SlideShare uma empresa Scribd logo
AS VANGUARDAS:
RUTURAS COM OS
CÂNONES DAS
ARTES
Jorge Fernandes 12.ºB n.º1
Nas primeiras décadas do século XX, uma
autêntica explosão de experiências inovadoras
convulsiona as artes.
Artistas e escritores derrubam as convenções
académicas, criando uma estética inteiramente
nova.
Este movimento cultural – modernismo – irradiou
Paris, que era o centro artístico da Europa,
rompendo com os Cânones. A cidade era pois o
centro da vanguarda cultural europeia, plena de
talentos e entusiasmo.
Fauvismo
Corrente essencialmente francesa que vigorou entre 1905 e 1907;
Foi liderada pelo pintor Henri Matisse;
Nome do movimento vem de fauves (feras).
Primado da cor sobre a forma (é na cor que encontram a sua forma de
expressão artística e a cor desenvolve-se em grandes manchas que delimitam
planos);
Utilização de cores puras e fortes;
Sem pormenor, sem perspetiva e sem técnico claro-escuro;
Autonomia da obra de arte relativamente ao real (as cores não correspondem
ao real);
Utilização de pinceladas;
Principais representantes: Matisse e Vlaminck.
Henri Matisse
Expressionismo
Surge na Alemanha em simultâneo com o
fauvismo;
O movimento está ligado aos grupos: Die Brücke
e Der Blaue Reiter;
O movimento teve influência de Vang Gogh e
Edward Much.
Die Brücke
Surge em 1905 em Dresden;
Função: crítica social;
Representa emoções;
Formas distorcidas;
As cores são violentas e puras;
Acentua os contornos;
Utiliza linhas curvas;
Representantes: Kirchner e Nolde.
Die Brücke
Der Blaue Reiter
Surge em Munique em 1911;
As formas são menos chocantes do que no
grupo anterior;
Formas simplificadas e angulosas;
As cores são contrastantes;
Representantes: Kandinsky e Franz Marc.
Der Blaue Reiter
Cubismo
Influenciado pelo geometrismo de Cézanne e
pela estilização geométrica da arte africana;
Nascimento ligado ao quadro de Picasso “Les
demoiselles d’Avignon”;
Iniciado por volta de 1907 em Paris pelos
pintores: Pablo Picasso e George Braque;
Dois tipos de cubismo: analítico e sintético.
Pablo Ruiz Picasso, As
meninas de Avinhão, 1907
Cubismo Analítico
Simplifica a representação das coisas decompondo-
as em formas geométricas como cones, esferas,
cilindros, etc.;
Decompõe o objeto como se circulasse à volta dele.
Na tela estão diferentes faces do objeto visto de
diferentes perspetivas (de frente, de costas, de
perfil);
Representa aquilo que conhece do objeto;
Introduz uma quarta dimensão – o tempo;
Utiliza uma cor e as suas tonalidades (azul, cinzento,
castanho).
Picasso, retrato de
Kahnweiler, outono de
1910
Cubismo Sintético
Surge cerca de 1912;
Não decompõe, sintetiza as formas essenciais e
a matéria;
Utiliza formas geométricas simples – triângulos,
retângulos e quadrados;
Usa materiais estranhos à pintura como
colagens de papel, panos, cartas de jogar,
madeira, etc.;
Representantes: Picasso, Braque e Juan Gris.
Picasso, Natureza-Morta
