SlideShare uma empresa Scribd logo
EDUCAÇÃO JOVENS E
  ADULTOS-
  ADULTOS- EJA
Modalidade : EJA
A EJA é uma modalidade de ensino
amparada por lei, e voltada para as pessoas
que não tiveram acesso e ou permanência
no ensino regular na idade própria.
Abrangendo os processos formativos desta
modalidade da Educação Básica nas etapas
do Ensino Fundamental e Médio nos termos
da LDBN 9394/96. em especial no artigos
4º, 5º, 37,38, e 87.
Resolução: CEE nº 260 de 18 de
              Novembro de 2005
Preceitos e Parâmetros:
Art. 3º a educação de jovens e adultos, com a finalidade de assegurar o
     cumprimento integral do dispositivo no art.2º, obedece aos seguintes
     preceitos e parâmetros:
   I – Ingresso permitido apenas aos que ainda não tiveram acesso à escola ou
     que dela encontrem-se, comprovadamente, afastados há mais de 6 meses
     alterado pela Res. CEE Nº 1/2008;
  II – Idade mínima de 15 anos(quinze) anos para o ingresso no ensino
     fundamental e 18 anos (dezoito), no ensino médio;
 III – Observância integral do currículo pleno e das diretrizes curriculares,
     tanto da base comum nacional, quanto da parte diversificada, conforme
     dispõe o art. 36 e seus parágrafos, da Lei Federal nº 9.394/96 e a Lei
     complementar Estadual nº 026/98;
 IV - Carga horária mínima de pelo menos 2.400 ( duas mil e quatrocentas
     horas presenciais para o ensino fundamental em todas as suas etapas,
     1.600 (mil e seiscentos) horas, para aquela etapa que abrange do 5º ao 9º
     ano deste nível de ensino, e de 1.200 ( Mil e duzentas ) também presenciais,
     para o ensino médio.
A quem se destina a Educação de
        Jovens e Adultos?
• Conforme a LDBN/9394, a Educação de
  Jovens e Adultos se destina as pessoas que
  não tiveram acesso e ou não continuaram os
  estudos no Ensino Fundamental e Médio na
  idade própria, é uma modalidade de
  educação básica, que deve levar em contas
  o perfil e faixa etária .
Qual a importância para este público
         voltar a estudar ?
• Ao regressar à escola os jovens e os
  adultos necessitam vencer as barreiras do
  preconceito, tendo em vista o grande
  desafio em aprender. A volta à escola é
  baseada na expectativa de alcançar
  maiores      realizações     pessoais    e
  profissionais, tais como: elevar o grau de
  escolaridade, dominar o saber escolar para
  a ascensão social e profissional, inserção
  no mercado de trabalho e pela busca do
  reconhecimento social e da autoestima.
Quais as expectativas desses Jovens
            e Adultos?

• Muitos jovens e adultos chegam à
  escola com conhecimentos, crenças e
  valores incorporados por atividades
  realizadas ao longo da vida;

• Expressam certa resistência a
  mudanças e tem uma relação
  mediatista com o conhecimento.
O papel da Escola
• A escola deve proporcionar aos jovens e
  adultos inseridos nesta modalidade de
  ensino a possibilidade de analisar, criticar
  e enfrentar as questões postas em seu
  contexto, contribuindo para a sua
  formação intelectual, estimulando seu
  pensamento e raciocínio para novas
  aprendizagens.
Objetivos
• Dar continuidade de estudos para aqueles que não
  tiveram acesso a escola na idade própria;

• Garantir a sistematização e apropriação de
  conhecimento nas diversas áreas, incorporando
  novo saber e competências próprias à idade do
  educando jovens e adulto;

• Valorizar os espaços educativos que privilegiem as
  interações de experiências do educando jovens e
  adulto, visando fortalecer a sua autoestima e
  identidade e identidade cultural, para a
  construção de sua personalidade.
•
Metodologia da
        Problematização
• Segundos teóricos como: Bordenave e Pereira,
  Berbel e Hengemühle          (2004:103),      os
  professores     encontrou-se       um    caminho
  significativo para a educação. Onde         pode
  oferecer         uma    importante    orientação
  metodológica, a partir de um problema, onde
  busca-se compreendê-lo, fundamentá-lo, dados
  que são analisados e discutidos; por último são
  elaborados hipóteses de solução, que devem ser
  colocadas em prática para serem comprovadas e
  validadas, de acordo com o projeto Político
  pedagógica da escola .
Metodologia da EJA
É ressignificar a compreensão dos
educadores acerca dos conteúdos. É
fundamental     quando     se   pretende
empreender práticas pedagógicas que
favoreçam à aprendizagem dos educando.
Diferentes conteúdos se aprendem de
diferentes formas, não podemos organizar
uma rotina pedagógica que desconsidere tal
diferenciação.
Problematização
          A educação, como uma chave indispensável para o exercício da
     cidadania na sociedade contemporânea, vai se impondo cada vez mais nestes
     tempos de grandes mudanças e inovações nos processos educativos. No
     entanto a escola, ainda não consegue visilualizar sua problemática como:
1.    Evasão Escolar;
2.    Planejamento coletivo;
3.   Interagir e executar o plantão de dúvida de acordo com a Resolução CEE
     nº 260/05;
4.   Contemplar o planejamento pedagógico conforme a realidade diagnosticada
     da escola.
5.   Avaliar resultado do desempenho acadêmico dos alunos.
            Nesta visão problemática a escola impossibilita ao individuo jovem e
     adulto retomar seu potencial, desenvolver suas habilidades, confirmar
     competências adquiridas na educação extraescolar e na própria vida.
Proposta Metodológica
     De acordo com Bordenave e Pereira,
Berbel e Hengemühle (2004:103),          a
proposta metodológica que sensibilizou os
professores foi o Arco de Maguerez. É
um     instrumento     que    a    caminho
metodológico,        consegue       reunir,
coerentemente, a síntese das teorias que
contemplam o desejo de constantes
transformações, onde as buscas são
ilimitadas. Veja no Quadro abaixo:
Conforme o quadro apresentado, o o
professor parte da realidade do
aluno     busca    iluminação     no
conhecimento teórico e retorna à
realidade. Esse retorno, não será
mais ao mesmo nível de competência
anterior, pois agora, fundamentado
no conhecimento adquirido, o aluno
será mais capaz de compreender as
situações e/ou        problemas do
contexto. E esse hábito vai criando
um desejo da busca investigativa.
Passo 1 :Situações – Problemas da
Realidade (é o momento de provocação
do                           desejo.)

