SlideShare uma empresa Scribd logo
JUÍZO DE FATO E JUÍZO DE VALOR
PROFESSOR: DANILO PIRES
JUÍZO


Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com



Comecemos por esclarecer o que significa dizer
que
alguém
formulou
um
juízo
sobre
determinado assunto.
Fazer um juízo significa geralmente que alguém
formou ou deu uma opinião. Esta opinião é
comunicada oralmente ou por escrito através de
uma frase declarativa, que exprime o juízo
formulado. Se a frase pôde expressar a opinião
ou juízo de alguém é porque há um significado
associado à frase.
FACTOS




Em geral, distinguimos dois tipos de juízos:
Juízos de facto e Juízos de valor.
Um exemplo do primeiro tipo seria: o sol é
uma estrela;
um exemplo do segundo tipo seria: o aborto
– em certas circunstâncias – é moralmente
permissível.

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com



E VALORES
Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com

Mas o que são valores?
VALORES




Os valores morais orientam as nossas ações quando
está em causa o bem e o mal, o certo e o errado. A
amizade, o respeito pelos outros, a honestidade e a
generosidade são exemplos de valores éticos
(morais).
Os valores estéticos e os valores religiosos são
também importantes na vida de muitas pessoas,
basta pensarmos no papel central que a arte e a
religião têm nas sociedades humanas. Como exemplos
de valores estéticos, que orientam a criação artística
na música, na pintura, etc., encontramos a beleza e a
harmonia. A fé e o sagrado são exemplos de valores
religiosos, decisivos na vida de muitas pessoas.

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com



Os valores intervêm e influenciam as nossas decisões
nos mais variados campos.
VALORES


São eles que nos fazem preferir certas ações
e excluir outras. (Se valorizamos o respeito
pelos outros, há ações que não praticamos –
por exemplo, ferir intencionalmente os seus
sentimentos.)

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com



Valores – morais, estéticos e religiosos – são
critérios de ação. Refletem aquilo a que
damos importância e orientam o nosso
comportamento:
JUÍZO





FATO

Os juízos de facto são descritivos:
informam-nos sobre o que se passa na
realidade – dizem-nos, em suma, de que
modo as coisas são.
“Há mais chineses que portugueses”
“A atmosfera terrestre contém oxigénio”.

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com



DE
JUÍZOS


FATO

Juízos de fato têm valor de verdade: são
verdadeiros ou falsos.
São objetivos: a realidade que descrevem,
quer nos agrade quer não, é como é. Não
depende do que possamos pensar ou sentir,
dos nossos desejos ou aversões.

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com



DE
JUÍZO


DE

FATO

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com

O filme que vi ontem na televisão, por
exemplo, tem uma duração de 93 minutos:
eis algo de objectivo, que em nada depende
de mim (como existirem nove planetas no
sistema solar também não depende de mim:
mesmo que eu pensasse ou desejasse o
contrário, a realidade não deixaria de ser a
que é).
JUÍZO




FATO

Os juízos de fato serem objetivos tem uma
consequência importante: podemos estar
errados quando os formulamos.
Se alguém pensar que a Terra ocupa o centro
do universo, o seu juízo está objetivamente
errado. O mesmo seria se todos
pensássemos dessa maneira.

Não é por todos estarmos de acordo sobre
um certo assunto que nos faz estar na
verdade.

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com



DE
JUÍZO


DE

FATO

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com

Os juízos de fato são descritivos, têm valor
de verdade (exprimem proposições) e são
objetivos.
Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com

pena de morte é injusta.”
 “A

VALOR
DE

JUÍZO
JUÍZO


DE

VALOR

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com

Parece claro que este juízo exprime uma
atitude desfavorável em relação à pena de
morte:
alguém
que
acredite
nele
sinceramente não está apenas a dizer-nos
como as coisas se passam na realidade; não
está apenas a descrevê-las. Está a dizer-nos
como as coisas deviam ser, isto é, está a
avaliá-las.
JUÍZO




VALOR

Dizer que a pena de morte é injusta significa
fazer uma avaliação negativa desta prática.
Fazer uma avaliação negativa implica uma
atitude de reprovação: estamos a dizer que a
pena de morte não devia existir.
Não nos limitamos, portanto, a descrever um
fato; estamos a propor a adoção de uma
norma de comportamento – neste caso, a
ser aplicada pelos tribunais.

