tendo um certificado SSL compartilhado, que leva o comprador para outra
URL diferente, gera desconfiança, e o comprador pode não concluir a
compra.
A Escolha da Plataforma
        5. Técnicas de SEO básicas

        Verifique no cadastro de produto se sua loja possui:
              • Um título para cada produto (meta tag title)
              • Uma Descrição para cada produto (meta tag description)
              • Definição de palavras chave para cada produto (meta tag keyword)

        Resultado Positivo: possui todos os campos e possibilita preencher e alterar
        individualmente em TODAS as páginas.

        Os Buscadores como o Google, tomam por base as definições de meta tags: title,
        description e keywords para que a página seja indexada e exibida nas buscas de
        tráfego NÃO PAGO. Se a loja não possui essas três tags, não possui recursos
        para desenvolver técnicas de SEO com eficiência, e necessitará de maior
        investimento em publicidade a fim de gerar TRÁFEGO PAGO.
Aprovação dos Layouts
O layout de uma loja virtual é quase tão
importante quanto os próprios produtos
apresentados e desempenha um papel
fundamental no desempenho de um e-
commerce.
O primeiro passo é determinar a arquitetura da informação da loja virtual, ou seja, o
que vai ficar aonde. Esse é um passo fundamental para que você possa criar um
layout de fácil navegação e de grande potencial de conversão. É a etapa de criação do
Wireframe da loja virtual, a “planta baixa” do projeto de e-commerce onde indicamos
qual a posição e função dos diversos elementos da sua loja virtual.

Geralmente a empresa desenvolvedora da Plataforma contratada, providencia a seus
clientes duas a três opções de layout da página inicial (home page) de sua loja virtual
(após briefing detalhado, seguindo orientações prévias e conceito visual de sua marca,
identidade e logo). Podendo também ser desenvolvido por designers ou agências de
publicidade contratados para esse fim.
Aprovação dos Layouts
 Após a aprovação documentada da Home Page, o “conceito” é reproduzido em todas
 as páginas internas da loja virtual, que também devem ser aprovadas pelo contratante
 em formato jpg ou pdf antes de serem publicadas no ambiente de testes on-line
 (Homologação). Abaixo, algumas (variam de acordo com o negócio) páginas internas
 que requerem aprovação:

       Tela Produto                             Telas de Clientes (informativo, lista de
       Tela Categorias                         desejos, opiniões, cadastro, pedidos,
       Tela Carrinho                           painel da conta, etc.)
       Tela de Login                            Telas de Informações Institucionais
       Tela Formulário de Cadastro             (quem somos, atendimento, trocas e
       Telas de Checkout (endereço, endereço   devoluções, como comprar, política de
      de entrega, método de envio, método de    entrega, etc.)
      pagamento, revisão do pedido)


Testes A/B: Deixe os consumidores indicarem para você o que eles realmente desejam.
Use a ferramenta Google Analytics Content Experiments disponível no Google Analytics
para aperfeiçoar o layout do e-commerce através de indicações do próprio cliente.
Integrações de Sistemas
                                        Os Sistemas Integrados de Gestão
                                        Empresarial (SIGE ou SIG), em inglês
                                        Enterprise Resource Planning (ERP), são
                                        sistemas de informação que integram todos
                                        os dados e processos de uma organização
                                        em um único sistema. A integração pode ser
                                        vista sob a perspectiva funcional (sistemas
                                        de: finanças, contabilidade, recursos
                                        humanos, fabricação, marketing, vendas,
                                        compras etc) e sob a perspectiva sistêmica
                                        (sistema de processamento de transações,
                                        sistemas de informações gerenciais, sistemas
                                        de apoio a decisão etc).
Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para
integrar os diversos departamentos de uma empresa, possibilitando a automação e
armazenamento de todas as informações de negócios.
Integrações de Sistemas
 Se a empresa não possui sistema de controle interno (ERP) e deseja adquirir um para
 que sua loja virtual troque informações com esse sistema e não seja necessário
 realizar toda uma operação em paralelo, deve-se verificar, a princípio, quais sistemas
 disponíveis no mercado integram com a Plataforma de E-Commerce contratada.
 Para ajudar na escolha, verifique se o sistema oferece os seguintes itens de
 integração:

 CADASTROS: Todo o cadastro de clientes, produtos e suas fotos, saldo de estoque e pedidos
devem ser cadastrados automaticamente no sistema, evitando o retrabalho de cadastrar tudo
novamente.

 VENDAS: Pedido de vendas de onde pode gerar um cupom fiscal para venda a consumidor e/ou
uma Nota Fiscal (NFe); Separação de produtos para confirmação de envio; Consulta de pedidos por
Clientes e situação (entregue, cancelado, faturado, etc.); Consulta de produtos pela última compra do
cliente; Consulta de clientes pela última venda do produto; Relatórios em geral.

 NF-e: Procedimentos de Emissão de Notas Fiscais eletrônicas de qualquer tipo, emissões de
boletos com relatórios analíticos ou simples.
Integrações de Sistemas
 FINANCEIRO: Controle do financeiro com conciliação bancária, através de previsões e fluxos de
caixa e bancos. Possibilidade de lançar ou importar notas fiscais de compras de fornecedores para
o contas a pagar.

 ESTOQUES: Controle de estoques da loja física integrado com o E-Commerce sincronizados em
tempo real. Possibilidade de gerar e ler códigos de barras. Relatórios on-line.
O Ambiente de Testes (Homologação)
Ambiente de testes é um endereço on-line provisório, geralmente hospedado no
provedor da Plataforma contratada, onde todo desenvolvimento e infra-estrutura de sua
loja virtual será publicado para acompanhamento, testes e, principalmente, iniciar o
cadastramento de produtos em paralelo com as demais atividades, adequação do
layout (front-end) e aprovação dos meios de pagamento.

                             O ambiente de homologação deverá ser o mais
                             próximo possível do ambiente de produção,
                             possibilitando não apenas os testes funcionais, como
                             também os testes de performance, desempenho e
                             usabilidade.

                             Neste momento, o fornecedor da Plataforma deve
                             disponibilizar dois links, um da loja virtual no ambiente de
                             testes (ex.: “nome do fornecedor”.”nome da loja”.com.br) e
                             o do sistema administrativo, com login e senha do
                             proprietário da loja cadastrados.
Treinamento
O fornecedor contratado para o desenvolvimento da Plataforma de E-Commerce tem a
obrigação de oferecer um treinamento do sistema administrativo da loja virtual,
contemplando todas as funcionalidades necessárias para o bom gerenciamento de seu
negócio.

Certifique-se que conste em contrato a aplicação de treinamento para utilização
da Plataforma (onde deverá ser abordado por exemplo: cadastramento de
produtos e categorias, regras de promoções, fluxo do faturamento de vendas,
etc.) com, no mínimo, 2 participantes.

Esse treinamento poderá ser realizado nas
dependências do dono da loja virtual ou em
algum local locado para este fim. Geralmente, os
fornecedores marcam uma data mensal e
formam grupos de lojistas, o que é interessante
pois gera networking e uma troca de
conhecimentos entre os participantes.
Cadastramento de Produtos
Ao contrário das lojas tradicionais, nas lojas virtuais o cliente não tem o contato direto
com os produtos, sendo assim, fornecer informações relevantes com boa qualidade
é pré-requisito fundamental para o sucesso das vendas.

Feito com cuidado, o cadastro interfere positivamente no posicionamento da empresa
nas páginas de resposta de pesquisas dos buscadores (SEO). Definir as categorias e
subcategorias ajuda o consumidor a ter uma melhor experiência e a trilhar o caminho
de volta à página inicial da loja, manter o interesse do cliente depende
substancialmente do quanto é fácil encontrar aquilo que ele procura.
Cadastramento de Produtos
Criando um TÍTULO para o produto: O Título corresponde ao nome do produto e será
a primeira informação que o potencial comprador terá do objeto de desejo, e como a
maioria dos consumidores usa os diversos buscadores para encontrar os produtos
desejados, você deve colocar no título do produto palavras que ajudem o comprador a
encontrar seu produto.

Ao definir o nome do produto:
• Evite colocar um nome maior que 80 caracteres.
• Evite usar sinais de pontuação.
• Faça uma cuidadosa revisão para evitar erros
de escrita.
• Não esqueça de colocar a marca e o modelo.

Exemplos:
Título inadequado                        Título sugerido
• Forno Microondas                       Forno Microondas 22 L Píccolo NN-S46B Panasonic
• Espetacular Notebook Compaq            Notebook Compaq X1000 2,4 GHZ 60 GB 512 MB DVD
                                         CD-RW Windows
Cadastramento de Produtos
Como inserir uma DESCRIÇÃO relevante: Ao redigir a descrição do produto para
venda, tente descobrir coisas que levem os clientes a se interessarem por ele, se
colocando no lugar do comprador.
A descrição do produto complementa as informações
do título: recursos disponíveis, funcionalidades específicas,
tecnologia, voltagem, periféricos que acompanham,
configurações, dimensão, peso, etc. muitas destas
informações podem ser retiradas no site da marca do
produto ou no manual de instruções. Deixe um link para o
usuário baixar o manual em pdf, faça um vídeo sobre a
utilização ou montagem do produto, organize as
informações de acordo com a importância para o
comprador.

Pense sempre em compor a descrição otimizando as
palavras mais relevantes deste produto para os
buscadores.
Cadastramento de Produtos
CATEGORIAS    SUBCATEGORIAS   Categorizando os produtos: A distribuição e
                              organização dos produtos são pontos importantes. O
                              cliente deve achar facilmente o que procura com a
                              menor quantidade de cliques possíveis.

                              Analise se os produtos estão dentro das categorias
                              adequadas, e, se houver uma variedade grande de
                              produtos dentro de uma mesma categoria (acima de
                              quatro páginas), utilize subcategorias.

                              Além de categorias, é possível agrupar os produtos
                              por marcas (as chamadas “lojas especiais”). O ideal é
                              que as páginas de cada categoria e/ou marca seja
                              personalizada para que o visitante perceba
                              rapidamente a mudança de uma para outra (como nos
     MARCAS                   departamentos dos hipermercados).
Cadastramento de Produtos
Controlando o estoque: Um eficiente controle de estoque é algo imprescindível para o
sucesso de uma loja virtual. Se sua empresa trabalha com uma quantidade pequena de
produtos, você poderá realizar este controle manualmente sem maiores problemas. Se
possui muitos produtos ou trabalha com um estoque com alta rotatividade e
constante reposição é muito importante uma atualização automática dos produtos
(integração de sistemas ERP - Plataforma).

Algumas plataformas oferecem a possibilidade de estabelecer uma quantidade mínima
para cada produto e, ao chegar nesta quantidade, dispara um e-mail avisando a baixa
de estoque para controle do administrador da loja virtual, possibilitando a reposição
antes do término real do estoque.
Cadastramento de Produtos
Produtos Relacionados (cross sell), Compre Junto: Esta etapa do cadastramento irá
estimular a “venda casada” oferecendo algum tipo de vantagem ao comprador. Devem ser
selecionados apenas os tipos de produtos que tenham alguma utilidade ou complementam
o produto que está sendo cadastrado. Por exemplo, se estiver cadastrando uma câmera,
pode relacioná-la com baterias, bolsas, carregadores, etc. e estipular um desconto
(percentual ou fixo) se forem adquiridos na mesma compra.
Cadastramento de Produtos
Produtos Recomendados e Brindes: Algumas plataformas permitem que sejam
associados brindes ao produto que está sendo cadastrado para estimular a venda. O
brinde é um produto que já foi cadastrado anteriormente mas que, associado a outro
produto como “brinde” será incluído no carrinho com preço zero.
Produtos recomendados podem ser
associados na página do produto
ou diretamente no carrinho de
compras, porém essa opção deve
ser analisada com cuidado pois
pode causar dispersão e abandono.
Caso seja utilizada, preocupe-se
em fazer somente a associação
com produtos semelhantes ao que
está sendo cadastrado.
Certificado de Segurança SSL
O que é SSL?