O professor inicia sua aula, trazendo
situações significativas para os alunos.
Como, também, a partir de um tema
significativo, pode solicitar que os
alunos     apresentem     situações   e
problemas significativos e que estão
relacionados ao tema. Até esse
momento o professor aborda um tema
ou situações significativas para os
alunos sem apelar para o conhecimento
teórico ou conteúdo.
Passo 2 :Hipóteses de Solução ,antes da
Teorização( contínua o momento de provocação de
                     desejo)

O professor procura dinamizar a provocação das
hipóteses dos alunos. Até esse momento os alunos
não tiveram contato com o conteúdo, cada um no
seu senso comum na sua individualidade, irá
posicionar-se. O professor, nesse momento,
provoca, questiona, retira os alunos da sua cômoda
posição de receber informações acabadas e
repeti-las. Os alunos, por sua vez, são colocados
em movimento e conflito mental.
Passo     3    :Teorização   (    momento      de
iluminação,compreensão fundamentada das situações
e                  dos                problemas).

É nesse momento que a teoria tem importância e faz
sentido. Cabe-nos trazer reflexões sobre nosso
conceito de teorização, a partir da proposta
refletida                                             .
Diante dessas concepções, a partir das situações –
problemas     apresentados      e    das   motivações
provocadas, a teoria é a referencia para que o
professor possa levar os alunos a compreender, de
forma significativa, as situações do mundo / vida e/ou
tenham capacidade de buscar, auxiliados pela teoria,
a solução dos problemas de sua época.
Passo 4: Hipótese de Solução, Com
Argumentação            Fundamentada
            Teoricamente.

A partir desse momento, o aluno precisa
ser desafiado por novas situações
problemas, ou levado a confirmar
/reconstruir suas hipóteses anteriores. É
o momento de exercitar a capacidade
argumentativa, não por achismo, mas com
fundamentação na teoria.
Passo    5:    Compreensão    e/ou
Reconstrução      da     Realidade
(momento de ressignificar a teoria
na realidade).
Nesse momento, é importante que o aluno,
individual ou grupalmente, tenha a
possibilidade de produzir algo de forma
reflexiva, nunca perdendo de vista a
análise de situações - problemas reais e
significativos, à luz da teoria.
Oficina:
                 Tema Gerador : A ESCOLA


                     Texto: A escola dos Bichos
Conta-se que vários bichos decidiram fundar uma escola. Para isso
  reuniram-se e começaram a escolher as disciplinas. O Pássaro
  insistiu para que houvesse aulas de vôo. O Esquilo achou que a
  subida perpendicular em árvores era fundamental. E o Coelho
  queria de qualquer jeito que a corrida fosse incluída. E assim foi
  feito,              incluíram              tudo,             mas...
  cometeram um grande erro. Insistiram para que todos os bichos
  praticassem todos os cursos oferecidos.
         O Coelho foi magnífico na corrida, ninguém corria como ele.
  Mas queriam ensiná-lo a voar.       Colocaram-no numa árvore e
  disseram:                                                    "Voa,
  Coelho". Ele saltou lá de cima e "pluft"... coitadinho! Quebrou as
  pernas. O Coelho não aprendeu a voar e acabou sem poder correr
  também.
         O Pássaro voava como nenhum outro, mas o obrigaram a cavar
  buracos como uma topeira. Quebrou o bico e as asas, e depois não
  conseguia voar tão bem, e nem mais cavar buracos.
Conclusão: SABE DE UMA COISA?