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com



DE
JUÍZO




VALOR

As normas servem para indicar a maneira
como devemos agir. É devido a esta
característica que os juízos de valor são
normativos.

Esta análise permite-nos concluir que os
juízos de fato são descritivos e os juízos de
valor têm uma função normativa.
Os juízos de fato tratam daquilo que as
coisas são, os juízos de valor tratam daquilo
que as coisas devem ser.

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com



DE
A


FRONTEIRA SEGUNDO O EMOTIVISMO

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com

“A relva é verde” é verdadeiro porque
descreve corretamente a realidade; por
outro lado, o juízo “Camões é zulu” é falso
porque descreve incorretamente a realidade.
Para um juízo ter valor de verdade é,
portanto, necessário ser descritivo.
A FRONTEIRA, DE ACORDO COM OS
SUBJECTIVISTAS


Os juízos de valor são parcialmente
normativos, têm valor de verdade mas a sua
verdade é subjetiva (pode variar consoante o
sujeito que os formula).

Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com



Os juízos de fato são descritivos, possuem
valor de verdade (exprimem proposições), e
a sua verdade ou falsidade é objetiva;
PROFESSOR DANILO PIRES
danilospires@gmail.com
 slideshare.net/danilospires


Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Uma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deUma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição de
Fernanda Pantoja
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Alexandra Madail
 
Argumentos por analogia
Argumentos por analogiaArgumentos por analogia
Argumentos por analogia
Luis De Sousa Rodrigues
 
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos moraisDiversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Luis De Sousa Rodrigues
 
Conhecimento como crença verdadeira justificada
Conhecimento como crença verdadeira justificada Conhecimento como crença verdadeira justificada
Conhecimento como crença verdadeira justificada
Isabel Moura
 
Disciplinas areas da filosofia
Disciplinas areas da filosofiaDisciplinas areas da filosofia
Disciplinas areas da filosofia
Filazambuja
 
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º ano
FilipaFonseca
 
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de PerdiçãoResumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Alexandre R
 
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
InesTeixeiraDuarte
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Paula Oliveira Cruz
 
Quadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartesQuadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartes
Isabel Moura
 
Teoria da justiça rawls
Teoria da justiça rawlsTeoria da justiça rawls
Teoria da justiça rawls
Filazambuja
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
ameliapadrao
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textual
gracacruz
 
Cantigas de amigo
Cantigas de amigoCantigas de amigo
Cantigas de amigo
Paula Oliveira Cruz
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
Helena Coutinho
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
CatarinaNeivas
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Vanda Sousa
 
Determinismo Radical
Determinismo RadicalDeterminismo Radical
Determinismo Radical
pauloricardom
 
Teoria Deontológica de Kant
Teoria Deontológica de KantTeoria Deontológica de Kant
Teoria Deontológica de Kant
Jorge Lopes
 

Mais procurados (20)

Uma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deUma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição de
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Argumentos por analogia
Argumentos por analogiaArgumentos por analogia
Argumentos por analogia
 
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos moraisDiversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
 
Conhecimento como crença verdadeira justificada
Conhecimento como crença verdadeira justificada Conhecimento como crença verdadeira justificada
Conhecimento como crença verdadeira justificada
 
Disciplinas areas da filosofia
Disciplinas areas da filosofiaDisciplinas areas da filosofia
Disciplinas areas da filosofia
 
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º ano
 
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de PerdiçãoResumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
 
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Quadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartesQuadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartes
 
