SlideShare uma empresa Scribd logo
O suicídio não resolve seu problema
Setembro amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção
do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito da
realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção.
Ocorre no mês de setembro, desde 2014, por meio de identificação de locais
públicos e particulares com a cor amarela e ampla divulgação de
informações. 10 de setembro é o dia mundial de prevenção do suicídio.
O suicídio é considerado um problema de saúde pública no Brasil e no
mundo. É preocupante o número de autoextermínios, que, em 90% dos
casos, está associado a patologias de ordem mental diagnosticáveis e
tratáveis.
Em O Livro dos Espíritos, na questão 944, Kardec pergunta aos Mentores
espirituais: Tem o homem o direito de dispor da sua vida? E os Espíritos
respondem: “Não, só a Deus assiste esse direito. O suicídio voluntário
transforma-se numa transgressão desta lei”. Questão 945: Que se deve
pensar do suicídio que tem como causa o desgosto da vida? Respondem os
Espíritos: “Insensatos! Por que não trabalhavam? A existência não lhes teria
sido tão pesada”.
Viver sem perspectiva da continuidade da vida no mundo espiritual é, sem
dúvida, o que mais terrível pode acontecer às criaturas. Como enfrentar
atribulações, dores, dificuldades, dissabores, sem conceber que a vida
projeta-se além do túmulo, onde o homem tem a oportunidade de refazer
sua programação em condições melhores?
Como conter vícios e mazelas, sem a consciência de que teremos de prestar
contas, um dia, de nosso comportamento, dos males praticados, perante os
poderes maiores que nos regem? Como superar o profundo tédio que
acomete os que, mesmo tendo atendidos seus desejos, mesmo desfrutando
das benesses do mundo, acabam cansando-se das rotinas da vida, sem
cogitações de ordem superior?
O homem não tem o direito de dispor da própria vida, somente Deus tem
este direito. Por isso, o suicídio é uma transgressão da lei natural. Portanto,
é importante que saibamos que tirar a própria vida é sempre um ato
condenável. Porém, Deus, em sua infinita misericórdia, atenua as suas
consequências, conforme os casos.
Os motivos que levam uma pessoa a cometer o suicídio são muitos, como ,
por exemplo, o medo de assumir responsabilidade; falta de fé e de
conhecimento de um Deus de amor; falta de apoio familiar; remorso;
depressão, quando a criatura se sente vazia, profundamente triste, sentindo-
se como se fosse um fardo para as outras pessoas; por estarem sofrendo.
Essa criatura, por não ser compreendida pela sociedade, acaba desistindo de
sua jornada terrena, acreditando mesmo que, se tirar a sua vida, o
sofrimento acabará. Mas, será que acaba mesmo? Não! O sofrimento
continua lá no outro lado da vida. E a grande frustração do suicida é saber
que não morreu e que ainda ficou com um agravante. O Espírito encarnado
que desiste de sua existência terrena atentando contra a própria vida, cria
um ambiente turvo, onde suas lembranças e agonias criam uma atmosfera
desagradável.
Vamos procurar mostrar como se origina esse sofrimento do suicida. Nós
sabemos que o espírito está ligado ao corpo físico pelo perispírito, e o
Fluido Vital é que mantém essa ligação. O Fluido Vital é uma energia que
nós recebemos por ocasião da nossa reencarnação. E quanto de Fluido Vital
o Espírito recebe para realizar o seu aperfeiçoamento espiritual? Cada
espírito tem um tempo determinado para viver; 5, 20, 40, 70, 80, 90 anos,
por exemplo, e, consequentemente, recebe uma carga de Fluido Vital
compatível. O suicida, ao sair da vida física antes do tempo determinado,
quebra todo o processo estabelecido para a sua jornada terrena, causando
problemas sérios no seu perispírito. Fazendo uma analogia, vamos dar um
exemplo: a criatura programa uma viagem de férias. Então, ela abastece o
carro de acordo com a quilometragem que vai percorrer, certo?
Agora, se ela começar a desviar do caminho traçado, gastando mais
combustível, não vai conseguir atingir o seu objetivo, e isso acontece com
muitas pessoas. Quando a criatura queima o Fluido Vital com outras coisas,
ela diminui o seu tempo de permanência aqui na Terra; e, isso é
denominado de suicídio indireto. Isto ocorre quando ela é desregrada,
quando perde noites de sono, quando faz extravagâncias das mais variadas,
ou seja, ela está utilizando o seu Fluido Vital de maneira equivocada. Já, no
suicídio direto, a criatura está no mundo espiritual com o tanque cheio do
Fluido Vital. Mas, por que o tanque está cheio? Simplesmente porque ela
saiu do palco da vida antes do tempo que havia programado. Se existe algo
que não faz parte da programação do Espírito, esse algo é o suicídio. Claro
que ela usou o seu livre-arbítrio, mas isso não estava previsto.
Não é o Fluido Vital que mantém o Espírito ligado à matéria? Ora, se o
suicida está com tanto Fluido Vital assim, o que vai acontecer? Ele vai se
sentir ligado à matéria. Esse Fluido Vital vai continuar mantendo essa
estreita ligação entre o Espírito e a matéria. Mas a matéria não vai entrar em
decomposição? Vai! E o Espírito vai sentir isso. Ele vai sentir a
decomposição como se fosse nele mesmo. Ele vai sentir os odores fétidos ?
Vai! Ele agora tem a lei da repercussão. É a lei das consequências. É a lei de
causa e efeito, por isso ele experimenta esse sofrimento.
Finalizando, a observação mostra que as consequências do suicídio
realmente não são sempre as mesmas. Porém, algumas dessas
consequências são comuns a todos os casos de morte violenta, isto é, aquela
em que acontece a interrupção brusca da vida.
