SlideShare uma empresa Scribd logo

SLIDES Farmácia Hospitalar.pdf

Farmácia Hospitalar

1 de 33
Baixar para ler offline
Farmácia Hospitalar
Introdução
Histórico
• Século XIX:
• Atribuições do farmacêutico hospitalar:
• Dispensar as especialidades farmacêuticas
necessárias e disponíveis no mercado;
• Manipular medicamentos, por meio da
preparação de receitas magistrais tanto
para os indivíduos hospitalizados quanto
para aqueles que se encontrava em
tratamento ambulatorial.
• Armazenagem dos medicamentos.
• Meados do século XX:
• Os avanços em engenharia química
estabeleceram as bases da indústria
farmacêutica moderna.
• A função do farmacêutico restringiu-se à
distribuição dos medicamentos no hospital.
Modernização
• Assistência Farmacêutica:
Abordagem central:
provisão de
medicamentos (aspectos
técnicos-científicos)
Definição
• A farmácia hospitalar compreendia:
• “ A seleção de medicamentos, a aquisição e o controle dos
medicamentos selecionados e o estabelecimento de um sistema
racional de distribuição que assegure que o medicamento prescrito
chegue ao paciente na dose correta. Para tal é vital a implantação de
um sistema de informações sobre medicamentos que permita
otimizar a prescrição” (OPAS, 1987).
Modernização
• Assistência Farmacêutica:
Abordagem central:
provisão de
medicamentos (aspectos
técnicos-científicos)
Fase moderna (a
partir da década
de 1980):
gerenciamento
das atividades,
racionalização do
trabalho, redução
de custos,
garantia do uso
adequado.
Definição
• A farmácia de hospitais, clínicas e estabelecimentos congêneres é uma
unidade clínica, administrativa e econômica, dirigida por farmacêutico,
ligada hierarquicamente à direção do hospital, adaptada e integrada
funcionalmente com as demais unidades administrativas e de assistência
ao paciente (CFF, 2008).
Medicamento
Instrumento
Insumo necessário
Paciente
Cuidado centrado
Atendimento das
necessidades

Recomendados

Farmacia Hospitalar Introducao
Farmacia Hospitalar IntroducaoFarmacia Hospitalar Introducao
Farmacia Hospitalar IntroducaoJose Carlos
 
Introdução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção FarmacêuticaIntrodução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção FarmacêuticaCassyano Correr
 
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalarAtenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalar
Atenã ã o farmaceutica e farmacia clinica -implantaã_ao na farmacia hospitalarRodrigo Xavier
 
Assistência e Atenção Farmacêutica - Histórico, Conceitos e embasamento legal
Assistência e Atenção Farmacêutica - Histórico, Conceitos e embasamento legalAssistência e Atenção Farmacêutica - Histórico, Conceitos e embasamento legal
Assistência e Atenção Farmacêutica - Histórico, Conceitos e embasamento legalMarcelo Polacow Bisson
 
Assistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaAssistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaFarmacêutico Digital
 
Calculo de medicação
Calculo de medicaçãoCalculo de medicação
Calculo de medicaçãoAndréa Dantas
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ciclo da assistência farmacêutica1
Ciclo da assistência farmacêutica1Ciclo da assistência farmacêutica1
Ciclo da assistência farmacêutica1Suzana Zaba Walczak
 
O diagnóstico de enfermagem em saúde mental
O diagnóstico de enfermagem em saúde mentalO diagnóstico de enfermagem em saúde mental
O diagnóstico de enfermagem em saúde mentalAroldo Gavioli
 
Sala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésicaSala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésicaRivanilcede
 
A Importância do Farmacêutico Clínico
A Importância do Farmacêutico ClínicoA Importância do Farmacêutico Clínico
A Importância do Farmacêutico ClínicoMarcelo Polacow Bisson
 
Noções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêuticaNoções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêuticaLeonardo Souza
 
Farmacia Hospitalar
Farmacia HospitalarFarmacia Hospitalar
Farmacia HospitalarSafia Naser
 
Medicamentos potencialmente perigosos: contaminação de superfícies, risco amb...
Medicamentos potencialmente perigosos: contaminação de superfícies, risco amb...Medicamentos potencialmente perigosos: contaminação de superfícies, risco amb...
Medicamentos potencialmente perigosos: contaminação de superfícies, risco amb...angelitamelo
 
