SlideShare uma empresa Scribd logo
CONCEITOS
FUNDAMENTAIS
CURSO: ENFERMAGEM
DISCIPLINA: PREVENÇÃO DE DOENÇAS
INFECTOPARASITÁRIAS
PROFESSORA: Karynne Alves do Nascimento
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 1
Saúde Coletiva
 De acordo com o Instituto de Saúde
Coletiva da Universidade Federal da Bahia
(UFBA), a Saúde Coletiva é uma
expressão que designa um campo de
saber e de práticas referido à saúde como
fenômeno social e, portanto, de interesse
público.
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 2
SAÚDE COLETIVA X REFORMA
SANITÁRIA BRASILEIRA
 Deu suporte a um movimento político
iniciado em meados dos anos 70, em
torno da crise da saúde, no contexto das
lutas pela democratização do país que
contribuiu para a Reforma Sanitária
Brasileira.
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 3
O “SABER” DA SAÚDE COLETIVA
 Do ponto de vista do SABER, a Saúde
Coletiva se articula em um tripé
interdisciplinar composto pela Epidemiologia,
Administração e Planejamento em Saúde e
Ciências Sociais em Saúde, com um enfoque
transdisciplinar, que envolve disciplinas
auxiliares como a Demografia, Estatística,
Ecologia, Geografia,Antropologia, Economia,
Sociologia, História e Ciências Políticas,
entre outras.
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 4
PROPOSTA DA SAÚDE COLETIVA
 Saúde Coletiva propõe um novo modo de
organização do processo de trabalho em
saúde que enfatiza a promoção da saúde,
a prevenção de riscos e agravos, a
reorientação da assistência a doentes, e a
melhoria da qualidade de vida,
privilegiando mudanças nos modos de
vida e nas relações entre os sujeitos
sociais envolvidos no cuidado à saúde da
população.
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 5
ESTRATÉGIA SAÚDE DA
FAMÍLIA
 A Atenção Básica caracteriza-se por um
conjunto de ações de saúde, no âmbito
individual e coletivo, que abrangem a
promoção e a proteção da saúde, a
prevenção de agravos, o diagnóstico, o
tratamento, a reabilitação e a manutenção da
saúde.
 A estratégia de Saúde da Família visa à
reorganização da Atenção Básica no País, de
acordo com os preceitos do Sistema Único
de Saúde (SUS).
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 6
 Além dos princípios gerais da Atenção
Básica, a universalidade, a acessibilidade e
a coordenação do cuidado, o vínculo e
continuidade, a integralidade, a
responsabilização, a humanização, a
equidade e a participação social, a
estratégia Saúde da Família deve:
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 7
 I - ter caráter substitutivo em relação à
rede de Atenção Básica tradicional nos
territórios em que as Equipes Saúde da
Família atuam;
 II - atuar no território, realizando
cadastramento domiciliar, diagnóstico
situacional, ações dirigidas aos problemas
de saúde de maneira pactuada com a
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 8
 comunidade onde atua, buscando o
cuidado dos indivíduos e das famílias ao
longo do tempo, mantendo sempre
postura proativa frente aos problemas de
saúde-doença da população;
 III - desenvolver atividades de acordo
com o planejamento e a programação
realizados com base no diagnóstico
situacional e tendo como foco a família e
a comunidade;
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 9
 IV - buscar a integração com instituições
e organizações sociais, em especial em sua
área de abrangência, para o
desenvolvimento de parcerias; e
 V - ser um espaço de construção de
cidadania.
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 10
EPIDEMIOLOGIA
 EPIDEMIOLOGIA “é a ciência que estuda a
distribuição e os determinantes dos
problemas de saúde (fenômenos e processos
associados) em populações humanas”,
(ROUQUAYROL; ALMEIDA FILHO, 2003).
 É a ciência básica para a saúde coletiva,
principal ciência de informação de saúde.
 Seu objeto são as relações de ocorrência de
saúde-doença em sociedades, coletividades,
comunidades, classes sociais, grupos
específicos, etc.
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 11
EPIDEMIOLOGIA
DESCRITIVA
 Estuda a variabilidade da frequência das
doenças ao nível coletivo;
 Estuda o comportamento das doenças em
uma comunidade, isto é, em que situações
elas ocorrem na coletividade, segundo
características ligadas à pessoa (quem), ao
lugar ou espaço físico (onde) e ao tempo
(quando) fornecendo elementos importantes
para se decidir que medidas de prevenção e
controle estão mais indicadas para o
problema.
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 12
VIGILÂNCIA
EPIDEMIOLÓGICA
 Segundo a Lei Orgânica da Saúde (8080) a
Vigilância Epidemiológica é definida como:
“um conjunto de ações que proporciona
o conhecimento, a detecção ou prevenção
de qualquer mudança nos fatores
determinantes ou condicionantes da
saúde individual e coletiva, com a
finalidade de recomendar ou adotar as
medidas de prevenção e controle das
doenças ou agravos”
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 13
Década de 1950
 A expressão vigilância epidemiológica
passou a ser aplicada ao controle das
doenças transmissíveis na década de 1950,
para designar uma série de atividades
subsequentes à etapa de ataque da
Campanha de Erradicação da Malária,
vindo a designar uma de suas fases
constitutivas.
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 14
 Originalmente, essa expressão significava
“a observação sistemática e ativa de casos
suspeitos ou confirmados de doenças
transmissíveis e de seus contatos”.
Tratava-se, portanto, da vigilância de
pessoas, com base em medidas de
isolamento ou de quarentena, aplicadas
individualmente e não de forma coletiva.
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 15
ATIVIDADE DE PESQUISA
Evolução histórica da
VIGILÂNCIA
EPIDEMIOLÓGICA no BRASIL e
ORIGEM E CONCEITOS do
Sistema Nacional deVigilância
Epidemiológica (SNVE) do Brasil
nos textos do Guia deVigilância
Epidemiológica.
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 16
Obrigada!!!!
Prevenção de doenças infectoparasitárias/
profa. Karynne A. N. 17