De início observa-se a persistência mais prolongada e firme do laço que une
o espírito ao corpo. Isto acontece porque este laço está, quase sempre, na
plenitude de sua força no momento em que se parte, ao passo que, quando
se trata de morte natural, ele se enfraquece gradualmente e, às vezes, chega
até a se desfazer antes de a vida se extinguir totalmente no corpo. As
consequências advindas desse estado de coisas são o prolongamento da
perturbação do espírito, seguida da ilusão que o faz acreditar, por um tempo
mais ou menos longo, que ele ainda faz parte do mundo dos vivos.
Sem perspectiva para o futuro, sem consciência de continuidade da vida, na
qual o ser irá colher males ou benefícios compatíveis com o seu
comportamento, tudo pode ser motivo para a deserção, até o tédio de viver.
Quem asila essa ideia infeliz, logo é assediado por espíritos que acabam por
convencê-lo de que é a melhor saída. A outra indagação que Kardec fez a
um suicida, por afogamento, foi: Tende a bondade de nos descrever do
melhor modo possível a vossa atual situação? E a resposta da entidade: -
Sofro pelo constrangimento em que estou de crer em tudo quanto negava.
Meu espírito está como num braseiro, horrivelmente atormentado. Sem
dúvida, a grande e terrível surpresa do materialista que se suicida é
constatar que continua a viver, em situação infinitamente pior do que aquela
que o levou à deserção. Vamos imaginar alguém que deseja simplesmente
sumir, mas constata que continua vivo, num outro plano, um terrível
purgatório formado pelas sombras, e o que é pior, colhendo tormentos
inenarráveis, que superam em muito as dores e atribulações da Terra.
Nunca será demais lembrar que o suicídio provoca destrambelhos violentos
no perispírito. A expressão como num braseiro, usada pelo espírito, não nos
remete a fantasias medievais das chamas do Inferno, mas exprime bem o
estado de angústia e dores do suicida. O suicídio é considerado um
problema de saúde pública no Brasil e no mundo. É preocupante o número
de autoextermínios, que, em 90% dos casos, está associado a patologias de
ordem mental diagnosticáveis e tratáveis.
Nossas vidas vêm com um propósito; e nós deveríamos cumprir esse
propósito até o fim. Aquele que comete o suicídio não está fora das leis de
Deus; ele simplesmente cometeu um desvio de programa existencial, e vai
ter que rearticular um outro programa para corrigir aquele desvio.
Sabemos que os suicidas renascem com os problemas que causaram para si
mesmos. Quando uma pessoa comete o suicídio, ela complica o seu próprio
destino de uma tal maneira que ele fica comprometido. É como a pessoa
tivesse assumido um compromisso e desistido desse compromisso no meio
do caminho, antes de completar a tarefa proposta. E o que podemos fazer
por esses Espíritos? Nós podemos ajudá-los com os nossos pensamentos de
paz, com as nossas vibrações salutares, com as nossas preces, colocar seus
respectivos nomes nas listas da Casa Espírita, porque, com certeza, essas
vibrações irão alcançá-los, e isso poderá proporcionar a eles um
refazimento de energias, e que eles possam, paulatinamente, promover a
recuperação que tanto necessitam.
Quem ocupa seu tempo, suporta as contingências da vida com mais
paciência e resignação, ao mesmo tempo que trabalha objetivando a
felicidade mais sólida e mais durável que o espera na vida futura. Por sua
vez, o suicida que tem por fim escapar às misérias e às decepções deste
mundo é um pobre espírito que não teve a coragem de suportá-las. Deus
ajuda os que sofrem e não aos que não têm forças nem coragem. As
tribulações da vida são provas ou expiações. Felizes serão os que as
suportam sem se queixar, porque serão recompensados e, nestes casos,
infelizes serão aqueles que, na sua impiedade, esperam para elas uma saída
naquilo que chamam de sorte ou acaso. Esta pode favorecê-los por um
instante, mas somente para que mais tarde sintam, e de modo cruel, o vazio
dessas palavras.
Também o homem que luta com a penúria e que não se mata, mas se deixa
morrer de desespero, pode até ser considerado um suicida, mas, apesar
disso, terá misericórdia. Não será totalmente absolvido, porque lhe faltaram
firmeza e perseverança e não usou de toda sua inteligência para sair das
dificuldades. Será muito infeliz se a causa de seu desespero tiver sido o
orgulho. Outra motivação para dar cabo à própria vida é a vergonha por
uma má ação. Este suicídio é tão reprovável como aquele provocado pelo
desespero. Na verdade, este ato não irá apagar a falta e ainda acrescentará
outra. Quando se teve a coragem de praticar o mal, deve-se ter também a
coragem de sofrer suas consequências.
Em todos os casos, Deus é quem julga e pode diminuir o rigor de sua
justiça, conforme a causa. Assim é que aquele que comete suicídio,
tentando com isso impedir que a vergonha envolva os filhos ou a família,
não procede bem. Mas, como acredita que sim, Deus levará em conta a sua
intenção, porque trata-se de uma expiação que o suicida impôs a si mesmo.
Sua intenção atenua a falta, mas nem por isso ele deixa de ser faltoso,
porque quem tira a sua vida para fugir à vergonha de uma má ação, prova
que dá mais valor à estima dos homens do que à de Deus.
Portanto, valorize a vida.
Muita Paz!
Meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br
Com estudos comentados de O Livro dos Espíritos, de O Livro dos
Médiuns, e de O Evangelho Segundo o Espiritismo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Por que a Morte ainda nos traz tanto medo?
Por que a Morte ainda nos traz tanto medo?Por que a Morte ainda nos traz tanto medo?
Por que a Morte ainda nos traz tanto medo?
igmateus
 
