SlideShare uma empresa Scribd logo
Victor Passo
O que se entende por ofensa?
E por reconciliação?

Qual a relação entre ofensa e
reconciliação?
A purificação de uma alma está
atrelada ao esquecimento da
ofensa?
 PERDÃO
Concessão, indefinida, de oportunidades para
que o ofensor se arrependa, o pecador se
recomponha, o criminoso se libere do mal e se
erga, redimido, para a ascensão luminosa.
RECONCILIAÇÃO

Restabelecimento de relações ou de acordo
entre duas pessoas que se haviam
desentendido.
Item 1

Na Antiguidade clássica grega, os filósofos
estavam mais preocupados com a questão do
conhecimento racional e da prática de conduta.

Item 2

No Velho Testamento, Deus perdoa ao
pecador que se acusa.

Item 3

Jesus não só anuncia esse perdão como
reivindicava e exercia o poder de perdoar pecados.

Item 4

Na época moderna, Pietro Ubaldi faz um
relacionamento lógico entre o perdão e a Lei
de Deus.
Ofensa depende do grau evolutivo, tanto do
ofendido quanto do ofensor.
Considerar-se injuriado depende também de
nosso estado emotivo, de nossa situação
financeira, da nossa sensibilidade.
Uma pessoa desempregada pode se sentir
ofendida simplesmente porque a outra lhe
manda trabalhar.
Já no Antigo Testamento, a Lei não só estabelece um
limite à vingança pela lei de talião, mas ainda proíbe o
ódio ao irmão, a vingança e rancor contra o próximo.
No Novo Testamento Jesus completa esse pensamento
dizendo que Deus não pode perdoar a quem não perdoa.
Por isso reitera que deveríamos perdoar não sete, mas
setenta vezes sete vezes, ou seja, indefinidamente.
Em O Evangelho Segundo o Espiritismo vamos encontrar
diversos pensamentos acerca do perdão das ofensas.

O principal de tudo isso é não guardar rancor no
coração, de espécie alguma.
O Texto Evangélico
“Reconciliai-vos, o mais depressa, com vosso
adversário, enquanto estais com ele a
caminho, a fim de que vosso adversário não vos
entregue ao juiz, e que o juiz não vos entregue
ao ministro da justiça, e que não sejais
aprisionado.
Eu vos digo, em verdade, que não saireis de
lá, enquanto não houverdes pago até o último
ceitil”. (Mateus, cap. V., 25,26)
A Morte não nos Liberta dos Inimigos
De acordo com os pressupostos
espíritas, a morte não nos livra dos
nossos inimigos, pois eles continuam
vivos além-túmulos.
Acontece que a ausência da vestimenta
física é um elemento de maior
facilidade para o ataque mental.
As obsessões surgem deste funesto
sentimento de vingança e de ódio de
quem se foi para outra vida.

Descuidando-nos da oração e da
vigilância, seremos vítimas fáceis
do assédio deles.
LEI DE DEUS
Allan Kardec, na questão 621 de O Livro dos
Espíritos, diz-nos que a Lei de Deus está escrita na
consciência do ser.
Disto resulta que tudo o que fizermos devemos
prestar contas à Lei.

Na questão 617 A: “Entre as leis divinas, umas
regulam o movimento e as relações da matéria bruta:
são as leis físicas; seu estudo pertence ao domínio da
Ciência. As outras concernem especialmente ao
homem e às suas relações com Deus e com os seus
semelhantes. Compreendem as regras da vida do
corpo e as da vida da alma: são as leis morais”.

Victor Passos
Recebida uma
ofensa temos duas
soluções:
A do Mundo e a
do Evangelho.

A solução do Mundo

A solução Evangélica

Prende-se à superfície
do problema, pois induznos a cometer um mal
para reparar o mal que
nos tenha sido feito.

