SlideShare uma empresa Scribd logo
Professora Ana Karoline Maia
karoline.quimica@gmail.com
Com base na teoria das colisões...
Por que os alimentos se conservam por muito
mais tempo quando colocados na geladeira do
que quando estão em temperatura ambiente?
1- Temperatura
• De uma forma geral, um aumento de
temperatura gera aumento na rapidez das
reações químicas.
• Quanto maior a energia cinética, maior será o
número de colisões e maior será a rapidez de
uma reação química.
• A rapidez de uma reação é proporcional a sua
temperatura.
• “ Navios naufragados no litoral brasileiro, como o Corveta do
Ipiranga, em Fernando de Noronha, enferrujam mais
rapidamente do que os navios naufragados próximos aos
polos norte e sul...” Química Cidadã, 2011.
• Por que um escoteiro sabe que para acender
uma fogueira é necessário juntar gravetos
bem finos, ao invés de usar lenha?
2- Superfície de contato
• Aumentando a superfície de contato entre as
partículas dos reagentes, aumenta-se a
frequencia de choques entre elas, o que
provoca um aumento nas colisões eficazes,
influenciando na rapidez da reação.
• Quanto maior a superfície de contato, maior a
rapidez de uma reação.
“Um incêndio destruiu um
pequeno depósito de
reciclados numa fábrica de
papelão, na Lagoinha,
Ribeirão Preto.” Gazeta,
27/8/2012
• Por que assoprar uma brasa aumenta a
combustão enquanto assoprar uma vela a
interrompe?
3- Concentração
• Quanto maior o número de partículas dos
reagentes, maior a probabilidade de choque
entre elas e consequentemente, mais rápida
será a reação.
Aumentando a concentração de
oxigênio fornecida para bebês recém
nascidos, as reações de oxigenação de
seu corpo são aceleradas e com isso
eles gastam menos energia.
4- Mecanismo da reação
• Normalmente, uma reação química se desenvolve por etapas.
Cada etapa recebe o nome de reação elementar.
A sequencia dessas etapas conduz à reação global.
• Ter conhecimento do mecanismo de uma reação é conhecer
todas as etapas que levam os reagentes aos produtos.
• A velocidade da reação global é determinada pela etapa lenta
da reação, que é denominada etapa determinante da
velocidade, visto que a velocidade da reação global é a
mesma velocidade da etapa lenta
A etapa mais lenta da reação é a
que determina a rapidez de uma
reação.
Reação não elementar é aquele que ocorre em etapas.
5- Catalisador
• 1835: Berzelius publicou um trabalho
comunicando que poderia aumentar a rapidez
de uma reação química acrescentando
determinadas substâncias, que no entanto,
não eram consumidas.
• O mecanismo de ação dos catalisadores são
complexos e ainda não foram totalmente
esclarecidos.
• A maioria dos catalisadores pode ser
recuperado no final do processo.
• A maioria age na etapa mais lenta da reação.
• Facilita a formação do complexo ativado por
exigir menor quantidade de energia para a sua
formação.
Inibidores
• Atua diminuindo a rapidez de uma reação
química.
• Exemplo: conservantes
Catalisador automotivo
Exercícios para revisão
• 1-Em um incêndio, causado por vazamento de
gás. Qual seria o procedimento mais fácil para
apagar a chama do gás: despejar água na
chama ou jogar uma toalha molhada em cima
do local onde está escapando gás? Justifique.
• 2-O que é energia de ativação de uma reação?
• 3- Por que o aumento da temperatura
aumenta a rapidez de uma reação química?
• 4-Explique o que é o complexo ativado.
• 5-Qual medicamento teria um efeito mais
rápido: o líquido ou o em comprimido?
Explique
• 6-(U. F. Juiz de Fora-MG) Muitas das reações químicas que
ocorrem no nosso organismo, nas indústrias químicas e na
atmosfera são afetadas por certos catalisadores. Por exemplo,
no homem, as enzimas são os catalisadores das reações
bioquímicas. A função destes nas reações químicas é:
• a) diminuir a energia de ativação da reação.
• b) tornar espontânea uma reação não espontânea.
• c) deslocar o equilíbrio da reação.
• d) diminuir a entalpia total de uma reação.
• 7-(Unifor - CE) A água atua com maior intensidade (maior
rapidez de reação) sobre o ferro quando ela
•
• a) está quente e o ferro, em barras, está à temperatura
ambiente.
• b) é vapor e o ferro, em limalha, está aquecido.
• c) está fria e o ferro, em barras, está frio.
• d) é sólida e o ferro, em limalha, está aquecido.
• e) é vapor e o ferro, em limalha, está à temperatura ambiente.
• 8-(Unioeste - PR - Adaptada) Em vários processos industriais é de
grande importância o controle da velocidade das reações químicas
envolvidas. Em relação à cinética das reações químicas, podemos
afirmar que:
• (01) o aumento da concentração dos reagentes diminui a
velocidade das reações.
• (02) a velocidade de uma reação independe da superfície de
contato.
• (04) em geral, o aumento da temperatura leva a um aumento da
velocidade das reações químicas.
• (08) um catalisador tem como função diminuir a energia de ativação
e, consequentemente, aumentar a velocidade da reação.
• (16) as enzimas são proteínas que atuam como catalisadores
biológicos.
• (32) para que uma reação se processe rapidamente, é necessário
que as moléculas de reagentes não colidam entre si.
• (64) a concentração de apenas um reagente não influencia a
velocidade de uma reação química.
• 9-(UESC-BA) No interior das células do organismo humano,
existe uma substância denominada catalase, que atua como
catalisador na decomposição da água oxigenada. Com base
nessa equação e nos conhecimentos sobre cinética química, é
correto afirmar:
• a) A catalase é consumida durante a reação.
• b) A catalase acelera a decomposição da água oxigenada,
aumentando a energia de ativação da reação.
• c) A catalase possibilita a diminuição de energia de ativação
da etapa determinante da velocidade de reação.
• d) O aumento da concentração de água oxigenada diminui a
velocidade da reação.
• e) O aumento da temperatura favorece a decomposição da
água oxigenada.
•
• 10- (UnB-DF-Modificado) considere os estudos cinéticos de
uma reação química e julgue os itens abaixo.
• 1) Toda reação é produzida por colisões, mas nem toda
colisão gera uma reação.
• 2) Uma colisão altamente energética pode produzir uma
reação.
• 3) Toda colisão com orientação adequada produz uma reação.
• 4) A velocidade média de uma reação pode ser determinada
pela expressão:
• v = quantidade dos produtos/ quantidade dos reagentes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
kirkfc
 
