SlideShare uma empresa Scribd logo
O Evangelho Segundo
o Espiritismo
Capítulo X
Bem-aventurados os
que são misericordiosos
5. Reconciliação com
os adversários
“Reconciliai-vos o mais depressa possível
com o vosso adversário, enquanto estais
com ele a caminho, para que ele não vos
entregue ao juiz, o juiz não vos entregue ao
ministro da justiça e não sejais metido em
prisão. – Digo-vos, em verdade, que daí não
saireis, enquanto não houverdes pago o
último ceitil." (Mateus 5:25 e 26).
Sermão da MontanhaSermão da Montanha
Evangelho de MateusEvangelho de Mateus
Capítulos 5, 6 e 7Capítulos 5, 6 e 7
“
R
e
c
o
n
c
i
l
i
a
i
-
v
o
Reconciliar: estabelecer a paz; tornar
amigos (pessoas que se malquistaram);
congraçar, harmonizar; fazer as pazes.
(AURÉLIO).
“
R
e
c
o
n
c
i
l
i
a
i
-
v
o
O mais depressa possível: significa que
devemos fazer “agora”, enquanto o nosso
desafeto está vivo, pois daqui a um minuto
ele poderá não estar mais.
“
R
e
c
o
n
c
i
l
i
a
i
-
v
o
Adversário: indivíduo que luta contra;
inimigo; indivíduo que se opõe a; opositor,
antagonista, rival, concorrente. (Aurélio).
“
R
e
c
o
n
c
i
l
i
a
i
-
v
o
Estais com ele a caminho: estende-se a
todos os que nos acompanham na presente
reencarnação, inclui-se na lista os nossos
familiares.
“
R
e
c
o
n
c
i
l
i
a
i
-
v
o
Vos entregue ao juiz: a nossa consciência
é o nosso juiz; que, mais cedo ou mais
tarde, nos imputará todos os nossos desvios
perante a Lei de Amor.
“
R
e
c
o
n
c
i
l
i
a
i
-
v
o
Vos entregue ao ministro da justiça:
pode-se entender como sendo a Lei de
causa e efeito, pela qual jamais ficarão
“impunes” as transgressões à Lei divina.
Perdão puro e simples?
Isaías 26,9-10: “[…] se se perdoar o ímpio,
ele não aprenderá a justiça, na terra da
retidão ele se entregará ao mal e não verá a
majestade do Senhor.”
Ou Lei de causa e efeito?
• Mateus 16,27: “Porque o Filho do Homem virá
na glória do seu Pai, com os seus anjos, e então
retribuirá a cada um segundo suas obras.”
• Mateus 26,52: “Jesus, porém, lhe disse:
'Guarde a espada na bainha. Pois todos os que
usam a espada, pela espada morrerão.'”
• João 5,14: “Você ficou curado. Não peque de
novo, para que não lhe aconteça alguma coisa
pior.” (ao doente que, por trinta e oito anos, per
manecera deitado numa cama).
• 2 Coríntios 5,10: “De fato, todos deveremos
comparecer diante do tribunal de Cristo, a fim
de que cada um receba a recompensa daquilo
que tiver feito durante a sua vida no corpo,
tanto para o bem, como para o mal.”
• 2 Coríntios 9,6: “Saibam de uma coisa: quem
semeia com mesquinhez, com mesquinhez há
de colher, quem semeia com generosidade, com
generosidade há de colher.”
• Gálatas 6,7: “Não se iludam, pois com Deus
não se brinca: cada um colherá aquilo que tiver
semeado.”
Como Deus nos trata?
Eclesiástico 18,12: “A misericórdia do
homem é para o seu próximo, porém a
misericórdia do Senhor é para todos os seres
vivos. Ele repreende, corrige, ensina e dirige,
como o pastor conduz o seu rebanho.”
“
R
e
c
o
n
c
i
l
i
a
i
-
v
o
Sejais metido em prisão: no corpo físico
ou no planeta Terra. Pode-se sair de ambos
após atingir certo grau evolutivo. Alcançar a
condição de Espírito puro é não só a meta,
mas o destino final de todos.
“
R
e
c
o
n
c
i
l
i
a
i
-
v
o
Sejais metido em prisão: ainda pode-
mos considerar o fato de que os laços de
ódio nos prendem uns aos outros, que só
com o perdão serão desatados.
“
R
e
c
o
n
c
i
l
i
a
i
-
v
o
CEITIL: a) Barsa: Moeda de cobre mencionado no Novo
Testamento. Era a de menor valor das então em uso (Lc
12,59; 21,2) b) Houaiss: 1 moeda portuguesa do tempo
de D. João I (1385-1433); 2 quantia insignificante.
“
R
e
c
o
n
c
i
l
i
a
i
-
v
o
Dai não saireis, enquanto não houver-
des pago o último ceitil: não sairemos do
ciclo das reencarnações enquanto vibrarmos
sentimentos contrários à Lei de Amor.
O não reconciliar com os adversários nos
coloca diante de, pelo menos, quatro
situações.
1ª Situação:
O sentimento de animosidade nos
mantém em vibrações contrárias
à Lei de Amor
1 João 4,16: “E nós conhecemos, e cremos
no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e
quem permanece em amor, permanece em
Deus, e Deus nele”.
Mateus 5,23-24: “Se estás, portanto, para
fazer a tua oferta diante do altar e te lem-
brares de que teu irmão tem alguma coisa
contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar
e vai primeiro reconciliar-te com teu irmão;
só então vem fazer a tua oferta”.
Mateus 22,34-40: “Os fariseus ouviram
dizer que Jesus tinha feito os saduceus se
calarem. Então eles se reuniram em grupo, e
um deles perguntou a Jesus para o tentar:
'Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?'
Jesus respondeu: 'Ame ao Senhor seu Deus
com todo o seu coração, com toda a sua
alma, e com todo o seu entendimento. Esse
é o maior e o primeiro mandamento. O
segundo é semelhante a esse: Ame ao seu
próximo como a si mesmo. Toda a Lei e os
Profetas dependem desses dois mandamen-
tos'”.
Mateus 7,12: "Portanto, tudo o que quereis
que os outros vos façam, fazei o mesmo
também vós a eles: nisso está a Lei e os
Profetas".
Moisés x Jesus
Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi
dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu
inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os
seus inimigos, e rezem por aqueles que
perseguem vocês! Assim vocês se tornarão
filhos do Pai que está no céu, porque ele faz
o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva
cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês
amam somente aqueles que os amam, que
recompensa vocês terão? Os cobradores de
impostos não fazem a mesma coisa? E se
vocês cumprimentam somente seus irmãos,
o que é que vocês fazem de extraordinário?
Os pagãos não fazem a mesma coisa?
Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o
Pai de vocês que está no céu."
Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi
dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu
inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os
seus inimigos, e rezem por aqueles que
perseguem vocês! Assim vocês se tornarão
filhos do Pai que está no céu, porque ele faz
o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva
cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês
amam somente aqueles que os amam, que
recompensa vocês terão? Os cobradores de
impostos não fazem a mesma coisa? E se
vocês cumprimentam somente seus irmãos,
o que é que vocês fazem de extraordinário?
Os pagãos não fazem a mesma coisa?
Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o
Pai de vocês que está no céu."
Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi
dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu
inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os
seus inimigos, e rezem por aqueles que
perseguem vocês! Assim vocês se tornarão
filhos do Pai que está no céu, porque ele faz
o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva
cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês
amam somente aqueles que os amam, que
recompensa vocês terão? Os cobradores de
impostos não fazem a mesma coisa? E se
vocês cumprimentam somente seus irmãos,
o que é que vocês fazem de extraordinário?
Os pagãos não fazem a mesma coisa?
Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o
Pai de vocês que está no céu."
Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi
dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu
inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os
seus inimigos, e rezem por aqueles que
perseguem vocês! Assim vocês se tornarão
filhos do Pai que está no céu, porque ele faz
o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva
cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês
amam somente aqueles que os amam, que
recompensa vocês terão? Os cobradores de
impostos não fazem a mesma coisa? E se
vocês cumprimentam somente seus irmãos,
o que é que vocês fazem de extraordinário?
Os pagãos não fazem a mesma coisa?
Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o
Pai de vocês que está no céu."
Onde, frequentemente, se
encontra o nosso adversário
mais próximo?
“Os que encarnam numa família, sobretudo
como parentes próximos, são, as mais das
vezes, Espíritos simpáticos, ligados por an-
teriores relações, que se expressam por
uma afeição recíproca na vida terrena. Mas,
também pode acontecer sejam completa-
mente estranhos uns aos outros esses Espí-
ritos afastados entre si por antipatias igual-
mente anteriores, que se traduzem na Ter-
ra por um mútuo antagonismo, que aí lhes
servem de provação. […]”. (Kardec, ESE, cap.
XIV).
"[…] Deus permite que, nas famílias, ocor-
ram encarnações de Espíritos antipáticos ou
estranhos, com duplo objetivo de servir de
prova para uns e, para outros, de meio de
progresso. Assim, os maus se melhoram
pouco a pouco, ao contato dos bons e por
efeito dos cuidados que se lhes dispensam.
O caráter deles se abranda, seus costumes
se apuram, as antipatias se esvaem”.
(KARDEC, ESE, cap. IV).
175. O instituto da família é organizado no
plano espiritual, antes de projetar-se na
Terra?
O colégio familiar tem suas origens sagradas
na esfera espiritual. Em seus laços, reúnem-
se todos aqueles que se comprometeram, no
Além, a desenvolver na Terra uma tarefa
construtiva de fraternidade real e definitiva.
Preponderam nesse instituto divino os elos
do amor, fundidos nas experiências de outras
eras; todavia, ai acorrem igualmente os
ódios e as perseguições do pretérito obscuro,
a fim de se transfundirem em solidariedade
fraternal, com vistas ao futuro.
==>
É nas dificuldades provadas em comum, nas
dores e nas experiências recebidas na mes-
ma estrada de evolução redentora, que se
olvidam as amarguras do passado longínquo,
transformando-se todos os sentimentos infe-
riores em expressões regeneradas e santifi-
cadas.
Purificadas as afeições, acima dos laços do
sangue, o sagrado instituto da família se
perpetua no Infinito, através dos laços impe-
recíveis do Espírito. (Emmanuel, O Consolador).
Olvidar: perder a memória de; não vir (algo) à lembrança
de (alguém ou de si mesmo); esquecer(-se). (Houaiss).
Se não reconciliarmos “agora”
por adiar indefinidamente a
reconciliação, qual poderá ser
a consequência se o inimigo
desencarnar antes de nós?
2ª Situação:
Obsessão produzida pela ação dos
inimigos desencarnados
“Chama-se obsessão à ação persistente que
um Espírito mau exerce sobre um indivíduo.
Apresenta caracteres muito diferentes, que
vão desde a simples influência moral, sem
perceptíveis sinais exteriores, até a pertur-
bação completa do organismo e das facul-
dades mentais. […].” (KARDEC, A Gênese, cap.
XIV, item 45).
“Quase sempre a obsessão exprime vingan-
ça tomada por um Espírito cuja origem
frequentemente se encontra nas relações
que o obsediado manteve com o obsessor,
em precedente existência. (KARDEC, A Gênese,
cap. XIV, item 46).
Lucas 8,26-31: “Jesus e os discípulos desembarca-
ram na região dos gerasenos, que está diante da
Galileia. Ao descer à terra, um homem da cidade foi
ao encontro de Jesus. Ele era possuído por demô-
nios, e há muito tempo não se vestia, nem morava
em casa, mas nos túmulos. Vendo Jesus, o homem
começou a gritar, caiu aos pés dele, e falou com
voz forte: "Que há entre mim e ti, Jesus, Filho do
Deus Altíssimo? Eu te peço, não me atormentes!" O
homem falou assim, porque Jesus tinha mandado
que o espírito mau saísse dele. De fato, muitas
vezes o espírito tinha tomado posse dele. Para
protegê-lo, o prendiam com correntes e algemas;
ele, porém, arrebentava as correntes, e o demônio
o levava para lugares desertos. Então Jesus lhe
perguntou: "Qual é o seu nome?" Ele respondeu:
"Meu nome é Legião." Pois muitos demônios tinham
entrado nele. Os demônios pediam que Jesus não
os mandasse para o abismo”.
Lucas 8,26-31: “Jesus e os discípulos desembarca-
ram na região dos gerasenos, que está diante da
Galileia. Ao descer à terra, um homem da cidade foi
ao encontro de Jesus. Ele era possuído por demô-
nios, e há muito tempo não se vestia, nem morava
em casa, mas nos túmulos. Vendo Jesus, o homem
começou a gritar, caiu aos pés dele, e falou com
voz forte: "Que há entre mim e ti, Jesus, Filho do
Deus Altíssimo? Eu te peço, não me atormentes!" O
homem falou assim, porque Jesus tinha mandado
que o espírito mau saísse dele. De fato, muitas
vezes o espírito tinha tomado posse dele. Para
protegê-lo, o prendiam com correntes e algemas;
ele, porém, arrebentava as correntes, e o demônio
o levava para lugares desertos. Então Jesus lhe
perguntou: "Qual é o seu nome?" Ele respondeu:
"Meu nome é Legião." Pois muitos demônios tinham
entrado nele. Os demônios pediam que Jesus não
os mandasse para o abismo”.
“Na prática do perdão, como, em geral, na
do bem, não há somente um efeito moral:
há também um efeito material. A morte,
como sabemos, não nos livra dos nossos
inimigos; os Espíritos vingativos perseguem,
muitas vezes, com seu ódio, no além-túmu-
lo, aqueles contra os quais guardam rancor;
donde decorre a falsidade do provérbio que
diz: 'Morto o animal, morto o veneno',
quando aplicado ao homem.
==>
O Espírito mau espera que o outro, a quem
ele quer mal, esteja preso ao seu corpo e,
assim, menos livre, para mais facilmente o
atormentar, ferir nos seus interesses, ou
nas suas mais caras afeições. Nesse fato
reside a causa da maioria dos casos de
obsessão, sobretudo dos que apresentam
certa gravidade, quais os de subjugação e
possessão.
==>
O obsidiado e o possesso são, pois, quase
sempre vítimas de uma vingança, cujo
motivo se encontra em existência anterior, e
à qual o que a sofre deu lugar pelo seu
proceder. Deus o permite, para os punir do
mal que a seu turno praticaram, ou, se tal
não ocorreu, por haverem faltado com a
indulgência e a caridade, não perdoando.
Importa, conseguintemente, do ponto de
vista da tranquilidade futura, que cada um
repare, quanto antes, os agravos que haja
causado ao seu próximo, que perdoe aos
seus inimigos, a fim de que, antes que a
morte lhe chegue, esteja apagado qualquer
motivo de dissensão, toda causa fundada de
ulterior animosidade. […]”. (KARDEC, ESE, cap.
X).
Afinal, quem será mais
beneficiado numa reconciliação?
É bem provável que a maioria de nós pensa que
o nosso adversário não “merece” o nosso perdão.
Isso só demonstra o quanto nós ainda somos
orgulhosos e que até o momento não compre-
endemos o alcance da reconciliação.
Fora a questão de uma possível obsessão, como
já vimos, há um outro ponto muito mais grave que
atinge diretamente aos que se mantêm
irredutíveis na reconciliação.
3ª Situação:
Surgem vários problemas de saúde
“Se os médicos fracassam na maior parte
das doenças, é porque tratam do corpo sem
a alma, e porque, se o todo não se
encontra em bom estado, é impossível que
a parte esteja bem”.
Sócrates (470-399 a.C.)
(Introdução de ESE, XIX)
“Quando a mente elabora conflitos, ressen-
timentos, ódios que se prolongam, os dar-
dos reagentes, disparados desatrelam as
células dos seus automatismos, que dege-
neram, dando origem a tumores de vários
tipos, especialmente cancerígenos, em ra-
zão da carga mortífera de energia que as
agride”. (Joanna de Ângelis, Autodescobrimento – uma
busca interior).
“Os fluidos espirituais, que constituem um
dos estados do fluido cósmico universal,
são, a bem dizer, a atmosfera dos seres
espirituais; […]”. (KARDEC, A Gênese, XIV, 13).
“Sendo os fluidos o veículo do pensamento,
este atua sobre os fluidos como o som
sóbre o ar; eles nos trazem o pensamento,
