SlideShare uma empresa Scribd logo
O Pensamento Estratégico como
item essencial na geração de
sinergia empresarial
Praticando o pensamento
estratégico e utilizando ferramentas
eficazes na construção do futuro
2
1. INTRODUÇÃO A ESTRATÉGIA EMPRESARIAL
1. Macro Visão Estratégica
2. Pensamento Estratégico
3. Vantagem Competitiva e Core Capabilities
4. Tomada de Decisões
2. CONCEPÇÃO DA ESTRATÉGIA EMPRESARIAL
1. Missão, Visão e Valores
2. Hipóteses de Negócio e Estratégias
3. Mapa Estratégico
4. Alinhamento Estratégico
5. Execução e Cumprimento Estratégico
Índice
Estratégia é o programa geral para a consecução dos objetivos
de uma organização e, portanto, para o desempenho de sua
missão. Uma estratégia estabelece uma mesma direção para
toda a organização.
• É comum ouvirmos palavras como visão, missão, mapas
estratégicos, análise SWOT, gestão de riscos ou execução de
frameworks de estratégia.
• Há várias ferramentas que nos auxiliam a entender os desafios da
empresa, formular sua estratégia e alcançar os resultados
almejados.
• Para usar essas ferramentas de forma efetiva e eficiente é
importante entender:
• Como cada parte da empresa pode contribuir com a
estratégia;
• Como a sinergia entre elas pode ser alcançada;
Introdução a Estratégia Empresarial
Visão Geral
MODELO VISUAL DE ESTRATÉGIA DE NEGÓCIO
Introdução a Estratégia Empresarial
Macro visão de um Planejamento Estratégico
FOCO FORMALIZADO
SUPORTE AO DEBATE DA ESTRATÉGIA
FORNECER REPORTES BASEADOS
NO FRAMEWORK
PROVER UM FRAMEWORK PARA
AÇÃO
O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO GERA UM PRODUTO!
PENSAMENTO ESTRATÉGICO:
O que pode acontecer?
DEFINIÇÕES ESTRATÉGICAS:
Que caminhos seguir?
PLANEJAMENTO
ESTRATÉGICO: O que fazer?
OPÇÕES
DECISÕES
AÇÕES
Pensamento Estratégico é identificar, imaginar e entender
possível e plausíveis futuros ambientes de operação para
sua organização
... E usar seu conhecimento para expandir o pensamento
através das potenciais futuras opções ...
Líderes precisam aprender a ver, tanto os
sistemas mais amplos, quanto as partes que o
compõe. O foco deve ser desde otimizar suas
partes como se fosse um quebra-cabeça, até
construir entendimento compartilhado e visão
ampla.
• Principais focos
− Ambiente externo (para entender o
impacto da mudança);
− Conexões e interdependências;
− Alinhamento entre as capacidades
internas e a realidade externa;
− Estratégia que garanta a viabilidade da
organização no futuro;
− Big Picture!
Introdução a Estratégia Empresarial
Pensamento Sistêmico
Pensando Grande:
Pensando em Sistemas
O pensamento estratégico demanda de informações que sirvam de base e permeiem todo o
processo. Para tanto, o processo de Coleta de Informação (Scan) é extremamente fundamental
para antecipar-se a situação, conhecê-lo antes e junto de toda a empresa.
Neste processo, destaca-se as seguintes diretrizes:
Observar por várias perspectivas (apenas o fato)
As análises mais importantes devem ser registradas e compartilhadas
1
2
3
4
As coletas precisam ser em todos os níveis e áreas da organização
Procurar por conexões, conflitos e intersecções
Introdução a Estratégia Empresarial
Observar, avaliar e prever o futuro
O futuro pode até não ser conhecido, mas
você pode conhecer, e muito, sobre como
você pode influenciá-lo
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Pensamento Estratégico é pensar sobre o futuro de forma
proativa, é adquirir comportamentos estratégicos
COMPROMETER-SE DIARIAMENTE
COM A PRÁTICA DA ESTRATÉGIA
INTERIOR EXTERIOR
INDIVIDUALCOLETIVO
ENCORAJAR E SUPORTAR TODOS
OS FUNCIONÁRIOS
RECONHECER O IMPACTO DE HOJE
PARA AS FUTURAS GERAÇÕES
CRIAR UM FUTURO FOCADO NA
CULTURA DE TOMADA DE DECISÃO
CRIE MUDANÇAS EM SUA ROTINA
DEFINIR UM SISTEMA DE ANÁLISE
QUE SUPORTE/ALIMENTE A
TOMADA DE DECISÃO
AO TOMAR DECISÕES, REFLETIR
SOBRE O QUÃO GRANDE,
PROFUNDA E LONGA ELA É
DEFINIR WORKSHOPS SOBRE O
TEMA
LÍDERES ORGANIZAÇÃO
Vantagem competitiva visa explorar os fatores que influenciam
o mercado e afetam o comportamento de compra. Visa
entender o ambiente competitivo e identificar ações e
estratégias futuras para vantagem no mercado.
Características:
• Providenciar valor superior aos clientes;
• Algo difícil de imitar;
• Aumenta a capacidade de responder às mudanças no
ambiente;
Fontes de Vantagem Competitiva:
• Subsídio ou suporte governamental;
• Estabilizar ou monopolizar mercados;
• Inovação de produto;
• Inovação de processo, eficiência de custo;
• Serviço Superior;
• Gestão de Recursos Humanos;
Introdução a Estratégia Empresarial
Vantagem Competitiva
O SUCESSO NO FUTURO DEPENDE
DE COMO SE GERENCIA A
VANTAGEM COMPETITIVA
16
É PRECISO PRESTAR ATENÇÃO NA
CADEIA DE VALOR
17
18
Introdução a Estratégia Empresarial
Capacidades centrais
CORE CAPABILITIES
Pensamento Estratégico Definição Estratégica
Planejamento
Estratégico
Futuro Proativo
Comportamentos
Estratégicos
Vantagem Competitiva
MACRO-VISÃO ESTRATÉGICA
Introdução a Estratégia Empresarial
Criando Core Capabilities
1. Construir blocos de estratégia corporativa baseados em processos de negócio;
• Delimitar áreas fins e áreas meios;
• Foco nas áreas que definem o negócio;
2. Transformar processos chaves em capacidades estratégicas que consistentemente providencia
valor superior aos clientes;
• Processos centrados nos clientes e na interação com stakeholders;
• Mapear todo o valor gerado pela empresa;
3. Realizar investimentos estratégicos para suportar ou transcender a infraestrutura que conecta e
cruza todas as funções da empresa;
• Levantar os principais gaps e mitigá-los;
• Definir prioridade e apostar nelas;
4. Praticar uma liderança capaz de explorar ao máximo toda a estratégia.
• Investir no desenvolvimento humano;
• Estratégia As-One: todo mundo representa a empresa
ESTRATÉGIA É REVOLUÇÃO. QUALQUER
OUTRA COISA É TÁTICA.
Introdução a Estratégia Empresarial
Praticando a Tomada de Decisões
Introdução a Estratégia Empresarial
Praticando a Tomada de Decisões
Introdução a Estratégia Empresarial
Tomada de Decisões baseadas na Teoria dos Jogos
O que é Teoria dos Jogos?
• Fundamentalmente, é o estudo sobre tomada de
decisões;
• Mais focado em escolhas e estratégias do que com a
melhor solução.
• Ela procura responder as seguintes questões:
• Que tipo de estratégias existe nesse “jogo”?
• Quais tipos de soluções existem aqui?
O que levar em consideração?
• Jogadores: Quem está interagindo?
• Estratégias: Quais são as opções desses jogadores?
• Recompensas: Quais são os incentivos?
• Informação: O que eles sabem?
• Racionalidade: Como eles pensam?
Concepção da Estratégia Empresarial
DEFININDO A MISSÃO, VISÃO E VALORES (MVV)
A estratégia começa com a clara definição da proposta de negócio da empresa (missão), que
precisa também ter uma imagem de qual seria o futuro perfeito (visão). Por conseguinte, os
valoresdeterminam as condições principais e princípios que a empresa deve trilhar.
#01
#01 – Definindo Missão, Visão e Valores
Concepção da Estratégia Empresarial
Missão
• A missão define o negócio da sua empresa,
define o que ela é, sua essência e aquilo que
os stakeholders devem enxergar. É, em
resumo, a proposta da marca, um objetivo de
vida que norteia todas as atividades da
empresa.
• Uma missão deve, acima de tudo, estimular
todos os funcionários!
Pode mudar!
• A companhia cresce não apenas
em termos financeiros, mas
também em relação a maturidade
da liderança! Por isso, o que inspira
sua equipe hoje, pode não inspirar
amanhã.
Exemplo: Zappos
• 1999 – Largest Selection of
Shoes
• 2003 – Customer Service
• 2007 – Personal Emotional
Connection
• 2009 – Delivering Happiness
Ela poderia começar em 1999 com
a missão de Entregar felicidade?
Começou com algo mais tangível e
foi aumentando o nível de
abstração até alcançar algo que
mais se aproxima da proposta da
marca, de forma direta!
#01 – Definindo Missão, Visão e Valores
Concepção da Estratégia Empresarial
Exemplos
• WAL-MART: Ser o melhor varejista do Brasil na
mente e no coração dos consumidores e
funcionários
• BRADESCO: Ser reconhecida como a melhor e
mais eficiente instituição financeira do País e pela
atuação em prol da inclusão bancária e
desenvolvimento sustentável.
• ARCOR: Ser a empresa n°1 de guloseimas e
biscoitos da América Latina e consolidar
participação internacional
Características
• A visão deve ser suficientemente
clara e concisa para que qualquer
um na organização possa entender.
• A visão costuma refletir o sonho do
fundador ou do atual líder.
Visão
• Visão é a imagem que imagina
dela mesma no fim do ciclo
estratégico. Costuma apontar a
posição, status, características,
condições, conquistas e evolução.
• Aponta aonde queremos chegar!
#01 – Definindo Missão, Visão e Valores
Concepção da Estratégia Empresarial
Valores
• Os valores incidem nas convicções que fundamentam
as escolhas de uma organização. Os valores “dizem” e
os comportamentos “fazem”, a partir deles é possível
tanto atingir os objetivos da organização quanto
atender as necessidades de todos a sua volta.
• Crença que orienta julgamentos e ações por meio de
objetivos específicos e imediatos. São princípios que
guiam a vida da organização
• “Dou valor as coisas não por
aquilo que valem, mas por aquilo
que significam.” – Gabriel Garcia
Marques
Exemplo: FIAT
• Satisfação do cliente;
• Valorização e respeito às pessoas;
• Atuar como parte integrante do
Grupo Fiat
• Responsabilidade Social;
• Respeito ao meio ambiente
Exemplo: GERDAU
• Preferência dos
clientes;
• Segurança das
pessoas;
• Respeito e
comprometimento
com as pessoas
• Excelência com
simplicidade
• Foco em
Resultados
• Integridade com
todos os públicos
• Sustentailidade
econômica
Concepção da Estratégia Empresarial
FORMULANDO HIPÓTESES E ESTRATÉGIAS DE NEGÓCIO
É necessário usar ideias que funcionem e resolvam as questões mais importantes da
estratégia: “Por que” e “Como”. Estratégias genéricas e temáticas dão um alicerce maior e
embasado para tomada de decisão e diretrizes. Para tal, é necessário diagnosticar a
empresa, propor soluções e tomar ações para testar as hipóteses definidas
#02
#02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Diagnóstico)
Concepção da Estratégia Empresarial
S O
T
Strengths
Vantagens internas da empresa
em relação às concorrentes. Ex.:
qualidade do produto oferecido,
bom serviço prestado ao cliente,
solidez financeira, etc.
Weaknesses
Desvantagens internas da
empresa em relação às
concorrentes. Ex.: altos custos
de produção, má imagem,
instalações desadequadas,
marca fraca, etc.;
Threats
Aspectos externos negativos que
podem por em risco a vantagem
competitiva da empresa. Ex.:
novos competidores, perda de
trabalhadores fundamentais, etc.
W
Opportunities
Aspectos externos positivos que
podem potenciar a vantagem
competitiva da empresa. Ex.:
mudanças nos gostos dos
clientes, falência de empresa
concorrente, etc.;
ANÁLISE DE RISCO
NECESSIDADES DOS
CLIENTES
PESTEL
INDICADORES e KPIs
AUDITORIA INTERNA
AVALIAÇÃO
INDEPENDENTE
#02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Diagnóstico)
Concepção da Estratégia Empresarial
S
Avaliada em
U$ 4 billion
Bom
histórico
Maior rede
vendedora
de café do
mundo
W
Má
publicidade
Café Caro Flutuação no
preço do
grão de café
EXEMPLO
#02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Diagnóstico)
Concepção da Estratégia Empresarial
O
Expansão do
Mercado
Aumento da
demanda em
mercados
asiáticos
Extensão da
cadeia de
fornecimento
T
Aumento
dos preços
dos grãos de
café
Direitos de
patente
fracos em
mercados
emergentes
Imitações
EXEMPLO
#02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Solução)
Concepção da Estratégia Empresarial
S
O
T
Pontos Fortes x Ameaças
Estratégia de confronto para modificação do ambiente a favor
da empresa. Utilize esse cruzando mento para modificação do
ambiente a favor da empresa.
W
Pontos Fortes x Oportunidades
Estratégia ofensiva / Desenvolvimento de Vantagens