O SSL (Secure Socket Layer) é um protocolo
desenvolvido para elevar a segurança dos dados
transmitidos pela internet. Um servidor web protegido
pelo protocolo SSL possui uma URL que começa em
"https://", onde o S significa “secured” (seguro,
protegido).
As conexões via SSL são particularmente recomendadas para envio de informações
como números de cartão de crédito, senhas e qualquer outra informação sigilosa via
internet.

O SSL faz uso de criptografia para garantir o sigilo das informações transferidas entre o
navegador do usuário e o servidor web. Como consequência, mesmo que as
informações sejam interceptadas elas não podem ser lidas sem que sejam
descriptografadas.
Certificado de Segurança SSL
             O que é um certificado SSL?

             O certificado SSL tem a função de certificar que o site que
             você está acessando é realmente ele mesmo. Este processo é
             realizado por empresas que emitem certificados SSL. Elas
             fazem a validação do domínio e, dependendo do tipo de
             certificado, também da entidade detentora do domínio.

             Sempre que você acessa uma página segura, isto é, protegida
             por um certificado SSL, é apresentada uma chave ou um
             cadeado na barra de status para indicar a comunicação
             segura. Os certificados tradicionais exigem que você clique na
             chave ou cadeado para ter acesso às informações do detentor
             do certificado SSL.

             Exemplo de empresa certificadora: http://www.rapidssl.com.br/
Gateway e Meios de Pagamento
Gateways de Pagamento são interfaces utilizadas por empresas de e-commerce que
servem para a transmissão de dados entre clientes, comerciantes e seus bancos. Um
Gateway de Pagamento funciona basicamente como um terminal de cartão de crédito
visto em lojas tradicionais de varejo.

Os Gateways de Pagamento permitem que os comerciantes processem todas as
bandeiras de cartões de crédito, boletos e transferências eletrônicas com segurança e
praticidade. Ele protege os comerciantes contra cartões roubados, falsificados ou sem
fundos suficientes para realizar uma transação. Eles também oferecem segurança aos
consumidores, uma vez que os comerciantes não têm acesso aos dados financeiros,
como o número do cartão, protegendo-os de criminosos que atuam na internet.

                                          Veja mais informações sobre meios de
                                          pagamento aqui.

                                          Clique aqui para ver alguns fornecedores
                                          nacionais de módulos de pagamentos.
Ferramentas de Análise de Risco
Lojistas que trabalham com produtos de categorias de risco, devem fazer análise de
risco em transações de valor elevado. Algumas lojas optam por fazer análise de todas
as transações da loja independente do valor ou tipo de produto.

Existem empresas especializadas neste tipo de serviço como FControl e Clear Sale. O
que essas empresas fazem é identificar comportamentos suspeitos na transação,
analisa dados pessoais do comprador e consulta uma complexa rede de informações
que avisa se o comprador já teve problemas com compras anteriores. Após feita a
análise, o sistema retorna o grau de risco da compra em uma escala de “temperatura”,
cabendo ao lojista a decisão de aprovar ou não o faturamento do produto.

A cobrança é feita por análise, dependendo da quantidade de análises contratadas por
mês, o custo pode chegar a alguns centavos por análise.
Selos e Certificações
Para garantir aos clientes que seu site é confiável, uma das possibilidades é obter
uma certificação oficial. Uma das certificações oficiais é a de SSL, já abordada
anteriormente. Outro tipo de selo (ou certificação) é o de sites de prestação de
serviços de segurança. Estes sites provêm vistorias no sistema de segurança de seu
site e, além disso, geram relatórios com sugestões de soluções para as falhas
encontradas. Os principais fornecedores deste tipo de selo são:

           Certisign: Esta entidade presta o serviço de validação das chaves de codificação de
           sites, além de prestar outros serviços de validação (CPF digital, CNPJ digital, etc.). A
           Certisign também emite o certificado SiteSeguro. Garante o selo em seu site atestando
           que o mesmo está relacionado a uma marca específica, ou seja, garante sua
           autenticidade.

           SiteBlindado: Oferece análise diária das vulnerabilidades de aplicativos, IPs, etc. e gera
           relatórios para reparo das mesmas. O SiteBlindado também dá ao site o selo de
           autenticidade e pode, também, mudar a cor da barra de URL para verde. Além das
           ferramentas de segurança, essa ferramenta ainda mostra quanto suas conversões
           aumentam com o serviço a partir de teste utilizando o método A/B.
Selos e Certificações
Sistema de Avaliações: Avaliações de outros consumidores também podem ajudar a
gerar confiança. Existem serviços especializados em classificar as empresas de e-
commerce de acordo com as avaliações dos consumidores.

A ebit.com.br, site de pesquisa e confiabilidade em e-commerce, presta um serviço
chamado bitConsumidor. Este serviço dá ‘medalhas’ aos e-commerces de acordo com
as avaliações positivas ou negativas de seus compradores. Estas ‘medalhas’, que
podem ser Diamante, Ouro, Prata ou Bronze; fazem com que seus clientes se sintam
mais confortáveis ao fazer uma compra em seu site, aumentando, consequentemente,
as conversões.
Tabelas de Frete
O lojista deve solicitar aos Correios uma tabela de frete completa para cada
modalidade de entrega (Sedex, PAC, Sedex10 e E-Sedex) com todas as faixas de
CEP de todos os Municípios, Distritos e Povoados. Atentando-se que existem preços
separados para envio de capital para capital e capital interior, e cidades que, apesar
de estarem em outro estado, tem o mesmo preço do estado de origem (divisas entre
estados). Essas diferenças, se não contempladas no momento da subida da tabela,
podem diminuir a competitividade de seu e-commerce.




Transportadoras
Além das modalidades de entrega dos Correios, a loja virtual pode optar em trabalhar
com transportadoras (Total Express, Directlog, Jadlog, etc). Neste caso, deve ser feito
um estudo da tabela e adaptação dos campos específicos de cada uma para a
formato padrão informado pelo fornecedor da plataforma.
Tabelas de Frete
Também deve ser considerada a possibilidade de personalização de sua tabela
manualmente, de acordo com a estratégia ou área de atuação, como:

 Definição de um percentual acima ou abaixo do valor da tabela por faixa de CEP
(ganho/desconto de frete);
 Aumento (acréscimo em dias) do prazo de entrega por faixa de CEP;
 Protocolo 21 – O protocolo de ICMS aprovado no Conselho Fazendário, autoriza 18 Estados a
efetuar a cobrança de diferença de ICMS para mercadoria adentrar em seus Estados. Temos a
opção de acrescer a cobrança no valor do frete (% sobre o valor da NF) para você não ter
diminuição de margem de lucro quando vender para essas localidades;
 Entrega agendada.
Google Analytics
O Google Analytics gera um código específico para e-commerce que deve ser integrado
na página de confirmação de compra de seu e-commerce. Cada loja virtual/plataforma
tem suas próprias peculiaridades, portanto, faça de forma correta e deixe um
programador experiente fazê-lo, pois o perfeito funcionamento deste método é
primordial para o sucesso de suas estratégias.

O programa captura dados extremamente interessantes para cada compra realizada,
como origem da compra (de onde veio o comprador), cidade e oferece ferramentas de
suporte com relatórios personalizados, alertas, metas e funis*, que permitem monitorar a
fundo o comportamento da loja virtual.


                             Saiba mais sobre Google Analytics aqui.
                             * Configurações de alertas, metas e funis, variam de acordo
                             com o negócio e podem ser consultadas no tutorial dentro do
                             próprio Google Analytics.
E-mails Transacionais
E-mails transacionais podem ser definidos como qualquer e-mail enviado ao usuário
após alguma ação realizada no site, como por exemplo um e-mail de confirmação de
cadastro, confirmação de compra, entre outros. Com base neste objetivo, o e-mail
transacional deve ter a maior parte do seu conteúdo dedicado à entregar a informação
solicitada pelo usuário.

Chamar o destinatário pelo nome e sobrenome é praticamente obrigatório, utilizar um
design diferenciado com o logotipo da empresa remetente, assim como uma
formatação rica dos textos podem melhorar a experiência do usuário em relação ao
pós-venda.

Após efetuar a compra, o usuário espera receber uma
confirmação do site sobre seu pedido. Quanto mais
rápida essa comunicação for entregue, melhor será a
percepção do usuário sobre a qualidade do atendimento.
E-mails Transacionais
São exemplos de situações para envio de e-mails
transacionais:

 Nova Conta (Bem Vindo)
 Chave de Confirmação (validação do e-mail
cadastrado) – Nova Conta
 Nova Conta Confirmada
 Nova Senha
 Novo Pedido / Atualização de Pedido
 Nova Fatura / Atualização de Fatura
 Novo Envio / Atualização de Envio
 Falha no pagamento
 Compartilhar lista de desejos
 Envie o produto a um amigo
 Formulário de Contato
 Alerta de produto disponível em estoque
 Alerta de Alteração de Preço de Produto
Páginas Institucionais – CMS
CMS (Content Management System) em português Sistema de Gestão de Conteúdo,
é um sistema gestor de sites, integrado ao administrativo da plataforma que possui
ferramentas necessárias para gerir conteúdos em tempo real, sem a necessidade de
conhecimento em programação de código, tendo como objetivo estruturar e facilitar a
criação, administração, publicação e disponibilidade da informação nas páginas da loja
virtual.
                                   É possível alterar todo o conteúdo de uma página,
                                   inserir fotos, vídeos, arquivos para download, criar
                                   novas e até mesmo criar layouts personalizados a
                                   partir de templates ou inserção de códigos HTML.

                                   A habilidade necessária para trabalhar com um
                                   sistema de gestão de conteúdo (exceto para criações
                                   de novos layouts) não vai muito além dos
                                   conhecimentos necessários para um editor de texto
                                   padrão.
Páginas Institucionais – CMS
Na maioria das lojas virtuais, as páginas de CMS encontram-se no rodapé, próximo às
bandeiras das operadoras de cartões aceitos e dos selos e certificações. As mais
comuns são:
 Quem somos
 Nossas lojas
 Como comprar
 Formas e prazos de entrega
 Trocas e devoluções
 Segurança e privacidade
 Dúvidas frequentes
 Trabalhe conosco
Regras Promocionais
Um procedimento muito utilizado no varejo virtual é a configuração de regras
promocionais, oferecendo vantagens para estimular a aquisição imediata e limitada de
produtos pelos usuários. Certifique-se que a plataforma adquirida ofereça a maior
variedade possível de combinações para criação de promoções. Cada fornecedor de
plataforma possui uma metodologia diferente (e, geralmente, complexa) para
configuração de regras de promoções, que devem ser explicadas detalhadamente em
treinamento.

As promoções mais comuns no mercado (podendo ativá-las simultaneamente,
acumulando ou não o valor do desconto) são:

 Cupons de descontos
 Frete Grátis
 Desconto por categoria ou produtos específicos
 Desconto para pagamento com boleto
 Desconto para pagamento em depósito ou
transferência eletrônica
 Desconto para primeira compra
 Desconto em todos os produtos do site
Testes, Testes e mais Testes
               Todas as etapas do projeto passadas até agora devem ser testadas
               exaustivamente pelo lojista e sua equipe. O empresário deve testar
               pessoalmente todas as funcionalidades de seu e-commerce e tomar
               cuidado para não se iludir achando que apenas os seus testes bastarão.
               Coloque no mínimo mais uma pessoa para efetuar a bateria de testes com
               todas as simulações possíveis: lista de desejos, cadastros, login, busca,
               cupons de desconto, produtos no carrinho, filtros de categorias, etc.

Neste momento, o site deve estar com todas as funcionalidades ativas em ambiente de
testes (homologação), com exceção, obviamente, da efetivação dos pagamentos pelas
operadoras de cartões. Todos os produtos devem estar cadastrados e categorizados, os
certificados ativos no domínio, meios de pagamento, cálculos de frete e regras de
promoção configurados, ou seja, a loja virtual deve estar pronta para ir ao ar.

