SlideShare uma empresa Scribd logo
Conhecimento	
  e	
  Racionalidade	
  
  Científica	
  e	
  Tecnológica




        1.	
  Descrição	
  e	
  Interpretação	
  
            da	
  Actividade	
  Cognoscitiva
1.2	
  Teorias	
  Explicativas	
  do	
  Conhecimento
	
     René	
  Descartes



Sumário

René Descartes. A dúvida metódica
 e o acesso à certeza
René	
  Descartes	
  e	
  a	
  
dúvida	
  metódica

    Descartes,	
  na	
  noite	
  de	
  10	
  para	
  11	
  
    de	
  Novembro	
  de	
  1619,	
  teve	
  sonhos	
  que	
  
    o	
  levaram	
  a	
  duvidar	
  do	
  conhecimento	
  
    e	
  mesmo	
  da	
  existência	
  da	
  realidade.	
  
    Para	
  ultrapassar	
  essa	
  dúvida,	
  inspirando-­‐
                                                                      DESCARTES
    -­‐se	
  na	
  matemática	
  e	
  utilizando	
  a	
  dúvida	
      1596-­‐1650
    como	
  método,	
  escreveu	
  o	
  Discurso	
  do	
  
    Método	
  com	
  o	
  objectivo	
  de	
  encontrar
    um	
  fundamento	
  capaz	
  de	
  resistir	
  
    aos	
  argumentos	
  do	
  cepticismo.
Dúvida	
  hiperbólica

Argumentos	
  que	
  fundam	
  o	
  acto	
  de	
  duvidar
	
  A	
  experiência	
  mostra	
  que:	
  

        Os	
  sentidos	
           Há	
  homens	
     Temos	
  dificuldade	
  em	
      Por	
  nos	
  enganarmos	
  
        podem	
  errar	
           que	
  erram	
              identificar	
                 às	
  vezes,	
  não	
  
      algumas	
  vezes,	
          mesmo	
  ao	
         a	
  verdade,	
  pois	
        sabemos	
  se	
  existe	
  
       logo,	
  não	
  são	
       raciocinar              às	
  vezes	
  não	
          alguma	
  certeza
     dignos	
  de	
  crédito	
                        distinguimos	
  sonho	
  e	
  
              total	
                                           realidade




   Conclusão	
  provisória:	
  todo	
  o	
  conhecimento	
  
   pode	
  ser	
  falso,	
  por	
  isso,	
  vou	
  duvidar	
  de	
  tudo	
  
                   (dúvida	
  hiperbólica	
  –	
  global).
A	
  dúvida	
  metódica	
  –	
  refutação	
  da	
  
   dúvida	
  hiperbólica
Utilizando	
  a	
  dúvida	
  como	
  um	
  método	
  para	
  alcançar	
  a	
  verdade	
  (é	
  a	
  
utilização	
  metódica	
  da	
  dúvida),	
  Descartes	
  parte	
  à	
  procura	
  de	
  uma	
  
verdade	
  evidente	
  e	
  indubitável.	
  




  Contudo,	
  ainda	
  que	
  duvide	
  de	
  tudo,	
  tenho	
  de	
  admitir	
  
         que	
  não	
  posso	
  duvidar	
  sem	
  pensar.	
  
Descoberta	
  da	
  
verdade

Ao	
  usar	
  a	
  dúvida	
  metódica,	
  Descartes	
  descobre	
  
que	
  ao	
  duvidar	
  está	
  a	
  pensar.	
  
E	
  afirma:	
  «Se	
  duvido,	
  penso,	
  e	
  se	
  penso,	
  existo.»	
  
Eu	
  penso,	
  logo	
  existo	
  (cogito)	
  é	
  a	
  primeira	
  
e	
  irrefutável	
  certeza.

A	
  certeza	
  ou	
  a	
  indubitabilidade	
  do	
  cogito	
  resulta	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  
do	
  modo	
  como	
  a	
  apreendemos:	
  impõe-­‐se-­‐nos	
  
como	
  evidente.	
  E	
  é	
  evidente,	
  porque	
  
o	
  percebemos	
  com	
  clareza	
  e	
  distintamente.
Critério	
  de	
  verdade,	
  
clareza	
  e	
  distinção


Descartes	
  generalizou	
  
a	
  descoberta:	
  tudo	
  o	
  que	
  é	
  
concebido	
  muito	
  claramente	
  
e	
  muito	
  distintamente	
  
tem	
  a	
  mesma	
  evidência	
  
que	
  o	
  cogito,	
  logo,	
  
é	
  verdadeiro.	
  
