SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 54
Amcham Porto Alegre, Fevereiro de 2011 André Coutinho andrercoutinho.wordpress.com
[object Object],[object Object]
Valores presentes no modo de pensar da maioria das pessoas * ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],* Chris Argyris, Rotman Magazine, Winter 2008
Por que o Ativista da Estratégia? ,[object Object],“ A única estratégia que pode legitimamente ser chamada de brilhante é aquela cujos resultados são exemplares. Uma estratégia que não produz bons resultados é simplesmente um fracasso. ” Roger Martin
A visão de Henry Mintzberg (O Safari da Estratégia) ,[object Object],[object Object],[object Object]
Por que o Ativista da Estratégia? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Uma profissão emergente ,[object Object],[object Object],[object Object]
Um novo corpo de conhecimentos Uma nova disciplina de gestão . A s organizações devem fazer da estratégia uma   competência essencial . Empresa Gestão da Estratégia Gestão Financeira Gestão de Recursos Humanos Marketing e Comunicação Gestão de TI Gestão Operacional  Unidade A Unidade B Unidade C Unidade D
A evolução para a gestão da estratégia Características TI  (70s) QUALIDADE  (80s) Estratégia (90s +) Oportunidade  Revolução nos modelos econômicos. Avanço da indústria japonesa “ 90% das empresas não implementam suas estratégias. O problema não esta na estratégia ruim mas em uma implementação ruim.” Novos Conhecimentos Gestão de projetos, segurança de informação, integração de sistemas, plataformas TI etc. Paretto, Kanban, 6 Sigma, Just-in-Time, CEP etc. Michael Porter, C.K.Prahalad, Kaplan e Norton, etc. Profissionalização Graduação e pós, centros de pesquisa, revistas e periódicos etc. Pós-graduação, centros de pesquisa, FPNQ, Programas da Qualidade, revistas, periódicos etc. Órgãos técnicos inexistentes, Sem associações profissionais, Formação fragmentada  Uma nova função organizacional ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Por que o Ativista da Estratégia?
© 2007 Palladium Group, Inc. - Confidential Filosofia de Gest ão da Estratégia ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Fonte:  David Norton, apresentaç ão no BSC Summit 2007, Rio de Janeiro, setembro de 2007
Método 1 –  os relatos pessoas (Story Telling) ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Histórico da Comunidade de Gestão da Estratégia (CGE) no Brasil e América Latina
Os 26 “Ativistas”  Ana Carolina Lemos Chaer - Ana María Franco Calderón -  Augusto Seoane - Christopher Davies Junior - Deusa Carvalho Ramos - Douglas A. Pereira - Eduard C. Schardijn - Eduardo de Toledo - Jaime Caetano de Almeida - João Polanczyk - Jovaneide Polon - Luiz Sabatino - Luiza Zequi - Marcelo Petercem Ramos - Mario Augusto Lima e Silva - Nayara Fernanda Alves - Paula Cristina Campoy Freire - Pedro Faria - Raul Javales -Rodrigo Cammarosano - Rômulo Provetti - Sandra de Mattos - Silvia Rocha Coelho Lima - Simone Soares - Tarcisio Albuquerque Queiroz - Ziléa Santos Barrilari.
Empresas participantes
Método 2 –  a analogia das profissões Concebemos um  arquétipo *  e utilizamos  metáforas ,  para não reduzir (simplificar) uma realidade que é complexa * representação da realidade
O  Jogador de Xadrez  (Estrategista)  O  Engenheiro  (Estruturador)  O  Arquiteto  (Integrador) O  Navegador  (Ritmista) O  Educador   (Facilitador da aprendizagem) O  Terapeuta  (Agente da Mudança) O  Empreendedor  (Viabilizador de Ideias) O  Político  (Articulador) As 9 FACES DO ATIVISTA DA ESTRATÉGIA (o profissional completo, ideal ou como  pensam e  agem  os profissionais de estratégia) O  Designer ( Criador de futuros)
As 9 FACES DO ATIVISTA DA ESTRATÉGIA pelo artista Cavani Rosas
O  Jogador de Xadrez  (Estrategista)  Aquele que integra o pensamento estratégico às ações organizacionais, antecipando movimento de concorrentes, mudanças de caráter geral no mercado ou na sociedade, bem como as transformações organizacionais necessárias para alcance de um posicionamento sustentável de longo prazo. Apóia os principais executivos da organização na construção da visão de futuro, dos cenários, na formulação da estratégia e na identificação de alternativas estratégicas com foco na geração de valor para os  stakeholders.  Estrategista, visionário, busca compreender bem as regras do jogo, reforça a importância das escolhas, do foco, da busca de um posicionamento competitivo único e de fato diferenciador. É o nosso estrategista em ação.
Tempo Alto Baixo Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 7 Ano 5 Ano 6 Estratégia como um “Jogo Competitivo” na visão do Jogador de Xadrez ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Nova Estrat égia  é Formulada Estrat égia é Executada Mobil, Chrysler, CBS Mellon Bank Wells Fargo Southwest Air (9/11) Apple i-phone TM Oracle Mobil ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Grau de Mudança Provado pela Estrat égia Fonte:  David Norton, apresentaç ão no BSC Summit 2007, Rio de Janeiro, setembro de 2007
Busca decompor a estratégia em suas partes fundamentais constituintes para aprofundar o entendimento do todo, de forma a garantir a viabilidade da implementação e gestão de ações estratégicas.  Vincula a estratégia aos processos e projetos através de uma estruturação lógico-quantitativa que permita uma compreensão das relações e interações entre seus elementos.  É o responsável pela tradução da estratégia em termos operacionais e tem o desafio de transformar algo intangível como a estratégia em algo prático, que possa ser executado, medido e acompanhado.  O  Engenheiro  (Estruturador)
O Engenheiro decompõe a estratégia em partes Gestão Integrada Mapas Estratégicos Indicadores/Metas Recursos Humanos e Recursos Financeiros Processos Projetos Execução e Controle Portfólio de Projetos e Ações Estrutura Governança Análise do Ambiente Externo Cultura Sistemas
