SlideShare uma empresa Scribd logo
Iluminismo
   foi um movimento intelectual que
    surgiu durante o século XVIII na
 Europa, que defendia o uso da razão
(luz) contra o antigo regime (trevas) e
pregava maior liberdade econômica e
                política.
• O Iluminismo surgiu na França do século XVII
  e propunha o domínio do pensamento
  racional sobre o teocentrismo (Deus no
  centro de todas as explicações) que
  predominava na Europa desde a época
  Medieval.

• De acordo com os filósofos iluministas, esta
  forma de pensamento tinha o propósito de
  jogar luzes nas trevas em que se encontrava
  grande parte da humanidade.
• Os Iluministas defendiam a liberdade
  de pensamento e eram contrários
  aos dogmas religiosos e ao
  absolutismo
• O pensamento cientifico era
  caracterizado como o mais
  importante entre as formas de
  pensar.
Este movimento promoveu
  mudanças políticas,
  econômicas e sociais,
  baseadas nos ideais de
  liberdade, igualdade e
  fraternidade.

 O Iluminismo tinha o apoio
 da burguesia, pois os
 pensadores e os burgueses
 tinham interesses comuns e
 até mesmo de alguns reis e
 rainhas.
Princípios do Iluminismo
• Universalidade- visava a todos os seres
  humanos sem barreiras nacionais ou étnicas.

• Individualidade- cada um é único.

• Autonomia- os homens são aptos a pensar
  por si mesmos sem a interferência da religião
  ou da ideologia (crenças, tradições, mitos)
• O modo de pensar dos iluministas
  se difundiu por muitos países da
  Europa.
• Manifestou-se na Holanda, na
  Inglaterra e na França onde
  tornou-se uma Doutrina.
• Seus pensadores não propunham
  uma revolução, mas uma ampla
  reforma.
Os iluministas
defendiam um Estado
  Constitucional, ou
 seja, a existência de
   uma autoridade
nacional central com
     poderes bem
definidos e limitados
 e ampla margem de
    liberdade civil.
Mentalidade ilustrada
• John Locke: (1632-1704), ele acreditava
  que o homem adquiria conhecimento com o
  passar do tempo através do empirismo;
• Considerado Pai do Liberalismo Político
• Em sua obra Segundo tratado sobre o
  governo civil , afirmava que o poder
  monárquico era um contrato entre povo e
  governo, regido por uma constituição.
John Locke   Voltaire
• Voltaire: (1694-1778), ele defendia a liberdade de
    pensamento e não poupava crítica à intolerância
    religiosa;
•   Foi o mais destacado filósofo iluminista. Durante sua
    estada na Inglaterra, publicou as Cartas Filosóficas.
•   Elogiava as liberdades inglesas, atacava o Absolutismo e
    a intolerância.
•   Notabilizou-se por combater a ignorância, a superstição,
    o fanatismo religioso e por defender a razão, a tolerância
    e a monarquia constitucional.
•    A escrita e os livros eram suas principais armas contra a
    ignorância. Escreveu: Cartas inglesas e Trato sobre a
    tolerância.
•   Seus discípulos se espalharam pela Europa, divulgando
    suas idéias. Voltaire, ao longo de sua vida, celebrizou-se
    por suas contundentes críticas à tradições e à religião.
Denis Direrot   Rousseau
• Denis Direrot: Foi o responsável
  pela organização da grande
  Enciclopédia, publicada entre 1751 e
  1752, que continha as novas ideias.
• O governo condenou a obra, proibindo
  sua divulgação em duas oportunidades.
  Diderot foi auxiliado por um matemático,
  d'Alembert, tendo como colaboradores a
  maior parte dos novos pensadores e
  escritores.
• Jean jacques Rousseau; (1712-
  1778), ele defendia a ideia de um estado
  democrático que garanta igualdade para
  todos;
• foi um democrata convicto.
• Suas ideias foram expostas num tratado
  de educação e, principalmente,
  no Contrato Social, sua obra máxima.
• Jean jacques Rousseau;
• Uniu-se ao enciclopedistas, procurou analisar
  as razões das desigualdades sociais, para ele,
  o ser humano é naturalmente bom, mas a
  sociedade o corrompe, gerando desigualdades
  sociais, escravidão e tirania.

