SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Ficha Informativa de Sintaxe 
Funções sintáticas 
Função sintática Consiste em Exemplos 
1 
Sujeito: 
Função sintática desempenhada pelo constituinte da frase (grupo 
nominal) que controla a concordância com o verbo (1). Pode ser 
desempenhada por um GN (1), por um pronome (2) ou por uma 
oração (subordinada substantiva relativa (3) e subordinada completiva 
(4)). 
(1) Os rapazes trabalham em Lisboa. 
(2) Eles trabalham em Lisboa. 
(3) Quem trabalha em Lisboa vive longe. 
(4) É verdade que Lisboa fica longe. 
1. s imples 
Sujeito constituído por um grupo nominal (det+nome) (1) ou por um 
pronome nominativo (2). 
(1) A escola fica bem situada. 
(2) Elas estudam em Coimbra. 
2. composto 
Sujeito constituído por uma coordenação de grupos nominais (1), de 
pronomes (2) ou de combinações destas categorias (3). 
(1) O João e o Pedro ganharam o torneio. 
(2) Eles e elas ganharam o torneio. 
(3) Elas e o João foram passear juntos. 
3. nulo: 
Função sintática em que o constituinte que a desempenha não 
aparece na frase. 
(1) Brincavam de manhã à noite. (eles/elas) 
(2) Dizem que o governo vai cair. 
(3) Chove há três horas sem parar. 
3.1 subentendido 
Tipo de sujeito que não aparece explicitamente na frase, mas que 
pode se recuperado a partir do contexto. 
(1)As crianças eram muito divertidas: (2)brincavam de 
manhã à noite e (3) estavam sempre a cantar. 
O sujeito das frases (2) e (3) pode ser recuperado pelo 
contexto. É “As crianças” ou [Elas]. 
3.2 indeterminado 
Tipo de sujeito que tem como referente uma entidade não específica 
substituível por “alguém” 
Ex: Dizem que o governo vai cair. 
(Como não há a possibilidade de identificar “quem diz”, 
utilizamos “alguém” para referir a indeterminação do 
sujeito. A frase pode interpretar-se assim: 
[Alguém] diz que o governo vai cair.). 
3.3 expl etivo 
Tipo de sujeito sem interpretação. Pode ocorrer com verbos que se 
referem a fenómenos da natureza (1) e com o verbo haver no sentido 
de existir (2) ou com a expressão era uma vez (3) 
(1) [ ?]Chove há três horas sem parar. 
(2) [ ?]Há muito tempo que não chove. 
(3) [?] Era uma vez uma princesa… 
Predicado 
Função sintática desempenhada pelo grupo verbal (GV), expressando 
o que se diz sobre o sujeito. 
(1) O Pedro telefonou ao primo. 
(2) O João deu um presente à Maria. 
(3) A Maria estuda à noite na escola profissional. 
Modi ficador (de 
fras e) 
Função sintática desempenhada por constituintes não selecionados 
por nenhum elemento da frase e que pode, por isso, ser omitida sem 
que se perca a boa formação de frase (1). Pode ser constituído por 
grupos adverbiais e grupos preposicionais (2) (3). Exprime uma 
posição/opinião do enunciador sobre o sentido da frase na sua 
totalidade. As orações subordinadas adverbiais condicionais e 
concessivas são modificadores de frase (4) 
(1) [Felizmente,] hoje não chove. 
(2) Infelizmente, hoje está a chover. 
(3) Ele é um excelente trabalhador, sem dúvida! 
(4) Embora precisasse, não sairei. 
(4) Se viesses cedo, seria ótimo! 
Vocativo 
Função sintática desempenhada na frase por um constituinte que não 
controla a concordância verbal e que serve para chamar ou interpelar 
o interlocutor. O vocativo distingue-se do sujeito por poder co-ocorrer 
com ela na frase (1). Fica sempre entre vírgulas. Aparece 
frequentemente em frases do tipo exclamativo (2), imperativo (3) e 
interrogativo (4). 
(1) João, tu estás distraído. (João é o vocativo, tu o 
sujeito) 
(2) Ó Sol, como és agradável! 
(3) João, traz-me aquele livro, por favor. 
(4) Viste a Maria, Pedro? 
Funções sintáticas internas ao grupo verbal 
Função sintática Cons iste em Exemplos 
Predicativo do 
sujeito 
Função sintática que ocorre com um verbo copulativo. Pode ser 
constituído por um grupo nominal (GN) (1), um grupo adjetival (2), um 
grupo adverbial (3) e um grupo preposicional (4). 
(1) A cidade de Chaves parece uma fortaleza. 
(2) A cidade de Chaves é lindíssima. 
(3) O castelo permanece ali, há séculos. 
(3) A Maria está bem. 
(4) A cidade está em festa. 
Complemento 
di reto 
Função sintática selecionada por um por verbo transitivo direto (1), 
direto e indireto (2) e transitivo predicativo (3). Pode ser constituído por 
um GN, pelos pronomes acusativos o, a, os, as (4) e por uma oração 
subordinada completiva, substituível pelo pronome demonstrativo 
átono o equivalente a isso (5) 
(1) Ontem, visitei um castelo. 
(2) Dei um livro ao João. 
(3) Eu acho a cidade bonita. 
(4) Conheço bem a cidade e acho-a interessante. 
(5) O professor disse [que a cidade era bonita]= O 
professor disse-o [disse isso] 
Complemento 
indireto 
Função sintática selecionada por um por verbo transitivo indireto (1), e 
por transitivo direto e indireto (2). É sempre constituído por um grupo 
