SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
INTERPRETAÇÃO DO SERMÃO DOINTERPRETAÇÃO DO SERMÃO DO
MONTE IV.MONTE IV.
AULA 53
Conforme narrativa de Mateus.
 Portanto não vos inquietais
com o dia de amanhã, o dia
de amanhã cuidará de si
mesmo, basta a cada dia o
seu próprio mal.” (Mateus
6:25-34) Refletir.
 Por isso vos digo, não andeis
ansiosos pela nossa vida,
quanto ao que haveis de
comer e beber, nem pelo
vosso corpo que haveis de
vestir.”
*segam = cortar (o cereal) nas searas; ceifar.
 Não se vê nessas palavras mais que alegoria, a sabedoria divina nunca
deixa no abandono aquele que trabalha.
 Buscai, pois em primeiro lugar, o reino e sua justiça, e todas essas coisas
vos serão acrescentadas.
 Desenvolver as faculdades que Deus nos deu para que possamos
sobreviver, inspirar nossas idéias, Deus entende nossos desejos e vendo
nosso desenvolvimento, vê que o homem não dá o valor ao necessário e
reclama que pouco tem.
 O espírito em ação, mesmo “no caminho do mal”, está sendo impulsionado
a mudar pela dor, remorso, desespero, isso o faz buscar a Paz interior que é
o objetivo de todas as criaturas.
 O espírito inerte, vegetante, emperra a sua evolução o que prejudica o seu
progresso.
 Não se trata de defesa, negligencia ou fatalismo: - Compreende uma
certidão de fé inabalável na bondade e justiça do criador.
 Nosso trabalho colabora para a manutenção da paz no universo.
 A espiritualidade assim como Deus não tem tempo para caprichos. Se
formos insatisfeito e não tentamos mudar a espiritualidade perderá tempo
com a gente?
O trabalho honesto nos permite usufruir dessas pequenas coisas materiais
que ainda necessitamos nesse mundo, nem sempre o que queremos é o
melhor para nós.
 Como cristãos espíritas, devemos sempre buscar primeiro o reino de Deus,
ou seja, colocarmos os interesses com o do próximo acima dos nossos,
porque, como diz Emmanuel, ele é o único caminho que nos leva ao criador.
 Não vos inquieteis pelo dia de amanhã, não é o ensinamento da
imprevidência do fatalismo, se não formos pessimistas conseguiremos ser
ajudados.
 Ficamos preocupados com o que temos pela frente e vivemos o dia de
amanhã antecipadamente o que nós traz sofrimento e mais problemas.
Riquezas improdutivas continuarão na terra, quando voltarmos a outra vida,
se pouco tivermos estaremos tranqüilos, pouco perdemos; Se nos
acharmos em penúria devemos confiar em Deus porque ele sabe melhor
que nos do que precisamos para nosso aperfeiçoamento moral.
 Pois com o critério com que julgardes, sereis
julgados; e com a medida com que tiverdes
medido vos medirão também.
 Porque vês tu o argueiro no olho do teu irmão,
porém não repara na trave que está no teu
próprio olho.
 Como dirás a teu irmão: deixa-me tirar o
argueiro do teu olho, quando tens a trave no
teu?
 Afirmações na 1ª frase da Lei de Ação e
Reação a qual será analisado em aulas
futuras. Nós é determinado que todo atos
construtivos e bons, nos retorna com
bondade. Enquanto os atos destrutivos
desencadeiam reações do mesmo teor.
 A cada um, segundo suas obras.
 Há necessidade de começar a e eliminar primeiro os
nossos vícios e defeitos para podermos ver depois a
melhor maneira de auxiliar ao próximo a vencer suas
limitações.
 Tudo o que vemos no outro é porque conhecemos e essa
trave que cobre o olho do outro é o que devemos tirar de
nós mesmos.
 A trave que impede é o nosso orgulho, egoísmo os quais
somente serão afastados quando fizermos a nossa auto-
analise. Reforma íntima.
 Esse é o ensinamento que nos induz a sermos
comedidos com os erros alheios, para sermos realmente
severos conosco mesmo.
“Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as
vossas pérolas para que as pisem com os pés, e, voltando-se, vos
dilacerem”. (Mateus, 7:6)
 Cães: animais, homens, e personalidade de escárnio (atitude ou manifestação
ostensiva de desdém, de menosprezo, por vezes indignada.)
 Porcos: no antigo testamento foi condenado a não se alimentar de sua carne que
era considerado impuro, não rumina (mastigar várias vezes, como a vaca faz, seu
sistema digestivo absorve as toxinas e vai para o sangue), mas Jesus falou aos seus
que o que sai da boca é o que contamina o homem, não o que entra por ela.
 Pérolas: é o reino dos Céus, Jesus nos ensina a nos protegermos dos perigos e
armadilhas desse mundo preservando essa pérola de grande valor.
 Por isso ele nos fala suas palavras santas, e para os que rejeitam ou mostram
claramente que o desprezam?
 Jesus pregava a todos e depois é que percebe a resistência, só assim podia voltar