Idealiza o sistema de gestão da estratégia da organização, desenhando e integrando a estrutura à estratégia, procurando tornar o sistema resiliente e adaptável o suficiente diante dos contextos de mudança.  Concebe a integração dos sistemas estratégicos, táticos e operacionais de gestão, considerando a necessidade de uma visão integrada de planejamento, orçamento, alocação de recursos, avaliação de desempenho e tomada de decisões.  Tem como grande desafio desenhar um sistema único e integrado de gestão, que contemple a estratégia, a estrutura e a cultura da organização. É o ativista no desenho de um sistema integrado de gestão.  O  Arquiteto  (Integrador)
Processos de gestão desordenados, conduzidos por grupos diferentes de executivos levam a má execução da estratégia Q1 Q2 Q3 Q4 Processo Gerencial da Estratégia Ciclo Anual Controle de Gestão e Aprendizado ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Estratégia das Unidades de Operação e Apoio ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Análises Mensais da Gestão  Compartilhamento de Conhecimento Comunicação da Estratégia CEO / E quipe executiva Líderes de Unidades de Negócio Líderes de Unidades de Apoio CFO R H Comunicação Corporativa Gestão do Conhecimento Forma não consistente ao descrever a estratégia 67%  das organizações de RH   e  T I não estão alinhadas com a estratégia 60%  não relacionam orçamento à  estratégia 70%  dos gerentes   não associam incentivos financeiros à estratégia 95%  dos colaboradores em geral não entendem a estratégia 85%  das equipes executivas   dedicam menos de uma hora por mês à discussão da estratégia Gestão de Projetos Planejamento da Estratégia da Empresa Planejamento da Estratégia da Unidade de Negócios Planejamento Financeiro Planejamento do Capital Humano Fonte:  Pesquisa Kaplan e Norton 2006
É o navegador de um rali de automóveis, o equivalente ao “tático” num barco a vela ou o “tocador de bumbo” de uma escola de samba.  Possui uma visão conectada com o contexto de atuação da organização, tanto externo (mercado, concorrentes, clientes), como interno (processos, recursos humanos, produtos, capacidades) o que permite gerar orientações e recomendações que subsidiem decisões a partir de uma visão mais ampliada, considerando o curso e ritmo de implementação da estratégia.  É o guardião do(s) mapa(s), está sempre analisando as informações (externas e internas) e buscando garantir o rumo planejado e assegurar o ritmo da implementação da estratégia. Apóia as lideranças a tomarem as melhores decisões quando da necessidade de rever o caminho.  O  Navegador  (Ritmista)
[object Object],[object Object]
Promover o Desenvolvimento Sustentável e a Competitividade do Agronegócio em Benefício da Sociedade Brasileira Ser Reconhecido pela Qualidade e Agilidade na Implementação de Políticas e na Prestação de Serviços para o Desenvolvimento Sustentável do Agronegócio
Desenvolver e Garantir o Acesso a Tecnologias Nº Tecnologias Agropecuárias Protegidas Produtividade Agrícola de Grãos Análise de Desempenho Os dados relativos ao indicador Nº de Tecnologias Agropecuárias Protegidas são estimativos, pois só contemplam os cultivares protegidos. No entanto, estão em desenvolvimento articulações com o SNPA para mensuração do indicador. O principal resultado da iniciativa estratégica de ampliação do capital intelectual protegido é a capacitação dos servidores das SFA’s de GO, RJ, MG, PA, AM, ES, BA e CE. Com isso, se consegue ampliar a massa crítica frente às potencialidades da Propriedade Intelectual no Agronegócio. Na iniciativa do desenvolvimento da agroenergia, há um atraso não-crítico nas etapas relacionadas à tecnologia. Recomendações ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Iniciativas Estratégicas Desenvolvimento da Agroenergia Ampliação do Capital Intelectual Protegido no Agronegócio Implantação de Ações para Agregação de Valor na Produção  Agropecuária Realizado Meta Realizado Meta
Atua como facilitador e mobilizador da organização na direção da estratégia, promovendo a aprendizagem sobre a estratégia, buscando atualização continua do melhor saber e de práticas aplicáveis ao seu contexto.  Busca integrar a experiência dos gestores, os novos conhecimentos, gerando reflexões que propiciem mudanças e redirecionamentos estratégicos. Tem o desafio de capacitar e promover a aprendizagem de toda organização nas melhores práticas e competências para a gestão da estratégia.  Abre caminho através de um forte senso de missão pessoal e comprometimento com o destino compartilhado com as pessoas, reforçando a comunicação e a necessidade de engajamento de todos os membros.  Não se cansa de comunicar e mobilizar a todos  O  Educador   (Facilitador da aprendizagem)
Elaboração abordagem de GM para a Sulamérica  Disseminação e engajamento via Comunicação 4 90% Falando e Interagindo 75% Falando 50% Vendo e Ouvindo 30% Vendo 20% Ouvindo 10% Lendo Fonte: Johnson & Johnson Retention Study A comunicação face a face é o melhor canal para o entendimento da mensagem (as pessoas retêm a mensagem quando estão...) Somente será possível engajar as pessoas se abrirmos espaço para discussão com a participação efetiva dos líderes
Promove o ambiente e as condições necessárias para as mudanças demandadas pela estratégia, criando abertura e estímulo para o diálogo compartilhado, expandindo ou reconstituindo modelos mentais que permitirão a ação renovada.  Conduz os participantes na formulação de novas perspectivas e no desenvolvimento de novas hipóteses estratégicas, trabalhando resistências internas de forma a convergir interesses individuais para um comprometimento compartilhado do grupo.  Estratégia envolve mudança, este profissional conhece e reconhece a importância de trabalhar o lado  soft , porém não menos importante, da implementação da estratégia.  O  Terapeuta  (Agente da Mudança)
Entendimento da Mudança Identificação dos Vetores de Mudança 1. Novo Plano Estratégico 2. Mudança de foco em produto para foco em cliente 3. Nova Diretoria Executiva 4. Nova forma de gestão Mudanças Sociais (Novas interações pessoais) Mudanças Técnicas (Novas ferramentas, sistemas ou processos) Invasão de Território (Pessoas que estão acostumadas a fazer as coisas de seu próprio modo) Novas Responsabilidades (Prestação de contas sobre novos desafios) Incertezas ilustrativo Como mitigar os principais geradores de resistência?