• Todos nós somos diferentes uns dos outros e cada
  um tem uma ou mais qualidades próprias dadas por
  DEUS.
• Não podemos exigir ou forçar para que as outras
  pessoas sejam parecidas conosco ou tenham
  nossas qualidades.
• Se assim agirmos, acabaremos fazendo com que
  elas sofram, e no final, elas poderão não ser o que
  queríamos que fossem e ainda pior, elas poderão
  não mais fazer o que faziam bem feito.
•        RESPEITAR AS DIFERENÇAS É AMAR AS
  PESSOAS COMO ELAS SÃO.
•                                    Rosana Rizzut
Atividade: Em grupo
•  Introdução/ Problematização
• Objetivo geral
• Objetivo específico
•  Levantamento de Hipótese
• Fundamentação Teórica
• Hipótese de solução
• Metodologia ( usar revista, livros
  didáticos jornal, sucata, etc);
• Avaliação: diagnostica, formativa,
  cumulativa .
• Referência Bibliografia
Obrigada (o)
• Equipe técnico pedagógica
• Email: Eurípedes de Lourdes A. Vasconcelos
         Ilce Borges Diniz
         Joana Mª Malta Monteiro
          Nilza da Conçolação Lopes
Telefone da Coedi: 3201.3135/3136
Ramal: 206, 207 e 209

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
Vadeilza Castilho
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
Silma Alexandre
 
Educação de jovens e adultos.pptx
Educação de jovens e adultos.pptxEducação de jovens e adultos.pptx
Educação de jovens e adultos.pptx
Glacemi Loch
 
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline VenturaEducação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
Linda-maria12
 
EJA.pptx
EJA.pptxEJA.pptx
EJA.pptx
INGRID ALMEIDA
 
Gestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola públicaGestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola pública
Ulisses Vakirtzis
 
Eja slides
Eja  slidesEja  slides
Eja slides
lks5
 
Projeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPPProjeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPP
Hebert Arcanjo
 
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMA
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMAProcesso histórico da EJA no Brasil - IFMA
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMA
Leandro Marques
 
Apresentação eja
Apresentação eja Apresentação eja
Apresentação eja
Izabel Cristina Bonethe
 
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e InovadorasEducação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Universidade Federal de Pernambuco
 
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalhoEJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
profamiriamnavarro
 
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Marily Oliveira
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
Magda Marques
 
BNCC na prática
BNCC na práticaBNCC na prática
BNCC na prática
Grasiela Dourado
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
Heilane Santos
 
Eja
EjaEja
Teofanis eja
Teofanis ejaTeofanis eja
Teofanis eja
Sara Cristina
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Dirce Cristiane Camilotti
 

Mais procurados (20)

Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
Educação de jovens e adultos.pptx
Educação de jovens e adultos.pptxEducação de jovens e adultos.pptx
Educação de jovens e adultos.pptx
 
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline VenturaEducação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
EJA.pptx
EJA.pptxEJA.pptx
EJA.pptx
 
Gestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola públicaGestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola pública
 
Eja slides
Eja  slidesEja  slides
Eja slides
 
Projeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPPProjeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPP
 
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMA
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMAProcesso histórico da EJA no Brasil - IFMA
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMA
 
Apresentação eja
Apresentação eja Apresentação eja
Apresentação eja
 
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e InovadorasEducação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
 
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalhoEJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
 
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
 
BNCC na prática
BNCC na práticaBNCC na prática
BNCC na prática
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Eja
EjaEja
Eja
 
Teofanis eja
Teofanis ejaTeofanis eja
Teofanis eja
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 

Destaque

Políticas Públicas para EJA - MEC
Políticas Públicas para EJA - MECPolíticas Públicas para EJA - MEC
Políticas Públicas para EJA - MEC
Tânia Márcia Tomaszewski
 
Aula 2 histórico da EJA
Aula 2  histórico da EJAAula 2  histórico da EJA
Aula 2 histórico da EJA
Cassia Brandão
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
anagomescarolina
 
ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL OU DE ...
ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL OU DE ...ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL OU DE ...
ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL OU DE ...
Joselaine
 
Slide EJA
Slide EJASlide EJA
Slide EJA
GN2713
 
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas AtuaisPalestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
Marcio Morais
 
Metodologias para eja
Metodologias para ejaMetodologias para eja
Metodologias para eja
deismachadoo
 
Concepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJAConcepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJA
Jeca Tatu
 
Plano de Aula para EJA
 Plano de Aula para EJA Plano de Aula para EJA
Plano de Aula para EJA
Gabriela Farias
 
EJA - EVENTO PNE
EJA - EVENTO PNEEJA - EVENTO PNE
EJA - EVENTO PNE
UBIRAJARA COUTO LIMA
 
Arquivo 3 eja e o mercado de trabalho
Arquivo 3   eja e o mercado de trabalhoArquivo 3   eja e o mercado de trabalho
Arquivo 3 eja e o mercado de trabalho
Laysnara Silva
 
Perfil do aluno - EJA
Perfil do aluno - EJAPerfil do aluno - EJA
Perfil do aluno - EJA
professorakei
 
Os desafios pedagogicos de eja
Os desafios pedagogicos de ejaOs desafios pedagogicos de eja
Os desafios pedagogicos de eja
Helena Zanotto
 
Plano De Aula Eja 09.12 Bahia
Plano De Aula Eja 09.12 BahiaPlano De Aula Eja 09.12 Bahia
Plano De Aula Eja 09.12 Bahia
marcusbrandao1
 
