SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Conhecendo
José de Alencar
Profª Maria Glalcy Fequetia Dalcim
Profª. Elaine Aparecida Campideli Hoyos
2
José de Alencar - Biografia
 1829-1877 – faleceu aos 48 anos
 Filho de José Martiniano de Alencar (ex-padre
e deputado da província do Ceará) e de Ana
Josefina de Alencar (sua prima);
 Vivia entre o Rio de Janeiro e o Ceará;
 Na infância, tinha o apelido de Cazuza;
 Estudou Direito em São Paulo e envolveu-se
na política, além de escrever;
 Seu primeiro romance foi publicado em
folhetim.
3
O Romantismo
 O Romantismo nasce, no Brasil, poucos
anos depois da nossa independência
política. Por isso, as primeiras obras e os
primeiros artistas românticos estão
empenhados em definir um perfil da
cultura brasileira em vários aspectos: a
língua, a etnia, as tradições, o passado
histórico, as diferenças regionais, a
religião, etc.
4
O Nacionalismo
 Com a independência do Brasil em 1922,
os artistas brasileiros empenharam-se em
definir uma identidade cultural brasileira,
afinal;
 O que era ser Brasileiro?
 Qual a nossa língua?
 Qual a nossa raça?
 Nosso passado histórico?
 Nossos costumes tradições?
5
José de Alencar e a origem do
Brasil
 José de Alencar é o mais importante
escritor romântico brasileiro;
 Produziu obras relevantes;
 Foi o primeiro escritor a tratar dos
diversos Brasis que existem dentro do
Brasil, colaborando na compreensão da
realidade nacional.
6
O Projeto de Alencar
 José de
Alencar
pretendia
formar um
panorama do
Brasil
retratando
um romance
de cada
parte do
Brasil.
7
Iracema
O Sertanejo
As Minas de
Prata
Senhora
O Gaúcho
O Projeto de Alencar
8
Nacionalismo
Indianistas
Históricos
Regionalistas
Urbanos
Romance Indianista
 projeto de construção da cultura
brasileira;
 desejo de enaltecer a figura do indígena
brasileiro;
 distinguir o Brasil das demais nações
ocidentais;
 Retratar a existência dos conflitos entre
os colonos (os brancos) e os indígenas;
 Em O Guarani: a ambiguidade do indígena
– ser submetido ao colonizador e ser livre
e dominador da natureza.
 Herói idealizado?? 9
Romance Indianista
Cultural
Regional
Histórico
10
- Herança
indígena na
língua;
- Mescla de dois
pontos de
vistas: o do
indígena e o
do branco
11
Trilogia Indianista de Alencar
12
Romances Históricos
 O Romance histórico é um subgênero do
romance que não deu muito certo no
Brasil, mas não se pode acusar Alencar
por isso. Em seus romances dessa
categoria, ele procurou mostrar que o
Brasil independente tinha raízes
na Colônia.
13
Romances Históricos
 De resto, convém lembrar que se
debruçar sobre o passado "brasileiro"
propriamente dito seria se debruçar sobre
o Brasil pré-cabralino e aí entramos na
seara do romance indianista. O romance
histórico faz mais sentido na Europa onde
as tradições medievais de cada nação
forneciam matéria narrativa e
efetivamente refletiam as origens de cada
país. 14
Romances Históricos
15
Romances Regionalistas
 As obras nacionalistas dos Romances
Regionalistas buscavam retratar regiões
do Brasil afastadas da capital, como o
sertão nordestino e os Pampas gaúchos,
descrevendo as paisagens e os costumes
da população local.
16
Romances Regionalistas
 Em “O Sertanejo” Alencar retrata de
forma pouco específica um morador do
sertão brasileiro, suas dificuldades e seus
sentimentos causados pela fome e miséria
do sertão representam todos os
sertanejos. E “O Gaúcho”, o escritor nos
mostra as perdas causadas pelas guerras.
17
Romances Regionalistas
18
Romances Urbanos
 Críticas à sociedade carioca (em especial)
levantando os aspectos negativos e os
costumes burgueses. Predominância dos
personagens da alta sociedade, com a
presença marcante da figura feminina
nessas obras, como “Senhora”.
 Os pobres ou escravos são reduzidos ou
quase não têm papel relevante nos
enredos. 19
Romances Urbanos
 José de Alencar foi autor de obras como
“Lucíola”, “Diva” e, claro, “Senhora”. As
intrigas de amor, desigualdades econômicas e
o final feliz com a vitória do amor (que tudo
apaga), marcam essas obras, que se tornaram
clássicos da literatura brasileira e colocaram
José de Alencar no hall dos maiores
romancistas da história do Brasil.
20
Romances Urbanos
21