competitivas. A estratégia Ofensiva pega cada um dos pontos
fortes e cruzar com as oportunidades.
X
O
T
Pontos Fracos x Ameaças
Estratégia defensiva com possíveis modificações para proteger a
empresa. Pode até mesmo adotar alterações profundas objetivando a
proteção em cenários ruins.
Pontos Fracos x Oportunidades
Estratégia de reforço para poder aproveitar melhor as oportunidades. As
ações adotadas devem reforçar suas fraquezas para que elas não
atrapalhem na competitividade do mercado. Desenhe a estratégia de forma
a tirar vantagens das fraquezas da sua empresa.
X
SWOT CRUZADA
#02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Solução)
Concepção da Estratégia Empresarial
S
O
T
ESTRATÉGIA DE CONFRONTO – Empresa de Soja
Pontos Fortes: Tecnologia de Ponta, Produção em larga escala
Ameaças: Aumento expressivo do dólar
Estratégia: Apostar nas exportações uma vez que o aumento do dólar
“barateia” o produto para consumidores internacionais.
W
ESTRATÉGIA OFENSIVA - Empresa de Turismo
Pontos Fortes: Influência de mercado
Oportunidades: Realização da Copa do Mundo e Olimpíadas no Brasil.
Estratégia: Investir em parcerias para abranger o maior numero de
estabelecimentos turísticos através do seu peso de mercado.
X
O
T
ESTRATÉGIA DE DEFESA – Empresa de artesanato
Pontos Fracos: Não consegue atender a demanda
Ameaças: Aumento de fabricas que produzem artigos em larga escala.
Estratégia: Adoção de maquinário e personalização de produtos para criar
nichos de mercado, fugindo do mercado consumidor padrão.
ESTRATÉGIA DE REFORÇO – Indústria de peças PVC
Pontos Fracos: Logística deficitária
Oportunidades: Mercado de revenda de peças plásticas em alta, devido
ao encarecimento dos produtos a base de outros compostos
Estratégia: Contratação de empresas terceirizadas de transporte
X
EXEMPLOS
METAS ESTRATÉGICAS
#02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Ação)
Concepção da Estratégia Empresarial 03 ESTRATÉGIAS
GENÉRICAS
CRIAR NOVOS PRODUTOS
E SERVIÇOS
AUMENTAR O VALOR AO
CLIENTE/STAKEHOLDERS
ALCANÇAR A EXCELÊNCIA
OPERACIONAL
Prover liderança de
produtos/serviços,
franchising e novos
nichos/segmentos
Aumentar interação e
experiência do cliente e
stakeholders, melhorar
produtos existentes
Diminuir custos
operacionais, aumentar
produtividade, melhor
gestão de tempo e recurso
3M possui foco em
inovação e está sempre
explorando novos
mercados, lançando novos
produtos e renovando
antigos
Zappos é uma empresa
com foco máximo na
experiência que o cliente
tem com seus produtos
McDonald’s é um exemplo
de empresa que possui
foco na Eficácia das
operações.
Concepção da Estratégia Empresarial
Estratégia Genérica
• A estratégia genérica são diretrizes para priorizar e focar determinados aspectos da estratégia de
acordo com as hipóteses levantadas pela gestão. A estratégia definida deverá englobar todas as
metas estratégicas e nortearam o caminho para que cada uma delas sejam atingidas da forma que a
empresa realmente necessita.
Metas Estratégicas
• Todas as estratégias (ofensivas, defensivas, confronto e reforço) devem ser classificadas de acordo
com as estratégias genéricas e priorizadas de acordo com a hipótese estratégica (escolha da
estratégia genérica). Cada meta pode se traduzir em diversos objetivos estratégicos (duas metas
podem fazer uso de um mesmo objetivo estratégico)
Desdobramento em Ações
• Todos os objetivos estratégicos devem ser mensurados e mapeados (tal como apresentado no
restante do framework) e servirão de insumos para os níveis tático e operacionais definirem ações
tangíveis. O nível tático deverá definir projetos e programas que satisfaçam os objetivos estratégicos
relacionados com a área/departamento de atuação. É importante, portanto, que ao se definir todos os
objetivos estratégicos, deva-se definir as áreas da empresa que estão diretamente influenciadas e
responsáveis por cada um deles.
#02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Ação)
Concepção da Estratégia Empresarial
MAPA ESTRATÉGICO
Mais do que objetivos soltos e métricas isoladas, a estratégia deve ser claramente definida e
contextualizada e apresentada de forma visual, de fácil consulta e entendimento. Para
facilitar o controle, objetivos estratégicos devem ser definidos, associando metas
estratégicas, leading e lagging indicadores e definido sobre alguma perspectiva.
#03
#03 – Mapa Estratégico (Definindo o Objetivo Estratégico)
Concepção da Estratégia Empresarial
Uma META é:
• Ampla;
• Intangível, e
• Abstrata
• Um exemplo de meta pode ser “Investir em
parcerias para abranger o maior número de
estabelecimentos na Copa” (capítulo anterior), ela
é ampla pois representa diversas possibilidades
de ações, é intangível pois não se mensura ou
visualiza a parceria, e abstrata pois não há
definições de como serão as parcerias, no que
exatamente se deve investir... A meta funciona
com norteadora apenas.
Todo objetivo deve possuir as
seguintes características:
1. Responsável
2. Indicadores atrelados
3. Alvos / Limiares
4. Benchmarking
5. Meta relacionada
O 1° passo para montar o
mapa é entender as
diferenças entre as
metas traçadas
anteriormente e os
objetivos traçados agora
Um OBJETIVO é:
• Específico;
• Tangível, e
• Mensurável
• Se considerarmos a meta do exemplo anterior,
podemos traçar o seguinte objetivo (a empresa
pode traçar quantos objetivos quiser para atingir a
meta): 1) Definir 10 campanhas de marketing com
parceiros comerciais envolvidos com a temática
da Copa, investindo até R$ 10 mil reais para
atingir um público de 100.000 pessoas
[Responsável: Marketing; Indicadores: Público...]
#03 – Mapa Estratégico (Definindo o Objetivo Estratégico)
Concepção da Estratégia Empresarial
#03 – Mapa Estratégico (Definindo o Objetivo Estratégico)
Concepção da Estratégia Empresarial
Todos os objetivos estratégicos devem ser divididos em pilares e deve ser traçado um rastro entre todos eles
para identificar correlações, integrações e dependências. Essas perspectivas criam uma reflexão daquilo que
pensamos para o futuro e é capaz de contextualizar melhor os números de uma empresa. Apesar de mais
importantes, os objetivos financeiros por si só não dizem muita coisa, é importante atrelá-los a outros
objetivos para entender melhor a história de uma empresa
#03 – Mapa Estratégico (Exemplo de BSC)
Concepção da Estratégia Empresarial
Abaixo segue exemplo de um BSC, os campos de objetivos estão tratados de forma reduzidos (por tema)
para facilitar a visualização do mapa. No passo 1 são postos os objetivos financeiros e já são criadas alguma
dependência. No passo 2 são definidos os objetivos de clientes, veja que para a empresa, atrair mais
prospects ajuda no aumento de receitas, e a educação de clientes auxilia no controle de custos. Essas
relações são apresentadas no mapa. OBS: Algumas empresas pode considerar que criar conteúdo de
engajamento pode atrair novos prospects, mas não foi o caso (essa decisão determina ações estratégicas)
1 2
#03 – Mapa Estratégico (Exemplo de BSC)
Concepção da Estratégia Empresarial
Nesse passo 3 (lembrando que a ordem dos passos depende do jeito que a empresa preferir), são criados
indicadores específicos para verificar a eficiência da conexão entre os objetivos, isto é, o quanto o objetivo
relacionado aos clientes esta realmente influenciando e gerando resultados nos objetivos financeiros. Esse
passo não é necessariamente obrigatório, mas gera um tipo de informação muito útil estrategicamente e pode
apontar se o insucesso de determinado objetivo corresponde a suas próprias ações atreladas, ou se tem
haver com os insumos e influência de outros objetivos, ações e resultados.
3
Como sabemos que a
conexão esta funcionando?
KPI 1 : The number of
sales referred by the article;
KPI 2: The number of
support tickets of a specific
type (where customers ask
for the article stuff);
#03 – Mapa Estratégico (Exemplo de BSC)
Concepção da Estratégia Empresarial
Nesse exemplo, os passos 4 e 5 correspondem a criação dos objetivos de processos/internos e
aprendizado/crescimento, e suas respectivas conexões de acordo com a visão da empresa. No passo 5, ao
se observar o mapa concluído, fica perceptível que os dois principais objetivos dessa companhia é aumentar
os lucros e criar conteúdo engajador, que estão conectados com diversos outros objetivos dentro da
organização. Com a criação dos indicadores no passo 3 (e por isso se recomenda fazer isso nessa etapa,
ainda que não obrigatório), é possível traçar objetivos no passo 4 e 5 que possibilitem a contribuição direta ao
indicador.
4 5
Concepção da Estratégia Empresarial
ALINHAMENTO ESTRATÉGICO
Alinhamento é o correto posicionamento das coisas em relação umas às outras. Numa
organização é necessário alinhar o portfólio de projetos (internos e externos), os objetivos
de negócios e das áreas, e o ambiente que se almeja e o que se encontra. O alinhamento
começa desde a elaboração do plano, até a entrega de resultados
#04
#04 – Alinhamento Estratégico (iniciando na elaboração do PE)
Concepção da Estratégia Empresarial
#04 – Alinhamento Estratégico (definindo meios)
Concepção da Estratégia Empresarial
#04 – Alinhamento Estratégico (alinhando projetos)
Concepção da Estratégia Empresarial
Todos os projetos da organização devem trazer (sem exceção)
algum tipo de contribuição para que se atinja a visão da
empresa, através de seus diversos objetivos e metas
REQUISITOS PARA PROJETOS:
• TODOS os benefícios de todos os projetos intenros devem
endereçar ao menos um dos objetivos do mapa
estratégico;
• É necessário ter um portfólio atualizado de todos os
projetos (passados, presentes e futuros) da gestão/período
do PE e sua respectiva contribuição no mapa de valor da
empresa
• No início de todo projeto, na etapa de planejamento, é
necessário especificar, de forma clara, uma forma eficiente
de verificar os benefícios apontados ao fim do projeto (seja
apresentando indicadores+metas, apresentação de
feedback de algum stakeholder, documentação
específica...)
TODOS OS PROJETOS PRECISAM
POSSUIR UM PROCESSO DE
GESTÃO DE BENEFÍCIOS
#04 – Alinhamento Estratégico (alinhando objetivos)
Concepção da Estratégia Empresarial
Todas as áreas/diretorias devem estar 100% alinhadas aos
objetivos estratégicos, e devem promover a sinergia para
otimizar os resultados de outras áreas que precisem de
suporte
Planejamento Tático:
• Para cada objetivo do qual a diretoria é responsável deve
haver um ou mais projetos relacionados
• A diretoria deve prever também projetos de suporte a
outras áreas, para que estas atinjam seus objetivos (é
interessante que cada área faça uma lista de necessidades
para outras áreas se preparem e poderem dar o suporte)
• Uma ferramenta como a PAPA é importante para gerenciar
os planos táticos
Indicadores Operacionais:
• A área deve apresentar indicadores operacionais (ou
diretamente os estratégicos) para compor os indicadores
de todos os objetivos relacionados.
• A diretoria deve definir níveis mínimos de rendimento para
cada processo (com avaliação da auditoria interna)
TODAS AS DIRETORIAS DEVEM SER
RESPONSÁVEIS DIRETAMENTE POR
AO MENOS UM OBJETIVO
#04 – Alinhamento Estratégico (alinhando cenários)
Concepção da Estratégia Empresarial
Concepção da Estratégia Empresarial
EXECUÇÃO E CUMPRIMENTO ESTRATÉGICO
A melhor forma de garantir o cumprimento estratégico é medindo se todas as ações que
estão sendo tomadas estão gerando o resultado esperado. As medições são feitas através de
indicadores/KPIs, que devem ser desenhados, implantados, coletados, calculados, analisados
e apresentados como insumo para tomada de decisão
#05
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva
Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conceituação Básica de Administração estratégica
Conceituação Básica de Administração estratégica Conceituação Básica de Administração estratégica
Conceituação Básica de Administração estratégica
Jerana Santos
 