como o ar nos traz o som. [...].
Desse modo é que os mais secretos movi-
mentos da alma repercutem no envoltório
fluídico; [...]”. (KARDEC, A Gênese, XIV, item 15).
“[...] Sendo esses fluidos o veículo do pen-
samento e podendo este modificar-lhes as
propriedades, é evidente que eles devem
achar-se impregnados das qualidades boas
ou más dos pensamentos que os fazem
vibrar, modificando-se pela pureza ou
impu-reza dos sentimentos. Os maus
pensamen-tos corrompem os fluidos
espirituais, como os miasmas deletérios
corrompem o ar res-pirável. [...]”. (KARDEC, A
Gênese, XIV, item 16).
“[...] Como os odores, eles [os fluídos] são
designados pelas suas propriedades, seus
efeitos e tipos originais. Sob o ponto de
vista moral, trazem o cunho dos sentimen-
tos de ódio, de inveja, de ciúme, de
orgulho, de egoísmo, de violência, de hipo-
crisia, de bondade, de benevolência, de
amor, de caridade, de doçura, etc. […]. O
quadro dos fluidos seria, pois, o de todas as
paixões, das virtudes e dos vícios da
Humanidade e das propriedades da maté-
ria, correspondentes aos efeitos que eles
produzem”. (KARDEC, A Gênese, XIV, item 17).
“Atuando esses fluidos sobre o perispírito,
este, a seu turno, reage sobre o organismo
material com que se acha em contacto mole-
cular. Se os eflúvios são de boa natureza, o
corpo ressente uma impressão salutar; se
são maus, a impressão é penosa. Se são
permanentes e enérgicos, os eflúvios maus
podem ocasionar desordens físicas; não é
outra a causa de certas enfermidades”.
(KARDEC, A Gênese, XIV, item 18).
Eflúvio: 1. Emanação invisível que se desprende de um
fluido; efluência, exalação; 2. Emanação sutil que se exala
dos corpos organizados; 3. P. ext. Miasma (1); 4. Poét.
Aroma; perfume; 5. Ocult. Emanação de energia ou de
matéria. [Aurélio].
“O desequilíbrio da mente podeO desequilíbrio da mente pode
determinar a perturbação geral dasdeterminar a perturbação geral das
células orgânicas. […] Ascélulas orgânicas. […] As
intoxicações da alma determinamintoxicações da alma determinam
as moléstias do corpoas moléstias do corpo”.
(instrutor ALEXANDRE
em Missionários da Luz)
4ª Situação:
Diante da necessidade do perdão
e da reconciliação
Perdão: 1. Remissão de pena; desculpa;
indulto. 2. Ét. Renúncia de pessoa ou insti-
tuição à adesão às consequências punitivas
que seriam justificáveis em face de uma
ação que, em níveis diversos, transgride
preceitos jurídicos, religiosos, morais ou
afetivos vigentes.
Reconciliação: 1. Ato ou efeito de reconci-
liar(-se). 2. Reatamento de amizade. […].
(Aurélio).
Mateus 6,9-13: “Pai nosso, que estás no
céu, santificado seja o teu nome; venha o
teu reino; seja feita a tua vontade, assim
na terra como no céu. Dá-nos hoje o pão
nosso de cada dia. Perdoa as nossas
dívidas, assim como nós perdoamos aos
nossos devedores. E não nos deixes cair
em tentação, mas livra-nos do mal”.
Mateus 6,14-15: “De fato, se vocês
perdoarem aos homens os males que eles
fizeram, o Pai de vocês que está no céu
também perdoará a vocês. Mas, se vocês
não perdoarem aos homens, o Pai de vocês
também não perdoará os males que vocês
tiverem feito”.
“Mas, há duas maneiras bem diferentes de
perdoar: há o perdão dos lábios e o perdão
do coração. Muitas pessoas dizem, com refe-
rência ao seu adversário: 'Eu lhe perdoo',
mas, interiormente, alegram-se com o mal
que lhe advém, comentando que ele tem o
que merece. Quantos não dizem: 'Perdoo' e
acrescentam: 'mas, não me reconciliarei
nunca; não quero tornar a vê-lo em toda a
minha vida'. Será esse o perdão, segundo o
Evangelho? Não; o perdão verdadeiro, o
perdão cristão é aquele que lança um véu
sobre o passado; esse o único que vos será
levado em conta, visto que Deus não se
satisfaz com as aparências. ==>
Ele sonda o recesso do coração e os mais se-
cretos pensamentos. Ninguém se lhe impõe
por meio de vãs palavras e de simulacros. O
esquecimento completo e absoluto das ofen-
sas é peculiar às grandes almas; o rancor é
sempre sinal de baixeza e de inferioridade.
Não olvideis que o verdadeiro perdão se re-
conhece muito mais pelos atos do que pelas
palavras. - Paulo, apóstolo. (Lião, 1861.)”.
(ESE, X, 15).
Simulacro: Fingimento, disfarce, simulação. (Aurélio).
Mateus 18,15.21-22: “Se contra vós
pecou vosso irmão, ide fazer-lhe sentir a
falta em particular, a sós com ele; se vos
atender, tereis ganho o vosso irmão. Então,
aproximando-se dele, disse-lhe Pedro:
"Senhor, quantas vezes perdoarei a meu
irmão, quando houver pecado contra mim?
Até sete vezes?" Respondeu-lhe Jesus:
“Não vos digo que perdoeis até sete vezes,
mas até setenta vezes sete vezes”.
Então teremos que perdoar por
apenas 490 vezes?
Colossenses 3,12-15: “Como escolhidos
de Deus, santos e amados, vistam-se de
sentimentos de compaixão, bondade,
humildade, mansidão, paciência. Suportem-
se uns aos outros e se perdoem
mutuamente, sempre que tiverem queixa
contra alguém. Cada um perdoe o outro, do
mesmo modo que o Senhor perdoou vocês.
E acima de tudo, vistam-se com o amor,
que é o laço da perfeição. Que a paz de
Cristo reine no coração de vocês”.
Referências bibliográficas:
FRANCO, D. P. Autodescobrimento – uma busca interior.
Salvador: LEAL, 1995.
KARDEC, A. A Gênese. Rio de Janeiro: FEB, 2007e.
KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Rio de
Janeiro: FEB, 2006.
XAVIER, F. C. Missionários da Luz. Rio de Janeiro: FEB,
1986.
XAVIER, F. C. O Consolador. Rio de Janeiro: FEB, 1986.
Ciência Comprova elo entre saúde e espiritualidade:
http://www.viverpresente.com/wp-
content/uploads/2013/05/247454_549740898411370_1
457835305_n.jpg
Estudo mostra as reações: http://g1.globo.com/ciencia-
e-saude/noticia/2014/01/estudo-mostra-reacoes-do-
corpo-humano-cada-tipo-de-emocao.html
Por do Sol: http://img23.dreamies.de/img/56/b/qrzjcmlpq0k.jpg
Sermão da Montanha:
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/9/96/Bloch-
SermonOnTheMount.jpg/801px-Bloch-SermonOnTheMount.jpg
Ciclo das reencarnações:
http://i1.ytimg.com/vi/YBzi9E2JCzQ/maxresdefault.jpg
Lei do progresso: www.ade-sergipe-com.br
Mundos e vidas: de nossa própria autoria
Perdão e reconciliação:
http://paroquiasaofranciscoxavier.org/site/wp-
content/uploads/2012/11/perdao-e-reconciliacao1.png
Perdoar não é esquecer:
http://cassandrasilveira.files.wordpress.com/2012/02/perdoar.jpg
Importante: https://lh3.googleusercontent.com/-
gBs2qUgVn7o/UQGA8BetSMI/AAAAAAAAFaE/pAy1x4Ej5E4/w506-
h339/421594_441006042635081_2119515992_n.jpg
Moisés:
http://coronacomingattractions.com/sites/default/files/news/moses_
painting.jpg
Jesus: http://www.idealclick.net/wp-
content/uploads/2012/07/jesus-%C3%A9-deus-o-filho-e-pai.jpg
Obsessão:
http://petrolinaespirita.files.wordpress.com/2012/03/obsessao-
espiritual-doenca-da-alma.png%3Fw%3D500
Perdoe os outros: https:/fbcdn-sphotos-b-
a.akamaihd.net/hphotos-ak-
ash3/5241_481487415252365_877862894_n.jpg
Saúde: http://www.jfolharegional.com.br/fotos/casssas-2.jpg
Sócrates: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/8c/David_-
_The_Death_of_Socrates.jpg
Pai, perdoa-lhes: http://1.bp.blogspot.com/-
NuWdfzgKxSE/Tthbcz4az1I/AAAAAAAAAG8/Jf88V5ECyvo/s1600/perd
ao-de-jesus.jpg
Frase Chico:
http://cnt.winkal.com/517809fde4b05d7f0bf2bba7/Xl2s_700.jpg
Chico Xavier: http://www.stanczyk.net.br/WordPress/wp-
content/uploads/2012/06/ChicoXavier1.jpg
Site:
www.paulosnetos.net
E-mail:
paulosnetos@gmail.com
Versão 3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra 14 o evangelho no lar
Palestra 14 o evangelho no larPalestra 14 o evangelho no lar
Palestra 14 o evangelho no lar
Jose Ferreira Almeida
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Fernando Pinto
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Divulgador do Espiritismo
 
Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
JulianoCarvalho29
 
Perfeição moral: as virtudes e os vícios . ...
Perfeição moral: as virtudes e os vícios  .                                  ...Perfeição moral: as virtudes e os vícios  .                                  ...
Perfeição moral: as virtudes e os vícios . ...
Therezinha Dinelli
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
Sergio Menezes
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
Dalila Melo
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
gmo1973
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
grupodepaisceb
 
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
Jorge Luiz dos Santos
 
SE ARREPENDIMENTO MATASSE...
SE ARREPENDIMENTO MATASSE...SE ARREPENDIMENTO MATASSE...
SE ARREPENDIMENTO MATASSE...
Jorge Luiz dos Santos
 
O Poder da Prece
O Poder da PreceO Poder da Prece
O Poder da Prece
Izabel Cristina Fonseca
 
Pagar o mal com o bem "Amai os vossos inimigos"
Pagar o mal com o bem "Amai os vossos inimigos" Pagar o mal com o bem "Amai os vossos inimigos"
Pagar o mal com o bem "Amai os vossos inimigos"
Francisco de Assis Alencar
 
Cuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espíritoCuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espírito
Izabel Cristina Fonseca
 
Atendimento fraterno
Atendimento fraternoAtendimento fraterno
Atendimento fraterno
Jorge Elarrat
 
Reconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversariosReconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversarios
Rivaldo Guedes Corrêa. Jr
 
Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
Ronaldo Pereira Rodrigues
 
Palestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdãoPalestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdão
Jose Ferreira Almeida
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Livre arbítrio e lei de causa e efeito
Livre arbítrio e lei de causa e efeitoLivre arbítrio e lei de causa e efeito
Livre arbítrio e lei de causa e efeito
Ailton Guimaraes
 

Mais procurados (20)

Palestra 14 o evangelho no lar
Palestra 14 o evangelho no larPalestra 14 o evangelho no lar
Palestra 14 o evangelho no lar
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
 
Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
 
Perfeição moral: as virtudes e os vícios . ...
Perfeição moral: as virtudes e os vícios  .                                  ...Perfeição moral: as virtudes e os vícios  .                                  ...
Perfeição moral: as virtudes e os vícios . ...
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
 
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
 
SE ARREPENDIMENTO MATASSE...
SE ARREPENDIMENTO MATASSE...SE ARREPENDIMENTO MATASSE...
SE ARREPENDIMENTO MATASSE...
 
O Poder da Prece
O Poder da PreceO Poder da Prece
O Poder da Prece
 
Pagar o mal com o bem "Amai os vossos inimigos"
Pagar o mal com o bem "Amai os vossos inimigos" Pagar o mal com o bem "Amai os vossos inimigos"
Pagar o mal com o bem "Amai os vossos inimigos"
 
Cuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espíritoCuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espírito
 
Atendimento fraterno
Atendimento fraternoAtendimento fraterno
Atendimento fraterno
 
Reconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversariosReconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversarios
 
Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
 
Palestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdãoPalestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdão
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
 
Livre arbítrio e lei de causa e efeito
Livre arbítrio e lei de causa e efeitoLivre arbítrio e lei de causa e efeito
Livre arbítrio e lei de causa e efeito
 

Destaque

Reconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversáriosReconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversários
Marcelo Bomfim de Aguiar
 
Reconciliar se com os adversários cefa
Reconciliar se com os adversários cefaReconciliar se com os adversários cefa
Reconciliar se com os adversários cefa
balsense
 
Palestra Perdão e Reconciliação
Palestra Perdão e ReconciliaçãoPalestra Perdão e Reconciliação
Palestra Perdão e Reconciliação
Victor Passos
 
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos EspíritosInstituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação
 
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos EspíritosAula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
contatodoutrina2013
 
Palestra slide perdão e reconciliação
Palestra slide perdão e reconciliaçãoPalestra slide perdão e reconciliação
Palestra slide perdão e reconciliação
Pr Ismael Carvalho
 
Vf052
Vf052Vf052
Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê!
Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê!Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê!
Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê!
Sementes de Fé Uma Vida na Palavra
 
Curso Expositor Espírita 2011
Curso Expositor Espírita 2011Curso Expositor Espírita 2011
Curso Expositor Espírita 2011
newton bandini
 
Textos espíritas relacionados a passagens no evangelho
Textos espíritas relacionados a passagens no evangelhoTextos espíritas relacionados a passagens no evangelho
Textos espíritas relacionados a passagens no evangelho
pcs0209
 
Palestras publicas-2001
Palestras publicas-2001Palestras publicas-2001
Palestras publicas-2001
Magali ..
 
O sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a DeusO sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a Deus
Izabel Cristina Fonseca
 
O exercício do perdão
O exercício do perdãoO exercício do perdão
O exercício do perdão
valdirfas
 
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiososPalestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Tiburcio Santos
 
Palestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoarPalestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoar
André Nunes E Clarisa
 
Fe raciocinada
Fe raciocinadaFe raciocinada
Fe raciocinada
Alice Lirio
 
Palestra 5 o livro dos espíritos
Palestra 5 o livro dos espíritosPalestra 5 o livro dos espíritos
Palestra 5 o livro dos espíritos
Jose Ferreira Almeida
 
O livro dos espíritos !
O  livro dos espíritos !O  livro dos espíritos !
O livro dos espíritos !
Leonardo Pereira
 
Resumo o livro dos espíritos - item 10 - 16
Resumo o livro dos espíritos - item 10 - 16Resumo o livro dos espíritos - item 10 - 16
Resumo o livro dos espíritos - item 10 - 16
Graça Maciel
 
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOSAllan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Fatima Carvalho
 

Destaque (20)

Reconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversáriosReconciliação com os adversários
Reconciliação com os adversários
 
Reconciliar se com os adversários cefa
Reconciliar se com os adversários cefaReconciliar se com os adversários cefa
Reconciliar se com os adversários cefa
 
Palestra Perdão e Reconciliação
Palestra Perdão e ReconciliaçãoPalestra Perdão e Reconciliação
Palestra Perdão e Reconciliação
 
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos EspíritosInstituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
 
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos EspíritosAula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
 
Palestra slide perdão e reconciliação
Palestra slide perdão e reconciliaçãoPalestra slide perdão e reconciliação
Palestra slide perdão e reconciliação
 
Vf052
Vf052Vf052
Vf052
 
Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê!
Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê!Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê!
Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê!
 
Curso Expositor Espírita 2011
Curso Expositor Espírita 2011Curso Expositor Espírita 2011
Curso Expositor Espírita 2011
 
Textos espíritas relacionados a passagens no evangelho
Textos espíritas relacionados a passagens no evangelhoTextos espíritas relacionados a passagens no evangelho
Textos espíritas relacionados a passagens no evangelho
 
Palestras publicas-2001
Palestras publicas-2001Palestras publicas-2001
Palestras publicas-2001
 
O sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a DeusO sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a Deus
 
O exercício do perdão
O exercício do perdãoO exercício do perdão
O exercício do perdão
 
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiososPalestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
 
Palestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoarPalestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoar
 
Fe raciocinada
Fe raciocinadaFe raciocinada
Fe raciocinada
 
Palestra 5 o livro dos espíritos
Palestra 5 o livro dos espíritosPalestra 5 o livro dos espíritos
Palestra 5 o livro dos espíritos
 
O livro dos espíritos !
O  livro dos espíritos !O  livro dos espíritos !
O livro dos espíritos !
 