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O romantismo da segunda geração
O romantismo da segunda geraçãoO romantismo da segunda geração
O romantismo da segunda geração
Antonio Minharro
 
2ª Fase do Modernismo (Poesia)
2ª Fase do Modernismo (Poesia)2ª Fase do Modernismo (Poesia)
2ª Fase do Modernismo (Poesia)
rkhelena
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
Zenia Ferreira
 

Mais procurados (20)

Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)
 
Literatura brasileira resumo
Literatura brasileira resumoLiteratura brasileira resumo
Literatura brasileira resumo
 
Romantismo no Brasil - Prosa
Romantismo no Brasil - ProsaRomantismo no Brasil - Prosa
Romantismo no Brasil - Prosa
 
Humanismo - Literatura
Humanismo - LiteraturaHumanismo - Literatura
Humanismo - Literatura
 
Texto literário e não literário
Texto literário e não literárioTexto literário e não literário
Texto literário e não literário
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
 
O romantismo da segunda geração
O romantismo da segunda geraçãoO romantismo da segunda geração
O romantismo da segunda geração
 
2ª Fase do Modernismo (Poesia)
2ª Fase do Modernismo (Poesia)2ª Fase do Modernismo (Poesia)
2ª Fase do Modernismo (Poesia)
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
ROMANTISMO
ROMANTISMOROMANTISMO
ROMANTISMO
 
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo CompletoRomantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
 
Primeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismoPrimeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismo
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
 
Romance regionalista
Romance regionalistaRomance regionalista
Romance regionalista
 
Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Senhora
SenhoraSenhora
Senhora
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencar
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Slide do livro- Senhora
Slide do livro- SenhoraSlide do livro- Senhora
Slide do livro- Senhora
 

Destaque

Destaque (9)

Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieiraApresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
 
"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de Experiência
"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de Experiência"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de Experiência
"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de Experiência
 
Til - José de Alencar
Til - José de AlencarTil - José de Alencar
Til - José de Alencar
 
Introdução - Romantismo
Introdução - RomantismoIntrodução - Romantismo
Introdução - Romantismo
 
Análise literária de "Diva" - José de Alencar
Análise literária de "Diva" -  José de AlencarAnálise literária de "Diva" -  José de Alencar
Análise literária de "Diva" - José de Alencar
 
José de alencar
José de alencarJosé de alencar
José de alencar
 
José de alencar
José de alencarJosé de alencar
José de alencar
 
A Moreninha
A MoreninhaA Moreninha
A Moreninha
 
José de Alencar
José de AlencarJosé de Alencar
José de Alencar
 

Semelhante a Jose de Alencar e suas fases românticas

Ppt romantismo proinfo 26.06.2013
Ppt romantismo   proinfo 26.06.2013Ppt romantismo   proinfo 26.06.2013
Ppt romantismo proinfo 26.06.2013
Rosana_occhietti
 
Machado de assis Gabriel de Oliveira
Machado de assis Gabriel de OliveiraMachado de assis Gabriel de Oliveira
Machado de assis Gabriel de Oliveira
Reberth Siqueira
 
Concepção do amor romântico.
Concepção do amor romântico.Concepção do amor romântico.
Concepção do amor romântico.
Fábio Oliveira
 
Pré modernismo (1902- 1922) profª karin
Pré modernismo (1902- 1922) profª karinPré modernismo (1902- 1922) profª karin
Pré modernismo (1902- 1922) profª karin
professorakarin2013
 
E. MÉDIO 2 MANHÃ LITERATURA 08 03 2023 ROMANTISMO NO BRASIL (1).pdf
E. MÉDIO 2 MANHÃ LITERATURA 08 03 2023 ROMANTISMO NO BRASIL (1).pdfE. MÉDIO 2 MANHÃ LITERATURA 08 03 2023 ROMANTISMO NO BRASIL (1).pdf
E. MÉDIO 2 MANHÃ LITERATURA 08 03 2023 ROMANTISMO NO BRASIL (1).pdf
Elizeth608
 

Semelhante a Jose de Alencar e suas fases românticas (20)

O romantismo, José de Alencar e Joaquim Manuel de Macedo
O romantismo, José de Alencar e Joaquim Manuel de MacedoO romantismo, José de Alencar e Joaquim Manuel de Macedo
O romantismo, José de Alencar e Joaquim Manuel de Macedo
 
Romantismo.
Romantismo.Romantismo.
Romantismo.
 