suas atenções a quem queria receber suas pérolas.
 Como é dito que não se tem mais tempo, aqueles que não se
decidir a qual caminho seguir, que o façam já. Não teremos
novas chances.
 O aluno reprovado continuamente anos sucessivo, precisa ser
afinal jubilado (retirado) da escola, para dar oportunidade a
outros necessitados e sedentos de aprender.
 Assim nesse momento os ensinamentos de Jesus devem ser
divulgados sem pajeamentos e sem paternalismo, porque não
há mais tempo para isso.
 Aqueles que teimam em não evoluir e se comprazem ao mal;
necessitarão de muito mais tempo para despertar do que se
pode dispor no momento.
 “... buscai e achareis, batei e abrir-se-vos-á.”
 “Ou qual dentre nós é o homem que, se porventura o filho pedir pão, lhe
dará pedra? Ou se pedir peixe, lhe dará uma serpente?
 Esse ensinamento da fé operante e da confiança viva na justiça Divina.
 Jesus não se limitou ao pedir e dar-se-vós-a. Mas completou esclarecendo a
necessidade de buscar e ai sim bater a fim de encontrar “as boas coisas”
que necessitamos ou as que pedimos.
 Com isso a maior e mais eficaz prece é o trabalho, para que o merecimento
se faça.
 A objeção de que a prece não tem valor, porque Deus nos conhece muito
bem, pensemos ao contrario ele nos conhece, mas a energia da nossa prece
a comunhão do momento é o que nos aproxima de Deus. Somente através
da prece que é o que nos liga a espiritualidade é que podemos ter nossos
caminhos iluminados dentro da nossa ignorância.
 Ele nos compara a ternura de um pai humano “se vós, que sois maus, sabeis dar
boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o nosso pai?”
 Não teria motivo para Jesus nos ensinar o Pai Nosso modelo de prece em todos os
sentidos?
 Lembremos das palavras do mestre: Tudo o que pedirdes em meu nome recebereis.
 Mas o que pedir em nome DELE?
 Pedir pelo próximo, espontânea, sincera e fraternalmente.
 Jesus em seus ensinamentos quer sempre nos orientar em nosso relacionamento
com os nossos semelhantes, como regra nos deu “Amar ao próximo como a nós
mesmos” o maior mandamento da Lei divina.
 Somos pedintes a porta de Deus, mas com braços cruzados quando o Senhor nos
pede, o que temos feito em prol da harmonia universal? Ou, para ficarmos bem com
o nosso próximo?
 A medida que nos esforçarmos seremos recompensados.
 Se não sabemos o que é bom para nós, como saber o que é bom para o próximo?
 Desejar o bem ao próximo é querer a sua evolução, o seu
aperfeiçoamento espiritual, o que nem sempre significa posses ou
gozo de bens materiais.
 Larga é a porta e espaçoso o caminho que conduz
para a perdição e são muitos os que entram por
ela.
 Porque estreita é a porta e apertado o caminho
que conduz para sua vida; e são poucos os que
acertam com ela (Mateus 7:13-14)
 É muito fácil escolher o caminho mais curto, mais
fácil, mais largo.
 O caminho estreito é difícil, é preciso
desprendimento, dedicação, desejo íntimo de
melhoria espiritual.
 É preciso confiar que só essa estrada é correta e
verdadeira.
 “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém
vai ao Pai senão por mim.”
 Porta única para cada um de nós, existe tempo, não o
engavetamento, a porta é estreita, mas eu sou enorme,
como conseguirei entrar?
 Pela porta estreita só passa quem consegue ultrapassar as
pedras da inveja, os espinheiros do ódio, as colinas do
orgulho, os abismo do egoísmo. (Reforma íntima)
 Teremos trabalho em dobro, alguns tropeços, mas não
deixemos de ser carinhosos no que formo plantando.
 Isso sim é ingressar na verdadeira vida, de atividades cristãs
e de trabalho fraterno em prol do bem coletivo, que é o que
almejamos.
 ... que se vos apresentam disfarçados em
ovelha, mas por dentro são lobos
roubadores.
 Toda árvore que não produz bons frutos é
cortada e lançada ao fogo. (Mateus 7:18)
 Assim, pois, pelos seus frutos os
conhecereis.
 Muitos dirão: Senhor! Senhor! Por ventura
não temos nos profetizado em teu nome, e
em teu nome não expelimos demônios,
em teu nome não fizemos muitos
milagres?
 Então lhes direi: Nunca vos conheci,
apartai-vos de mim, os que praticais a
iniqüidade.(ação ou coisa contrária à moral e à religião.) Mateus 7:15-23
 Quer nós mostrar que não adianta falar sem fazer, quando mudamos fazemos com o
coração.
 Temos recebido muitas informações do plano Superior e das TREVAS cada um a sua
maneira, a nossa evolução espiritual.
 A cada dia as armas dos agentes do mal se tornam mais fortes, o que nos dá mais
dificuldades.
 A mediunidade é muito visada pelos agentes do mal por isso o
