História da educação no brasil

7.808 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
1 comentário
5 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.808
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
354
Comentários
1
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História da educação no brasil

  1. 1. CORRENTES PEDAGÓGICAS 2ª ORIENTAÇÃO TÉCNICA – “PROFESSOR COORDENADOR: UM GRUPO APRENDENTE” Drª Elianeth Dias Kanthack Hernandes Águas de Lindóia - julho de 2010
  2. 2. Brechet sobre Gramsci : “ Ele pensava em outras cabeças e na cabeça dele outros pensavam” Acolher o pensamento do outro... Acolhida não significa concordância...
  3. 3. São as equipes de trabalho que vão consolidar sistemas de ação coletiva no seio do professorado. Não se trata de adesões ou ações individuais, mas da construção de culturas de cooperação. O esforço de pensar a profissão em grupo implica a existência de espaços de partilha além das fronteiras escolares. Trata-se da participação em movimentos pedagógicos, da presença em dinâmicas mais amplas de reflexão e de intervenção no sistema de ensino. No passado, esses movimentos tiveram um papel insubstituível na afirmação social da classe. Hoje, são decisivos para a renovação. (Nóvoa, 1999)
  4. 4. O educador muda de cargo, se torna gestor, mas sua tarefa de desenvolver capacidades cognitivas e afetivas junto às pessoas o acompanha na nova função. A heterogeneidade de ritmos de experiências do grupo exige conhecimento histórico e contextual para que as intervenções pedagógicas sejam significativas e consequentes.
  5. 5. LEMBRAR QUE ... EXISTE APRENDIZAGEM SEM ENSINO NÃO EXISTE ENSINO SEM APRENDIZAGEM MAS
  6. 6. E O QUE NOS ENSINAM AS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS SOBRE ORGANIZAÇÃO CURRICULAR? PAIDÓS = CRIANÇA AGODÉ = CONDUÇÃO Grego
  7. 7. Pedagogo : função de colocar a criança no “caminho do saber” Pedagogia e Didática não se referem aos conteúdos a serem ensinados, mas aos procedimentos de ensino: esta é a especialidade necessária ao gestor do currículo .
  8. 8. 1ª ação colonizadora : Cana (Economia) Gado (Economia) Padre (Educação) O QUE A HISTÓRIA ENSINA CURRÍCULO?
  9. 9. O que esse currículo privilegiava? 1ª) ESCOLA CONVENTO A formação de SÚDITOS e FIÉIS
  10. 10. Ratio Studiorum (Diretriz Curricular) “ A estas gentes basta a catequese e a penitência” Pedagogia de Santo Inácio de Loyola (1555) Estágio Mitológico ou Religioso O Professor era o Doutrinador
  11. 11. Republicana (1889) – Positivismo Auguste Comte – Durkhein Estágio Metafísico/Filosófico Amor como Princípio Ordem como Meio Progresso como Fim 2ª) ESCOLA QUARTEL
  12. 12. O que esse currículo privilegiava? Escola QUARTEL em substituição à Escola CONVENTO (Substituição dos feriados religiosos pelos cívicos) Aluno: obediente e disciplinado Professor: patrulhador
  13. 13. CORRENTE PEDAGÓGICA (1) Preparação intelectual e moral dos alunos para assumir seu papel na sociedade Papel da Escola São conhecimentos acumulados através dos tempos e repassados aos alunos como verdades absolutas Conteúdos Exposição e demonstração verbal da matéria e / ou por meios de modelos Métodos Autoridade do professor que exige atitude receptiva do aluno Professor x aluno É receptiva e mecânica, sem se considerar as características próprias de cada idade Aprendizagem Pedagogia Tradicional Escolas que adotam filosofias humanistas clássicas ou científicas
  14. 14. GETÚLIO VARGAS: “Pela escola e pela fábrica eu vou mudar o Brasil” FACISTA Inspiração nas escolas Italiana (Mussolini) e Alemã (Hitler) Grupo Escolar (Italiano) A cidade crescia em torno da Igreja Pedagogia da NUCA Escola como Pirâmide Francisco Campos (Ministro) O QUE ESSE CURRÍCULO PRIVILEGIAVA? Escola Armadilha – Muitos entram, mas poucos saem. Darwinismo Currículo: Grego, Latim. Solfejo 3ª) ESCOLA PIRÂMIDE
  15. 15. CORRENTE PEDAGÓGICA (2) A escola deve adequar as necessidades individuais ao meio social Papel da Escola São estabelecidos a partir das experiências vividas pelos alunos frente às situações problemas Conteúdos Por meio de experiências, pesquisas e método de solução de problemas Métodos O professor é auxiliador no desenvolvimento livre da criança Professor x aluno É baseada na motivação e na estimulação de resolução de problemas. Aprendizagem Pedagogia Escola Nova (Diretiva e Não Diretiva) Montessori, Decroly, Dewey, Piaget, Carl Rogers e A. S. Neill