Está em busca de oportunidades de negócio, empresariando idéias ou projetos que beneficiem clientes ou a sociedade como um todo (o empreendedor social).  O empreendedor visualiza espaços de mercado normalmente não ocupados, idealizando formas de preencher este espaço e articulando os meios (pessoas, parceiros, recursos financeiros, infra-estrutura) e trabalhando na implementação do novo “empreendimento”, sempre de forma inventiva, arrojada e persistente. O  Empreendedor  (Viabilizador de Ideias)
valor curto prazo m édio  prazo longo   prazo ex. 2 anos ex. 4 anos ex. 8 anos neg ócios atuais novos neg ócios Como as organiza ções planejam seu futuro?
Ajuda a moldar futuros que façam sentido para as pessoas. O designer ou “design thinker”, que é aquele que pensa e opera como um designer, essencialmente procura trabalhar o enfoque humano da experiência. O “design thinking” é uma alternativa ao pensamento convencional baseado na análise, em que se busca primeiro analisar todas as alternativas primeiro, para depois escolher a melhor alternativa.  O designer trabalha na criação (ou cocriação) de estratégias, processos,  serviços, modelos de gestão que sejam válidos e, para tanto, realiza um trabalho exploratório que o leva, muitas vezes, a conceber soluções não conhecidas, daí a inovação.  A face designer do ativista, também conhecida como “design estratégico” (o  locus  onde a estratégia/gestão se choca com o design) é considerada hoje uma dos conceitos que mais irão influenciar as práticas de gestão das empresas na próxima década  O  Designer ( Criador de futuros)
Design Thinking ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Análise Intuição DESIGN THINKING
heurística mistério algoritmo novos insights descoberta entendimento criação da oportunidade Inspirado por Roger Martin pensamento intuitivo Configuração Análise experimentação O “design thinker” move-se no funil do conhecimento exploração
“ Design Thinkers” Fabio Barbosa Design de um novo conceito de banco (Real) sustentável Steve Jobs Design de uma nova experiência de ouvir música (I-Pod) e conectar-se com o mundo (I-Phone). Richard Branson Design de múltiplos negócios sob a bandeira “Virgin”.
Contempla os interesses e prioridades individuais, dentro de um processo de negociação com o fim de buscar alinhamento entre as partes passíveis de serem transformadas em ações estratégicas que represente o interesse da organização, trazendo o real sentimento de propriedade e comprometimento.  O  Político  (Articulador)
O território do político
Estrutura individual para Pensar e Agir Visão de  Mundo M étodos e Ferramentas Experi ências direciona direciona informa informa Fonte: “Design de Negócios”, Roger Martin
Integrando Perspectivas
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],A combinação das Faces em diferentes CONTEXTOS
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],A combinação das Faces em diferentes CONTEXTOS
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],A combinação das Faces em diferentes CONTEXTOS
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],A combinação das Faces em diferentes CONTEXTOS
As áreas de gestão da estratégia nas empresas
As áreas de gestão da estratégia nas empresas
As áreas de gestão da estratégia nas empresas
As 7 funções do “escritório de gestão da estratégia”  Desenvolvimento da estratégia : facilitador do processo de formulação e desenvolvimento de estratégias, é o responsável por coordenar as agendas, fóruns de discussão e instrumentalizar este processo com o melhor das ferramentas existentes.      Tradução da estratégia : desdobra a estratégia em objetivos, indicadores e iniciativas concretas, de modo que esta possa ser implementada e acompanhada. Para esta função, o Balanced Scorecard (BSC) tem tido um papel relevante, com uma aplicação crescente. Mas outros modelos, como por exemplo o Gerenciamento Por  Diretrizes (GPD), também podem ser usados para esta finalidade.
As 7 funções do “escritório de gestão da estratégia”  Comunicação da estratégia : na maioria dos casos a área de comunicação da empresa é responsável por ajudar a planejar e executar as ações de comunicação em si. Mas é o escritório de estratégia que tem a responsabilidade de garantir que a estratégia e seu avanço sejam comunicados a todos os funcionários e outros agentes chave da organização.  4) Gestão do portfólio de projetos :  a execução da estratégia se dá, em grande parte, por meio da gestão de projetos ou iniciativas estratégicas. Por isso, como dito anteriormente, temos visto mais e mais organizações estruturarem um Escritório de Gestão de Projetos (PMO), para garantir a eficiência e eficácia destes. Por outro lado, o escritório de gestão da estratégia é o responsável pela visão integrada da carteira de projetos, por garantir que estes estejam sempre alinhados à estratégia, balanceados, priorizados, executados segundo o planejado e, o mais importante, atingindo os resultados esperados.
As 7 funções do “escritório de gestão da estratégia” 5) Análise da estratégia : Tão importante quanto formular uma boa estratégia é realizar o acompanhamento da sua implementação. O escritório é responsável por definir um calendário de reuniões de análise da estratégia (RAEs), garantir a atualização e consolidação dos dados dos indicadores e projetos, preparar relatórios e análises dos desvios, facilitar estas reuniões com a liderança, e ainda consolidar as decisões e garantir a comunicação destas à todos os envolvidos.    6) Inteligência competitiva : Muitas organizações buscam estruturar uma área de inteligência, para antecipar-se e trabalhar bem com as variáveis exógenas ao negócio. Coordenar esta contínua análise do ambiente externo (tendências macroeconômicas, sociais, tecnológicas, informações sobre os consumidores e concorrentes, etc.) é um grande desafio, e de enorme valia para uma boa análise da estratégia.    7) Novos Negócios : Temos visto que em algumas organizações a unidade responsável pela gestão da estratégia também é responsável pelo desenvolvimento de novos negócios, ou ainda Fusões & Aquisições.
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Resenha safári de estratégia
Resenha safári de estratégiaResenha safári de estratégia
Resenha safári de estratégia
biatuca
 