Farmacia Hospitalar
Farmacia HospitalarFarmacia Hospitalar
Farmacia HospitalarSafia Naser
 
Medicamentos de atenção especial
Medicamentos de atenção especialMedicamentos de atenção especial
Medicamentos de atenção especialArquivo-FClinico
 
Atribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoAtribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoCassyano Correr
 
Fundamentos de Enfermagem Farmacologia
Fundamentos de Enfermagem FarmacologiaFundamentos de Enfermagem Farmacologia
Fundamentos de Enfermagem FarmacologiaFelipe Santos
 
Aula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteAula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteProqualis
 
Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de Enfermagem
Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de EnfermagemIntrodução a Farmacologia - Curso Técnico de Enfermagem
Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de EnfermagemRAYANE DORNELAS
 

Mais procurados (20)

Introdução à Farmacologia
Introdução à FarmacologiaIntrodução à Farmacologia
Introdução à Farmacologia
 
Aula 2 prm
Aula 2   prmAula 2   prm
Aula 2 prm
 
Ciclo da assistência farmacêutica1
Ciclo da assistência farmacêutica1Ciclo da assistência farmacêutica1
Ciclo da assistência farmacêutica1
 
O diagnóstico de enfermagem em saúde mental
O diagnóstico de enfermagem em saúde mentalO diagnóstico de enfermagem em saúde mental
O diagnóstico de enfermagem em saúde mental
 
Gerência em Enfermagem
Gerência em EnfermagemGerência em Enfermagem
Gerência em Enfermagem
 
Sala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésicaSala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésica
 
A Importância do Farmacêutico Clínico
A Importância do Farmacêutico ClínicoA Importância do Farmacêutico Clínico
A Importância do Farmacêutico Clínico
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Noções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêuticaNoções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêutica
 
Farmacia Hospitalar
Farmacia HospitalarFarmacia Hospitalar
Farmacia Hospitalar
 
Medicamentos potencialmente perigosos: contaminação de superfícies, risco amb...
Medicamentos potencialmente perigosos: contaminação de superfícies, risco amb...Medicamentos potencialmente perigosos: contaminação de superfícies, risco amb...
Medicamentos potencialmente perigosos: contaminação de superfícies, risco amb...
 
QUIMIOTERAPIA ANTINEOPLÁSICA
QUIMIOTERAPIA ANTINEOPLÁSICAQUIMIOTERAPIA ANTINEOPLÁSICA
QUIMIOTERAPIA ANTINEOPLÁSICA
 
Farmacia Hospitalar
Farmacia HospitalarFarmacia Hospitalar
Farmacia Hospitalar
 
Medicamentos de atenção especial
Medicamentos de atenção especialMedicamentos de atenção especial
Medicamentos de atenção especial
 
Atendente de Farmácia - Leis & Drogarias
Atendente de Farmácia -   Leis & DrogariasAtendente de Farmácia -   Leis & Drogarias
Atendente de Farmácia - Leis & Drogarias
 
Atribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoAtribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêutico
 
Fundamentos de Enfermagem Farmacologia
Fundamentos de Enfermagem FarmacologiaFundamentos de Enfermagem Farmacologia
Fundamentos de Enfermagem Farmacologia
 
Aula 2 - AF
Aula 2 - AFAula 2 - AF
Aula 2 - AF
 
Aula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteAula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do paciente
 
Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de Enfermagem
Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de EnfermagemIntrodução a Farmacologia - Curso Técnico de Enfermagem
Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de Enfermagem
 

Semelhante a SLIDES Farmácia Hospitalar.pdf

Farmacia hospitalat - Revisão para prova.ppt
Farmacia hospitalat - Revisão para prova.pptFarmacia hospitalat - Revisão para prova.ppt
Farmacia hospitalat - Revisão para prova.pptandrealmeida907171
 
Cuidados farmacêuticos atuação clínica na farmácia - apostila
Cuidados farmacêuticos   atuação clínica na farmácia - apostilaCuidados farmacêuticos   atuação clínica na farmácia - apostila
Cuidados farmacêuticos atuação clínica na farmácia - apostilaIsabela Jacyntho
 
Farmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdfFarmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdfDaiane Santos
 
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_final
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_finalIi congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_final
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_finalangelitamelo
 