EJA abril 2016
EJA  abril 2016EJA  abril 2016
EJA abril 2016
Jeca Tatu
 
FormaçãO Continuada De Educadores De Jovens E Adultos
FormaçãO Continuada De Educadores De Jovens E AdultosFormaçãO Continuada De Educadores De Jovens E Adultos
FormaçãO Continuada De Educadores De Jovens E Adultos
culturaafro
 
Projeto eja power-point
Projeto  eja power-pointProjeto  eja power-point
Projeto eja power-point
midiasnaeducacaonte01
 
FORMAÇÃO DOCENTE PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: PONTUANDO DESAFIOS
FORMAÇÃO DOCENTE PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: PONTUANDO DESAFIOSFORMAÇÃO DOCENTE PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: PONTUANDO DESAFIOS
FORMAÇÃO DOCENTE PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: PONTUANDO DESAFIOS
alexcruzsilva
 
Eja
EjaEja
EJA PLANEJAMENTO ANUAL
EJA PLANEJAMENTO ANUAL EJA PLANEJAMENTO ANUAL
EJA PLANEJAMENTO ANUAL
neivaldolucio
 

Destaque (20)

Políticas Públicas para EJA - MEC
Políticas Públicas para EJA - MECPolíticas Públicas para EJA - MEC
Políticas Públicas para EJA - MEC
 
Aula 2 histórico da EJA
Aula 2  histórico da EJAAula 2  histórico da EJA
Aula 2 histórico da EJA
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL OU DE ...
ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL OU DE ...ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL OU DE ...
ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL OU DE ...
 
Slide EJA
Slide EJASlide EJA
Slide EJA
 
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas AtuaisPalestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
 
Metodologias para eja
Metodologias para ejaMetodologias para eja
Metodologias para eja
 
Concepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJAConcepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJA
 
Plano de Aula para EJA
 Plano de Aula para EJA Plano de Aula para EJA
Plano de Aula para EJA
 
EJA - EVENTO PNE
EJA - EVENTO PNEEJA - EVENTO PNE
EJA - EVENTO PNE
 
Arquivo 3 eja e o mercado de trabalho
Arquivo 3   eja e o mercado de trabalhoArquivo 3   eja e o mercado de trabalho
Arquivo 3 eja e o mercado de trabalho
 
Perfil do aluno - EJA
Perfil do aluno - EJAPerfil do aluno - EJA
Perfil do aluno - EJA
 
Os desafios pedagogicos de eja
Os desafios pedagogicos de ejaOs desafios pedagogicos de eja
Os desafios pedagogicos de eja
 
Plano De Aula Eja 09.12 Bahia
Plano De Aula Eja 09.12 BahiaPlano De Aula Eja 09.12 Bahia
Plano De Aula Eja 09.12 Bahia
 
EJA abril 2016
EJA  abril 2016EJA  abril 2016
EJA abril 2016
 
FormaçãO Continuada De Educadores De Jovens E Adultos
FormaçãO Continuada De Educadores De Jovens E AdultosFormaçãO Continuada De Educadores De Jovens E Adultos
FormaçãO Continuada De Educadores De Jovens E Adultos
 
Projeto eja power-point
Projeto  eja power-pointProjeto  eja power-point
Projeto eja power-point
 
FORMAÇÃO DOCENTE PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: PONTUANDO DESAFIOS
FORMAÇÃO DOCENTE PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: PONTUANDO DESAFIOSFORMAÇÃO DOCENTE PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: PONTUANDO DESAFIOS
FORMAÇÃO DOCENTE PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: PONTUANDO DESAFIOS
 
Eja
EjaEja
Eja
 
EJA PLANEJAMENTO ANUAL
EJA PLANEJAMENTO ANUAL EJA PLANEJAMENTO ANUAL
EJA PLANEJAMENTO ANUAL
 

Semelhante a Eja metodologia políticas públicas de eja

Andragogia.pptx
Andragogia.pptxAndragogia.pptx
Andragogia.pptx
Benedito32
 
Didatica
DidaticaDidatica
Sintese de estudo
Sintese  de  estudoSintese  de  estudo
Sintese de estudo
maria cristina
 
Centro De Ensino Unificado De Teresina
Centro De Ensino Unificado De TeresinaCentro De Ensino Unificado De Teresina
Centro De Ensino Unificado De Teresina
Selemerico Junior
 
Res 93 E 18
Res 93 E 18Res 93 E 18
Res 93 E 18
telasnorte1
 
Andragogia a aprendizagem nos adultos
Andragogia a aprendizagem nos adultosAndragogia a aprendizagem nos adultos
Andragogia a aprendizagem nos adultos
Vicentana
 
Autonomia e flexibilidade curricular
Autonomia e flexibilidade curricularAutonomia e flexibilidade curricular
Autonomia e flexibilidade curricular
josematiasalves
 
Trablho pnaic inclusão
Trablho pnaic inclusãoTrablho pnaic inclusão
Trablho pnaic inclusão
Caroll Lima
 
Portifolio finalizado
Portifolio finalizadoPortifolio finalizado
Portifolio finalizado
familiaestagio
 
O professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissionalO professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissional
Gerdian Teixeira
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
marcelle55
 
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricular
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricularEducacao inclusiva numa_ perspectiva_curricular
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricular
NTE
 
