SlideShare uma empresa Scribd logo
Estudos do Evangelho
Capítulo 5 - Bem aventurados os aflitos
Instruções dos Espíritos 1 e 2 itens 18 e 19
Leonardo Pereira
I – Bem Sofrer E Mal Sofrer
II – O Mal E O Remédio
O evangelho e o Livro dos Espíritos
Qual é a finalidade da encarnação dos
Espíritos?
132 - LE
— Deus a impõe com o fim de
levá-los à perfeição: para uns, é
uma expiação; para outros, uma
missão. Mas, para chegar a essa
perfeição, eles devem sofrer todas
as vicissitudes da existência
corpórea; nisto é que está
a expiação.
A encarnação tem
ainda outra finalidade,
que é a de pôr o
Espírito em condições de
enfrentar a sua parte na
obra da Criação.
É para executá-la que ele
toma um aparelho em cada
mundo, em harmonia com a
matéria essencial do mesmo,
afim de nele cumprir, daquele
ponto de vista, as ordens de
Deus. E dessa maneira,
concorrendo para a obra geral,
também progredir.
Os Espíritos que, desde o princípio,
seguiram o caminho do bem têm
necessidade da encarnação?
133. - LE
— Todos são criados
simples e ignorantes e se
instruem através das lutas e
atribulações da vida corporal.
Deus, que é justo, não podia
fazer feliz a uns, sem penas e
sem trabalhos, e por
conseguinte sem mérito.
Mas então de que serve aos Espíritos
seguirem o caminho do bem, se isso não os
isenta das penas da vida corporal?
133. a) - LE
— Chegam mais depressa
ao alvo. Além disso, as penas
da vida são frequentemente a
consequência da imperfeição
do Espírito. Quanto menos
imperfeito ele for, menos
tormentos sofrerá.
Aquele que não for
invejoso,
nem ciumento,
nem avarento ou
ambicioso,
não passará pelos
tormentos que se
originam desses defeitos.
18 – Quando Cristo disse:
“Bem-aventurados os aflitos,
porque deles é o Reino dos
Céus”, não se referia aos
sofredores em geral, porque
todos os que estão neste
mundo sofrem, quer estejam
num trono ou na miséria...
...mas ah!, poucos sofrem
bem, poucos
compreendem que
somente as provas bem
suportadas podem
conduzir ao Reino de
Deus.
O desânimo é uma
falta; Deus vos nega
consolações, se não
tiverdes coragem.
A prece é um sustentáculo da
alma, mas não é suficiente por si
só: é necessário que se apoie
numa fé ardente na bondade de
Deus.
Tendes ouvido frequentemente
que Ele não põe um fardo pesado
em ombros frágeis.
O fardo é proporcional às forças,
como a recompensa será proporcional
à resignação e à coragem.
A recompensa será tanto
mais esplendente, quanto
mais penosa tiver sido a
aflição.
Mas essa recompensa deve
ser merecida, e é por isso
que a vida está cheia de
tribulações.
No estado errante, antes de nova existência
corpórea, o Espírito tem consciência e previsão do
que lhe vai acontecer durante a vida?
258. - LE
— Ele mesmo
escolhe o gênero de
provas que deseja
sofrer; nisto consisteo
seu livre-arbítrio.
Não é Deus quem lhe impõe as
tribulações da vida, como castigo?
258. A) . - LE
— Nada acontece sem
a permissão de Deus,
porque foi ele quem
estabeleceu todas as leis
que regem, o Universo.
Perguntareis agora por
que ele fez tal lei em vez
de tal outra
Dando ao Espírito a
liberdade de escolha, deixa-
lhe toda a responsabilidade
dos seus atos e das suas
consequências; nada lhe
estorva o futuro; o caminho
do bem está à sua frente,
como o do mal.
Mas se sucumbir, ainda lhe resta
uma consolação, a de que nem
tudo se acabou para ele, pois
Deus, na sua bondade, permite-
lhe recomeçar o que foi malfeito.
É necessário distinguir o que é
obra da vontade de Deus e o
que é da vontade do homem.
Se um perigo vos ameaça,
não fostes vós que o criastes,
mas Deus; tivestes, porém, a
vontade de vos expordes a
ele, porque o considerastes
um meio de adiantamento; e
Deus o permitiu.
O militar que não é enviado à
frente de batalha não fica
satisfeito, porque o repouso no
acampamento não lhe
proporciona nenhuma
promoção. Sede como o