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptxatenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptxProfYasminBlanco
 
Praticas em farmacia clinica apostila
Praticas em farmacia clinica   apostilaPraticas em farmacia clinica   apostila
Praticas em farmacia clinica apostilaDaiane Santos
 
Ciclo da Assistência Farmacêutica.pptx
Ciclo da Assistência Farmacêutica.pptxCiclo da Assistência Farmacêutica.pptx
Ciclo da Assistência Farmacêutica.pptxRitaViviane
 
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínicaMV
 
metodo clinicopara atencao farmaceutica
 metodo clinicopara atencao farmaceutica metodo clinicopara atencao farmaceutica
metodo clinicopara atencao farmaceuticaARNON ANDRADE
 
Método Clínico para Atenção Farmacêutica
Método Clínico para Atenção FarmacêuticaMétodo Clínico para Atenção Farmacêutica
Método Clínico para Atenção FarmacêuticaBruna Bernardi
 
Cartilha farmã¡cia hospitalar 2a ediã§ã£o(reimpressã£o 22julho2010)
Cartilha farmã¡cia hospitalar 2a ediã§ã£o(reimpressã£o 22julho2010)Cartilha farmã¡cia hospitalar 2a ediã§ã£o(reimpressã£o 22julho2010)
Cartilha farmã¡cia hospitalar 2a ediã§ã£o(reimpressã£o 22julho2010)Natalya Maia
 
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)Elizeu Ferro
 
Boas práticas em farmácia
Boas práticas em farmáciaBoas práticas em farmácia
Boas práticas em farmáciaRenata Medeiros
 
Módulo 3_Farmácia Hospitalar.pptx
Módulo 3_Farmácia Hospitalar.pptxMódulo 3_Farmácia Hospitalar.pptx
Módulo 3_Farmácia Hospitalar.pptxWEINNYTALLINECAVALCA
 

Semelhante a SLIDES Farmácia Hospitalar.pdf (20)

UFCD_10167_Manual Formandos.pdf
UFCD_10167_Manual Formandos.pdfUFCD_10167_Manual Formandos.pdf
UFCD_10167_Manual Formandos.pdf
 
Farmacia hospitalat - Revisão para prova.ppt
Farmacia hospitalat - Revisão para prova.pptFarmacia hospitalat - Revisão para prova.ppt
Farmacia hospitalat - Revisão para prova.ppt
 
Cuidados farmacêuticos atuação clínica na farmácia - apostila
Cuidados farmacêuticos   atuação clínica na farmácia - apostilaCuidados farmacêuticos   atuação clínica na farmácia - apostila
Cuidados farmacêuticos atuação clínica na farmácia - apostila
 
Farmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdfFarmcia clnica.apostila pdf
Farmcia clnica.apostila pdf
 
Farmacoté..
Farmacoté..Farmacoté..
Farmacoté..
 
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_final
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_finalIi congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_final
Ii congresso mineiro de farmacia competências farmacêutico_final
 
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptxatenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
atenofarmacutica-111020152517-phpapp01.pptx
 
Apresentação - Uso Racional de Medicamentos e Educação Continuada Multiprofis...
Apresentação - Uso Racional de Medicamentos e Educação Continuada Multiprofis...Apresentação - Uso Racional de Medicamentos e Educação Continuada Multiprofis...
Apresentação - Uso Racional de Medicamentos e Educação Continuada Multiprofis...
 
Praticas em farmacia clinica apostila
Praticas em farmacia clinica   apostilaPraticas em farmacia clinica   apostila
Praticas em farmacia clinica apostila
 
Ciclo da Assistência Farmacêutica.pptx
Ciclo da Assistência Farmacêutica.pptxCiclo da Assistência Farmacêutica.pptx
Ciclo da Assistência Farmacêutica.pptx
 
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica
#MEF2017 | Palestra: Os desafios e ganhos da farmácia clínica
 
metodo clinicopara atencao farmaceutica
 metodo clinicopara atencao farmaceutica metodo clinicopara atencao farmaceutica
metodo clinicopara atencao farmaceutica
 
Método Clínico para Atenção Farmacêutica
Método Clínico para Atenção FarmacêuticaMétodo Clínico para Atenção Farmacêutica
Método Clínico para Atenção Farmacêutica
 