É mais profunda, porque vai
à essência do problema, da
questão, porque estimulanos a não revidar o mal com
o mal, mas com o bem, ou
seja, o perdão das ofensas.
1) A reação é um direito que não
pertence ao homem, mas só à Lei de
Deus.
2) Se desejamos justiça, estejamos
certos: a reação da Lei é muito mais
poderosa que as nossas.
3) Com nossa reação humana não
afastamos e nem apagamos o mal, a
não ser na aparência e
provisoriamente, porque não
eliminada a sua causa ele voltará para
nós.
.

Victor Passos

O correto seria agir da seguinte
forma:
1) Renunciar à vingança;
2) Perdoar a ofensa;
3) Esquecer de exigir justiça.

Se esquecermos de exigir justiça
para o nosso caso particular, ele
acabará pertencendo à Lei e
ficaremos livres de qualquer
dívida.
Humilhemo-nos, renunciemos à
nossa personalidade, culpemo-nos
antes de culparmos o próximo e
suportemos as injunções do
destino, sem reclamações.

Estes
são
os
verdadeiros
exercícios
do
perdão
incondicional, os que realmente
fortalecem a nossa alma para a
subida pedregosa nos horizontes
da perfeição do ser.

Victor Passos
BIBLIOGRAFIA
KARDEC, A.. O Evangelho Segundo o
Espiritismo. 39. ed., São Paulo: IDE, 1984.
KARDEC, A.. O Livro dos Espíritos. 8.
ed., São Paulo: FEESP, 1995.
LEON-DUFOUR, X. e OUTROS.
Vocabulário de Teologia Bíblica. Rio de
Janeiro: Vozes, 1972.
ROHDEN, H. Mahatma Gandhi - Idéias e
Ideais de um Político Místico. 6. ed., São
Paulo: Alvorada, 1982.
SANTOS, M. F. dos. Dicionário de Filosofia
e Ciências Culturais. 3. ed., São Paulo:
Matese, 1965.
UBALDI, P. A Lei de Deus. 2. ed., Rio de
Janeiro: Fundação Pietro Ubaldi, 1982.

Victor Passos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
Marcos Antônio Alves
 
Reconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversáriosReconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversários
Marcelo Bomfim de Aguiar
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
Lorena Dias
 
Causas das aflições
Causas das afliçõesCausas das aflições
Causas das aflições
Eduardo Ottonelli Pithan
 
O sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a DeusO sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a Deus
Izabel Cristina Fonseca
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Divulgador do Espiritismo
 
Humildade - A primeira virtude
Humildade - A primeira virtudeHumildade - A primeira virtude
Humildade - A primeira virtude
Ricardo Azevedo
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
Graça Maciel
 
A dinãmica do perdão
A dinãmica do perdão A dinãmica do perdão
A dinãmica do perdão
Leonardo Pereira
 
O cristo consolador
O cristo consoladorO cristo consolador
O cristo consolador
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Divulgador do Espiritismo
 
Jesus o medico das almas
Jesus  o medico das almasJesus  o medico das almas
Jesus o medico das almas
Claudio Macedo
 
Palestra trabalhadores da última hora - daura - seja - 2014
Palestra   trabalhadores da última hora - daura - seja - 2014Palestra   trabalhadores da última hora - daura - seja - 2014
Palestra trabalhadores da última hora - daura - seja - 2014
Daura Alves
 
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
Rosana De Rosa
 
(Livro Boa nova) Cap. 8 Bom animo
(Livro Boa nova) Cap. 8   Bom animo(Livro Boa nova) Cap. 8   Bom animo
(Livro Boa nova) Cap. 8 Bom animo
Patricia Farias
 
O médico Jesus
O médico JesusO médico Jesus
O médico Jesus
Irene Muttoni Rabaiolli
 
Nao Julgues Compreenda
Nao Julgues CompreendaNao Julgues Compreenda
Nao Julgues Compreenda
Graça Maciel
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
alice martins
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
Anderson Dias
 

Mais procurados (20)

Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
Reconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversáriosReconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversários
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
 
Causas das aflições
Causas das afliçõesCausas das aflições
Causas das aflições
 
O sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a DeusO sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a Deus
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
 
Humildade - A primeira virtude
Humildade - A primeira virtudeHumildade - A primeira virtude
Humildade - A primeira virtude
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
 
