SlideShare uma empresa Scribd logo
Indust r ial
O QUE É UMA
         REVOLUÇÃO ?
- é uma mudança rápida e profunda que afeta as
   estruturas de uma sociedade determinando a
             essa uma nova realidade.
    - Pode ser cultural, política, social, etc.
A Revolução Industrial:
- iniciou-se na Inglaterra, em meados do século
XVIII;

 - implicou a mudança de uma economia de base
 agrícola e artesanal para uma economia de base
 industrial e mecanizada.


- expandiu-se a outros lugares ao longo do
século XIX
 Definição  do conceito: conjunto de
transformações técnicas, econômicas e
sociais caracterizadas pela substituição
   da energia física pela mecânica, da
     ferramenta pela máquina e da
        manufatura pela fábrica.
EVOLUÇÃO / TRANSFORMAÇÃO
TÉCNICA:

     ARTESANATO   MANUFATURA    PRODUÇÃO
                                INDUSTRIAL

              FERRA-
TRABALHO                  DIVISÃO
             MENTAS                 FERRAMENTAS
INDIVIDUAL                  DO
             MANUAIS                 MECÂNICAS
                         TRABALHO
ANTECEDENTES
   Revolução Comercial (fim da Idade Média);

   Burguesia acessa o poder político e econômico
    das principais nações;

   Investimentos em inovações tecnológicas;

   Acumulação de Capitais;

   Existência de Matérias-primas;

   Mão-de-obra Barata;

   Existência de Mercados Consumidores;
PIONEIRISMO INGLÊS
 Revolução Inglesa (1640): burguesia no
  poder.
 Cercamentos = liberaram mão-de-obra e
  mecanizaram a agricultura (enclousures).
 Mão-de-obra barata e abundante,
  oriunda dos antigos feudos (servos
  desempregados).
   SEGUNDA METADE DO SÉCULO XVIII:
   Aparecimento das primeiras máquinas (Tear mecânico,
    máquina de fiar).
   Transformação das oficinas em indústrias;
      Máquina   a vapor.
      Aumento   da produtividade.
                                       MÁQUINAS A VAPOR
    TEAR MECÂNICO
   http://www.youtube.com/watch?v=93W7QV5T
    LPQ





                 MÁQUINAS A VAPOR
CONSEQUÊNCIAS DA REVOLUÇÃO
           INDUSTRIAL:
Econômicas:
→ modo de produção capitalista se torna o
 modo de produção dominante.
→ Exportações.
 → necessidade de busca de mercados
 para extrair matérias-primas e vender
 manufaturados.
CONSEQUÊNCIAS
   Sociais:
    → surgimento de gravíssimas questões
    sociais
    → jornada de trabalho de 15/16h por dia
    → salários miseráveis
    → péssimas condições de trabalho
    → salários pagos em vales
    → habitações de péssimas condições
    → exploração do trabalho infantil e
    feminino
CONSEQUÊNCIAS
   Políticas:
    → Burguesia no poder, aplicação do
    Liberalismo
                “lassez faire, laissez passer”
                (deixai fazer, deixar passar)

   “igualdade de direito, desigualdade de
    fato” → sociedade baseada no dinheiro e
    na instrução.
Primeira     Segunda
                     Fase         Fase

    Material
Industrial Básico
                    FERRO          AÇO


Principal Fonte                ELETRICIDADE
  Energética
                    VAPOR
                                PETRÓLEO


     Setor                     DIVERSIFICAÇÃO
 Predominante
                    TÊXTIL
                                DA PRODUÇÃO
                                  (expansão)
http://www.youtube.com/watch?v
=DUSNX0vTU88&feature=related
Início: Inglaterra, séc XVIII.
                           Fases:
  1ª REV. INDUSTRIAL                   2ª REV. INDUSTRIAL
      1760 - 1860                                1860 – 1914
    ING, FRA e BEL                  ALE, ITA, RUS, EUA, JAP
FERRO – CARVÃO - VAPOR                 AÇO – PETRÓLEO -
                                        ELETRICIDADE
CAPITALISMO LIBERAL E                     CAPITALISMO
     INDUSTRIAL                           FINANCEIRO E
                                          MONOPOLISTA
1.2. As fases da revolução        James Watt
  industrial:
 1ª fase – Industrialização na
  Inglaterra
 Invenção da máquina a vapor,
  acoplada ao tear mecânico, ao
  barco e à locomotiva a vapor.