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Saúde Pública aula 1
Saúde Pública aula 1Saúde Pública aula 1
Saúde Pública aula 1
profsempre
 
EPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIA
Ana Carolina Costa
 
Pnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básicaPnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básica
Jarquineide Silva
 
Vigilância Sanitária
Vigilância SanitáriaVigilância Sanitária
Vigilância Sanitária
Ghiordanno Bruno
 
Historico sus
Historico susHistorico sus
Historico sus
Jorge Samuel Lima
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
Vanessa Farias
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saude
davinci ras
 
Aula 3 - SUS
Aula 3 - SUSAula 3 - SUS
Aula 3 - SUS
Ghiordanno Bruno
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da família
Ruth Milhomem
 
Slides sus
Slides susSlides sus
EDUCAÇÃO EM SAÚDE
EDUCAÇÃO EM SAÚDEEDUCAÇÃO EM SAÚDE
EDUCAÇÃO EM SAÚDE
Centro Universitário Ages
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
Renatbar
 
Vigilancia em saude
Vigilancia em saude Vigilancia em saude
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
morgausesp
 
História da Saúde Pública no Brasil
História da Saúde Pública no BrasilHistória da Saúde Pública no Brasil
História da Saúde Pública no Brasil
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Introdução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do TrabalhoIntrodução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do Trabalho
Instituto Consciência GO
 
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALARORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
Centro Universitário Ages
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
Danilo Nunes Anunciação
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
Will Nunes
 
Saude da familia
Saude da familiaSaude da familia
Saude da familia
karensuelen
 

Mais procurados (20)

Saúde Pública aula 1
Saúde Pública aula 1Saúde Pública aula 1
Saúde Pública aula 1
 
EPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIA
 
Pnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básicaPnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básica
 
Vigilância Sanitária
Vigilância SanitáriaVigilância Sanitária
Vigilância Sanitária
 
Historico sus
Historico susHistorico sus
Historico sus
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saude
 
Aula 3 - SUS
Aula 3 - SUSAula 3 - SUS
Aula 3 - SUS
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da família
 
Slides sus
Slides susSlides sus
Slides sus
 
EDUCAÇÃO EM SAÚDE
EDUCAÇÃO EM SAÚDEEDUCAÇÃO EM SAÚDE
EDUCAÇÃO EM SAÚDE
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
 
Vigilancia em saude
Vigilancia em saude Vigilancia em saude
Vigilancia em saude
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
 
História da Saúde Pública no Brasil
História da Saúde Pública no BrasilHistória da Saúde Pública no Brasil
História da Saúde Pública no Brasil
 
Introdução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do TrabalhoIntrodução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do Trabalho
 
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALARORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
 