IMPORTANTE: Teste as funcionalidades de sua loja em todas os navegadores: Chrome,
Firefox, IE7, IE8 e Safari, verificando criteriosamente os detalhes da interface
(alinhamento dos campos, fontes, textos, menus, linhas de grades...) de todas as páginas
e a usabilidade da loja como um todo (veja aqui três cases sobre usabilidade).
A Publicação da Loja Virtual
Efetuados os ajustes e correções necessárias apontadas pelo lojistas na fase de testes,
o desenvolvedor da plataforma envia uma documentação oficial para aprovação da
publicação do e-commerce na web.
Uma vez autorizado pelo empresário,
a loja virtual sai da “Homologação” e
passa para “Produção”, onde poderá
ser acessada por qualquer
navegador ao digitar o endereço do
domínio adquirido. Esse processo se
dá através de um direcionamento do
DNS (Domain Name Server) ou “Virada
do DNS”. Cada domínio possui um
registro no DNS que define qual o
endereço IP do servidor de
hospedagem e o IP do servidor de e-
mail que responderão por este domínio.
Testes na Produção
Os mesmos testes realizados na homologação, devem ser repassados agora com o
site no ar, porém, caso houverem novas correções (confirme se todas as correções
detectadas no ambiente de testes foram efetuadas corretamente), deve-se agir de
maneira rápida e efetiva pois um eventual erro irá interferir diretamente na credibilidade
do usuário.
Agora deve-se fazer os “testes de compra a 1 real”: Cadastre um
produto como “teste”, configurado para não aparecer na vitrine do site,
e efetue um procedimento completo de aquisição, sendo uma compra
para cada meio de pagamento e uma compra para cada bandeira de
cartão. Verifique a aprovação dos cartões, o cálculo do frete para
vários Estados, o procedimento de “baixa” e faturamento da compra
no administrativo, o recebimento dos e-mails transacionais (cadastre-
se como cliente) e os relatórios fornecidos pelo sistema da plataforma
e/ou do Google Analytics.
Sempre que possível, efetue testes A/B nas principais páginas de seu e-commerce.
Saiba mais sobre esse tipo de teste aqui e aqui.
Plano de Marketing Digital
Antes de iniciar os procedimentos de abertura do e-commerce, foi necessário fazer o
Plano de Negócio. Dentro deste planejamento deve constar o Plano de Marketing,
que irá traçar estratégias de comunicação para alavancar as vendas do e-
commerce. Entre outras coisas, o Plano de Marketing vai ajudá-lo a:
 Classificar a sua posição no seu nicho de mercado
 Identificar e atingir o seu target
 Identificar novas oportunidades
 Identificar fontes de tráfego para aumentar as visitas e taxa de conversão
 Definir ações em mídias digitais e sociais
 Otimização da usabilidade do site
 Gerar uma comunicação personalizada e acertiva
 Identificar os “passos necessários a seguir” para atingir os seus objetivos
a curto, médio e longo prazo.

O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) disponibiliza
gratuitamente uma apostila em pdf “Como Elaborar um Plano de Marketing” e uma
ferramenta chamada ClickMarketing que elabora plano de marketing com direito a
atendimento individualizado.
Referências e Contato
O conteúdo dessa apresentação foi
desenvolvido com base na experiência
adquirida pelo autor em Prestação de
                                                           Alexandre Grolla
Serviços de Consultoria para                             Consultor de Marketing
                                                     alegrolla@gmail.com | 5511 983747583
Implantação de Lojas Virtuais e como
Gerente de Projetos de um desenvolvedor
de Plataforma para E-commerce em             http://www.slideshare.net/alegrolla
Magento.
Foram consultados vários sites na web        http://www.youtube.com/user/alegrolla
para apoio, sendo os principais:
http://www.ecommercebrasil.com.br/
                                             http://www.linkedin.com/in/grolla
http://ecommercenews.com.br/
http://www.blogdoecommerce.com.br/
                                             http://www.facebook.com/alegrolla
Bibliografia indicada: Como Abrir uma Loja
Virtual de Sucesso e Estratégias de          https://twitter.com/AleGrolla
Marketing Digital e E-Commerce

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

EstratéGias De Marketing
EstratéGias De MarketingEstratéGias De Marketing
EstratéGias De Marketing
Lucia Vera
 
Apresentação e-commerce
Apresentação   e-commerceApresentação   e-commerce
Apresentação e-commerce
Nathália Nóbrega
 
Conferêncio Rio | Por que mudar o seu site não vai te fazer vender mais?
Conferêncio Rio | Por que mudar o seu site não vai te fazer vender mais?Conferêncio Rio | Por que mudar o seu site não vai te fazer vender mais?
Conferêncio Rio | Por que mudar o seu site não vai te fazer vender mais?
E-Commerce Brasil
 
Plano de Marketing
Plano de MarketingPlano de Marketing
Plano de Marketing
Juninho De Luca
 
Marketing digital
Marketing digitalMarketing digital
Marketing digital
GrupoAlves - professor
 
Aula 05 - Comportamento do consumidor - Prof. Rodrigo Sávio
Aula 05 - Comportamento do consumidor - Prof. Rodrigo SávioAula 05 - Comportamento do consumidor - Prof. Rodrigo Sávio
Aula 05 - Comportamento do consumidor - Prof. Rodrigo Sávio
Rodrigo Sávio
 
O que é Trade Marketing?
O que é Trade Marketing?O que é Trade Marketing?
O que é Trade Marketing?
Edson Gonçalves
 
E book WhatsApp Business - Digital para Empresas
E book WhatsApp Business - Digital para EmpresasE book WhatsApp Business - Digital para Empresas
E book WhatsApp Business - Digital para Empresas
Alinne Fernandes
 
Apresentação pesquisa de mercado
Apresentação pesquisa de mercadoApresentação pesquisa de mercado
Apresentação pesquisa de mercado
Anderson Alberto Ramos
 
Gestao Comercial
Gestao ComercialGestao Comercial
Gestao Comercial
PBNP_
 
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerce
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerceAula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerce
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerce
Alexandre Figueirôa
 
Etapas vendas
Etapas vendasEtapas vendas
Etapas vendas
Claudine Hudson
 
Tecnicas de negociação
Tecnicas de negociação Tecnicas de negociação
Tecnicas de negociação
FAIR PLAY AD / @VeronicaRRSouza
 
Trade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandisingTrade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandising
Reinaldo Cirilo
 
Plano de Marketing
Plano de MarketingPlano de Marketing
Plano de Marketing
Kenneth Corrêa
 
Comportamento do Consumidor
Comportamento do ConsumidorComportamento do Consumidor
Comportamento do Consumidor
Milton Henrique do Couto Neto
 
Introdução à Pesquisa de Mercado
Introdução à Pesquisa de MercadoIntrodução à Pesquisa de Mercado
Introdução à Pesquisa de Mercado
Eros Augusto Asturiano Martins
 
Plano de negocios
Plano de negociosPlano de negocios
Plano de negocios
Angela Nardelli
 
Introdução ao marketing
Introdução ao marketingIntrodução ao marketing
Introdução ao marketing
Thayse Beckner
 
Exercícios - Marketing Digital
Exercícios - Marketing DigitalExercícios - Marketing Digital
Exercícios - Marketing Digital
IEFP
 

Mais procurados (20)

EstratéGias De Marketing
EstratéGias De MarketingEstratéGias De Marketing
EstratéGias De Marketing
 
Apresentação e-commerce
Apresentação   e-commerceApresentação   e-commerce
Apresentação e-commerce
 
Conferêncio Rio | Por que mudar o seu site não vai te fazer vender mais?
Conferêncio Rio | Por que mudar o seu site não vai te fazer vender mais?Conferêncio Rio | Por que mudar o seu site não vai te fazer vender mais?
Conferêncio Rio | Por que mudar o seu site não vai te fazer vender mais?
 
Plano de Marketing
Plano de MarketingPlano de Marketing
Plano de Marketing
 
Marketing digital
Marketing digitalMarketing digital
Marketing digital
 
Aula 05 - Comportamento do consumidor - Prof. Rodrigo Sávio
Aula 05 - Comportamento do consumidor - Prof. Rodrigo SávioAula 05 - Comportamento do consumidor - Prof. Rodrigo Sávio
Aula 05 - Comportamento do consumidor - Prof. Rodrigo Sávio
 
O que é Trade Marketing?
O que é Trade Marketing?O que é Trade Marketing?
O que é Trade Marketing?
 
E book WhatsApp Business - Digital para Empresas
E book WhatsApp Business - Digital para EmpresasE book WhatsApp Business - Digital para Empresas
E book WhatsApp Business - Digital para Empresas
 
Apresentação pesquisa de mercado
Apresentação pesquisa de mercadoApresentação pesquisa de mercado
Apresentação pesquisa de mercado
 
Gestao Comercial
Gestao ComercialGestao Comercial
Gestao Comercial
 
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerce
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerceAula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerce
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerce
 
Etapas vendas
Etapas vendasEtapas vendas
Etapas vendas
 
Tecnicas de negociação
Tecnicas de negociação Tecnicas de negociação
Tecnicas de negociação
 
Trade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandisingTrade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandising
 
Plano de Marketing
Plano de MarketingPlano de Marketing
Plano de Marketing
 
Comportamento do Consumidor
Comportamento do ConsumidorComportamento do Consumidor
Comportamento do Consumidor
 
Introdução à Pesquisa de Mercado
Introdução à Pesquisa de MercadoIntrodução à Pesquisa de Mercado
Introdução à Pesquisa de Mercado
 
Plano de negocios
Plano de negociosPlano de negocios
Plano de negocios
 
Introdução ao marketing
Introdução ao marketingIntrodução ao marketing
Introdução ao marketing
 
Exercícios - Marketing Digital
Exercícios - Marketing DigitalExercícios - Marketing Digital
Exercícios - Marketing Digital
 

Destaque

Pequenas empresas e e commerce. um estudo sobre a viabilidade deste negócio
Pequenas empresas e e commerce. um estudo sobre a viabilidade deste negócioPequenas empresas e e commerce. um estudo sobre a viabilidade deste negócio
Pequenas empresas e e commerce. um estudo sobre a viabilidade deste negócio
Renato Mariano
 
Tcc E-commerce
Tcc E-commerceTcc E-commerce
TCC - Estudo de viabilidade e-commerce
TCC - Estudo de viabilidade e-commerceTCC - Estudo de viabilidade e-commerce
TCC - Estudo de viabilidade e-commerce
Adriano do Rocio Slompo
 
Apostila
ApostilaApostila
Apostila
Necy
 
Apostila para hackers iniciantes
Apostila para hackers iniciantesApostila para hackers iniciantes
Apostila para hackers iniciantes
hackersetruques
 
Notas de violão para iniciantes
Notas de violão para iniciantesNotas de violão para iniciantes
Notas de violão para iniciantes
josedivino
 
Guia otimizacao para Mecanismos de Pesquisa
Guia otimizacao para Mecanismos de PesquisaGuia otimizacao para Mecanismos de Pesquisa
Guia otimizacao para Mecanismos de Pesquisa
João Paulo M. Cândido
 
Windows xp
Windows xpWindows xp
Windows xp
vinivs
 
CURSO DE PHP PARA INICIANTES - AULA 1
CURSO DE PHP PARA INICIANTES - AULA 1CURSO DE PHP PARA INICIANTES - AULA 1
CURSO DE PHP PARA INICIANTES - AULA 1
Norivan Oliveira
 
Bactérias utilizadas na produção de alimentos
Bactérias utilizadas na produção de alimentosBactérias utilizadas na produção de alimentos
Bactérias utilizadas na produção de alimentos
Luan Queiroz
 
Apostila emi musica
Apostila emi musicaApostila emi musica
Apostila emi musica
Elvis Live
 
Arduino introdução - 10 projectos
Arduino   introdução - 10 projectosArduino   introdução - 10 projectos
Arduino introdução - 10 projectos
Daniel Chavier
 
Apostila Arduino - Núcleo de Estudos em Robótica SheepSet
Apostila Arduino - Núcleo de Estudos em Robótica SheepSetApostila Arduino - Núcleo de Estudos em Robótica SheepSet
Apostila Arduino - Núcleo de Estudos em Robótica SheepSet
Saymon Cristian Alves Oliveira
 
