SlideShare uma empresa Scribd logo
Tomada de consciência
Com base no conto “O Merecimento”, do livro A Vida Escreve, pelo Espírito
Hilário Silva. (Momento de Paz Maria da Luz).
Esta página conta a história de alguém que adotou a lei de Talião para resgate
das suas faltas.
Conta-nos assim o autor:
Saturnino Pereira era francamente dos melhores homens. Companheiro dos
humildes. A caridade em pessoa. Nas maiores dificuldades, era um sorriso
generoso, parecendo raio de sol dissipando as sombras. Por isso mesmo,
quando foi visto de mão a sangrar, junto à máquina de que era condutor, todas
as atenções se voltaram para ele, entre o pasmo e a amargura.
Saturnino ferido! Logo Saturnino, o amigo de todos. Suas colegas de fábrica
rasgaram peças de roupa, a fim de estancar o sangue a correr em bica. O chefe
da tecelagem, solícito, conduziu-o ao automóvel, internando-o de pronto em
magnífico hospital. Operação feliz. O cirurgião informou, sorrindo:
Felizmente, nosso amigo perderá simplesmente o polegar. Todo o braço direito
está ferido, traumatizado, mas será reconstituído em tempo breve. Longe desse
quadro, porém, o caso merecia apontamentos diversos:
- Por que um desastre desses com um homem tão bom? Murmurava uma
companheira.
- Tenho visto tantas mãos criminosas saírem ilesas, até mesmo de aviões
projetados ao solo, e justamente Saturnino, que nos ajuda a todos, vem de ser
vítima! Comentava um amigo.
- Devemos ajudar Saturnino.
- Cotizemo-nos todos para ajudá-lo.
Mas também não faltou quem dissesse:
- Que adianta a religião, tão bem observada?
Saturnino é espírita convicto e leva a sério o seu ideal. Vive para os outros. Na
caridade é um herói anônimo. Por que o infausto acontecimento? Expressava-
se um colega materialista.
E a tarde, quando o acidentado apareceu muito pálido, com o braço direito na
tipoia, carinho e respeito rodearam-no por todos os lados, Saturnino agradeceu
a generosidade de que fora objeto. Sorriu, resignado. Contudo, estava triste.
À noite, em companhia da esposa, compareceu à reunião habitual do templo
espírita que frequentava. (...) Macário, o orientador espiritual das tarefas
dirigiu-se a ele: -Saturnino, meu filho, não se creia desamparado, nem se
entregue a tristeza inútil. O Pai não deseja o sofrimento dos filhos. Todas as
dores decretadas pela Justiça Divina são aliviadas pela Divina Misericórdia,
toda vez que nos apresentamos em condições para o desagravo. Você hoje
demonstra indiscutível abatimento. Entretanto, não tem motivo.
Quando você se preparava ao mergulho no berço terrestre, programou a
excursão presente. Excursão de trabalho, de reajuste. Acontece, porém, que
formulou uma sentença contra você mesmo. Implorou existência humilde em
que viesse a perder no trabalho o braço mais útil.
Mas, você desde a primeira mocidade, ao conhecer a Doutrina Espírita, tem os
pés no caminho do bem aos outros. Sei, porém, que hoje, por débito legítimo,
alijaria você todo o braço, mas perdeu só um dedo.
REFLEXÃO:
Deus nos criou espíritos ignorantes, com a missão de evoluirmos em sua
direção. Todos trazem em si características instintivas, provenientes de seu
estado animal. Apesar de necessitarem viver em sociedade, de um modo geral,
isolam-se dentro de si mesmos, em atitudes egocêntricas, o que parece ser um
contrassenso: como precisar de nosso irmão para sobreviver, mas desprezá-lo
diante dos próprios interesses.
