SlideShare uma empresa Scribd logo
TESTE DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS - 10º F
Anoletivode 2019-2020
GRUPO I
(100 pontos)
Leia o seguinte excerto da Farsa de Inês Pereira de Gil Vicente.
Entra o Moço com uma carta e diz:
Moço Esta carta vem d’ Além,
creio que é de meu senhor.
vosso marido fugindo
da batalha pera a vila,
a meia légua de Arzila,
Inês Mostrai cá, meu guarda-mor,
5 e veremos o que i vem.
35 o matou um mouro pastor.”
Moço Oh, meu amo e meu senhor!
Sobrescrito: Inês Dai-me vós cá essa chave,
e i buscar vossa vida.
“À senhora mui prezada Moço Oh, que triste despedida!
10
Inês Pereira da Grã,
à senhora minha irmã,
em Tomar lhe seja dada.”
40 Inês Oh, que nova tão suave!
Desatado é o nó4!
S’ eu por ele ponho dó5,
o Diabo m’ arrebente!
De meu irmão… Venha embora! Pera mim era valente,
Moço Vosso irmão está em Arzila? 45 e matou-o um mouro só.
Eu apostarei que i vem
nova de meu senhor também. Guardar de cavaleirão6,
15 Inês Já ele partiu de Tavila1? barbudo, repetenado7,
Moço Há três meses que é passado2.
Inês Aqui virá logo recado,
que em figura d’ avisado
é malino8 e sotrancão9.
se lhe vai bem, ou que faz. 50 Agora quero tomar,
Moço Bem pequena é a carta assaz. pera boa vida gozar,
20 Inês Carta de homem avisado. um muito manso marido.
Não no quero já sabido,
Lê a carta. pois tão caro há de custar.
“Muito honrada irmã,
esforçai o coração3
e tomai por devação
de querer o que Deus quer.”
E isto que quer dizer?
Prossegue:
“E não vos maravilheis
de cousa que o mundo faça,
30 que sempre nos embaraça
com cousas. Sabei que indo
55 Vem Lianor Vaz visitá-la e ela finge-se muito
anojada.
Lianor Como estais, Inês Pereira?
Inês Muito triste, Lianor Vaz.
Lianor Que fareis ao que Deus faz?
Inês Casei por minha canseira10.
Lianor Se ficastes prenhe11, basta 12.
Inês Bem quisera eu dele casta13,
mas não quis minha ventura.
Lianor Filha, não tomeis tristura,
65 que a morte a todos gasta.
1
25
60
O que havedes de fazer?
Casade-vos, filha minha.
Inês Jesu! Jesu! Tão asinha!
Isso me haveis de dizer?
70 Quem perdeu um tal marido,
tão discreto e tão sabido,
e tão amigo de minha vida?
Lianor Dai isso por esquecido,
buscai outra guarida14.
Lianor Pois tendes esse saber,
querei ora a quem vos quer,
dai ao demo a opinião15.
Vai-se Lianor Vaz por Pêro Marques.
85 Inês Andar! Pêro Marques seja.
Quero tomar por esposo
quem se tenha por ditoso16
de cada vez que me veja.
75 Pêro Marques tem que herdou
fazenda de mil cruzados, 90
mas vós quereis avisados…
Inês Não! Já esse tempo passou.
Sobre quantos mestres são
Por usar de siso mero17,
asno que me leve quero,
e não cavalo folão18.
Antes lebre que leão,
antes lavrador que Nero.
80 experiência dá lição.
VICENTE, Gil, 2014. Farsade Inês Pereira. Porto: PortoEditora (pp.59-66)(1.ª ed.: 1562)
1. Tavira (um dos portos de embarque para o Nortede África);
2. é passado: passou;
3. esforçai o coração: tende coragem;
4. Desatado é o nó: Está desfeitoo casamento;
5. luto;
6. homem orgulhosoe valente;
7. emproado,insolente;
8. maldoso;
9. hipócrita, velhaco;10. desgraça;
11 . grávida;
12 . um filho garantiria à mãe a administração
dos bens herdados;
13 . descendência;
14 . amparo, refúgio;
15 . ideia (anterior);
16 . afortunado, feliz;
17 . siso mero: senso comum;
18 . fogoso.
Apresente,de formabemestruturada,assuasrespostasaos itensque se seguem. Documente todas
as suas afirmaçõescom citações pertinentesdotexto.
1. Insira o excerto na estrutura interna da obra.
2. Considere o desenvolvimento da ação da Farsa de Inês Pereira até ao momento representado no
excerto.
2.1. Justifique o vocativo utilizado por Inês para se dirigir aoMoço no verso 4.
2.2. Interprete a pergunta da esposa de Brás da Mata colocada no verso 15 e a resposta do Moço
apresentada no verso seguinte.
3. Refira três dos traços de carácter de Inês evidentes no texto, confirmando as suas afirmações com
passagens ilustrativas.
4. Comenta, a partir do excerto, as palavras de Inês: “Sobre quantos mestres são / experiência dá lição”