Da	
  ideia	
  de	
  Deus	
  à	
  existência	
  de	
  Deus


          Tenho	
  em	
  mim	
  a	
  ideia	
  de	
  um	
  ser	
  
                          perfeito.

     A	
  ideia	
  de	
  um	
  ser	
  perfeito	
  não	
  pode	
  ter	
  
             origem	
  em	
  mim,	
  porque	
  sou	
  
                            imperfeito.

      Dado	
  que	
  conheço	
  perfeições	
  que	
  
        não	
  possuo,	
  tenho	
  de	
  aceitar	
  a	
  
       existência	
  de	
  um	
  Ser	
  que	
  seja	
  a	
  
                       causa	
  de	
  mim	
  
          e	
  da	
  ideia	
  que	
  tenho	
  d’Ele.
Da	
  existência	
  de	
  Deus	
  à	
  
existência	
  do	
  mundo	
  material

Um	
  vez	
  que	
  Deus	
  é	
  bom	
  e	
  perfeito,	
  não	
  nos	
  engana.



        O	
  mundo	
  material	
  existe	
  e	
  é	
  de	
  natureza	
  
           diferente	
  do	
  pensamento	
  e	
  de	
  Deus.	
                Deus	
  é	
  a	
  garantia	
  de	
  que	
  é	
  
          As	
  coisas	
  materiais	
  ocupam	
  espaço,	
                   verdadeiro	
  o	
  conhecimento	
  
        possuindo	
  características	
  quantificáveis.                     apreendido	
  com	
  evidência,	
  isto	
  
                                                                            é,	
  com	
  clareza	
  e	
  distinção,	
  ou	
  
      Se	
  não	
  partirmos	
  das	
  informações	
  sensoriais	
                       deduzido	
  dele.
        (por	
  vezes	
  enganadoras)	
  e	
  respeitarmos	
  
       o	
  critério	
  de	
  evidência	
  podemos	
  conhecer.
Dualismo	
  cartesiano

Admitida	
  a	
  existência	
  do	
  pensamento	
  (res	
  cogitans,	
  
ou	
  «coisa»	
  que	
  pensa),	
  de	
  Deus	
  e	
  do	
  mundo	
  material	
  
(res	
  extensa,	
  ou	
  «coisa»	
  extensa),	
  Descartes	
  considera	
  
que:	
  




          o	
  pensamento,	
  ou	
  espírito,	
  ou,	
  
                ainda,	
  alma	
  (res	
  cogitans)	
        o	
  ser	
  humano	
  é	
  constituído	
  por	
  
                  é	
  diferente	
  e	
  distinto	
                        alma	
  e	
  corpo	
  –	
  
                  do	
  corpo	
  (res	
  extensa)                   o	
  dualismo	
  cartesiano
A	
  existência	
  de	
  Deus	
  e	
  a	
  
verdade	
  racional

Uma	
  vez	
  que	
  os	
  sentidos	
  nos	
  enganam	
  
(pelo	
  menos,	
  às	
  vezes),	
  



    o	
  conhecimento	
  
         não	
  pode	
  ter	
             a	
  fonte	
  
          a	
  sua	
  fonte	
     do	
  conhecimento	
          a	
  existência	
  da	
  alma	
  e	
  
     na	
  informação	
                  é	
  a	
  razão,	
      de	
  Deus	
  é	
  mais	
  certa	
  
           sensorial                racionalismo                               do	
  que	
  
                                                                         a	
  existência	
  
                                                                 de	
  coisas	
  exteriores
Problema: será que podemos conhecer algo
com certeza?

Ponto	
  de	
  partida: dúvida metódica e
hiperbólica – indubitabilidade da existência do
cogito (eu, ou consciência).

Primeira	
  verdade: a existência do cogito.

O cogito possui a ideia de Deus (é uma ideia inata).

A ideia de Deus concebe Deus como um ser
sumamente perfeito – a percepção da ideia de
Deus implica a existência de Deus.
A natureza de Deus (a suma perfeição) e
a sua existência são garantia de que é
verdadeiro o conhecimento
apreendido com evidência, isto é, com
clareza e distinção, ou deduzido dele.


