SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Estratégia FUNCEF
Investimentos Estruturados



     6º Seminário Sudeste da ABIPEM
                São Paulo
           22 de agosto de 2012
Índice
 1   Estratégia de Macro Alocação

 2   A Carteira de Private Equity e Venture Capital

 3   Processo de seleção de Fundos – 2011/2012
A FUNCEF
•   A FUNCEF - Fundação dos Economiários Federais é o 3º maior
    fundo de pensão do Brasil, com Patrimônio em torno de R$ 49,5
                         Brasil
    bilhões e aproximadamente 120 mil participantes.
A FUNCEF




O        gráfico     de   +189%
Rentabilidade    versus
Meta Atuarial demonstra
o resultado acumulado
dos últimos anos
Cenário macroeconômico
 Desde    2004, os principais indicadores apontavam melhoria dos
fundamentos macroeconômicos e a perspectiva de um novo ciclo de
crescimento do país;
               país

A estabilidade da economia brasileira permitiu ao Tesouro Nacional
financiar a dívida pública em prazos mais longos e a taxas mais baixas;
                                                                baixas

 Inicia-se um novo ciclo na gestão dos investimentos das Entidades de
Previdência, no qual os investimentos tradicionais (atrelados ao CDI/SELIC)
passam a estar em patamares próximos ou inferiores às metas atuariais.

Essa mudança estrutural estimulou o direcionamento de recursos para
investimentos ancorados no crescimento,            também chamados de
“investimentos alternativos” às opções tradicionais.
Atuarial vs NTN-B
Evolução dos Ativos
Impacto da Redução dos Juros
Estratégia da FUNCEF
                                    .
Principais pilares da nova estratégia de gestão dos investimentos:
ampliação gradativa da alocação de recursos no segmento de RV
(bolsa de valores e Private Equity);

redução da exposição em ativos atrelados a juros, com migração para
títulos atrelados à inflação;

alongamento das carteiras, tanto de renda fixa quanto a de renda
variável, esta última via Fundos de Investimento em Participações;

consolidação da carteira imobiliária (próxima ao limite legal), que
representou alternativa de diversificação eficiente no cenário de juros
mais baixos (resultados bem superiores à meta desde 2004, inclusive em
2008);

Aumento da posição em crédito privado (R$ 1,6 bilhões).
Estratégias / Oportunidades
Renda fixa

     Alternativas de Investimento: (RF - Crédito Privado)
        Foco: operações atreladas a índices de preços

  Operações estruturadas “sob medida” para a Fundação
   (Debêntures, CCB´s, FIDC, NP´s) ;
  Fundos exclusivos de crédito;

  Project Finance;

  Operações com lastro imobiliário;
   Fatores de atenção: (Covennants e garantias, setor com
   potencial de crescimento, empresa com boa estrutura de
   governança e escolha de bom gestor (quando houver).
Estratégias / Oportunidades
Renda variável - Participações

     Alternativas de Investimento: (RV - Participações)
                 Foco: diversificação setorial.

 Fundos de “Private Equity”: empresas de capital fechado
  com bom potencial de crescimento e diversificação setorial;

 Grandes projetos de infraestrutura, energia e logística para
  sustentar a taxa de crescimento de longo prazo.

 Carteira de retorno absoluto objetivo de investir em
  empresas com alto potencial de valorização no médio prazo.
Estratégias / Oportunidades
Renda variável - Participações / Imóveis

 Alternativas de Investimento: (Imóveis)

  Setor imobiliário: edifícios comerciais para    renda,   hotéis
   econômicos, shoppings e galpões industriais.

    Em discussão:

  Investimentos no Exterior.
  Estudo de viabilidade. Como? Onde? E por que?
Índice
 1   Estratégia de Macro alocação

 2   A Carteira de Private Equity e Venture Capital


 3   Processo de seleção de Fundos – 2011/2012
Início de Atividade dos Fundos
Amadurecimento



 Ilustrativo
   2012        2011   2010   2009   2008   2007   2006   2005   2004   2003




                                                         38 Fundos
                                                         Investidos
Setores Priorizados
FIPs e FMIEEs




                                        Energia                        Alimentos
                                        Logística                      Energia
 Energia                                                  Serviços    Logística
                      Energia         
 Têxtil                                                   TI         
                                       Saneamento
                                       Serviços                       Construção
                                                                       Civil
                                                                       Siderurgia




                                                 Serviços
 Florestas               Serviços
                                                 Petróleo e Gás
 Energia                 Florestas                                    15 SETORES
                                                  Portos
 Educação                Energia                                      INVESTIDOS
 Construção Civil        Alimentos              TI
                                                 Biotecnologia
 Varejo                  Construção Civil
Capital Comprometido e Capital Investido
Veículos de Investimento
                                                                  Valores em R$
                                                                  bilhões Total: R$ 1,8
                                                                 Capital Investido: R$ 1,4
                                                                 Capital a Aportar: R$ 0,4



                                                                            Total: R$ 0,12
                                                                 Capital Investido: R$ 0,09
                                                                 Capital a Aportar: R$ 0,03



                                                                              Total: R$ 1,5
                                                                  Capital Investido: R$ 1,1
                                                                  Capital a Aportar: R$ 0,4

  Valores em R$ bilhões                                                    Fonte: GEPAR
                                                     % Carteira
                               Categorias
              Total: R$ 3,5                          FUNCEF
  Capital Investido: R$ 2,6   FIP Tradicional                   2,84%
  Capital a Aportar: R$ 0,9   FMIEE                             0,18%
                              FIP Proprietário                  2,38%
                              TOTAL                          5,40%*
                              * ≈ 10,4% é a meta de alocação indicada no
                              ALM
Exposição Setorial - Simulação
Previsão de Aportes