Resumo o livro dos espíritos - item 10 - 16
Resumo o livro dos espíritos - item 10 - 16Resumo o livro dos espíritos - item 10 - 16
Resumo o livro dos espíritos - item 10 - 16
 
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOSAllan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
 

Semelhante a Reconciliai-vos com vosso adversário

RECONSILIAI-VOS COM SEUS ADVERSÁRIOS.pptx
RECONSILIAI-VOS COM SEUS ADVERSÁRIOS.pptxRECONSILIAI-VOS COM SEUS ADVERSÁRIOS.pptx
RECONSILIAI-VOS COM SEUS ADVERSÁRIOS.pptx
francisco celio
 
Pureza sexual - Amor e Sexo - Namoro Cristão
Pureza sexual - Amor e Sexo - Namoro CristãoPureza sexual - Amor e Sexo - Namoro Cristão
Pureza sexual - Amor e Sexo - Namoro Cristão
Hubner Braz
 
Pureza Sexual Amor e Sexo.pptx
Pureza Sexual Amor e Sexo.pptxPureza Sexual Amor e Sexo.pptx
Pureza Sexual Amor e Sexo.pptx
Pecador Confesso
 
Retribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o BemRetribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o Bem
igmateus
 
A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidade
Joel Silva
 
aula 5 adultos.pdf
aula 5 adultos.pdfaula 5 adultos.pdf
aula 5 adultos.pdf
ALISONCRUZDOSSANTOS
 
Jesus, O Grande Desconhecido
Jesus, O Grande DesconhecidoJesus, O Grande Desconhecido
Jesus, O Grande Desconhecido
CCE Caldas da Rainha
 
A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidade
Joel Silva
 
Estudo adicional_As bênçãos dos justos_512015
Estudo adicional_As bênçãos dos justos_512015Estudo adicional_As bênçãos dos justos_512015
Estudo adicional_As bênçãos dos justos_512015
Gerson G. Ramos
 
O amor que corrige
O amor que corrigeO amor que corrige
O amor que corrige
Paulo Da Rocha
 
Lição 4 - Jesus e sua interpretação da lei
Lição 4 - Jesus e sua interpretação da leiLição 4 - Jesus e sua interpretação da lei
Lição 4 - Jesus e sua interpretação da lei
Erberson Pinheiro
 
Lição 9 - Etica Cristã e Sexualidade
Lição 9 - Etica Cristã e SexualidadeLição 9 - Etica Cristã e Sexualidade
Lição 9 - Etica Cristã e Sexualidade
Erberson Pinheiro
 
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
PIB Penha - SP
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 120 - Conciliação
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 120 - ConciliaçãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 120 - Conciliação
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 120 - Conciliação
Ricardo Azevedo
 
Carta do Apostolo Paulo 3
Carta do Apostolo Paulo 3Carta do Apostolo Paulo 3
Carta do Apostolo Paulo 3
Mensagens Virtuais
 
O sermão da montanha cap5
O sermão da montanha cap5O sermão da montanha cap5
O sermão da montanha cap5
Mauro Almeida Castro
 
Perdão
PerdãoPerdão
Primeira carta do Apostolo Pedro 1
Primeira carta do Apostolo Pedro 1Primeira carta do Apostolo Pedro 1
Primeira carta do Apostolo Pedro 1
Mensagens Virtuais
 
Sabedoria de Jesus Cristo
Sabedoria de Jesus CristoSabedoria de Jesus Cristo
Sabedoria de Jesus Cristo
Natália Borges
 
Respostas_O custo do discipulado_1312014
Respostas_O custo do discipulado_1312014Respostas_O custo do discipulado_1312014
Respostas_O custo do discipulado_1312014
Gerson G. Ramos
 

Semelhante a Reconciliai-vos com vosso adversário (20)

RECONSILIAI-VOS COM SEUS ADVERSÁRIOS.pptx
RECONSILIAI-VOS COM SEUS ADVERSÁRIOS.pptxRECONSILIAI-VOS COM SEUS ADVERSÁRIOS.pptx
RECONSILIAI-VOS COM SEUS ADVERSÁRIOS.pptx
 
Pureza sexual - Amor e Sexo - Namoro Cristão
Pureza sexual - Amor e Sexo - Namoro CristãoPureza sexual - Amor e Sexo - Namoro Cristão
Pureza sexual - Amor e Sexo - Namoro Cristão
 
Pureza Sexual Amor e Sexo.pptx
Pureza Sexual Amor e Sexo.pptxPureza Sexual Amor e Sexo.pptx
Pureza Sexual Amor e Sexo.pptx
 
Retribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o BemRetribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o Bem
 
A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidade
 
aula 5 adultos.pdf
aula 5 adultos.pdfaula 5 adultos.pdf
aula 5 adultos.pdf
 
Jesus, O Grande Desconhecido
Jesus, O Grande DesconhecidoJesus, O Grande Desconhecido
Jesus, O Grande Desconhecido
 
A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidade
 
Estudo adicional_As bênçãos dos justos_512015
Estudo adicional_As bênçãos dos justos_512015Estudo adicional_As bênçãos dos justos_512015
Estudo adicional_As bênçãos dos justos_512015
 
O amor que corrige
O amor que corrigeO amor que corrige
O amor que corrige
 
Lição 4 - Jesus e sua interpretação da lei
Lição 4 - Jesus e sua interpretação da leiLição 4 - Jesus e sua interpretação da lei
Lição 4 - Jesus e sua interpretação da lei
 
Lição 9 - Etica Cristã e Sexualidade
Lição 9 - Etica Cristã e SexualidadeLição 9 - Etica Cristã e Sexualidade
Lição 9 - Etica Cristã e Sexualidade
 
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 120 - Conciliação
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 120 - ConciliaçãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 120 - Conciliação
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 120 - Conciliação
 
Carta do Apostolo Paulo 3
Carta do Apostolo Paulo 3Carta do Apostolo Paulo 3
Carta do Apostolo Paulo 3
 
O sermão da montanha cap5
O sermão da montanha cap5O sermão da montanha cap5
O sermão da montanha cap5
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
 
Primeira carta do Apostolo Pedro 1
Primeira carta do Apostolo Pedro 1Primeira carta do Apostolo Pedro 1
Primeira carta do Apostolo Pedro 1
 
Sabedoria de Jesus Cristo
Sabedoria de Jesus CristoSabedoria de Jesus Cristo
Sabedoria de Jesus Cristo
 
Respostas_O custo do discipulado_1312014
Respostas_O custo do discipulado_1312014Respostas_O custo do discipulado_1312014
Respostas_O custo do discipulado_1312014
 

Mais de home

Anjos e demônios na bíblia
Anjos e demônios na bíbliaAnjos e demônios na bíblia
Anjos e demônios na bíblia
home
 
O médium e o exercício mediúnico
O médium e o exercício mediúnicoO médium e o exercício mediúnico
O médium e o exercício mediúnico
home
 
Imortalidade da alma
Imortalidade da almaImortalidade da alma
Imortalidade da alma
home
 
O Espírito 1,5h
O Espírito 1,5hO Espírito 1,5h
O Espírito 1,5h
home
 
Espiritismo e aborto-1,5h
Espiritismo e aborto-1,5hEspiritismo e aborto-1,5h
Espiritismo e aborto-1,5h
home
 
Retorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hRetorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5h
home
 
Diferenças religiosas na família 1,0h
Diferenças religiosas na família 1,0hDiferenças religiosas na família 1,0h
Diferenças religiosas na família 1,0h
home
 
Homossexualidade (Espiritismo)-1,5h
Homossexualidade (Espiritismo)-1,5hHomossexualidade (Espiritismo)-1,5h
Homossexualidade (Espiritismo)-1,5h
home
 
As colônias espirituais e a codificação 1,5h
As colônias espirituais e a codificação 1,5hAs colônias espirituais e a codificação 1,5h
As colônias espirituais e a codificação 1,5h
home
 
Da encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos EspíritosDa encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos Espíritos
home
 
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hsO papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
home
 
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5hO que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
home
 
Allan Kardec, vida e obra
Allan Kardec, vida e obraAllan Kardec, vida e obra
Allan Kardec, vida e obra
home
 
A paciência
A paciênciaA paciência
A paciência
home
 
Alma dos animais 1,5h
Alma dos animais   1,5hAlma dos animais   1,5h
Alma dos animais 1,5h
home
 
Vigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5hVigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5h
home
 
O argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olhoO argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olho
home
 
Da Lei de Sociedade
Da Lei de SociedadeDa Lei de Sociedade
Da Lei de Sociedade
home
 
Da Lei de Adoração
Da Lei de AdoraçãoDa Lei de Adoração
Da Lei de Adoração
home
 
Da Lei de Reprodução
Da Lei de ReproduçãoDa Lei de Reprodução
Da Lei de Reprodução
home
 

Mais de home (20)

Anjos e demônios na bíblia
Anjos e demônios na bíbliaAnjos e demônios na bíblia
Anjos e demônios na bíblia
 
O médium e o exercício mediúnico
O médium e o exercício mediúnicoO médium e o exercício mediúnico
O médium e o exercício mediúnico
 