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 123544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1
guest06f340
 
Aula 01 O que é estratégia
Aula 01   O que é estratégiaAula 01   O que é estratégia
Aula 01 O que é estratégia
alemartins10
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
alemartins10
 
Planejamento estrategico, tático e operacional
Planejamento estrategico, tático e operacionalPlanejamento estrategico, tático e operacional
Planejamento estrategico, tático e operacional
PMY TECNOLOGIA LTDA
 
Vendendo o planejamento estratégico de RH
Vendendo o planejamento estratégico de RHVendendo o planejamento estratégico de RH
Vendendo o planejamento estratégico de RH
INSTITUTO MVC
 
A estratégia empresarial e o papel de rh
A estratégia empresarial e o papel de rhA estratégia empresarial e o papel de rh
A estratégia empresarial e o papel de rh
Bernardo Leite Moreira
 

Mais procurados (20)

Fundamentos Planejamento
Fundamentos PlanejamentoFundamentos Planejamento
Fundamentos Planejamento
 
Resenha safári de estratégia
Resenha safári de estratégiaResenha safári de estratégia
Resenha safári de estratégia
 
Planejamento estratégico full
Planejamento estratégico fullPlanejamento estratégico full
Planejamento estratégico full
 
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 123544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1
 
Fgbsc
FgbscFgbsc
Fgbsc
 
Elaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de Implementação
Elaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de ImplementaçãoElaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de Implementação
Elaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de Implementação
 
Planejamento Estrategico
Planejamento EstrategicoPlanejamento Estrategico
Planejamento Estrategico
 
Aula 01 O que é estratégia
Aula 01   O que é estratégiaAula 01   O que é estratégia
Aula 01 O que é estratégia
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
 
Ebook: Gestão Estratégica de Pessoas - parte 1
Ebook: Gestão Estratégica de Pessoas -  parte 1Ebook: Gestão Estratégica de Pessoas -  parte 1
Ebook: Gestão Estratégica de Pessoas - parte 1
 
Apresentação Teece
Apresentação TeeceApresentação Teece
Apresentação Teece
 
Slide planejamento estratégico
Slide planejamento estratégicoSlide planejamento estratégico
Slide planejamento estratégico
 
Planejamento estrategico, tático e operacional
Planejamento estrategico, tático e operacionalPlanejamento estrategico, tático e operacional
Planejamento estrategico, tático e operacional
 
Conceituação Básica de Administração estratégica
Conceituação Básica de Administração estratégica Conceituação Básica de Administração estratégica
Conceituação Básica de Administração estratégica
 
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitivaPensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
 
Vendendo o planejamento estratégico de RH
Vendendo o planejamento estratégico de RHVendendo o planejamento estratégico de RH
Vendendo o planejamento estratégico de RH
 
David teece
David teeceDavid teece
David teece
 
Estratégia Empresarial - Prof. Paulo Vodianitskaia
Estratégia Empresarial - Prof. Paulo VodianitskaiaEstratégia Empresarial - Prof. Paulo Vodianitskaia
Estratégia Empresarial - Prof. Paulo Vodianitskaia
 
A estratégia empresarial e o papel de rh
A estratégia empresarial e o papel de rhA estratégia empresarial e o papel de rh
A estratégia empresarial e o papel de rh
 
Planejamento Estratégico v2
Planejamento Estratégico v2Planejamento Estratégico v2
Planejamento Estratégico v2
 

Semelhante a Palestra andré coutinho o ativista da estratégia

Aula 1 conceitos, planejamento e filosofia
Aula 1   conceitos, planejamento e filosofiaAula 1   conceitos, planejamento e filosofia
Aula 1 conceitos, planejamento e filosofia
Antonio Lobosco
 