A evolução do homem é um impulso natural, que Deus, inteligência suprema e
causa primária de todas as coisas, plantou nos espíritos de Seus filhos.
Para isto, deu-lhes a reencarnação e o esquecimento do passado, como
oportunidade de fazerem e refazerem seus caminhos.
Dotou-os também da capacidade de pensar e, através do livre-arbítrio, têm o
poder de decidir os seus próprios caminhos, sendo constantemente
impulsionados para o autoaprimoramento, e para a melhoria do mundo em que
vive.
A evolução é uma necessidade do espírito do homem, e o aprimoramento do
homem, como espírito livre, requer seu amadurecimento constante, e a busca
de si próprio como ser consciente de sua natureza e de sua importância. Se
queres evoluir, conhece-te a ti mesmo.
O ser consciente de si próprio, de seu estado, de sua natureza, é capaz de
conhecer, entender, aceitar, admitir e amar sua missão evolutiva eterna. Para
isso deve passar por estágios evolutivos, caracterizados pelo amadurecimento
afetivo, intelectual, moral e social.
Ao conhecer-se, desprende-se de si mesmo para o mundo que o envolve, tendo
a noção exata de sua essência de espírito livre, purificando-se e adquirindo a
condição de ver a Deus. O ser consciente ama a si próprio tanto quanto ama
seus semelhantes. Cuida de si tanto quanto cuida dos outros. É humilde diante
de Deus, sentindo-se pequeno diante da Criação. Reflete a caridade em seu
espírito de forma espontânea e natural. Irradia luz, paz e sabedoria na relação
com o mundo em que vive.
Deus delegou a todos as mesmas oportunidades e o direito da livre escolha,
mas indicou sua natureza evolutiva através de uma única lei apresentada por
Jesus: ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo. Deus
está na consciência de todos, permitido discernir entre o bem e o mal. Somente
o bem agrega valor na evolução do homem, porque representa a conformidade
com a lei de Deus e seu cumprimento na sua forma mais pura.
Todo desvio do caminho que foi previamente apontado, gera aquela relação de
causa e efeito: a necessidade de refazimento.
A dor serve como indicador para reajuste do rumo que cada um escolheu, e o
amor serve como terapia e bálsamo para todas as dores. Esta é a lei.
Os desajustes morais, provenientes do descuido no cumprimento da lei, trazem
sofrimentos muito mais intensos e muito mais difíceis de serem superados do
que as dores físicas, porque se estabelecem na essência do ser, em seu espírito
imortal.
Essas dores desequilibram o homem, turvando sua visão em relação ao
caminho a ser seguido. O início da tomada de consciência está na aceitação de
que vivemos num mundo de provas e expiações. Todos temos problemas, e a
solução deles está dentro de cada um de nós. A harmonia com o mundo e a
busca da paz interior são os objetivos inconscientes de todo ser que sofre.
Assim, a qualidade de vida para cada um de nós está fortemente relacionada
com a capacidade que adquirimos em lidar com a dor e nos harmonizarmos
com o Universo.
A paz que Jesus tanto nos oferece é proveniente da harmonia plena com a lei
de Deus. Vinde a mim todos vós que estais aflitos e sobrecarregados que eu
vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei comigo que sou brando e
humilde de coração, e achareis repouso para vossas almas, pois é suave o meu
jugo e leve o meu fardo.
Quando atingimos certo grau de esclarecimento e já podemos,
conscientemente, separar o bem do mal, Deus nos concede a misericórdia de