militar, e não aspires a um
repouso que enfraqueceria o
vosso corpo e entorpeceria a
vossa alma.
Ficai satisfeitos, quando Deus
vos envia à luta. Essa luta não é o
fogo das batalhas, mas as
amarguras da vida, onde muitas
vezes necessitamos de mais
coragem que um combate
sangrento, pois aquele que
enfrenta firmemente o inimigo
poderá cair sob o impacto de um
sofrimento moral
O homem não recebe
nenhuma recompensa por
essa espécie de coragem, mas
Deus lhe reserva os seus louros
e um lugar glorioso.
Quando vos atingir um motivo
de dor ou de contrariedade,
tratai de elevar-vos acima das
circunstâncias.
...Combati o bom combate,
terminei a minha carreira,
guardei a fé. (2Timóteo 4,6-8).
E quando chegardes a
dominar os impulsos da
impaciência, da cólera ou
do desespero, dizei, com
justa satisfação: “Eu fui o
mais forte”!
II – O Mal E O Remédio
19 – Vossa terra é por acaso um
lugar de alegrias, um paraíso de
delicias? A voz do profeta não soa
ainda aos vossos ouvidos? Não
clamou ele que haveria choro e
ranger de dentes para os que
nascessem neste vale de dores?
A terra se encontra na segunda categoria
de mundos – Mundo de expiação e
provas.
Se o Espírito escolhe o gênero de provas que
deve sofrer, todas as tribulações da vida
foram previstas e escolhidas por nós?
259. - LE
— Todas, não, pois não se
pode dizer que escolhestes e
previstes tudo oque vos acontece
no mundo, até as menores coisas.
Escolhestes o gênero de provas; os
detalhes são consequências da
posição escolhida, e
frequentemente vossas próprias
ações.
Como desencarnados, quando
vagáveis no espaço, escolhestes as
vossas prova, porque vos
consideráveis bastantes fortes para
suportá-la. Por que murmurais
agora? Vós que pedistes a fortuna
e a glória, o fizestes para sustentar
a luta com a tentação e vencê-la.
Que remédios, pois,
poderíamos dar aos que
foram atingidos por
obsessões cruéis e males
pungentes?
Um só é infalível: a fé,
voltar os olhos para o céu.
Se, no auge de vossos mais cruéis
sofrimentos, cantardes em louvor
ao Senhor, o anjo de vossa guarda
vos mostrará o símbolo da
salvação e o lugar que devereis
ocupar um dia.
Phides = Fidelidade
A fé é o remédio certo para
o sofrimento.
Ela aponta sempre os
horizontes do infinito, ante
os quais se esvaem os
poucos dias de sombras do
presente.
Fé Humana
Fé Divina
Não mais nos pergunteis,
portanto, qual o remédio
que curará tal úlcera ou
tal chaga, esta tentação
ou aquela prova.
Lembrai-vos de que aquele
que crê se fortalece com o
remédio da fé, e aquele que
duvida um segundo da sua
eficácia é punido, na mesma
hora, porque sente
imediatamente as angústias
pungentes da aflição.
“Disseram então os apóstolos ao
Senhor: Aumenta-nos a fé.
“Respondeu o Senhor: Se tivésseis fé
como um grão de mostarda, diríeis a
esta amoreira: Desarraiga-te, e planta-
te no mar; e ela vos obedeceria.” – (Lucas
17.5,6)
Como um grão e não do
tamanho.
A responsabilidade de aumentar a fé
não era de Deus, mas deles mesmo!
E então ensina-os como faze-lo:
usando
a lei de semeadura e ceifa.
O Senhor pôs o seu selo em todos
os que creem nele.
Cristo vos disse que a fé transporta
montanhas.
Eu vos digo que aquele que sofre e
que tiver a fé como apoio, será
colocado sob a sua proteção e não
sofrerá mais.
Os momentos mais dolorosos serão
para ele como as primeiras notas de
alegria da eternidade. Sua alma se
desprenderá de tal maneira de seu
corpo, que, enquanto este se torcer
em convulsões, ela pairará nas regiões
celestes, cantando com os anjos os
hinos de reconhecimento e de glória
ao Senhor.
Felizes os que sofrem e
choram! Que suas almas se
alegrem, porque serão
atendidas por Deus.
Uma linda noite e uma Feliz Semana!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEMA autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Marcelo do Nascimento Rodrigues
 