   O	
  conhecimento	
               A	
  razão	
  é	
  a	
  origem	
  do	
  conhecimento.
 constrói-­‐se	
  com	
  base	
       A	
  razão	
  possui	
  ideia	
  inatas	
  (Deus,	
  por	
  
    nas	
  sensações.               exemplo).	
  Todo	
  o	
  conhecimento,	
  mesmo	
  
                                     o	
  do	
  mundo	
  físico,	
  deve	
  ser	
  construído	
  
                                                        a	
  partir	
  da	
  razão.
Glossário




Cepticismo	
  

Designa	
  a	
  concepção	
  que	
  nega,	
  de	
  modo	
  mais	
  
ou	
  menos	
  radical,	
  a	
  possibilidade	
  do	
  
conhecimento.
Glossário


Racionalismo


Teoria	
  acerca	
  da	
  origem	
  e	
  validade	
  do	
  
conhecimento,	
  que	
  considera	
  a	
  razão	
  humana	
  
uma	
  faculdade	
  criadora,	
  origem	
  e	
  justificação	
  
do	
  conhecimento.
Glossário


Evidência

O	
  critério	
  de	
  verdade	
  de	
  «eu	
  penso,	
  logo	
  
existo»	
  serve	
  para	
  distinguir	
  as	
  ideias	
  
verdadeiras.	
  
Esse	
  critério	
  consiste	
  em	
  apreender	
  a	
  ideia	
  
com	
  clareza	
  e	
  distinção.
Glossário


Dualismo	
  cartesiano


Descartes	
  defende	
  o	
  dualismo	
  de	
  substância,	
  
segundo	
  o	
  qual	
  há	
  duas	
  substâncias:	
  
• a	
  matéria	
  (res	
  extensa)	
  
• e	
  o	
  pensamento	
  –	
  consciência,	
  ou	
  alma	
  –	
  (res	
  
  cogitans).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O cogito cartesiano
O cogito cartesianoO cogito cartesiano
O cogito cartesiano
Lídia Neves
 
O empirismo de david hume
O empirismo de david humeO empirismo de david hume
O empirismo de david hume
Joana Filipa Rodrigues
 
Teorias Explicativas do Conhecimento - Hume
Teorias Explicativas do Conhecimento - HumeTeorias Explicativas do Conhecimento - Hume
Teorias Explicativas do Conhecimento - Hume
Jorge Barbosa
 
Quiz descartes
Quiz descartesQuiz descartes
Quiz descartes
Isabel Moura
 
Filosofia e Conhecimento 1
Filosofia e Conhecimento 1Filosofia e Conhecimento 1
Filosofia e Conhecimento 1
Jorge Barbosa
 
Descartes críticas
Descartes críticasDescartes críticas
Descartes críticas
Helena Serrão
 
Descartes - Trab. Grupo IV
Descartes - Trab. Grupo IVDescartes - Trab. Grupo IV
Descartes - Trab. Grupo IV
mluisavalente
 
Teoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de DescartesTeoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de Descartes
Elisabete Silva
 
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade CognoscitivaFilosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
Rafael Cristino
 
Aula 07 - Descartes e o Racionalismo
Aula 07 - Descartes e o RacionalismoAula 07 - Descartes e o Racionalismo
Aula 07 - Descartes e o Racionalismo
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Racionalismo - Filosofia
Racionalismo - FilosofiaRacionalismo - Filosofia
Racionalismo - Filosofia
Carson Souza
 
Racionalismo - Descartes
Racionalismo - Descartes  Racionalismo - Descartes
Racionalismo - Descartes
Daniela Filipa Sousa
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
j_sdias
 
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º ano
FilipaFonseca
 
A função da dúvida
A função da dúvidaA função da dúvida
A função da dúvida
Luis De Sousa Rodrigues
 
Conhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - PopperConhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - Popper
Jorge Barbosa
 
3_contraexemplos_cvj
3_contraexemplos_cvj3_contraexemplos_cvj
3_contraexemplos_cvj
Isabel Moura
 
2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento 2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento
Erica Frau
 

Mais procurados (20)

O cogito cartesiano
O cogito cartesianoO cogito cartesiano
O cogito cartesiano
 
O empirismo de david hume
O empirismo de david humeO empirismo de david hume
O empirismo de david hume
 
Teorias Explicativas do Conhecimento - Hume
Teorias Explicativas do Conhecimento - HumeTeorias Explicativas do Conhecimento - Hume
Teorias Explicativas do Conhecimento - Hume
 
Quiz descartes
Quiz descartesQuiz descartes
Quiz descartes
 
Filosofia e Conhecimento 1
Filosofia e Conhecimento 1Filosofia e Conhecimento 1
Filosofia e Conhecimento 1
 
Descartes críticas
Descartes críticasDescartes críticas
Descartes críticas
 
Descartes - Trab. Grupo IV
Descartes - Trab. Grupo IVDescartes - Trab. Grupo IV
Descartes - Trab. Grupo IV
 
Comparação descartes hume
Comparação descartes   humeComparação descartes   hume
Comparação descartes hume
 
Teoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de DescartesTeoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de Descartes
 
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade CognoscitivaFilosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
 
