SlideShare uma empresa Scribd logo
ESCOLA TÉCNICA ESDADUAL GUARACY SILVEIRA




           Teoria da Contingência

                 Ambiente



         Larissa Oliveira Balon Nº15

                Serie: 1ºET-Z




                 São Paulo

                    2012

                  RESENHA
TEORIA DA CONTINGÊNCIA

                                      AMBIENTE

SOBRE O LIVRO: INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO: UMA
VISÃO ABRANGENTE DA MODERNA ADMINISTRAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES /
IDALBERTO CHIAVENATO – 7. ED. REV. E ATUAL. – RIO DE JANEIRO:
ELSEVIER, 2003 – 13° REIMPRESSÃO.

A teoria da contingência ela da ênfase no ambiente o autor da teoria fala sobre as
diversas formas de avaliar o ambiente de uma empresa e como eles podem ser
entendidos, e também indaga que as empresas têm o seu ambiente muito extenso e
que envolve as empresas extremamente dentro da qual uma organização está
inserida, isso faz com que tudo o que ocorre extremamente no ambiente passe a
influenciar internamente o que ocorre na organização.

Por seu ambiente ser extremamente vasto e complexo, as organizações não possa
absorvê-lo, conhecê-lo e compreendê-lo em sua totalidade e complexidade, o
ambiente é um contexto externo que apresenta uma enorme variedade de condições
extremamente variáveis e complexas, difíceis de serem abordadas em seu conjunto
e analisadas com objetividade. Para melhor entender de seu ambiente a
organização precisa mapear seu espaço ambiental, porém esse mapeamento não é
feito pela organização em si, mas pelas pessoas sujeitas ao subjetivismo e às
diferenças que são seus dirigentes.

Para lidar com a complexidade ambiental, as organizações selecionam seus
ambientes e passam a visualizar o seu mundo exterior apenas na partes escolhidas
e selecionadas desse enorme conjunto, é chamada seleção ambiental: apenas uma
porção de todas as variáveis ambientais participa realmente do conhecimento e da
experiência da organização ou de seus dirigentes, o ambiento por ser extremamente
multivariado e complexo para compreender o que constitui o ambiente, tornar
necessário analisá-lo de acordo com seu conteúdo, ou seja, com as complexas
variáveis que o compõem. Por esse motivo, separamos o ambiente em dois extratos:
o ambiente geral e o ambiente de tarefa.

Ambiente Geral: é um tipo de ambiente genérico e comum a todas as organizações
e tudo aquilo que acontece nele afeta diretamente ou indiretamente a organizações
de maneira genérica, ele é constituído de um conjunto de sete condições comuns
para   todas    as   organizações;   1ª   Tecnológicas:   Que   resumidamente    o
desenvolvimento que causa a inovações tecnológicas a uma organização com isso
influenciando as outras organizações; 2ª Legais: Que são as leis de caráter
comercial, trabalhista, fiscal civil e etc. criadas pela legislação vigente que
constituem elementos normativos para a vida da organização; 3ª Políticas: São as
decisões e definições políticas tomadas em nível federal, estadual e municipal que
influenciam as organizações e que orientam as próprias condições econômicas; 4ª
Econômicas: Constituem a conjuntura que determina o desenvolvimento econômico,
de um lado, ou a retração econômica, do outro lado, e que condicionam fortemente
as organizações; 5ª Demográficas: Como taxa de crescimento, populacional, raça,
religião, sexo e idade entre outras do gênero são aspectos geográficos que
determinam as características do mercado atual e futuro das organizações; 6ª
Ecológicas: São as condições relacionadas com o quadro demográfico que envolve
a organização, o ecossistema refere-se ao sistema de intercâmbio entre os seres
vivos e seu ambiente já no casso da organização é chamada de ecologia social que
elas podem ser influenciadas ou influenciar condições de aspectos como poluição,
clima e etc.; 7ª Culturais: que é basicamente a cultura de um povo penetrando nas
organizações.

Ambiente de Tarefa: é o ambiente, mas próximo de cada organização, constitui o
segmento do ambiente geral do qual a organização extrai suas entradas e deposita
suas saídas, é o ambiente de operações de cada organização e é constituído por:
primeiro são os Fornecedores de entradas que fornecem para a organização os
tipos de recursos materiais necessários a ela como, por exemplo, matérias-primas
ou recursos financeiros feito pelos fornecedores de capital e recursos humanos
fornecedores de mão de obra; segundo os Clientes ou usuários: o consumidor dos
produtos da organização; terceiro os Concorrentes: Cada organização não está
sozinha, mas disputa com outras organizações os mesmos recursos e os mesmos
tomadores de suas saídas, daí os concorrentes quanto aos recursos quanto aos
consumidores; quarta as Entidades reguladoras: a organização está sujeita a uma
porção de outras organizações que procuras fiscalizar as suas atividades.