A dinãmica do perdão
A dinãmica do perdão A dinãmica do perdão
A dinãmica do perdão
 
O cristo consolador
O cristo consoladorO cristo consolador
O cristo consolador
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
 
Jesus o medico das almas
Jesus  o medico das almasJesus  o medico das almas
Jesus o medico das almas
 
Palestra trabalhadores da última hora - daura - seja - 2014
Palestra   trabalhadores da última hora - daura - seja - 2014Palestra   trabalhadores da última hora - daura - seja - 2014
Palestra trabalhadores da última hora - daura - seja - 2014
 
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
 
(Livro Boa nova) Cap. 8 Bom animo
(Livro Boa nova) Cap. 8   Bom animo(Livro Boa nova) Cap. 8   Bom animo
(Livro Boa nova) Cap. 8 Bom animo
 
O médico Jesus
O médico JesusO médico Jesus
O médico Jesus
 
Nao Julgues Compreenda
Nao Julgues CompreendaNao Julgues Compreenda
Nao Julgues Compreenda
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
 

Destaque

Perdão na visão espírita
Perdão na visão espíritaPerdão na visão espírita
Perdão na visão espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Palestra slide perdão e reconciliação
Palestra slide perdão e reconciliaçãoPalestra slide perdão e reconciliação
Palestra slide perdão e reconciliação
Pr Ismael Carvalho
 
O Perdão
O PerdãoO Perdão
O Perdão
-
 
O exercício do perdão
O exercício do perdãoO exercício do perdão
O exercício do perdão
valdirfas
 
Palestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoarPalestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoar
André Nunes E Clarisa
 
A tres passos de uma alegria conjugal
A tres passos de uma alegria conjugalA tres passos de uma alegria conjugal
A tres passos de uma alegria conjugal
Pr Ismael Carvalho
 
Reconciliar se com os adversários cefa
Reconciliar se com os adversários cefaReconciliar se com os adversários cefa
Reconciliar se com os adversários cefa
balsense
 
Reconciliai-vos com vosso adversário
Reconciliai-vos com vosso adversárioReconciliai-vos com vosso adversário
Reconciliai-vos com vosso adversário
home
 
O cristão e o perdão
O cristão e  o perdãoO cristão e  o perdão
O cristão e o perdão
Paulo Roberto
 
O perdão a luz da psicologia de jesus
O perdão a luz da psicologia de jesusO perdão a luz da psicologia de jesus
O perdão a luz da psicologia de jesus
pmabonfim
 
Decisões importantes para o seu casamento ppt
Decisões importantes para o seu casamento pptDecisões importantes para o seu casamento ppt
Decisões importantes para o seu casamento ppt
Ministerio de Casais Amovc
 
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos EspíritosInstituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação
 
Apresentação o espírita e a reforma íntima
Apresentação o espírita e a reforma íntimaApresentação o espírita e a reforma íntima
Apresentação o espírita e a reforma íntima
Idéias Luz
 
Inimigos desencarnados
Inimigos desencarnadosInimigos desencarnados
Inimigos desencarnados
Graça Maciel
 
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos EspíritosAula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
contatodoutrina2013
 
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda divaldo franco
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda  divaldo francoJesus e o evangelho á luz da psicologia profunda  divaldo franco
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda divaldo franco
Helio Cruz
 
Os espíritas diante da morte
Os espíritas diante da morteOs espíritas diante da morte
Os espíritas diante da morte
home
 
Lição 11 relacionamento e perdão
Lição 11 relacionamento e perdãoLição 11 relacionamento e perdão
Lição 11 relacionamento e perdão
boasnovassena
 
Reconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversariosReconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversarios
Rivaldo Guedes Corrêa. Jr
 
Vf052
Vf052Vf052

Destaque (20)

Perdão na visão espírita
Perdão na visão espíritaPerdão na visão espírita
Perdão na visão espírita
 
Palestra slide perdão e reconciliação
Palestra slide perdão e reconciliaçãoPalestra slide perdão e reconciliação
Palestra slide perdão e reconciliação
 
