SlideShare uma empresa Scribd logo
PROJETO: CONHECER,
SENTIR, VIVER KARDEC

                SÉRIE:
            CONHENCENDO
               KARDEC

        Grupo Espírita Allan Kardec
         www.luzdoespiritismo.com
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
Cap. XVII, item 3   3ªP, Cap. XII, Q.918
O homem de bem, grande desafio
O Livro dos Espíritos - q . 779 » Parte Terceira - Capítulo VIII » Marcha do progresso
918. Por que indícios se pode
                 reconhecer em um homem o progresso
                 real que lhe elevará o Espírito na
                 hierarquia espírita?


“O espírito prova a sua elevação,
quando todos os atos de sua vida
corporal representam a prática da lei
de Deus e quando antecipadamente
compreende a vida espiritual.”
CARACTERÍSTICAS DO HOMEM DE BEM
                               Fé em Deus e
Auto conhecimento!                                      Esperança!
                                Confiança!

   Resignação!                 Beneficência!           Solidariedade!

  Fraternidade!                Alteridade!               Caridade!

     Perdão!                   Indulgência!            Compreensão!

  Perseverança!                 Bondade!                Humildade!

                  Dedicação!                   Amor!
O homem de bem, grande desafio
1. Interrogue a consciência sobre seus próprios atos.




  Conhecimento de si mesmo!
Pergunte a si mesmo.                        Se não violou essa lei.




                                            Se fez todo o bem que
Se não cometeu o mal.
                                                    podia.


             Santo Agostinho – O Livro dos Espíritos - 919-a.
Se não deixou escapar
                                        Se ninguém tem do que se
voluntariamente      uma
                                        queixar de você.
ocasião de ser útil.



         Se fez aos outros aquilo que queria que
         os outros fizessem por ele.

             Santo Agostinho – O Livro dos Espíritos - 919-a.
 Perguntai ainda isto:
                 Se aprouvesse a Deus
                   chamar-me neste momento,
                   ao entrar no mundo dos
                   Espíritos, onde nada é
                   oculto, teria eu de temer o
                   olhar de alguém?

Santo Agostinho – O Livro dos Espíritos - 919-a.
2. Deposite
    fé em
 Deus, na
     sua
 bondade,
   na sua
 justiça e
   na sua
sabedoria.



Confiança!
3. Acrescente fé no futuro, colocando os bens
      espirituais acima dos bens temporais.




Esperança!
4. Aceite as vicissitudes da vida sem
  murmurar, entendendo-as como
        provas ou expiações.




   Resignação!
Obediência e resignação
         A obediência é o
    consentimento da razão; a
          resignação é o
    consentimento do coração.
     Ambas são forças ativas,
     porque levam o fardo das
       provas que a revolta
       insensata deixa cair.

      ESE – Lázaro, Paris, 1863
5. Doe doses abundantes de caridade e de amor ao
     próximo, retribuindo o mal com o bem.




                                  Beneficência !
5. Faça o bem pelo bem e tome
a defesa do fraco contra o forte.




                Beneficência!
RETRIBUIR O MAL COM O BEM
                  Amar os inimigos não é:

                      Ter-lhes uma afeição que não está na
                      natureza, visto que o contato de um
                      inimigo nos faz bater o coração de modo
                      muito diverso do seu bater, ao contato
                      de um amigo.


Allan Kardec - ESE - Cap. XII - Itens 1 a 4 - Tema: Retribuir o mal com o bem
RETRIBUIR O MAL COM O BEM



De que forma                   Não lhes
                                                        Perdoando-lhes
podemos amar               guardando ódio,
                                                         o mal que nos
   os nossos               rancor ou desejo
                                                            causem.
  inimigos?                  de vingança.



Allan Kardec - ESE - Cap. XII - Itens 1 a 4 - Tema: Retribuir o mal com o bem
RETRIBUIR O MAL COM O BEM



Experimentando júbilo,                    Enfim, retribuindo-lhe
em vez de pesar, com o                   sempre o mal com o bem,
bem que lhes advenha.                      sem a intenção de os
                                                humilhar.


