SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 177
A cultura do Palácio
(parte 1)
Módulo 5 – História da Cultura e das
Artes
Curso Profissional de Turismo
http://divulgacaohistoria.wordpress.com/
Sente-me, Ouve-me, Vê-me
Helena Almeida (1970)
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
2
Trabalho constituído por uma série de fotografias e um vídeo (vê-
me)
A obra de Helena Almeida é constituída por fotografias da artista a
executar um determinado gesto ao qual é acrescentado uma
colagem ou uma pincelada de tinta.
Existem dois momentos na sua arte:
O passado, a fotografia;
E o depois, os elementos que acrescenta à fotografia.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
3
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
4
Frei Manuel Cardoso (1566-1650)
Requiem – Introito (1625)
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
5
Frei Manuel Cardoso foi uma personalidade criativa da Escola de
Évora;
Foi um dos mais importantes compositores da música portuguesa;
A sua obra está inserida no maneirismo musical;
As suas peças eram cantadas a 4, 6 ou 8 vozes e acompanhadas por
instrumentos de sopro, de corda e órgão.
Homens novos,
espaços novos,
uma memória clássica
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
6
Renascimento – termo criado pelo historiador Burckhardt, no
século XIX, para designar a extraordinária evolução das
mentalidades e cultura europeias durante o período da História
que sucede à Idade Média, a Idade Moderna (séculos XV, XVI,
XVII e XVIII)
Idade Moderna – inicia-se em 1453 com o fim do Império
Bizantino e termina em 1789 com a Revolução Francesa
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
7
O primeiro Renascimento corresponde ao século XV – O
Quattrocento, a principal cidade foi Florença;
O segundo Renascimento ou Alto Renascimento corresponde ao
século XVI – O Cinquecento, a principal cidade foi Roma.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
8
Homem Universal,
Leonardo da Vinci
Quais foram as principais transformações?
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
9
O pensamento dominante na Idade Média (teocêntrico) é
substituído por uma mentalidade que procura explicar as coisas
pela medida da capacidade humana.
Homem como referência e modelo (antropocentrismo)
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
10
Existe um maior racionalismo que
leva ao desenvolvimento do
espírito crítico
Estudo de Leonardo da Vinci para
construir uma máquina voadora
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
11
Crescente curiosidade e vontade de saber;
Surgem as bases do pensamento científico moderno;
Nas artes surge o gosto pela representação do Homem e do
quotidiano;
Surge uma conceção mais pragmática e profana (não religiosa)
da vida.
Valorização de conceitos como o Humanismo e Individualismo.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
12
Humanismo : Movimento cultural renascentista, filosófico,
literário e artístico, que se interessa fundamentalmente pelas
capacidades do Homem. Apoia-se na redescoberta da cultura
clássica.
Individualismo : Corrente de pensamento que valoriza o Homem
e as capacidades e potencialidades de cada um.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
13
Os artistas assumem-se como
intelectuais que procuram criar
e inovar;
Assinam as suas obras;
São reconhecidos socialmente
e os mais conceituados tem um
novo estatuto social elevado.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
14
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
15
Fatores que explicam as transformações que surgiram no
renascimento:
Grandes descobertas geográficas (portugueses e espanhóis);
Comércio à escala mundial – provoca um grande desenvolvimento
económico e financeiro;
Intercâmbios culturais ;
Novos conhecimentos e novos saberes;
Europeus conhecem a verdadeira dimensão e forma da Terra.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
16
Outros fatores remontam ao século XII:
Decadência do feudalismo;
Crescimento urbano;
Nova teologia mais humanista;
Abertura do comércio mediterrâneo pela burguesia das cidades
italianas.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
17
O Renascimento manifestou-se primeiro em Itália, fruto de um
conjunto de circunstâncias favoráveis.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
18
Dividida em cidades-estado organizadas em repúblicas;
Situação económica favorável – domínio do comércio internacional,
desenvolvimento da agricultura, produção artesanal (industrial) e
atividades financeiras
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
19
Ascensão da burguesia italiana – domina a economia e governa
muitas das cidades-estado;
Criaram um estilo de vida próprio onde a formação intelectual,
literária e artística desempenhavam um importante papel;
Criaram a prática do mecenato.
Mecenato – apoio à produção intelectual, literária, científica e
artística.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
20
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
21
Fórum romano
Descoberta da cultura clássica (as civilizações romana e grega
são tomadas como exemplo opondo-se à Idade Média).
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
22
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
23
Fruto destas condições o Renascimento vai-se iniciar em cidades
como Florença, Roma e Veneza.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
24
Florença é a cidade-berço do
renascimento;
Cidade de Masaccio, Boticelli,
Donatello, Leonardo da Vinci,
Miguel Ângelo e muitos outros;
Situação económica privilegiada;
República governada pelos
Médicis.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
25
Auto-retrato de Leonardo, instrumento
de desenho, e estudos de Francesco di
Giorgio
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
26
A arte do Renascimento refletiu todas estas transformações;
Os artistas abandonaram as antigas práticas medievais e
desenvolveram a arte com um rigor conceptual e técnico,
criaram e descobriram novas regras, novos cânones e novos
temas;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
27
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
28
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
29
Os artistas, de artesãos medievais tornam-se intelectuais, que
pelo talento foram capazes de criar obras originais;
A obra de arte é concebida como ciência;
As obras são assinadas e existe reconhecimento público do valor
dos artistas;
O seu estatuto social é equiparado às elites.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
30
A arte do Renascimento, seguindo o exemplo da arte clássica, foi
uma arte racional e científica, imitação intelectualizada e
técnica da Natureza.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
31
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
32
A partir do século XVI, a conjuntura expansionista, deu lugar a um
período mais instável;
Deu-se a Reforma Protestante;
Reforma Protestante – movimento de protesto contra o Papa e a
moral, início do século XVI, na Alemanha, Martinho Lutero,
expandiu-se na Europa. Deu origem às Igrejas Protestantes.
Conjuntura do Renascimento:
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
33
Sucedem-se guerras e perseguições religiosas;
Destabilização da economia;
Reis reforçam o seu poder;
Igreja Católica inicia a Contra-Reforma;
Contra-Reforma – movimento criado para combater o
protestantismo.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
34
Reforçou a Inquisição e o Índex,
Inquisição – Tribunal eclesiástico destinado a manter a pureza da
fé. Criado na Idade Média, foi reforçado durante a Contra-
Reforma:
Índex – Congregação criada para censurar as publicações,
proibindo todas as obras consideradas heréticas.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
35
O século XV foi um século de expansão e otimismo;
Ao contrário, no século XVI, surge a dúvida, o ceticismo, a crise
de valores;
À liberdade intelectual sucede-se a censura;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
36
A arte seguiu o caminho do
perfecionismo técnico;
pela exploração de sentimentos;
pelo individualismo estilístico;
pelo decorativismo;
É a arte do Maneirismo(s), arte de
transição para o Barroco.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
37
O palácio, habitação das elites. As artes do palácio. (O local)
A vida centra-se nas
cidades;
Reis, bispos, burgueses,
nobres vivem nas cidades;
O palácio é a habitação
típica das elites;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
38
L. B. Alberti, Palácio Rucellai,
Brunelleschi, Palácio Pitti,
Michelozzo, Palácio Médici-Ricardi
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
39
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
40
Michelozzo,
Palácio Médici-Ricardi
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
41
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
42
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
43
Miguel Ângelo, Palácio Farneso,
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
44
Principais características do palácio urbano:
Planta quadrangular;
Estrutura cúbica ou paralelepipédica;
Três ou quatro pisos, organizados segundo critérios funcionais:
r/c – escritórios, serviços, armazéns;
1º andar – dependências nobres e sociais, 2º andar – zonas
privadas, 3º andar (recuado) – andar de ático.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
45
Feito de pedra, por vezes ocupa um quarteirão, 4 fachadas;
Aspeto compacto, fechado e maciço;
Rês do chão com poucas janelas (proteção);
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
46
As paredes apresentam um aparelho grosseiro (aparelho rústico),
cuja rugosidade vai diminuindo de piso para piso;
Aparelho – modo de dispor pedras nas paredes
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
47
Decoração sóbria;
Decoração externa – alinhamento das janelas e dos frisos
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
48
Organiza-se em torno de um pátio central (cortile) rodeado por
uma loggia (galeria exterior abobadada com arcadas) decorada
com mármores, estátuas, cerâmica, etc.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
Os palácios são um símbolo da forma de vida das elites;
Requintados, conforto e luxo associam-se aos prazeres
mundanos, banquetes, bailes, saraus de música poesia ou teatro;
Surgem bibliotecas e museus privados, ligado ao gosto do
colecionismo;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
50
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
51
As elites convidavam os artistas, filósofos e outros intelectuais, e
organizavam tertúlias;
Criaram-se verdadeiras cortes, desenvolve-se a prática do mecenato;
Os palácios são verdadeiros centros culturais e artísticos.
Andrea Palladio, Villa Rotonda, Vicenza
As villae ou palácios rurais denotam uma maior liberdade criativa;
Persiste a simetria, rigor geométrico, a imitação de fachadas
clássicas e a planta centrada;