Aula 07 - Descartes e o Racionalismo
Aula 07 - Descartes e o RacionalismoAula 07 - Descartes e o Racionalismo
Aula 07 - Descartes e o Racionalismo
 
Racionalismo - Filosofia
Racionalismo - FilosofiaRacionalismo - Filosofia
Racionalismo - Filosofia
 
Racionalismo - Descartes
Racionalismo - Descartes  Racionalismo - Descartes
Racionalismo - Descartes
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
 
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º ano
 
A função da dúvida
A função da dúvidaA função da dúvida
A função da dúvida
 
Conhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - PopperConhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - Popper
 
Tipos de conhecimento
Tipos de conhecimentoTipos de conhecimento
Tipos de conhecimento
 
3_contraexemplos_cvj
3_contraexemplos_cvj3_contraexemplos_cvj
3_contraexemplos_cvj
 
2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento 2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento
 

Destaque

Conceitos em Filosofia
Conceitos em FilosofiaConceitos em Filosofia
Conceitos em Filosofia
Jorge Barbosa
 
Resumo 2º teste
Resumo 2º testeResumo 2º teste
Resumo 2º teste
Inês Mota
 
Conhecimento 2
Conhecimento 2Conhecimento 2
Conhecimento 2
Jorge Barbosa
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
Erica Frau
 
Dimensão discursiva do trabalho filosófico
Dimensão discursiva do trabalho filosóficoDimensão discursiva do trabalho filosófico
Dimensão discursiva do trabalho filosófico
Julia Martins
 
Perguntas a Kant
Perguntas a KantPerguntas a Kant
Perguntas a Kant
Jorge Barbosa
 
Ideias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação PrioritáriaIdeias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação Prioritária
Jorge Barbosa
 
Resumo Psicologia 2º P
Resumo Psicologia 2º PResumo Psicologia 2º P
Resumo Psicologia 2º P
Jorge Barbosa
 
A filosofia e a sua dimensão discursiva (10.º ano - Módulo inicial)
A filosofia e a sua dimensão discursiva (10.º ano - Módulo inicial)A filosofia e a sua dimensão discursiva (10.º ano - Módulo inicial)
A filosofia e a sua dimensão discursiva (10.º ano - Módulo inicial)
António Padrão
 
A filosofia e a sua dimensão discursiva - conceitos e definições (10.º ano - ...
A filosofia e a sua dimensão discursiva - conceitos e definições (10.º ano - ...A filosofia e a sua dimensão discursiva - conceitos e definições (10.º ano - ...
A filosofia e a sua dimensão discursiva - conceitos e definições (10.º ano - ...
António Padrão
 
Filosofia - Orientações Iniciais
Filosofia - Orientações IniciaisFilosofia - Orientações Iniciais
Filosofia - Orientações Iniciais
Jorge Barbosa
 
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOSOS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
Isabel Aguiar
 
Filosofia 7º ano o conhecimento
Filosofia 7º ano o conhecimentoFilosofia 7º ano o conhecimento
Filosofia 7º ano o conhecimento
Francisco Vasconcelos Silva Júnior
 
A dimensão discursiva do trabalho filosófico
A dimensão discursiva do trabalho filosóficoA dimensão discursiva do trabalho filosófico
A dimensão discursiva do trabalho filosófico
AnaKlein1
 
Ficha de trabalho - A dimensão discursiva do trabalho filosófico
Ficha de trabalho - A dimensão discursiva do trabalho filosóficoFicha de trabalho - A dimensão discursiva do trabalho filosófico
Ficha de trabalho - A dimensão discursiva do trabalho filosófico
AnaKlein1
 
Apontamentos de filosofia 10ºano
Apontamentos de filosofia 10ºanoApontamentos de filosofia 10ºano
Apontamentos de filosofia 10ºano
Escola Básica e Secundária Tomás de Borba
 

Destaque (16)

Conceitos em Filosofia
Conceitos em FilosofiaConceitos em Filosofia
Conceitos em Filosofia
 
Resumo 2º teste
Resumo 2º testeResumo 2º teste
Resumo 2º teste
 
Conhecimento 2
Conhecimento 2Conhecimento 2
Conhecimento 2
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
 
Dimensão discursiva do trabalho filosófico
Dimensão discursiva do trabalho filosóficoDimensão discursiva do trabalho filosófico
Dimensão discursiva do trabalho filosófico
 
Perguntas a Kant
Perguntas a KantPerguntas a Kant
Perguntas a Kant
 
Ideias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação PrioritáriaIdeias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação Prioritária
 
Resumo Psicologia 2º P
Resumo Psicologia 2º PResumo Psicologia 2º P
Resumo Psicologia 2º P
 
A filosofia e a sua dimensão discursiva (10.º ano - Módulo inicial)
A filosofia e a sua dimensão discursiva (10.º ano - Módulo inicial)A filosofia e a sua dimensão discursiva (10.º ano - Módulo inicial)
A filosofia e a sua dimensão discursiva (10.º ano - Módulo inicial)
 
A filosofia e a sua dimensão discursiva - conceitos e definições (10.º ano - ...
A filosofia e a sua dimensão discursiva - conceitos e definições (10.º ano - ...A filosofia e a sua dimensão discursiva - conceitos e definições (10.º ano - ...
A filosofia e a sua dimensão discursiva - conceitos e definições (10.º ano - ...
 