Gestão Estratégica
Gestão EstratégicaGestão Estratégica
Gestão Estratégica
PBNP_
 
Planejamento Estratégico de Marketing (parte 1 de 2)
Planejamento Estratégico de Marketing (parte 1 de 2)Planejamento Estratégico de Marketing (parte 1 de 2)
Planejamento Estratégico de Marketing (parte 1 de 2)
Davi Rocha
 
Balanced Scorecard Slide
Balanced Scorecard SlideBalanced Scorecard Slide
Balanced Scorecard Slide
Sergio de Carvalho
 
Planejamento Estrategico
Planejamento EstrategicoPlanejamento Estrategico
Planejamento Estrategico
Reginaldo Dal`Bó
 
Elaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de Implementação
Elaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de ImplementaçãoElaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de Implementação
Elaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de Implementação
Michel Freller
 
Planejamento estrategico
Planejamento estrategicoPlanejamento estrategico
Planejamento estrategico
Jeanne Pires
 
Slide planejamento estratégico
Slide planejamento estratégicoSlide planejamento estratégico
Slide planejamento estratégico
Larissa_cog
 
Gestão do planejamento estratégico
Gestão do planejamento estratégicoGestão do planejamento estratégico
Gestão do planejamento estratégico
Denis Carlos Sodré
 
Exercicio de Planejamento Estrategico
Exercicio de Planejamento EstrategicoExercicio de Planejamento Estrategico
Exercicio de Planejamento Estrategico
PAULO RICARDO FLORES
 