Tipologia de ambientes esta relacionada com o ambiente de tarefa para melhorar o
entendimento do ambiente, são duas classificações de tipologias; primeiro: Quanto à
sua estrutura, que são os ambientes homogêneo quando os fornecedores clientes
das organizações são semelhantes o outro e ambiente heterogêneo que é
diferenciação de fornecedores clientes das organizações; segundo:Quanto à sua
dinâmica que são ambiente estável, é o ambiente que não varia não muda
permanece o mesmo e se houver mudanças são muito pequenas que passam
desapercebidas o outro é o ambiente instável, é o ambiente dinâmico que se
caracteriza por muitas mudanças com isso o aparecimentos de novos problemas
ambientais assim por diante.

Um único ponto negativo da teoria da contingência é que ela dá ênfase no ambiente,
e acaba não olhando para a parte de gestão de pessoas como a teoria das relações
humanas mais apensar desse fato dela não se preocupar muito com as pessoas que
formam a organização visa entender seu ambiente para melhorá-lo.

A teoria da contingência-ambiente é recomendada para alunos, professores e
empresários que necessitam entender o ambiente de uma organização tanto para
ensinar um técnico em administração, como para solucionar problemas no ambiente
de uma organização como as saídas e entradas de produtos ou matérias-primas
para os alunos entenderem a importância de um administrador saber sobre os
fatores que influencia o ambiente de uma organização para sempre acompanhar
esses fatores para se atualizar.

Idalberto Chiavenato nascido em 1936 no interior do estado de São Paulo é autor
brasileiro na área de administração de empresas e de recursos humanos tendo seus
livros utilizados por administradores no Brasil Atualmente, o professor Chiavenato
atua como conselheiro no Conselho Regional de Administração do Estado de São
Paulo e presidente do Instituto Chiavenato de Educação. É um dos autores
nacionais mais conhecidos e respeitados na área de Administração de Empresas e
Recursos Humanos; Ele descreve no prefácio de seu livro Introdução às Teorias
Geral da Administração como um quase manual introdutório, quase uma antologia
pela sua própria natureza, é destinado tanto aos estudantes de administração como
a todos aqueles que necessitam de uma base conceitual e teórica indispensável à
prática administrativa, além dessa obra o autor também compôs outros livros como
cartas para um jovem administrador entre outros.
Larissa Oliveira Balon, aluna do 1º módulo do Curso Técnico de Administração da
ETEC Guaracy Silveira. Atividade realizada no decorrer da disciplina de Gestão
Empresarial I.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teoria Estruturalista
Teoria EstruturalistaTeoria Estruturalista
Teoria Estruturalista
Rafael Gomes
 
Teorias da Administração
Teorias da AdministraçãoTeorias da Administração
Teorias da Administração
Alex Eduardo Ribeiro
 
Teoria das Relações Humanas
Teoria das Relações HumanasTeoria das Relações Humanas
Teoria das Relações Humanas
Governo do Estado de São Paulo
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Prof. Leonardo Rocha
 
Teoria das organizações
Teoria das organizaçõesTeoria das organizações
Teoria das organizações
Juliana Siqueira
 
Evolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias AdministrativasEvolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias Administrativas
William Costa
 
Teoria Contingencial
Teoria ContingencialTeoria Contingencial
Teoria Contingencial
admetz01
 
Teoria dos sistemas cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
Teoria dos sistemas   cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)Teoria dos sistemas   cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
Teoria dos sistemas cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
Domingos Armindo Rolim Neto
 
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...
Eder Nogueira
 
Teoria dos sistemas
Teoria dos sistemasTeoria dos sistemas
Teoria dos sistemas
Emile Lima
 
Abordagens sistêmica e contingencial
Abordagens sistêmica e contingencialAbordagens sistêmica e contingencial
Abordagens sistêmica e contingencial
Celia Carvalho
 
Teoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de SistemasTeoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de Sistemas
paulocsm
 
Teoria de Sistemas
Teoria de SistemasTeoria de Sistemas
Teoria de Sistemas
Jorge Marques
 