Allan Kardec - ESE - Cap. XII - Itens 1 a 4 - Tema: Retribuir o mal com o bem
BENEFICÊNCIA NO COTIDIANO




 "De quando a         Não apenas os      Beneficência no
     quando,         fatos de elevado      cotidiano.
  troquemos os           alcance e
grandes conceitos   os gestos heroicos
da caridade pelos       dignos da
atos miúdos que         imprensa.
lhe confirmem a
    existência.
                     (André Luiz).
6. Pense nos outros, antes de pensar em
 si, encontrando satisfação nos serviços
               que presta.




        Solidariedade!
7. Seja bom, humano e
benevolente para com todos, sem
 distinção de raças ou crenças.



       Fraternidade!
8. Respeite todas as
 convicções sinceras sem
lançar anátema aos que     Alteridade!
  não pensam como ti.
9. Mais uma
   vez, não se
 esqueça de em
     todas as     Caridade!
 circunstâncias
tomar por guia
   a caridade.
Para serem os
A caridade que consiste
                                                instrumento de
 na esmola dada aos
                                               nosso sofrimento e
pobres é a mais fácil de
                                             submeterem à prova a
         todas.
                                                nossa paciência.


 Existe, porém, uma                          É a de perdoar aqueles
 muito mais penosa e                          que Deus colocou no
 bem mais meritória:                            nosso caminho.

               O Evangelho segundo o espiritismo – Allan Kardec
10. Perdoe e esqueça todas as
ofensas, não alimentando ódio,
 rancor ou desejo de vingança.


           Perdão!
11. Seja indulgente para com as
fraquezas alheias, por também ser
      credor de Indulgência!


          Indulgência!
Para julgar-se a si mesmo,
   seria necessário poder
   mirar-se num espelho,                       Que pensaria eu, se visse
transportar-se de qualquer                      alguém fazendo o que
maneira fora de si mesmo,                              faço?
e considerar-se como outra
   pessoa, perguntando:



              Allan Kardec - ESE- O Argueiro e a Trave no Olho
12. Não evidencie os defeitos
alheios e procure sempre o bem que
       possa atenuar o mal.




                          Compreensão!
A censura lançada à conduta de
outrem pode obedecer a dois móveis:
 reprimir o mal, ou desacreditar a
    pessoa cujos atos se criticam.


Allan Kardec - ESE cap. 10, it.13
É muito delicada
                                   esta questão e,
21. Haverá casos
                                  para resolvê-la,
em que convenha
                                    necessário se
se desvende o mal
                                 torna apelar para
    de outrem?
                                  a caridade bem
                                   compreendida.


  - São Luís. (Paris, 1860.) - ESE cap. 10, it.21
Se, porém, podem
Se as imperfeições
                               acarretar prejuízo a
de uma pessoa só a
                                 terceiros, deve-se
  ela prejudicam,
                                    atender de
nenhuma utilidade
                                  preferência ao
 haverá nunca em
                                interesse do maior
     divulgá-la.
                                     número.




  - São Luís. (Paris, 1860.) - ESE cap. 10, it.21
Segundo as circunstâncias, desmascarar a
hipocrisia e a mentira pode constituir um dever,
pois mais vale caia um homem, do que virem
muitos a ser suas vítimas. Em tal caso, deve-se
pesar a soma das vantagens e dos inconvenientes.
13. Estude as próprias
     imperfeições e trabalhe       Perseverança!
incessantemente por combatê-las.
14. Aproveite todas as ocasiões
 para fazer ressaltar o que seja   Bondade!
    proveitoso nos outros.
15. Não se envaideça pela riqueza ou vantagens
pessoais, sabedor de que são empréstimos.




            Humildade!
A humildade não está na pobreza, não está na
indigência, na penúria, na necessidade, na nudez e
nem na fome. A humildade está na pessoa que
tendo o direito de reclamar, julgar, reprovar e tomar
qualquer atitude compreensível no brio pessoal,
apenas abençoa." (Emmanuel, psicografado por
Chico Xavier)
16. Se superior,
     trate os
subalternos com
   bondade e       Humildade!
  benevolência,
 vendo-os como
     irmãos.
17. Se subordinado, compreenda
seus deveres e se empenhe em
cumpri-los de bom grado.


      Dedicação!
18. Finalmente, respeite todos os
direitos que aos seus semelhantes dão
as leis da Natureza.