Cartilha farmã¡cia hospitalar 2a ediã§ã£o(reimpressã£o 22julho2010)
Cartilha farmã¡cia hospitalar 2a ediã§ã£o(reimpressã£o 22julho2010)Cartilha farmã¡cia hospitalar 2a ediã§ã£o(reimpressã£o 22julho2010)
Cartilha farmã¡cia hospitalar 2a ediã§ã£o(reimpressã£o 22julho2010)
 
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)10   atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
10 atendente de farmácia (dispensação de farmacia)
 
Boas práticas em farmácia
Boas práticas em farmáciaBoas práticas em farmácia
Boas práticas em farmácia
 
Módulo 3_Farmácia Hospitalar.pptx
Módulo 3_Farmácia Hospitalar.pptxMódulo 3_Farmácia Hospitalar.pptx
Módulo 3_Farmácia Hospitalar.pptx
 
Módulo 3_Farmácia Hospitalar.pptx
Módulo 3_Farmácia Hospitalar.pptxMódulo 3_Farmácia Hospitalar.pptx
Módulo 3_Farmácia Hospitalar.pptx
 
Sem Remédio
Sem RemédioSem Remédio
Sem Remédio
 
2º AULA.pptx
2º AULA.pptx2º AULA.pptx
2º AULA.pptx
 

Último

Desvendando os Mistérios das Rugas. Uma jornada para revelar a beleza da Pele
Desvendando os Mistérios das Rugas. Uma jornada para revelar a beleza da PeleDesvendando os Mistérios das Rugas. Uma jornada para revelar a beleza da Pele
Desvendando os Mistérios das Rugas. Uma jornada para revelar a beleza da Pelerljss12
 
- Ler o conteúdo da unidade 2 do livro da disciplina.
- Ler o conteúdo da unidade 2 do livro da disciplina.- Ler o conteúdo da unidade 2 do livro da disciplina.
- Ler o conteúdo da unidade 2 do livro da disciplina.PrimeAssessoriaAcadm3
 
Catalogo de Ofertas SCG - EKTUS - para uma vida mais saudável
Catalogo de Ofertas SCG - EKTUS - para uma vida mais saudávelCatalogo de Ofertas SCG - EKTUS - para uma vida mais saudável
Catalogo de Ofertas SCG - EKTUS - para uma vida mais saudávelJorge Favato
 
Como o Gerenciamento do Estresse Pode Acelerar sua Jornada de Perda de Peso
Como o Gerenciamento do Estresse Pode Acelerar sua Jornada de Perda de PesoComo o Gerenciamento do Estresse Pode Acelerar sua Jornada de Perda de Peso
Como o Gerenciamento do Estresse Pode Acelerar sua Jornada de Perda de Pesopeixotoartes95
 
Saude,vida e Emagrecimento saudávell.pdf
Saude,vida e Emagrecimento saudávell.pdfSaude,vida e Emagrecimento saudávell.pdf
Saude,vida e Emagrecimento saudávell.pdfDiego Cesar
 
Revista Bonifica ENCOMENDAS WhatsApp 44 99957 9694 ou Cadastre-se através do...
Revista Bonifica  ENCOMENDAS WhatsApp 44 99957 9694 ou Cadastre-se através do...Revista Bonifica  ENCOMENDAS WhatsApp 44 99957 9694 ou Cadastre-se através do...
Revista Bonifica ENCOMENDAS WhatsApp 44 99957 9694 ou Cadastre-se através do...Lusani Dias
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...PrimeAssessoriaAcadm3
 
Teoria Burocrática e sua Aplicação nas Empresas Modernas
Teoria Burocrática e sua Aplicação nas Empresas ModernasTeoria Burocrática e sua Aplicação nas Empresas Modernas
Teoria Burocrática e sua Aplicação nas Empresas ModernasPrimeAssessoriaAcadm3
 
Profissionais indicam 9 formas de perder peso rápido sem dieta.pdf
Profissionais indicam 9 formas de perder peso rápido sem dieta.pdfProfissionais indicam 9 formas de perder peso rápido sem dieta.pdf
Profissionais indicam 9 formas de perder peso rápido sem dieta.pdfendres.bazz bazz
 
MINDFUL EATING: COMO FICAR EM PAZ COM SEU ALIMENTO
MINDFUL EATING: COMO FICAR EM PAZ COM SEU ALIMENTOMINDFUL EATING: COMO FICAR EM PAZ COM SEU ALIMENTO
MINDFUL EATING: COMO FICAR EM PAZ COM SEU ALIMENTOgarciabele35
 