escolher nossas provas, a fim de satisfazer nossas necessidades de aprendizado
e de permitir resgatar pela vivência as dores que fomos capazes de causar no
passado.
O Espírito livre entre o espaço de duas encarnações, afastado da influência da
matéria, é capaz de vislumbrar melhor a natureza de seus atos, e sofre
profundamente quando sua consciência lhe mostra e lhe acusa de faltas para
com a lei de Deus. Como somos juízes de nós mesmos, escolhemos nessas
oportunidades as provas que desejamos ser submetidos para melhor valorizar o
respeito ao nosso semelhante.
Nessas ocasiões, costumamos adotar a lei de Talião, aquela do olho por olho e
do dente por dente, como forma de resgate das faltas do pretérito. A justiça de
Deus atua em nossa consciência e nos concita a fazer experiências e a ampliar
o nosso conhecimento. A dor, proveniente da lei de causa e efeito, é o
instrumento de reparação das faltas.
Mas a misericórdia do Pai é maior do que podemos imaginar, e se distribui em
função do merecimento que tenhamos obtido, como fruto de um trabalho de
amor e na caridade. O que importa a Deus é a certeza da superação das
fraquezas e das paixões interiores que ainda habitam o ser humano. Deus não
nos criou para a dor, mas para o amor, e sempre prove misericórdia de
acréscimo para aquele que sofre. É como se abríssemos uma conta corrente no
céu. Para cada falta, um débito correspondente à gravidade. A cada ação
meritória, um crédito proporcional ao seu efeito, mesmo que tenhamos
escolhido vivenciar Provas e sofrer Expiações e dificuldades. Deus reavalia e
atualiza a cada instante a nossa conta corrente, e permite amenizar ou agravar
as nossas vicissitudes, em função daquilo que se faz necessário para o nosso
aprendizado. Se tornarmos a falhar, agravaremos a nossa Prova.
Demonstrarmos ter aprendido a lição e superarmos as Provas com resignação
e coragem, entendimento, amor e caridade, amenizaremos os nossos
sofrimentos. A lei do olho por olho é a lei dos homens, que muitas vezes
percebem que só com a sua aplicação podem resgatar dívidas do pretérito.
A lei de Deus é a lei do amor, e Ele exemplifica a aplicação desta lei provendo
a misericórdia no cumprimento da justiça. Saturnino era um homem de bem, e
a pesar da dor moral que carregava em sua consciência, vivia exemplificando
tolerância, amor e caridade. Dava demonstrações claras de ter superado suas
tendências egocêntricas e orgulhosas de outros tempos. Assim, apesar de ter
escolhido perder o braço como reparação de suas faltas, Deus quitou seu
débito com consequências bem mais amenas, demonstrando com Sua
misericórdia o reconhecimento do mérito adquirido por aquele homem.
Aquele que põe sua visão no plano da matéria, nem sempre percebe o porquê
das coisas que ocorrem com pessoas que nesta vida só fizeram o bem.
O ponto de vista no plano espiritual, entretanto, nos ajuda a perceber melhor
as causas anteriores de nossas aflições. Aos olhos de Deus, todas as coisas
estão certas, e só o amor é capaz de cobrir a multidão dos nossos pecados.
Muita Paz!
Meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br
Com estudos comentados de O Livro dos Espíritos e de O Evangelho Segundo
o Espiritismo. Nova página: Espiritismo com humor.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Faltar com o compromisso
Faltar com o compromissoFaltar com o compromisso
Faltar com o compromisso
Helio Cruz
 