Estrutura e tendências politicas
Estrutura e tendências politicasEstrutura e tendências politicas
Estrutura e tendências politicas
Alexsandro Prates
 
Replanejamento ee milton silva rodrigues
Replanejamento ee milton silva rodriguesReplanejamento ee milton silva rodrigues
Replanejamento ee milton silva rodrigues
telasnorte1
 
Artigo prática ou teoria caminhos a seguir
Artigo prática ou teoria caminhos a seguirArtigo prática ou teoria caminhos a seguir
Artigo prática ou teoria caminhos a seguir
Adriano Silva
 
Ot historia 2011
Ot historia 2011Ot historia 2011
Ot historia 2011
Afonso Reis
 
VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
Acade Consultoria
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
jairdeoliveirajunior
 
Semana 02 regime de progressão continuada
Semana 02 regime de progressão continuadaSemana 02 regime de progressão continuada
Semana 02 regime de progressão continuada
Sandra Menucelli
 
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdfEO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
Natalia384006
 

Semelhante a Eja metodologia políticas públicas de eja (20)

Andragogia.pptx
Andragogia.pptxAndragogia.pptx
Andragogia.pptx
 
Didatica
DidaticaDidatica
Didatica
 
Sintese de estudo
Sintese  de  estudoSintese  de  estudo
Sintese de estudo
 
Centro De Ensino Unificado De Teresina
Centro De Ensino Unificado De TeresinaCentro De Ensino Unificado De Teresina
Centro De Ensino Unificado De Teresina
 
Res 93 E 18
Res 93 E 18Res 93 E 18
Res 93 E 18
 
Andragogia a aprendizagem nos adultos
Andragogia a aprendizagem nos adultosAndragogia a aprendizagem nos adultos
Andragogia a aprendizagem nos adultos
 
Autonomia e flexibilidade curricular
Autonomia e flexibilidade curricularAutonomia e flexibilidade curricular
Autonomia e flexibilidade curricular
 
Trablho pnaic inclusão
Trablho pnaic inclusãoTrablho pnaic inclusão
Trablho pnaic inclusão
 
Portifolio finalizado
Portifolio finalizadoPortifolio finalizado
Portifolio finalizado
 
O professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissionalO professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissional
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricular
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricularEducacao inclusiva numa_ perspectiva_curricular
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricular
 
Estrutura e tendências politicas
Estrutura e tendências politicasEstrutura e tendências politicas
Estrutura e tendências politicas
 
Replanejamento ee milton silva rodrigues
Replanejamento ee milton silva rodriguesReplanejamento ee milton silva rodrigues
Replanejamento ee milton silva rodrigues
 
Artigo prática ou teoria caminhos a seguir
Artigo prática ou teoria caminhos a seguirArtigo prática ou teoria caminhos a seguir
Artigo prática ou teoria caminhos a seguir
 
Ot historia 2011
Ot historia 2011Ot historia 2011
Ot historia 2011
 
VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
VLR: R$ 45,00 - AS POSSIBILIDADES DA INCLUSÃO ESCOLAR POR MEIO DO ENSINO COLA...
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
 
Semana 02 regime de progressão continuada
Semana 02 regime de progressão continuadaSemana 02 regime de progressão continuada
Semana 02 regime de progressão continuada
 
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdfEO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
 

Mais de Paulo Sérgio

Livro de poemas dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
Livro de poemas  dos alunos do 8º Ano C e D, do BartolomeuLivro de poemas  dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
Livro de poemas dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
Paulo Sérgio
 
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - BartolomeuEloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Paulo Sérgio
 
Mariana Oliveira - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Mariana Oliveira - Maio Laranja - 8º Ano - BartolomeuMariana Oliveira - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Mariana Oliveira - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Paulo Sérgio
 
Ailyn - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Ailyn - Maio Laranja - 8º Ano - BartolomeuAilyn - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Ailyn - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Paulo Sérgio
 
Gabriel Fernando - Maio Laranja - 8º Ano Bartolomeu
Gabriel Fernando - Maio Laranja - 8º Ano BartolomeuGabriel Fernando - Maio Laranja - 8º Ano Bartolomeu
Gabriel Fernando - Maio Laranja - 8º Ano Bartolomeu
Paulo Sérgio
 
Ailyn - Maio Amarelo - 8º Ano - Bartolomeu
Ailyn - Maio Amarelo - 8º Ano - BartolomeuAilyn - Maio Amarelo - 8º Ano - Bartolomeu
Ailyn - Maio Amarelo - 8º Ano - Bartolomeu
Paulo Sérgio
 
Retrospectiva Bartolomeu 2018
Retrospectiva Bartolomeu 2018Retrospectiva Bartolomeu 2018
Retrospectiva Bartolomeu 2018
Paulo Sérgio
 
Tosco slides cj2 - bartolomeu - Paranaiguara
Tosco   slides cj2 -  bartolomeu - ParanaiguaraTosco   slides cj2 -  bartolomeu - Paranaiguara
Tosco slides cj2 - bartolomeu - Paranaiguara
Paulo Sérgio
 
Dia da muher 2016 - bartolomeu
Dia da muher   2016 - bartolomeuDia da muher   2016 - bartolomeu
Dia da muher 2016 - bartolomeu
Paulo Sérgio
 