Suicídio
SuicídioSuicídio
Suicídio
igmateus
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
A felicidade na visão espirita
A felicidade na visão espiritaA felicidade na visão espirita
A felicidade na visão espirita
carlos freire
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vidaSuicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Ricardo Azevedo
 
AliançA Da CiêNcia E Da ReligiãO
AliançA Da CiêNcia E Da ReligiãOAliançA Da CiêNcia E Da ReligiãO
AliançA Da CiêNcia E Da ReligiãO
Grupo Espírita Cristão
 
Penas e gozos futuros
Penas e gozos futurosPenas e gozos futuros
Penas e gozos futuros
Luciane Belchior
 
Suicidio na visão espirita
Suicidio  na visão espiritaSuicidio  na visão espirita
Suicidio na visão espirita
Lisete B.
 
Volta Do Espirito a Vida Corporal I
Volta Do Espirito a Vida Corporal IVolta Do Espirito a Vida Corporal I
Volta Do Espirito a Vida Corporal I
Angelo Baptista
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
gmo1973
 
38 nosso lar o caso tobias
38 nosso lar  o caso tobias38 nosso lar  o caso tobias
38 nosso lar o caso tobias
Fatoze
 
Lei de Igualdade
Lei de IgualdadeLei de Igualdade
Lei de Igualdade
Angelo Baptista
 
2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morte2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morte
Marta Gomes
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
Marcos Antônio Alves
 
Injúrias E Violências
Injúrias E ViolênciasInjúrias E Violências
Injúrias E Violências
Grupo Espírita Cristão
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
Roseli Lemes
 
Responsabilidade de consciência
Responsabilidade de consciênciaResponsabilidade de consciência
Responsabilidade de consciência
Dalila Melo
 
Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita
Lisete B.
 
