SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
• Tendência organizacional e relacional de expandir
redes/sistemas/arranjos de compromisso social, como
alternativa para abordar questões sociais complexas e
aparentemente inatingíveis, quando tratadas isoladamente.
• Paradigma emergente de um novo modelo de
desenvolvimento em redes e parcerias, com foco na
dimensão humana, social e sustentável.
• É o processo de fazer algo novo (criação) ou
algo diferente (inovação) com o propósito de
agregar valor social.
 Não foca o mercado e sim as situações de
risco social
 Seu objetivo não é a sustentabilidade da
empresa e sim a sustentabilidade do projeto
• Empreendedorismo privado
• geração de riquezas
• Empreendedorismo social
• Missão social - Concebe a riqueza como meio para alcançar
determinado resultado social.
Demanda
Social
Missão / Visão PlanejamentoNegócio
Gestão
Social
Resultado
Social
 Um empreendimento social não nasce pela
oportunidade de negócio e sim, pela
necessidade das pessoas, de uma
comunidade ou de uma região.
 O que se faz necessário para aprimorar a
qualidade de vida, da dignidade humana e da
transformação social.
Oportunidade x Necessidade
 A missão e visão de um empreendimento
social seguem os mesmos conceitos de
qualquer negócio (razão de ser e onde se quer
chegar), porém se baseiam na doação e na
indignação por um cenário específico.
 A missão e a visão são fundamentais para um
empreendedor social.
 O negócio de um empreendimento social
tende a não se limitar na produção ou
prestação de um serviço, mas também no
compromisso com a transformação de seus
“Clientes”.
 Como qualquer empreendimento, o plano de
negócios é essencial.
 Porém, mais do que apenas o plano de
negócios, o empreendimento social deve
planejar adequadamente seus projetos sociais
 Quando um empreendedor comum deixa de
inovar e se preocupa com a sobrevivência de
seu negócio, este se torna um administrador,
empresário ou gestor.
 Já em um empreendimento social, a gestão
do negócio deve andar lado a lado da gestão
dos projetos que são o foco na transformação
da sociedade.
 Empreendimentos sociais podem e devem
obter renda, porém a renda não se torna
lucro e sim investimento na continuidade dos
projetos e o meio pelo qual o verdadeiro
resultado pode ser alcançado.
 Como qualquer resultado, ele deve ser
constantemente monitorado e avaliado por
critérios bem definidos
 Assim como no empreendedorismo privado, a
identificação do perfil é importante. Porém,
este perfil deve estar diretamente ligado aos
aspectos humanos, emoções além de
empresariais.
 Mais do que um inovador ou bom
empresário, é preciso Ser Humano!
 Hartigan (2006) define o empreendedor social como “um tipo
diferente de líder social que, entre outras coisas, aplica soluções
práticas a problemas sociais através da combinação da inovação,
disponibilização de recursos e oportunidades.
A inovação de um empreendedor social pode estar em um novo
produto, serviço ou abordagem para um problema social”.
 O empreendedor social pensa no coletivo.
 Produz bens e serviços para a comunidade.
Sua medida de desempenho é o impacto social. Visa resgatar
pessoas da situação de risco social e promovê-las.
1. Apoio ao desenvolvimento da comunidade local
2. Preservação do meio ambiente
3. Investimento no bem-estar de todos os atores
sociais
4. Comunicação transparente
5. Projetos estratégicos de inserção social
6. Sinergia com os parceiros
7. Valores pessoais e profissionais alicerçados na
cidadania
RECONGELAMENTO
EMPREENDEDOR SOCIAL COMO AGENTE DE MUDANÇA
“Ser um agente de mudanças significa antes
de tudo, reavaliar o próprio trabalho”
Max Gheringer.
Todo empreendedor social deve
aceitar se tornar um agente de
mudança, pois é a mudança que
irá alimentar seu espírito e fazer
com que nunca desista.
RECONGELAMENTO
O AGENTE DE MUDANÇA
O agente de mudanças é o responsável pela mudança
Esta responsabilidade pode ser :
Formal (passada, delegada, institucionalizada);
Informal (assumida, adquirida, herdada );
RECONGELAMENTO
HABILIDADES DO AGENTE DE MUDANÇA
• Tomar as rédeas do processo. (LIDERANÇA)
• Se desenvolve e desenvolve outros. (COACHING)
• Estar atento/ligado ao mercado interno e externo. (PERSPICÁCIA)
• Ter mente aberta para o diferente. (DIVERSIDADE)
• Enxergar nos obstáculos a oportunidade de desenvolvimento. (VISÃO)
• Adotar postura e comportamento proativo. (ATITUDE)
Podemos resumir que o agente de mudança conhece e sabe utilizar o CHAI
“O papel gerencial de liderar e guiar a empresa em um mundo incerto é um dos
mais importantes em nossa sociedade”. (Edmund R. Gray)
RECONGELAMENTO
FUNÇÕES DO AGENTE DE MUDANÇA
1. Estabelecer um senso de urgência
2. Formar alianças
3. Criar uma visão
4. Comunicar a visão
5. Investir em empowerment
6. Criar vitórias de curto prazo
7. Consolidar as melhorias e produzir mais mudanças
8. Institucionalizar novas abordagens
(KOTTER, 2005)
Atividades
 Criar um empreendimento social!
Nome
Missão e Visão
Demanda Social
Negócio
Planejamento
Resultado Social - Impacto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Motivacional Ensino Médio
Palestra Motivacional Ensino MédioPalestra Motivacional Ensino Médio
Palestra Motivacional Ensino Médio
angelavbecker
 
Autoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vidaAutoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vida
Nadini de Sousa
 
Slide projeto de vida
Slide projeto de vidaSlide projeto de vida
Slide projeto de vida
Isabel Aguiar
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
Over Lane
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
Leandro Lopes
 

Mais procurados (20)

Perfil Empreendedor
Perfil EmpreendedorPerfil Empreendedor
Perfil Empreendedor
 
Plano de negocios
Plano de negociosPlano de negocios
Plano de negocios
 
Palestra sobre Empreendedorismo: motivação para mudar de vida, se Realizar e ...
Palestra sobre Empreendedorismo: motivação para mudar de vida, se Realizar e ...Palestra sobre Empreendedorismo: motivação para mudar de vida, se Realizar e ...
Palestra sobre Empreendedorismo: motivação para mudar de vida, se Realizar e ...
 
Slides ao Jovem Empreendedor
Slides ao Jovem EmpreendedorSlides ao Jovem Empreendedor
Slides ao Jovem Empreendedor
 
Processo criativo
Processo criativoProcesso criativo
Processo criativo
 
Palestra Motivacional Ensino Médio
Palestra Motivacional Ensino MédioPalestra Motivacional Ensino Médio
Palestra Motivacional Ensino Médio
 
Etica e cidadania
Etica e cidadaniaEtica e cidadania
Etica e cidadania
 
Autoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vidaAutoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vida
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
ETICA
ETICAETICA
ETICA
 
Aula 2 - Missão, visão e valores
Aula 2 - Missão, visão e valoresAula 2 - Missão, visão e valores
Aula 2 - Missão, visão e valores
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Slide projeto de vida
Slide projeto de vidaSlide projeto de vida
Slide projeto de vida
 
Educação Empreendedora
Educação EmpreendedoraEducação Empreendedora
Educação Empreendedora
 
Aula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismoAula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismo
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
 
Mercado de trabalho
Mercado de trabalhoMercado de trabalho
Mercado de trabalho
 
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANOÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
 

Destaque

Projeto empreendedorismo social e meio ambiente
Projeto empreendedorismo social e meio ambienteProjeto empreendedorismo social e meio ambiente
Projeto empreendedorismo social e meio ambiente
Gabriela Alves
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro SetorAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
Prof. Leonardo Rocha
 
Empreendedorismo Social
Empreendedorismo SocialEmpreendedorismo Social
Empreendedorismo Social
Naianne Dias
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Realidade Social
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Realidade SocialAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Realidade Social
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Realidade Social
Prof. Leonardo Rocha
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e Inovação
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e InovaçãoAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e Inovação
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e Inovação
Prof. Leonardo Rocha
 
Cópia de seminário de empreendimento
Cópia de seminário de empreendimentoCópia de seminário de empreendimento
Cópia de seminário de empreendimento
segioslz
 
Empreendedorismo Social
Empreendedorismo SocialEmpreendedorismo Social
Empreendedorismo Social
Sofia Cabral
 