Parte Especial Verb To Be
Parte Especial Verb To BeParte Especial Verb To Be
Parte Especial Verb To Be
Speaking in English
 
Doenças má alimentação
Doenças má alimentaçãoDoenças má alimentação
Doenças má alimentação
Maria Sequeira
 
Apostila Arduino - FBS Eletrônica
Apostila Arduino - FBS EletrônicaApostila Arduino - FBS Eletrônica
Apostila Arduino - FBS Eletrônica
Fabio Souza
 
Aula de violão para iniciantes
Aula de violão para iniciantesAula de violão para iniciantes
Aula de violão para iniciantes
josedivino
 
Eng.ª do Software - 10. Testes de software
Eng.ª do Software - 10. Testes de softwareEng.ª do Software - 10. Testes de software
Eng.ª do Software - 10. Testes de software
Manuel Menezes de Sequeira
 
Dicas para programador web
Dicas para programador webDicas para programador web
Dicas para programador web
Paulo Santos junior
 
Programação Android - Básico
Programação Android - BásicoProgramação Android - Básico
Programação Android - Básico
HugoDalevedove
 

Destaque (20)

Pequenas empresas e e commerce. um estudo sobre a viabilidade deste negócio
Pequenas empresas e e commerce. um estudo sobre a viabilidade deste negócioPequenas empresas e e commerce. um estudo sobre a viabilidade deste negócio
Pequenas empresas e e commerce. um estudo sobre a viabilidade deste negócio
 
Tcc E-commerce
Tcc E-commerceTcc E-commerce
Tcc E-commerce
 
TCC - Estudo de viabilidade e-commerce
TCC - Estudo de viabilidade e-commerceTCC - Estudo de viabilidade e-commerce
TCC - Estudo de viabilidade e-commerce
 
Apostila
ApostilaApostila
Apostila
 
Apostila para hackers iniciantes
Apostila para hackers iniciantesApostila para hackers iniciantes
Apostila para hackers iniciantes
 
Notas de violão para iniciantes
Notas de violão para iniciantesNotas de violão para iniciantes
Notas de violão para iniciantes
 
Guia otimizacao para Mecanismos de Pesquisa
Guia otimizacao para Mecanismos de PesquisaGuia otimizacao para Mecanismos de Pesquisa
Guia otimizacao para Mecanismos de Pesquisa
 
Windows xp
Windows xpWindows xp
Windows xp
 
CURSO DE PHP PARA INICIANTES - AULA 1
CURSO DE PHP PARA INICIANTES - AULA 1CURSO DE PHP PARA INICIANTES - AULA 1
CURSO DE PHP PARA INICIANTES - AULA 1
 
Bactérias utilizadas na produção de alimentos
Bactérias utilizadas na produção de alimentosBactérias utilizadas na produção de alimentos
Bactérias utilizadas na produção de alimentos
 
Apostila emi musica
Apostila emi musicaApostila emi musica
Apostila emi musica
 
Arduino introdução - 10 projectos
Arduino   introdução - 10 projectosArduino   introdução - 10 projectos
Arduino introdução - 10 projectos
 
Apostila Arduino - Núcleo de Estudos em Robótica SheepSet
Apostila Arduino - Núcleo de Estudos em Robótica SheepSetApostila Arduino - Núcleo de Estudos em Robótica SheepSet
Apostila Arduino - Núcleo de Estudos em Robótica SheepSet
 
Parte Especial Verb To Be
Parte Especial Verb To BeParte Especial Verb To Be
Parte Especial Verb To Be
 
Doenças má alimentação
Doenças má alimentaçãoDoenças má alimentação
Doenças má alimentação
 
Apostila Arduino - FBS Eletrônica
Apostila Arduino - FBS EletrônicaApostila Arduino - FBS Eletrônica
Apostila Arduino - FBS Eletrônica
 
Aula de violão para iniciantes
Aula de violão para iniciantesAula de violão para iniciantes
Aula de violão para iniciantes
 
Eng.ª do Software - 10. Testes de software
Eng.ª do Software - 10. Testes de softwareEng.ª do Software - 10. Testes de software
Eng.ª do Software - 10. Testes de software
 
Dicas para programador web
Dicas para programador webDicas para programador web
Dicas para programador web
 
Programação Android - Básico
Programação Android - BásicoProgramação Android - Básico
Programação Android - Básico
 

Semelhante a Implantação de E-Commerce para Pequenas e Médias Empresas

Por que sua loja online não vende e como mudar esse cenário
Por que sua loja online não vende e como mudar esse cenárioPor que sua loja online não vende e como mudar esse cenário
Por que sua loja online não vende e como mudar esse cenário
Thiago Sarraf - Especialista em E-commerce
 
E commerce - como planejar o seu negócio online
E commerce - como planejar o seu negócio onlineE commerce - como planejar o seu negócio online
E commerce - como planejar o seu negócio online
42 Marketing Digital
 
E-commerce não é só plataforma, é um negócio
E-commerce não é só plataforma, é um negócioE-commerce não é só plataforma, é um negócio
E-commerce não é só plataforma, é um negócio
Soneto
 
Workshop - Sua loja virtual de sucesso - Droopi Agência Digital
Workshop - Sua loja virtual de sucesso - Droopi Agência DigitalWorkshop - Sua loja virtual de sucesso - Droopi Agência Digital
Workshop - Sua loja virtual de sucesso - Droopi Agência Digital
Luiz Gabriel Cardozo
 
Business Model Canvas
Business Model CanvasBusiness Model Canvas
Business Model Canvas
Webgoal
 
Panorama do mercado e planejamento no e-commerce - Digital Week ESPM - Trilha...
Panorama do mercado e planejamento no e-commerce - Digital Week ESPM - Trilha...Panorama do mercado e planejamento no e-commerce - Digital Week ESPM - Trilha...
Panorama do mercado e planejamento no e-commerce - Digital Week ESPM - Trilha...
Thiago Sarraf - Especialista em E-commerce
 
Palestra - Como esta sua presença na internet?
Palestra - Como esta sua presença na internet?Palestra - Como esta sua presença na internet?
Palestra - Como esta sua presença na internet?
H2Web
 
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
Andre Lucena
 
E commerce - como planejar o seu negócio online
E commerce - como planejar o seu negócio onlineE commerce - como planejar o seu negócio online
E commerce - como planejar o seu negócio online
SEBRAE MS
 
Gestao financeira-para-modelo-de-negocios
Gestao financeira-para-modelo-de-negociosGestao financeira-para-modelo-de-negocios
Gestao financeira-para-modelo-de-negocios
Rafael Almeida
 
Gestao financeira-para-modelo-de-negocios
Gestao financeira-para-modelo-de-negociosGestao financeira-para-modelo-de-negocios
Gestao financeira-para-modelo-de-negocios
Rafael Almeida
 
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedorPlano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Roney Vasconcellos
 
Marketing Digital para o Mercado de EPIs
Marketing Digital para o Mercado de EPIsMarketing Digital para o Mercado de EPIs
Marketing Digital para o Mercado de EPIs
Zanel EPIs de Raspa e Vaqueta
 
Catalogo Fornecedores E-Commerce Brasil
Catalogo Fornecedores E-Commerce BrasilCatalogo Fornecedores E-Commerce Brasil
Catalogo Fornecedores E-Commerce Brasil
E-Commerce Brasil
 
Comercio Eletronico O Caminho Para Sucesso
Comercio Eletronico O Caminho Para Sucesso Comercio Eletronico O Caminho Para Sucesso
Comercio Eletronico O Caminho Para Sucesso
Ricardo Jordão Magalhaes
 
Marketing e empreendedorismo digital
Marketing e empreendedorismo digitalMarketing e empreendedorismo digital
Marketing e empreendedorismo digital
Marcos Basilio
 
Planejamento e dicas de e-commerce para pmes - espm - Jul/13
Planejamento e dicas de e-commerce para pmes - espm - Jul/13Planejamento e dicas de e-commerce para pmes - espm - Jul/13
Planejamento e dicas de e-commerce para pmes - espm - Jul/13
Thiago Sarraf - Especialista em E-commerce
 
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no InsperWorkshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
Nei Grando
 
Palestra Como alavancar negócios com uso da Internet
Palestra Como alavancar negócios com uso da InternetPalestra Como alavancar negócios com uso da Internet
Palestra Como alavancar negócios com uso da Internet
Erick Vils
 
Palestra seixas-clube-do-conhecimento
Palestra seixas-clube-do-conhecimentoPalestra seixas-clube-do-conhecimento
Palestra seixas-clube-do-conhecimento
Claudio Seixas
 

Semelhante a Implantação de E-Commerce para Pequenas e Médias Empresas (20)

Por que sua loja online não vende e como mudar esse cenário
Por que sua loja online não vende e como mudar esse cenárioPor que sua loja online não vende e como mudar esse cenário
Por que sua loja online não vende e como mudar esse cenário
 
E commerce - como planejar o seu negócio online
E commerce - como planejar o seu negócio onlineE commerce - como planejar o seu negócio online
E commerce - como planejar o seu negócio online
 
E-commerce não é só plataforma, é um negócio
E-commerce não é só plataforma, é um negócioE-commerce não é só plataforma, é um negócio
E-commerce não é só plataforma, é um negócio
 
Workshop - Sua loja virtual de sucesso - Droopi Agência Digital
Workshop - Sua loja virtual de sucesso - Droopi Agência DigitalWorkshop - Sua loja virtual de sucesso - Droopi Agência Digital
Workshop - Sua loja virtual de sucesso - Droopi Agência Digital
 
Business Model Canvas
Business Model CanvasBusiness Model Canvas
Business Model Canvas
 
Panorama do mercado e planejamento no e-commerce - Digital Week ESPM - Trilha...
Panorama do mercado e planejamento no e-commerce - Digital Week ESPM - Trilha...Panorama do mercado e planejamento no e-commerce - Digital Week ESPM - Trilha...
Panorama do mercado e planejamento no e-commerce - Digital Week ESPM - Trilha...
 
Palestra - Como esta sua presença na internet?
Palestra - Como esta sua presença na internet?Palestra - Como esta sua presença na internet?
Palestra - Como esta sua presença na internet?
 
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
 
E commerce - como planejar o seu negócio online
E commerce - como planejar o seu negócio onlineE commerce - como planejar o seu negócio online
E commerce - como planejar o seu negócio online
 
Gestao financeira-para-modelo-de-negocios
Gestao financeira-para-modelo-de-negociosGestao financeira-para-modelo-de-negocios
Gestao financeira-para-modelo-de-negocios
 
Gestao financeira-para-modelo-de-negocios
Gestao financeira-para-modelo-de-negociosGestao financeira-para-modelo-de-negocios
Gestao financeira-para-modelo-de-negocios
 
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedorPlano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
 
Marketing Digital para o Mercado de EPIs
Marketing Digital para o Mercado de EPIsMarketing Digital para o Mercado de EPIs
Marketing Digital para o Mercado de EPIs
 
Catalogo Fornecedores E-Commerce Brasil
Catalogo Fornecedores E-Commerce BrasilCatalogo Fornecedores E-Commerce Brasil
Catalogo Fornecedores E-Commerce Brasil
 
Comercio Eletronico O Caminho Para Sucesso
Comercio Eletronico O Caminho Para Sucesso Comercio Eletronico O Caminho Para Sucesso
Comercio Eletronico O Caminho Para Sucesso
 
Marketing e empreendedorismo digital
Marketing e empreendedorismo digitalMarketing e empreendedorismo digital
Marketing e empreendedorismo digital
 
Planejamento e dicas de e-commerce para pmes - espm - Jul/13
Planejamento e dicas de e-commerce para pmes - espm - Jul/13Planejamento e dicas de e-commerce para pmes - espm - Jul/13
Planejamento e dicas de e-commerce para pmes - espm - Jul/13
 
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no InsperWorkshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
 
Palestra Como alavancar negócios com uso da Internet
Palestra Como alavancar negócios com uso da InternetPalestra Como alavancar negócios com uso da Internet
Palestra Como alavancar negócios com uso da Internet
 
Palestra seixas-clube-do-conhecimento
Palestra seixas-clube-do-conhecimentoPalestra seixas-clube-do-conhecimento
Palestra seixas-clube-do-conhecimento
 