                                     •   Cabe um olhar mais acurado sobre os
                                         setores mais representativos da Carteira
                                         de Private Equity, que receberam
                                         investimentos significativos nos últimos
                                         anos

                                          •   Petróleo, Gás e Biocombustíveis

                                          •   Energia Elétrica

                                          •   Madeira e Papel
                                                                      Fonte: GEPAR
                      Fonte: GEPAR
Distribuição das Categorias de Fundos
 Tamanho e Quantidade de Empresas Investidas
                                                                                      % dos recursos
Valor das Companhias em R$                                                              investidos
milhões
                                                          2      ●●●             6
     X ≥ 1.000
                                            ●●                                         46%
                                                                 ●●●
                                                          5                      2
500 ≤ X < 1.000                          ●●●●●                     ●●                  18%

                                         ●●●●●●           17                     1
 200 ≤ X < 500                           ●●●●●●                      ●                 18%
                                          ●●●●●
                                    8     ●●●●●●          18
                          ●●●●
  50 ≤ X < 200                            ●●●●●●                                       13%
                          ●●●●
                                          ●●●●●●

                          ●●●●●     17      ●●●●●         18
                          ●●●●●             ●●●●●
        X < 50            ●●●●●             ●●●●●                                       5%
                            ●●               ●●●


                  Venture Capital        Private Equity        Fundos Proprietários
Investimentos FUNCEF
 Distribuição por Estratégia de Investimento
Tamanho/valor                      Companhias
    das                             Investidas
 Companhias                         (Ilustrativo)




                                                                    % de recursos
                                                                     investidos




                 Estratégias de   Estratégias de     Estratégias
                Venture Capital   Private Equity    Proprietárias
Distribuição das Empresas
 Percentual de Participação dos Fundos
   Percentual de
  Participação dos
Fundos nas Empresas
     Investidas




                  Listadas




                                         19/27
Índice
 1   Estratégia de Macro alocação

 2   A Carteira de Private Equity e Venture Capital

 3   Processo de seleção de Fundos – 2011/2012
Pilares da Tese de Investimento em Private Equity
Processo de Seleção dos Ativos

                        Etapa que representa todos os projetos apresentação à FUNCEF para
      Originação
                        análise.


                        Verificação de    aspectos    preliminares      (características   mínimas    de
      Pré-análise
                        atratividade).



  Análise e Avaliação   A área avalia o ativo munida de dados e informações necessárias.



                        Definições de precificação, governança, taxas de gestão e condições
     Negociação
                        relevantes.


                        Etapa que representa todos os projetos apresentação à FUNCEF para
      Aprovação
                        análise.


                        Momento de aprovação         ou   espera   do    cumprimento       de   cláusulas
     Investimento
                        condicionantes.
Quadro Síntese - pipeline

                                       Total     Qtd.
                 Setores
                                     (R$ MM)    Fundos
     Multissetorial                     3.060            7
     Serviços/Infra Petróleo e Gás      1.900            3
     Logística                          1.500            2
     Florestas                          1.000            1
     Energia                              600            1
     Construção Civil                     400            1
     Alimentos                            300            1
     Biotecnologia                        230            1
     TI e Tecnologia                      250            1
     Total                              9.240        18



                                                             23/48
Metodologia
       CRITÉRIOS                PESOS   QUESTÕES AVALIADAS
    Tese de Investimento do             A estratégia proposta pelo fundo é
A                                25%
    Fundo                               coerente?
                                        A tese do fundo alinha-se às
    Aderência à estratégia da
B                                25%    diretrizes estratégicas   da
    FUNCEF
                                        Fundação?
                                        O gestor apresenta experiência em
                                        PE/VC, equipe qualificada e amplo
C   Potencial do Gestor          25%
                                        domínio dos setores selecionados
                                        para as aquisições societárias?
                                        As estratégias e os mecanismos de
D   Estratégia de Saída          15%    desinvestimento defendidos são
                                        factíveis?
                                        O gestor comprometeu-se em
E   Comprometimento              10%
                                        investir dinheiro próprio no fundo?
Relação de Projetos e suas Respectivas Etapas
Projetos Analisados em 2011/2012

 Volume de R$


                                                                                   38
   24,7 bi       Originação                                                                      Em 2011: 18
                                                                            100%                 Em 2010: 20



   23,9 bi      Pré-Análise                                   86,8 %
                                                                       33          1            4
   14,9 bi
                  Análise &
                  Avaliação                 36,8 %
                                                      14               7           12
   14,9 bi      Negociação     23,7 %   9               4              1                Propostas
                                                                                                 LEGENDA

                                                                                                               Propostas em
                                                                                        Consideradas           Andamento

   12,5 bi      Aprovação      23,7 %   9                                               Propostas
                                                                                        Descartadas



   12,5 bi      Investimento                4        10,5 %




      Total Aprovado em                     5        13,2 %

             2011:
        R$ 1,24 bilhão
Zona Atrativa de Investimentos
    Resultado das Análises Preliminares

      Ranking              Fundos                           Setores
        1º      FIP I                     Multissetorial

        2º      FIP II                    Multissetorial

        3º      FIP III                   Logística
        4º      FIP IV                    Serviços/Infra Petróleo e Gás
        5º      FIP V                     Energia
        6º      FIP VI                    Biotecnologia
        7º      FIP VII                   TI e Tecnologia