O Ódio - O amor que enlouqueceu
O Ódio - O amor que enlouqueceuO Ódio - O amor que enlouqueceu
O Ódio - O amor que enlouqueceu
Izabel Cristina Fonseca
 
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruiçãoSegundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
CeiClarencio
 

Mais procurados (20)

Por que a Morte ainda nos traz tanto medo?
Por que a Morte ainda nos traz tanto medo?Por que a Morte ainda nos traz tanto medo?
Por que a Morte ainda nos traz tanto medo?
 
Suicídio
SuicídioSuicídio
Suicídio
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
A felicidade na visão espirita
A felicidade na visão espiritaA felicidade na visão espirita
A felicidade na visão espirita
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vidaSuicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
 
AliançA Da CiêNcia E Da ReligiãO
AliançA Da CiêNcia E Da ReligiãOAliançA Da CiêNcia E Da ReligiãO
AliançA Da CiêNcia E Da ReligiãO
 
Penas e gozos futuros
Penas e gozos futurosPenas e gozos futuros
Penas e gozos futuros
 
Suicidio na visão espirita
Suicidio  na visão espiritaSuicidio  na visão espirita
Suicidio na visão espirita
 
Volta Do Espirito a Vida Corporal I
Volta Do Espirito a Vida Corporal IVolta Do Espirito a Vida Corporal I
Volta Do Espirito a Vida Corporal I
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
 
38 nosso lar o caso tobias
38 nosso lar  o caso tobias38 nosso lar  o caso tobias
38 nosso lar o caso tobias
 
Lei de Igualdade
Lei de IgualdadeLei de Igualdade
Lei de Igualdade
 
2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morte2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morte
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
Injúrias E Violências
Injúrias E ViolênciasInjúrias E Violências
Injúrias E Violências
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
 
Responsabilidade de consciência
Responsabilidade de consciênciaResponsabilidade de consciência
Responsabilidade de consciência
 
Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita Ansiedade na visão espirita
Ansiedade na visão espirita
 
O Ódio - O amor que enlouqueceu
O Ódio - O amor que enlouqueceuO Ódio - O amor que enlouqueceu
O Ódio - O amor que enlouqueceu
 
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruiçãoSegundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
 

Semelhante a O suicídio não resolve seu problema

Diga não ao suicídio
Diga não ao suicídioDiga não ao suicídio
Diga não ao suicídio
Helio Cruz
 
Suicidio - GEC 23 fevereiro 2013
Suicidio - GEC 23 fevereiro 2013Suicidio - GEC 23 fevereiro 2013
Suicidio - GEC 23 fevereiro 2013
Izabel Cristina Fonseca
 
SUICÍDIO SOB A VISÃO ESPÍRITA
SUICÍDIO SOB A VISÃO ESPÍRITASUICÍDIO SOB A VISÃO ESPÍRITA
SUICÍDIO SOB A VISÃO ESPÍRITA
Luan Silva
 
Suicidios Esclarecimentos
Suicidios EsclarecimentosSuicidios Esclarecimentos
Suicidios Esclarecimentos
Rafael Exel de Araújo
 
Consequencias do suicidio no plano Espiritual
Consequencias do suicidio no plano EspiritualConsequencias do suicidio no plano Espiritual
Consequencias do suicidio no plano Espiritual
Marta Gomes
 
Setembro amarelo
Setembro amareloSetembro amarelo
Setembro amarelo
Helio Cruz
 
Conversando o Evangelho - Suicídio
Conversando o Evangelho - SuicídioConversando o Evangelho - Suicídio
Conversando o Evangelho - Suicídio
Fatoze
 
Tédio de viver
Tédio de viverTédio de viver
Tédio de viver
Helio Cruz
 
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptxFLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
ssuser9b8021
 
Setembro Amarelo
Setembro AmareloSetembro Amarelo
Setembro Amarelo
Alfredo Lopes
 
Suicidio parte-dois
Suicidio parte-doisSuicidio parte-dois
Suicidio parte-dois
Rosângela Elias
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 5a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 5a. ediçãoSuicídio - Dor dos dois lados da vida - 5a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 5a. edição
Ricardo Azevedo
 
Mediunidade o que é isso apostila 038
Mediunidade o que é isso   apostila 038Mediunidade o que é isso   apostila 038
Mediunidade o que é isso apostila 038
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
Leonardo Pereira
 