Mais de Alexandre Grolla

Automação de Marketing Digital
Automação de Marketing DigitalAutomação de Marketing Digital
Automação de Marketing Digital
Alexandre Grolla
 
Proposta de Marketing Digital para Corretoras de Planos de Saúde
Proposta de Marketing Digital para Corretoras de Planos de SaúdeProposta de Marketing Digital para Corretoras de Planos de Saúde
Proposta de Marketing Digital para Corretoras de Planos de Saúde
Alexandre Grolla
 
Plano de Marketing para Pequenas e Médias Empresas
Plano de Marketing para Pequenas e Médias EmpresasPlano de Marketing para Pequenas e Médias Empresas
Plano de Marketing para Pequenas e Médias Empresas
Alexandre Grolla
 
Palestra Semana do E-commerce Web Semantica
Palestra Semana do E-commerce Web SemanticaPalestra Semana do E-commerce Web Semantica
Palestra Semana do E-commerce Web Semantica
Alexandre Grolla
 
Projeto de pesquisa sobre web semântica - a web que aprende
Projeto de pesquisa sobre web semântica - a web que aprendeProjeto de pesquisa sobre web semântica - a web que aprende
Projeto de pesquisa sobre web semântica - a web que aprende
Alexandre Grolla
 
Entrevista exclusiva tim berners lee
Entrevista exclusiva tim berners leeEntrevista exclusiva tim berners lee
Entrevista exclusiva tim berners lee
Alexandre Grolla
 
Introdução a web semântica, ontologia e máquinas de busca
Introdução a web semântica, ontologia e máquinas de buscaIntrodução a web semântica, ontologia e máquinas de busca
Introdução a web semântica, ontologia e máquinas de busca
Alexandre Grolla
 
Consultoria de Marketing para Pequenas Empresas
Consultoria de Marketing para Pequenas EmpresasConsultoria de Marketing para Pequenas Empresas
Consultoria de Marketing para Pequenas Empresas
Alexandre Grolla
 
Semiótica & Web Semântica
Semiótica & Web SemânticaSemiótica & Web Semântica
Semiótica & Web Semântica
Alexandre Grolla
 

Mais de Alexandre Grolla (9)

Automação de Marketing Digital
Automação de Marketing DigitalAutomação de Marketing Digital
Automação de Marketing Digital
 
Proposta de Marketing Digital para Corretoras de Planos de Saúde
Proposta de Marketing Digital para Corretoras de Planos de SaúdeProposta de Marketing Digital para Corretoras de Planos de Saúde
Proposta de Marketing Digital para Corretoras de Planos de Saúde
 
Plano de Marketing para Pequenas e Médias Empresas
Plano de Marketing para Pequenas e Médias EmpresasPlano de Marketing para Pequenas e Médias Empresas
Plano de Marketing para Pequenas e Médias Empresas
 
Palestra Semana do E-commerce Web Semantica
Palestra Semana do E-commerce Web SemanticaPalestra Semana do E-commerce Web Semantica
Palestra Semana do E-commerce Web Semantica
 
Projeto de pesquisa sobre web semântica - a web que aprende
Projeto de pesquisa sobre web semântica - a web que aprendeProjeto de pesquisa sobre web semântica - a web que aprende
Projeto de pesquisa sobre web semântica - a web que aprende
 
Entrevista exclusiva tim berners lee
Entrevista exclusiva tim berners leeEntrevista exclusiva tim berners lee
Entrevista exclusiva tim berners lee
 
Introdução a web semântica, ontologia e máquinas de busca
Introdução a web semântica, ontologia e máquinas de buscaIntrodução a web semântica, ontologia e máquinas de busca
Introdução a web semântica, ontologia e máquinas de busca
 
Consultoria de Marketing para Pequenas Empresas
Consultoria de Marketing para Pequenas EmpresasConsultoria de Marketing para Pequenas Empresas
Consultoria de Marketing para Pequenas Empresas
 
Semiótica & Web Semântica
Semiótica & Web SemânticaSemiótica & Web Semântica
Semiótica & Web Semântica
 

