SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Existe um ramo na ciência que estuda a
velocidade das reações químicas e os
fatores que a influenciam, é a chamada
Cinética Química. Pode se definir
reações químicas como sendo um
conjunto de fenômenos nos quais duas
ou mais substâncias reagem entre si,
dando origem a diferentes compostos.
Equação química é a representação
gráfica de uma reação química, onde os
reagentes aparecem no primeiro
membro, e os produtos no segundo.
• A+B
C+D
Reagentes
Produtos
• O conhecimento e o estudo das reações, além de ser muito importante
em termos industriais, também estão relacionados ao nosso dia a dia.
A velocidade de uma reação é a rapidez com que os reagentes são
consumidos ou rapidez com que os produtos são formados. A combustão
de uma vela e a formação de ferrugem são exemplos de reações lentas. Na
dinamite, a decomposição da nitroglicerina é uma reação rápida.
As velocidades das reações químicas são determinadas através de leis
empíricas, chamadas leis da velocidade, deduzidas a partir do efeito da
concentração dos reagentes e produtos na velocidade da reação.
As reações químicas ocorrem com velocidades diferentes e estas podem
ser alteradas, porque além da concentração de reagentes e produtos, as
velocidades das reações dependem também de outros fatores como:
• Concentração de reagentes: quanto maior a
concentração dos reagentes maior será a velocidade
da reação. Para que aconteça uma reação entre duas
ou mais substâncias é necessário que as moléculas se
choquem, de modo que haja quebra das ligações
com consequente formação de outras novas.
• É fácil perceber que devido a uma maior
concentração haverá aumento das colisões entre as
moléculas.
• Superfície de contato: um aumento da superfície de contato aumenta a velocidade
da reação. Um exemplo é quando dissolvemos um comprimido de sonrisal
triturado e ele se dissolve mais rapidamente do que se estivesse inteiro, isto
acontece porque aumentamos a superfície de contato que reage com a água.
Pressão: quando se aumenta a pressão de um sistema gasoso, aumenta-se a
velocidade da reação.
(Imagem na area de trabalho)
• Um aumento na pressão de P1 para P 2 reduziu o volume de V1 para V1/2,
acelerando a reação devido à aproximação das moléculas.
• A figura acima exemplifica, pois com a diminuição do volume no segundo
recipiente, haverá um aumento da pressão intensificando as colisões das moléculas
e em consequência ocorrerá um aumento na velocidade da reação.
• Temperatura: quando se aumenta a temperatura de um
sistema, ocorre também um aumento na velocidade da
reação. Aumentar a temperatura significa aumentar a energia
cinética das moléculas. No nosso dia a dia podemos observar
esse fator quando estamos cozinhando e aumentamos a
chama do fogão para que o alimento atinja o grau de
cozimento mais rápido.
Catalisadores: os catalisadores são substâncias que aceleram
o mecanismo sem sofrerem alteração permanente, isto é,
durante a reação eles não são consumidos. Os catalisadores
permitem que a reação tome um caminho alternativo, que
exige menor energia de ativação, fazendo com que a reação
se processe mais rapidamente. É importante lembrar que um
catalisador acelera a reação, mas não aumenta o rendimento,
ou seja, ele produz a mesma quantidade de produto, mas
num período de menor tempo.
•

•
•
•

Introdução
O que vem a ser energia? A energia se apresenta de várias formas na natureza, de maneira que uma forma de energia
se converte ou se transforma em outra, pois, de acordo com a lei de Lavoisier, na natureza nada se perde, nada se cria,
tudo se transforma - conceituando, assim, a lei da conservação da energia. Conceituar energia não é tarefa fácil, mas
podemos definir energia como sendo a capacidade que um corpo tem de realizar trabalho. Observe os seguintes
exemplos que podem auxiliar nesse entendimento de energia:
As águas de uma cachoeira possuem energia, pois são capazes de realizar trabalho ao mover as turbinas de uma usina
hidrelétrica, por exemplo.
A gasolina possui energia, pois ela é capaz de realizar trabalho fazendo o automóvel se locomover.
E muitos outros exemplos. Como dissemos, energia é a capacidade que um corpo tem de realizar trabalho. A unidade
de energia no Sistema Internacional de Unidades (SI) é o joule, assim como a unidade de trabalho de uma força. Essa
unidade foi em homenagem a James Prescott Joule, um físico britânico. Ele estudou a natureza do calor e descobriu as
relações com o trabalho mecânico.
Energia Cinética

