SlideShare uma empresa Scribd logo
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
“Bem-aventurados os que choram,
porque serão consolados. Bem-
aventurados os que têm fome e sede de
justiça, porque serão fartos. Bem
aventurados os que padecem perseguição
por amor da justiça, porque deles é o
Reino dos Céus.”
Jesus
Mateus, 5:5,6,10
finalidade da encarnação
“ – Deus a impõe com o fim de
leva-los à perfeição: para uns, é
uma expiação; para outros, uma
missão. Mas, para chegar a essa
perfeição, eles devem sofrer todas
as vicissitudes da existência
corpórea: nisto é que está a
expiação.”
“O Livro dos Espíritos, questão nº 132
“Vossa Terra é por acaso um lugar de
alegrias, um paraíso de delícias? A
voz do profeta não soa ainda aos
vossos ouvidos? Não clamou ele que
haveria choro e ranger de dentes para
os que nascessem neste vale de
dores?”
O E.S.E., V:19
“(...) as penas da vida são
frequentemente a consequência da
imperfeição do Espírito. Quanto
menos imperfeito ele for, menos
tormento sofrerá. Aquele que não
for invejoso, nem ciumento, nem
avarento ou ambicioso, não passará
pelos tormentos que se originam
desses defeitos.”
“O Livro dos Espíritos, questão nº 133”a”
“No estado errante, antes de nova
existência corpórea, o Espírito tem
consciência e previsão do que lhe vai
acontecer durante a vida?
- Ele mesmo escolhe o gênero de
provas que deseja sofrer; nisto
consiste o seu livre-arbítrio.”
“O Livro dos Espíritos, questão nº 258
“Como desencarnados, quando
vagáveis no espaço, escolhestes a
vossa prova, porque vos
consideráveis bastante fortes para
suportá-la. Por que murmurais
agora.”
“O E.S.E.”, V:19
origem do bem e do mal
“Pode dizer-se que o mal é a ausência do
bem, como o frio é a ausência do calor. Assim
como o frio não é um fluido especial, também
o mal não é atributo distinto; um é o
negativo do outro. Onde não existe o bem,
forçosamente existe o mal. Não praticar o
mal, já é um princípio do bem. Deus somente
quer o bem; só do homem procede o mal.”
“A Gênese”, III:8
“ – o bem é tudo o que está de
acordo com a lei de Deus e o
mal é tudo o que dela se
afasta. Assim, fazer o bem é se
conformar à lei de Deus; fazer
o mal é infringir essa lei.”
“O Livro dos Espíritos, questão nº 631
“Onde está escrita a
lei de Deus?
- Na consciência.”
“O Livro dos Espíritos, questão nº 621
“Os males de toda espécie , físicos e
morais, que afligem a humanidade,
apresentam duas categorias que é
necessário distinguir: há os males
que o homem pode evitar, e os que
são independentes de sua vontade.
Entre estes últimos, colocam-se os
flagelos naturais.”
“A Gênese”, III:3
causas das aflições
“- Quando comeis demais, isso vos faz mal. Pois
bem: e Deus que vos dá a medida do que vos
falta. Quando a ultrapassais, sois punidos. O
mesmo se dá com tudo o mais. A lei natural
traça para o homem o limite de suas
necessidades, quando ele o ultrapassa é punido
pelo sofrimento. Se o homem escutasse, em todas
as coisas, essa voz que diz: chega, evitaria a
maior parte dos males que acusa a Natureza.”
“O Livro dos Espíritos, questão nº 633
“As vicissitudes da vida são de duas
espécies, ou, se quisermos, têm duas
origens bem diversas, que importa
distinguir: umas têm sua causa na
vida presente; outras, fora desta
vida.”
“O E.S.E”., V:4
remédio doloroso
“a dor é o aguilhão
que empurra o
homem para frente
na via do
progresso.”
“A Gênese”, III:5
“Que remédios, pois, poderíamos
dar aos que foram atingidos por
obsessões cruéis e males
pungentes? Um só e infalível: a
fé, voltar os olhos para o céu.
(...) A fé é o remédio certo para o
sofrimento.”
“O E.S.E”., V:19
“(...) Eu vos digo que aquele
que sofre e que tiver a fé
como apoio, será colocado sob
a sua proteção e não sofrerá
mais Os momentos mais
dolorosos serão para ele como
as primeiras notas de alegria
da eternidade.”
“O E.S.E”., V:19
“Essa é a lei da justiça
divina: a cada um
segundo as suas obras,
tanto no céu como na
Terra.” (Allan Kardec)
“O Céu e o Inferno”, VII:33