Teoria da justiça rawls
Teoria da justiça rawlsTeoria da justiça rawls
Teoria da justiça rawls
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textual
 
Cantigas de amigo
Cantigas de amigoCantigas de amigo
Cantigas de amigo
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
 
Determinismo Radical
Determinismo RadicalDeterminismo Radical
Determinismo Radical
 
Teoria Deontológica de Kant
Teoria Deontológica de KantTeoria Deontológica de Kant
Teoria Deontológica de Kant
 

Semelhante a Juízo de fato e Juízo de valor

Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo MoralSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Turma Olímpica
 
646941314-O-problema-da-natureza-dos-juizos-morais.pdf
646941314-O-problema-da-natureza-dos-juizos-morais.pdf646941314-O-problema-da-natureza-dos-juizos-morais.pdf
646941314-O-problema-da-natureza-dos-juizos-morais.pdf
SofiaFranciscoCardos
 
Ética profissional (1ª e 2ª aula) turma gba
Ética profissional  (1ª e 2ª aula) turma gbaÉtica profissional  (1ª e 2ª aula) turma gba
Ética profissional (1ª e 2ª aula) turma gba
Gis Viana de Brito
 
Valor
ValorValor
A dimensão pessoal e social da Ética.pdf
A dimensão pessoal e social da Ética.pdfA dimensão pessoal e social da Ética.pdf
A dimensão pessoal e social da Ética.pdf
jmapinho
 
A natureza dos valores L -.pdf
A natureza dos valores L -.pdfA natureza dos valores L -.pdf
A natureza dos valores L -.pdf
gabrielaRamos372414
 
Revista Projeto Inove 03
Revista Projeto Inove 03Revista Projeto Inove 03
Revista Projeto Inove 03
projetoinove
 
éTica capitulo 6
éTica capitulo 6éTica capitulo 6
éTica capitulo 6
Péricles Penuel
 
I. valores, teorias axiológicas e cultura (1)
I. valores, teorias axiológicas e cultura (1)I. valores, teorias axiológicas e cultura (1)
I. valores, teorias axiológicas e cultura (1)
AidaCunha73
 
Os processos fundamentais de cognição social
Os processos fundamentais de cognição socialOs processos fundamentais de cognição social
Os processos fundamentais de cognição social
Marcelo Anjos
 
Subjectivismo Moral
Subjectivismo MoralSubjectivismo Moral
Subjectivismo Moral
Bruno Pedro
 
Resumos valores e_valoração
Resumos valores e_valoraçãoResumos valores e_valoração
Resumos valores e_valoração
AidaCunha73
 
Os valores e a acção o subjectivismo moral (2)
Os valores e  a acção    o subjectivismo moral (2)Os valores e  a acção    o subjectivismo moral (2)
Os valores e a acção o subjectivismo moral (2)
Luis De Sousa Rodrigues
 
Os valores e a acção o subjectivismo moral
Os valores e  a acção    o subjectivismo moralOs valores e  a acção    o subjectivismo moral
Os valores e a acção o subjectivismo moral
Luis De Sousa Rodrigues
 
Papel das decisões.
Papel das decisões.Papel das decisões.
Papel das decisões.
Rik Viana
 
Atitudes e Mudança de Atitudes
Atitudes e Mudança de AtitudesAtitudes e Mudança de Atitudes
Atitudes e Mudança de Atitudes
alicecanuto
 
Ficha formativa nº8
Ficha formativa nº8Ficha formativa nº8
Ficha formativa nº8
Filipe Prado
 
O que são Valores, Principios, Leis, Normas e Regras
O que são Valores, Principios, Leis, Normas e RegrasO que são Valores, Principios, Leis, Normas e Regras
O que são Valores, Principios, Leis, Normas e Regras
Pedro Kangombe
 
Centro Intelectual e Atitudes
Centro Intelectual e AtitudesCentro Intelectual e Atitudes
Centro Intelectual e Atitudes
Romeu da Silveira
 