• Suas ideias foram seguidas por Robespierre e
  outros líderes da Revolução Francesa.
• Montesquieu:   (1689-1755), ele
                             defendeu a
 divisão do poder político em Legislativo,
 Executivo e Judiciário;

• Em 1721, publicou as Cartas Persas, nas
  quais satirizava os costumes e a
  instituições
• Montesquieu:
• Em 1748 publicou sua grande obra O
  Espírito das Leis, dedicada ao estudo de
  diversas formas de governo. Dava grande
  destaque à Monarquia inglesa,
  preconizando a separação dos poderes
  Executivo, Legislativo e Judiciário, única
  forma capaz de garantir a liberdade.
• Montesquieu:
Montesquieu foi um
  dos mais
  brilhantes filósofos
  do século XVIII,
  passou em revista
  as diferentes
  formas de governo
  em sua obra O
  Espírito das Leis.
• Principais filósofos iluministas:

• David Hume: (1711-1776) - foi um importante
  historiador e filósofo iluminista escocês. Refutou o
  princípio da casualidade e defendeu o livre-arbítrio e
  o ceticismo radical.
• Adam Smith: (1723-1790) - economista e filósofo
  inglês. Grande defensor do liberalismo econômico.

• Immanuel Kant: (1724-1804) - importante filósofo
  alemão, desenvolveu seuspensamentos nas áreas da
  epistemologia, ética e Metafísica.
• Benjamin Constant: (1767-1830) - escritor, filósofo
  e político francês de origem suíça. Defendeu,
  principalmente, ideal de liberdade individual.
Enciclopédia
   Coordenada por D'Alembert e Diderot,
  "Encyclopédie" foi elaborada entre 1751 e
                       1780.
 Com base nos ideais iluministas, filósofos
pretendiam, através do saber, criar o "cidadão
                   esclarecido".
 Empreendeu uma crítica das concepções
   cientificas, intelectuais, políticas e sociais
               vigentes na Europa.
Economistas Liberais
Os pensadores do séc. XVIII pregaram
  o fim da intervenção do Estado na
  vida particular dos indivíduos e na
             vida pública.
      Promoveram a crítica ao
  mercantilismo, propondo o fim da
 intervenção do Estado na Economia.
Economistas Liberais
   Os pensadores iluministas que se
   ocuparam de questões econômicas
      deram origem a duas grandes
        correntes de pensamento:
• Fisiocracia
• Liberalismo
Fisiocracia
• acreditavam que as atividades econômicas
  naturais como a agricultura, a mineração e o
  extrativismo eram mais importantes para a
  prosperidade do país do que o comércio.
• As demais atividades econômicas (a
  manufatura e comércio) seriam mera
  conseqüência da riqueza produzida das
  atividades agrícolas.
Pensadores Fisiocratas
François Quesnay (1694 – 1774)   Turgot (1727 – 1781)
Pensadores Fisiocratas
Mirabeau   (1694 – 1774)   Dupont de Nemours
Pensadores Fisiocratas
Vincent de Gournay   Autor da célebre frase:
                      ”Deixe fazer, deixe
                     passar, o mundo vai por si
                     mesmo” (Gournay), a
                     mais famosa frase do
                     liberalismo econômico.
                     É a expressão que designa
                     o ideário fisiocrata contra
                     a política intervencionista
                     do mercantilismo.
Liberalismo
        Adam Smith
      é considerado o
           Pai da
          moderna
           teoria
         econômica.
Liberalismo
• Adam Smith afirmava que o trabalho era
  a verdadeira fonte de riqueza.
• Acreditava que certa interferência
  governamental na economia eram
  toleráveis, desde que se destinasse a
  prevenir a injustiça e a opressão ou a
  incentivar a educação e proteger a saúde
  pública.
Pensadores Liberais
John Stuart Mill                Thomas Malthus
    Economista e filósofo,      • Ficou conhecido pela teoria
     defendia a limitação do      da qual o crescimento da
  crescimento populacional e      população segue uma
   a criação de cooperativas,     progressão geométrica e
   entre outras medidas para
     minorar os efeitos das       tende sempre a superar a
         contradições do          produção de alimentos, que
    capitalismo. Esse sistema     obedece a uma progressão
      condenava as classes        aritmética.
      trabalhadoras a uma       • Por isso defendia o controle
      existência miserável.       da natalidade.
Despotismo esclarecido
Forma de Estado absolutista que dominou
   certos países atrasados da Europa, no
                 século XVIII.
       Caracterizou-se por utilizar os
   ensinamentos propostos pelas teorias
     Iluministas, mas sem abrir mão do
       absolutismo na prática política.
Despotismo esclarecido
   Os países ligados ao Despotismo
  apresentavam problemas estruturais:
    suas economias baseavam-se nos
    princípios mercantilistas, tinham
  sociedades pouco diversificadas, sem
capital, sem pessoal técnico, e, com uma
           burguesia emergente.
Iluminismo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
Fabiana Tonsis
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
Paulo Alexandre
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
Marcos Azevedo
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
O que é historia
O que é historiaO que é historia
O que é historia
alinemaiahistoria
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
Daniel Alves Bronstrup
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
Fatima Freitas
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
Douglas Barraqui
 
Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)
Edenilson Morais
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Aulas de História
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
edna2
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Janaína Tavares
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
Dirair
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
harlissoncarvalho
 
O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)
JPedroSR
 
1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
Daniel Alves Bronstrup
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
Daniel Alves Bronstrup
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)
Nefer19
 

Mais procurados (20)

Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
O que é historia
O que é historiaO que é historia
O que é historia
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)
 
1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
 
O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)
 

Destaque

O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
Rui Neto
 
Globalização e revolução cientifica
Globalização e revolução cientificaGlobalização e revolução cientifica
Globalização e revolução cientifica
Alan
 
2 A RevoluçãO CientíFica Progresso E TradiçãO
2   A RevoluçãO CientíFica Progresso E TradiçãO2   A RevoluçãO CientíFica Progresso E TradiçãO
2 A RevoluçãO CientíFica Progresso E TradiçãO
Hist8
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
lumininsmo a revolução científica e o iluminismo na europa
lumininsmo a revolução científica e o iluminismo na europalumininsmo a revolução científica e o iluminismo na europa
lumininsmo a revolução científica e o iluminismo na europa
HCA_10I
 
Revolução científica
Revolução científicaRevolução científica
Revolução científica
Alpha Colégio e Vestibulares
 
RevoluçãO Industrial
RevoluçãO IndustrialRevoluçãO Industrial
RevoluçãO Industrial
Sílvia Mendonça
 
A revolução científica
A revolução científicaA revolução científica
A revolução científica
Luis De Sousa Rodrigues
 
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIII
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIIIA RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIII
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIII
José Alemão
 
Slide iluminismo
Slide iluminismoSlide iluminismo
Slide iluminismo
Isabel Aguiar
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Nelson Faustino
 
A revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xviiA revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xvii
Alan
 
A revolução científica dos séculos xvii e xviii
A revolução científica dos séculos xvii e xviiiA revolução científica dos séculos xvii e xviii
A revolução científica dos séculos xvii e xviii
Carlos Pinheiro
 
Revolução cientifica sec. XVII-XVIII
Revolução cientifica sec. XVII-XVIIIRevolução cientifica sec. XVII-XVIII
Revolução cientifica sec. XVII-XVIII
mmarijose
 
A Revolução Científica
A Revolução CientíficaA Revolução Científica
A Revolução Científica
Rui Neto
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Ana Barreiros
 
O método experimental e o progresso do conhecimento
O método experimental e o progresso do conhecimentoO método experimental e o progresso do conhecimento
O método experimental e o progresso do conhecimento
Diogo.Verissimo
 