Os jardins eram organizados simetricamente à volta de fontes.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
52
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
53
O Humanismo e a imprensa
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
54
Humanismo foi a expressão literária do pensamento e valores
intelectuais do Renascimento;
Valorização da experiência pessoal, da Razão e do espírito crítico
no processo de descoberta do homem e do Mundo;
Os humanistas renovaram o pensamento europeu nas letras, nas
ciências e nas artes. A partir de Itália expandiu-se para toda a
Europa;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
55
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
56
Inspiram-se na Antiguidade Clássica (Grécia e Roma), pesquisando
por toda a Europa à procura dos originais;
Desenvolve-se uma paixão arqueológica à procura de vestígios da
antiguidade (monumentos, inscrições, obras de arte, etc.)
Admirar os clássicos não significa imitar mas recriá-los com
originalidade;
A cultura clássica é uma fonte de inspiração;
Valorização da experiência, da razão e do espírito crítico;
Otimistas em relação ao Mundo acreditam no Homem sem deixar
de acreditar em Deus, dão um sentido mais humanista à religião;
Muitos valorizaram as línguas nacionais.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
57
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
58
Para a difusão do Humanismo contribui o aparecimento da Imprensa;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
59
Surgiu na Alemanha, inventada por Gutenberg, entre 1440/50;
O primeiro livro impresso, a Bíblia, foi publicado em 1456/58;
O gosto pela leitura vai-se difundindo.
A imprensa proporcionou uma rápida divulgação das ideias e
saberes;
Generalizou as correntes culturais;
Facilitou o estudo e ensino;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
60
Principais humanistas:
Thomas More (1478-1535);
Shakespeare (1564-1616);
Erasmo de Roterdão (1466-1536);
Luís de Camões (1525-1580);
Nicolau Maquiavel (1469-1527);
Rabelais (1494-1553);
Damião de Góis (1502-1574).
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
61
Lourenço de Médicis,
Um príncipe, um mecenas (1449-1492)
(Biografia)
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
62
Família Médicis, burgueses que
adquiriram uma grande
riqueza;
Governam Florença durante
todo o século XV;
Lourenço, neto de Cosimo,
homem culto e sofisticado;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
63
Governou Florença com sabedoria, desenvolvendo uma época de
grande prosperidade;
Realizou uma política cultural notável:
Atraiu artistas, homens de letras, colecionou livros e obras de arte,
construiu escolas e renovou a cidade;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
64
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
65
Foi autor de várias obras literárias;
Na fase final da vida foi criticado pela política de ostentação e luxo
que promoveu;
Lourenço de Médicis foi um mecenas e contribuiu para o
desenvolvimento cultural e artístico de Florença.
O De Revolutionibus Orbium Coelestim, livro em que Copérnico,
cónego polaco, defendeu um Universo Heliocêntrico (Sol no
centro do Universo);
Estas conclusões põem em causa as teorias de Ptolomeu, aceite
pela Igreja, do geocentrismo (Terra no centro do Universo);
O De Revolutionibus Orbium Coelestim (1543),
de Nicolau Copérnico (1473-1543)
(Acontecimento)
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
66
HeliocêntricaGeocêntrica
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
67
Anos de estudo e investigação convenceram-no que os planetas
orbitavam em torno do Sol;
No livro comprova, com demonstrações matemáticas, que o Sol é
uma estrela fixa e colocou-o no centro do Universo (errado);
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
68
A observação parece contrária à teoria;
Oposição da Igreja (luterana e católica);
Nega afirmações da Bíblia e põe em causa alguns dogmas religiosos;
Livro faz parte do Índex até 1835.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
69
Livro serviu de base para outros astrónomos:
Tycho Brahe (1546-1601);
Giordano Bruno (1548-1600);
Galileu Galilei (1564-1642);
Kepler (1571-1630);
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
70
Gil Vicente (c. 1465-1537);
Escreveu, encenou e participou em várias peças teatrais;
Utilizou a sátira e a comédia;
Fala do Licenciado e diálogo de Todo o Mundo e Ninguém
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
71
A obra vicentina é tida como reflexo da mudança dos tempos e
da passagem da Idade Média para o Renascimento;
Diversidade de formas:
O auto pastoril, a alegoria religiosa, narrativas bíblicas, farsas
episódicas e autos narrativos.
O seu filho, Luís Vicente, na primeira compilação de todas as
suas obras, classificou-as em autos e mistérios (de carácter
sagrado e devocional) e em farsas, comédias e tragicomédias (de
carácter profano) .
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
72
Lusitânia – farsa
Farsa – composição sem exigências de estilo que relata episódios
cómicos da vida quotidiana;
Resumo – Fala do licenciado:
2 judeus pensam em organizar a festa para comemorar o nascimento
de D. Manuel, filho de D. João III;
Escolhem Gil Vicente;
Entra o Licenciado (argumentador da obra) e faz a apresentação de
Gil Vicente e do assunto que ele quer representar e a seu modo
ensinar os espectadores;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
73
Diálogo de Todo o Mundo (mercador rico ) e Ninguém (homem
pobre – talvez Gil Vicente ou o povo):
Diálogo comentado por Berzabu e Dinato, diabos servidores de
Lúcifer;
Todo o Mundo além do dinheiro quer fama, honrarias, mesmo que
para tal tenha de enganar;
Ninguém procura a consciência, a virtude, a verdade. Aceita ser
repreendido sempre que erra.
Mensagem de Gil Vicente:
Preferência pela vida simples, despojada e verdadeira.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
74
Pintura Renascentista
http://divulgacaohistoria.wordpress.com/
A Pintura Renascentista, um exercício intelectual;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
76
Os homens do Renascimento aliavam (…) a admiração pelo mundo
greco-romano a uma falta de respeito evidente;
Inspirar-se nos Antigos para fazer coisas novas, eis o propósito;
Nos grandes artistas do Renascimento a imitação da Antiguidade
nunca foi servil (…).
Jean Delumeau, A Civilização do renascimento
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
77
Os artistas do Renascimento possuíam uma técnica superior à dos
Antigos (…). Os pintores da Grécia e Roma não conheciam a
pintura a óleo (…);
Os estudos dos Flamengos e, mais ainda, dos Italianos tiveram um
carácter inédito.
Jean Delumeau, A Civilização do renascimento
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
78
Pintura do Gótico, Giotto e do
Renascimento
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
79
A pintura renascentista foi um exercício intelectual;
O artista já não é o artesão medieval anónimo, mas um
intelectual reconhecido;
Procura a fama, o seu trabalho é uma obra de arte, uma obra-
prima;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
80
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
81
A pintura do Renascimento foi o culminar de um processo iniciado
no século XIII por Giotto;
Inspirado na cultura e arte da Antiguidade Clássica (Roma e Grécia)
o artista procura uma formação humanista e científica.
O artista ainda devia estudar geometria, perspetiva, aritmética,
gramática, filosofia, história, astronomia, medicina, anatomia de
modo a poderem expressar bem a sua arte.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
82
A arte deve ser imitação (mimesis) da Natureza;
A pintura renascentista é uma arte racional, científica e uma
imitação intelectualizada e tecnicista da Natureza;
Todos estes aspetos foram estudados e teorizados;
No século XVI a arte ganhou mais emoção;
A pintura do Renascimento ultrapassou a Arte da Antiguidade
Clássica, e foi a base da pintura ocidental.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
83
Características técnico-formais e estéticas
Inovações técnicas:
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
84
Paolo Uccello, A caçada na Floresta
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
85
Perspetiva científica
Uma das principais descobertas técnicas do Renascimento foi a
perspetiva, rigorosa e científica;
Permite construir o espaço pictórico segundo as leis da ótica, das
proporções geométricas, da exatidão matemática e do
tratamento da luz de uma forma coerente.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
86
Piero della Francesca, A Flagelação,1465, Têmpera sobre
madeira
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
87
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
88
A cena está enquadrada numa autêntica câmara ótica, subdividida
em paralelepípedos.
Todas as linhas convergem para um ponto para o qual o olhar é
atraído;
Tudo é ritmado segundo valores matemáticos;
A perspetiva é o reflexo da harmonia que rege a Criação.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
89
A luz é o elemento que confere materialidade (volume) à pintura;
Elaboração cuidada do claro-escuro.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
90
Paolo Uccello, A batalha de San Romano, 1452, têmpera
sobre madeira
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
91
No final do século XV, a técnica da pintura a óleo (Flandres),
começou a ser utilizada:
vantagens:
Elaboração de modelados – técnica para obter, por meio de
gradações cromáticas, a ilusão de volume;
Velaturas – simulação de transparências;
Secagem mais lenta – permite mais retoques;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
92
Divulgação do uso do papel, das telas e do cavalete.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
93
Principais inovações técnicas (conclusão):
Perspetiva;
Pintura a óleo;
Tela e cavalete;
Elaborado claro-escuro.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
94
Inovações estéticas e formais:
Harmonia;
Equilíbrio;
Realismo.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
95
Temática:
Religiosa;
Mitologia e literatura clássica (grega e romana);
Retrato;
Paisagem;
Nu.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
96
Principais pintores do século XV:
Inovadores, preocupados com os estudos de perspetiva, volume,
etc. A pintura é uma reflexão e procura constante:
Masaccio (1401-1428);
Paolo Ucello (1397-1475);
Piero della Francesca (1415-1492);
Andrea Mantegna (1431-1506)
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
97
Grupo de pintores mais marcados pela tradição gótica, mais
líricos e místicos:
Fra Angélico (1395-1455);
Sandro Botticelli (1445-1510);
Fra Fillippo Lippi (1460-1469).
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
98
Pintores de Veneza, preocupados com a cor e o movimento:
Giovanni Bellini (1432-1516);
Antonello da Messina (1430-1479);
Carlo Crivelli (1430-1493).