Filosofia - Orientações Iniciais
Filosofia - Orientações IniciaisFilosofia - Orientações Iniciais
Filosofia - Orientações Iniciais
 
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOSOS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
 
Filosofia 7º ano o conhecimento
Filosofia 7º ano o conhecimentoFilosofia 7º ano o conhecimento
Filosofia 7º ano o conhecimento
 
A dimensão discursiva do trabalho filosófico
A dimensão discursiva do trabalho filosóficoA dimensão discursiva do trabalho filosófico
A dimensão discursiva do trabalho filosófico
 
Ficha de trabalho - A dimensão discursiva do trabalho filosófico
Ficha de trabalho - A dimensão discursiva do trabalho filosóficoFicha de trabalho - A dimensão discursiva do trabalho filosófico
Ficha de trabalho - A dimensão discursiva do trabalho filosófico
 
Apontamentos de filosofia 10ºano
Apontamentos de filosofia 10ºanoApontamentos de filosofia 10ºano
Apontamentos de filosofia 10ºano
 

Semelhante a Teoria Explicativa do Conhecimento - R. Descartes

Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Sujeito e Objeto do Conheciment...
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Sujeito e Objeto do Conheciment...Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Sujeito e Objeto do Conheciment...
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Sujeito e Objeto do Conheciment...
Turma Olímpica
 
Estrutura do Acto de Conhecer - Resumo
Estrutura do Acto de Conhecer - ResumoEstrutura do Acto de Conhecer - Resumo
Estrutura do Acto de Conhecer - Resumo
Jorge Barbosa
 
1 desca alunos
1 desca alunos1 desca alunos
1 desca alunos
JorgeNogueira40
 
Comodescartesultrapassaocepticismo 120217104847-phpapp02
Comodescartesultrapassaocepticismo 120217104847-phpapp02Comodescartesultrapassaocepticismo 120217104847-phpapp02
Comodescartesultrapassaocepticismo 120217104847-phpapp02
Helena Serrão
 
Resumos de Filosofia- Racionalismo e Empirismo
Resumos de Filosofia- Racionalismo e EmpirismoResumos de Filosofia- Racionalismo e Empirismo
Resumos de Filosofia- Racionalismo e Empirismo
Ana Catarina
 
Ppt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartesPpt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartes
AnaKlein1
 
Como Descartes ultrapassao cepticismo 120217104847-phpapp02-130130123609-phpa...
Como Descartes ultrapassao cepticismo 120217104847-phpapp02-130130123609-phpa...Como Descartes ultrapassao cepticismo 120217104847-phpapp02-130130123609-phpa...
Como Descartes ultrapassao cepticismo 120217104847-phpapp02-130130123609-phpa...
Helena Serrão
 
Racionalismo
RacionalismoRacionalismo
Racionalismo
Pelo Siro
 
Racionalismo
RacionalismoRacionalismo
Racionalismo
Pelo Siro
 
A Dúvida Cartesiana/metódica
A Dúvida Cartesiana/metódicaA Dúvida Cartesiana/metódica
A Dúvida Cartesiana/metódica
Pedro Rocha Da Silva
 
Contributo de Descartes
Contributo de DescartesContributo de Descartes
Contributo de Descartes
Jorge Barbosa
 
Descartes - Contributo para a Modernidade
Descartes - Contributo para a ModernidadeDescartes - Contributo para a Modernidade
Descartes - Contributo para a Modernidade
Jorge Barbosa
 
Resumo filosofia (3)
Resumo filosofia (3)Resumo filosofia (3)
Resumo filosofia (3)
Mateus Ferraz
 
Ficha de trab + correção descartes
Ficha de trab + correção   descartesFicha de trab + correção   descartes
Ficha de trab + correção descartes
mluisavalente
 
Filosofia do conhecimento; síntese
Filosofia do conhecimento; sínteseFilosofia do conhecimento; síntese
Filosofia do conhecimento; síntese
Ana Felizardo
 