Revolução científica
Revolução científicaRevolução científica
Revolução científica
cattonia
 
RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
Ana Batista
 

Destaque (20)

O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
Globalização e revolução cientifica
Globalização e revolução cientificaGlobalização e revolução cientifica
Globalização e revolução cientifica
 
2 A RevoluçãO CientíFica Progresso E TradiçãO
2   A RevoluçãO CientíFica Progresso E TradiçãO2   A RevoluçãO CientíFica Progresso E TradiçãO
2 A RevoluçãO CientíFica Progresso E TradiçãO
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
lumininsmo a revolução científica e o iluminismo na europa
lumininsmo a revolução científica e o iluminismo na europalumininsmo a revolução científica e o iluminismo na europa
lumininsmo a revolução científica e o iluminismo na europa
 
Revolução científica
Revolução científicaRevolução científica
Revolução científica
 
RevoluçãO Industrial
RevoluçãO IndustrialRevoluçãO Industrial
RevoluçãO Industrial
 
A revolução científica
A revolução científicaA revolução científica
A revolução científica
 
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIII
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIIIA RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIII
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIII
 
Slide iluminismo
Slide iluminismoSlide iluminismo
Slide iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
A revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xviiA revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xvii
 
A revolução científica dos séculos xvii e xviii
A revolução científica dos séculos xvii e xviiiA revolução científica dos séculos xvii e xviii
A revolução científica dos séculos xvii e xviii
 
Revolução cientifica sec. XVII-XVIII
Revolução cientifica sec. XVII-XVIIIRevolução cientifica sec. XVII-XVIII
Revolução cientifica sec. XVII-XVIII
 
A Revolução Científica
A Revolução CientíficaA Revolução Científica
A Revolução Científica
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
O método experimental e o progresso do conhecimento
O método experimental e o progresso do conhecimentoO método experimental e o progresso do conhecimento
O método experimental e o progresso do conhecimento
 
Revolução científica
Revolução científicaRevolução científica
Revolução científica
 
RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
 

Semelhante a Iluminismo

iluminismo-.pptx
iluminismo-.pptxiluminismo-.pptx
iluminismo-.pptx
ocg50
 
ILUMINISMO.pptx
ILUMINISMO.pptxILUMINISMO.pptx
ILUMINISMO.pptx
diogocs1
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
historiando
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
Fatima Freitas
 
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.pptliberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
FakeDaKbM
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
maida marciano
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecidoIluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
Mozão Fraga
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
Marília Pimentel
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
stelawstel
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
MarceloFreitas
 
O iluminismo 2016
O iluminismo   2016O iluminismo   2016
O iluminismo 2016
Nelia Salles Nantes
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
José Gomes
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
eunamahcado
 
Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)
eunamahcado
 
Aula 4 o iluminismo
Aula 4 o iluminismoAula 4 o iluminismo
Aula 4 o iluminismo
Júlio César Medeiros
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
João Medeiros
 
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIIIIdeias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
eduardodemiranda
 

Semelhante a Iluminismo (20)

iluminismo-.pptx
iluminismo-.pptxiluminismo-.pptx
iluminismo-.pptx
 
ILUMINISMO.pptx
ILUMINISMO.pptxILUMINISMO.pptx
ILUMINISMO.pptx
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.pptliberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecidoIluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O iluminismo 2016
O iluminismo   2016O iluminismo   2016
O iluminismo 2016
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)
 
Aula 4 o iluminismo
Aula 4 o iluminismoAula 4 o iluminismo
Aula 4 o iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIIIIdeias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
 

Último

Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 

Último (20)

Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 

Iluminismo

  • 1.
  • 2. Iluminismo foi um movimento intelectual que surgiu durante o século XVIII na Europa, que defendia o uso da razão (luz) contra o antigo regime (trevas) e pregava maior liberdade econômica e política.
  • 3. • O Iluminismo surgiu na França do século XVII e propunha o domínio do pensamento racional sobre o teocentrismo (Deus no centro de todas as explicações) que predominava na Europa desde a época Medieval. • De acordo com os filósofos iluministas, esta forma de pensamento tinha o propósito de jogar luzes nas trevas em que se encontrava grande parte da humanidade.
  • 4.
  • 5. • Os Iluministas defendiam a liberdade de pensamento e eram contrários aos dogmas religiosos e ao absolutismo • O pensamento cientifico era caracterizado como o mais importante entre as formas de pensar.
  • 6. Este movimento promoveu mudanças políticas, econômicas e sociais, baseadas nos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade. O Iluminismo tinha o apoio da burguesia, pois os pensadores e os burgueses tinham interesses comuns e até mesmo de alguns reis e rainhas.
  • 7. Princípios do Iluminismo • Universalidade- visava a todos os seres humanos sem barreiras nacionais ou étnicas. • Individualidade- cada um é único. • Autonomia- os homens são aptos a pensar por si mesmos sem a interferência da religião ou da ideologia (crenças, tradições, mitos)
  • 8. • O modo de pensar dos iluministas se difundiu por muitos países da Europa. • Manifestou-se na Holanda, na Inglaterra e na França onde tornou-se uma Doutrina. • Seus pensadores não propunham uma revolução, mas uma ampla reforma.
  • 9.
  • 10. Os iluministas defendiam um Estado Constitucional, ou seja, a existência de uma autoridade nacional central com poderes bem definidos e limitados e ampla margem de liberdade civil.
  • 11. Mentalidade ilustrada • John Locke: (1632-1704), ele acreditava que o homem adquiria conhecimento com o passar do tempo através do empirismo; • Considerado Pai do Liberalismo Político • Em sua obra Segundo tratado sobre o governo civil , afirmava que o poder monárquico era um contrato entre povo e governo, regido por uma constituição.
  • 12. John Locke Voltaire
  • 13. • Voltaire: (1694-1778), ele defendia a liberdade de pensamento e não poupava crítica à intolerância religiosa; • Foi o mais destacado filósofo iluminista. Durante sua estada na Inglaterra, publicou as Cartas Filosóficas. • Elogiava as liberdades inglesas, atacava o Absolutismo e a intolerância. • Notabilizou-se por combater a ignorância, a superstição, o fanatismo religioso e por defender a razão, a tolerância e a monarquia constitucional. • A escrita e os livros eram suas principais armas contra a ignorância. Escreveu: Cartas inglesas e Trato sobre a tolerância. • Seus discípulos se espalharam pela Europa, divulgando suas idéias. Voltaire, ao longo de sua vida, celebrizou-se por suas contundentes críticas à tradições e à religião.
  • 14. Denis Direrot Rousseau
  • 15. • Denis Direrot: Foi o responsável pela organização da grande Enciclopédia, publicada entre 1751 e 1752, que continha as novas ideias. • O governo condenou a obra, proibindo sua divulgação em duas oportunidades. Diderot foi auxiliado por um matemático, d'Alembert, tendo como colaboradores a maior parte dos novos pensadores e escritores.
  • 16. • Jean jacques Rousseau; (1712- 1778), ele defendia a ideia de um estado democrático que garanta igualdade para todos; • foi um democrata convicto. • Suas ideias foram expostas num tratado de educação e, principalmente, no Contrato Social, sua obra máxima.
  • 17. • Jean jacques Rousseau; • Uniu-se ao enciclopedistas, procurou analisar as razões das desigualdades sociais, para ele, o ser humano é naturalmente bom, mas a sociedade o corrompe, gerando desigualdades sociais, escravidão e tirania. • Suas ideias foram seguidas por Robespierre e outros líderes da Revolução Francesa.
  • 18. • Montesquieu: (1689-1755), ele defendeu a divisão do poder político em Legislativo, Executivo e Judiciário; • Em 1721, publicou as Cartas Persas, nas quais satirizava os costumes e a instituições