esclarecimento religioso do homem, a reforma intima o amor ao
próximo é necessário.
 Há uma maneira de diferenciar um lobo do cordeiro: SUAS OBRAS.
 Não basta dizer senhor, senhor é necessário como já dissemos várias vezes: Amar
ao próximo como a nós mesmos. Esta é a maior Lei.
 Aqueles que se apegam à letra, às exterioridades, esquecendo-se do Espírito, dos
frutos, poderão ouvir claramente o que o Mestre lhe diz: “nunca te conheci”, porque
não é esse o caminho que leva a Ele. Porém, os atos praticados em beneficio
do próximo, mas que não são movidos pelo amor, pouco valores
apresentam.
 Todos aqueles, pois, que ouve
estas palavras e as pratica, será
comparado a um homem prudente
que edificou a sua casa sobre a
rocha.
 E todo aquele que ouve estas
minhas palavras e não as pratica,
será comparado a um homem
insensato, que edificou a sua casa
sobre areia.
 O mestre nos avisa a todo instante
para ouvirmos suas palavras e
termos firmeza em nossas
escolhas, para termos a casa
sobre a rocha.
Construir a casa ou ter os pés
sobre a rocha é edificar
nossas próprias vidas no
evangelho de Jesus.
 É preciso praticar os ensinamentos de maneira dar sólidos alicerces
ao edifício moral que vamos construir.
 O que muda em nossas vidas é a forma como lidamos com os nossos
problemas. Mantemos em controle nosso homem animal, nossos
defeitos.
 Com seus ensinamentos aprendemos a ter forças suficientes para
superarmos com serenidade.
 Nosso maior obstáculo para a redenção da humanidade é a falta de
prática CRISTÃ, falta de exercício da caridade.
 O que sabemos é suficiente. Temos é que por em prática, é hora de
nos aperfeiçoarmos em contato com a realidade.
 Não podemos nunca esquecer os ensinamentos do Cristo: Se assim
o fizer, construiremos nossa casa sobre a areia das idéias humanas.
 Quando Jesus acabou de proferir estas palavras,
estavam as multidões maravilhadas da sua doutrina”.
 Porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e
não com os escribas.
 Os Escribas, sacerdotes e rabinos estavam preocupados
com o controle religioso, explorava em todos os sentidos
principalmente o financeiro. Somente dirigiram-se aos
pobres para relembrá-los dos rituais, sacrifícios e
oferendas.
 Os sofredores do corpo e do espírito estavam
desamparados, sentiam-se perdidos sem a assistência
moral e material que tanto necessitavam.
 Quando Jesus proferiu essas palavras foi como um
bálsamo e as pessoas o reconhecem como: o Caminho, a
Verdade e a Vida.
 O caminho que nos leva à Fonte Inesgotável de Todo o
Amor, a verdade que nos esclarece e nos liberta das
nossas imperfeições, e a Vida Feliz na eternidade de seu
Reino.
Jesus ensina com autoridade,
porque ensina o que vive.
 Iniciação Espírita - "Interpretação do Sermão do
Monte IV" - página 58 (Español)
 O Evangelho Segundo o Espiritismo - Allan Kardec 
 capítulos 5 a 10; capítulo 27, itens 7, 9 e 11
 O Sermão da Montanha - Huberto Rohden
 O Sermão da Montanha (Rodolfo Caligaris)
 O Evangelho dos Humildes - Eliseu Rigonatti - Ed.
Pensamento
 Em Torno do Mestre - Pedro de Camargo (Vinícius)
 Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º Ano - 10-13
 Os Quatro Sermões de Jesus - Paulo Alves Godoy
 A Metafísica do Cristianismo - Huberto Rohden
 Francisco Cândido Xavier
 Pai Nosso
 Nosso Lar - capítulo II – Pág. 22 a 24
 Parábolas e Ensinos de Jesus - Caírbar Schutel - O
Clarim – página 28
 Bíblia
 Mateus 7
 Mateus 8
 Edgard Armond - Editora Aliança
 Falando ao Coração (Español) - capítulo Aos Aprendizes,
texto 1, itens 3, 14
 Na Semeadura I (Español) - capítulos 21, 112, 141, 237
 Roteiro Sistematizado Para o Estudo do Livro "O
Evangelho Segundo o Espiritismo"
 Francisco Cândido Xavier
 Caminho, Verdade e Vida
 Bênção de Paz - Mensagem 57 - Progresso e Amor
 O Espírito da Verdade - Mensagem 78 - Na Exaltação do
Amor e Mensagem 14
 Fonte Viva - capítulos 7, 113
 Vinha de Luz - capítulo 93
 Caminho, Verdade e Vida - capítulo 122
 Pão Nosso - capítulo 9
 Palavras de Vida Eterna - capítulos8 8, 35
 O Sermão do Monte - Djalma Motta Argollo
 Renovando Atitudes - Francisco do Espírito Santo Neto
 Um Modo de Entender: Uma Nova Forma de Viver -
Francisco do Espírito Santo Neto
 Comentários Evangélicos - Adolfo Bezerra de Menezes
Cavalcante - Editora Aliança
 Imitação de Cristo - Tomás de Kempis
 Sabedoria do Evangelho II - Carlos Torres Pastorino
 Em Verdade Vos Digo - Julio Couto Damasceno
 Bíblia Católica Online
 Dicionário Bíblico Online 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2Daniel de Melo
 
Evangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaEvangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaAntonino Silva
 
A pregação de Jesus - n.18
A pregação de Jesus  - n.18A pregação de Jesus  - n.18
A pregação de Jesus - n.18Graça Maciel
 
Provas da pobreza e da riqueza
Provas da pobreza e da riquezaProvas da pobreza e da riqueza
Provas da pobreza e da riquezaGraça Maciel
 
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão EspíritaAS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão EspíritaAnderson Dias
 
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)Marcos Antônio Alves
 
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908Daniel de Melo
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãogmo1973
 
AULA 088 EAE DM - LEI DO AMOR
AULA 088 EAE DM - LEI DO AMORAULA 088 EAE DM - LEI DO AMOR
AULA 088 EAE DM - LEI DO AMORDaniel de Melo
 
Aula - Reencarnação e Lei de Causa e Efeito - Rosana De Rosa
Aula - Reencarnação e Lei de Causa e Efeito - Rosana De Rosa Aula - Reencarnação e Lei de Causa e Efeito - Rosana De Rosa
Aula - Reencarnação e Lei de Causa e Efeito - Rosana De Rosa Rosana De Rosa
 
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMOAMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMOAngela Ewerling
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Unesp
 
Nao Julgues Compreenda
Nao Julgues CompreendaNao Julgues Compreenda
Nao Julgues CompreendaGraça Maciel
 
Capítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo EspiritismoCapítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo EspiritismoJean Dias
 

Mais procurados (20)

A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
 
Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
 
Evangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaEvangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida Futura
 
A pregação de Jesus - n.18
A pregação de Jesus  - n.18A pregação de Jesus  - n.18
A pregação de Jesus - n.18
 
Provas da pobreza e da riqueza
Provas da pobreza e da riquezaProvas da pobreza e da riqueza
Provas da pobreza e da riqueza
 
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão EspíritaAS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
AS BEM AVENTURANÇAS - Visão Espírita
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
Eae 98 - categoria dos mundos habitados
Eae   98 - categoria dos mundos habitadosEae   98 - categoria dos mundos habitados
Eae 98 - categoria dos mundos habitados
 
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
 
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
 
AULA 088 EAE DM - LEI DO AMOR
AULA 088 EAE DM - LEI DO AMORAULA 088 EAE DM - LEI DO AMOR
AULA 088 EAE DM - LEI DO AMOR
 
Aula - Reencarnação e Lei de Causa e Efeito - Rosana De Rosa
Aula - Reencarnação e Lei de Causa e Efeito - Rosana De Rosa Aula - Reencarnação e Lei de Causa e Efeito - Rosana De Rosa
Aula - Reencarnação e Lei de Causa e Efeito - Rosana De Rosa
 
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMOAMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
 
Nao Julgues Compreenda
Nao Julgues CompreendaNao Julgues Compreenda
Nao Julgues Compreenda
 
Capítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo EspiritismoCapítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
 

Semelhante a Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.