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
Rosana De Rosa
 
Ciência do perdão
Ciência do perdãoCiência do perdão
Ciência do perdão
Projeto Crisálida
 
Reconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversáriosReconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversários
Marcelo Bomfim de Aguiar
 
Evangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismoEvangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismo
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Divulgador do Espiritismo
 
O perdão a luz da psicologia de jesus
O perdão a luz da psicologia de jesusO perdão a luz da psicologia de jesus
O perdão a luz da psicologia de jesus
pmabonfim
 
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira).
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira). Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira).
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 
O sentimento mais libertador
O sentimento mais libertadorO sentimento mais libertador
O sentimento mais libertador
Irene Aguiar
 
Perdao Evangelho
Perdao EvangelhoPerdao Evangelho
Perdao Evangelho
cab3032
 
090819 das penas e gozos terrenos–livro iv, cap. i
090819 das penas e gozos terrenos–livro iv, cap. i090819 das penas e gozos terrenos–livro iv, cap. i
090819 das penas e gozos terrenos–livro iv, cap. i
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Na luz da indulgência
Na luz da indulgênciaNa luz da indulgência
Na luz da indulgência
Leonardo Pereira
 
Bem aventurados os aflitos
Bem aventurados os aflitos Bem aventurados os aflitos
Bem aventurados os aflitos
Ponte de Luz ASEC
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
Noimix
 
O cristão e o perdão
O cristão e  o perdãoO cristão e  o perdão
O cristão e o perdão
Paulo Roberto
 
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes DestruidasDecepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
igmateus
 
Ressentimento ou perdão
Ressentimento ou perdãoRessentimento ou perdão
Ressentimento ou perdão
Wladimir Gonçalves de Souza
 
O Real sentido do amor
O Real sentido do amorO Real sentido do amor
O Real sentido do amor
Helio Cruz
 
Perdão
PerdãoPerdão
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
Leonardo Pereira
 

Mais procurados (20)

Faltar com o compromisso
Faltar com o compromissoFaltar com o compromisso
Faltar com o compromisso
 
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
2012-5-6-Palestra-A Importância do Perdão-Rosana De Rosa
 
Ciência do perdão
Ciência do perdãoCiência do perdão
Ciência do perdão
 
Reconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversáriosReconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversários
 
Evangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismoEvangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismo
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
 
O perdão a luz da psicologia de jesus
O perdão a luz da psicologia de jesusO perdão a luz da psicologia de jesus
O perdão a luz da psicologia de jesus
 
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira).
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira). Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira).
Das penas e gozos Terrestres (Leonardo Pereira).
 
O sentimento mais libertador
O sentimento mais libertadorO sentimento mais libertador
O sentimento mais libertador
 
Perdao Evangelho
Perdao EvangelhoPerdao Evangelho
Perdao Evangelho
 
090819 das penas e gozos terrenos–livro iv, cap. i
090819 das penas e gozos terrenos–livro iv, cap. i090819 das penas e gozos terrenos–livro iv, cap. i
090819 das penas e gozos terrenos–livro iv, cap. i
 
Na luz da indulgência
Na luz da indulgênciaNa luz da indulgência
Na luz da indulgência
 
Bem aventurados os aflitos
Bem aventurados os aflitos Bem aventurados os aflitos
Bem aventurados os aflitos
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
 
O cristão e o perdão
O cristão e  o perdãoO cristão e  o perdão
O cristão e o perdão
 
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes DestruidasDecepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
 
Ressentimento ou perdão
Ressentimento ou perdãoRessentimento ou perdão
Ressentimento ou perdão
 
O Real sentido do amor
O Real sentido do amorO Real sentido do amor
O Real sentido do amor
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
 
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
Estudos do evangelho "Bem aventurados os misericordiosos "resumo"
 

Semelhante a Tomada de consciência

Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
Helio Cruz
 
O uso que fazemos do nosso livre arbítrio
O uso que fazemos do nosso livre arbítrioO uso que fazemos do nosso livre arbítrio
O uso que fazemos do nosso livre arbítrio
Helio Cruz
 
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e ProgressoO Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
Ceile Bernardo
 
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
apqbarros
 
A dor.pptx
A dor.pptxA dor.pptx
A dor.pptx
M.R.L
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
Dalila Melo
 
A razão da dor
A razão da dorA razão da dor
A razão da dor
Helio Cruz
 
Penas E Gozos Terrenos
Penas E  Gozos  TerrenosPenas E  Gozos  Terrenos
Penas E Gozos Terrenos
meebpeixotinho
 
Fabrique pérolas você também
Fabrique pérolas você tambémFabrique pérolas você também
Fabrique pérolas você também
Helio Cruz
 
Faltar com o compromisso
Faltar com o compromissoFaltar com o compromisso
Faltar com o compromisso
Helio Cruz
 
A cola infalível
A cola infalívelA cola infalível
A cola infalível
Helio Cruz
 
Como funciona a justiça de deus
Como funciona a justiça de deusComo funciona a justiça de deus
Como funciona a justiça de deus
Helio Cruz
 
Como funciona a justiça de Deus
Como funciona a justiça de DeusComo funciona a justiça de Deus
Como funciona a justiça de Deus
Helio Cruz
 