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa Solução
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa SoluçãoAula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa Solução
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa Solução
Sergio Lima Dias Junior
 
A morte - Curso de Escatologia (6)
A morte - Curso de Escatologia (6)A morte - Curso de Escatologia (6)
A morte - Curso de Escatologia (6)
Afonso Murad (FAJE)
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Temor da morte – Livro dos Espíritos
Temor  da  morte – Livro dos EspíritosTemor  da  morte – Livro dos Espíritos
Temor da morte – Livro dos Espíritos
Izabel Cristina Fonseca
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. ediçãoSuicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. edição
Ricardo Azevedo
 

Semelhante a O suicídio não resolve seu problema (20)

Diga não ao suicídio
Diga não ao suicídioDiga não ao suicídio
Diga não ao suicídio
 
Suicidio - GEC 23 fevereiro 2013
Suicidio - GEC 23 fevereiro 2013Suicidio - GEC 23 fevereiro 2013
Suicidio - GEC 23 fevereiro 2013
 
SUICÍDIO SOB A VISÃO ESPÍRITA
SUICÍDIO SOB A VISÃO ESPÍRITASUICÍDIO SOB A VISÃO ESPÍRITA
SUICÍDIO SOB A VISÃO ESPÍRITA
 
Suicidios Esclarecimentos
Suicidios EsclarecimentosSuicidios Esclarecimentos
Suicidios Esclarecimentos
 
Consequencias do suicidio no plano Espiritual
Consequencias do suicidio no plano EspiritualConsequencias do suicidio no plano Espiritual
Consequencias do suicidio no plano Espiritual
 
Setembro amarelo
Setembro amareloSetembro amarelo
Setembro amarelo
 
Conversando o Evangelho - Suicídio
Conversando o Evangelho - SuicídioConversando o Evangelho - Suicídio
Conversando o Evangelho - Suicídio
 
Tédio de viver
Tédio de viverTédio de viver
Tédio de viver
 
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptxFLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
 
Setembro Amarelo
Setembro AmareloSetembro Amarelo
Setembro Amarelo
 
Suicidio parte-dois
Suicidio parte-doisSuicidio parte-dois
Suicidio parte-dois
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 5a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 5a. ediçãoSuicídio - Dor dos dois lados da vida - 5a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 5a. edição
 
Mediunidade o que é isso apostila 038
Mediunidade o que é isso   apostila 038Mediunidade o que é isso   apostila 038
Mediunidade o que é isso apostila 038
 
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
 
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
Estudos do evangelho - Continuação - Bem Aventurados os Aflitos
 
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa Solução
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa SoluçãoAula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa Solução
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa Solução
 
A morte - Curso de Escatologia (6)
A morte - Curso de Escatologia (6)A morte - Curso de Escatologia (6)
A morte - Curso de Escatologia (6)
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
 
Temor da morte – Livro dos Espíritos
Temor  da  morte – Livro dos EspíritosTemor  da  morte – Livro dos Espíritos
Temor da morte – Livro dos Espíritos
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. ediçãoSuicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. edição
Suicídio - Dor dos dois lados da vida - 4a. edição
 

Mais de Helio Cruz

O pior inimigo
O pior inimigoO pior inimigo
O pior inimigo
Helio Cruz
 
Entusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidadeEntusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidade
Helio Cruz
 
A candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueireA candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueire
Helio Cruz
 
O credor incompassivo
O credor incompassivoO credor incompassivo
O credor incompassivo
Helio Cruz
 
O poder das palavras
O poder das palavrasO poder das palavras
O poder das palavras
Helio Cruz
 
Pedir e obter
Pedir e obterPedir e obter
Pedir e obter
Helio Cruz
 
A virtude os superiores e os inferiores
A virtude   os superiores e os inferioresA virtude   os superiores e os inferiores
A virtude os superiores e os inferiores
Helio Cruz
 
O peso da luz
O peso da luzO peso da luz
O peso da luz
Helio Cruz
 
Universidade de amor
Universidade de amorUniversidade de amor
Universidade de amor
Helio Cruz
 
A parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritualA parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritual
Helio Cruz
 
O homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritualO homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritual
Helio Cruz
 
O dom esquecido
O dom esquecidoO dom esquecido
O dom esquecido
Helio Cruz
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
Helio Cruz
 