Planejamento Estratégico v2
Planejamento Estratégico v2Planejamento Estratégico v2
Planejamento Estratégico v2
Ugor Silva
 
Diretrizes para planejamento estratégico
Diretrizes para planejamento estratégicoDiretrizes para planejamento estratégico
Diretrizes para planejamento estratégico
Mateus Felipe
 
Planejamento estratégico unijipa.ppt
Planejamento estratégico   unijipa.pptPlanejamento estratégico   unijipa.ppt
Planejamento estratégico unijipa.ppt
Marcelo Augusto M. Barbosa
 
Gestão Estratégica das Organizações
Gestão Estratégica das OrganizaçõesGestão Estratégica das Organizações
Gestão Estratégica das Organizações
Kenneth Corrêa
 
Plano empresarial
Plano empresarialPlano empresarial
Plano empresarial
Henrique Arnholdt
 
Estratégia Empresarial - Prof. Paulo Vodianitskaia
Estratégia Empresarial - Prof. Paulo VodianitskaiaEstratégia Empresarial - Prof. Paulo Vodianitskaia
Estratégia Empresarial - Prof. Paulo Vodianitskaia
Sustentare Escola de Negócios
 
Estratégia e Balanced Score Card
Estratégia e Balanced Score Card Estratégia e Balanced Score Card
Estratégia e Balanced Score Card
Aureo Antunes
 
Planejamento Estrategico
Planejamento EstrategicoPlanejamento Estrategico
Planejamento Estrategico
azevedoac
 
F7 bsc - 2
F7   bsc - 2F7   bsc - 2
F7 bsc - 2
UNP
 
Aula - Estratégias de Gestão Organizacional
Aula - Estratégias de Gestão OrganizacionalAula - Estratégias de Gestão Organizacional
Aula - Estratégias de Gestão Organizacional
Michel Moreira
 

Mais procurados (20)

Conceituação Básica de Administração estratégica
Conceituação Básica de Administração estratégica Conceituação Básica de Administração estratégica
Conceituação Básica de Administração estratégica
 
Gestão Estratégica
Gestão EstratégicaGestão Estratégica
Gestão Estratégica
 
Planejamento Estratégico de Marketing (parte 1 de 2)
Planejamento Estratégico de Marketing (parte 1 de 2)Planejamento Estratégico de Marketing (parte 1 de 2)
Planejamento Estratégico de Marketing (parte 1 de 2)
 
Balanced Scorecard Slide
Balanced Scorecard SlideBalanced Scorecard Slide
Balanced Scorecard Slide
 
Planejamento Estrategico
Planejamento EstrategicoPlanejamento Estrategico
Planejamento Estrategico
 
Elaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de Implementação
Elaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de ImplementaçãoElaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de Implementação
Elaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de Implementação
 
Planejamento estrategico
Planejamento estrategicoPlanejamento estrategico
Planejamento estrategico
 
Slide planejamento estratégico
Slide planejamento estratégicoSlide planejamento estratégico
Slide planejamento estratégico
 
Gestão do planejamento estratégico
Gestão do planejamento estratégicoGestão do planejamento estratégico
Gestão do planejamento estratégico
 
Exercicio de Planejamento Estrategico
Exercicio de Planejamento EstrategicoExercicio de Planejamento Estrategico
Exercicio de Planejamento Estrategico
 
Planejamento Estratégico v2
Planejamento Estratégico v2Planejamento Estratégico v2
Planejamento Estratégico v2
 
Diretrizes para planejamento estratégico
Diretrizes para planejamento estratégicoDiretrizes para planejamento estratégico
Diretrizes para planejamento estratégico
 
Planejamento estratégico unijipa.ppt
Planejamento estratégico   unijipa.pptPlanejamento estratégico   unijipa.ppt
Planejamento estratégico unijipa.ppt
 
Gestão Estratégica das Organizações
Gestão Estratégica das OrganizaçõesGestão Estratégica das Organizações
Gestão Estratégica das Organizações
 
Plano empresarial
Plano empresarialPlano empresarial
Plano empresarial
 
Estratégia Empresarial - Prof. Paulo Vodianitskaia
Estratégia Empresarial - Prof. Paulo VodianitskaiaEstratégia Empresarial - Prof. Paulo Vodianitskaia
Estratégia Empresarial - Prof. Paulo Vodianitskaia
 
Estratégia e Balanced Score Card
Estratégia e Balanced Score Card Estratégia e Balanced Score Card
Estratégia e Balanced Score Card
 
Planejamento Estrategico
Planejamento EstrategicoPlanejamento Estrategico
Planejamento Estrategico
 
F7 bsc - 2
F7   bsc - 2F7   bsc - 2
F7 bsc - 2
 
Aula - Estratégias de Gestão Organizacional
Aula - Estratégias de Gestão OrganizacionalAula - Estratégias de Gestão Organizacional
Aula - Estratégias de Gestão Organizacional
 

Semelhante a Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva

slides módulo v
slides módulo vslides módulo v
slides módulo v
Fdtensino
 
AMAZÔNIA NA POLITICA DO COMÉRCIO EXTERIOR - Aula 1.pptx
AMAZÔNIA NA POLITICA DO COMÉRCIO EXTERIOR - Aula 1.pptxAMAZÔNIA NA POLITICA DO COMÉRCIO EXTERIOR - Aula 1.pptx
AMAZÔNIA NA POLITICA DO COMÉRCIO EXTERIOR - Aula 1.pptx
EdgarDias25
 
Adm estrat aula 2 va
Adm estrat  aula 2 vaAdm estrat  aula 2 va
Adm estrat aula 2 va
katiagomide
 
Adm estrat aula 2 va
Adm estrat  aula 2 vaAdm estrat  aula 2 va
Adm estrat aula 2 va
katiagomide
 
Adm estrat aula 2 va
Adm estrat  aula 2 vaAdm estrat  aula 2 va
Adm estrat aula 2 va
katiagomide
 
Gestão compartilhada
Gestão compartilhadaGestão compartilhada
Gestão compartilhada
Edmilson Palermo Soares
 
Estratégia para a competitivdade
Estratégia para a competitivdadeEstratégia para a competitivdade
Estratégia para a competitivdade
Daniel de Carvalho Luz
 
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!
Confirp Contabilidade
 
Gestão por Processos - BPM - foco em resultados
Gestão por Processos - BPM - foco em resultadosGestão por Processos - BPM - foco em resultados
Gestão por Processos - BPM - foco em resultados
CompanyWeb
 
Desenvolvimento Gereencial - A importancia da Visão Sistêmica Para o seu Negócio
Desenvolvimento Gereencial - A importancia da Visão Sistêmica Para o seu NegócioDesenvolvimento Gereencial - A importancia da Visão Sistêmica Para o seu Negócio
Desenvolvimento Gereencial - A importancia da Visão Sistêmica Para o seu Negócio
Dev PP
 
Seminário Planejamento Estratégico Dígitro
Seminário Planejamento Estratégico DígitroSeminário Planejamento Estratégico Dígitro
Seminário Planejamento Estratégico Dígitro
Andrei Cavalheiro
 
Aula Estratégia e Escolas de Formação
Aula Estratégia e Escolas de FormaçãoAula Estratégia e Escolas de Formação
Aula Estratégia e Escolas de Formação
SMG - Share Marketing Group
 
Fusão e Aquisição
Fusão e AquisiçãoFusão e Aquisição
Fusão e Aquisição
Sergio Ricardo Simonetti
 
Aula 2 - Planejamento Estratégico - 2017.pdf
Aula 2 - Planejamento Estratégico - 2017.pdfAula 2 - Planejamento Estratégico - 2017.pdf
Aula 2 - Planejamento Estratégico - 2017.pdf
ProfWellingtonAleixo
 
Bsc notas de aula
Bsc notas de aulaBsc notas de aula
Bsc notas de aula
Wellington Boness
 
Clientes
ClientesClientes
Clientes
IsisMarques10
 
Aula 05 planejamento e estrategia
Aula 05   planejamento e estrategiaAula 05   planejamento e estrategia
Aula 05 planejamento e estrategia
Katia Gomide
 
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderes
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderesJorge Abel Peres Brazil - Top líderes
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderes
paulooficinadotexto
 
Ar como vai sua cultura de planejamento v03 domanski
Ar como vai sua cultura de planejamento v03   domanskiAr como vai sua cultura de planejamento v03   domanski
Ar como vai sua cultura de planejamento v03 domanski
João Carlos Domanski
 
Como construir uma estratégia vencedora para o seu negócio ainda em 2013
Como construir uma estratégia vencedora para o seu negócio ainda em 2013Como construir uma estratégia vencedora para o seu negócio ainda em 2013
Como construir uma estratégia vencedora para o seu negócio ainda em 2013
PremiumCoaching
 

Semelhante a Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva (20)

slides módulo v
slides módulo vslides módulo v
slides módulo v
 
AMAZÔNIA NA POLITICA DO COMÉRCIO EXTERIOR - Aula 1.pptx
AMAZÔNIA NA POLITICA DO COMÉRCIO EXTERIOR - Aula 1.pptxAMAZÔNIA NA POLITICA DO COMÉRCIO EXTERIOR - Aula 1.pptx
AMAZÔNIA NA POLITICA DO COMÉRCIO EXTERIOR - Aula 1.pptx
 
Adm estrat aula 2 va
Adm estrat  aula 2 vaAdm estrat  aula 2 va
Adm estrat aula 2 va
 
Adm estrat aula 2 va
Adm estrat  aula 2 vaAdm estrat  aula 2 va
Adm estrat aula 2 va
 
Adm estrat aula 2 va
Adm estrat  aula 2 vaAdm estrat  aula 2 va
Adm estrat aula 2 va
 
Gestão compartilhada
Gestão compartilhadaGestão compartilhada
Gestão compartilhada
 
Estratégia para a competitivdade
Estratégia para a competitivdadeEstratégia para a competitivdade
Estratégia para a competitivdade
 
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!
 