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Palestra Espirita _ O amor equilibra e a dor restaura
Palestra Espirita _ O amor equilibra e a dor restaura Palestra Espirita _ O amor equilibra e a dor restaura
Palestra Espirita _ O amor equilibra e a dor restaura
manumino
 
Indulgencia - Apresentação
Indulgencia - ApresentaçãoIndulgencia - Apresentação
Indulgencia - Apresentação
Lauro K. Saito
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
Clair Bianchini
 
O real sentido do amor
O real sentido do amorO real sentido do amor
O real sentido do amor
Helio Cruz
 
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãOFora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Sergio Menezes
 

Semelhante a Tomada de consciência (20)

Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
 
O uso que fazemos do nosso livre arbítrio
O uso que fazemos do nosso livre arbítrioO uso que fazemos do nosso livre arbítrio
O uso que fazemos do nosso livre arbítrio
 
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e ProgressoO Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
 
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
 
A dor.pptx
A dor.pptxA dor.pptx
A dor.pptx
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
 
A razão da dor
A razão da dorA razão da dor
A razão da dor
 
Penas E Gozos Terrenos
Penas E  Gozos  TerrenosPenas E  Gozos  Terrenos
Penas E Gozos Terrenos
 
Fabrique pérolas você também
Fabrique pérolas você tambémFabrique pérolas você também
Fabrique pérolas você também
 
Faltar com o compromisso
Faltar com o compromissoFaltar com o compromisso
Faltar com o compromisso
 
A cola infalível
A cola infalívelA cola infalível
A cola infalível
 
Como funciona a justiça de deus
Como funciona a justiça de deusComo funciona a justiça de deus
Como funciona a justiça de deus
 
Como funciona a justiça de Deus
Como funciona a justiça de DeusComo funciona a justiça de Deus
Como funciona a justiça de Deus
 
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
 
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
 
Palestra Espirita _ O amor equilibra e a dor restaura
Palestra Espirita _ O amor equilibra e a dor restaura Palestra Espirita _ O amor equilibra e a dor restaura
Palestra Espirita _ O amor equilibra e a dor restaura
 
Indulgencia - Apresentação
Indulgencia - ApresentaçãoIndulgencia - Apresentação
Indulgencia - Apresentação
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
O real sentido do amor
O real sentido do amorO real sentido do amor
O real sentido do amor
 
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãOFora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
 

Mais de Helio Cruz

O pior inimigo
O pior inimigoO pior inimigo
O pior inimigo
Helio Cruz
 
Entusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidadeEntusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidade
Helio Cruz
 
A candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueireA candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueire
Helio Cruz
 
O credor incompassivo
O credor incompassivoO credor incompassivo
O credor incompassivo
Helio Cruz
 
O poder das palavras
O poder das palavrasO poder das palavras
O poder das palavras
Helio Cruz
 
Pedir e obter
Pedir e obterPedir e obter
Pedir e obter
Helio Cruz
 
A virtude os superiores e os inferiores
A virtude   os superiores e os inferioresA virtude   os superiores e os inferiores
A virtude os superiores e os inferiores
Helio Cruz
 
O peso da luz
O peso da luzO peso da luz
O peso da luz
Helio Cruz
 
Universidade de amor
Universidade de amorUniversidade de amor
Universidade de amor
Helio Cruz
 
A parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritualA parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritual
Helio Cruz
 
O homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritualO homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritual
Helio Cruz
 
O dom esquecido
O dom esquecidoO dom esquecido
O dom esquecido
Helio Cruz
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
Helio Cruz
 
Marta e maria
Marta e mariaMarta e maria
Marta e maria
Helio Cruz
 
O progresso espiritual
O progresso espiritualO progresso espiritual
O progresso espiritual
Helio Cruz
 
Viver para deus
Viver para deusViver para deus
Viver para deus
Helio Cruz
 
O Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do EspiritismoO Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do Espiritismo
Helio Cruz
 
A quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismoA quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismo
Helio Cruz
 