•

Energia cinética é a energia que está relacionada à movimentação dos corpos, ou seja, é a energia que um corpo possui
em virtude de ele estar em movimento. Mas como podemos calcular a energia cinética de um corpo? Ao fazer algumas
observações sobre os movimentos dos corpos, podemos concluir que a energia cinética de um corpo será cada vez
maior quanto maior for a sua velocidade. Do mesmo modo, poderemos concluir que quanto maior for a massa de um
corpo maior será sua energia cinética. Para mostrar isso, tomemos como exemplo uma motocicleta e um caminhão.
Somente pelas dimensões é possível notar que o caminhão possui mais massa em relação à moto, e que ele também
desenvolve velocidades maiores que a de uma moto. De forma a sintetizar essas observações, é possível escrever
energia cinética a partir da seguinte equação:
Onde m é a massa do corpo e V é a sua velocidade. A unidade de energia cinética é o joule, representado pela letra J.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética química
Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética químicaProfessor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética química
Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética químicaJosé Roberto Mattos
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética químicakirkfc
 
Termoquímica(1 ano)
Termoquímica(1 ano)Termoquímica(1 ano)
Termoquímica(1 ano)Karol Maia
 
9 ano-materia-e-energia3
9 ano-materia-e-energia39 ano-materia-e-energia3
9 ano-materia-e-energia3Larissa Lobo
 
Cinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químicoCinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químicoMarilena Meira
 
Cinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-químicaCinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-químicaDanilo Alves
 
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação química
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação químicaLei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação química
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação químicaCarlos Kramer
 
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9   lei de lavoisier e lei de proustAula 9   lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proustprofNICODEMOS
 
Em física definição-energia-trabalho
Em física definição-energia-trabalhoEm física definição-energia-trabalho
Em física definição-energia-trabalhoTeresa Castelo-Grande
 

Mais procurados (20)

Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética química
Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética químicaProfessor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética química
Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética química
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Relatório rendimento
Relatório rendimentoRelatório rendimento
Relatório rendimento
 
Termoquímica(1 ano)
Termoquímica(1 ano)Termoquímica(1 ano)
Termoquímica(1 ano)
 
cinética quimica
cinética quimicacinética quimica
cinética quimica
 
9 ano-materia-e-energia3
9 ano-materia-e-energia39 ano-materia-e-energia3
9 ano-materia-e-energia3
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Cinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químicoCinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químico
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Cinetica quimica trabalho
Cinetica quimica trabalhoCinetica quimica trabalho
Cinetica quimica trabalho
 
Cinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-químicaCinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-química
 
Cinética química 2012
Cinética química 2012Cinética química 2012
Cinética química 2012
 
"Somos Físicos" As Leis Poderais
"Somos Físicos" As Leis Poderais"Somos Físicos" As Leis Poderais
"Somos Físicos" As Leis Poderais
 
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação química
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação químicaLei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação química
Lei de ação das massas - Lei da velocidade de uma reação química
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9   lei de lavoisier e lei de proustAula 9   lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
 
"Somos Físicos" Materia e Energia
"Somos Físicos" Materia e Energia "Somos Físicos" Materia e Energia
"Somos Físicos" Materia e Energia
 
Em física definição-energia-trabalho
Em física definição-energia-trabalhoEm física definição-energia-trabalho
Em física definição-energia-trabalho
 