Teoria de sistemas 2012_01
Teoria de sistemas 2012_01Teoria de sistemas 2012_01
Teoria de sistemas 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 
Introdução a administração
Introdução a administração Introdução a administração
Introdução a administração
Lucas Caitité
 
AS PESSOAS NA ORGANIZAÇÃO - MARIA TEREZA FLEURY LEME
AS PESSOAS NA ORGANIZAÇÃO - MARIA TEREZA FLEURY LEMEAS PESSOAS NA ORGANIZAÇÃO - MARIA TEREZA FLEURY LEME
AS PESSOAS NA ORGANIZAÇÃO - MARIA TEREZA FLEURY LEME
ANDRELYRA2
 
Teoria da contingência 2012_01
Teoria da contingência 2012_01Teoria da contingência 2012_01
Teoria da contingência 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 
Teoria da contigencia
Teoria da contigenciaTeoria da contigencia
Teoria da contigencia
Tiago Machado
 
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula VeraTeoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
edgarklein
 
Teoria das Relações Humanas
Teoria das Relações HumanasTeoria das Relações Humanas
Teoria das Relações Humanas
Mara Izidoro
 

Mais procurados (20)

Teoria Estruturalista
Teoria EstruturalistaTeoria Estruturalista
Teoria Estruturalista
 
Teorias da Administração
Teorias da AdministraçãoTeorias da Administração
Teorias da Administração
 
Teoria das Relações Humanas
Teoria das Relações HumanasTeoria das Relações Humanas
Teoria das Relações Humanas
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
 
Teoria das organizações
Teoria das organizaçõesTeoria das organizações
Teoria das organizações
 
Evolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias AdministrativasEvolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias Administrativas
 
Teoria Contingencial
Teoria ContingencialTeoria Contingencial
Teoria Contingencial
 
Teoria dos sistemas cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
Teoria dos sistemas   cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)Teoria dos sistemas   cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
Teoria dos sistemas cap. 17 - chiavenato (Engenharia de Produção FSA)
 
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...
 
Teoria dos sistemas
Teoria dos sistemasTeoria dos sistemas
Teoria dos sistemas
 
Abordagens sistêmica e contingencial
Abordagens sistêmica e contingencialAbordagens sistêmica e contingencial
Abordagens sistêmica e contingencial
 
Teoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de SistemasTeoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de Sistemas
 
Teoria de Sistemas
Teoria de SistemasTeoria de Sistemas
Teoria de Sistemas
 
Teoria de sistemas 2012_01
Teoria de sistemas 2012_01Teoria de sistemas 2012_01
Teoria de sistemas 2012_01
 
Introdução a administração
Introdução a administração Introdução a administração
Introdução a administração
 
AS PESSOAS NA ORGANIZAÇÃO - MARIA TEREZA FLEURY LEME
AS PESSOAS NA ORGANIZAÇÃO - MARIA TEREZA FLEURY LEMEAS PESSOAS NA ORGANIZAÇÃO - MARIA TEREZA FLEURY LEME
AS PESSOAS NA ORGANIZAÇÃO - MARIA TEREZA FLEURY LEME
 
Teoria da contingência 2012_01
Teoria da contingência 2012_01Teoria da contingência 2012_01
Teoria da contingência 2012_01
 
Teoria da contigencia
Teoria da contigenciaTeoria da contigencia
Teoria da contigencia
 
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula VeraTeoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
 
Teoria das Relações Humanas
Teoria das Relações HumanasTeoria das Relações Humanas
Teoria das Relações Humanas
 

Destaque

Abordagem Contingencial e Administração por Objetivos
Abordagem Contingencial e Administração por ObjetivosAbordagem Contingencial e Administração por Objetivos
Abordagem Contingencial e Administração por Objetivos
Antonio Marcos Montai Messias
 
Teoría de contingencia
Teoría de contingenciaTeoría de contingencia
Teoría de contingencia
Faber Hurtado
 
Gestão Da Qualidade [ETEC KK]
Gestão Da Qualidade [ETEC KK]Gestão Da Qualidade [ETEC KK]
Gestão Da Qualidade [ETEC KK]
Vinicius Lopes
 
Gestão por Objetivos
Gestão por ObjetivosGestão por Objetivos
Um novo olhar na geografia para os conceitos e aplicações de
Um novo olhar na geografia para os conceitos e aplicações deUm novo olhar na geografia para os conceitos e aplicações de
Um novo olhar na geografia para os conceitos e aplicações de
UFRJ
 