Bem aventurados os aflitos
Bem aventurados os aflitos Bem aventurados os aflitos
Bem aventurados os aflitos
Ponte de Luz ASEC
 
Bem aventurados os aflitos!
Bem aventurados os aflitos!Bem aventurados os aflitos!
Bem aventurados os aflitos!
Leonardo Pereira
 
Estudos do evangelho 5
Estudos do evangelho 5Estudos do evangelho 5
Estudos do evangelho 5
Leonardo Pereira
 
Causas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshareCausas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshare
Almir Silva
 
Estudos do evangelho - continuação - Bem aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - continuação - Bem aventurados os Aflitos Estudos do evangelho - continuação - Bem aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - continuação - Bem aventurados os Aflitos
Leonardo Pereira
 
Saber Sofrer
Saber SofrerSaber Sofrer
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
Leonardo Pereira
 
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
Patricia Farias
 
Bem-aventurados os aflitos - Wilma Badan
Bem-aventurados os aflitos - Wilma BadanBem-aventurados os aflitos - Wilma Badan
Bem-aventurados os aflitos - Wilma Badan
Wilma Badan C.G.
 
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
Danilo Galvão
 
Ansiedade - Bem-aventurados os aflitos
Ansiedade - Bem-aventurados os aflitosAnsiedade - Bem-aventurados os aflitos
Ansiedade - Bem-aventurados os aflitos
Ricardo Azevedo
 
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitos
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitosCapítulo 5 Bem aventurados os aflitos
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitos
Roberta Andrade
 
Reflexões oportunas!
Reflexões oportunas!Reflexões oportunas!
Reflexões oportunas!
Leonardo Pereira
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Divulgador do Espiritismo
 
Justiça das Aflições
Justiça das AfliçõesJustiça das Aflições
Justiça das Aflições
igmateus
 
Bem aventurados os aflitos!
Bem aventurados os aflitos! Bem aventurados os aflitos!
Bem aventurados os aflitos!
Leonardo Pereira
 
Provas voluntárias
Provas voluntáriasProvas voluntárias
Provas voluntárias
Izabel Cristina Fonseca
 
Causas das aflições
Causas das afliçõesCausas das aflições
Causas das aflições
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Aula 04 causas atuais e anteriores das aflições
Aula 04   causas atuais e anteriores das afliçõesAula 04   causas atuais e anteriores das aflições
Aula 04 causas atuais e anteriores das aflições
carlos freire
 

Mais procurados (20)

A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEMA autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
 
Bem aventurados os aflitos
Bem aventurados os aflitos Bem aventurados os aflitos
Bem aventurados os aflitos
 
Bem aventurados os aflitos!
Bem aventurados os aflitos!Bem aventurados os aflitos!
Bem aventurados os aflitos!
 