        8º      FIP VIII                  Serviços/Infra Petróleo e Gás



•   A ZONA ATRATIVA envolve 8 fundos, 6 com foco em setores
    específicos e 2 com foco em setores variados e permite o avanço
    no amadurecimento do Programa de Private Equity da FUNCEF
•   A maior parte desses fundos pretende irrigar de 6 a 8 empresas,
    com predominância de empresas de médio porte (50 a 70 empresas)


                                                                          26/48
Considerações finais
Sob diversos aspectos, é possível verificar que os recursos disponibilizados
estão sendo alocados de forma consistente e equilibrada:

     Constância dos investimentos, que foram pulverizados nos últimos
      anos e formarão, em breve, um ciclo de investimento capaz de
      retroalimentar;

     Distribuição temporal dos investimentos, aproveitando janelas de
      oportunidades que surgem nos ciclos econômicos;

     Investimentos em empresas de diversos tamanhos, empresas
      pequenas, médias e grandes;

     Diversificação da estratégia de controle acionário, com estratégia
      de participação minoritária nos FIP’s Tradicionais e FMIEE’s e de
      controle nos FIP’s Proprietários;


                                                                               27
Considerações finais


 Grande espectro setorial de investimentos, com concentração em
  alguns segmentos resultados das janelas de oportunidades;

 Adequada distribuição geográfica, com uma concentração em empresas
  com sede em São Paulo, porém com muitas quais investem em outros
  Estados.

 A FUNCEF conta com 23 gestores, dos 86 registrados na ABVCAP,
  que concentram grande volume de recursos em administração, em alguns
  casos, decorrente da característica inerente aos FIP’s Proprietários.
OBRIGADO!

           Umberto Conti
Gerente de Análise Investimentos - FUNCEF


       SCN, Quadra 2, Bloco “A”,
Ed. Corporate Financial Center – 13º andar
       Brasília/DF Cep 70.712-900
        umberto@funcef.com.br
        Tel.: (+ 55 61) 3329-1863

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

BRADESPAR - Relatório Anual 2011
BRADESPAR - Relatório Anual 2011BRADESPAR - Relatório Anual 2011
BRADESPAR - Relatório Anual 2011MZ .
 
Apresentação Aumento de Participação na Goldfarb
Apresentação Aumento de Participação na GoldfarbApresentação Aumento de Participação na Goldfarb
Apresentação Aumento de Participação na GoldfarbPDG Realty
 
Apres ibri julho_10_v_final [modo de compatibilidade]
Apres ibri julho_10_v_final [modo de compatibilidade]Apres ibri julho_10_v_final [modo de compatibilidade]
Apres ibri julho_10_v_final [modo de compatibilidade]Arteris S.A.
 
Banco Pine - Apresentação Institucional 2T12
Banco Pine - Apresentação Institucional 2T12Banco Pine - Apresentação Institucional 2T12
Banco Pine - Apresentação Institucional 2T12Banco Pine
 
Coletiva novas regras para financiamento imobiliário
Coletiva novas regras para financiamento imobiliário Coletiva novas regras para financiamento imobiliário
Coletiva novas regras para financiamento imobiliário CAIXA Notícias
 
Fact Sheet 4T08
Fact Sheet 4T08Fact Sheet 4T08
Fact Sheet 4T08CPFL RI
 
Apresentação institucional 4T12
Apresentação institucional 4T12Apresentação institucional 4T12
Apresentação institucional 4T12CelpaRI
 
Apresentação sobre a integração societária de fit residencial e tenda
Apresentação sobre a integração societária de fit residencial e tendaApresentação sobre a integração societária de fit residencial e tenda
Apresentação sobre a integração societária de fit residencial e tendaGafisa RI !
 
Apresentacao ideiasnet unibanco small cap
Apresentacao ideiasnet unibanco small capApresentacao ideiasnet unibanco small cap
Apresentacao ideiasnet unibanco small capideiasnet
 
Institucional 1 q14 novo padrão port-final
Institucional 1 q14 novo padrão   port-finalInstitucional 1 q14 novo padrão   port-final
Institucional 1 q14 novo padrão port-finalEquatorialRI
 
Apresentação pt
Apresentação ptApresentação pt
Apresentação ptbcfund
 
Fact Sheet 1T09
Fact Sheet 1T09Fact Sheet 1T09
Fact Sheet 1T09CPFL RI
 
Apresentação Resultados 4T08
Apresentação Resultados 4T08Apresentação Resultados 4T08
Apresentação Resultados 4T08CR2
 

Mais procurados (17)

BRADESPAR - Relatório Anual 2011
BRADESPAR - Relatório Anual 2011BRADESPAR - Relatório Anual 2011
BRADESPAR - Relatório Anual 2011
 
Apresentação Aumento de Participação na Goldfarb
Apresentação Aumento de Participação na GoldfarbApresentação Aumento de Participação na Goldfarb
Apresentação Aumento de Participação na Goldfarb
 
Politica de dividendos
Politica de dividendosPolitica de dividendos
Politica de dividendos
 
Apres ibri julho_10_v_final [modo de compatibilidade]
Apres ibri julho_10_v_final [modo de compatibilidade]Apres ibri julho_10_v_final [modo de compatibilidade]
Apres ibri julho_10_v_final [modo de compatibilidade]
 
Banco Pine - Apresentação Institucional 2T12
Banco Pine - Apresentação Institucional 2T12Banco Pine - Apresentação Institucional 2T12
Banco Pine - Apresentação Institucional 2T12
 
Geralnews13abr
Geralnews13abrGeralnews13abr
Geralnews13abr
 
Relevância da politica de dividendos
Relevância da politica de dividendosRelevância da politica de dividendos
Relevância da politica de dividendos
 