Slides abertura fctunl v3(27jan)
Slides abertura fctunl v3(27jan)Slides abertura fctunl v3(27jan)
Abordagem sistêmica da administração
Abordagem sistêmica da administração Abordagem sistêmica da administração
Abordagem sistêmica da administração
admetz01
 
08. Administração por Objetivos
08. Administração por Objetivos08. Administração por Objetivos
08. Administração por Objetivos
Debora Miceli
 
Gestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade TotalGestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade Total
Kelen Mendes
 
Teoria administrativa
Teoria administrativaTeoria administrativa
Teoria administrativa
Stevan Tovar
 
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
taniabayer
 
Aula De Administracao Marco 2010
Aula De Administracao   Marco 2010Aula De Administracao   Marco 2010
Aula De Administracao Marco 2010
themis dovera
 
Administração por objetivos TGA
Administração por objetivos TGAAdministração por objetivos TGA
Administração por objetivos TGA
Eliabe Denes
 
Trabalho de TGA I - Modelos de Organização
Trabalho de TGA I - Modelos de OrganizaçãoTrabalho de TGA I - Modelos de Organização
Trabalho de TGA I - Modelos de Organização
Josester Teixeira de Souza
 
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)
pdrohfa
 
Gestão de processos e qualidade
Gestão de processos e qualidadeGestão de processos e qualidade
Gestão de processos e qualidade
Gerisval Pessoa
 
Escolas De Administracao Aula 2
Escolas De Administracao   Aula 2Escolas De Administracao   Aula 2
Escolas De Administracao Aula 2
Future Press, E-Press, Presentations,
 
Administracao Por Objetivos
Administracao Por ObjetivosAdministracao Por Objetivos
Administracao Por Objetivos
roneibueno
 
Teoria da burocracia modelos de administração - 2013.2
Teoria da burocracia   modelos de administração - 2013.2Teoria da burocracia   modelos de administração - 2013.2
Teoria da burocracia modelos de administração - 2013.2
Jefferson Petilo
 
Gestão pela Qualidade Total
Gestão pela Qualidade TotalGestão pela Qualidade Total
Gestão pela Qualidade Total
UerjFundamentosDaAdministracao2013_1
 

Destaque (20)

Abordagem Contingencial e Administração por Objetivos
Abordagem Contingencial e Administração por ObjetivosAbordagem Contingencial e Administração por Objetivos
Abordagem Contingencial e Administração por Objetivos
 
Teoría de contingencia
Teoría de contingenciaTeoría de contingencia
Teoría de contingencia
 
Gestão Da Qualidade [ETEC KK]
Gestão Da Qualidade [ETEC KK]Gestão Da Qualidade [ETEC KK]
Gestão Da Qualidade [ETEC KK]
 
Gestão por Objetivos
Gestão por ObjetivosGestão por Objetivos
Gestão por Objetivos
 
Um novo olhar na geografia para os conceitos e aplicações de
Um novo olhar na geografia para os conceitos e aplicações deUm novo olhar na geografia para os conceitos e aplicações de
Um novo olhar na geografia para os conceitos e aplicações de
 
Slides abertura fctunl v3(27jan)
Slides abertura fctunl v3(27jan)Slides abertura fctunl v3(27jan)
Slides abertura fctunl v3(27jan)
 
Abordagem sistêmica da administração
Abordagem sistêmica da administração Abordagem sistêmica da administração
Abordagem sistêmica da administração
 
08. Administração por Objetivos
08. Administração por Objetivos08. Administração por Objetivos
08. Administração por Objetivos
 
Gestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade TotalGestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade Total
 
Teoria administrativa
Teoria administrativaTeoria administrativa
Teoria administrativa
 
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
 
Aula De Administracao Marco 2010
Aula De Administracao   Marco 2010Aula De Administracao   Marco 2010
Aula De Administracao Marco 2010
 
Administração por objetivos TGA
Administração por objetivos TGAAdministração por objetivos TGA
Administração por objetivos TGA
 
Trabalho de TGA I - Modelos de Organização
Trabalho de TGA I - Modelos de OrganizaçãoTrabalho de TGA I - Modelos de Organização
Trabalho de TGA I - Modelos de Organização
 
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)
 
Gestão de processos e qualidade
Gestão de processos e qualidadeGestão de processos e qualidade
Gestão de processos e qualidade
 
Escolas De Administracao Aula 2
Escolas De Administracao   Aula 2Escolas De Administracao   Aula 2
Escolas De Administracao Aula 2
 
Administracao Por Objetivos
Administracao Por ObjetivosAdministracao Por Objetivos
Administracao Por Objetivos
 
