SlideShare uma empresa Scribd logo
PRONTO SOCORRO CARDIOLÓGICO DE PERNAMBUCO 
PROF° LUIZ TAVARES 
PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇAO EM CARDIOLOGIA 
MODALIDADE RESIDÊNCIA 
ASSISTÊNCIA DE ENFEMAGEM AO 
PACIENTE COM IAM COM SST EM UMA 
EMERGÊNCIA CARDIOLÓGICA DE 
REFERÊNCIA 
Enfª. Jerssycca Nascimento 
Residente de Cardiologia do PROCAPE 
Dra. Simone Maria Muniz da Silva Bezerra 
Coordenadora da Residência em Cardiologia do 
PROCAPE 
RECIFE – PE 
2014
Objetivos 
• Explanar sobre Síndrome Coronariana Aguda 
• Apresentar um caso de um paciente com IAM 
com SST 
• Correlacionar a evolução clínica do caso com os 
achados na literatura 
• Elaborar um plano de cuidados de enfermagem 
segundo a NANDA
Síndrome Coronariana Aguda – O que é ? 
• “Conjunto de sinais e 
sintomas que refletem um 
quadro de isquemia 
miocárdica aguda” 
• DAC é a causa mais 
comum. 
• Causas: Aterosclerose, 
anemia, vasoespasmo, 
demanda aumentada de 
O2... 
Oclusão arterial
Apresentação clínica 
DOR TORÁCICA 
Dor precordial em aperto, peso, constrição ou 
ardência, geralmente em repouso. 
Angina Instável IAM 
Episódios de dor repetidos, 
de curta duração (até 20 
min) 
Episódios de dor 
prolongados (mais de 30 
min), intensos e, 
geralmente, acompanhados 
de sudorese, náuseas e 
vômitos
Sinais e Sintomas 
Fadiga Síncope Náuseas ou vômito 
Sudorese Dor precordial Dispnéia
Pacientes idosos 
e com DM podem 
não manifestar 
esses sintomas. 
1/3 dos IAM’s são 
silenciosos. 
Malcolm, 2013. 
Epidemiologia 
• Metade das mortes 
ocorre nas primeiras 
duas horas após o 
incidente 
• Estima-se que, no Brasil, 
ocorrem 350 mil casos 
de IAM por ano 
QUILICI, A.P. et al, 2009
SÍNDROME CORONARIANA AGUDA 
• “Isquemia transitória e reversível, causada 
pelo desequilíbrio entre a demanda e oferta 
de O2.” 
ANGINA 
INSTÁVEL 
• “Pacientes com oclusão total podem 
apresentar infarto agudo do miocárdio (IAM) 
com supradesnivelamento do segmento ST. ” 
IAM COM 
SUPRA DE ST 
• “Obstrução parcial de um vaso pode resultar 
em um IAM sem supradesnivelamento do 
segmento ST ou angina instável (AI).” 
IAM SEM 
SUPRA DE ST 
Pesaro et al, 2008.
Diagnóstico 
Marcadores 
de Necrose 
Miocárdica 
ECG 
Clínica
IAM com supra de ST 
• Destruição permanente de uma área do 
miocárdio, ocasionado pela isquemia.
ECG 
• Elevação de ST em pelo menos 1mm, em duas derivações contíguas* 
• Ondas Q anormais (onda Q profunda) 
• Onda T apiculada ou invertida (persiste por meses ou anos) Malcolm, 2013 
OBS: Realizar ECG em até 10 min do relato de dor ou da chegada do paciente à 
instituição. Brunner e Suddarth, 2009. 
Significa lesão miocárdica. É um sinal confiável de 
que ocorreu IAM. Malcolm, 2013 
* principal indicador de IAM
COLETA DE DADOS
Metodologia 
• Estudo de caso 
• Coleta de dados: Emergência Cardiológica – 
PROCAPE 
• Período de coleta: Agosto/2014 
• Procedimentos 
 Prontuário clínico 
 Pesquisa literária
Anamnese 
• Identificação e história da doença atual: 
MMM, 69 anos, encaminhado de Itambé deu 
entrada na E.C. em 10.08.2014 com precordialgia, 
em aperto, de início súbito sem irradiação (+/- 5h), 
mas com sudorese e dispnéia associados. Medicado 
com AAS 200 mg em atendimento primário. 
Realizado ECG de admissão onde foi evidenciado 
IAM CSST em parede inferior às 04:50h. Na E.C foi 
prescrito Clopidogrel 75mg 8 comp. VO (dose de 
ataque 600 mg), foi internado e encaminhado para 
hemodinâmica às 05:10 h, porém sem sucesso por 
falta de acesso vascular. 
Informações retiradas do prontuário!
Diagnóstico de Enfermagem 
Padrão respiratório ineficaz 
Intervenções 