Coletiva novas regras para financiamento imobiliário
Coletiva novas regras para financiamento imobiliário Coletiva novas regras para financiamento imobiliário
Coletiva novas regras para financiamento imobiliário
 
Fact Sheet 4T08
Fact Sheet 4T08Fact Sheet 4T08
Fact Sheet 4T08
 
Apresentação institucional 4T12
Apresentação institucional 4T12Apresentação institucional 4T12
Apresentação institucional 4T12
 
Apresentação sobre a integração societária de fit residencial e tenda
Apresentação sobre a integração societária de fit residencial e tendaApresentação sobre a integração societária de fit residencial e tenda
Apresentação sobre a integração societária de fit residencial e tenda
 
Apresentacao ideiasnet unibanco small cap
Apresentacao ideiasnet unibanco small capApresentacao ideiasnet unibanco small cap
Apresentacao ideiasnet unibanco small cap
 
Aula 07 analisando financas
Aula 07 analisando financasAula 07 analisando financas
Aula 07 analisando financas
 
Institucional 1 q14 novo padrão port-final
Institucional 1 q14 novo padrão   port-finalInstitucional 1 q14 novo padrão   port-final
Institucional 1 q14 novo padrão port-final
 
Apresentação pt
Apresentação ptApresentação pt
Apresentação pt
 
Fact Sheet 1T09
Fact Sheet 1T09Fact Sheet 1T09
Fact Sheet 1T09
 
Apresentação Resultados 4T08
Apresentação Resultados 4T08Apresentação Resultados 4T08
Apresentação Resultados 4T08
 

Destaque

Atualidades dos benefícios previdenciários
Atualidades dos benefícios previdenciáriosAtualidades dos benefícios previdenciários
Atualidades dos benefícios previdenciáriosAPEPREM
 
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativo
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativoNatureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativo
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativoAPEPREM
 
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atual
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atualEstratégias de investimentos perante o cenário econômico atual
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atualAPEPREM
 
Comprev lenira
Comprev   leniraComprev   lenira
Comprev leniraAPEPREM
 
As inovações legislativas para os rpps perspectivas futuras e suas implicações
As inovações legislativas para os rpps   perspectivas futuras e suas implicaçõesAs inovações legislativas para os rpps   perspectivas futuras e suas implicações
As inovações legislativas para os rpps perspectivas futuras e suas implicaçõesAPEPREM
 
Comissão de valores mobiliários
Comissão de valores mobiliáriosComissão de valores mobiliários
Comissão de valores mobiliáriosAPEPREM
 
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar Briguet
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar BriguetBenefícios Previdenciários - Dra. Magadar Briguet
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar BriguetAPEPREM
 
Governança na gestão de recursos previdenciários
Governança na gestão de recursos previdenciáriosGovernança na gestão de recursos previdenciários
Governança na gestão de recursos previdenciáriosAPEPREM
 
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...APEPREM
 
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...APEPREM
 
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...APEPREM
 
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPS
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPSPortaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPS
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPSAPEPREM
 
Aposentadoria especial
Aposentadoria especialAposentadoria especial
Aposentadoria especialAPEPREM
 
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistério
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistérioAspectos da concessão da aposentadoria do magistério
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistérioAPEPREM
 
Desafios para os RPPS - Delubio Gomes
Desafios para os RPPS - Delubio GomesDesafios para os RPPS - Delubio Gomes
Desafios para os RPPS - Delubio GomesAPEPREM
 
COMPREV - Compensação Previdenciária
COMPREV - Compensação PrevidenciáriaCOMPREV - Compensação Previdenciária
COMPREV - Compensação PrevidenciáriaAPEPREM
 

Destaque (16)

Atualidades dos benefícios previdenciários
Atualidades dos benefícios previdenciáriosAtualidades dos benefícios previdenciários
Atualidades dos benefícios previdenciários
 
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativo
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativoNatureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativo
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativo
 
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atual
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atualEstratégias de investimentos perante o cenário econômico atual
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atual
 
Comprev lenira
Comprev   leniraComprev   lenira
Comprev lenira
 
As inovações legislativas para os rpps perspectivas futuras e suas implicações
As inovações legislativas para os rpps   perspectivas futuras e suas implicaçõesAs inovações legislativas para os rpps   perspectivas futuras e suas implicações
As inovações legislativas para os rpps perspectivas futuras e suas implicações
 
Comissão de valores mobiliários
Comissão de valores mobiliáriosComissão de valores mobiliários
Comissão de valores mobiliários
 
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar Briguet
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar BriguetBenefícios Previdenciários - Dra. Magadar Briguet
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar Briguet
 
Governança na gestão de recursos previdenciários
Governança na gestão de recursos previdenciáriosGovernança na gestão de recursos previdenciários
Governança na gestão de recursos previdenciários
 
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...
 
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...
 
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...
 
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPS
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPSPortaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPS
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPS
 
Aposentadoria especial
Aposentadoria especialAposentadoria especial
Aposentadoria especial
 
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistério
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistérioAspectos da concessão da aposentadoria do magistério
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistério
 
Desafios para os RPPS - Delubio Gomes
Desafios para os RPPS - Delubio GomesDesafios para os RPPS - Delubio Gomes
Desafios para os RPPS - Delubio Gomes
 
COMPREV - Compensação Previdenciária
COMPREV - Compensação PrevidenciáriaCOMPREV - Compensação Previdenciária
COMPREV - Compensação Previdenciária
 

Semelhante a Estratégia funcef

Pdg Apresentacao 1 T08 20080514 Port
Pdg Apresentacao 1 T08 20080514 PortPdg Apresentacao 1 T08 20080514 Port
Pdg Apresentacao 1 T08 20080514 PortPDG Realty
 