A estratégia empresarial em suas diversas abordagens
A estratégia empresarial em suas diversas abordagensA estratégia empresarial em suas diversas abordagens
A estratégia empresarial em suas diversas abordagens
mariameloto
 
Por que Execução Estratégica?
Por que Execução Estratégica?Por que Execução Estratégica?
Por que Execução Estratégica?
RuyXavier
 
Adm estrat aula 2 va
Adm estrat  aula 2 vaAdm estrat  aula 2 va
Adm estrat aula 2 va
katiagomide
 

Semelhante a Palestra andré coutinho o ativista da estratégia (20)

01 - Planejamento e Gestão Estratégica - As quatro grandes perspectivas do pe...
01 - Planejamento e Gestão Estratégica - As quatro grandes perspectivas do pe...01 - Planejamento e Gestão Estratégica - As quatro grandes perspectivas do pe...
01 - Planejamento e Gestão Estratégica - As quatro grandes perspectivas do pe...
 
Treinamento Estratégia - Esag Jr.
Treinamento Estratégia - Esag Jr.Treinamento Estratégia - Esag Jr.
Treinamento Estratégia - Esag Jr.
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
 
Gestão Estratégica
Gestão EstratégicaGestão Estratégica
Gestão Estratégica
 
Aula 1 conceitos, planejamento e filosofia
Aula 1   conceitos, planejamento e filosofiaAula 1   conceitos, planejamento e filosofia
Aula 1 conceitos, planejamento e filosofia
 
A estratégia empresarial em suas diversas abordagens
A estratégia empresarial em suas diversas abordagensA estratégia empresarial em suas diversas abordagens
A estratégia empresarial em suas diversas abordagens
 
Planejamento Estratégico Mario Silvestri Filho
Planejamento Estratégico Mario Silvestri FilhoPlanejamento Estratégico Mario Silvestri Filho
Planejamento Estratégico Mario Silvestri Filho
 
Por que Execução Estratégica?
Por que Execução Estratégica?Por que Execução Estratégica?
Por que Execução Estratégica?
 
Metodologia BSC
Metodologia BSCMetodologia BSC
Metodologia BSC
 
Gestão por Processos - BPM - foco em resultados
Gestão por Processos - BPM - foco em resultadosGestão por Processos - BPM - foco em resultados
Gestão por Processos - BPM - foco em resultados
 
Planejamento Estratégico - Parte I
Planejamento Estratégico - Parte IPlanejamento Estratégico - Parte I
Planejamento Estratégico - Parte I
 
67175.ppt
67175.ppt67175.ppt
67175.ppt
 
67175.ppt
67175.ppt67175.ppt
67175.ppt
 
LATEC - UFF.PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COMO FATOR DE DECISÃO EM RH.
LATEC - UFF.PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COMO FATOR DE DECISÃO EM RH. LATEC - UFF.PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COMO FATOR DE DECISÃO EM RH.
LATEC - UFF.PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COMO FATOR DE DECISÃO EM RH.
 
Adm estrat aula 2 va
Adm estrat  aula 2 vaAdm estrat  aula 2 va
Adm estrat aula 2 va
 
Adm estrat aula 2 va
Adm estrat  aula 2 vaAdm estrat  aula 2 va
Adm estrat aula 2 va
 
Adm estrat aula 2 va
Adm estrat  aula 2 vaAdm estrat  aula 2 va
Adm estrat aula 2 va
 
Evolução do RH nas organizações.
Evolução do RH nas organizações.Evolução do RH nas organizações.
Evolução do RH nas organizações.
 
A Tecnologia da Informação e o Planejamento Estratégico
A Tecnologia da Informação e o Planejamento EstratégicoA Tecnologia da Informação e o Planejamento Estratégico
A Tecnologia da Informação e o Planejamento Estratégico
 
Cadernos de Excelência - Estratégia e Planos
Cadernos de Excelência - Estratégia e PlanosCadernos de Excelência - Estratégia e Planos
Cadernos de Excelência - Estratégia e Planos
 

Mais de Andre Coutinho

Inovação - Tendências 2015
Inovação - Tendências 2015Inovação - Tendências 2015
Inovação - Tendências 2015
Andre Coutinho
 
Cocriação de Valor - Engajamento + Empreendedorismo Social
Cocriação de Valor - Engajamento + Empreendedorismo SocialCocriação de Valor - Engajamento + Empreendedorismo Social
Cocriação de Valor - Engajamento + Empreendedorismo Social
Andre Coutinho
 
DISCOVERING BRAZIL - Meeting with Dutch enterpreneurs - 20 JAN 2014
DISCOVERING BRAZIL -  Meeting with Dutch enterpreneurs - 20 JAN 2014DISCOVERING BRAZIL -  Meeting with Dutch enterpreneurs - 20 JAN 2014
DISCOVERING BRAZIL - Meeting with Dutch enterpreneurs - 20 JAN 2014
Andre Coutinho
 
Processo de Inovação - Apresentação na Amcham São Paulo
Processo de Inovação - Apresentação na Amcham São PauloProcesso de Inovação - Apresentação na Amcham São Paulo
Processo de Inovação - Apresentação na Amcham São Paulo
Andre Coutinho
 
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil pesquisa symnetics d...
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil   pesquisa symnetics d...Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil   pesquisa symnetics d...
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil pesquisa symnetics d...
Andre Coutinho
 
Introdução ao Business Design by Symnetics
Introdução ao Business Design by SymneticsIntrodução ao Business Design by Symnetics
Introdução ao Business Design by Symnetics
Andre Coutinho
 