Gestão por Processos - BPM - foco em resultados
Gestão por Processos - BPM - foco em resultadosGestão por Processos - BPM - foco em resultados
Gestão por Processos - BPM - foco em resultados
 
Desenvolvimento Gereencial - A importancia da Visão Sistêmica Para o seu Negócio
Desenvolvimento Gereencial - A importancia da Visão Sistêmica Para o seu NegócioDesenvolvimento Gereencial - A importancia da Visão Sistêmica Para o seu Negócio
Desenvolvimento Gereencial - A importancia da Visão Sistêmica Para o seu Negócio
 
Seminário Planejamento Estratégico Dígitro
Seminário Planejamento Estratégico DígitroSeminário Planejamento Estratégico Dígitro
Seminário Planejamento Estratégico Dígitro
 
Aula Estratégia e Escolas de Formação
Aula Estratégia e Escolas de FormaçãoAula Estratégia e Escolas de Formação
Aula Estratégia e Escolas de Formação
 
Fusão e Aquisição
Fusão e AquisiçãoFusão e Aquisição
Fusão e Aquisição
 
Aula 2 - Planejamento Estratégico - 2017.pdf
Aula 2 - Planejamento Estratégico - 2017.pdfAula 2 - Planejamento Estratégico - 2017.pdf
Aula 2 - Planejamento Estratégico - 2017.pdf
 
Bsc notas de aula
Bsc notas de aulaBsc notas de aula
Bsc notas de aula
 
Clientes
ClientesClientes
Clientes
 
Aula 05 planejamento e estrategia
Aula 05   planejamento e estrategiaAula 05   planejamento e estrategia
Aula 05 planejamento e estrategia
 
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderes
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderesJorge Abel Peres Brazil - Top líderes
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderes
 
Ar como vai sua cultura de planejamento v03 domanski
Ar como vai sua cultura de planejamento v03   domanskiAr como vai sua cultura de planejamento v03   domanski
Ar como vai sua cultura de planejamento v03 domanski
 
Como construir uma estratégia vencedora para o seu negócio ainda em 2013
Como construir uma estratégia vencedora para o seu negócio ainda em 2013Como construir uma estratégia vencedora para o seu negócio ainda em 2013
Como construir uma estratégia vencedora para o seu negócio ainda em 2013
 

Mais de Bruno Oliveira

Construtivismo Imersivo - Revisão Sistemática da Literatura
Construtivismo Imersivo - Revisão Sistemática da LiteraturaConstrutivismo Imersivo - Revisão Sistemática da Literatura
Construtivismo Imersivo - Revisão Sistemática da Literatura
Bruno Oliveira
 
Visão geral de big data e mercado financeiro
Visão geral de big data e mercado financeiroVisão geral de big data e mercado financeiro
Visão geral de big data e mercado financeiro
Bruno Oliveira
 
Meio Ambiente com IoT na USP
Meio Ambiente com IoT na USPMeio Ambiente com IoT na USP
Meio Ambiente com IoT na USP
Bruno Oliveira
 
Wear Pay
Wear PayWear Pay
Wear Pay
Bruno Oliveira
 
Explorando novas tecnicas de comunicacao
Explorando novas tecnicas de comunicacaoExplorando novas tecnicas de comunicacao
Explorando novas tecnicas de comunicacao
Bruno Oliveira
 
Projeto de pesquisa - Tecnologias imersivas e letramento financeiro
Projeto de pesquisa - Tecnologias imersivas e letramento financeiroProjeto de pesquisa - Tecnologias imersivas e letramento financeiro
Projeto de pesquisa - Tecnologias imersivas e letramento financeiro
Bruno Oliveira
 
Computação em Névoa - Introdução, estado da arte e aplicações
Computação em Névoa - Introdução, estado da arte e aplicaçõesComputação em Névoa - Introdução, estado da arte e aplicações
Computação em Névoa - Introdução, estado da arte e aplicações
Bruno Oliveira
 
EmoFindAR - Avaliação de jogo de realidade aumentada em crianças de escola pr...
EmoFindAR - Avaliação de jogo de realidade aumentada em crianças de escola pr...EmoFindAR - Avaliação de jogo de realidade aumentada em crianças de escola pr...
EmoFindAR - Avaliação de jogo de realidade aumentada em crianças de escola pr...
Bruno Oliveira
 
Revisão do uso de Realidade Virtual na Educação
Revisão do uso de Realidade Virtual na EducaçãoRevisão do uso de Realidade Virtual na Educação
Revisão do uso de Realidade Virtual na Educação
Bruno Oliveira
 
Monografia Computação na Névoa
Monografia Computação na NévoaMonografia Computação na Névoa
Monografia Computação na Névoa
Bruno Oliveira
 
BC - Feedbacks
BC - FeedbacksBC - Feedbacks
BC - Feedbacks
Bruno Oliveira
 
Analise da proposta de valor (fintech)
Analise da proposta de valor (fintech)Analise da proposta de valor (fintech)
Analise da proposta de valor (fintech)
Bruno Oliveira
 
Humaniza tecnocare
Humaniza tecnocareHumaniza tecnocare
Humaniza tecnocare
Bruno Oliveira
 
Caso Michigan - ITS (Sistema de Transporte Inteligente)
Caso Michigan - ITS (Sistema de Transporte Inteligente)Caso Michigan - ITS (Sistema de Transporte Inteligente)
Caso Michigan - ITS (Sistema de Transporte Inteligente)
Bruno Oliveira
 
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmicoModelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
Bruno Oliveira
 
Alocação dinâmica em C
Alocação dinâmica em CAlocação dinâmica em C
Alocação dinâmica em C
Bruno Oliveira
 
Política e cultura de segurança da informação - aspectos burocráticos
Política e cultura de segurança da informação - aspectos burocráticosPolítica e cultura de segurança da informação - aspectos burocráticos
Política e cultura de segurança da informação - aspectos burocráticos
Bruno Oliveira
 
Pensando comunicação homem máquina (em termos de ergonomia)
Pensando comunicação homem máquina (em termos de ergonomia)Pensando comunicação homem máquina (em termos de ergonomia)
Pensando comunicação homem máquina (em termos de ergonomia)
Bruno Oliveira
 
Labirintos 2D - Abordagem de grafos
Labirintos 2D - Abordagem de grafosLabirintos 2D - Abordagem de grafos
Labirintos 2D - Abordagem de grafos
Bruno Oliveira
 
Project Model Generation - Um case de implementação de escritório de projetos...
Project Model Generation - Um case de implementação de escritório de projetos...Project Model Generation - Um case de implementação de escritório de projetos...
Project Model Generation - Um case de implementação de escritório de projetos...
Bruno Oliveira
 

Mais de Bruno Oliveira (20)

Construtivismo Imersivo - Revisão Sistemática da Literatura
Construtivismo Imersivo - Revisão Sistemática da LiteraturaConstrutivismo Imersivo - Revisão Sistemática da Literatura
Construtivismo Imersivo - Revisão Sistemática da Literatura
 
Visão geral de big data e mercado financeiro
Visão geral de big data e mercado financeiroVisão geral de big data e mercado financeiro
Visão geral de big data e mercado financeiro
 
Meio Ambiente com IoT na USP
Meio Ambiente com IoT na USPMeio Ambiente com IoT na USP
Meio Ambiente com IoT na USP
 
Wear Pay
Wear PayWear Pay
Wear Pay
 
Explorando novas tecnicas de comunicacao
Explorando novas tecnicas de comunicacaoExplorando novas tecnicas de comunicacao
Explorando novas tecnicas de comunicacao
 
Projeto de pesquisa - Tecnologias imersivas e letramento financeiro
Projeto de pesquisa - Tecnologias imersivas e letramento financeiroProjeto de pesquisa - Tecnologias imersivas e letramento financeiro
Projeto de pesquisa - Tecnologias imersivas e letramento financeiro
 
Computação em Névoa - Introdução, estado da arte e aplicações
Computação em Névoa - Introdução, estado da arte e aplicaçõesComputação em Névoa - Introdução, estado da arte e aplicações
Computação em Névoa - Introdução, estado da arte e aplicações
 
EmoFindAR - Avaliação de jogo de realidade aumentada em crianças de escola pr...
EmoFindAR - Avaliação de jogo de realidade aumentada em crianças de escola pr...EmoFindAR - Avaliação de jogo de realidade aumentada em crianças de escola pr...
EmoFindAR - Avaliação de jogo de realidade aumentada em crianças de escola pr...
 