(vv. 79-80).
5. Esclarece o valor metonímico dos provérbios citados por Inês nos versos 90 a 94 e relaciona com o
mote que deu origem à farsa.
3
GRUPOII
(60 pontos)
Leiao textoseguinte.
TEATRO
Uma volta ao país no Dia Mundial do Teatro
Por MarianaMata
Todos osanos, a 27 de março, há
uma mensagemmundialque ho-
menageiaasartesdo espetáculo.E
os seusintervenientes.A primeira
5 foi proferidaporJeanCocteau, há
52 anos,na inauguraçãodas cele-
braçõesdo primeiroDiaMundial
doTeatro, criadopeloInstitutoIn-
ternacional de TeatrodaUNESCO.
10 Este ano, as poderosas palavras
Sala Principal do Teatro Nacional de São João, no Porto Por ©TNSJ
pertencem ao multifacetado artista sul-africano Brett Bailey, que nos relembra que, apesar
de todos os perigos da atualidade, “desde que existe sociedade humana, existe o irreprimí-
vel espírito da representação”, refletindo sobre o poder do Teatro e o papel imprescindível
das artese dosartistas.Portugal não é exceção.E hoje é possível comprová-logratuita-
15 mente, um pouco por todo o país. A festa faz-se nos palcos, também junto do seu objeto:o
público.
Em Lisboa,o Teatro Nacional D.Maria II mostra-se comuma programaçãoprópria,
maisdedicadaao públicoinfantil. A Porta abre excecionalmente neste dia(emdoishorá-
rios). Maistarde contam-se histórias musicaisNo Tempo emqueosInstrumentos Falavam
20
(13:00 e 17:30, no Átrio) e à noite, 20 Dizer, a homenagemdo TrigoLimpo– TeatroACERT,
é umaviagempoético-musical.NoTeatroMaria Matos, desenha-se oAtlas de AnaBorra-
lhoe JoãoGalante. Noutroregistoe noutrazonada cidade estáA Cantora Careca,umclás-
sicodo teatrodo absurdo.
Na margemsul doTejo, acelebração começacedocom O QueFica do QuePassa, com
25 TeresaSilvanumdesafiode “apenassentir”, noBarreiro.À noite,chegaavezda comédia
românticae musical de Fernando GomesViva o Casamento,inspiradanoromance Alves&
Cia.,de Eça de Queirós.EmAlmada,é possível comprovaraintemporalidade damaises-
candalosaobrade Molière, Tartufo, comencenaçãode Rogériode Carvalho. Prometeu re-
vela-se tambémnestediaemsombrasjaponesas,noPinhalNovo.
30
Na Invicta,a festaé emgrande.O Teatro Nacional SãoJoão(TNSJ) oferece entradas
para os quatro espetáculosque tememcena(doisporpessoa) paraassinalaroDiaMun-
dial doTeatrono Porto. NopróprioTNSJ, estáemcena oúltimoespetáculo de RicardoPais,
Al Mada Nada,que se estreouontem.OTeatroBrutoregressaa ValterHugoMãe com O
Filho de Mil Homens,no TeatroCarlosAlberto.A Circolandoregressouemforçae come-
35 mora tambémodia coma novacriação, Paus ePétalas,noMosteirode São Bentoda
Página 4 de 6
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
Teste de Avaliação3–Português –10ºF –2019|2020 profª Cátia Monteiro
1. Para responder a cada um dos itens de 1.1. a 1.7., selecione a opção correta.
Escreva, na folha de respostas, o número de cada item ea letra que identifique a opção escolhida.
1.1. Em termos de estrutura interna, este artigojornalístico pode ser dividido em
a. três momentos: apresentação do tema (par. 1 e 2); enumeração de locais e peças dramáticas
representadas no Dia Mundial do Teatro (par. 3 a 6); conclusão do tema, sintetizando
as ideias apresentadas (par. 7 e 8).
b. três momentos: apresentação do tema (par. 1); enumeração de locais e peças dramáticas
representadas no Dia Mundial do Teatro (par. 2 a 7); conclusão do tema, sintetizando as
ideias apresentadas (par. 8).
c. dois momentos: apresentação do tema (par. 1 e 2); enumeração de locais e peças dramáticas
representadas no Dia Mundial do Teatro (par. 3 a 8).
d. dois momentos: apresentação do tema (par. 1); enumeração de locais e peças dramáticas
representadas no Dia Mundial do Teatro (par. 2 a 8).
1.2. Neste artigojornalístico cita-se Brett Baileyporque (5 PONTOS)
a. foi este o autor da mensagem mundial em homenagem ao Teatroproferida no primeiro
Dia Mundial do Teatro.
b. este autor se tem dedicado exclusivamente ao estudo das artes teatrais.