Teoria da burocracia modelos de administração - 2013.2
Teoria da burocracia   modelos de administração - 2013.2Teoria da burocracia   modelos de administração - 2013.2
Teoria da burocracia modelos de administração - 2013.2
 
Gestão pela Qualidade Total
Gestão pela Qualidade TotalGestão pela Qualidade Total
Gestão pela Qualidade Total
 

Semelhante a Resenha: Teoria Contingencial: Ambiente

Ambiente externo
Ambiente externoAmbiente externo
Ambiente externo
Felipe Leo
 
Ambiente organizacional sistema aberto ao intercâmbio de influências
Ambiente organizacional   sistema aberto ao intercâmbio de influênciasAmbiente organizacional   sistema aberto ao intercâmbio de influências
Ambiente organizacional sistema aberto ao intercâmbio de influências
Leonora Duarte
 
organizações
organizaçõesorganizações
organizações
Maurício José Tavares
 
Organização e os estudos organizacionais
Organização e os estudos organizacionaisOrganização e os estudos organizacionais
Organização e os estudos organizacionais
Francisco Junior Adm.Franciscojunior
 
Conceito de ambiente erika (1)
Conceito de ambiente erika (1)Conceito de ambiente erika (1)
Conceito de ambiente erika (1)
Diego Almeida
 
As organizações como sistema aberto
As organizações como sistema abertoAs organizações como sistema aberto
As organizações como sistema aberto
Universidade Pedagogica
 
Ead aula presencial - tga 2014 maio 2014
Ead aula  presencial - tga 2014 maio 2014Ead aula  presencial - tga 2014 maio 2014
Ead aula presencial - tga 2014 maio 2014
Endryelle Santos
 
Controladoria - Assunto da 1ª ap (2)
Controladoria - Assunto da 1ª ap (2)Controladoria - Assunto da 1ª ap (2)
Controladoria - Assunto da 1ª ap (2)
Gis Viana de Brito
 
Organização como um sistema aberto
Organização como um sistema abertoOrganização como um sistema aberto
Organização como um sistema aberto
Universidade Pedagogica
 
Responsabilidade Social das Organizações, prof. doutor Rui Teixeira Santos IS...
Responsabilidade Social das Organizações, prof. doutor Rui Teixeira Santos IS...Responsabilidade Social das Organizações, prof. doutor Rui Teixeira Santos IS...
Responsabilidade Social das Organizações, prof. doutor Rui Teixeira Santos IS...
A. Rui Teixeira Santos
 
CONCEITOS BÁSICOS DE GESTÃO
CONCEITOS BÁSICOS DE GESTÃOCONCEITOS BÁSICOS DE GESTÃO
CONCEITOS BÁSICOS DE GESTÃO
Francisco Pereira
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresa
Homero Alves de Lima
 
Trabalho cap. 18 (final)
Trabalho cap. 18 (final)Trabalho cap. 18 (final)
Trabalho cap. 18 (final)
Eduardo S. Leão Sancho
 
9013774
90137749013774
9013774
Julio Iacia
 
O ambiente e a cultura organizacional
O ambiente e a cultura organizacionalO ambiente e a cultura organizacional
O ambiente e a cultura organizacional
Danilo Alves
 
Administracao unidade02
Administracao unidade02Administracao unidade02
Administracao unidade02
koddyrj2011
 
A organização como um sistema aberto
A organização como um sistema abertoA organização como um sistema aberto
A organização como um sistema aberto
Universidade Pedagogica
 
Gestão Empresarial
Gestão EmpresarialGestão Empresarial
Gestão Empresarial
Sérgio Tessmann da Rocha
 
teoriadacontingncia-140218115535-phpapp02.pdf
teoriadacontingncia-140218115535-phpapp02.pdfteoriadacontingncia-140218115535-phpapp02.pdf
teoriadacontingncia-140218115535-phpapp02.pdf
JujuLima8
 
Aula 2 - Organizações e Organização
Aula 2 - Organizações e OrganizaçãoAula 2 - Organizações e Organização
Aula 2 - Organizações e Organização
Prof. Leonardo Rocha
 

Semelhante a Resenha: Teoria Contingencial: Ambiente (20)

Ambiente externo
Ambiente externoAmbiente externo
Ambiente externo
 
Ambiente organizacional sistema aberto ao intercâmbio de influências
Ambiente organizacional   sistema aberto ao intercâmbio de influênciasAmbiente organizacional   sistema aberto ao intercâmbio de influências
Ambiente organizacional sistema aberto ao intercâmbio de influências
 
organizações
organizaçõesorganizações
organizações
 
Organização e os estudos organizacionais
Organização e os estudos organizacionaisOrganização e os estudos organizacionais
Organização e os estudos organizacionais
 