SEPLAN Apresentação das políticas públicas para prefeitos eleitos em 2012
SEPLAN Apresentação das políticas públicas para prefeitos eleitos em 2012SEPLAN Apresentação das políticas públicas para prefeitos eleitos em 2012
SEPLAN Apresentação das políticas públicas para prefeitos eleitos em 2012Romeu Temporal
 
Estado da Bahia: Políticas Públicas, Programas e Projetos voltados para os Mu...
Estado da Bahia: Políticas Públicas, Programas e Projetos voltados para os Mu...Estado da Bahia: Políticas Públicas, Programas e Projetos voltados para os Mu...
Estado da Bahia: Políticas Públicas, Programas e Projetos voltados para os Mu...Romeu Temporal
 
Palestra da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Ener...
Palestra da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Ener...Palestra da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Ener...
Palestra da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Ener...Ampla Energia S.A.
 
Plano de investimentos 2008 2012
Plano de investimentos 2008 2012Plano de investimentos 2008 2012
Plano de investimentos 2008 2012Petrobras
 
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.Rodrigo Alvarez
 
APIMEC-ABAMEC - Resultados 3T04
APIMEC-ABAMEC - Resultados 3T04APIMEC-ABAMEC - Resultados 3T04
APIMEC-ABAMEC - Resultados 3T04CPFL RI
 
Teleconferência de Resultados 4T11
Teleconferência de Resultados 4T11Teleconferência de Resultados 4T11
Teleconferência de Resultados 4T11Kianne Paganini
 
Teleconferência de Resultados 1T12
Teleconferência de Resultados 1T12Teleconferência de Resultados 1T12
Teleconferência de Resultados 1T12Kianne Paganini
 
Conceitos e benefícios do Targeting
Conceitos e benefícios do TargetingConceitos e benefícios do Targeting
Conceitos e benefícios do TargetingIBRI
 
4 t12 br properties divulgação dos resultados apresentação - final
4 t12 br properties   divulgação dos resultados apresentação - final4 t12 br properties   divulgação dos resultados apresentação - final
4 t12 br properties divulgação dos resultados apresentação - finalbrproperties
 
Apresentação – Reunião Pública em São Paulo
Apresentação – Reunião Pública em São PauloApresentação – Reunião Pública em São Paulo
Apresentação – Reunião Pública em São PauloCR2
 
Apresentação 2T12
Apresentação 2T12Apresentação 2T12
Apresentação 2T12brproperties
 
KFW Deg - André Aguilar - Novas estratégias de financiamento para o setor de...
KFW Deg  - André Aguilar - Novas estratégias de financiamento para o setor de...KFW Deg  - André Aguilar - Novas estratégias de financiamento para o setor de...
KFW Deg - André Aguilar - Novas estratégias de financiamento para o setor de...Pe Business
 

Semelhante a Estratégia funcef (20)

Pdg Apresentacao 1 T08 20080514 Port
Pdg Apresentacao 1 T08 20080514 PortPdg Apresentacao 1 T08 20080514 Port
Pdg Apresentacao 1 T08 20080514 Port
 
SEPLAN Apresentação das políticas públicas para prefeitos eleitos em 2012
SEPLAN Apresentação das políticas públicas para prefeitos eleitos em 2012SEPLAN Apresentação das políticas públicas para prefeitos eleitos em 2012
SEPLAN Apresentação das políticas públicas para prefeitos eleitos em 2012
 
Estado da Bahia: Políticas Públicas, Programas e Projetos voltados para os Mu...
Estado da Bahia: Políticas Públicas, Programas e Projetos voltados para os Mu...Estado da Bahia: Políticas Públicas, Programas e Projetos voltados para os Mu...
Estado da Bahia: Políticas Públicas, Programas e Projetos voltados para os Mu...
 
Plano Inova Empresa
Plano Inova EmpresaPlano Inova Empresa
Plano Inova Empresa
 
Palestra da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Ener...
Palestra da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Ener...Palestra da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Ener...
Palestra da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Ener...
 
Plano de investimentos 2008 2012
Plano de investimentos 2008 2012Plano de investimentos 2008 2012
Plano de investimentos 2008 2012
 
1 t09
1 t091 t09
1 t09
 
2 t09
2 t092 t09
2 t09
 
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.
 
APIMEC-ABAMEC - Resultados 3T04
APIMEC-ABAMEC - Resultados 3T04APIMEC-ABAMEC - Resultados 3T04
APIMEC-ABAMEC - Resultados 3T04
 
Teleconferência de Resultados 4T11
Teleconferência de Resultados 4T11Teleconferência de Resultados 4T11
Teleconferência de Resultados 4T11
 
Pine - Resultados 4T11 e 2011
Pine - Resultados 4T11 e 2011Pine - Resultados 4T11 e 2011
Pine - Resultados 4T11 e 2011
 
Teleconferência de Resultados 1T12
Teleconferência de Resultados 1T12Teleconferência de Resultados 1T12
Teleconferência de Resultados 1T12
 
Conceitos e benefícios do Targeting
Conceitos e benefícios do TargetingConceitos e benefícios do Targeting
Conceitos e benefícios do Targeting
 
4 t12 br properties divulgação dos resultados apresentação - final
4 t12 br properties   divulgação dos resultados apresentação - final4 t12 br properties   divulgação dos resultados apresentação - final
4 t12 br properties divulgação dos resultados apresentação - final
 
CCDI Apresentação Institucional Junho/2009
CCDI Apresentação Institucional Junho/2009CCDI Apresentação Institucional Junho/2009
CCDI Apresentação Institucional Junho/2009
 
Apresentação – Reunião Pública em São Paulo
Apresentação – Reunião Pública em São PauloApresentação – Reunião Pública em São Paulo
Apresentação – Reunião Pública em São Paulo
 
Divulgação de Resultados 1T12
Divulgação de Resultados 1T12Divulgação de Resultados 1T12
Divulgação de Resultados 1T12
 
Apresentação 2T12
Apresentação 2T12Apresentação 2T12
Apresentação 2T12
 
KFW Deg - André Aguilar - Novas estratégias de financiamento para o setor de...
KFW Deg  - André Aguilar - Novas estratégias de financiamento para o setor de...KFW Deg  - André Aguilar - Novas estratégias de financiamento para o setor de...
KFW Deg - André Aguilar - Novas estratégias de financiamento para o setor de...
 