c. a 52.ª mensagem do Dia Mundial do Teatroé da sua responsabilidade.
d. se trata de um artista multifacetado que valoriza o teatroinfantil.
1.3. De acordo com Brett Bailey, (5 PONTOS)
a. o Teatro é uma arte recente.
b. a arte dramática é uma característica da vida em sociedade.
c. os espetáculos teatrais tiveramorigem na Antiguidade Clássica.
d. os atores têmum papel imprescindível na arte teatral.
40
45
50
Vitória. Este ano, opalcoestende-seaté asítios inéditos,comestreiascomoadoTeatro do
Vestido, que ocupaasdivisões doPalacetePintoLeite comAtéCompravao Teu Amor(mas
não sei em que moeda sefazesta transação).
Em Bragança, o absurdode Beckettvoltaa palcocom a Ensemble –Sociedade de Ato-
res, que continuaÀ Espera de Godot.Estapeça integraoVinte e Sete –Festival Internacio-
nal de Teatro, que decorre também emVilaReal e,comojáé hábito, escolheeste diaparaa
abertura.
Descendoumpoucoem direçãoaocentro dopaís, Tondelaassinalaaocasiãocom Sia-
meses,enquanto Fausta se apresentaemCoimbra,saídade umdesafiopropostoàescri-
tora Patrícia Portelapelos atoresPedroGil e TonanQuito. Maispertode LisboaestãoDefi-
nitivamenteasBahamas,doTeatroda Rainha,que comemoraemcasa, nas Caldasda
Rainha.Em OliveiradoBairro,emmenorescala,massemperdera importância,está O
Teatro Mais Pequeno do Mundo.
Tambémháteatrogratuitomaisa sul, nacosta alentejana, comSinesamostraro seu
Âmbulo.
http://lazer.pu blico.pt/noticias/332 382_uma-volta-ao-pais-no-dia-mundial-do-teatro
[Consult. 16-01-2020]
Página 5 de 6
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
Teste de Avaliação3–Português –10ºF –2019|2020 profª Cátia Monteiro
1.4. Com a expressão “apesar de todos os perigos da atualidade” (ll. 11-12) estabelece-se
um nexo de
a. condição.
b. concessão.
c. comparação.
d. consequência.
1.5. A oração “desde que existe sociedade humana” (l. 12) classifica-se como
a. subordinante.
b. subordinada adverbial condicional.
c. subordinada adverbial temporal.
d. subordinada substantiva completiva.
1.6. A única palavra que tem o mesmo étimo de “estreias” (l. 36) é
a. estrela.
b. estreante.
c. estrábico.
d. estria.
1.7. Tendo em conta o processo de formação que lhe deu origem, a palavra
“TNSJ” (l. 30) classifica-se como
a. acrónimo.
b. truncação.
c. amálgama.
d. sigla.
2. Responda aos itens apresentados.
2.1. Identifique a funçãosintática dos constituintes destacados.
a) Pero Marques, apesar de ser maltratado, permaneceu marido deInês Pereira.
b) Inês, primeiramente, foi enganada pela imagem dehomem «avisado».
2.1.1 Destaque, nesses grupos sintáticos, os complementos do nome.
2.2.Identifique a função sintática do constituinte destacado.
Inês considerou Pero Parques um homem ditoso.
(A) Modificador apositivo do nome.
(B) Modificador restritivo do nome.
(C) Predicativo do complemento direto.
Página 6 de 6
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
Teste de Avaliação3–Português –10ºF –2019|2020 profª Cátia Monteiro
GrupoIII
(40 pontos)
A Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente, apresenta uma dimensão satírica, pretendendo
transmitir ideias moralizadoras ao seu público através do riso.
Num texto expositivo, reflita sobre as críticas presentes nesta obra e sobre os
ensinamentos que daí poderão resultar. Apresente uma exposição bem estruturada, de cento e
cinquenta a cento e oitenta palavras, fundamentando as suas perspetivas com exemplos
significativos.
Observações:
1. Para efeitos de contagem, considera-se uma palavra qualquer sequência delimitada por espaços em branco, mesmo quando
esta integre elementos ligados por hífen (exemplo: /di -lo-ei/). Qualquer número conta como uma única palavra,
independentemente dos algarismos que o constituam(exemplo:/2019/).
2. O desvio dos limites de extensãoindicados implica uma desvalorização parcial do texto produzido (até 5 pontos).
FIM
COTAÇÕES
Grupo
Item
Cotação (em pontos)
I
1. 2. 3. 4. 5. 100
20 20 20 20 20
II
1.1. 1.2. 1.3. 1.4. 1.5. 1.6 1.7 2.1. 2.1.1 2.2. 60
6 6 6 6 6 6 6 6 6 6
III Item único 40
TOTAL 200