O racionalismo
O racionalismoO racionalismo
O racionalismo
Alison Nunes
 
Teoria do conhecimento empirismo e racionalismo pdf
Teoria do conhecimento empirismo e racionalismo   pdfTeoria do conhecimento empirismo e racionalismo   pdf
Teoria do conhecimento empirismo e racionalismo pdf
firminomaissociologiafilosofia2019
 
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdf
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdfresumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdf
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdf
TamraSilva
 
Ae ci11 prep_exame_nacional
Ae ci11 prep_exame_nacionalAe ci11 prep_exame_nacional
Ae ci11 prep_exame_nacional
j_sdias
 
Ppt O Racionalismo de Descartes
Ppt O Racionalismo de DescartesPpt O Racionalismo de Descartes
Ppt O Racionalismo de Descartes
AnaKlein1
 

Semelhante a Teoria Explicativa do Conhecimento - R. Descartes (20)

Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Sujeito e Objeto do Conheciment...
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Sujeito e Objeto do Conheciment...Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Sujeito e Objeto do Conheciment...
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Sujeito e Objeto do Conheciment...
 
Estrutura do Acto de Conhecer - Resumo
Estrutura do Acto de Conhecer - ResumoEstrutura do Acto de Conhecer - Resumo
Estrutura do Acto de Conhecer - Resumo
 
1 desca alunos
1 desca alunos1 desca alunos
1 desca alunos
 
Comodescartesultrapassaocepticismo 120217104847-phpapp02
Comodescartesultrapassaocepticismo 120217104847-phpapp02Comodescartesultrapassaocepticismo 120217104847-phpapp02
Comodescartesultrapassaocepticismo 120217104847-phpapp02
 
Resumos de Filosofia- Racionalismo e Empirismo
Resumos de Filosofia- Racionalismo e EmpirismoResumos de Filosofia- Racionalismo e Empirismo
Resumos de Filosofia- Racionalismo e Empirismo
 
Ppt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartesPpt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartes
 
Como Descartes ultrapassao cepticismo 120217104847-phpapp02-130130123609-phpa...
Como Descartes ultrapassao cepticismo 120217104847-phpapp02-130130123609-phpa...Como Descartes ultrapassao cepticismo 120217104847-phpapp02-130130123609-phpa...
Como Descartes ultrapassao cepticismo 120217104847-phpapp02-130130123609-phpa...
 
Racionalismo
RacionalismoRacionalismo
Racionalismo
 
Racionalismo
RacionalismoRacionalismo
Racionalismo
 
A Dúvida Cartesiana/metódica
A Dúvida Cartesiana/metódicaA Dúvida Cartesiana/metódica
A Dúvida Cartesiana/metódica
 
Contributo de Descartes
Contributo de DescartesContributo de Descartes
Contributo de Descartes
 
Descartes - Contributo para a Modernidade
Descartes - Contributo para a ModernidadeDescartes - Contributo para a Modernidade
Descartes - Contributo para a Modernidade
 
Resumo filosofia (3)
Resumo filosofia (3)Resumo filosofia (3)
Resumo filosofia (3)
 
Ficha de trab + correção descartes
Ficha de trab + correção   descartesFicha de trab + correção   descartes
Ficha de trab + correção descartes
 
Filosofia do conhecimento; síntese
Filosofia do conhecimento; sínteseFilosofia do conhecimento; síntese
Filosofia do conhecimento; síntese
 
O racionalismo
O racionalismoO racionalismo
O racionalismo
 
Teoria do conhecimento empirismo e racionalismo pdf
Teoria do conhecimento empirismo e racionalismo   pdfTeoria do conhecimento empirismo e racionalismo   pdf
Teoria do conhecimento empirismo e racionalismo pdf
 
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdf
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdfresumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdf
resumo_do_11º_ano_para_prepaprar_o_exame.pdf
 
Ae ci11 prep_exame_nacional
Ae ci11 prep_exame_nacionalAe ci11 prep_exame_nacional
Ae ci11 prep_exame_nacional
 
Ppt O Racionalismo de Descartes
Ppt O Racionalismo de DescartesPpt O Racionalismo de Descartes
Ppt O Racionalismo de Descartes
 

Mais de Jorge Barbosa

Assuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na EducaçãoAssuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na Educação
Jorge Barbosa
 
Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14
Jorge Barbosa
 
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida PortuguesaProposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Jorge Barbosa
 
Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015
Jorge Barbosa
 
Relatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialRelatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao Especial
Jorge Barbosa
 
Sentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e AutoconsciênciaSentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Jorge Barbosa
 
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos AparentadosAfetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Jorge Barbosa
 
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
Jorge Barbosa
 
Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014
Jorge Barbosa
 
guião reforma estado
guião reforma estadoguião reforma estado
guião reforma estado
Jorge Barbosa
 
