SlideShare uma empresa Scribd logo
A IMPORTÂNCIA DA DOR

OBJETIVO DO ESTUDO:


   Analisar a dor e o
 sofrimento, tanto na
  forma de expiação
  como de evolução,
  tendo em vista um
    caminho mais
  consciente para os
   nossos Espíritos
O BENDITO AGUILHÃO




*Aguilhão nos tempos Bíblicos era um instrumento de suplício para os
escravos e especialmente para os animais.
*PONTA DE FERRO fixada na extremidade de um bastão,
para picar os bois.
Na Índia, os Mestres sempre dizem:




    os problemas são
despertadores que tentam
acordar as pessoas para a
          vida.


          ''Desperte da DOR''
CONSCIÊNCIA DE SONO - LETARGIA
NO MUNDO SÓ TEREIS AFLIÇÕES
MUNDO DE PROVAS
       E EXPIAÇÕES




• Habitado por Espíritos retardatários,
      daí se explica porque a dor
é patrimônio comum a todos os homens.
3 Coisas inevitáveis na vida terrena
DE QUEM É A CULPA DA NOSSA DOR ?
Será a dor um bem ou será um mal?
Se é um bem, porque a consideramos
como indesejável?
Se é um mal, por que Deus, que é
justo,, permite que ela nos atinja?




        Vinícius – Em Torno do Mestre - p. 63-66
Será a dor punição ou castigo?
Por que ela atinge também
pessoas boas e justas?




      Vinícius – Em Torno do Mestre - p. 63-66
 Diante da dor, qual atitude a assumir?
 De revolta ou de
   submissão incondicional e passiva?
POR QUE O SER HUMANO
       SOFRE ?
     Porque não sabe:

 1) QUEM É ELE MESMO
  2) A RAZÃO DE VIVER-
 3) O SENTIDO DA VIDA
    4) DE ONDE VEIO
   5) PARA ONDE VAI
6) NADA SOBRE SI MESMO.
POR QUE SOFREM OS
      HUMANOS ?
 Ignorância de si mesmo


EFEITOS DA IGNORÂNCIA :

  MAU USO DO TEMPO
 O BEM QUE NÃO SE FAZ
       MALDADE
Para entender a dor é preciso antes de
tudo entender a vida:
 Da onde viemos?
 O que somos?
 O que estamos fazendo aqui
                 nesse plano?
 Para onde vamos?
TODA VICISSITUDE PODE SER VISTA
           SOB DOIS ÂNGULOS:

1) em vista da encarnação atual

2) em vista de uma encarnação passada
1) em vista da encarnação atual


 REFLEXÕES SOBRE O SOFRIMENTO QUE NOS
 VISITA:

Em caso de doença ?
 Será que me descuidei da alimentação?

No caso do filho escolher o caminho do vício ?
 Dei-lhe a devida educação, os cuidados necessários?

No caso de uma querela familiar ?
 Será que não fui injusto para com tal pessoa?
"Que todos aqueles que são
atingidos no coração pelas
vicissitudes e decepções da
vida, interroguem friamente sua
consciência;

que remontem progressivamente
à fonte dos males que os
afligem, e verão se, o mais
frequentemente, não podem
dizer:

Se eu tivesse, ou não tivesse, feito
tal coisa eu não estaria em tal
situação"


(Kardec, 1984, cap. 5, it. 4, p. 72)
2) em vista de uma encarnação passada


  Não encontrando uma resposta satisfatória na presente
  encarnação, devemos nos reportar à encarnação passada.


  Os sofrimentos por causas anteriores são, frequentemente, como o
  das causas atuais, a consequência natural da falta cometida.

  - Se foi duro e desumano, ele poderá ser, a se turno, tratado
  duramente e com desumanidade;

  - Se foi orgulhoso, poderá nascer em uma condição humilhante;

  - Se foi avarento, egoísta, ou se fez mal uso da fortuna, poderá ser
  privado do necessário;

  - Se foi mal filho, poderá sofrer com os próprios filhos etc.
  (Kardec, 1984, cap. 5, it. 7, p. 74).
POR QUE O SER HUMANO
       SOFRE ?
  Pergunta 258 – L.E.
 Escolha das provas

 ACEITAMOS PASSAR POR
 DETERMINADAS PROVAS
   EM NOSSO PRÓPRIO
       BENEFÍCIO
 Nem todo o sofrimento é uma reação
pura e simples de um mal cometido;


Muitos são Espíritos ávidos de
progresso, que escolheram vidas penosas
para concluir a sua depuração e ativar o
seu progresso.


Bem-aventurados os aflitos (E.S.E. - Cap. V – item 9)
As vicissitudes da vida derivam de
uma causa e, pois se Deus é justo,
justa há de ser esta causa.



Bem-aventurados os aflitos (E.S.E. - Cap. V)
“A dor vem realizar a obra que não
foi possível ao amor edificar por si
mesmo.” Emmanuel
FATOS GERADORES DE DOR E SOFRIMENTO
MELANCOLIA EM RELAÇÃO A VIDA

    - Descontentamento com relação à vida.

      - Os maiores excitantes da Melancolia
      são a incredulidade, a simples dúvida
     sobre o futuro e as ideias materialistas.