Leida aposentadoria
Leida aposentadoriaLeida aposentadoria
Leida aposentadoria
Paulo Sérgio
 
Leida aposentadoria
Leida aposentadoriaLeida aposentadoria
Leida aposentadoria
Paulo Sérgio
 
Homenagem gilma
Homenagem gilmaHomenagem gilma
Homenagem gilma
Paulo Sérgio
 
Homenagem gilma
Homenagem gilmaHomenagem gilma
Homenagem gilma
Paulo Sérgio
 
Festa de maio 2012 roteiro
Festa de maio 2012   roteiroFesta de maio 2012   roteiro
Festa de maio 2012 roteiro
Paulo Sérgio
 
Cara da escola festa de maio 2012
Cara da escola festa de maio 2012Cara da escola festa de maio 2012
Cara da escola festa de maio 2012
Paulo Sérgio
 
Natal 2011 bartolomeu.ppt
Natal 2011 bartolomeu.pptNatal 2011 bartolomeu.ppt
Natal 2011 bartolomeu.ppt
Paulo Sérgio
 
Livro vol 2_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
Livro vol 2_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011Livro vol 2_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
Livro vol 2_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
Paulo Sérgio
 
Livro vol 1_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
Livro vol 1_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011Livro vol 1_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
Livro vol 1_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
Paulo Sérgio
 
Dia do professor 2011
Dia do professor   2011Dia do professor   2011
Dia do professor 2011
Paulo Sérgio
 
Roteiro para produção de texto dissertativo_Renovar
Roteiro para produção de texto dissertativo_RenovarRoteiro para produção de texto dissertativo_Renovar
Roteiro para produção de texto dissertativo_Renovar
Paulo Sérgio
 

Mais de Paulo Sérgio (20)

Livro de poemas dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
Livro de poemas  dos alunos do 8º Ano C e D, do BartolomeuLivro de poemas  dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
Livro de poemas dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
 
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - BartolomeuEloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Eloá Prado - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
 
Mariana Oliveira - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Mariana Oliveira - Maio Laranja - 8º Ano - BartolomeuMariana Oliveira - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Mariana Oliveira - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
 
Ailyn - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Ailyn - Maio Laranja - 8º Ano - BartolomeuAilyn - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
Ailyn - Maio Laranja - 8º Ano - Bartolomeu
 
Gabriel Fernando - Maio Laranja - 8º Ano Bartolomeu
Gabriel Fernando - Maio Laranja - 8º Ano BartolomeuGabriel Fernando - Maio Laranja - 8º Ano Bartolomeu
Gabriel Fernando - Maio Laranja - 8º Ano Bartolomeu
 
Ailyn - Maio Amarelo - 8º Ano - Bartolomeu
Ailyn - Maio Amarelo - 8º Ano - BartolomeuAilyn - Maio Amarelo - 8º Ano - Bartolomeu
Ailyn - Maio Amarelo - 8º Ano - Bartolomeu
 
Retrospectiva Bartolomeu 2018
Retrospectiva Bartolomeu 2018Retrospectiva Bartolomeu 2018
Retrospectiva Bartolomeu 2018
 
Tosco slides cj2 - bartolomeu - Paranaiguara
Tosco   slides cj2 -  bartolomeu - ParanaiguaraTosco   slides cj2 -  bartolomeu - Paranaiguara
Tosco slides cj2 - bartolomeu - Paranaiguara
 
Dia da muher 2016 - bartolomeu
Dia da muher   2016 - bartolomeuDia da muher   2016 - bartolomeu
Dia da muher 2016 - bartolomeu
 
Leida aposentadoria
Leida aposentadoriaLeida aposentadoria
Leida aposentadoria
 
Leida aposentadoria
Leida aposentadoriaLeida aposentadoria
Leida aposentadoria
 
Homenagem gilma
Homenagem gilmaHomenagem gilma
Homenagem gilma
 
Homenagem gilma
Homenagem gilmaHomenagem gilma
Homenagem gilma
 
Festa de maio 2012 roteiro
Festa de maio 2012   roteiroFesta de maio 2012   roteiro
Festa de maio 2012 roteiro
 
Cara da escola festa de maio 2012
Cara da escola festa de maio 2012Cara da escola festa de maio 2012
Cara da escola festa de maio 2012
 
Natal 2011 bartolomeu.ppt
Natal 2011 bartolomeu.pptNatal 2011 bartolomeu.ppt
Natal 2011 bartolomeu.ppt
 
Livro vol 2_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
Livro vol 2_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011Livro vol 2_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
Livro vol 2_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
 
Livro vol 1_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
Livro vol 1_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011Livro vol 1_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
Livro vol 1_caminho da palavra escrita_paulosergio_2011
 
Dia do professor 2011
Dia do professor   2011Dia do professor   2011
Dia do professor 2011
 
Roteiro para produção de texto dissertativo_Renovar
Roteiro para produção de texto dissertativo_RenovarRoteiro para produção de texto dissertativo_Renovar
Roteiro para produção de texto dissertativo_Renovar
 