                 AMOR!
“Estas não são todas as
qualidades de homem de bem,
  mas quem se esforçar para
possuí-las estará mais próximo
         das demais.”
O homem de bem, grande desafio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
Silvânio Barcelos
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
Dalila Melo
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Vigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5hVigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5h
home
 
De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça dai
Graça Maciel
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
igmateus
 
Desencarne na visão espírita
Desencarne na visão espíritaDesencarne na visão espírita
Desencarne na visão espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Dimensao espiritual do centro esprita
Dimensao  espiritual do centro espritaDimensao  espiritual do centro esprita
Dimensao espiritual do centro esprita
Claudio Macedo
 
Capítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo ConsoladorCapítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo Consolador
grupodepaisceb
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
Denise Aguiar
 
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obrasReconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
Izabel Cristina Fonseca
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
A vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritualA vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritual
Graça Maciel
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
Jorge Luiz dos Santos
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
Jorge Luiz dos Santos
 
Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011
Daniela Azevedo
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Izabel Cristina Fonseca
 
Estudos do evangelho " A lei de amor".
Estudos do evangelho " A lei de amor".Estudos do evangelho " A lei de amor".
Estudos do evangelho " A lei de amor".
Leonardo Pereira
 
Simpatia e antipatia
Simpatia e antipatiaSimpatia e antipatia
Simpatia e antipatia
Graça Maciel
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
Divulgador do Espiritismo
 

Mais procurados (20)

A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
 
Vigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5hVigiando o pensamento-1,5h
Vigiando o pensamento-1,5h
 
De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça dai
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
 
Desencarne na visão espírita
Desencarne na visão espíritaDesencarne na visão espírita
Desencarne na visão espírita
 
Dimensao espiritual do centro esprita
Dimensao  espiritual do centro espritaDimensao  espiritual do centro esprita
Dimensao espiritual do centro esprita
 
Capítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo ConsoladorCapítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo Consolador
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
 
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obrasReconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
O DUELO
 
A vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritualA vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritual
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
 
Estudos do evangelho " A lei de amor".
Estudos do evangelho " A lei de amor".Estudos do evangelho " A lei de amor".
Estudos do evangelho " A lei de amor".
 
Simpatia e antipatia
Simpatia e antipatiaSimpatia e antipatia
Simpatia e antipatia
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
 

Destaque

O homem de bem e a evolução!
O homem de bem e  a evolução! O homem de bem e  a evolução!
O homem de bem e a evolução!
Leonardo Pereira
 
Bons Espíritas
Bons EspíritasBons Espíritas
Bons Espíritas
Izabel Cristina Fonseca
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
Jose Ferreira Almeida Almeida
 
Homem de bem
Homem de bemHomem de bem
Homem de bem
Angelo Baptista
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
SEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOSSEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOS
Isnande Mota Barros
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
home
 

Destaque (7)

O homem de bem e a evolução!
O homem de bem e  a evolução! O homem de bem e  a evolução!
O homem de bem e a evolução!
 
Bons Espíritas
Bons EspíritasBons Espíritas
Bons Espíritas
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
 
Homem de bem
Homem de bemHomem de bem
Homem de bem
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Sede perfeitos
 
SEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOSSEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOS
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
 

Semelhante a O homem de bem, grande desafio

Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
fabio antonio motta dutra
 
Le 903 ese_cap13_item13
Le 903 ese_cap13_item13Le 903 ese_cap13_item13
Le 903 ese_cap13_item13
Patricia Farias
 
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
seara2015
 
Serie conhecendo Kardec 1
Serie conhecendo Kardec 1Serie conhecendo Kardec 1
Serie conhecendo Kardec 1
Graça Maciel
 
3.12.1 - O Homem de bem.pptx
3.12.1 - O Homem de bem.pptx3.12.1 - O Homem de bem.pptx
3.12.1 - O Homem de bem.pptx
Marta Gomes
 
O homem de bem
O homem de bemO homem de bem
O homem de bem
Kclitiacadente
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Bem aventurados os mansos
Bem aventurados os mansosBem aventurados os mansos
Bem aventurados os mansos
Eduardo Manoel Araujo
 
Memoria do coracao kssf
Memoria do coracao kssfMemoria do coracao kssf
Memoria do coracao kssf
Clea Alves
 
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docxCapítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Marta Gomes
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
Helio Cruz
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
Dalila Melo
 