O Perdão
O PerdãoO Perdão
O Perdão
 
O exercício do perdão
O exercício do perdãoO exercício do perdão
O exercício do perdão
 
Palestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoarPalestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoar
 
A tres passos de uma alegria conjugal
A tres passos de uma alegria conjugalA tres passos de uma alegria conjugal
A tres passos de uma alegria conjugal
 
Reconciliar se com os adversários cefa
Reconciliar se com os adversários cefaReconciliar se com os adversários cefa
Reconciliar se com os adversários cefa
 
Reconciliai-vos com vosso adversário
Reconciliai-vos com vosso adversárioReconciliai-vos com vosso adversário
Reconciliai-vos com vosso adversário
 
O cristão e o perdão
O cristão e  o perdãoO cristão e  o perdão
O cristão e o perdão
 
O perdão a luz da psicologia de jesus
O perdão a luz da psicologia de jesusO perdão a luz da psicologia de jesus
O perdão a luz da psicologia de jesus
 
Decisões importantes para o seu casamento ppt
Decisões importantes para o seu casamento pptDecisões importantes para o seu casamento ppt
Decisões importantes para o seu casamento ppt
 
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos EspíritosInstituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
 
Apresentação o espírita e a reforma íntima
Apresentação o espírita e a reforma íntimaApresentação o espírita e a reforma íntima
Apresentação o espírita e a reforma íntima
 
Inimigos desencarnados
Inimigos desencarnadosInimigos desencarnados
Inimigos desencarnados
 
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos EspíritosAula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
 
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda divaldo franco
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda  divaldo francoJesus e o evangelho á luz da psicologia profunda  divaldo franco
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda divaldo franco
 
Os espíritas diante da morte
Os espíritas diante da morteOs espíritas diante da morte
Os espíritas diante da morte
 
Lição 11 relacionamento e perdão
Lição 11 relacionamento e perdãoLição 11 relacionamento e perdão
Lição 11 relacionamento e perdão
 
Reconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversariosReconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversarios
 
Vf052
Vf052Vf052
Vf052
 

Semelhante a Palestra Perdão e Reconciliação

Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
Helio Cruz
 
Lição 8 Complexo de culpa, o tormento da alma humana
Lição 8   Complexo de culpa, o tormento da alma humanaLição 8   Complexo de culpa, o tormento da alma humana
Lição 8 Complexo de culpa, o tormento da alma humana
Escol Dominical
 
Compromisso Com A Consciência
Compromisso Com A ConsciênciaCompromisso Com A Consciência
Compromisso Com A Consciência
Grupo Espírita Cristão
 
ModuloX_Rot. 4 (3).ppt
ModuloX_Rot. 4 (3).pptModuloX_Rot. 4 (3).ppt
ModuloX_Rot. 4 (3).ppt
DeniseTofanello
 
( Espiritismo) # - adesio a machado - carma, expiacoes e provas
( Espiritismo)   # - adesio a machado - carma, expiacoes e provas( Espiritismo)   # - adesio a machado - carma, expiacoes e provas
( Espiritismo) # - adesio a machado - carma, expiacoes e provas
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Curso de escatologia (7) juízo e purgatório
Curso de escatologia (7) juízo e purgatórioCurso de escatologia (7) juízo e purgatório
Curso de escatologia (7) juízo e purgatório
Afonso Murad (FAJE)
 
Pena de morte
Pena de mortePena de morte
Evangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismoEvangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismo
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são MisericordiososEvangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
Patricia Farias
 
Livre arbítrio e lei de causa e efeito
Livre arbítrio e lei de causa e efeitoLivre arbítrio e lei de causa e efeito
Livre arbítrio e lei de causa e efeito
Ailton Guimaraes
 
Boletim o pae novembro 2019
Boletim o pae   novembro 2019 Boletim o pae   novembro 2019
Boletim o pae novembro 2019
O PAE PAE
 
Enquanto estamos a caminho
Enquanto estamos a caminhoEnquanto estamos a caminho
Enquanto estamos a caminho
Helio Cruz
 