Desvendando os mitos e verdades da dieta low carb
Desvendando os mitos e verdades  da dieta low carbDesvendando os mitos e verdades  da dieta low carb
Desvendando os mitos e verdades da dieta low carbgviviane619
 
CONHEÇA O SEGREDO DA FÓRMULA DO LIFT DETOX BLACK.pdf
CONHEÇA O SEGREDO DA FÓRMULA DO LIFT DETOX BLACK.pdfCONHEÇA O SEGREDO DA FÓRMULA DO LIFT DETOX BLACK.pdf
CONHEÇA O SEGREDO DA FÓRMULA DO LIFT DETOX BLACK.pdffcris0021
 
EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL GUIA COMPLETO ...
EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL GUIA COMPLETO ...EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL GUIA COMPLETO ...
EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL GUIA COMPLETO ...deiserabello223
 
Queimando Calorias em menos de 24h acesse agora
Queimando Calorias  em menos de 24h acesse agoraQueimando Calorias  em menos de 24h acesse agora
Queimando Calorias em menos de 24h acesse agoraframciscoj136
 

Último (14)

Desvendando os Mistérios das Rugas. Uma jornada para revelar a beleza da Pele
Desvendando os Mistérios das Rugas. Uma jornada para revelar a beleza da PeleDesvendando os Mistérios das Rugas. Uma jornada para revelar a beleza da Pele
Desvendando os Mistérios das Rugas. Uma jornada para revelar a beleza da Pele
 
- Ler o conteúdo da unidade 2 do livro da disciplina.
- Ler o conteúdo da unidade 2 do livro da disciplina.- Ler o conteúdo da unidade 2 do livro da disciplina.
- Ler o conteúdo da unidade 2 do livro da disciplina.
 
Catalogo de Ofertas SCG - EKTUS - para uma vida mais saudável
Catalogo de Ofertas SCG - EKTUS - para uma vida mais saudávelCatalogo de Ofertas SCG - EKTUS - para uma vida mais saudável
Catalogo de Ofertas SCG - EKTUS - para uma vida mais saudável
 
Como o Gerenciamento do Estresse Pode Acelerar sua Jornada de Perda de Peso
Como o Gerenciamento do Estresse Pode Acelerar sua Jornada de Perda de PesoComo o Gerenciamento do Estresse Pode Acelerar sua Jornada de Perda de Peso
Como o Gerenciamento do Estresse Pode Acelerar sua Jornada de Perda de Peso
 
Saude,vida e Emagrecimento saudávell.pdf
Saude,vida e Emagrecimento saudávell.pdfSaude,vida e Emagrecimento saudávell.pdf
Saude,vida e Emagrecimento saudávell.pdf
 
Revista Bonifica ENCOMENDAS WhatsApp 44 99957 9694 ou Cadastre-se através do...
Revista Bonifica  ENCOMENDAS WhatsApp 44 99957 9694 ou Cadastre-se através do...Revista Bonifica  ENCOMENDAS WhatsApp 44 99957 9694 ou Cadastre-se através do...
Revista Bonifica ENCOMENDAS WhatsApp 44 99957 9694 ou Cadastre-se através do...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Teoria Burocrática e sua Aplicação nas Empresas Modernas
Teoria Burocrática e sua Aplicação nas Empresas ModernasTeoria Burocrática e sua Aplicação nas Empresas Modernas
Teoria Burocrática e sua Aplicação nas Empresas Modernas
 
Profissionais indicam 9 formas de perder peso rápido sem dieta.pdf
Profissionais indicam 9 formas de perder peso rápido sem dieta.pdfProfissionais indicam 9 formas de perder peso rápido sem dieta.pdf
Profissionais indicam 9 formas de perder peso rápido sem dieta.pdf
 
MINDFUL EATING: COMO FICAR EM PAZ COM SEU ALIMENTO
MINDFUL EATING: COMO FICAR EM PAZ COM SEU ALIMENTOMINDFUL EATING: COMO FICAR EM PAZ COM SEU ALIMENTO
MINDFUL EATING: COMO FICAR EM PAZ COM SEU ALIMENTO
 