Sérgio Nardi - Conv. Anual J&R Panfletagem 2009
Sérgio Nardi - Conv. Anual J&R Panfletagem 2009Sérgio Nardi - Conv. Anual J&R Panfletagem 2009
Sérgio Nardi - Conv. Anual J&R Panfletagem 2009
Sérgio Nardi
 
Baixa E MéDia Renda
Baixa E MéDia RendaBaixa E MéDia Renda
Baixa E MéDia Renda
renatadelara
 

Destaque (20)

Empreendedorismo social
Empreendedorismo socialEmpreendedorismo social
Empreendedorismo social
 
Empreendedorismo Social
Empreendedorismo SocialEmpreendedorismo Social
Empreendedorismo Social
 
Projeto empreendedorismo social e meio ambiente
Projeto empreendedorismo social e meio ambienteProjeto empreendedorismo social e meio ambiente
Projeto empreendedorismo social e meio ambiente
 
Empreendedorismo social - Dinâmica ministrada no Colégio Liceu
Empreendedorismo social - Dinâmica ministrada no Colégio LiceuEmpreendedorismo social - Dinâmica ministrada no Colégio Liceu
Empreendedorismo social - Dinâmica ministrada no Colégio Liceu
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro SetorAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
 
Empreendedorismo Social
Empreendedorismo SocialEmpreendedorismo Social
Empreendedorismo Social
 
Empreendedorismo Social - Quando o lucro é fazer o bem!
Empreendedorismo Social - Quando o lucro é fazer o bem! Empreendedorismo Social - Quando o lucro é fazer o bem!
Empreendedorismo Social - Quando o lucro é fazer o bem!
 
Aula empreendedorismo
Aula empreendedorismoAula empreendedorismo
Aula empreendedorismo
 
Empreendedorismo Social: é hora de começar
Empreendedorismo Social: é hora de começarEmpreendedorismo Social: é hora de começar
Empreendedorismo Social: é hora de começar
 
Conferencia Empreendedorismo Social
Conferencia Empreendedorismo SocialConferencia Empreendedorismo Social
Conferencia Empreendedorismo Social
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Realidade Social
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Realidade SocialAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Realidade Social
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Realidade Social
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e Inovação
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e InovaçãoAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e Inovação
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e Inovação
 
Ocho tecnologias para el 2010
Ocho tecnologias para el 2010Ocho tecnologias para el 2010
Ocho tecnologias para el 2010
 
Cópia de seminário de empreendimento
Cópia de seminário de empreendimentoCópia de seminário de empreendimento
Cópia de seminário de empreendimento
 
Empreendedorismo social no Brasil - Heiko Spitzeck
Empreendedorismo social no Brasil - Heiko SpitzeckEmpreendedorismo social no Brasil - Heiko Spitzeck
Empreendedorismo social no Brasil - Heiko Spitzeck
 
Empreendedorismo Social
Empreendedorismo SocialEmpreendedorismo Social
Empreendedorismo Social
 
Sérgio Nardi - Conv. Anual J&R Panfletagem 2009
Sérgio Nardi - Conv. Anual J&R Panfletagem 2009Sérgio Nardi - Conv. Anual J&R Panfletagem 2009
Sérgio Nardi - Conv. Anual J&R Panfletagem 2009
 
26 Years
26 Years26 Years
26 Years
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Baixa E MéDia Renda
Baixa E MéDia RendaBaixa E MéDia Renda
Baixa E MéDia Renda
 

Semelhante a Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo Social

75662327 1248395328-movimentos-associativos-na-sociedade-civil-empreendedoris...
75662327 1248395328-movimentos-associativos-na-sociedade-civil-empreendedoris...75662327 1248395328-movimentos-associativos-na-sociedade-civil-empreendedoris...
75662327 1248395328-movimentos-associativos-na-sociedade-civil-empreendedoris...
Pelo Siro
 
Responsabilidade Pessoal - Aba
Responsabilidade Pessoal - AbaResponsabilidade Pessoal - Aba
Responsabilidade Pessoal - Aba
guestc944c57
 

Semelhante a Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo Social (20)

Inovação social
Inovação socialInovação social
Inovação social
 
Mundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdf
Mundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdfMundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdf
Mundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdf
 