            - Aocontrário, a calma e a
       resignação, hauridas na maneira de
        encarar a vida terrestre, e na fé no
           futuro, dão ao Espírito uma
     serenidade que é o melhor preservativo
      contra a perturbação de nosso ânimo.
           (Kardec, 1984, cap. 5, it. 14 a 17, p. 79 a 81)
TRÊS tipos de DOR

Dor-evolução

Dor-expiação

Dor-auxílio
   Evolução em Dois Mundos – André Luiz (cap. 19 )
Dor-evolução
  A dor é ingrediente dos mais importantes na
economia da vida em expansão.

   O ferro sob o malho, a semente na cova, o animal
em sacrifício, tanto quanto a criança
chorando, para desenvolver os próprios
órgãos, sofrem a dor-evolução, que atua de fora
para dentro, aprimorando o ser, sem a qual não
existiria progresso.

   Evolução em Dois Mundos – André Luiz (cap. 19)
Jesus e o cego de nascença (Jo 9,1-5),
 Quem foi que pecou, ele ou os pais, para ele
 nascer cego?


 Ninguém pecou, nem ele nem os pais. Foi para
 que nele se manifestasse as obras de Deus.


Jesus demonstrou que as lutas e as dores
deste mundo vão além do resgate das faltas.
Dor-expiação


A dor-expiação, que vem de dentro
para fora, marcando a criatura no
caminho dos séculos, detendo-a em
complicados labirintos de
aflição, para regenerá-la, perante a
Justiça...


    Evolução em Dois Mundos – André Luiz (cap. 19 )
Dor-auxílio

   Pela intercessão de amigos devotados à
nossa felicidade e à nossa vitória, recebemos a
bênção de prolongadas e dolorosas
enfermidades no envoltório físico, seja para
evitar-nos a queda, seja, mais
freqüentemente, para o serviço preparatório
da desencarnação.


      Evolução em Dois Mundos – André Luiz (cap. 19 )
Dor-expiação                      Passado

  Dor-auxílio                     Presente

Dor-evolução                      Futuro
  Evolução em Dois Mundos – André Luiz (cap. 19 )
Como enfrentar
      a
   DOR?
- Pessoas vivenciam as mesmas
experiências de forma diferente;
- Postura depende do entendimento
de cada um;
- A fé.

* O ponto de vista (ESE – cap. II)
Motivos de Resignação
   As provas têm por fim exercitar a
inteligência, tanto quanto a paciência e a
resignação.
    Pode dar-se que um homem nasça em
posição penosa e difícil, precisamente para se
ver obrigado a procurar meios de vencer as
dificuldades.


     Bem-aventurados os aflitos (E.S.E. - Cap. V – item 26)
Resignação (André Luiz)


     tem o poder de
    anular o impacto
      do sofrimento.

O que é ser resignado?
Resignação
  Estabelecer uma
relação de paz com a
minha história, com a
  minha realidade.
Bem e o mal sofrer



"Não basta sofrer simplesmente para evoluir
moral e espiritualmente.
Indispensável é saber sofrer, extraindo as
boas lições de cada vivência por mais difícil
que pareça."

   Emmanuel/Chico Xavier - Livro Vinha de Luz - item 80
O desânimo é uma falta.
       Deus vos recusa consolações,
       desde que vos falte coragem.
O coração alegre é bom remédio,
mas o espírito abatido faz secar os ossos. Prov. 17:22.
O fardo é proporcionado às forças,
             como a recompensa o será
              à resignação e à coragem.
                          (Lacordaire - Havre, 1863)




"O meu jugo é suave e o meu fardo é leve" JESUS (Mateus 11:30)
A misericórdia de Deus sempre
       nos proporciona recursos
        para pagar ou reformar
      os nossos títulos de débito,
              assim como
   uma organização bancária permite
                  que
determinadas promissórias sejam pagas
     com grandes adiantamentos,
 conforme o merecimento do devedor.
        Transcrito do livro Chico Xavier - Mandato de Amor,
 editado pela União Espírita Mineira - Belo Horizonte, Minas Gerais.
amigos avalistas
  a nos tutelar nos Bancos =
    os espíritos extraordinários =
         os santos, os anjos,
    os nossos amigos espirituais
         que pedem por nós,
      que auxiliam, que nos dão
         mais oportunidade
 para que a gente tenha mais tempo.


       Transcrito do livro Chico Xavier - Mandato de Amor,
editado pela União Espírita Mineira - Belo Horizonte, Minas Gerais.
Por isso que a pessoa
     deve cuidar bem de seu corpo,
         porque ele é a enxada
          com a qual a criatura
            está semeando
     e lavrando o terreno do tempo
                e das boas ações.

       Transcrito do livro Chico Xavier - Mandato de Amor,
editado pela União Espírita Mineira - Belo Horizonte, Minas Gerais.
Diante da DOR,
    o que fazer?


BEM-AVENTURANÇA NA DOR
BEM-AVENTURANÇA NA DOR


 - A dor não é castigo:

 - é contingência inerente à vida,
    cuja atuação visa a restauração
           e o progresso.
BEM-AVENTURANÇA NA DOR

               A DOR-EXPIAÇÃO É:

•   cármica,

•   de restauração,

•   libertação de carga que nos entrava a caminhada;
•
•   reajuste perante a vida,

•   reposição da alma no roteiro certo.

•   passageira, nunca perene.
Chico Xavier, Irmã Dulce, Divaldo, Dr.Bezerra e
tantos outros passaram pela Terra com dores
terríveis.