• Conhecer condições clínicas do IAM 
• Monitorar saturação de O2 
• Instalar terapia com O2 para aqueles com 
hipoxemia arterial clinicamente evidente ou 
documentada (saturação de O2 < 90%). DIRETRIZ 
IAMCSST, 2009.
Diagnósticos e Intervenções de 
Enfermagem 
Perfusão tissular cardíaca alterada 
Intervenções 
• Realizar ECG em até 10 min da 
entrada do paciente 
• Realizar anamnese e exame 
físico direcionados 
• Oxigenoterapia 
• Acesso venoso 
• Colher amostras de sangue 
para exames laboratoriais 
• Orientar repouso absoluto 
• Restringir esforços (banho no 
leito, refeições leves e 
emolientes fecais) 
• Monitorar evolução da dor 
precordial 
• Administrar terapia 
medicamentosa de acordo com 
a prescrição
Diagnóstico de Enfermagem 
Dor aguda 
Intervenções 
• Verificar SSVV 
• Prescrever e orientar repouso e sono para alívio da 
dor 
• Punção venosa 
• Administrar as medicações prescritas 
• Avaliar as características da dor 
• Paciente monitorizado para verificação de isquemias 
ou arritmias/ ou ECG seriado
História pessoal/familiar 
• História familiar: Não consta no prontuário. 
• História pessoal: 
• HAS (-); 
• DM (-); 
• TABAGISMO (+); 
• DPOC (+) 
• DISLIPIDEMIAS (?). 
Informações retiradas do prontuário!
EXAME 
FÍSICO
11/08/2014: Estado geral regular, conciente, 
orientado, normocorado, pulso cheio, consciente, 
orientado, afebril, hidratado, acianótico. 
• ACV: RCR em 2T, s/s, pulsos radiais simétricos, 
cheio, normoesfígmo, PA = 110 x 70 mmHg; FC= 
64 bpm. 
• AR: Eupneico, MV diminuídos em AHT. 
Informações retiradas do prontuário!
13/08/2014: 
- Paciente encontrado em PCR em assistolia, com 
tempo desconhecido. 
- Iniciado RCP por 40 minutos 
- RCP SEM SUCESSO. 
Informações retiradas do prontuário!
MEDICAÇÕES EM USO CLASSE TERAPÊUTICA 
AAS 100 mg 1cp. após o almoço Antiplaquetário 
CLOPIDOGREL 75 mg 1 x ao dia Antiplaquetário 
CLEXANE 40 mg SC 1 x dia Anticoagulante 
Informações retiradas do prontuário! 
SELOZOK / metoprolol - 25 mg 1 cp. VO 
12/12 h 
Betabloqueador 
ENALAPRIL 10 mg 1 cp. VO 12/12 h IECA 
SINVASTANTINA 40 mg VO à noite Estatina 
DIPIRONA 40 gts VO 6/6 h S/N Analgésico 
PLAMET 1 amp + AD EV 8/8 - S/N Antiemético
EXAMES 
LABORATORIAL
Resultado Valores de referência 
Eritrócito 3,42/uL 4,50 a 6,10/uL 
Hemoglobina 9,4 g/dl 12,8 a 17,8 g/dl 
Hematócrito 28,2% 40 a 54% 
Leucócitos totais 13,78/uL 4,00 a 11,00/uL 
Plaquetas 258.000 150.0oo a 450.oo0 
Uréia 32 mg/dl 20 a 40 mg/dL 
Creatinina 0,65 0,5 a 1,2mg/dL 
Sódio 136,3 mmol/l 136,0 a 145,0 mmol/l 
Potássio 4,90 mmol/l 3,5 mmol/l a 5,1 mmol/l 
Informações retiradas do prontuário!
RSR, Supra de ST em DII, 
DIII, AVF, V3, V4.
Óbito em 13/08/2014 ás 10:40h
Assistência de Enfermagem 
• Verifica SSVV, estado mental
Referências 
• Pereira et al. Diagnósticos de enfermagem de pacientes hospitalizados com 
doenças cardiovasculares. Volume 15, Número 4, Out/Dez 2011. Disponível 
em:http://revistaenfermagem.eean.edu.br/detalhe_artigo.asp?id=701 
• Sistematização da Assistência de Enfermagem no Infarto Agudo do 
Miocárdio. Rev Bras Cardiol Invas 2003; 11(4): 67-69. Disponível em: 
www.rbci.org.br/audiencia_pdf.asp?aid2=190&nomeArquivo=11 
• Pena et al. Sistematização da Assistência de Enfermagem no Infarto Agudo 
do Miocárdio. Rev Bras Cardiol Invas 2003; 11(4): 67-69. Disponível em: 
revistaenfermagem.eean.edu.br/detalhe_artigo.asp?id=701 
• Morton, PG; Fontaine, DK. Fundamentos dos cuidados críticos em 
enfermagem. 2014. 
• http://www.hci.med.br/exibeArtigos.php?id=24 
• http://www.hes.unicamp.br/imprensa/pdf/assistencia_de_enf_iam.pdf