Velocidade das reacções químicas - FQ
Velocidade das reacções químicas - FQVelocidade das reacções químicas - FQ
Velocidade das reacções químicas - FQ
estudabem
 
Cinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químicoCinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químico
Marilena Meira
 
Relatorio quimica geral_2 - cinetica
Relatorio quimica geral_2 - cineticaRelatorio quimica geral_2 - cinetica
Relatorio quimica geral_2 - cinetica
Íngrede Silva
 
Reacções químicas
Reacções químicasReacções químicas
Reacções químicas
catarina1982
 

Mais procurados (20)

Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Cinética química 2012
Cinética química 2012Cinética química 2012
Cinética química 2012
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Velocidade das reacções químicas - FQ
Velocidade das reacções químicas - FQVelocidade das reacções químicas - FQ
Velocidade das reacções químicas - FQ
 
Velocidade de uma reacção química
Velocidade de uma reacção químicaVelocidade de uma reacção química
Velocidade de uma reacção química
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
Cinética Química coc
Cinética Química cocCinética Química coc
Cinética Química coc
 
Cinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químicoCinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químico
 
Relatorio quimica geral_2 - cinetica
Relatorio quimica geral_2 - cineticaRelatorio quimica geral_2 - cinetica
Relatorio quimica geral_2 - cinetica
 
Relatorio
Relatorio Relatorio
Relatorio
 
Experimento 8 Cinética química
Experimento 8   Cinética químicaExperimento 8   Cinética química
Experimento 8 Cinética química
 
Relatório 10
Relatório 10Relatório 10
Relatório 10
 
Cinética quimica de reações
Cinética quimica de reaçõesCinética quimica de reações
Cinética quimica de reações
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Reacções químicas
Reacções químicasReacções químicas
Reacções químicas
 
CINÉTICA QUÍMICA.pdf
CINÉTICA QUÍMICA.pdfCINÉTICA QUÍMICA.pdf
CINÉTICA QUÍMICA.pdf
 
Lei de Lavoisiere Estequiometriade Reações Químicas
Lei de Lavoisiere Estequiometriade Reações QuímicasLei de Lavoisiere Estequiometriade Reações Químicas
Lei de Lavoisiere Estequiometriade Reações Químicas
 
Cinetica Química
Cinetica QuímicaCinetica Química
Cinetica Química
 
Mayara
MayaraMayara
Mayara
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 

Semelhante a Cinética parte ii (13)

Apostila de química 2013 3 col 1 bim.
Apostila de química 2013  3 col  1 bim.Apostila de química 2013  3 col  1 bim.
Apostila de química 2013 3 col 1 bim.
 