Marta e maria
Marta e mariaMarta e maria
Marta e maria
Helio Cruz
 
O progresso espiritual
O progresso espiritualO progresso espiritual
O progresso espiritual
Helio Cruz
 
Viver para deus
Viver para deusViver para deus
Viver para deus
Helio Cruz
 
O Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do EspiritismoO Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do Espiritismo
Helio Cruz
 
A quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismoA quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismo
Helio Cruz
 
Os nossos julgamentos
Os nossos julgamentosOs nossos julgamentos
Os nossos julgamentos
Helio Cruz
 
Sal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundoSal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundo
Helio Cruz
 

Mais de Helio Cruz (20)

O pior inimigo
O pior inimigoO pior inimigo
O pior inimigo
 
Entusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidadeEntusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidade
 
A candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueireA candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueire
 
O credor incompassivo
O credor incompassivoO credor incompassivo
O credor incompassivo
 
O poder das palavras
O poder das palavrasO poder das palavras
O poder das palavras
 
Pedir e obter
Pedir e obterPedir e obter
Pedir e obter
 
A virtude os superiores e os inferiores
A virtude   os superiores e os inferioresA virtude   os superiores e os inferiores
A virtude os superiores e os inferiores
 
O peso da luz
O peso da luzO peso da luz
O peso da luz
 
Universidade de amor
Universidade de amorUniversidade de amor
Universidade de amor
 
A parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritualA parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritual
 
O homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritualO homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritual
 
O dom esquecido
O dom esquecidoO dom esquecido
O dom esquecido
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
 
Marta e maria
Marta e mariaMarta e maria
Marta e maria
 
O progresso espiritual
O progresso espiritualO progresso espiritual
O progresso espiritual
 
Viver para deus
Viver para deusViver para deus
Viver para deus
 
O Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do EspiritismoO Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do Espiritismo
 
A quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismoA quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismo
 
Os nossos julgamentos
Os nossos julgamentosOs nossos julgamentos
Os nossos julgamentos
 
Sal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundoSal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundo
 

Último

9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 

Último (15)