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
99
Análise de alguns pintores
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
100
Masaccio, O pagamento do tributo, c. 1427, fresco
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
101
Masaccio:
Teve um papel revolucionário na pintura;
Utilizou a luz e sombra para obter volume;
A paisagem e elementos arquitetónicos fazem parte de uma
composição naturalista;
Aplicou a perspetiva empírica.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
102
Masaccio, A divina Trindade, fresco
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
103
Paolo Uccello, A Batalha de San Romano, c. 1452, têmpera
sobre madeira
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
104
Paolo Uccello:
Estudo científico da perspetiva;
Composições cénicas complexas.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
105
Piero della Francesca, Díptico dos Duques de Urbino, 1465,
têmpera sobre madeira
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
106
Piero della Francesca:
Estudo científico da perspetiva;
Escreve livros sobre matemática, geometria e perspetiva;
Luminosidade tratada de uma maneira muito elaborada.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
107
Piero della Francesca, A Flagelação, 1465, têmpera sobre
madeira
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
108
Piero della Francesca, Madonna,
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
109
Piero della Francesca, A Virgem e o Menino, rodeados pelos
Santos
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
110
Andrea Mantegna, Cristo Morto, c. 1480, têmpera sobre
madeira
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
111
Andrea Mantegna:
Estudo da perspetiva científica;
Volume escultural das figuras, quase monocromáticas.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
112
Andrea Mantegna,
A Circuncisão
113
Andrea Mantegna,
Judite e Holofrenes,
c. 1495
114
Sandro Botticelli, Nascimento de Vénus, c. 1485, têmpera
sobre madeira
115
Sandro Botticelli:
Prevalência do desenho sobre o modelado;
Harmonia da composição.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
116
Sandro Botticelli, Alegoria da Primavera, c.1482, têmpera
sobre madeira
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
117
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
118
Fra Angelico, A Anunciação, c. 1430, fresco
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
119
Fra Angelico:
Místico, importância da fé;
Utilização dos dourados (tradição bizantina);
Utiliza a perspetiva.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
120
Antonello da Messina,
Retrato de um jovem,
c.1465, óleo
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
121
Fra Fillippo Lipi, A Virgem e o Menino, c. 1440, têmpera sobre
madeira
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
122
A pintura, no século XVI, atinge o auge das:
Pesquisas e inovações;
Equilíbrio e maturidade;
Roma foi a cidade mais importante em termos artísticos;
Vasari, chama a este período o Alto Renascimento, Perfeito
Renascimento ou Classicismo.
O século XVI e o amadurecimento da pintura renascentista
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
123
Principais artistas:
Miguel Ângelo Buonarroti (1475-1564);
Rafael (1483-1520);
Leonardo da Vinci (1452-1519).
Escola Veneziana:
Giorgione (1477-1510);
Ticiano (1490-1576).
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
124
Aldeia de Vinci e cidade
de Florença no século XV.
Leonardo da Vinci (1452-1519)
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
125
Nascido a 15 de Abril de 1452,
Leonardo foi discípulo do pintor e
escultor Andrea Verrochio;
Tornou-se o símbolo do Homem
culto, racional, sensível e
humanista do Renascimento;
Os seus interesses incluíam: pintura,
escultura, arquitetura, anatomia,
física, biologia, engenharia…
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
126
Desenhos: Helicóptero e estudos de anatomia
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
127
Máquina para elevação de
pesos; desenho para uma igreja;
estudo para uma estátua.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
128
Chegou à oficina de Verrochio em 1469 (?);
Em 1472, com 20 anos, é aceite como pintor pela corporação de
artistas de Florença;
Trabalhou em Florença, Milão, Mântua, Roma e França;
Morreu em Amboise, (França), a 2 de Maio de 1519.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
129
São conhecidas 25 obras, cerca de um terço inacabadas;
Conservou 3 obras em seu poder:
Mona Lisa;
Santa Ana, a Virgem e o Menino;
S. João Baptista
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
130
A Anunciação, c. 1473-75, foi o seu primeiro grande quadro;
Possível colaboração com Ghirlandaio.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
131
A Anunciação segundo Fra Angelico e Fra Fillippo Lippi
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
132
A Anunciação, Leonardo da Vinci,
c. 1473-75, óleo sobre madeira 98x217,2 cm
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
133
Composição e perspetiva na continuidade do Renascimento;
Aspetos inovadores:
Paisagem de fundo;
Na luz, de final de tarde;
Composição das figuras e expressão do rostos;
Naturalismo – asas do anjo;
Retrato psicológico das personagens.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
134
Pormenor da paisagem, suave, brumosa
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
135
Os rostos das personagens sobressaem de partes escuras do plano
de fundo;
O anjo tem na mão um lírio e a cena passa-se num jardim murado
(símbolos da virgindade de Maria);
O livro é símbolo de sabedoria;
A casa é em estilo renascentista.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
136
Plano de fundo: paisagem
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
137
Plano médio: plano da arquitetura
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
138
Primeiro plano: as personagens
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
139
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5 140
Leonardo da Vinci, Retrato de Ginevra Benci, c. 1478-80, óleo sobre
madeira
141
Leonardo da Vinci, adoração dos Magos c. 1480-82, base para pintar
a óleo
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
142
Estudo em perspetiva para o plano de fundo de A Adoração dos
magos
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
143
A Virgem dos Rochedos, 1483-90,
óleo sobre madeira
144
A Virgem dos Rochedos, 1490-93,
óleo sobre madeira
145
146
A Última Ceia, 1495-97 óleo sobre alvenaria
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
147
Leonardo desenvolveu uma técnica para substituir o fresco, para
poder pintar mais lentamente;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
148
Mona Lisa, 1503-06,
Óleo sobre madeira
149
Santa Ana, a Virgem e o
Menino, 1506-13, óleo sobre
madeira
150
Leonardo inventou o “sfumato” que consiste numa transição muito
gradual da luz/sombra, que torna quase impercetível o contorno das
formas
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
151
A palavra “sfumato” pode ser traduzida para “esfumado, turvo,
nebuloso”;
Não há contornos definidos, as transições e contrastes são
suaves;
Parece que um nevoeiro fino envolve os objetos;
É uma característica da pintura de Leonardo.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
152
Para obter este efeito trabalhava com camadas finíssimas de óleo;
O “sfumato” foi uma inovação revolucionária para a pintura;
Permite um novo tratamento do claro/escuro;
Antes existia uma separação nítida das cores, os objetos pareciam
“recortados” do fundo do quadro.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
153
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
154
S. João Baptista, 1513-16, óleo
sobre madeira, possivelmente o
último quadro pintado por
Leonardo
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
155
Miguel Ângelo, escultor, pintor, arquitecto, poeta;
Artista temperamental que criou uma arte mais expressiva, mais
dramática e monumental;
Escorços violentos e contrastes de cor e claro/escuro;
Mostrando já sinais de ruptura com o Renascimento.
Miguel Ângelo Buonarroti (1475-1564);
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
156
Miguel Ângelo, A Sagrada Família, 1503,
Tondo (pintura circular), têmpera sobre madeira
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
157
Em pintura a sua principal obra foi o teto da Capela Sistina, em
Roma, e mais tarde a parede do altar
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
158
Capela Sistina, 1508-1512
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
159
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
160
Miguel Ângelo, teto da
Capela Sistina,
1508-12, fresco
161
Antigo Testamento – desde criação do Homem até ao Dilúvio;
Mais de 300 figuras;
Grande expressividade.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
162
A criação do Homem
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
163
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
164
Miguel Ângelo,
Juízo Final,
1535, parede do
altar da Capela
Sistina, fresco
165
Juízo Final, pormenores
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
166
Obra já de cunho maneirista;
A figura de Cristo ao centro imprime ao conjunto uma intensa
rotação;
Corpos musculados;
Escorços violentos;
Contrastes violentos de cores e claro/escuro;
Expressividade nas atitudes e olhares.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
167
Rafael (1483-1520);
Pintor espanhol;
Viveu em Roma;
Pintura expressiva, elegante e serena;
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
168
Rafael, Retrato de Maddalena Doni, 1505, óleo sobre
madeira
169
Rafael, A Virgem do Pintassilgo
170
Rafael, A Escola de Atenas, 1510-11, fresco, Vaticano.
Filósofos da Antiguidade representados com a cara de
contemporâneos de Rafael, L. da Vinci, M. Ângelo, etc.
171
Pintura Veneziana:
Escola de Veneza privilegia a cor;
Exaltação da riqueza e da paisagem.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
172
Gorgione (1477-1510);
Perito em pintar paisagens;
Utilizou o sfumato e a cor para criar atmosferas misteriosas.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
173
Gorgione, A Tempestade, 1508, óleo sobre tela
174
Ticiano (1490-1576);
Grande retratista;
Deu mais importância à cor e luz que à perspetiva;
Ticiano e Giorgione, são pintores de transição para o Maneirismo.
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
175
Ticiano, Vénus de Urbino, 1538, óleo sobre tela
176
A pintura no século XVI - Conclusão:
Crescente entendimento da Natureza e da capacidade de a
reproduzir;
Maior conhecimento e compreensão da Anatomia;
Desenvolvimento da pintura a óleo;
Melhor compreensão da perspetiva, da matemática e da ótica;
Prenuncio de mudanças.
Esta a apresentação foi construída tendo por base o manual, História da Cultura e das
Artes,, Ana Lídia Pinto e outros, Porto Editora, 2011
Curso Profissional de Turismo, HCA,
Módulo 5
177