Semelhante a Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV. (20)

O poder liberador do perdão
O poder liberador do perdãoO poder liberador do perdão
O poder liberador do perdão
 
Jormi - Jornal Missionário n° 68
Jormi  -  Jornal Missionário n° 68Jormi  -  Jornal Missionário n° 68
Jormi - Jornal Missionário n° 68
 
Caracteres da Perfeição
Caracteres da PerfeiçãoCaracteres da Perfeição
Caracteres da Perfeição
 
Aula maior mandamento
Aula maior mandamentoAula maior mandamento
Aula maior mandamento
 
SERMÃO 08 - INDECISÃO.docx
SERMÃO 08 - INDECISÃO.docxSERMÃO 08 - INDECISÃO.docx
SERMÃO 08 - INDECISÃO.docx
 
02_Fevereiro/17
02_Fevereiro/1702_Fevereiro/17
02_Fevereiro/17
 
A SEMENTE 4 novembro
A  SEMENTE  4 novembroA  SEMENTE  4 novembro
A SEMENTE 4 novembro
 
Relacionamento consigo-mesmo
Relacionamento consigo-mesmoRelacionamento consigo-mesmo
Relacionamento consigo-mesmo
 
Curso fé r. r. soares
Curso fé   r. r. soaresCurso fé   r. r. soares
Curso fé r. r. soares
 
12 mentiras
12 mentiras12 mentiras
12 mentiras
 
Entendendo o decálogo
Entendendo o decálogoEntendendo o decálogo
Entendendo o decálogo
 
Gentileza gera-gentileza
Gentileza gera-gentilezaGentileza gera-gentileza
Gentileza gera-gentileza
 
Campo de batalha da mente joyce meyer
Campo de batalha da mente   joyce meyerCampo de batalha da mente   joyce meyer
Campo de batalha da mente joyce meyer
 
A procura da felicidade
A procura da felicidadeA procura da felicidade
A procura da felicidade
 
Anexo infancia3
Anexo infancia3Anexo infancia3
Anexo infancia3
 
Jormi 41
Jormi 41Jormi 41
Jormi 41
 
Amar o próximo como a si mesmo
Amar o próximo como a si mesmoAmar o próximo como a si mesmo
Amar o próximo como a si mesmo
 
JORMI - Jornal Missionário n° 98
JORMI - Jornal Missionário n° 98JORMI - Jornal Missionário n° 98
JORMI - Jornal Missionário n° 98
 
Reconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.pptReconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.ppt
 
O Perdão - Espirtismo
O Perdão - EspirtismoO Perdão - Espirtismo
O Perdão - Espirtismo
 

Mais de PatiSousa1

Aula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.pptAula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.pptPatiSousa1
 
EAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do CristãoEAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do CristãoPatiSousa1
 
Basico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptxBasico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptxPatiSousa1
 
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)PatiSousa1
 
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...PatiSousa1
 
EAE 16 - Infância e Juventude do Messias
EAE 16 -  Infância e Juventude do MessiasEAE 16 -  Infância e Juventude do Messias
EAE 16 - Infância e Juventude do MessiasPatiSousa1
 
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da ÉpocaEae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da ÉpocaPatiSousa1
 
Eae 19 Os Essênios
Eae 19  Os EssêniosEae 19  Os Essênios
Eae 19 Os EssêniosPatiSousa1
 
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )PatiSousa1
 
Eae 22 À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
Eae 22  À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.Eae 22  À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
Eae 22 À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.PatiSousa1
 
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profanoEae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profanoPatiSousa1
 
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUALEae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUALPatiSousa1
 
Eae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das EpístolasEae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das EpístolasPatiSousa1
 
Eae 75 O pensamento e a vontade
Eae 75 O pensamento e a vontadeEae 75 O pensamento e a vontade
Eae 75 O pensamento e a vontadePatiSousa1
 
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça PatiSousa1
 
Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar PatiSousa1
 
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigosEae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigosPatiSousa1
 
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e JudasEae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e JudasPatiSousa1
 

Mais de PatiSousa1 (20)

Aula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.pptAula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.ppt
 
EAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do CristãoEAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do Cristão
 
Basico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptxBasico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptx
 
AULA 30.pptx
AULA 30.pptxAULA 30.pptx
AULA 30.pptx
 
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
 
Aula 104
Aula 104Aula 104
Aula 104
 
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
 
EAE 16 - Infância e Juventude do Messias
EAE 16 -  Infância e Juventude do MessiasEAE 16 -  Infância e Juventude do Messias
EAE 16 - Infância e Juventude do Messias
 
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da ÉpocaEae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
 
Eae 19 Os Essênios
Eae 19  Os EssêniosEae 19  Os Essênios
Eae 19 Os Essênios
 
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
 
Eae 22 À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
Eae 22  À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.Eae 22  À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
Eae 22 À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
 
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profanoEae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
 
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUALEae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
 
Eae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das EpístolasEae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das Epístolas
 
Eae 75 O pensamento e a vontade
Eae 75 O pensamento e a vontadeEae 75 O pensamento e a vontade
Eae 75 O pensamento e a vontade
 
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
 
Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar
 
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigosEae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
 
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e JudasEae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas
 

Último

Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentaçãoantonio211075
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...M.R.L
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024LeonardoQuintanilha4
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 

Último (14)

Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 

Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.