Os nossos julgamentos
Os nossos julgamentosOs nossos julgamentos
Os nossos julgamentos
Helio Cruz
 
Sal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundoSal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundo
Helio Cruz
 

Mais de Helio Cruz (20)

O pior inimigo
O pior inimigoO pior inimigo
O pior inimigo
 
Entusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidadeEntusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidade
 
A candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueireA candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueire
 
O credor incompassivo
O credor incompassivoO credor incompassivo
O credor incompassivo
 
O poder das palavras
O poder das palavrasO poder das palavras
O poder das palavras
 
Pedir e obter
Pedir e obterPedir e obter
Pedir e obter
 
A virtude os superiores e os inferiores
A virtude   os superiores e os inferioresA virtude   os superiores e os inferiores
A virtude os superiores e os inferiores
 
O peso da luz
O peso da luzO peso da luz
O peso da luz
 
Universidade de amor
Universidade de amorUniversidade de amor
Universidade de amor
 
A parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritualA parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritual
 
O homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritualO homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritual
 
O dom esquecido
O dom esquecidoO dom esquecido
O dom esquecido
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
 
Marta e maria
Marta e mariaMarta e maria
Marta e maria
 
O progresso espiritual
O progresso espiritualO progresso espiritual
O progresso espiritual
 
Viver para deus
Viver para deusViver para deus
Viver para deus
 
O Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do EspiritismoO Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do Espiritismo
 
A quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismoA quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismo
 
Os nossos julgamentos
Os nossos julgamentosOs nossos julgamentos
Os nossos julgamentos
 
Sal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundoSal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundo
 

Último

8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 

Último (20)