Conceito de ambiente erika (1)
Conceito de ambiente erika (1)Conceito de ambiente erika (1)
Conceito de ambiente erika (1)
 
As organizações como sistema aberto
As organizações como sistema abertoAs organizações como sistema aberto
As organizações como sistema aberto
 
Ead aula presencial - tga 2014 maio 2014
Ead aula  presencial - tga 2014 maio 2014Ead aula  presencial - tga 2014 maio 2014
Ead aula presencial - tga 2014 maio 2014
 
Controladoria - Assunto da 1ª ap (2)
Controladoria - Assunto da 1ª ap (2)Controladoria - Assunto da 1ª ap (2)
Controladoria - Assunto da 1ª ap (2)
 
Organização como um sistema aberto
Organização como um sistema abertoOrganização como um sistema aberto
Organização como um sistema aberto
 
Responsabilidade Social das Organizações, prof. doutor Rui Teixeira Santos IS...
Responsabilidade Social das Organizações, prof. doutor Rui Teixeira Santos IS...Responsabilidade Social das Organizações, prof. doutor Rui Teixeira Santos IS...
Responsabilidade Social das Organizações, prof. doutor Rui Teixeira Santos IS...
 
CONCEITOS BÁSICOS DE GESTÃO
CONCEITOS BÁSICOS DE GESTÃOCONCEITOS BÁSICOS DE GESTÃO
CONCEITOS BÁSICOS DE GESTÃO
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresa
 
Trabalho cap. 18 (final)
Trabalho cap. 18 (final)Trabalho cap. 18 (final)
Trabalho cap. 18 (final)
 
9013774
90137749013774
9013774
 
O ambiente e a cultura organizacional
O ambiente e a cultura organizacionalO ambiente e a cultura organizacional
O ambiente e a cultura organizacional
 
Administracao unidade02
Administracao unidade02Administracao unidade02
Administracao unidade02
 
A organização como um sistema aberto
A organização como um sistema abertoA organização como um sistema aberto
A organização como um sistema aberto
 
Gestão Empresarial
Gestão EmpresarialGestão Empresarial
Gestão Empresarial
 
teoriadacontingncia-140218115535-phpapp02.pdf
teoriadacontingncia-140218115535-phpapp02.pdfteoriadacontingncia-140218115535-phpapp02.pdf
teoriadacontingncia-140218115535-phpapp02.pdf
 
Aula 2 - Organizações e Organização
Aula 2 - Organizações e OrganizaçãoAula 2 - Organizações e Organização
Aula 2 - Organizações e Organização
 

Mais de admetz01

Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e FlexívelResenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
admetz01
 
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
admetz01
 
Resenha: Teoria das Relações Humanas
Resenha: Teoria das Relações HumanasResenha: Teoria das Relações Humanas
Resenha: Teoria das Relações Humanas
admetz01
 
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da OrganizaçãoResenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
admetz01
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
admetz01
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
Resenha: Hierarquização das Necessidades de MaslowResenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
admetz01
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
admetz01
 
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia OrganizacionalResenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
admetz01
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois FatoresResenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
admetz01
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
admetz01
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e YResenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
admetz01
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das IdéiasResenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
admetz01
 
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e EspecializaçãoResenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
admetz01
 
Resenha - Teoria Clássica: Departamentalização
Resenha - Teoria Clássica: DepartamentalizaçãoResenha - Teoria Clássica: Departamentalização
Resenha - Teoria Clássica: Departamentalização
admetz01
 
Resenha - Teoria Clássica
Resenha - Teoria ClássicaResenha - Teoria Clássica
Resenha - Teoria Clássica
admetz01
 
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
admetz01
 
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e AutoridadeResenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
admetz01
 
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
admetz01
 
Resenha - Princípios da ADM Científica
Resenha - Princípios da ADM CientíficaResenha - Princípios da ADM Científica
Resenha - Princípios da ADM Científica
admetz01
 
Resenha - ADM Científica: Estudo da Fadiga Humana
Resenha - ADM Científica: Estudo da Fadiga Humana Resenha - ADM Científica: Estudo da Fadiga Humana
Resenha - ADM Científica: Estudo da Fadiga Humana
admetz01
 

Mais de admetz01 (20)

Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e FlexívelResenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
Resenha - Fordismo/Toyotismo: Princípios da Produção em Massa e Flexível
 
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
Resenha - Teoria de Sistemas: Conceitos de Sistemas
 
Resenha: Teoria das Relações Humanas
Resenha: Teoria das Relações HumanasResenha: Teoria das Relações Humanas
Resenha: Teoria das Relações Humanas
 
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da OrganizaçãoResenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
Resenha - Teoria Neoclássica: Princípios Básicos da Organização
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [2]
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
Resenha: Hierarquização das Necessidades de MaslowResenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow
 
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
Resenha: Hierarquização das Necessidades de Maslow [3]
 
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia OrganizacionalResenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois FatoresResenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y [2]
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e YResenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
Resenha - Teoria Comportamental: Teorias X e Y
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das IdéiasResenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
 
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e EspecializaçãoResenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização
 
Resenha - Teoria Clássica: Departamentalização
Resenha - Teoria Clássica: DepartamentalizaçãoResenha - Teoria Clássica: Departamentalização
Resenha - Teoria Clássica: Departamentalização
 
Resenha - Teoria Clássica
Resenha - Teoria ClássicaResenha - Teoria Clássica
Resenha - Teoria Clássica
 
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
Resenha - Princípios da ADM Científica [2]
 
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e AutoridadeResenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade
 
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
Resenha - Teoria Burocrática: Tipos de Sociedade e Autoridade [2]
 
Resenha - Princípios da ADM Científica
Resenha - Princípios da ADM CientíficaResenha - Princípios da ADM Científica
Resenha - Princípios da ADM Científica
 
Resenha - ADM Científica: Estudo da Fadiga Humana
Resenha - ADM Científica: Estudo da Fadiga Humana Resenha - ADM Científica: Estudo da Fadiga Humana
Resenha - ADM Científica: Estudo da Fadiga Humana
 