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
apqbarros
 
49399532 servindo-a-deus
49399532 servindo-a-deus49399532 servindo-a-deus
49399532 servindo-a-deus
Antonio Ferreira
 
CapíTulo 4 Original
CapíTulo 4 OriginalCapíTulo 4 Original
CapíTulo 4 Original
jmeirelles
 
SLIDES - Panorama do Estudo da Doutrina da Salvação - Soteriologia.pdf
SLIDES - Panorama do Estudo da Doutrina da Salvação - Soteriologia.pdfSLIDES - Panorama do Estudo da Doutrina da Salvação - Soteriologia.pdf
SLIDES - Panorama do Estudo da Doutrina da Salvação - Soteriologia.pdf
MessiasBarbosa10
 
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de EspiritismoAula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
liliancostadias
 
O que Deve Fazer quem se Encontra sob uma Tentação Dominante - John Owen
O que Deve Fazer quem se Encontra sob uma Tentação Dominante - John OwenO que Deve Fazer quem se Encontra sob uma Tentação Dominante - John Owen
O que Deve Fazer quem se Encontra sob uma Tentação Dominante - John Owen
Silvio Dutra
 
Estudos do evangelho 7
Estudos do evangelho 7Estudos do evangelho 7
Estudos do evangelho 7
Leonardo Pereira
 
3 romanos.pptx
3 romanos.pptx3 romanos.pptx
3 romanos.pptx
PIB Penha - SP
 

Semelhante a Palestra Perdão e Reconciliação (20)

Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
 
Lição 8 Complexo de culpa, o tormento da alma humana
Lição 8   Complexo de culpa, o tormento da alma humanaLição 8   Complexo de culpa, o tormento da alma humana
Lição 8 Complexo de culpa, o tormento da alma humana
 
Compromisso Com A Consciência
Compromisso Com A ConsciênciaCompromisso Com A Consciência
Compromisso Com A Consciência
 
ModuloX_Rot. 4 (3).ppt
ModuloX_Rot. 4 (3).pptModuloX_Rot. 4 (3).ppt
ModuloX_Rot. 4 (3).ppt
 
( Espiritismo) # - adesio a machado - carma, expiacoes e provas
( Espiritismo)   # - adesio a machado - carma, expiacoes e provas( Espiritismo)   # - adesio a machado - carma, expiacoes e provas
( Espiritismo) # - adesio a machado - carma, expiacoes e provas
 
Curso de escatologia (7) juízo e purgatório
Curso de escatologia (7) juízo e purgatórioCurso de escatologia (7) juízo e purgatório
Curso de escatologia (7) juízo e purgatório
 
Pena de morte
Pena de mortePena de morte
Pena de morte
 
Evangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismoEvangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismo
 
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são MisericordiososEvangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
 
Livre arbítrio e lei de causa e efeito
Livre arbítrio e lei de causa e efeitoLivre arbítrio e lei de causa e efeito
Livre arbítrio e lei de causa e efeito
 
Boletim o pae novembro 2019
Boletim o pae   novembro 2019 Boletim o pae   novembro 2019
Boletim o pae novembro 2019
 
Enquanto estamos a caminho
Enquanto estamos a caminhoEnquanto estamos a caminho
Enquanto estamos a caminho
 
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
 
49399532 servindo-a-deus
49399532 servindo-a-deus49399532 servindo-a-deus
49399532 servindo-a-deus
 
CapíTulo 4 Original
CapíTulo 4 OriginalCapíTulo 4 Original
CapíTulo 4 Original
 
SLIDES - Panorama do Estudo da Doutrina da Salvação - Soteriologia.pdf
SLIDES - Panorama do Estudo da Doutrina da Salvação - Soteriologia.pdfSLIDES - Panorama do Estudo da Doutrina da Salvação - Soteriologia.pdf
SLIDES - Panorama do Estudo da Doutrina da Salvação - Soteriologia.pdf
 
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de EspiritismoAula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
 