  • 1. INTERPRETAÇÃO DO SERMÃO DOINTERPRETAÇÃO DO SERMÃO DO MONTE IV.MONTE IV. AULA 53 Conforme narrativa de Mateus.
  • 2.  Portanto não vos inquietais com o dia de amanhã, o dia de amanhã cuidará de si mesmo, basta a cada dia o seu próprio mal.” (Mateus 6:25-34) Refletir.  Por isso vos digo, não andeis ansiosos pela nossa vida, quanto ao que haveis de comer e beber, nem pelo vosso corpo que haveis de vestir.” *segam = cortar (o cereal) nas searas; ceifar.
  • 3.  Não se vê nessas palavras mais que alegoria, a sabedoria divina nunca deixa no abandono aquele que trabalha.  Buscai, pois em primeiro lugar, o reino e sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.  Desenvolver as faculdades que Deus nos deu para que possamos sobreviver, inspirar nossas idéias, Deus entende nossos desejos e vendo nosso desenvolvimento, vê que o homem não dá o valor ao necessário e reclama que pouco tem.  O espírito em ação, mesmo “no caminho do mal”, está sendo impulsionado a mudar pela dor, remorso, desespero, isso o faz buscar a Paz interior que é o objetivo de todas as criaturas.  O espírito inerte, vegetante, emperra a sua evolução o que prejudica o seu progresso.  Não se trata de defesa, negligencia ou fatalismo: - Compreende uma certidão de fé inabalável na bondade e justiça do criador.  Nosso trabalho colabora para a manutenção da paz no universo.
  • 4.  A espiritualidade assim como Deus não tem tempo para caprichos. Se formos insatisfeito e não tentamos mudar a espiritualidade perderá tempo com a gente? O trabalho honesto nos permite usufruir dessas pequenas coisas materiais que ainda necessitamos nesse mundo, nem sempre o que queremos é o melhor para nós.  Como cristãos espíritas, devemos sempre buscar primeiro o reino de Deus, ou seja, colocarmos os interesses com o do próximo acima dos nossos, porque, como diz Emmanuel, ele é o único caminho que nos leva ao criador.  Não vos inquieteis pelo dia de amanhã, não é o ensinamento da imprevidência do fatalismo, se não formos pessimistas conseguiremos ser ajudados.  Ficamos preocupados com o que temos pela frente e vivemos o dia de amanhã antecipadamente o que nós traz sofrimento e mais problemas. Riquezas improdutivas continuarão na terra, quando voltarmos a outra vida, se pouco tivermos estaremos tranqüilos, pouco perdemos; Se nos acharmos em penúria devemos confiar em Deus porque ele sabe melhor que nos do que precisamos para nosso aperfeiçoamento moral.
  • 5.  Pois com o critério com que julgardes, sereis julgados; e com a medida com que tiverdes medido vos medirão também.  Porque vês tu o argueiro no olho do teu irmão, porém não repara na trave que está no teu próprio olho.  Como dirás a teu irmão: deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu?  Afirmações na 1ª frase da Lei de Ação e Reação a qual será analisado em aulas futuras. Nós é determinado que todo atos construtivos e bons, nos retorna com bondade. Enquanto os atos destrutivos desencadeiam reações do mesmo teor.  A cada um, segundo suas obras.
  • 6.  Há necessidade de começar a e eliminar primeiro os nossos vícios e defeitos para podermos ver depois a melhor maneira de auxiliar ao próximo a vencer suas limitações.  Tudo o que vemos no outro é porque conhecemos e essa trave que cobre o olho do outro é o que devemos tirar de nós mesmos.  A trave que impede é o nosso orgulho, egoísmo os quais somente serão afastados quando fizermos a nossa auto- analise. Reforma íntima.  Esse é o ensinamento que nos induz a sermos comedidos com os erros alheios, para sermos realmente severos conosco mesmo.
  • 7. “Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas para que as pisem com os pés, e, voltando-se, vos dilacerem”. (Mateus, 7:6)
  • 8.  Cães: animais, homens, e personalidade de escárnio (atitude ou manifestação ostensiva de desdém, de menosprezo, por vezes indignada.)  Porcos: no antigo testamento foi condenado a não se alimentar de sua carne que era considerado impuro, não rumina (mastigar várias vezes, como a vaca faz, seu sistema digestivo absorve as toxinas e vai para o sangue), mas Jesus falou aos seus que o que sai da boca é o que contamina o homem, não o que entra por ela.  Pérolas: é o reino dos Céus, Jesus nos ensina a nos protegermos dos perigos e armadilhas desse mundo preservando essa pérola de grande valor.  Por isso ele nos fala suas palavras santas, e para os que rejeitam ou mostram claramente que o desprezam?  Jesus pregava a todos e depois é que percebe a resistência, só assim podia voltar suas atenções a quem queria receber suas pérolas.