O guarani - José de Alencar
O guarani - José de AlencarO guarani - José de Alencar
O guarani - José de Alencar
 
Romantismo no Brasil - Til - Gerações do Romantismo
Romantismo no Brasil - Til - Gerações do RomantismoRomantismo no Brasil - Til - Gerações do Romantismo
Romantismo no Brasil - Til - Gerações do Romantismo
 
Ppt romantismo proinfo 26.06.2013
Ppt romantismo   proinfo 26.06.2013Ppt romantismo   proinfo 26.06.2013
Ppt romantismo proinfo 26.06.2013
 
Machado de assis Gabriel de Oliveira
Machado de assis Gabriel de OliveiraMachado de assis Gabriel de Oliveira
Machado de assis Gabriel de Oliveira
 
Slides sobre o romantismo poesia
Slides sobre o romantismo poesiaSlides sobre o romantismo poesia
Slides sobre o romantismo poesia
 
3.1 Romantismo e Indicações de Leitura.pptx
3.1 Romantismo e Indicações de Leitura.pptx3.1 Romantismo e Indicações de Leitura.pptx
3.1 Romantismo e Indicações de Leitura.pptx
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosa
 
Romantismo Parte 2
Romantismo Parte 2Romantismo Parte 2
Romantismo Parte 2
 
O Guarani
O GuaraniO Guarani
O Guarani
 
3.1 Romantismo.pptx
3.1 Romantismo.pptx3.1 Romantismo.pptx
3.1 Romantismo.pptx
 
Prosa romântica
Prosa românticaProsa romântica
Prosa romântica
 
A literatura brasileira ppt ok
A literatura brasileira   ppt okA literatura brasileira   ppt ok
A literatura brasileira ppt ok
 
Concepção do amor romântico.
Concepção do amor romântico.Concepção do amor romântico.
Concepção do amor romântico.
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Trabalho de sociologia
Trabalho de sociologiaTrabalho de sociologia
Trabalho de sociologia
 
Pré modernismo (1902- 1922) profª karin
Pré modernismo (1902- 1922) profª karinPré modernismo (1902- 1922) profª karin
Pré modernismo (1902- 1922) profª karin
 
Iracema
IracemaIracema
Iracema
 
E. MÉDIO 2 MANHÃ LITERATURA 08 03 2023 ROMANTISMO NO BRASIL (1).pdf
E. MÉDIO 2 MANHÃ LITERATURA 08 03 2023 ROMANTISMO NO BRASIL (1).pdfE. MÉDIO 2 MANHÃ LITERATURA 08 03 2023 ROMANTISMO NO BRASIL (1).pdf
E. MÉDIO 2 MANHÃ LITERATURA 08 03 2023 ROMANTISMO NO BRASIL (1).pdf
 

Mais de Maria Glalcy Fequetia Dalcim

Mais de Maria Glalcy Fequetia Dalcim (20)

Revisão - ENEM 2020 - PPT
Revisão - ENEM 2020 - PPTRevisão - ENEM 2020 - PPT
Revisão - ENEM 2020 - PPT
 
Revisão ENEM 2020 - PDF
Revisão ENEM 2020 - PDFRevisão ENEM 2020 - PDF
Revisão ENEM 2020 - PDF
 
Pragmática
PragmáticaPragmática
Pragmática
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Sintaxe
SintaxeSintaxe
Sintaxe
 
Morfologia
MorfologiaMorfologia
Morfologia
 
Fonética fonologia
Fonética fonologiaFonética fonologia
Fonética fonologia
 
Sociolinguística
SociolinguísticaSociolinguística
Sociolinguística
 
Simple Past - Review
Simple Past - ReviewSimple Past - Review
Simple Past - Review
 
Funcionalismo
FuncionalismoFuncionalismo
Funcionalismo
 
Gerativismo
GerativismoGerativismo
Gerativismo
 
Gerativismo
GerativismoGerativismo
Gerativismo
 
Estruturalismo - Introdução à Linguística
Estruturalismo - Introdução à LinguísticaEstruturalismo - Introdução à Linguística
Estruturalismo - Introdução à Linguística
 
A comunicação humana - Introdução à Linguística
A comunicação humana - Introdução à LinguísticaA comunicação humana - Introdução à Linguística
A comunicação humana - Introdução à Linguística
 
Prepositions - IN / AT / ON
Prepositions - IN / AT / ONPrepositions - IN / AT / ON
Prepositions - IN / AT / ON
 
Review - Simple Present and Personal Pronouns
Review - Simple Present and Personal PronounsReview - Simple Present and Personal Pronouns
Review - Simple Present and Personal Pronouns
 
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguística
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguísticaIntrodução à linguística - linguagem, língua e linguística
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguística
 
Aula 2 - Poetry in Exams
Aula 2 - Poetry in ExamsAula 2 - Poetry in Exams
Aula 2 - Poetry in Exams
 
Introdução à Linguística
Introdução à LinguísticaIntrodução à Linguística
Introdução à Linguística
 