Estudos do evangelho 5
Estudos do evangelho 5Estudos do evangelho 5
Estudos do evangelho 5
 
Causas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshareCausas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshare
 
Estudos do evangelho - continuação - Bem aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - continuação - Bem aventurados os Aflitos Estudos do evangelho - continuação - Bem aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - continuação - Bem aventurados os Aflitos
 
Saber Sofrer
Saber SofrerSaber Sofrer
Saber Sofrer
 
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
 
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 5 item11
 
Bem-aventurados os aflitos - Wilma Badan
Bem-aventurados os aflitos - Wilma BadanBem-aventurados os aflitos - Wilma Badan
Bem-aventurados os aflitos - Wilma Badan
 
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
Causas anteriores das aflições - palestra espírita - Danilo Galvão SAJ
 
Ansiedade - Bem-aventurados os aflitos
Ansiedade - Bem-aventurados os aflitosAnsiedade - Bem-aventurados os aflitos
Ansiedade - Bem-aventurados os aflitos
 
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitos
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitosCapítulo 5 Bem aventurados os aflitos
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitos
 
Reflexões oportunas!
Reflexões oportunas!Reflexões oportunas!
Reflexões oportunas!
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
 
Justiça das Aflições
Justiça das AfliçõesJustiça das Aflições
Justiça das Aflições
 
Bem aventurados os aflitos!
Bem aventurados os aflitos! Bem aventurados os aflitos!
Bem aventurados os aflitos!
 
Provas voluntárias
Provas voluntáriasProvas voluntárias
Provas voluntárias
 
Causas das aflições
Causas das afliçõesCausas das aflições
Causas das aflições
 
Aula 04 causas atuais e anteriores das aflições
Aula 04   causas atuais e anteriores das afliçõesAula 04   causas atuais e anteriores das aflições
Aula 04 causas atuais e anteriores das aflições
 

Destaque

Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19
Leonardo Pereira
 
Estudos do evangelho 20
Estudos do evangelho 20Estudos do evangelho 20
Estudos do evangelho 20
Leonardo Pereira
 
No mundo tereis aflição
No mundo tereis afliçãoNo mundo tereis aflição
No mundo tereis aflição
Graça Maciel
 
Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21
Leonardo Pereira
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
Izabel Cristina Fonseca
 
Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrerBem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
Helio Cruz
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Divulgador do Espiritismo
 
A IMPORTANCIA DA DOR
A  IMPORTANCIA DA DORA  IMPORTANCIA DA DOR
A IMPORTANCIA DA DOR
Fatima Carvalho
 
Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda
Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostardaEu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda
Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda
antonio ferreira
 
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Leonardo Pereira
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
Jorge Luiz dos Santos
 
Estudos do evangelho 17
Estudos do evangelho 17Estudos do evangelho 17
Estudos do evangelho 17
Leonardo Pereira
 
Estudos do evangelho 7
Estudos do evangelho 7Estudos do evangelho 7
Estudos do evangelho 7
Leonardo Pereira
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
Fórum Espírita
 
6 ª Oficina dos sentimentos
6 ª Oficina dos sentimentos 6 ª Oficina dos sentimentos
6 ª Oficina dos sentimentos
Leonardo Pereira
 
Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011
Daniela Azevedo
 
Estudos do evangelho 9
Estudos do evangelho 9Estudos do evangelho 9
Estudos do evangelho 9
Leonardo Pereira
 
Slide 1
Slide 1Slide 1
Slide 1
VisualBee.com
 
Estudos do Evangelho - 10
Estudos do Evangelho - 10Estudos do Evangelho - 10
Estudos do Evangelho - 10
Leonardo Pereira
 
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira). Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 

Destaque (20)

Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19
 
Estudos do evangelho 20
Estudos do evangelho 20Estudos do evangelho 20
Estudos do evangelho 20
 
No mundo tereis aflição
No mundo tereis afliçãoNo mundo tereis aflição
No mundo tereis aflição
 
Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
 
Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrerBem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
 
A IMPORTANCIA DA DOR
A  IMPORTANCIA DA DORA  IMPORTANCIA DA DOR
A IMPORTANCIA DA DOR
 
Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda
Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostardaEu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda
Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda
 
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
Estudos do evangelho 17
Estudos do evangelho 17Estudos do evangelho 17
Estudos do evangelho 17
 
Estudos do evangelho 7
Estudos do evangelho 7Estudos do evangelho 7
Estudos do evangelho 7
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
 