2ª fase
- A indústria chega a outros países: França, Alemanha,
   Bélgica, Itália, etc (Europa), Estados Unidos (América)
   e Japão (Ásia)
– Invenção do motor a combustão interna (Daimler-
   Benz), do telégrafo, telefone etc;
– Utilização do aço (Bessemer), da eletricidade
   (dínamo) e do petróleo;
O inve ntor ale mão
 Daimle r no banco
trase iro do prime iro
  ve ículo movido a
 gasolina, e m 1886
3ª fase:
Especialização do trabalho (produção em série
   / fordismo), uso do plástico, criação da
       eletrônica. Teorias de produção:
                TAYLORISMO
                       e
                TOYOTISMO
Em 1911, o engenheiro norte-
  americano. Taylor publicou
       “Os princípios da
 administração científica”. Ele
 propunha uma intensificação
   da divisão do trabalho, ou
  seja, fracionar as etapas do
  processo produtivo de modo
       que o trabalhador
  desenvolvesse tarefas ultra-
  especializadas e repetitivas;
   diferenciando o trabalho
    intelectual do trabalho
             manual.
 Proposta   do Taylorismo:

   Fazer um controle sobre o tempo gasto em
      cada tarefa e um constante esforço de
      racionalização, para que a tarefa seja
          executada num prazo mínimo.
 Premiar o trabalhador que produzisse mais em
          menos tempo, como incentivo.
Aprimoramento da produção em série:
             FORDISMO:
O norte-americano Henry Ford foi o primeiro a pôr em
   prática, na sua empresa “Ford Motor Company”, o
     taylorismo. Posteriormente, ele inovou com o
   processo do fordismo, que, absorveu aspectos do
     taylorismo. Consistia em organizar a linha de
    montagem de cada fábrica para produzir mais,
  controlando melhor as fontes de matérias-primas e
  de energia, os transportes, a formação da mão-de-
                         obra.
Princípios básicos do Fordismo:

   1) Princípio de Intensificação: Diminuir o tempo de
duração com o emprego imediato dos equipamentos e da
     matéria-prima e a rápida colocação do produto no
                          mercado.
2) Princípio de Economia: Consiste em reduzir ao mínimo
o volume do estoque da matéria-prima em transformação.
 3) Princípio de Produtividade: Aumentar a capacidade de
 produção do homem no mesmo período (produtividade)
  por meio da especialização e da linha de montagem. O
operário ganha mais e o empresário tem maior produção.
   Conseqüências da Revolução Industrial:
   Consolidação   do capitalismo e do poder da
                     burguesia.
           Desenvolvimento   tecnológico.
 Desenvolvimento dos transportes (barco a vapor,
   locomotiva) e das comunicações (telégrafo e
           posteriormente o telefone).
Aumento da produtividade (redução
             de preços).
 Esgotamento de recursos naturais.
        Urbanização intensa.
 Formação do proletariado urbano
            (operários).
  Surgimento do CAPITALISMO
 FINANCEIRO – grandes bancos
controlando indústrias por meio de
  compra de ações ou dependência
     financeira (empréstimos).
Ludismo (1811
   – 1818) –
 movimento de
 trabalhadores
 que destruíam
   máquinas.
 Cartismo (1832 –
 1848) – movimento
de trabalhadores que
       redigiam
    reivindicações
   trabalhistas ao
parlamento britânico.
    Obteve alguns
  benefícios como a
 redução da jornada
 de trabalho para 10
        horas e
Trade Unions – associações de
trabalhadores que deram origem
         aos sindicatos.
   O surgimento dos
       movimentos
        operários