Saude da familia
Saude da familiaSaude da familia
Saude da familia
 

Semelhante a Aula Introdutória de Saúde Coletiva

Saúde Pública 2.0
Saúde Pública 2.0Saúde Pública 2.0
Saúde Pública 2.0
KaahHSantos
 
Saúde Pública
Saúde PúblicaSaúde Pública
Saúde Pública
KaahHSantos
 
Saude publica ..
Saude  publica ..Saude  publica ..
Saude publica ..
KaahHSantos
 
Saude Publica
Saude  PublicaSaude  Publica
Saude Publica
KaahHSantos
 
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no BrasilDefinição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
KaahHSantos
 
SAÚDE COLETIVA AULA1.pdf
SAÚDE COLETIVA AULA1.pdfSAÚDE COLETIVA AULA1.pdf
SAÚDE COLETIVA AULA1.pdf
AlinneFreitas4
 
Saúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptxSaúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptx
irisneth duarte
 
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsóriaLista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
Karynne Alves do Nascimento
 
Txt 690106550
Txt 690106550Txt 690106550
Txt 690106550
Débora Luana
 
Aula inaugural IC I 2021.pptx
Aula inaugural IC I 2021.pptxAula inaugural IC I 2021.pptx
Aula inaugural IC I 2021.pptx
PatriciaNoro1
 
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptxAULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AlefySantos2
 
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
klenio2
 
Qualidade de vida.ppt
Qualidade de vida.pptQualidade de vida.ppt
Qualidade de vida.ppt
elmerribeiro
 
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptxAULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AlefyLima1
 
SAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptxSAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptx
ItauanaAlmeida1
 
SAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptxSAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptx
ItauanaAlmeida1
 
Apresentação do trabalho26
Apresentação do trabalho26Apresentação do trabalho26
Apresentação do trabalho26
Geovana26
 
Programa de atenção a saúde_Políticas de saúde pública no Brasil
Programa de atenção a saúde_Políticas de saúde pública no BrasilPrograma de atenção a saúde_Políticas de saúde pública no Brasil
Programa de atenção a saúde_Políticas de saúde pública no Brasil
Jani Cleria Bezerra
 
A04v57n1
A04v57n1A04v57n1
A04v57n1
Elizete Caetano
 
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDeSaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
jhony
 

Semelhante a Aula Introdutória de Saúde Coletiva (20)

Saúde Pública 2.0
Saúde Pública 2.0Saúde Pública 2.0
Saúde Pública 2.0
 
Saúde Pública
Saúde PúblicaSaúde Pública
Saúde Pública
 
Saude publica ..
Saude  publica ..Saude  publica ..
Saude publica ..
 
Saude Publica
Saude  PublicaSaude  Publica
Saude Publica
 
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no BrasilDefinição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
 
SAÚDE COLETIVA AULA1.pdf
SAÚDE COLETIVA AULA1.pdfSAÚDE COLETIVA AULA1.pdf
SAÚDE COLETIVA AULA1.pdf
 
Saúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptxSaúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptx
 
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsóriaLista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
 
Txt 690106550
Txt 690106550Txt 690106550
Txt 690106550
 
Aula inaugural IC I 2021.pptx
Aula inaugural IC I 2021.pptxAula inaugural IC I 2021.pptx
Aula inaugural IC I 2021.pptx
 
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptxAULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
 
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
 
Qualidade de vida.ppt
Qualidade de vida.pptQualidade de vida.ppt
Qualidade de vida.ppt
 
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptxAULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
 
SAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptxSAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptx
 
SAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptxSAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptx
 
Apresentação do trabalho26
Apresentação do trabalho26Apresentação do trabalho26
Apresentação do trabalho26
 
Programa de atenção a saúde_Políticas de saúde pública no Brasil
Programa de atenção a saúde_Políticas de saúde pública no BrasilPrograma de atenção a saúde_Políticas de saúde pública no Brasil
Programa de atenção a saúde_Políticas de saúde pública no Brasil
 
A04v57n1
A04v57n1A04v57n1
A04v57n1
 
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDeSaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
 

Mais de Karynne Alves do Nascimento

Epidemiologia descritiva
Epidemiologia descritivaEpidemiologia descritiva
Epidemiologia descritiva
Karynne Alves do Nascimento
 