Mais de APEPREM

Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economia
Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economiaOs Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economia
Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economiaAPEPREM
 
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdência
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdênciaO judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdência
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdênciaAPEPREM
 
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...APEPREM
 
Regulação e supervisão de fundos de investimento
Regulação e supervisão de fundos de investimentoRegulação e supervisão de fundos de investimento
Regulação e supervisão de fundos de investimentoAPEPREM
 
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência SocialSPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência SocialAPEPREM
 
Alterações da Lei 9717 - Otoni Guimarães
Alterações da Lei 9717 - Otoni GuimarãesAlterações da Lei 9717 - Otoni Guimarães
Alterações da Lei 9717 - Otoni GuimarãesAPEPREM
 
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di Blasi
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di BlasiPortaria MPS 519 - Prof. Paulo Di Blasi
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di BlasiAPEPREM
 
Secretaria de Políticas de Previdência Social
Secretaria de Políticas de Previdência SocialSecretaria de Políticas de Previdência Social
Secretaria de Políticas de Previdência SocialAPEPREM
 
Regimes Próprios de Previdência na União, Estados e Municípios
Regimes Próprios de Previdência na União, Estados e MunicípiosRegimes Próprios de Previdência na União, Estados e Municípios
Regimes Próprios de Previdência na União, Estados e MunicípiosAPEPREM
 
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência Social
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência SocialResponsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência Social
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência SocialAPEPREM
 
V Encontro temático Jurídico APEPREM
V Encontro temático Jurídico APEPREM V Encontro temático Jurídico APEPREM
V Encontro temático Jurídico APEPREM APEPREM
 
Questões práticas e polêmicas
Questões práticas e polêmicasQuestões práticas e polêmicas
Questões práticas e polêmicasAPEPREM
 
Inter relação entre o rpps
Inter relação entre o rppsInter relação entre o rpps
Inter relação entre o rppsAPEPREM
 
Atualidades previdenciárias
Atualidades previdenciáriasAtualidades previdenciárias
Atualidades previdenciáriasAPEPREM
 
Mudança na legislação dos rpps
Mudança na legislação dos rppsMudança na legislação dos rpps
Mudança na legislação dos rppsAPEPREM
 
Questões Demográficas na Previdência Social à Luz dos Resultados do Censo Dem...
Questões Demográficas na Previdência Social à Luz dos Resultados do Censo Dem...Questões Demográficas na Previdência Social à Luz dos Resultados do Censo Dem...
Questões Demográficas na Previdência Social à Luz dos Resultados do Censo Dem...APEPREM
 

Mais de APEPREM (16)

Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economia
Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economiaOs Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economia
Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economia
 
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdência
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdênciaO judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdência
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdência
 
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...
 
Regulação e supervisão de fundos de investimento
Regulação e supervisão de fundos de investimentoRegulação e supervisão de fundos de investimento
Regulação e supervisão de fundos de investimento
 
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência SocialSPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social
 
Alterações da Lei 9717 - Otoni Guimarães
Alterações da Lei 9717 - Otoni GuimarãesAlterações da Lei 9717 - Otoni Guimarães
Alterações da Lei 9717 - Otoni Guimarães
 
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di Blasi
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di BlasiPortaria MPS 519 - Prof. Paulo Di Blasi
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di Blasi
 
Secretaria de Políticas de Previdência Social
Secretaria de Políticas de Previdência SocialSecretaria de Políticas de Previdência Social
Secretaria de Políticas de Previdência Social
 
Regimes Próprios de Previdência na União, Estados e Municípios
Regimes Próprios de Previdência na União, Estados e MunicípiosRegimes Próprios de Previdência na União, Estados e Municípios
Regimes Próprios de Previdência na União, Estados e Municípios
 
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência Social
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência SocialResponsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência Social
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência Social
 
V Encontro temático Jurídico APEPREM
V Encontro temático Jurídico APEPREM V Encontro temático Jurídico APEPREM
V Encontro temático Jurídico APEPREM
 
Questões práticas e polêmicas
Questões práticas e polêmicasQuestões práticas e polêmicas
Questões práticas e polêmicas
 
Inter relação entre o rpps
Inter relação entre o rppsInter relação entre o rpps
Inter relação entre o rpps
 
Atualidades previdenciárias
Atualidades previdenciáriasAtualidades previdenciárias
Atualidades previdenciárias
 
Mudança na legislação dos rpps
Mudança na legislação dos rppsMudança na legislação dos rpps
Mudança na legislação dos rpps
 
Questões Demográficas na Previdência Social à Luz dos Resultados do Censo Dem...
Questões Demográficas na Previdência Social à Luz dos Resultados do Censo Dem...Questões Demográficas na Previdência Social à Luz dos Resultados do Censo Dem...
Questões Demográficas na Previdência Social à Luz dos Resultados do Censo Dem...
 