Da depredação das
    máquinas à
 conscientização e à
organização sindical,
buscando os direitos
    trabalhistas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial
Janaína Bindá
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
Fabiana Tonsis
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
Fatima Freitas
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrial
Nelia Salles Nantes
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
Carlos Pinheiro
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
Fabiana Tonsis
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
Daniel Alves Bronstrup
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Acessa Esterina
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
cattonia
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
Portal do Vestibulando
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
Daniel Alves Bronstrup
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Aulas de História
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
harlissoncarvalho
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Janaína Tavares
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Alan
 
2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.
Daniel Alves Bronstrup
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
Aulas de História
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Valéria Shoujofan
 

Mais procurados (20)

9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrial
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução Industrial
 

Destaque

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMOREVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
Grazi Oliveira
 
Revolucao francesa 2014
Revolucao francesa 2014Revolucao francesa 2014
Revolucao francesa 2014
Priscila Azeredo
 
Revisão capítulos 01,02 e 03 6º ano
Revisão capítulos 01,02 e 03  6º anoRevisão capítulos 01,02 e 03  6º ano
Revisão capítulos 01,02 e 03 6º ano
professoraivani
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
paramore146
 
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
Isaquel Silva
 
Expansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrialExpansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrial
maria40
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Isabel Aguiar
 
Revolução industrial 1, 2 e 3
Revolução industrial 1, 2 e 3Revolução industrial 1, 2 e 3
Revolução industrial 1, 2 e 3
NAPNE
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
marcusejoao
 
A Revolução industrial
A Revolução industrialA Revolução industrial
A Revolução industrial
Carlos Pinheiro
 
RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
Ana Batista
 
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. MedeirosPrimeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
João Medeiros
 
Revolução industrial slide
Revolução industrial slideRevolução industrial slide
Revolução industrial slide
Hary Duarte
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 

Destaque (14)

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMOREVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E NEOCOLONIALISMO
 
Revolucao francesa 2014
Revolucao francesa 2014Revolucao francesa 2014
Revolucao francesa 2014
 
Revisão capítulos 01,02 e 03 6º ano
Revisão capítulos 01,02 e 03  6º anoRevisão capítulos 01,02 e 03  6º ano
Revisão capítulos 01,02 e 03 6º ano
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
 
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
As Revoluções Inglesas e a Revolução Industrial
 
Expansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrialExpansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial 1, 2 e 3
Revolução industrial 1, 2 e 3Revolução industrial 1, 2 e 3
Revolução industrial 1, 2 e 3
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
 
A Revolução industrial
A Revolução industrialA Revolução industrial
A Revolução industrial
 
RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
 
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. MedeirosPrimeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
 
Revolução industrial slide
Revolução industrial slideRevolução industrial slide
Revolução industrial slide
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
 

Semelhante a Revolução Industrial

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
Fabio Salvari
 
Revolucao industrial.filé
Revolucao industrial.filéRevolucao industrial.filé
Revolucao industrial.filé
mundica broda
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Marco Santos
 
Indústria, Capitalismo e Socialismo
Indústria, Capitalismo e SocialismoIndústria, Capitalismo e Socialismo
Indústria, Capitalismo e Socialismo
aroudus
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
seixasmarianas
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Claudenilson da Silva
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
IiIlukinhaIiI
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
HitaloSantos8
 
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.docA INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
AlfredoFilho18
 
Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013
Fabio Salvari
 
Revolução industrial 2012
Revolução industrial 2012Revolução industrial 2012
Revolução industrial 2012
MariaAuxiliadora40
 
13
1313
Revolucao Industrial
Revolucao IndustrialRevolucao Industrial
Revolucao Industrial
daniloeduardomiranda
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Rose Vital
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
GabrielaLimaPereira
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
segundocol
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Professor de História
 