Negócios de impacto social
Negócios de impacto socialNegócios de impacto social
Negócios de impacto social
 
Empreendedorismo e a Geração Y Aula UFSC
Empreendedorismo e a Geração Y Aula UFSCEmpreendedorismo e a Geração Y Aula UFSC
Empreendedorismo e a Geração Y Aula UFSC
 
Princípios de Empreendedorismo Social
Princípios de Empreendedorismo SocialPrincípios de Empreendedorismo Social
Princípios de Empreendedorismo Social
 
Empreendedorismo e a Geração Y
Empreendedorismo e a Geração YEmpreendedorismo e a Geração Y
Empreendedorismo e a Geração Y
 
Anteprojeto.com
Anteprojeto.comAnteprojeto.com
Anteprojeto.com
 
Redescobrindo a Inovação Social, por kriss deiglmeier
Redescobrindo a Inovação Social, por kriss deiglmeier Redescobrindo a Inovação Social, por kriss deiglmeier
Redescobrindo a Inovação Social, por kriss deiglmeier
 
Diferenças entre Empreendededorismo Social e Empresasrial
Diferenças entre Empreendededorismo Social e EmpresasrialDiferenças entre Empreendededorismo Social e Empresasrial
Diferenças entre Empreendededorismo Social e Empresasrial
 
Questionário -o_que_é_empreendedorismo
Questionário  -o_que_é_empreendedorismoQuestionário  -o_que_é_empreendedorismo
Questionário -o_que_é_empreendedorismo
 
Aula missão
Aula missãoAula missão
Aula missão
 
Apost elaborprojpromsocial
Apost elaborprojpromsocialApost elaborprojpromsocial
Apost elaborprojpromsocial
 
75662327 1248395328-movimentos-associativos-na-sociedade-civil-empreendedoris...
75662327 1248395328-movimentos-associativos-na-sociedade-civil-empreendedoris...75662327 1248395328-movimentos-associativos-na-sociedade-civil-empreendedoris...
75662327 1248395328-movimentos-associativos-na-sociedade-civil-empreendedoris...
 
empreendedorismo conceito.docx
empreendedorismo conceito.docxempreendedorismo conceito.docx
empreendedorismo conceito.docx
 
A importância do Voluntariado Corporativo
A importância do Voluntariado CorporativoA importância do Voluntariado Corporativo
A importância do Voluntariado Corporativo
 
Reflexões sobre Inovação.pptx
Reflexões sobre Inovação.pptxReflexões sobre Inovação.pptx
Reflexões sobre Inovação.pptx
 
1AULASRS_1.ppt
1AULASRS_1.ppt1AULASRS_1.ppt
1AULASRS_1.ppt
 
Exit magazine 28 jan_dec2012_dianova
Exit magazine 28 jan_dec2012_dianovaExit magazine 28 jan_dec2012_dianova
Exit magazine 28 jan_dec2012_dianova
 
A Responsabilidade Social Empresarial - Cleber Antonello - IAV-Sustentabilidade.
A Responsabilidade Social Empresarial - Cleber Antonello - IAV-Sustentabilidade.A Responsabilidade Social Empresarial - Cleber Antonello - IAV-Sustentabilidade.
A Responsabilidade Social Empresarial - Cleber Antonello - IAV-Sustentabilidade.
 
Responsabilidade Pessoal - Aba
Responsabilidade Pessoal - AbaResponsabilidade Pessoal - Aba
Responsabilidade Pessoal - Aba
 

Mais de Prof. Leonardo Rocha

Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Plano de Negócios
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Plano de NegóciosAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Plano de Negócios
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Plano de Negócios
Prof. Leonardo Rocha
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Projetos Sociais
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Projetos SociaisAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Projetos Sociais
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Projetos Sociais
Prof. Leonardo Rocha
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Tecnologias Sociais
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Tecnologias SociaisAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Tecnologias Sociais
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Tecnologias Sociais
Prof. Leonardo Rocha
 
Aula 3 tga - administração científica e taylor
Aula 3   tga - administração científica e taylorAula 3   tga - administração científica e taylor
Aula 3 tga - administração científica e taylor
Prof. Leonardo Rocha
 

Mais de Prof. Leonardo Rocha (20)