Open Government - Gov.With.You - by Andre Coutinho
Open Government - Gov.With.You - by Andre CoutinhoOpen Government - Gov.With.You - by Andre Coutinho
Open Government - Gov.With.You - by Andre Coutinho
Andre Coutinho
 
Innovación: Cratividad Rentable
Innovación: Cratividad RentableInnovación: Cratividad Rentable
Innovación: Cratividad Rentable
Andre Coutinho
 

Mais de Andre Coutinho (11)

Inovação - Tendências 2015
Inovação - Tendências 2015Inovação - Tendências 2015
Inovação - Tendências 2015
 
Innovation Update
Innovation UpdateInnovation Update
Innovation Update
 
Cocriação de Valor - Engajamento + Empreendedorismo Social
Cocriação de Valor - Engajamento + Empreendedorismo SocialCocriação de Valor - Engajamento + Empreendedorismo Social
Cocriação de Valor - Engajamento + Empreendedorismo Social
 
DISCOVERING BRAZIL - Meeting with Dutch enterpreneurs - 20 JAN 2014
DISCOVERING BRAZIL -  Meeting with Dutch enterpreneurs - 20 JAN 2014DISCOVERING BRAZIL -  Meeting with Dutch enterpreneurs - 20 JAN 2014
DISCOVERING BRAZIL - Meeting with Dutch enterpreneurs - 20 JAN 2014
 
Resultados Pesquisa 2013 Gestão da Inovação Brasil - Symnetics + Iae Business...
Resultados Pesquisa 2013 Gestão da Inovação Brasil - Symnetics + Iae Business...Resultados Pesquisa 2013 Gestão da Inovação Brasil - Symnetics + Iae Business...
Resultados Pesquisa 2013 Gestão da Inovação Brasil - Symnetics + Iae Business...
 
Processo de Inovação - Apresentação na Amcham São Paulo
Processo de Inovação - Apresentação na Amcham São PauloProcesso de Inovação - Apresentação na Amcham São Paulo
Processo de Inovação - Apresentação na Amcham São Paulo
 
Cocriacao e democracia participativa
Cocriacao e democracia participativaCocriacao e democracia participativa
Cocriacao e democracia participativa
 
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil pesquisa symnetics d...
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil   pesquisa symnetics d...Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil   pesquisa symnetics d...
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil pesquisa symnetics d...
 
Introdução ao Business Design by Symnetics
Introdução ao Business Design by SymneticsIntrodução ao Business Design by Symnetics
Introdução ao Business Design by Symnetics
 
Open Government - Gov.With.You - by Andre Coutinho
Open Government - Gov.With.You - by Andre CoutinhoOpen Government - Gov.With.You - by Andre Coutinho
Open Government - Gov.With.You - by Andre Coutinho
 
Innovación: Cratividad Rentable
Innovación: Cratividad RentableInnovación: Cratividad Rentable
Innovación: Cratividad Rentable
 

Último

b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdfb2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
Renandantas16
 

Último (6)

Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
 
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos AcontecerPesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
 
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptxDROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
 
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdfb2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
 