8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 

Tomada de consciência

  • 2. Com base no conto “O Merecimento”, do livro A Vida Escreve, pelo Espírito Hilário Silva. (Momento de Paz Maria da Luz). Esta página conta a história de alguém que adotou a lei de Talião para resgate das suas faltas. Conta-nos assim o autor: Saturnino Pereira era francamente dos melhores homens. Companheiro dos humildes. A caridade em pessoa. Nas maiores dificuldades, era um sorriso generoso, parecendo raio de sol dissipando as sombras. Por isso mesmo, quando foi visto de mão a sangrar, junto à máquina de que era condutor, todas as atenções se voltaram para ele, entre o pasmo e a amargura.
  • 3. Saturnino ferido! Logo Saturnino, o amigo de todos. Suas colegas de fábrica rasgaram peças de roupa, a fim de estancar o sangue a correr em bica. O chefe da tecelagem, solícito, conduziu-o ao automóvel, internando-o de pronto em magnífico hospital. Operação feliz. O cirurgião informou, sorrindo: Felizmente, nosso amigo perderá simplesmente o polegar. Todo o braço direito está ferido, traumatizado, mas será reconstituído em tempo breve. Longe desse quadro, porém, o caso merecia apontamentos diversos: - Por que um desastre desses com um homem tão bom? Murmurava uma companheira. - Tenho visto tantas mãos criminosas saírem ilesas, até mesmo de aviões projetados ao solo, e justamente Saturnino, que nos ajuda a todos, vem de ser vítima! Comentava um amigo.
  • 4. - Devemos ajudar Saturnino. - Cotizemo-nos todos para ajudá-lo. Mas também não faltou quem dissesse: - Que adianta a religião, tão bem observada? Saturnino é espírita convicto e leva a sério o seu ideal. Vive para os outros. Na caridade é um herói anônimo. Por que o infausto acontecimento? Expressava- se um colega materialista. E a tarde, quando o acidentado apareceu muito pálido, com o braço direito na tipoia, carinho e respeito rodearam-no por todos os lados, Saturnino agradeceu a generosidade de que fora objeto. Sorriu, resignado. Contudo, estava triste.
  • 5. À noite, em companhia da esposa, compareceu à reunião habitual do templo espírita que frequentava. (...) Macário, o orientador espiritual das tarefas dirigiu-se a ele: -Saturnino, meu filho, não se creia desamparado, nem se entregue a tristeza inútil. O Pai não deseja o sofrimento dos filhos. Todas as dores decretadas pela Justiça Divina são aliviadas pela Divina Misericórdia, toda vez que nos apresentamos em condições para o desagravo. Você hoje demonstra indiscutível abatimento. Entretanto, não tem motivo. Quando você se preparava ao mergulho no berço terrestre, programou a excursão presente. Excursão de trabalho, de reajuste. Acontece, porém, que formulou uma sentença contra você mesmo. Implorou existência humilde em que viesse a perder no trabalho o braço mais útil.
  • 6. Mas, você desde a primeira mocidade, ao conhecer a Doutrina Espírita, tem os pés no caminho do bem aos outros. Sei, porém, que hoje, por débito legítimo, alijaria você todo o braço, mas perdeu só um dedo. REFLEXÃO: Deus nos criou espíritos ignorantes, com a missão de evoluirmos em sua direção. Todos trazem em si características instintivas, provenientes de seu estado animal. Apesar de necessitarem viver em sociedade, de um modo geral, isolam-se dentro de si mesmos, em atitudes egocêntricas, o que parece ser um contrassenso: como precisar de nosso irmão para sobreviver, mas desprezá-lo diante dos próprios interesses. A evolução do homem é um impulso natural, que Deus, inteligência suprema e causa primária de todas as coisas, plantou nos espíritos de Seus filhos.
  • 7. Para isto, deu-lhes a reencarnação e o esquecimento do passado, como oportunidade de fazerem e refazerem seus caminhos. Dotou-os também da capacidade de pensar e, através do livre-arbítrio, têm o poder de decidir os seus próprios caminhos, sendo constantemente impulsionados para o autoaprimoramento, e para a melhoria do mundo em que vive. A evolução é uma necessidade do espírito do homem, e o aprimoramento do homem, como espírito livre, requer seu amadurecimento constante, e a busca de si próprio como ser consciente de sua natureza e de sua importância. Se queres evoluir, conhece-te a ti mesmo.
  • 8. O ser consciente de si próprio, de seu estado, de sua natureza, é capaz de conhecer, entender, aceitar, admitir e amar sua missão evolutiva eterna. Para isso deve passar por estágios evolutivos, caracterizados pelo amadurecimento afetivo, intelectual, moral e social. Ao conhecer-se, desprende-se de si mesmo para o mundo que o envolve, tendo a noção exata de sua essência de espírito livre, purificando-se e adquirindo a condição de ver a Deus. O ser consciente ama a si próprio tanto quanto ama seus semelhantes. Cuida de si tanto quanto cuida dos outros. É humilde diante de Deus, sentindo-se pequeno diante da Criação. Reflete a caridade em seu espírito de forma espontânea e natural. Irradia luz, paz e sabedoria na relação com o mundo em que vive.