MUDANÇA ORGANIZACIONAL
MUDANÇA ORGANIZACIONALMUDANÇA ORGANIZACIONAL
MUDANÇA ORGANIZACIONAL
 
CENÁRIOS
CENÁRIOSCENÁRIOS
CENÁRIOS
 
CONFIGURAÇÕES
CONFIGURAÇÕESCONFIGURAÇÕES
CONFIGURAÇÕES
 
MODELOS DE GESTÃO
MODELOS DE GESTÃOMODELOS DE GESTÃO
MODELOS DE GESTÃO
 
MODELO DE NEGÓCIOS
MODELO DE NEGÓCIOSMODELO DE NEGÓCIOS
MODELO DE NEGÓCIOS
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Plano de Negócios
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Plano de NegóciosAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Plano de Negócios
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Plano de Negócios
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Projetos Sociais
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Projetos SociaisAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Projetos Sociais
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Projetos Sociais
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Tecnologias Sociais
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Tecnologias SociaisAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Tecnologias Sociais
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Tecnologias Sociais
 
Teoria Neoclássica
Teoria NeoclássicaTeoria Neoclássica
Teoria Neoclássica
 
Aula 9 - Configurações Organizacionais de Mintzberg
Aula 9 - Configurações Organizacionais de MintzbergAula 9 - Configurações Organizacionais de Mintzberg
Aula 9 - Configurações Organizacionais de Mintzberg
 
Aula 5 abordagem comportamental
Aula 5   abordagem comportamentalAula 5   abordagem comportamental
Aula 5 abordagem comportamental
 
Aula 4 - Reengenharia e DO
Aula 4 - Reengenharia e DOAula 4 - Reengenharia e DO
Aula 4 - Reengenharia e DO
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
 
Aula 4 - Organogramas, Fluxogramas e Funcionagrama
Aula 4 - Organogramas, Fluxogramas e FuncionagramaAula 4 - Organogramas, Fluxogramas e Funcionagrama
Aula 4 - Organogramas, Fluxogramas e Funcionagrama
 
Aula 4 tga - Fordismo e Abordagem Clássica de Fayol
Aula 4   tga - Fordismo e Abordagem Clássica de FayolAula 4   tga - Fordismo e Abordagem Clássica de Fayol
Aula 4 tga - Fordismo e Abordagem Clássica de Fayol
 
Aula 3 - Gestão da Mudança
Aula 3 - Gestão da MudançaAula 3 - Gestão da Mudança
Aula 3 - Gestão da Mudança
 
Aula 3 tga - administração científica e taylor
Aula 3   tga - administração científica e taylorAula 3   tga - administração científica e taylor
Aula 3 tga - administração científica e taylor
 
Portfólio empresarial modelo
Portfólio empresarial   modeloPortfólio empresarial   modelo
Portfólio empresarial modelo
 
Aula 2 introdução à tga - parte 2
Aula 2   introdução à tga - parte 2Aula 2   introdução à tga - parte 2
Aula 2 introdução à tga - parte 2
 