Caso do Chico – Por que os benfeitores não o curaram?
Se Jesus permitir, os médicos desencarnados lá me ofertarão, talvez,
quem sabe?, alguma melhora ou, se a doença continuar, eu devo saber
que é a Vontade de Deus, é o Desígnio Divino que nos deu a felicidade
da vida...

Então, eu estou aqui com vocês na maior alegria e creio que nenhum
escutou de mim qualquer queixa, porque estou muito bem. Não me
falta alimentação, não me falta medicação, não me falta medicina, os
médicos amigos me tratam estudando a moléstia com muita atenção,
me proporcionando as melhoras possíveis...

E eu continuo há 2 anos na condição de paraplégico, mas estou muito
feliz e, creio eu, estou muito longe da grandeza espiritual da Irmã
Dulce, não tenho nada a me queixar, e sim agradecer; eu creio que ela
também terá sentido muita felicidade ao se ver libertada do corpo
doente.

Se ela puder - eu compreendo -, e, sendo possível, ela nos auxiliará.
BEM-AVENTURANÇA NA DOR

- A dor-evolução tem existência permanente, embora
 variável segundo as experiências vividas pelo espírito.




- Ela acompanha o desenvolvimento, é sua indicação,
               é sinal de dinamização,
       inevitável manifestação de crescimento.
De imediato, propõe-te à higiene moral e
mental abrindo-te ao amor, que gera saúde, e
a confiança em Deus, que a sustenta,
prosseguindo em harmonia durante o
tratamento que se faça necessário.
    Joanna de Ângelis - Momentos de Iluminação - p. 71




         Caso da moça com enxaqueca
         terrível que foi curada com o
         trabalho de assistência no bem
a) auto-exame
                Perguntar-se:
- O que preciso aprender com essa
experiência?
- Que lições a vida está tentando me ensinar?
- O que preciso modificar na minha vida?
- Como me relaciono com Deus, com o
próximo e comigo mesmo?
COMO É A
MINHA VIDA?
“Estuda e estuda-te”

 Joanna de Angelis
b) Mudança de atitudes
Mudar a atitude mental: Cada mente vive
na companhia que elege para si mesmo;
- Direcionar a atenção para coisas
positivas (a oração, boa leitura);
- Vigiar os pensamentos deprimentes e
negativos, fugindo do desânimo e da
indiferença.
Por que cuidar dos pensamentos?


O pensamento nasce na mente, percorre todo
o organismo (cada célula) antes de se irradiar.
  Não há um segundo do nosso pensamento que não
fique gravado no nosso perispírito.



  (Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz - cap. 1)
Repensar as Ações:

- afastando-se dos vícios;
- controlando as más tendências;
- evitando as conversações deprimentes
(alimentam nossas más tendências);
- tendo vontade de fazer a renovação
moral.
Ação no Bem

    A ajuda ao semelhante
através do trabalho voluntário
e das ações caridosas.


Ajudando estaremos
sendo ajudados.

.
A CADA UM SEGUNDO SUAS OBRAS

   A justiça se cumpre sempre, mas,
logo que o Espírito se disponha à precisa
transformação no bem, atenua-se o
rigorismo do processo redentor.




    (André Luiz – Missionários da Luz)
Esquece o mal
 e trabalhe!
Quantas vezes aquela dor, aquela doença,
  aquela dificuldade é a nossa salvação



Deus é maravilhoso
porque permite que
ao mesmo tempo
purguemos nossas
faltas desfrutemos
das maravilhas que
a Terra oferece
SEMENTE, CHUVA, CÉU,
   FLORES, PÁSSAROS,
 MONTANHAS, ANIMAIS,
POR DO SOL, CACHOEIRAS,
MATAS, FLORES MIL TIPOS,
 COISAS MARAVILHOSAS
 QUE AMENIZAM NOSSO
      SOFRIMENTO
Quem deserta da luta,
         por achar que a luta
está muito grande, não tenha dúvida:
 vai encontrar uma luta muito maior
             pela frente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrerBem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
Helio Cruz
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
Marcos Antônio Alves
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
Ponte de Luz ASEC
 
Infortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestraInfortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestra
Débora Homobono
 
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIODESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
Jorge Luiz dos Santos
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
As Penas Futuras Segundo o Espiritismo
As Penas Futuras Segundo o EspiritismoAs Penas Futuras Segundo o Espiritismo
As Penas Futuras Segundo o Espiritismo
Antonino Silva
 
Alegria de Viver
Alegria de Viver Alegria de Viver
Alegria de Viver
Ricardo Azevedo
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
Jose Ferreira Almeida Almeida
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Divulgador do Espiritismo
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
Unesp
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vidaSuicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Ricardo Azevedo
 
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na práticaPalestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Divulgador do Espiritismo
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
Silvânio Barcelos
 
Caridade para com os criminosos
Caridade para com os criminososCaridade para com os criminosos
Caridade para com os criminosos
Izabel Cristina Fonseca
 
Egoismo
EgoismoEgoismo
Egoismo
Lisete B.
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
Graça Maciel
 

Mais procurados (20)

Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrerBem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
 
Infortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestraInfortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestra
 
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIODESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
DESTINO, FATALIDADE E LIVRE-ARBÍTRIO
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
As Penas Futuras Segundo o Espiritismo
As Penas Futuras Segundo o EspiritismoAs Penas Futuras Segundo o Espiritismo
As Penas Futuras Segundo o Espiritismo
 
Alegria de Viver
Alegria de Viver Alegria de Viver
Alegria de Viver
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vidaSuicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
 
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na práticaPalestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
 
Caridade para com os criminosos
Caridade para com os criminososCaridade para com os criminosos
Caridade para com os criminosos
 
Egoismo
EgoismoEgoismo
Egoismo
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
 

Semelhante a A IMPORTANCIA DA DOR

Slide 1
Slide 1Slide 1
Slide 1
VisualBee.com
 
A dor como terapia
A dor como terapiaA dor como terapia
A dor como terapia
Jefferson Louis Gomes
 
Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
Andreia Quesada
 
Por que comigo
Por que comigoPor que comigo
Por que comigo
Lisete B.
 
