SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof. Eduardo Miranda
Na Idade Moderna uma
nova      forma       de
pensamento passava a
dominar    as    mentes
humanas. Lentamente,
separava-se a fé e a
razão, o que significava
que a ciência era vista
como o caminho para
se      explicar      os
fenômenos da natureza
e a organização da
sociedade.    A   Igreja
perdia poder e era
contestada pelas novas
descobertas.     Agora,
toda verdade deveria
ser comprovada.
   Pensadores    e estudiosos da sociedade e da política
    também desenvolveram ideias baseadas no racionalismo.
   Tais pensadores colocaram em dúvida a teoria do direito
    divino do rei absolutista.
   O inglês John Locke afirmou a existência de direitos
    naturais dos seres humanos, não importando a origem
    social dos indivíduos.
   Esses direitos naturais que Locke defendia eram:
      Vida                        Igualdade perante as leis
      Liberdade                  Propriedade privada
O       liberalismo    político
                         defendia:
                            um Estado laico;
                            poderes    independentes
                         para governar (Executivo),
                         elaborar leis (Legislativo) e

John Locke (1632-1704)   aplicar a justiça (Judiciário).
O liberalismo econômico foi a aplicação
do racionalismo à economia. O mais
importante teórico desta vertente foi
Adam Smith (1723-1790). Era contra o
monopólio e a interferência do Estado
no campo da produção, ou seja, o
mercantilismo. Defendeu a liberdade
econômica através da ideia de que todos
eram livres para trocar suas mercadorias
sem a interferência do governo.
As     ideias   do     liberalismo       foram
fundamentais para as mudanças sociais e
políticas em toda a Europa. Na Inglaterra,
por exemplo, ainda no século XVII, ocorreu
a    chamada    Revolução    Gloriosa,    que
significou o fim da absolutismo. O mesmo
ocorreu na França, no século XVIII.
   Na França, as novas ideias baseadas na razão
    ganharam força.
   A razão era considerada uma luz que tirava
    os homens das trevas e da ignorância.
   Por   isso,   a   revolução   das   ideias   ficou
    conhecida como Iluminismo e o século XVIII
    como Século das Luzes.
Para os iluministas, a busca pelo saber e a liberdade de pensamento
            eram a luz para tirar o homem da ignorância.
   Ideais iluministas necessidades da burguesia.
   Os iluministas buscavam explicações racionais
    para todos os eventos da vida humana.
   Rompimento com a tradição religiosa e política.
   A razão era a única forma de se alcançar o
    conhecimento, a liberdade e a felicidade.
   Investimento na educação para alcançar todas as
    pessoas.
Os   teóricos         do   Iluminismo
tinham no Estado absolutista o
seu maior inimigo. Por isso,
combatiam        os    privilégios   da
nobreza,     a    exploração         dos
servos e a influência da Igreja
católica    na    educação      e    na
cultura. Também eram contra a
limitação        da        propriedade
privada, ou seja, diziam que
todo homem poderia ter direito
à posse de terras.
Charles Montesquieu
                                 (1689-1755)

Era     um   nobre,       mas       estava
insatisfeito com a velha ordem
social. Em sua obra O Espírito das
Leis, defendeu a separação do
governo      em       rês         poderes:
Executivo, Legislativo e Judiciário.
Assim, os governantes não teriam
poder    absoluto     e     as     pessoas
teriam mais liberdade.
    Voltaire
                                  (1694-1778)

Foi o mais severo crítico da
nobreza e da Igreja. Defendeu as
liberdades      individuais          e     a
participação    das        pessoas        no
governo.     Somente        com          esta
participação,         as          pessoas
poderiam ter paz e liberdade
política e religiosa.
   Jean-Jacques Rousseau
                            (1712-1778)