6 ª Oficina dos sentimentos
6 ª Oficina dos sentimentos 6 ª Oficina dos sentimentos
6 ª Oficina dos sentimentos
 
Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011
 
Estudos do evangelho 9
Estudos do evangelho 9Estudos do evangelho 9
Estudos do evangelho 9
 
Slide 1
Slide 1Slide 1
Slide 1
 
Estudos do Evangelho - 10
Estudos do Evangelho - 10Estudos do Evangelho - 10
Estudos do Evangelho - 10
 
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira). Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
 

Semelhante a Estudos do evangelho - Continuação - Bem aventurados os Aflitos 4

Evangelho Cap5 item18
Evangelho Cap5 item18Evangelho Cap5 item18
Evangelho Cap5 item18
Patricia Farias
 
Sofrimento e seus beneficios
Sofrimento e seus beneficiosSofrimento e seus beneficios
Sofrimento e seus beneficios
Pastor Robson Colaço
 
Evangelho Cap5 item26
Evangelho Cap5 item26Evangelho Cap5 item26
Evangelho Cap5 item26
Patricia Farias
 
O drama do sofrimento do justo
O drama do sofrimento do justoO drama do sofrimento do justo
O drama do sofrimento do justo
Eid Marques
 
ESTUDO ESPIRITA SOBRE PROVAS E EXPIAÇÕES
ESTUDO ESPIRITA SOBRE PROVAS E EXPIAÇÕESESTUDO ESPIRITA SOBRE PROVAS E EXPIAÇÕES
ESTUDO ESPIRITA SOBRE PROVAS E EXPIAÇÕES
LuizHenriqueTDias
 
Superando o sofrimento
Superando o sofrimentoSuperando o sofrimento
Superando o sofrimento
Pastor Robson Colaço
 
Viver pela Fe nas Dificuldades John Owen
Viver pela Fe nas Dificuldades John OwenViver pela Fe nas Dificuldades John Owen
Viver pela Fe nas Dificuldades John Owen
Silvio Dutra
 
Aflito, Porem Bem Aventurado
Aflito,  Porem Bem Aventurado Aflito,  Porem Bem Aventurado
Aflito, Porem Bem Aventurado
Clea Alves
 
Adversidade
AdversidadeAdversidade
A cura das almas abatidas 2 - Christopher Love
A cura das almas abatidas 2  -  Christopher LoveA cura das almas abatidas 2  -  Christopher Love
A cura das almas abatidas 2 - Christopher Love
Silvio Dutra
 
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
Candice Gunther
 
Aprendendo
AprendendoAprendendo
BEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsxBEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsx
RonaldoTavaresGomes
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 89 - Bem-aventuranças
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 89 - Bem-aventurançasSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 89 - Bem-aventuranças
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 89 - Bem-aventuranças
Ricardo Azevedo
 
Sofrimento e Seus BenefíCios
Sofrimento e Seus BenefíCiosSofrimento e Seus BenefíCios
Sofrimento e Seus BenefíCios
lucena
 
Adversidade
AdversidadeAdversidade
Meu jardim
Meu jardimMeu jardim
Meu jardim
Andreia Quesada
 
Suportando a provação_342014_GGR
Suportando a provação_342014_GGRSuportando a provação_342014_GGR
Suportando a provação_342014_GGR
Gerson G. Ramos
 
Estudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espíritoEstudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espírito
Reginaldo Pacheco
 
As aflições do santo
As aflições do santoAs aflições do santo
As aflições do santo
Silvio Dutra
 

Semelhante a Estudos do evangelho - Continuação - Bem aventurados os Aflitos 4 (20)

Evangelho Cap5 item18
Evangelho Cap5 item18Evangelho Cap5 item18
Evangelho Cap5 item18
 
Sofrimento e seus beneficios
Sofrimento e seus beneficiosSofrimento e seus beneficios
Sofrimento e seus beneficios
 