preposicional iniciado pela preposição “a” ou pelos pronomes dativos – 
lhe ou –lhes (3). 
(1) Assisti ao espetáculo. 
(2) Dei um presente à Maria. 
(3) Como são alunos novos, apresentei-lhes os colegas.
2 
Complemento 
obl íquo 
Função sintática selecionada por um por verbo transitivo indireto (1) e 
transitivo direto e indireto (2). Pode ser constituído por um grupo 
preposicional ou por um grupo adverbial. Não pode ser substituído pelos 
pronomes dativos –lhe e –lhes nem acusativos o, a, os , as. Pode 
também ser oracional (4) 
(1) Eles vão a Paris. 
(2) Coloquei o livro na estante. 
(3)A Maria lembrou-se das amigas. 
(3) Elas moram aqui. 
(4)Eu sinto necessidade de descansar mais. 
(4) Ele precisa de quem o ajude. 
Complemento 
agente da passiva 
Função sintática selecionada por um verbo conjugado na voz passiva. É 
constituído por um grupo preposicional geralmente iniciado pela 
preposição simples por(1) ou a mesma preposição contraída com um 
determinante (2). O complemento agente da passiva corresponde ao 
sujeito de uma frase ativa. 
(1)Os Maias foi escrito por Eça de Queirós. 
(2) O rato foi comido pelo gato. 
Predicativo do 
complemento 
di reto 
Função sintática selecionada por um verbo transitivo-predicativo, que 
atribui uma propriedade ao complemento direto. Pode ser constituído 
por um GN (1); um GAdj (2)ou GPrep (3). Os verbos transitivos – 
predicativos são: achar, considerar, julgar, declarar, eleger, nomear (…) 
(1)Elegeram a Carolina delegada de turma. 
(2) Acho este bolo delicioso. 
(3) Achei esta sobremesa sem sabor. 
Modi ficador (do 
grupo verbal) 
Função sintática desempenhada por constituintes não selecionados pelo 
verbo e que pode, por isso, ser omitida sem que se perca a boa 
formação de frase (1). Pode ser constituído por grupos adverbiais e 
grupos preposicionais (2) (3). O modificador verbal também pode ser 
formado pelas orações subordinadas adverbiais temporais (4), causais 
(5) e finais (6). 
(1) Li o livro [calmamente]. 
(2) Eles trabalham [em Lisboa]. 
(3) Elas trabalham [devagar]. 
(4) Ela levanta-se quando o despertador toca. 
(5) Ela acordou porque o despertador tocou. 
(6) A mãe abriu as janelas para que o filho acordasse. 
Funções sintáticas internas ao grupo nominal 
Função sintática Consiste em Exemplos 
Complemento do 
nome 
Função sintática desempenhada por um constituinte selecionado 
obrigatoriamente por um elemento do grupo sintático de que faz parte, 
neste caso, o nome. Pode ser um GPrep (1) , Adjetival (2) ou oracional 
(3). 
(1) O pai do Pedro suicidou-se. 
(1) O medo dos ratos paralisa-me. 
(2) Os atos médicos só podem ser exercidos por 
médicos. 
(3)A possibilidade de te encontrar deixa-me feliz. 
Modi ficador do 
nome (restritivo e 
apositivo) 
Função sintática desempenhada por um constituinte não selecionado 
por nenhum elemento do grupo sintático de que faz parte, neste caso, o 
nome (1). Os modificadores do nome podem ser restritivos ou 
apositivos. Os modificadores do nome podem ser desempenhados por 
grupos nominais (2), grupos adjetivais (3), grupos preposicionais 
(4),orações subordinadas adjetivas relativas (restritivas e explicativas (5) 
(6). 
O modificador é um constituinte não obrigatório da frase, pelo que, se 
for retirado, não afeta a gramaticalidade da frase. 
(1) No apartamento espaçoso havia um piano.(restritivo) 
(2) António Gedeão, o poeta, é o pseudónimo de 
Rómulo de Carvalho, o cientista.(apositivo) 
(3) No apartamento, amplo e arejado, havia um 
piano.(apositivo) 
(4) O encontro com os amigos tinha lugar na 
saleta.(restritivo) 
(5) O piano que estava na saleta era novo.(restritivo) 
(6) O piano, que foi vendido mais tarde, era um objeto 
precioso. (apositivo) 
Nota: Selecionam complementos os nomes que: 
a) Derivam de verbos: o desejo, a procura, a viagem… 
b) Nomes de parentesco: filho de, primo de … 
c) Nomes icónicos: a imagem de, a fotografia de … 
d) Nomes modais: a hipótese de, a certeza de , a dúvida de, o dever de, a possibilidade de… 
e) Nomes multiplicativos e fracionários: metade de, um terço de, o dobro de, o triplo de… 
f) Nomes regidos de preposição: a cedência de; a absolvição de ; o interesse por ; a reação contra; o facto de ; a 
tendência para; o medo de (…) 
Funções sintáticas internas ao grupo adjetival 
Função sintática Consiste em Exemplos 
Complemento do 
adjetivo 
Função sintática desempenhada por um constituinte selecionado 
obrigatoriamente por um adjetivo. É um grupo preposicional oracional 
(1) ou não oracional (2). 
(1) Este trabalho foi difícil de realizar. 
(2) Isso não é compatível com os meus princípios. 
Nota: 1 - Selecionam complementos os adjetivos regidos de uma preposição: consciente de, contrário a, confiante em, 
responsável por, fácil de, difícil de, compatível com, impossível de ….