A Ética - Espinosa
A Ética - EspinosaA Ética - Espinosa
A Ética - Espinosa
Jorge Barbosa
 
A Cidade
A CidadeA Cidade
A Cidade
Jorge Barbosa
 
Velha do Postigo
Velha do PostigoVelha do Postigo
Velha do Postigo
Jorge Barbosa
 
Revolução kantiana
Revolução kantianaRevolução kantiana
Revolução kantiana
Jorge Barbosa
 
O Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de SócratesO Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
Jorge Barbosa
 
Estado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recenteEstado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recente
Jorge Barbosa
 
Comunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MECComunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MEC
Jorge Barbosa
 
Introdução a Espinosa
Introdução a EspinosaIntrodução a Espinosa
Introdução a Espinosa
Jorge Barbosa
 
Comunicacão do Presidente
Comunicacão do PresidenteComunicacão do Presidente
Comunicacão do Presidente
Jorge Barbosa
 
Dados INE
Dados INEDados INE
Dados INE
Jorge Barbosa
 

Mais de Jorge Barbosa (20)

Assuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na EducaçãoAssuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na Educação
 
Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14
 
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida PortuguesaProposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
 
Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015
 
Relatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialRelatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao Especial
 
Sentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e AutoconsciênciaSentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
 
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos AparentadosAfetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
 
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
 
Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014
 
guião reforma estado
guião reforma estadoguião reforma estado
guião reforma estado
 
A Ética - Espinosa
A Ética - EspinosaA Ética - Espinosa
A Ética - Espinosa
 
A Cidade
A CidadeA Cidade
A Cidade
 
Velha do Postigo
Velha do PostigoVelha do Postigo
Velha do Postigo
 
Revolução kantiana
Revolução kantianaRevolução kantiana
Revolução kantiana
 
O Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de SócratesO Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
 
Estado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recenteEstado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recente
 
Comunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MECComunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MEC
 
Introdução a Espinosa
Introdução a EspinosaIntrodução a Espinosa
Introdução a Espinosa
 
Comunicacão do Presidente
Comunicacão do PresidenteComunicacão do Presidente
Comunicacão do Presidente
 
Dados INE
Dados INEDados INE
Dados INE
 

Último

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 

Último (20)