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cantigas de amigo
Cantigas de amigoCantigas de amigo
Cantigas de amigo
Paula Oliveira Cruz
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Helena Coutinho
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - Resumo
Gijasilvelitz 2
 
Esquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versosEsquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versos
domplex123
 
Amor é fogo que arde
Amor é fogo que ardeAmor é fogo que arde
Amor é fogo que arde
Helena Coutinho
 
Cantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumoCantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumo
Gijasilvelitz 2
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
Raffaella Ergün
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
ameliapadrao
 
Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões
Lurdes Augusto
 
teste frei luis.pdf
teste frei luis.pdfteste frei luis.pdf
teste frei luis.pdf
Telma Casimiro
 
Proposição
ProposiçãoProposição
Proposição
Paula Oliveira Cruz
 
Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca
Lurdes Augusto
 
Um mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadosoUm mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadoso
Helena Coutinho
 
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
Maria Gois
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Dina Baptista
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Lurdes Augusto
 
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Raquel Antunes
 
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Gijasilvelitz 2
 
Lírica camoniana
Lírica camonianaLírica camoniana
Lírica camoniana
Helena Coutinho
 

Mais procurados (20)

Cantigas de amigo
Cantigas de amigoCantigas de amigo
Cantigas de amigo
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardente
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - Resumo
 
Esquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versosEsquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versos
 
Amor é fogo que arde
Amor é fogo que ardeAmor é fogo que arde
Amor é fogo que arde
 
Cantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumoCantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumo
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
 
Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões
 
teste frei luis.pdf
teste frei luis.pdfteste frei luis.pdf
teste frei luis.pdf
 
Proposição
ProposiçãoProposição
Proposição
 
Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca
 
Um mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadosoUm mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadoso
 
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
 
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
 
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
 
Lírica camoniana
Lírica camonianaLírica camoniana
Lírica camoniana
 

Semelhante a teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx

Teste de Português
Teste de PortuguêsTeste de Português
Teste de Português
Maria Gomes
 
O avejao raul brandao
O avejao   raul brandaoO avejao   raul brandao
O avejao raul brandao
AnaRibeiro968038
 
Simulado 20 (port. 5º ano)
Simulado 20 (port. 5º ano)Simulado 20 (port. 5º ano)
Simulado 20 (port. 5º ano)
Cidinha Paulo
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 54
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 54Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 54
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 54
luisprista
 
Simulado de Português: D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto - 8...
Simulado de Português: D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto - 8...Simulado de Português: D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto - 8...
Simulado de Português: D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto - 8...
FrankAndrade9
 
Projetovestibular
ProjetovestibularProjetovestibular
Projetovestibular
Rodrigo Pereira
 
re_82072_mpal7_teste6.docx
re_82072_mpal7_teste6.docxre_82072_mpal7_teste6.docx
re_82072_mpal7_teste6.docx
Carla Carvalho
 
Legenda Gianni Schicchi
Legenda Gianni SchicchiLegenda Gianni Schicchi
Legenda Gianni Schicchi
Sérgio Rodrigo
 
Legenda Gianni Schicchi
Legenda Gianni SchicchiLegenda Gianni Schicchi
Legenda Gianni Schicchi
Sérgio Rodrigo
 
11.2.17_Cena I, Ato II + Lusíadas (Teste).pdf
11.2.17_Cena I, Ato II + Lusíadas (Teste).pdf11.2.17_Cena I, Ato II + Lusíadas (Teste).pdf
11.2.17_Cena I, Ato II + Lusíadas (Teste).pdf
franciscasoares29
 