  • 9. Deus delegou a todos as mesmas oportunidades e o direito da livre escolha, mas indicou sua natureza evolutiva através de uma única lei apresentada por Jesus: ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo. Deus está na consciência de todos, permitido discernir entre o bem e o mal. Somente o bem agrega valor na evolução do homem, porque representa a conformidade com a lei de Deus e seu cumprimento na sua forma mais pura. Todo desvio do caminho que foi previamente apontado, gera aquela relação de causa e efeito: a necessidade de refazimento. A dor serve como indicador para reajuste do rumo que cada um escolheu, e o amor serve como terapia e bálsamo para todas as dores. Esta é a lei.
  • 10. Os desajustes morais, provenientes do descuido no cumprimento da lei, trazem sofrimentos muito mais intensos e muito mais difíceis de serem superados do que as dores físicas, porque se estabelecem na essência do ser, em seu espírito imortal. Essas dores desequilibram o homem, turvando sua visão em relação ao caminho a ser seguido. O início da tomada de consciência está na aceitação de que vivemos num mundo de provas e expiações. Todos temos problemas, e a solução deles está dentro de cada um de nós. A harmonia com o mundo e a busca da paz interior são os objetivos inconscientes de todo ser que sofre. Assim, a qualidade de vida para cada um de nós está fortemente relacionada com a capacidade que adquirimos em lidar com a dor e nos harmonizarmos com o Universo.
  • 11. A paz que Jesus tanto nos oferece é proveniente da harmonia plena com a lei de Deus. Vinde a mim todos vós que estais aflitos e sobrecarregados que eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei comigo que sou brando e humilde de coração, e achareis repouso para vossas almas, pois é suave o meu jugo e leve o meu fardo. Quando atingimos certo grau de esclarecimento e já podemos, conscientemente, separar o bem do mal, Deus nos concede a misericórdia de escolher nossas provas, a fim de satisfazer nossas necessidades de aprendizado e de permitir resgatar pela vivência as dores que fomos capazes de causar no passado.
  • 12. O Espírito livre entre o espaço de duas encarnações, afastado da influência da matéria, é capaz de vislumbrar melhor a natureza de seus atos, e sofre profundamente quando sua consciência lhe mostra e lhe acusa de faltas para com a lei de Deus. Como somos juízes de nós mesmos, escolhemos nessas oportunidades as provas que desejamos ser submetidos para melhor valorizar o respeito ao nosso semelhante. Nessas ocasiões, costumamos adotar a lei de Talião, aquela do olho por olho e do dente por dente, como forma de resgate das faltas do pretérito. A justiça de Deus atua em nossa consciência e nos concita a fazer experiências e a ampliar o nosso conhecimento. A dor, proveniente da lei de causa e efeito, é o instrumento de reparação das faltas.
  • 13. Mas a misericórdia do Pai é maior do que podemos imaginar, e se distribui em função do merecimento que tenhamos obtido, como fruto de um trabalho de amor e na caridade. O que importa a Deus é a certeza da superação das fraquezas e das paixões interiores que ainda habitam o ser humano. Deus não nos criou para a dor, mas para o amor, e sempre prove misericórdia de acréscimo para aquele que sofre. É como se abríssemos uma conta corrente no céu. Para cada falta, um débito correspondente à gravidade. A cada ação meritória, um crédito proporcional ao seu efeito, mesmo que tenhamos escolhido vivenciar Provas e sofrer Expiações e dificuldades. Deus reavalia e atualiza a cada instante a nossa conta corrente, e permite amenizar ou agravar as nossas vicissitudes, em função daquilo que se faz necessário para o nosso aprendizado. Se tornarmos a falhar, agravaremos a nossa Prova.
  • 14. Demonstrarmos ter aprendido a lição e superarmos as Provas com resignação e coragem, entendimento, amor e caridade, amenizaremos os nossos sofrimentos. A lei do olho por olho é a lei dos homens, que muitas vezes percebem que só com a sua aplicação podem resgatar dívidas do pretérito. A lei de Deus é a lei do amor, e Ele exemplifica a aplicação desta lei provendo a misericórdia no cumprimento da justiça. Saturnino era um homem de bem, e a pesar da dor moral que carregava em sua consciência, vivia exemplificando tolerância, amor e caridade. Dava demonstrações claras de ter superado suas tendências egocêntricas e orgulhosas de outros tempos. Assim, apesar de ter escolhido perder o braço como reparação de suas faltas, Deus quitou seu débito com consequências bem mais amenas, demonstrando com Sua misericórdia o reconhecimento do mérito adquirido por aquele homem.
  • 15. Aquele que põe sua visão no plano da matéria, nem sempre percebe o porquê das coisas que ocorrem com pessoas que nesta vida só fizeram o bem. O ponto de vista no plano espiritual, entretanto, nos ajuda a perceber melhor as causas anteriores de nossas aflições. Aos olhos de Deus, todas as coisas estão certas, e só o amor é capaz de cobrir a multidão dos nossos pecados. Muita Paz! Meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br Com estudos comentados de O Livro dos Espíritos e de O Evangelho Segundo o Espiritismo. Nova página: Espiritismo com humor.