Estratégia funcef

  • 1. Estratégia FUNCEF Investimentos Estruturados 6º Seminário Sudeste da ABIPEM São Paulo 22 de agosto de 2012
  • 2. Índice 1 Estratégia de Macro Alocação 2 A Carteira de Private Equity e Venture Capital 3 Processo de seleção de Fundos – 2011/2012
  • 3. A FUNCEF • A FUNCEF - Fundação dos Economiários Federais é o 3º maior fundo de pensão do Brasil, com Patrimônio em torno de R$ 49,5 Brasil bilhões e aproximadamente 120 mil participantes.
  • 4. A FUNCEF O gráfico de +189% Rentabilidade versus Meta Atuarial demonstra o resultado acumulado dos últimos anos
  • 5. Cenário macroeconômico  Desde 2004, os principais indicadores apontavam melhoria dos fundamentos macroeconômicos e a perspectiva de um novo ciclo de crescimento do país; país A estabilidade da economia brasileira permitiu ao Tesouro Nacional financiar a dívida pública em prazos mais longos e a taxas mais baixas; baixas  Inicia-se um novo ciclo na gestão dos investimentos das Entidades de Previdência, no qual os investimentos tradicionais (atrelados ao CDI/SELIC) passam a estar em patamares próximos ou inferiores às metas atuariais. Essa mudança estrutural estimulou o direcionamento de recursos para investimentos ancorados no crescimento, também chamados de “investimentos alternativos” às opções tradicionais.
  • 8. Impacto da Redução dos Juros Estratégia da FUNCEF . Principais pilares da nova estratégia de gestão dos investimentos: ampliação gradativa da alocação de recursos no segmento de RV (bolsa de valores e Private Equity); redução da exposição em ativos atrelados a juros, com migração para títulos atrelados à inflação; alongamento das carteiras, tanto de renda fixa quanto a de renda variável, esta última via Fundos de Investimento em Participações; consolidação da carteira imobiliária (próxima ao limite legal), que representou alternativa de diversificação eficiente no cenário de juros mais baixos (resultados bem superiores à meta desde 2004, inclusive em 2008); Aumento da posição em crédito privado (R$ 1,6 bilhões).
  • 9. Estratégias / Oportunidades Renda fixa Alternativas de Investimento: (RF - Crédito Privado) Foco: operações atreladas a índices de preços  Operações estruturadas “sob medida” para a Fundação (Debêntures, CCB´s, FIDC, NP´s) ;  Fundos exclusivos de crédito;  Project Finance;  Operações com lastro imobiliário; Fatores de atenção: (Covennants e garantias, setor com potencial de crescimento, empresa com boa estrutura de governança e escolha de bom gestor (quando houver).
  • 10. Estratégias / Oportunidades Renda variável - Participações Alternativas de Investimento: (RV - Participações) Foco: diversificação setorial.  Fundos de “Private Equity”: empresas de capital fechado com bom potencial de crescimento e diversificação setorial;  Grandes projetos de infraestrutura, energia e logística para sustentar a taxa de crescimento de longo prazo.  Carteira de retorno absoluto objetivo de investir em empresas com alto potencial de valorização no médio prazo.
  • 11. Estratégias / Oportunidades Renda variável - Participações / Imóveis Alternativas de Investimento: (Imóveis)  Setor imobiliário: edifícios comerciais para renda, hotéis econômicos, shoppings e galpões industriais. Em discussão:  Investimentos no Exterior.  Estudo de viabilidade. Como? Onde? E por que?
  • 12. Índice 1 Estratégia de Macro alocação 2 A Carteira de Private Equity e Venture Capital 3 Processo de seleção de Fundos – 2011/2012
  • 13. Início de Atividade dos Fundos Amadurecimento Ilustrativo 2012 2011 2010 2009 2008 2007 2006 2005 2004 2003 38 Fundos Investidos
  • 14. Setores Priorizados FIPs e FMIEEs  Energia  Alimentos  Logística  Energia  Energia  Serviços  Logística  Energia   Têxtil  TI  Saneamento Serviços Construção Civil Siderurgia Serviços  Florestas  Serviços Petróleo e Gás  Energia  Florestas 15 SETORES  Portos  Educação  Energia INVESTIDOS  Construção Civil  Alimentos  TI Biotecnologia  Varejo  Construção Civil
  • 15. Capital Comprometido e Capital Investido Veículos de Investimento Valores em R$ bilhões Total: R$ 1,8 Capital Investido: R$ 1,4 Capital a Aportar: R$ 0,4 Total: R$ 0,12 Capital Investido: R$ 0,09 Capital a Aportar: R$ 0,03 Total: R$ 1,5 Capital Investido: R$ 1,1 Capital a Aportar: R$ 0,4 Valores em R$ bilhões Fonte: GEPAR % Carteira Categorias Total: R$ 3,5 FUNCEF Capital Investido: R$ 2,6 FIP Tradicional 2,84% Capital a Aportar: R$ 0,9 FMIEE 0,18% FIP Proprietário 2,38% TOTAL 5,40%* * ≈ 10,4% é a meta de alocação indicada no ALM
  • 16. Exposição Setorial - Simulação Previsão de Aportes • Cabe um olhar mais acurado sobre os setores mais representativos da Carteira de Private Equity, que receberam investimentos significativos nos últimos anos • Petróleo, Gás e Biocombustíveis • Energia Elétrica • Madeira e Papel Fonte: GEPAR Fonte: GEPAR