Implantação de E-Commerce para Pequenas e Médias Empresas

  • 1. Implantação de E-Commerce para Pequenas e Médias Empresas por Alexandre Grolla alegrolla@gmail.com
  • 2. O que é E-Commerce e para que serve? Sites de e-commerce ou lojas virtuais são uma série de sistemas que interagem com o usuário de uma forma que efetive um processo de compra. Para os pequenos negócios, a loja virtual pode ser uma alavanca nas vendas. Enquanto uma loja física depende de localização, ambiente, infraestrutura e divulgação para ser vista, a loja virtual é uma oportunidade de oferecer produtos para os milhões de internautas brasileiros que circulam pela web todos os dias. A possibilidade de chegar ao cliente a um custo baixo – em comparação às tradicionais lojas físicas – é a principal vantagem de se vender pela internet. “E-commerce: Um espaço para empresa mostrar seus produtos e serviços na internet.”
  • 6. Alerta ao Empreendedor! A maioria das empresas que fracassaram nos primeiros anos de operação, apresentaram sinais de que foram deficientes principalmente em duas questões fundamentais: planejamento prévio ou estruturação do negócio e gestão. Todo esforço que fizer para aprender, tanto com as empresas que alcançaram sucesso ou com as empresas que fracassaram, será o seu mais importante investimento, o que realmente sustentará a viabilidade de seu negócio. Visite o maior número possível de Lojas Virtuais, converse com os proprietários e empregados, faça amizade com empresários, troque idéias, confira as diferentes percepções sobre o mercado, sobre as dificuldades, etc.
  • 7. Alerta ao Empreendedor! O resultado desta fase de aprendizado e pesquisas é você formar ideias e estar convicto sobre o projeto de sua empresa e como será sua “Loja Virtual”. Ao contatar outras empresas você deve buscar elementos para responder algumas questões, como por exemplo:  Como será o processo de “Venda”, isto é, como conseguir clientes na quantidade necessária?  Como será o processo para ocupação do espaço no mercado com clientes, concorrentes e fornecedores?  Como será a operação da Loja Virtual de forma a satisfazer e surpreender os clientes?  Como será sua equipe de funcionários?
  • 8. Alerta ao Empreendedor!  Como será seu formato de gestão? (Isto inclui fixar metas, elaborar planejamento para realizá-las, apurar resultados, corrigir rumo, obter a colaboração da equipe de funcionários e desenvolver capacidade para aproveitar as oportunidades do dia-a-dia).  Você consegue confirmar a existência de interessados em comprar os produtos que pretende oferecer na “Loja Virtual”, por um preço que compense todos os seus custos e dê lucro?  Este realmente é um bom negócio para o tipo de pessoa que você é? Obter respostas sobre estas questões e conseguir as condições necessárias para realizá-las, lhe trará subsídios para que você inicie a preparação de um “Plano de Negócio”. Para mais informações sobre Plano de Negócio, clique aqui.
  • 9. A Importância da Consultoria A inserção de uma empresa no cenário do varejo virtual exige muito mais que apenas a criação de uma loja virtual. Exige planejamento e análise do mercado, escolha de um sistema que se adéque às suas necessidades, divulgação e controle de acessos para identificar eventuais problemas e novos mercados. Muitos projetos de e-commerce não atingem os objetivos esperados por não contarem com uma orientação profissional já no momento de concepção e implantação do projeto. É necessário ter uma visão clara do mercado e saber como se posicionar neste novo ambiente de atuação. Uma consultoria para implantação de lojas virtuais divide-se em três etapas*: PLANEJAMENTO IMPLANTAÇÃO GESTÃO *modelo adotado pelo autor desta apresentação.
  • 10. A Importância da Consultoria  Financeiro: Projeção de receita, necessidade de investimento, despesas operacionais, custo da mercadoria, mark up, impostos, fluxo de caixa e conciliação financeira.  Comercial: Participação da receita por categoria, ticket médio e necessidade de força de vendas.  Recursos Humanos: Organograma e job description para cada função necessária.  Administrativo: Análise de todas despesas administrativas, modelo de empresa ideal para o negócio, análise das formas e gateway de pagamento.  Operação de logística: Criação dos processos internos, análise de fornecedores de embalagens, parceiros logístico e estratégia de precificação do frete.  Marketing e Comunicação: Análise SWOT, análise da concorrência, criação da PLANEJAMENTO identidade online da marca, estratégia de investimento em mídia, estimativa de ROI (retorno sobre investimento), estratégia de posicionamento e análise dos fornecedores necessários para desenvolver o trabalho de criação de peças publicitárias.  Tecnologia da Informação: Análise dos fornecedores de tecnologia mais apropriados para o negócio no mercado. Essa análise contempla a plataforma de e-commerce, software de gestão (ERP), ferramenta anti-fraude, e outras funcionalidades necessárias para o sucesso do negócio.
  • 11. A Importância da Consultoria Acompanhar e efetivar a implantação das ações definidas em planejamento, exemplo: • Contratação de fornecedores; • Integração entre os sistemas; • Implantação dos processos internos; • Cadastro de produtos; • Acompanhamento do desenvolvimento da plataforma; • Aprovação e testes da loja em homologação; IMPLANTAÇÃO • Publicação da loja e testes. Com o e-commerce no ar, realizar o acompanhamento e interface com os fornecedores alocados para o projeto e aplicar treinamentos aos funcionários para garantir o resultado planejado. Criar, implantar e acompanhar campanhas, e-mail marketing, otimização, SEO, B.I. e taxas de conversão. Estratégias para as campanhas futuras e investimentos necessários para manutenção e GESTÃO crescimento da loja virtual.
  • 12. Mãos à obra: passo a passo para implantação de uma Loja Virtual A seguir, serão abordadas todas as etapas do processo de implantação de um E- Commerce (independe da plataforma escolhida) comentadas uma a uma e divididas em uma ordem evolutiva. Observação: Algumas etapas podem e devem ser realizas em paralelo. O estudo leva em consideração uma empresa que está iniciando suas atividades virtuais do zero, sem nenhum conhecimento sobre o assunto. Caso o empresário já tenha um “registro de domínio”, um “site institucional” ou uma “identidade visual” por exemplo, desconsidere o item e passe para o próximo.
  • 13. Fluxo do Processo Aprovação do Layout da Home Plano de Negócio Page Escolha do Nome e Registro do Aprovação do Layout das Domínio páginas internas) Procedimentos de integração de Abertura da Empresa sistemas (ERP/Plataforma) Liberação do login e senha do Criação da Identidade Visual adm (Homologação) Contratação do Gerente de E- Treinamento para utilização da commerce Plataforma Escolha do fornecedor da Cadastramento de Categorias / Plataforma Produtos
  • 14. Fluxo do Processo Contratação de configuração do Testes dos e-mails transacionais Certificado de Segurança (SSL) Contratação e configuração dos Criação das páginas meios de pagamento (gateway) institucionais Contratação e configuração das Criação e configuração de ferramentas de Análise de Risco regras promocionais Contratação e configuração de Testes finais na homologação e Selos e Certificações autorização da virada do DNS Configuração das Tabelas de Testes de compras na produção Frete Configuração do Google Plano de Marketing Analytics
  • 15. Escolha do Nome e Registro do Domínio Escolher o nome de sua empresa envolve aspectos como sonoridade e disponibilidade jurídica. É importante que o nome ajude os consumidores a identificar rapidamente os produtos vendidos na loja. Domínio é o endereço do site de uma empresa na internet. Sempre começa com “www” e varia nas siglas de terminação de acordo com o País de registro. No Brasil, as mais comuns são “.com.br”, “.com” e “.net”. É comum as empresas adquirirem essas três variações de domínios e direcionar (redirecionamento 301, saiba mais) todos para o “.com.br” que é o mais indicado para o comércio eletrônico. Também é aconselhável registrar e direcionar domínios com variações do nome escolhido. No site www.registro.br é possível fazer buscas para verificar nomes disponíveis e efetivar a contratação de seu registro. Em termos jurídicos, também é possível criar nome fantasia para seu domínio. No endereço: https://registro.br/cgi-bin/whois/ você tem acesso a informações como CNPJ, endereço e telefone de sites já registrados, possibilitando negociações.
  • 16. Abertura da Empresa Após a validação da contratação do domínio, deve-se procurar um contador para iniciar os trâmites legais de abertura de empresa. É necessário constituir empresa para atuar com comércio eletrônico pois alguns serviços necessitam de CNPJ para contratação e para emissão de notas fiscais. Alguns pontos a serem observados:  Verificar se o nome escolhido não possui nenhuma marca registrada na Junta Comercial (pesquise aqui).  A loja on-line deve ter endereço físico registrado (mesmo se for residencial) onde será constituída a pessoa jurídica ou ser registrada como representante de um fabricante.  Levantamento da documentação necessária (consulte o contador).  Escolher a forma como irá abrir a empresa, ex.: 1. Individual ou “Empresário”. Neste tipo você pode tomar decisões sozinhos, porém responde com seus bens particulares em caso de processos. 2. “Sociedade Empresária”. Os bens pessoais dos sócios não respondem pela empresa porém podem ser acionados judicialmente por possíveis credores.
  • 17. Identidade Visual Identidade visual é uma representação gráfica da identidade corporativa, dos conceitos e valores da empresa. Pode parecer simples, mas a criação de uma identidade visual é um processo complicado onde há diversos fatores envolvidos, como a cultura da empresa, seu posicionamento no mercado, a imagem perante o público, objetivos, foco, missão, etc. Na criação de uma identidade visual, a tarefa principal do designer é definir um conceito adequado à representação da marca, caracterizando a personalidade da empresa em um símbolo ou logotipo. A confecção de um logótipo ou de um símbolo visual capaz de representar a assinatura institucional da empresa deve ser estabelecido através de um documento técnico ao qual os designers nomearam de manual da identidade visual. Esse documento serve para estabelecer normas e critérios técnicos de reprodução da marca nos mais variados suportes existentes no atual estado da técnica como por exemplo: suportes gráficos (impressão) e suportes eletrônicos (interfaces).
  • 18. O Papel do Gestor de E-Commerce O Gestor ou Gerente de Comércio Eletrônico é o profissional encarregado da coordenação e controle de uma operação de e-commerce. É um profissional multidisciplinar que atua em diversas frentes de trabalho em uma loja virtual como:  Gestão de equipes;  Logística e estoques (cross-docking);  Boa noção de design e usabilidade;  Finanças: impostos, billing, cobrança e análise de crédito;  Mídias digitais e sociais;  Marketing digital;  Atendimento: SAC, pós-venda e relacionamento com clientes;  Prospecção de novos produtos e mercados. O Gerente de E-Commerce tem a função de aumentar o número de visitas do site e cuidar para que essas visitas sejam qualificadas, aumentando consequentemente a taxa de conversão das suas diversas estratégias. Acompanhar da oferta à expedição dos produtos certos para o cliente certo (relevância é o nome do jogo) e o compromisso com a total satisfação de quem realiza a compra, fidelizando-o a ponto desse mesmo cliente além de tornar a comprar em seu site, ser o próximo embaixador de sua loja virtual.
  • 19. A Escolha da Plataforma Como escolher a melhor solução de e-commerce para o seu negócio? É melhor escolher uma plataforma de ecommerce open source, fazer um investimento inicial menor, pagar para um desenvolvedor freelancer ou selecionar uma solução mais robusta que irá atender melhor o seu negócio online a longo prazo? A seguir, um “check list” para ajudar nesta importante decisão:  Pesquise os seus concorrentes diretos que estão perto de você. O que eles estão fazendo? Já estão com uma loja online? Qual a solução que eles escolheram? Você com certeza deve ter uma lista desses concorrentes, mas não pare por aí. Vasculhe a internet e encontre quem são os “melhores jogadores” no seu nicho de mercado.  Use as ferramentas que disponibilizam um test-drive. Você não irá gerar nenhum compromisso após o uso de um test-drive. Explore os recursos da plataforma e compare. É intuitivo para trabalhar diariamente? As funcionalidades do sistema atendem o seu ramo de negócio?  Solicite propostas completas e leia tudo (não olhe somente os valores de investimento no final do documento).
  • 20. A Escolha da Plataforma  Analise os clientes que usam as soluções dessa empresa. Quem são esses clientes? Eles são referências em seu nicho de mercado?  Envie emails perguntando sobre a satisfação do contratante do serviço. O pré-venda é uma maravilha com atendimento rápido e eficiente, mas depois o pós-venda é robotizado, lento e engessado?  Tenha muito bom senso, pois a melhor solução inicial para o seu negócio online nem sempre é a mais cara ou a que o seu concorrente está usando.  Faça cursos, compre livros e não tenha medo de perguntar. Se você não entender nada, como irá cobrar e pedir algo?  O usuário não tem paciência para fazer um cadastramento complexo, aguardar o carregamento lento das páginas dos produtos e quer encontrar o que deseja com rapidez e facilidade? Os visitantes do seu site irão decidir em menos de 2 segundos, se eles vão continuar a fazer compras em sua loja ou ir para o próximo resultado da pesquisa no Google. O seu site passa segurança e credibilidade? Tenha várias opções pagamento (cartão de crédito, boleto, TEF, depósito bancário). Dependendo do tamanho do seu negócio trabalhe com algum gateway de pagamento (PagSeguro, moip, PagamentoDigital, MercadoPago, PayPal e etc).
  • 21. A Escolha da Plataforma  É possível calcular o frete para a sua região e ver o total da compra sem precisar se cadastrar? Verifique a possibilidade de oferecer o cálculo de frete automático.  Analise com cuidado a navegação. É fácil fazer a compra e fechar o pedido?  O cliente tem a possibilidade de saber mais sobre o produto, ver boas fotos e se encontrar comentários de outros compradores?  Deve ser possível mensurar as informações online com relatórios de vendas, tráfego, etc. Facilidade em instalar código do Google Analytics, Adwords e Remarketing.  A plataforma deve ser otimizada para mecanismo de busca. Campos para preencher em todas as págias: title, meta description, palavras-chave, configuração de URL´s amigáveis e sitemap.  Segurança e estabilidade. Deve ser possível a integração com sistemas de análise de fraude (FControl, ClearSale), ótimo uptime e banda do servidor da hospedagem, backup das informações e sistemas de segurança (site seguro, site blindado, certificados SSL)  A plataforma deve ser escalável e flexível. Se o seu negócio online crescer e precisar de mais recursos e novas funcionalidades deve contar com um desenvolvimento ágil e produtivo.  Ferramentas para criar promoções para grupos de produtos, canal de vendas, clientes ou parceiros.