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pós-operatório de Cirurgia Cardíaca
Pós-operatório de Cirurgia CardíacaPós-operatório de Cirurgia Cardíaca
Pós-operatório de Cirurgia Cardíaca
resenfe2013
 
Relatórios de enfermegem
Relatórios de enfermegemRelatórios de enfermegem
Relatórios de enfermegem
joselene beatriz
 
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impressoAnotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Fabricio Marques Moreira
 
Monitorização do paciente na UTI
Monitorização do paciente na UTIMonitorização do paciente na UTI
Monitorização do paciente na UTI
Fábio Falcão
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
resenfe2013
 
Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4
Morgana Oliveira
 
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Ravenny Caminha
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
Viviane da Silva
 
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
Mateus Camargo
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Will Nunes
 
Anotaçoes de enfermagem
Anotaçoes de enfermagemAnotaçoes de enfermagem
Anotaçoes de enfermagem
Guiomar Dutra Lima
 
Caso clínico avc
Caso clínico   avc Caso clínico   avc
Caso clínico avc
UNIME
 
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adrianaAula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
SMS - Petrópolis
 
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICCInsuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
Cíntia Costa
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
universitária
 
Crise hipertensiva
Crise hipertensivaCrise hipertensiva
Crise hipertensiva
resenfe2013
 
Aula residência ave avc
Aula residência ave avcAula residência ave avc
Aula residência ave avc
Inaiara Bragante
 
Hemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritonealHemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritoneal
Sonara Pereira
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
resenfe2013
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
Will Nunes
 

Mais procurados (20)

Pós-operatório de Cirurgia Cardíaca
Pós-operatório de Cirurgia CardíacaPós-operatório de Cirurgia Cardíaca
Pós-operatório de Cirurgia Cardíaca
 
Relatórios de enfermegem
Relatórios de enfermegemRelatórios de enfermegem
Relatórios de enfermegem
 
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impressoAnotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
 
Monitorização do paciente na UTI
Monitorização do paciente na UTIMonitorização do paciente na UTI
Monitorização do paciente na UTI
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
 
Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4
 
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
 
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
 
Anotaçoes de enfermagem
Anotaçoes de enfermagemAnotaçoes de enfermagem
Anotaçoes de enfermagem
 
Caso clínico avc
Caso clínico   avc Caso clínico   avc
Caso clínico avc
 
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adrianaAula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
 
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICCInsuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
 
Crise hipertensiva
Crise hipertensivaCrise hipertensiva
Crise hipertensiva
 
Aula residência ave avc
Aula residência ave avcAula residência ave avc
Aula residência ave avc
 
Hemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritonealHemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritoneal
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
 

Semelhante a Assistência de enfermagem ao paciente com IAM com SST: estudo de caso