  • 17. Distribuição das Categorias de Fundos Tamanho e Quantidade de Empresas Investidas % dos recursos Valor das Companhias em R$ investidos milhões 2 ●●● 6 X ≥ 1.000 ●● 46% ●●● 5 2 500 ≤ X < 1.000 ●●●●● ●● 18% ●●●●●● 17 1 200 ≤ X < 500 ●●●●●● ● 18% ●●●●● 8 ●●●●●● 18 ●●●● 50 ≤ X < 200 ●●●●●● 13% ●●●● ●●●●●● ●●●●● 17 ●●●●● 18 ●●●●● ●●●●● X < 50 ●●●●● ●●●●● 5% ●● ●●● Venture Capital Private Equity Fundos Proprietários
  • 18. Investimentos FUNCEF Distribuição por Estratégia de Investimento Tamanho/valor Companhias das Investidas Companhias (Ilustrativo) % de recursos investidos Estratégias de Estratégias de Estratégias Venture Capital Private Equity Proprietárias
  • 19. Distribuição das Empresas Percentual de Participação dos Fundos Percentual de Participação dos Fundos nas Empresas Investidas Listadas 19/27
  • 20. Índice 1 Estratégia de Macro alocação 2 A Carteira de Private Equity e Venture Capital 3 Processo de seleção de Fundos – 2011/2012
  • 21. Pilares da Tese de Investimento em Private Equity
  • 22. Processo de Seleção dos Ativos Etapa que representa todos os projetos apresentação à FUNCEF para Originação análise. Verificação de aspectos preliminares (características mínimas de Pré-análise atratividade). Análise e Avaliação A área avalia o ativo munida de dados e informações necessárias. Definições de precificação, governança, taxas de gestão e condições Negociação relevantes. Etapa que representa todos os projetos apresentação à FUNCEF para Aprovação análise. Momento de aprovação ou espera do cumprimento de cláusulas Investimento condicionantes.
  • 23. Quadro Síntese - pipeline Total Qtd. Setores (R$ MM) Fundos Multissetorial 3.060 7 Serviços/Infra Petróleo e Gás 1.900 3 Logística 1.500 2 Florestas 1.000 1 Energia 600 1 Construção Civil 400 1 Alimentos 300 1 Biotecnologia 230 1 TI e Tecnologia 250 1 Total 9.240 18 23/48
  • 24. Metodologia CRITÉRIOS PESOS QUESTÕES AVALIADAS Tese de Investimento do A estratégia proposta pelo fundo é A 25% Fundo coerente? A tese do fundo alinha-se às Aderência à estratégia da B 25% diretrizes estratégicas da FUNCEF Fundação? O gestor apresenta experiência em PE/VC, equipe qualificada e amplo C Potencial do Gestor 25% domínio dos setores selecionados para as aquisições societárias? As estratégias e os mecanismos de D Estratégia de Saída 15% desinvestimento defendidos são factíveis? O gestor comprometeu-se em E Comprometimento 10% investir dinheiro próprio no fundo?
  • 25. Relação de Projetos e suas Respectivas Etapas Projetos Analisados em 2011/2012 Volume de R$ 38 24,7 bi Originação Em 2011: 18 100% Em 2010: 20 23,9 bi Pré-Análise 86,8 % 33 1 4 14,9 bi Análise & Avaliação 36,8 % 14 7 12 14,9 bi Negociação 23,7 % 9 4 1 Propostas LEGENDA Propostas em Consideradas Andamento 12,5 bi Aprovação 23,7 % 9 Propostas Descartadas 12,5 bi Investimento 4 10,5 % Total Aprovado em 5 13,2 % 2011: R$ 1,24 bilhão
  • 26. Zona Atrativa de Investimentos Resultado das Análises Preliminares Ranking Fundos Setores 1º FIP I Multissetorial 2º FIP II Multissetorial 3º FIP III Logística 4º FIP IV Serviços/Infra Petróleo e Gás 5º FIP V Energia 6º FIP VI Biotecnologia 7º FIP VII TI e Tecnologia 8º FIP VIII Serviços/Infra Petróleo e Gás • A ZONA ATRATIVA envolve 8 fundos, 6 com foco em setores específicos e 2 com foco em setores variados e permite o avanço no amadurecimento do Programa de Private Equity da FUNCEF • A maior parte desses fundos pretende irrigar de 6 a 8 empresas, com predominância de empresas de médio porte (50 a 70 empresas) 26/48
  • 27. Considerações finais Sob diversos aspectos, é possível verificar que os recursos disponibilizados estão sendo alocados de forma consistente e equilibrada:  Constância dos investimentos, que foram pulverizados nos últimos anos e formarão, em breve, um ciclo de investimento capaz de retroalimentar;  Distribuição temporal dos investimentos, aproveitando janelas de oportunidades que surgem nos ciclos econômicos;  Investimentos em empresas de diversos tamanhos, empresas pequenas, médias e grandes;  Diversificação da estratégia de controle acionário, com estratégia de participação minoritária nos FIP’s Tradicionais e FMIEE’s e de controle nos FIP’s Proprietários; 27
  • 28. Considerações finais  Grande espectro setorial de investimentos, com concentração em alguns segmentos resultados das janelas de oportunidades;  Adequada distribuição geográfica, com uma concentração em empresas com sede em São Paulo, porém com muitas quais investem em outros Estados.  A FUNCEF conta com 23 gestores, dos 86 registrados na ABVCAP, que concentram grande volume de recursos em administração, em alguns casos, decorrente da característica inerente aos FIP’s Proprietários.
  • 29. OBRIGADO! Umberto Conti Gerente de Análise Investimentos - FUNCEF SCN, Quadra 2, Bloco “A”, Ed. Corporate Financial Center – 13º andar Brasília/DF Cep 70.712-900 umberto@funcef.com.br Tel.: (+ 55 61) 3329-1863