Evangelho Cap5 item26
Evangelho Cap5 item26Evangelho Cap5 item26
Evangelho Cap5 item26
 
O drama do sofrimento do justo
O drama do sofrimento do justoO drama do sofrimento do justo
O drama do sofrimento do justo
 
ESTUDO ESPIRITA SOBRE PROVAS E EXPIAÇÕES
ESTUDO ESPIRITA SOBRE PROVAS E EXPIAÇÕESESTUDO ESPIRITA SOBRE PROVAS E EXPIAÇÕES
ESTUDO ESPIRITA SOBRE PROVAS E EXPIAÇÕES
 
Superando o sofrimento
Superando o sofrimentoSuperando o sofrimento
Superando o sofrimento
 
Viver pela Fe nas Dificuldades John Owen
Viver pela Fe nas Dificuldades John OwenViver pela Fe nas Dificuldades John Owen
Viver pela Fe nas Dificuldades John Owen
 
Aflito, Porem Bem Aventurado
Aflito,  Porem Bem Aventurado Aflito,  Porem Bem Aventurado
Aflito, Porem Bem Aventurado
 
Adversidade
AdversidadeAdversidade
Adversidade
 
A cura das almas abatidas 2 - Christopher Love
A cura das almas abatidas 2  -  Christopher LoveA cura das almas abatidas 2  -  Christopher Love
A cura das almas abatidas 2 - Christopher Love
 
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
 
Aprendendo
AprendendoAprendendo
Aprendendo
 
BEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsxBEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 89 - Bem-aventuranças
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 89 - Bem-aventurançasSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 89 - Bem-aventuranças
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 89 - Bem-aventuranças
 
Sofrimento e Seus BenefíCios
Sofrimento e Seus BenefíCiosSofrimento e Seus BenefíCios
Sofrimento e Seus BenefíCios
 
Adversidade
AdversidadeAdversidade
Adversidade
 
Meu jardim
Meu jardimMeu jardim
Meu jardim
 
Suportando a provação_342014_GGR
Suportando a provação_342014_GGRSuportando a provação_342014_GGR
Suportando a provação_342014_GGR
 
Estudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espíritoEstudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espírito
 
As aflições do santo
As aflições do santoAs aflições do santo
As aflições do santo
 

Mais de Leonardo Pereira

Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência" Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência"
Leonardo Pereira
 
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Leonardo Pereira
 
E a morte o fim da vida
E a morte o fim da vidaE a morte o fim da vida
E a morte o fim da vida
Leonardo Pereira
 
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 1
Escutando sentimentos  cap 1Escutando sentimentos  cap 1
Escutando sentimentos cap 1
Leonardo Pereira
 
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortalO apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
Leonardo Pereira
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução
Leonardo Pereira
 
Prisões mentais
Prisões mentaisPrisões mentais
Prisões mentais
Leonardo Pereira
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediados
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 

Mais de Leonardo Pereira (20)

Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência" Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência"
 
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"
 
E a morte o fim da vida
E a morte o fim da vidaE a morte o fim da vida
E a morte o fim da vida
 
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
 
Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10
 
Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08
 
Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06
 
Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04
 
Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03
 
Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02
 
Escutando sentimentos cap 1
Escutando sentimentos  cap 1Escutando sentimentos  cap 1
Escutando sentimentos cap 1
 
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortalO apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução
 
Prisões mentais
Prisões mentaisPrisões mentais
Prisões mentais
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediados
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 

Último

Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 

Último (14)

Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 

Estudos do evangelho - Continuação - Bem aventurados os Aflitos 4

  • 1. Estudos do Evangelho Capítulo 5 - Bem aventurados os aflitos Instruções dos Espíritos 1 e 2 itens 18 e 19 Leonardo Pereira
  • 2. I – Bem Sofrer E Mal Sofrer II – O Mal E O Remédio
  • 3. O evangelho e o Livro dos Espíritos
  • 4. Qual é a finalidade da encarnação dos Espíritos? 132 - LE
  • 5. — Deus a impõe com o fim de levá-los à perfeição: para uns, é uma expiação; para outros, uma missão. Mas, para chegar a essa perfeição, eles devem sofrer todas as vicissitudes da existência corpórea; nisto é que está a expiação.
  • 6. A encarnação tem ainda outra finalidade, que é a de pôr o Espírito em condições de enfrentar a sua parte na obra da Criação.
  • 7. É para executá-la que ele toma um aparelho em cada mundo, em harmonia com a matéria essencial do mesmo, afim de nele cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. E dessa maneira, concorrendo para a obra geral, também progredir.
  • 8. Os Espíritos que, desde o princípio, seguiram o caminho do bem têm necessidade da encarnação? 133. - LE
  • 9. — Todos são criados simples e ignorantes e se instruem através das lutas e atribulações da vida corporal. Deus, que é justo, não podia fazer feliz a uns, sem penas e sem trabalhos, e por conseguinte sem mérito.
  • 10. Mas então de que serve aos Espíritos seguirem o caminho do bem, se isso não os isenta das penas da vida corporal? 133. a) - LE
  • 11. — Chegam mais depressa ao alvo. Além disso, as penas da vida são frequentemente a consequência da imperfeição do Espírito. Quanto menos imperfeito ele for, menos tormentos sofrerá.
  • 12. Aquele que não for invejoso, nem ciumento, nem avarento ou ambicioso, não passará pelos tormentos que se originam desses defeitos.
  • 13. 18 – Quando Cristo disse: “Bem-aventurados os aflitos, porque deles é o Reino dos Céus”, não se referia aos sofredores em geral, porque todos os que estão neste mundo sofrem, quer estejam num trono ou na miséria...
  • 14. ...mas ah!, poucos sofrem bem, poucos compreendem que somente as provas bem suportadas podem conduzir ao Reino de Deus.
  • 15. O desânimo é uma falta; Deus vos nega consolações, se não tiverdes coragem.
  • 16. A prece é um sustentáculo da alma, mas não é suficiente por si só: é necessário que se apoie numa fé ardente na bondade de Deus.
  • 17. Tendes ouvido frequentemente que Ele não põe um fardo pesado em ombros frágeis.
  • 18. O fardo é proporcional às forças, como a recompensa será proporcional à resignação e à coragem.
  • 19. A recompensa será tanto mais esplendente, quanto mais penosa tiver sido a aflição. Mas essa recompensa deve ser merecida, e é por isso que a vida está cheia de tribulações.
  • 20. No estado errante, antes de nova existência corpórea, o Espírito tem consciência e previsão do que lhe vai acontecer durante a vida? 258. - LE
  • 21. — Ele mesmo escolhe o gênero de provas que deseja sofrer; nisto consisteo seu livre-arbítrio.
  • 22. Não é Deus quem lhe impõe as tribulações da vida, como castigo? 258. A) . - LE
  • 23. — Nada acontece sem a permissão de Deus, porque foi ele quem estabeleceu todas as leis que regem, o Universo. Perguntareis agora por que ele fez tal lei em vez de tal outra
  • 24. Dando ao Espírito a liberdade de escolha, deixa- lhe toda a responsabilidade dos seus atos e das suas consequências; nada lhe estorva o futuro; o caminho do bem está à sua frente, como o do mal.
  • 25. Mas se sucumbir, ainda lhe resta uma consolação, a de que nem tudo se acabou para ele, pois Deus, na sua bondade, permite- lhe recomeçar o que foi malfeito. É necessário distinguir o que é obra da vontade de Deus e o que é da vontade do homem.
  • 26. Se um perigo vos ameaça, não fostes vós que o criastes, mas Deus; tivestes, porém, a vontade de vos expordes a ele, porque o considerastes um meio de adiantamento; e Deus o permitiu.