Revisão do uso de Realidade Virtual na Educação
Revisão do uso de Realidade Virtual na EducaçãoRevisão do uso de Realidade Virtual na Educação
Revisão do uso de Realidade Virtual na Educação
 
Monografia Computação na Névoa
Monografia Computação na NévoaMonografia Computação na Névoa
Monografia Computação na Névoa
 
BC - Feedbacks
BC - FeedbacksBC - Feedbacks
BC - Feedbacks
 
Analise da proposta de valor (fintech)
Analise da proposta de valor (fintech)Analise da proposta de valor (fintech)
Analise da proposta de valor (fintech)
 
Humaniza tecnocare
Humaniza tecnocareHumaniza tecnocare
Humaniza tecnocare
 
Caso Michigan - ITS (Sistema de Transporte Inteligente)
Caso Michigan - ITS (Sistema de Transporte Inteligente)Caso Michigan - ITS (Sistema de Transporte Inteligente)
Caso Michigan - ITS (Sistema de Transporte Inteligente)
 
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmicoModelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
Modelagem de sistemas - Pensamento sistêmico
 
Alocação dinâmica em C
Alocação dinâmica em CAlocação dinâmica em C
Alocação dinâmica em C
 
Política e cultura de segurança da informação - aspectos burocráticos
Política e cultura de segurança da informação - aspectos burocráticosPolítica e cultura de segurança da informação - aspectos burocráticos
Política e cultura de segurança da informação - aspectos burocráticos
 
Pensando comunicação homem máquina (em termos de ergonomia)
Pensando comunicação homem máquina (em termos de ergonomia)Pensando comunicação homem máquina (em termos de ergonomia)
Pensando comunicação homem máquina (em termos de ergonomia)
 
Labirintos 2D - Abordagem de grafos
Labirintos 2D - Abordagem de grafosLabirintos 2D - Abordagem de grafos
Labirintos 2D - Abordagem de grafos
 
Project Model Generation - Um case de implementação de escritório de projetos...
Project Model Generation - Um case de implementação de escritório de projetos...Project Model Generation - Um case de implementação de escritório de projetos...
Project Model Generation - Um case de implementação de escritório de projetos...
 

Último

Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Carlos Eduardo Coan Junior
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 

Último (8)

Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 

Pensamento estratégico e geração de vantagem competitiva

  • 1. O Pensamento Estratégico como item essencial na geração de sinergia empresarial Praticando o pensamento estratégico e utilizando ferramentas eficazes na construção do futuro
  • 2. 2
  • 3. 1. INTRODUÇÃO A ESTRATÉGIA EMPRESARIAL 1. Macro Visão Estratégica 2. Pensamento Estratégico 3. Vantagem Competitiva e Core Capabilities 4. Tomada de Decisões 2. CONCEPÇÃO DA ESTRATÉGIA EMPRESARIAL 1. Missão, Visão e Valores 2. Hipóteses de Negócio e Estratégias 3. Mapa Estratégico 4. Alinhamento Estratégico 5. Execução e Cumprimento Estratégico Índice
  • 4. Estratégia é o programa geral para a consecução dos objetivos de uma organização e, portanto, para o desempenho de sua missão. Uma estratégia estabelece uma mesma direção para toda a organização. • É comum ouvirmos palavras como visão, missão, mapas estratégicos, análise SWOT, gestão de riscos ou execução de frameworks de estratégia. • Há várias ferramentas que nos auxiliam a entender os desafios da empresa, formular sua estratégia e alcançar os resultados almejados. • Para usar essas ferramentas de forma efetiva e eficiente é importante entender: • Como cada parte da empresa pode contribuir com a estratégia; • Como a sinergia entre elas pode ser alcançada; Introdução a Estratégia Empresarial Visão Geral
  • 5. MODELO VISUAL DE ESTRATÉGIA DE NEGÓCIO Introdução a Estratégia Empresarial Macro visão de um Planejamento Estratégico FOCO FORMALIZADO SUPORTE AO DEBATE DA ESTRATÉGIA FORNECER REPORTES BASEADOS NO FRAMEWORK PROVER UM FRAMEWORK PARA AÇÃO O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO GERA UM PRODUTO! PENSAMENTO ESTRATÉGICO: O que pode acontecer? DEFINIÇÕES ESTRATÉGICAS: Que caminhos seguir? PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: O que fazer? OPÇÕES DECISÕES AÇÕES
  • 6. Pensamento Estratégico é identificar, imaginar e entender possível e plausíveis futuros ambientes de operação para sua organização
  • 7. ... E usar seu conhecimento para expandir o pensamento através das potenciais futuras opções ...
  • 8. Líderes precisam aprender a ver, tanto os sistemas mais amplos, quanto as partes que o compõe. O foco deve ser desde otimizar suas partes como se fosse um quebra-cabeça, até construir entendimento compartilhado e visão ampla. • Principais focos − Ambiente externo (para entender o impacto da mudança); − Conexões e interdependências; − Alinhamento entre as capacidades internas e a realidade externa; − Estratégia que garanta a viabilidade da organização no futuro; − Big Picture! Introdução a Estratégia Empresarial Pensamento Sistêmico Pensando Grande: Pensando em Sistemas
  • 9. O pensamento estratégico demanda de informações que sirvam de base e permeiem todo o processo. Para tanto, o processo de Coleta de Informação (Scan) é extremamente fundamental para antecipar-se a situação, conhecê-lo antes e junto de toda a empresa. Neste processo, destaca-se as seguintes diretrizes: Observar por várias perspectivas (apenas o fato) As análises mais importantes devem ser registradas e compartilhadas 1 2 3 4 As coletas precisam ser em todos os níveis e áreas da organização Procurar por conexões, conflitos e intersecções Introdução a Estratégia Empresarial Observar, avaliar e prever o futuro
  • 10. O futuro pode até não ser conhecido, mas você pode conhecer, e muito, sobre como você pode influenciá-lo
  • 14. Pensamento Estratégico é pensar sobre o futuro de forma proativa, é adquirir comportamentos estratégicos COMPROMETER-SE DIARIAMENTE COM A PRÁTICA DA ESTRATÉGIA INTERIOR EXTERIOR INDIVIDUALCOLETIVO ENCORAJAR E SUPORTAR TODOS OS FUNCIONÁRIOS RECONHECER O IMPACTO DE HOJE PARA AS FUTURAS GERAÇÕES CRIAR UM FUTURO FOCADO NA CULTURA DE TOMADA DE DECISÃO CRIE MUDANÇAS EM SUA ROTINA DEFINIR UM SISTEMA DE ANÁLISE QUE SUPORTE/ALIMENTE A TOMADA DE DECISÃO AO TOMAR DECISÕES, REFLETIR SOBRE O QUÃO GRANDE, PROFUNDA E LONGA ELA É DEFINIR WORKSHOPS SOBRE O TEMA LÍDERES ORGANIZAÇÃO
  • 15. Vantagem competitiva visa explorar os fatores que influenciam o mercado e afetam o comportamento de compra. Visa entender o ambiente competitivo e identificar ações e estratégias futuras para vantagem no mercado. Características: • Providenciar valor superior aos clientes; • Algo difícil de imitar; • Aumenta a capacidade de responder às mudanças no ambiente; Fontes de Vantagem Competitiva: • Subsídio ou suporte governamental; • Estabilizar ou monopolizar mercados; • Inovação de produto; • Inovação de processo, eficiência de custo; • Serviço Superior; • Gestão de Recursos Humanos; Introdução a Estratégia Empresarial Vantagem Competitiva O SUCESSO NO FUTURO DEPENDE DE COMO SE GERENCIA A VANTAGEM COMPETITIVA
  • 16. 16 É PRECISO PRESTAR ATENÇÃO NA CADEIA DE VALOR
  • 17. 17
  • 18. 18
  • 19. Introdução a Estratégia Empresarial Capacidades centrais CORE CAPABILITIES Pensamento Estratégico Definição Estratégica Planejamento Estratégico Futuro Proativo Comportamentos Estratégicos Vantagem Competitiva MACRO-VISÃO ESTRATÉGICA
  • 20. Introdução a Estratégia Empresarial Criando Core Capabilities 1. Construir blocos de estratégia corporativa baseados em processos de negócio; • Delimitar áreas fins e áreas meios; • Foco nas áreas que definem o negócio; 2. Transformar processos chaves em capacidades estratégicas que consistentemente providencia valor superior aos clientes; • Processos centrados nos clientes e na interação com stakeholders; • Mapear todo o valor gerado pela empresa; 3. Realizar investimentos estratégicos para suportar ou transcender a infraestrutura que conecta e cruza todas as funções da empresa; • Levantar os principais gaps e mitigá-los; • Definir prioridade e apostar nelas; 4. Praticar uma liderança capaz de explorar ao máximo toda a estratégia. • Investir no desenvolvimento humano; • Estratégia As-One: todo mundo representa a empresa ESTRATÉGIA É REVOLUÇÃO. QUALQUER OUTRA COISA É TÁTICA.
  • 21. Introdução a Estratégia Empresarial Praticando a Tomada de Decisões
  • 22. Introdução a Estratégia Empresarial Praticando a Tomada de Decisões
  • 23. Introdução a Estratégia Empresarial Tomada de Decisões baseadas na Teoria dos Jogos O que é Teoria dos Jogos? • Fundamentalmente, é o estudo sobre tomada de decisões; • Mais focado em escolhas e estratégias do que com a melhor solução. • Ela procura responder as seguintes questões: • Que tipo de estratégias existe nesse “jogo”? • Quais tipos de soluções existem aqui? O que levar em consideração? • Jogadores: Quem está interagindo? • Estratégias: Quais são as opções desses jogadores? • Recompensas: Quais são os incentivos? • Informação: O que eles sabem? • Racionalidade: Como eles pensam?
  • 24. Concepção da Estratégia Empresarial DEFININDO A MISSÃO, VISÃO E VALORES (MVV) A estratégia começa com a clara definição da proposta de negócio da empresa (missão), que precisa também ter uma imagem de qual seria o futuro perfeito (visão). Por conseguinte, os valoresdeterminam as condições principais e princípios que a empresa deve trilhar. #01
  • 25. #01 – Definindo Missão, Visão e Valores Concepção da Estratégia Empresarial Missão • A missão define o negócio da sua empresa, define o que ela é, sua essência e aquilo que os stakeholders devem enxergar. É, em resumo, a proposta da marca, um objetivo de vida que norteia todas as atividades da empresa. • Uma missão deve, acima de tudo, estimular todos os funcionários! Pode mudar! • A companhia cresce não apenas em termos financeiros, mas também em relação a maturidade da liderança! Por isso, o que inspira sua equipe hoje, pode não inspirar amanhã. Exemplo: Zappos • 1999 – Largest Selection of Shoes • 2003 – Customer Service • 2007 – Personal Emotional Connection • 2009 – Delivering Happiness Ela poderia começar em 1999 com a missão de Entregar felicidade? Começou com algo mais tangível e foi aumentando o nível de abstração até alcançar algo que mais se aproxima da proposta da marca, de forma direta!
  • 26. #01 – Definindo Missão, Visão e Valores Concepção da Estratégia Empresarial Exemplos • WAL-MART: Ser o melhor varejista do Brasil na mente e no coração dos consumidores e funcionários • BRADESCO: Ser reconhecida como a melhor e mais eficiente instituição financeira do País e pela atuação em prol da inclusão bancária e desenvolvimento sustentável. • ARCOR: Ser a empresa n°1 de guloseimas e biscoitos da América Latina e consolidar participação internacional Características • A visão deve ser suficientemente clara e concisa para que qualquer um na organização possa entender. • A visão costuma refletir o sonho do fundador ou do atual líder. Visão • Visão é a imagem que imagina dela mesma no fim do ciclo estratégico. Costuma apontar a posição, status, características, condições, conquistas e evolução. • Aponta aonde queremos chegar!
  • 27. #01 – Definindo Missão, Visão e Valores Concepção da Estratégia Empresarial Valores • Os valores incidem nas convicções que fundamentam as escolhas de uma organização. Os valores “dizem” e os comportamentos “fazem”, a partir deles é possível tanto atingir os objetivos da organização quanto atender as necessidades de todos a sua volta. • Crença que orienta julgamentos e ações por meio de objetivos específicos e imediatos. São princípios que guiam a vida da organização • “Dou valor as coisas não por aquilo que valem, mas por aquilo que significam.” – Gabriel Garcia Marques Exemplo: FIAT • Satisfação do cliente; • Valorização e respeito às pessoas; • Atuar como parte integrante do Grupo Fiat • Responsabilidade Social; • Respeito ao meio ambiente Exemplo: GERDAU • Preferência dos clientes; • Segurança das pessoas; • Respeito e comprometimento com as pessoas • Excelência com simplicidade • Foco em Resultados • Integridade com todos os públicos • Sustentailidade econômica
  • 28. Concepção da Estratégia Empresarial FORMULANDO HIPÓTESES E ESTRATÉGIAS DE NEGÓCIO É necessário usar ideias que funcionem e resolvam as questões mais importantes da estratégia: “Por que” e “Como”. Estratégias genéricas e temáticas dão um alicerce maior e embasado para tomada de decisão e diretrizes. Para tal, é necessário diagnosticar a empresa, propor soluções e tomar ações para testar as hipóteses definidas #02
  • 29. #02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Diagnóstico) Concepção da Estratégia Empresarial S O T Strengths Vantagens internas da empresa em relação às concorrentes. Ex.: qualidade do produto oferecido, bom serviço prestado ao cliente, solidez financeira, etc. Weaknesses Desvantagens internas da empresa em relação às concorrentes. Ex.: altos custos de produção, má imagem, instalações desadequadas, marca fraca, etc.; Threats Aspectos externos negativos que podem por em risco a vantagem competitiva da empresa. Ex.: novos competidores, perda de trabalhadores fundamentais, etc. W Opportunities Aspectos externos positivos que podem potenciar a vantagem competitiva da empresa. Ex.: mudanças nos gostos dos clientes, falência de empresa concorrente, etc.; ANÁLISE DE RISCO NECESSIDADES DOS CLIENTES PESTEL INDICADORES e KPIs AUDITORIA INTERNA AVALIAÇÃO INDEPENDENTE
  • 30. #02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Diagnóstico) Concepção da Estratégia Empresarial S Avaliada em U$ 4 billion Bom histórico Maior rede vendedora de café do mundo W Má publicidade Café Caro Flutuação no preço do grão de café EXEMPLO
  • 31. #02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Diagnóstico) Concepção da Estratégia Empresarial O Expansão do Mercado Aumento da demanda em mercados asiáticos Extensão da cadeia de fornecimento T Aumento dos preços dos grãos de café Direitos de patente fracos em mercados emergentes Imitações EXEMPLO