  16. 16. CORRENTE PEDAGÓGICA (3) Preparo da mão de obra para a indústria. Modeladora do comportamento humano através de técnicas específicas Papel da Escola São informações ordenadas numa sequência lógica e psicológica Conteúdos Instrução programada. Procedimentos e técnicas para a transmissão e recepção de informações Métodos Relação objetiva onde o professor transmite informações e o aluno vai fixá-las Professor x aluno Aprendizagem baseada no desempenho e na instrução Aprendizagem Pedagogia Tecnicista Leis 5.540/68 e 5.692/71. Acordo MEC/USAID
  17. 17. 19 71 – Lei 5692/71 – Tecnicista Ministro: Jarbas Passarinho Justificativa: Êxodo Rural – Escola para todos Desloca a Escola do Modelo Europeu para o Norte Americano A Escola do POBRE Carreira docente: PI, PII, PIII Dividiu e empobreceu porque a escola é para o pobre. 4ª) ESCOLA FÁBRICA
  18. 18. O QUE PRIVILEGIAVA ESSE CURRÍCULO? Formação de mão de obra para o mercado de trabalho. Formação docente aligeirada. Empobrecimento de conteúdos com relevância social Tiraram o prestígio arquitetônico e Pedagógico (e social) Incluiram Dentista, Merendeira...
  19. 19. CORRENTE PEDAGÓGICA (4) Visa levar o aluno a atingir um nível de consciência da realidade na busca da transformação social Papel da Escola Palavras / Temas geradores Conteúdos Grupos de discussão Métodos A relação é horizontal, de igual para igual Professor x aluno Resolução da situação problema Aprendizagem Pedagogia Libertadora Paulo Freire
  20. 20. CORRENTE PEDAGÓGICA (5) Transformação da personalidade num sentido libertário e autogestionário Papel da Escola As matérias são colocadas, mas não exigidas Conteúdos Vivência grupal na forma de auto-gestão Métodos Não diretiva, o professor é orientador e os alunos livres Professor x aluno Aprendizagem informal, via grupo Aprendizagem Pedagogia Libertária Celestin Freinet, Miguel Gonzales Arroyo
  21. 21. CORRENTE PEDAGÓGICA (6) Difusão dos conteúdos. Relevância social dos conteúdos Papel da Escola Conteúdos culturais universais que são incorporados pela humanidade frente à realidade social Conteúdos Parte de uma relação direta da experiência do aluno confrontada com o saber sistematizado Métodos Papel do aluno como participador e do professor como mediador entre o saber e o aluno Professor x aluno Baseadas nas estruturas cognitivas já estruturadas nos alunos Aprendizagem Pedagogia histórico - crítica Makarenko, B. Charlot, Suchodoski, Manacorda, G. Snyders, Demerval Saviani
  22. 22. <ul><li>1996 – Lei 9394/96 </li></ul><ul><li>Padrões curriculares comuns </li></ul><ul><li>Justificativa: “Professores fingem que ensinam, os alunos...” </li></ul><ul><li>“ A escola chegou ao fundo do poço” </li></ul><ul><li>Desloca a Escola do Modelo Norte Americano para o Espanhol. </li></ul>5ª) ESCOLA PARABÓLICA
  23. 23. CORRENTE PEDAGÓGICA (7) Preparo para o mundo do trabalho, para a complexidade e diversidade Papel da Escola São básicos para o desenvolvimento de competências e devem ser tratados de forma interdisciplinar e contextualizada Conteúdos Negação de um único método e valorização de didáticas relativas à aquisição de saberes Métodos O professor é o mediador e o aluno constrói os conhecimentos Professor x aluno Valorização das interações. O aluno aprende enfrentando situações problematizadoras Aprendizagem Pedagogia das Competências F. Hernandes, A. Zabala, C. Coll (escola espanhola)
  24. 24. TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS TENDÊNCIAS PSICOLÓGICAS (CONCEPÇÕES DE APRENDIZAGEM) TRADICIONAL INATISMO EMPIRISMO CONSTRUTIVISMO ESCOLA NOVA (Diretiva e Não Diretiva) TECNICISTA LIBERTADORA LIBERTÁRIA HISTÓRICO-CRÍTICA COMPETÊNCIAS / RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS CONSTRUTIVISMO / INTERACIONISMO
  25. 25. APRENDER A CONHECER Como obter, processar, interpretar, selecionar, sistematizar, relacionar e dar sentido às informações APRENDER A FAZER Como mobilizar conhecimentos em ações e atitudes APRENDER A CONVIVER Como conviver com o outro, com a diferença e o diferente, com as incertezas e as mudanças APRENDER A SER Como desenvolver a individualidade, a solidariedade, a responsabilidade social e o prazer no trabalho 4 PILARES DA EDUCAÇÃO DO SÉC. XXI – JACQUES DELORS - COMPETÊNCIAS

×