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Divulgador do Espiritismo
 
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão EspíritaAFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudaráAjuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Graça Maciel
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
paikachambi
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
Graça Maciel
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
Clair Bianchini
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
Terra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritosTerra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritos
bonattinho
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
Ponte de Luz ASEC
 
Desencarne na visão espírita
Desencarne na visão espíritaDesencarne na visão espírita
Desencarne na visão espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
Jorge Luiz dos Santos
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Divulgador do Espiritismo
 
3.8 - Lei do Progresso.pptx
3.8 - Lei do Progresso.pptx3.8 - Lei do Progresso.pptx
3.8 - Lei do Progresso.pptx
Marta Gomes
 
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMOMEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
Jorge Luiz dos Santos
 
Provas voluntárias
Provas voluntáriasProvas voluntárias
Provas voluntárias
Izabel Cristina Fonseca
 
Leis divinas
Leis divinasLeis divinas
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da ViuvaEvangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Patricia Farias
 
MISSÃO DOS ESPÍRITAS
MISSÃO DOS ESPÍRITASMISSÃO DOS ESPÍRITAS
MISSÃO DOS ESPÍRITAS
Jorge Luiz dos Santos
 
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiososPalestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Tiburcio Santos
 

Mais procurados (20)

Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
 
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão EspíritaAFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
 
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudaráAjuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
Terra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritosTerra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritos
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
 
Desencarne na visão espírita
Desencarne na visão espíritaDesencarne na visão espírita
Desencarne na visão espírita
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
 
3.8 - Lei do Progresso.pptx
3.8 - Lei do Progresso.pptx3.8 - Lei do Progresso.pptx
3.8 - Lei do Progresso.pptx
 
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMOMEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
 
Provas voluntárias
Provas voluntáriasProvas voluntárias
Provas voluntárias
 
Leis divinas
Leis divinasLeis divinas
Leis divinas
 
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da ViuvaEvangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
 
MISSÃO DOS ESPÍRITAS
MISSÃO DOS ESPÍRITASMISSÃO DOS ESPÍRITAS
MISSÃO DOS ESPÍRITAS
 
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiososPalestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
 

Destaque

Slide 1
Slide 1Slide 1
Slide 1
VisualBee.com
 
Cei 100428-ii-cap.5 e 6-espíritos suicidas e criminosos arrependidos
Cei 100428-ii-cap.5 e 6-espíritos suicidas e criminosos arrependidosCei 100428-ii-cap.5 e 6-espíritos suicidas e criminosos arrependidos
Cei 100428-ii-cap.5 e 6-espíritos suicidas e criminosos arrependidos
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Conversando o Evangelho - Suicídio
Conversando o Evangelho - SuicídioConversando o Evangelho - Suicídio
Conversando o Evangelho - Suicídio
Fatoze
 
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitos
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitosCapítulo 5 Bem aventurados os aflitos
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitos
Roberta Andrade
 
Motivos de resignação
Motivos de resignaçãoMotivos de resignação
Motivos de resignação
Ponte de Luz ASEC
 
Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrerBem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
Helio Cruz
 

Destaque (6)