  • 32. #02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Solução) Concepção da Estratégia Empresarial S O T Pontos Fortes x Ameaças Estratégia de confronto para modificação do ambiente a favor da empresa. Utilize esse cruzando mento para modificação do ambiente a favor da empresa. W Pontos Fortes x Oportunidades Estratégia ofensiva / Desenvolvimento de Vantagens competitivas. A estratégia Ofensiva pega cada um dos pontos fortes e cruzar com as oportunidades. X O T Pontos Fracos x Ameaças Estratégia defensiva com possíveis modificações para proteger a empresa. Pode até mesmo adotar alterações profundas objetivando a proteção em cenários ruins. Pontos Fracos x Oportunidades Estratégia de reforço para poder aproveitar melhor as oportunidades. As ações adotadas devem reforçar suas fraquezas para que elas não atrapalhem na competitividade do mercado. Desenhe a estratégia de forma a tirar vantagens das fraquezas da sua empresa. X SWOT CRUZADA
  • 33. #02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Solução) Concepção da Estratégia Empresarial S O T ESTRATÉGIA DE CONFRONTO – Empresa de Soja Pontos Fortes: Tecnologia de Ponta, Produção em larga escala Ameaças: Aumento expressivo do dólar Estratégia: Apostar nas exportações uma vez que o aumento do dólar “barateia” o produto para consumidores internacionais. W ESTRATÉGIA OFENSIVA - Empresa de Turismo Pontos Fortes: Influência de mercado Oportunidades: Realização da Copa do Mundo e Olimpíadas no Brasil. Estratégia: Investir em parcerias para abranger o maior numero de estabelecimentos turísticos através do seu peso de mercado. X O T ESTRATÉGIA DE DEFESA – Empresa de artesanato Pontos Fracos: Não consegue atender a demanda Ameaças: Aumento de fabricas que produzem artigos em larga escala. Estratégia: Adoção de maquinário e personalização de produtos para criar nichos de mercado, fugindo do mercado consumidor padrão. ESTRATÉGIA DE REFORÇO – Indústria de peças PVC Pontos Fracos: Logística deficitária Oportunidades: Mercado de revenda de peças plásticas em alta, devido ao encarecimento dos produtos a base de outros compostos Estratégia: Contratação de empresas terceirizadas de transporte X EXEMPLOS METAS ESTRATÉGICAS
  • 34. #02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Ação) Concepção da Estratégia Empresarial 03 ESTRATÉGIAS GENÉRICAS CRIAR NOVOS PRODUTOS E SERVIÇOS AUMENTAR O VALOR AO CLIENTE/STAKEHOLDERS ALCANÇAR A EXCELÊNCIA OPERACIONAL Prover liderança de produtos/serviços, franchising e novos nichos/segmentos Aumentar interação e experiência do cliente e stakeholders, melhorar produtos existentes Diminuir custos operacionais, aumentar produtividade, melhor gestão de tempo e recurso 3M possui foco em inovação e está sempre explorando novos mercados, lançando novos produtos e renovando antigos Zappos é uma empresa com foco máximo na experiência que o cliente tem com seus produtos McDonald’s é um exemplo de empresa que possui foco na Eficácia das operações.
  • 35. Concepção da Estratégia Empresarial Estratégia Genérica • A estratégia genérica são diretrizes para priorizar e focar determinados aspectos da estratégia de acordo com as hipóteses levantadas pela gestão. A estratégia definida deverá englobar todas as metas estratégicas e nortearam o caminho para que cada uma delas sejam atingidas da forma que a empresa realmente necessita. Metas Estratégicas • Todas as estratégias (ofensivas, defensivas, confronto e reforço) devem ser classificadas de acordo com as estratégias genéricas e priorizadas de acordo com a hipótese estratégica (escolha da estratégia genérica). Cada meta pode se traduzir em diversos objetivos estratégicos (duas metas podem fazer uso de um mesmo objetivo estratégico) Desdobramento em Ações • Todos os objetivos estratégicos devem ser mensurados e mapeados (tal como apresentado no restante do framework) e servirão de insumos para os níveis tático e operacionais definirem ações tangíveis. O nível tático deverá definir projetos e programas que satisfaçam os objetivos estratégicos relacionados com a área/departamento de atuação. É importante, portanto, que ao se definir todos os objetivos estratégicos, deva-se definir as áreas da empresa que estão diretamente influenciadas e responsáveis por cada um deles. #02 – Formulando Hipóteses e Estratégias de Negócio (Ação)
  • 36. Concepção da Estratégia Empresarial MAPA ESTRATÉGICO Mais do que objetivos soltos e métricas isoladas, a estratégia deve ser claramente definida e contextualizada e apresentada de forma visual, de fácil consulta e entendimento. Para facilitar o controle, objetivos estratégicos devem ser definidos, associando metas estratégicas, leading e lagging indicadores e definido sobre alguma perspectiva. #03
  • 37. #03 – Mapa Estratégico (Definindo o Objetivo Estratégico) Concepção da Estratégia Empresarial Uma META é: • Ampla; • Intangível, e • Abstrata • Um exemplo de meta pode ser “Investir em parcerias para abranger o maior número de estabelecimentos na Copa” (capítulo anterior), ela é ampla pois representa diversas possibilidades de ações, é intangível pois não se mensura ou visualiza a parceria, e abstrata pois não há definições de como serão as parcerias, no que exatamente se deve investir... A meta funciona com norteadora apenas. Todo objetivo deve possuir as seguintes características: 1. Responsável 2. Indicadores atrelados 3. Alvos / Limiares 4. Benchmarking 5. Meta relacionada O 1° passo para montar o mapa é entender as diferenças entre as metas traçadas anteriormente e os objetivos traçados agora Um OBJETIVO é: • Específico; • Tangível, e • Mensurável • Se considerarmos a meta do exemplo anterior, podemos traçar o seguinte objetivo (a empresa pode traçar quantos objetivos quiser para atingir a meta): 1) Definir 10 campanhas de marketing com parceiros comerciais envolvidos com a temática da Copa, investindo até R$ 10 mil reais para atingir um público de 100.000 pessoas [Responsável: Marketing; Indicadores: Público...]
  • 38. #03 – Mapa Estratégico (Definindo o Objetivo Estratégico) Concepção da Estratégia Empresarial
  • 39. #03 – Mapa Estratégico (Definindo o Objetivo Estratégico) Concepção da Estratégia Empresarial Todos os objetivos estratégicos devem ser divididos em pilares e deve ser traçado um rastro entre todos eles para identificar correlações, integrações e dependências. Essas perspectivas criam uma reflexão daquilo que pensamos para o futuro e é capaz de contextualizar melhor os números de uma empresa. Apesar de mais importantes, os objetivos financeiros por si só não dizem muita coisa, é importante atrelá-los a outros objetivos para entender melhor a história de uma empresa
  • 40. #03 – Mapa Estratégico (Exemplo de BSC) Concepção da Estratégia Empresarial Abaixo segue exemplo de um BSC, os campos de objetivos estão tratados de forma reduzidos (por tema) para facilitar a visualização do mapa. No passo 1 são postos os objetivos financeiros e já são criadas alguma dependência. No passo 2 são definidos os objetivos de clientes, veja que para a empresa, atrair mais prospects ajuda no aumento de receitas, e a educação de clientes auxilia no controle de custos. Essas relações são apresentadas no mapa. OBS: Algumas empresas pode considerar que criar conteúdo de engajamento pode atrair novos prospects, mas não foi o caso (essa decisão determina ações estratégicas) 1 2
  • 41. #03 – Mapa Estratégico (Exemplo de BSC) Concepção da Estratégia Empresarial Nesse passo 3 (lembrando que a ordem dos passos depende do jeito que a empresa preferir), são criados indicadores específicos para verificar a eficiência da conexão entre os objetivos, isto é, o quanto o objetivo relacionado aos clientes esta realmente influenciando e gerando resultados nos objetivos financeiros. Esse passo não é necessariamente obrigatório, mas gera um tipo de informação muito útil estrategicamente e pode apontar se o insucesso de determinado objetivo corresponde a suas próprias ações atreladas, ou se tem haver com os insumos e influência de outros objetivos, ações e resultados. 3 Como sabemos que a conexão esta funcionando? KPI 1 : The number of sales referred by the article; KPI 2: The number of support tickets of a specific type (where customers ask for the article stuff);
  • 42. #03 – Mapa Estratégico (Exemplo de BSC) Concepção da Estratégia Empresarial Nesse exemplo, os passos 4 e 5 correspondem a criação dos objetivos de processos/internos e aprendizado/crescimento, e suas respectivas conexões de acordo com a visão da empresa. No passo 5, ao se observar o mapa concluído, fica perceptível que os dois principais objetivos dessa companhia é aumentar os lucros e criar conteúdo engajador, que estão conectados com diversos outros objetivos dentro da organização. Com a criação dos indicadores no passo 3 (e por isso se recomenda fazer isso nessa etapa, ainda que não obrigatório), é possível traçar objetivos no passo 4 e 5 que possibilitem a contribuição direta ao indicador. 4 5
  • 43. Concepção da Estratégia Empresarial ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Alinhamento é o correto posicionamento das coisas em relação umas às outras. Numa organização é necessário alinhar o portfólio de projetos (internos e externos), os objetivos de negócios e das áreas, e o ambiente que se almeja e o que se encontra. O alinhamento começa desde a elaboração do plano, até a entrega de resultados #04
  • 44. #04 – Alinhamento Estratégico (iniciando na elaboração do PE) Concepção da Estratégia Empresarial
  • 45. #04 – Alinhamento Estratégico (definindo meios) Concepção da Estratégia Empresarial
  • 46. #04 – Alinhamento Estratégico (alinhando projetos) Concepção da Estratégia Empresarial Todos os projetos da organização devem trazer (sem exceção) algum tipo de contribuição para que se atinja a visão da empresa, através de seus diversos objetivos e metas REQUISITOS PARA PROJETOS: • TODOS os benefícios de todos os projetos intenros devem endereçar ao menos um dos objetivos do mapa estratégico; • É necessário ter um portfólio atualizado de todos os projetos (passados, presentes e futuros) da gestão/período do PE e sua respectiva contribuição no mapa de valor da empresa • No início de todo projeto, na etapa de planejamento, é necessário especificar, de forma clara, uma forma eficiente de verificar os benefícios apontados ao fim do projeto (seja apresentando indicadores+metas, apresentação de feedback de algum stakeholder, documentação específica...) TODOS OS PROJETOS PRECISAM POSSUIR UM PROCESSO DE GESTÃO DE BENEFÍCIOS
  • 47. #04 – Alinhamento Estratégico (alinhando objetivos) Concepção da Estratégia Empresarial Todas as áreas/diretorias devem estar 100% alinhadas aos objetivos estratégicos, e devem promover a sinergia para otimizar os resultados de outras áreas que precisem de suporte Planejamento Tático: • Para cada objetivo do qual a diretoria é responsável deve haver um ou mais projetos relacionados • A diretoria deve prever também projetos de suporte a outras áreas, para que estas atinjam seus objetivos (é interessante que cada área faça uma lista de necessidades para outras áreas se preparem e poderem dar o suporte) • Uma ferramenta como a PAPA é importante para gerenciar os planos táticos Indicadores Operacionais: • A área deve apresentar indicadores operacionais (ou diretamente os estratégicos) para compor os indicadores de todos os objetivos relacionados. • A diretoria deve definir níveis mínimos de rendimento para cada processo (com avaliação da auditoria interna) TODAS AS DIRETORIAS DEVEM SER RESPONSÁVEIS DIRETAMENTE POR AO MENOS UM OBJETIVO
  • 48. #04 – Alinhamento Estratégico (alinhando cenários) Concepção da Estratégia Empresarial
  • 49. Concepção da Estratégia Empresarial EXECUÇÃO E CUMPRIMENTO ESTRATÉGICO A melhor forma de garantir o cumprimento estratégico é medindo se todas as ações que estão sendo tomadas estão gerando o resultado esperado. As medições são feitas através de indicadores/KPIs, que devem ser desenhados, implantados, coletados, calculados, analisados e apresentados como insumo para tomada de decisão #05