CRP0357-2016-01

328 visualizações

Publicada em

Aula 01 de Produção gráfica: design gráfico e critério.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
328
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
114
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CRP0357-2016-01

  1. 1. CRP-0357 Produção Gráfica
  2. 2. INFRA Blog, GDocs, Facebook, Pinterest
  3. 3. INFRA: Blog
  4. 4. INFRA: GoogleDocs
  5. 5. INFRA: Facebook
  6. 6. INFRA: Pinterest
  7. 7. INFRA: ESPERE
  8. 8. Programa • Design gráfico e critério • Introdução aos processos de produção gráfica • Cor e processos de impressão • Imagem, papel e acabamento • Tipografia • Elementos de design e projeto gráfico • Grids e projeto gráfico
  9. 9. A idéia principal deste curso: • Alfabetização visual, parte II • Primeiro é preciso saber VER, 
 depois pensar no que fazer
 e como fazê-lo. • Produção gráfica • Tecnologia • Objetivo principal: conhecer a IDÉIA e a MENSAGEM,
 depois pensar na técnica • Design, comunicação e relevância
  10. 10. Fato: Qualquer imbecil faz um livro.
  11. 11. Aula 1 Design gráfico e critério.
  12. 12. O que você pretende fazer (profissionalmente)?
  13. 13. Qual a importância
 do design e da alfabetização visual para isso?
  14. 14. Símbolos e sensações Nosso contato com o mundo se dá através de uma mistura de símbolos e sensações.
  15. 15. Percepção vs. Símbolo • O universo cognitivo se divide em duas categorias: o que se apreende do mundo (percepção) e os símbolos derivados dele. • Percepção – informação “crua”, órgãos dos sentidos • Determina universo de contexto • Propicia inconsciente • Símbolo – universo criado através da “tradução” da percepção em elementos de linguagem • Nenhuma categoria pode ser “desligada” ou considerada isoladamente.
  16. 16. Equilíbrio entre
 Percepção e Símbolo • É preciso equilibrar os elementos do universo cognitivo para garantir uma comunicação eficiente. • Elementos exclusivamente “perceptivos” são considerados emocionais, fúteis, sem motivo real. • Elementos exclusivamente “simbólicos” são considerados racionais demais, insossos, sem apelo. • O design eficiente deve estabelecer um contexto (percepção) e transmitir informação (símbolo).
  17. 17. Design vs.
 “dar uma estilizada” Corre-se o risco de ficar só perceptual
 (“estranho, bonitinho”)
 ou simbólico demais (“conceitual, óbvio”)
  18. 18. Debate: o que faz um
 “bom design”? As agências, clientes, editoras e empresas sabem disso? Querem isso? Sabem pedir?
  19. 19. O que é Design? • Desenho composição, fotografia, tipografia, ilustração.
 • Projeto segue uma lógica e linha narrativa.
 • Desígnio tem um objetivo claro e bem determinado.
  20. 20. Ordem imaginada: Desenho > Projeto > Desígnio.
  21. 21. Ordem correta: Desígnio > Projeto > Desenho.
  22. 22. Produção: Design do fim para o começo.
  23. 23. Design: Comunicação Relevância Impacto Transparência
  24. 24. A importância do design Ele “veste” a página, dá o seu tom.
  25. 25. O que você acha bonito?
 Por quê?
  26. 26. Só é bonito o que é (quase) familiar O que não compartilha elementos com seu público se torna hermético e difícil de ser apreciado. O que é familiar demais não traz novidades nem porta informação, não causa interesse.
  27. 27. O design efetivo tem elementos familiares em combinação inusitada
  28. 28. Qual é a
 importância da Arte? Em um mundo de alta tecnologia e racionalidade?
  29. 29. Critério Ajuda a formar exemplos, que estabelecem referências, determinam comparações e, a partir delas, a tirar conclusões.
  30. 30. Critério = Noção Como se constrói critério no cliente, no público, nas empresas, em você?
  31. 31. O design depende de critério: Portanto depende de: OBJETIVOS PÚBLICO FORMATO RESPOSTA
  32. 32. Bom design estabelece relações de interdependência Entre o Desenho, o Projeto e o Desígnio.
  33. 33. Satisfação vs. sedução O Produto deve SATISFAZER,
 a comunicação foi feita para SEDUZIR. São coisas muito diferentes.
  34. 34. Analfabetismo visual Não há alfabetização visual, não há critério.
 “Portunhol visual”: a maioria é autodidata e pragmática.
 Muitos acreditam que é fácil fazer (e avaliar) design.
 