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

caderno-de-apoio-ao-professor
caderno-de-apoio-ao-professorcaderno-de-apoio-ao-professor
caderno-de-apoio-ao-professor
anamuges
 
Complemento direto, indireto e oblíquo
Complemento direto, indireto e oblíquoComplemento direto, indireto e oblíquo
Complemento direto, indireto e oblíquo
António Fernandes
 
Funções sintáticas e modificadores
Funções sintáticas e modificadoresFunções sintáticas e modificadores
Funções sintáticas e modificadores
Margarida Tomaz
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Daniel Sousa
 
Ft 004 (funções sintáticas e orações)
Ft 004 (funções sintáticas e orações)Ft 004 (funções sintáticas e orações)
Ft 004 (funções sintáticas e orações)
Sonia Ramos
 
Exp10 emp lp_007 atos ilocutorios
Exp10 emp lp_007 atos ilocutoriosExp10 emp lp_007 atos ilocutorios
Exp10 emp lp_007 atos ilocutorios
mariaric
 
Pronominalização - exercícios
Pronominalização - exercíciosPronominalização - exercícios
Pronominalização - exercícios
Lurdes Augusto
 
Grupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções SintáticasGrupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções Sintáticas
Lurdes Augusto
 

Mais procurados (20)

caderno-de-apoio-ao-professor
caderno-de-apoio-ao-professorcaderno-de-apoio-ao-professor
caderno-de-apoio-ao-professor
 
Subclasses de verbos
Subclasses de verbosSubclasses de verbos
Subclasses de verbos
 