Exposição: Dia Mundial do Teatro
Exposição: Dia Mundial do TeatroExposição: Dia Mundial do Teatro
Exposição: Dia Mundial do Teatro
Maria Manuela Torres Paredes
 
Patativa - Lieratura de Cordel
Patativa - Lieratura de CordelPatativa - Lieratura de Cordel
Patativa - Lieratura de Cordel
Wilson Barbieri
 
A Apreciação Crítica no programa de português.pptx
A Apreciação Crítica no programa de português.pptxA Apreciação Crítica no programa de português.pptx
A Apreciação Crítica no programa de português.pptx
AnaSimes583336
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 105-106
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 105-106Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 105-106
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 105-106
luisprista
 
Simulado Saresp com descritores e gabarito
Simulado Saresp com descritores e gabaritoSimulado Saresp com descritores e gabarito
Simulado Saresp com descritores e gabarito
Roseli Aparecida Tavares
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESAAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Simulado português e matematica 8 anos ok
Simulado português e matematica 8 anos okSimulado português e matematica 8 anos ok
Simulado português e matematica 8 anos ok
Ederson Jacob Zanardo
 
Simulado português e matematica 8 anos ok
Simulado português e matematica 8 anos okSimulado português e matematica 8 anos ok
Simulado português e matematica 8 anos ok
Ederson Jacob Zanardo
 
Teste corrigido
Teste corrigidoTeste corrigido
Teste corrigido
Cristina Tomé
 

Semelhante a teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx (20)

Teste de Português
Teste de PortuguêsTeste de Português
Teste de Português
 
O avejao raul brandao
O avejao   raul brandaoO avejao   raul brandao
O avejao raul brandao
 
Simulado 20 (port. 5º ano)
Simulado 20 (port. 5º ano)Simulado 20 (port. 5º ano)
Simulado 20 (port. 5º ano)
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 54
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 54Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 54
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 54
 
Simulado de Português: D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto - 8...
Simulado de Português: D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto - 8...Simulado de Português: D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto - 8...
Simulado de Português: D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto - 8...
 
Projetovestibular
ProjetovestibularProjetovestibular
Projetovestibular
 
re_82072_mpal7_teste6.docx
re_82072_mpal7_teste6.docxre_82072_mpal7_teste6.docx
re_82072_mpal7_teste6.docx
 
Legenda Gianni Schicchi
Legenda Gianni SchicchiLegenda Gianni Schicchi
Legenda Gianni Schicchi
 
Legenda Gianni Schicchi
Legenda Gianni SchicchiLegenda Gianni Schicchi
Legenda Gianni Schicchi
 
11.2.17_Cena I, Ato II + Lusíadas (Teste).pdf
11.2.17_Cena I, Ato II + Lusíadas (Teste).pdf11.2.17_Cena I, Ato II + Lusíadas (Teste).pdf
11.2.17_Cena I, Ato II + Lusíadas (Teste).pdf
 
Exposição: Dia Mundial do Teatro
Exposição: Dia Mundial do TeatroExposição: Dia Mundial do Teatro
Exposição: Dia Mundial do Teatro
 
Patativa - Lieratura de Cordel
Patativa - Lieratura de CordelPatativa - Lieratura de Cordel
Patativa - Lieratura de Cordel
 
A Apreciação Crítica no programa de português.pptx
A Apreciação Crítica no programa de português.pptxA Apreciação Crítica no programa de português.pptx
A Apreciação Crítica no programa de português.pptx
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 105-106
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 105-106Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 105-106
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 105-106
 
Simulado Saresp com descritores e gabarito
Simulado Saresp com descritores e gabaritoSimulado Saresp com descritores e gabarito
Simulado Saresp com descritores e gabarito
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESAAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
 
Simulado português e matematica 8 anos ok
Simulado português e matematica 8 anos okSimulado português e matematica 8 anos ok
Simulado português e matematica 8 anos ok
 
Simulado português e matematica 8 anos ok
Simulado português e matematica 8 anos okSimulado português e matematica 8 anos ok
Simulado português e matematica 8 anos ok
 
Teste corrigido
Teste corrigidoTeste corrigido
Teste corrigido
 

Último

AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 

Último (20)

AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 

teste-3-10f-gv-farsa-de-ines-pereira.docx

  • 1. TESTE DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS - 10º F Anoletivode 2019-2020 GRUPO I (100 pontos) Leia o seguinte excerto da Farsa de Inês Pereira de Gil Vicente. Entra o Moço com uma carta e diz: Moço Esta carta vem d’ Além, creio que é de meu senhor. vosso marido fugindo da batalha pera a vila, a meia légua de Arzila, Inês Mostrai cá, meu guarda-mor, 5 e veremos o que i vem. 35 o matou um mouro pastor.” Moço Oh, meu amo e meu senhor! Sobrescrito: Inês Dai-me vós cá essa chave, e i buscar vossa vida. “À senhora mui prezada Moço Oh, que triste despedida! 10 Inês Pereira da Grã, à senhora minha irmã, em Tomar lhe seja dada.” 40 Inês Oh, que nova tão suave! Desatado é o nó4! S’ eu por ele ponho dó5, o Diabo m’ arrebente! De meu irmão… Venha embora! Pera mim era valente, Moço Vosso irmão está em Arzila? 45 e matou-o um mouro só. Eu apostarei que i vem nova de meu senhor também. Guardar de cavaleirão6, 15 Inês Já ele partiu de Tavila1? barbudo, repetenado7, Moço Há três meses que é passado2. Inês Aqui virá logo recado, que em figura d’ avisado é malino8 e sotrancão9. se lhe vai bem, ou que faz. 50 Agora quero tomar, Moço Bem pequena é a carta assaz. pera boa vida gozar, 20 Inês Carta de homem avisado. um muito manso marido. Não no quero já sabido, Lê a carta. pois tão caro há de custar. “Muito honrada irmã, esforçai o coração3 e tomai por devação de querer o que Deus quer.” E isto que quer dizer? Prossegue: “E não vos maravilheis de cousa que o mundo faça, 30 que sempre nos embaraça com cousas. Sabei que indo 55 Vem Lianor Vaz visitá-la e ela finge-se muito anojada. Lianor Como estais, Inês Pereira? Inês Muito triste, Lianor Vaz. Lianor Que fareis ao que Deus faz? Inês Casei por minha canseira10. Lianor Se ficastes prenhe11, basta 12. Inês Bem quisera eu dele casta13, mas não quis minha ventura. Lianor Filha, não tomeis tristura, 65 que a morte a todos gasta. 1 25 60
  • 2. O que havedes de fazer? Casade-vos, filha minha. Inês Jesu! Jesu! Tão asinha! Isso me haveis de dizer? 70 Quem perdeu um tal marido, tão discreto e tão sabido, e tão amigo de minha vida? Lianor Dai isso por esquecido, buscai outra guarida14. Lianor Pois tendes esse saber, querei ora a quem vos quer, dai ao demo a opinião15. Vai-se Lianor Vaz por Pêro Marques. 85 Inês Andar! Pêro Marques seja. Quero tomar por esposo quem se tenha por ditoso16 de cada vez que me veja. 75 Pêro Marques tem que herdou fazenda de mil cruzados, 90 mas vós quereis avisados… Inês Não! Já esse tempo passou. Sobre quantos mestres são Por usar de siso mero17, asno que me leve quero, e não cavalo folão18. Antes lebre que leão, antes lavrador que Nero. 80 experiência dá lição. VICENTE, Gil, 2014. Farsade Inês Pereira. Porto: PortoEditora (pp.59-66)(1.ª ed.: 1562) 1. Tavira (um dos portos de embarque para o Nortede África); 2. é passado: passou; 3. esforçai o coração: tende coragem; 4. Desatado é o nó: Está desfeitoo casamento; 5. luto; 6. homem orgulhosoe valente; 7. emproado,insolente; 8. maldoso; 9. hipócrita, velhaco;10. desgraça; 11 . grávida; 12 . um filho garantiria à mãe a administração dos bens herdados; 13 . descendência; 14 . amparo, refúgio; 15 . ideia (anterior); 16 . afortunado, feliz; 17 . siso mero: senso comum; 18 . fogoso. Apresente,de formabemestruturada,assuasrespostasaos itensque se seguem. Documente todas as suas afirmaçõescom citações pertinentesdotexto. 1. Insira o excerto na estrutura interna da obra. 2. Considere o desenvolvimento da ação da Farsa de Inês Pereira até ao momento representado no excerto. 2.1. Justifique o vocativo utilizado por Inês para se dirigir aoMoço no verso 4. 2.2. Interprete a pergunta da esposa de Brás da Mata colocada no verso 15 e a resposta do Moço apresentada no verso seguinte. 3. Refira três dos traços de carácter de Inês evidentes no texto, confirmando as suas afirmações com passagens ilustrativas. 4. Comenta, a partir do excerto, as palavras de Inês: “Sobre quantos mestres são / experiência dá lição” (vv. 79-80). 5. Esclarece o valor metonímico dos provérbios citados por Inês nos versos 90 a 94 e relaciona com o mote que deu origem à farsa.