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Módulo 7 contexto histórico
Módulo 7   contexto históricoMódulo 7   contexto histórico
Módulo 7 contexto históricoCarla Freitas
 
Módulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto HistóricoMódulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto HistóricoCarla Freitas
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoCarla Freitas
 
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao MóduloCultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao MóduloCarlos Vieira
 
03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura góticaVítor Santos
 
01 cultura palco muitos palcos um espetaculo blogue
01 cultura palco muitos palcos um espetaculo blogue01 cultura palco muitos palcos um espetaculo blogue
01 cultura palco muitos palcos um espetaculo blogueVítor Santos
 
Ficha formativa cultura da catedral
Ficha formativa cultura da catedralFicha formativa cultura da catedral
Ficha formativa cultura da catedralAna Barreiros
 
A pintura gótica ii
A pintura gótica iiA pintura gótica ii
A pintura gótica iiAna Barreiros
 
Módulo 5 - Contexto Histórico Profissional
Módulo 5 - Contexto Histórico ProfissionalMódulo 5 - Contexto Histórico Profissional
Módulo 5 - Contexto Histórico ProfissionalCarla Freitas
 
Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ana Barreiros
 
Escultura e pintura românica
Escultura e pintura românicaEscultura e pintura românica
Escultura e pintura românicaAna Barreiros
 
O romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pinturaO romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pinturaCarlos Pinheiro
 

Mais procurados (20)

Cultura do palco
Cultura do palcoCultura do palco
Cultura do palco
 
A pintura gótica i
A pintura gótica iA pintura gótica i
A pintura gótica i
 
Módulo 7 contexto histórico
Módulo 7   contexto históricoMódulo 7   contexto histórico
Módulo 7 contexto histórico
 
Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
 
A cultura do senado
A cultura do senadoA cultura do senado
A cultura do senado
 
Módulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto HistóricoMódulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto Histórico
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
 
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao MóduloCultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
 
Pintura barroca
Pintura barrocaPintura barroca
Pintura barroca
 
03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica
 
01 cultura palco muitos palcos um espetaculo blogue
01 cultura palco muitos palcos um espetaculo blogue01 cultura palco muitos palcos um espetaculo blogue
01 cultura palco muitos palcos um espetaculo blogue
 
A cultura do palco
A cultura do palcoA cultura do palco
A cultura do palco
 
Ficha formativa cultura da catedral
Ficha formativa cultura da catedralFicha formativa cultura da catedral
Ficha formativa cultura da catedral
 
A pintura gótica ii
A pintura gótica iiA pintura gótica ii
A pintura gótica ii
 
Módulo 5 - Contexto Histórico Profissional
Módulo 5 - Contexto Histórico ProfissionalMódulo 5 - Contexto Histórico Profissional
Módulo 5 - Contexto Histórico Profissional
 
Barroco em portugal
Barroco em portugalBarroco em portugal
Barroco em portugal
 
Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
 
Escultura e pintura românica
Escultura e pintura românicaEscultura e pintura românica
Escultura e pintura românica
 
O romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pinturaO romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pintura
 

Destaque

05 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 205 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 2Vítor Santos
 
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlizaçãoVítor Santos
 
9 03 portugal no novo quadro internacional
9 03 portugal no novo quadro internacional9 03 portugal no novo quadro internacional
9 03 portugal no novo quadro internacionalVítor Santos
 
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xxVítor Santos
 
00 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_1
00 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_100 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_1
00 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_1Vítor Santos
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xxVítor Santos
 
02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senado02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senadoVítor Santos
 
Apresentação 10º L 14 maio 2013_AI_Elvira Rodrigues
Apresentação 10º L 14 maio 2013_AI_Elvira RodriguesApresentação 10º L 14 maio 2013_AI_Elvira Rodrigues
Apresentação 10º L 14 maio 2013_AI_Elvira RodriguesElvira Rodrigues
 
1 01 a cultura do ágora
1 01 a cultura do ágora1 01 a cultura do ágora
1 01 a cultura do ágoraVítor Santos
 
03 1 cultura_do_mosteiro
03 1 cultura_do_mosteiro03 1 cultura_do_mosteiro
03 1 cultura_do_mosteiroVítor Santos
 
O espaço português 1
O espaço português 1O espaço português 1
O espaço português 1Vítor Santos
 
00 1 preparação_exame_nacional_2017
00 1 preparação_exame_nacional_201700 1 preparação_exame_nacional_2017
00 1 preparação_exame_nacional_2017Vítor Santos
 
Valores, vivências e quotidiano
Valores, vivências e quotidianoValores, vivências e quotidiano
Valores, vivências e quotidianoVítor Santos
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalVítor Santos
 
03 historia a_revisões_módulo_3
03 historia a_revisões_módulo_303 historia a_revisões_módulo_3
03 historia a_revisões_módulo_3Vítor Santos
 
00 revisões módulos_3_4_6_história_a
00 revisões módulos_3_4_6_história_a00 revisões módulos_3_4_6_história_a
00 revisões módulos_3_4_6_história_aVítor Santos
 
02 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_202 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_2Vítor Santos
 
00 3 preparação_exame_nacional_2017
00 3 preparação_exame_nacional_201700 3 preparação_exame_nacional_2017
00 3 preparação_exame_nacional_2017Vítor Santos
 
00 2 preparação_exame_nacional_2017
00 2 preparação_exame_nacional_201700 2 preparação_exame_nacional_2017
00 2 preparação_exame_nacional_2017Vítor Santos
 
04 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_404 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_4Vítor Santos
 

Destaque (20)

05 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 205 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 2
 
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
 
9 03 portugal no novo quadro internacional
9 03 portugal no novo quadro internacional9 03 portugal no novo quadro internacional
9 03 portugal no novo quadro internacional
 
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
 
00 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_1
00 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_100 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_1
00 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_1
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
 
02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senado02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senado
 
Apresentação 10º L 14 maio 2013_AI_Elvira Rodrigues
Apresentação 10º L 14 maio 2013_AI_Elvira RodriguesApresentação 10º L 14 maio 2013_AI_Elvira Rodrigues
Apresentação 10º L 14 maio 2013_AI_Elvira Rodrigues
 
1 01 a cultura do ágora
1 01 a cultura do ágora1 01 a cultura do ágora
1 01 a cultura do ágora
 
03 1 cultura_do_mosteiro
03 1 cultura_do_mosteiro03 1 cultura_do_mosteiro
03 1 cultura_do_mosteiro
 