Bem aventurados os pobres de espiritos- Missão do homem inteligente na terra
Bem aventurados os pobres de espiritos- Missão do homem inteligente na terraBem aventurados os pobres de espiritos- Missão do homem inteligente na terra
Bem aventurados os pobres de espiritos- Missão do homem inteligente na terra
msdbiasi
 
Como encarar a dor e o sofrimento
Como encarar a dor e o sofrimentoComo encarar a dor e o sofrimento
Como encarar a dor e o sofrimento
Jorge Queiroz
 
A felicidade segundo_jesus
A felicidade segundo_jesusA felicidade segundo_jesus
A felicidade segundo_jesus
iceanapolis
 
Bem aventurado 0s_aflitos_palestra
Bem aventurado 0s_aflitos_palestraBem aventurado 0s_aflitos_palestra
Bem aventurado 0s_aflitos_palestra
Iara Boton
 
BEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsxBEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsx
RonaldoTavaresGomes
 
curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14
Roseli Lemes
 
Sentido_da_vida.ppt
Sentido_da_vida.pptSentido_da_vida.ppt
Sentido_da_vida.ppt
EdsonAguiar30
 
Nascer_de_Novo_fesman.ppt
Nascer_de_Novo_fesman.pptNascer_de_Novo_fesman.ppt
Nascer_de_Novo_fesman.ppt
EdsonAguiar30
 
O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !
Leonardo Pereira
 
Motivos de resignação
Motivos de resignaçãoMotivos de resignação
Motivos de resignação
Ponte de Luz ASEC
 
Emfernidade da Alma
Emfernidade da AlmaEmfernidade da Alma
Emfernidade da Alma
Fabio Oliveira
 
63993707 80560-apostila-cura-interior
63993707 80560-apostila-cura-interior63993707 80560-apostila-cura-interior
63993707 80560-apostila-cura-interior
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
Fatoze
 
O advento do cristo
O advento do cristoO advento do cristo
O advento do cristo
Izabel Cristina Fonseca
 
Palestra o carater educativo da dor
Palestra  o carater educativo da dorPalestra  o carater educativo da dor
Palestra o carater educativo da dor
Val Ruas
 
Emfernidade da Alma
Emfernidade da AlmaEmfernidade da Alma
Emfernidade da Alma
Fabio Oliveira
 

Semelhante a A IMPORTANCIA DA DOR (20)

Slide 1
Slide 1Slide 1
Slide 1
 
A dor como terapia
A dor como terapiaA dor como terapia
A dor como terapia
 
Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
 
Por que comigo
Por que comigoPor que comigo
Por que comigo
 
Bem aventurados os pobres de espiritos- Missão do homem inteligente na terra
Bem aventurados os pobres de espiritos- Missão do homem inteligente na terraBem aventurados os pobres de espiritos- Missão do homem inteligente na terra
Bem aventurados os pobres de espiritos- Missão do homem inteligente na terra
 
Como encarar a dor e o sofrimento
Como encarar a dor e o sofrimentoComo encarar a dor e o sofrimento
Como encarar a dor e o sofrimento
 
A felicidade segundo_jesus
A felicidade segundo_jesusA felicidade segundo_jesus
A felicidade segundo_jesus
 
Bem aventurado 0s_aflitos_palestra
Bem aventurado 0s_aflitos_palestraBem aventurado 0s_aflitos_palestra
Bem aventurado 0s_aflitos_palestra
 
BEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsxBEM E MAL SOFRER.ppsx
BEM E MAL SOFRER.ppsx
 
curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14
 
Sentido_da_vida.ppt
Sentido_da_vida.pptSentido_da_vida.ppt
Sentido_da_vida.ppt
 
Nascer_de_Novo_fesman.ppt
Nascer_de_Novo_fesman.pptNascer_de_Novo_fesman.ppt
Nascer_de_Novo_fesman.ppt
 
O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !
 
Motivos de resignação
Motivos de resignaçãoMotivos de resignação
Motivos de resignação
 
Emfernidade da Alma
Emfernidade da AlmaEmfernidade da Alma
Emfernidade da Alma
 
63993707 80560-apostila-cura-interior
63993707 80560-apostila-cura-interior63993707 80560-apostila-cura-interior
63993707 80560-apostila-cura-interior
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
 
O advento do cristo
O advento do cristoO advento do cristo
O advento do cristo
 
Palestra o carater educativo da dor
Palestra  o carater educativo da dorPalestra  o carater educativo da dor
Palestra o carater educativo da dor
 
Emfernidade da Alma
Emfernidade da AlmaEmfernidade da Alma
Emfernidade da Alma
 

Mais de Fatima Carvalho

Depois da travessia - depoimentos esclarecedores
Depois da travessia -  depoimentos esclarecedores Depois da travessia -  depoimentos esclarecedores
Depois da travessia - depoimentos esclarecedores
Fatima Carvalho
 