com cadeira empalhada,
1912
Futurismo
Surge em Itália com a publicação do Manifesto Futurista de Marinetti
publicado em 1909 no jornal Le Figaro;
Revolta-se contra a tradição e exalta o dinamismo da vida moderna e os
valores da civilização industrial;
Defende a originalidade, força, dinamismo, velocidade, técnica e maquinismo;
Faz a apologia da guerra;
Os artistas dão a ilusão de movimento com técnicas próprias da fotografia e
do cinema: decomposição das formas e das cores, alternância de planos,
sobreposição de imagens, utilização de linhas curvas e de elipses;
Cores agressivas e repetitivas, tal como as formas, para dar a ideia do
movimento;
Pintores: Balla, Baccioni e Picabia.
Gino Severini
Abstracionismo
Movimento artístico que ainda que tenha
começado antes atinge o apogeu após a 2ª
Guerra Mundial;
Está ligado ao pintor russo Kandinsky e ao
holandês Mondrian;
Dois tipos de abstracionismo: lírico e geométrico.
Abstracionismo Lírico
Surge em 1910, mas desenvolve-se a partir de 1918;
Representa a realidade produzida pelo espírito
(inspiração no instinto e no inconsciente);
O objeto desaparece;
Sobressaem as linhas e as cores e os seus
respetivos significados;
Articulação com as outras artes, nomeadamente com
a música;
Representantes: Kandinsky.
Vassily Kandinsky
Abstracionismo
Geométrico
É influenciado pelo cubismo;
Está ligado ao pintor holandês Mondrian;
A pintura utiliza formas geométricas simples,
pintadas com cores primárias;
Utiliza duas não-cores (preto e branco);
Representantes: Mondrian e Malevich.
Piet Mondrian, Quadro 1,
1921
Dadaísmo
Surge em 1916, na Suíça (Zurique) e atinge o apogeu em
França cerca de 1920;
Está ligado ao desencanto de uma geração educada na
crença da bondade dos valores da civilização industrial
pela brutalidade da guerra mundial;
O seu único princípio é a incoerência, o acaso, o irracional,
o jogo e a provocação;
Utiliza a inovação, a troca, o insulto para destruir a ordem
e estabelecer o caos;
Eleva os objetos comuns à categoria de obras de arte;
Pintores: Marcel Duchamp, Man Ray e Picabia.
Marcel Duchamp, 1917
Surrealismo
Estilo dominante na Europa nas décadas de 1920 e 1930;
O seu principal impulsionador foi André Breton que publicou em 1924 o primeiro Manifesto
do Surrealismo;
Defendem:
A libertação das imagens e da energia contida no inconsciente;
São influenciados pela psicanálise de Freud;
Existência de duas vertentes: a abstração e a figurativa. Qualquer uma delas utiliza o
acaso, o automatismo e ignora as convenções morais e estéticas construindo uma
realidade nova e autónoma;
As pinturas representavam universos absurdos, cenas grotescas e estranhas, sonhos e
alucinações, objetos representados de uma forma enigmática, misturando objetos reais
com objetos fantásticos;
Representantes: Salvador Dali e Jean Miró.
Salavador Dalí
Jorge Fernandes 12.ºB
n.º1
Discplina: História A