O espaço português 1
O espaço português 1O espaço português 1
O espaço português 1
 
00 1 preparação_exame_nacional_2017
00 1 preparação_exame_nacional_201700 1 preparação_exame_nacional_2017
00 1 preparação_exame_nacional_2017
 
Valores, vivências e quotidiano
Valores, vivências e quotidianoValores, vivências e quotidiano
Valores, vivências e quotidiano
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
 
03 historia a_revisões_módulo_3
03 historia a_revisões_módulo_303 historia a_revisões_módulo_3
03 historia a_revisões_módulo_3
 
00 revisões módulos_3_4_6_história_a
00 revisões módulos_3_4_6_história_a00 revisões módulos_3_4_6_história_a
00 revisões módulos_3_4_6_história_a
 
02 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_202 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_2
 
00 3 preparação_exame_nacional_2017
00 3 preparação_exame_nacional_201700 3 preparação_exame_nacional_2017
00 3 preparação_exame_nacional_2017
 
00 2 preparação_exame_nacional_2017
00 2 preparação_exame_nacional_201700 2 preparação_exame_nacional_2017
00 2 preparação_exame_nacional_2017
 
04 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_404 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_4
 

Semelhante a A cultura do Palácio no Renascimento

01 a cultura do palácio
01 a cultura do palácio01 a cultura do palácio
01 a cultura do palácioVítor Santos
 
01 das revoluções à revolução blogue
01 das revoluções à revolução blogue01 das revoluções à revolução blogue
01 das revoluções à revolução blogueVítor Santos
 
Renascimento Cultural Módulo
Renascimento Cultural Módulo Renascimento Cultural Módulo
Renascimento Cultural Módulo CarlosNazar1
 
A CULTURA DO PALÁCIO.pptx
A CULTURA DO PALÁCIO.pptxA CULTURA DO PALÁCIO.pptx
A CULTURA DO PALÁCIO.pptxTeresaLopes78
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1CarlosNazar1
 
Cultura do mosteiro_1_alunos
Cultura do mosteiro_1_alunosCultura do mosteiro_1_alunos
Cultura do mosteiro_1_alunosVítor Santos
 
Resposta aos Objectivos de História
Resposta aos Objectivos de HistóriaResposta aos Objectivos de História
Resposta aos Objectivos de HistóriaFilipe Machado
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Culturaleiprofessor
 
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Bruno Marques
 
Cultura do palácio contexto
Cultura do palácio   contextoCultura do palácio   contexto
Cultura do palácio contextocattonia
 
Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ana Barreiros
 
Ficha cultura do palacio
Ficha cultura do palacioFicha cultura do palacio
Ficha cultura do palacioAna Barreiros
 
Unidade 2 renascimento e reforma alunos
Unidade 2 renascimento e reforma alunosUnidade 2 renascimento e reforma alunos
Unidade 2 renascimento e reforma alunosVítor Santos
 

Semelhante a A cultura do Palácio no Renascimento (20)

01 a cultura do palácio
01 a cultura do palácio01 a cultura do palácio
01 a cultura do palácio
 
02 romantismo
02 romantismo02 romantismo
02 romantismo
 
05 maneirismo
05 maneirismo05 maneirismo
05 maneirismo
 
01 das revoluções à revolução blogue
01 das revoluções à revolução blogue01 das revoluções à revolução blogue
01 das revoluções à revolução blogue
 
Renascimento Cultural Módulo
Renascimento Cultural Módulo Renascimento Cultural Módulo
Renascimento Cultural Módulo
 
Renascimento.pdf
Renascimento.pdfRenascimento.pdf
Renascimento.pdf
 
Os Tempos Modernos
Os Tempos Modernos Os Tempos Modernos
Os Tempos Modernos
 
Renascimento parte1
Renascimento parte1Renascimento parte1
Renascimento parte1
 
A CULTURA DO PALÁCIO.pptx
A CULTURA DO PALÁCIO.pptxA CULTURA DO PALÁCIO.pptx
A CULTURA DO PALÁCIO.pptx
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Cultura do mosteiro_1_alunos
Cultura do mosteiro_1_alunosCultura do mosteiro_1_alunos
Cultura do mosteiro_1_alunos
 
Resposta aos Objectivos de História
Resposta aos Objectivos de HistóriaResposta aos Objectivos de História
Resposta aos Objectivos de História
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
 
Cultura do palácio contexto
Cultura do palácio   contextoCultura do palácio   contexto
Cultura do palácio contexto
 
Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"
 
Ficha cultura do palacio
Ficha cultura do palacioFicha cultura do palacio
Ficha cultura do palacio
 
Unidade 2 renascimento e reforma alunos
Unidade 2 renascimento e reforma alunosUnidade 2 renascimento e reforma alunos
Unidade 2 renascimento e reforma alunos
 
Fichaculturadopalacio
FichaculturadopalacioFichaculturadopalacio
Fichaculturadopalacio
 

Mais de Vítor Santos

5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdfVítor Santos
 
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdfVítor Santos
 
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdfVítor Santos
 
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdfVítor Santos
 
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdfVítor Santos
 
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdfVítor Santos
 
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdfVítor Santos
 
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdfVítor Santos
 
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdfVítor Santos
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdfVítor Santos
 
03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdfVítor Santos
 
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdfVítor Santos
 
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdfVítor Santos
 
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdfVítor Santos
 
02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdfVítor Santos
 
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdfVítor Santos
 
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdfVítor Santos
 
01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdfVítor Santos
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdfVítor Santos
 

Mais de Vítor Santos (20)

5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
 
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
 
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
 
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
 
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
 
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
 
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
 
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
 
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
 
03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf
 
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
 
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
 
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
 
02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf
 
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
 
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
 
01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
 
0_história_A.pdf
0_história_A.pdf0_história_A.pdf
0_história_A.pdf
 

Último

Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 

Último (20)

Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 

A cultura do Palácio no Renascimento

  • 1. A cultura do Palácio (parte 1) Módulo 5 – História da Cultura e das Artes Curso Profissional de Turismo http://divulgacaohistoria.wordpress.com/
  • 2. Sente-me, Ouve-me, Vê-me Helena Almeida (1970) Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 2
  • 3. Trabalho constituído por uma série de fotografias e um vídeo (vê- me) A obra de Helena Almeida é constituída por fotografias da artista a executar um determinado gesto ao qual é acrescentado uma colagem ou uma pincelada de tinta. Existem dois momentos na sua arte: O passado, a fotografia; E o depois, os elementos que acrescenta à fotografia. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 3
  • 4. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 4 Frei Manuel Cardoso (1566-1650) Requiem – Introito (1625)
  • 5. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 5 Frei Manuel Cardoso foi uma personalidade criativa da Escola de Évora; Foi um dos mais importantes compositores da música portuguesa; A sua obra está inserida no maneirismo musical; As suas peças eram cantadas a 4, 6 ou 8 vozes e acompanhadas por instrumentos de sopro, de corda e órgão.
  • 6. Homens novos, espaços novos, uma memória clássica Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 6
  • 7. Renascimento – termo criado pelo historiador Burckhardt, no século XIX, para designar a extraordinária evolução das mentalidades e cultura europeias durante o período da História que sucede à Idade Média, a Idade Moderna (séculos XV, XVI, XVII e XVIII) Idade Moderna – inicia-se em 1453 com o fim do Império Bizantino e termina em 1789 com a Revolução Francesa Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 7
  • 8. O primeiro Renascimento corresponde ao século XV – O Quattrocento, a principal cidade foi Florença; O segundo Renascimento ou Alto Renascimento corresponde ao século XVI – O Cinquecento, a principal cidade foi Roma. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 8
  • 9. Homem Universal, Leonardo da Vinci Quais foram as principais transformações? Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 9
  • 10. O pensamento dominante na Idade Média (teocêntrico) é substituído por uma mentalidade que procura explicar as coisas pela medida da capacidade humana. Homem como referência e modelo (antropocentrismo) Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 10
  • 11. Existe um maior racionalismo que leva ao desenvolvimento do espírito crítico Estudo de Leonardo da Vinci para construir uma máquina voadora Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 11
  • 12. Crescente curiosidade e vontade de saber; Surgem as bases do pensamento científico moderno; Nas artes surge o gosto pela representação do Homem e do quotidiano; Surge uma conceção mais pragmática e profana (não religiosa) da vida. Valorização de conceitos como o Humanismo e Individualismo. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 12
  • 13. Humanismo : Movimento cultural renascentista, filosófico, literário e artístico, que se interessa fundamentalmente pelas capacidades do Homem. Apoia-se na redescoberta da cultura clássica. Individualismo : Corrente de pensamento que valoriza o Homem e as capacidades e potencialidades de cada um. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 13
  • 14. Os artistas assumem-se como intelectuais que procuram criar e inovar; Assinam as suas obras; São reconhecidos socialmente e os mais conceituados tem um novo estatuto social elevado. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 14
  • 15. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 15
  • 16. Fatores que explicam as transformações que surgiram no renascimento: Grandes descobertas geográficas (portugueses e espanhóis); Comércio à escala mundial – provoca um grande desenvolvimento económico e financeiro; Intercâmbios culturais ; Novos conhecimentos e novos saberes; Europeus conhecem a verdadeira dimensão e forma da Terra. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 16
  • 17. Outros fatores remontam ao século XII: Decadência do feudalismo; Crescimento urbano; Nova teologia mais humanista; Abertura do comércio mediterrâneo pela burguesia das cidades italianas. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 17
  • 18. O Renascimento manifestou-se primeiro em Itália, fruto de um conjunto de circunstâncias favoráveis. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 18
  • 19. Dividida em cidades-estado organizadas em repúblicas; Situação económica favorável – domínio do comércio internacional, desenvolvimento da agricultura, produção artesanal (industrial) e atividades financeiras Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 19
  • 20. Ascensão da burguesia italiana – domina a economia e governa muitas das cidades-estado; Criaram um estilo de vida próprio onde a formação intelectual, literária e artística desempenhavam um importante papel; Criaram a prática do mecenato. Mecenato – apoio à produção intelectual, literária, científica e artística. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 20
  • 21. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 21
  • 22. Fórum romano Descoberta da cultura clássica (as civilizações romana e grega são tomadas como exemplo opondo-se à Idade Média). Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 22
  • 23. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 23
  • 24. Fruto destas condições o Renascimento vai-se iniciar em cidades como Florença, Roma e Veneza. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 24
  • 25. Florença é a cidade-berço do renascimento; Cidade de Masaccio, Boticelli, Donatello, Leonardo da Vinci, Miguel Ângelo e muitos outros; Situação económica privilegiada; República governada pelos Médicis. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 25
  • 26. Auto-retrato de Leonardo, instrumento de desenho, e estudos de Francesco di Giorgio Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 26
  • 27. A arte do Renascimento refletiu todas estas transformações; Os artistas abandonaram as antigas práticas medievais e desenvolveram a arte com um rigor conceptual e técnico, criaram e descobriram novas regras, novos cânones e novos temas; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 27
  • 28. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 28
  • 29. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 29
  • 30. Os artistas, de artesãos medievais tornam-se intelectuais, que pelo talento foram capazes de criar obras originais; A obra de arte é concebida como ciência; As obras são assinadas e existe reconhecimento público do valor dos artistas; O seu estatuto social é equiparado às elites. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 30
  • 31. A arte do Renascimento, seguindo o exemplo da arte clássica, foi uma arte racional e científica, imitação intelectualizada e técnica da Natureza. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 31
  • 32. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 32
  • 33. A partir do século XVI, a conjuntura expansionista, deu lugar a um período mais instável; Deu-se a Reforma Protestante; Reforma Protestante – movimento de protesto contra o Papa e a moral, início do século XVI, na Alemanha, Martinho Lutero, expandiu-se na Europa. Deu origem às Igrejas Protestantes. Conjuntura do Renascimento: Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 33
  • 34. Sucedem-se guerras e perseguições religiosas; Destabilização da economia; Reis reforçam o seu poder; Igreja Católica inicia a Contra-Reforma; Contra-Reforma – movimento criado para combater o protestantismo. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 34
  • 35. Reforçou a Inquisição e o Índex, Inquisição – Tribunal eclesiástico destinado a manter a pureza da fé. Criado na Idade Média, foi reforçado durante a Contra- Reforma: Índex – Congregação criada para censurar as publicações, proibindo todas as obras consideradas heréticas. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 35
  • 36. O século XV foi um século de expansão e otimismo; Ao contrário, no século XVI, surge a dúvida, o ceticismo, a crise de valores; À liberdade intelectual sucede-se a censura; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 36
  • 37. A arte seguiu o caminho do perfecionismo técnico; pela exploração de sentimentos; pelo individualismo estilístico; pelo decorativismo; É a arte do Maneirismo(s), arte de transição para o Barroco. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 37
  • 38. O palácio, habitação das elites. As artes do palácio. (O local) A vida centra-se nas cidades; Reis, bispos, burgueses, nobres vivem nas cidades; O palácio é a habitação típica das elites; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 38
  • 39. L. B. Alberti, Palácio Rucellai, Brunelleschi, Palácio Pitti, Michelozzo, Palácio Médici-Ricardi Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 39
  • 40. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 40
  • 42. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 42
  • 43. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 43
  • 44. Miguel Ângelo, Palácio Farneso, Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 44
  • 45. Principais características do palácio urbano: Planta quadrangular; Estrutura cúbica ou paralelepipédica; Três ou quatro pisos, organizados segundo critérios funcionais: r/c – escritórios, serviços, armazéns; 1º andar – dependências nobres e sociais, 2º andar – zonas privadas, 3º andar (recuado) – andar de ático. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 45
  • 46. Feito de pedra, por vezes ocupa um quarteirão, 4 fachadas; Aspeto compacto, fechado e maciço; Rês do chão com poucas janelas (proteção); Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 46
  • 47. As paredes apresentam um aparelho grosseiro (aparelho rústico), cuja rugosidade vai diminuindo de piso para piso; Aparelho – modo de dispor pedras nas paredes Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 47
  • 48. Decoração sóbria; Decoração externa – alinhamento das janelas e dos frisos Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 48
  • 49. Organiza-se em torno de um pátio central (cortile) rodeado por uma loggia (galeria exterior abobadada com arcadas) decorada com mármores, estátuas, cerâmica, etc. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5
  • 50. Os palácios são um símbolo da forma de vida das elites; Requintados, conforto e luxo associam-se aos prazeres mundanos, banquetes, bailes, saraus de música poesia ou teatro; Surgem bibliotecas e museus privados, ligado ao gosto do colecionismo; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 50
  • 51. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 51 As elites convidavam os artistas, filósofos e outros intelectuais, e organizavam tertúlias; Criaram-se verdadeiras cortes, desenvolve-se a prática do mecenato; Os palácios são verdadeiros centros culturais e artísticos.
  • 52. Andrea Palladio, Villa Rotonda, Vicenza As villae ou palácios rurais denotam uma maior liberdade criativa; Persiste a simetria, rigor geométrico, a imitação de fachadas clássicas e a planta centrada; Os jardins eram organizados simetricamente à volta de fontes. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 52