3 revolução industrial
3   revolução industrial3   revolução industrial
3 revolução industrial
Marilia Pimentel
 
O Arranque Industrial
O Arranque IndustrialO Arranque Industrial
O Arranque Industrial
Inês Alexandre
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Pérysson Nogueira
 

Semelhante a Revolução Industrial (20)

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
 
Revolucao industrial.filé
Revolucao industrial.filéRevolucao industrial.filé
Revolucao industrial.filé
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Indústria, Capitalismo e Socialismo
Indústria, Capitalismo e SocialismoIndústria, Capitalismo e Socialismo
Indústria, Capitalismo e Socialismo
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
 
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.docA INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
 
Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013
 
Revolução industrial 2012
Revolução industrial 2012Revolução industrial 2012
Revolução industrial 2012
 
13
1313
13
 
Revolucao Industrial
Revolucao IndustrialRevolucao Industrial
Revolucao Industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
3 revolução industrial
3   revolução industrial3   revolução industrial
3 revolução industrial
 
O Arranque Industrial
O Arranque IndustrialO Arranque Industrial
O Arranque Industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 

Mais de joana71

Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
joana71
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
joana71
 
Trabalho de Química
Trabalho de QuímicaTrabalho de Química
Trabalho de Química
joana71
 
Estudo da Célula
Estudo da CélulaEstudo da Célula
Estudo da Célula
joana71
 
Física_Calendário
Física_CalendárioFísica_Calendário
Física_Calendário
joana71
 
America espanhola
America espanholaAmerica espanhola
America espanhola
joana71
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
joana71
 
Átomos (Correção)
Átomos (Correção)Átomos (Correção)
Átomos (Correção)
joana71
 
Resolução Exercícios Cinemática
Resolução Exercícios CinemáticaResolução Exercícios Cinemática
Resolução Exercícios Cinemática
joana71
 
Estudo pra Química
Estudo pra QuímicaEstudo pra Química
Estudo pra Química
joana71
 
Origem da Vida, p2
Origem da Vida, p2Origem da Vida, p2
Origem da Vida, p2
joana71
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-Colombianas
joana71
 
Atividade guia 5 profe
Atividade guia  5 profeAtividade guia  5 profe
Atividade guia 5 profe
joana71
 
Viagem a Curitiba
Viagem a CuritibaViagem a Curitiba
Viagem a Curitiba
joana71
 
História da África
História da ÁfricaHistória da África
História da África
joana71
 
Reforço de Ciências (Respostas)
Reforço de Ciências (Respostas)Reforço de Ciências (Respostas)
Reforço de Ciências (Respostas)
joana71
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
joana71
 
Recuperações
RecuperaçõesRecuperações
Recuperações
joana71
 
PowerPoint de Reprodução
PowerPoint de ReproduçãoPowerPoint de Reprodução
PowerPoint de Reprodução
joana71
 

Mais de joana71 (19)

Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Trabalho de Química
Trabalho de QuímicaTrabalho de Química
Trabalho de Química
 
Estudo da Célula
Estudo da CélulaEstudo da Célula
Estudo da Célula
 
Física_Calendário
Física_CalendárioFísica_Calendário
Física_Calendário
 
America espanhola
America espanholaAmerica espanhola
America espanhola
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
Átomos (Correção)
Átomos (Correção)Átomos (Correção)
Átomos (Correção)
 
Resolução Exercícios Cinemática
Resolução Exercícios CinemáticaResolução Exercícios Cinemática
Resolução Exercícios Cinemática
 
Estudo pra Química
Estudo pra QuímicaEstudo pra Química
Estudo pra Química
 
Origem da Vida, p2
Origem da Vida, p2Origem da Vida, p2
Origem da Vida, p2
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-Colombianas
 
Atividade guia 5 profe
Atividade guia  5 profeAtividade guia  5 profe
Atividade guia 5 profe
 