Slide 1
Slide 1Slide 1
Slide 1
 
Cei 100428-ii-cap.5 e 6-espíritos suicidas e criminosos arrependidos
Cei 100428-ii-cap.5 e 6-espíritos suicidas e criminosos arrependidosCei 100428-ii-cap.5 e 6-espíritos suicidas e criminosos arrependidos
Cei 100428-ii-cap.5 e 6-espíritos suicidas e criminosos arrependidos
 
Conversando o Evangelho - Suicídio
Conversando o Evangelho - SuicídioConversando o Evangelho - Suicídio
Conversando o Evangelho - Suicídio
 
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitos
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitosCapítulo 5 Bem aventurados os aflitos
Capítulo 5 Bem aventurados os aflitos
 
Motivos de resignação
Motivos de resignaçãoMotivos de resignação
Motivos de resignação
 
Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrerBem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
 

Semelhante a DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)

Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
Andreia Quesada
 
Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Respostas_Discipulando os enfermos_512014Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Gerson G. Ramos
 
LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27
Patricia Farias
 
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptxFLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
ssuser9b8021
 
Imortalidade Da Alma
Imortalidade Da  AlmaImortalidade Da  Alma
Imortalidade Da Alma
Pastor Robson Colaço
 
32 Adventismo (Parte 5)
32   Adventismo (Parte 5)32   Adventismo (Parte 5)
32 Adventismo (Parte 5)
Robson Tavares Fernandes
 
Book cristo aquele-que-cura
Book cristo aquele-que-curaBook cristo aquele-que-cura
Book cristo aquele-que-cura
tadslideshare
 
Imortalidade da alma
Imortalidade da almaImortalidade da alma
Imortalidade da alma
Pastor Robson Colaço
 
LE Q629 e ESE cap.5 item26
LE Q629 e ESE cap.5 item26LE Q629 e ESE cap.5 item26
LE Q629 e ESE cap.5 item26
Patricia Farias
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Quer voce queira ou nao
Quer voce queira ou naoQuer voce queira ou nao
Quer voce queira ou nao
Fer Nanda
 
Salvação e arrependimento
Salvação e arrependimentoSalvação e arrependimento
Salvação e arrependimento
Joselito Machado
 
Evangeliza - Desgraça Real
Evangeliza - Desgraça RealEvangeliza - Desgraça Real
Evangeliza - Desgraça Real
Antonino Silva
 
Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada
Claudio Macedo
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Erberson Pinheiro
 
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Patricia Farias
 
Respostas_422016_fé e cura_GGR
Respostas_422016_fé e cura_GGRRespostas_422016_fé e cura_GGR
Respostas_422016_fé e cura_GGR
Gerson G. Ramos
 
As bênçãos dos justos_Lição_original com textos_512015
As bênçãos dos justos_Lição_original com textos_512015As bênçãos dos justos_Lição_original com textos_512015
As bênçãos dos justos_Lição_original com textos_512015
Gerson G. Ramos
 
BEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsxBEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsx
RonaldoTavaresGomes
 
Curso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo BíblicoCurso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo Bíblico
Pés Descalços
 

Semelhante a DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO) (20)

Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
 
Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Respostas_Discipulando os enfermos_512014Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Respostas_Discipulando os enfermos_512014
 
LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27
 
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptxFLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
 
Imortalidade Da Alma
Imortalidade Da  AlmaImortalidade Da  Alma
Imortalidade Da Alma
 
32 Adventismo (Parte 5)
32   Adventismo (Parte 5)32   Adventismo (Parte 5)
32 Adventismo (Parte 5)
 
Book cristo aquele-que-cura
Book cristo aquele-que-curaBook cristo aquele-que-cura
Book cristo aquele-que-cura
 
Imortalidade da alma
Imortalidade da almaImortalidade da alma
Imortalidade da alma
 
LE Q629 e ESE cap.5 item26
LE Q629 e ESE cap.5 item26LE Q629 e ESE cap.5 item26
LE Q629 e ESE cap.5 item26
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
 