  • 22. A Escolha da Plataforma  Possibilitar a integração com ERP ou webservice com importação e exportação de dados, bancos e gateways de pagamento.  Área administrativa intuitiva e acessível.  O design deve ser personalizado (layout, navegação, usabilidade, busca e filtros), permitindo assim que a sua empresa tenha uma identidade própria.  Possibilidade de integração com comparadores de preços como Buscapé, Bondfaro e MercadoLivre.
  • 23. A Escolha da Plataforma Veja alguns testes práticos que avaliam a eficácia de uma plataforma: 1. Velocidade de abertura da loja Abra as configurações do seu Browser (Internet Explorer, Firefox, Chrome, ou outro) e apague as informações de CACHE e HISTÓRIO. Agora abra sua loja e cronometre em quantos segundos ela leva para abrir. Lembre-se você está simulando o comportamento real de um novo cliente entrando em sua loja. Resultado: Se abrir em até 3 segundos. Entre 3 e 5 segundos, seria aceitável. Se levar mais de 5 segundos é negativo. Comprovadamente o comprador on-line é impaciente, e se a loja não abrir rápido mostrando a informação que procura, haverá grandes chances dele desistir de abrir sua loja. Você investe em publicidade e tem um resultado ineficaz.
  • 24. A Escolha da Plataforma 2. URL amigável Entre em um produto qualquer da sua loja virtual e veja o que mostra na URL. Resultado Positivo: (com URL amigavel): www.sualoja.com.br/categoria/nome-produto.html (ou algo parecido com isso) Resultado Negativo: (Sem URL amigavel): www.sualoja.com.br/index.php/?cat=201&produto=1000 A loja sem URL amigável tem maior dificuldade em ser indexada no Google e buscadores, com isso o lojista perde tráfego de BUSCAS NÃO PAGAS e conseqüentemente deve investir mais em publicidade paga para trazer tráfego para sua loja virtual.
  • 25. A Escolha da Plataforma 3. Checkout – Finalização carrinho de compras Simule você mesmo uma compra em sua loja virtual, e conte quantos passos existem até o fechamento da compra, depois de clicar em COMPRAR. Resultado: Até 5 passos, de preferência na mesma tela, sem dar refresh na página. Mais de 5 passos é negativo. A loja com mais de 5 passos é uma loja com problema de “comprabilidade”, ou seja, não concretiza tantos pedidos quanto teria potencial para concretizar..
  • 26. A Escolha da Plataforma 4. Segurança Navegue na sua loja normalmente, deve mostrar na URL qualquer coisa começando com http://www.sualoja.com.br , simule a compra de um produto e preste atenção quando fizer o login na loja como comprador. Resultado Positivo: https://www.sualoja.com.br – Sua loja usa um certificado SSL próprio (com símbolo cadeado) Resultado Negativo 1: http://www.sualoja.com.br – Sua loja não possui certificado SSL nenhum (sem símbolo cadeado) Resultado Negativo 2: https://outronome.com.br – Sua loja usa um certificado SSL compartilhado (com símbolo cadeado) O fato de não ter certificado, significa que os dados podem ser interceptados por um hacker, e não passa segurança para o comprador inserir seus dados, pois não mostra cadeado no Browser. Tendo um certificado SSL compartilhado, que leva o comprador para outra URL diferente, gera desconfiança, e o comprador pode não concluir a compra.
  • 27. A Escolha da Plataforma 5. Técnicas de SEO básicas Verifique no cadastro de produto se sua loja possui: • Um título para cada produto (meta tag title) • Uma Descrição para cada produto (meta tag description) • Definição de palavras chave para cada produto (meta tag keyword) Resultado Positivo: possui todos os campos e possibilita preencher e alterar individualmente em TODAS as páginas. Os Buscadores como o Google, tomam por base as definições de meta tags: title, description e keywords para que a página seja indexada e exibida nas buscas de tráfego NÃO PAGO. Se a loja não possui essas três tags, não possui recursos para desenvolver técnicas de SEO com eficiência, e necessitará de maior investimento em publicidade a fim de gerar TRÁFEGO PAGO.
  • 28. Aprovação dos Layouts O layout de uma loja virtual é quase tão importante quanto os próprios produtos apresentados e desempenha um papel fundamental no desempenho de um e- commerce. O primeiro passo é determinar a arquitetura da informação da loja virtual, ou seja, o que vai ficar aonde. Esse é um passo fundamental para que você possa criar um layout de fácil navegação e de grande potencial de conversão. É a etapa de criação do Wireframe da loja virtual, a “planta baixa” do projeto de e-commerce onde indicamos qual a posição e função dos diversos elementos da sua loja virtual. Geralmente a empresa desenvolvedora da Plataforma contratada, providencia a seus clientes duas a três opções de layout da página inicial (home page) de sua loja virtual (após briefing detalhado, seguindo orientações prévias e conceito visual de sua marca, identidade e logo). Podendo também ser desenvolvido por designers ou agências de publicidade contratados para esse fim.
  • 29. Aprovação dos Layouts Após a aprovação documentada da Home Page, o “conceito” é reproduzido em todas as páginas internas da loja virtual, que também devem ser aprovadas pelo contratante em formato jpg ou pdf antes de serem publicadas no ambiente de testes on-line (Homologação). Abaixo, algumas (variam de acordo com o negócio) páginas internas que requerem aprovação:  Tela Produto  Telas de Clientes (informativo, lista de  Tela Categorias desejos, opiniões, cadastro, pedidos,  Tela Carrinho painel da conta, etc.)  Tela de Login  Telas de Informações Institucionais  Tela Formulário de Cadastro (quem somos, atendimento, trocas e  Telas de Checkout (endereço, endereço devoluções, como comprar, política de de entrega, método de envio, método de entrega, etc.) pagamento, revisão do pedido) Testes A/B: Deixe os consumidores indicarem para você o que eles realmente desejam. Use a ferramenta Google Analytics Content Experiments disponível no Google Analytics para aperfeiçoar o layout do e-commerce através de indicações do próprio cliente.
  • 30. Integrações de Sistemas Os Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (SIGE ou SIG), em inglês Enterprise Resource Planning (ERP), são sistemas de informação que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema. A integração pode ser vista sob a perspectiva funcional (sistemas de: finanças, contabilidade, recursos humanos, fabricação, marketing, vendas, compras etc) e sob a perspectiva sistêmica (sistema de processamento de transações, sistemas de informações gerenciais, sistemas de apoio a decisão etc). Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa, possibilitando a automação e armazenamento de todas as informações de negócios.
  • 31. Integrações de Sistemas Se a empresa não possui sistema de controle interno (ERP) e deseja adquirir um para que sua loja virtual troque informações com esse sistema e não seja necessário realizar toda uma operação em paralelo, deve-se verificar, a princípio, quais sistemas disponíveis no mercado integram com a Plataforma de E-Commerce contratada. Para ajudar na escolha, verifique se o sistema oferece os seguintes itens de integração:  CADASTROS: Todo o cadastro de clientes, produtos e suas fotos, saldo de estoque e pedidos devem ser cadastrados automaticamente no sistema, evitando o retrabalho de cadastrar tudo novamente.  VENDAS: Pedido de vendas de onde pode gerar um cupom fiscal para venda a consumidor e/ou uma Nota Fiscal (NFe); Separação de produtos para confirmação de envio; Consulta de pedidos por Clientes e situação (entregue, cancelado, faturado, etc.); Consulta de produtos pela última compra do cliente; Consulta de clientes pela última venda do produto; Relatórios em geral.  NF-e: Procedimentos de Emissão de Notas Fiscais eletrônicas de qualquer tipo, emissões de boletos com relatórios analíticos ou simples.
  • 32. Integrações de Sistemas  FINANCEIRO: Controle do financeiro com conciliação bancária, através de previsões e fluxos de caixa e bancos. Possibilidade de lançar ou importar notas fiscais de compras de fornecedores para o contas a pagar.  ESTOQUES: Controle de estoques da loja física integrado com o E-Commerce sincronizados em tempo real. Possibilidade de gerar e ler códigos de barras. Relatórios on-line.
  • 33. O Ambiente de Testes (Homologação) Ambiente de testes é um endereço on-line provisório, geralmente hospedado no provedor da Plataforma contratada, onde todo desenvolvimento e infra-estrutura de sua loja virtual será publicado para acompanhamento, testes e, principalmente, iniciar o cadastramento de produtos em paralelo com as demais atividades, adequação do layout (front-end) e aprovação dos meios de pagamento. O ambiente de homologação deverá ser o mais próximo possível do ambiente de produção, possibilitando não apenas os testes funcionais, como também os testes de performance, desempenho e usabilidade. Neste momento, o fornecedor da Plataforma deve disponibilizar dois links, um da loja virtual no ambiente de testes (ex.: “nome do fornecedor”.”nome da loja”.com.br) e o do sistema administrativo, com login e senha do proprietário da loja cadastrados.
  • 34. Treinamento O fornecedor contratado para o desenvolvimento da Plataforma de E-Commerce tem a obrigação de oferecer um treinamento do sistema administrativo da loja virtual, contemplando todas as funcionalidades necessárias para o bom gerenciamento de seu negócio. Certifique-se que conste em contrato a aplicação de treinamento para utilização da Plataforma (onde deverá ser abordado por exemplo: cadastramento de produtos e categorias, regras de promoções, fluxo do faturamento de vendas, etc.) com, no mínimo, 2 participantes. Esse treinamento poderá ser realizado nas dependências do dono da loja virtual ou em algum local locado para este fim. Geralmente, os fornecedores marcam uma data mensal e formam grupos de lojistas, o que é interessante pois gera networking e uma troca de conhecimentos entre os participantes.
  • 35. Cadastramento de Produtos Ao contrário das lojas tradicionais, nas lojas virtuais o cliente não tem o contato direto com os produtos, sendo assim, fornecer informações relevantes com boa qualidade é pré-requisito fundamental para o sucesso das vendas. Feito com cuidado, o cadastro interfere positivamente no posicionamento da empresa nas páginas de resposta de pesquisas dos buscadores (SEO). Definir as categorias e subcategorias ajuda o consumidor a ter uma melhor experiência e a trilhar o caminho de volta à página inicial da loja, manter o interesse do cliente depende substancialmente do quanto é fácil encontrar aquilo que ele procura.
  • 36. Cadastramento de Produtos Criando um TÍTULO para o produto: O Título corresponde ao nome do produto e será a primeira informação que o potencial comprador terá do objeto de desejo, e como a maioria dos consumidores usa os diversos buscadores para encontrar os produtos desejados, você deve colocar no título do produto palavras que ajudem o comprador a encontrar seu produto. Ao definir o nome do produto: • Evite colocar um nome maior que 80 caracteres. • Evite usar sinais de pontuação. • Faça uma cuidadosa revisão para evitar erros de escrita. • Não esqueça de colocar a marca e o modelo. Exemplos: Título inadequado Título sugerido • Forno Microondas Forno Microondas 22 L Píccolo NN-S46B Panasonic • Espetacular Notebook Compaq Notebook Compaq X1000 2,4 GHZ 60 GB 512 MB DVD CD-RW Windows
  • 37. Cadastramento de Produtos Como inserir uma DESCRIÇÃO relevante: Ao redigir a descrição do produto para venda, tente descobrir coisas que levem os clientes a se interessarem por ele, se colocando no lugar do comprador. A descrição do produto complementa as informações do título: recursos disponíveis, funcionalidades específicas, tecnologia, voltagem, periféricos que acompanham, configurações, dimensão, peso, etc. muitas destas informações podem ser retiradas no site da marca do produto ou no manual de instruções. Deixe um link para o usuário baixar o manual em pdf, faça um vídeo sobre a utilização ou montagem do produto, organize as informações de acordo com a importância para o comprador. Pense sempre em compor a descrição otimizando as palavras mais relevantes deste produto para os buscadores.
  • 38. Cadastramento de Produtos CATEGORIAS SUBCATEGORIAS Categorizando os produtos: A distribuição e organização dos produtos são pontos importantes. O cliente deve achar facilmente o que procura com a menor quantidade de cliques possíveis. Analise se os produtos estão dentro das categorias adequadas, e, se houver uma variedade grande de produtos dentro de uma mesma categoria (acima de quatro páginas), utilize subcategorias. Além de categorias, é possível agrupar os produtos por marcas (as chamadas “lojas especiais”). O ideal é que as páginas de cada categoria e/ou marca seja personalizada para que o visitante perceba rapidamente a mudança de uma para outra (como nos MARCAS departamentos dos hipermercados).
  • 39. Cadastramento de Produtos Controlando o estoque: Um eficiente controle de estoque é algo imprescindível para o sucesso de uma loja virtual. Se sua empresa trabalha com uma quantidade pequena de produtos, você poderá realizar este controle manualmente sem maiores problemas. Se possui muitos produtos ou trabalha com um estoque com alta rotatividade e constante reposição é muito importante uma atualização automática dos produtos (integração de sistemas ERP - Plataforma). Algumas plataformas oferecem a possibilidade de estabelecer uma quantidade mínima para cada produto e, ao chegar nesta quantidade, dispara um e-mail avisando a baixa de estoque para controle do administrador da loja virtual, possibilitando a reposição antes do término real do estoque.
  • 40. Cadastramento de Produtos Produtos Relacionados (cross sell), Compre Junto: Esta etapa do cadastramento irá estimular a “venda casada” oferecendo algum tipo de vantagem ao comprador. Devem ser selecionados apenas os tipos de produtos que tenham alguma utilidade ou complementam o produto que está sendo cadastrado. Por exemplo, se estiver cadastrando uma câmera, pode relacioná-la com baterias, bolsas, carregadores, etc. e estipular um desconto (percentual ou fixo) se forem adquiridos na mesma compra.
  • 41. Cadastramento de Produtos Produtos Recomendados e Brindes: Algumas plataformas permitem que sejam associados brindes ao produto que está sendo cadastrado para estimular a venda. O brinde é um produto que já foi cadastrado anteriormente mas que, associado a outro produto como “brinde” será incluído no carrinho com preço zero. Produtos recomendados podem ser associados na página do produto ou diretamente no carrinho de compras, porém essa opção deve ser analisada com cuidado pois pode causar dispersão e abandono. Caso seja utilizada, preocupe-se em fazer somente a associação com produtos semelhantes ao que está sendo cadastrado.
  • 42. Certificado de Segurança SSL O que é SSL? O SSL (Secure Socket Layer) é um protocolo desenvolvido para elevar a segurança dos dados transmitidos pela internet. Um servidor web protegido pelo protocolo SSL possui uma URL que começa em "https://", onde o S significa “secured” (seguro, protegido). As conexões via SSL são particularmente recomendadas para envio de informações como números de cartão de crédito, senhas e qualquer outra informação sigilosa via internet. O SSL faz uso de criptografia para garantir o sigilo das informações transferidas entre o navegador do usuário e o servidor web. Como consequência, mesmo que as informações sejam interceptadas elas não podem ser lidas sem que sejam descriptografadas.