  • 27. O militar que não é enviado à frente de batalha não fica satisfeito, porque o repouso no acampamento não lhe proporciona nenhuma promoção. Sede como o militar, e não aspires a um repouso que enfraqueceria o vosso corpo e entorpeceria a vossa alma.
  • 28. Ficai satisfeitos, quando Deus vos envia à luta. Essa luta não é o fogo das batalhas, mas as amarguras da vida, onde muitas vezes necessitamos de mais coragem que um combate sangrento, pois aquele que enfrenta firmemente o inimigo poderá cair sob o impacto de um sofrimento moral
  • 29. O homem não recebe nenhuma recompensa por essa espécie de coragem, mas Deus lhe reserva os seus louros e um lugar glorioso. Quando vos atingir um motivo de dor ou de contrariedade, tratai de elevar-vos acima das circunstâncias.
  • 30. ...Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé. (2Timóteo 4,6-8).
  • 31. E quando chegardes a dominar os impulsos da impaciência, da cólera ou do desespero, dizei, com justa satisfação: “Eu fui o mais forte”!
  • 32. II – O Mal E O Remédio
  • 33. 19 – Vossa terra é por acaso um lugar de alegrias, um paraíso de delicias? A voz do profeta não soa ainda aos vossos ouvidos? Não clamou ele que haveria choro e ranger de dentes para os que nascessem neste vale de dores?
  • 34. A terra se encontra na segunda categoria de mundos – Mundo de expiação e provas.
  • 35. Se o Espírito escolhe o gênero de provas que deve sofrer, todas as tribulações da vida foram previstas e escolhidas por nós? 259. - LE
  • 36. — Todas, não, pois não se pode dizer que escolhestes e previstes tudo oque vos acontece no mundo, até as menores coisas. Escolhestes o gênero de provas; os detalhes são consequências da posição escolhida, e frequentemente vossas próprias ações.
  • 37. Como desencarnados, quando vagáveis no espaço, escolhestes as vossas prova, porque vos consideráveis bastantes fortes para suportá-la. Por que murmurais agora? Vós que pedistes a fortuna e a glória, o fizestes para sustentar a luta com a tentação e vencê-la.
  • 38. Que remédios, pois, poderíamos dar aos que foram atingidos por obsessões cruéis e males pungentes?
  • 39. Um só é infalível: a fé, voltar os olhos para o céu. Se, no auge de vossos mais cruéis sofrimentos, cantardes em louvor ao Senhor, o anjo de vossa guarda vos mostrará o símbolo da salvação e o lugar que devereis ocupar um dia.
  • 41. A fé é o remédio certo para o sofrimento. Ela aponta sempre os horizontes do infinito, ante os quais se esvaem os poucos dias de sombras do presente.
  • 44. Não mais nos pergunteis, portanto, qual o remédio que curará tal úlcera ou tal chaga, esta tentação ou aquela prova.
  • 45. Lembrai-vos de que aquele que crê se fortalece com o remédio da fé, e aquele que duvida um segundo da sua eficácia é punido, na mesma hora, porque sente imediatamente as angústias pungentes da aflição.
  • 46. “Disseram então os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé.
  • 47. “Respondeu o Senhor: Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te, e planta- te no mar; e ela vos obedeceria.” – (Lucas 17.5,6)
  • 48. Como um grão e não do tamanho. A responsabilidade de aumentar a fé não era de Deus, mas deles mesmo! E então ensina-os como faze-lo: usando a lei de semeadura e ceifa.
  • 49. O Senhor pôs o seu selo em todos os que creem nele. Cristo vos disse que a fé transporta montanhas. Eu vos digo que aquele que sofre e que tiver a fé como apoio, será colocado sob a sua proteção e não sofrerá mais.
  • 50. Os momentos mais dolorosos serão para ele como as primeiras notas de alegria da eternidade. Sua alma se desprenderá de tal maneira de seu corpo, que, enquanto este se torcer em convulsões, ela pairará nas regiões celestes, cantando com os anjos os hinos de reconhecimento e de glória ao Senhor.
  • 51. Felizes os que sofrem e choram! Que suas almas se alegrem, porque serão atendidas por Deus.
  • 52. Uma linda noite e uma Feliz Semana!