Cinética
CinéticaCinética
Cinética
 

Destaque

Defesa_douglas rigon Educação Especial
Defesa_douglas rigon Educação EspecialDefesa_douglas rigon Educação Especial
Defesa_douglas rigon Educação EspecialDouglas Rigon
 
الاتجاهات الحديثة في الاسلام Benamor.belgacem
الاتجاهات الحديثة في الاسلام Benamor.belgacemالاتجاهات الحديثة في الاسلام Benamor.belgacem
الاتجاهات الحديثة في الاسلام Benamor.belgacembenamor belgacem
 
Why You Should Monitor Operating Cash Flow and How to Do It
Why You Should Monitor Operating Cash Flow and How to Do ItWhy You Should Monitor Operating Cash Flow and How to Do It
Why You Should Monitor Operating Cash Flow and How to Do ItSmart Business Money Habits
 
الدرر الفرائد المنظمة في اخبار الحاج Benamor.belgacem
الدرر الفرائد المنظمة في اخبار الحاج Benamor.belgacemالدرر الفرائد المنظمة في اخبار الحاج Benamor.belgacem
الدرر الفرائد المنظمة في اخبار الحاج Benamor.belgacembenamor belgacem
 
Presentación Web-to-store Webminar Generix 20 Octubre 2016
Presentación Web-to-store Webminar Generix 20 Octubre 2016Presentación Web-to-store Webminar Generix 20 Octubre 2016
Presentación Web-to-store Webminar Generix 20 Octubre 2016Ignacio Garcia
 
Pg e manual_x550la_lb_lc_ver7926
Pg e manual_x550la_lb_lc_ver7926Pg e manual_x550la_lb_lc_ver7926
Pg e manual_x550la_lb_lc_ver7926Jorge Campos
 
الحكم الحق في الاحتفال بمولد سيد الخلق Benamor.belgacem
الحكم الحق في الاحتفال بمولد سيد الخلق Benamor.belgacemالحكم الحق في الاحتفال بمولد سيد الخلق Benamor.belgacem
الحكم الحق في الاحتفال بمولد سيد الخلق Benamor.belgacembenamor belgacem
 
Benamor.belgacemكتاب كلمات القرآن من صحيح الإمام البخاري
 Benamor.belgacemكتاب كلمات القرآن من صحيح الإمام البخاري Benamor.belgacemكتاب كلمات القرآن من صحيح الإمام البخاري
Benamor.belgacemكتاب كلمات القرآن من صحيح الإمام البخاريbenamor belgacem
 
السيرة الميسر لنبي الرحمة Benamor.belgacem
السيرة الميسر لنبي الرحمة Benamor.belgacemالسيرة الميسر لنبي الرحمة Benamor.belgacem
السيرة الميسر لنبي الرحمة Benamor.belgacembenamor belgacem
 
ECJ_p54-62_6 Mental Health-Identifying good mental health
ECJ_p54-62_6 Mental Health-Identifying good mental healthECJ_p54-62_6 Mental Health-Identifying good mental health
ECJ_p54-62_6 Mental Health-Identifying good mental healthLouise Kinnaird
 
Deducción Clausius-Clapeyron
Deducción Clausius-ClapeyronDeducción Clausius-Clapeyron
Deducción Clausius-Clapeyroncecymedinagcia
 
Resume - RJ Roof_Rev1_21Oct16
Resume - RJ Roof_Rev1_21Oct16Resume - RJ Roof_Rev1_21Oct16
Resume - RJ Roof_Rev1_21Oct16Ron Roof
 
EKMA 4478 - Analisis Kasus Bisnis Modul 7 : Strategi, Targeting, dan Positioning
EKMA 4478 - Analisis Kasus Bisnis Modul 7 : Strategi, Targeting, dan PositioningEKMA 4478 - Analisis Kasus Bisnis Modul 7 : Strategi, Targeting, dan Positioning
EKMA 4478 - Analisis Kasus Bisnis Modul 7 : Strategi, Targeting, dan PositioningAncilla Kustedjo
 