Caso clínico
Caso clínicoCaso clínico
Caso clínico
raissalelis
 
Síndrome Coronariana Aguda
Síndrome Coronariana AgudaSíndrome Coronariana Aguda
Síndrome Coronariana Aguda
Anderson Armstrong
 
SINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDASINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDA
Fernanda Marinho
 
Estudo de caso: Assistência de Enfermagem ao portador de Transposição de Gran...
Estudo de caso: Assistência de Enfermagem ao portador de Transposição de Gran...Estudo de caso: Assistência de Enfermagem ao portador de Transposição de Gran...
Estudo de caso: Assistência de Enfermagem ao portador de Transposição de Gran...
resenfe2013
 
Valvulopatia (Davyson Sampaio Braga)
Valvulopatia (Davyson Sampaio Braga)Valvulopatia (Davyson Sampaio Braga)
Valvulopatia (Davyson Sampaio Braga)
Davyson Sampaio
 
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptx
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptxCASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptx
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptx
LuisDaviDiniz2
 
Pericardite aguda
Pericardite agudaPericardite aguda
Pericardite aguda
Daniel Valente
 
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensãoCuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Fabrício Bragança
 
Parada Cardiorrespiratória
Parada CardiorrespiratóriaParada Cardiorrespiratória
Parada Cardiorrespiratória
Paula Oliveira
 
Cardiologia
CardiologiaCardiologia
Cardiologia
Tiago Leal
 
Infarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdioInfarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdio
jaquerpereira
 
Choque
Choque Choque
Choque
resenfe2013
 
Crises Hipertensivas
Crises HipertensivasCrises Hipertensivas
Crises Hipertensivas
resenfe2013
 
Tratamento avc agudo
Tratamento avc agudoTratamento avc agudo
Tratamento avc agudo
Kate Antunes
 
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
Liliana Mendes
 
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial PulmonarCaso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
resenfe2013
 
Fibrilação atrial - aspectos práticos e atualizações.
Fibrilação atrial - aspectos práticos e atualizações. Fibrilação atrial - aspectos práticos e atualizações.
Fibrilação atrial - aspectos práticos e atualizações.
Carlos Volponi Lovatto
 
Assistência de enfermagem no acidente vascular cerebral.pptx
Assistência de enfermagem no acidente vascular cerebral.pptxAssistência de enfermagem no acidente vascular cerebral.pptx
Assistência de enfermagem no acidente vascular cerebral.pptx
ssuser985fa4
 
Guia de emergencia
Guia de emergenciaGuia de emergencia
Guia de emergencia
José Matos
 
Doença Arterial Coronariana
Doença Arterial CoronarianaDoença Arterial Coronariana
Doença Arterial Coronariana
resenfe2013
 

Semelhante a Assistência de enfermagem ao paciente com IAM com SST: estudo de caso (20)

Caso clínico
Caso clínicoCaso clínico
Caso clínico
 
Síndrome Coronariana Aguda
Síndrome Coronariana AgudaSíndrome Coronariana Aguda
Síndrome Coronariana Aguda
 
SINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDASINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDA
 
Estudo de caso: Assistência de Enfermagem ao portador de Transposição de Gran...
Estudo de caso: Assistência de Enfermagem ao portador de Transposição de Gran...Estudo de caso: Assistência de Enfermagem ao portador de Transposição de Gran...
Estudo de caso: Assistência de Enfermagem ao portador de Transposição de Gran...
 
Valvulopatia (Davyson Sampaio Braga)
Valvulopatia (Davyson Sampaio Braga)Valvulopatia (Davyson Sampaio Braga)
Valvulopatia (Davyson Sampaio Braga)
 
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptx
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptxCASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptx
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptx
 
Pericardite aguda
Pericardite agudaPericardite aguda
Pericardite aguda
 
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensãoCuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
 
Parada Cardiorrespiratória
Parada CardiorrespiratóriaParada Cardiorrespiratória
Parada Cardiorrespiratória
 
Cardiologia
CardiologiaCardiologia
Cardiologia
 
Infarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdioInfarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdio
 
Choque
Choque Choque
Choque
 
Crises Hipertensivas
Crises HipertensivasCrises Hipertensivas
Crises Hipertensivas
 
Tratamento avc agudo
Tratamento avc agudoTratamento avc agudo
Tratamento avc agudo
 
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
LILIANA MENDES Mini curso jovem gastro df cirrose e suas complicações
 
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial PulmonarCaso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
Caso clínico Hipertensão Arterial Pulmonar
 
Fibrilação atrial - aspectos práticos e atualizações.
Fibrilação atrial - aspectos práticos e atualizações. Fibrilação atrial - aspectos práticos e atualizações.
Fibrilação atrial - aspectos práticos e atualizações.
 