Complemento oblíquo
Complemento oblíquoComplemento oblíquo
Complemento oblíquo
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Exercícios sobre classes de palavras
Exercícios sobre classes de palavrasExercícios sobre classes de palavras
Exercícios sobre classes de palavras
 
Actos Ilocutórios
Actos IlocutóriosActos Ilocutórios
Actos Ilocutórios
 
Complemento direto, indireto e oblíquo
Complemento direto, indireto e oblíquoComplemento direto, indireto e oblíquo
Complemento direto, indireto e oblíquo
 
Funções sintáticas e modificadores
Funções sintáticas e modificadoresFunções sintáticas e modificadores
Funções sintáticas e modificadores
 
Subclasses dos verbos exercícios
Subclasses dos verbos exercíciosSubclasses dos verbos exercícios
Subclasses dos verbos exercícios
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frases
 
Ft 004 (funções sintáticas e orações)
Ft 004 (funções sintáticas e orações)Ft 004 (funções sintáticas e orações)
Ft 004 (funções sintáticas e orações)
 
Exp10 emp lp_007 atos ilocutorios
Exp10 emp lp_007 atos ilocutoriosExp10 emp lp_007 atos ilocutorios
Exp10 emp lp_007 atos ilocutorios
 
Pronominalização - exercícios
Pronominalização - exercíciosPronominalização - exercícios
Pronominalização - exercícios
 
Ficha de orações subordinadas
Ficha de orações subordinadasFicha de orações subordinadas
Ficha de orações subordinadas
 
Grupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções SintáticasGrupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções Sintáticas
 
Classificação de orações
Classificação de oraçõesClassificação de orações
Classificação de orações
 
teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx
teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docxteste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx
teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx
 
Deíticos
DeíticosDeíticos
Deíticos
 

Destaque

Análise sintáctica ficha de trabalho
Análise sintáctica   ficha de trabalhoAnálise sintáctica   ficha de trabalho
Análise sintáctica ficha de trabalho
Teresa Rocha
 
Funções sintáticas 6 9
Funções sintáticas 6 9Funções sintáticas 6 9
Funções sintáticas 6 9
Lucília Fig
 

Destaque (20)

Análise sintáctica ficha de trabalho
Análise sintáctica   ficha de trabalhoAnálise sintáctica   ficha de trabalho
Análise sintáctica ficha de trabalho
 
Funções sintáticas 6 9
Funções sintáticas 6 9Funções sintáticas 6 9
Funções sintáticas 6 9
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Quadro sobre modalidade
Quadro sobre modalidadeQuadro sobre modalidade
Quadro sobre modalidade
 
Porque e por que
Porque e por quePorque e por que
Porque e por que
 
Os lusíadas
Os lusíadasOs lusíadas
Os lusíadas
 
A publicidade graça (1)
A publicidade graça (1)A publicidade graça (1)
A publicidade graça (1)
 
Texto publicitário
Texto publicitárioTexto publicitário
Texto publicitário
 
Texto pub..
Texto pub..Texto pub..
Texto pub..
 
Texto publicitário
Texto publicitárioTexto publicitário
Texto publicitário
 
Expressões latinas
Expressões latinasExpressões latinas
Expressões latinas
 
Modernismo em portugal
Modernismo em portugalModernismo em portugal
Modernismo em portugal
 
Classes de palavras
Classes de palavrasClasses de palavras
Classes de palavras
 
Ficha de gramática12º
Ficha de gramática12ºFicha de gramática12º
Ficha de gramática12º
 
A publicidade graça (1)
A publicidade graça (1)A publicidade graça (1)
A publicidade graça (1)
 
A estrutura d` os lusíadas
A estrutura d` os lusíadasA estrutura d` os lusíadas
A estrutura d` os lusíadas
 
29 regras para escrever português corretamente
29 regras para escrever português corretamente29 regras para escrever português corretamente
29 regras para escrever português corretamente
 
Quantificadores
QuantificadoresQuantificadores
Quantificadores
 
Não se diz...diz-se
Não se diz...diz-seNão se diz...diz-se
Não se diz...diz-se
 

Semelhante a Ficha informativa funções sintáticas

Nova term-classes-de-palavras
Nova term-classes-de-palavrasNova term-classes-de-palavras
Nova term-classes-de-palavras
Gabriela Costeira
 