  • 19. • Montesquieu: • Em 1748 publicou sua grande obra O Espírito das Leis, dedicada ao estudo de diversas formas de governo. Dava grande destaque à Monarquia inglesa, preconizando a separação dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, única forma capaz de garantir a liberdade.
  • 20. • Montesquieu: Montesquieu foi um dos mais brilhantes filósofos do século XVIII, passou em revista as diferentes formas de governo em sua obra O Espírito das Leis.
  • 21. • Principais filósofos iluministas: • David Hume: (1711-1776) - foi um importante historiador e filósofo iluminista escocês. Refutou o princípio da casualidade e defendeu o livre-arbítrio e o ceticismo radical. • Adam Smith: (1723-1790) - economista e filósofo inglês. Grande defensor do liberalismo econômico. • Immanuel Kant: (1724-1804) - importante filósofo alemão, desenvolveu seuspensamentos nas áreas da epistemologia, ética e Metafísica. • Benjamin Constant: (1767-1830) - escritor, filósofo e político francês de origem suíça. Defendeu, principalmente, ideal de liberdade individual.
  • 22. Enciclopédia Coordenada por D'Alembert e Diderot, "Encyclopédie" foi elaborada entre 1751 e 1780. Com base nos ideais iluministas, filósofos pretendiam, através do saber, criar o "cidadão esclarecido". Empreendeu uma crítica das concepções cientificas, intelectuais, políticas e sociais vigentes na Europa.
  • 23. Economistas Liberais Os pensadores do séc. XVIII pregaram o fim da intervenção do Estado na vida particular dos indivíduos e na vida pública. Promoveram a crítica ao mercantilismo, propondo o fim da intervenção do Estado na Economia.
  • 24. Economistas Liberais Os pensadores iluministas que se ocuparam de questões econômicas deram origem a duas grandes correntes de pensamento: • Fisiocracia • Liberalismo
  • 25. Fisiocracia • acreditavam que as atividades econômicas naturais como a agricultura, a mineração e o extrativismo eram mais importantes para a prosperidade do país do que o comércio. • As demais atividades econômicas (a manufatura e comércio) seriam mera conseqüência da riqueza produzida das atividades agrícolas.
  • 26. Pensadores Fisiocratas François Quesnay (1694 – 1774) Turgot (1727 – 1781)
  • 27. Pensadores Fisiocratas Mirabeau (1694 – 1774) Dupont de Nemours
  • 28. Pensadores Fisiocratas Vincent de Gournay Autor da célebre frase: ”Deixe fazer, deixe passar, o mundo vai por si mesmo” (Gournay), a mais famosa frase do liberalismo econômico. É a expressão que designa o ideário fisiocrata contra a política intervencionista do mercantilismo.
  • 29. Liberalismo Adam Smith é considerado o Pai da moderna teoria econômica.
  • 30. Liberalismo • Adam Smith afirmava que o trabalho era a verdadeira fonte de riqueza. • Acreditava que certa interferência governamental na economia eram toleráveis, desde que se destinasse a prevenir a injustiça e a opressão ou a incentivar a educação e proteger a saúde pública.
  • 31. Pensadores Liberais John Stuart Mill Thomas Malthus Economista e filósofo, • Ficou conhecido pela teoria defendia a limitação do da qual o crescimento da crescimento populacional e população segue uma a criação de cooperativas, progressão geométrica e entre outras medidas para minorar os efeitos das tende sempre a superar a contradições do produção de alimentos, que capitalismo. Esse sistema obedece a uma progressão condenava as classes aritmética. trabalhadoras a uma • Por isso defendia o controle existência miserável. da natalidade.
  • 32. Despotismo esclarecido Forma de Estado absolutista que dominou certos países atrasados da Europa, no século XVIII. Caracterizou-se por utilizar os ensinamentos propostos pelas teorias Iluministas, mas sem abrir mão do absolutismo na prática política.
  • 33. Despotismo esclarecido Os países ligados ao Despotismo apresentavam problemas estruturais: suas economias baseavam-se nos princípios mercantilistas, tinham sociedades pouco diversificadas, sem capital, sem pessoal técnico, e, com uma burguesia emergente.