Resenha: Teoria Contingencial: Ambiente

  • 1. ESCOLA TÉCNICA ESDADUAL GUARACY SILVEIRA Teoria da Contingência Ambiente Larissa Oliveira Balon Nº15 Serie: 1ºET-Z São Paulo 2012 RESENHA
  • 2. TEORIA DA CONTINGÊNCIA AMBIENTE SOBRE O LIVRO: INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO: UMA VISÃO ABRANGENTE DA MODERNA ADMINISTRAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES / IDALBERTO CHIAVENATO – 7. ED. REV. E ATUAL. – RIO DE JANEIRO: ELSEVIER, 2003 – 13° REIMPRESSÃO. A teoria da contingência ela da ênfase no ambiente o autor da teoria fala sobre as diversas formas de avaliar o ambiente de uma empresa e como eles podem ser entendidos, e também indaga que as empresas têm o seu ambiente muito extenso e que envolve as empresas extremamente dentro da qual uma organização está inserida, isso faz com que tudo o que ocorre extremamente no ambiente passe a influenciar internamente o que ocorre na organização. Por seu ambiente ser extremamente vasto e complexo, as organizações não possa absorvê-lo, conhecê-lo e compreendê-lo em sua totalidade e complexidade, o ambiente é um contexto externo que apresenta uma enorme variedade de condições extremamente variáveis e complexas, difíceis de serem abordadas em seu conjunto e analisadas com objetividade. Para melhor entender de seu ambiente a organização precisa mapear seu espaço ambiental, porém esse mapeamento não é feito pela organização em si, mas pelas pessoas sujeitas ao subjetivismo e às diferenças que são seus dirigentes. Para lidar com a complexidade ambiental, as organizações selecionam seus ambientes e passam a visualizar o seu mundo exterior apenas na partes escolhidas e selecionadas desse enorme conjunto, é chamada seleção ambiental: apenas uma porção de todas as variáveis ambientais participa realmente do conhecimento e da experiência da organização ou de seus dirigentes, o ambiento por ser extremamente multivariado e complexo para compreender o que constitui o ambiente, tornar necessário analisá-lo de acordo com seu conteúdo, ou seja, com as complexas variáveis que o compõem. Por esse motivo, separamos o ambiente em dois extratos: o ambiente geral e o ambiente de tarefa. Ambiente Geral: é um tipo de ambiente genérico e comum a todas as organizações e tudo aquilo que acontece nele afeta diretamente ou indiretamente a organizações
  • 3. de maneira genérica, ele é constituído de um conjunto de sete condições comuns para todas as organizações; 1ª Tecnológicas: Que resumidamente o desenvolvimento que causa a inovações tecnológicas a uma organização com isso influenciando as outras organizações; 2ª Legais: Que são as leis de caráter comercial, trabalhista, fiscal civil e etc. criadas pela legislação vigente que constituem elementos normativos para a vida da organização; 3ª Políticas: São as decisões e definições políticas tomadas em nível federal, estadual e municipal que influenciam as organizações e que orientam as próprias condições econômicas; 4ª Econômicas: Constituem a conjuntura que determina o desenvolvimento econômico, de um lado, ou a retração econômica, do outro lado, e que condicionam fortemente as organizações; 5ª Demográficas: Como taxa de crescimento, populacional, raça, religião, sexo e idade entre outras do gênero são aspectos geográficos que determinam as características do mercado atual e futuro das organizações; 6ª Ecológicas: São as condições relacionadas com o quadro demográfico que envolve a organização, o ecossistema refere-se ao sistema de intercâmbio entre os seres vivos e seu ambiente já no casso da organização é chamada de ecologia social que elas podem ser influenciadas ou influenciar condições de aspectos como poluição, clima e etc.; 7ª Culturais: que é basicamente a cultura de um povo penetrando nas organizações. Ambiente de Tarefa: é o ambiente, mas próximo de cada organização, constitui o segmento do ambiente geral do qual a organização extrai suas entradas e deposita suas saídas, é o ambiente de operações de cada organização e é constituído por: primeiro são os Fornecedores de entradas que fornecem para a organização os tipos de recursos materiais necessários a ela como, por exemplo, matérias-primas ou recursos financeiros feito pelos fornecedores de capital e recursos humanos fornecedores de mão de obra; segundo os Clientes ou usuários: o consumidor dos produtos da organização; terceiro os Concorrentes: Cada organização não está sozinha, mas disputa com outras organizações os mesmos recursos e os mesmos tomadores de suas saídas, daí os concorrentes quanto aos recursos quanto aos consumidores; quarta as Entidades reguladoras: a organização está sujeita a uma porção de outras organizações que procuras fiscalizar as suas atividades. Tipologia de ambientes esta relacionada com o ambiente de tarefa para melhorar o entendimento do ambiente, são duas classificações de tipologias; primeiro: Quanto à
  • 4. sua estrutura, que são os ambientes homogêneo quando os fornecedores clientes das organizações são semelhantes o outro e ambiente heterogêneo que é diferenciação de fornecedores clientes das organizações; segundo:Quanto à sua dinâmica que são ambiente estável, é o ambiente que não varia não muda permanece o mesmo e se houver mudanças são muito pequenas que passam desapercebidas o outro é o ambiente instável, é o ambiente dinâmico que se caracteriza por muitas mudanças com isso o aparecimentos de novos problemas ambientais assim por diante. Um único ponto negativo da teoria da contingência é que ela dá ênfase no ambiente, e acaba não olhando para a parte de gestão de pessoas como a teoria das relações humanas mais apensar desse fato dela não se preocupar muito com as pessoas que formam a organização visa entender seu ambiente para melhorá-lo. A teoria da contingência-ambiente é recomendada para alunos, professores e empresários que necessitam entender o ambiente de uma organização tanto para ensinar um técnico em administração, como para solucionar problemas no ambiente de uma organização como as saídas e entradas de produtos ou matérias-primas para os alunos entenderem a importância de um administrador saber sobre os fatores que influencia o ambiente de uma organização para sempre acompanhar esses fatores para se atualizar. Idalberto Chiavenato nascido em 1936 no interior do estado de São Paulo é autor brasileiro na área de administração de empresas e de recursos humanos tendo seus livros utilizados por administradores no Brasil Atualmente, o professor Chiavenato atua como conselheiro no Conselho Regional de Administração do Estado de São Paulo e presidente do Instituto Chiavenato de Educação. É um dos autores nacionais mais conhecidos e respeitados na área de Administração de Empresas e Recursos Humanos; Ele descreve no prefácio de seu livro Introdução às Teorias Geral da Administração como um quase manual introdutório, quase uma antologia pela sua própria natureza, é destinado tanto aos estudantes de administração como a todos aqueles que necessitam de uma base conceitual e teórica indispensável à prática administrativa, além dessa obra o autor também compôs outros livros como cartas para um jovem administrador entre outros.
  • 5. Larissa Oliveira Balon, aluna do 1º módulo do Curso Técnico de Administração da ETEC Guaracy Silveira. Atividade realizada no decorrer da disciplina de Gestão Empresarial I.