  • 53. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 53
  • 54. O Humanismo e a imprensa Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 54
  • 55. Humanismo foi a expressão literária do pensamento e valores intelectuais do Renascimento; Valorização da experiência pessoal, da Razão e do espírito crítico no processo de descoberta do homem e do Mundo; Os humanistas renovaram o pensamento europeu nas letras, nas ciências e nas artes. A partir de Itália expandiu-se para toda a Europa; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 55
  • 56. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 56 Inspiram-se na Antiguidade Clássica (Grécia e Roma), pesquisando por toda a Europa à procura dos originais; Desenvolve-se uma paixão arqueológica à procura de vestígios da antiguidade (monumentos, inscrições, obras de arte, etc.)
  • 57. Admirar os clássicos não significa imitar mas recriá-los com originalidade; A cultura clássica é uma fonte de inspiração; Valorização da experiência, da razão e do espírito crítico; Otimistas em relação ao Mundo acreditam no Homem sem deixar de acreditar em Deus, dão um sentido mais humanista à religião; Muitos valorizaram as línguas nacionais. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 57
  • 58. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 58 Para a difusão do Humanismo contribui o aparecimento da Imprensa;
  • 59. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 59 Surgiu na Alemanha, inventada por Gutenberg, entre 1440/50; O primeiro livro impresso, a Bíblia, foi publicado em 1456/58; O gosto pela leitura vai-se difundindo.
  • 60. A imprensa proporcionou uma rápida divulgação das ideias e saberes; Generalizou as correntes culturais; Facilitou o estudo e ensino; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 60
  • 61. Principais humanistas: Thomas More (1478-1535); Shakespeare (1564-1616); Erasmo de Roterdão (1466-1536); Luís de Camões (1525-1580); Nicolau Maquiavel (1469-1527); Rabelais (1494-1553); Damião de Góis (1502-1574). Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 61
  • 62. Lourenço de Médicis, Um príncipe, um mecenas (1449-1492) (Biografia) Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 62
  • 63. Família Médicis, burgueses que adquiriram uma grande riqueza; Governam Florença durante todo o século XV; Lourenço, neto de Cosimo, homem culto e sofisticado; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 63
  • 64. Governou Florença com sabedoria, desenvolvendo uma época de grande prosperidade; Realizou uma política cultural notável: Atraiu artistas, homens de letras, colecionou livros e obras de arte, construiu escolas e renovou a cidade; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 64
  • 65. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 65 Foi autor de várias obras literárias; Na fase final da vida foi criticado pela política de ostentação e luxo que promoveu; Lourenço de Médicis foi um mecenas e contribuiu para o desenvolvimento cultural e artístico de Florença.
  • 66. O De Revolutionibus Orbium Coelestim, livro em que Copérnico, cónego polaco, defendeu um Universo Heliocêntrico (Sol no centro do Universo); Estas conclusões põem em causa as teorias de Ptolomeu, aceite pela Igreja, do geocentrismo (Terra no centro do Universo); O De Revolutionibus Orbium Coelestim (1543), de Nicolau Copérnico (1473-1543) (Acontecimento) Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 66
  • 68. Anos de estudo e investigação convenceram-no que os planetas orbitavam em torno do Sol; No livro comprova, com demonstrações matemáticas, que o Sol é uma estrela fixa e colocou-o no centro do Universo (errado); Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 68
  • 69. A observação parece contrária à teoria; Oposição da Igreja (luterana e católica); Nega afirmações da Bíblia e põe em causa alguns dogmas religiosos; Livro faz parte do Índex até 1835. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 69
  • 70. Livro serviu de base para outros astrónomos: Tycho Brahe (1546-1601); Giordano Bruno (1548-1600); Galileu Galilei (1564-1642); Kepler (1571-1630); Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 70
  • 71. Gil Vicente (c. 1465-1537); Escreveu, encenou e participou em várias peças teatrais; Utilizou a sátira e a comédia; Fala do Licenciado e diálogo de Todo o Mundo e Ninguém Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 71
  • 72. A obra vicentina é tida como reflexo da mudança dos tempos e da passagem da Idade Média para o Renascimento; Diversidade de formas: O auto pastoril, a alegoria religiosa, narrativas bíblicas, farsas episódicas e autos narrativos. O seu filho, Luís Vicente, na primeira compilação de todas as suas obras, classificou-as em autos e mistérios (de carácter sagrado e devocional) e em farsas, comédias e tragicomédias (de carácter profano) . Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 72
  • 73. Lusitânia – farsa Farsa – composição sem exigências de estilo que relata episódios cómicos da vida quotidiana; Resumo – Fala do licenciado: 2 judeus pensam em organizar a festa para comemorar o nascimento de D. Manuel, filho de D. João III; Escolhem Gil Vicente; Entra o Licenciado (argumentador da obra) e faz a apresentação de Gil Vicente e do assunto que ele quer representar e a seu modo ensinar os espectadores; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 73
  • 74. Diálogo de Todo o Mundo (mercador rico ) e Ninguém (homem pobre – talvez Gil Vicente ou o povo): Diálogo comentado por Berzabu e Dinato, diabos servidores de Lúcifer; Todo o Mundo além do dinheiro quer fama, honrarias, mesmo que para tal tenha de enganar; Ninguém procura a consciência, a virtude, a verdade. Aceita ser repreendido sempre que erra. Mensagem de Gil Vicente: Preferência pela vida simples, despojada e verdadeira. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 74
  • 76. A Pintura Renascentista, um exercício intelectual; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 76
  • 77. Os homens do Renascimento aliavam (…) a admiração pelo mundo greco-romano a uma falta de respeito evidente; Inspirar-se nos Antigos para fazer coisas novas, eis o propósito; Nos grandes artistas do Renascimento a imitação da Antiguidade nunca foi servil (…). Jean Delumeau, A Civilização do renascimento Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 77
  • 78. Os artistas do Renascimento possuíam uma técnica superior à dos Antigos (…). Os pintores da Grécia e Roma não conheciam a pintura a óleo (…); Os estudos dos Flamengos e, mais ainda, dos Italianos tiveram um carácter inédito. Jean Delumeau, A Civilização do renascimento Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 78
  • 79. Pintura do Gótico, Giotto e do Renascimento Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 79
  • 80. A pintura renascentista foi um exercício intelectual; O artista já não é o artesão medieval anónimo, mas um intelectual reconhecido; Procura a fama, o seu trabalho é uma obra de arte, uma obra- prima; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 80
  • 81. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 81 A pintura do Renascimento foi o culminar de um processo iniciado no século XIII por Giotto; Inspirado na cultura e arte da Antiguidade Clássica (Roma e Grécia) o artista procura uma formação humanista e científica.
  • 82. O artista ainda devia estudar geometria, perspetiva, aritmética, gramática, filosofia, história, astronomia, medicina, anatomia de modo a poderem expressar bem a sua arte. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 82
  • 83. A arte deve ser imitação (mimesis) da Natureza; A pintura renascentista é uma arte racional, científica e uma imitação intelectualizada e tecnicista da Natureza; Todos estes aspetos foram estudados e teorizados; No século XVI a arte ganhou mais emoção; A pintura do Renascimento ultrapassou a Arte da Antiguidade Clássica, e foi a base da pintura ocidental. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 83
  • 84. Características técnico-formais e estéticas Inovações técnicas: Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 84
  • 85. Paolo Uccello, A caçada na Floresta Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 85
  • 86. Perspetiva científica Uma das principais descobertas técnicas do Renascimento foi a perspetiva, rigorosa e científica; Permite construir o espaço pictórico segundo as leis da ótica, das proporções geométricas, da exatidão matemática e do tratamento da luz de uma forma coerente. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 86
  • 87. Piero della Francesca, A Flagelação,1465, Têmpera sobre madeira Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 87
  • 88. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 88
  • 89. A cena está enquadrada numa autêntica câmara ótica, subdividida em paralelepípedos. Todas as linhas convergem para um ponto para o qual o olhar é atraído; Tudo é ritmado segundo valores matemáticos; A perspetiva é o reflexo da harmonia que rege a Criação. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 89
  • 90. A luz é o elemento que confere materialidade (volume) à pintura; Elaboração cuidada do claro-escuro. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 90
  • 91. Paolo Uccello, A batalha de San Romano, 1452, têmpera sobre madeira Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 91
  • 92. No final do século XV, a técnica da pintura a óleo (Flandres), começou a ser utilizada: vantagens: Elaboração de modelados – técnica para obter, por meio de gradações cromáticas, a ilusão de volume; Velaturas – simulação de transparências; Secagem mais lenta – permite mais retoques; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 92
  • 93. Divulgação do uso do papel, das telas e do cavalete. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 93
  • 94. Principais inovações técnicas (conclusão): Perspetiva; Pintura a óleo; Tela e cavalete; Elaborado claro-escuro. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 94
  • 95. Inovações estéticas e formais: Harmonia; Equilíbrio; Realismo. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 95
  • 96. Temática: Religiosa; Mitologia e literatura clássica (grega e romana); Retrato; Paisagem; Nu. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 96
  • 97. Principais pintores do século XV: Inovadores, preocupados com os estudos de perspetiva, volume, etc. A pintura é uma reflexão e procura constante: Masaccio (1401-1428); Paolo Ucello (1397-1475); Piero della Francesca (1415-1492); Andrea Mantegna (1431-1506) Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 97
  • 98. Grupo de pintores mais marcados pela tradição gótica, mais líricos e místicos: Fra Angélico (1395-1455); Sandro Botticelli (1445-1510); Fra Fillippo Lippi (1460-1469). Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 98
  • 99. Pintores de Veneza, preocupados com a cor e o movimento: Giovanni Bellini (1432-1516); Antonello da Messina (1430-1479); Carlo Crivelli (1430-1493). Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 99
  • 100. Análise de alguns pintores Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 100
  • 101. Masaccio, O pagamento do tributo, c. 1427, fresco Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 101