Desvendando os mitos e verdades da dieta low carb
Desvendando os mitos e verdades  da dieta low carbDesvendando os mitos e verdades  da dieta low carb
Desvendando os mitos e verdades da dieta low carb
 
CONHEÇA O SEGREDO DA FÓRMULA DO LIFT DETOX BLACK.pdf
CONHEÇA O SEGREDO DA FÓRMULA DO LIFT DETOX BLACK.pdfCONHEÇA O SEGREDO DA FÓRMULA DO LIFT DETOX BLACK.pdf
CONHEÇA O SEGREDO DA FÓRMULA DO LIFT DETOX BLACK.pdf
 
EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL GUIA COMPLETO ...
EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL GUIA COMPLETO ...EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL GUIA COMPLETO ...
EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL GUIA COMPLETO ...
 
Queimando Calorias em menos de 24h acesse agora
Queimando Calorias  em menos de 24h acesse agoraQueimando Calorias  em menos de 24h acesse agora
Queimando Calorias em menos de 24h acesse agora
 

SLIDES Farmácia Hospitalar.pdf

  • 2. Histórico • Século XIX: • Atribuições do farmacêutico hospitalar: • Dispensar as especialidades farmacêuticas necessárias e disponíveis no mercado; • Manipular medicamentos, por meio da preparação de receitas magistrais tanto para os indivíduos hospitalizados quanto para aqueles que se encontrava em tratamento ambulatorial. • Armazenagem dos medicamentos. • Meados do século XX: • Os avanços em engenharia química estabeleceram as bases da indústria farmacêutica moderna. • A função do farmacêutico restringiu-se à distribuição dos medicamentos no hospital.
  • 3. Modernização • Assistência Farmacêutica: Abordagem central: provisão de medicamentos (aspectos técnicos-científicos)
  • 4. Definição • A farmácia hospitalar compreendia: • “ A seleção de medicamentos, a aquisição e o controle dos medicamentos selecionados e o estabelecimento de um sistema racional de distribuição que assegure que o medicamento prescrito chegue ao paciente na dose correta. Para tal é vital a implantação de um sistema de informações sobre medicamentos que permita otimizar a prescrição” (OPAS, 1987).
  • 5. Modernização • Assistência Farmacêutica: Abordagem central: provisão de medicamentos (aspectos técnicos-científicos) Fase moderna (a partir da década de 1980): gerenciamento das atividades, racionalização do trabalho, redução de custos, garantia do uso adequado.
  • 6. Definição • A farmácia de hospitais, clínicas e estabelecimentos congêneres é uma unidade clínica, administrativa e econômica, dirigida por farmacêutico, ligada hierarquicamente à direção do hospital, adaptada e integrada funcionalmente com as demais unidades administrativas e de assistência ao paciente (CFF, 2008). Medicamento Instrumento Insumo necessário Paciente Cuidado centrado Atendimento das necessidades
  • 8. Atribuições • Resolução CFF nº 492 de 26/11/2008: • Atribuições: I- Do Serviço de Saúde; II - Desenvolvimento de ações inseridas na atenção integral à saúde: • gerenciamento de tecnologias; • distribuição e dispensação; • manipulação; • gerenciamento de risco; • cuidado ao paciente. III - Gestão da informação, infraestrutura física e tecnológica; IV - Gestão de recursos humanos. Regulamenta o exercício profissional nos serviços de atendimento pré- hospitalar, na farmácia hospitalar e em outros serviços de saúde, de natureza pública ou privada. Principal função: garantir a qualidade de assistência prestada ao paciente através do uso seguro e racional de medicamentos e produtos para a saúde, adequando sua utilização à saúde individual e coletiva, nos planos assistencial, preventivo, docente e de investigação (CFF, 2008).
  • 9. Principal função: garantir a qualidade de assistência prestada ao paciente através do uso seguro e racional de medicamentos e produtos para a saúde, adequando sua utilização à saúde individual e coletiva, nos planos assistencial, preventivo, docente e de investigação (CFF, 2008). Atribuições • Resolução CFF nº 492 de 26/11/2008:
  • 10. Atribuições • Compete ao farmacêutico hospitalar: • Assumir a coordenação técnica nas ações relacionadas à padronização, programação, seleção e aquisição. • Participar de processos de qualificação e avaliação de prestadores de serviço, fornecedores. • Garantir o cumprimento da legislação vigente relativa ao armazenamento, conservação, controle de estoque. • Garantir o cumprimento da legislação vigente relativa à avaliação farmacêutica das prescrições. • Estabelecer um sistema eficiente, eficaz e seguro de distribuição. • Participar das decisões relativas à terapia medicamentosa, tais como protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas. • Executar as atividades farmacotécnicas. • Elaborar manuais técnicos e formulários próprios. • Participar de comissões, conforme diretrizes das normas que as instituíram. Resolução CFF nº 492 de 26/11/2008
  • 11. Atribuições • Compete ao farmacêutico hospitalar: • Desenvolver e participar de ações assistenciais multidisciplinares, dentro da visão da integralidade do cuidado ao paciente. • Atuar junto à Central de Esterilização. • Atuar junto ao serviço de higienização hospitalar na padronização de rotinas. • Realizar ações de farmacovigilância, tecnovigilância, hemovigilância e demais vigilâncias para a gestão de risco e segurança do paciente. • Envolver-se no processo de certificações de qualidade hospitalar. • Promover ações de educação para o uso racional de medicamentos e outras tecnologias em saúde. • Exercer atividades de ensino, de pesquisa, participar de ensaios pré-clínicos e clínicos e outras investigações científicas e do desenvolvimento de novas tecnologias em saúde. Resolução CFF nº 492 de 26/11/2008
  • 12. Atribuições • Compete ao farmacêutico hospitalar: • Acompanhar o gerenciamento dos resíduos. • Documentar por meio de registros, as atividades, as intervenções e as ações farmacêuticas desenvolvida. • Supervisionar as atividades dos auxiliares e técnicos, promovendo ações de educação continuada. • Realizar outras atividades segundo a especificidade e a complexidade do hospital. • Compete ao farmacêutico responsável-técnico: • Cumprir e fazer cumprir a legislação pertinente às atividades nos serviços. • Buscar os meios necessários para o funcionamento dos serviços. • Organizar, supervisionar e orientar tecnicamente, todos os setores que compõem os serviços. • Articular parcerias interinstitucionais, acadêmicas e comunitárias. Resolução CFF nº 492 de 26/11/2008
  • 14. Requisitos • Padrões internacionais: • Declarações da Basileia – International Pharmaceutical Federation
  • 15. Requisitos • Padrões da American Society of Hospital Pharmacist: Gerenciamento Políticas para uso de medicamentos Otimização da farmacoterapia Aquisição e gerenciamento de estoque Etiquetagem, rotulagem e preparo Distribuição Monitoramento do uso de medicamentos Pesquisa Avaliação da efetividade dos sistemas Missão: contribuir para que haja o melhor uso do medicamento, preocupando-se não apenas com a provisão desta tecnologia, mas também com os resultados dos serviços prestados.
  • 16. Requisitos Gestão Desenvolvimento de infraestrutura Logística farmacêutica e preparo de medicamentos Otimização da terapia medicamentosa Farmacovigilância e segurança do paciente Informações sobre medicamentos e produtos para a saúde Ensino, educação permanente e pesquisa
  • 17. Requisitos- Gestão • Estrutura organizacional: • É a ordenação e o agrupamento de atividades e recursos, visando ao alcance de objetivos e resultados estabelecidos. Figura 1. Representação de desenho organizacional e suas diferenciações.
  • 19. Requisitos- Gestão • A estrutura organizacional deve permitir: • Planejamento estratégico Planejar: Conjunto de conhecimentos práticos e teóricos ordenados de modo a possibilitar interagir com a realidade, programar as estratégias e ações necessárias para tornar possível o alcance de objetivos e metas preestabelecidas. Processo contínuo
  • 20. Requisitos- Gestão • Planejamento estratégico: Momento explicativo Momento normativo Momento estratégico Momento tático operacional Identificação, priorização e análise de problemas. Formulação das propostas de solução dos problemas. Mapeamento dos processos e formulações de estratégias para alcance os objetivos Execução do plano.