Aula de cinética quimica
Aula de cinética quimicaAula de cinética quimica
Aula de cinética quimica
 
Ana nery cinética química
Ana nery   cinética químicaAna nery   cinética química
Ana nery cinética química
 
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9   lei de lavoisier e lei de proustAula 9   lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimica
 
Relat. quimica
Relat. quimicaRelat. quimica
Relat. quimica
 
Relat. quimica
Relat. quimicaRelat. quimica
Relat. quimica
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
apresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro ano
apresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro anoapresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro ano
apresentação de Cinetica Quimica turma do terceiro ano
 
Cinética química aula 02
Cinética química   aula 02Cinética química   aula 02
Cinética química aula 02
 
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptxCinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
Cinetica Quimica, ENSINO MÉDIO.ppt.pptx
 
Trabalho de quimica Vituriano
Trabalho de quimica ViturianoTrabalho de quimica Vituriano
Trabalho de quimica Vituriano
 
Lista de exercícios 02 2014
Lista de exercícios 02   2014Lista de exercícios 02   2014
Lista de exercícios 02 2014
 

Mais de Karol Maia

Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tipos
Karol Maia
 
Petroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetosPetroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetos
Karol Maia
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicos
Karol Maia
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicos
Karol Maia
 
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bimLista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
Karol Maia
 
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Karol Maia
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
Karol Maia
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
Karol Maia
 
Estudo dirigido
Estudo dirigidoEstudo dirigido
Estudo dirigido
Karol Maia
 
Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tipos
Karol Maia
 
Métodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturasMétodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturas
Karol Maia
 
Distribuição eletrônica
Distribuição eletrônica  Distribuição eletrônica
Distribuição eletrônica
Karol Maia
 

Mais de Karol Maia (20)

Ligações
LigaçõesLigações
Ligações
 
Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tipos
 
Questões Química Orgânica
Questões Química OrgânicaQuestões Química Orgânica
Questões Química Orgânica
 
Turma avançada - Química Orgânica
Turma avançada - Química OrgânicaTurma avançada - Química Orgânica
Turma avançada - Química Orgânica
 
Equilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o anoEquilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o ano
 
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
 
Petroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetosPetroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetos
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicos
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicos
 
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bimLista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
 
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
 
Balanceamento
BalanceamentoBalanceamento
Balanceamento
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
 
Estudo dirigido
Estudo dirigidoEstudo dirigido
Estudo dirigido
 
Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tipos
 
Lista de exercícios 9oano
Lista de exercícios 9oanoLista de exercícios 9oano
Lista de exercícios 9oano
 
Materiais
MateriaisMateriais
Materiais
 
Métodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturasMétodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturas
 
Distribuição eletrônica
Distribuição eletrônica  Distribuição eletrônica
Distribuição eletrônica
 

Último

5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
edjailmax
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
rarakey779
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
EduardaMedeiros18
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 