Valores do trabalho em equipe segundo a Doutrina Espírita
Valores  do trabalho em equipe segundo a Doutrina EspíritaValores  do trabalho em equipe segundo a Doutrina Espírita
Valores do trabalho em equipe segundo a Doutrina Espírita
Fatima Carvalho
 
Mulheres novos rumos 2015
Mulheres novos rumos  2015Mulheres novos rumos  2015
Mulheres novos rumos 2015
Fatima Carvalho
 
As mulheres no evangelho
As mulheres no evangelho As mulheres no evangelho
As mulheres no evangelho
Fatima Carvalho
 
Eurípedes Barsanulfo e a Educação
Eurípedes Barsanulfo e a EducaçãoEurípedes Barsanulfo e a Educação
Eurípedes Barsanulfo e a Educação
Fatima Carvalho
 
A arte de ouvir 08 2015
A arte de ouvir 08 2015A arte de ouvir 08 2015
A arte de ouvir 08 2015
Fatima Carvalho
 
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Fatima Carvalho
 
Transformacao interior e regeneracao 2013
Transformacao interior e regeneracao 2013Transformacao interior e regeneracao 2013
Transformacao interior e regeneracao 2013
Fatima Carvalho
 
Superação das dificuldades final (out 2012)
Superação das dificuldades final (out 2012)Superação das dificuldades final (out 2012)
Superação das dificuldades final (out 2012)
Fatima Carvalho
 
A força da convicção do amparo dos benfeitores espirituais (animação só vista...
A força da convicção do amparo dos benfeitores espirituais (animação só vista...A força da convicção do amparo dos benfeitores espirituais (animação só vista...
A força da convicção do amparo dos benfeitores espirituais (animação só vista...
Fatima Carvalho
 
TODOS APRENDENDO
TODOS APRENDENDOTODOS APRENDENDO
TODOS APRENDENDO
Fatima Carvalho
 
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos ExistenciaisVazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Fatima Carvalho
 
Resiliência e Burnout (Teoria e Superação) parte 5
Resiliência e Burnout (Teoria e Superação) parte 5Resiliência e Burnout (Teoria e Superação) parte 5
Resiliência e Burnout (Teoria e Superação) parte 5
Fatima Carvalho
 
Resiliência e Burnout (teoria e superação) parte 4
Resiliência e Burnout (teoria e superação) parte 4Resiliência e Burnout (teoria e superação) parte 4
Resiliência e Burnout (teoria e superação) parte 4
Fatima Carvalho
 
Resiliência e burnout teoria e superação parte 3
Resiliência e burnout teoria e superação parte 3Resiliência e burnout teoria e superação parte 3
Resiliência e burnout teoria e superação parte 3
Fatima Carvalho
 
Resiliência e burnout (teoria e superação) parte 2
Resiliência e burnout (teoria e superação) parte 2Resiliência e burnout (teoria e superação) parte 2
Resiliência e burnout (teoria e superação) parte 2
Fatima Carvalho
 
Resiliência e Burnout (teoria e superacao) parte 1
Resiliência e Burnout (teoria e superacao) parte 1Resiliência e Burnout (teoria e superacao) parte 1
Resiliência e Burnout (teoria e superacao) parte 1
Fatima Carvalho
 
Casimiro Cunha POESIA No Santuario Interior
Casimiro Cunha POESIA No Santuario InteriorCasimiro Cunha POESIA No Santuario Interior
Casimiro Cunha POESIA No Santuario Interior
Fatima Carvalho
 
O PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITA
O PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITAO PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITA
O PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITA
Fatima Carvalho
 
Narcisismo na juventude 09 2011
Narcisismo na juventude 09 2011Narcisismo na juventude 09 2011
Narcisismo na juventude 09 2011
Fatima Carvalho
 

Mais de Fatima Carvalho (20)

Depois da travessia - depoimentos esclarecedores
Depois da travessia -  depoimentos esclarecedores Depois da travessia -  depoimentos esclarecedores
Depois da travessia - depoimentos esclarecedores
 
Valores do trabalho em equipe segundo a Doutrina Espírita
Valores  do trabalho em equipe segundo a Doutrina EspíritaValores  do trabalho em equipe segundo a Doutrina Espírita
Valores do trabalho em equipe segundo a Doutrina Espírita
 
Mulheres novos rumos 2015
Mulheres novos rumos  2015Mulheres novos rumos  2015
Mulheres novos rumos 2015
 
As mulheres no evangelho
As mulheres no evangelho As mulheres no evangelho
As mulheres no evangelho
 
Eurípedes Barsanulfo e a Educação
Eurípedes Barsanulfo e a EducaçãoEurípedes Barsanulfo e a Educação
Eurípedes Barsanulfo e a Educação
 
A arte de ouvir 08 2015
A arte de ouvir 08 2015A arte de ouvir 08 2015
A arte de ouvir 08 2015
 
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
 
Transformacao interior e regeneracao 2013
Transformacao interior e regeneracao 2013Transformacao interior e regeneracao 2013
Transformacao interior e regeneracao 2013
 
Superação das dificuldades final (out 2012)
Superação das dificuldades final (out 2012)Superação das dificuldades final (out 2012)
Superação das dificuldades final (out 2012)
 
A força da convicção do amparo dos benfeitores espirituais (animação só vista...
A força da convicção do amparo dos benfeitores espirituais (animação só vista...A força da convicção do amparo dos benfeitores espirituais (animação só vista...
A força da convicção do amparo dos benfeitores espirituais (animação só vista...
 