 

  35. 35. A propósito: como funciona
 um prêmio de criação? Imagine-se em Cannes
 ou qualquer outra porcaria dessas.
  36. 36. Análise: peças gráficas (atribua uma nota de 0 a 10 para
 cada uma das 44 peças a seguir.
 Selecione os 5 melhores e os 5 piores)
  37. 37. 1
  38. 38. 2
  39. 39. 3
  40. 40. 4
  41. 41. 5
  42. 42. 6
  43. 43. 7
  44. 44. 8
  45. 45. 9
  46. 46. 10
  47. 47. 11
  48. 48. 12
  49. 49. 13
  50. 50. 14
  51. 51. 15
  52. 52. 16
  53. 53. 17
  54. 54. 18
  55. 55. 19
  56. 56. 20
  57. 57. 21
  58. 58. 22
  59. 59. 23
  60. 60. 24
  61. 61. 25
  62. 62. 26
  63. 63. 27
  64. 64. 28
  65. 65. 29
  66. 66. 30
  67. 67. 31
  68. 68. 32
  69. 69. 33
  70. 70. 34
  71. 71. 35
  72. 72. 36
  73. 73. 37
  74. 74. 38
  75. 75. 39
  76. 76. 40
  77. 77. 41
  78. 78. 42
  79. 79. 43
  80. 80. 44
  81. 81. FIMrespire e compute
  82. 82. Problemas para a análise: • Falta de critério de escolha • Desvio-padrão grande (poucas unanimidades) • Falta de segurança na aplicação do critério • Falta de familiaridade com o critério de análise • Pouco convívio com os critérios de escolha • Modismos
  83. 83. Tendências de design? Isso faz algum sentido?
  84. 84. Bom vs. Mau design: • Como julgar design? • Algumas sugestões de critério: • Sintonia com os objetivos da comunicação • Aparência ligada ao universo visual do público • Relevância • Inovação • Impacto • “Ah, mas daí perde a graça”
  85. 85. Não existem fórmulas
  86. 86. 
 Design não é (tão) dependente de tecnologia quanto se pensa.
  87. 87. 
 Os designers de antigamente criavam um estilo e o repetiam ... por que eles faziam isso? ...por que não se pode mais fazer isso?
  88. 88. 
 O problema do “mau design”: Ele comunica mal. É como a má música ou a má cozinha.
  89. 89. Mau design costuma ser causado por: Falta de critério (principal) Desconhecimento do público ou da função do design Falta de briefing claro
  90. 90. Design, acima de tudo, 
 não é óbvio. …mas por quê?
  91. 91. Avaliar é simples: só demanda critério.
  92. 92. O que quer dizer MESMO este quadro?
  93. 93. FIMpg.eca.luli.com.br
  94. 94. Para casa: 1. No seu documento do GoogleDocs, colocar um exemplo de “bom” design e um de “mau” design. Justificar em um parágrafo. Individual. 2. Entrar no grupo do Facebook; 3. Criar um painel ECA-PG no Pinterest; e 4. Furar TODOS OS OLHOS das figuras humanas em uma revista. Subir uma imagem para seu Pinterest. Trazer para a próxima aula.
  95. 95. O trabalho final (1):
 revista Criar o projeto gráfico de uma revista fictícia. Não é preciso escrever textos nem diagramar a revista inteira, mas deve-se fazer um modelo que dê uma clara ideia de seu layout. Desenvolver o descritivo de gráfica.
  96. 96. O trabalho final (2):
 material de referência • Verbetes com 3+ parágrafos sobre: • Gerais verbetes pedidos em aula. • Tipografia escolher um termo de uma lista (corpo, entrelinha, eme, peso alinhamento etc) e defini-lo. • Gráfica escolher um termo de uma lista de partes e técnicas do processo gráfico (flexografia etc) e defini-lo. • Designer escolher dois nomes de uma lista (Milton Glaser etc), descrever sua importância e fazer cartazes no estilo deles. • Família tipográfica (fonte) escolher de uma lista (Garamond, Helvetica etc), definir suas características e importância.

×