Foi o pensador mais radical de sua
época. Criticou o absolutismo e a
burguesia. Defendeu as camadas
populares e a construção de uma
sociedade baseada na justiça, na
igualdade       e   na   vontade    da
maioria. Sua grande obra foi Do
contrato social (1762).
1.   Qual a principal mudança no pensamento do homem feudal e
absolutista para o homem moderno?
2.   Por que a burguesia tinha interesse em defender e propagar as
ideias dos liberais e iluministas?
3.   O liberalismo político criticava o Estado absolutista em qual
aspecto?
4.   Qual a importância da educação para os teóricos iluministas?
5.   Em nossa sociedade, o que podemos observar que existe baseado
no pensamento revolucionário dos séculos XVII e XVIII?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Montesquieu
Montesquieu Montesquieu
Neocolonialismo e Primeira Guerra Mundial.
 Neocolonialismo e Primeira Guerra Mundial. Neocolonialismo e Primeira Guerra Mundial.
Neocolonialismo e Primeira Guerra Mundial.
Luis Silva
 
Immanuel Kant e o criticismo kantiano
Immanuel Kant e o criticismo kantianoImmanuel Kant e o criticismo kantiano
Immanuel Kant e o criticismo kantiano
Colégio Nova Geração COC
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
René Descartes, Roger Bacon e John Locke
René Descartes, Roger Bacon e John LockeRené Descartes, Roger Bacon e John Locke
René Descartes, Roger Bacon e John Locke
geehrodrigues
 
3 Descartes
3 Descartes 3 Descartes
3 Descartes
Erica Frau
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
shivbhudia
 
A filosofia iluminista
A filosofia iluministaA filosofia iluminista
A filosofia iluminista
Jonathan Leite Alves Santos
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Maria Gomes
 
Resumo o iluminismo
Resumo   o iluminismoResumo   o iluminismo
Resumo o iluminismo
Claudenilson da Silva
 
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho GabaritoProva Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Jana Bento
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
Claudenilson da Silva
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
eunamahcado
 
Absolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquicoAbsolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquico
Lucas Nunes de Souza
 
Exercício 7º ano reformas protestantes
Exercício 7º ano reformas protestantesExercício 7º ano reformas protestantes
Exercício 7º ano reformas protestantes
Ócio do Ofício
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
Isaquel Silva
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Ivan Martins
 
Rene descartes
Rene descartesRene descartes
Rene descartes
Kelly Maria
 
Sobre Positivismo - Auguste Comte
Sobre Positivismo - Auguste ComteSobre Positivismo - Auguste Comte
Sobre Positivismo - Auguste Comte
Paulinha2011
 
Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Keiler Vasconcelos
 

Mais procurados (20)

Montesquieu
Montesquieu Montesquieu
Montesquieu
 
Neocolonialismo e Primeira Guerra Mundial.
 Neocolonialismo e Primeira Guerra Mundial. Neocolonialismo e Primeira Guerra Mundial.
Neocolonialismo e Primeira Guerra Mundial.
 
Immanuel Kant e o criticismo kantiano
Immanuel Kant e o criticismo kantianoImmanuel Kant e o criticismo kantiano
Immanuel Kant e o criticismo kantiano
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
René Descartes, Roger Bacon e John Locke
René Descartes, Roger Bacon e John LockeRené Descartes, Roger Bacon e John Locke
René Descartes, Roger Bacon e John Locke
 
3 Descartes
3 Descartes 3 Descartes
3 Descartes
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
A filosofia iluminista
A filosofia iluministaA filosofia iluminista
A filosofia iluminista
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Resumo o iluminismo
Resumo   o iluminismoResumo   o iluminismo
Resumo o iluminismo
 
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho GabaritoProva Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Absolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquicoAbsolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquico
 
Exercício 7º ano reformas protestantes
Exercício 7º ano reformas protestantesExercício 7º ano reformas protestantes
Exercício 7º ano reformas protestantes
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Rene descartes
Rene descartesRene descartes
Rene descartes
 
Sobre Positivismo - Auguste Comte
Sobre Positivismo - Auguste ComteSobre Positivismo - Auguste Comte
Sobre Positivismo - Auguste Comte
 
Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2
 

Semelhante a Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII

ILUMINISMO
ILUMINISMOILUMINISMO
ILUMINISMO
Nívia Sales
 
O Iluminismo
O Iluminismo  O Iluminismo
O Iluminismo
Thamires Liima
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
Thamires Liima
 
Iluminismo2
Iluminismo2Iluminismo2
Iluminismo2
maida marciano
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecidoIluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
Mozão Fraga
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
Foz
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
stelawstel
 
Iluminismo 2012
Iluminismo 2012Iluminismo 2012
Iluminismo 2012
ProfessoresColeguium
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
José Gomes
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Janayna Lira
 
Resumo iluminismo
Resumo iluminismoResumo iluminismo
Resumo iluminismo
barbara martins
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
Julivan Estevam
 
O iiLUMINISMO
O iiLUMINISMOO iiLUMINISMO
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.pptliberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
FakeDaKbM
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
MarceloFreitas
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
João Medeiros
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
Alexandroca Simões
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
Iluminismo 2010
Iluminismo 2010Iluminismo 2010
Iluminismo 2010
BriefCase
 

Semelhante a Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII (20)

ILUMINISMO
ILUMINISMOILUMINISMO
ILUMINISMO
 
O Iluminismo
O Iluminismo  O Iluminismo
O Iluminismo
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
Iluminismo2
Iluminismo2Iluminismo2
Iluminismo2
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecidoIluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo 2012
Iluminismo 2012Iluminismo 2012
Iluminismo 2012
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Resumo iluminismo
Resumo iluminismoResumo iluminismo
Resumo iluminismo
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
O iiLUMINISMO
O iiLUMINISMOO iiLUMINISMO
O iiLUMINISMO
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.pptliberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 
Iluminismo 2010
Iluminismo 2010Iluminismo 2010
Iluminismo 2010
 

Mais de eduardodemiranda

Revolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Russa_Prof. Eduardo MirandaRevolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
eduardodemiranda
 
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo MirandaRevolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
eduardodemiranda
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
eduardodemiranda
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
eduardodemiranda
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
eduardodemiranda
 
Disputas Absolutistas
Disputas AbsolutistasDisputas Absolutistas
Disputas Absolutistas
eduardodemiranda
 
Disputas absolutistas
Disputas absolutistasDisputas absolutistas
Disputas absolutistas
eduardodemiranda
 
Disputas absolutistas
Disputas absolutistasDisputas absolutistas
Disputas absolutistas
eduardodemiranda
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
eduardodemiranda
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
eduardodemiranda
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
eduardodemiranda
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
eduardodemiranda
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
eduardodemiranda
 
Brasil Regencial
Brasil RegencialBrasil Regencial
Brasil Regencial
eduardodemiranda
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
eduardodemiranda
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
eduardodemiranda
 
Revolução Industrial Inglesa
Revolução Industrial InglesaRevolução Industrial Inglesa
Revolução Industrial Inglesa
eduardodemiranda
 

Mais de eduardodemiranda (17)

Revolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Russa_Prof. Eduardo MirandaRevolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Russa_Prof. Eduardo Miranda
 
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo MirandaRevolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
Revolução Socialista Russa_Prof. Eduardo Miranda
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
Disputas Absolutistas
Disputas AbsolutistasDisputas Absolutistas
Disputas Absolutistas
 
Disputas absolutistas
Disputas absolutistasDisputas absolutistas
Disputas absolutistas
 
Disputas absolutistas
Disputas absolutistasDisputas absolutistas
Disputas absolutistas
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
 
Brasil Regencial
Brasil RegencialBrasil Regencial
Brasil Regencial
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolução Industrial Inglesa
Revolução Industrial InglesaRevolução Industrial Inglesa
Revolução Industrial Inglesa
 

Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII

  • 2. Na Idade Moderna uma nova forma de pensamento passava a dominar as mentes humanas. Lentamente, separava-se a fé e a razão, o que significava que a ciência era vista como o caminho para se explicar os fenômenos da natureza e a organização da sociedade. A Igreja perdia poder e era contestada pelas novas descobertas. Agora, toda verdade deveria ser comprovada.
  • 3. Pensadores e estudiosos da sociedade e da política também desenvolveram ideias baseadas no racionalismo.  Tais pensadores colocaram em dúvida a teoria do direito divino do rei absolutista.  O inglês John Locke afirmou a existência de direitos naturais dos seres humanos, não importando a origem social dos indivíduos.  Esses direitos naturais que Locke defendia eram: Vida Igualdade perante as leis Liberdade Propriedade privada
  • 4. O liberalismo político defendia:  um Estado laico;  poderes independentes para governar (Executivo), elaborar leis (Legislativo) e John Locke (1632-1704) aplicar a justiça (Judiciário).
  • 5. O liberalismo econômico foi a aplicação do racionalismo à economia. O mais importante teórico desta vertente foi Adam Smith (1723-1790). Era contra o monopólio e a interferência do Estado no campo da produção, ou seja, o mercantilismo. Defendeu a liberdade econômica através da ideia de que todos eram livres para trocar suas mercadorias sem a interferência do governo.
  • 6. As ideias do liberalismo foram fundamentais para as mudanças sociais e políticas em toda a Europa. Na Inglaterra, por exemplo, ainda no século XVII, ocorreu a chamada Revolução Gloriosa, que significou o fim da absolutismo. O mesmo ocorreu na França, no século XVIII.
  • 7. Na França, as novas ideias baseadas na razão ganharam força.  A razão era considerada uma luz que tirava os homens das trevas e da ignorância.  Por isso, a revolução das ideias ficou conhecida como Iluminismo e o século XVIII como Século das Luzes.
  • 8. Para os iluministas, a busca pelo saber e a liberdade de pensamento eram a luz para tirar o homem da ignorância.
  • 9. Ideais iluministas necessidades da burguesia.  Os iluministas buscavam explicações racionais para todos os eventos da vida humana.  Rompimento com a tradição religiosa e política.  A razão era a única forma de se alcançar o conhecimento, a liberdade e a felicidade.  Investimento na educação para alcançar todas as pessoas.
  • 10. Os teóricos do Iluminismo tinham no Estado absolutista o seu maior inimigo. Por isso, combatiam os privilégios da nobreza, a exploração dos servos e a influência da Igreja católica na educação e na cultura. Também eram contra a limitação da propriedade privada, ou seja, diziam que todo homem poderia ter direito à posse de terras.
  • 11. Charles Montesquieu (1689-1755) Era um nobre, mas estava insatisfeito com a velha ordem social. Em sua obra O Espírito das Leis, defendeu a separação do governo em rês poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Assim, os governantes não teriam poder absoluto e as pessoas teriam mais liberdade.
  • 12. Voltaire (1694-1778) Foi o mais severo crítico da nobreza e da Igreja. Defendeu as liberdades individuais e a participação das pessoas no governo. Somente com esta participação, as pessoas poderiam ter paz e liberdade política e religiosa.
  • 13. Jean-Jacques Rousseau (1712-1778) Foi o pensador mais radical de sua época. Criticou o absolutismo e a burguesia. Defendeu as camadas populares e a construção de uma sociedade baseada na justiça, na igualdade e na vontade da maioria. Sua grande obra foi Do contrato social (1762).
  • 14. 1. Qual a principal mudança no pensamento do homem feudal e absolutista para o homem moderno? 2. Por que a burguesia tinha interesse em defender e propagar as ideias dos liberais e iluministas? 3. O liberalismo político criticava o Estado absolutista em qual aspecto? 4. Qual a importância da educação para os teóricos iluministas? 5. Em nossa sociedade, o que podemos observar que existe baseado no pensamento revolucionário dos séculos XVII e XVIII?