6. sintaxe funçoes
6. sintaxe funçoes6. sintaxe funçoes
6. sintaxe funçoes
Paula Sousa
 
Apostila de língua portuguesa parte 2, aulas 1 e 2
Apostila de língua portuguesa parte 2, aulas 1 e 2Apostila de língua portuguesa parte 2, aulas 1 e 2
Apostila de língua portuguesa parte 2, aulas 1 e 2
Centro Acadêmico de Letras
 
O adverbio 1323196780
O adverbio 1323196780O adverbio 1323196780
O adverbio 1323196780
ameliapadrao
 
4. classedepalavras
4. classedepalavras 4. classedepalavras
4. classedepalavras
Paula Sousa
 
Cefet/Coltec Aula 4 Morfologia
Cefet/Coltec Aula 4   MorfologiaCefet/Coltec Aula 4   Morfologia
Cefet/Coltec Aula 4 Morfologia
ProfFernandaBraga
 
Gramticacompleta
GramticacompletaGramticacompleta
Gramticacompleta
São Vaz
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
Ayla De Sá Marques
 

Semelhante a Ficha informativa funções sintáticas (20)

Nova term-classes-de-palavras
Nova term-classes-de-palavrasNova term-classes-de-palavras
Nova term-classes-de-palavras
 
6. sintaxe funçoes
6. sintaxe funçoes6. sintaxe funçoes
6. sintaxe funçoes
 
Apostila de língua portuguesa parte 2, aulas 1 e 2
Apostila de língua portuguesa parte 2, aulas 1 e 2Apostila de língua portuguesa parte 2, aulas 1 e 2
Apostila de língua portuguesa parte 2, aulas 1 e 2
 
PPT6 -sintaxe-funções
PPT6 -sintaxe-funçõesPPT6 -sintaxe-funções
PPT6 -sintaxe-funções
 
Gramática 11º ano
Gramática 11º anoGramática 11º ano
Gramática 11º ano
 
aula verbo
aula verboaula verbo
aula verbo
 
cccccccc
cccccccccccccccc
cccccccc
 
funcoessintaticas.docx
funcoessintaticas.docxfuncoessintaticas.docx
funcoessintaticas.docx
 
O adverbio 1323196780
O adverbio 1323196780O adverbio 1323196780
O adverbio 1323196780
 
Funções Sintáticas - 9º Ano.doc
Funções Sintáticas - 9º Ano.docFunções Sintáticas - 9º Ano.doc
Funções Sintáticas - 9º Ano.doc
 
Atividades sobre verbos
Atividades sobre verbosAtividades sobre verbos
Atividades sobre verbos
 
Aula 12 verbo i
Aula 12   verbo iAula 12   verbo i
Aula 12 verbo i
 
4. classedepalavras
4. classedepalavras4. classedepalavras
4. classedepalavras
 
4. classedepalavras
4. classedepalavras 4. classedepalavras
4. classedepalavras
 
PPT-4 classe de palavras
PPT-4 classe de palavrasPPT-4 classe de palavras
PPT-4 classe de palavras
 
Cefet/Coltec Aula 4 Morfologia
Cefet/Coltec Aula 4   MorfologiaCefet/Coltec Aula 4   Morfologia
Cefet/Coltec Aula 4 Morfologia
 
Gramatica completa
Gramatica completaGramatica completa
Gramatica completa
 
Gramticacompleta
GramticacompletaGramticacompleta
Gramticacompleta
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
 
2º ano - Sujeito e Predicado.pptx
2º ano - Sujeito e Predicado.pptx2º ano - Sujeito e Predicado.pptx
2º ano - Sujeito e Predicado.pptx
 

Mais de quintaldasletras

Exposição oral guião para leitura de cartoons
Exposição oral   guião para leitura de cartoonsExposição oral   guião para leitura de cartoons
Exposição oral guião para leitura de cartoons
quintaldasletras
 
29 regras para escrever português correctamente
29 regras para escrever português correctamente29 regras para escrever português correctamente
29 regras para escrever português correctamente
quintaldasletras
 

Mais de quintaldasletras (20)