  • 43. Certificado de Segurança SSL O que é um certificado SSL? O certificado SSL tem a função de certificar que o site que você está acessando é realmente ele mesmo. Este processo é realizado por empresas que emitem certificados SSL. Elas fazem a validação do domínio e, dependendo do tipo de certificado, também da entidade detentora do domínio. Sempre que você acessa uma página segura, isto é, protegida por um certificado SSL, é apresentada uma chave ou um cadeado na barra de status para indicar a comunicação segura. Os certificados tradicionais exigem que você clique na chave ou cadeado para ter acesso às informações do detentor do certificado SSL. Exemplo de empresa certificadora: http://www.rapidssl.com.br/
  • 44. Gateway e Meios de Pagamento Gateways de Pagamento são interfaces utilizadas por empresas de e-commerce que servem para a transmissão de dados entre clientes, comerciantes e seus bancos. Um Gateway de Pagamento funciona basicamente como um terminal de cartão de crédito visto em lojas tradicionais de varejo. Os Gateways de Pagamento permitem que os comerciantes processem todas as bandeiras de cartões de crédito, boletos e transferências eletrônicas com segurança e praticidade. Ele protege os comerciantes contra cartões roubados, falsificados ou sem fundos suficientes para realizar uma transação. Eles também oferecem segurança aos consumidores, uma vez que os comerciantes não têm acesso aos dados financeiros, como o número do cartão, protegendo-os de criminosos que atuam na internet. Veja mais informações sobre meios de pagamento aqui. Clique aqui para ver alguns fornecedores nacionais de módulos de pagamentos.
  • 45. Ferramentas de Análise de Risco Lojistas que trabalham com produtos de categorias de risco, devem fazer análise de risco em transações de valor elevado. Algumas lojas optam por fazer análise de todas as transações da loja independente do valor ou tipo de produto. Existem empresas especializadas neste tipo de serviço como FControl e Clear Sale. O que essas empresas fazem é identificar comportamentos suspeitos na transação, analisa dados pessoais do comprador e consulta uma complexa rede de informações que avisa se o comprador já teve problemas com compras anteriores. Após feita a análise, o sistema retorna o grau de risco da compra em uma escala de “temperatura”, cabendo ao lojista a decisão de aprovar ou não o faturamento do produto. A cobrança é feita por análise, dependendo da quantidade de análises contratadas por mês, o custo pode chegar a alguns centavos por análise.
  • 46. Selos e Certificações Para garantir aos clientes que seu site é confiável, uma das possibilidades é obter uma certificação oficial. Uma das certificações oficiais é a de SSL, já abordada anteriormente. Outro tipo de selo (ou certificação) é o de sites de prestação de serviços de segurança. Estes sites provêm vistorias no sistema de segurança de seu site e, além disso, geram relatórios com sugestões de soluções para as falhas encontradas. Os principais fornecedores deste tipo de selo são: Certisign: Esta entidade presta o serviço de validação das chaves de codificação de sites, além de prestar outros serviços de validação (CPF digital, CNPJ digital, etc.). A Certisign também emite o certificado SiteSeguro. Garante o selo em seu site atestando que o mesmo está relacionado a uma marca específica, ou seja, garante sua autenticidade. SiteBlindado: Oferece análise diária das vulnerabilidades de aplicativos, IPs, etc. e gera relatórios para reparo das mesmas. O SiteBlindado também dá ao site o selo de autenticidade e pode, também, mudar a cor da barra de URL para verde. Além das ferramentas de segurança, essa ferramenta ainda mostra quanto suas conversões aumentam com o serviço a partir de teste utilizando o método A/B.
  • 47. Selos e Certificações Sistema de Avaliações: Avaliações de outros consumidores também podem ajudar a gerar confiança. Existem serviços especializados em classificar as empresas de e- commerce de acordo com as avaliações dos consumidores. A ebit.com.br, site de pesquisa e confiabilidade em e-commerce, presta um serviço chamado bitConsumidor. Este serviço dá ‘medalhas’ aos e-commerces de acordo com as avaliações positivas ou negativas de seus compradores. Estas ‘medalhas’, que podem ser Diamante, Ouro, Prata ou Bronze; fazem com que seus clientes se sintam mais confortáveis ao fazer uma compra em seu site, aumentando, consequentemente, as conversões.
  • 48. Tabelas de Frete O lojista deve solicitar aos Correios uma tabela de frete completa para cada modalidade de entrega (Sedex, PAC, Sedex10 e E-Sedex) com todas as faixas de CEP de todos os Municípios, Distritos e Povoados. Atentando-se que existem preços separados para envio de capital para capital e capital interior, e cidades que, apesar de estarem em outro estado, tem o mesmo preço do estado de origem (divisas entre estados). Essas diferenças, se não contempladas no momento da subida da tabela, podem diminuir a competitividade de seu e-commerce. Transportadoras Além das modalidades de entrega dos Correios, a loja virtual pode optar em trabalhar com transportadoras (Total Express, Directlog, Jadlog, etc). Neste caso, deve ser feito um estudo da tabela e adaptação dos campos específicos de cada uma para a formato padrão informado pelo fornecedor da plataforma.
  • 49. Tabelas de Frete Também deve ser considerada a possibilidade de personalização de sua tabela manualmente, de acordo com a estratégia ou área de atuação, como:  Definição de um percentual acima ou abaixo do valor da tabela por faixa de CEP (ganho/desconto de frete);  Aumento (acréscimo em dias) do prazo de entrega por faixa de CEP;  Protocolo 21 – O protocolo de ICMS aprovado no Conselho Fazendário, autoriza 18 Estados a efetuar a cobrança de diferença de ICMS para mercadoria adentrar em seus Estados. Temos a opção de acrescer a cobrança no valor do frete (% sobre o valor da NF) para você não ter diminuição de margem de lucro quando vender para essas localidades;  Entrega agendada.
  • 50. Google Analytics O Google Analytics gera um código específico para e-commerce que deve ser integrado na página de confirmação de compra de seu e-commerce. Cada loja virtual/plataforma tem suas próprias peculiaridades, portanto, faça de forma correta e deixe um programador experiente fazê-lo, pois o perfeito funcionamento deste método é primordial para o sucesso de suas estratégias. O programa captura dados extremamente interessantes para cada compra realizada, como origem da compra (de onde veio o comprador), cidade e oferece ferramentas de suporte com relatórios personalizados, alertas, metas e funis*, que permitem monitorar a fundo o comportamento da loja virtual. Saiba mais sobre Google Analytics aqui. * Configurações de alertas, metas e funis, variam de acordo com o negócio e podem ser consultadas no tutorial dentro do próprio Google Analytics.
  • 51. E-mails Transacionais E-mails transacionais podem ser definidos como qualquer e-mail enviado ao usuário após alguma ação realizada no site, como por exemplo um e-mail de confirmação de cadastro, confirmação de compra, entre outros. Com base neste objetivo, o e-mail transacional deve ter a maior parte do seu conteúdo dedicado à entregar a informação solicitada pelo usuário. Chamar o destinatário pelo nome e sobrenome é praticamente obrigatório, utilizar um design diferenciado com o logotipo da empresa remetente, assim como uma formatação rica dos textos podem melhorar a experiência do usuário em relação ao pós-venda. Após efetuar a compra, o usuário espera receber uma confirmação do site sobre seu pedido. Quanto mais rápida essa comunicação for entregue, melhor será a percepção do usuário sobre a qualidade do atendimento.
  • 52. E-mails Transacionais São exemplos de situações para envio de e-mails transacionais:  Nova Conta (Bem Vindo)  Chave de Confirmação (validação do e-mail cadastrado) – Nova Conta  Nova Conta Confirmada  Nova Senha  Novo Pedido / Atualização de Pedido  Nova Fatura / Atualização de Fatura  Novo Envio / Atualização de Envio  Falha no pagamento  Compartilhar lista de desejos  Envie o produto a um amigo  Formulário de Contato  Alerta de produto disponível em estoque  Alerta de Alteração de Preço de Produto
  • 53. Páginas Institucionais – CMS CMS (Content Management System) em português Sistema de Gestão de Conteúdo, é um sistema gestor de sites, integrado ao administrativo da plataforma que possui ferramentas necessárias para gerir conteúdos em tempo real, sem a necessidade de conhecimento em programação de código, tendo como objetivo estruturar e facilitar a criação, administração, publicação e disponibilidade da informação nas páginas da loja virtual. É possível alterar todo o conteúdo de uma página, inserir fotos, vídeos, arquivos para download, criar novas e até mesmo criar layouts personalizados a partir de templates ou inserção de códigos HTML. A habilidade necessária para trabalhar com um sistema de gestão de conteúdo (exceto para criações de novos layouts) não vai muito além dos conhecimentos necessários para um editor de texto padrão.
  • 54. Páginas Institucionais – CMS Na maioria das lojas virtuais, as páginas de CMS encontram-se no rodapé, próximo às bandeiras das operadoras de cartões aceitos e dos selos e certificações. As mais comuns são:  Quem somos  Nossas lojas  Como comprar  Formas e prazos de entrega  Trocas e devoluções  Segurança e privacidade  Dúvidas frequentes  Trabalhe conosco
  • 55. Regras Promocionais Um procedimento muito utilizado no varejo virtual é a configuração de regras promocionais, oferecendo vantagens para estimular a aquisição imediata e limitada de produtos pelos usuários. Certifique-se que a plataforma adquirida ofereça a maior variedade possível de combinações para criação de promoções. Cada fornecedor de plataforma possui uma metodologia diferente (e, geralmente, complexa) para configuração de regras de promoções, que devem ser explicadas detalhadamente em treinamento. As promoções mais comuns no mercado (podendo ativá-las simultaneamente, acumulando ou não o valor do desconto) são:  Cupons de descontos  Frete Grátis  Desconto por categoria ou produtos específicos  Desconto para pagamento com boleto  Desconto para pagamento em depósito ou transferência eletrônica  Desconto para primeira compra  Desconto em todos os produtos do site
  • 56. Testes, Testes e mais Testes Todas as etapas do projeto passadas até agora devem ser testadas exaustivamente pelo lojista e sua equipe. O empresário deve testar pessoalmente todas as funcionalidades de seu e-commerce e tomar cuidado para não se iludir achando que apenas os seus testes bastarão. Coloque no mínimo mais uma pessoa para efetuar a bateria de testes com todas as simulações possíveis: lista de desejos, cadastros, login, busca, cupons de desconto, produtos no carrinho, filtros de categorias, etc. Neste momento, o site deve estar com todas as funcionalidades ativas em ambiente de testes (homologação), com exceção, obviamente, da efetivação dos pagamentos pelas operadoras de cartões. Todos os produtos devem estar cadastrados e categorizados, os certificados ativos no domínio, meios de pagamento, cálculos de frete e regras de promoção configurados, ou seja, a loja virtual deve estar pronta para ir ao ar. IMPORTANTE: Teste as funcionalidades de sua loja em todas os navegadores: Chrome, Firefox, IE7, IE8 e Safari, verificando criteriosamente os detalhes da interface (alinhamento dos campos, fontes, textos, menus, linhas de grades...) de todas as páginas e a usabilidade da loja como um todo (veja aqui três cases sobre usabilidade).
  • 57. A Publicação da Loja Virtual Efetuados os ajustes e correções necessárias apontadas pelo lojistas na fase de testes, o desenvolvedor da plataforma envia uma documentação oficial para aprovação da publicação do e-commerce na web. Uma vez autorizado pelo empresário, a loja virtual sai da “Homologação” e passa para “Produção”, onde poderá ser acessada por qualquer navegador ao digitar o endereço do domínio adquirido. Esse processo se dá através de um direcionamento do DNS (Domain Name Server) ou “Virada do DNS”. Cada domínio possui um registro no DNS que define qual o endereço IP do servidor de hospedagem e o IP do servidor de e- mail que responderão por este domínio.
  • 58. Testes na Produção Os mesmos testes realizados na homologação, devem ser repassados agora com o site no ar, porém, caso houverem novas correções (confirme se todas as correções detectadas no ambiente de testes foram efetuadas corretamente), deve-se agir de maneira rápida e efetiva pois um eventual erro irá interferir diretamente na credibilidade do usuário. Agora deve-se fazer os “testes de compra a 1 real”: Cadastre um produto como “teste”, configurado para não aparecer na vitrine do site, e efetue um procedimento completo de aquisição, sendo uma compra para cada meio de pagamento e uma compra para cada bandeira de cartão. Verifique a aprovação dos cartões, o cálculo do frete para vários Estados, o procedimento de “baixa” e faturamento da compra no administrativo, o recebimento dos e-mails transacionais (cadastre- se como cliente) e os relatórios fornecidos pelo sistema da plataforma e/ou do Google Analytics. Sempre que possível, efetue testes A/B nas principais páginas de seu e-commerce. Saiba mais sobre esse tipo de teste aqui e aqui.
  • 59. Plano de Marketing Digital Antes de iniciar os procedimentos de abertura do e-commerce, foi necessário fazer o Plano de Negócio. Dentro deste planejamento deve constar o Plano de Marketing, que irá traçar estratégias de comunicação para alavancar as vendas do e- commerce. Entre outras coisas, o Plano de Marketing vai ajudá-lo a:  Classificar a sua posição no seu nicho de mercado  Identificar e atingir o seu target  Identificar novas oportunidades  Identificar fontes de tráfego para aumentar as visitas e taxa de conversão  Definir ações em mídias digitais e sociais  Otimização da usabilidade do site  Gerar uma comunicação personalizada e acertiva  Identificar os “passos necessários a seguir” para atingir os seus objetivos a curto, médio e longo prazo. O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) disponibiliza gratuitamente uma apostila em pdf “Como Elaborar um Plano de Marketing” e uma ferramenta chamada ClickMarketing que elabora plano de marketing com direito a atendimento individualizado.
  • 60. Referências e Contato O conteúdo dessa apresentação foi desenvolvido com base na experiência adquirida pelo autor em Prestação de Alexandre Grolla Serviços de Consultoria para Consultor de Marketing alegrolla@gmail.com | 5511 983747583 Implantação de Lojas Virtuais e como Gerente de Projetos de um desenvolvedor de Plataforma para E-commerce em http://www.slideshare.net/alegrolla Magento. Foram consultados vários sites na web http://www.youtube.com/user/alegrolla para apoio, sendo os principais: http://www.ecommercebrasil.com.br/ http://www.linkedin.com/in/grolla http://ecommercenews.com.br/ http://www.blogdoecommerce.com.br/ http://www.facebook.com/alegrolla Bibliografia indicada: Como Abrir uma Loja Virtual de Sucesso e Estratégias de https://twitter.com/AleGrolla Marketing Digital e E-Commerce