  • 21. • Identificação dos clientes: Produtos / Serviços Cliente-Alvo Receitas dispensadas Pacientes ambulatoriais SUS, domiciliares, funcionários Acompanhamento farmacoterapêutico Pacientes ambulatoriais SUS, domiciliares, funcionários, pacientes hospitalizados Informação sobre medicamentos/procedimentos e orientação farmacêutica Pacientes, cuidadores e familiares, equipe de saúde Prescrições atendidas por dose individualizada/unitária Pacientes internados Kits cirúrgicos de medicamentos Pacientes internados Requisições atendidas Unidades de Internação e Ambulatório, Parecer técnico de medicamento e insumos farmacêuticos Unidades administrativas, equipe de saúde Notificação de eventos adversos a medicamentos Gestão de riscos, ANVISA Medicamentos fracionados em dose unitária Pacientes Estágios curriculares e voluntários Profissionais farmacêuticos, equipe de saúde Relatórios gerenciais Unidades administrativas
  • 22. Requisitos- Gestão • A estrutura organizacional deve permitir: • Estabelecer missão, visão, princípios e valores Missão Deixar claro a singularidade e compromisso com a sociedade. Ganhos 1. Construção de consenso entre equipes. 2. Mudança de cultura. 3. Explica a responsabilidade social. 4. Alimenta o planejamento. 5. Estimula criação de indicadores. Exemplo: Missão da Farmácia Hospitalar Oferecer assistência farmacêutica com critérios de qualidade e custo-efetividade, visando atender às necessidades farmacoterápicas dos usuários do hospital, garantindo terapia segura, efetiva, que melhore a qualidade de vida dos indivíduos e atuando de forma integrada Às diretrizes e políticas do hospital e Sistema Único de Saúde. Visão Mostra a imagem da organização no momento da realização de seus propósitos no futuro. Missão + Visão Intenção estratégica da organização. Exemplo: Visão da Farmácia Hospitalar Ser referência internacional em Farmácia hospitalar Princípios e Valores Conceitos, filosofia e crenças gerais que estão acima das práticas cotidianas. Exemplo: Valores organizacionais Responsabilidade Ética Transparência Respeito Qualidade Comprometimento Sustentabilidade
  • 24. Requisitos- Gestão • A estrutura organizacional deve permitir: • Regimento da Farmácia Hospitalar. Recursos Humanos Atribuições e responsabilidades Treinamentos Procedimentos operacionais Logística de suprimentos Ações preventivas Infraestrutura Métodos de avaliação Indicadores de desempenho Garantia da qualidade Comissões Relatórios gerenciais
  • 25. Requisitos- Infraestrutura • É fundamental para eficiência dos serviços e atendimento das metas estabelecidas. • Inclui: • Disponibilidade de equipamentos e instalações adequadas ao gerenciamento de medicamentos (logística de suprimento), embalagem, reenvase e unitarização de dose; manipulação de produtos estéreis e não estéreis. • Implantação de sistema de gestão informatizado. • Disponibilidade de recursos para informação e comunicação. • Disponibilidade de salas para a prática de atividades farmacêuticas, respeitando as necessidades técnicas. • Disponibilidade de serviços de manutenção, para assegurar o pleno funcionamento das tecnologias disponíveis e instalações físicas; • Implantação e manutenção de sistemas de arquivo.
  • 26. Requisitos- Infraestrutura • Localização: • Ponto estratégico que permita: Fácil acesso interno e externo Recepção adequada dos medicamentos e outros produtos farmacêuticos Sistema de distribuição de medicamentos ágil e seguro Proximidade à elevadores e monta-cargas Evitar subsolo
  • 27. Requisitos- Infraestrutura • Área física: RDC nº 50, de 21 de fevereiro de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento, programação, elaboração e avaliação de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde.
  • 28. Requisitos- Infraestrutura • Fatores a serem considerados no dimensionamento: • Número de leitos. • Tipo de hospital (geral, especializado, policlínico, de ensino, filantrópico). • Localização geográfica. • Nível de assistência médica prestada no hospital. • Fonte mantenedora e tipo de atendimento. • Programação das necessidades da farmácia em função das atividades propostas. • Região geográfica onde se localiza o hospital. • Periodicidade das compras.
  • 30. Requisitos- Infraestrutura • Ambientes da Farmácia Hospitalar:
  • 33. Referências bibliográficas • NOVAES et al. Guia de Boas Práticas em Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde- SBRAFH. São Paulo: Ateliê Vide o Verso, 2009. • REIS et al. Ciências Farmacêuticas: Uma abordagem em Farmácia Hospitalar. São Paulo: Atheneu, 2003. • STORPIRTIS et al. Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015.