Cinética parte ii

  • 1. Professora Ana Karoline Maia karoline.quimica@gmail.com
  • 2. Com base na teoria das colisões... Por que os alimentos se conservam por muito mais tempo quando colocados na geladeira do que quando estão em temperatura ambiente?
  • 3. 1- Temperatura • De uma forma geral, um aumento de temperatura gera aumento na rapidez das reações químicas. • Quanto maior a energia cinética, maior será o número de colisões e maior será a rapidez de uma reação química. • A rapidez de uma reação é proporcional a sua temperatura.
  • 4. • “ Navios naufragados no litoral brasileiro, como o Corveta do Ipiranga, em Fernando de Noronha, enferrujam mais rapidamente do que os navios naufragados próximos aos polos norte e sul...” Química Cidadã, 2011.
  • 5. • Por que um escoteiro sabe que para acender uma fogueira é necessário juntar gravetos bem finos, ao invés de usar lenha?
  • 6. 2- Superfície de contato • Aumentando a superfície de contato entre as partículas dos reagentes, aumenta-se a frequencia de choques entre elas, o que provoca um aumento nas colisões eficazes, influenciando na rapidez da reação. • Quanto maior a superfície de contato, maior a rapidez de uma reação.
  • 7. “Um incêndio destruiu um pequeno depósito de reciclados numa fábrica de papelão, na Lagoinha, Ribeirão Preto.” Gazeta, 27/8/2012
  • 8. • Por que assoprar uma brasa aumenta a combustão enquanto assoprar uma vela a interrompe?
  • 9. 3- Concentração • Quanto maior o número de partículas dos reagentes, maior a probabilidade de choque entre elas e consequentemente, mais rápida será a reação.
  • 10. Aumentando a concentração de oxigênio fornecida para bebês recém nascidos, as reações de oxigenação de seu corpo são aceleradas e com isso eles gastam menos energia.
  • 11. 4- Mecanismo da reação • Normalmente, uma reação química se desenvolve por etapas. Cada etapa recebe o nome de reação elementar. A sequencia dessas etapas conduz à reação global. • Ter conhecimento do mecanismo de uma reação é conhecer todas as etapas que levam os reagentes aos produtos. • A velocidade da reação global é determinada pela etapa lenta da reação, que é denominada etapa determinante da velocidade, visto que a velocidade da reação global é a mesma velocidade da etapa lenta
  • 12. A etapa mais lenta da reação é a que determina a rapidez de uma reação. Reação não elementar é aquele que ocorre em etapas.
  • 13. 5- Catalisador • 1835: Berzelius publicou um trabalho comunicando que poderia aumentar a rapidez de uma reação química acrescentando determinadas substâncias, que no entanto, não eram consumidas. • O mecanismo de ação dos catalisadores são complexos e ainda não foram totalmente esclarecidos.
  • 14. • A maioria dos catalisadores pode ser recuperado no final do processo. • A maioria age na etapa mais lenta da reação. • Facilita a formação do complexo ativado por exigir menor quantidade de energia para a sua formação.
  • 15. Inibidores • Atua diminuindo a rapidez de uma reação química. • Exemplo: conservantes
  • 17.
  • 18. Exercícios para revisão • 1-Em um incêndio, causado por vazamento de gás. Qual seria o procedimento mais fácil para apagar a chama do gás: despejar água na chama ou jogar uma toalha molhada em cima do local onde está escapando gás? Justifique.
  • 19. • 2-O que é energia de ativação de uma reação? • 3- Por que o aumento da temperatura aumenta a rapidez de uma reação química? • 4-Explique o que é o complexo ativado. • 5-Qual medicamento teria um efeito mais rápido: o líquido ou o em comprimido? Explique
  • 20. • 6-(U. F. Juiz de Fora-MG) Muitas das reações químicas que ocorrem no nosso organismo, nas indústrias químicas e na atmosfera são afetadas por certos catalisadores. Por exemplo, no homem, as enzimas são os catalisadores das reações bioquímicas. A função destes nas reações químicas é: • a) diminuir a energia de ativação da reação. • b) tornar espontânea uma reação não espontânea. • c) deslocar o equilíbrio da reação. • d) diminuir a entalpia total de uma reação.
  • 21. • 7-(Unifor - CE) A água atua com maior intensidade (maior rapidez de reação) sobre o ferro quando ela • • a) está quente e o ferro, em barras, está à temperatura ambiente. • b) é vapor e o ferro, em limalha, está aquecido. • c) está fria e o ferro, em barras, está frio. • d) é sólida e o ferro, em limalha, está aquecido. • e) é vapor e o ferro, em limalha, está à temperatura ambiente.
  • 22. • 8-(Unioeste - PR - Adaptada) Em vários processos industriais é de grande importância o controle da velocidade das reações químicas envolvidas. Em relação à cinética das reações químicas, podemos afirmar que: • (01) o aumento da concentração dos reagentes diminui a velocidade das reações. • (02) a velocidade de uma reação independe da superfície de contato. • (04) em geral, o aumento da temperatura leva a um aumento da velocidade das reações químicas. • (08) um catalisador tem como função diminuir a energia de ativação e, consequentemente, aumentar a velocidade da reação. • (16) as enzimas são proteínas que atuam como catalisadores biológicos. • (32) para que uma reação se processe rapidamente, é necessário que as moléculas de reagentes não colidam entre si. • (64) a concentração de apenas um reagente não influencia a velocidade de uma reação química.
  • 23. • 9-(UESC-BA) No interior das células do organismo humano, existe uma substância denominada catalase, que atua como catalisador na decomposição da água oxigenada. Com base nessa equação e nos conhecimentos sobre cinética química, é correto afirmar: • a) A catalase é consumida durante a reação. • b) A catalase acelera a decomposição da água oxigenada, aumentando a energia de ativação da reação. • c) A catalase possibilita a diminuição de energia de ativação da etapa determinante da velocidade de reação. • d) O aumento da concentração de água oxigenada diminui a velocidade da reação. • e) O aumento da temperatura favorece a decomposição da água oxigenada. •
  • 24. • 10- (UnB-DF-Modificado) considere os estudos cinéticos de uma reação química e julgue os itens abaixo. • 1) Toda reação é produzida por colisões, mas nem toda colisão gera uma reação. • 2) Uma colisão altamente energética pode produzir uma reação. • 3) Toda colisão com orientação adequada produz uma reação. • 4) A velocidade média de uma reação pode ser determinada pela expressão: • v = quantidade dos produtos/ quantidade dos reagentes