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 

Teoria Explicativa do Conhecimento - R. Descartes

  • 1. Conhecimento  e  Racionalidade   Científica  e  Tecnológica 1.  Descrição  e  Interpretação   da  Actividade  Cognoscitiva
  • 2. 1.2  Teorias  Explicativas  do  Conhecimento   René  Descartes Sumário René Descartes. A dúvida metódica e o acesso à certeza
  • 3. René  Descartes  e  a   dúvida  metódica Descartes,  na  noite  de  10  para  11   de  Novembro  de  1619,  teve  sonhos  que   o  levaram  a  duvidar  do  conhecimento   e  mesmo  da  existência  da  realidade.   Para  ultrapassar  essa  dúvida,  inspirando-­‐ DESCARTES -­‐se  na  matemática  e  utilizando  a  dúvida   1596-­‐1650 como  método,  escreveu  o  Discurso  do   Método  com  o  objectivo  de  encontrar um  fundamento  capaz  de  resistir   aos  argumentos  do  cepticismo.
  • 4. Dúvida  hiperbólica Argumentos  que  fundam  o  acto  de  duvidar  A  experiência  mostra  que:   Os  sentidos   Há  homens   Temos  dificuldade  em   Por  nos  enganarmos   podem  errar   que  erram   identificar   às  vezes,  não   algumas  vezes,   mesmo  ao   a  verdade,  pois   sabemos  se  existe   logo,  não  são   raciocinar às  vezes  não   alguma  certeza dignos  de  crédito   distinguimos  sonho  e   total   realidade Conclusão  provisória:  todo  o  conhecimento   pode  ser  falso,  por  isso,  vou  duvidar  de  tudo   (dúvida  hiperbólica  –  global).
  • 5. A  dúvida  metódica  –  refutação  da   dúvida  hiperbólica Utilizando  a  dúvida  como  um  método  para  alcançar  a  verdade  (é  a   utilização  metódica  da  dúvida),  Descartes  parte  à  procura  de  uma   verdade  evidente  e  indubitável.   Contudo,  ainda  que  duvide  de  tudo,  tenho  de  admitir   que  não  posso  duvidar  sem  pensar.  
  • 6. Descoberta  da   verdade Ao  usar  a  dúvida  metódica,  Descartes  descobre   que  ao  duvidar  está  a  pensar.   E  afirma:  «Se  duvido,  penso,  e  se  penso,  existo.»   Eu  penso,  logo  existo  (cogito)  é  a  primeira   e  irrefutável  certeza. A  certeza  ou  a  indubitabilidade  do  cogito  resulta                   do  modo  como  a  apreendemos:  impõe-­‐se-­‐nos   como  evidente.  E  é  evidente,  porque   o  percebemos  com  clareza  e  distintamente.
  • 7. Critério  de  verdade,   clareza  e  distinção Descartes  generalizou   a  descoberta:  tudo  o  que  é   concebido  muito  claramente   e  muito  distintamente   tem  a  mesma  evidência   que  o  cogito,  logo,   é  verdadeiro.  
  • 8. Da  ideia  de  Deus  à  existência  de  Deus Tenho  em  mim  a  ideia  de  um  ser   perfeito. A  ideia  de  um  ser  perfeito  não  pode  ter   origem  em  mim,  porque  sou   imperfeito. Dado  que  conheço  perfeições  que   não  possuo,  tenho  de  aceitar  a   existência  de  um  Ser  que  seja  a   causa  de  mim   e  da  ideia  que  tenho  d’Ele.
  • 9. Da  existência  de  Deus  à   existência  do  mundo  material Um  vez  que  Deus  é  bom  e  perfeito,  não  nos  engana. O  mundo  material  existe  e  é  de  natureza   diferente  do  pensamento  e  de  Deus.   Deus  é  a  garantia  de  que  é   As  coisas  materiais  ocupam  espaço,   verdadeiro  o  conhecimento   possuindo  características  quantificáveis. apreendido  com  evidência,  isto   é,  com  clareza  e  distinção,  ou   Se  não  partirmos  das  informações  sensoriais   deduzido  dele. (por  vezes  enganadoras)  e  respeitarmos   o  critério  de  evidência  podemos  conhecer.
  • 10. Dualismo  cartesiano Admitida  a  existência  do  pensamento  (res  cogitans,   ou  «coisa»  que  pensa),  de  Deus  e  do  mundo  material   (res  extensa,  ou  «coisa»  extensa),  Descartes  considera   que:   o  pensamento,  ou  espírito,  ou,   ainda,  alma  (res  cogitans)   o  ser  humano  é  constituído  por   é  diferente  e  distinto   alma  e  corpo  –   do  corpo  (res  extensa) o  dualismo  cartesiano
  • 11. A  existência  de  Deus  e  a   verdade  racional Uma  vez  que  os  sentidos  nos  enganam   (pelo  menos,  às  vezes),   o  conhecimento   não  pode  ter   a  fonte   a  sua  fonte   do  conhecimento   a  existência  da  alma  e   na  informação   é  a  razão,   de  Deus  é  mais  certa   sensorial racionalismo do  que   a  existência   de  coisas  exteriores
  • 12. Problema: será que podemos conhecer algo com certeza? Ponto  de  partida: dúvida metódica e hiperbólica – indubitabilidade da existência do cogito (eu, ou consciência). Primeira  verdade: a existência do cogito. O cogito possui a ideia de Deus (é uma ideia inata). A ideia de Deus concebe Deus como um ser sumamente perfeito – a percepção da ideia de Deus implica a existência de Deus.
  • 13. A natureza de Deus (a suma perfeição) e a sua existência são garantia de que é verdadeiro o conhecimento apreendido com evidência, isto é, com clareza e distinção, ou deduzido dele. O  conhecimento   A  razão  é  a  origem  do  conhecimento. constrói-­‐se  com  base   A  razão  possui  ideia  inatas  (Deus,  por   nas  sensações. exemplo).  Todo  o  conhecimento,  mesmo   o  do  mundo  físico,  deve  ser  construído   a  partir  da  razão.
  • 14. Glossário Cepticismo   Designa  a  concepção  que  nega,  de  modo  mais   ou  menos  radical,  a  possibilidade  do   conhecimento.
  • 15. Glossário Racionalismo Teoria  acerca  da  origem  e  validade  do   conhecimento,  que  considera  a  razão  humana   uma  faculdade  criadora,  origem  e  justificação   do  conhecimento.
  • 16. Glossário Evidência O  critério  de  verdade  de  «eu  penso,  logo   existo»  serve  para  distinguir  as  ideias   verdadeiras.   Esse  critério  consiste  em  apreender  a  ideia   com  clareza  e  distinção.
  • 17. Glossário Dualismo  cartesiano Descartes  defende  o  dualismo  de  substância,   segundo  o  qual  há  duas  substâncias:   • a  matéria  (res  extensa)   • e  o  pensamento  –  consciência,  ou  alma  –  (res   cogitans).