TODOS APRENDENDO
TODOS APRENDENDOTODOS APRENDENDO
TODOS APRENDENDO
 
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos ExistenciaisVazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
 
Resiliência e Burnout (Teoria e Superação) parte 5
Resiliência e Burnout (Teoria e Superação) parte 5Resiliência e Burnout (Teoria e Superação) parte 5
Resiliência e Burnout (Teoria e Superação) parte 5
 
Resiliência e Burnout (teoria e superação) parte 4
Resiliência e Burnout (teoria e superação) parte 4Resiliência e Burnout (teoria e superação) parte 4
Resiliência e Burnout (teoria e superação) parte 4
 
Resiliência e burnout teoria e superação parte 3
Resiliência e burnout teoria e superação parte 3Resiliência e burnout teoria e superação parte 3
Resiliência e burnout teoria e superação parte 3
 
Resiliência e burnout (teoria e superação) parte 2
Resiliência e burnout (teoria e superação) parte 2Resiliência e burnout (teoria e superação) parte 2
Resiliência e burnout (teoria e superação) parte 2
 
Resiliência e Burnout (teoria e superacao) parte 1
Resiliência e Burnout (teoria e superacao) parte 1Resiliência e Burnout (teoria e superacao) parte 1
Resiliência e Burnout (teoria e superacao) parte 1
 
Casimiro Cunha POESIA No Santuario Interior
Casimiro Cunha POESIA No Santuario InteriorCasimiro Cunha POESIA No Santuario Interior
Casimiro Cunha POESIA No Santuario Interior
 
O PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITA
O PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITAO PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITA
O PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITA
 
Narcisismo na juventude 09 2011
Narcisismo na juventude 09 2011Narcisismo na juventude 09 2011
Narcisismo na juventude 09 2011
 

Último

Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
ElijainaVelozoGonalv
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 

Último (18)

Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 

A IMPORTANCIA DA DOR

  • 1. A IMPORTÂNCIA DA DOR OBJETIVO DO ESTUDO: Analisar a dor e o sofrimento, tanto na forma de expiação como de evolução, tendo em vista um caminho mais consciente para os nossos Espíritos
  • 2. O BENDITO AGUILHÃO *Aguilhão nos tempos Bíblicos era um instrumento de suplício para os escravos e especialmente para os animais. *PONTA DE FERRO fixada na extremidade de um bastão, para picar os bois.
  • 3. Na Índia, os Mestres sempre dizem: os problemas são despertadores que tentam acordar as pessoas para a vida. ''Desperte da DOR''
  • 4. CONSCIÊNCIA DE SONO - LETARGIA
  • 5. NO MUNDO SÓ TEREIS AFLIÇÕES
  • 6. MUNDO DE PROVAS E EXPIAÇÕES • Habitado por Espíritos retardatários, daí se explica porque a dor é patrimônio comum a todos os homens.
  • 7.
  • 8.
  • 9. 3 Coisas inevitáveis na vida terrena
  • 10. DE QUEM É A CULPA DA NOSSA DOR ?
  • 11. Será a dor um bem ou será um mal? Se é um bem, porque a consideramos como indesejável? Se é um mal, por que Deus, que é justo,, permite que ela nos atinja? Vinícius – Em Torno do Mestre - p. 63-66
  • 12. Será a dor punição ou castigo? Por que ela atinge também pessoas boas e justas? Vinícius – Em Torno do Mestre - p. 63-66
  • 13.  Diante da dor, qual atitude a assumir?  De revolta ou de submissão incondicional e passiva?
  • 14. POR QUE O SER HUMANO SOFRE ? Porque não sabe: 1) QUEM É ELE MESMO 2) A RAZÃO DE VIVER- 3) O SENTIDO DA VIDA 4) DE ONDE VEIO 5) PARA ONDE VAI 6) NADA SOBRE SI MESMO.
  • 15. POR QUE SOFREM OS HUMANOS ? Ignorância de si mesmo EFEITOS DA IGNORÂNCIA : MAU USO DO TEMPO O BEM QUE NÃO SE FAZ MALDADE
  • 16. Para entender a dor é preciso antes de tudo entender a vida:  Da onde viemos?  O que somos?  O que estamos fazendo aqui nesse plano?  Para onde vamos?
  • 17. TODA VICISSITUDE PODE SER VISTA SOB DOIS ÂNGULOS: 1) em vista da encarnação atual 2) em vista de uma encarnação passada
  • 18. 1) em vista da encarnação atual  REFLEXÕES SOBRE O SOFRIMENTO QUE NOS VISITA: Em caso de doença ?  Será que me descuidei da alimentação? No caso do filho escolher o caminho do vício ?  Dei-lhe a devida educação, os cuidados necessários? No caso de uma querela familiar ?  Será que não fui injusto para com tal pessoa?
  • 19. "Que todos aqueles que são atingidos no coração pelas vicissitudes e decepções da vida, interroguem friamente sua consciência; que remontem progressivamente à fonte dos males que os afligem, e verão se, o mais frequentemente, não podem dizer: Se eu tivesse, ou não tivesse, feito tal coisa eu não estaria em tal situação" (Kardec, 1984, cap. 5, it. 4, p. 72)
  • 20. 2) em vista de uma encarnação passada Não encontrando uma resposta satisfatória na presente encarnação, devemos nos reportar à encarnação passada. Os sofrimentos por causas anteriores são, frequentemente, como o das causas atuais, a consequência natural da falta cometida. - Se foi duro e desumano, ele poderá ser, a se turno, tratado duramente e com desumanidade; - Se foi orgulhoso, poderá nascer em uma condição humilhante; - Se foi avarento, egoísta, ou se fez mal uso da fortuna, poderá ser privado do necessário; - Se foi mal filho, poderá sofrer com os próprios filhos etc. (Kardec, 1984, cap. 5, it. 7, p. 74).
  • 21. POR QUE O SER HUMANO SOFRE ? Pergunta 258 – L.E. Escolha das provas ACEITAMOS PASSAR POR DETERMINADAS PROVAS EM NOSSO PRÓPRIO BENEFÍCIO
  • 22.  Nem todo o sofrimento é uma reação pura e simples de um mal cometido; Muitos são Espíritos ávidos de progresso, que escolheram vidas penosas para concluir a sua depuração e ativar o seu progresso. Bem-aventurados os aflitos (E.S.E. - Cap. V – item 9)
  • 23. As vicissitudes da vida derivam de uma causa e, pois se Deus é justo, justa há de ser esta causa. Bem-aventurados os aflitos (E.S.E. - Cap. V)
  • 24. “A dor vem realizar a obra que não foi possível ao amor edificar por si mesmo.” Emmanuel
  • 25. FATOS GERADORES DE DOR E SOFRIMENTO MELANCOLIA EM RELAÇÃO A VIDA - Descontentamento com relação à vida. - Os maiores excitantes da Melancolia são a incredulidade, a simples dúvida sobre o futuro e as ideias materialistas. - Aocontrário, a calma e a resignação, hauridas na maneira de encarar a vida terrestre, e na fé no futuro, dão ao Espírito uma serenidade que é o melhor preservativo contra a perturbação de nosso ânimo. (Kardec, 1984, cap. 5, it. 14 a 17, p. 79 a 81)
  • 26. TRÊS tipos de DOR Dor-evolução Dor-expiação Dor-auxílio Evolução em Dois Mundos – André Luiz (cap. 19 )
  • 27. Dor-evolução A dor é ingrediente dos mais importantes na economia da vida em expansão. O ferro sob o malho, a semente na cova, o animal em sacrifício, tanto quanto a criança chorando, para desenvolver os próprios órgãos, sofrem a dor-evolução, que atua de fora para dentro, aprimorando o ser, sem a qual não existiria progresso. Evolução em Dois Mundos – André Luiz (cap. 19)
  • 28. Jesus e o cego de nascença (Jo 9,1-5), Quem foi que pecou, ele ou os pais, para ele nascer cego? Ninguém pecou, nem ele nem os pais. Foi para que nele se manifestasse as obras de Deus. Jesus demonstrou que as lutas e as dores deste mundo vão além do resgate das faltas.
  • 29. Dor-expiação A dor-expiação, que vem de dentro para fora, marcando a criatura no caminho dos séculos, detendo-a em complicados labirintos de aflição, para regenerá-la, perante a Justiça... Evolução em Dois Mundos – André Luiz (cap. 19 )
  • 30. Dor-auxílio Pela intercessão de amigos devotados à nossa felicidade e à nossa vitória, recebemos a bênção de prolongadas e dolorosas enfermidades no envoltório físico, seja para evitar-nos a queda, seja, mais freqüentemente, para o serviço preparatório da desencarnação. Evolução em Dois Mundos – André Luiz (cap. 19 )
  • 31. Dor-expiação Passado Dor-auxílio Presente Dor-evolução Futuro Evolução em Dois Mundos – André Luiz (cap. 19 )
  • 32. Como enfrentar a DOR?
  • 33. - Pessoas vivenciam as mesmas experiências de forma diferente; - Postura depende do entendimento de cada um; - A fé. * O ponto de vista (ESE – cap. II)