Eja metodologia políticas públicas de eja

  • 1. EDUCAÇÃO JOVENS E ADULTOS- ADULTOS- EJA
  • 2. Modalidade : EJA A EJA é uma modalidade de ensino amparada por lei, e voltada para as pessoas que não tiveram acesso e ou permanência no ensino regular na idade própria. Abrangendo os processos formativos desta modalidade da Educação Básica nas etapas do Ensino Fundamental e Médio nos termos da LDBN 9394/96. em especial no artigos 4º, 5º, 37,38, e 87.
  • 3. Resolução: CEE nº 260 de 18 de Novembro de 2005 Preceitos e Parâmetros: Art. 3º a educação de jovens e adultos, com a finalidade de assegurar o cumprimento integral do dispositivo no art.2º, obedece aos seguintes preceitos e parâmetros: I – Ingresso permitido apenas aos que ainda não tiveram acesso à escola ou que dela encontrem-se, comprovadamente, afastados há mais de 6 meses alterado pela Res. CEE Nº 1/2008; II – Idade mínima de 15 anos(quinze) anos para o ingresso no ensino fundamental e 18 anos (dezoito), no ensino médio; III – Observância integral do currículo pleno e das diretrizes curriculares, tanto da base comum nacional, quanto da parte diversificada, conforme dispõe o art. 36 e seus parágrafos, da Lei Federal nº 9.394/96 e a Lei complementar Estadual nº 026/98; IV - Carga horária mínima de pelo menos 2.400 ( duas mil e quatrocentas horas presenciais para o ensino fundamental em todas as suas etapas, 1.600 (mil e seiscentos) horas, para aquela etapa que abrange do 5º ao 9º ano deste nível de ensino, e de 1.200 ( Mil e duzentas ) também presenciais, para o ensino médio.
  • 4. A quem se destina a Educação de Jovens e Adultos? • Conforme a LDBN/9394, a Educação de Jovens e Adultos se destina as pessoas que não tiveram acesso e ou não continuaram os estudos no Ensino Fundamental e Médio na idade própria, é uma modalidade de educação básica, que deve levar em contas o perfil e faixa etária .
  • 5. Qual a importância para este público voltar a estudar ? • Ao regressar à escola os jovens e os adultos necessitam vencer as barreiras do preconceito, tendo em vista o grande desafio em aprender. A volta à escola é baseada na expectativa de alcançar maiores realizações pessoais e profissionais, tais como: elevar o grau de escolaridade, dominar o saber escolar para a ascensão social e profissional, inserção no mercado de trabalho e pela busca do reconhecimento social e da autoestima.
  • 6. Quais as expectativas desses Jovens e Adultos? • Muitos jovens e adultos chegam à escola com conhecimentos, crenças e valores incorporados por atividades realizadas ao longo da vida; • Expressam certa resistência a mudanças e tem uma relação mediatista com o conhecimento.
  • 7. O papel da Escola • A escola deve proporcionar aos jovens e adultos inseridos nesta modalidade de ensino a possibilidade de analisar, criticar e enfrentar as questões postas em seu contexto, contribuindo para a sua formação intelectual, estimulando seu pensamento e raciocínio para novas aprendizagens.
  • 8. Objetivos • Dar continuidade de estudos para aqueles que não tiveram acesso a escola na idade própria; • Garantir a sistematização e apropriação de conhecimento nas diversas áreas, incorporando novo saber e competências próprias à idade do educando jovens e adulto; • Valorizar os espaços educativos que privilegiem as interações de experiências do educando jovens e adulto, visando fortalecer a sua autoestima e identidade e identidade cultural, para a construção de sua personalidade. •
  • 9. Metodologia da Problematização • Segundos teóricos como: Bordenave e Pereira, Berbel e Hengemühle (2004:103), os professores encontrou-se um caminho significativo para a educação. Onde pode oferecer uma importante orientação metodológica, a partir de um problema, onde busca-se compreendê-lo, fundamentá-lo, dados que são analisados e discutidos; por último são elaborados hipóteses de solução, que devem ser colocadas em prática para serem comprovadas e validadas, de acordo com o projeto Político pedagógica da escola .
  • 10. Metodologia da EJA É ressignificar a compreensão dos educadores acerca dos conteúdos. É fundamental quando se pretende empreender práticas pedagógicas que favoreçam à aprendizagem dos educando. Diferentes conteúdos se aprendem de diferentes formas, não podemos organizar uma rotina pedagógica que desconsidere tal diferenciação.
  • 11. Problematização A educação, como uma chave indispensável para o exercício da cidadania na sociedade contemporânea, vai se impondo cada vez mais nestes tempos de grandes mudanças e inovações nos processos educativos. No entanto a escola, ainda não consegue visilualizar sua problemática como: 1. Evasão Escolar; 2. Planejamento coletivo; 3. Interagir e executar o plantão de dúvida de acordo com a Resolução CEE nº 260/05; 4. Contemplar o planejamento pedagógico conforme a realidade diagnosticada da escola. 5. Avaliar resultado do desempenho acadêmico dos alunos. Nesta visão problemática a escola impossibilita ao individuo jovem e adulto retomar seu potencial, desenvolver suas habilidades, confirmar competências adquiridas na educação extraescolar e na própria vida.