Poetry in Exams - 1st Class - 3rd year
Poetry in Exams - 1st Class - 3rd yearPoetry in Exams - 1st Class - 3rd year
Poetry in Exams - 1st Class - 3rd year
 

Último

ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 

Último (20)

ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 

Jose de Alencar e suas fases românticas

  • 1. Conhecendo José de Alencar Profª Maria Glalcy Fequetia Dalcim Profª. Elaine Aparecida Campideli Hoyos
  • 2. 2
  • 3. José de Alencar - Biografia  1829-1877 – faleceu aos 48 anos  Filho de José Martiniano de Alencar (ex-padre e deputado da província do Ceará) e de Ana Josefina de Alencar (sua prima);  Vivia entre o Rio de Janeiro e o Ceará;  Na infância, tinha o apelido de Cazuza;  Estudou Direito em São Paulo e envolveu-se na política, além de escrever;  Seu primeiro romance foi publicado em folhetim. 3
  • 4. O Romantismo  O Romantismo nasce, no Brasil, poucos anos depois da nossa independência política. Por isso, as primeiras obras e os primeiros artistas românticos estão empenhados em definir um perfil da cultura brasileira em vários aspectos: a língua, a etnia, as tradições, o passado histórico, as diferenças regionais, a religião, etc. 4
  • 5. O Nacionalismo  Com a independência do Brasil em 1922, os artistas brasileiros empenharam-se em definir uma identidade cultural brasileira, afinal;  O que era ser Brasileiro?  Qual a nossa língua?  Qual a nossa raça?  Nosso passado histórico?  Nossos costumes tradições? 5
  • 6. José de Alencar e a origem do Brasil  José de Alencar é o mais importante escritor romântico brasileiro;  Produziu obras relevantes;  Foi o primeiro escritor a tratar dos diversos Brasis que existem dentro do Brasil, colaborando na compreensão da realidade nacional. 6
  • 7. O Projeto de Alencar  José de Alencar pretendia formar um panorama do Brasil retratando um romance de cada parte do Brasil. 7 Iracema O Sertanejo As Minas de Prata Senhora O Gaúcho
  • 8. O Projeto de Alencar 8 Nacionalismo Indianistas Históricos Regionalistas Urbanos
  • 9. Romance Indianista  projeto de construção da cultura brasileira;  desejo de enaltecer a figura do indígena brasileiro;  distinguir o Brasil das demais nações ocidentais;  Retratar a existência dos conflitos entre os colonos (os brancos) e os indígenas;  Em O Guarani: a ambiguidade do indígena – ser submetido ao colonizador e ser livre e dominador da natureza.  Herói idealizado?? 9
  • 10. Romance Indianista Cultural Regional Histórico 10 - Herança indígena na língua; - Mescla de dois pontos de vistas: o do indígena e o do branco
  • 11. 11
  • 13. Romances Históricos  O Romance histórico é um subgênero do romance que não deu muito certo no Brasil, mas não se pode acusar Alencar por isso. Em seus romances dessa categoria, ele procurou mostrar que o Brasil independente tinha raízes na Colônia. 13
  • 14. Romances Históricos  De resto, convém lembrar que se debruçar sobre o passado "brasileiro" propriamente dito seria se debruçar sobre o Brasil pré-cabralino e aí entramos na seara do romance indianista. O romance histórico faz mais sentido na Europa onde as tradições medievais de cada nação forneciam matéria narrativa e efetivamente refletiam as origens de cada país. 14
  • 16. Romances Regionalistas  As obras nacionalistas dos Romances Regionalistas buscavam retratar regiões do Brasil afastadas da capital, como o sertão nordestino e os Pampas gaúchos, descrevendo as paisagens e os costumes da população local. 16
  • 17. Romances Regionalistas  Em “O Sertanejo” Alencar retrata de forma pouco específica um morador do sertão brasileiro, suas dificuldades e seus sentimentos causados pela fome e miséria do sertão representam todos os sertanejos. E “O Gaúcho”, o escritor nos mostra as perdas causadas pelas guerras. 17
  • 19. Romances Urbanos  Críticas à sociedade carioca (em especial) levantando os aspectos negativos e os costumes burgueses. Predominância dos personagens da alta sociedade, com a presença marcante da figura feminina nessas obras, como “Senhora”.  Os pobres ou escravos são reduzidos ou quase não têm papel relevante nos enredos. 19
  • 20. Romances Urbanos  José de Alencar foi autor de obras como “Lucíola”, “Diva” e, claro, “Senhora”. As intrigas de amor, desigualdades econômicas e o final feliz com a vitória do amor (que tudo apaga), marcam essas obras, que se tornaram clássicos da literatura brasileira e colocaram José de Alencar no hall dos maiores romancistas da história do Brasil. 20