Viagem a Curitiba
Viagem a CuritibaViagem a Curitiba
Viagem a Curitiba
 
História da África
História da ÁfricaHistória da África
História da África
 
Reforço de Ciências (Respostas)
Reforço de Ciências (Respostas)Reforço de Ciências (Respostas)
Reforço de Ciências (Respostas)
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Recuperações
RecuperaçõesRecuperações
Recuperações
 
PowerPoint de Reprodução
PowerPoint de ReproduçãoPowerPoint de Reprodução
PowerPoint de Reprodução
 

Último

Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 

Revolução Industrial

  • 2. O QUE É UMA REVOLUÇÃO ? - é uma mudança rápida e profunda que afeta as estruturas de uma sociedade determinando a essa uma nova realidade. - Pode ser cultural, política, social, etc.
  • 3. A Revolução Industrial: - iniciou-se na Inglaterra, em meados do século XVIII; - implicou a mudança de uma economia de base agrícola e artesanal para uma economia de base industrial e mecanizada. - expandiu-se a outros lugares ao longo do século XIX
  • 4.  Definição do conceito: conjunto de transformações técnicas, econômicas e sociais caracterizadas pela substituição da energia física pela mecânica, da ferramenta pela máquina e da manufatura pela fábrica.
  • 5. EVOLUÇÃO / TRANSFORMAÇÃO TÉCNICA: ARTESANATO MANUFATURA PRODUÇÃO INDUSTRIAL FERRA- TRABALHO DIVISÃO MENTAS FERRAMENTAS INDIVIDUAL DO MANUAIS MECÂNICAS TRABALHO
  • 6. ANTECEDENTES  Revolução Comercial (fim da Idade Média);  Burguesia acessa o poder político e econômico das principais nações;  Investimentos em inovações tecnológicas;  Acumulação de Capitais;  Existência de Matérias-primas;  Mão-de-obra Barata;  Existência de Mercados Consumidores;
  • 7. PIONEIRISMO INGLÊS  Revolução Inglesa (1640): burguesia no poder.  Cercamentos = liberaram mão-de-obra e mecanizaram a agricultura (enclousures).  Mão-de-obra barata e abundante, oriunda dos antigos feudos (servos desempregados).
  • 8. SEGUNDA METADE DO SÉCULO XVIII:  Aparecimento das primeiras máquinas (Tear mecânico, máquina de fiar).  Transformação das oficinas em indústrias;  Máquina a vapor.  Aumento da produtividade. MÁQUINAS A VAPOR TEAR MECÂNICO
  • 9.
  • 10. http://www.youtube.com/watch?v=93W7QV5T LPQ  MÁQUINAS A VAPOR
  • 11. CONSEQUÊNCIAS DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL: Econômicas: → modo de produção capitalista se torna o modo de produção dominante. → Exportações. → necessidade de busca de mercados para extrair matérias-primas e vender manufaturados.
  • 12. CONSEQUÊNCIAS  Sociais: → surgimento de gravíssimas questões sociais → jornada de trabalho de 15/16h por dia → salários miseráveis → péssimas condições de trabalho → salários pagos em vales → habitações de péssimas condições → exploração do trabalho infantil e feminino
  • 13. CONSEQUÊNCIAS  Políticas: → Burguesia no poder, aplicação do Liberalismo “lassez faire, laissez passer” (deixai fazer, deixar passar)  “igualdade de direito, desigualdade de fato” → sociedade baseada no dinheiro e na instrução.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18. Primeira Segunda Fase Fase Material Industrial Básico FERRO AÇO Principal Fonte ELETRICIDADE Energética VAPOR PETRÓLEO Setor DIVERSIFICAÇÃO Predominante TÊXTIL DA PRODUÇÃO (expansão)
  • 20. Início: Inglaterra, séc XVIII. Fases: 1ª REV. INDUSTRIAL 2ª REV. INDUSTRIAL 1760 - 1860 1860 – 1914 ING, FRA e BEL ALE, ITA, RUS, EUA, JAP FERRO – CARVÃO - VAPOR AÇO – PETRÓLEO - ELETRICIDADE CAPITALISMO LIBERAL E CAPITALISMO INDUSTRIAL FINANCEIRO E MONOPOLISTA