  • 12. Proposta Metodológica De acordo com Bordenave e Pereira, Berbel e Hengemühle (2004:103), a proposta metodológica que sensibilizou os professores foi o Arco de Maguerez. É um instrumento que a caminho metodológico, consegue reunir, coerentemente, a síntese das teorias que contemplam o desejo de constantes transformações, onde as buscas são ilimitadas. Veja no Quadro abaixo:
  • 13.
  • 14. Conforme o quadro apresentado, o o professor parte da realidade do aluno busca iluminação no conhecimento teórico e retorna à realidade. Esse retorno, não será mais ao mesmo nível de competência anterior, pois agora, fundamentado no conhecimento adquirido, o aluno será mais capaz de compreender as situações e/ou problemas do contexto. E esse hábito vai criando um desejo da busca investigativa.
  • 15. Passo 1 :Situações – Problemas da Realidade (é o momento de provocação do desejo.) O professor inicia sua aula, trazendo situações significativas para os alunos. Como, também, a partir de um tema significativo, pode solicitar que os alunos apresentem situações e problemas significativos e que estão relacionados ao tema. Até esse momento o professor aborda um tema ou situações significativas para os alunos sem apelar para o conhecimento teórico ou conteúdo.
  • 16. Passo 2 :Hipóteses de Solução ,antes da Teorização( contínua o momento de provocação de desejo) O professor procura dinamizar a provocação das hipóteses dos alunos. Até esse momento os alunos não tiveram contato com o conteúdo, cada um no seu senso comum na sua individualidade, irá posicionar-se. O professor, nesse momento, provoca, questiona, retira os alunos da sua cômoda posição de receber informações acabadas e repeti-las. Os alunos, por sua vez, são colocados em movimento e conflito mental.
  • 17. Passo 3 :Teorização ( momento de iluminação,compreensão fundamentada das situações e dos problemas). É nesse momento que a teoria tem importância e faz sentido. Cabe-nos trazer reflexões sobre nosso conceito de teorização, a partir da proposta refletida . Diante dessas concepções, a partir das situações – problemas apresentados e das motivações provocadas, a teoria é a referencia para que o professor possa levar os alunos a compreender, de forma significativa, as situações do mundo / vida e/ou tenham capacidade de buscar, auxiliados pela teoria, a solução dos problemas de sua época.
  • 18. Passo 4: Hipótese de Solução, Com Argumentação Fundamentada Teoricamente. A partir desse momento, o aluno precisa ser desafiado por novas situações problemas, ou levado a confirmar /reconstruir suas hipóteses anteriores. É o momento de exercitar a capacidade argumentativa, não por achismo, mas com fundamentação na teoria.
  • 19. Passo 5: Compreensão e/ou Reconstrução da Realidade (momento de ressignificar a teoria na realidade). Nesse momento, é importante que o aluno, individual ou grupalmente, tenha a possibilidade de produzir algo de forma reflexiva, nunca perdendo de vista a análise de situações - problemas reais e significativos, à luz da teoria.
  • 20. Oficina: Tema Gerador : A ESCOLA Texto: A escola dos Bichos Conta-se que vários bichos decidiram fundar uma escola. Para isso reuniram-se e começaram a escolher as disciplinas. O Pássaro insistiu para que houvesse aulas de vôo. O Esquilo achou que a subida perpendicular em árvores era fundamental. E o Coelho queria de qualquer jeito que a corrida fosse incluída. E assim foi feito, incluíram tudo, mas... cometeram um grande erro. Insistiram para que todos os bichos praticassem todos os cursos oferecidos. O Coelho foi magnífico na corrida, ninguém corria como ele. Mas queriam ensiná-lo a voar. Colocaram-no numa árvore e disseram: "Voa, Coelho". Ele saltou lá de cima e "pluft"... coitadinho! Quebrou as pernas. O Coelho não aprendeu a voar e acabou sem poder correr também. O Pássaro voava como nenhum outro, mas o obrigaram a cavar buracos como uma topeira. Quebrou o bico e as asas, e depois não conseguia voar tão bem, e nem mais cavar buracos.
  • 21. Conclusão: SABE DE UMA COISA? • Todos nós somos diferentes uns dos outros e cada um tem uma ou mais qualidades próprias dadas por DEUS. • Não podemos exigir ou forçar para que as outras pessoas sejam parecidas conosco ou tenham nossas qualidades. • Se assim agirmos, acabaremos fazendo com que elas sofram, e no final, elas poderão não ser o que queríamos que fossem e ainda pior, elas poderão não mais fazer o que faziam bem feito. • RESPEITAR AS DIFERENÇAS É AMAR AS PESSOAS COMO ELAS SÃO. • Rosana Rizzut
  • 22. Atividade: Em grupo • Introdução/ Problematização • Objetivo geral • Objetivo específico • Levantamento de Hipótese • Fundamentação Teórica • Hipótese de solução • Metodologia ( usar revista, livros didáticos jornal, sucata, etc); • Avaliação: diagnostica, formativa, cumulativa . • Referência Bibliografia
  • 23. Obrigada (o) • Equipe técnico pedagógica • Email: Eurípedes de Lourdes A. Vasconcelos Ilce Borges Diniz Joana Mª Malta Monteiro Nilza da Conçolação Lopes Telefone da Coedi: 3201.3135/3136 Ramal: 206, 207 e 209