LE 893 ESE_cap13_item11
LE 893 ESE_cap13_item11LE 893 ESE_cap13_item11
LE 893 ESE_cap13_item11
Patricia Farias
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
BENEFICÊNCIA SENDO CONDUZIDA PELA CARIDADE.pptx
BENEFICÊNCIA SENDO CONDUZIDA PELA CARIDADE.pptxBENEFICÊNCIA SENDO CONDUZIDA PELA CARIDADE.pptx
BENEFICÊNCIA SENDO CONDUZIDA PELA CARIDADE.pptx
NormaCarvalho7
 
Evangeliza - Reconciliação
Evangeliza - ReconciliaçãoEvangeliza - Reconciliação
Evangeliza - Reconciliação
Antonino Silva
 
A verdade responde
A verdade respondeA verdade responde
A verdade responde
Sai Baba
 
Reconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversariosReconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversarios
Rivaldo Guedes Corrêa. Jr
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom JesusSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
Ricardo Azevedo
 
A INTOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
A INTOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITAA INTOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
A INTOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 

Semelhante a O homem de bem, grande desafio (20)

Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
 
Le 903 ese_cap13_item13
Le 903 ese_cap13_item13Le 903 ese_cap13_item13
Le 903 ese_cap13_item13
 
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
 
Serie conhecendo Kardec 1
Serie conhecendo Kardec 1Serie conhecendo Kardec 1
Serie conhecendo Kardec 1
 
3.12.1 - O Homem de bem.pptx
3.12.1 - O Homem de bem.pptx3.12.1 - O Homem de bem.pptx
3.12.1 - O Homem de bem.pptx
 
O homem de bem
O homem de bemO homem de bem
O homem de bem
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
 
Bem aventurados os mansos
Bem aventurados os mansosBem aventurados os mansos
Bem aventurados os mansos
 
Memoria do coracao kssf
Memoria do coracao kssfMemoria do coracao kssf
Memoria do coracao kssf
 
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docxCapítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
 
LE 893 ESE_cap13_item11
LE 893 ESE_cap13_item11LE 893 ESE_cap13_item11
LE 893 ESE_cap13_item11
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
 
BENEFICÊNCIA SENDO CONDUZIDA PELA CARIDADE.pptx
BENEFICÊNCIA SENDO CONDUZIDA PELA CARIDADE.pptxBENEFICÊNCIA SENDO CONDUZIDA PELA CARIDADE.pptx
BENEFICÊNCIA SENDO CONDUZIDA PELA CARIDADE.pptx
 
Evangeliza - Reconciliação
Evangeliza - ReconciliaçãoEvangeliza - Reconciliação
Evangeliza - Reconciliação
 
A verdade responde
A verdade respondeA verdade responde
A verdade responde
 
Reconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversariosReconciliação com os adversarios
Reconciliação com os adversarios
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom JesusSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 61 - O Homemcom Jesus
 
A INTOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
A INTOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITAA INTOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
A INTOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA
 

Mais de Graça Maciel

Missao dos Espiritas
Missao dos EspiritasMissao dos Espiritas
Missao dos Espiritas
Graça Maciel
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
Graça Maciel
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1
Graça Maciel
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
Graça Maciel
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a lei
Graça Maciel
 
Pecado por pensamento
Pecado por pensamentoPecado por pensamento
Pecado por pensamento
Graça Maciel
 
Amai os vossos inimigos
Amai  os  vossos  inimigosAmai  os  vossos  inimigos
Amai os vossos inimigos
Graça Maciel
 
Ação da prece
Ação da preceAção da prece
Ação da prece
Graça Maciel
 
Pressentimentos
PressentimentosPressentimentos
Pressentimentos
Graça Maciel
 
Adoração
AdoraçãoAdoração
Adoração
Graça Maciel
 
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudaráAjuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Graça Maciel
 
Pensamento benévolo
Pensamento benévoloPensamento benévolo
Pensamento benévolo
Graça Maciel
 
Missão dos Pais
Missão dos PaisMissão dos Pais
Missão dos Pais
Graça Maciel
 
Obsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritasObsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritas
Graça Maciel
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
Graça Maciel
 
O mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconheceO mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconhece
Graça Maciel
 

Mais de Graça Maciel (20)

Missao dos Espiritas
Missao dos EspiritasMissao dos Espiritas
Missao dos Espiritas
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
 
Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4
 
Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3
 
Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2
 
Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a lei
 
Pecado por pensamento
Pecado por pensamentoPecado por pensamento
Pecado por pensamento
 