  • 9.  Como é dito que não se tem mais tempo, aqueles que não se decidir a qual caminho seguir, que o façam já. Não teremos novas chances.  O aluno reprovado continuamente anos sucessivo, precisa ser afinal jubilado (retirado) da escola, para dar oportunidade a outros necessitados e sedentos de aprender.  Assim nesse momento os ensinamentos de Jesus devem ser divulgados sem pajeamentos e sem paternalismo, porque não há mais tempo para isso.  Aqueles que teimam em não evoluir e se comprazem ao mal; necessitarão de muito mais tempo para despertar do que se pode dispor no momento.
  • 10.  “... buscai e achareis, batei e abrir-se-vos-á.”  “Ou qual dentre nós é o homem que, se porventura o filho pedir pão, lhe dará pedra? Ou se pedir peixe, lhe dará uma serpente?  Esse ensinamento da fé operante e da confiança viva na justiça Divina.  Jesus não se limitou ao pedir e dar-se-vós-a. Mas completou esclarecendo a necessidade de buscar e ai sim bater a fim de encontrar “as boas coisas” que necessitamos ou as que pedimos.  Com isso a maior e mais eficaz prece é o trabalho, para que o merecimento se faça.  A objeção de que a prece não tem valor, porque Deus nos conhece muito bem, pensemos ao contrario ele nos conhece, mas a energia da nossa prece a comunhão do momento é o que nos aproxima de Deus. Somente através da prece que é o que nos liga a espiritualidade é que podemos ter nossos caminhos iluminados dentro da nossa ignorância.
  • 11.  Ele nos compara a ternura de um pai humano “se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o nosso pai?”  Não teria motivo para Jesus nos ensinar o Pai Nosso modelo de prece em todos os sentidos?  Lembremos das palavras do mestre: Tudo o que pedirdes em meu nome recebereis.  Mas o que pedir em nome DELE?  Pedir pelo próximo, espontânea, sincera e fraternalmente.  Jesus em seus ensinamentos quer sempre nos orientar em nosso relacionamento com os nossos semelhantes, como regra nos deu “Amar ao próximo como a nós mesmos” o maior mandamento da Lei divina.  Somos pedintes a porta de Deus, mas com braços cruzados quando o Senhor nos pede, o que temos feito em prol da harmonia universal? Ou, para ficarmos bem com o nosso próximo?  A medida que nos esforçarmos seremos recompensados.  Se não sabemos o que é bom para nós, como saber o que é bom para o próximo?  Desejar o bem ao próximo é querer a sua evolução, o seu aperfeiçoamento espiritual, o que nem sempre significa posses ou gozo de bens materiais.
  • 12.  Larga é a porta e espaçoso o caminho que conduz para a perdição e são muitos os que entram por ela.  Porque estreita é a porta e apertado o caminho que conduz para sua vida; e são poucos os que acertam com ela (Mateus 7:13-14)  É muito fácil escolher o caminho mais curto, mais fácil, mais largo.  O caminho estreito é difícil, é preciso desprendimento, dedicação, desejo íntimo de melhoria espiritual.  É preciso confiar que só essa estrada é correta e verdadeira.  “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai senão por mim.”
  • 13.  Porta única para cada um de nós, existe tempo, não o engavetamento, a porta é estreita, mas eu sou enorme, como conseguirei entrar?  Pela porta estreita só passa quem consegue ultrapassar as pedras da inveja, os espinheiros do ódio, as colinas do orgulho, os abismo do egoísmo. (Reforma íntima)  Teremos trabalho em dobro, alguns tropeços, mas não deixemos de ser carinhosos no que formo plantando.  Isso sim é ingressar na verdadeira vida, de atividades cristãs e de trabalho fraterno em prol do bem coletivo, que é o que almejamos.
  • 14.  ... que se vos apresentam disfarçados em ovelha, mas por dentro são lobos roubadores.  Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e lançada ao fogo. (Mateus 7:18)  Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis.  Muitos dirão: Senhor! Senhor! Por ventura não temos nos profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, em teu nome não fizemos muitos milagres?  Então lhes direi: Nunca vos conheci, apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.(ação ou coisa contrária à moral e à religião.) Mateus 7:15-23