Quer voce queira ou nao
Quer voce queira ou naoQuer voce queira ou nao
Quer voce queira ou nao
 
Salvação e arrependimento
Salvação e arrependimentoSalvação e arrependimento
Salvação e arrependimento
 
Evangeliza - Desgraça Real
Evangeliza - Desgraça RealEvangeliza - Desgraça Real
Evangeliza - Desgraça Real
 
Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
 
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
 
Respostas_422016_fé e cura_GGR
Respostas_422016_fé e cura_GGRRespostas_422016_fé e cura_GGR
Respostas_422016_fé e cura_GGR
 
As bênçãos dos justos_Lição_original com textos_512015
As bênçãos dos justos_Lição_original com textos_512015As bênçãos dos justos_Lição_original com textos_512015
As bênçãos dos justos_Lição_original com textos_512015
 
BEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsxBEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsx
 
Curso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo BíblicoCurso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo Bíblico
 

Mais de Jorge Luiz dos Santos

O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHOO ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
Jorge Luiz dos Santos
 
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAISO ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
Jorge Luiz dos Santos
 
A VERDADE QUE LIBERTA
A VERDADE QUE LIBERTAA VERDADE QUE LIBERTA
A VERDADE QUE LIBERTA
Jorge Luiz dos Santos
 
A ALMA DA TERRA
A ALMA DA TERRAA ALMA DA TERRA
A ALMA DA TERRA
Jorge Luiz dos Santos
 
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMOMILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
Jorge Luiz dos Santos
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
Jorge Luiz dos Santos
 
OS MÉDIUNS
OS MÉDIUNSOS MÉDIUNS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
Jorge Luiz dos Santos
 
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEASMANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
Jorge Luiz dos Santos
 
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMOLIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
Jorge Luiz dos Santos
 
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
Jorge Luiz dos Santos
 
O CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDOO CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDO
Jorge Luiz dos Santos
 
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
Jorge Luiz dos Santos
 
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
Jorge Luiz dos Santos
 
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAISREENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
Jorge Luiz dos Santos
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULOCOMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
Jorge Luiz dos Santos
 
A VIDA CONTRA O ABORTO
A VIDA CONTRA O ABORTOA VIDA CONTRA O ABORTO
A VIDA CONTRA O ABORTO
Jorge Luiz dos Santos
 
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNOO TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
Jorge Luiz dos Santos
 
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIAUM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
Jorge Luiz dos Santos
 

Mais de Jorge Luiz dos Santos (20)

O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHOO ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
 
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAISO ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
 
A VERDADE QUE LIBERTA
A VERDADE QUE LIBERTAA VERDADE QUE LIBERTA
A VERDADE QUE LIBERTA
 
A ALMA DA TERRA
A ALMA DA TERRAA ALMA DA TERRA
A ALMA DA TERRA
 
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMOMILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
 
OS MÉDIUNS
OS MÉDIUNSOS MÉDIUNS
OS MÉDIUNS
 
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
 
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEASMANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
 
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMOLIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
 
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
 
O CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDOO CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDO
 
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
 
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
 
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAISREENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
O DUELO
 
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULOCOMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
 
A VIDA CONTRA O ABORTO
A VIDA CONTRA O ABORTOA VIDA CONTRA O ABORTO
A VIDA CONTRA O ABORTO
 
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNOO TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
 
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIAUM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
 

Último

7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
OBrasilParaCristoRad
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
LaerciodeSouzaSilva1
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 

Último (20)

7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 

DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)