O que Deve Fazer quem se Encontra sob uma Tentação Dominante - John Owen
O que Deve Fazer quem se Encontra sob uma Tentação Dominante - John OwenO que Deve Fazer quem se Encontra sob uma Tentação Dominante - John Owen
O que Deve Fazer quem se Encontra sob uma Tentação Dominante - John Owen
 
Estudos do evangelho 7
Estudos do evangelho 7Estudos do evangelho 7
Estudos do evangelho 7
 
3 romanos.pptx
3 romanos.pptx3 romanos.pptx
3 romanos.pptx
 

Mais de Victor Passos

Exercicio final curso ferramentas web
Exercicio final curso ferramentas webExercicio final curso ferramentas web
Exercicio final curso ferramentas web
Victor Passos
 
Utilização educativa das TIC
Utilização educativa das TICUtilização educativa das TIC
Utilização educativa das TIC
Victor Passos
 
Utilização educativa das TIC
Utilização educativa das TICUtilização educativa das TIC
Utilização educativa das TIC
Victor Passos
 
Tarefa P2P- modulo 4 obrigatoria
Tarefa P2P- modulo 4 obrigatoriaTarefa P2P- modulo 4 obrigatoria
Tarefa P2P- modulo 4 obrigatoria
Victor Passos
 
Exercicio obrigatório modulo 3 - 3.2
Exercicio obrigatório modulo  3 -  3.2Exercicio obrigatório modulo  3 -  3.2
Exercicio obrigatório modulo 3 - 3.2
Victor Passos
 
Modulo 2 - exercicio obrigatorio
Modulo 2 -  exercicio obrigatorioModulo 2 -  exercicio obrigatorio
Modulo 2 - exercicio obrigatorio
Victor Passos
 
Curso de Pesquisa e Gestão de informação Web - Modulo 2 tarefa
Curso de Pesquisa e Gestão de informação  Web - Modulo 2  tarefaCurso de Pesquisa e Gestão de informação  Web - Modulo 2  tarefa
Curso de Pesquisa e Gestão de informação Web - Modulo 2 tarefa
Victor Passos
 
Modulo 1 - Pesquisa web
Modulo 1 - Pesquisa webModulo 1 - Pesquisa web
Modulo 1 - Pesquisa web
Victor Passos
 
Espiritualidade e emoções
Espiritualidade e emoçõesEspiritualidade e emoções
Espiritualidade e emoções
Victor Passos
 
Desperte e seja feliz final
Desperte e seja feliz finalDesperte e seja feliz final
Desperte e seja feliz final
Victor Passos
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
Victor Passos
 
Conflitos familiares
Conflitos familiaresConflitos familiares
Conflitos familiares
Victor Passos
 
Orgulho pai de todos os vicios
Orgulho pai de todos os viciosOrgulho pai de todos os vicios
Orgulho pai de todos os vicios
Victor Passos
 
Obreiros de ultima hora
Obreiros de ultima horaObreiros de ultima hora
Obreiros de ultima hora
Victor Passos
 
A prece
A preceA prece
A prece
Victor Passos
 
Mediunidade e corpo fisico
Mediunidade e corpo fisicoMediunidade e corpo fisico
Mediunidade e corpo fisico
Victor Passos
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
Victor Passos
 
Reencarnação oportunidade
Reencarnação oportunidadeReencarnação oportunidade
Reencarnação oportunidade
Victor Passos
 
Doença – a cura – a autocura
Doença – a cura – a autocuraDoença – a cura – a autocura
Doença – a cura – a autocura
Victor Passos
 
Obsessões, prevenção tratamento e cura
Obsessões, prevenção tratamento e curaObsessões, prevenção tratamento e cura
Obsessões, prevenção tratamento e cura
Victor Passos
 

Mais de Victor Passos (20)

Exercicio final curso ferramentas web
Exercicio final curso ferramentas webExercicio final curso ferramentas web
Exercicio final curso ferramentas web
 
Utilização educativa das TIC
Utilização educativa das TICUtilização educativa das TIC
Utilização educativa das TIC
 
Utilização educativa das TIC
Utilização educativa das TICUtilização educativa das TIC
Utilização educativa das TIC
 