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºanoModulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
CludiaBelluschiCosta
 
A regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismoA regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismo
home
 
2 Um novo equilíbrio global
2   Um novo equilíbrio global2   Um novo equilíbrio global
2 Um novo equilíbrio global
Núria Inácio
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
Rainha Maga
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
Escoladocs
 
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
Vítor Santos
 
7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacional7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacional
Vítor Santos
 
9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era
Vítor Santos
 
O imobilismo político e crescimento económico português do pós II Guerra Mund...
O imobilismo político e crescimento económico português do pós II Guerra Mund...O imobilismo político e crescimento económico português do pós II Guerra Mund...
O imobilismo político e crescimento económico português do pós II Guerra Mund...
Susana Cardoso Simões
 
12º o reforço da globalização
12º o reforço da globalização12º o reforço da globalização
12º o reforço da globalização
Ilda Bicacro
 
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na CulturaMutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
gofontoura
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
Susana Simões
 
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
Vítor Santos
 
8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...
8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...
8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...
Vítor Santos
 
Os Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e NaziOs Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e Nazi
Rui Neto
 
O Modernismo na pintura e na literatura
O Modernismo na pintura e na literaturaO Modernismo na pintura e na literatura
O Modernismo na pintura e na literatura
Dina Baptista
 
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na RússiaImplantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
home
 
Mundo capitalista
Mundo capitalistaMundo capitalista
Mundo capitalista
home
 
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da DemocraciaPortugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
home
 
Cronologia prec
Cronologia precCronologia prec
Cronologia prec
Vítor Santos
 

Mais procurados (20)

Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºanoModulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
 
A regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismoA regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismo
 
2 Um novo equilíbrio global
2   Um novo equilíbrio global2   Um novo equilíbrio global
2 Um novo equilíbrio global
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
 
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
 
7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacional7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacional
 
9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era
 
O imobilismo político e crescimento económico português do pós II Guerra Mund...
O imobilismo político e crescimento económico português do pós II Guerra Mund...O imobilismo político e crescimento económico português do pós II Guerra Mund...
O imobilismo político e crescimento económico português do pós II Guerra Mund...
 
12º o reforço da globalização
12º o reforço da globalização12º o reforço da globalização
12º o reforço da globalização
 
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na CulturaMutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
 
8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...
8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...
8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...
 
Os Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e NaziOs Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e Nazi
 
O Modernismo na pintura e na literatura
O Modernismo na pintura e na literaturaO Modernismo na pintura e na literatura
O Modernismo na pintura e na literatura
 
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na RússiaImplantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
 
Mundo capitalista
Mundo capitalistaMundo capitalista
Mundo capitalista
 
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da DemocraciaPortugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
 
Cronologia prec
Cronologia precCronologia prec
Cronologia prec
 

Destaque

Abstracionismo - 7º ano!
Abstracionismo - 7º ano!Abstracionismo - 7º ano!
Abstracionismo - 7º ano!
Lu Rebordosa
 
Máscaras africanas
Máscaras africanasMáscaras africanas
Máscaras africanas
pibidcsoufrgs
 
ABSTRACIONISMO
ABSTRACIONISMOABSTRACIONISMO
ABSTRACIONISMO
Cristiane Seibt
 
Arte Abstrata
Arte AbstrataArte Abstrata
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
Lu Rebordosa
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
Talita Tata
 
Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.
Roger Pimentel
 
Livro de arte
Livro de arteLivro de arte

Destaque (8)

Abstracionismo - 7º ano!
Abstracionismo - 7º ano!Abstracionismo - 7º ano!
Abstracionismo - 7º ano!
 
Máscaras africanas
Máscaras africanasMáscaras africanas
Máscaras africanas
 
ABSTRACIONISMO
ABSTRACIONISMOABSTRACIONISMO
ABSTRACIONISMO
 
Arte Abstrata
Arte AbstrataArte Abstrata
Arte Abstrata
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.
 
Livro de arte
Livro de arteLivro de arte
Livro de arte
 

Semelhante a As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes

A arte da 1ª metade do séc beatriz
A arte da 1ª metade do séc   beatrizA arte da 1ª metade do séc   beatriz
A arte da 1ª metade do séc beatriz
Bioquinha
 
HCA grupo B
HCA   grupo BHCA   grupo B
HCA grupo B
becresforte
 
O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
Sofia Oliveira
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Lú Carvalho
 
Aula 9
Aula 9Aula 9
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Gabriel Ferraciolli
 
Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
CEF16
 
Arte no Séc. XX
 Arte no Séc. XX Arte no Séc. XX
Arte no Séc. XX
omniblog
 
A arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xxA arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xx
Itamir Beserra
 
O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
Michele Wilbert
 
10 arte moderna
10 arte moderna10 arte moderna
10 arte moderna
Luciana Estivalet
 
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modestoRuptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
ceufaias
 
Um pouco de arte - parte I
Um pouco de arte - parte IUm pouco de arte - parte I
Um pouco de arte - parte I
renatamruiz
 