  • 15.  Quer nós mostrar que não adianta falar sem fazer, quando mudamos fazemos com o coração.  Temos recebido muitas informações do plano Superior e das TREVAS cada um a sua maneira, a nossa evolução espiritual.  A cada dia as armas dos agentes do mal se tornam mais fortes, o que nos dá mais dificuldades.  A mediunidade é muito visada pelos agentes do mal por isso o esclarecimento religioso do homem, a reforma intima o amor ao próximo é necessário.  Há uma maneira de diferenciar um lobo do cordeiro: SUAS OBRAS.  Não basta dizer senhor, senhor é necessário como já dissemos várias vezes: Amar ao próximo como a nós mesmos. Esta é a maior Lei.  Aqueles que se apegam à letra, às exterioridades, esquecendo-se do Espírito, dos frutos, poderão ouvir claramente o que o Mestre lhe diz: “nunca te conheci”, porque não é esse o caminho que leva a Ele. Porém, os atos praticados em beneficio do próximo, mas que não são movidos pelo amor, pouco valores apresentam.
  • 16.  Todos aqueles, pois, que ouve estas palavras e as pratica, será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha.  E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica, será comparado a um homem insensato, que edificou a sua casa sobre areia.  O mestre nos avisa a todo instante para ouvirmos suas palavras e termos firmeza em nossas escolhas, para termos a casa sobre a rocha. Construir a casa ou ter os pés sobre a rocha é edificar nossas próprias vidas no evangelho de Jesus.
  • 17.  É preciso praticar os ensinamentos de maneira dar sólidos alicerces ao edifício moral que vamos construir.  O que muda em nossas vidas é a forma como lidamos com os nossos problemas. Mantemos em controle nosso homem animal, nossos defeitos.  Com seus ensinamentos aprendemos a ter forças suficientes para superarmos com serenidade.  Nosso maior obstáculo para a redenção da humanidade é a falta de prática CRISTÃ, falta de exercício da caridade.  O que sabemos é suficiente. Temos é que por em prática, é hora de nos aperfeiçoarmos em contato com a realidade.  Não podemos nunca esquecer os ensinamentos do Cristo: Se assim o fizer, construiremos nossa casa sobre a areia das idéias humanas.
  • 18.  Quando Jesus acabou de proferir estas palavras, estavam as multidões maravilhadas da sua doutrina”.  Porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e não com os escribas.  Os Escribas, sacerdotes e rabinos estavam preocupados com o controle religioso, explorava em todos os sentidos principalmente o financeiro. Somente dirigiram-se aos pobres para relembrá-los dos rituais, sacrifícios e oferendas.  Os sofredores do corpo e do espírito estavam desamparados, sentiam-se perdidos sem a assistência moral e material que tanto necessitavam.  Quando Jesus proferiu essas palavras foi como um bálsamo e as pessoas o reconhecem como: o Caminho, a Verdade e a Vida.  O caminho que nos leva à Fonte Inesgotável de Todo o Amor, a verdade que nos esclarece e nos liberta das nossas imperfeições, e a Vida Feliz na eternidade de seu Reino. Jesus ensina com autoridade, porque ensina o que vive.
  • 19.  Iniciação Espírita - "Interpretação do Sermão do Monte IV" - página 58 (Español)  O Evangelho Segundo o Espiritismo - Allan Kardec   capítulos 5 a 10; capítulo 27, itens 7, 9 e 11  O Sermão da Montanha - Huberto Rohden  O Sermão da Montanha (Rodolfo Caligaris)  O Evangelho dos Humildes - Eliseu Rigonatti - Ed. Pensamento  Em Torno do Mestre - Pedro de Camargo (Vinícius)  Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º Ano - 10-13  Os Quatro Sermões de Jesus - Paulo Alves Godoy  A Metafísica do Cristianismo - Huberto Rohden  Francisco Cândido Xavier  Pai Nosso  Nosso Lar - capítulo II – Pág. 22 a 24  Parábolas e Ensinos de Jesus - Caírbar Schutel - O Clarim – página 28  Bíblia  Mateus 7  Mateus 8  Edgard Armond - Editora Aliança  Falando ao Coração (Español) - capítulo Aos Aprendizes, texto 1, itens 3, 14  Na Semeadura I (Español) - capítulos 21, 112, 141, 237  Roteiro Sistematizado Para o Estudo do Livro "O Evangelho Segundo o Espiritismo"  Francisco Cândido Xavier  Caminho, Verdade e Vida  Bênção de Paz - Mensagem 57 - Progresso e Amor  O Espírito da Verdade - Mensagem 78 - Na Exaltação do Amor e Mensagem 14  Fonte Viva - capítulos 7, 113  Vinha de Luz - capítulo 93  Caminho, Verdade e Vida - capítulo 122  Pão Nosso - capítulo 9  Palavras de Vida Eterna - capítulos8 8, 35  O Sermão do Monte - Djalma Motta Argollo  Renovando Atitudes - Francisco do Espírito Santo Neto  Um Modo de Entender: Uma Nova Forma de Viver - Francisco do Espírito Santo Neto  Comentários Evangélicos - Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcante - Editora Aliança  Imitação de Cristo - Tomás de Kempis  Sabedoria do Evangelho II - Carlos Torres Pastorino  Em Verdade Vos Digo - Julio Couto Damasceno  Bíblia Católica Online  Dicionário Bíblico Online