Destaque (16)

5° básico a semana 24 al 28 de octubre
5° básico a  semana 24 al 28 de octubre5° básico a  semana 24 al 28 de octubre
5° básico a semana 24 al 28 de octubre
 
Defesa_douglas rigon Educação Especial
Defesa_douglas rigon Educação EspecialDefesa_douglas rigon Educação Especial
Defesa_douglas rigon Educação Especial
 
الاتجاهات الحديثة في الاسلام Benamor.belgacem
الاتجاهات الحديثة في الاسلام Benamor.belgacemالاتجاهات الحديثة في الاسلام Benamor.belgacem
الاتجاهات الحديثة في الاسلام Benamor.belgacem
 
Why You Should Monitor Operating Cash Flow and How to Do It
Why You Should Monitor Operating Cash Flow and How to Do ItWhy You Should Monitor Operating Cash Flow and How to Do It
Why You Should Monitor Operating Cash Flow and How to Do It
 
Motocross
MotocrossMotocross
Motocross
 
الدرر الفرائد المنظمة في اخبار الحاج Benamor.belgacem
الدرر الفرائد المنظمة في اخبار الحاج Benamor.belgacemالدرر الفرائد المنظمة في اخبار الحاج Benamor.belgacem
الدرر الفرائد المنظمة في اخبار الحاج Benamor.belgacem
 
Presentación Web-to-store Webminar Generix 20 Octubre 2016
Presentación Web-to-store Webminar Generix 20 Octubre 2016Presentación Web-to-store Webminar Generix 20 Octubre 2016
Presentación Web-to-store Webminar Generix 20 Octubre 2016
 
Perfil político tailandia saniago piñeros
Perfil político tailandia saniago piñerosPerfil político tailandia saniago piñeros
Perfil político tailandia saniago piñeros
 
Pg e manual_x550la_lb_lc_ver7926
Pg e manual_x550la_lb_lc_ver7926Pg e manual_x550la_lb_lc_ver7926
Pg e manual_x550la_lb_lc_ver7926
 
الحكم الحق في الاحتفال بمولد سيد الخلق Benamor.belgacem
الحكم الحق في الاحتفال بمولد سيد الخلق Benamor.belgacemالحكم الحق في الاحتفال بمولد سيد الخلق Benamor.belgacem
الحكم الحق في الاحتفال بمولد سيد الخلق Benamor.belgacem
 
Benamor.belgacemكتاب كلمات القرآن من صحيح الإمام البخاري
 Benamor.belgacemكتاب كلمات القرآن من صحيح الإمام البخاري Benamor.belgacemكتاب كلمات القرآن من صحيح الإمام البخاري
Benamor.belgacemكتاب كلمات القرآن من صحيح الإمام البخاري
 
السيرة الميسر لنبي الرحمة Benamor.belgacem
السيرة الميسر لنبي الرحمة Benamor.belgacemالسيرة الميسر لنبي الرحمة Benamor.belgacem
السيرة الميسر لنبي الرحمة Benamor.belgacem
 
ECJ_p54-62_6 Mental Health-Identifying good mental health
ECJ_p54-62_6 Mental Health-Identifying good mental healthECJ_p54-62_6 Mental Health-Identifying good mental health
ECJ_p54-62_6 Mental Health-Identifying good mental health
 
Deducción Clausius-Clapeyron
Deducción Clausius-ClapeyronDeducción Clausius-Clapeyron
Deducción Clausius-Clapeyron
 
Resume - RJ Roof_Rev1_21Oct16
Resume - RJ Roof_Rev1_21Oct16Resume - RJ Roof_Rev1_21Oct16
Resume - RJ Roof_Rev1_21Oct16
 