Assistência de enfermagem no acidente vascular cerebral.pptx
Assistência de enfermagem no acidente vascular cerebral.pptxAssistência de enfermagem no acidente vascular cerebral.pptx
Assistência de enfermagem no acidente vascular cerebral.pptx
 
Guia de emergencia
Guia de emergenciaGuia de emergencia
Guia de emergencia
 
Doença Arterial Coronariana
Doença Arterial CoronarianaDoença Arterial Coronariana
Doença Arterial Coronariana
 

Mais de resenfe2013

Doenças da Aorta
Doenças da AortaDoenças da Aorta
Doenças da Aorta
resenfe2013
 
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
resenfe2013
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
resenfe2013
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
resenfe2013
 
Caso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre ReumáticaCaso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre Reumática
resenfe2013
 
Caso clínico Endocardite
Caso clínico EndocarditeCaso clínico Endocardite
Caso clínico Endocardite
resenfe2013
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratória
resenfe2013
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterial
resenfe2013
 
Hipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial PulmonarHipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial Pulmonar
resenfe2013
 
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia IIExames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
resenfe2013
 
Edema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de PulmãoEdema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de Pulmão
resenfe2013
 
Estimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca ArtificialEstimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca Artificial
resenfe2013
 
Coagulação Sanguínea
Coagulação SanguíneaCoagulação Sanguínea
Coagulação Sanguínea
resenfe2013
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
resenfe2013
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
resenfe2013
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
resenfe2013
 
Valvopatias semilunares
Valvopatias semilunaresValvopatias semilunares
Valvopatias semilunares
resenfe2013
 
Drogas vasoativas
Drogas vasoativasDrogas vasoativas
Drogas vasoativas
resenfe2013
 
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátricaPós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
resenfe2013
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energia
resenfe2013
 

Mais de resenfe2013 (20)

Doenças da Aorta
Doenças da AortaDoenças da Aorta
Doenças da Aorta
 
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em AdultosNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar em Adultos
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
 
Caso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre ReumáticaCaso clínico Febre Reumática
Caso clínico Febre Reumática
 
Caso clínico Endocardite
Caso clínico EndocarditeCaso clínico Endocardite
Caso clínico Endocardite
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratória
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterial
 
Hipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial PulmonarHipertensão Arterial Pulmonar
Hipertensão Arterial Pulmonar
 
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia IIExames Diagnósticos em Cardiologia II
Exames Diagnósticos em Cardiologia II
 
Edema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de PulmãoEdema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de Pulmão
 
Estimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca ArtificialEstimulação Cardíaca Artificial
Estimulação Cardíaca Artificial
 
Coagulação Sanguínea
Coagulação SanguíneaCoagulação Sanguínea
Coagulação Sanguínea
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
 
Valvopatias semilunares
Valvopatias semilunaresValvopatias semilunares
Valvopatias semilunares
 
Drogas vasoativas
Drogas vasoativasDrogas vasoativas
Drogas vasoativas
 
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátricaPós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energia
 

Último

Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
rickriordan
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
DelcioVumbuca
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
AmaroAlmeidaChimbala
 

Último (6)

Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
 

Assistência de enfermagem ao paciente com IAM com SST: estudo de caso

  • 1. PRONTO SOCORRO CARDIOLÓGICO DE PERNAMBUCO PROF° LUIZ TAVARES PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇAO EM CARDIOLOGIA MODALIDADE RESIDÊNCIA ASSISTÊNCIA DE ENFEMAGEM AO PACIENTE COM IAM COM SST EM UMA EMERGÊNCIA CARDIOLÓGICA DE REFERÊNCIA Enfª. Jerssycca Nascimento Residente de Cardiologia do PROCAPE Dra. Simone Maria Muniz da Silva Bezerra Coordenadora da Residência em Cardiologia do PROCAPE RECIFE – PE 2014
  • 2. Objetivos • Explanar sobre Síndrome Coronariana Aguda • Apresentar um caso de um paciente com IAM com SST • Correlacionar a evolução clínica do caso com os achados na literatura • Elaborar um plano de cuidados de enfermagem segundo a NANDA
  • 3. Síndrome Coronariana Aguda – O que é ? • “Conjunto de sinais e sintomas que refletem um quadro de isquemia miocárdica aguda” • DAC é a causa mais comum. • Causas: Aterosclerose, anemia, vasoespasmo, demanda aumentada de O2... Oclusão arterial
  • 4. Apresentação clínica DOR TORÁCICA Dor precordial em aperto, peso, constrição ou ardência, geralmente em repouso. Angina Instável IAM Episódios de dor repetidos, de curta duração (até 20 min) Episódios de dor prolongados (mais de 30 min), intensos e, geralmente, acompanhados de sudorese, náuseas e vômitos
  • 5. Sinais e Sintomas Fadiga Síncope Náuseas ou vômito Sudorese Dor precordial Dispnéia
  • 6. Pacientes idosos e com DM podem não manifestar esses sintomas. 1/3 dos IAM’s são silenciosos. Malcolm, 2013. Epidemiologia • Metade das mortes ocorre nas primeiras duas horas após o incidente • Estima-se que, no Brasil, ocorrem 350 mil casos de IAM por ano QUILICI, A.P. et al, 2009
  • 7. SÍNDROME CORONARIANA AGUDA • “Isquemia transitória e reversível, causada pelo desequilíbrio entre a demanda e oferta de O2.” ANGINA INSTÁVEL • “Pacientes com oclusão total podem apresentar infarto agudo do miocárdio (IAM) com supradesnivelamento do segmento ST. ” IAM COM SUPRA DE ST • “Obstrução parcial de um vaso pode resultar em um IAM sem supradesnivelamento do segmento ST ou angina instável (AI).” IAM SEM SUPRA DE ST Pesaro et al, 2008.
  • 8. Diagnóstico Marcadores de Necrose Miocárdica ECG Clínica
  • 9. IAM com supra de ST • Destruição permanente de uma área do miocárdio, ocasionado pela isquemia.
  • 10. ECG • Elevação de ST em pelo menos 1mm, em duas derivações contíguas* • Ondas Q anormais (onda Q profunda) • Onda T apiculada ou invertida (persiste por meses ou anos) Malcolm, 2013 OBS: Realizar ECG em até 10 min do relato de dor ou da chegada do paciente à instituição. Brunner e Suddarth, 2009. Significa lesão miocárdica. É um sinal confiável de que ocorreu IAM. Malcolm, 2013 * principal indicador de IAM
  • 12. Metodologia • Estudo de caso • Coleta de dados: Emergência Cardiológica – PROCAPE • Período de coleta: Agosto/2014 • Procedimentos  Prontuário clínico  Pesquisa literária
  • 13. Anamnese • Identificação e história da doença atual: MMM, 69 anos, encaminhado de Itambé deu entrada na E.C. em 10.08.2014 com precordialgia, em aperto, de início súbito sem irradiação (+/- 5h), mas com sudorese e dispnéia associados. Medicado com AAS 200 mg em atendimento primário. Realizado ECG de admissão onde foi evidenciado IAM CSST em parede inferior às 04:50h. Na E.C foi prescrito Clopidogrel 75mg 8 comp. VO (dose de ataque 600 mg), foi internado e encaminhado para hemodinâmica às 05:10 h, porém sem sucesso por falta de acesso vascular. Informações retiradas do prontuário!