9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 

O suicídio não resolve seu problema

  • 2. Setembro amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção. Ocorre no mês de setembro, desde 2014, por meio de identificação de locais públicos e particulares com a cor amarela e ampla divulgação de informações. 10 de setembro é o dia mundial de prevenção do suicídio. O suicídio é considerado um problema de saúde pública no Brasil e no mundo. É preocupante o número de autoextermínios, que, em 90% dos casos, está associado a patologias de ordem mental diagnosticáveis e tratáveis.
  • 3. Em O Livro dos Espíritos, na questão 944, Kardec pergunta aos Mentores espirituais: Tem o homem o direito de dispor da sua vida? E os Espíritos respondem: “Não, só a Deus assiste esse direito. O suicídio voluntário transforma-se numa transgressão desta lei”. Questão 945: Que se deve pensar do suicídio que tem como causa o desgosto da vida? Respondem os Espíritos: “Insensatos! Por que não trabalhavam? A existência não lhes teria sido tão pesada”. Viver sem perspectiva da continuidade da vida no mundo espiritual é, sem dúvida, o que mais terrível pode acontecer às criaturas. Como enfrentar atribulações, dores, dificuldades, dissabores, sem conceber que a vida projeta-se além do túmulo, onde o homem tem a oportunidade de refazer sua programação em condições melhores?
  • 4. Como conter vícios e mazelas, sem a consciência de que teremos de prestar contas, um dia, de nosso comportamento, dos males praticados, perante os poderes maiores que nos regem? Como superar o profundo tédio que acomete os que, mesmo tendo atendidos seus desejos, mesmo desfrutando das benesses do mundo, acabam cansando-se das rotinas da vida, sem cogitações de ordem superior? O homem não tem o direito de dispor da própria vida, somente Deus tem este direito. Por isso, o suicídio é uma transgressão da lei natural. Portanto, é importante que saibamos que tirar a própria vida é sempre um ato condenável. Porém, Deus, em sua infinita misericórdia, atenua as suas consequências, conforme os casos.
  • 5. Os motivos que levam uma pessoa a cometer o suicídio são muitos, como , por exemplo, o medo de assumir responsabilidade; falta de fé e de conhecimento de um Deus de amor; falta de apoio familiar; remorso; depressão, quando a criatura se sente vazia, profundamente triste, sentindo- se como se fosse um fardo para as outras pessoas; por estarem sofrendo. Essa criatura, por não ser compreendida pela sociedade, acaba desistindo de sua jornada terrena, acreditando mesmo que, se tirar a sua vida, o sofrimento acabará. Mas, será que acaba mesmo? Não! O sofrimento continua lá no outro lado da vida. E a grande frustração do suicida é saber que não morreu e que ainda ficou com um agravante. O Espírito encarnado que desiste de sua existência terrena atentando contra a própria vida, cria um ambiente turvo, onde suas lembranças e agonias criam uma atmosfera desagradável.
  • 6. Vamos procurar mostrar como se origina esse sofrimento do suicida. Nós sabemos que o espírito está ligado ao corpo físico pelo perispírito, e o Fluido Vital é que mantém essa ligação. O Fluido Vital é uma energia que nós recebemos por ocasião da nossa reencarnação. E quanto de Fluido Vital o Espírito recebe para realizar o seu aperfeiçoamento espiritual? Cada espírito tem um tempo determinado para viver; 5, 20, 40, 70, 80, 90 anos, por exemplo, e, consequentemente, recebe uma carga de Fluido Vital compatível. O suicida, ao sair da vida física antes do tempo determinado, quebra todo o processo estabelecido para a sua jornada terrena, causando problemas sérios no seu perispírito. Fazendo uma analogia, vamos dar um exemplo: a criatura programa uma viagem de férias. Então, ela abastece o carro de acordo com a quilometragem que vai percorrer, certo?
  • 7. Agora, se ela começar a desviar do caminho traçado, gastando mais combustível, não vai conseguir atingir o seu objetivo, e isso acontece com muitas pessoas. Quando a criatura queima o Fluido Vital com outras coisas, ela diminui o seu tempo de permanência aqui na Terra; e, isso é denominado de suicídio indireto. Isto ocorre quando ela é desregrada, quando perde noites de sono, quando faz extravagâncias das mais variadas, ou seja, ela está utilizando o seu Fluido Vital de maneira equivocada. Já, no suicídio direto, a criatura está no mundo espiritual com o tanque cheio do Fluido Vital. Mas, por que o tanque está cheio? Simplesmente porque ela saiu do palco da vida antes do tempo que havia programado. Se existe algo que não faz parte da programação do Espírito, esse algo é o suicídio. Claro que ela usou o seu livre-arbítrio, mas isso não estava previsto.
  • 8. Não é o Fluido Vital que mantém o Espírito ligado à matéria? Ora, se o suicida está com tanto Fluido Vital assim, o que vai acontecer? Ele vai se sentir ligado à matéria. Esse Fluido Vital vai continuar mantendo essa estreita ligação entre o Espírito e a matéria. Mas a matéria não vai entrar em decomposição? Vai! E o Espírito vai sentir isso. Ele vai sentir a decomposição como se fosse nele mesmo. Ele vai sentir os odores fétidos ? Vai! Ele agora tem a lei da repercussão. É a lei das consequências. É a lei de causa e efeito, por isso ele experimenta esse sofrimento. Finalizando, a observação mostra que as consequências do suicídio realmente não são sempre as mesmas. Porém, algumas dessas consequências são comuns a todos os casos de morte violenta, isto é, aquela em que acontece a interrupção brusca da vida.