Como você aprende
Como você aprendeComo você aprende
Como você aprende
 

Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo Social

  • 1.
  • 2. • Tendência organizacional e relacional de expandir redes/sistemas/arranjos de compromisso social, como alternativa para abordar questões sociais complexas e aparentemente inatingíveis, quando tratadas isoladamente. • Paradigma emergente de um novo modelo de desenvolvimento em redes e parcerias, com foco na dimensão humana, social e sustentável. • É o processo de fazer algo novo (criação) ou algo diferente (inovação) com o propósito de agregar valor social.
  • 3.  Não foca o mercado e sim as situações de risco social  Seu objetivo não é a sustentabilidade da empresa e sim a sustentabilidade do projeto
  • 4. • Empreendedorismo privado • geração de riquezas • Empreendedorismo social • Missão social - Concebe a riqueza como meio para alcançar determinado resultado social.
  • 5.
  • 6. Demanda Social Missão / Visão PlanejamentoNegócio Gestão Social Resultado Social
  • 7.  Um empreendimento social não nasce pela oportunidade de negócio e sim, pela necessidade das pessoas, de uma comunidade ou de uma região.  O que se faz necessário para aprimorar a qualidade de vida, da dignidade humana e da transformação social. Oportunidade x Necessidade
  • 8.  A missão e visão de um empreendimento social seguem os mesmos conceitos de qualquer negócio (razão de ser e onde se quer chegar), porém se baseiam na doação e na indignação por um cenário específico.  A missão e a visão são fundamentais para um empreendedor social.
  • 9.  O negócio de um empreendimento social tende a não se limitar na produção ou prestação de um serviço, mas também no compromisso com a transformação de seus “Clientes”.
  • 10.  Como qualquer empreendimento, o plano de negócios é essencial.  Porém, mais do que apenas o plano de negócios, o empreendimento social deve planejar adequadamente seus projetos sociais
  • 11.  Quando um empreendedor comum deixa de inovar e se preocupa com a sobrevivência de seu negócio, este se torna um administrador, empresário ou gestor.  Já em um empreendimento social, a gestão do negócio deve andar lado a lado da gestão dos projetos que são o foco na transformação da sociedade.
  • 12.  Empreendimentos sociais podem e devem obter renda, porém a renda não se torna lucro e sim investimento na continuidade dos projetos e o meio pelo qual o verdadeiro resultado pode ser alcançado.  Como qualquer resultado, ele deve ser constantemente monitorado e avaliado por critérios bem definidos
  • 13.
  • 14.  Assim como no empreendedorismo privado, a identificação do perfil é importante. Porém, este perfil deve estar diretamente ligado aos aspectos humanos, emoções além de empresariais.  Mais do que um inovador ou bom empresário, é preciso Ser Humano!
  • 15.  Hartigan (2006) define o empreendedor social como “um tipo diferente de líder social que, entre outras coisas, aplica soluções práticas a problemas sociais através da combinação da inovação, disponibilização de recursos e oportunidades. A inovação de um empreendedor social pode estar em um novo produto, serviço ou abordagem para um problema social”.  O empreendedor social pensa no coletivo.  Produz bens e serviços para a comunidade. Sua medida de desempenho é o impacto social. Visa resgatar pessoas da situação de risco social e promovê-las.
  • 16.
  • 17. 1. Apoio ao desenvolvimento da comunidade local 2. Preservação do meio ambiente 3. Investimento no bem-estar de todos os atores sociais 4. Comunicação transparente 5. Projetos estratégicos de inserção social 6. Sinergia com os parceiros 7. Valores pessoais e profissionais alicerçados na cidadania
  • 18. RECONGELAMENTO EMPREENDEDOR SOCIAL COMO AGENTE DE MUDANÇA “Ser um agente de mudanças significa antes de tudo, reavaliar o próprio trabalho” Max Gheringer. Todo empreendedor social deve aceitar se tornar um agente de mudança, pois é a mudança que irá alimentar seu espírito e fazer com que nunca desista.
  • 19. RECONGELAMENTO O AGENTE DE MUDANÇA O agente de mudanças é o responsável pela mudança Esta responsabilidade pode ser : Formal (passada, delegada, institucionalizada); Informal (assumida, adquirida, herdada );
  • 20. RECONGELAMENTO HABILIDADES DO AGENTE DE MUDANÇA • Tomar as rédeas do processo. (LIDERANÇA) • Se desenvolve e desenvolve outros. (COACHING) • Estar atento/ligado ao mercado interno e externo. (PERSPICÁCIA) • Ter mente aberta para o diferente. (DIVERSIDADE) • Enxergar nos obstáculos a oportunidade de desenvolvimento. (VISÃO) • Adotar postura e comportamento proativo. (ATITUDE) Podemos resumir que o agente de mudança conhece e sabe utilizar o CHAI “O papel gerencial de liderar e guiar a empresa em um mundo incerto é um dos mais importantes em nossa sociedade”. (Edmund R. Gray)
  • 21. RECONGELAMENTO FUNÇÕES DO AGENTE DE MUDANÇA 1. Estabelecer um senso de urgência 2. Formar alianças 3. Criar uma visão 4. Comunicar a visão 5. Investir em empowerment 6. Criar vitórias de curto prazo 7. Consolidar as melhorias e produzir mais mudanças 8. Institucionalizar novas abordagens (KOTTER, 2005)
  • 22. Atividades  Criar um empreendimento social! Nome Missão e Visão Demanda Social Negócio Planejamento Resultado Social - Impacto