Trabalho de pesquisa oralidade património2015-16 10.ºano
Trabalho de pesquisa   oralidade património2015-16  10.ºanoTrabalho de pesquisa   oralidade património2015-16  10.ºano
Trabalho de pesquisa oralidade património2015-16 10.ºano
 
Trabalho sobre o barroco tg
Trabalho sobre o barroco    tgTrabalho sobre o barroco    tg
Trabalho sobre o barroco tg
 
Exposição oral guião para leitura de cartoons
Exposição oral   guião para leitura de cartoonsExposição oral   guião para leitura de cartoons
Exposição oral guião para leitura de cartoons
 
Cartoons para análise
Cartoons para análiseCartoons para análise
Cartoons para análise
 
Exposição oral guião para leitura de cartoons
Exposição oral   guião para leitura de cartoonsExposição oral   guião para leitura de cartoons
Exposição oral guião para leitura de cartoons
 
Ficha informativa memorial do convento
Ficha informativa memorial do conventoFicha informativa memorial do convento
Ficha informativa memorial do convento
 
Ficha de trabalho de português o verbo (1)
Ficha de trabalho de português   o verbo (1)Ficha de trabalho de português   o verbo (1)
Ficha de trabalho de português o verbo (1)
 
Ficha de trabalho de português o verbo (1)
Ficha de trabalho de português   o verbo (1)Ficha de trabalho de português   o verbo (1)
Ficha de trabalho de português o verbo (1)
 
Https
HttpsHttps
Https
 
A publicidade graça (1)
A publicidade graça (1)A publicidade graça (1)
A publicidade graça (1)
 
Camões lírico teoria
Camões lírico teoriaCamões lírico teoria
Camões lírico teoria
 
29 regras para escrever português corretamente
29 regras para escrever português corretamente29 regras para escrever português corretamente
29 regras para escrever português corretamente
 
29 regras para escrever português correctamente
29 regras para escrever português correctamente29 regras para escrever português correctamente
29 regras para escrever português correctamente
 
Sintaxe e semântica lexical
Sintaxe e semântica lexicalSintaxe e semântica lexical
Sintaxe e semântica lexical
 
Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15
Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15
Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15
 
Carta formal
Carta formalCarta formal
Carta formal
 
Subclasses dos verbos
Subclasses dos verbosSubclasses dos verbos
Subclasses dos verbos
 
Flexão verbal
Flexão verbalFlexão verbal
Flexão verbal
 
Ficha informativa e de trabalho modificadores
Ficha informativa e de trabalho modificadores Ficha informativa e de trabalho modificadores
Ficha informativa e de trabalho modificadores
 
Cesário verde síntese
Cesário verde   sínteseCesário verde   síntese
Cesário verde síntese
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 

Último (20)

Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdfO que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 