  • 14. Diagnóstico de Enfermagem Padrão respiratório ineficaz Intervenções • Conhecer condições clínicas do IAM • Monitorar saturação de O2 • Instalar terapia com O2 para aqueles com hipoxemia arterial clinicamente evidente ou documentada (saturação de O2 < 90%). DIRETRIZ IAMCSST, 2009.
  • 15. Diagnósticos e Intervenções de Enfermagem Perfusão tissular cardíaca alterada Intervenções • Realizar ECG em até 10 min da entrada do paciente • Realizar anamnese e exame físico direcionados • Oxigenoterapia • Acesso venoso • Colher amostras de sangue para exames laboratoriais • Orientar repouso absoluto • Restringir esforços (banho no leito, refeições leves e emolientes fecais) • Monitorar evolução da dor precordial • Administrar terapia medicamentosa de acordo com a prescrição
  • 16. Diagnóstico de Enfermagem Dor aguda Intervenções • Verificar SSVV • Prescrever e orientar repouso e sono para alívio da dor • Punção venosa • Administrar as medicações prescritas • Avaliar as características da dor • Paciente monitorizado para verificação de isquemias ou arritmias/ ou ECG seriado
  • 17. História pessoal/familiar • História familiar: Não consta no prontuário. • História pessoal: • HAS (-); • DM (-); • TABAGISMO (+); • DPOC (+) • DISLIPIDEMIAS (?). Informações retiradas do prontuário!
  • 19. 11/08/2014: Estado geral regular, conciente, orientado, normocorado, pulso cheio, consciente, orientado, afebril, hidratado, acianótico. • ACV: RCR em 2T, s/s, pulsos radiais simétricos, cheio, normoesfígmo, PA = 110 x 70 mmHg; FC= 64 bpm. • AR: Eupneico, MV diminuídos em AHT. Informações retiradas do prontuário!
  • 20. 13/08/2014: - Paciente encontrado em PCR em assistolia, com tempo desconhecido. - Iniciado RCP por 40 minutos - RCP SEM SUCESSO. Informações retiradas do prontuário!
  • 21. MEDICAÇÕES EM USO CLASSE TERAPÊUTICA AAS 100 mg 1cp. após o almoço Antiplaquetário CLOPIDOGREL 75 mg 1 x ao dia Antiplaquetário CLEXANE 40 mg SC 1 x dia Anticoagulante Informações retiradas do prontuário! SELOZOK / metoprolol - 25 mg 1 cp. VO 12/12 h Betabloqueador ENALAPRIL 10 mg 1 cp. VO 12/12 h IECA SINVASTANTINA 40 mg VO à noite Estatina DIPIRONA 40 gts VO 6/6 h S/N Analgésico PLAMET 1 amp + AD EV 8/8 - S/N Antiemético
  • 23. Resultado Valores de referência Eritrócito 3,42/uL 4,50 a 6,10/uL Hemoglobina 9,4 g/dl 12,8 a 17,8 g/dl Hematócrito 28,2% 40 a 54% Leucócitos totais 13,78/uL 4,00 a 11,00/uL Plaquetas 258.000 150.0oo a 450.oo0 Uréia 32 mg/dl 20 a 40 mg/dL Creatinina 0,65 0,5 a 1,2mg/dL Sódio 136,3 mmol/l 136,0 a 145,0 mmol/l Potássio 4,90 mmol/l 3,5 mmol/l a 5,1 mmol/l Informações retiradas do prontuário!
  • 24. RSR, Supra de ST em DII, DIII, AVF, V3, V4.
  • 25. Óbito em 13/08/2014 ás 10:40h
  • 26. Assistência de Enfermagem • Verifica SSVV, estado mental
  • 27. Referências • Pereira et al. Diagnósticos de enfermagem de pacientes hospitalizados com doenças cardiovasculares. Volume 15, Número 4, Out/Dez 2011. Disponível em:http://revistaenfermagem.eean.edu.br/detalhe_artigo.asp?id=701 • Sistematização da Assistência de Enfermagem no Infarto Agudo do Miocárdio. Rev Bras Cardiol Invas 2003; 11(4): 67-69. Disponível em: www.rbci.org.br/audiencia_pdf.asp?aid2=190&nomeArquivo=11 • Pena et al. Sistematização da Assistência de Enfermagem no Infarto Agudo do Miocárdio. Rev Bras Cardiol Invas 2003; 11(4): 67-69. Disponível em: revistaenfermagem.eean.edu.br/detalhe_artigo.asp?id=701 • Morton, PG; Fontaine, DK. Fundamentos dos cuidados críticos em enfermagem. 2014. • http://www.hci.med.br/exibeArtigos.php?id=24 • http://www.hes.unicamp.br/imprensa/pdf/assistencia_de_enf_iam.pdf