01 a geografia cultural europeia

10.013 visualizações

Publicada em

históri

Publicada em: Educação
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.013
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.977
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

01 a geografia cultural europeia

  1. 1. A Abertura Europeia ao Mundo http://divulgacaohistoria.wordpress.com/ História A, 10º ano, Módulo 3 1
  2. 2. Unidade 1 A geografia cultural europeia de Quatrocentos e Quinhentos História A, 10º ano, Módulo 3 2
  3. 3. 1.1. Principais centros culturais de produção e difusão de sínteses e inovações 1.1.1 As condições da expansão cultural Época Moderna inicia-se em meados do século XV. Há um dinamismo económico, cultural e de mentalidades na Europa. As cidades reanimam-se, há uma abertura de novas rotas transcontinentais, descobrem-se novas técnicas náuticas, a descoberta da imprensa e a utilização de armas de fogo revolucionam a vida. História A, 10º ano, Módulo 3 3
  4. 4. 1.1.2 O Renascimento – eclosão e difusão História A, 10º ano, Módulo 3 4
  5. 5. O Renascimento marcou a história europeia dos séculos XV e XVI; O Homem é visto como algo de bom, livre e responsável; O Homem é a medida de todas as coisas; Surge o movimento Humanista (Humanismo). Humanismo foi um movimento intelectual desenvolvido na Europa durante o Renascimento, entre os séculos XIV e XVI. Inspirado pela Antiguidade Clássica. Nasceu em Itália e abrangeu a maior parte da Europa. O humanismo renascentista propõe o antropocentrismo. O antropocentrismo era a ideia de "o homem ser o centro do pensamento filosófico", ao contrário do teocentrismo, a ideia de "Deus no centro do pensamento filosófico". História A, 10º ano, Módulo 3 5
  6. 6. A Antiguidade Clássica (grega e romana) inspirou os artistas do Renascimento; Outro campo que se desenvolveu nesta época foi o da investigação científica, fruto do espírito racional e crítico do Homem renascentista. História A, 10º ano, Módulo 3 6
  7. 7. O Renascimento nasceu em Itália, fruto da riqueza das suas cidades; No século XV (Quatrocentos) destacou-se a cidade de Florença (Pico della Mirandola, Brunelleschi, Doanatello, Botticelli, Leonardo da Vinci); No século XVI (Cinquecentos), emergiu a cidade de Roma (Rafael, Miguel Ângelo). Veneza (Ticiano, Veronese) também teve um papel importante. História A, 10º ano, Módulo 3 7
  8. 8. O Renascimento espalhou-se pela Europa, criando novas sínteses e reinterpretações, juntando as novas ideias com as tradições locais: Países Baixos: Desenvolvem a pintura a óleo (Jan e Hubert van Eyck, Hugo van der Goes, etc.); Erasmo de Roterdão, filósofo, é considerado um dos principais humanistas; França: Mecenato do rei Francisco I. História A, 10º ano, Módulo 3 8
  9. 9. Alemanha: Surgem cidades universitárias e centros de imprensa, destacam-se os pintores Albretch Dürer e Hans Holbein; Inglaterra: Destacou-se Thomas Moore e as universidades de Oxford e Cambridge; Na Península Ibérica destacaram-se as universidades de Alcalá de Henares e o Colégio das Artes e Humanidades (Coimbra); Ainda se destacaram as cortes da Hungria e Polónia. História A, 10º ano, Módulo 3 9
  10. 10. 1.2 O cosmopolitismo das cidades hispânicas – A importância de Lisboa e Sevilha Lisboa e Sevilha são as cabeças de dois impérios coloniais História A, 10º ano, Módulo 3 10
  11. 11. 1.2.1 Lisboa Nos primeiros anos do século XVI, Lisboa é a metrópole comercial do Mundo; No porto de Lisboa existem produtos africanos, brasileiros e indianos: ouro, marfim, madeiras exóticas, especiarias, etc.; Lisboa torna-se na capital económica e política de Portugal; A cidade de Lisboa, ao longo dos séculos XV e XVI, sofreu um grande crescimento demográfico. História A, 10º ano, Módulo 3 11
  12. 12. À cabeça da organização deste império está o rei; A corte instala-se no Cais da Ribeira; A Casa da Índia controla os negócios ultramarinos; Lisboa era a base logística da empresa ultramarina portuguesa; Era um forte ponto de atração para a população; História A, 10º ano, Módulo 3 12
  13. 13. 1.2.2 Sevilha A descoberta da América (Cristóvão Colombo, 1492) abriu as portas a um imenso império colonial para a Espanha; Das Américas chegavam a Sevilha enormes quantidades de ouro e prata; Sevilha torna-se na capital económica da Espanha; História A, 10º ano, Módulo 3 13
  14. 14. O ouro e a prata que chegam a Sevilha contribuem para o desenvolvimento do capitalismo comercial europeu. História A, 10º ano, Módulo 3 14
  15. 15. A chegada dos metais provocou a inflação dos preços e dos lucros; Ao contrário de Portugal, o rei espanhol não era o condutor direto da empresa comercial ultramarina; Isso contribuiu para o cosmopolitismo de Sevilha. Sevilha, como todas as grandes cidades europeias, era uma cidade de contrastes, de grandezas e de misérias. Esta a apresentação foi construída tendo por base o manual, O tempo da História, COUTO, Célia Pinto e outros, Porto Editora,2011, Porto História A, 10º ano, Módulo 3 15

×