Ficha informativa funções sintáticas

  • 1. Ficha Informativa de Sintaxe Funções sintáticas Função sintática Consiste em Exemplos 1 Sujeito: Função sintática desempenhada pelo constituinte da frase (grupo nominal) que controla a concordância com o verbo (1). Pode ser desempenhada por um GN (1), por um pronome (2) ou por uma oração (subordinada substantiva relativa (3) e subordinada completiva (4)). (1) Os rapazes trabalham em Lisboa. (2) Eles trabalham em Lisboa. (3) Quem trabalha em Lisboa vive longe. (4) É verdade que Lisboa fica longe. 1. s imples Sujeito constituído por um grupo nominal (det+nome) (1) ou por um pronome nominativo (2). (1) A escola fica bem situada. (2) Elas estudam em Coimbra. 2. composto Sujeito constituído por uma coordenação de grupos nominais (1), de pronomes (2) ou de combinações destas categorias (3). (1) O João e o Pedro ganharam o torneio. (2) Eles e elas ganharam o torneio. (3) Elas e o João foram passear juntos. 3. nulo: Função sintática em que o constituinte que a desempenha não aparece na frase. (1) Brincavam de manhã à noite. (eles/elas) (2) Dizem que o governo vai cair. (3) Chove há três horas sem parar. 3.1 subentendido Tipo de sujeito que não aparece explicitamente na frase, mas que pode se recuperado a partir do contexto. (1)As crianças eram muito divertidas: (2)brincavam de manhã à noite e (3) estavam sempre a cantar. O sujeito das frases (2) e (3) pode ser recuperado pelo contexto. É “As crianças” ou [Elas]. 3.2 indeterminado Tipo de sujeito que tem como referente uma entidade não específica substituível por “alguém” Ex: Dizem que o governo vai cair. (Como não há a possibilidade de identificar “quem diz”, utilizamos “alguém” para referir a indeterminação do sujeito. A frase pode interpretar-se assim: [Alguém] diz que o governo vai cair.). 3.3 expl etivo Tipo de sujeito sem interpretação. Pode ocorrer com verbos que se referem a fenómenos da natureza (1) e com o verbo haver no sentido de existir (2) ou com a expressão era uma vez (3) (1) [ ?]Chove há três horas sem parar. (2) [ ?]Há muito tempo que não chove. (3) [?] Era uma vez uma princesa… Predicado Função sintática desempenhada pelo grupo verbal (GV), expressando o que se diz sobre o sujeito. (1) O Pedro telefonou ao primo. (2) O João deu um presente à Maria. (3) A Maria estuda à noite na escola profissional. Modi ficador (de fras e) Função sintática desempenhada por constituintes não selecionados por nenhum elemento da frase e que pode, por isso, ser omitida sem que se perca a boa formação de frase (1). Pode ser constituído por grupos adverbiais e grupos preposicionais (2) (3). Exprime uma posição/opinião do enunciador sobre o sentido da frase na sua totalidade. As orações subordinadas adverbiais condicionais e concessivas são modificadores de frase (4) (1) [Felizmente,] hoje não chove. (2) Infelizmente, hoje está a chover. (3) Ele é um excelente trabalhador, sem dúvida! (4) Embora precisasse, não sairei. (4) Se viesses cedo, seria ótimo! Vocativo Função sintática desempenhada na frase por um constituinte que não controla a concordância verbal e que serve para chamar ou interpelar o interlocutor. O vocativo distingue-se do sujeito por poder co-ocorrer com ela na frase (1). Fica sempre entre vírgulas. Aparece frequentemente em frases do tipo exclamativo (2), imperativo (3) e interrogativo (4). (1) João, tu estás distraído. (João é o vocativo, tu o sujeito) (2) Ó Sol, como és agradável! (3) João, traz-me aquele livro, por favor. (4) Viste a Maria, Pedro? Funções sintáticas internas ao grupo verbal Função sintática Cons iste em Exemplos Predicativo do sujeito Função sintática que ocorre com um verbo copulativo. Pode ser constituído por um grupo nominal (GN) (1), um grupo adjetival (2), um grupo adverbial (3) e um grupo preposicional (4). (1) A cidade de Chaves parece uma fortaleza. (2) A cidade de Chaves é lindíssima. (3) O castelo permanece ali, há séculos. (3) A Maria está bem. (4) A cidade está em festa. Complemento di reto Função sintática selecionada por um por verbo transitivo direto (1), direto e indireto (2) e transitivo predicativo (3). Pode ser constituído por um GN, pelos pronomes acusativos o, a, os, as (4) e por uma oração subordinada completiva, substituível pelo pronome demonstrativo átono o equivalente a isso (5) (1) Ontem, visitei um castelo. (2) Dei um livro ao João. (3) Eu acho a cidade bonita. (4) Conheço bem a cidade e acho-a interessante. (5) O professor disse [que a cidade era bonita]= O professor disse-o [disse isso] Complemento indireto Função sintática selecionada por um por verbo transitivo indireto (1), e por transitivo direto e indireto (2). É sempre constituído por um grupo preposicional iniciado pela preposição “a” ou pelos pronomes dativos – lhe ou –lhes (3). (1) Assisti ao espetáculo. (2) Dei um presente à Maria. (3) Como são alunos novos, apresentei-lhes os colegas.