História da arte - abstracionismo
História da arte - abstracionismoHistória da arte - abstracionismo
História da arte - abstracionismo
Marcela Cavalcanti
 
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docxMapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
PolianaMendes21
 
ABSTRACIONISMO 2023.ppt
ABSTRACIONISMO 2023.pptABSTRACIONISMO 2023.ppt
ABSTRACIONISMO 2023.ppt
ssuser1c017c1
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Ana Paula Silva
 
Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBG
Aline Raposo
 
A Arte
A ArteA Arte
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
Andrea Garcia
 

Semelhante a As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes (20)

A arte da 1ª metade do séc beatriz
A arte da 1ª metade do séc   beatrizA arte da 1ª metade do séc   beatriz
A arte da 1ª metade do séc beatriz
 
HCA grupo B
HCA   grupo BHCA   grupo B
HCA grupo B
 
O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Aula 9
Aula 9Aula 9
Aula 9
 
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
 
Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
 
Arte no Séc. XX
 Arte no Séc. XX Arte no Séc. XX
Arte no Séc. XX
 
A arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xxA arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xx
 
O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
 
10 arte moderna
10 arte moderna10 arte moderna
10 arte moderna
 
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modestoRuptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
 
Um pouco de arte - parte I
Um pouco de arte - parte IUm pouco de arte - parte I
Um pouco de arte - parte I
 
História da arte - abstracionismo
História da arte - abstracionismoHistória da arte - abstracionismo
História da arte - abstracionismo
 
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docxMapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
 
ABSTRACIONISMO 2023.ppt
ABSTRACIONISMO 2023.pptABSTRACIONISMO 2023.ppt
ABSTRACIONISMO 2023.ppt
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBG
 
A Arte
A ArteA Arte
A Arte
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 

Último

AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 

Último (20)

AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 

As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes

  • 1. AS VANGUARDAS: RUTURAS COM OS CÂNONES DAS ARTES Jorge Fernandes 12.ºB n.º1
  • 2. Nas primeiras décadas do século XX, uma autêntica explosão de experiências inovadoras convulsiona as artes. Artistas e escritores derrubam as convenções académicas, criando uma estética inteiramente nova. Este movimento cultural – modernismo – irradiou Paris, que era o centro artístico da Europa, rompendo com os Cânones. A cidade era pois o centro da vanguarda cultural europeia, plena de talentos e entusiasmo.
  • 3. Fauvismo Corrente essencialmente francesa que vigorou entre 1905 e 1907; Foi liderada pelo pintor Henri Matisse; Nome do movimento vem de fauves (feras). Primado da cor sobre a forma (é na cor que encontram a sua forma de expressão artística e a cor desenvolve-se em grandes manchas que delimitam planos); Utilização de cores puras e fortes; Sem pormenor, sem perspetiva e sem técnico claro-escuro; Autonomia da obra de arte relativamente ao real (as cores não correspondem ao real); Utilização de pinceladas; Principais representantes: Matisse e Vlaminck.
  • 5. Expressionismo Surge na Alemanha em simultâneo com o fauvismo; O movimento está ligado aos grupos: Die Brücke e Der Blaue Reiter; O movimento teve influência de Vang Gogh e Edward Much.
  • 6. Die Brücke Surge em 1905 em Dresden; Função: crítica social; Representa emoções; Formas distorcidas; As cores são violentas e puras; Acentua os contornos; Utiliza linhas curvas; Representantes: Kirchner e Nolde.
  • 8. Der Blaue Reiter Surge em Munique em 1911; As formas são menos chocantes do que no grupo anterior; Formas simplificadas e angulosas; As cores são contrastantes; Representantes: Kandinsky e Franz Marc.
  • 10. Cubismo Influenciado pelo geometrismo de Cézanne e pela estilização geométrica da arte africana; Nascimento ligado ao quadro de Picasso “Les demoiselles d’Avignon”; Iniciado por volta de 1907 em Paris pelos pintores: Pablo Picasso e George Braque; Dois tipos de cubismo: analítico e sintético.
  • 11. Pablo Ruiz Picasso, As meninas de Avinhão, 1907
  • 12. Cubismo Analítico Simplifica a representação das coisas decompondo- as em formas geométricas como cones, esferas, cilindros, etc.; Decompõe o objeto como se circulasse à volta dele. Na tela estão diferentes faces do objeto visto de diferentes perspetivas (de frente, de costas, de perfil); Representa aquilo que conhece do objeto; Introduz uma quarta dimensão – o tempo; Utiliza uma cor e as suas tonalidades (azul, cinzento, castanho).
  • 14. Cubismo Sintético Surge cerca de 1912; Não decompõe, sintetiza as formas essenciais e a matéria; Utiliza formas geométricas simples – triângulos, retângulos e quadrados; Usa materiais estranhos à pintura como colagens de papel, panos, cartas de jogar, madeira, etc.; Representantes: Picasso, Braque e Juan Gris.
  • 16. Futurismo Surge em Itália com a publicação do Manifesto Futurista de Marinetti publicado em 1909 no jornal Le Figaro; Revolta-se contra a tradição e exalta o dinamismo da vida moderna e os valores da civilização industrial; Defende a originalidade, força, dinamismo, velocidade, técnica e maquinismo; Faz a apologia da guerra; Os artistas dão a ilusão de movimento com técnicas próprias da fotografia e do cinema: decomposição das formas e das cores, alternância de planos, sobreposição de imagens, utilização de linhas curvas e de elipses; Cores agressivas e repetitivas, tal como as formas, para dar a ideia do movimento; Pintores: Balla, Baccioni e Picabia.
  • 18. Abstracionismo Movimento artístico que ainda que tenha começado antes atinge o apogeu após a 2ª Guerra Mundial; Está ligado ao pintor russo Kandinsky e ao holandês Mondrian; Dois tipos de abstracionismo: lírico e geométrico.
  • 19. Abstracionismo Lírico Surge em 1910, mas desenvolve-se a partir de 1918; Representa a realidade produzida pelo espírito (inspiração no instinto e no inconsciente); O objeto desaparece; Sobressaem as linhas e as cores e os seus respetivos significados; Articulação com as outras artes, nomeadamente com a música; Representantes: Kandinsky.
  • 21. Abstracionismo Geométrico É influenciado pelo cubismo; Está ligado ao pintor holandês Mondrian; A pintura utiliza formas geométricas simples, pintadas com cores primárias; Utiliza duas não-cores (preto e branco); Representantes: Mondrian e Malevich.
  • 23. Dadaísmo Surge em 1916, na Suíça (Zurique) e atinge o apogeu em França cerca de 1920; Está ligado ao desencanto de uma geração educada na crença da bondade dos valores da civilização industrial pela brutalidade da guerra mundial; O seu único princípio é a incoerência, o acaso, o irracional, o jogo e a provocação; Utiliza a inovação, a troca, o insulto para destruir a ordem e estabelecer o caos; Eleva os objetos comuns à categoria de obras de arte; Pintores: Marcel Duchamp, Man Ray e Picabia.
  • 25. Surrealismo Estilo dominante na Europa nas décadas de 1920 e 1930; O seu principal impulsionador foi André Breton que publicou em 1924 o primeiro Manifesto do Surrealismo; Defendem: A libertação das imagens e da energia contida no inconsciente; São influenciados pela psicanálise de Freud; Existência de duas vertentes: a abstração e a figurativa. Qualquer uma delas utiliza o acaso, o automatismo e ignora as convenções morais e estéticas construindo uma realidade nova e autónoma; As pinturas representavam universos absurdos, cenas grotescas e estranhas, sonhos e alucinações, objetos representados de uma forma enigmática, misturando objetos reais com objetos fantásticos; Representantes: Salvador Dali e Jean Miró.