Imortalidade da alma
Imortalidade da almaImortalidade da alma
Imortalidade da alma
 
O Espírito 1,5h
O Espírito 1,5hO Espírito 1,5h
O Espírito 1,5h
 
Espiritismo e aborto-1,5h
Espiritismo e aborto-1,5hEspiritismo e aborto-1,5h
Espiritismo e aborto-1,5h
 
Retorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hRetorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5h
 
Diferenças religiosas na família 1,0h
Diferenças religiosas na família 1,0hDiferenças religiosas na família 1,0h
Diferenças religiosas na família 1,0h
 
Homossexualidade (Espiritismo)-1,5h
Homossexualidade (Espiritismo)-1,5hHomossexualidade (Espiritismo)-1,5h
Homossexualidade (Espiritismo)-1,5h
 
As colônias espirituais e a codificação 1,5h
As colônias espirituais e a codificação 1,5hAs colônias espirituais e a codificação 1,5h
As colônias espirituais e a codificação 1,5h
 
Da encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos EspíritosDa encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos Espíritos
 
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hsO papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
 
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5hO que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
 
Allan Kardec, vida e obra
Allan Kardec, vida e obraAllan Kardec, vida e obra
Allan Kardec, vida e obra
 
A paciência
A paciênciaA paciência
A paciência
 
Alma dos animais 1,5h
Alma dos animais   1,5hAlma dos animais   1,5h
Alma dos animais 1,5h
 
Vigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5hVigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5h
 
O argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olhoO argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olho
 
Da Lei de Sociedade
Da Lei de SociedadeDa Lei de Sociedade
Da Lei de Sociedade
 
Da Lei de Adoração
Da Lei de AdoraçãoDa Lei de Adoração
Da Lei de Adoração
 
Da Lei de Reprodução
Da Lei de ReproduçãoDa Lei de Reprodução
Da Lei de Reprodução
 

Último

MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (16)

MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 

Reconciliai-vos com vosso adversário

  • 1.
  • 2. O Evangelho Segundo o Espiritismo Capítulo X Bem-aventurados os que são misericordiosos 5. Reconciliação com os adversários
  • 3. “Reconciliai-vos o mais depressa possível com o vosso adversário, enquanto estais com ele a caminho, para que ele não vos entregue ao juiz, o juiz não vos entregue ao ministro da justiça e não sejais metido em prisão. – Digo-vos, em verdade, que daí não saireis, enquanto não houverdes pago o último ceitil." (Mateus 5:25 e 26).
  • 4. Sermão da MontanhaSermão da Montanha Evangelho de MateusEvangelho de Mateus Capítulos 5, 6 e 7Capítulos 5, 6 e 7
  • 5.
  • 6. “ R e c o n c i l i a i - v o Reconciliar: estabelecer a paz; tornar amigos (pessoas que se malquistaram); congraçar, harmonizar; fazer as pazes. (AURÉLIO).
  • 7. “ R e c o n c i l i a i - v o O mais depressa possível: significa que devemos fazer “agora”, enquanto o nosso desafeto está vivo, pois daqui a um minuto ele poderá não estar mais.
  • 8. “ R e c o n c i l i a i - v o Adversário: indivíduo que luta contra; inimigo; indivíduo que se opõe a; opositor, antagonista, rival, concorrente. (Aurélio).
  • 9. “ R e c o n c i l i a i - v o Estais com ele a caminho: estende-se a todos os que nos acompanham na presente reencarnação, inclui-se na lista os nossos familiares.
  • 10. “ R e c o n c i l i a i - v o Vos entregue ao juiz: a nossa consciência é o nosso juiz; que, mais cedo ou mais tarde, nos imputará todos os nossos desvios perante a Lei de Amor.
  • 11. “ R e c o n c i l i a i - v o Vos entregue ao ministro da justiça: pode-se entender como sendo a Lei de causa e efeito, pela qual jamais ficarão “impunes” as transgressões à Lei divina.
  • 12. Perdão puro e simples? Isaías 26,9-10: “[…] se se perdoar o ímpio, ele não aprenderá a justiça, na terra da retidão ele se entregará ao mal e não verá a majestade do Senhor.”
  • 13. Ou Lei de causa e efeito? • Mateus 16,27: “Porque o Filho do Homem virá na glória do seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada um segundo suas obras.” • Mateus 26,52: “Jesus, porém, lhe disse: 'Guarde a espada na bainha. Pois todos os que usam a espada, pela espada morrerão.'” • João 5,14: “Você ficou curado. Não peque de novo, para que não lhe aconteça alguma coisa pior.” (ao doente que, por trinta e oito anos, per manecera deitado numa cama).
  • 14. • 2 Coríntios 5,10: “De fato, todos deveremos comparecer diante do tribunal de Cristo, a fim de que cada um receba a recompensa daquilo que tiver feito durante a sua vida no corpo, tanto para o bem, como para o mal.” • 2 Coríntios 9,6: “Saibam de uma coisa: quem semeia com mesquinhez, com mesquinhez há de colher, quem semeia com generosidade, com generosidade há de colher.” • Gálatas 6,7: “Não se iludam, pois com Deus não se brinca: cada um colherá aquilo que tiver semeado.”
  • 15. Como Deus nos trata? Eclesiástico 18,12: “A misericórdia do homem é para o seu próximo, porém a misericórdia do Senhor é para todos os seres vivos. Ele repreende, corrige, ensina e dirige, como o pastor conduz o seu rebanho.”
  • 16. “ R e c o n c i l i a i - v o Sejais metido em prisão: no corpo físico ou no planeta Terra. Pode-se sair de ambos após atingir certo grau evolutivo. Alcançar a condição de Espírito puro é não só a meta, mas o destino final de todos.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20. “ R e c o n c i l i a i - v o Sejais metido em prisão: ainda pode- mos considerar o fato de que os laços de ódio nos prendem uns aos outros, que só com o perdão serão desatados.
  • 21. “ R e c o n c i l i a i - v o CEITIL: a) Barsa: Moeda de cobre mencionado no Novo Testamento. Era a de menor valor das então em uso (Lc 12,59; 21,2) b) Houaiss: 1 moeda portuguesa do tempo de D. João I (1385-1433); 2 quantia insignificante.
  • 22. “ R e c o n c i l i a i - v o Dai não saireis, enquanto não houver- des pago o último ceitil: não sairemos do ciclo das reencarnações enquanto vibrarmos sentimentos contrários à Lei de Amor.
  • 23.
  • 24.
  • 25. O não reconciliar com os adversários nos coloca diante de, pelo menos, quatro situações.
  • 26. 1ª Situação: O sentimento de animosidade nos mantém em vibrações contrárias à Lei de Amor
  • 27. 1 João 4,16: “E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele”.
  • 28. Mateus 5,23-24: “Se estás, portanto, para fazer a tua oferta diante do altar e te lem- brares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; só então vem fazer a tua oferta”.
  • 29. Mateus 22,34-40: “Os fariseus ouviram dizer que Jesus tinha feito os saduceus se calarem. Então eles se reuniram em grupo, e um deles perguntou a Jesus para o tentar: 'Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?' Jesus respondeu: 'Ame ao Senhor seu Deus com todo o seu coração, com toda a sua alma, e com todo o seu entendimento. Esse é o maior e o primeiro mandamento. O segundo é semelhante a esse: Ame ao seu próximo como a si mesmo. Toda a Lei e os Profetas dependem desses dois mandamen- tos'”.
  • 30.
  • 31. Mateus 7,12: "Portanto, tudo o que quereis que os outros vos façam, fazei o mesmo também vós a eles: nisso está a Lei e os Profetas".
  • 33. Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos, e rezem por aqueles que perseguem vocês! Assim vocês se tornarão filhos do Pai que está no céu, porque ele faz o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês amam somente aqueles que os amam, que recompensa vocês terão? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se vocês cumprimentam somente seus irmãos, o que é que vocês fazem de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês que está no céu."
  • 34. Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos, e rezem por aqueles que perseguem vocês! Assim vocês se tornarão filhos do Pai que está no céu, porque ele faz o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês amam somente aqueles que os amam, que recompensa vocês terão? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se vocês cumprimentam somente seus irmãos, o que é que vocês fazem de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês que está no céu."
  • 35. Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos, e rezem por aqueles que perseguem vocês! Assim vocês se tornarão filhos do Pai que está no céu, porque ele faz o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês amam somente aqueles que os amam, que recompensa vocês terão? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se vocês cumprimentam somente seus irmãos, o que é que vocês fazem de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês que está no céu."
  • 36. Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos, e rezem por aqueles que perseguem vocês! Assim vocês se tornarão filhos do Pai que está no céu, porque ele faz o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês amam somente aqueles que os amam, que recompensa vocês terão? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se vocês cumprimentam somente seus irmãos, o que é que vocês fazem de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês que está no céu."
  • 37. Onde, frequentemente, se encontra o nosso adversário mais próximo?
  • 38. “Os que encarnam numa família, sobretudo como parentes próximos, são, as mais das vezes, Espíritos simpáticos, ligados por an- teriores relações, que se expressam por uma afeição recíproca na vida terrena. Mas, também pode acontecer sejam completa- mente estranhos uns aos outros esses Espí- ritos afastados entre si por antipatias igual- mente anteriores, que se traduzem na Ter- ra por um mútuo antagonismo, que aí lhes servem de provação. […]”. (Kardec, ESE, cap. XIV).
  • 39. "[…] Deus permite que, nas famílias, ocor- ram encarnações de Espíritos antipáticos ou estranhos, com duplo objetivo de servir de prova para uns e, para outros, de meio de progresso. Assim, os maus se melhoram pouco a pouco, ao contato dos bons e por efeito dos cuidados que se lhes dispensam. O caráter deles se abranda, seus costumes se apuram, as antipatias se esvaem”. (KARDEC, ESE, cap. IV).
  • 40. 175. O instituto da família é organizado no plano espiritual, antes de projetar-se na Terra? O colégio familiar tem suas origens sagradas na esfera espiritual. Em seus laços, reúnem- se todos aqueles que se comprometeram, no Além, a desenvolver na Terra uma tarefa construtiva de fraternidade real e definitiva. Preponderam nesse instituto divino os elos do amor, fundidos nas experiências de outras eras; todavia, ai acorrem igualmente os ódios e as perseguições do pretérito obscuro, a fim de se transfundirem em solidariedade fraternal, com vistas ao futuro. ==>
  • 41. É nas dificuldades provadas em comum, nas dores e nas experiências recebidas na mes- ma estrada de evolução redentora, que se olvidam as amarguras do passado longínquo, transformando-se todos os sentimentos infe- riores em expressões regeneradas e santifi- cadas. Purificadas as afeições, acima dos laços do sangue, o sagrado instituto da família se perpetua no Infinito, através dos laços impe- recíveis do Espírito. (Emmanuel, O Consolador). Olvidar: perder a memória de; não vir (algo) à lembrança de (alguém ou de si mesmo); esquecer(-se). (Houaiss).
  • 42. Se não reconciliarmos “agora” por adiar indefinidamente a reconciliação, qual poderá ser a consequência se o inimigo desencarnar antes de nós?
  • 43. 2ª Situação: Obsessão produzida pela ação dos inimigos desencarnados
  • 44. “Chama-se obsessão à ação persistente que um Espírito mau exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diferentes, que vão desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a pertur- bação completa do organismo e das facul- dades mentais. […].” (KARDEC, A Gênese, cap. XIV, item 45).
  • 45. “Quase sempre a obsessão exprime vingan- ça tomada por um Espírito cuja origem frequentemente se encontra nas relações que o obsediado manteve com o obsessor, em precedente existência. (KARDEC, A Gênese, cap. XIV, item 46).
  • 46. Lucas 8,26-31: “Jesus e os discípulos desembarca- ram na região dos gerasenos, que está diante da Galileia. Ao descer à terra, um homem da cidade foi ao encontro de Jesus. Ele era possuído por demô- nios, e há muito tempo não se vestia, nem morava em casa, mas nos túmulos. Vendo Jesus, o homem começou a gritar, caiu aos pés dele, e falou com voz forte: "Que há entre mim e ti, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Eu te peço, não me atormentes!" O homem falou assim, porque Jesus tinha mandado que o espírito mau saísse dele. De fato, muitas vezes o espírito tinha tomado posse dele. Para protegê-lo, o prendiam com correntes e algemas; ele, porém, arrebentava as correntes, e o demônio o levava para lugares desertos. Então Jesus lhe perguntou: "Qual é o seu nome?" Ele respondeu: "Meu nome é Legião." Pois muitos demônios tinham entrado nele. Os demônios pediam que Jesus não os mandasse para o abismo”.