  • 2. 2 Complemento obl íquo Função sintática selecionada por um por verbo transitivo indireto (1) e transitivo direto e indireto (2). Pode ser constituído por um grupo preposicional ou por um grupo adverbial. Não pode ser substituído pelos pronomes dativos –lhe e –lhes nem acusativos o, a, os , as. Pode também ser oracional (4) (1) Eles vão a Paris. (2) Coloquei o livro na estante. (3)A Maria lembrou-se das amigas. (3) Elas moram aqui. (4)Eu sinto necessidade de descansar mais. (4) Ele precisa de quem o ajude. Complemento agente da passiva Função sintática selecionada por um verbo conjugado na voz passiva. É constituído por um grupo preposicional geralmente iniciado pela preposição simples por(1) ou a mesma preposição contraída com um determinante (2). O complemento agente da passiva corresponde ao sujeito de uma frase ativa. (1)Os Maias foi escrito por Eça de Queirós. (2) O rato foi comido pelo gato. Predicativo do complemento di reto Função sintática selecionada por um verbo transitivo-predicativo, que atribui uma propriedade ao complemento direto. Pode ser constituído por um GN (1); um GAdj (2)ou GPrep (3). Os verbos transitivos – predicativos são: achar, considerar, julgar, declarar, eleger, nomear (…) (1)Elegeram a Carolina delegada de turma. (2) Acho este bolo delicioso. (3) Achei esta sobremesa sem sabor. Modi ficador (do grupo verbal) Função sintática desempenhada por constituintes não selecionados pelo verbo e que pode, por isso, ser omitida sem que se perca a boa formação de frase (1). Pode ser constituído por grupos adverbiais e grupos preposicionais (2) (3). O modificador verbal também pode ser formado pelas orações subordinadas adverbiais temporais (4), causais (5) e finais (6). (1) Li o livro [calmamente]. (2) Eles trabalham [em Lisboa]. (3) Elas trabalham [devagar]. (4) Ela levanta-se quando o despertador toca. (5) Ela acordou porque o despertador tocou. (6) A mãe abriu as janelas para que o filho acordasse. Funções sintáticas internas ao grupo nominal Função sintática Consiste em Exemplos Complemento do nome Função sintática desempenhada por um constituinte selecionado obrigatoriamente por um elemento do grupo sintático de que faz parte, neste caso, o nome. Pode ser um GPrep (1) , Adjetival (2) ou oracional (3). (1) O pai do Pedro suicidou-se. (1) O medo dos ratos paralisa-me. (2) Os atos médicos só podem ser exercidos por médicos. (3)A possibilidade de te encontrar deixa-me feliz. Modi ficador do nome (restritivo e apositivo) Função sintática desempenhada por um constituinte não selecionado por nenhum elemento do grupo sintático de que faz parte, neste caso, o nome (1). Os modificadores do nome podem ser restritivos ou apositivos. Os modificadores do nome podem ser desempenhados por grupos nominais (2), grupos adjetivais (3), grupos preposicionais (4),orações subordinadas adjetivas relativas (restritivas e explicativas (5) (6). O modificador é um constituinte não obrigatório da frase, pelo que, se for retirado, não afeta a gramaticalidade da frase. (1) No apartamento espaçoso havia um piano.(restritivo) (2) António Gedeão, o poeta, é o pseudónimo de Rómulo de Carvalho, o cientista.(apositivo) (3) No apartamento, amplo e arejado, havia um piano.(apositivo) (4) O encontro com os amigos tinha lugar na saleta.(restritivo) (5) O piano que estava na saleta era novo.(restritivo) (6) O piano, que foi vendido mais tarde, era um objeto precioso. (apositivo) Nota: Selecionam complementos os nomes que: a) Derivam de verbos: o desejo, a procura, a viagem… b) Nomes de parentesco: filho de, primo de … c) Nomes icónicos: a imagem de, a fotografia de … d) Nomes modais: a hipótese de, a certeza de , a dúvida de, o dever de, a possibilidade de… e) Nomes multiplicativos e fracionários: metade de, um terço de, o dobro de, o triplo de… f) Nomes regidos de preposição: a cedência de; a absolvição de ; o interesse por ; a reação contra; o facto de ; a tendência para; o medo de (…) Funções sintáticas internas ao grupo adjetival Função sintática Consiste em Exemplos Complemento do adjetivo Função sintática desempenhada por um constituinte selecionado obrigatoriamente por um adjetivo. É um grupo preposicional oracional (1) ou não oracional (2). (1) Este trabalho foi difícil de realizar. (2) Isso não é compatível com os meus princípios. Nota: 1 - Selecionam complementos os adjetivos regidos de uma preposição: consciente de, contrário a, confiante em, responsável por, fácil de, difícil de, compatível com, impossível de ….