Amai os vossos inimigos
Amai  os  vossos  inimigosAmai  os  vossos  inimigos
Amai os vossos inimigos
 
Ação da prece
Ação da preceAção da prece
Ação da prece
 
Pressentimentos
PressentimentosPressentimentos
Pressentimentos
 
Adoração
AdoraçãoAdoração
Adoração
 
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudaráAjuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
 
Pensamento benévolo
Pensamento benévoloPensamento benévolo
Pensamento benévolo
 
Missão dos Pais
Missão dos PaisMissão dos Pais
Missão dos Pais
 
Obsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritasObsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritas
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
 
O mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconheceO mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconhece
 

Último

PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
AlexandreJr7
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
LaerciodeSouzaSilva1
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 

Último (20)

PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 

O homem de bem, grande desafio

  • 1. PROJETO: CONHECER, SENTIR, VIVER KARDEC SÉRIE: CONHENCENDO KARDEC Grupo Espírita Allan Kardec www.luzdoespiritismo.com
  • 4. Cap. XVII, item 3 3ªP, Cap. XII, Q.918
  • 6. O Livro dos Espíritos - q . 779 » Parte Terceira - Capítulo VIII » Marcha do progresso
  • 7. 918. Por que indícios se pode reconhecer em um homem o progresso real que lhe elevará o Espírito na hierarquia espírita? “O espírito prova a sua elevação, quando todos os atos de sua vida corporal representam a prática da lei de Deus e quando antecipadamente compreende a vida espiritual.”
  • 8. CARACTERÍSTICAS DO HOMEM DE BEM Fé em Deus e Auto conhecimento! Esperança! Confiança! Resignação! Beneficência! Solidariedade! Fraternidade! Alteridade! Caridade! Perdão! Indulgência! Compreensão! Perseverança! Bondade! Humildade! Dedicação! Amor!
  • 10. 1. Interrogue a consciência sobre seus próprios atos. Conhecimento de si mesmo!
  • 11. Pergunte a si mesmo. Se não violou essa lei. Se fez todo o bem que Se não cometeu o mal. podia. Santo Agostinho – O Livro dos Espíritos - 919-a.
  • 12. Se não deixou escapar Se ninguém tem do que se voluntariamente uma queixar de você. ocasião de ser útil. Se fez aos outros aquilo que queria que os outros fizessem por ele. Santo Agostinho – O Livro dos Espíritos - 919-a.
  • 13.  Perguntai ainda isto:  Se aprouvesse a Deus chamar-me neste momento, ao entrar no mundo dos Espíritos, onde nada é oculto, teria eu de temer o olhar de alguém? Santo Agostinho – O Livro dos Espíritos - 919-a.
  • 14. 2. Deposite fé em Deus, na sua bondade, na sua justiça e na sua sabedoria. Confiança!
  • 15. 3. Acrescente fé no futuro, colocando os bens espirituais acima dos bens temporais. Esperança!
  • 16. 4. Aceite as vicissitudes da vida sem murmurar, entendendo-as como provas ou expiações. Resignação!
  • 17. Obediência e resignação A obediência é o consentimento da razão; a resignação é o consentimento do coração. Ambas são forças ativas, porque levam o fardo das provas que a revolta insensata deixa cair. ESE – Lázaro, Paris, 1863
  • 18. 5. Doe doses abundantes de caridade e de amor ao próximo, retribuindo o mal com o bem. Beneficência !
  • 19. 5. Faça o bem pelo bem e tome a defesa do fraco contra o forte. Beneficência!
  • 20. RETRIBUIR O MAL COM O BEM Amar os inimigos não é: Ter-lhes uma afeição que não está na natureza, visto que o contato de um inimigo nos faz bater o coração de modo muito diverso do seu bater, ao contato de um amigo. Allan Kardec - ESE - Cap. XII - Itens 1 a 4 - Tema: Retribuir o mal com o bem
  • 21. RETRIBUIR O MAL COM O BEM De que forma Não lhes Perdoando-lhes podemos amar guardando ódio, o mal que nos os nossos rancor ou desejo causem. inimigos? de vingança. Allan Kardec - ESE - Cap. XII - Itens 1 a 4 - Tema: Retribuir o mal com o bem