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
 

Palestra andré coutinho o ativista da estratégia

  • 1. Amcham Porto Alegre, Fevereiro de 2011 André Coutinho andrercoutinho.wordpress.com
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8. Um novo corpo de conhecimentos Uma nova disciplina de gestão . A s organizações devem fazer da estratégia uma competência essencial . Empresa Gestão da Estratégia Gestão Financeira Gestão de Recursos Humanos Marketing e Comunicação Gestão de TI Gestão Operacional Unidade A Unidade B Unidade C Unidade D
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13. Histórico da Comunidade de Gestão da Estratégia (CGE) no Brasil e América Latina
  • 14. Os 26 “Ativistas” Ana Carolina Lemos Chaer - Ana María Franco Calderón - Augusto Seoane - Christopher Davies Junior - Deusa Carvalho Ramos - Douglas A. Pereira - Eduard C. Schardijn - Eduardo de Toledo - Jaime Caetano de Almeida - João Polanczyk - Jovaneide Polon - Luiz Sabatino - Luiza Zequi - Marcelo Petercem Ramos - Mario Augusto Lima e Silva - Nayara Fernanda Alves - Paula Cristina Campoy Freire - Pedro Faria - Raul Javales -Rodrigo Cammarosano - Rômulo Provetti - Sandra de Mattos - Silvia Rocha Coelho Lima - Simone Soares - Tarcisio Albuquerque Queiroz - Ziléa Santos Barrilari.
  • 16. Método 2 – a analogia das profissões Concebemos um arquétipo * e utilizamos metáforas , para não reduzir (simplificar) uma realidade que é complexa * representação da realidade
  • 17. O Jogador de Xadrez (Estrategista) O Engenheiro (Estruturador) O Arquiteto (Integrador) O Navegador (Ritmista) O Educador (Facilitador da aprendizagem) O Terapeuta (Agente da Mudança) O Empreendedor (Viabilizador de Ideias) O Político (Articulador) As 9 FACES DO ATIVISTA DA ESTRATÉGIA (o profissional completo, ideal ou como pensam e agem os profissionais de estratégia) O Designer ( Criador de futuros)
  • 18. As 9 FACES DO ATIVISTA DA ESTRATÉGIA pelo artista Cavani Rosas
  • 19. O Jogador de Xadrez (Estrategista) Aquele que integra o pensamento estratégico às ações organizacionais, antecipando movimento de concorrentes, mudanças de caráter geral no mercado ou na sociedade, bem como as transformações organizacionais necessárias para alcance de um posicionamento sustentável de longo prazo. Apóia os principais executivos da organização na construção da visão de futuro, dos cenários, na formulação da estratégia e na identificação de alternativas estratégicas com foco na geração de valor para os stakeholders. Estrategista, visionário, busca compreender bem as regras do jogo, reforça a importância das escolhas, do foco, da busca de um posicionamento competitivo único e de fato diferenciador. É o nosso estrategista em ação.
  • 20.
  • 21. Busca decompor a estratégia em suas partes fundamentais constituintes para aprofundar o entendimento do todo, de forma a garantir a viabilidade da implementação e gestão de ações estratégicas. Vincula a estratégia aos processos e projetos através de uma estruturação lógico-quantitativa que permita uma compreensão das relações e interações entre seus elementos. É o responsável pela tradução da estratégia em termos operacionais e tem o desafio de transformar algo intangível como a estratégia em algo prático, que possa ser executado, medido e acompanhado. O Engenheiro (Estruturador)
  • 22. O Engenheiro decompõe a estratégia em partes Gestão Integrada Mapas Estratégicos Indicadores/Metas Recursos Humanos e Recursos Financeiros Processos Projetos Execução e Controle Portfólio de Projetos e Ações Estrutura Governança Análise do Ambiente Externo Cultura Sistemas
  • 23. Idealiza o sistema de gestão da estratégia da organização, desenhando e integrando a estrutura à estratégia, procurando tornar o sistema resiliente e adaptável o suficiente diante dos contextos de mudança. Concebe a integração dos sistemas estratégicos, táticos e operacionais de gestão, considerando a necessidade de uma visão integrada de planejamento, orçamento, alocação de recursos, avaliação de desempenho e tomada de decisões. Tem como grande desafio desenhar um sistema único e integrado de gestão, que contemple a estratégia, a estrutura e a cultura da organização. É o ativista no desenho de um sistema integrado de gestão. O Arquiteto (Integrador)
  • 24.
  • 25. É o navegador de um rali de automóveis, o equivalente ao “tático” num barco a vela ou o “tocador de bumbo” de uma escola de samba. Possui uma visão conectada com o contexto de atuação da organização, tanto externo (mercado, concorrentes, clientes), como interno (processos, recursos humanos, produtos, capacidades) o que permite gerar orientações e recomendações que subsidiem decisões a partir de uma visão mais ampliada, considerando o curso e ritmo de implementação da estratégia. É o guardião do(s) mapa(s), está sempre analisando as informações (externas e internas) e buscando garantir o rumo planejado e assegurar o ritmo da implementação da estratégia. Apóia as lideranças a tomarem as melhores decisões quando da necessidade de rever o caminho. O Navegador (Ritmista)
  • 26.
  • 27. Promover o Desenvolvimento Sustentável e a Competitividade do Agronegócio em Benefício da Sociedade Brasileira Ser Reconhecido pela Qualidade e Agilidade na Implementação de Políticas e na Prestação de Serviços para o Desenvolvimento Sustentável do Agronegócio
  • 28.
  • 29. Atua como facilitador e mobilizador da organização na direção da estratégia, promovendo a aprendizagem sobre a estratégia, buscando atualização continua do melhor saber e de práticas aplicáveis ao seu contexto. Busca integrar a experiência dos gestores, os novos conhecimentos, gerando reflexões que propiciem mudanças e redirecionamentos estratégicos. Tem o desafio de capacitar e promover a aprendizagem de toda organização nas melhores práticas e competências para a gestão da estratégia. Abre caminho através de um forte senso de missão pessoal e comprometimento com o destino compartilhado com as pessoas, reforçando a comunicação e a necessidade de engajamento de todos os membros. Não se cansa de comunicar e mobilizar a todos O Educador (Facilitador da aprendizagem)
  • 30. Elaboração abordagem de GM para a Sulamérica Disseminação e engajamento via Comunicação 4 90% Falando e Interagindo 75% Falando 50% Vendo e Ouvindo 30% Vendo 20% Ouvindo 10% Lendo Fonte: Johnson & Johnson Retention Study A comunicação face a face é o melhor canal para o entendimento da mensagem (as pessoas retêm a mensagem quando estão...) Somente será possível engajar as pessoas se abrirmos espaço para discussão com a participação efetiva dos líderes