  • 47. Lucas 8,26-31: “Jesus e os discípulos desembarca- ram na região dos gerasenos, que está diante da Galileia. Ao descer à terra, um homem da cidade foi ao encontro de Jesus. Ele era possuído por demô- nios, e há muito tempo não se vestia, nem morava em casa, mas nos túmulos. Vendo Jesus, o homem começou a gritar, caiu aos pés dele, e falou com voz forte: "Que há entre mim e ti, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Eu te peço, não me atormentes!" O homem falou assim, porque Jesus tinha mandado que o espírito mau saísse dele. De fato, muitas vezes o espírito tinha tomado posse dele. Para protegê-lo, o prendiam com correntes e algemas; ele, porém, arrebentava as correntes, e o demônio o levava para lugares desertos. Então Jesus lhe perguntou: "Qual é o seu nome?" Ele respondeu: "Meu nome é Legião." Pois muitos demônios tinham entrado nele. Os demônios pediam que Jesus não os mandasse para o abismo”.
  • 48. “Na prática do perdão, como, em geral, na do bem, não há somente um efeito moral: há também um efeito material. A morte, como sabemos, não nos livra dos nossos inimigos; os Espíritos vingativos perseguem, muitas vezes, com seu ódio, no além-túmu- lo, aqueles contra os quais guardam rancor; donde decorre a falsidade do provérbio que diz: 'Morto o animal, morto o veneno', quando aplicado ao homem. ==>
  • 49. O Espírito mau espera que o outro, a quem ele quer mal, esteja preso ao seu corpo e, assim, menos livre, para mais facilmente o atormentar, ferir nos seus interesses, ou nas suas mais caras afeições. Nesse fato reside a causa da maioria dos casos de obsessão, sobretudo dos que apresentam certa gravidade, quais os de subjugação e possessão. ==>
  • 50. O obsidiado e o possesso são, pois, quase sempre vítimas de uma vingança, cujo motivo se encontra em existência anterior, e à qual o que a sofre deu lugar pelo seu proceder. Deus o permite, para os punir do mal que a seu turno praticaram, ou, se tal não ocorreu, por haverem faltado com a indulgência e a caridade, não perdoando. Importa, conseguintemente, do ponto de vista da tranquilidade futura, que cada um repare, quanto antes, os agravos que haja causado ao seu próximo, que perdoe aos seus inimigos, a fim de que, antes que a morte lhe chegue, esteja apagado qualquer motivo de dissensão, toda causa fundada de ulterior animosidade. […]”. (KARDEC, ESE, cap. X).
  • 51. Afinal, quem será mais beneficiado numa reconciliação?
  • 52. É bem provável que a maioria de nós pensa que o nosso adversário não “merece” o nosso perdão.
  • 53. Isso só demonstra o quanto nós ainda somos orgulhosos e que até o momento não compre- endemos o alcance da reconciliação.
  • 54.
  • 55. Fora a questão de uma possível obsessão, como já vimos, há um outro ponto muito mais grave que atinge diretamente aos que se mantêm irredutíveis na reconciliação.
  • 56. 3ª Situação: Surgem vários problemas de saúde
  • 57. “Se os médicos fracassam na maior parte das doenças, é porque tratam do corpo sem a alma, e porque, se o todo não se encontra em bom estado, é impossível que a parte esteja bem”. Sócrates (470-399 a.C.) (Introdução de ESE, XIX)
  • 58. “Quando a mente elabora conflitos, ressen- timentos, ódios que se prolongam, os dar- dos reagentes, disparados desatrelam as células dos seus automatismos, que dege- neram, dando origem a tumores de vários tipos, especialmente cancerígenos, em ra- zão da carga mortífera de energia que as agride”. (Joanna de Ângelis, Autodescobrimento – uma busca interior).
  • 59. “Os fluidos espirituais, que constituem um dos estados do fluido cósmico universal, são, a bem dizer, a atmosfera dos seres espirituais; […]”. (KARDEC, A Gênese, XIV, 13). “Sendo os fluidos o veículo do pensamento, este atua sobre os fluidos como o som sóbre o ar; eles nos trazem o pensamento, como o ar nos traz o som. [...]. Desse modo é que os mais secretos movi- mentos da alma repercutem no envoltório fluídico; [...]”. (KARDEC, A Gênese, XIV, item 15).
  • 60. “[...] Sendo esses fluidos o veículo do pen- samento e podendo este modificar-lhes as propriedades, é evidente que eles devem achar-se impregnados das qualidades boas ou más dos pensamentos que os fazem vibrar, modificando-se pela pureza ou impu-reza dos sentimentos. Os maus pensamen-tos corrompem os fluidos espirituais, como os miasmas deletérios corrompem o ar res-pirável. [...]”. (KARDEC, A Gênese, XIV, item 16).
  • 61. “[...] Como os odores, eles [os fluídos] são designados pelas suas propriedades, seus efeitos e tipos originais. Sob o ponto de vista moral, trazem o cunho dos sentimen- tos de ódio, de inveja, de ciúme, de orgulho, de egoísmo, de violência, de hipo- crisia, de bondade, de benevolência, de amor, de caridade, de doçura, etc. […]. O quadro dos fluidos seria, pois, o de todas as paixões, das virtudes e dos vícios da Humanidade e das propriedades da maté- ria, correspondentes aos efeitos que eles produzem”. (KARDEC, A Gênese, XIV, item 17).
  • 62. “Atuando esses fluidos sobre o perispírito, este, a seu turno, reage sobre o organismo material com que se acha em contacto mole- cular. Se os eflúvios são de boa natureza, o corpo ressente uma impressão salutar; se são maus, a impressão é penosa. Se são permanentes e enérgicos, os eflúvios maus podem ocasionar desordens físicas; não é outra a causa de certas enfermidades”. (KARDEC, A Gênese, XIV, item 18). Eflúvio: 1. Emanação invisível que se desprende de um fluido; efluência, exalação; 2. Emanação sutil que se exala dos corpos organizados; 3. P. ext. Miasma (1); 4. Poét. Aroma; perfume; 5. Ocult. Emanação de energia ou de matéria. [Aurélio].
  • 63. “O desequilíbrio da mente podeO desequilíbrio da mente pode determinar a perturbação geral dasdeterminar a perturbação geral das células orgânicas. […] Ascélulas orgânicas. […] As intoxicações da alma determinamintoxicações da alma determinam as moléstias do corpoas moléstias do corpo”. (instrutor ALEXANDRE em Missionários da Luz)
  • 64.
  • 65.
  • 66.
  • 67.
  • 68.
  • 69. 4ª Situação: Diante da necessidade do perdão e da reconciliação
  • 70. Perdão: 1. Remissão de pena; desculpa; indulto. 2. Ét. Renúncia de pessoa ou insti- tuição à adesão às consequências punitivas que seriam justificáveis em face de uma ação que, em níveis diversos, transgride preceitos jurídicos, religiosos, morais ou afetivos vigentes. Reconciliação: 1. Ato ou efeito de reconci- liar(-se). 2. Reatamento de amizade. […]. (Aurélio).
  • 71. Mateus 6,9-13: “Pai nosso, que estás no céu, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. Dá-nos hoje o pão nosso de cada dia. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal”.
  • 72. Mateus 6,14-15: “De fato, se vocês perdoarem aos homens os males que eles fizeram, o Pai de vocês que está no céu também perdoará a vocês. Mas, se vocês não perdoarem aos homens, o Pai de vocês também não perdoará os males que vocês tiverem feito”.
  • 73. “Mas, há duas maneiras bem diferentes de perdoar: há o perdão dos lábios e o perdão do coração. Muitas pessoas dizem, com refe- rência ao seu adversário: 'Eu lhe perdoo', mas, interiormente, alegram-se com o mal que lhe advém, comentando que ele tem o que merece. Quantos não dizem: 'Perdoo' e acrescentam: 'mas, não me reconciliarei nunca; não quero tornar a vê-lo em toda a minha vida'. Será esse o perdão, segundo o Evangelho? Não; o perdão verdadeiro, o perdão cristão é aquele que lança um véu sobre o passado; esse o único que vos será levado em conta, visto que Deus não se satisfaz com as aparências. ==>
  • 74. Ele sonda o recesso do coração e os mais se- cretos pensamentos. Ninguém se lhe impõe por meio de vãs palavras e de simulacros. O esquecimento completo e absoluto das ofen- sas é peculiar às grandes almas; o rancor é sempre sinal de baixeza e de inferioridade. Não olvideis que o verdadeiro perdão se re- conhece muito mais pelos atos do que pelas palavras. - Paulo, apóstolo. (Lião, 1861.)”. (ESE, X, 15). Simulacro: Fingimento, disfarce, simulação. (Aurélio).
  • 75.
  • 76. Mateus 18,15.21-22: “Se contra vós pecou vosso irmão, ide fazer-lhe sentir a falta em particular, a sós com ele; se vos atender, tereis ganho o vosso irmão. Então, aproximando-se dele, disse-lhe Pedro: "Senhor, quantas vezes perdoarei a meu irmão, quando houver pecado contra mim? Até sete vezes?" Respondeu-lhe Jesus: “Não vos digo que perdoeis até sete vezes, mas até setenta vezes sete vezes”.
  • 77. Então teremos que perdoar por apenas 490 vezes?
  • 78. Colossenses 3,12-15: “Como escolhidos de Deus, santos e amados, vistam-se de sentimentos de compaixão, bondade, humildade, mansidão, paciência. Suportem- se uns aos outros e se perdoem mutuamente, sempre que tiverem queixa contra alguém. Cada um perdoe o outro, do mesmo modo que o Senhor perdoou vocês. E acima de tudo, vistam-se com o amor, que é o laço da perfeição. Que a paz de Cristo reine no coração de vocês”.
  • 79.
  • 80.
  • 81. Referências bibliográficas: FRANCO, D. P. Autodescobrimento – uma busca interior. Salvador: LEAL, 1995. KARDEC, A. A Gênese. Rio de Janeiro: FEB, 2007e. KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Rio de Janeiro: FEB, 2006. XAVIER, F. C. Missionários da Luz. Rio de Janeiro: FEB, 1986. XAVIER, F. C. O Consolador. Rio de Janeiro: FEB, 1986. Ciência Comprova elo entre saúde e espiritualidade: http://www.viverpresente.com/wp- content/uploads/2013/05/247454_549740898411370_1 457835305_n.jpg Estudo mostra as reações: http://g1.globo.com/ciencia- e-saude/noticia/2014/01/estudo-mostra-reacoes-do- corpo-humano-cada-tipo-de-emocao.html
  • 82. Por do Sol: http://img23.dreamies.de/img/56/b/qrzjcmlpq0k.jpg Sermão da Montanha: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/9/96/Bloch- SermonOnTheMount.jpg/801px-Bloch-SermonOnTheMount.jpg Ciclo das reencarnações: http://i1.ytimg.com/vi/YBzi9E2JCzQ/maxresdefault.jpg Lei do progresso: www.ade-sergipe-com.br Mundos e vidas: de nossa própria autoria Perdão e reconciliação: http://paroquiasaofranciscoxavier.org/site/wp- content/uploads/2012/11/perdao-e-reconciliacao1.png Perdoar não é esquecer: http://cassandrasilveira.files.wordpress.com/2012/02/perdoar.jpg Importante: https://lh3.googleusercontent.com/- gBs2qUgVn7o/UQGA8BetSMI/AAAAAAAAFaE/pAy1x4Ej5E4/w506- h339/421594_441006042635081_2119515992_n.jpg Moisés: http://coronacomingattractions.com/sites/default/files/news/moses_ painting.jpg Jesus: http://www.idealclick.net/wp- content/uploads/2012/07/jesus-%C3%A9-deus-o-filho-e-pai.jpg
  • 83. Obsessão: http://petrolinaespirita.files.wordpress.com/2012/03/obsessao- espiritual-doenca-da-alma.png%3Fw%3D500 Perdoe os outros: https:/fbcdn-sphotos-b- a.akamaihd.net/hphotos-ak- ash3/5241_481487415252365_877862894_n.jpg Saúde: http://www.jfolharegional.com.br/fotos/casssas-2.jpg Sócrates: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/8c/David_- _The_Death_of_Socrates.jpg Pai, perdoa-lhes: http://1.bp.blogspot.com/- NuWdfzgKxSE/Tthbcz4az1I/AAAAAAAAAG8/Jf88V5ECyvo/s1600/perd ao-de-jesus.jpg Frase Chico: http://cnt.winkal.com/517809fde4b05d7f0bf2bba7/Xl2s_700.jpg Chico Xavier: http://www.stanczyk.net.br/WordPress/wp- content/uploads/2012/06/ChicoXavier1.jpg