  • 3. 3 GRUPOII (60 pontos) Leiao textoseguinte. TEATRO Uma volta ao país no Dia Mundial do Teatro Por MarianaMata Todos osanos, a 27 de março, há uma mensagemmundialque ho- menageiaasartesdo espetáculo.E os seusintervenientes.A primeira 5 foi proferidaporJeanCocteau, há 52 anos,na inauguraçãodas cele- braçõesdo primeiroDiaMundial doTeatro, criadopeloInstitutoIn- ternacional de TeatrodaUNESCO. 10 Este ano, as poderosas palavras Sala Principal do Teatro Nacional de São João, no Porto Por ©TNSJ pertencem ao multifacetado artista sul-africano Brett Bailey, que nos relembra que, apesar de todos os perigos da atualidade, “desde que existe sociedade humana, existe o irreprimí- vel espírito da representação”, refletindo sobre o poder do Teatro e o papel imprescindível das artese dosartistas.Portugal não é exceção.E hoje é possível comprová-logratuita- 15 mente, um pouco por todo o país. A festa faz-se nos palcos, também junto do seu objeto:o público. Em Lisboa,o Teatro Nacional D.Maria II mostra-se comuma programaçãoprópria, maisdedicadaao públicoinfantil. A Porta abre excecionalmente neste dia(emdoishorá- rios). Maistarde contam-se histórias musicaisNo Tempo emqueosInstrumentos Falavam 20 (13:00 e 17:30, no Átrio) e à noite, 20 Dizer, a homenagemdo TrigoLimpo– TeatroACERT, é umaviagempoético-musical.NoTeatroMaria Matos, desenha-se oAtlas de AnaBorra- lhoe JoãoGalante. Noutroregistoe noutrazonada cidade estáA Cantora Careca,umclás- sicodo teatrodo absurdo. Na margemsul doTejo, acelebração começacedocom O QueFica do QuePassa, com 25 TeresaSilvanumdesafiode “apenassentir”, noBarreiro.À noite,chegaavezda comédia românticae musical de Fernando GomesViva o Casamento,inspiradanoromance Alves& Cia.,de Eça de Queirós.EmAlmada,é possível comprovaraintemporalidade damaises- candalosaobrade Molière, Tartufo, comencenaçãode Rogériode Carvalho. Prometeu re- vela-se tambémnestediaemsombrasjaponesas,noPinhalNovo. 30 Na Invicta,a festaé emgrande.O Teatro Nacional SãoJoão(TNSJ) oferece entradas para os quatro espetáculosque tememcena(doisporpessoa) paraassinalaroDiaMun- dial doTeatrono Porto. NopróprioTNSJ, estáemcena oúltimoespetáculo de RicardoPais, Al Mada Nada,que se estreouontem.OTeatroBrutoregressaa ValterHugoMãe com O Filho de Mil Homens,no TeatroCarlosAlberto.A Circolandoregressouemforçae come- 35 mora tambémodia coma novacriação, Paus ePétalas,noMosteirode São Bentoda
  • 4. Página 4 de 6 _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Teste de Avaliação3–Português –10ºF –2019|2020 profª Cátia Monteiro 1. Para responder a cada um dos itens de 1.1. a 1.7., selecione a opção correta. Escreva, na folha de respostas, o número de cada item ea letra que identifique a opção escolhida. 1.1. Em termos de estrutura interna, este artigojornalístico pode ser dividido em a. três momentos: apresentação do tema (par. 1 e 2); enumeração de locais e peças dramáticas representadas no Dia Mundial do Teatro (par. 3 a 6); conclusão do tema, sintetizando as ideias apresentadas (par. 7 e 8). b. três momentos: apresentação do tema (par. 1); enumeração de locais e peças dramáticas representadas no Dia Mundial do Teatro (par. 2 a 7); conclusão do tema, sintetizando as ideias apresentadas (par. 8). c. dois momentos: apresentação do tema (par. 1 e 2); enumeração de locais e peças dramáticas representadas no Dia Mundial do Teatro (par. 3 a 8). d. dois momentos: apresentação do tema (par. 1); enumeração de locais e peças dramáticas representadas no Dia Mundial do Teatro (par. 2 a 8). 1.2. Neste artigojornalístico cita-se Brett Baileyporque (5 PONTOS) a. foi este o autor da mensagem mundial em homenagem ao Teatroproferida no primeiro Dia Mundial do Teatro. b. este autor se tem dedicado exclusivamente ao estudo das artes teatrais. c. a 52.