  • 2. “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados. Bem- aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos. Bem aventurados os que padecem perseguição por amor da justiça, porque deles é o Reino dos Céus.” Jesus Mateus, 5:5,6,10
  • 3. finalidade da encarnação “ – Deus a impõe com o fim de leva-los à perfeição: para uns, é uma expiação; para outros, uma missão. Mas, para chegar a essa perfeição, eles devem sofrer todas as vicissitudes da existência corpórea: nisto é que está a expiação.” “O Livro dos Espíritos, questão nº 132
  • 4. “Vossa Terra é por acaso um lugar de alegrias, um paraíso de delícias? A voz do profeta não soa ainda aos vossos ouvidos? Não clamou ele que haveria choro e ranger de dentes para os que nascessem neste vale de dores?” O E.S.E., V:19
  • 5. “(...) as penas da vida são frequentemente a consequência da imperfeição do Espírito. Quanto menos imperfeito ele for, menos tormento sofrerá. Aquele que não for invejoso, nem ciumento, nem avarento ou ambicioso, não passará pelos tormentos que se originam desses defeitos.” “O Livro dos Espíritos, questão nº 133”a”
  • 6. “No estado errante, antes de nova existência corpórea, o Espírito tem consciência e previsão do que lhe vai acontecer durante a vida? - Ele mesmo escolhe o gênero de provas que deseja sofrer; nisto consiste o seu livre-arbítrio.” “O Livro dos Espíritos, questão nº 258
  • 7. “Como desencarnados, quando vagáveis no espaço, escolhestes a vossa prova, porque vos consideráveis bastante fortes para suportá-la. Por que murmurais agora.” “O E.S.E.”, V:19
  • 8. origem do bem e do mal “Pode dizer-se que o mal é a ausência do bem, como o frio é a ausência do calor. Assim como o frio não é um fluido especial, também o mal não é atributo distinto; um é o negativo do outro. Onde não existe o bem, forçosamente existe o mal. Não praticar o mal, já é um princípio do bem. Deus somente quer o bem; só do homem procede o mal.” “A Gênese”, III:8
  • 9. “ – o bem é tudo o que está de acordo com a lei de Deus e o mal é tudo o que dela se afasta. Assim, fazer o bem é se conformar à lei de Deus; fazer o mal é infringir essa lei.” “O Livro dos Espíritos, questão nº 631
  • 10. “Onde está escrita a lei de Deus? - Na consciência.” “O Livro dos Espíritos, questão nº 621
  • 11. “Os males de toda espécie , físicos e morais, que afligem a humanidade, apresentam duas categorias que é necessário distinguir: há os males que o homem pode evitar, e os que são independentes de sua vontade. Entre estes últimos, colocam-se os flagelos naturais.” “A Gênese”, III:3
  • 12. causas das aflições “- Quando comeis demais, isso vos faz mal. Pois bem: e Deus que vos dá a medida do que vos falta. Quando a ultrapassais, sois punidos. O mesmo se dá com tudo o mais. A lei natural traça para o homem o limite de suas necessidades, quando ele o ultrapassa é punido pelo sofrimento. Se o homem escutasse, em todas as coisas, essa voz que diz: chega, evitaria a maior parte dos males que acusa a Natureza.” “O Livro dos Espíritos, questão nº 633
  • 13. “As vicissitudes da vida são de duas espécies, ou, se quisermos, têm duas origens bem diversas, que importa distinguir: umas têm sua causa na vida presente; outras, fora desta vida.” “O E.S.E”., V:4
  • 14. remédio doloroso “a dor é o aguilhão que empurra o homem para frente na via do progresso.” “A Gênese”, III:5
  • 15. “Que remédios, pois, poderíamos dar aos que foram atingidos por obsessões cruéis e males pungentes? Um só e infalível: a fé, voltar os olhos para o céu. (...) A fé é o remédio certo para o sofrimento.” “O E.S.E”., V:19
  • 16. “(...) Eu vos digo que aquele que sofre e que tiver a fé como apoio, será colocado sob a sua proteção e não sofrerá mais Os momentos mais dolorosos serão para ele como as primeiras notas de alegria da eternidade.” “O E.S.E”., V:19
  • 17. “Essa é a lei da justiça divina: a cada um segundo as suas obras, tanto no céu como na Terra.” (Allan Kardec) “O Céu e o Inferno”, VII:33