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humana
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humanaDimensão da Práxis, as dimensões da vida humana
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humana
EulerLousada1
 

Semelhante a Juízo de fato e Juízo de valor (20)

Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo MoralSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Juizo Moral
 
646941314-O-problema-da-natureza-dos-juizos-morais.pdf
646941314-O-problema-da-natureza-dos-juizos-morais.pdf646941314-O-problema-da-natureza-dos-juizos-morais.pdf
646941314-O-problema-da-natureza-dos-juizos-morais.pdf
 
Ética profissional (1ª e 2ª aula) turma gba
Ética profissional  (1ª e 2ª aula) turma gbaÉtica profissional  (1ª e 2ª aula) turma gba
Ética profissional (1ª e 2ª aula) turma gba
 
Valor
ValorValor
Valor
 
A dimensão pessoal e social da Ética.pdf
A dimensão pessoal e social da Ética.pdfA dimensão pessoal e social da Ética.pdf
A dimensão pessoal e social da Ética.pdf
 
A natureza dos valores L -.pdf
A natureza dos valores L -.pdfA natureza dos valores L -.pdf
A natureza dos valores L -.pdf
 
Revista Projeto Inove 03
Revista Projeto Inove 03Revista Projeto Inove 03
Revista Projeto Inove 03
 
éTica capitulo 6
éTica capitulo 6éTica capitulo 6
éTica capitulo 6
 
I. valores, teorias axiológicas e cultura (1)
I. valores, teorias axiológicas e cultura (1)I. valores, teorias axiológicas e cultura (1)
I. valores, teorias axiológicas e cultura (1)
 
Os processos fundamentais de cognição social
Os processos fundamentais de cognição socialOs processos fundamentais de cognição social
Os processos fundamentais de cognição social
 
Subjectivismo Moral
Subjectivismo MoralSubjectivismo Moral
Subjectivismo Moral
 
Resumos valores e_valoração
Resumos valores e_valoraçãoResumos valores e_valoração
Resumos valores e_valoração
 
Os valores e a acção o subjectivismo moral (2)
Os valores e  a acção    o subjectivismo moral (2)Os valores e  a acção    o subjectivismo moral (2)
Os valores e a acção o subjectivismo moral (2)
 
Os valores e a acção o subjectivismo moral
Os valores e  a acção    o subjectivismo moralOs valores e  a acção    o subjectivismo moral
Os valores e a acção o subjectivismo moral
 
Papel das decisões.
Papel das decisões.Papel das decisões.
Papel das decisões.
 
Atitudes e Mudança de Atitudes
Atitudes e Mudança de AtitudesAtitudes e Mudança de Atitudes
Atitudes e Mudança de Atitudes
 
Ficha formativa nº8
Ficha formativa nº8Ficha formativa nº8
Ficha formativa nº8
 
O que são Valores, Principios, Leis, Normas e Regras
O que são Valores, Principios, Leis, Normas e RegrasO que são Valores, Principios, Leis, Normas e Regras
O que são Valores, Principios, Leis, Normas e Regras
 
Centro Intelectual e Atitudes
Centro Intelectual e AtitudesCentro Intelectual e Atitudes
Centro Intelectual e Atitudes
 
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humana
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humanaDimensão da Práxis, as dimensões da vida humana
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humana
 

Mais de Danilo Pires

Gestão de compras
Gestão de comprasGestão de compras
Gestão de compras
Danilo Pires
 
Análise swot- Professor Danilo Pires
Análise swot- Professor Danilo PiresAnálise swot- Professor Danilo Pires
Análise swot- Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Simulado prova de planejamento e organização
Simulado prova de planejamento e organizaçãoSimulado prova de planejamento e organização
Simulado prova de planejamento e organização
Danilo Pires
 
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo PiresPlanejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Simulado de administração financeira
Simulado de administração financeiraSimulado de administração financeira
Simulado de administração financeira
Danilo Pires
 
Contabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
Contabilidade gerencial- Professor Danilo PiresContabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
Contabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Fluxograma de processo Professor Danilo Pires
Fluxograma de processo  Professor Danilo PiresFluxograma de processo  Professor Danilo Pires
Fluxograma de processo Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Administração cientifica Professor Danilo Pires
Administração cientifica  Professor Danilo  PiresAdministração cientifica  Professor Danilo  Pires
Administração cientifica Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo Pires
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo PiresConceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo Pires
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Bolsa de Valores e mercado financeiro professor danilo pires
Bolsa de Valores e mercado financeiro professor danilo piresBolsa de Valores e mercado financeiro professor danilo pires
Bolsa de Valores e mercado financeiro professor danilo pires
Danilo Pires
 
Mercado Financeiro Professor Danilo Pires
Mercado Financeiro Professor Danilo PiresMercado Financeiro Professor Danilo Pires
Mercado Financeiro Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Prova adm financeira- respostas
Prova adm financeira- respostasProva adm financeira- respostas
Prova adm financeira- respostas
Danilo Pires
 
Respostas da revisão de administração financeira
Respostas da revisão de administração financeiraRespostas da revisão de administração financeira
Respostas da revisão de administração financeira
Danilo Pires
 
Atividade de Revisão de Administração Financeira
Atividade de Revisão de Administração FinanceiraAtividade de Revisão de Administração Financeira
Atividade de Revisão de Administração Financeira
Danilo Pires
 
Atividade de revisão Planejamento Estratégico
Atividade de revisão Planejamento EstratégicoAtividade de revisão Planejamento Estratégico
Atividade de revisão Planejamento Estratégico
Danilo Pires
 
Atividade de Revisão- Planejamento Estratégico- Professor Danilo Pires
Atividade de Revisão- Planejamento Estratégico- Professor Danilo PiresAtividade de Revisão- Planejamento Estratégico- Professor Danilo Pires
Atividade de Revisão- Planejamento Estratégico- Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Relações públicas Professor Danilo Pires
Relações públicas Professor Danilo PiresRelações públicas Professor Danilo Pires
Relações públicas Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Introdução a administração- Professor Danilo Pires
Introdução a administração- Professor Danilo PiresIntrodução a administração- Professor Danilo Pires
Introdução a administração- Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Responsabilidade Social Professor Danilo Pires
Responsabilidade Social  Professor Danilo PiresResponsabilidade Social  Professor Danilo Pires
Responsabilidade Social Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Planejamento e organização - Professor Danilo Pires
Planejamento e organização - Professor Danilo PiresPlanejamento e organização - Professor Danilo Pires
Planejamento e organização - Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 

Mais de Danilo Pires (20)

Gestão de compras
Gestão de comprasGestão de compras
Gestão de compras
 
Análise swot- Professor Danilo Pires
Análise swot- Professor Danilo PiresAnálise swot- Professor Danilo Pires
Análise swot- Professor Danilo Pires
 
Simulado prova de planejamento e organização
Simulado prova de planejamento e organizaçãoSimulado prova de planejamento e organização
Simulado prova de planejamento e organização
 
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo PiresPlanejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
 
Simulado de administração financeira
Simulado de administração financeiraSimulado de administração financeira
Simulado de administração financeira
 
Contabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
Contabilidade gerencial- Professor Danilo PiresContabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
Contabilidade gerencial- Professor Danilo Pires
 
Fluxograma de processo Professor Danilo Pires
Fluxograma de processo  Professor Danilo PiresFluxograma de processo  Professor Danilo Pires
Fluxograma de processo Professor Danilo Pires
 
Administração cientifica Professor Danilo Pires
Administração cientifica  Professor Danilo  PiresAdministração cientifica  Professor Danilo  Pires
Administração cientifica Professor Danilo Pires
 
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo Pires
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo PiresConceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo Pires
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo Pires
 