  • 22. RETRIBUIR O MAL COM O BEM Experimentando júbilo, Enfim, retribuindo-lhe em vez de pesar, com o sempre o mal com o bem, bem que lhes advenha. sem a intenção de os humilhar. Allan Kardec - ESE - Cap. XII - Itens 1 a 4 - Tema: Retribuir o mal com o bem
  • 23. BENEFICÊNCIA NO COTIDIANO "De quando a Não apenas os Beneficência no quando, fatos de elevado cotidiano. troquemos os alcance e grandes conceitos os gestos heroicos da caridade pelos dignos da atos miúdos que imprensa. lhe confirmem a existência. (André Luiz).
  • 24. 6. Pense nos outros, antes de pensar em si, encontrando satisfação nos serviços que presta. Solidariedade!
  • 25. 7. Seja bom, humano e benevolente para com todos, sem distinção de raças ou crenças. Fraternidade!
  • 26. 8. Respeite todas as convicções sinceras sem lançar anátema aos que Alteridade! não pensam como ti.
  • 27. 9. Mais uma vez, não se esqueça de em todas as Caridade! circunstâncias tomar por guia a caridade.
  • 28. Para serem os A caridade que consiste instrumento de na esmola dada aos nosso sofrimento e pobres é a mais fácil de submeterem à prova a todas. nossa paciência. Existe, porém, uma É a de perdoar aqueles muito mais penosa e que Deus colocou no bem mais meritória: nosso caminho. O Evangelho segundo o espiritismo – Allan Kardec
  • 29. 10. Perdoe e esqueça todas as ofensas, não alimentando ódio, rancor ou desejo de vingança. Perdão!
  • 30. 11. Seja indulgente para com as fraquezas alheias, por também ser credor de Indulgência! Indulgência!
  • 31. Para julgar-se a si mesmo, seria necessário poder mirar-se num espelho, Que pensaria eu, se visse transportar-se de qualquer alguém fazendo o que maneira fora de si mesmo, faço? e considerar-se como outra pessoa, perguntando: Allan Kardec - ESE- O Argueiro e a Trave no Olho
  • 32. 12. Não evidencie os defeitos alheios e procure sempre o bem que possa atenuar o mal. Compreensão!
  • 33. A censura lançada à conduta de outrem pode obedecer a dois móveis: reprimir o mal, ou desacreditar a pessoa cujos atos se criticam. Allan Kardec - ESE cap. 10, it.13
  • 34. É muito delicada esta questão e, 21. Haverá casos para resolvê-la, em que convenha necessário se se desvende o mal torna apelar para de outrem? a caridade bem compreendida. - São Luís. (Paris, 1860.) - ESE cap. 10, it.21
  • 35. Se, porém, podem Se as imperfeições acarretar prejuízo a de uma pessoa só a terceiros, deve-se ela prejudicam, atender de nenhuma utilidade preferência ao haverá nunca em interesse do maior divulgá-la. número. - São Luís. (Paris, 1860.) - ESE cap. 10, it.21
  • 36. Segundo as circunstâncias, desmascarar a hipocrisia e a mentira pode constituir um dever, pois mais vale caia um homem, do que virem muitos a ser suas vítimas. Em tal caso, deve-se pesar a soma das vantagens e dos inconvenientes.
  • 37. 13. Estude as próprias imperfeições e trabalhe Perseverança! incessantemente por combatê-las.
  • 38. 14. Aproveite todas as ocasiões para fazer ressaltar o que seja Bondade! proveitoso nos outros.
  • 39. 15. Não se envaideça pela riqueza ou vantagens pessoais, sabedor de que são empréstimos. Humildade!
  • 40. A humildade não está na pobreza, não está na indigência, na penúria, na necessidade, na nudez e nem na fome. A humildade está na pessoa que tendo o direito de reclamar, julgar, reprovar e tomar qualquer atitude compreensível no brio pessoal, apenas abençoa." (Emmanuel, psicografado por Chico Xavier)
  • 41. 16. Se superior, trate os subalternos com bondade e Humildade! benevolência, vendo-os como irmãos.
  • 42. 17. Se subordinado, compreenda seus deveres e se empenhe em cumpri-los de bom grado. Dedicação!
  • 43. 18. Finalmente, respeite todos os direitos que aos seus semelhantes dão as leis da Natureza. AMOR!
  • 44. “Estas não são todas as qualidades de homem de bem, mas quem se esforçar para possuí-las estará mais próximo das demais.”