  • 34. Motivos de Resignação As provas têm por fim exercitar a inteligência, tanto quanto a paciência e a resignação. Pode dar-se que um homem nasça em posição penosa e difícil, precisamente para se ver obrigado a procurar meios de vencer as dificuldades. Bem-aventurados os aflitos (E.S.E. - Cap. V – item 26)
  • 35. Resignação (André Luiz) tem o poder de anular o impacto do sofrimento. O que é ser resignado?
  • 36. Resignação Estabelecer uma relação de paz com a minha história, com a minha realidade.
  • 37. Bem e o mal sofrer "Não basta sofrer simplesmente para evoluir moral e espiritualmente. Indispensável é saber sofrer, extraindo as boas lições de cada vivência por mais difícil que pareça." Emmanuel/Chico Xavier - Livro Vinha de Luz - item 80
  • 38. O desânimo é uma falta. Deus vos recusa consolações, desde que vos falte coragem. O coração alegre é bom remédio, mas o espírito abatido faz secar os ossos. Prov. 17:22.
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48. O fardo é proporcionado às forças, como a recompensa o será à resignação e à coragem. (Lacordaire - Havre, 1863) "O meu jugo é suave e o meu fardo é leve" JESUS (Mateus 11:30)
  • 49. A misericórdia de Deus sempre nos proporciona recursos para pagar ou reformar os nossos títulos de débito, assim como uma organização bancária permite que determinadas promissórias sejam pagas com grandes adiantamentos, conforme o merecimento do devedor. Transcrito do livro Chico Xavier - Mandato de Amor, editado pela União Espírita Mineira - Belo Horizonte, Minas Gerais.
  • 50. amigos avalistas a nos tutelar nos Bancos = os espíritos extraordinários = os santos, os anjos, os nossos amigos espirituais que pedem por nós, que auxiliam, que nos dão mais oportunidade para que a gente tenha mais tempo. Transcrito do livro Chico Xavier - Mandato de Amor, editado pela União Espírita Mineira - Belo Horizonte, Minas Gerais.
  • 51. Por isso que a pessoa deve cuidar bem de seu corpo, porque ele é a enxada com a qual a criatura está semeando e lavrando o terreno do tempo e das boas ações. Transcrito do livro Chico Xavier - Mandato de Amor, editado pela União Espírita Mineira - Belo Horizonte, Minas Gerais.
  • 52. Diante da DOR, o que fazer? BEM-AVENTURANÇA NA DOR
  • 53. BEM-AVENTURANÇA NA DOR - A dor não é castigo: - é contingência inerente à vida, cuja atuação visa a restauração e o progresso.
  • 54. BEM-AVENTURANÇA NA DOR A DOR-EXPIAÇÃO É: • cármica, • de restauração, • libertação de carga que nos entrava a caminhada; • • reajuste perante a vida, • reposição da alma no roteiro certo. • passageira, nunca perene.
  • 55. Chico Xavier, Irmã Dulce, Divaldo, Dr.Bezerra e tantos outros passaram pela Terra com dores terríveis. Caso do Chico – Por que os benfeitores não o curaram?
  • 56. Se Jesus permitir, os médicos desencarnados lá me ofertarão, talvez, quem sabe?, alguma melhora ou, se a doença continuar, eu devo saber que é a Vontade de Deus, é o Desígnio Divino que nos deu a felicidade da vida... Então, eu estou aqui com vocês na maior alegria e creio que nenhum escutou de mim qualquer queixa, porque estou muito bem. Não me falta alimentação, não me falta medicação, não me falta medicina, os médicos amigos me tratam estudando a moléstia com muita atenção, me proporcionando as melhoras possíveis... E eu continuo há 2 anos na condição de paraplégico, mas estou muito feliz e, creio eu, estou muito longe da grandeza espiritual da Irmã Dulce, não tenho nada a me queixar, e sim agradecer; eu creio que ela também terá sentido muita felicidade ao se ver libertada do corpo doente. Se ela puder - eu compreendo -, e, sendo possível, ela nos auxiliará.
  • 57. BEM-AVENTURANÇA NA DOR - A dor-evolução tem existência permanente, embora variável segundo as experiências vividas pelo espírito. - Ela acompanha o desenvolvimento, é sua indicação, é sinal de dinamização, inevitável manifestação de crescimento.
  • 58. De imediato, propõe-te à higiene moral e mental abrindo-te ao amor, que gera saúde, e a confiança em Deus, que a sustenta, prosseguindo em harmonia durante o tratamento que se faça necessário. Joanna de Ângelis - Momentos de Iluminação - p. 71 Caso da moça com enxaqueca terrível que foi curada com o trabalho de assistência no bem
  • 59. a) auto-exame Perguntar-se: - O que preciso aprender com essa experiência? - Que lições a vida está tentando me ensinar? - O que preciso modificar na minha vida? - Como me relaciono com Deus, com o próximo e comigo mesmo?
  • 61. “Estuda e estuda-te” Joanna de Angelis
  • 62. b) Mudança de atitudes Mudar a atitude mental: Cada mente vive na companhia que elege para si mesmo; - Direcionar a atenção para coisas positivas (a oração, boa leitura); - Vigiar os pensamentos deprimentes e negativos, fugindo do desânimo e da indiferença.
  • 63. Por que cuidar dos pensamentos? O pensamento nasce na mente, percorre todo o organismo (cada célula) antes de se irradiar. Não há um segundo do nosso pensamento que não fique gravado no nosso perispírito. (Nos Domínios da Mediunidade – André Luiz - cap. 1)
  • 64. Repensar as Ações: - afastando-se dos vícios; - controlando as más tendências; - evitando as conversações deprimentes (alimentam nossas más tendências); - tendo vontade de fazer a renovação moral.
  • 65. Ação no Bem A ajuda ao semelhante através do trabalho voluntário e das ações caridosas. Ajudando estaremos sendo ajudados. .
  • 66. A CADA UM SEGUNDO SUAS OBRAS A justiça se cumpre sempre, mas, logo que o Espírito se disponha à precisa transformação no bem, atenua-se o rigorismo do processo redentor. (André Luiz – Missionários da Luz)
  • 67. Esquece o mal e trabalhe!
  • 68.
  • 69.
  • 70.
  • 71. Quantas vezes aquela dor, aquela doença, aquela dificuldade é a nossa salvação Deus é maravilhoso porque permite que ao mesmo tempo purguemos nossas faltas desfrutemos das maravilhas que a Terra oferece
  • 72. SEMENTE, CHUVA, CÉU, FLORES, PÁSSAROS, MONTANHAS, ANIMAIS, POR DO SOL, CACHOEIRAS, MATAS, FLORES MIL TIPOS, COISAS MARAVILHOSAS QUE AMENIZAM NOSSO SOFRIMENTO
  • 73.
  • 74. Quem deserta da luta, por achar que a luta está muito grande, não tenha dúvida: vai encontrar uma luta muito maior pela frente.