EKMA 4478 - Analisis Kasus Bisnis Modul 7 : Strategi, Targeting, dan Positioning
EKMA 4478 - Analisis Kasus Bisnis Modul 7 : Strategi, Targeting, dan PositioningEKMA 4478 - Analisis Kasus Bisnis Modul 7 : Strategi, Targeting, dan Positioning
EKMA 4478 - Analisis Kasus Bisnis Modul 7 : Strategi, Targeting, dan Positioning
 

Semelhante a Trabalho de quimica Vituriano

Semelhante a Trabalho de quimica Vituriano (20)

Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
Sl mecanismos das_reacoes
Sl mecanismos das_reacoesSl mecanismos das_reacoes
Sl mecanismos das_reacoes
 
TermoquíMica
TermoquíMicaTermoquíMica
TermoquíMica
 
Termoquimica
TermoquimicaTermoquimica
Termoquimica
 
Modelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reações
Modelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reaçõesModelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reações
Modelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reações
 
Reacções químicas
Reacções químicasReacções químicas
Reacções químicas
 
Apostila de química 2013 3 col 1 bim.
Apostila de química 2013  3 col  1 bim.Apostila de química 2013  3 col  1 bim.
Apostila de química 2013 3 col 1 bim.
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
"Somos Físicos" Reações Quimicas
"Somos Físicos" Reações Quimicas"Somos Físicos" Reações Quimicas
"Somos Físicos" Reações Quimicas
 
Metabolismo energético
Metabolismo energéticoMetabolismo energético
Metabolismo energético
 
Velocidade das reacções químicas - FQ
Velocidade das reacções químicas - FQVelocidade das reacções químicas - FQ
Velocidade das reacções químicas - FQ
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Termoquímica parte 01
Termoquímica parte 01Termoquímica parte 01
Termoquímica parte 01
 
Cinetica Química
Cinetica QuímicaCinetica Química
Cinetica Química
 
Cinética
CinéticaCinética
Cinética
 
Modulo 6 reações quimicas e equilibrio homogenoo
Modulo 6 reações quimicas e equilibrio homogenooModulo 6 reações quimicas e equilibrio homogenoo
Modulo 6 reações quimicas e equilibrio homogenoo
 
Relatorio quimica geral_2 - cinetica
Relatorio quimica geral_2 - cineticaRelatorio quimica geral_2 - cinetica
Relatorio quimica geral_2 - cinetica
 
AULA 2 MOVIMENTO GEOMETRIA PLANA APLICADA.pptx
AULA 2 MOVIMENTO GEOMETRIA PLANA  APLICADA.pptxAULA 2 MOVIMENTO GEOMETRIA PLANA  APLICADA.pptx
AULA 2 MOVIMENTO GEOMETRIA PLANA APLICADA.pptx
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
 

Último

Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 

Último (20)

Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 

Trabalho de quimica Vituriano

  • 1. Existe um ramo na ciência que estuda a velocidade das reações químicas e os fatores que a influenciam, é a chamada Cinética Química. Pode se definir reações químicas como sendo um conjunto de fenômenos nos quais duas ou mais substâncias reagem entre si, dando origem a diferentes compostos. Equação química é a representação gráfica de uma reação química, onde os reagentes aparecem no primeiro membro, e os produtos no segundo.
  • 2. • A+B C+D Reagentes Produtos • O conhecimento e o estudo das reações, além de ser muito importante em termos industriais, também estão relacionados ao nosso dia a dia. A velocidade de uma reação é a rapidez com que os reagentes são consumidos ou rapidez com que os produtos são formados. A combustão de uma vela e a formação de ferrugem são exemplos de reações lentas. Na dinamite, a decomposição da nitroglicerina é uma reação rápida. As velocidades das reações químicas são determinadas através de leis empíricas, chamadas leis da velocidade, deduzidas a partir do efeito da concentração dos reagentes e produtos na velocidade da reação. As reações químicas ocorrem com velocidades diferentes e estas podem ser alteradas, porque além da concentração de reagentes e produtos, as velocidades das reações dependem também de outros fatores como:
  • 3. • Concentração de reagentes: quanto maior a concentração dos reagentes maior será a velocidade da reação. Para que aconteça uma reação entre duas ou mais substâncias é necessário que as moléculas se choquem, de modo que haja quebra das ligações com consequente formação de outras novas. • É fácil perceber que devido a uma maior concentração haverá aumento das colisões entre as moléculas.
  • 4. • Superfície de contato: um aumento da superfície de contato aumenta a velocidade da reação. Um exemplo é quando dissolvemos um comprimido de sonrisal triturado e ele se dissolve mais rapidamente do que se estivesse inteiro, isto acontece porque aumentamos a superfície de contato que reage com a água. Pressão: quando se aumenta a pressão de um sistema gasoso, aumenta-se a velocidade da reação. (Imagem na area de trabalho) • Um aumento na pressão de P1 para P 2 reduziu o volume de V1 para V1/2, acelerando a reação devido à aproximação das moléculas. • A figura acima exemplifica, pois com a diminuição do volume no segundo recipiente, haverá um aumento da pressão intensificando as colisões das moléculas e em consequência ocorrerá um aumento na velocidade da reação.
  • 5. • Temperatura: quando se aumenta a temperatura de um sistema, ocorre também um aumento na velocidade da reação. Aumentar a temperatura significa aumentar a energia cinética das moléculas. No nosso dia a dia podemos observar esse fator quando estamos cozinhando e aumentamos a chama do fogão para que o alimento atinja o grau de cozimento mais rápido. Catalisadores: os catalisadores são substâncias que aceleram o mecanismo sem sofrerem alteração permanente, isto é, durante a reação eles não são consumidos. Os catalisadores permitem que a reação tome um caminho alternativo, que exige menor energia de ativação, fazendo com que a reação se processe mais rapidamente. É importante lembrar que um catalisador acelera a reação, mas não aumenta o rendimento, ou seja, ele produz a mesma quantidade de produto, mas num período de menor tempo.
  • 6. • • • • Introdução O que vem a ser energia? A energia se apresenta de várias formas na natureza, de maneira que uma forma de energia se converte ou se transforma em outra, pois, de acordo com a lei de Lavoisier, na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma - conceituando, assim, a lei da conservação da energia. Conceituar energia não é tarefa fácil, mas podemos definir energia como sendo a capacidade que um corpo tem de realizar trabalho. Observe os seguintes exemplos que podem auxiliar nesse entendimento de energia: As águas de uma cachoeira possuem energia, pois são capazes de realizar trabalho ao mover as turbinas de uma usina hidrelétrica, por exemplo. A gasolina possui energia, pois ela é capaz de realizar trabalho fazendo o automóvel se locomover. E muitos outros exemplos. Como dissemos, energia é a capacidade que um corpo tem de realizar trabalho. A unidade de energia no Sistema Internacional de Unidades (SI) é o joule, assim como a unidade de trabalho de uma força. Essa unidade foi em homenagem a James Prescott Joule, um físico britânico. Ele estudou a natureza do calor e descobriu as relações com o trabalho mecânico. Energia Cinética • Energia cinética é a energia que está relacionada à movimentação dos corpos, ou seja, é a energia que um corpo possui em virtude de ele estar em movimento. Mas como podemos calcular a energia cinética de um corpo? Ao fazer algumas observações sobre os movimentos dos corpos, podemos concluir que a energia cinética de um corpo será cada vez maior quanto maior for a sua velocidade. Do mesmo modo, poderemos concluir que quanto maior for a massa de um corpo maior será sua energia cinética. Para mostrar isso, tomemos como exemplo uma motocicleta e um caminhão. Somente pelas dimensões é possível notar que o caminhão possui mais massa em relação à moto, e que ele também desenvolve velocidades maiores que a de uma moto. De forma a sintetizar essas observações, é possível escrever energia cinética a partir da seguinte equação: Onde m é a massa do corpo e V é a sua velocidade. A unidade de energia cinética é o joule, representado pela letra J.