Associação Brasileira de Enfermagem - ABEn
Associação Brasileira de Enfermagem - ABEnAssociação Brasileira de Enfermagem - ABEn
Associação Brasileira de Enfermagem - ABEn
Karynne Alves do Nascimento
 
Controle social no Sistema Único de Saúde
Controle social no Sistema Único de SaúdeControle social no Sistema Único de Saúde
Controle social no Sistema Único de Saúde
Karynne Alves do Nascimento
 
As origens da reforma sanitária e do Sistema Único de Saúde
As origens da reforma sanitária e do Sistema Único de SaúdeAs origens da reforma sanitária e do Sistema Único de Saúde
As origens da reforma sanitária e do Sistema Único de Saúde
Karynne Alves do Nascimento
 
Diminuindo estresse e aumentando satisfação
Diminuindo estresse e aumentando satisfaçãoDiminuindo estresse e aumentando satisfação
Diminuindo estresse e aumentando satisfação
Karynne Alves do Nascimento
 
A comunicação no processo gerencial
A comunicação no processo gerencialA comunicação no processo gerencial
A comunicação no processo gerencial
Karynne Alves do Nascimento
 
Situação epidemiológica das doenças transmissíveis no Brasil
Situação epidemiológica das doenças transmissíveis no BrasilSituação epidemiológica das doenças transmissíveis no Brasil
Situação epidemiológica das doenças transmissíveis no Brasil
Karynne Alves do Nascimento
 
Aula sobre DPOC
Aula sobre DPOCAula sobre DPOC
Enfermagem do idoso aula 1
Enfermagem do idoso aula 1Enfermagem do idoso aula 1
Enfermagem do idoso aula 1
Karynne Alves do Nascimento
 

Mais de Karynne Alves do Nascimento (9)

Epidemiologia descritiva
Epidemiologia descritivaEpidemiologia descritiva
Epidemiologia descritiva
 
Associação Brasileira de Enfermagem - ABEn
Associação Brasileira de Enfermagem - ABEnAssociação Brasileira de Enfermagem - ABEn
Associação Brasileira de Enfermagem - ABEn
 
Controle social no Sistema Único de Saúde
Controle social no Sistema Único de SaúdeControle social no Sistema Único de Saúde
Controle social no Sistema Único de Saúde
 
As origens da reforma sanitária e do Sistema Único de Saúde
As origens da reforma sanitária e do Sistema Único de SaúdeAs origens da reforma sanitária e do Sistema Único de Saúde
As origens da reforma sanitária e do Sistema Único de Saúde
 
Diminuindo estresse e aumentando satisfação
Diminuindo estresse e aumentando satisfaçãoDiminuindo estresse e aumentando satisfação
Diminuindo estresse e aumentando satisfação
 
A comunicação no processo gerencial
A comunicação no processo gerencialA comunicação no processo gerencial
A comunicação no processo gerencial
 
Situação epidemiológica das doenças transmissíveis no Brasil
Situação epidemiológica das doenças transmissíveis no BrasilSituação epidemiológica das doenças transmissíveis no Brasil
Situação epidemiológica das doenças transmissíveis no Brasil
 
Aula sobre DPOC
Aula sobre DPOCAula sobre DPOC
Aula sobre DPOC
 
Enfermagem do idoso aula 1
Enfermagem do idoso aula 1Enfermagem do idoso aula 1
Enfermagem do idoso aula 1
 