ª mensagem do Dia Mundial do Teatroé da sua responsabilidade. d. se trata de um artista multifacetado que valoriza o teatroinfantil. 1.3. De acordo com Brett Bailey, (5 PONTOS) a. o Teatro é uma arte recente. b. a arte dramática é uma característica da vida em sociedade. c. os espetáculos teatrais tiveramorigem na Antiguidade Clássica. d. os atores têmum papel imprescindível na arte teatral. 40 45 50 Vitória. Este ano, opalcoestende-seaté asítios inéditos,comestreiascomoadoTeatro do Vestido, que ocupaasdivisões doPalacetePintoLeite comAtéCompravao Teu Amor(mas não sei em que moeda sefazesta transação). Em Bragança, o absurdode Beckettvoltaa palcocom a Ensemble –Sociedade de Ato- res, que continuaÀ Espera de Godot.Estapeça integraoVinte e Sete –Festival Internacio- nal de Teatro, que decorre também emVilaReal e,comojáé hábito, escolheeste diaparaa abertura. Descendoumpoucoem direçãoaocentro dopaís, Tondelaassinalaaocasiãocom Sia- meses,enquanto Fausta se apresentaemCoimbra,saídade umdesafiopropostoàescri- tora Patrícia Portelapelos atoresPedroGil e TonanQuito. Maispertode LisboaestãoDefi- nitivamenteasBahamas,doTeatroda Rainha,que comemoraemcasa, nas Caldasda Rainha.Em OliveiradoBairro,emmenorescala,massemperdera importância,está O Teatro Mais Pequeno do Mundo. Tambémháteatrogratuitomaisa sul, nacosta alentejana, comSinesamostraro seu Âmbulo. http://lazer.pu blico.pt/noticias/332 382_uma-volta-ao-pais-no-dia-mundial-do-teatro [Consult. 16-01-2020]
  • 5. Página 5 de 6 _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Teste de Avaliação3–Português –10ºF –2019|2020 profª Cátia Monteiro 1.4. Com a expressão “apesar de todos os perigos da atualidade” (ll. 11-12) estabelece-se um nexo de a. condição. b. concessão. c. comparação. d. consequência. 1.5. A oração “desde que existe sociedade humana” (l. 12) classifica-se como a. subordinante. b. subordinada adverbial condicional. c. subordinada adverbial temporal. d. subordinada substantiva completiva. 1.6. A única palavra que tem o mesmo étimo de “estreias” (l. 36) é a. estrela. b. estreante. c. estrábico. d. estria. 1.7. Tendo em conta o processo de formação que lhe deu origem, a palavra “TNSJ” (l. 30) classifica-se como a. acrónimo. b. truncação. c. amálgama. d. sigla. 2. Responda aos itens apresentados. 2.1. Identifique a funçãosintática dos constituintes destacados. a) Pero Marques, apesar de ser maltratado, permaneceu marido deInês Pereira. b) Inês, primeiramente, foi enganada pela imagem dehomem «avisado». 2.1.1 Destaque, nesses grupos sintáticos, os complementos do nome. 2.2.Identifique a função sintática do constituinte destacado. Inês considerou Pero Parques um homem ditoso. (A) Modificador apositivo do nome. (B) Modificador restritivo do nome. (C) Predicativo do complemento direto.
  • 6. Página 6 de 6 _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Teste de Avaliação3–Português –10ºF –2019|2020 profª Cátia Monteiro GrupoIII (40 pontos) A Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente, apresenta uma dimensão satírica, pretendendo transmitir ideias moralizadoras ao seu público através do riso. Num texto expositivo, reflita sobre as críticas presentes nesta obra e sobre os ensinamentos que daí poderão resultar. Apresente uma exposição bem estruturada, de cento e cinquenta a cento e oitenta palavras, fundamentando as suas perspetivas com exemplos significativos. Observações: 1. Para efeitos de contagem, considera-se uma palavra qualquer sequência delimitada por espaços em branco, mesmo quando esta integre elementos ligados por hífen (exemplo: /di -lo-ei/). Qualquer número conta como uma única palavra, independentemente dos algarismos que o constituam(exemplo:/2019/). 2. O desvio dos limites de extensãoindicados implica uma desvalorização parcial do texto produzido (até 5 pontos). FIM COTAÇÕES Grupo Item Cotação (em pontos) I 1. 2. 3. 4. 5. 100 20 20 20 20 20 II 1.1. 1.2. 1.3. 1.4. 1.5. 1.6 1.7 2.1. 2.1.1 2.2. 60 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 III Item único 40 TOTAL 200