  • 21. 1.2. As fases da revolução James Watt industrial:  1ª fase – Industrialização na Inglaterra  Invenção da máquina a vapor, acoplada ao tear mecânico, ao barco e à locomotiva a vapor. 
  • 22. 2ª fase - A indústria chega a outros países: França, Alemanha, Bélgica, Itália, etc (Europa), Estados Unidos (América) e Japão (Ásia) – Invenção do motor a combustão interna (Daimler- Benz), do telégrafo, telefone etc; – Utilização do aço (Bessemer), da eletricidade (dínamo) e do petróleo;
  • 23.
  • 24. O inve ntor ale mão Daimle r no banco trase iro do prime iro ve ículo movido a gasolina, e m 1886
  • 25. 3ª fase: Especialização do trabalho (produção em série / fordismo), uso do plástico, criação da eletrônica. Teorias de produção: TAYLORISMO e TOYOTISMO
  • 26. Em 1911, o engenheiro norte- americano. Taylor publicou “Os princípios da administração científica”. Ele propunha uma intensificação da divisão do trabalho, ou seja, fracionar as etapas do processo produtivo de modo que o trabalhador desenvolvesse tarefas ultra- especializadas e repetitivas; diferenciando o trabalho intelectual do trabalho manual.
  • 27.  Proposta do Taylorismo:  Fazer um controle sobre o tempo gasto em cada tarefa e um constante esforço de racionalização, para que a tarefa seja executada num prazo mínimo.  Premiar o trabalhador que produzisse mais em menos tempo, como incentivo.
  • 28. Aprimoramento da produção em série: FORDISMO: O norte-americano Henry Ford foi o primeiro a pôr em prática, na sua empresa “Ford Motor Company”, o taylorismo. Posteriormente, ele inovou com o processo do fordismo, que, absorveu aspectos do taylorismo. Consistia em organizar a linha de montagem de cada fábrica para produzir mais, controlando melhor as fontes de matérias-primas e de energia, os transportes, a formação da mão-de- obra.
  • 29. Princípios básicos do Fordismo: 1) Princípio de Intensificação: Diminuir o tempo de duração com o emprego imediato dos equipamentos e da matéria-prima e a rápida colocação do produto no mercado. 2) Princípio de Economia: Consiste em reduzir ao mínimo o volume do estoque da matéria-prima em transformação. 3) Princípio de Produtividade: Aumentar a capacidade de produção do homem no mesmo período (produtividade) por meio da especialização e da linha de montagem. O operário ganha mais e o empresário tem maior produção.
  • 30. Conseqüências da Revolução Industrial:  Consolidação do capitalismo e do poder da burguesia.  Desenvolvimento tecnológico.  Desenvolvimento dos transportes (barco a vapor, locomotiva) e das comunicações (telégrafo e posteriormente o telefone).
  • 31.
  • 32.
  • 33. Aumento da produtividade (redução de preços). Esgotamento de recursos naturais. Urbanização intensa. Formação do proletariado urbano (operários). Surgimento do CAPITALISMO FINANCEIRO – grandes bancos controlando indústrias por meio de compra de ações ou dependência financeira (empréstimos).
  • 34.
  • 35. Ludismo (1811 – 1818) – movimento de trabalhadores que destruíam máquinas.
  • 36.  Cartismo (1832 – 1848) – movimento de trabalhadores que redigiam reivindicações trabalhistas ao parlamento britânico. Obteve alguns benefícios como a redução da jornada de trabalho para 10 horas e
  • 37. Trade Unions – associações de trabalhadores que deram origem aos sindicatos.
  • 38. O surgimento dos movimentos operários Da depredação das máquinas à conscientização e à organização sindical, buscando os direitos trabalhistas.