Aula Introdutória de Saúde Coletiva

  • 1. CONCEITOS FUNDAMENTAIS CURSO: ENFERMAGEM DISCIPLINA: PREVENÇÃO DE DOENÇAS INFECTOPARASITÁRIAS PROFESSORA: Karynne Alves do Nascimento Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 1
  • 2. Saúde Coletiva  De acordo com o Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (UFBA), a Saúde Coletiva é uma expressão que designa um campo de saber e de práticas referido à saúde como fenômeno social e, portanto, de interesse público. Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 2
  • 3. SAÚDE COLETIVA X REFORMA SANITÁRIA BRASILEIRA  Deu suporte a um movimento político iniciado em meados dos anos 70, em torno da crise da saúde, no contexto das lutas pela democratização do país que contribuiu para a Reforma Sanitária Brasileira. Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 3
  • 4. O “SABER” DA SAÚDE COLETIVA  Do ponto de vista do SABER, a Saúde Coletiva se articula em um tripé interdisciplinar composto pela Epidemiologia, Administração e Planejamento em Saúde e Ciências Sociais em Saúde, com um enfoque transdisciplinar, que envolve disciplinas auxiliares como a Demografia, Estatística, Ecologia, Geografia,Antropologia, Economia, Sociologia, História e Ciências Políticas, entre outras. Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 4
  • 5. PROPOSTA DA SAÚDE COLETIVA  Saúde Coletiva propõe um novo modo de organização do processo de trabalho em saúde que enfatiza a promoção da saúde, a prevenção de riscos e agravos, a reorientação da assistência a doentes, e a melhoria da qualidade de vida, privilegiando mudanças nos modos de vida e nas relações entre os sujeitos sociais envolvidos no cuidado à saúde da população. Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 5
  • 6. ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA  A Atenção Básica caracteriza-se por um conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abrangem a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação e a manutenção da saúde.  A estratégia de Saúde da Família visa à reorganização da Atenção Básica no País, de acordo com os preceitos do Sistema Único de Saúde (SUS). Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 6
  • 7.  Além dos princípios gerais da Atenção Básica, a universalidade, a acessibilidade e a coordenação do cuidado, o vínculo e continuidade, a integralidade, a responsabilização, a humanização, a equidade e a participação social, a estratégia Saúde da Família deve: Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 7
  • 8.  I - ter caráter substitutivo em relação à rede de Atenção Básica tradicional nos territórios em que as Equipes Saúde da Família atuam;  II - atuar no território, realizando cadastramento domiciliar, diagnóstico situacional, ações dirigidas aos problemas de saúde de maneira pactuada com a Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 8
  • 9.  comunidade onde atua, buscando o cuidado dos indivíduos e das famílias ao longo do tempo, mantendo sempre postura proativa frente aos problemas de saúde-doença da população;  III - desenvolver atividades de acordo com o planejamento e a programação realizados com base no diagnóstico situacional e tendo como foco a família e a comunidade; Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 9
  • 10.  IV - buscar a integração com instituições e organizações sociais, em especial em sua área de abrangência, para o desenvolvimento de parcerias; e  V - ser um espaço de construção de cidadania. Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 10
  • 11. EPIDEMIOLOGIA  EPIDEMIOLOGIA “é a ciência que estuda a distribuição e os determinantes dos problemas de saúde (fenômenos e processos associados) em populações humanas”, (ROUQUAYROL; ALMEIDA FILHO, 2003).  É a ciência básica para a saúde coletiva, principal ciência de informação de saúde.  Seu objeto são as relações de ocorrência de saúde-doença em sociedades, coletividades, comunidades, classes sociais, grupos específicos, etc. Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 11
  • 12. EPIDEMIOLOGIA DESCRITIVA  Estuda a variabilidade da frequência das doenças ao nível coletivo;  Estuda o comportamento das doenças em uma comunidade, isto é, em que situações elas ocorrem na coletividade, segundo características ligadas à pessoa (quem), ao lugar ou espaço físico (onde) e ao tempo (quando) fornecendo elementos importantes para se decidir que medidas de prevenção e controle estão mais indicadas para o problema. Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 12
  • 13. VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA  Segundo a Lei Orgânica da Saúde (8080) a Vigilância Epidemiológica é definida como: “um conjunto de ações que proporciona o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes ou condicionantes da saúde individual e coletiva, com a finalidade de recomendar ou adotar as medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos” Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 13
  • 14. Década de 1950  A expressão vigilância epidemiológica passou a ser aplicada ao controle das doenças transmissíveis na década de 1950, para designar uma série de atividades subsequentes à etapa de ataque da Campanha de Erradicação da Malária, vindo a designar uma de suas fases constitutivas. Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 14
  • 15.  Originalmente, essa expressão significava “a observação sistemática e ativa de casos suspeitos ou confirmados de doenças transmissíveis e de seus contatos”. Tratava-se, portanto, da vigilância de pessoas, com base em medidas de isolamento ou de quarentena, aplicadas individualmente e não de forma coletiva. Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 15
  • 16. ATIVIDADE DE PESQUISA Evolução histórica da VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA no BRASIL e ORIGEM E CONCEITOS do Sistema Nacional deVigilância Epidemiológica (SNVE) do Brasil nos textos do Guia deVigilância Epidemiológica. Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 16
  • 17. Obrigada!!!! Prevenção de doenças infectoparasitárias/ profa. Karynne A. N. 17