Bolsa de Valores e mercado financeiro professor danilo pires
Bolsa de Valores e mercado financeiro professor danilo piresBolsa de Valores e mercado financeiro professor danilo pires
Bolsa de Valores e mercado financeiro professor danilo pires
 
Mercado Financeiro Professor Danilo Pires
Mercado Financeiro Professor Danilo PiresMercado Financeiro Professor Danilo Pires
Mercado Financeiro Professor Danilo Pires
 
Prova adm financeira- respostas
Prova adm financeira- respostasProva adm financeira- respostas
Prova adm financeira- respostas
 
Respostas da revisão de administração financeira
Respostas da revisão de administração financeiraRespostas da revisão de administração financeira
Respostas da revisão de administração financeira
 
Atividade de Revisão de Administração Financeira
Atividade de Revisão de Administração FinanceiraAtividade de Revisão de Administração Financeira
Atividade de Revisão de Administração Financeira
 
Atividade de revisão Planejamento Estratégico
Atividade de revisão Planejamento EstratégicoAtividade de revisão Planejamento Estratégico
Atividade de revisão Planejamento Estratégico
 
Atividade de Revisão- Planejamento Estratégico- Professor Danilo Pires
Atividade de Revisão- Planejamento Estratégico- Professor Danilo PiresAtividade de Revisão- Planejamento Estratégico- Professor Danilo Pires
Atividade de Revisão- Planejamento Estratégico- Professor Danilo Pires
 
Relações públicas Professor Danilo Pires
Relações públicas Professor Danilo PiresRelações públicas Professor Danilo Pires
Relações públicas Professor Danilo Pires
 
Introdução a administração- Professor Danilo Pires
Introdução a administração- Professor Danilo PiresIntrodução a administração- Professor Danilo Pires
Introdução a administração- Professor Danilo Pires
 
Responsabilidade Social Professor Danilo Pires
Responsabilidade Social  Professor Danilo PiresResponsabilidade Social  Professor Danilo Pires
Responsabilidade Social Professor Danilo Pires
 
Planejamento e organização - Professor Danilo Pires
Planejamento e organização - Professor Danilo PiresPlanejamento e organização - Professor Danilo Pires
Planejamento e organização - Professor Danilo Pires
 

Último

TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
BiancaCristina75
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 

Último (20)

TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 

Juízo de fato e Juízo de valor

  • 1. JUÍZO DE FATO E JUÍZO DE VALOR PROFESSOR: DANILO PIRES
  • 2. JUÍZO  Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com  Comecemos por esclarecer o que significa dizer que alguém formulou um juízo sobre determinado assunto. Fazer um juízo significa geralmente que alguém formou ou deu uma opinião. Esta opinião é comunicada oralmente ou por escrito através de uma frase declarativa, que exprime o juízo formulado. Se a frase pôde expressar a opinião ou juízo de alguém é porque há um significado associado à frase.
  • 3. FACTOS   Em geral, distinguimos dois tipos de juízos: Juízos de facto e Juízos de valor. Um exemplo do primeiro tipo seria: o sol é uma estrela; um exemplo do segundo tipo seria: o aborto – em certas circunstâncias – é moralmente permissível. Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com  E VALORES
  • 5. VALORES   Os valores morais orientam as nossas ações quando está em causa o bem e o mal, o certo e o errado. A amizade, o respeito pelos outros, a honestidade e a generosidade são exemplos de valores éticos (morais). Os valores estéticos e os valores religiosos são também importantes na vida de muitas pessoas, basta pensarmos no papel central que a arte e a religião têm nas sociedades humanas. Como exemplos de valores estéticos, que orientam a criação artística na música, na pintura, etc., encontramos a beleza e a harmonia. A fé e o sagrado são exemplos de valores religiosos, decisivos na vida de muitas pessoas. Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com  Os valores intervêm e influenciam as nossas decisões nos mais variados campos.
  • 6. VALORES  São eles que nos fazem preferir certas ações e excluir outras. (Se valorizamos o respeito pelos outros, há ações que não praticamos – por exemplo, ferir intencionalmente os seus sentimentos.) Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com  Valores – morais, estéticos e religiosos – são critérios de ação. Refletem aquilo a que damos importância e orientam o nosso comportamento:
  • 7. JUÍZO   FATO Os juízos de facto são descritivos: informam-nos sobre o que se passa na realidade – dizem-nos, em suma, de que modo as coisas são. “Há mais chineses que portugueses” “A atmosfera terrestre contém oxigénio”. Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com  DE
  • 8. JUÍZOS  FATO Juízos de fato têm valor de verdade: são verdadeiros ou falsos. São objetivos: a realidade que descrevem, quer nos agrade quer não, é como é. Não depende do que possamos pensar ou sentir, dos nossos desejos ou aversões. Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com  DE
  • 9. JUÍZO  DE FATO Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com O filme que vi ontem na televisão, por exemplo, tem uma duração de 93 minutos: eis algo de objectivo, que em nada depende de mim (como existirem nove planetas no sistema solar também não depende de mim: mesmo que eu pensasse ou desejasse o contrário, a realidade não deixaria de ser a que é).
  • 10. JUÍZO   FATO Os juízos de fato serem objetivos tem uma consequência importante: podemos estar errados quando os formulamos. Se alguém pensar que a Terra ocupa o centro do universo, o seu juízo está objetivamente errado. O mesmo seria se todos pensássemos dessa maneira. Não é por todos estarmos de acordo sobre um certo assunto que nos faz estar na verdade. Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com  DE
  • 11. JUÍZO  DE FATO Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com Os juízos de fato são descritivos, têm valor de verdade (exprimem proposições) e são objetivos.
  • 12. Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com pena de morte é injusta.”  “A VALOR DE JUÍZO
  • 13. JUÍZO  DE VALOR Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com Parece claro que este juízo exprime uma atitude desfavorável em relação à pena de morte: alguém que acredite nele sinceramente não está apenas a dizer-nos como as coisas se passam na realidade; não está apenas a descrevê-las. Está a dizer-nos como as coisas deviam ser, isto é, está a avaliá-las.
  • 14. JUÍZO   VALOR Dizer que a pena de morte é injusta significa fazer uma avaliação negativa desta prática. Fazer uma avaliação negativa implica uma atitude de reprovação: estamos a dizer que a pena de morte não devia existir. Não nos limitamos, portanto, a descrever um fato; estamos a propor a adoção de uma norma de comportamento – neste caso, a ser aplicada pelos tribunais. Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com  DE
  • 15. JUÍZO   VALOR As normas servem para indicar a maneira como devemos agir. É devido a esta característica que os juízos de valor são normativos. Esta análise permite-nos concluir que os juízos de fato são descritivos e os juízos de valor têm uma função normativa. Os juízos de fato tratam daquilo que as coisas são, os juízos de valor tratam daquilo que as coisas devem ser. Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com  DE
  • 16. A  FRONTEIRA SEGUNDO O EMOTIVISMO Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com “A relva é verde” é verdadeiro porque descreve corretamente a realidade; por outro lado, o juízo “Camões é zulu” é falso porque descreve incorretamente a realidade. Para um juízo ter valor de verdade é, portanto, necessário ser descritivo.
  • 17. A FRONTEIRA, DE ACORDO COM OS SUBJECTIVISTAS  Os juízos de valor são parcialmente normativos, têm valor de verdade mas a sua verdade é subjetiva (pode variar consoante o sujeito que os formula). Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com  Os juízos de fato são descritivos, possuem valor de verdade (exprimem proposições), e a sua verdade ou falsidade é objetiva;
  • 18. PROFESSOR DANILO PIRES danilospires@gmail.com  slideshare.net/danilospires  Professor Danilo Piresdanilospires@gmail.com