  • 9. De início observa-se a persistência mais prolongada e firme do laço que une o espírito ao corpo. Isto acontece porque este laço está, quase sempre, na plenitude de sua força no momento em que se parte, ao passo que, quando se trata de morte natural, ele se enfraquece gradualmente e, às vezes, chega até a se desfazer antes de a vida se extinguir totalmente no corpo. As consequências advindas desse estado de coisas são o prolongamento da perturbação do espírito, seguida da ilusão que o faz acreditar, por um tempo mais ou menos longo, que ele ainda faz parte do mundo dos vivos. Sem perspectiva para o futuro, sem consciência de continuidade da vida, na qual o ser irá colher males ou benefícios compatíveis com o seu comportamento, tudo pode ser motivo para a deserção, até o tédio de viver.
  • 10. Quem asila essa ideia infeliz, logo é assediado por espíritos que acabam por convencê-lo de que é a melhor saída. A outra indagação que Kardec fez a um suicida, por afogamento, foi: Tende a bondade de nos descrever do melhor modo possível a vossa atual situação? E a resposta da entidade: - Sofro pelo constrangimento em que estou de crer em tudo quanto negava. Meu espírito está como num braseiro, horrivelmente atormentado. Sem dúvida, a grande e terrível surpresa do materialista que se suicida é constatar que continua a viver, em situação infinitamente pior do que aquela que o levou à deserção. Vamos imaginar alguém que deseja simplesmente sumir, mas constata que continua vivo, num outro plano, um terrível purgatório formado pelas sombras, e o que é pior, colhendo tormentos inenarráveis, que superam em muito as dores e atribulações da Terra.
  • 11. Nunca será demais lembrar que o suicídio provoca destrambelhos violentos no perispírito. A expressão como num braseiro, usada pelo espírito, não nos remete a fantasias medievais das chamas do Inferno, mas exprime bem o estado de angústia e dores do suicida. O suicídio é considerado um problema de saúde pública no Brasil e no mundo. É preocupante o número de autoextermínios, que, em 90% dos casos, está associado a patologias de ordem mental diagnosticáveis e tratáveis. Nossas vidas vêm com um propósito; e nós deveríamos cumprir esse propósito até o fim. Aquele que comete o suicídio não está fora das leis de Deus; ele simplesmente cometeu um desvio de programa existencial, e vai ter que rearticular um outro programa para corrigir aquele desvio.
  • 12. Sabemos que os suicidas renascem com os problemas que causaram para si mesmos. Quando uma pessoa comete o suicídio, ela complica o seu próprio destino de uma tal maneira que ele fica comprometido. É como a pessoa tivesse assumido um compromisso e desistido desse compromisso no meio do caminho, antes de completar a tarefa proposta. E o que podemos fazer por esses Espíritos? Nós podemos ajudá-los com os nossos pensamentos de paz, com as nossas vibrações salutares, com as nossas preces, colocar seus respectivos nomes nas listas da Casa Espírita, porque, com certeza, essas vibrações irão alcançá-los, e isso poderá proporcionar a eles um refazimento de energias, e que eles possam, paulatinamente, promover a recuperação que tanto necessitam.
  • 13. Quem ocupa seu tempo, suporta as contingências da vida com mais paciência e resignação, ao mesmo tempo que trabalha objetivando a felicidade mais sólida e mais durável que o espera na vida futura. Por sua vez, o suicida que tem por fim escapar às misérias e às decepções deste mundo é um pobre espírito que não teve a coragem de suportá-las. Deus ajuda os que sofrem e não aos que não têm forças nem coragem. As tribulações da vida são provas ou expiações. Felizes serão os que as suportam sem se queixar, porque serão recompensados e, nestes casos, infelizes serão aqueles que, na sua impiedade, esperam para elas uma saída naquilo que chamam de sorte ou acaso. Esta pode favorecê-los por um instante, mas somente para que mais tarde sintam, e de modo cruel, o vazio dessas palavras.
  • 14. Também o homem que luta com a penúria e que não se mata, mas se deixa morrer de desespero, pode até ser considerado um suicida, mas, apesar disso, terá misericórdia. Não será totalmente absolvido, porque lhe faltaram firmeza e perseverança e não usou de toda sua inteligência para sair das dificuldades. Será muito infeliz se a causa de seu desespero tiver sido o orgulho. Outra motivação para dar cabo à própria vida é a vergonha por uma má ação. Este suicídio é tão reprovável como aquele provocado pelo desespero. Na verdade, este ato não irá apagar a falta e ainda acrescentará outra. Quando se teve a coragem de praticar o mal, deve-se ter também a coragem de sofrer suas consequências.
  • 15. Em todos os casos, Deus é quem julga e pode diminuir o rigor de sua justiça, conforme a causa. Assim é que aquele que comete suicídio, tentando com isso impedir que a vergonha envolva os filhos ou a família, não procede bem. Mas, como acredita que sim, Deus levará em conta a sua intenção, porque trata-se de uma expiação que o suicida impôs a si mesmo. Sua intenção atenua a falta, mas nem por isso ele deixa de ser faltoso, porque quem tira a sua vida para fugir à vergonha de uma má ação, prova que dá mais valor à estima dos homens do que à de Deus. Portanto, valorize a vida.
  • 16. Muita Paz! Meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br Com estudos comentados de O Livro dos Espíritos, de O Livro dos Médiuns, e de O Evangelho Segundo o Espiritismo.