Tarefa P2P- modulo 4 obrigatoria
Tarefa P2P- modulo 4 obrigatoriaTarefa P2P- modulo 4 obrigatoria
Tarefa P2P- modulo 4 obrigatoria
 
Exercicio obrigatório modulo 3 - 3.2
Exercicio obrigatório modulo  3 -  3.2Exercicio obrigatório modulo  3 -  3.2
Exercicio obrigatório modulo 3 - 3.2
 
Modulo 2 - exercicio obrigatorio
Modulo 2 -  exercicio obrigatorioModulo 2 -  exercicio obrigatorio
Modulo 2 - exercicio obrigatorio
 
Curso de Pesquisa e Gestão de informação Web - Modulo 2 tarefa
Curso de Pesquisa e Gestão de informação  Web - Modulo 2  tarefaCurso de Pesquisa e Gestão de informação  Web - Modulo 2  tarefa
Curso de Pesquisa e Gestão de informação Web - Modulo 2 tarefa
 
Modulo 1 - Pesquisa web
Modulo 1 - Pesquisa webModulo 1 - Pesquisa web
Modulo 1 - Pesquisa web
 
Espiritualidade e emoções
Espiritualidade e emoçõesEspiritualidade e emoções
Espiritualidade e emoções
 
Desperte e seja feliz final
Desperte e seja feliz finalDesperte e seja feliz final
Desperte e seja feliz final
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
 
Conflitos familiares
Conflitos familiaresConflitos familiares
Conflitos familiares
 
Orgulho pai de todos os vicios
Orgulho pai de todos os viciosOrgulho pai de todos os vicios
Orgulho pai de todos os vicios
 
Obreiros de ultima hora
Obreiros de ultima horaObreiros de ultima hora
Obreiros de ultima hora
 
A prece
A preceA prece
A prece
 
Mediunidade e corpo fisico
Mediunidade e corpo fisicoMediunidade e corpo fisico
Mediunidade e corpo fisico
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
Reencarnação oportunidade
Reencarnação oportunidadeReencarnação oportunidade
Reencarnação oportunidade
 
Doença – a cura – a autocura
Doença – a cura – a autocuraDoença – a cura – a autocura
Doença – a cura – a autocura
 
Obsessões, prevenção tratamento e cura
Obsessões, prevenção tratamento e curaObsessões, prevenção tratamento e cura
Obsessões, prevenção tratamento e cura
 

Último

PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
ElijainaVelozoGonalv
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 

Último (18)

PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 

Palestra Perdão e Reconciliação

  • 2. O que se entende por ofensa? E por reconciliação? Qual a relação entre ofensa e reconciliação? A purificação de uma alma está atrelada ao esquecimento da ofensa?
  • 3.  PERDÃO Concessão, indefinida, de oportunidades para que o ofensor se arrependa, o pecador se recomponha, o criminoso se libere do mal e se erga, redimido, para a ascensão luminosa. RECONCILIAÇÃO Restabelecimento de relações ou de acordo entre duas pessoas que se haviam desentendido.
  • 4. Item 1 Na Antiguidade clássica grega, os filósofos estavam mais preocupados com a questão do conhecimento racional e da prática de conduta. Item 2 No Velho Testamento, Deus perdoa ao pecador que se acusa. Item 3 Jesus não só anuncia esse perdão como reivindicava e exercia o poder de perdoar pecados. Item 4 Na época moderna, Pietro Ubaldi faz um relacionamento lógico entre o perdão e a Lei de Deus.
  • 5. Ofensa depende do grau evolutivo, tanto do ofendido quanto do ofensor. Considerar-se injuriado depende também de nosso estado emotivo, de nossa situação financeira, da nossa sensibilidade. Uma pessoa desempregada pode se sentir ofendida simplesmente porque a outra lhe manda trabalhar.
  • 6. Já no Antigo Testamento, a Lei não só estabelece um limite à vingança pela lei de talião, mas ainda proíbe o ódio ao irmão, a vingança e rancor contra o próximo. No Novo Testamento Jesus completa esse pensamento dizendo que Deus não pode perdoar a quem não perdoa. Por isso reitera que deveríamos perdoar não sete, mas setenta vezes sete vezes, ou seja, indefinidamente. Em O Evangelho Segundo o Espiritismo vamos encontrar diversos pensamentos acerca do perdão das ofensas. O principal de tudo isso é não guardar rancor no coração, de espécie alguma.
  • 7. O Texto Evangélico “Reconciliai-vos, o mais depressa, com vosso adversário, enquanto estais com ele a caminho, a fim de que vosso adversário não vos entregue ao juiz, e que o juiz não vos entregue ao ministro da justiça, e que não sejais aprisionado. Eu vos digo, em verdade, que não saireis de lá, enquanto não houverdes pago até o último ceitil”. (Mateus, cap. V., 25,26)
  • 8.
  • 9. A Morte não nos Liberta dos Inimigos De acordo com os pressupostos espíritas, a morte não nos livra dos nossos inimigos, pois eles continuam vivos além-túmulos. Acontece que a ausência da vestimenta física é um elemento de maior facilidade para o ataque mental. As obsessões surgem deste funesto sentimento de vingança e de ódio de quem se foi para outra vida. Descuidando-nos da oração e da vigilância, seremos vítimas fáceis do assédio deles.
  • 10. LEI DE DEUS Allan Kardec, na questão 621 de O Livro dos Espíritos, diz-nos que a Lei de Deus está escrita na consciência do ser. Disto resulta que tudo o que fizermos devemos prestar contas à Lei. Na questão 617 A: “Entre as leis divinas, umas regulam o movimento e as relações da matéria bruta: são as leis físicas; seu estudo pertence ao domínio da Ciência. As outras concernem especialmente ao homem e às suas relações com Deus e com os seus semelhantes. Compreendem as regras da vida do corpo e as da vida da alma: são as leis morais”. Victor Passos
  • 11. Recebida uma ofensa temos duas soluções: A do Mundo e a do Evangelho. A solução do Mundo A solução Evangélica Prende-se à superfície do problema, pois induznos a cometer um mal para reparar o mal que nos tenha sido feito. É mais profunda, porque vai à essência do problema, da questão, porque estimulanos a não revidar o mal com o mal, mas com o bem, ou seja, o perdão das ofensas.
  • 12. 1) A reação é um direito que não pertence ao homem, mas só à Lei de Deus. 2) Se desejamos justiça, estejamos certos: a reação da Lei é muito mais poderosa que as nossas. 3) Com nossa reação humana não afastamos e nem apagamos o mal, a não ser na aparência e provisoriamente, porque não eliminada a sua causa ele voltará para nós. . Victor Passos O correto seria agir da seguinte forma: 1) Renunciar à vingança; 2) Perdoar a ofensa; 3) Esquecer de exigir justiça. Se esquecermos de exigir justiça para o nosso caso particular, ele acabará pertencendo à Lei e ficaremos livres de qualquer dívida.
  • 13. Humilhemo-nos, renunciemos à nossa personalidade, culpemo-nos antes de culparmos o próximo e suportemos as injunções do destino, sem reclamações. Estes são os verdadeiros exercícios do perdão incondicional, os que realmente fortalecem a nossa alma para a subida pedregosa nos horizontes da perfeição do ser. Victor Passos
  • 14. BIBLIOGRAFIA KARDEC, A.. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 39. ed., São Paulo: IDE, 1984. KARDEC, A.. O Livro dos Espíritos. 8. ed., São Paulo: FEESP, 1995. LEON-DUFOUR, X. e OUTROS. Vocabulário de Teologia Bíblica. Rio de Janeiro: Vozes, 1972. ROHDEN, H. Mahatma Gandhi - Idéias e Ideais de um Político Místico. 6. ed., São Paulo: Alvorada, 1982. SANTOS, M. F. dos. Dicionário de Filosofia e Ciências Culturais. 3. ed., São Paulo: Matese, 1965. UBALDI, P. A Lei de Deus. 2. ed., Rio de Janeiro: Fundação Pietro Ubaldi, 1982. Victor Passos