  • 102. Masaccio: Teve um papel revolucionário na pintura; Utilizou a luz e sombra para obter volume; A paisagem e elementos arquitetónicos fazem parte de uma composição naturalista; Aplicou a perspetiva empírica. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 102
  • 103. Masaccio, A divina Trindade, fresco Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 103
  • 104. Paolo Uccello, A Batalha de San Romano, c. 1452, têmpera sobre madeira Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 104
  • 105. Paolo Uccello: Estudo científico da perspetiva; Composições cénicas complexas. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 105
  • 106. Piero della Francesca, Díptico dos Duques de Urbino, 1465, têmpera sobre madeira Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 106
  • 107. Piero della Francesca: Estudo científico da perspetiva; Escreve livros sobre matemática, geometria e perspetiva; Luminosidade tratada de uma maneira muito elaborada. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 107
  • 108. Piero della Francesca, A Flagelação, 1465, têmpera sobre madeira Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 108
  • 109. Piero della Francesca, Madonna, Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 109
  • 110. Piero della Francesca, A Virgem e o Menino, rodeados pelos Santos Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 110
  • 111. Andrea Mantegna, Cristo Morto, c. 1480, têmpera sobre madeira Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 111
  • 112. Andrea Mantegna: Estudo da perspetiva científica; Volume escultural das figuras, quase monocromáticas. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 112
  • 114. Andrea Mantegna, Judite e Holofrenes, c. 1495 114
  • 115. Sandro Botticelli, Nascimento de Vénus, c. 1485, têmpera sobre madeira 115
  • 116. Sandro Botticelli: Prevalência do desenho sobre o modelado; Harmonia da composição. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 116
  • 117. Sandro Botticelli, Alegoria da Primavera, c.1482, têmpera sobre madeira Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 117
  • 118. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 118
  • 119. Fra Angelico, A Anunciação, c. 1430, fresco Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 119
  • 120. Fra Angelico: Místico, importância da fé; Utilização dos dourados (tradição bizantina); Utiliza a perspetiva. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 120
  • 121. Antonello da Messina, Retrato de um jovem, c.1465, óleo Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 121
  • 122. Fra Fillippo Lipi, A Virgem e o Menino, c. 1440, têmpera sobre madeira Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 122
  • 123. A pintura, no século XVI, atinge o auge das: Pesquisas e inovações; Equilíbrio e maturidade; Roma foi a cidade mais importante em termos artísticos; Vasari, chama a este período o Alto Renascimento, Perfeito Renascimento ou Classicismo. O século XVI e o amadurecimento da pintura renascentista Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 123
  • 124. Principais artistas: Miguel Ângelo Buonarroti (1475-1564); Rafael (1483-1520); Leonardo da Vinci (1452-1519). Escola Veneziana: Giorgione (1477-1510); Ticiano (1490-1576). Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 124
  • 125. Aldeia de Vinci e cidade de Florença no século XV. Leonardo da Vinci (1452-1519) Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 125
  • 126. Nascido a 15 de Abril de 1452, Leonardo foi discípulo do pintor e escultor Andrea Verrochio; Tornou-se o símbolo do Homem culto, racional, sensível e humanista do Renascimento; Os seus interesses incluíam: pintura, escultura, arquitetura, anatomia, física, biologia, engenharia… Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 126
  • 127. Desenhos: Helicóptero e estudos de anatomia Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 127
  • 128. Máquina para elevação de pesos; desenho para uma igreja; estudo para uma estátua. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 128
  • 129. Chegou à oficina de Verrochio em 1469 (?); Em 1472, com 20 anos, é aceite como pintor pela corporação de artistas de Florença; Trabalhou em Florença, Milão, Mântua, Roma e França; Morreu em Amboise, (França), a 2 de Maio de 1519. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 129
  • 130. São conhecidas 25 obras, cerca de um terço inacabadas; Conservou 3 obras em seu poder: Mona Lisa; Santa Ana, a Virgem e o Menino; S. João Baptista Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 130
  • 131. A Anunciação, c. 1473-75, foi o seu primeiro grande quadro; Possível colaboração com Ghirlandaio. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 131
  • 132. A Anunciação segundo Fra Angelico e Fra Fillippo Lippi Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 132
  • 133. A Anunciação, Leonardo da Vinci, c. 1473-75, óleo sobre madeira 98x217,2 cm Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 133
  • 134. Composição e perspetiva na continuidade do Renascimento; Aspetos inovadores: Paisagem de fundo; Na luz, de final de tarde; Composição das figuras e expressão do rostos; Naturalismo – asas do anjo; Retrato psicológico das personagens. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 134
  • 135. Pormenor da paisagem, suave, brumosa Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 135
  • 136. Os rostos das personagens sobressaem de partes escuras do plano de fundo; O anjo tem na mão um lírio e a cena passa-se num jardim murado (símbolos da virgindade de Maria); O livro é símbolo de sabedoria; A casa é em estilo renascentista. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 136
  • 137. Plano de fundo: paisagem Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 137
  • 138. Plano médio: plano da arquitetura Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 138
  • 139. Primeiro plano: as personagens Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 139
  • 140. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 140
  • 141. Leonardo da Vinci, Retrato de Ginevra Benci, c. 1478-80, óleo sobre madeira 141
  • 142. Leonardo da Vinci, adoração dos Magos c. 1480-82, base para pintar a óleo Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 142
  • 143. Estudo em perspetiva para o plano de fundo de A Adoração dos magos Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 143
  • 144. A Virgem dos Rochedos, 1483-90, óleo sobre madeira 144
  • 145. A Virgem dos Rochedos, 1490-93, óleo sobre madeira 145
  • 146. 146
  • 147. A Última Ceia, 1495-97 óleo sobre alvenaria Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 147
  • 148. Leonardo desenvolveu uma técnica para substituir o fresco, para poder pintar mais lentamente; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 148
  • 149. Mona Lisa, 1503-06, Óleo sobre madeira 149
  • 150. Santa Ana, a Virgem e o Menino, 1506-13, óleo sobre madeira 150
  • 151. Leonardo inventou o “sfumato” que consiste numa transição muito gradual da luz/sombra, que torna quase impercetível o contorno das formas Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 151
  • 152. A palavra “sfumato” pode ser traduzida para “esfumado, turvo, nebuloso”; Não há contornos definidos, as transições e contrastes são suaves; Parece que um nevoeiro fino envolve os objetos; É uma característica da pintura de Leonardo. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 152
  • 153. Para obter este efeito trabalhava com camadas finíssimas de óleo; O “sfumato” foi uma inovação revolucionária para a pintura; Permite um novo tratamento do claro/escuro; Antes existia uma separação nítida das cores, os objetos pareciam “recortados” do fundo do quadro. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 153
  • 154. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 154
  • 155. S. João Baptista, 1513-16, óleo sobre madeira, possivelmente o último quadro pintado por Leonardo Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 155
  • 156. Miguel Ângelo, escultor, pintor, arquitecto, poeta; Artista temperamental que criou uma arte mais expressiva, mais dramática e monumental; Escorços violentos e contrastes de cor e claro/escuro; Mostrando já sinais de ruptura com o Renascimento. Miguel Ângelo Buonarroti (1475-1564); Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 156
  • 157. Miguel Ângelo, A Sagrada Família, 1503, Tondo (pintura circular), têmpera sobre madeira Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 157
  • 158. Em pintura a sua principal obra foi o teto da Capela Sistina, em Roma, e mais tarde a parede do altar Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 158
  • 159. Capela Sistina, 1508-1512 Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 159
  • 160. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 160
  • 161. Miguel Ângelo, teto da Capela Sistina, 1508-12, fresco 161
  • 162. Antigo Testamento – desde criação do Homem até ao Dilúvio; Mais de 300 figuras; Grande expressividade. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 162
  • 163. A criação do Homem Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 163
  • 164. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 164
  • 165. Miguel Ângelo, Juízo Final, 1535, parede do altar da Capela Sistina, fresco 165
  • 166. Juízo Final, pormenores Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 166
  • 167. Obra já de cunho maneirista; A figura de Cristo ao centro imprime ao conjunto uma intensa rotação; Corpos musculados; Escorços violentos; Contrastes violentos de cores e claro/escuro; Expressividade nas atitudes e olhares. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 167
  • 168. Rafael (1483-1520); Pintor espanhol; Viveu em Roma; Pintura expressiva, elegante e serena; Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 168
  • 169. Rafael, Retrato de Maddalena Doni, 1505, óleo sobre madeira 169
  • 170. Rafael, A Virgem do Pintassilgo 170
  • 171. Rafael, A Escola de Atenas, 1510-11, fresco, Vaticano. Filósofos da Antiguidade representados com a cara de contemporâneos de Rafael, L. da Vinci, M. Ângelo, etc. 171
  • 172. Pintura Veneziana: Escola de Veneza privilegia a cor; Exaltação da riqueza e da paisagem. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 172
  • 173. Gorgione (1477-1510); Perito em pintar paisagens; Utilizou o sfumato e a cor para criar atmosferas misteriosas. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 173
  • 174. Gorgione, A Tempestade, 1508, óleo sobre tela 174
  • 175. Ticiano (1490-1576); Grande retratista; Deu mais importância à cor e luz que à perspetiva; Ticiano e Giorgione, são pintores de transição para o Maneirismo. Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 175
  • 176. Ticiano, Vénus de Urbino, 1538, óleo sobre tela 176
  • 177. A pintura no século XVI - Conclusão: Crescente entendimento da Natureza e da capacidade de a reproduzir; Maior conhecimento e compreensão da Anatomia; Desenvolvimento da pintura a óleo; Melhor compreensão da perspetiva, da matemática e da ótica; Prenuncio de mudanças. Esta a apresentação foi construída tendo por base o manual, História da Cultura e das Artes,, Ana Lídia Pinto e outros, Porto Editora, 2011 Curso Profissional de Turismo, HCA, Módulo 5 177