  • 31. Promove o ambiente e as condições necessárias para as mudanças demandadas pela estratégia, criando abertura e estímulo para o diálogo compartilhado, expandindo ou reconstituindo modelos mentais que permitirão a ação renovada. Conduz os participantes na formulação de novas perspectivas e no desenvolvimento de novas hipóteses estratégicas, trabalhando resistências internas de forma a convergir interesses individuais para um comprometimento compartilhado do grupo. Estratégia envolve mudança, este profissional conhece e reconhece a importância de trabalhar o lado soft , porém não menos importante, da implementação da estratégia. O Terapeuta (Agente da Mudança)
  • 32. Entendimento da Mudança Identificação dos Vetores de Mudança 1. Novo Plano Estratégico 2. Mudança de foco em produto para foco em cliente 3. Nova Diretoria Executiva 4. Nova forma de gestão Mudanças Sociais (Novas interações pessoais) Mudanças Técnicas (Novas ferramentas, sistemas ou processos) Invasão de Território (Pessoas que estão acostumadas a fazer as coisas de seu próprio modo) Novas Responsabilidades (Prestação de contas sobre novos desafios) Incertezas ilustrativo Como mitigar os principais geradores de resistência?
  • 33. Está em busca de oportunidades de negócio, empresariando idéias ou projetos que beneficiem clientes ou a sociedade como um todo (o empreendedor social). O empreendedor visualiza espaços de mercado normalmente não ocupados, idealizando formas de preencher este espaço e articulando os meios (pessoas, parceiros, recursos financeiros, infra-estrutura) e trabalhando na implementação do novo “empreendimento”, sempre de forma inventiva, arrojada e persistente. O Empreendedor (Viabilizador de Ideias)
  • 34. valor curto prazo m édio prazo longo prazo ex. 2 anos ex. 4 anos ex. 8 anos neg ócios atuais novos neg ócios Como as organiza ções planejam seu futuro?
  • 35. Ajuda a moldar futuros que façam sentido para as pessoas. O designer ou “design thinker”, que é aquele que pensa e opera como um designer, essencialmente procura trabalhar o enfoque humano da experiência. O “design thinking” é uma alternativa ao pensamento convencional baseado na análise, em que se busca primeiro analisar todas as alternativas primeiro, para depois escolher a melhor alternativa. O designer trabalha na criação (ou cocriação) de estratégias, processos,  serviços, modelos de gestão que sejam válidos e, para tanto, realiza um trabalho exploratório que o leva, muitas vezes, a conceber soluções não conhecidas, daí a inovação. A face designer do ativista, também conhecida como “design estratégico” (o locus onde a estratégia/gestão se choca com o design) é considerada hoje uma dos conceitos que mais irão influenciar as práticas de gestão das empresas na próxima década O Designer ( Criador de futuros)
  • 36.
  • 38. heurística mistério algoritmo novos insights descoberta entendimento criação da oportunidade Inspirado por Roger Martin pensamento intuitivo Configuração Análise experimentação O “design thinker” move-se no funil do conhecimento exploração
  • 39. “ Design Thinkers” Fabio Barbosa Design de um novo conceito de banco (Real) sustentável Steve Jobs Design de uma nova experiência de ouvir música (I-Pod) e conectar-se com o mundo (I-Phone). Richard Branson Design de múltiplos negócios sob a bandeira “Virgin”.
  • 40. Contempla os interesses e prioridades individuais, dentro de um processo de negociação com o fim de buscar alinhamento entre as partes passíveis de serem transformadas em ações estratégicas que represente o interesse da organização, trazendo o real sentimento de propriedade e comprometimento. O Político (Articulador)
  • 41. O território do político
  • 42. Estrutura individual para Pensar e Agir Visão de Mundo M étodos e Ferramentas Experi ências direciona direciona informa informa Fonte: “Design de Negócios”, Roger Martin
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48. As áreas de gestão da estratégia nas empresas
  • 49. As áreas de gestão da estratégia nas empresas
  • 50. As áreas de gestão da estratégia nas empresas
  • 51. As 7 funções do “escritório de gestão da estratégia”  Desenvolvimento da estratégia : facilitador do processo de formulação e desenvolvimento de estratégias, é o responsável por coordenar as agendas, fóruns de discussão e instrumentalizar este processo com o melhor das ferramentas existentes.  Tradução da estratégia : desdobra a estratégia em objetivos, indicadores e iniciativas concretas, de modo que esta possa ser implementada e acompanhada. Para esta função, o Balanced Scorecard (BSC) tem tido um papel relevante, com uma aplicação crescente. Mas outros modelos, como por exemplo o Gerenciamento Por Diretrizes (GPD), também podem ser usados para esta finalidade.
  • 52. As 7 funções do “escritório de gestão da estratégia”  Comunicação da estratégia : na maioria dos casos a área de comunicação da empresa é responsável por ajudar a planejar e executar as ações de comunicação em si. Mas é o escritório de estratégia que tem a responsabilidade de garantir que a estratégia e seu avanço sejam comunicados a todos os funcionários e outros agentes chave da organização. 4) Gestão do portfólio de projetos : a execução da estratégia se dá, em grande parte, por meio da gestão de projetos ou iniciativas estratégicas. Por isso, como dito anteriormente, temos visto mais e mais organizações estruturarem um Escritório de Gestão de Projetos (PMO), para garantir a eficiência e eficácia destes. Por outro lado, o escritório de gestão da estratégia é o responsável pela visão integrada da carteira de projetos, por garantir que estes estejam sempre alinhados à estratégia, balanceados, priorizados, executados segundo o planejado e, o mais importante, atingindo os resultados esperados.
  • 53. As 7 funções do “escritório de gestão da estratégia” 5) Análise da estratégia : Tão importante quanto formular uma boa estratégia é realizar o acompanhamento da sua implementação. O escritório é responsável por definir um calendário de reuniões de análise da estratégia (RAEs), garantir a atualização e consolidação dos dados dos indicadores e projetos, preparar relatórios e análises dos desvios, facilitar estas reuniões com a liderança, e ainda consolidar as decisões e garantir a comunicação destas à todos os envolvidos.   6) Inteligência competitiva : Muitas organizações buscam estruturar uma área de inteligência, para antecipar-se e trabalhar bem com as variáveis exógenas ao negócio. Coordenar esta contínua análise do ambiente externo (tendências macroeconômicas, sociais, tecnológicas, informações sobre os consumidores e concorrentes, etc.) é um grande desafio, e de enorme valia para uma boa análise da estratégia.   7) Novos Negócios : Temos visto que em algumas organizações a unidade responsável pela gestão da estratégia também é responsável pelo desenvolvimento de novos negócios, ou ainda Fusões & Aquisições.
  • 54.